Meu Feed

No mais...

"É INTELIGENTE UM GRUPO SE FORMAR PARA NEGOCIAR OS DIREITOS"; Presidente do Fortaleza | Debate Final

Fox Sports Brasil Marcelo Paz, Presidente do Fortaleza fala sobre a volta do futebol no nordeste, a situação financeira do clube, a nova MP de direitos de transmissão e mais! Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! http://www.foxsports.com.br ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Fortaleza #MP #DebateFinal Veja Mais

Presidente da ALMG diz que servidores públicos não devem ser considerados vilões

O Tempo - Política Agostinho Patrus (PV) também destacou que o Parlamento vai fazer um amplo debate sobre a reforma da Previdência, mas não garantiu que o texto seja votado até o fim de julho Veja Mais

Comissão discute situação de pacientes renais na pandemia - 19/06/20

Comissão discute situação de pacientes renais na pandemia - 19/06/20

Câmana dos Deputados O tratamento de pacientes com doenças renais também sofre reflexos da pandemia de Covid 19. A comissão externa de deputados que acompanha a crise do coronavírus tratou desses reflexos esta semana.​ Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais #CâmaraDosDeputados #Coronavirus Veja Mais

PROTESTOS NO CORINTHIANS; Veja todos os detalhes no 'Expediente Futebol'

PROTESTOS NO CORINTHIANS; Veja todos os detalhes no 'Expediente Futebol'

Fox Sports Brasil Durante o programa, nossos comentaristas analisaram as manifestações de torcidas organizadas na manhã de hoje, no Parque São Jorge. Qual é a sua opinião, torcedor? Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! http://www.foxsports.com.br Baixe o APP! https://bit.ly/3dhfI3I ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Corinthians #Protesto #Torcida Veja Mais

Prisão de Queiroz teve como base influência sobre milicianos

O Tempo - Política Juiz entendeu que ex-assessor interferia nas investigações orientando testemunhas Veja Mais

Procuradoria vai intimar Flávio Bolsonaro a depor por vazamento no caso Queiroz

O Tempo - Política Senador teria sido avisado, em outubro de 2018, sobre as investigações da Operação Furna da Onça Veja Mais

Governo de MG quer adotar dois modelos de transição previdenciária para servidor

O Tempo - Política Pela proposta encaminhada à Assembleia Legislativa (ALMG), os servidores que já estão na ativa poderão se aposentar pelo sistema de pontos ou cumprir um pedágio sobre o tempo restante para atingir os requisitos Veja Mais

TCU vai investigar o preço da cloroquina e ordem de Bolsonaro

O Tempo - Política Aumento de produção e de preço do medicamento estão sob suspeita do Ministério Público do órgão Veja Mais

Senado marca para terça-feira votação da PEC do adiamento das eleições

O Tempo - Política Primeiro turno do pleito municipal está previsto para 4 de outubro Veja Mais

Galaxy A31 vs Moto G8 Plus: intermediário Samsung supera rival da Motorola? | Comparativo

tudo celular Galaxy A31 ou Moto G8 Plus, qual comprar? Confira nosso comparativo entre os intermediários da Samsung e Motorola analisando tela, desempenho, jogos, bateria e câmeras. Veja Mais

BGS 2020 é cancelada por causa do novo coronavírus

G1 Pop & Arte Brasil Game Show aconteceria entre os dias 8 e 12 de outubro em São Paulo. Público explora a BGS 2019 Celso Tavares/G1 O organizadores da Brasil Game Show 2020 anunciaram nesta sexta-feira (19) que o evento foi cancelado este ano por causa da pandemia do novo coronavírus. A BGS 2020 aconteceria entre os dias 8 e 12 de outubro em São Paulo. No comunicado publicado no perfil do evento no Twitter, a organização diz a 13º edição foi adiada para os mesmos dias de 2021. "Adiar a 13ª edição da BGS para 2021 foi uma decisão difícil. Foram ouvidos visitantes, expositores, parceiros, patrocinadores, colaboradores e equipe interna", afirmam os organizadores. "Apaixonados por games, todos gostariam de estar juntos novamente. Mas, nesse momento triste e sem precedentes, essa era a decisão responsável a tomar, pensando na saúde e bem-estar de todos." Com isso, visitantes que já adquiriram ingressos para 2020 poderão utilizá-los na BGS 2021, com direito a bônus e benefícios exclusivos. Initial plugin text Veja Mais

Pesquisadores da UFJF desenvolvem ventilador pulmonar para tratar Covid-19

Glogo - Ciência Projeto está em fase de testes de desenvolvimento e elaboração de design; veja como funciona. Universidade Federal de Juiz de Fora Clara Downey/UFJF Pesquisadores da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) desenvolvem um modelo de ventilador mecânico específico para a Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (ARDS), que acomete pacientes com a Covid-19 em estado moderado e grave. O Ventilador Mecânico Eletropneumático Simples (VMEPS), como foi denominado, foi desenvolvido por uma equipe da UFJF em parceria com profissionais de instituições de ensino e de saúde, ligadas ao Sistema Único de Saúde (SUS). Atualmente, o projeto é coordenado pelo professor Pedro Almeida e está em fase de testes de desenvolvimento e elaboração de design. Os pesquisadores também contam com o auxílio do Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt) da UFJF, para a transferência da tecnologia do projeto, e da empresa local Protmat, para a aceleração do desenvolvimento do modelo. Ventilador mecânico Segundo o professor da Faculdade de Engenharia, Exuperry Costa, "as inovações do projeto estão no desenvolvimento de sensoriamento e atuação mais avançados em relação a alguns modelos emergenciais, com um custo mais competitivo do que o observado em modelos comerciais de mesma capacidade". De acordo com o pesquisador, este foco do ventilador mecânico simplifica a construção desse aparelho específico, aumenta a velocidade de fabricação e prioriza a indústria nacional, demonstrando os resultados de pesquisas emergenciais desenvolvidas na universidade pública. "Várias iniciativas de respiradores emergenciais são baseadas na automatização de uma bolsa de reanimação manual devido ao baixo custo. Nossa iniciativa, por outro lado, é baseada em pneumática, utilizando das linhas de oxigênio e ar hospitalar comumente disponíveis nos leitos de hospital". Outro fator agravante, como destaca a equipe de pesquisadores, "é o custo elevado dos ventiladores mecânicos que, em parte, pode ser justificado pela flexibilidade desses aparelhos: o modelo comercial atende vários sintomas pulmonares causados por diferentes cenários e enfermidades, não limitando-se às exigências de tratamento da Covid-19". O modelo proposto pelos pesquisadores é compatível somente com as necessidades do suporte ventilatório de pacientes com Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo. “Todos temos que ser criativos para enfrentar esses desafios, no âmbito público e privado. Nós, na UFJF, estamos nos esforçando bastante para entregar para sociedade respostas a esses desafios. Estamos desenvolvendo várias técnicas e equipamentos, oferecendo auxílio às pessoas, produzindo álcool gel, insumos de higiene. Outros grupos estão realizando a testagem de Covid-19 em nossos laboratórios, o que aumentou a capacidade da cidade”, finalizou o professor Exuperry Costa. Outros projetos Durante a pandemia do novo coronavírus, o G1 mostrou outros projetos realizados na instituição. Em março, pesquisadores da UFJF desenvolveram uma viseira de proteção contra o coronavírus. Já em abril, a Prefeitura e a Universidade firmaram uma parceria para reduzir os impactos do coronavírus na cidade. Em maio, dois laboratórios da UFJF receberam o certificado de qualidade da Fundação Ezequiel Dias (Funed), vinculada à Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Atualmente, a instituição realiza testes da doença. Initial plugin text Veja Mais

Fabrício Queiroz está preso isolado em cela de Bangu 8

O Tempo - Política Ex-assessor de Flávio Bolsonaro ficará sozinho por 14 dias como prevenção ao coronavírus Veja Mais

Bibo Nunes propõe criação de programa para fortalecimento dos hospitais filantrópicos - 18/06/20

Bibo Nunes propõe criação de programa para fortalecimento dos hospitais filantrópicos - 18/06/20

Câmana dos Deputados As Santas Casas são consideradas o maior parceiro do Sistema Único de Saúde (SUS). São mais de 2.100 os hospitais filantrópicos localizados em todas as regiões do país. Em 968 municípios, a assistência hospitalar é realizada unicamente por essas instituições. A relevância das Santas Casas e a dificuldade financeira por elas enfrentada levaram o deputado Bibo Nunes (PSL-RS) a propor a criação do Programa Nacional de Apoio às Instituições Filantrópicas e sem fins lucrativos (PL 3266/20). Entenda a proposta nesta entrevista concedida pelo deputado ao Palavra Aberta, pela internet. Apresentação: Maristela Sant’Ana Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais #CâmaraDosDeputados Veja Mais

Instabilidade deixa WhatsApp sem avisos de 'on-line' e 'digitando'

G1 Economia Usuários do aplicativo foram às redes sociais para relatar e reclamar do problema. WhatsApp exibe mensagem de falha quando usuário tenta atualizar configurações de privacidade. Reprodução Um problema no WhatsApp impediu, nesta sexta-feira (19), a exibição para os usuários de status da plataforma, como "on-line", "digitando" ou "visto por último". As pessoas foram às redes sociais para relatar o problema. Tentativas de mudar as configurações de privacidade exibiam uma mensagem de erro, indicado que a ação não podia ser tomada naquele momento. O site Down Detector, que reúne reclamações de usuários de diversos serviços on-line, também mostrou queixas semelhantes, de pessoas relatando o problema. As reclamações vêm de vários países, não apenas do Brasil. Site que reúne reclamações mostrou pico de queixas no WhatsApp Reprodução Outros usuários também relataram que estão com dificuldades de cadastrar novos números na plataforma, recebendo mensagens de indisponibilidade. O G1 contatou o WhatsApp sobre o problema, mas não recebeu resposta até a publicação. Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text Veja Mais

Ator Mario Frias é nomeado por Bolsonaro como secretário especial de Cultura

O Tempo - Política Cargo era ocupado por Regina Duarte, exonerada no dia 10 de junho Veja Mais

Em churrasco, Queiroz comemorou rebaixamento do Cruzeiro antes de ser preso

O Tempo - Política Em Atibaia, o ex-assessor de Flávio Bolsonaro comandou churrasco com camisa do Vasco, comemorou rebaixamento do Cruzeiro e bebeu Corona com ‘amiguinhas’ do filho Veja Mais

"SAMPAOLI ESTAVA ESPERANDO JESUS SAIR DO FLAMENGO"; José C Peres, presidente do Santos (Completo)

Fox Sports Brasil Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! http://www.foxsports.com.br Baixe o APP! https://bit.ly/3dhfI3I ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Santos #Flamengo #Sampaoli Veja Mais

Preços dos combustíveis nos postos sobem na semana, diz ANP

G1 Economia Segundo levantamento semanal da agência, o valor médio do litro da gasolina para o consumidor subiu 1,9%, para R$ 3,986. Bomba de gasolina em posto da zona sul de São Paulo Marcelo Brandt/G1 Os preços dos combustíveis nos postos voltaram a subir nesta semana, de acordo com os dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Segundo levantamento semanal da agência, o valor médio do litro da gasolina para o consumidor subiu 1,9%, para R$ 3,986. O preço do litro do diesel avançou 0,1% no período, para R$ 3,048. Já o litro do etanol teve alta de 2,7%, para R$ 2,681 o litro. A alta do preço dos combustíveis tem como pano de fundo a melhora da cotação do preço do petróleo. Nesta semana, a alta foi de quase 10%, com expectativas positivas sobre um reequilíbrio entre oferta e demanda. Neste ano, o preço da gasolina acumula queda de 12,5%, e o diesel já recuou 18,7%. O etanol perdeu 15,1% do valor. Veja Mais

Saiba o que muda para servidores atuais e novos na reforma da Previdência em MG

O Tempo - Política Regras mudam idade mínima, alíquota e pensão por morte; há regras de transição para quem está mais perto de se aposentar Veja Mais

FLAMENGO ANUNCIA NOVO PATROCINADOR MASTER | Expediente Futebol

FLAMENGO ANUNCIA NOVO PATROCINADOR MASTER | Expediente Futebol

Fox Sports Brasil Rubro-negro oficializou o contrato com o Banco de Brasília por 1 ano. Negócio vai render aos cofres do clube, pelo menos, 35 Milhões de Reais podendo chegar até aos 60 Milhões! Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! http://www.foxsports.com.br ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Flamengo #Patrocinador #ExpedienteFutebol Veja Mais

Argentina estende para 24 de julho prazo para reestruturação da dívida externa, diz ministério

G1 Economia País tenta reestruturar US$ 65 bilhões em dívida externa. Governo tem promovido sucessivos adiamentos nos prazos de negociações. O governo da Argentina estendeu para 24 de julho o prazo para um acordo em torno da reestruturação da dívida com credores, informou o Ministério da Economia em comunicado nesta sexta-feira (19). O governo da Argentina tenta reestruturar cerca de US$ 65 bilhões em dívida externa. O país tem promovidos vários adiamentos nas negociações com credores internacionais nas últimos semanas. Segundo a agência Reuters, o novo prazo ocorre em meio a um impasse entre credores e o governo, com um grupo de detentores de títulos classificando as negociações nesta semana como um "fracasso". O atraso dá espaço para que os dois lados aliviem tensões e diminuam a divisão restante depois de terem feito progresso significativo nos últimos meses. "Vamos nos recompor e vamos chegar a um acordo", disse o presidente argentino Alberto Fernández, que assumiu o cargo em dezembro passado, em transmissão de rádio nesta sexta-feira, acrescentando estar "confiante" que um acordo poderia ser alcançado. Em maio, a Argentina deixou de fazer o pagamento de cerca de US$ 500 milhões em cupons de bônus já atrasados, marcando o nono default soberano do país. O presidente da Argentina, Alberto Fernández, durante visita a Paris Stephane de Sakutin/AFP Em comunicado, o ministério da Economia informou que o governo "manteve discussões pró-ativas com diferentes grupos de investidores" nesse período de negociação. "A Argentina acredita firmemente que uma reestruturação bem-sucedida da dívida contribuirá para estabilizar a atual condição econômica, mitigando as restrições de médio e longo prazo na economia argentina", afirmou o ministério. Veja Mais

Em carta, grupo pede a embaixadores que se posicionem contra nomeação de Weintraub ao Banco Mundial

G1 Economia Para que ministro assuma cargo na instituição, nome deverá ser aprovado por representantes de outros oito países que integram o mesmo grupo do Brasil no banco. Abraham Weintraub Jornal Nacional Uma carta assinada por 15 associações e mais de 130 personalidades de diversas áreas (veja lista completa abaixo) pede a embaixadores de oito países no Brasil que se posicionem contra a indicação de Abraham Weintraub, ministro demissionário da Educação, a um dos cargos de diretor do Banco Mundial. A instituição confirmou que o governo brasileiro indicou Weintraub ao posto no dia seguinte ao anúncio da saída do ministro. Porém, o nome dele deverá ser referendado pelos representantes de oito países que integram o grupo do qual o Brasil faz parte: Colômbia, Filipinas, Equador, República Dominicana, Haiti, Panamá, Suriname e Trinidad e Tobago. Na carta enviada aos embaixadores desses países, os autores dizem que Weintraub pode causar "danos potencialmente irreparáveis" às "posições dos países dentro do Banco Mundial". O texto ainda menciona a agressividade do ministro a cidadãos comuns, jornalistas, parlamentares e juízes do Supremo Tribunal Federal (STF) e afirma que ele "é a antítese de tudo o que o Banco Mundial procura representar à política de desenvolvimento e ao multilateralismo". Veja declarações do ex-ministro da educação Abraham Weintraub Os autores elencaram os seguintes motivos para que os países rejeitem a nomeação de Weintraub: Uso da ideologia no lugar de políticas com base em provas Habilidade fraca de negociação Falta de compreensão e capacidade de lidar, por meio de políticas públicas, com injustiças econômicas e sociais Desrespeito aos valores do multilateralismo, como tolerância e respeito mútuo Conduta incompatível com padrões de ética e integridade profissional A carta também cita uma postagem feita em abril numa rede social com insinuações sobre a China, chamada pelos autores de "carregada de preconceito". A recente revogação de uma portaria sobre políticas de inclusão na pós-graduação que incluem acesso de negros, indígenas e pessoas com deficiência também foi mencionada. "Estamos convencidos de que o senhor Abraham Weintraub não possui as qualificações éticas, profissionais e morais mínimas para ocupar o assento da 15ª editoria executiva do Banco Mundial", encerra o texto. De acordo com o Banco Mundial, um eventual mandato de Weintraub terminaria em outubro, quando uma nova indicação teria que ser feita. A instituição reforçou que diretores-executivos não são funcionários, mas representantes dos 189 acionistas da organização. De acordo com o blog da Ana Flor, o salário do cargo que Weintraub deverá ocupar é de US$ 250 mil ao ano (cerca de R$ 1,34 milhão, em valores de hoje). Ele terá que morar em Washington. Saída de Weintraub Weintraub pede abraço de Bolsonaro em vídeo de despedida do MEC Reprodução/Redes sociais A saída do ministro do governo foi anunciada nesta quinta-feira (18) em um vídeo, divulgado nas redes sociais, do qual participaram Weintraub e o presidente Jair Bolsonaro. Weintraub vinha se desgastando politicamente nas últimas semanas, após dirigir ofensas a ministros do STF. "Sim, desta vez é verdade. Eu estou saindo do MEC e vou começar a transição agora. Nos próximos dias, eu passo o bastão para o ministro que vai ficar no meu lugar, interino ou definitivo", diz Weintraub. Ele não quis falar sobre as razões da demissão. "Neste momento, eu não quero discutir os motivos da minha saída, não cabe. O importante é dizer que eu recebi o convite para ser diretor de um banco. Já fui diretor de um banco no passado. Volto ao mesmo cargo, porém no Banco Mundial", acrescentou. Weintraub assumiu o cargo em abril de 2019, após a saída de Ricardo Vélez Rodríguez, e permaneceu no posto por 14 meses. No período, acumulou desafetos e disputas públicas com diversos grupos sociais — entre eles, a comunidade judaica e a representação da China no Brasil. Participantes do movimento Abaixo, lista das entidades e pessoas que assinam a carta: Entidades Conectas Direitos Humanos Instituto URBEM US Network for Democracy in Brazil Rede Brasileira pela Integração dos Povos (REBRIP) 342Artes 342Amazônia Associação Brasileira de ONGs (Abong) Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades ( CEERT) Ecoa International Rivers Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC) Instituto Socioambiental (ISA) Instituto PACS Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC) International Accountability Project Pessoas Philip Yang - empresário Chico Buarque - músico Laura Carvalho - economista Rubens Ricupero - ex-ministro das Finanças Izabella Teixeira - ex-ministra do Meio Ambiente Thiago Amparo - advogado e professor, FGV Ricardo Henriques - economista Jorge Broide - psicanalista e professor da PUC / SP José Roberto Rodrigues Afonso - economista, professor, IDP / Brasília e pesquisador, CAPP / Lisboa Pascoal Soto - editor, Estação Brasil - Editora Sextante José Pio Borges - ex-presidente do BNDES Olívia Byington - cantora Lília Moritz Schwarcz - historiadora, antropóloga e professora da USP Elisa Lustosa Byington - historiadora Márcia Tiburi - professora, Université Paris 8 Paloma Jorge Amado - escritor e ilustrador Mirna Queiroz - editora Marcos Amaro - empresário Maria Cristina Nascimento - psicóloga Hélio Mattar - empreendedor social Evandro Affonso Ferreira - escritor Sofia Carvalhosa - empresária Octavio de Barros - economista Maria Alice Setubal - socióloga e presidente da Fundação Tide Setubal Patrícia Melo - escritora John Neschling - maestro Regina Dalcastagnè - professora, UnB Fifi Tong - fotógrafo Silvana Gontijo - escritora e jornalista Arthur Nestrovski - diretor artístico, Orquestra Sinfônica de São Paulo Maria Guimarães - aposentada Paulo Betti - ator Enrique Dias - ator Tuca Andrade - atriz Rachel Ripani - atriz Maria Gal - atriz Ana Lúcia Pastore Schritzmeyer - antropóloga e advogada Vera Lustosa Maria Rita Lustosa Byington - médica e doutora em saúde pública - Instituto Nacional de Câncer Fernando Meirelles - diretor de cinema Mari Stockler - empreendedor cultural Carlito Carvalhosa - artista plástico Luiz Henrique Ligabue Ferreira da Silva - jornalista Mara Fainziliber Joselia Aguiar - jornalista e escritora Pedro Rossi - professor do Instituto de Economia - Unicamp Deborah Barros Leal Farias - professora da Universidade de Nova Gales do Sul (UNSW) Rosangela Rondon Rossi - educadora José Zimmerman Almara Mendes - atriz Lisiane Mossmann - jornalista Enrique Diaz - ator e diretor Mariana Lima - atriz Soraya Ravenle - atriz e cantora Nelson Cesar de Assis Fonseca - produtor artístico e jornalista Renata Melo - dentista Cristiana Gonçalves Maia - produtora cultural Beatriz Bracher - escritor Ivo Herzog - presidente do conselho do Instituto Vladimir Herzog Zita Carvalhosa - produtor audiovisual Renata de Almeida - produtora e curadora Mariana Mollica - psicóloga e professora da UFRJ Ricardo Ramos Filho - escritor e presidente da UBE (União Brasileira de Escritores). Luciana Boiteux - advogada e professora da UFRJ Marcelo Auler - jornalista Luiz Fernando Emediato - escritor e editor da Geração Editorial Andrea Beltrão - atriz e produtora Ricardo Abramovay - sociólogo e professor da USP Lis Almeida - educadora Justine Otondo- produtor de cinema Moritz Kon - psicanalista e professor Berenice Bento - socióloga e professora, UnB Simone Meucci - socióloga e professora da UFPR Isabel Joffily - diretora de cinema Pedro Meira Monteiro - professor da Universidade de Princeton Eliane Veras Soares - socióloga e professora, UFPE Gláucia Villas - professora, UFRJ Diane Maia - produtor de cinema Maria Luiza Lins e Silva Pires - produtora Louise Botkay - diretora de fotografia Els Lagrou - antropólogo e professor da UFRJ Samuel Mendonça - professor, PUC Campinas Rodrigo Salles Pereira dos Santos - professor, UFRJ Heloisa Buarque de Almeida - antropóloga e professora da USP Lisandro Rodrigues de Almeida Braga - professor, UFPR Silke Weber - professor aposentado Glória Afflalo - designer e empresária André Botelho - sociólogo Monique Gardenberg - produtor de cinema Elisabeth Maria Sawaya Kaphan - tradutora Angela Figueiredo - atriz e produtora cultural Fabio Caruso Cury - advogado Marcy Junqueira - especialista em comunicação Rodrigo Salomão - roteirista Silvia Helena Callas - médica, Hospital Sírio Libanês Sandra Miyatake Sakamoto - professora Cynthia Lins Hamlin - socióloga e professora da UFPE José Reginaldo Santos Gonçalves - antropólogo, UFRJ / CNPq Bila Sorj - socióloga Ana Paula Hey - socióloga e professora da USP Regina Scarpa - educadora Jorge Schwartz - professor, USP Francisco Bosco - ensaísta e doutorado, UFRJ Saulo Neiva - professor, Universidade Clermont Auvergne Deputado Túlio Gadêlha Sales de Melo Qualquer Trajber Waisbich - psicanalista Guilherme Teixeira Wisnik - professor (FAU/USP) Estevão Horvath - advogado Bruna Rodrigues Andrade - estudante de graduação (FGV e USP) Adriano Chan - professor e compositor Ana Lúcia de Sousa - professora, UFRR Renato Donadon - professor Beatriz de Castro Reinach - professora Luciana Saddi - psicanalista e escritora Laura Trajber Waisbich - cientista político, Universidade de Cambridge Silvia Korytnicki - professora Lili Rochlitz Quintao - psicanalista Eder Quintao - médico e professor da USP Bianca De Felippes - produtora artística Carlos Henrique Corrêa da Silva - jornalista e radialista Luciana Coutinho Passos - advogada Camila Fernanda Groch - produtora audiovisual José Celso Cardoso Jr - economista Ana Crelia Penha Dias - professora Cristina Makarenko - médica Fernando Rabossi - professor, UFRJ Renata Villa de Santana - advogada Camila Manfredini de Abreu - advogada Andrea Balan - professora, USP Eugênio Bucci - professor, ECA / USP Silvana Buzato - bióloga e professora da USP Marúcia Cabral - analista de sistemas Luiz Bolognesi - produtor de cinema Afonso Borges - jornalista Maria Luisa Sandoval Schmidt - professora aposentada da USP Lúcia Cortez Mendonça - psicanalista Maria Paula Dallari Bucci - professora, USP Carlos José Teixeira de Toledo - Procurador do Estado e professor Gustavo Steinberg - produtor e empresário de cinema Paulo Henrique Martins - professor, UFPE Murilo Gaspardo - professor, UNESP Marina Giovedi Arnoldi - advogada Juliana Vieira dos Santos - advogada, Harvard Law School LL.M Belinda Mandelbaum - professora, USP Carlos Cézar Mascarenhas de Souza - professor, UFS Marcia Regina Manfredini de Abreu - nutricionista Daniela Thomas - produtor de cinema Gustavo Palagi Gonzalez Vicente - advogado Vivian Massignan - arquiteta Monique Lisboa - advogada Alberto da Câmara Lima Falcão - auditor fiscal Renato Leonardo Belfiore Neto - advogado Otavio Marques da Costa - editor, Companhia das Letras Clara Ramos - produtora audiovisual Laura Redondo de Campos - mestranda, PUC-SP João Guilherme Ripper - compositor e presidente da Academia Brasileira de Música Regina Maurício da Rocha - arquiteta Regina Burt - empresária Marcia Contins - antropóloga, UERJ Congressista Alessandro Molon Paulo Esteves - IRI / PUC-Rio Tony Bellotto - músico e escritor Vera Lucas - jornalista aposentada Gustavo Martineli Massola - professor, USP Karina Cattini Maluf - especialista em publicidade Mara M. de Andréa - bióloga e pesquisadora aposentada Lucilene Danciguer - consultora Carolina Gabas Stuchi - professora, UFABC George Balster Martins - físico Marisa Alves Vilarino - aposentada e pesquisadora Paula da Fonseca Nogueira - designer Geraldo Lippel - professor da UFRJ Dawisson Belém Lopes - professor, UFMG Luiz Schwarcz - editor Raquel Santos Garcia - antropóloga Pedro Cirilo da Cruz Lima - empresário Maria Denise Guedes - professora, UNESP Mateus Miranda Moreira - executivo de vendas Lygia Reinach - artista Nelson Waisbich - engenheiro Marcia Beatriz Bello Pacheco - escritora e autora de teatro Flavia de Campos Mello - professora, PUC-SP Juliana Leroy Davis - pesquisadora, UFMG Marcelo Bratke - músico e maestro Marianita Luzzati - artista plástica Alexandra Loras - antigo consulado francês Marcelo Xavier Freitas Crespo - advogado Mario Sergio Medeiros - dramaturgo e diretor Renata Cesar de Oliveira - Doutoranda, HCTE / UFRJ Mariza Melo - especialista em restauração Fernando Alves Pinto - ator e músico Celso Seabra Santiago - cenógrafo Margarete Taqueti - produtora audiovisual Rachel Ripani Antoniela Canto - atriz Antonio Carlos Pasolini - jornalista Luiz Eduardo Soares - antropólogo, escritor e professor, UFRJ Izabele Menezes da costa - assistente administrativo Miriam Gomes Saraiva - professora, UERJ Luciana Sérvulo da Cunha - documentarista e diretora artística André Fernandes - jornalista Wagner Cardoso Ferreira Vânia Maria Lourenço Sanches - Doutoranda, UERJ Ana Maria Costa - médica, professora e diretora, CEBES - Centro Brasileiro de Estudos de Saúde Fabiane Dal-Ri - nutricionista Tatiana Salem Levy - escritor Rita Maria Manso de Barros - professora Ana Isa Lepsch Stela Freitas - atriz Hugo Fernandes Junior - médico Denise Spada - empresária Maria Luisa Rodriguez - psicanalista Conrado Hubner - professor da USP Danielle Rached - professora Maria Helena de Barros Pimentel - advogada Sandra Albernaz de Medeiros - professora aposentada Micheliny Verunschk - escritor Lucia Maria de Freitas Perez - professora, UNIRIO Vera Zimmermann - atriz Maria A Davoli - psicóloga Maria Ligaya Fujita - aposentada, ONU Lusmarina Campos Garcia - teóloga, pastor e pesquisadora, UFRJ Charles Gomes - membro sênior da Escola Munk de Assuntos Globais e Políticas Públicas Betty Emilia Prado de Tullio - empresária Maria Eduarda Pires - arquiteta Martha Furquim Sim - padeiro Liana Albernaz de Melo Bastos - professora, UFRJ Branca Szafir - psicóloga Izidoro Jeronimo da Rocha - arquiteto Soneide de Sales Lima Fernanda Brack Bungner - professora Ceci Constant Lohmann - psicanalista Celso Adolfo - compositor Aparecida Rosângela Silveira - professora da Universidade Estadual de Montes Claros / MG Neila Ruiz Alfonzo - professora de música Maria Inês Anachoreta - professora, UERJ Ruth Slinger Ana Maria Soares - psicóloga Wilson Ramos Filho - presidente do Instituto Defesa da Classe Trabalhadora Anete dos Santos Simões - advogado Ernesto Piccolo Ernesto Tzirulnik Paulo Cesar Azevedo Ribeiro - professor Rejane Bueno Guerra - jornalista João Gabriel Rabello Sodré - Doutorando, Departamento de História / Universidade de Georgetown Bernadete Lou - fotojornalista Ana Claudia Jordão - psicanalista Anna Helena Altenfelder - educadora Giovani Saavedra - presidente, Associação Brasileira de Auditoria, Riscos e Compliance Senador Jean Paul Prates Deputado Edmilson Rodrigues Áurea Carolina, ex-deputada federal e ex-vereadora Deputado Marcelo Freixo Deputada Luiza Erundina Xando Graça - ator Veja Mais

Venda de computadores no Brasil cresce 16% no 1° trimestre, diz consultoria

G1 Economia Necessidade de trabalhar e de estudar de casa durante a pandemia impulsionou vendas, segundo analista. Venda de computadores cresceu durante o primeiro trimestre, impulsionada por demanda causada pelo isolamento, diz consultoria. Claudio Schwarz/Unsplash O número de computadores vendidos no 1° trimestre de 2020 no Brasil foi de 1,47 milhão de unidades, alta de 16% em relação ao mesmo período ano passado. Os dados são da consultoria IDC Brasil, líder no mercado de pesquisas em tecnologia da informação. Segundo a IDC, o aumento foi "relevante" e surpreendeu, já que nesse mesmo período de 2019 as vendas de computadores registraram queda, de 6,2% em relação ao ano anterior. Para a consultoria, o aumento é resultado de maior demanda durante a pandemia de Covid-19. Brasil tem mais de 1 milhão de casos confirmados de coronavírus “Empresas tiveram que comprar ou alugar equipamentos para colocar seus funcionários em home office. Enquanto isso, nas casas, as famílias precisaram de um computador por pessoa para dar continuidade ao trabalho e estudo durante a quarentena”, afirma Rodrigo Okayama Pereira, analista de mercado da IDC Brasil. Com maior uso da internet durante pandemia, número de reclamações aumenta Isolamento por coronavírus muda padrão de consumo da internet no Brasil A alta foi ainda mais expressiva no segmento corporativo, com crescimento de 17,2% em relação ao 1° trimestre de 2019. Do total de computadores vendidos, 71,9% das foram notebooks, enquanto que os desktops ficaram com 28,1%. Resto do ano tem perspectiva menor Apesar da alta registrada no 1° trimestre, a IDC espera que os seguintes sejam menos animadores para esse mercado, que deve sentir os impactos da pandemia, da alta do dólar e do desemprego. “Inicialmente, era esperado fechar o ano em alta, mas agora a previsão é de queda de 1% no mercado corporativo e de 5% no varejo”, afirma o analista. Veja Mais

Angela Ro Ro pede ajuda nas redes sociais: 'Estou passando dificuldade financeira'

G1 Pop & Arte 'Já tentei vender uma live barata, mas ninguém se interessa', escreveu a cantora no Instagram. Angela Ro Ro Murilo Alvesso Angela Ro Ro pediu ajuda aos seguidores no Instagram nesta sexta-feira (19): "Estou passando dificuldade financeira", ela escreveu. "Já tentei vender barato uma live, mas ninguém se interessa", ela acrescentou no post. Angela Ro Ro completou 70 anos de idade em 2019. Ela fez uma turnê que comemorou os 40 anos do seu marcante disco de estreia. O Blog do Mauro Ferreira falou sobre a turnê e sua carreira - leia. Ângela Ro Ro postou o número de sua conta bancária e disse aos seguidores: "Quem puder depoisitar apenas R$ 10, agradeço". Veja Mais

Guia acessível para a candidatura das mulheres - Secretaria da Mulher – Região Nordeste - 19

Guia acessível para a candidatura das mulheres  - Secretaria da Mulher – Região Nordeste - 19

Câmana dos Deputados PARTICIPE! Envie sua pergunta para o e_Democracia: https://edemocracia.camara.leg.br/audiencias/sala/1551 Lançamento Virtual da Guia Acessível para a Candidatura das Mulheres, que foi escrita numa parceria entre a Associação Visibilidade Feminina e a Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados. Também contou com o apoio da Escola de Gente para tornar seu conteúdo acessível para mecanismos ledores. A Guia surgiu com o objetivo de contribuir com a capacitação técnica e prática de mulheres que tenham interesse em lançar suas candidatas nas eleições municipais de 2020 e possuem pouca ou nenhuma estrutura para construção de sua candidatura. A acessibilidade tanto na forma quanto no conteúdo é uma preocupação desde o início da elaboração da Guia. Participam as deputadas federais Tereza Nelma (PSDB-AL); Rejane Dias (PT-PI); Alice Portugal (PCdoB-BA) e Professora Dayane Pimentel (PSL-BA). Também participam a deputada estadual por Alagoas, Ângela Garrote (PP), responsável pela Procuradoria da Mulher; a prefeita, Juliana Almeida, representando a Associação dos Municípios Alagoanos; a vereadora Judith Correia, representando a União de Vereadores de Alagoas. E, ainda, Jéssica Holl e Paula Bernadelli, integrantes da Associação Visibilidade Feminina e Pedro Prata, coordenador-geral da Escola de Gente. Solange Jurema – Presidente de honra do PSDB Mulher Nacional, representando o Segmento de Mulheres de Partidos - A CONFIRMAR A PRESENÇA Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais #CâmaraDosDeputados Veja Mais

Como novo ministro, Rogério Marinho faz primeira visita ao Norte de Minas

O Tempo - Política Ele ressaltou que o governo federal anunciou a liberação de R$ 65 milhões para obras na barragem de Jequitaí e nos projetos em Gorutuba e no Jaíba Veja Mais

Petróleo fecha sessão em alta e termina semana com ganhos de 9%

G1 Economia Os preços dos contratos para agosto do Brent subiram 1,63%, a US$ 42,19 o barril. Fábrica de refino de petróleo no Texas Mark Felix/AFP O petróleo fechou em alta nesta sexta-feira (19) e terminou a semana com ganhos de quase 10%, com expectativas positivas sobre um reequilíbrio entre oferta e demanda. Na quinta, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados acertaram medidas para garantir que certos países compensem o fracasso em cumprir plenamente suas metas de corte de produção no mês passado. "O Cazaquistão e o Iraque se comprometeram a melhorar suas taxas de conformidade em relação ao enorme corte de produção" que a Opep+ implementou no início de maio, disse o analista de mercado da CMC Markets, David Madden. "O corte histórico na produção foi um sinal de que as nações querem fazer negócios, e agora que o grupo está pressionando países que não estão em conformidade total, isso reforça a ideia de que o grupo está determinado a aumentar os preços", acrescentou. Com isso, os preços dos contratos futuros para agosto do Brent, a referência global, subiram 1,63%, a US$ 42,19 o barril, na ICE, em Londres, numa alta de 8,9% na semana. Na mesma linha, os contratos para julho do WTI, a referência americana, valorizaram 2,34%, a US$ 39,75 o barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex), nível mais alto desde 6 de março. Na semana, o WTI avançou 9,1% Para as próximas semanas, o desafio será passar o nível de US$ 40 por barril ao qual o Brent tem tido dificuldade de se distanciar e o WTI ainda custa a superar. Hoje a referência americana atingiu a máxima intradiária de US$ 40,49, mas não se sustentou muito tempo acima da barreira psicológica. Veja Mais

Ônibus de 'Na natureza selvagem' é retirado de parque do Alasca por colocar turistas em perigo

G1 Pop & Arte Entre 2009 e 2017, foram realizadas 15 operações de resgate relacionadas ao ônibus, informou o Departamento de Recursos Naturais. Helicóptero carrega ônibus que ficou famoso no livro e no filme 'Na natureza selvagem' sobre o Parque Nacional de Denali, no Alasca Seth Lacount/Guarda Nacional do Exército do Alasca/AFP Um helicóptero militar americano removeu de uma área remota do Alasca um ônibus verde e branco dos anos 1940 que havia se tornado uma atração perigosa para excursionistas. O chamado Magic Bus, o Fairbanks Bus 142, apareceu no livro "Na natureza selvagem" (1996), de Jon Krakauer, e no filme dirigido por Sean Penn em 2007. As obras contam a história do jovem aventureiro Chris McCandless, que passou o verão de 1992 no ônibus e morreu de fome após 114 dias. Abandonado nos confins do Parque Nacional Denali, perto de Healy, o ônibus atraiu aventureiros ao longo dos anos, alguns dos quais tivereram que ser resgatados no meio do nada. Emile Hirsch em cena de 'Na natureza selvagem' Divulgação Um helicóptero CH-47 Chinook da Guarda Nacional do Exército do Alasca içou o ônibus nesta quinta-feira (18), em coordenação com o Departamento de Recursos Naturais do estado, devido à preocupação com a segurança pública, informou a corporação. "Depois de estudar o assunto, colocar vários fatores na balança e considerar várias alternativas, decidimos que o melhor seria remover o ônibus", disse a comissária do departamento, Corri Feige. Entre 2009 e 2017, foram realizadas 15 operações de resgate relacionadas ao ônibus, informou o Departamento de Recursos Naturais. Segundo Corri, o veículo ficará em um local seguro, até que autoridades decidam o que fazer com ele. Uma das possibilidades é colocá-lo em exposição. Helicóptero se aproxima de ônibus que ficou famoso no livro e no filme 'Na natureza selvagem' sobre o Parque Nacional de Denali, no Alasca Seth Lacount/Guarda Nacional do Exército do Alasca/AFP Helicóptero levanta ônibus que ficou famoso no livro e no filme 'Na natureza selvagem' sobre o Parque Nacional de Denali, no Alasca Seth Lacount/Guarda Nacional do Exército do Alasca/AFP Veja Mais

Babu Santana é internado em hospital da Barra da Tijuca após passar mal

G1 Pop & Arte Ator está bem e suspeita de Covid-19 foi descartada, segundo a assessoria. Ele segue internado para realizar exames de rotina. Babu Santana Divulgação/Christoffer Pixinine O ator e ex-BBB Babu Santana, de 40 anos, foi internado no Hospital Barra D’or, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, após se sentir mal. Ele permanece internado na tarde desta sexta-feira (19) para realizar exames de rotina. De acordo com a assessoria do artista, ele está bem e, segundo o boletim médico, a suspeita de Covid-19 foi descartada. “Os médicos pediram para ele ficar de observação e fazer exames de rotina. Sobre a internação do Babu, não foi por Covid. Isso está descartado”, afirmou a assessoria. Nas redes sociais, o perfil do ator reforçou que ele está bem e fez um pedido para os fãs e seguidores de Babu. “Aos fãs e amigos do Babu, gostaríamos de informar que paizão está bem. Só o que a família pede a vocês neste momento é que emanem energias positivas para que ele volte para casa o mais rápido possível”, diz a mensagem. O Hospital Barra D’or não deu detalhes sobre a internação. Babu Santana exalta 'Morrão' do Vidigal em single de Papatinho Babu celebra contrato com a Globo: 'Paizão não tá mais desempregado' Veja Mais

Alerta aos europeus: Pompeo faz duras críticas à China, apesar das conversas

O Tempo - Mundo Chefe da diplomacia dos EUA falou sobre os riscos de uma "dependência" que, segundo ele, ameaça as democracias ocidentais Veja Mais

Ted Conti defende acomodação para profissionais de saúde que atuam no combate ao Covid - 19/06/20

Ted Conti  defende acomodação para profissionais de saúde que atuam no combate ao Covid - 19/06/20

Câmana dos Deputados A Câmara analisa uma proposta que prevê a garantia de acomodação para os profissionais de saúde que estão atuando no combate ao Covid-19 (PL 2292/20). O autor do projeto é o deputado Ted Conti (PSB-ES). Ele afirma que a medida pode ajudar a evitar novos casos da doença, já que vai evitar o contato desses profissionais com suas famílias. E assim garantir mais tranquilidade para que esses trabalhadores desempenhem suas atividades. Apresentação - Jaciene Alves Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais #CâmaraDosDeputados Veja Mais

Governo propõe recondução do almirante Eduardo Bacellar para a presidência do conselho da Petrobras

G1 Economia Governo também apresentou outras sete nomeações para o colegiado; indicações serão apreciadas em 22 de julho durante uma assembleia geral ordinária. O governo federal, acionista majoritário da Petrobras, propôs a recondução do atual presidente do conselho de administração da companhia, o almirante Eduardo Bacellar Ferreira, enquanto apresentou outras sete nomeações para o colegiado. Em paralelo, acionistas minoritários da petroleira estatal também apresentaram indicações para representantes no conselho, que serão apreciadas em uma assembleia geral ordinária em 22 de julho, segundo comunicado da companhia nesta sexta-feira (19). Eduardo Bacellar Leal Ferreira, atual presidente do conselho de administração da Petrobras Divulgação/Marinha A chapa única indicada pelo governo como controlador da empresa inclui ainda o atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, o economista João Cox Neto, a engenheira Maria Cláudia Guimarães e o engenheiro Nivio Ziviani, todos já membros do conselho. Também foram indicados para vagas no colegiado os economistas Omar Carneiro da Cunha Sobrinho, ex-presidente da Shell no Brasil, e Paulo Cesar de Sousa e Silva, além do engenheiro Ruy Flaks Scheider. A geofísica Rosangela Buzanelli foi eleita como representante dos empregados, conforme previsto na Lei das Estatais. Para vaga dedicada aos acionistas minoritários, fundos apresentaram o nome de Marcelo Mesquita Filho e Patricia Valente Stierli. Para cadeira garantida aos acionistas detentores de papéis preferenciais, foram apresentados por investidores os nomes de Sônia Júlia Sulzbeck e Rodrigo de Mesquita Pereira. Veja Mais

'Em Nome de Deus': Casos de abusos e história de João de Deus viram série documental no Globoplay

G1 Pop & Arte Equipe do 'Conversa com Bial' mostra bastidores da investigação, reúne vítimas pela 1ª vez em roda de conversa e conta casos fora do país. Série estreia na terça (23). "Em Nome de Deus" é a nova série documental do Globoplay e conta a história e os casos de abusos que João de Deus cometeu ao longo dos anos em Abadiânia (GO) e fora do país. A estreia é na terça-feira (23). Ao longo de seis capítulos, a série mostra os bastidores da investigação que levou à denúncia feita coreógrafa holandesa Zahira Mous no "Conversa com Bial", em dezembro de 2018. A partir do programa, centenas de mulheres denunciaram João de Deus ao Ministério Público, que foi preso e condenado a mais de 40 anos de prisão. João de Deus, preso em Goiás sob acusação de abuso sexual Reprodução/TV Anhanguera A série traz o encontro inédito de sete vítimas, inclusive uma filha de João de Deus, para falar sobre os abusos com a mediação da jornalista e roteirista Camila Appel, que divide a condução com Pedro Bial. "O momento da roda é, sem dúvida, o coração da série. Toda vez que eu colhia o depoimento, eu perguntava se elas tinham vontade de se encontrar e a primeira resposta era sim", diz Camila, em entrevista coletiva por vídeo com jornalistas. "O encontro tem objetivo de tentar mostrar que esse compartilhar da dor pode ser bonito, algo pode surgir de lá. Essa dor ser transformada", continua. Roda de conversa de vítimas de João de Deus é mostrada na série documental "Em Nome de Deus", do Globoplay Divulgação Camila foi a pessoa que começou a investigar os casos e descobriu a história de Zahira, que depois de muitas conversas e entrevistas foi ao programa em 2018. Até hoje mulheres a procuram para falar de outros casos. Pedro Bial lembra como foi importante conduzir o tema com delicadeza, não só no programa como também no documentário. "Como as histórias em alguns casos são quase nauseantes, são horripilantes, você não pode manchetar, você não pode pesar a mão, porque tudo já é muito pesado", explica Bial. Ele conta que tentou entrevistar João de Deus várias vezes, desde antes do programa de dezembro de 2018, e ainda segue tentando. "'Em Nome de Deus' é a história de mulheres e de sua coragem de reagir. Mais do que resistir, de agir, a partir do sofrimento, da humilhação e do massacre que sofreram. É um documentário sobre a voz das mulheres", afirma o jornalista. Gravações em Abadiânia e no exterior Além das imagens de arquivo e dos depoimentos marcantes, a equipe fez gravações em Abadiânia (GO), na Holanda e nos Estados Unidos, para mostrar os caminhos e outros casos nem tão conhecidos. Para gravar na cidade onde João de Deus recebia milhares de pessoas na Casa de Dom Inácio de Loyola, o diretor Ricardo Calil diz que a equipe fez cinco visitas à cidade. Documentário mostra entrevista em vídeo de Bial com a coreógrafa Zahira, antes do programa 'Conversa com Bial' Reprodução/Globoplay "Chegamos devagar, com muita cautela e cuidado para vencer a barreira natural [de ser a equipe do programa que fez a primeira denúncia]", continua. No final, ele, a equipe e o diretor Gian Carlo Bellotti conseguiram gravar dentro da Casa e dizem que foram bem recebidos. "É um documentário que a gente ouviu uma certa quantidade de nãos, mas com delicadeza, com insistência, alguma disciplina a gente foi chegando a algumas pessoas importantes, como o advogado, um palestrante da casa", diz Calil. "Em Nome de Deus" estará disponível na terça-feira (23) no Globoplay e também vai ser exibida no Canal Brasil a partir de quarta-feira (24). Camila Appel é roteirista e divide a condução da série documental 'Em Nome de Deus' com Pedro Bial Globo/ Maurício Fidalgo João de Deus é condenado a 40 anos pelo estupro de cinco mulheres Veja Mais

Brasil passa de 49 mil mortes por coronavírus, mostra consórcio de veículos de imprensa; são 1.221 em 24 horas

Glogo - Ciência São 49.090 óbitos no Brasil; número se aproxima de 50 mil. País teve, pelo 4º dia consecutivo, mais de 1,2 mil mortes registradas no período de 24 horas. É a 1ª vez que isso acontece desde o início da pandemia. São mais de 1 milhão de casos confirmados da doença. Brasil ultrapassa 1 milhão de casos confirmados de coronavírus O Brasil teve 1.221 novas mortes registradas em razão do novo coronavírus em 24 horas, mostra levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde. Com isso, são 49.090 óbitos pela Covid-19 até esta sexta-feira (19) no país. Veja os dados, consolidados às 20h: 49.090 mortes; eram 47.869 até as 20h de quinta (18), uma diferença de 1.221 óbitos 1.038.568 casos confirmados; eram 983.359 até a noite de quinta, ou seja, houve 55.209 novos casos O país teve, pelo 4º dia consecutivo, mais de 1,2 mil mortes registradas no período de 24 horas. É a 1ª vez que isso acontece desde o início da pandemia. EXCLUSIVO G1: Veja taxa de ocupação nas UTIs, número de testes e pacientes recuperados da Covid-19 nos estados Mortes por coronavírus no país Arte G1 Morte por Covid-19 no Brasil e nos estados Arte G1 Consórcio de veículos de imprensa Os dados divulgados nesta quarta (17) foram obtidos após uma parceria inédita entre G1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL, que passaram a trabalhar de forma colaborativa desde o dia 8 para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal. O objetivo é que os brasileiros possam saber como está a evolução e o total de óbitos provocados pela Covid-19, além dos números consolidados de casos testados e com resultado positivo para o novo coronavírus. A parceria entre os veículos de comunicação foi feita em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia da Covid-19. Personalidades do mundo político e jurídico, juntamente com entidades representativas de profissionais e da imprensa, elogiaram a iniciativa. Brasil tem 1.038.568 casos de coronavírus e 49.090 mortes, informa consórcio de imprensa Mudanças feitas pelo Ministério da Saúde na publicação de seu balanço da pandemia reduziram por alguns dias a quantidade e a qualidade dos dados. Primeiro, o horário de divulgação, que era às 17h na gestão do ministro Luiz Henrique Mandetta (até 17 de abril), passou para as 19h e depois para as 22h. Isso dificultou ou inviabilizou a publicação dos dados em telejornais e veículos impressos. “Acabou matéria no Jornal Nacional”, disse o presidente Jair Bolsonaro, em tom de deboche, ao comentar a mudança. A segunda alteração foi de caráter qualitativo. O portal no qual o ministério divulga o número de mortos e contaminados foi retirado do ar na noite da quinta-feira (4). Quando retornou, depois de mais de 19 horas, passou a apresentar apenas informações sobre os casos “novos”, ou seja, registrados no próprio dia. Desapareceram os números consolidados e o histórico da doença desde seu começo. Também foram eliminados do site os links para downloads de dados em formato de tabela, essenciais para análises de pesquisadores e jornalistas, e que alimentavam outras iniciativas de divulgação. Entre os itens que deixaram de ser publicados estão: curva de casos novos por data de notificação e por semana epidemiológica; casos acumulados por data de notificação e por semana epidemiológica; mortes por data de notificação e por semana epidemiológica; e óbitos acumulados por data de notificação e por semana epidemiológica. No domingo (7), o governo anunciou que voltaria a informar seus balanços sobre a doença. Mas mostrou números conflitantes, divulgados no intervalo de poucas horas. Apenas na terça (9) o ministério voltou a divulgar os dados completos, obedecendo a ordem do STF. Nesta sexta (19), o órgão publicou um novo balanço. Segundo a pasta, houve 1.206 novos óbitos e 54.771 novos casos, somando 48.954 mortes e 1.032.913 casos desde o começo da pandemia – números menores que os apurados pelo consórcio. Initial plugin text CORONAVÍRUS× Veja Mais

Governo de MG já sinaliza que pode rever alíquota mínima de contribuição

O Tempo - Política O secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa, disse que índices propostos podem ser revistos a depender dos debates na Assembleia Legislativa de Minas (ALMG) Veja Mais

EUROPA LEAGUE, SONHO DA CHAMPIONS LEAGUE E MELHORES LATERAIS DO BRASIL: Entrevista com Wendell

EUROPA LEAGUE, SONHO DA CHAMPIONS LEAGUE E MELHORES LATERAIS DO BRASIL: Entrevista com Wendell

Fox Sports Brasil Lateral do Bayer Leverkusen deu entrevista exclusiva para o FOX Sports e falou sobre o Campeonato Alemão, sonho em chegar a Champions League, retorno do Futebol no Brasil e que são, pra ele, os melhores laterais brasileiros. Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! http://www.foxsports.com.br ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Wendell #FOXSports #Bundesliga Veja Mais

Santander demite após assumir compromisso público de manter empregos

G1 Economia Mais de 200 funcionários foram desligados; nas demonstrações financeiras, banco disse que não dispensaria durante a crise causada pela Covid-19. Logo do banco Santander em Londres. Luke MacGregor/Reuters O Santander demitiu mais de 200 funcionários nas últimas semanas, depois de assumir compromisso público de que não faria cortes durante a pandemia do novo coronavírus. O balanço, em nível nacional, é do Sindicato do Bancários de São Paulo, atualizado até esta sexta-feira (19). Desde o início da crise, o banco deu ao menos três demonstrações de que não faria cortes de pessoal. O indicativo mais importante está registrado nas demonstrações financeiras do primeiro trimestre, publicadas em abril. Lucro dos principais bancos é o mais baixo desde o terceiro trimestre de 2017 As páginas 7 e 8 do documento dizem o seguinte: "As pessoas são elemento essencial na Organização. Afinal, são elas que pensam, projetam, desenvolvem, interagem e constroem aquilo que o Banco Santander deseja ser. Esse é o motivo de o banco investir em cada um dos 47.192 funcionários aqui no Brasil. (...) Devido ao contexto atual do Covid-19, o Santander firmou o compromisso de não demitir funcionários durante a crise." Além do registro no balanço trimestral, o banco havia firmado acordo com o sindicato de bancários de que não demitiria "durante o período mais crítico da epidemia", acompanhando resolução dos concorrentes Itaú e Bradesco. O terceiro compromisso foi a adesão à campanha "Não Demita", junto com mais de 4 mil empresas que prometeram manter suas equipes, como Magazine Luiza, Natura e Boticário. Empresários criam movimento "Não Demita" O Santander diz que não houve quebra de compromisso. O banco afirma que respeitou o período acordado no movimento Não Demita, que garantia congelamento das demissões por 60 dias. As demais promessas seguiram, segundo o banco, o mesmo intervalo. A empresa diz ainda que abriu recentemente mais de 1.500 vagas para profissionais de Tecnologia, Dados, Riscos, Finanças e Jurídico. "Nosso compromisso social segue inabalável. (...) como parte da gestão de qualquer negócio, a liderança do banco iniciou um processo de reavaliação do nível de produtividade de suas equipes, que deve ser contínuo em uma empresa que busca manter o melhor nível de eficiência da indústria", diz o Santander em nota enviada à reportagem do G1. 'Precisamos entender que fazemos parte de um grande ecossistema', diz empresário por trás do 'Não Demita!' E prossegue: "O movimento é necessário para fazer frente a um entorno muito mais desafiador, além da necessidade de navegar com eficácia em um ambiente de arquitetura aberta, trabalho em rede e busca incessante de níveis de automação ainda mais contundentes." Ainda assim, as demissões causaram uma onda de protestos de funcionários nesta semana. A hashtag #SantanderRespeiteOBrasil reuniu reclamações sobre metas de quem fica e sobre demissões durante o surto de Covid-19. O "tuitaço" chegou aos tópicos mais comentados. Funcionários e sindicalistas questionam as dispensas em momento que o Santander Brasil registrou crescimento de 10,5% no lucro líquido no primeiro trimestre, para R$ 3,774 bilhões. Na comparação com o quarto trimestre, também houve alta de 0,7% nos ganhos. Veja Mais

Bolsas dos EUA fecham sem direção única, mas terminam semana com ganhos

G1 Economia O Dow Jones fechou a semana em alta de 1,04%, e o S&P 500 avançou 1,86% no mesmo período. O Nasdaq fechou a semana com valorização de 3,73%. As bolsas de Nova York tiveram mais uma sessão instável nesta sexta-feira (19) e terminaram o dia sem direção única, porém com viés mais para o lado negativo. Os três principais índices operavam com altas modestas no início da sessão, até que o anúncio do fechamento de lojas da Apple em estados americanos com aumentos de casos de Covid-19 ajudou a desestabilizar o desempenho em mais um dia. Ainda assim, a semana foi encerrada com ganhos. O Dow Jones fechou a sessão em queda de 0,80%, a 25.871,46 pontos, mas encerrou a semana em alta de 1,04%. O S&P 500 caiu 0,56% nesta sexta, a 3.097,74 pontos, levando os ganhos da semana para 1,86%. Wall Street Lucas Jackson/Reuters Efeito Apple Já o Nasdaq fechou o dia com leve ganho de 0,03%, a 9.946,12, depois de ter voltado a operar brevemente acima dos 10 mil pontos após a abertura. Na semana, o índice tecnológico valorizou 3,73%. O Nasdaq perdeu força nesta sexta-feira depois que a Apple fez o anúncio de encerramento de algumas de suas lojas. As ações da companhia caíram 0,57%, mas a informação fortaleceu o viés pessimista de que uma segunda onda de infecções por Covid-19 pode estar a caminho e forçar novas paralisações na atividade econômica. A Apple decidiu fechar novamente 11 de suas lojas nos Estados Unidos por causa do aumento de casos de novo coronavírus no país. As lojas estão localizadas na Flórida, na Carolina do Norte, na Carolina do Sul e no Arizona. Todas as unidades já tinham sido fechadas em março e voltaram a funcionar recentemente, incluindo muitas lojas na cidade de Nova York e em Los Angeles, com a adoção de medidas adicionais de segurança para os clientes. A Flórida reportou 3.822 casos de covid-19 nesta sexta-feira, com o total de infecções se aproximando de 90 mil. Há, agora, 89.748 casos e 3.104 mortes no Estado, com 43 óbitos a mais em relação ao dia anterior. O Arizona, por sua vez, informou um aumento de 7,5% em novos casos de coronavírus nesta sexta-feira, ou 3.426, e o total de infectados subiu para 46.689. Houve ainda 41 novas mortes, elevando o total para 1.312. Apesar do desempenho fraco nestas últimas três sessões, os ganhos da semana foram justificados pelas altas consistentes na segunda (15) e na terça-feira (16), quando os investidores alimentaram o apetite ao risco embalados pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), que incluiu a compra de títulos corporativos individuais, e não apenas fundos negociados em bolsa (ETFs), à sua bazuca contra os efeitos do coronavírus. Além disso, o aumento de 17,7% das vendas no varejo americano em maio foi um ótimo argumento para os otimistas que acreditam na recuperação rápida da economia, ainda que o presidente do banco central americano, Jerome Powell, tenha reforçado, durante a semana, em depoimentos no Congresso, que a incerteza persiste e que a retomada deve ser mais lenta do que o desejado. "Suspeitamos que muitas pessoas venderam no fundo do poço e agora se arrependem de não ter comprado antes", disse o chefe de estratégia de mercado global do Wells Fargo Investment Institute, Paul Christopher. "As coisas que você viu em março — o pânico e a venda forçada — parecem ter desaparecido, por isso é um mercado um pouco mais normal, embora frágil", escreveu em relatório Jonas Golterman, economista de mercado da Capital Economics. "O reflexo arraigado que tivemos nos últimos 10 anos é que temos que comprar na baixa, e isso geralmente funciona", complementou. Entre as ações, além da Apple, destaque para as perdas de 1,95% da AMC, que hoje pediu para os espectadores que queiram ir ao cinema usem máscaras, revertendo o otimismo com o plano anterior de reabrir a maioria dos seus cinemas em julho. Veja Mais

Gilberto Nascimento alerta para aumento da violência contra idosos durante pandemia - 19/06/20

Gilberto Nascimento alerta para aumento da violência contra idosos durante pandemia - 19/06/20

Câmana dos Deputados A violência contra as pessoas idosas aumentou de forma assustadora durante a pandemia de Covid-19. Em março foram registradas 3 mil denúncias de agressão contra idosos pelo Disk 100. Em maio esse número saltou para 17 mil. O deputado Gilberto Nascimento (PSC-SP) defende a tipificação de gerontocídio como crime hediondo (PL 7769/17). Mas acredita que neste momento é fundamental que seja feito um trabalho de conscientização para que os idosos sejam tratados com respeito. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais #CâmaraDosDeputados Veja Mais

Advogado de Queiroz pede que ele vá a prisão domiciliar para tratar câncer

O Tempo - Política Paulo Emílio Catta Preta entrou nesta sexta- (19) na Justiça com pedido de substituição da prisão preventiva Veja Mais

Curta produzido pelo Fartura, ‘O Mestre da Farinha’ conquista prêmio na França

O Tempo - Diversão - Magazine Filme retrata o trabalho de Seu Bené com a mandioca no interior do Pará Veja Mais

Bolsonaristas afirmam que Weintraub ganhou cargo para não ser preso

O Tempo - Política Ex-ministro da Educação foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para o Banco Mundial Veja Mais

PF realiza perícia pelo quinto dia no Museu da UFMG

O Tempo - Diversão - Magazine O incêndio destruiu o prédio onde ficava a reserva técnica do museu no início desta semana; local não tinha tem auto de vistoria do Corpo de Bombeiros válido Veja Mais

Black Eyed Peas lança novo álbum de reggaeton e clipe com Maluma; veja

O Tempo - Diversão - Magazine Oitavo disco do grupo e segundo desde a saída de Fergie, em 2016, 'Translation' tem 15 faixas e parcerias com Shakira, J Balvin e Nicky Jam Veja Mais

Câmara pode derrubar decreto do MEC sobre cotas - 19/06/20

Câmara pode derrubar decreto do MEC sobre cotas - 19/06/20

Câmana dos Deputados Deputados apresentam propostas para reverter a última decisão tomada por Abraham Weintraub no Ministério da Educação. Outro grupo de parlamentares questiona a atuação do ministério durante a pandemia de coronavírus. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais #CâmaraDosDeputados #MinistérioDaEducação Veja Mais

Covid-19: 'não vem ensinar o pai nosso ao vigário', diz Kalil a Mateus Simões

O Tempo - Política Prefeito respondeu às críticas do secretário geral de Governo de MG sobre a flexibilização na capital: "Não estamos aqui para aprender. Estamos aqui para ensinar” Veja Mais

Veja o que segue aberto e fechado em BH com pausa em reabertura

O Tempo - Política Com base nos números e em protocolo próprio, prefeito Alexandre Kalil (PSD) confirmou estagnação em procedimento Veja Mais

Ator Mário Frias é nomeado e sucederá Regina Duarte como secretário de Cultura

G1 Pop & Arte Nomeação foi publicada pelo 'Diário Oficial da União'. Ator será o quinto secretário de Cultura em 17 meses de governo. Atriz Regina Duarte deixou o posto há um mês. Ator Mário Frias é o novo secretário de Cultura O presidente Jair Bolsonaro escolheu o ator Mário Frias para a Secretaria Especial da Cultura. O ator substituirá a atriz Regina Duarte, que deixou o cargo há cerca de um mês. A nomeação foi publicada nesta sexta-feira (19) em edição extra do "Diário Oficial da União". Frias tem 48 anos de idade e é o quinto secretário de Cultura do governo federal em 17 meses. Nesse período, a Secretaria de Cultura já passou pelo comando de: Regina Duarte, Roberto Alvim, Ricardo Braga e Henrique Pires. O ator se reuniu com Bolsonaro há um mês, no Palácio do Planalto. Segundo fontes ouvidas pela TV Globo, no encontro, o presidente fez o convite e Frias aceitou. Mario Frias Reprodução / Instagram Regina Duarte deixa a Secretaria Especial da Cultura após menos de três meses no cargo Secretaria de Cultura A pasta é vinculada ao Ministério do Turismo e herdou a estrutura do Ministério da Cultura, extinto por Bolsonaro. Mário Frias despontou como galã no final dos anos 1990 em “Malhação”, na TV Globo. Antes, atuou no seriado "Caça-talentos", protagonizado por Angélica no papel da Fada Bela. Treze anos após seu último papel em “Malhação”, ele retornou em 2014 para mais uma temporada da novela. Frias também atuou em algumas novelas na TV Globo, como “Senhora do Destino”, quando interpretou o deputado Thomas Jefferson, e “Verão 90”, no papel de Renê, marcando o último trabalho do ator em novelas. Em 2007, participou da terceira edição do quadro "Dança no gelo" no "Domingão do Faustão", ficando com o terceiro lugar na competição. Frias também atuou em novelas na Bandeirantes, como “Floribella”, e Record, como “A Terra Prometida”. Ele ainda apresentou programas de viagens na TV, entre os quais “Tô de Férias”, no SBT, e a "A Melhor Viagem", na RedeTV. Frias também teve um breve trabalho voltado para a música ao lado da banda Zona Zero, da qual era vocalista e compositor de algumas das canções. Defensor de Bolsonaro Nas redes sociais, o ator é um defensor de Bolsonaro e compartilha publicações de políticos aliados do presidente. Na véspera da demissão de Regina Duarte, Frias almoçou no Palácio do Planalto com Bolsonaro e representantes de Vasco e Flamengo. Funções da secretaria Cabe à Secretaria de Cultura lidar com temas como economia criativa, direitos autorais, preservação do patrimônio histórico e democratização do acesso a teatros e museus, por exemplo. A missão dada por Bolsonaro a Frias envolve comandar um orçamento de R$ 366,43 milhões em 2020 – 36,6% menor que os R$ 578,3 milhões do ano anterior. Os valores não incluem a verba das sete entidades vinculadas à secretaria, que são as seguintes: Agência Nacional do Cinema (Ancine), responsável por fomento, regulação e fiscalização do mercado audiovisual; Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), responsável pela gestão de 27 museus federais e pela política nacional do setor; Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), responsável pela gestão do patrimônio cultural brasileiro; Biblioteca Nacional, responsável por "coletar, registrar, salvaguardar e dar acesso à produção intelectual brasileira"; Fundação Casa de Rui Barbosa, criada para divulgar a vida e a obra do jurista – um dos principais intelectuais da história do Brasil; Fundação Nacional de Artes (Funarte), criada para promover e incentivar o desenvolvimento e a difusão das artes no país; Fundação Cultural Palmares, voltada à promoção e à preservação da influência negra na formação da sociedade brasileira. Veja Mais

D'ALESSANDRO QUER SE NATURALIZAR BRASILEIRO; Saiba detalhes

D'ALESSANDRO QUER SE NATURALIZAR BRASILEIRO; Saiba detalhes

Fox Sports Brasil Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! http://www.foxsports.com.br Baixe o APP! https://bit.ly/3dhfI3I ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Internacional #Brasil #Argentina Veja Mais

Ministros do governo dizem a Moraes que Bolsonaro quer mudar relação com STF

O Tempo - Política Relação entre o Planalto e o Supremo ficou ainda mais tensa desde a reunião ministerial de 22 de abril Veja Mais

Rionegro & Solimões fazem live solidária de festa junina neste sábado (20) em Franca, SP

G1 Pop & Arte Dupla relembra os 31 anos de carreira em transmissão no YouTube. Sucessos como 'Sola da Bota', 'Frio da Madrugada' e 'Peão Apaixonado' estão no set-list. Rionegro & Solimões armam live com arraiá direto de Franca, SP A dupla Rionegro & Solimões faz uma live de festa junina neste sábado (20) para entreter os fãs que estão de quarentena por conta do coronavírus e arrecadar mantimentos para pessoas em situação de vulnerabilidade. O arraiá será em um sítio na região de Franca (SP). No repertório, estão os clássicos que fizeram sucesso ao longo dos 31 anos de carreira, como "Frio da Madrugada", "Peão Apaixonado", "O Cowboy Vai Te Pegar", "De São Paulo a Belém", "Velha Fazenda", "Na Sola da Bota" e "Romântica". Durante a live, os espectadores poderão fazer doações por meio de um QR Code que estará disponível na tela. As arrecadações serão destinadas à Federação Nacional das Apaes (Fenapaes) e à Pastoral do Menor de Franca. Como assistir A live será transmitida no canal da dupla no YouTube a partir das 17h do sábado (20). Rionegro & Solimões prepara live de Festa Junina em Franca (SP) Luan Oliveira/Divulgação Initial plugin text Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca Veja Mais

Fundeb: relatora propõe que União contribua com 12,5% para fundo da educação básica em 2021

G1 Economia Atualmente, percentual é de 10%. Proposta em discussão na Câmara previa 15% com aumento gradual até 20% em 2026. Gasto com crise do coronavírus motivou redução, diz deputada. A relatora na Câmara dos Deputados do projeto que institui o novo Fundeb, deputada Professora Dorinha Seabra (DEM-TO), decidiu reduzir a proposta de repasse em 2021 das verbas da União para o fundo, que financia o ensino básico. O valor previsto, de 12,5%, ainda é maior que o atual, mas menor que o descrito inicialmente no projeto. O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) foi criado em 2007 como temporário e, por lei, será extinto em dezembro. O Congresso analisa uma nova proposta, para tornar o Fundeb permanente a partir de 2021. O dinheiro do fundo reforça a verba de estados e municípios para investimentos da educação infantil ao ensino médio. No formato atual, a União complementa o fundo com 10% sobre o valor aportado por estados e municípios. A Câmara debate uma ampliação nesse percentual. Até agora, a fórmula previa 15% em 2021, com aumento de um ponto percentual por ano até o patamar de 20%, de 2026 em diante. >> Veja abaixo os detalhes do cálculo do Fundeb Em razão dos gastos com a pandemia do coronavírus, Dorinha diz que mudou esses números na última versão do parecer. A intenção, agora, é que a União complemente o Fundeb em 2021 com 12,5% do valor total. O novo relatório continua prevendo o aumento gradual da participação do governo federal, com a meta de atingir os mesmos 20% a partir de 2026. O governo critica esse valor final e tenta negociar uma fórmula com números menores. O texto refeito prevê 12,5% de complementação em 2021, 15% em 2022, 16,5% em 2023, 18% em 2024, 19% em 2025 e 20% em 2026. Com isso, no fim desse período, o mesmo percentual seria atingido em relação ao cálculo original. O relatório, ao qual o G1 teve acesso, foi enviado nesta semana para análise do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que pretende votar a matéria no plenário nas próximas semanas. Segundo essa última versão, uma complementação de 12,5% em 2021 custaria R$ 3,5 bilhões à União. Até 2026, os percentuais escalonados somam um impacto de R$ 56,9 bilhões. Crise econômica Fundeb: veja um resumo da proposta que tramitava na Câmara antes da pandemia Favorável à renovação do Fundeb, Maia passou a defender que o percentual atual, de 10%, seja mantido em 2021 em razão da situação fiscal do país. Por essa proposta, a complementação só aumentaria a partir de 2022. “Todos já compreenderam que não pode ser a mesma projeção [de arrecadação] que tínhamos antes da pandemia. Advogo que a gente passe por 2021 e comece o crescimento apenas a partir de 2022”, disse na quinta-feira (18). Dorinha Seabra, por sua vez, argumenta que estados e municípios precisarão de mais recursos justamente para garantir a volta às aulas com os cuidados necessários para evitar o contágio do coronavírus, como a eventual redução do número de alunos por sala no ano que vem. “Eu tenho bastante dificuldade em não começar [o escalonamento] em 2021. O Fundeb é um financiamento estruturante e responde por mais de 60% do financiamento da educação básica. (...) O problema fiscal do Brasil não será resolvido se a gente resolver adiar de 2021 para 2022 para aumentar a complementação”, afirmou a deputada nesta sexta-feira (19). Integrante da comissão especial na Câmara que debateu a PEC, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB-PB) diz concordar com a relatora. “Se não começar a partir do ano que vem, será uma péssima mensagem. O que a gente não consegue aceitar é que a educação tenha esse grau de desatenção [em relação a outros setores]”, disse. Articulação O deputado Bacelar (Podemos-BA), que preside a comissão especial na Câmara, tenta articular uma reunião com Rodrigo Maia no início da próxima semana para discutir a nova proposta da relatora. “Estamos trabalhando para votar a PEC até o fim de junho”, explicou. Por se tratar de uma mudança na Constituição, a PEC precisará ser votada em dois turnos tanto na Câmara quanto no Senado, ainda em 2020, para que não haja uma interrupção do financiamento da educação básica pública. A ideia é tentar chegar a um texto com o máximo de consenso entre os parlamentares para viabilizar a votação sem sobressaltos no plenário. Desde o início da pandemia, a Câmara adotou um sistema remoto de votações que evita a aglomeração em plenário. Por outro lado, segundo os deputados, a conversa virtual dificulta os acordos de última hora. Segundo o líder da oposição na Câmara, André Figueiredo (PDT-CE), há um entendimento para que a votação seja feita até a primeira semana de julho. Para o deputado, a pandemia torna o tema ainda mais relevante, já que a crise deverá escancarar ainda mais as desigualdades na educação básica. “Temos que nos preocupar com o curtíssimo prazo porque houve uma queda nos repasses do Fundeb por conta da queda de arrecadação. Temos que atuar tanto na prorrogação do Fundeb quanto na questão imediata”, disse. Já o deputado Tiago Mitraud (Novo-MG), titular da comissão especial do Fundeb, defende que a ampliação do fundo seja discutida apenas após a pandemia. Segundo o parlamentar, o ideal seria aprovar uma PEC para estender o Fundeb nos moldes atuais por um ano e, em 2021, discutir uma alteração mais profunda, “alinhada à nova realidade”. “É extremamente importante termos um novo Fundeb, mas acredito não ser prudente votarmos neste momento, quando ainda não temos uma avaliação do nosso cenário fiscal causado pela pandemia”, disse. Percentual Além do momento "ideal" para votar a PEC, o percentual de complementação da União deverá ser outro ponto de embates. Para o presidente da comissão externa que acompanha os trabalhos do Ministério da Educação, deputado João Henrique Campos (PSB-PE), a redução do aporte inicial pode até ser feita, mas desde que se chegue aos 20% em 2026. “A gente não pode admitir essa possibilidade de mudar no longo prazo. O que pode ser discutida é a transição [do percentual]”, afirmou. Líder do PSOL, a deputada Fernanda Melchionna (RS) se diz contrária à redução do percentual de 15%, previsto originalmente no parecer da relatora Dorinha. “Se diminuir os recursos, vai ser mais difícil combater as desigualdades históricas e os impactos da pandemia”, afirmou a deputada. “Vamos fazer essa luta se o governo quiser rebaixar os valores”, acrescentou. Governo A construção da proposta sobre o novo Fundeb se deu, até o momento, sem a participação do Ministério da Educação. O motivo: a dificuldade de diálogo com o ministro Abraham Weintraub. A articulação, muitas vezes, ficou restrita a técnicos da área econômica. Sem consenso sobre o percentual da União no fundo, Weintraub chegou a defender que o governo encaminhasse uma proposta própria, que limitaria a participação do Executivo a 15%, ignorando a PEC já em tramitação na Casa. A pasta, porém, nem chegou a enviá-la. A saída dele do cargo, anunciada na quinta (18), poderá ajudar no debate com o governo, na avaliação da bancada da educação. Até a noite desta sexta, Weintraub seguia no posto. "O ministério não participou em nada com o ministro Weintraub. Não cabe aventureiro, não cabe alguém que não respeite a educação. Tomara que seja um nome que possa pacificar o ministério, não ampliar o fosso [com o Congresso]”, disse João Henrique Campos. O cálculo em disputa O Fundeb entrou em vigor em 2007 e reúne parte dos impostos arrecadados pelos estados, pelo Distrito Federal e pelos municípios ao longo do ano. A União participa com 10% adicionais sobre esse somatório. Esse montante, uma vez reunido, é repassado para as unidades da Federação que tiveram a menor arrecadação (e com isso, o menor investimento) por aluno. Em 2019, nove estados do Norte e do Nordeste receberam essa complementação. Em 2019, o Fundeb reuniu R$ 166,61 bilhões – R$ 151,4 bilhões de arrecadação estadual e municipal, e R$ 15,14 bilhões da União. Se a complementação fosse de 15%, como acontece no "ano um" da PEC em análise na Câmara, os cofres federais enviariam R$ 22,71 bilhões ao fundo. Com o novo cálculo, de 12,5%, o aporte passaria para R$ 189,25 bilhões. Os valores reais devem ser diferentes porque, além de aumentar o gasto público, a pandemia do coronavírus também afetou negativamente a arrecadação de impostos em todo o país. Mesmo que esses valores fossem mantidos estáticos – ou seja, que estados e municípios arrecadassem exatamente os mesmos valores de impostos que em 2019 –, o aumento gradual de um ponto percentual da complementação até 2026 representaria R$ 1,5 bilhão a mais, ano após ano. Em 2026, o governo federal chegaria ao aporte de 20% adicionais, ou R$ 30,28 bilhões com base nos impostos de 2019. Veja Mais

Veja o que foi aprovado no Plenário desta semana - 19/06/20

Veja o que foi aprovado no Plenário desta semana - 19/06/20

Câmana dos Deputados Esta semana o Plenário Ulysses Guimarães votou e aprovou uma das matérias mais polêmicas envolvendo a pandemia de Covid 19. A medida provisória que muda as relações trabalhistas em função dos efeitos da doença altera as regras que valiam para empregadores e empregados, como explica Ginny Morais. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais #CâmaraDosDeputados Veja Mais

Bienal Internacional do Livro de São Paulo de 2020 é cancelada por causa do novo coronavírus

G1 Pop & Arte Evento, que aconteceria entre os dias 30 de outubro e 8 de novembro, foi cancelado pela Câmara Brasileira do Livro. Visitantes observam livros com preços promocionais em estande próximo à entrada da Bienal do Livro de SP, em 2018 Fábio Tito/G1 A Câmara Brasileira do Livro (CBL) anunciou nesta sexta-feira (19) que a Bienal Internacional do Livro de São Paulo vai ser cancelada em 2020 por causa da pandemia do novo coronavírus. Com isso, a próxima edição do evento, que aconteceria entre os dias 30 de outubro e 8 de novembro no Expo Center Norte, fica para 2022. "A intenção do adiamento é garantir que o público e as empresas possam voltar a frequentar o espaço físico do evento em segurança e com responsabilidade", afirma em nota o presidente da CBL, Vitor Tavares. "Em 2022, vamos oferecer novas formas de interação entre leitores, escritores e expositores para uma experiência ainda melhor." Initial plugin text Veja Mais

Quentão: Veja como fazer a receita típica de festa junina para as noites frias

O Tempo - Diversão - Magazine O bartender Conrado Salazar, do Piratas BBQ, em BH, ensina preparar em casa a tradicional bebida para aquecer durante o inverno Veja Mais

Líderes sindicais criticam proposta reforma da previdência do governo Zema

O Tempo - Política Dirigentes apontam ausência de diálogo com os servidores para a formulação do projeto que amplia alíquotas e idade mínima para aposentadoria Veja Mais

A Voz do Brasil - 19/06/2020

A Voz do Brasil - 19/06/2020

Câmana dos Deputados Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais #CâmaraDosDeputados #AVozDoBrasil #RádioCâmara Veja Mais

Facebook bane anúncio de Trump: o que é o símbolo usado pelos nazistas que motivou remoção

G1 Economia Rede social informou que propaganda continha um triângulo vermelho invertido semelhante ao usado pelos nazistas para identificar prisioneiros comunistas. Fundador do Facebook, Mark Zuckerberg disse que plataforma vai evitar moderar o debate político GETTY IMAGES/BBC O Facebook informou que removeu anúncios da campanha de reeleição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que apresentavam um símbolo usado na Alemanha nazista. A rede social disse que a propaganda continha um triângulo vermelho invertido semelhante ao usado pelos nazistas para identificar oponentes. Eram costurados nos uniformes de prisioneiros em campos de concentração; os triângulos invertidos vermelhos identificavam prisioneiros comunistas e, mais tarde, todos os outros prisioneiros políticos. A Alemanha nazista tinha um método específico de identificação dos prisioneiros nos campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial. Eles eram marcados com triângulos invertidos de cores diferentes. Segundo o Museu do Holocausto dos Estados Unidos, os criminosos eram marcados com triângulos verdes invertidos, prisioneiros políticos com vermelhos, "associais" (incluindo ciganos, não conformistas, indigentes e outros grupos) com pretos ou - no caso dos ciganos em alguns campos - triângulos marrons. Os homossexuais eram identificados com triângulos rosa e as Testemunhas de Jeová com roxos. Já os prisioneiros não alemães eram identificados pela primeira letra do nome alemão de seu país de origem. Os dois triângulos que formam a estrela judaica seriam amarelos, a menos que o prisioneiro judeu fosse incluído em uma das outras categorias de prisioneiros. Um prisioneiro político judeu, por exemplo, seria identificado com um triângulo amarelo abaixo de um triângulo vermelho. Os nazistas exigiam que os judeus usassem a estrela de Davi amarela não só nos campos de concentração, mas também por toda a Europa ocupada. Sistema de identificação com triângulos coloridos invertidos usado por nazistas para designar prisioneiros nos campos de concentração durante a 2ª Guerra Mundial KZ GEDENKSTAETTE DACHAU/BBC Por outro lado, o comitê de campanha de Trump alegou que os anúncios faziam alusão ao movimento ativista de extrema esquerda Antifa, que usaria o símbolo. Entenda quem são os antifas, que Trump acusa de orquestrar os protestos nos EUA Segundo o Facebook, as postagens violavam as políticas da casa de conter o "ódio organizado". "Não permitimos símbolos que representem organizações odiosas ou ideologias odiosas, a menos que sejam contextualizados ou condenados", disse o chefe de política de segurança da rede social, Nathaniel Gleicher, na quinta-feira (18 de junho). Ele acrescentou: "Foi o que vimos neste caso com este anúncio e, em qualquer lugar que esse símbolo seja usado, tomaríamos as mesmas ações". Postagem com anúncio de Trump removido por Facebook GETTY IMAGES/BBC Os anúncios, que foram publicados em páginas pertencentes ao presidente Trump e ao vice-presidente, Mike Pence, permaneceram online por cerca de 24 horas e receberam centenas de milhares de visualizações antes de serem retirados do ar. "O triângulo vermelho invertido é um símbolo usado pela Antifa, por isso foi incluído em um anúncio sobre o Antifa", disse Tim Murtaugh, porta-voz da campanha de Trump, em comunicado. "Observamos que o Facebook ainda possui um emoji de triângulo vermelho invertido em uso, que parece exatamente o mesmo", acrescentou. Recentemente, Trump acusou o Antifa de estar por trás de protestos violentos nos EUA em decorrência da morte de George Floyd. Floyd, um homem negro de 46 anos, foi morto por um policial branco após ser algemado e ter seu pescoço prensado por quase nove minutos. No mês passado, Trump disse que designaria o grupo antifascista como "organização terrorista doméstica", embora especialistas em direito tenham questionado sua autoridade para fazê-lo. Antifa é um movimento de protesto de extrema esquerda que se opõe a neonazistas, fascismo, supremacistas brancos e racismo. É considerado um grupo pouco organizado, sem uma liderança única. Muitos integrantes do movimento criticam o que consideram políticas nacionalistas, anti-imigração e antimuçulmanas de Trump. No início deste mês, funcionários do Facebook se manifestaram contra a decisão da gigante de tecnologia de não remover ou sinalizar um post polêmico de Trump relacionado aos protestos contra a morte de Floyd. O presidente postou um comentário na rede social dizendo que "enviaria a Guarda Nacional" e alertou que "quando os saques começarem, o tiroteio começará". Mas o Facebook disse que a postagem não violou a política da empresa. Twitter rotula publicação de Trump como 'mídia manipulada' Trump havia tuitado os mesmos comentários, mas o Twitter colocou um aviso sobre o conteúdo, que dizia "violência glorificada". Alguns funcionários do Facebook disseram estar "envergonhados". Esta é o último capítulo de um relacionamento cada vez mais difícil entre as gigantes da tecnologia e a Casa Branca. No mês passado, o Twitter colocou um aviso sobre um dos tuítes do presidente sobre os protestos em Minneapolis — dizendo que havia "glorificado a violência". Trump reagiu falando sobre o "poder não controlado" da grande tecnologia. Ele disse que a Seção 230 — uma lei que protege as empresas de mídias sociais de serem legalmente responsáveis pelo conteúdo online dos usuários — deve ser revogada. Mas o Facebook é a plataforma com a qual Trump realmente se importa. A rede social consome a maioria de seu orçamento de publicidade política on-line. A medida provavelmente enfurecerá o presidente. A decisão também pode ser vista como um aviso de que o Facebook modera — e irá — moderar algum conteúdo político. Zuckerberg cede à pressão e diz que poderá moderar mensagens de Trump À medida que a eleição de 2020 se aproxima, é provável que as atenções se voltem cada vez mais no que o Facebook vai remover ou não. Veja Mais

Alexandre de Moraes prorroga prisão de Sara Winter, líder do grupo 300 do Brasil

O Tempo - Política Decisão do ministro do STF mantém ativista de extrema direita atrás das grades por pelo menos mais cinco dias Veja Mais

Trump marca comícios para Estados que registram aumento de casos de coronavírus

O Tempo - Mundo As eleições presidenciais americanas estão marcadas para o dia 3 de novembro Veja Mais

Ivan Valente defende direitos para entregadores de aplicativos durante pandemia - 19/06/20

Ivan Valente defende direitos para entregadores de aplicativos durante pandemia - 19/06/20

Câmana dos Deputados Os entregadores que prestam serviço para aplicativos de entrega podem ter alguns direitos garantidos durante a pandemia do novo coronavírus. O projeto de lei apresentado pelo deputado Ivan Valente (Psol-SP) prevê, por exemplo, auxílio alimentação e seguro contra roubo (PL 1665/20). O parlamentar afirma que muitos profissionais não chegam a receber o valor de um salário mínimo por mês e que é preciso reduzir essa precarização. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais #CâmaraDosDeputados Veja Mais

Marcelo Aro comenta aprovação da suspensão das dívidas de clubes de futebol - 19/06/20

Marcelo Aro comenta aprovação da suspensão das dívidas de clubes de futebol - 19/06/20

Câmana dos Deputados A Câmara aprovou a suspensão das parcelas devidas pelos times de futebol ao programa PROFUT - de modernização da gestão e de responsabilidade fiscal do futebol brasileiro - durante a pandemia de Covid-19 (PL 1013/20). Este é o tema da conversa com o deputado Marcelo Aro (PP-MG), nesta edição do Palavra Aberta, em formato especial pela internet. Apresentação: Daniela André Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais #CâmaraDosDeputados Veja Mais

Proposta de reforma da previdência aumenta idade mínima para aposentadoria em MG

O Tempo - Política Texto foi apresentado nesta sexta-feira pelo governador Romeu Zema e terá que ser aprovado pela Assembleia Legislativa Veja Mais

"CORINTHIANS TEM UMA SITUAÇÃO FINANCEIRA DIFÍCIL, MAS CONTROLADA": Matias Ávila, diretor financeiro

Fox Sports Brasil Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! http://www.foxsports.com.br ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Corinthians #DiretorFinanceiro #FoxSportsRádio Veja Mais

Powell diz que trajetória da economia dos EUA deverá ser desafiadora

G1 Economia Presidente do banco central norte-americano afirma que recuperação completa da atividade econômica do país depende do controle do coronavírus. A recuperação econômica dos Estados Unidos da epidemia do coronavírus é desafiadora e não haverá solução rápida, disse nesta sexta-feira (19) o presidente do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano), Jerome Powell, em declarações que reforçaram sua recente postura de cautela. "Vamos tomar o nosso caminho de volta disso, mas levará tempo e trabalho...A trajetória à frente provavelmente será desafiadora", afirmou Powell em comentários introdutórios em videoconferência com líderes locais em Youngstown, no Estado de Ohio, sobre a construção de uma força de trabalho resiliente. "Vidas e sustento têm sido perdidos, e a incerteza parece grande", afirmou ele. Powell fala ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara Reuters Mais cedo nesta semana, em duas aparições a parlamentares no Congresso norte-americano, Powell deixou claro que os Estados Unidos enfrentam uma longa recuperação geral, apesar de recentes dados econômicos encorajadores sobre geração de vagas de emprego e gastos do consumidor. Uma recuperação completa, de acordo com ele, depende do controle da epidemia pelo país, que já vitimou milhares de norte-americanos. Os Estados da Califórnia e da Carolina do Norte e uma série de cidades dos EUA determinaram ou exigiram na quinta-feira uso obrigatório de máscaras para controlar uma espiral de casos de coronavírus, conforme pelo menos seis Estados registraram recordes diários. Mais cedo nesta sexta-feira, o presidente do Fed de Boston, Eric Rosengren, também alertou que a disseminação contínua do vírus poderia prejudicar a recuperação econômica dos EUA e que provavelmente será necessário mais apoio fiscal e monetário. Powell e várias outras autoridades do Fed já solicitaram ao Congresso que forneça mais auxílio governamental. Veja Mais