Meu Feed

No mais...

The Stand: veja trailer oficial da série inspirada em obra de Stephen King

The Stand: veja trailer oficial da série inspirada em obra de Stephen King

Tecmundo A CBS está próxima de lançar The Stand, minissérie baseada no livro Dança da Morte, escrito pelo icônico Stephen King. Para aumentar a ansiedade dos fãs, foi divulgado, nesta sexta-feira (09), um trailer mostrando o contraste e a batalha entre o bem e o mal. Leia mais... Veja Mais

YouTube em breve deve permitir compra de produtos diretamente nos vídeos

canaltech Se uma reportagem publicada recentemente pelo Bloomberg estiver repassando informações verdadeiras, você poderá usar o YouTube para fazer compras em um futuro próximo. Segundo o veículo, a plataforma estaria planejando estrear, em breve, um recurso de “shopping”, que permitiria ao internauta adquirir um produto citado no vídeo sem ter que abandonar o serviço do Google. YouTube testa venda direta de anúncios com alguns criadores de conteúdo Como desativar comentários no YouTube Google lança nova plataforma de anúncios premium YouTube Select Procurada pelo jornal, a companhia confirmou que está trabalhando em um sistema de “tags” para que criadores de conteúdo possam linkar produtos com maior facilidade (sem a necessidade daquela clássica frase “o link de compra está na descrição”), mas não ofereceu maiores detalhes a respeito de uma possível feature que flerte com um sistema de e-commerce mais robusto. Embora estejamos falando de um rumor, a ideia faz bastante sentido. No YouTube, o dinheiro já gira em torno de reviews de produtos, links de afiliados e anúncios publicitários — se o Google ficar com uma comissão por cada transação realizada dentro da plataforma, ela pode ganhar mais uma forma de monetização e ainda por cima reduzir a sua dependência às redes de anúncios programáticos. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Ademais, outras redes sociais já apostam em recursos similares. O Instagram, por exemplo, foi um dos pioneiros a fazer essa mesclagem de influência social com e-commerce — já existe até mesmo uma categoria específica na qual é possível pesquisar por produtos à venda na própria plataforma. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Positivo anuncia novo celular Q20 com promoção no Amazon Prime Day Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Veja Mais

PIB da Argentina cairá 11,8% em 2020 por Covid-19, diz pesquisa do BC

G1 Economia Pesquisa de Expectativas de Mercado do banco central prevê inflação de 36,9% em 2020. Ronaldo Schemidt/AFP A economia argentina deve contrair 11,8% em 2020, perspectiva ligeiramente mais otimista do que a estimativa anterior de queda de 12,1%, de acordo com uma pesquisa do banco central com economistas e analistas nesta sexta-feira (9). A Pesquisa de Expectativas de Mercado do banco central prevê inflação de 36,9% em 2020. Os preços devem subir 3% em setembro, segundo a pesquisa. "Durante o terceiro trimestre de 2020, o PIB crescerá 9,8% em relação ao segundo trimestre, o que sugere que o período de maior impacto da pandemia de coronavírus já passou", mostrou a pesquisa. Os economistas entrevistados disseram que a taxa média de câmbio nominal na Argentina atingirá 83,8 pesos por dólar em dezembro de 2020 e 121,5 pesos por dólar em dezembro de 2021. A pesquisa contatou firmas de consultoria, centros de pesquisa, entidades financeiras e analistas de 28 a 30 de setembro. Vídeos: vejam as últimas notícias de economia Veja Mais

Após diagnóstico para Covid-19, Trump planeja evento na Casa Branca com centenas

O Tempo - Mundo Não se sabe se o presidente ainda tem o vírus no organismo -o que tornaria grande o risco de contaminar outras pessoas ao seu redor Veja Mais

Pesquisadores encontram coronavírus nos olhos de paciente infectada

canaltech A COVID-19 ainda tem sido um verdadeiro enigma para a medicina, com direito a novas descobertas a cada dia. Por meio de um estudo publicado na última quinta-feira (8) na revista científica JAMA Ophthalmology, pesquisadores descobriram que o SARS-CoV-2 pode infectar outros tecidos além do sistema respiratório. Acontece que o antígeno da proteína N (nucleocapsídeo) do SARS-CoV-2 foi encontrado intracelularmente nos tecidos oculares de uma paciente que foi diagnosticada com COVID-19. Tecnologia brasileira permite ver coronavírus em 3D dentro de uma célula Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 em pacientes que nunca tiveram a doença Pesquisadores encontram anticorpos ainda mais potentes contra o coronavírus Ainda não estava claro se a COVID-19 também pode infectar tecidos além do sistema respiratório, como os tecidos oculares, o que motivou a pesquisa. Nesse estudo de caso, os antígenos da proteína do coronavírus foram detectados nas células da conjuntiva (membrana mucosa que reveste a parte posterior da pálpebra e se prolonga para recobrir a parte branca do olho), íris e malha trabecular de uma paciente infectada. Ou seja: começam a aparecer os primeiros indícios de que o SARS-CoV-2 infecta outros tecidos. Pesquisadores acham SARS-CoV-2 em tecidos oculares de mulher com COVID-19 (Imagem: BlenderTimer / Pixabay) A mulher teve um ataque agudo de glaucoma durante sua reabilitação, e por isso foi levada à análise de tecidos oculares. Amostras de plasma e espécimes de tecido, incluindo amostras da conjuntiva, capsular anterior do cristalino, malha trabecular e íris, foram coletadas. Enquanto isso, amostras de outro paciente (um homem de 61 anos) — que tinha glaucoma, mas não COVID-19 — foram usadas para comparação. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Sendo assim, esse antígeno viral detectado no olho da paciente dois meses após a infecção deve levar a investigações futuras, que podem determinar se o antígeno que permanece no olho ao longo do tempo provoca danos a estrutura ou função ocular e se ainda é infeccioso. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Positivo anuncia novo celular Q20 com promoção no Amazon Prime Day Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Veja Mais

Desenvolvimento de Spider-Man: Miles Morales foi concluído!

Desenvolvimento de Spider-Man: Miles Morales foi concluído!

Tecmundo A desenvolvedora Insomniac Games aproveitou um meme da clássica animação do Homem-Aranha dos anos 1960 para comemorar a conclusão do desenvolvimento de Marvel's Spider-Man Miles Morales, um dos principais jogos de lançamento do PS5, que também se tornou "gold" no PlayStation 4:Leia mais... Veja Mais

OSIRIS-REx revela mistérios sobre Bennu e fornece uma "tour" pelo asteroide

canaltech Faltam apenas 11 dias para que a sonda OSIRIS-REx realize a coleta de amostras do asteroide Bennu, após uma série de manobras complexas. Esta é a principal etapa da missão, mas a nave também coletou uma série de dados importantes sobre o objeto durante o tempo em que esteve por lá. Agora, os cientistas publicaram um conjunto de estudos que revelam detalhes interessantes. Esses são os preparativos finais para a NASA coletar amostras do asteroide Bennu NASA descobre que asteroide Bennu lança pedaços de sua superfície no espaço Apesar de diferentes, asteroides Ryugu e Bennu podem ter o mesmo "pai"; entenda! São no total seis artigos, todos publicados na última quinta-feira (8) nas revistas Science e Science Advances. Neles, os cientistas da missão exploraram características do material que compõe a superfície do Bennu, bem como as características geológicas e a história da rocha espacial. A expectativa para o retorno da OSIRIS-REx com as amostras é cada vez mais alta, pois os pesquisadores suspeitam que elas possam ser diferente de tudo o que já vimos nos meteoritos que caem aqui na Terra. Um dos artigos revela que há uma matéria orgânica espalhada pela superfície do asteroide, incluindo o Nightingale — o local onde a OSIRIS-REx fará a coleta de amostras no dia 20 de outubro. Essa matéria orgânica contém carbono, provavelmente em uma forma frequentemente encontrada em compostos associados à biologia. Essas moléculas despertam grande interesse de pesquisadores que buscam respostas sobre a origem da vida na Terra e quase certamente estarão presentes nas amostras que serão coletadas pela sonda, junto de minerais hidratados. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Os autores do artigo, liderados por Amy Simon, do Goddard Space Flight Center da NASA, dizem que os minerais carbonáticos formam algumas das características geológicas do asteroide. Eles costumam estar associados a sistemas hidrotérmicos que contêm água e dióxido de carbono. Hannah Kaplan, também do Goddard, liderou outro estudo, dessa vez focado nos carbonatos do Bennu. Suas descobertas apontam para a possibilidade de que o asteroide teve um passado no qual havia um sistema hidrotérmico extenso, onde a água interagia e alterava a rocha no corpo pai do Bennu. Estamos falando do “corpo pai do Bennu” porque, de acordo com estudos anteriores, esse asteroide foi formado por destroços de outros objetos rochosos, principalmente do Vesta, considerado um dos maiores asteroides do Sistema Solar. Embora esses corpos originais tenham sido destruídos há muito tempo, os cientistas estão encontrando evidências de como eles eram. Algumas “veias” de carbonato nas rochas que formam o Bennu medem alguns metros de comprimento e vários centímetros de espessura, sugerindo que havia um sistema hidrotérmico de água em algum dos “pais” do Bennu. Há outras descobertas interessantes, como o fato do regolito presente no Nightingale ter sido exposto ao ambiente espacial apenas no passado recente. Isso é uma ótima notícia, pois significa que o material ficou protegido abaixo da superfície, conservando suas propriedades que podem remontar do início do Sistema Solar — e é sobre essa época que os cientistas buscam pistas no Bennu. O Nightingale é uma cratera jovem, e conserva uma diversidade de características e diferentes materiais herdados dos corpos pais. Fragmentos do asteroide Vesta encontrados na superfície do Bennu (Imagem: Reprodução/NASA/Goddard/University of Arizona) Outro artigo da coleção, liderado por DellaGiustina, distingue dois tipos principais de rochas na superfície do Bennu: o tipo mais comum é de rochas escuras e ásperas, enquanto a segunda categoria é de pedras brilhantes e lisas. É possível que esses tipos tenham se formado em profundidades diferentes, além de terem propriedades físicas distintas. Um estudo liderado por Ben Rozitis trabalhou mais nessas características, e mostra que as rochas escuras são mais fracas e porosas, enquanto as brilhantes são mais fortes e menos porosas, além de possuírem carbonatos. A descoberta do tipo escuro e fraco de rochas é muito animador para os cientistas, pois essa categoria não é capaz de resistir a uma viagem para dentro da atmosfera terrestre. Em outras palavras, se um meteorito dessa natureza caísse por aqui, seria completamente carbonizado antes mesmo de chegar ao solo, então trata-se de um tipo raro de rocha espacial. Quando a OSIRIS-REx chegar na Terra com essas amostras, os pesquisadores terão em mãos uma grande novidade para se analisar nos laboratórios. Também foi revelado pela coleção de artigos alguns detalhes sobre o campo gravitacional do Bennu. A análise mostra que o interior do objeto não é uniforme, mas existem bolsões de materiais de diferentes densidades dentro do Bennu. Além disso, a protuberância no equador de Bennu, ou seja, a parte mais larga em sua faixa central, parece estar crescendo ainda mais devido à rotação do asteroide e as diferenças do campo gravitacional no interior de seu corpo. Por fim, a equipe da missão usou os dados coletados pela OSIRIS-REx, mais precisamente por um instrumento da nave chamado Laser Altimeter (OLA). Ele levou algum tempo mapeando o Bennu e os dados permitiram à equipe criar um modelo digital 3D do asteroide, com detalhes sem precedentes, destacando alguns dos locais mais interessantes. A NASA usou esse modelo para nos oferecer uma tour pelo asteroide.   Após realizar a coleta das amostras, a nave OSIRIS-REx deixará o Bennu. Em 2021, ela começará sua viagem de volta à Terra, e deverá chegar por aqui no dia 24 de setembro de 2023. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira iPhone 12 | Preços, datas e cores surgem em vazamento dias antes de anúncio Veja Mais

Eleições em BH: Wendel Mesquita quer triplicar a coleta seletiva porta a porta

O Tempo - Política A ideia do candidato do solidariedade é garantir o serviço em pelo menos 120 bairros da capital, além de levar pontos de coleta voluntária para toda a cidade Veja Mais

Bolsas dos EUA encerram em alta com continuidade de negociações de estímulo

G1 Economia S&P 500 e o Nasdaq registraram seus maiores ganhos percentuais semanais desde julho. Bandeira dos EUA em frente à Bolsa de Chicago John Gress/Reuters As ações dos Estados Unidos encerraram em alta nesta sexta-feira (9) e o S&P 500 e o Nasdaq registraram seus maiores ganhos percentuais semanais desde julho, à medida que o otimismo em relação a mais um pacote de auxílio fiscal federal cresceu. A estimativa era que as negociações continuassem em torno de um pacote de alívio à Covid-19, embora a presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, não tenham conseguido alcançar um acordo nesta sexta-feira. Mnuchin apresentou uma nova proposta na tarde desta sexta-feira (9), mas um assessor de Pelosi disse que faltava um plano amplo para conter a pandemia. As recentes negociações em Wall Street foram ditadas pelas manchetes sobre o auxílio fiscal, com os três principais índices recuando na terça-feira (6) depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, cancelou as negociações. Desde então, ele indicou que estava disposto a retomar as discussões. Vídeo: Em quarentena, Trump faz campanha por redes sociais Eleições 2020: Trump em quarentena faz campanha por redes sociais "O mercado está reagindo bem à súbita reviravolta de Trump em termos de um pacote fiscal", disse Tim Ghriskey, estrategista-chefe de investimentos do Inverness Counsel em Nova York. "Muito disso tem sido política, mas muitas pessoas acreditam que a economia realmente precisa de algum suporte econômico aqui, então isso é uma coisa boa." O setor de papéis tecnológicos do S&P 500 subiu 1,5%, dando ao S&P 500 seu maior impulso. O índice Russell 2000, de empresas de baixa capitalização, subiu 6,4% na semana, registrando seu maior ganho percentual desde o início de junho. O Dow Jones subiu 0,57%, para 28.586,9 pontos, o S&P 500 ganhou 0,88%, para 3.477,14 pontos, e o Nasdaq valorizou-se 1,39%, para 11.579,94 pontos. Na semana, o S&P 500 subiu 3,8% e o Nasdaq teve alta de 4,6%, constituindo seus maiores ganhos percentuais semanais desde julho. O Dow Jones apresentou valorização de 3,3%, maior alta semanal desde agosto. Vídeos: veja as últimas notícias de economia Veja Mais

COVID-19: São Paulo entra na fase verde; saiba como funcionará a flexibilização

canaltech Sem dúvidas, a pandemia impactou a rotina da capital paulista. No entanto, nesta sexta-feira (9), a cidade de São Paulo passou para a fase verde. Por enquanto, o anúncio oficial sobre a novidade está para ser feito em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, com direito a uma atualização mais detalhada dos estágios de cada região na pandemia. Acontece que a fase verde é condição dada pela prefeitura para a reabertura de museus, cinemas, casas de shows e teatros, conforme o Plano São Paulo, programa de retomada de atividades econômicas. Imunidade de rebanho? São Paulo (SP) teve mais de 1,5 milhão de casos de COVID Vacinação contra COVID-19 em São Paulo começa em dezembro, segundo Doria Desde o dia 29 de junho, a cidade de São Paulo se encontrava na fase amarela do Plano São Paulo, e em 3 de julho, o governo do estado recomendou a reabertura das instituições culturais caso a cidade se mantivesse nesse estágio por 28 dias consecutivos, só que a prefeitura não acatou a essa recomendação. Enquanto isso, em 3 de setembro, foram divulgados protocolos de saúde nos setores de cinemas, teatros, shows e museus, com as seguintes medidas: “todos os funcionários que apresentarem sintoma de síndrome gripal (febre, mesmo que relatada, tosse ou dor de garganta ou coriza ou dificuldade respiratória) serão considerados suspeitos de portarem COVID-19, devendo ser afastados e só podendo retornar às atividades após 15 dias do primeiro sintoma, caso todos os sintomas tenham findado, ou caso esteja munido do resultado negativo”. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Além disso: “antes de entrar nas dependências do estabelecimento, todos os visitantes deverão sujeitar-se a medição de temperatura, sendo considerados suspeitos de portarem COVID-19 aqueles que apresentarem febre, ainda que leve (a partir de 37,5°C). Nestes casos, indicar ao usuário que procure um posto de saúde próximos da região”. São Paulo deserta por causa do coronavírus no início de março (Imagem: Fidel Forato/Canaltech) Além da capital, o governo também incluiu na lista de reabertura das regiões de Piracicaba, Taubaté, Sorocaba, Campinas e Baixada Santista. Ainda segundo o governo, a fase verde permite que, após o 28º dia de mudança, ocorram eventos, convenções e outras atividades culturais com o público em pé, mantendo-se excluídos os "grandes shows". Os estabelecimentos passarão a funcionar por mais tempo (e com mais pessoas): antes, na fase amarela, eram oito horas diárias, com 40% de capacidade. Na fase verde, são até 12 horas, com 60% de ocupação. Assim como as outras cidades que integram São Paulo, a capital espera o fornecimento de doses da CoronaVac, potencial vacina contra a COVID-19 feita pela biofarmacêutica chinesa Sinovac, previsto para dezembro deste ano. O imunizante contra o coronavírus (SARS-CoV2) é desenvolvido em parceria com o Instituto Butantan. A segurança do imunizante, que utiliza o vírus inativado ("morto"), foi comprovada em uma pesquisa com mais de 50 mil voluntários na China. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira iPhone 12 | Preços, datas e cores surgem em vazamento dias antes de anúncio Veja Mais

Oi anuncia plano de demissão voluntária para cortar até 15% do quadro funcional

G1 Economia Em recuperação judicial, empresa garante que plano inclui indenização e extensão de benefícios, como seguro de vida e planos de saúde e odontológico. Logo da Oi visto em loja de São Paulo Paulo Whitaker/Reuters O grupo de telecomunicações Oi anunciou nesta sexta-feira (9) o lançamento de plano demissão voluntária com objetivo de conseguir adesão de cerca de 2 mil funcionários, ou até 15% do quadro de pessoal. De acordo com o comunicado, o PDV é decorrente da implementação do plano estratégico de transformação, que tem como foco a massificação da fibra ótica no Brasil, “visando à transformação da companhia na maior provedora da infraestrutura de telecomunicações do país”, além da necessidade de readequação de estruturas organizacionais. A empresa afirma que o plano oferece "condições diferenciadas que incluem parcela de natureza indenizatória em função do tempo de empresa e extensão de benefícios como plano de saúde, plano odontológico e seguro de vida, entre outras concessões", mas não deu detalhes sobre valores. Recuperação judicial Em 2016, a Oi entrou com pedido de recuperação judicial ao acumular dívidas que totalizavam R$ 65 bilhões. O plano foi aprovado pela assembleia de credores em 2017 e pela Justiça do Rio de Janeiro no início de 2018. Em setembro deste ano, os credores da operadora aprovaram alterações no plano, que permitirão a venda de alguns de seus ativos e abrem caminho para uma reestruturação ampla nos negócios da companhia, incluindo a venda de ativos e a saída da operadora do setor de telefonia móvel. Os recursos com a venda de unidades da Oi, incluindo seu negócio de telefonia móvel, operações de data center e outras infraestruturas de telecomunicações, serão usados para reembolsar os credores e fazer investimentos na empresa, de acordo com a companhia. Em comunicado, a Oi informou acreditar que o aditamento "atende a todas as partes interessadas de forma equilibrada e garante a viabilidade operacional, maior flexibilidade e eficiência financeiras e a sustentabilidade das recuperandas, com a execução do plano de recuperação judicial e do plano estratégico de transformação, o reposicionamento da companhia e a criação de valor para todos os seus stakeholders". Vídeos: veja as últimas notícias de economia Veja Mais

Ibovespa quebra sequência de cinco quedas e fecha semana em alta

Valor Econômico - Finanças No dia a bolsa teve leve queda, em uma sessão de instabilidade, mas oscilações bastante contidas O Ibovespa fechou a semana com alta acumulada de 3,69%, interrompendo uma sequência de cinco semanas de perdas. No dia a bolsa teve leve queda, em uma sessão de instabilidade, mas oscilações bastante contidas. Nesta véspera de feriado nos EUA e no Brasil, o movimento mais cauteloso acompanhou o recuo de ações importantes na bolsa. A Petrobras registrou firme baixa em um pregão negativo também para os preços globais de petróleo. Já os bancos, que chegaram a subir mais cedo e proveram sustentação pontual ao índice, voltaram a perder terreno. Após ajustes, o Ibovespa recuou 0,45%, aos 97.483 pontos, depois de oscilar entre 98.642 pontos e 97.161 pontos. Os movimentos de hoje mostraram pouca convicção, o que é típico da cautela antes de uma véspera de feriado aqui e nos Estados Unidos em um momento de grandes indefinições ainda no radar. Pixabay Veja Mais

Eleições em BH: Kalil agradece apoio de comerciantes na pandemia

O Tempo - Política Candidato à reeleição, ele almoçou com representantes de mais de 20 sindicatos e associações comerciais Veja Mais

Fachin diz que governo deve indicar primeiro da lista tríplice para nomear reitores

Valor Econômico - Finanças Ministro é relator de ação que acusa o governo de "intervenção branca" do governo na escolha de comando das universidades federais O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu que o governo federal deve respeitar as listas tríplices e nomear para a reitoria das universidades os primeiros colocados nas votações acadêmicas. Fachin é o relator de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), apresentada pelo PV, que começou a ser julgada hoje pelo plenário virtual – sistema em que os ministros apenas depositam seus votos e não se reúnem para debater. A votação vai até o dia 19. Em seu voto, Fachin defendeu a autonomia das universidades e institutos federais. Para ele, o presidente deve se ater aos nomes que figurem na respectiva lista tríplice e respeitar integralmente o procedimento e a forma da organização da lista pela instituição universitária. O ministro também defendeu que a escolha deve recair sobre “o docente indicado em primeiro lugar na lista". Na ação, o partido alega que o presidente Jair Bolsonaro tem feito uma “intervenção branca” ao nomear candidatos menos votados ou que sequer figuram na lista tríplice enviada pelas instituições. A lei em vigência prevê que o reitor e o vice-reitor de universidade federal serão nomeados pelo presidente e escolhidos entre professores dos dois níveis mais elevados da carreira ou que possuam título de doutor, cujos nomes figurem em listas tríplices organizadas pelas instituições. Na decisão, Fachin aponta que a “prerrogativa do presidente da República de nomear reitores e vice-reitores das universidades federais deve ser interpretada contra o pano de fundo dos princípios constitucionais que a informam”. “Não se trata, portanto, de uma faculdade dispositiva, mas de um poder-dever, típico do regime de Direito Público, em que se revela comando de compleição de um ato jurídico complexo. Em face da autonomia universitária, este poder-dever não deve ser entendido como um instrumento de controle”, diz. Para ele, a “nomeação de reitores e vice-reitores não pode ser interpretada como dispositivo para o desenvolvimento de agendas políticas, ou como mecanismo de fiscalização”. O ministro Edson Fachin é relator de ação do PV que questiona o método de indicação de reitores de federais pelo governo Rosinei Coutinho/SCO/STF - 11/3/2020 Veja Mais

O que faz de um celular básico, intermediário ou avançado?

canaltech As empresas lançam cada vez mais smartphones, o que pode ser bom por um lado, pois dá bastante opção ao consumidor, e ruim por outro, uma vez que opção demais pode deixar potenciais compradores em dúvida. Para ajudar um pouco, a indústria divide os modelos em três categorias: básicos, intermediários e avançados. Madeira transparente promete ser mil vezes mais resistente do que vidro O que é IMEI? 8 dicas para fazer a bateria do celular durar mais Mas, como é de praxe, essa solução também trouxe novos problemas, e tanto lançamento começou a “subdividir” as categorias em aparelhos básicos, intermediários e avançados. Nos próximos parágrafos, o Canaltech explica o que faz de um smartphone básico, intermediário ou avançado, e quais são as diferenças entre os mínimos e os recomendados dentro de cada categoria. Assim, você fica craque e consegue identificar qual modelo está mais em linha com o que busca para si mesmo. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Básicos Galaxy A01 é exemplo de celular básico em 2020 (Imagem: Divulgação/Samsung) Celulares básicos ou de entrada costumam não apenas ter especificações e recursos mínimos para uma experiência razoável do usuário por um preço baixo. Eles também trazem componentes de menor qualidade e é comum ver usuários e especialistas destacarem tela OLED em detrimento da LCD, por exemplo, mas a verdade é que a segunda ficou com má fama principalmente por conta da má qualidade dos displays de smartphones de baixo custo. Nessa categoria, também podemos colocar os modelos com processadores menos poderosos, menos memória RAM e espaço para armazenamento. Com relação ao conjunto fotográfico, é preciso ter um cuidado especial: o fato de ter um monte de câmeras não significa que um aparelho não possa ser de entrada. Podemos considerar um diferencial dentro dessa faixa, mas o hardware em si e a qualidade dos componentes são questões muito mais importantes para classificar um celular como básico ou avançado. Outro indicativo forte é a quantidade de atualizações de software: quase nenhum celular de entrada recebe nem mesmo updates de segurança. Mas, claro, há modelos dentro da categoria que se diferenciam por receberem ao menos uma nova versão de sistema operacional. Básicos mínimos Infelizmente, ainda existem celulares novos que não oferecem nem mesmo uma experiência minimamente razoável. Por isso, precisamos ter em mente o que é o mínimo para um smartphone estar entre os básicos. Em 2020, um processador octa-core é essencial. Memória RAM e armazenamento também são importantes, e o ideal é ter pelo menos 2 GB (RAM) e 32 GB (armazenamento). Exemplos: LG K41S, Moto E6s, Galaxy A01 Core, Galaxy A01, Redmi 9A. Básicos recomendados Felizmente, algumas fabricantes já começaram a oferecer até 4 GB de memória RAM em celulares básicos, e há até modelos com 128 GB de armazenamento. Mas seguem na categoria de entrada por trazerem processador com velocidade mais baixa — às vezes, até com plataformas antigas — e componentes de baixo custo. Exemplos: Philco Hit Plus, LG K51S, Moto E7 Plus, Galaxy A21s, Redmi 9, TecToy ON. Intermediários Intermediários já têm mais funções que os básicos (Imagem: Divulgação/Motorola) Celulares que oferecem mais do que apenas o mínimo para uma experiência razoável já saltam para a categoria intermediária, a que mais tem lançamentos e a que busca a maior parte dos usuários. São aparelhos muito bons, mas que ainda trazem qualidade de construção um pouco inferior aos topos de linha, geralmente com acabamento plástico, além de não terem os melhores componentes disponíveis em termos de tela e câmera. Aqui vale reforçar a observação do display: ser OLED não garante uma tela necessariamente melhor que LCD, pois tudo depende da qualidade do componente. A Apple ainda usa LCD no iPhone SE 2020, por exemplo, e com resolução relativamente baixa, mas a qualidade da imagem ainda é melhor que muito intermediário Android com tela OLED e resolução maior. Os celulares intermediários já costumam trazer tendências mais recentes de design e recursos, e nos últimos anos vimos muitos deles testarem novidades, como câmeras pop-up, leitor de impressão digital sob a tela e até câmera de selfie abaixo do display, como é o caso do ZTE Axon 20 5G. Intermediários mínimos Para um smartphone ser considerado intermediário, é preciso oferecer processador com boa velocidade, o que em 2020 e 2021 significa um Snapdragon série 600 mais atual. Tirando a velocidade de processamento, eles já trazem alguns recursos a mais do que um celular básico, como um conjunto de câmeras mais parrudo, bateria de longa duração ou tela com densidade de pixels maior (atualmente, Full HD). Um dos maiores diferenciais de um intermediário mínimo para um básico recomendado é o suporte a atualizações: se receber pacotes de segurança com boa frequência, é um sinal de que pode pertencer à primeira categoria, ao passo que não receber atualizações pode ser indicativo de que está na outra, mesmo com bom hardware. Exemplos: LG K61, Moto G9 Play, Galaxy A31, Redmi Note 9. Intermediários recomendados Aqui já podemos listar celulares que por pouco não estão entre os avançados. Processador potente, mas não o mais avançado disponível, é um dos indicadores principais, geralmente um Snapdragon série 700 ou equivalente. Alta capacidade de memória RAM e armazenamento também são ótimos diferenciais, além de tela com maior qualidade e resolução, sendo que o Full HD é essencial, enquanto todas as categorias anteriores ainda admitem o 720p. O conjunto de câmeras já pode ser bem mais parrudo, e há até alguns que concorrem com modelos top de linha, como a linha Google Pixel, que agora se insere entre os intermediários recomendados — também chamados de intermediários premium. Exemplos: Moto G9 Plus, Galaxy A51, Galaxy A71, Redmi Note 9 Pro. Avançados Celulares avançados não precisam ter muitas câmeras (Imagem: Reprodução/John Kim/CNET) Até pouco tempo atrás, eram os celulares mais inovadores, com os melhores recursos disponíveis. Hoje, são os mais potentes, com melhor construção e componentes de alta qualidade, como cartões de visita das fabricantes. Algumas empresas passaram a adotar posição mais conservadora com seus topos de linha, como a Apple, que não usa leitor de digitais sob a tela (inovação), mas tem o melhor sistema de reconhecimento facial disponível em celulares da atualidade (recurso aprimorado). Nem sempre trazem o melhor conjunto de câmeras, mas isso costuma ser um diferencial. A qualidade da construção é item importante, mas não precisa ser traseira em vidro ou metálica: se for um plástico bem feito, com aparência impecável e que não afunde ao ser pressionado, já está ótimo. Suporte a atualizações é essencial, e o mínimo é que receba duas novas versões do sistema operacional, com a chave já virando para três. Bom notar que só o processador de última geração não é suficiente para classificar um celular como avançado. Houve um intenso debate sobre o Pocophone F1 ser ou não um topo de linha, e muita gente argumenta que faltaram alguns aspectos para ele estar inserido aqui, e que ele seria um intermediário potente. Avançados mínimos Como já mencionado, simplesmente ter o melhor processador disponível não é o bastante para um celular avançado: há mais alguns requisitos. Um bom conjunto de câmeras pode ajudar, assim como bastante espaço de armazenamento, no mínimo 64 GB atualmente. Mas o mais importante é a qualidade da tela e da construção. Que fique claro: não dá para apenas falar em resolução ou densidade de pixels para dizer se uma tela é boa o bastante para um topo de linha, ela precisa ter ótima calibragem de cores e boa taxa de atualização. Na construção, como já dito, o plástico é aceitável, desde que tenha qualidade impecável. Exemplos: LG Velvet, iPhone SE, Galaxy Note 20, Galaxy S20 FE. Avançados recomendados Agora, sim, temos os modelos mais completos do mercado. Tendências atuais, hardware, tela e construção impecáveis, enfim, tudo de melhor (e não necessariamente mais inovador) que cada fabricante consegue oferecer está nesses modelos. Diferenciais como proteção contra água e poeira, carregamento sem fio e câmeras poderosas e com os melhores recursos disponíveis também são importantes. Exemplos: série Galaxy S20, iPhone 11 Pro/Pro Max, série Mi 10. Conclusão Não é muito difícil separar um celular básico de um intermediário ou avançado, mas é bom ter em mente que os critérios aqui sugeridos não são um guia a se seguir cegamente. Alguns modelos podem trazer diferenciais suficientes para serem considerados de uma categoria acima, ou mesmo transitar entre uma e outra, dependendo do foco que a própria empresa quer dar ao aparelho. Além disso, as classificações podem mudar dependendo de novas tendências. Uma coisa que vale para todas as categorias: o importante é ter boa parte dos requisitos e deixar de oferecer um ou outro aspecto não necessariamente rebaixa um celular do avançado para o intermediário ou dessa para o básico. É bom tomar cuidado com celulares que apresentam características de mais de uma categoria (Imagem: Daniel Romero/Unsplash) Há casos discutíveis, como o Pixel 5, citado entre os intermediários, mas com muitas características que poderiam classificá-lo como avançado. O LG Velvet, que entrou como avançado mínimo, poderia ser classificado como intermediário, também, por conta do processador de dois anos atrás. Talvez seja o caso de abrir uma terceira categoria entre os intermediários, quem sabe “intermediários avançados”? Outra coisa: você deve ter reparado que nada foi mencionado sobre preços, certo? Como no Brasil os valores flutuam demais, e recentemente a alta do dólar fez os preços dispararem, falar em valores atrapalha mais do que ajuda. O foco, afinal, é nas características do aparelho, o que ele entrega ao usuário. Sendo assim, podemos resumir que um celular básico é o que traz apenas o mínimo para rodar as tarefas do dia a dia satisfatoriamente, enquanto os intermediários já trazem mais potência e atualizações, sendo mais indicados até por durarem mais tempo sem dar problemas ao usuário. Já os avançados são os mais potentes e bem construídos, e ganham mais atenção das fabricantes até mesmo alguns anos após o lançamento. Com isso em mente, dá para notar que o investimento nos modelos avançados pode significar mais tempo sem precisar trocar o aparelho, e no fim das contas há uma boa chance de, a longo prazo, acabar saindo mais barato. Mas, claro, cada consumidor tem liberdade para escolher qual estratégia prefere ou pode seguir. As opções existem, e é sempre bom entender qual é a proposta de cada categoria e modelo antes de fazer a compra. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira iPhone 12 | Preços, datas e cores surgem em vazamento dias antes de anúncio Veja Mais

Mundo registra mais de 350 mil casos de coronavírus em 24 horas e bate novo recorde de infecções

Glogo - Ciência É o terceiro recorde de casos diários registrado em outubro. OMS tem atribuído alta a novo surto na Europa. Pessoas de máscara na estação Waterloo do metrô Londres na quinta-feira, 24 de setembro de 2020 Victoria Jones/PA via AP O mundo registrou 350.766 novos casos de novo coronavírus nesta sexta-feira (9), segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estabelecendo um novo recorde de casos diários desde o início da pandemia. A marca anterior foi registrada um dia antes, na quinta-feira (8). O recorde desta sexta é o terceiro alcançado em outubro: na sexta-feira (2) foram contabilizados 330.340 casos diários, e, na quinta-feira (8), foram 338.779. Vacina contra Covid-19 pode estar pronta até final do ano, diz chefe da OMS Segundo a OMS, os novos recordes têm sido puxados por um novo surto na Europa. Enquanto na quinta-feira o continente registrou 96.996 casos em 24 horas, nesta sexta foram mais de 109 mil novas infecções, o maior número desde o início da pandemia. Ao todo, o mundo tem mais de 36 milhões de casos e mais de 1,5 milhão de mortes registrados em 235 países desde o início da pandemia, segundo a OMS. O recorde de mortes em 24 horas foi registrado em 17 de abril, quando o mundo teve 12.393 óbitos por coronavírus. Casos sobem na Europa Na coletiva de imprensa desta sexta, o diretor de emergências da OMS, Mike Ryan, pediu para os governos europeus conterem o aumento dos casos. "É duro ver muitos países da Europa testemunhando um aumento rápido de casos, e os governos têm que adotar ações decisivas para tentar acabar com a transmissão", disse Ryan. Na quinta, a OMS alertou que, como região, a Europa reportou mais casos diários do que a Índia, o Brasil e os Estados Unidos, países com o maior número de mortes e casos pela Covid-19. Novos casos de Covid-19 disparam na Europa A situação é mais crítica na França, onde os hospitais estão ficando sem leitos de UTI, e na Espanha, que declarou estado de emergência em Madri, de acordo com a agência de notícias AP. As infecções voltaram a subir também no Reino Unido, na Alemanha e na Bélgica. VÍDEOS: Novidades sobre as vacinas em teste contra a Covid-19 Initial plugin text Veja Mais

China encontra novo coronavírus em carne bovina do Brasil

China encontra novo coronavírus em carne bovina do Brasil

Tecmundo Autoridades chinesas afirmam ter encontrado vestígios do novo coronavírus em carnes bovinas vindas do Brasil. Descoberta acontece quase dois meses depois da primeira exportação do vírus, transportado através de lotes de asas de frango oriundos de frigoríficos brasileiros.A descoberta foi feita em uma inspeção por funcionários do Porto de Dalian, um dos maiores da China. Os vestígios do novo coronavírus foram encontrados na embalagem de carne bovina, importados pelo frigorífico Minerva, o terceiro maior produtor de carne bovina do Brasil.Leia mais... Veja Mais

BAHAMUT: o grupo de hackers especializados em golpes de phishing sofisticados

canaltech Ao imaginarmos um grupo de criminosos cibernéticos, é natural — até mesmo para quem já é “iniciado” nesse segmento — imaginar uma equipe que seja habilidosa na arte de explorar vulnerabilidades em softwares e construir malwares dedicados a explorá-los. Porém, esse não é o caso do BAHAMUT, um sindicato que, segundo pesquisadores, chama atenção por ter preferido se especializar em engenharia social, criando aquelas que podem ser consideradas “as campanhas de phishing mais sofisticadas” que existem. Ransomware | Grupo de hackers expõe vítimas que não aceitaram pagar resgate Deus do Cibercrime: a ascensão e a queda do maior defacer do Brasil Polícia prende grupo que aplicou golpe em 55 mil brasileiros usando criptomoedas A pesquisa que revela a atividade da gangue é de autoria de executivos da BlackBerry. Segundo eles, as campanhas do BAHAMUT são verdadeiras artes quando se trata de escopo, personalização e pesquisa do alvo. Seus integrantes teriam sido observados estudando suas vítimas por períodos de até um ano antes de elaborar as suas complexas armadilhas de cunho social. “A sofisticação e o escopo absoluto da atividade maliciosa que a nossa equipe conseguiu vincular ao BAHAMUT é impressionante. Este grupo não é apenas responsável por uma variedade de casos não resolvidos que atormentaram pesquisadores por anos, mas também descobrimos que ele está por trás de centenas de novas amostras de malware do Windows, uso de exploits de dia zero, táticas de evasão antiforense e mais”, explica Eric Milam, VP de operações de pesquisa da BlackBerry. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Imagem: Reprodução/BlackBerry Mais do que um simples email malicioso, os golpistas seriam capazes de criar websites inteiros para rastrear o comportamento do internauta e entender exatamente os seus hábitos online. Eles também já teriam criado cópias altamente fieis de páginas de login de órgãos governamentais e até mesmo interfaces de clientes de emails privados. Hackers de elite, alvos de elite Como se não bastasse, também é dito que o BAHAMUT opera uma vasta rede privada de desinformação, incluindo perfis falsos em redes sociais e até mesmo páginas noticiosas inteiras dedicadas a disseminar fake news. Obviamente, tanta habilidade assim não seria empregada contra um cidadão comum. Os alvos da equipe são instituições governamentais e grandes corporações globais — seus clientes, por sua vez, possivelmente são atores estatais ou que terão uma enorme lucratividade com a obtenção de informações sensíveis. Escrevemos “possivelmente” pois o BAHAMUT também é muito bom em esconder os rastros seus e de seus contratantes. “Este é um grupo incomum, pois sua segurança operacional está bem acima da média, tornando-os difíceis de definir. Eles contam com malware como último recurso, mostram excepcional atenção aos detalhes e, acima de tudo, são pacientes”, adiciona Milam. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Positivo anuncia novo celular Q20 com promoção no Amazon Prime Day Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Veja Mais

Alan Moore detesta heróis, mas revela qual ator interpretou o melhor Batman

canaltech Embora Alan Moore seja conhecido por escrever algumas das melhores histórias de heróis de todos os tempos, a exemplo de Batman: A Piada Mortal e Superman: O Que Aconteceu com o Homem de Aço?, ele é um desafeto confesso dos superseres que usam colantes coloridos. Watchmen, uma de suas obras mais conhecidas, é justamente uma desconstrução do mito do super-herói. Nesta semana, o autor lançou o trailer de The Show, filme que escreveu e atuou, e falou sobre seu desprezo pelos superseres dos quadrinhos — revelou, qual ator interpretou sua versão favorita do Batman fora das HQs. Filme escrito por Alan Moore finalmente ganha trailer — e é esquisito Conheça a saga revolucionária de Alan Moore que nunca aconteceu na DC Comics DC Comics vai liberar texto nunca publicado de saga revolucionária de Alan Moore Inicialmente, Moore foi perguntado pelo pessoal do Deadline se tem acompanhado os filmes baseados em quadrinhos nos últimos anos. "Oh, Deus, não, não assisto a nenhum deles. Todos esses personagens foram roubados de seus criadores originais. Eles têm uma longa linha de fantasmas por trás deles. No caso dos filmes da Marvel, Jack Kirby [artista e escritor de diversos clássicos]. Não tenho interesse em super-heróis, eles foram uma coisa que foi inventada no final dos anos 1930 para crianças; e são perfeitos como entretenimento infantil. Mas se você tentar fazê-los para o mundo adulto, acho que se tornam meio grotescos", descascou. O roteirista britânico também comentou sua experiência com essa seara, a exemplo de Batman: A Piada Mortal, dizendo que se distanciou desse tipo de história pouco depois de escrevê-la, devido à forma que a violência é representada. E falou sobre o Coringa, filme altamente influenciado por essa publicação — que, claro, ele não viu, porque não assiste a nenhuma das adaptações do gênero. "Disseram-me que o filme do Coringa não existiria sem a minha história, mas, três meses depois de tê-la escrito, passei a rejeitá-la porque era muito violenta", disse. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Assine Amazon Prime por R$ 9,90/mês e ganhe frete grátis, catálogo de filmes e séries que compete com a Netflix, livros, músicas e mais! Teste 30 dias grátis! E daí veio a revelação sobre seu Batman predileto. “[Piada Mortal] Era sobre o Batman — pelo amor de Deus, é um cara vestido de morcego. Cada vez mais acho que a melhor versão do Batman é a do Adam West [a do seriado do final dos anos 1960], que não o levou a sério”, afirmou. Ele também contou qual foi a última adaptação de quadrinhos que viu. Moore gosta do Batman de West porque o seriado sessentista não se levava a sério (Imagem: Reprodução/Warner Bros) Moore revela qual foi a última adaptação de HQs que viu Durante a entrevista, o autor falou quando parou de ver filmes de super-heróis — e qual foi a última adaptação que assistiu. “Não vejo um filme de super-heróis desde o primeiro filme do Batman de Tim Burton [lançado em 1989]. Eles arruinaram o cinema e, também, até certo ponto, a cultura. Vários anos atrás, disse que centenas de milhares de adultos fazendo fila para ver personagens que foram criados há 50 anos para entreter meninos de 12 anos era um sinal realmente preocupante. Isso parece indicar algum tipo de desejo de escapar das complexidades do mundo moderno e voltar a uma infância nostálgica. Isso soa perigoso, por infantilizar a população”, refletiu. Depois de finalizar o roteiro do último volume de A Liga Extraordinária, em 2018, Moore anunciou sua aposentadoria dos quadrinhos. De lá para cá, ele só tem se dedicado ao cinema. “A maioria das pessoas agora compara quadrinhos com filmes de super-heróis. Isso adiciona outra camada de dificuldade para mim”, disse. Embora Moore não confirme, muita gente acredita que o Batman matou o Coringa no final de A Piada Mortal(Imagem: Reprodução/DC Comics) “Não estou mais tão interessado em quadrinhos, não quero mais ser associado com isso. Comecei nisso há mais de 40 anos e finalmente aposentei-se. Quando entrei para essa indústria, o grande atrativo era que se tratava de um meio que era vulgar, que tinha sido criado para divertir a classe trabalhadora, principalmente crianças. A maneira como a indústria mudou, com o aumento dos preços, transformou-a inteiramente para um público de classe média. Não tenho nada contra as pessoas da classe média, mas não era para ser um hobby para de pessoas de meia-idade — e sim para quem não tem muito dinheiro”, avaliou. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Positivo anuncia novo celular Q20 com promoção no Amazon Prime Day Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Veja Mais

Eleições 2020: Justiça Eleitoral tira do ar programa de Boulos com Wagner Moura

O Tempo - Política Comercial viola a legislação eleitoral sobre propaganda gratuita, pois extrapola a limitação legal do tempo de aparição de apoiador na gravação Veja Mais

Segundo debate entre Trump e Biden é cancelado por falta de acordo

O Tempo - Mundo Encontro ocorreria na próxima quinta-feira (15), em Miami; comissão decidiu que ele seria realizado de forma virtual, mas Trump não aceitou Veja Mais

Secretaria da Mulher debate suspensão do tratamento de câncer de mama durante pandemia - 09/10/20

Secretaria da Mulher debate suspensão do tratamento de câncer de mama durante pandemia - 09/10/20

Câmana dos Deputados A Secretaria da Mulher da Câmara debateu a suspensão do tratamento e de cirurgias de câncer de mama no SUS durante a pandemia. Os detalhes na reportagem de Fernanda de Bretanha. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais #CâmaraDosDeputados Veja Mais

Crítica | Caixa preta e a originalidade de um novo legado do terror

canaltech   Caixa Preta, como um dos oito filmes da série temática Welcome to the Blumhouse, chegou Amazon Prime Video para quem acompanha as produções Blumhouse como um presente que é incrível por fora e anuncia a expectativa de que, dentro da embalagem, o conteúdo é ainda melhor do que o esperado. Como fã de terror, conter a hype foi difícil, sobretudo porque a crítica exige toda imparcialidade que o autor conseguir alcançar. Estamos diante de um momento histórico para o cinema, especialmente o cinema de horror. Embora alguns dos maiores diretores do gênero (Ari Aster e Robert Eggers) tenham criado uma nova corrente cinematográfica do terror através da A24, seus filmes não atingem um público muito amplo, de modo que a verdadeira revolução veio através da Blumhouse e, mais especificamente, com Jordan Peele. Não se fala muito do terror pós-Aster ou pós-Eggers, mas já se fala de um terror pós-Peele, reconhecimento que não parte apenas do público e da crítica especializada, mas que já pode ser encontrado na forma de referência pop, como em A Babá - Rainha da Morte, em que John (Andrew Bachelor) diz “Eu deveria estar animado por não morrer primeiro. É uma era de filmes de terror pós-Jordan Peele, tá?” Os lançamentos do Amazon Prime Video em outubro de 2020 Não é sempre que vemos o curso da história ter uma guinada diante dos nossos olhos e é comum que, frente à repetição de padrões, a crítica se acostume também apenas a entender esses padrões como códigos e usar isso para definir algo como bom ou ruim. É responsabilidade da crítica, porém, também ser capaz de notar nuances, mudanças e servir de guia para os demais espectadores não na panfletagem de dizer se um filme vale ou não a pena, mas de compartilhar com todos essas percepções que ligam uma obra de arte à vida cotidiana. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Imagem: Reprodução/Blumhouse-Amazon Prime Video Atenção! A partir daqui, a crítica pode conter spoilers. Legado Não são poucas as referências de Caixa Preta. Precisamos, porém, definir tipos de referências. Existem as referências do tipo que filmes como A Babá - Rainha da Morte ou o clássico Pânico fazem, que consiste em entender esses códigos estabelecidos ao longo dos anos e prestar uma homenagem a eles. As referências de Caixa Preta são de um segundo tipo: é o reconhecimento de uma obra revolucionária que, neste caso, é o cinema de Jordan Peele, diretor de Corra! e Nós. É esse tipo de código que, reproduzido, no futuro irá gerar o primeiro tipo de referência. Em Corra!, o tema racial é escrachado e isso acabou se tornando o foco de muitas análises, especializadas ou não. Quando Peele lança seu segundo terror de sucesso, diversas análises foram falhas ao aplicar o mesmo método de abordagem aos dois filmes, o que frustrou muitas pessoas e gerou um incômodo maior: Nós não foi compreendido pelo público que pensou que racismo era o tema central do filme. Jordan Peele envia uma mensagem com isso: a luta antirracista implica também no reconhecimento de que a comunidade negra não deve ser vista somente com vistas à cor. Jordan Peele não fez um terror negro (embora haja possibilidade de se falar sobre isso). Peele é um excelente diretor e ponto. Imagem: Reprodução/Blumhouse-Amazon Prime Video Caixa Preta rejeita a discussão racial no roteiro e segue o legado de Corra! pelo tema do transplante mental e o legado da representatividade de Nós: A direção de Emmanuel Osei-Kuffour, estreante em longas-metragens, não restringe, no sentido de que não apenas reproduz uma fórmula. O efeito de Caixa Preta é o oposto, é o sintoma de mudanças sociais que força Hollywood e o mundo a entenderem que cor não define qualidade e não define tema. Parece que a Blumhouse entende muito bem isso ao abrir espaço para um especial que leva seu nome e traz oito novos diretores, nomes desconhecidos, com elencos que passam longe das grandes estrelas, porque a mudança é necessária e não acontece naturalmente: é necessário abrir espaço. Com isso, Caixa Preta não só reflete o legado da direção de Peele, mas ajuda a criar o legado da Blumhouse como um nome que mudou o terror e provou que, sim, é possível fazer uma obra politicamente correta de qualidade. É o fim de uma era em que não havia protagonismo negro, em que as assombrações eram uma metáfora da histeria feminina, em que os grupos sub-representados eram sempre isso, sub-representados. É o fim de uma era em que o crítico defensor dos padrões tem o direito de definir a qualidade de um filme a partir da reprodução ad infinitum dos seus preconceitos. Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Provando que não se trata apenas de falar sobre assuntos polêmicos, Caixa Preta coloca no centro da sua trama, incorporado no seu protagonista, o legado da ficção-científica que não se dissocia a ciência da emoção humana, o cinema de Christopher Nolan. Ao contrário do diretor de A Origem, Osei-Kuffour é muito mais habilidoso ao lidar com a parte psicológica e emocional dos personagens. O que Osei-Kuffour faz é pegar o que há de melhor no cinema contemporâneo de terror e ficção científica e reunir isso em uma obra absolutamente autoral. E excelente. Imagem: Reprodução/Blumhouse-Amazon Prime Video Pertinência Os melhores filmes de terror não nos fazem apenas sentir medo ou ter sustos. Isso quem faz é o cinema comercial de terror, que entende o público apenas como números de bilheteria. Bons filmes vão além e nos fazem refletir sobre a nossa realidade através de histórias fictícias. Caixa Preta leva ao extremo as discussões contemporâneas sobre imortalidade e o protagonista Nolan se torna o Frankenstein dos nossos tempos. A ciência de hoje não está interessada em ressuscitar os corpos mortos, mas em trazer de volta a consciência, esse algo que temos em nós que sequer conseguimos definir (vide as discussões contemporâneas de filosofia da mente), mas que muitos cientistas tratam como se fosse apenas mais uma peça da engrenagem corpo humano. Aqui, o legado negativo da filosofia: a ideia cartesiana de que o corpo é uma máquina e de que a mente, seja o que for, é algo completamente dissociado desse corpo. Caixa Preta atenta para a não simplicidade do assunto. A mente humana e todos esses elementos não-físicos, metafísicos, ligados a ela não são apenas dados computáveis, que podem ser transformados em zeros e uns dentro de um software. Há de se pensar na complexidade humana e, mais do que isso, a ética científica precisa estar em alta estima. Quais as consequências de pesquisas como as dos pesquisadores da Universidade Yale, que reativaram partes dos cérebros de porcos mortos há quatro horas? Embora o objetivo seja um bem, no caso a cura do Alzheimer, as consequências podem ser outras, como nos mostra Velozes & Furiosos: Hobbs & Shaw (sim, Velozes e Furiosos também tem filosofia) e como prova o recente documentário O Dilema das Redes. Reconhecimento Falamos muito de drama, pertinência social e ficção científica, mas onde está o terror de Caixa Preta? Além do terror real das consequências inesperadas da evolução tecnológica e científica (que parece ainda não nos atingir com a seriedade devida, porque insistimos em ver os avanços como algo necessariamente benéfico), o terror raiz de Caixa Preta está nessa entidade que aparece quando o protagonista entra em estado de hipnose e que ele alega ter visto em sonho. Imagem: Reprodução/Blumhouse-Amazon Prime Video Mamoudou Athie, que interpreta Nolan, é um ator excepcional ao transitar por todas as nuances do seu personagem, adquirindo, inclusive, personalidades diferentes ao longo da trama. Ao final, descobrimos que a criatura, a tal entidade que assombra as memórias, é o próprio Nolan tentando recobrar o controle da sua mente hackeada, mas esse horror especificamente não é fruto do trabalho deste ator (o que não diminui de forma alguma a qualidade incrível do seu trabalho). A questão, aqui, é o reconhecimento daqueles que ficam anônimos para o público. Assim como é comum o trabalho de toda uma equipe ser creditado como genialidade de uma única pessoa, o diretor ou o produtor, também acontece de os atores levarem todos os louros pelo desempenho dos seus personagens quando, na verdade, muitas vezes eles também não trabalham sozinhos. Ao terminar de ver Caixa Preta, uma pesquisa pelo intérprete da criatura na ficha técnica do IMDb me surpreendeu por eu não conseguir encontrar o nome do profissional na lista de dublês, as pessoas que atuam no lugar dos atores quando as habilidades dos personagens estão além das habilidades deles. Se a entidade é Nolan, em uma produção sem dublês, essa performance precisaria ser feita pelo próprio Athie. O que acontece, no entanto, é que todos aqueles momentos aterrorizantes (e que flertam muito com o body horror) foram interpretados por Troy James, que mais do que justamente foi creditado pela produção não como dublê, mas como ator. A representatividade pela qual se luta no cinema contemporâneo atinge também essa esfera que não é visível na tela: se todo o horror do filme nos é dada pela performance de James (que também faz o Jangly Man de Histórias Assustadoras para Contar no Escuro), onde está o reconhecimento desses profissionais diante do grande público? Welcome to the Blumhouse Assim, Caixa Preta torna-se muito mais que um presente para os fãs de terror, mas ajuda a criar toda uma fase histórica. Falaremos da importância dos seus filmes e de como eles retratam as mudanças e aflições de nossa época, da mesma forma como falamos hoje, repletos de saudosismo, do terror dos anos 1980, dos monstros da Universal e dos filmes da Hammer. Ao final do lançamento dos oito filmes, é provável que isso fique ainda mais claro, mas já podemos notar que, com os primeiros quatro filmes, a Blumhouse deixou claro que quer marcar seu nome na história do cinema e no imaginário do público. *Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Canaltech. Agradeço a Jeff Augusto pela atenção especial ao trabalho de Troy James e pelo diálogo que viabilizou a reflexão apresentada aqui. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Positivo anuncia novo celular Q20 com promoção no Amazon Prime Day Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Veja Mais

Nextel agora se chama 'Claro nxt'

Nextel agora se chama 'Claro nxt'

Tecmundo Após quase dois anos de sua venda para a Claro, a operadora de telefonia Nextel deixou de existir formalmente, mudando o seu nome para “Claro nxt”. As alterações já foram percebidas na quinta-feira (8), tanto no site da empresa quanto na área do cliente “Meu Nextel”, que passou a se chamar agora “Minha Claro Nextel”.Também no site, a companhia justificou a mudança do nome: “Isso é para mostrar que Nextel e Claro estão cada vez mais juntas, tornando-se uma marca só”. No entanto, algumas questões da transição ainda continuam pendentes, como o número de atendimento aos clientes (continua o 1050), e o fato de os antigos planos da Nextel permanecerem desbloqueados mesmo após o término da franquia.Leia mais... Veja Mais

Superstore: personagens encaram a pandemia em novo teaser

Superstore: personagens encaram a pandemia em novo teaser

Tecmundo Superstore se juntou às séries que decidiram abordar a pandemia em seus novos episódios. A conta oficial do Twitter da série publicou um teaser da 6° temporada que dá indícios de como isso vai acontecer:There's a lot to unpack here. #Superstore is back in business Thursday, October 29 on @NBC. pic.twitter.com/PjnF7puHbHLeia mais... Veja Mais

Ministros do STF votam por obrigar Bolsonaro a seguir lista tríplice de reitores

O Tempo - Política Ministro Edson Fachin, relator do caso, destacou a 'imensa gravidade' da matéria e fez uma ampla defesa da autonomia universitária, que tem status de princípio constitucional desde a Carta de 1988 Veja Mais

Bolsonaro comenta nova redução de impostos sobre jogos eletrônicos

Bolsonaro comenta nova redução de impostos sobre jogos eletrônicos

Tecmundo Hoje (9), o presidente Jair Bolsonaro comentou em um post no Twitter sobre uma nova redução sobre os jogos eletrônicos. No ano passado, o presidente já havia aprovado um decreto semelhante, onde o imposto era reduzido de 50% para 40%.Segundo seu tweet, o presidente conversou com Paulo Guedes, ministro da Economia, para realizar uma nova proposta, onde a intenção é reduzir o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) de 40% para 30%. Leia mais... Veja Mais

Pessoas 'mais autênticas' nas redes sociais tendem a ser mais satisfeitas com a própria vida, diz estudo

G1 Economia Pesquisadores coletaram dados de mais de 10 mil usuários e estabeleceram um conceito para determinar se as postagens no Facebook correspondiam às suas personalidades e atividades regulares. A estimativa da autenticidade dos perfis foi feita a partir da comparação entre as respostas do teste com as características das curtidas e publicações de cada usuário. Unsplash Pesquisadores da Universidade de Columbia, em Nova York, observaram que pessoas que se expressam de forma "mais autêntica" nas redes sociais tendem a ser mais satisfeitas com a vida. Foram observados dados de 10.560 usuários do Facebook coletados entre os anos de 2007 e 2012. Os participantes descreveram durante esse período suas personalidades e relatavam o nível de satisfação com a vida. Para definir o quão "autêntico" era o usuário, os pesquisadores cruzavam esses dados com as características das curtidas e publicações de cada usuário e a linguagem usada. O que é a 'fadiga da pandemia' e como é possível combatê-la, segundo a OMS Com imagens de ressonância magnética, pesquisadores identificam alterações no cérebro comuns em seis transtornos psiquiátricos Os traços de personalidade eram definidos a partir de itens como abertura a novas experiências, cuidado na execução das tarefas, extroversão, amabilidade e neuroticismo). O estudo encontrou um nível de satisfação maior com a vida nas pessoas que fizeram postagens que representavam mais fielmente os traços de personalidade, ou seja que eram "mais autênticas". Resultados por manipulação Ajuda ou atrapalha? Usuários comentam sobre a exposição nas redes sociais Em um segundo estudo, que serviu para dar base à ideia de que ser "autêntico" leva a um nível de bem estar maior, 90 voluntários fizeram postagens em que foram "autênticos" durante uma semana e depois fizeram posts em que se apresentavam de forma idealizada. Foi encontrado maior índice de satisfação na semana em que foram mais sinceros nos posts. A pesquisa não analisou se estar fora das redes sociais traz mais benefícios mentais do que postar mais de forma "autêntica". Vídeos: Viva Você Veja Mais

Genshin Impact: quais são os personagens mais fortes do game?

Genshin Impact: quais são os personagens mais fortes do game?

Tecmundo Genshin Impact, RPG de ação da miHoYo, foi lançado no final de setembro e fez tanto sucesso que atingiu mais de 17 milhões em downloads em sua primeira semana apenas para mobiles, além de contar com planos para atualização com mais personagens e mapa.Com um estilo muito semelhante a The Legend of Zelda: Breath of the Wild e gráficos encantadores, o game conta com 23 personagens jogáveis que possuem habilidades diferentes e são separados por Tiers (uma espécie de nível), com os mais fortes pertencendo aos grupos "SS", "S" e "A". Mas vale lembrar, alguns só podem ser adquiridos por meio de loot boxes.Leia mais... Veja Mais

A Voz do Brasil - 09/10/2020

A Voz do Brasil - 09/10/2020

Câmana dos Deputados RÁDIO CÂMARA - Confira nesta edição, entre outros assuntos: ✔️Candidaturas femininas crescem, mas ainda não representam a população; ✔️Brasil terá cadastro nacional com nomes de estupradores condenados; ✔️Debatedores criticam mudanças no Conselho Nacional do Meio Ambiente. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais #CâmaraDosDeputados #AVozDoBrasil #RádioCâmara Veja Mais

SpaceX trabalha em foguete capaz de levar armas a qualquer lugar do mundo em 1h

canaltech A SpaceX deu mais um passo nas parcerias militares: a empresa de Elon Musk assinou um contrato com o Pentágono para desenvolverem um foguete que será capaz de entregar até 80 toneladas de cargas úteis e armas a qualquer lugar do mundo através de viagens que levariam apenas uma hora. Os testes iniciais do projeto deverão começar em 2021. Internet Starlink já é usada por equipes de emergência contra incêndios nos EUA Elon Musk acredita que criar uma Força Espacial nos EUA pode ser uma boa ideia Em missão militar, SpaceX consegue pousar Falcon 9 pela quarta vez Com este novo contrato, a SpaceX irá arcar com os custos e desafios técnicos do projeto. Os testes com o foguete deverão começar no início do ano que vem, e é esperado que o veículo seja capaz de transportar armas pelo mundo até 15 vezes mais rapidamente do que as aeronaves já existentes, como o US C-17 Globemaster — considere que uma viagem da Flórida ao Afeganistão poderia ser feita em uma hora, enquanto o avião em questão precisa de 15 horas para completar o trajeto. "Pense como seria mover a carga útil equivalente à de um C-17 em qualquer lugar do mundo em menos de uma hora", disse o general Stephen Lyons, diretor da US Transportation Command. (Imagem: Reprodução/SpaceX) Este novo sistema de entregas de armas parece ser uma versão militarizada de algo que Elon Musk propôs em 2017, quando falou sobre viagens espaciais tripuladas: na época, ele sugeriu levar passageiros ao espaço e pousá-los rapidamente perto do destino desejado. Então, o novo plano segue essa linha de certa forma — com a diferença de que irá levar armas, e não pessoas.O novo contrato é mais uma evidência das parcerias militares que a SpaceX vem buscando fazer. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- No início da semana, a empresa conseguiu um contrato com a empresa militar Space Development Agency para trabalhar no desenvolvimento de quatro satélites de rastreamento mísseis, que terão sensores infravermelhos. Além disso, o exército já se aproximou da SpaceX anteriormente para buscar informações sobre como transformar a constelação de satélites Starlink, de banda larga, em uma rede de navegação militar. Anteriormente, os oficiais da Força Espacial haviam declarado que já estão trabalhando com a empresa de Musk depois de fecharem um contrato, em agosto. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira iPhone 12 | Preços, datas e cores surgem em vazamento dias antes de anúncio Veja Mais

No Aglomerado da Serra, Áurea diz estar confiante em crescimento nas pesquisas

O Tempo - Política Ao lado do vice Léo Péricles (UP), candidata fez uma caminhada pelas ruas da comunidade e participou de uma reunião com moradores da região Veja Mais

Microsoft e ARM vão frear inundação de produtos IoT sem procedência

Microsoft e ARM vão frear inundação de produtos IoT sem procedência

Tecmundo Ideais para dispositivos com inteligência artificial utilizados na edge computing por carregarem centros de operações de segurança (SoCs) que consomem menos energia, geram calor mínimo e eliminam a necessidade de componentes de resfriamento barulhentos, chips ARM têm despertado a atenção de gigantes da indústria – e a Microsoft, considerando essencial reconhecer a importância de tais componentes no desenvolvimento de novas soluções, anunciou uma parceria com a Arm Holdings para "implantar um conjunto de ferramentas baseado em Azure para fornecer uma experiência de IA unificada e simplificada para desenvolvedores" que concederá certificações de produtos.Segundo comunicado oficial da empresa fundada por Bill Gates, a combinação da arquitetura com o amplo ecossistema da marca possibilitará a aceleração da inovação na área de Internet das Coisas (IoT) e um futuro promissor aos usuários. Para isso, atuará com parceiros no planejamento de múltiplos horizontes, focando em cenários orientados que informam o surgimento de novidades e os requisitos para utilizá-las. O movimento, complementa, suprirá a necessidade de uma visão ampla e abrangente para ações de sucesso.Leia mais... Veja Mais

Eleições em BH: Justiça indefere candidatura de Fabiano Cazeca à PBH

O Tempo - Política Candidato do PROS já havia sido proibido de usar verba pública durante campanha; assessoria diz que situação é ‘um recurso normal’ Veja Mais

COVID-19 | Como a Suíça rastreia a doença sem ferir privacidade dos cidadãos

canaltech Os aplicativos de rastreamento e notificação de possível exposição à COVID-19 se tornaram uma arma importante para agências e autoridades de saúde durante a atual pandemia. O Brasil tem tem o seu, o Coronavírus - SUS, gerenciado pelo Sistema Único de Saúde, avisando seus usuários sobre um possível contato com contaminados pelo novo coronavírus por meio de registros de proximidade gerados pelos smartphones. É uma solução adotada globalmente, mas que na Suíça, ganhou um caráter especial quando a privacidade dos cidadãos caminhou lado a lado com a saúde deles. Como usar o app do Coronavírus - SUS COVID-19 | Brasil ultrapassa marca de cinco milhões de casos As maiores fake news sobre vacinas contra COVID-19 Foi um trabalho que envolveu mais de 30 pesquisadores em 10 países, com gente de diferentes áreas não apenas de epidemiologia e tecnologia, mas também especialistas em privacidade, direito civil, criptografia e servidores. “Uma das questões iniciais do desenvolvimento foi o consenso dos usuários, mas também tivemos que pensar em formas pelas quais eles não poderiam ser rastreados e levar em conta as leis europeias. O projeto precisava ter escalabilidade e ser confiável, criado de forma extremamente rápida”, explicou Carmela Troncoso, professora da Escola Politécnica Federal de Lausanne, na Suíça. “[O sistema] precisava rodar em aparelhos e infraestruturas existentes, sem experimentos ou tecnologias desenvolvidas do zero, já que precisávamos desenvolver de forma extremamente rápida”, continuou ela, ao apresentar a aplicação na conferência CyberSec & AI Connected, promovida nesta semana pela Avast. Parcerias entre os pesquisadores, órgãos do governo e até companhias do mercado mobile foram necessárias e firmadas rapidamente, já que na cabeça de todos estava o combate ao novo coronavírus, que já matou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.-   O resultado foi um projeto que levou semanas para entrar no ar e, hoje, atende 1,6 milhão de pessoas na Suíça, um total de 18% da população do país. O SwissCovid, como foi chamado, também é apontado pelo governo local como responsável por uma diminuição perceptível na curva de contágio pelo novo coronavírus no país, sem expor os contaminados nem os obrigar a compartilhar informações com o sistema. Embaralhamento O caminho encontrado pelos pesquisadores foi descrito como um ciclo que depende de diversas partes para funcionar — se uma não está disponível, toda a plataforma sai do ar, no que também foi citado por Troncoso como um mecanismo de segurança por si só. A roda começa a girar com os indivíduos que testam positivo para o coronavírus e concordam em ter essa informação registrada em seus próprios celulares, que compartilham códigos indicadores dessa condição com a rede. Os conteúdos não trazem informações identificadoras ou que revelem a identidade da pessoa, indicando, apenas, que ela está contaminada. Um dos aspectos que garantem o anonimato dos usuários do SwissCovid é que todos os usuários que baixam o aplicativo também têm códigos gerados, que são enviados para os mesmos servidores. Enquanto isso, as pessoas seguem suas vidas e, por meio de Bluetooth de baixa energia, os dados de smartphones próximos são captados uns pelos outros. Uma comparação com as informações de infectados ou não, cuja verificação é feita pela infraestrutura de tempos em tempos, é responsável por notificar aqueles que, eventualmente, podem ter sido expostos ao vírus. Essa é a única informação emitida pelo app, com um alerta de possível contaminação não incluindo o local onde ela aconteceu nem informações sobre seus vetores, de forma a proteger o anonimato daqueles que testaram positivamente. Funcionamento do sistema de notificações sobre exposição ao coronavírus é descrito como um ciclo, com proteções à privacidade dos usuários de forma a garantir o anonimato de todos os cidadãos (Imagem: Divulgação/EPFL Switzerland) Entretanto, não são apenas os códigos dos testados ou não que fazem parte do sistema, com todos os aparelhos envolvidos também enviando e recebendo dados aleatórios, que são processados no próprio smartphone para separar o joio do trigo. Além disso, duas redes diferentes de servidores são usadas no recebimento e envio destes dados, sem que as informações sobre os aparelhos que os enviaram ou a geolocalização deles seja armazenada na infraestrutura. “Pelo caminho, encontramos mais desafios ligados à estrutura dos próprios telefones e seus diferentes modelos, além de limitações [dos sistemas operacionais] quanto ao processamento em segundo plano. Não podíamos depender dos usuários abrindo o app para que ele funcionasse, então tivemos que buscar alternativas”, explica Troncoso. Ela destaca, também, a participação de nomes como Apple e Google entraram, auxiliando os pesquisadores, principalmente, na utilização da tecnologia Bluetooth, de forma que a plataforma pudesse entender melhor a proximidade entre os utilizadores, caso eles estivessem praticando o distanciamento social, de forma a não gerar falsos positivos. Os números foram considerados bastante positivos pelo time envolvido. Mais de 1,7 mil pessoas concordaram em compartilhar seus testes positivos com o sistema, um total equivalente a 16% dos contaminados do país, o que levou a 65 casos de exposição confirmados pelo aplicativo, com os envolvidos sendo notificados e tomando os cuidados devidos. A ideia é que a utilização do software reduziu o nível de disseminação do novo coronavírus na Suíça e acelerou o tratamento daqueles que contraíram o patógeno. Paralelo internacional Troncoso chama a atenção, também, para a integração entre a plataforma do SwissCovid e os sistemas de saúde locais, de forma que as próprias instituições pudessem compartilhar os resultados positivos com o aplicativo. Assim, da mesma forma, se fazia presente mais uma camada de anonimato e proteção à privacidade, já que a confirmação de contágio não dependia do acesso, pelo próprio usuário, a um portal oficial do Ministério da Saúde, como acontece no Brasil. Sistema semelhante é usado no Brasil pelo SUS, com aplicativo que também usa códigos anônimos para notificar possíveis exposições ao novo coronavírus (Imagem: Canaltech) A solução implementada pelo SUS, inclusive, se parece bastante com a usada na Suíça, mas usa salvaguardas diferentes para garantir a privacidade dos usuários. Por aqui, um sistema semelhante de códigos é usado, mas sem dados aleatórios, enquanto as sequências de cada usuário é alterada a cada 15 minutos, de forma que não seja possível ligar aparelho, e, no caso, indivíduo, a um resultado positivo. De acordo com as informações do Ministério da Saúde, os dados pessoais ou de dispositivos dos utilizadores do aplicativo Coronavírus - SUS estão protegidos e não são compartilhados com outros usuários ou os próprios servidores da plataforma. As informações relacionadas à notificação e comparação de códigos também são processadas localmente, nos próprios aparelhos, a partir de um volume baixado pela internet, que não indica o local onde a exposição aconteceu nem o responsável por ela. Ainda em funcionamento na Suíça e com previsão de se manter ativo até o final da pandemia, o SwissCovid, agora, serve de base para outras aplicações no restante da União Europeia. Um projeto-piloto, por exemplo, pretende unificar os resultados positivos e usuários do continente, com início da aplicação marcada para novembro. Além disso, na América Latina, o governo do Equador utilizou os estudos realizados no Velho Continente para criar seu próprio software de rastreamento. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira iPhone 12 | Preços, datas e cores surgem em vazamento dias antes de anúncio Veja Mais

BofA descarta corte adicional na Selic neste ano após divulgação de IPCA

G1 Economia Banco também elevou sua perspectiva para a inflação em função da recente alta nos preços dos alimentos. Fachada da sede do Bank of America em Washington. AFP O Bank of America elevou nesta sexta-feira (9) sua perspectiva para a inflação neste ano, ao mesmo tempo que passou a descartar corte adicional na taxa básica de juros, prevendo que ela seguirá em 2% até o fim de 2020. "Esperamos agora que a taxa Selic permaneça estável e termine este ano em 2,00% (de 1,75% antes) dadas as pressões inflacionárias mais altas que reduzem o espaço para outro corte em nossa visão", escreveram o chefe de economia e estratégia para o país do BofA, David Beker, e a economista para Brasil e Chile do banco, Ana Madeira. Para a inflação medida pelo IPCA, a expectativa subiu a 2,7%, contra 2% antes, em função da recente alta nos preços dos alimentos e dos riscos de uma recuperação econômica mais rápida até o final deste ano. Inflação tem a maior alta para o mês desde 2003; preço dos alimentos segue subindo Mesmo com o ajuste, o percentual segue bem abaixo da meta oficial para o IPCA neste ano, que é de 4,0%, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos, ressaltaram eles. "No médio prazo, ainda esperamos um cenário inflacionário benigno, devido ao grande hiato do produto e à folga do mercado de trabalho", assinalaram. O IPCA teve em setembro a maior alta para o mês desde 2003, de 0,64%, pressionado pelo aumento dos preços de alimentos, informou nesta sexta-feira (9) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nos 12 meses até setembro, o IPCA acumulou alta de 3,14%, frente a 2,44% nos 12 meses até agosto. A inflação do mês veio acima das expectativas de analistas, que previam aumento de 0,54% em setembro sobre agosto e de 3,03% em 12 meses. Vídeos: veja as últimas notícias de economia Veja Mais

Gilmar Mendes envia investigação contra Baldy para Justiça Eleitoral de GO

Valor Econômico - Finanças Na decisão, o ministro reconheceu que o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, não tem competência legal para julgar o caso O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu hoje (9) que as investigações envolvendo o secretário licenciado de Transportes do Estado de São Paulo, Alexandre Baldy, devem ser enviadas para a Justiça Eleitoral de Goiás. Na decisão, o ministro reconheceu que o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, não tem competência legal para julgar o caso. No entendimento do ministro, depoimentos de delações e trechos de manifestações do Ministério Público Federal (MPF) sobre as investigações indicam que o caso envolve supostas doações para campanhas eleitorais, fatos que atraem a competência da Justiça Eleitoral para julgar o caso. No mês passado, Gilmar Mendes suspendeu as investigações para analisar qual juízo teria a competência para julgar a questão. No dia 6 de agosto, Alexandre Baldy teve a prisão temporária decretada por Bretas no âmbito da Operação Dardanários, que apura fraudes em contratações da Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro. Em seguida, Gilmar Mendes determinou a soltura do secretário licenciado. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), Baldy teria recebido propinas de uma organização social para favorecê-la em contratações com o Poder Público. Os repasses teriam sido feitos quando ele exercia o mandato de deputado federal e ocupava o cargo de ministro das Cidades no governo Michel Temer. Desde o primeiro recurso apresentado ao STF, a defesa de Alexandre Baldy sustentou que a competência para julgar os fatos é da Justiça Eleitoral de Goiás. Veja Mais

FLAMENGO VIVE O MELHOR MOMENTO DA TEMPORADA? | Debate Final

FLAMENGO VIVE O MELHOR MOMENTO DA TEMPORADA? | Debate Final

Fox Sports Brasil Antes de enfrentar o Vasco pelo Brasileirão, Rubro-Negro foi o assunto do programa. Qual é a sua opinião, fã de esporte? Inscreva-se no nosso canal! Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! https://www.espn.com.br/ Baixe o APP! https://bit.ly/3dhfI3I ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Flamengo #Arrascaeta #EvertonRibeiro Veja Mais

Eleições em BH: Agenda dos candidatos a prefeito neste sábado (10)

O Tempo - Política 15 candidatos estão na disputa pela prefeitura de Belo Horizonte Veja Mais

Apple Music terá conteúdos da Disney, Marvel, Pixar e Star Wars

Apple Music terá conteúdos da Disney, Marvel, Pixar e Star Wars

Tecmundo A partir desta sexta-feira (09), assinantes da Apple Music terão acesso a uma coleção de músicas exclusivas do Disney Music Group, com mais de 30 playlists, trilhas sonoras clássicas, estações de rádio e muitos outros conteúdos relacionados a produções que marcaram as telinhas, como as da Disney, Pixar, Marvel e de Star Wars.Os conteúdos vão desde Mickey Mouse e Ursinho Pooh até sucessos como Frozen. Programas como Disney Channel e Disney Junior também estão inclusos nesse roll, assim como séries do Disney+ e músicas tocadas em grandes parques como Magic Kingdom, na Flórida.Leia mais... Veja Mais

PIX chega a quase 25 milhões de 'chaves' cadastradas na primeira semana, diz BC

G1 Economia Entidade registrou quase 5 milhões de identificações por dia. Cliente poderá usar número de telefone e CPF, por exemplo, para ser identificado no novo sistema de pagamentos. Primeiro dia de inscrições do PIX tem mais de 3,5 milhões de cadastros O Banco Central informou nas redes sociais nesta sexta-feira (9) que atingiu 24,8 milhões de cadastros de "chaves" de identificação para uso do PIX, o novo sistema de pagamentos e transferências desenvolvido pela instituição. Foram quase 5 milhões de cadastros por dia. A partir de 3 de novembro, começará uma fase de testes do PIX, em que o serviço será disponibilizado para alguns clientes selecionados; Os pagamentos e transferências por meio do novo serviço para todos os clientes cadastrados, em todo o país, só serão possíveis a partir de 16 de novembro. A "chave PIX" é a informação que vai identificar um cliente e a conta bancária dele no sistema. Essa chave poderá ser um número de celular, um e-mail, o CPF ou o CNPJ. Leia mais abaixo neste texto como cadastrar uma chave para usar o PIX. O cadastramento é necessário para aqueles que pretendem utilizar o PIX em transações financeiras, mas não é obrigatório. PIX: veja perguntas e respostas sobre o novo sistema de pagamentos Veja a página especial do G1 sobre o PIX Cadastro da 'chave PIX' pode ser feito a partir desta segunda (5) A expectativa é que o PIX seja o grande substituto de DOCs e TEDs, por ser gratuito, instantâneo e estar disponível a qualquer hora, sete dias por semana. A previsão é que a maioria das transações seja aprovada e finalizada em até 10 segundos. Como vai funcionar o PIX - pagamento instantâneo Editoria de Arte / G1 De acordo com o BC, 677 instituições já foram aprovadas para oferecer o serviço a clientes e iniciar nesta semana o cadastro das chaves. Embora muitas instituições financeiras tenham lançado um pré-cadastro, elas terão que confirmar a partir desta segunda com os clientes o efetivo registro das chamadas das chaves. De acordo com Carlos Eduardo Brandt, chefe-adjunto do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro do Banco Central, não foram registrados problemas de cadastramento das chaves nesse início do prazo. "A gente teve questões pontuais com algumas instituições, muito poucas tiveram questões de conectividade na primeira hora, algo normal de um sistema que está entrando em funcionamento. Mas o sistema está totalmente operante", disse. Para o representante do BC, o PIX chega para oferecer uma dinâmica de pagamento que suporta novos modelos de negócios. "Essa intensidade no uso da tecnologia que a gente vê sendo algo que está fazendo cada vez mais parte do nosso dia a dia, agora a gente terá um meio de pagamento capaz de suportar essa nova realidade", avaliou. Segurança O BC confirmou que as instituições financeiras poderão reter transferências e pagamentos feitos por meio do PIX por até uma hora em caso de suspeita de fraude. O chefe-adjunto do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro, Carlos Eduardo Brandt, informou nesta segunda-feira que "todas as ações estão sendo direcionadas" para evitar problemas. Ele acrescentou que o BC está avalia como fazer o estorno de valores em caso de fraudes. "Ocorrendo fraude, estamos construindo essa dinâmica de devolução da operação. Está sendo trabalhado dentro com o grupo técnico de segurança, mas terá uma opção para trabalhar com situações atípicas", disse ele. Entenda o que é e como vai funcionar o PIX Como cadastrar a 'Chave PIX'? Para usar o PIX, basta que o cliente peça ao banco ou instituição financeira onde possui conta corrente, conta poupança ou carteira digital. A instituição vai fazer no Banco Central o cadastramento da "chave" escolhida pelo cliente, e que vai identificar a ele e à conta dele. Os quatro tipos de chaves Pix que poderão ser usadas e cadastradas são: Número de CPF; Número do CNPJ; Endereço de e-mail; Número do telefone celular Já para usar o PIX, ou seja, para fazer transferências ou pagamentos usando o sistema, será necessário acessar o aplicativo, site ou o caixa eletrônico do banco, assim como é feito atualmente com o DOC e o TED, por exemplo. Ao invés de digitar uma série de informações, como nome completo, dados bancários e CPF, com o PIX basta inserir a chave da pessoa ou empresa que vai receber o pagamento ou transferência. Ao digitar a chave, os dados da conta do destinatário aparecerão automaticamente na hora de realizar a transação, bastando conferir a identificação e digitar os valores antes de confirmar a operação. Não será possível, porém, vincular uma mesma chave a mais de uma instituição financeira ou a mais de uma conta bancária. Ou seja, se no banco A o cliente cadastrar um email, no banco B terá que cadastrar um outro email ou então o número de celular ou o CPF. Independente do cadastro de uma chave, o sistema vai permitir receber ou enviar um PIX usando a opção inserção manual. Nessa situação, será necessário informar os dados de banco, agência, conta, CPF e nome do favorecido, de forma semelhante à que acontece hoje com TEDs e DOCs. Veja mais detalhes sobre como fazer o cadastro Uso de QR Code As transações pelo PIX poderão ser feitas também por meio de QR Code, o que permitirá que o cliente tanto efetue um pagamento no comércio ou gere um código próprio para receber uma transferência, podendo inclusive já definir o valor da transação. No lugar de informar os dados de uma conta para depósito, bastará por exemplo enviar um QR Code por email ou aplicativo de troca de mensagens. O QR Code possuirá dois formatos no PIX: Estático: que poderá ser utilizado para transferências ou compras no comércio, quando as informações para pagamentos tem preço fixo (Exemplo: vendedor de água de coco) Dinâmico: que poderá ser utilizado quando as informações para pagamentos muda (Exemplo: supermercado, quando o valor de cada compra é diferente) O Banco Central não fixou um valor máximo para as transações que forem feitas pelo PIX. Os bancos e participantes estão autorizados, entretanto, a estabelecer limites máximos para as operações, visando diminuir o risco de fraudes. Assim, as instituições financeiras e de pagamento poderão estabelecer limites por usuário pagador, por transação, por dia ou por mês. Segundo a Febraban, num primeiro momento, os limites deverão ficar em linha aos que hoje são permitidos para TED e compras com cartão de débito. Veja mais detalhes sobre como usar o PIX Assista as últimas notícias de economia Veja Mais

Huawei P Smart 2021 chega a mais um país com 4 câmeras e sem apps do Google

canaltech A Huawei lançou nesta sexta-feira (9) o smartphone básico P Smart 2021 no Reino Unido. O modelo já havia sido apresentado na Áustria na semana passada e traz uma tela gigante de 6,67 polegadas e 4 câmeras traseiras, mas sem suporte para os serviços do Google, consequência das sanções impostas pelo governo norte-americano contra empresa chinesa. Huawei pode vender a marca de celulares Honor, prevê analista Samsung provoca Huawei por falta de apps do Google Rival do Android feito pela Huawei deve estrear na linha Mate 40; saiba mais Visual premium, configurações básicas O P Smart 2021 tem um visual que oferece algumas semelhanças em relação à linha premium P40 da Huawei, como o módulo de câmeras retangular na tampa traseira e a tela com furo para o sensor de selfies. Por falar em display, ele conta com 6,67 polegadas de tamanho, resolução Full HD+ e painel IPS LCD, configurações que podem agradar quem procura um smartphone para assistir filmes e jogar, ainda mais considerando a presença da entrada de 3,5 mm para fones de ouvido. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Smartphone tem algumas semelhanças visuais com o P40 Pro (Foto: Divulgação/Huawei) Já que estamos falando de um celular da linha básica da Huawei, não surpreende que o modelo seja equipado com o chipset Kirin 710A da própria empresa. Apesar de ter sido oficializado em maio deste ano, ele é uma versão menos potente do Kirin 710, lançado em 2019 e que equipa intermediário P30 lite. O chipset trabalha com 4 GB de memória RAM e 128 GB de espaço interno, que podem ser expandidos via cartão de memória. O smartphone é alimentado por uma bateria de 5.000 mAh, que promete muitas horas longe da tomada devido ao processamento menos exigente. Uma novidade do smartphone é que ele tem recarga de 22,5 W, o que é mais rápido que muitos modelos mais potentes lançados neste ano. Com relação ao conjunto fotográfico, o Huawei P Smart 2021 oferece quatro câmeras na traseira: a principal é de 48 MP, seguida por uma ultra grande-angular de 8 MP, uma macro de 2 MP e uma de profundidade, também de 2 MP. Para selfies, há um sensor de 18 MP. Sem serviços do Google Como você já deve saber, todos os smartphones da Huawei lançados após maio de 2019 não possuem suporte para os serviços do Google, decorrência das sanções impostas pelos Estados Unidos contra a Huawei. Donald Trump inclui Huawei em lista de bloqueio comercial Em poucas palavras, o governo Trump impediu a fabricante chinesa de fazer negócios com companhias que utilizam tecnologias norte-americanas, casos do Google com os serviços para Android e, mais recentemente, da ARM com suas CPUs Cortex. Aparelho será comercializado sem os apps do Google (Foto: Divulgação/Huawei) Em vez do Google Mobile Services, o P Smart 2021 traz o Huawei Mobile Services (HMS) com a interface EMUI 10.1 sob o sistema Android 10. Apesar de não ser tão popular quanto o GMS, as soluções da chinesa para não depender do Google têm rendido bons números para empresa, além de um maior suporte por parte de desenvolvedores de aplicativos. Preço e disponibilidade O Huawei P Smart 2021 chegará ao mercado inglês no dia 22 de outubro em três opções de cores: Crush Green (verde), Blush Gold (dourado) e Midnight Black (preto). Seu preço sugerido será de 200 euros (R$ 1,3 mil em conversão direta), uma categoria que possui grandes concorrentes como Moto G8 Power Lite e Redmi Note 9. Você acredita que o Huawei P Smart 2021 tem o "Q" a mais para valer o investimento? Ou a falta dos serviços do Google farão falta? Conte-nos abaixo, nos comentários! Huawei P Smart 2021: ficha técnica Tela: 6,67 polegadas, Full HD+, IPS LCD, 60 Hz; Chipset: Kirin 710A; Memória RAM: 4 GB; Armazenamento interno: 128 GB; Câmera traseira: 48 MP + 8 MP + 2 MP + 2 MP; Câmera frontal: 18 MP; Dimensões: 165,7 x 76,9 x 9,3 mm; Peso: 206 gramas; Bateria: 5.000 mAh; Extras: leitor de digitais na lateral, Bluetooth 5.1, 3,5 mm jack, USB-C, recarga rápida de 22,5 W; Cores disponíveis: verde, dourado e preto; Sistema operacional: Android 10 sob a interface EMUI 10.1 (sem GMS). Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Positivo anuncia novo celular Q20 com promoção no Amazon Prime Day Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Veja Mais

HBO Max confirma escalação da tropa na série dos Lanternas Verdes

canaltech Desde que a WarnerMedia confirmou que o HBO Max terá uma série dedicada aos Lanternas Verdes, os fãs logo começaram a especular quem faria parte da tropa nas TVs, até porque há um filme em desenvolvimento na Warner Bros. E eis que Greg Berlanti, produtor que ajudou a montar o Arrowverse no canal CW e que estará à frente da atração no serviço de streaming, adiantou qual será a escalação inicial. E as notícias são empolgantes. Sabia que cada Lanterna Verde usa seus poderes de forma diferente? Lanterna Verde será o último trabalho de Grant Morrison para a DC Comics DC Comics celebra os 80 anos dos Lanternas Verdes com grande edição especial Anunciada no final de 2019, a série Lanterna Verde para o HBO Max terá roteiros de Seth Grahame-Smith (Abraham Lincoln — Caçador de Vampiros) e Marc Guggenheim (Arrow) —Geoff Johns, que revitalizou os Lanternas Verdes nos quadrinhos e estaria inicialmente atrelado ao projeto, estranhamente não foi citado. A primeira temporada tem previsão de dez episódios. O fanfarrão Guy Gardner está confirmado na série (Imagem: Reprodução/DC Comics) Mas quem serão os integrantes da tropa? Segundo o Deadline, estão confirmados Guy Gardner, Jessica Cruz, Simon Baz, Alan Scott, Sinestro, Kilowog e, alguns novos personagens criados exclusivamente para a série. Como dá para notar, há vários clássicos favoritos dos fãs, mas há as ausências notáveis de Hal Jordan e John Stewart — o que aumenta ainda mais a possibilidade deles estarem no filme, e não na série, com já preveem algumas conversas de bastidores. Vale comentar também que Kyle Rayner, um dos queridinhos dos leitores e que segurou a barra quando o grupo estava em baixa no universo DC, também não aparece. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! Vale destacar que Sinestro, Kilowog e Alan Scott podem funcionar como a “velha guarda”, recebendo heróis mais novos no cargo, como Jessica Cruz e Simon Baz. Além disso, essa escalação promove diversidade, com uma Lanterna mulher e um muçulmano. Por enquanto, não há elenco confirmado ou uma previsão de estreia da série. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Positivo anuncia novo celular Q20 com promoção no Amazon Prime Day Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Veja Mais

CoronaVac: Saúde considera parceria, mas SP pensa em “plano B” fora do SUS

canaltech Na corrida por uma vacina segura e eficaz contra a COVID-19, 11 imunizantes estão na terceira e última fase de pesquisa antes da aprovação. Entre elas, está a CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo. Segundo as previsões, a distribuição desta vacina podem começar em dezembro, mas é preciso ainda entender como será feita e aguardar pelos resultados finais do estudo. COVID-19 | Imunidade de rebanho é pouco provável no BR, apontam cientistas Em meio à pandemia, casos de doenças respiratórias comuns despencam no Brasil UE encomenda com Johnson & Johnson 400 milhões de doses da vacina da COVID-19 Estão em andamento negociações com o Ministério da Saúde para a compra de doses da CoronaVac e, posteriormente, distribuição do imunizante no Sistema Único de Saúde (SUS). No entanto, os termos do acordo não estão fechados. Em paralelo, o governador do estado de São Paulo, João Doria, discute com senadores um eventual plano B. Na luta contra a COVID-19, Ministério da Saúde acena para a vacina CoronaVac (Imagem: Reprodução/ Governo do estado de São paulo) Ministério da Saúde, CoronaVac e plano B Na quinta (8), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, se reuniu com o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, e com o presidente do Butantan, Dimas Covas, onde discutiram a distribuição da CoronaVac no SUS e investimentos na produção do imunizante para atender o Brasil todo. Nesse sentido, o Ministério da Saúde deve investir R$ 92 milhões no projeto e na fábrica do Butantan. O governador do estado de São Paulo prevê que a decisão seja tomada no próximo dia 21, em nova reunião com Pazuello. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- “A conversa foi fazendo a sinalização dos R$ 92 milhões para incremento e fomento tanto para estudos clínicos, ampliação da fábrica para outras vacinas que não somente a da COVID-19 no Butantan, assim como o auxílio na compra de equipamentos que serão adquiridos pela própria vacina”, explicou Jean Gorinchteyn para o canal CNN. Segundo o secretário, essa verba "mostra um aceno muito grande do governo na aquisição das doses da vacina". "Eu não tenho dúvida de que, à medida que esses trabalhos da fase 3 – com exposição de resultados, chancela da Agência Nacional de Vigilância (Anvisa) – estiverem expressos, sem dúvida alguma o Ministério da Saúde fará a aquisição dessas vacinas", comentou Gorinchteyn. "Por isso, quanto mais brasileiros tomarem a vacina, ou as vacinas, porque nós precisamos ter mais vacinas, serão imunizados de forma mais célere", completou o secretário sobre os planos de investimento. Em paralelo a essas conversas com o Ministério da Saúde, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), e senadores discutem um possível um plano B para a distribuição da CoronaVac, caso sua distribuição não aconteça no SUS. Inclusive, nesta sexta-feira (9), Doria deve se encontrar, virtualmente, com os parlamentares e lideranças partidárias para debaterem a questão. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira iPhone 12 | Preços, datas e cores surgem em vazamento dias antes de anúncio Veja Mais

Como saber se um candidato é ficha limpa

canaltech À medida que vai se aproximando a data das Eleições, mais temos contato com candidatos e suas propostas. Muitas promessas são feitas e muito é dito sobre a idoneidade dos candidatos, mas, como saber quem possui a ficha limpa? Como consultar o patrimônio dos candidatos nas Eleições 2020 Como esconder anúncios políticos no Facebook e Instagram Criada em 2010, a Lei Complementar nº. 135, também conhecida como “Lei da Ficha Limpa”, foi criada para impedir a candidatura de políticos que já sofreram algum tipo de condenação em processos criminais e, por conseguinte, possuem a “ficha suja”. Como denunciar propaganda irregular no app do TSE Eleições 2020: como consultar o local de votação É com base nesta ação que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) disponibilizou uma plataforma online com várias informações sobre todos os candidatos, inclusive sobre sua elegibilidade. Confira abaixo o passo a passo para acessá-la! -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Como saber se o candidato é ficha limpa Através do navegador Passo 1: através de um navegador no PC, ou em dispositivos móveis, acesse o site Divulgação de candidaturas e contas eleitorais e escolha a sua região. Acesse o site Divulgação de candidaturas e contas eleitorais e escolha a sua região (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 2: em seguida, escolha o seu estado. Escolha o seu estado em seguida (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 3: na janela aberta em seguida, clique em “Candidatos”. Na janela exibida, clique em "Candidatos" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 4: localize e clique no nome do seu município. LOcalize e clique no nome do seu município (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 5: clique em “Prefeito” para trocar o cargo dos candidatos exibidos. Se preferir, pode pesquisar por um candidato específico. Clique em "Prefeito" para poder realizar a troca do cargo da pesquisa (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 6: escolha entre uma das opções de cargos. Selecione qual cargo você quer buscar (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 7: logo na aba seguinte, já é possível verificar quais estão aguardando julgamento, foram deferidos, ou indeferidos. Clique no nome de um candidato para ter acesso a mais detalhes sobre ele. Na aba seguinte, você poderá visualizar quais estão em análise, e quais já foram deferidos (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 8: no canto inferior, é possível verificar se, além de deferido, o candidato está "Apto", ou "Inapto" para as Eleições 2020. No canto inferior, é possível ver se o candidato está deferido e apto a concorrer às Eleições 2020 (Captura de tela: Matheus Bigogno) Através do app Eleições 2020 para Android O app Eleições 2020, disponível apenas para dispositivos Android na Google Play Store, não é um app desenvolvido pelo TSE, porém, ele utiliza a mesma base de dados para buscar estas informações. Passo 1: ao abrir o app pela primeira vez, clique em “Aceito os termos” e clique em “Ok” na pop-up que informa que o app não é oficial do TSE. No menu inferior, clique em “Candidatos” e selecione a Eleição atual. Acesse a aba "Candidatos" no menu inferior e clique em "Selecione" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 2: selecione o item “Eleições Municipais 2020”. Selecione a opção "Eleições Municipais 2020" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 3: em seguida, selecione o seu estado. Em seguida, selecione o seu estado (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 4: localize e clique no nome da sua cidade, ou pesquise usando o ícone de “Lupa”. Localize e clique no nome da sua cidade (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 5: escolha entre uma das opções de cargos: “Prefeito”, “Vice-prefeito”, ou “Vereador”. Escolha um dos cargos exibidos para poder prosseguir (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 6: logo na aba seguinte, já é possível verificar quais candidatos estão aguardando julgamento, foram deferidos, ou indeferidos. Clique no nome do candidatos que você escolheu para ter acesso a mais detalhes sobre ele. Na aba seguinte, você poderá visualizar quais estão em análise, e quais já foram deferidos (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 7: no canto inferior, é possível verificar se, além de deferido, o candidato está "Apto", ou "Inapto" para as Eleições 2020. No canto inferior, é possível ver se o candidato está deferido e apto a concorrer às Eleições 2020 (Captura de tela: Matheus Bigogno) Pronto! Agora você pode usar a plataforma do TSE, ou um app para Android para verificar se um candidato é ficha limpa. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira iPhone 12 | Preços, datas e cores surgem em vazamento dias antes de anúncio Veja Mais

Paquistão bane TikTok por conteúdos imorais e indecentes

Paquistão bane TikTok por conteúdos imorais e indecentes

Tecmundo A Autoridade de Telecomunicações do Paquistão (PTA, na sigla original) anunciou nesta sexta-feira (9) o banimento do TikTok no país. De acordo com o órgão, a medida surge após "diversas reclamações de diferentes segmentos da sociedade contra conteúdos imorais e indecentes no aplicativo de compartilhamento de vídeos".De acordo com o comunicado, as autoridades locais tentaram contato com o TikTok para uma readequação, mas a empresa chinesa e o governo paquistanês não chegaram a um acordo. A partir de hoje, portanto, a plataforma está oficialmente bloqueada no território.Leia mais... Veja Mais

Se houvesse mais gado no Pantanal, desastre seria até menor, diz ministra

O Tempo - Política Tereza Cristina disse que "o boi é o bombeiro do Pantanal" pois se alimenta do capim, que se torna um material "altamente incendiário" Veja Mais

Eleições em BH: Nilmário propõe moeda social para fomentar economia da cidade

O Tempo - Política Candidato do PT defende prefeitura atuante como prestadora de serviços e geradora de empregos Veja Mais

Oito perguntas sobre: Inteligência Artificial na educação

canaltech Muitas vezes, quando falamos de tecnologia aplicada à educação, pensamos em videoaulas por meio de plataformas como o Zoom, lousas eletrônicas ou conteúdos consumidos por meio de smartphones e tablets de qualquer lugar. No entanto, como dizia parafraseando Shakespeare: "Há muito mais coisas entre o lousa e o aluno do que supõe a nossa vã filosofia". O fato é que tecnologias mais, digamos, profundas, estão tomando conta, aos poucos das salas de aula. E isso envolve não apenas o conteúdo ou a forma como ele é transmitido. Envolve, na verdade, uma customização focada no perfil do aluno e na maneira como ele absorve o conhecimento. E para isso, o uso da Inteligência Artificial (IA) vem sendo primordial e - acima de tudo - um divisor de águas. E para explicar como a IA vem promovendo essa revolução no ensino, o "Oito perguntas sobre" dessa semana conversou com José Cláudio Securato, Ph.D, Fundador e CEO da Saint Paul Escola de Negócios e da plataforma LIT. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- José Cláudio Securato, CEO da Saint Paul Escola de Negócios e da plataforma  LIT: uso da IA no ensino é um caminho sem volta (Foto: divulgação / Saint Paul) Confira como foi o papo: Canaltech - Nesse cenário de pandemia, o uso de tecnologias para o ensino precisou ser acelerada e as edtechs ganharam muito espaço. Na sua visão, em um cenário pós-pandemia, esse uso maciço de ferramentas tecnológicas no ensino tendem a acelerar ainda mais?José Cláudio Securato: É um caminho sem volta. Na Saint Paul, nós iniciamos o projeto do LIT em 2016, já entendendo que a transformação digital seria uma tendência em educação. Assim, a pandemia não criou um modismo ou usa tecnologias como soluções temporárias. A pandemia antecipa tendências ao sincronizar a visão que a tecnologia pode ser uma elemento de impulso da educação. No pós-pandemia teremos já o surgimento de novos modelos de educação. CT - O que é o Aprendizado "Always On"? Como fazer com que os alunos sejam os agentes e protagonistas do seu aprendizado? Como mantê-los conectados o tempo inteiro sem cansá-los?J.C.: "Always On" é a autoconsciência que o aprendizado ocorre em qualquer lugar, a qualquer hora e de qualquer forma. Estar com o modo aprender "on" significa estar aberto ao aprendizado. Aprendemos quando estamos trabalhando, fazendo um projeto com colegas de trabalho, ao assistir um vídeo, ao ler um livro ou um post, ao se propor a resolver um problema. Enfim, se aprende ao viver cada momento do dia. Mas para se intensificar a aprendizagem é fundamental estar atento e aberto para o aprender. Ao terminar uma reunião e anotar dois aprendizados daquele encontro potencializa enormemente a absorção do aprendizado, por exemplo. Neste contexto, ser gestor e programador do seu processo de aprendizado significa estar atento ao seu dia para entender o que aprender, por que aprender e para que aprender. Significa escolher sua jornada de aprendizagem, desenhar seu próprio caminho. Por fim, veja as pessoas no modo onlearning (ou modo aprender "on"), naturalmente atentos ao aprendizado e que intercalam processos formais e informações de aprendizagem, presenciais e a distância, com auto-aprendizagem, aprendizagem dirigida, aprendizagem peer-to peer. Isso significa uma pessoa que aprende em uma reunião de trabalho, que acessa o LIT do seu celular no intervalo entre reuniões para aprender algo correlato por 5-7 minutos, por exemplo. CT - Como a Inteligência Artificial pode contribuir com o processo de aprendizado do aluno, principalmente nesse modelo de ensino híbrido apresentado pela LIT? J.C.: A Inteligência Artificial (IA) muda o jogo de todos os setores da economia e com educação não será diferente. IA contribui desde a identificação de padrões até na personalização individual da aprendizagem. Na identificação de padrões é possível perceber comportamentos coletivos. Como a característica de alunos contribuem/prejudicam jornadas de aprendizagem? Percebemos no LIT que alunos com traços de personalidade mais extrovertidos (personalidade identificada com IA) tinham, em média, dois pontos a menos em avaliações que alunos com outros perfis de personalidade. A partir desse diagnóstico via IA para identificação de padrões, fomos para a definição de personalização da jornada de aprendizagem individualmente. Resultado, hoje não há mais esta diferença de resultados em avaliações. Este é um pequeno exemplo. O Paul, nome que damos para a IA do LIT, é um professor 24 horas por dia / 7 dias por semana para tirar dúvidas, fazer explicações sobre temas complexos para os alunos. Em testes, nós tempos o uso de IA para atrelar expressões faciais e análise de sentimento versus sucesso/insucesso no aprendizado, além de uso IA para atividades preditivas como provável insucesso de um aluno ou para indicar conteúdos que sejam relevantes para sua vida e carreira. CT - Como aliar a aplicação de dados em um modelo de ensino personalizado ao aluno? Como é criada essa UX customizada dos estudantes nos cursos da LIT? J.C.: Hoje há duas formas de personalização. A primeira diz respeito a "como" aprender; a segundo, "o que" aprender. A personalização da aprendizagem como aprender ocorre com o incentivo a cada aluno em copiar e colar em um campo específico textos e conversas de sua autoria. Estes textos devem ser pessoais e de trabalho para maior riqueza de palavras e maior acurácia da análise. A Inteligência Artificial análise as palavras submetidas pel@ alun@ e devolve uma análise de traços de personalidade baseada na metodologia Big Five (ganhadora de um Prêmio Nobel). A partir destes traços de personalidade, o LIT desenvolveu um algoritmo que atrela os traços de personalidade às formas de aprendizagem. Ou seja, o aprendizado ocorre pelos nossos sentidos e o que se procura otimizar é qual seriam os melhores sentidos para cada pessoa, para cada aluno? Alguns aprendem melhor lendo, outros assistindo, discutindo, ouvindo, escrevendo etc. Resumindo, estamos atrelando traços de personalidade com formas de aprendizagem usando IA. A personalização "o que" aprender funciona com o Paul aplicando um questionário (assessment) aos alunos com objetivo de analisar qual o conhecimento prévio o aluno possui sobre aquele cursos que está sendo iniciado por alguém. Ao final da avaliação, o Paul indica se há alguma parte do programa que pode ser eliminada da jornada, otimizando tempo e aumentando engajamento dos alunos. Esse processo demora em média 6 minutos.   CT - Como o investimento em tecnologia pode possibilitar uma educação mais acessível e democrática? Que ferramentas tecnológicas podem possibilitar isso? J.C.: Poderíamos ter feito tudo isso e cobrado mais pelos nossos cursos, pois o diferencial justificaria esse aumento no investimento pelos nossos alunos. Mas preferimos o caminho da economia compartilhada, da disrupção. Um caminho de não tornar esses avanços para poucos, ao contrário, torná-los acessíveis para muitos. O LIT é disponível por R$ 100/mês aproximadamente para acesso completo a plataforma. Qual curso de uma instituição comparável com a Saint Paul (e até a própria Saint Paul) custa R$ 100? Portanto, tecnologias como computação em nuvem (Cloud), inteligência artificial (IA), blockchain e arquitetura de software por microsserviços permitem um custo unitário decrescente. Isso significa que quanto mais pessoas forem alun@s do LIT, menor será o valor de nossas assinaturas. CT - Nessa pandemia, quais cursos da LIT foram mais procurados? Houve alguma área específica que registrou maior procura? J.C.: Os cursos mais procurados foram de Metodologias Ágeis, Liderança Estratégica, os programas de introdução à Inteligência Artificial e outros mais tradicionais como Economia Brasileira e Análise de Demonstrativos Financeiros. Cada curso deste superou 35 mil acessos na pandemia. CT - Tão importante quanto o conteúdo é a experiência de ensino que o aluno terá nos cursos. Hoje, que tecnologias conseguem proporcionar isso aos estudantes de forma mais eficiente?J.C.: Compare a experiência de acessar um filme via uma TV a cabo convencional e o Netflix. Você gastaria 4 minutos para acessar o filme na TV a cabo (espero que você não precise se lembrar onde parou de assistir…), enquanto você leva 40 segundos na Netflix. Em educação é a mesma coisa. Muitos falam em aprendizagem em micromomentos, mas não conseguem entregar porque ainda estão na era da educação online e não da educação digital. No LIT com a função "meus micromomentos" os alunos escolhem quanto tempo tem, o que querem aprender e em 30 segundos estão com o conteúdo carregado em seus devices. No LIT focamos na UX (user experience) dos alunos trazendo funcionalidades digitais de outros segmentos (micromomentos, comentários de alunos em pontos específicos de vídeos, continuar aula do ponto em que parou, capacidade seamless, possibilidade de assistir offline etc.) e com análise de dados com IA e machine learning para compreender o que faz sentido para os alunos. CT - E falando sobre tendências: que novas tecnologias podemos ver na Educação para os próximos anos? J.C.: Nos próximos anos as tendências tecnológicas em educação são atreladas a novas aplicações de Inteligência Artificial na aprendizagem, blockchain para cadeias de certificação, arquitetura por microsserviços para dar flexibilidade e velocidade às implementações tecnológicas nas plataformas, ferramentas para segurança cibernética, principalmente para evitar fraudes em certificados, além de realidade aumentada, virtual e mista. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira iPhone 12 | Preços, datas e cores surgem em vazamento dias antes de anúncio Veja Mais

Veja momento exato em que foguete passa na frente da lua [vídeo]

Veja momento exato em que foguete passa na frente da lua [vídeo]

Tecmundo O fotógrafo Steve Rice conseguiu realizar um feito bastante raro: ele gravou imagens de um foguete passando bem em frente à lua. Segundo ele próprio, capturas como essa são extremamente raras. As que ele obteve por meio da internet datam de pelo menos 20 anos.O foguete foi lançado pela NASA, a agência espacial americana, como parte da missão Cygnus NG-14, a partir da base de lançamento Wallops Island, no estado da Virgínia (EUA).Leia mais... Veja Mais

Wanessa Camargo rompe com empresário após ele ser acusado de agredir a ex-mulher

O Tempo - Diversão - Magazine Através das redes sociais, Francinne contou que o empresário era controlador, agressivo e violento na relação conjugal: "Vivi um relacionamento abusivo" Veja Mais

Spotify grátis: como usar o serviço sem pagar assinatura

canaltech O Spotify (Android | iOS | Web) é um dos serviços de streaming musical mais populares da atualidade. Com um extenso catálogo de músicas e podcasts, é uma boa opção para quem deseja consumir esse tipo de conteúdo. Quem não deseja assinar o serviço premium do streaming tem a opção de usar um plano gratuito do Spotify, sem necessidade de pagar assinatura. Como encontrar músicas pela letra no Spotify Como ver a letra da música no Spotify pelo celular e PC O plano gratuito traz todo o catálogo de músicas e podcasts da plataforma, mas apresenta algumas restrições. A mais notável é a presença de anúncios entre faixas. Além disso, não é possível baixar conteúdos para reprodução offline e, na versão para celulares, só há a possibilidade de escolher a música reproduzida em playlists selecionadas. Como usar QR Code no Spotify para encontrar playlists e músicas Como usar o player web do Spotify Cada conta criada no Spotify recebe acesso à versão gratuita. O cadastro pode ser feito em qualquer versão da plataforma e não precisa de cartão de crédito. Confira como usar o plano! -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Spotify: como usar o serviço sem pagar assinatura Passo 1: acesse o Spotify por qualquer plataforma. Selecione a opção "Inscrever-se" para criar uma conta; Faça a inscrição na plataforma (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 2: utilize o Facebook para login ou preencha com suas informações de cadastro, incluindo nome, data de nascimento, endereço de e-mail e nome de usuário; Informe os dados cadastrais e prossiga (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 3: pelo celular, após o cadastro, o usuário pode escolher alguns artistas favoritos para receber conteúdo personalizado; Versão mobile permite escolher artistas favoritos (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 4: pronto! Sua conta estará criada e você pode usar o Spotify gratuitamente. Com a criação de um perfil, o algoritmo da plataforma pode indicar conteúdos específicos com base nos artistas ouvidos. Acesse a biblioteca do Spotify (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Qual seu serviço de streaming favorito? Comente! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Positivo anuncia novo celular Q20 com promoção no Amazon Prime Day Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Veja Mais

Positivo anuncia novo celular Q20 com promoção no Amazon Prime Day

canaltech A Positivo anunciou um novo celular que será lançado inicialmente durante o Amazon Prime Day, que ocorre nos dias 13 e 14 de outubro. O Q20 terá preço promocional durante o evento, de R$ 899. TecToy lança celular com fone Bluetooth na caixa e preço não muito convidativo Philco HIT Plus e Max aparecem no site brasileiro da marca; veja especificações A empresa destacou que o Q20 será o primeiro modelo da empresa com câmera tripla, sendo uma ultra-wide de 5 MP com 120 graus de campo de visão, uma principal de 13 MP e um sensor de profundidade para fotos no “modo Bokeh” de 2 MP, além da frontal de 8 MP. O aparelho tem tela de 6,1 polegadas e usa processador de oito núcleos Cortex-A55 não especificado. A bateria tem 4.000 mAh e, assim como os concorrentes Philco Hit e TecToy ON, traz 4 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento. ????Prepare-se para conhecer o novo POSITIVO Q20. O smartphone que ressalta o que há de mais belo nas suas fotografias com... -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Publicado por Positivo em Quinta-feira, 8 de outubro de 2020 O diretor de negócios de mobilidade da Positivo Tecnologia, Cristiano Freitas, destacou a capacidade de memória do celular como grande atrativo para o consumidor. “O grande diferencial do Positivo Q20 é a capacidade de armazenamento, superior a qualquer outro concorrente nessa faixa de preço, os quais costumam ter entre 32 e 64 GB”, afirmou. Uma checagem na homologação do aparelho junto à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) mostra que uma das unidades fabris pertence à LEAGOO, empresa terceirizada que executa montagem de dispositivos eletrônicos. O Positivo Q20 é produzido nas unidades fabris da Positivo Tecnologia no Brasil. Positivo Q20 será lançado em duas cores, azul e branco (Imagem: Reprodução/Divulgação/Positivo) De acordo com a Positivo, o Q20 tem acabamento em vidro e laterais cromadas, e será vendido nas cores Midnight Blue, “um azul profundo com efeito de luz e sombra”; e Pearl White, “versão branca com efeito perolado”. Além disso, vem com o Android 10 embarcado. Outros detalhes, como o modelo do processador, devem ser conhecidos em breve, já que o lançamento está marcado para a próxima terça-feira (13), durante o Prime Day da Amazon Brasil. Positivo Q20: ficha técnica Tela: IPS LCD de 6,1 polegadas com resolução HD; Chipset: Octa-core de 1,6 GHz ARM Cortex-A55; Memória RAM: 4 GB; Armazenamento interno: 128 GB; Câmera traseira: tripla de 13 MP (principal) + 5 MP (ultra-wide) + sensor de profundidade; Câmera frontal: 8 MP; Bateria: 4.000 mAh; Extras: USB-C, Bluetooth 4.2, conector P2 para fones de ouvido; Cores disponíveis: Midnight Blue (azul) e Pearl White (branco); Sistema operacional: Android 10. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC O que faz de um celular básico, intermediário ou avançado? Veja Mais

Astrônomos produzem o maior catálogo 3D das estrelas, com 3 milhões de objetos

canaltech Em um novo estudo, astrônomos da Universidade do Havaí produziram o maior catálogo tridimensional de estrelas, galáxias e quasares. Eles utilizaram dados do observatório Panoramic Survey Telescope and Rapid Response System (Pan-STARRS1) para observar partes ainda maiores do céu, e aliaram os dados a um software para decifrar os 3 bilhões de objetos das imagens. Novo mapa da Via Láctea mostra mais de 800 milhões de estrelas Blazar revela o buraco negro supermassivo mais antigo já descoberto Mapa 3D do universo revela 2 milhões de galáxias e abrange 11 bilhões de anos Para desenvolverem o catálogo, os astrônomos utilizaram medidas espectroscópicas públicas e as aplicaram em um algoritmo de inteligência artificial. Este processo com a IA foi essencial para a equipe descobrir como determinar com precisão as mesmas propriedades das medidas variadas de cores e tamanhos dos objetos. No fim, essa iniciativa de machine learning com rede neural alcançou precisão da classificação de 98,1% para as galáxias, 97,8% para as estrelas e 96,6% para os quasares. A distância estimada da galáxia tem precisão de quase 3%. Mapa da densidade do universo (Imagem: Reprodução/University of Hawaii at Manoa) Robert Beck, principal autor do estudo e pós-doutor em cosmologia no Instituto para Astronomia (IfA) da universidade, explica o processo: "com um algoritmo de otimização de última geração, nós nivelamos o treinamento do conjunto espectroscópico de quase 4 milhões de fontes de luz para ensinar a rede neural a prever tipos de fontes e distâncias de galáxias, enquanto corrigia a extinção de luz causada pela poeira na Via Láctea". O maior mapa anterior do universo foi criado pelo Sloan Digital Sky Survey (SDSS), que cobre apenas um terço do céu — desta vez, o catálogo dobrou a área observada, tem estatísticas mais confiáveis e tem áreas que não foram observadas no outro projeto. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- István Szapudi, astrônomo e co-autor do estudo, ressaltou a importância do trabalho anterior: "mesmo cobrindo uma área muito menor, a versão preliminar do catálogo facilitou a descoberta do maior vazio do universo e a possível causa da Mancha Branca. O novo, mais preciso e maior catálogo será o ponto de partida para muitas descobertas futuras". O diretor do Pan-STARRS e astrônomo associado do IfA, Ken Chambers, diz que este mapa do universo é um exemplo de como a força conjunto de dados do Pan-STARRS pode ser multiplicada com técnicas de inteligência artificial e observações complementares. "Conforme o Pan-STARRS coleta cada vez mais dados, vamos utilizar machine learning para extrair ainda mais informações dos objetos perto da Terra, do Sistema Solar, da nossa galáxia e universo", finaliza. O catálogo 3D resultado do estudo está disponível como um produto científico no arquivo Mikulski Archive for Space Telescopes. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Positivo anuncia novo celular Q20 com promoção no Amazon Prime Day Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Veja Mais

Criminosos registram domínios maliciosos para fraudar durante o Amazon Prime Day

canaltech Entre os dias 13 e 14 deste mês, a Amazon promoverá a mais nova edição do Amazon Prime Day, um festival de ofertas exclusivas para clientes associados ao programa Prime. Como todo e qualquer evento de compras massivas, o feirão já está sendo explorado por criminosos cibernéticos no intuito de lesar internautas desavisados que pretendem usufruir das promoções oferecidas pelo marketplace global. Amazon Prime Day | Aproveite grandes descontos em evento inédito no Brasil Criminosos enganam internautas com domínios falsos da Netflix, Apple e outros Cuidado: Pix já é alvo de golpistas com ofertas de falsos pré-cadastros Segundo um levantamento feito por pesquisadores da Check Point, diversos domínios maliciosos foram registrados ao longo dos últimos meses contendo os termos “amazon” e “prime”, o que significa que os estelionatários já estão se preparando para espalhar campanhas de phishing e disseminar páginas falsas com ofertas tentadoras. Os especialistas garantem que pelo menos 20% das URLs são maliciosas. “Detectamos um aumento muito significativo no número de domínios maliciosos que imitam a marca Amazon aproveitando o Prime Day. Antes de os usuários navegarem pelas ofertas no site, é importante que eles estabeleçam uma senha forte, não compartilhem informações confidenciais em sua conta Amazon e verifiquem detalhadamente se o nome de domínio está correto”, explica Omer Dembinsky, diretor de inteligência de dados da companhia. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Uma vez tendo um domínio registrado, os meliantes são capazes de espalhar ofertas falsas. Usuários desatentos podem cair na armadilha e realizar a compra de um item que nunca lhe será entregue — e, para piorar, dar de bandeja aos ladrões dados pessoais e bancários como número de seu cartão de crédito e endereço residencial. “É fundamental estar ciente de que os cibercriminosos também estão se preparando para o Amazon Prime Day, portanto, clicar no link errado pode colocar as informações pessoais em risco e, até mesmo, levar a perdas financeiras, entre outros danos”, complementa Dembinsky. Para ter uma ideia de quanto dinheiro o evento movimenta, vale lembrar que, em 2019, o Prime Day atingiu a marca de incríveis US$ 7 bilhões em vendas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Positivo anuncia novo celular Q20 com promoção no Amazon Prime Day Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Veja Mais

Eleições 2020: 57% dos moradores de SP são a favor da cota para negros

O Tempo - Política A cota foi estipulada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e, devido a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), passa a valer já nas eleições deste ano Veja Mais

Como adicionar saldo em sua conta do PayPal

canaltech O PayPal (Android | iOS | Web) é uma ótima plataforma para realizar pagamentos online com facilidade. O Serviço, pode ser um grande aliado durante suas compras online até mesmo sem cartão de crédito, funcionando como uma carteira digital. O que é o PayPal? Saiba tudo sobre a plataforma de pagamentos Como usar o PayPal para pagar corridas no Uber Como cadastrar e usar um cartão de débito no PayPal pelo celular Além disso, é possível adicionar saldo em sua conta do PayPal para realizar transações de valores e pagamentos de serviços de maneira totalmente digital e remota. Confira a seguir como adicionar saldo no PayPal. Como usar o PayPal no Uber Eats Como pagar jogos da Steam com sua conta PayPal Mercado Pago: como usar o saldo para compras no Mercado Livre O seguinte tutorial foi realizado através do site oficial do PayPal. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Como adicionar saldo em sua conta do PayPal Passo 1: acesse sua conta do PayPal através do site oficial da plataforma. Em seguida, na categoria "Saldo do PayPal" para adicionar saldo em sua conta, clique em "Adicionar saldo com boleto"; Clique em "Adicionar saldo com boleto" - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Passo 2: então insira qual será o valor adicionado a sua conta, depois clique em "Continuar"; Insira o valor que será adicionado a sua conta - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Caso essa seja sua primeira vez adicionando saldo a sua conta, será necessário confirmar alguns dados na plataforma, para isso toque em "Continuar"; Clique em "Continuar" - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Passo 3: após a confirmação, seu boleto terá sido gerado com sucesso. Através dessa página, você poderá exibir, imprimir ou baixar seu boleto bancário; Então você poderá visualizar ou baixar seu boleto bancário - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Passo 4: por fim, seu boleto também será encaminhado ao seu e-mail. É possível acompanhar o status atual da confirmação de seu pagamento na página inicial do PayPal. Para isso, basta visualizar a categoria "Atividades recentes"; Você pode acompanhar o status de seu pagamento através da página inicial do PayPal - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Pronto! Agora você sabe como adicionar saldo em sua conta do PayPal. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Positivo anuncia novo celular Q20 com promoção no Amazon Prime Day Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Veja Mais

Fusões de buracos negros poderiam gerar lentes gravitacionais; entenda

canaltech Eventos de lentes gravitacionais já são relativamente comuns na astronomia, e são usados para observar objetos cósmicos muitos distantes que, de outra forma, não poderiam ser muito bem analisados. Mas, teoricamente, pode haver outro tipo de lente gravitacional: as lentes criadas por ondas gravitacionais, e um novo estudo tenta provar isso. Novas lentes gravitacionais são encontradas graças à inteligência artificial Esta é a galáxia mais distante já detectada sem o uso de lentes gravitacionais Galáxia de 12 bilhões de anos desafia o que sabemos sobre o universo primitivo As lentes são produzidas naturalmente, ou seja, não é possível criar uma lente gravitacional no espaço. Elas acontecem quando um objeto massivo — uma galáxia, por exemplo — distorce o caminho da luz de outro objeto mais distante — digamos que seja uma estrela. O campo gravitacional de um corpo atrai outros corpos compostos por matéria, mas em termos cósmicos, isso significa que uma distorção do espaço está ocorrendo em direção ao objeto massivo. Quando isso acontece, o caminho da luz também pode ser distorcido. Galáxias são objetos muito massivos. Por isso, quando vemos uma galáxia distante (vamos chamá-la de A) na frente de outro objeto que seja uma fonte de luz (vamos chamá-la de B), pode ser que uma lente gravitacional aconteça. Se isso ocorrer, a luz de B será distorcida ao passar perto de A enquanto viaja até nós (lembre-se que só podemos enxergar A e B se a luz desses objetos puder viajar até chegar na Terra). -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Pois bem, quando a lente gravitacional ocorre, é possível usá-la para observar B, que no nosso caso é uma estrela muito mais distante que A. Isso já é conhecido pelos astrônomos há algum tempo e é usado para observar galáxias antigas, por exemplo. A imagem explica a lente gravitacional, fenômeno que resulta na distorção da luz em torno de um objeto de grande massa. As linhas brancas mostram o caminho da luz de uma fonte distante até um observador aqui na Terra, e as linhas laranjas mostram as posições aparentes do objeto para o observador (Imagem: Reprodução/NASA) Ondas gravitacionais também podem ser produzidas conforme a matéria se move através do espaço, como ondulações em um lago criadas quando um barquinho de brinquedo navega na água, ou quando atiramos uma pedra. A maioria dessas ondulações gravitacionais são muito sutis para serem encontradas, mas ondas fortes causadas por colisões entre de buracos negros já são detectadas por instrumentos sensíveis na Terra. Ao observar as ondas de várias fusões de buracos negros, os cientistas confirmaram elas viajam à velocidade da luz, exatamente como previsto pela lei da relatividade geral de Einstein. Isso significa que a gravidade também pode desviar as ondas. Então, poderiam existir lentes de ondas gravitacionais? Teoricamente, sim. Ondas gravitacionais e a luz viajam com a mesma velocidade constante e seus caminhos podem ser distorcidos e desviados porque essa velocidade é finita. Se uma galáxia (vamos chamá-la novamente de A) deforma o espaço ao redor enquanto uma parte de onda gravitacional estiver perto do objeto, ela consequentemente terá que seguir o caminho que essa deformação aconteceu. Portanto, ela viajará um pouco mais do que o resto da onda que está se propagando em outras partes do universo e será desviada em direção à massa de A. Isso significa que se dois buracos negros colidirem, enviando uma explosão de ondas gravitacionais, essas ondas podem sofrer o mesmo efeito de lentes de A. O problema é que isso pode ser muito difícil de se detectar. A equipe de cientistas que analisou esse possível efeito encontrou algumas coisas interessantes, como o fato de que as lentes de ondas gravitacionais fariam com que a fonte da onda original (no nosso exemplo, a colisão entre dois buracos negros) parecesse mais próxima do que realmente é. Se for verdade, isso pode ter implicações significativas para os astrônomos, já que eles usam essas distâncias para medir a taxa de expansão do universo. O espaço distorcido pela gravidade de um objeto muda a distância que a luz de um objeto mais distante deve viajar (Imagem: Reprodução/APS/Alan Stonebraker) Felizmente, as fusões de buracos negros que instrumentos como o LIGO e VIRGO detectaram até agora não emitiram nenhuma onda gravitacional com lentes. Seria muito interessante descobrir que já detectamos algo assim, mas isso significaria que os cientistas interpretaram os dados erroneamente ao usá-los para medir coisas como a taxa atual expansão do cosmos. Provavelmente, os cientistas só serão capazes de detectar ondas gravitacionais com lentes quando observatórios de ondas gravitacionais mais sensíveis estiverem disponíveis. Até lá, estudos como este podem mostrar como as ondas podem fornecer informações ricas aos astrônomos, justificando assim mais investimento nesse tipo de observatório. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Positivo anuncia novo celular Q20 com promoção no Amazon Prime Day Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Veja Mais

CT News - 09/10/2020 (Vazam preços, cores e datas do iPhone 12)

canaltech No CTN de hoje: iPhone 12 | Preços, datas e cores surgem em vazamento dias antes de anúncio; Samsung confirma detalhes do Exynos 1080, o 1º chip de Android de 5 nm do mundo; COVID-19 | Imunidade de rebanho é pouco provável no BR, apontam cientistas e mais. Ouça ao podcast. Veja Mais

Detonautas Roque Clube lança 'Mala Cheia', música inédita

O Tempo - Diversão - Magazine Com a faixa, o grupo anuncia ter chegado a 16 composições lançadas sob o norte de temáticas sociais ou políticas Veja Mais

Toquinho lança single com participação da cantora Maria Rita

O Tempo - Diversão - Magazine A música “Papo Final”, cantada em dueto, chega às plataformas de música, pela Deck Veja Mais

Caixa volta a pagar auxílio e FGTS emergencial na terça (13)

O Tempo - Política As agências ficarão fechadas em todo o país neste sábado e na segunda-feira (12) Veja Mais

Mudou o retweet? Twitter testa nova estratégia de compartilhamento no Brasil

canaltech O Twitter começou a testar nesta sexta-feira (9) um novo tipo de compartilhamento de tuítes no Brasil. A iniciativa tem como objetivo estimular as pessoas a escreverem comentários sobre os assuntos que estão compartilhando, em vez de somente disseminá-los na rede social. 12 funções pouco conhecidas do Twitter que você precisa conhecer Como alterar o idioma do Twitter no celular Como mudar a senha do Twitter pelo celular e PC Disponível apenas para a versão para navegadores do Twitter, a novidade pode ser acessada ao clicar no ícone de retuitar, como é possível observar na imagem abaixo. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Os usuários serão redirecionados diretamente para o campo de composição, onde poderão escrever algum tipo de avaliação sobre o conteúdo antes de retuitá-lo. Quem ainda quiser compartilhar apenas a publicação, sem nenhum tipo de comentário, basta clicar em retuitar normalmente. Tal como acontece nos Estados Unidos, o Brasil foi um dos países escolhidos para os testes do recurso devido ao período de eleições municipais, segundo o Twitter. "A ideia é aprender mais sobre o impacto dessa função no ritmo e na escala da disseminação de informações enganosas", disse a rede social em comunicadol Caso o recurso se prove útil após o período das eleições norte-americanas, a promessa é de disponibilizá-lo para todos os usuários do Twitter no mundo. Combate à desinformação Além do novo tipo de compartilhamento, o Twitter também começou a testar uma nova ferramenta para conter a disseminação de fake news na rede social. Chamado de Birdwatch, a funcionalidade vai permitir que os usuários incluam anotações às mensagens publicadas na plataforma. A ideia é que os usuários possam contestar uma eventual informação enganosa, adicionando dados, links de notícias verdadeiras ou que tragam contexto à publicação. Confira mais detalhes de como a ferramenta funcionará no link abaixo: Twitter testa nova ferramenta para conter desinformação e fake news O que você achou do novo tipo de compartilhamento do Twitter? Conte-nos abaixo, nos comentários! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira iPhone 12 | Preços, datas e cores surgem em vazamento dias antes de anúncio Veja Mais

Agenda Netflix: estreia de A Maldição da Mansão Bly e de mais 24 títulos

Agenda Netflix: estreia de A Maldição da Mansão Bly e de mais 24 títulos

Tecmundo Faça chuva ou faça sol, seu final de semana está garantido com diversas novas séries e filmes da Netflix, que chegam à plataforma toda semana e que nós te mostramos aqui no quadro Agenda Netflix. Vamos descobrir o que assistir na Netflix nesta semana?Desta vez, o grande destaque vai para a sequência de A Maldição da Residência Hill: a série A Maldição da Mansão Bly. O seriado de terror é um dos mais aguardados do ano e tem tudo para não decepcionar os fãs da antologia.Leia mais... Veja Mais

Cantora Vanusa recebe alta após 32 dias internada em hospital

O Tempo - Diversão - Magazine De acordo com a assessoria de imprensa da cantora, ela voltou para a casa de repouso, também em Santos, onde já mora há dois anos Veja Mais

'Volto rápido' e 'tô apavorado': as últimas mensagens de vítimas da Covid-19

Glogo - Ciência Familiares de pessoas que morreram em razão do coronavírus relatam a saudade e mostram algumas das últimas conversas que tiveram, por meio de mensagens de texto. Pouco antes de ser intubada, a médica Monique Batista enviou mensagens ao noivo Arquivo Pessoal "Eu volto rápido", escreveu a médica Monique Batista, de 29 anos, em mensagem enviada ao marido por meio do WhatsApp, pouco antes de ser intubada. Semanas depois, ela morreu em decorrência das complicações da Covid-19. Monique é uma das milhares de vítimas do novo coronavírus no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, o país já registrou quase 150 mil mortes pela Covid-19 — o primeiro óbito ocorreu em 12 de março, conforme a pasta. Em todo o mundo, mais de 1 milhão de pessoas já morreram em decorrência da doença causada pelo coronavírus. O Brasil é o segundo país com mais óbitos pela Covid-19, atrás apenas dos Estados Unidos, que já registraram mais de 210 mil mortes. Em meio aos números de mortos pelo vírus, há a noiva do Arthur, o irmão da Ana Claudia, o filho mais velho de Elisangela, a madrinha da Clara, a amiga da Cristina e tantas outras histórias. Aos familiares e amigos das vítimas da Covid-19, restam a saudade e as lembranças. Em decorrência do isolamento imposto a pacientes com o coronavírus e da intubação adotada em casos graves, milhares de pessoas não conseguiram dar o último adeus. Para muitos parentes e amigos, as mensagens trocadas por meio de aplicativos estão entre as últimas recordações. À BBC News Brasil, pessoas que perderam entes queridos mostram algumas das últimas mensagens trocadas, que ajudam a dar dimensão humana à tragédia por trás dos números. 'Volto rápido' Monique e Arthur eram noivos e moravam juntos. "A gente se amava muito, nunca imaginei perdê-la", lamenta o rapaz. Arquivo Pessoal Monique Batista se formou em Medicina na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) em meados de 2019. Desde o início da pandemia de Covid-19, ela estava na linha de frente do combate à doença, na cidade de Campo Verde (MT). "O sonho da vida dela, desde a infância, sempre foi ser médica. Ela era extremamente prestativa e, mesmo sendo asmática, nunca pensou em parar de trabalhar quando a pandemia começou", diz o engenheiro agrônomo Arthur Varmeling, noivo da médica. Em 11 de julho, Monique teve uma intensa falta de ar. Ela acreditou que fosse uma crise de asma. Após passar por exames, foi diagnosticada com a Covid-19 e precisou ser internada. Segundo o noivo, 60% dos pulmões dela já estavam comprometidos. A asma é apontada por algumas entidades médicas como um fator que pode agravar o quadro de Covid-19. Há estudos, porém, que consideram que a doença não costuma representar um risco maior de complicações pelo coronavírus. No caso de Monique, segundo Arthur, os médicos consideraram que a asma agravou duramente a situação dela. Ele conta que a falta de ar foi o principal sintoma da noiva. A situação da médica piorou. Em 14 de julho, ela encaminhou mensagens ao noivo antes de ser levada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Primeiro, Monique pediu que ele cuidasse da irmã caçula dela, Letícia, de 26 anos. "Seja apoio", escreveu. Em seguida, a médica disse que logo retornaria para casa. "Eu volto rápido. Eu prometo", afirmou, por meio de mensagens de texto. Pouco antes de ser levada para a UTI, ela perguntou sobre a mãe, que ainda não sabia que a filha seria intubada. "Estou raciocinando, tentando ser o mais calmo possível para pensar em como falar com a sua mãe", respondeu o noivo. Para Arthur, as últimas mensagens de Monique mostram o quanto ela se preocupava com a família. "Ela era inspiração e força para a mãe e para a irmã", diz o engenheiro agrônomo. Naquela tarde de 14 de julho, Monique foi intubada na UTI de um hospital particular em Cuiabá. Ela permaneceu sob cuidados intensos durante quase um mês. "Foram dias conturbados, de muita oração e lágrimas", resume Arthur, que também teve a Covid-19, mas apresentou sintomas considerados leves. Segundo o noivo, o quadro dela se tornou ainda mais grave após ela contrair uma infecção hospitalar na UTI. Monique morreu em 10 de agosto. "Tem sido um período muito difícil", diz o engenheiro agrônomo. Ele e Monique estavam juntos havia um ano e quatro meses. "A gente se amava muito. Nunca imaginei perdê-la", lamenta. "Por toda a minha vida, vou cuidar da mãe e da irmã dela, como ela havia me pedido", afirma Arthur. 'Tô apavorado' Felipe Garcia, de 36 anos, estava assustado após apresentar sintomas da Covid-19, no início de setembro. Em algumas de suas últimas mensagens, expressou o medo da doença. "Ora por mim. Tô apavorado", escreveu Felipe, em mensagens enviadas à irmã, a auxiliar comercial Ana Cláudia Garcia, na madrugada de 7 de setembro. Na data, o estado de saúde dele havia piorado. Em mensagens enviadas (nos balões brancos) dias antes de morrer, Felipe manifestou medo com os sintomas que teve da Covid-19 Reprodução A família acredita que ele, que era gerente comercial e morava em Tramandaí (RS), contraiu o vírus em uma viagem a trabalho. Dias antes de apresentar os primeiros sintomas, Felipe dormiu na casa da irmã e do cunhado, em Gravataí, também no Rio Grande do Sul. "Depois que o meu irmão foi embora, eu e meu esposo apresentamos sintomas, mas nos recuperamos. Acredito que o Felipe já estava com o vírus, ainda não tinha sintomas e transmitiu para a gente", explica Ana. Logo que apresentou sintomas, Felipe passou a contar aos parentes sobre a sua situação. "Desde os primeiros sintomas, o meu irmão procurou uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) em Tramandaí, mas foi liberado. Receitaram os remédios e disseram para ele ficar em casa", relata Ana. Uma tomografia apontou, segundo a irmã, que 70% dos pulmões de Felipe haviam sido comprometidos pela Covid-19. "Ele estava gordo e acredito que isso piorou ainda mais a situação. Mesmo com as dificuldades dele, não quiseram interná-lo", critica Ana. Distante do irmão, ela conta que ficou muito preocupada com ele. "Fiquei nervosa e com medo. Até pensei em buscá-lo em Tramandaí, mas ele não quis", relata. "Sempre tive uma ligação forte com o meu irmão. Ele era uma parte de mim. Foi quem me ensinou a andar de bicicleta, dormiu comigo quando eu tive medo e era uma pessoa que eu sabia que podia ligar a qualquer hora", relata. Nos dias 7 e 8 de setembro, Felipe contou à família, por meio de mensagens, que estava com muitas dificuldades para respirar, além de sintomas como febre e vômito. Para Ana, as mensagens nas quais o irmão manifesta o desespero em razão dos sintomas da Covid-19 ilustram as duras consequências que a doença pode ter. "Me senti impotente. Toda a minha família está acabada com tudo isso", lamenta. Ela conta que o ultimo contato que teve com Felipe foi por meio de videochamada, por volta das 18h de 8 de setembro. "No mesmo dia, ele também conversou com a nossa mãe, com uma tia e com o filho dele (de três anos)", detalha Ana. A situação de Felipe piorou. Os parentes contam que ele procurou ajuda médica na UPA de Tramandaí, novamente, na madrugada de 9 de setembro. Horas depois, ele não resistiu e faleceu na unidade de saúde. Na certidão de óbito consta que ele morreu em decorrência de síndrome respiratória aguda grave e cita a suspeita de Covid-19, confirmada dias depois. "Se ele tivesse recebido o atendimento médico adequado, provavelmente teria sobrevivido", declara Ana. "Na UPA, nos disseram que não o intubaram porque ele estava muito gordo. Falaram que fizeram tudo o que podiam pelo meu irmão. Porém, penso que foram muito negligentes com ele", acrescenta. A BBC News Brasil questionou a Prefeitura de Tramandaí sobre o atendimento dado a Felipe, mas não obteve respostas até a conclusão desta reportagem. 'Quero rosas brancas em meu caixão' Entre as últimas mensagens do técnico de enfermagem Klediston Kelps, de 22 anos, havia um pedido sobre o arranjo de flores que ele queria em sua despedida. "Quero rosas brancas enfeitando o meu caixão e apenas uma vermelha", escreveu para a mãe, por meio do WhatsApp, antes de ser intubado na UTI. O jovem disse a ela, em mensagem de texto, que sabia que não sobreviveria à Covid-19. "Está sendo pessimista!", respondeu a mãe dele, a técnica de enfermagem Elisangela da Silva Faria, de 40 anos, em uma tentativa de tranquilizar o filho mais velho. De acordo com a mãe do jovem, as mensagens foram encaminhadas na noite de 18 de julho. Klediston morreu uma semana depois. O rapaz estava na linha de frente do combate à Covid-19 em Primavera do Leste (MT), onde morava. A família acredita que ele contraiu o vírus no trabalho. Ao todo, ele passou um mês internado em uma unidade de saúde de Primavera do Leste. Desde que deu entrada no hospital até momentos antes de ser levado para a UTI, Klediston conversou com frequência com a mãe. "Nunca vou me acostumar a ficar sem o meu filho. É uma dor que nunca vai passar", diz Elisangela. Ela, que tem outros dois filhos, conta que era inspiração para o jovem, que decidiu seguir na mesma profissão da mãe. Klediston, que estava prestes a concluir o curso superior de Enfermagem, tinha diversos sonhos e um dos principais objetivos dele, segundo a mãe, era ser um bom profissional na área da saúde. "Perder meu filho foi pior que perder a minha vida. Ajoelhei e pedi a Deus que me levasse e não levasse ele. Hoje, as pessoas podem me olhar sorrindo e vivendo aparentemente normal, mas eu não sou mais a mesma pessoa", diz à BBC News Brasil. "Quando não estou ocupada, estou chorando. Fico lembrando dele o tempo todo", lamenta. Elisangela conta que não conseguiu levar o arranjo pedido pelo filho quando o enterrou, em um sábado. "Eu tive poucas horas para enterrá-lo. Foi tudo muito rápido", explica. Dois dias depois, ela cumpriu o desejo de Klediston. "Arrumei as flores, como ele tinha pedido, e levei ao cemitério", diz a mãe do jovem. Segundo Elisangela, Klediston escolheu as flores como forma de homenagear a família. "O pai dele, que morreu quando o meu filho ainda era bebê, sempre me dava rosas brancas. Ele (Klediston) sabia dessa história. E a rosa vermelha foi escolhida por causa de uma tatuagem que tenho em meu braço esquerdo", diz. 'Nada de pânico' Em suas últimas mensagens, a médica Terezinha Aparecida de Matos, de 64 anos, confessou à cunhada que estava com medo das consequências da Covid-19. Apesar disso, tentou tranquilizar a irmã, Elizete, e pediu calma. Filha mais velha, Terezinha era considerada um exemplo para os irmãos, Maurício e Elizete, e para o pai, de 90 anos — a mãe já havia falecido. Na juventude, foi técnica de enfermagem. "Com esse trabalho, a doutora Terezinha conseguiu pagar o curso de Medicina e depois a especialização (em Neurologia)", diz a cunhada dela, a professora Elaine Stande. A médica trabalhava no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo (SP), e estava na linha de frente do combate à Covid-19. A família acredita que ela foi infectada em meio a algum plantão durante a pandemia. Ela foi internada em 11 de maio, quando apresentou problemas de saúde em decorrência da Covid-19. Segundo a família, Terezinha não tinha doença pré-existente. Em 15 de maio, quando já estava na UTI, ela se comunicou com a família pela última vez, por meio do WhatsApp. Nas últimas mensagens enviadas à irmã, a médica contou que dormiu de bruços, técnica que ajuda muitos pacientes no combate a doenças respiratórias graves. Terezinha relatou que, mesmo com a terapia, apresentou saturação baixa de oxigênio e teve de ser levada para a UTI. "Não estou na intubação, claro, mas não descartam", escreveu a médica. Ela pediu calma à irmã e explicou que foi levada à UTI como uma medida de prevenção. "Nada de pânico", disse a Elizete. A médica escreveu que esperava que o seu quadro de saúde não piorasse em decorrência do que ela chamou de "vírus maldito". Pouco após as mensagens para a irmã, Terezinha conversou por mensagens com a cunhada. No diálogo, a médica desabafou sobre o medo que estava sentindo. "Oi, estou na UTI. A Zete (irmã de Terezinha) entrou em pânico. Ela faz perguntas que não tenho como responder. Ninguém conhece essa doença e eu não tenho como ajudá-la agora. Nem sei o que falar. Tô em pânico", escreveu a médica, nas mensagens enviadas a Elaine. Dias depois do último diálogo com a família, Terezinha foi intubada. As complicações da Covid-19 pioraram cada vez mais. Em 10 de junho, ela não resistiu. Elaine considera que as últimas mensagens de Terezinha à irmã mostram o cuidado que a médica tinha com a família. "Ela protegia muito a irmã e o pai. Ela guardava as preocupações e os problemas para protegê-los. Tanto que quando ela foi internada, sempre pediu para a equipe entrar em contato comigo, não com a irmã ou com o pai, para protegê-los", diz. Meses depois da morte de Terezinha, a família ainda vive com a intensa dor da perda. "As lembranças e a saudade vêm muito à tona", diz a cunhada da médica. Filha de Elaine, a pequena Clara, afilhada de Terezinha, ainda está aprendendo a lidar com a saudade. Em sua última mensagem para a tia, a garota, de nove anos, havia desejado melhoras. "E quando melhorar, vamos sair juntas", escreveu a menina. "Se Deus quiser, fofura. E quando tudo isso acabar, tudo será muito diferente", respondeu Terezinha. Apesar do medo, a médica acreditava que poderia receber alta e concretizar um sonho antigo: ver a conclusão das obras de sua casa. "A doutora Terezinha trabalhava muito para terminar essa construção, que era um sonho dela. Ela passou uma década focada nisso, para dar conforto ao pai e à irmã. Mas a doutora não conseguiu ver a entrada da garagem, que era a última coisa que faltava", comenta a cunhada da médica. "A Terezinha não merecia trabalhar tanto e usufruir tão pouco disso", lamenta Elaine. 'Tá pertinho (para a chegada do bebê da amiga)' Em 12 de abril, a médica Carolina Barros Patrocínio, de 29 anos, enviou um áudio à amiga Cristina Abreu, que estava grávida. Na mensagem, encaminhada pelo WhatsApp, Carolina comemorou a aproximação do nascimento do bebê da amiga. "Você fala dia 21 (de abril) e parece tão longe, porque a gente perde a noção do tempo. Mas quando você fala que é na outra terça, sem ser esta, está pertinho", disse no áudio. Carolina tinha lúpus, doença inflamatória autoimune, e teve de se afastar dos atendimentos médicos em abril, em decorrência da pandemia. "Ela tomava imunossupressores fortíssimos. Então, se ela pegasse a Covid-19 poderia ser fatal. Por isso, a médica que a acompanhava pediu que ela se afastasse dos atendimentos", diz Cristina. Quando mandou o último áudio para a amiga, Carolina estava em isolamento em casa, no Rio de Janeiro (RJ). Ela e Cristina se conheciam desde a adolescência e moravam no mesmo condomínio. "A Carol era como uma irmã que eu nunca tive. Quando ela passou no vestibular de Medicina, na Universidade Federal do Rio de Janeiro, foi uma alegria absurda. Quando ela concluiu a universidade também foi um momento muito feliz", diz Cristina, que é médica veterinária. O áudio foi o último contato por mensagens de WhatsApp. Depois, as amigas se falaram por diversas vezes por meio de ligações e até pessoalmente. "Como a gente morava no mesmo prédio e eu estava isolada por conta da gravidez, aguardando o parto, nos vimos algumas vezes antes de ela ser internada", comenta Cristina. Em 19 de abril, Carolina foi internada em um hospital particular do Rio de Janeiro, em razão de complicações do lúpus. "Quando ela deu entrada no hospital, foi testada para a Covid-19 e o resultado deu negativo", comenta Cristina. Dias depois, a médica começou a ter febre intensa e passou a ter convulsões constantes, que não conseguiam ser controladas com remédios. Um novo exame, então, atestou que ela havia sido infectada pelo coronavírus. A família acredita que a médica contraiu o vírus no hospital. Em razão das complicações que enfrentava pelo lúpus, a Covid-19 logo se agravou. Carolina foi intubada em 25 de abril. Em 12 de maio, ela morreu. "A minha filha era conhecida pelo sorriso radiante, mesmo nos momentos difíceis. Ela era generosa e fazia amigos por onde passava. Apesar do vazio que ela me deixou, me conforta saber que ela foi feliz durante a sua vida", declara a dona de casa Claudia Barros Patrocínio, mãe da médica. O filho de Cristina nasceu em 21 de abril. Carolina nunca soube da notícia, pois na data já estava inconsciente, em razão dos medicamentos. Cristina lamenta não ter compartilhado um dos momentos mais importantes de sua vida com a amiga. Ela também não conseguiu contar a Carolina uma notícia que estava guardando para compartilhar após o parto. "Eu iria chamar a Carol para ser a madrinha do meu filho", lamenta. "O coronavírus roubou o direito do meu filho de ter uma madrinha e roubou o direito da mãe da Carol de ter a sua filha por perto. Ele roubou a alegria de uma família inteira. Esse vírus é real e as pessoas precisam acreditar nisso", diz Cristina. Veja Mais

Celular Positivo Q20 é lançado com 128 GB de armazenamento

Celular Positivo Q20 é lançado com 128 GB de armazenamento

Tecmundo Ampliando o seu portfólio de celulares, a Positivo lançou, nesta sexta-feira (9), o Q20, novo modelo top de linha da marca. Ele tem o armazenamento interno de 128 GB como principal diferencial, capacidade geralmente restrita a aparelhos de faixas de preço mais elevadas, além de trazer design com acabamento em vidro, laterais cromadas e conjunto de três câmeras na traseira.Smartphone mais avançado da fabricante nacional, o Positivo Q20 possui tela IPS de 6,1 polegadas, com resolução HD+ e bordas finas para um melhor aproveitamento de conteúdos visuais. O processador é o ARM Cortex A55, de oito núcleos e 1,6 GHz de frequência, trabalhando em conjunto com 4 GB de memória RAM.Leia mais... Veja Mais

Como fazer ligação internacional, interurbana e a cobrar no celular

canaltech Enquanto chamadas de áudio através da internet ganham cada vez mais espaço, as tradicionais ligações telefônicas ainda continuam sendo importantes no cotidiano dos brasileiros. É comum que os aparelhos celulares já salvem os contatos de forma que facilite as ligações interurbanas e até mesmo internacionais. Há, ainda, a opção de realizar uma ligação a cobrar. Mas você sabe fazer isso manualmente? Como bloquear ligações irritantes no seu celular Android Como bloquear ligações de alguns contatos no iPhone Veja como gastar menos com a operadora de celular durante viagens internacionais A quantidade de códigos que precisam ser inseridos pode causar confusão, mas é simples realizar qualquer tipo de chamada telefônica. Alguns números, no entanto, precisam ser utilizados: o Código de Seleção de Prestadora (CSP), popularmente conhecido como o código da operadora de telefonia utilizada; o prefixo da cidade (DDD) para ligações interurbanas; o código do país (DDI) e o código da área ou cidade para ligações internacionais. Confira o passo a passo para cada uma! Como fazer ligação interurbana Em seu aparelho, digite "0" + código da operadora telefônica + DDD da cidade; Insira o código da operadora e o DDD (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Em seguida, complete com o número do telefone. Complete com o número (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Como fazer ligação internacional Digite "00" + código da operadora telefônica + DDI do respectivo país + código da cidade internacional. Nesse caso, foram usados o DDI da Argentina (54) e o código da cidade de Buenos Aires (11); Ligação internacional requer mais informações (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Em seguida, digite o número telefônico; Inclua o número depois dos códigos (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Como fazer ligação a cobrar No caso de uma ligação local, basta digitar "9090" antes do número do telefone; Disque "9090" para ligação a cobrar (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Em ligações interurbanas, é necessário inserir "090" + código da operadora + DDD + número de telefone. Insira o DDD em chamadas interurbanas (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Já precisou fazer uma ligação internacional? Comente a experiência! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Afinal, dá para pegar COVID pelo ar? O que dizem os cientistas e, agora, o CDC Instalação do Windows 10 deve passar por sua maior transformação em anos Galaxy A42 | 5G acessível da Samsung tem especificações confirmadas; confira iPhone 12 | Preços, datas e cores surgem em vazamento dias antes de anúncio Veja Mais