Meu Feed

Últimos dias

Pan convoca AGE para eleger Celso Barbosa para o conselho

Valor Econômico - Finanças Executivo foi indicado pela Caixa, que controla o Banco Pan em conjunto com o BTG Pactual O Banco Pan convocou uma assembleia geral extraordinária para 14 de dezembro, para votar a proposta de eleição de Celso Leonardo Derziê de Jesus Barbosa para o conselho de administração. Ele foi indicado pela Caixa, que controla o Pan em conjunto com o BTG Pactual. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Ribeirão Preto: Duarte Nogueira tem 61%, e Suely Vilela, 39%, aponta Ibope

O Tempo - Política Levantamento foi feito entre os dias 27 e 28 de novembro Veja Mais

Votos válidos Campinas: Dário Saadi tem 55% e Rafa Zimbaldi, 45%, aponta Ibope

O Tempo - Política Levantamento foi feito entre os dias 27 e 28 de novembro Veja Mais

Em Belém, Edmilson Rodrigues tem 58% e Delegado Eguchi, 42%, aponta Ibope

O Tempo - Política Levantamento foi feito entre os dias 26 e 28 de novembro Veja Mais

Estes produtos de Metal Gear Solid farão qualquer um virar Snake

Estes produtos de Metal Gear Solid farão qualquer um virar Snake

Tecmundo Em parceria com a companhia de moda japonesa Super Groupies, a Konami lançou uma linha de produtos e acessórios inspirados em Metal Gear Solid, trazendo a essência da renomada franquia para o cotidiano dos fãs.Entre os itens temáticos, é possível encontrar as clássicas botas dos membros das forças especiais Fox Hound, todas fabricadas em um material reforçado de cor cinza. Os acessórios incluem a marca da organização em seus interiores e estarão à venda pelo preço sugerido de US$ 190 (aproximadamente R$ 1 mil).Leia mais... Veja Mais

Ellen Roche assume namoro com Tarzan, de "Haja Coração"

O Tempo - Diversão - Magazine Guilherme Chelucci é o primeiro relacionamento oficial da atriz desde o fim do noivado dela em maio Veja Mais

PF prende “hackers do TSE” no Brasil e Portugal

PF prende “hackers do TSE” no Brasil e Portugal

Tecmundo A Polícia Federal deflagou neste sábado (28) a Operação Exploit com o objetivo de prender os membros do grupo hacker Cyberteam, que assumiram a autoria aos ataques aos bancos de dados e servidores do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 15 de novembro, data do primeiro turno da Eleições 2020.Os hackers vazaram dados do departamento de recursos humanos do TSE e também teriam realizado um ataque de DDoS nos servidores da instituição que impediu o funcionamento correto do e-Título na data em que ele seria mais útil para os eleitores.Leia mais... Veja Mais

Roqueiros setentões aquecem carreira na pandemia

O Tempo - Diversão - Magazine Eric Clapton, Mick Jagger, Elton John e outros surpreendem com agendamento de shows e lançamentos Veja Mais

Vendas da Black Friday 2020 crescem 25% em relação à edição do ano passado

canaltech Os dois dias da Black Friday 2020 (26 e 27 de novembro) fecharam com vendas totais de R$ 4,02 bilhões no e-commerce, informou neste sábado (28) a consultoria Ebit|Nielsen, especializada em análises do mercado varejista. Segundo a companhia, esse número representa um crescimento de 25,1% em relação ao ano passado. Melhores ofertas da Black Friday que ainda estão valendo Entre no grupo de WhatsApp e Telegram do Canaltech Ofertas Black Friday ou Cyber Monday, qual vale mais a pena? O levantamento aponta que foram mais de seis milhões de pedidos gerados, 15,5% superior a 2019, e um ticket médio de R$ 652, 8,3% maior do que o período anterior. Apenas na sexta-feira, o faturamento ficou em R$ 3,1 bilhões (+24,8%), impulsionado por 4,6 milhões de pedidos (+15,7%) e um ticket médio de R$ 679 (+7,8%) --todas as comparações com o mesmo dia do ano passado.   "Esquentas" devem ganhar força nos próximos anos A Ebit/Nielsen avaliou que a Black Friday 2020 mostrou um novo comportamento tanto do consumidor, quanto das empresas. Segundo Julia Avila, líder de Ebit|Nielsen, as ações de "esquenta" para a data deste ano ganhou muita relevância. "O e-commerce e as pessoas utilizaram todo o período de novembro para encontrar bons preços e fechar bons negócios", afirmou a executiva. "Isso mostra que um esquenta Black Friday mais forte é uma tendência para os próximos anos", previu. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Para se ter uma força de todo o período, entre 19 a 27 de novembro, o faturamento foi de R$ 6 bilhões, 30,1% a mais que as vendas de 2019, quando o valor registrado foi de R$ 4,6 bilhões. Nesses dias, incluindo o esquenta, foram gerados 10,63 milhões de pedidos, quase 20% superior a 2019.   "A pandemia fez os consumidores terem um comportamento diferente", explicou Avila. "As compras ficaram diluídas e o comércio eletrônico soube aproveitar o momento e fisgá-los com descontos, oportunidades e atratividades", Na avaliação da Ebit|Nielsen, vendas concentradas apenas em um ou dois dias faz o varejo perder dinamismo porque precisa mobilizar mais infraestrutura e funcionários em um período curto de tempo. "Com períodos maiores de tempo, o comércio se torna mais rentável e pode repassar melhores descontos nos preços", analisou a executiva. "Todos lucram no fim do dia". Black Friday 12 meses por ano Em um contexto de lojas físicas fechadas e isolamento social, o e-commerce registrou a sua maior alta histórica em 2020, com picos de crescimento nas datas sazonais, como Dia das Mães e dos Namorados. O mesmo se reflete nas buscas no Google. Em 2019, a semana da Black Friday foi o pico de buscas no Google para 72% das macro categorias do varejo. Neste ano, entre os dias 26 de agosto e 22 de setembro, 19 das 29 categorias analisadas pelo Google já registraram um volume de buscas que supera a Black Friday de 2019. Esse crescimento se divide em três tendências: Outros produtos tradicionais da temporada de compras, como TV e Vídeo, Telefonia e Eletrodomésticos, estão num patamar de buscas muito acima do registrado antes da pandemia, ainda que abaixo do pico da Black Friday de 2019;Categorias como Móveis e Decoração, que anualmente registrava o pico histórico de buscas no Google durante a Black Friday, se encontram num patamar acima - 22% e 51% respectivamente - do registrado na última edição do evento;Alimentos e Bebidas, que não registravam picos durante a Black Friday, estão hoje num novo patamar de buscas, 40% e 23% respectivamente acima da Black Friday de 2019. É possível aproveitar também os descontos da Cyber Monday Criado em 2005 nos EUA, a Cyber Monday acontece na primeira segunda-feira após o Dia de Ação de Graças (comemorado na América do Norte), sendo que, nesse ano, a ação se dará no próximo dia 30 de novembro. Ela também costuma trazer descontos agressivos - de até 80% - em diversos produtos e suas vendas são feitas exclusivamente online, com as ações de marketing acontecendo apenas nessa modalidade. Inicialmente, os principais produtos ofertados eram voltados para o seguimento de eletroeletrônicos, como celulares, notebooks, eletrodomésticos, consoles, games, periféricos de computador e muito mais. No entanto, com o passar do tempo ela passou a abranger novas categorias como brinquedos, moda e acessórios. E se você está procurando pelas melhores ofertas para aproveitar suas compras na Cyber Monday, o Canaltech é o lugar certo. Você pode acessar o site ou a extensão do Canaltech Ofertas (Web | Chrome Web Store) para comparar o histórico de preços dos produtos pesquisados e descobrir diferentes ofertas na internet. Além disso, nossa equipe promoverá uma live especial para a data na próxima segunda-feira (30), onde traremos os melhores descontos para aqueles itens que você está de olho já há algum tempo. Ela será transmitida em nosso canal no YouTube. Fique ligado! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Destaques da NASA: fotos astronômicas da semana (21/11 a 27/11/2020) Anvisa se posiciona após Doria afirmar que pode adotar CoronaVac sem aprovação Lançamentos da Netflix na semana (27/11/2020) Sony estaria banindo donos de PS5 que abusam da PlayStation Plus Collection Cientistas descongelam e ressuscitam vermes de mais de 42 mil anos atrás Veja Mais

Site do TSE passará por manutenção e serviços ficarão instáveis entre 16h30 e 19h30

Valor Econômico - Finanças Manutenção será feita para garantir "o pleno funcionamento" no dia de votação do segundo turno O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou neste sábado que o seu site oficial passará por “manutenção preventiva” e, por conta disso, alguns serviços oferecidos ao eleitor, como consulta ao local de votação e emissão de certidões, poderão ficar instáveis hoje, de 16h30 às 19h30. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Irã jura vingar cientista nuclear assassinado, mas descarta conflito imediato

Valor Econômico - Finanças Ao mesmo tempo, Israel se recusou a comentar as alegações iranianas de que estaria por trás do crime O presidente iraniano, Hassan Rouhani, acusou Israel de tentar desestabilizar o Oriente Médio após a morte de um importante cientista nuclear iraniano, mas descartou uma retaliação imediata. Ao mesmo tempo, Israel se recusou a comentar as alegações iranianas de que estaria por trás do assassinato. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

TCL 20 5G aparece em novas imagens vazadas

TCL 20 5G aparece em novas imagens vazadas

Tecmundo A TCL teve seu futuro lançamento para o mercado de celulares vazado nesta sexta-feira (27). Chamado de TCL 20 5G, o modelo deve suceder a linha TCL 10, focada em bom custo-benefício e performance, na faixa de preço abaixo de U$ 500 — cerca de R$ 2.700 em conversão direta. A novidade foi anunciada pelo informante veterano Evan Blass em sua conta no site Voice. Na imagem vazada, é possível ver a parte frontal do TCL 20 5G, bem como sua parte traseira e inferior. Acompanhando a proposta do visual, estão algumas observações sobre seus recursos, como a presença de um leitor de impressões digitais, botão dedicado ao Google Assistente, entrada de carregador no formato USB-C e ausência da entrada de fones de ouvido de 3,5 mm.Leia mais... Veja Mais

FMI prevê maior desigualdade da história com crise da Covid

O Tempo - Mundo Afastamento de crianças das escolas aprofunda perdas, afirma diretora-gerente do Fundo Veja Mais

MEC vai vetar prorrogação do ensino remoto até dezembro de 2021

Valor Econômico - Finanças Na prática, as redes de ensino público e privada não poderão, a partir de janeiro, continuar com o ensino remoto O Ministério da Educação (MEC) avisou ao Conselho Nacional de Educação (CNE), em reunião na última sexta-feira, que vai vetar a prorrogação do ensino remoto até dezembro de 2021. A informação foi confirmada a "O Globo" por duas fontes envolvidas com as negociações. Na prática, as redes de ensino público e privada não poderão, a partir de janeiro, continuar com o ensino remoto. Essa seria uma forma do governo federal forçar a volta presencial às aulas. No entanto, cada conselho estadual de educação pode, localmente, decidir pela prorrogação do ensino remoto em sua unidade da federação, afirma Cecília Motta, secretária estadual de educação do Mato Grosso do Sul e presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed). “Os estados vão precisar ainda do ensino remoto. Se houver um pico de casos, vamos precisar voltar às aulas apenas à distância. E mesmo que tenhamos aulas presenciais, como vou fazer recuperação e dividir as turmas? Vamos precisar de aulas remotas de qualquer maneira. Se o MEC não homologar, os sistemas estaduais podem regular”, diz Motta. A prorrogação do ensino emergencial remoto foi aprovada por unanimidade pelo CNE (do qual fazem parte dois integrantes do MEC) em outubro. No entanto, para passar a valer, o MEC precisa homologá-lo. Em reunião nesta sexta-feira, há pouco mais de um mês para o fim do ano, o MEC informou ao conselho que vai homologar a resolução vetando apenas esse artigo. Segundo uma pessoa ouvida pela agência, o ministério alega que a recuperação dos conteúdos perdidos em 2020 devem ser feitos presencialmente. A resolução foi feita para regulamentar a Lei 14.040, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em 18 de agosto, que desobriga as escolas de cumprirem os 200 dias letivos. O texto da lei prevê que o CNE formule as diretrizes nacionais para implementá-la. Entre outras medidas, o parecer do CNE também libera que estados e municípios optem pela fusão dos anos letivos de 2020 e 2021 por meio da adoção de um "continuum curricular" de dois anos, na educação básica e que um ano letivo "suplementar" para estudantes do 3º ano do ensino médio.  Veja Mais

Por que predomínio do 'homem branco' em testes pode atrapalhar futuro de vacinas e remédios

Glogo - Ciência Não é à toa que algumas farmacêuticas estão divulgando extensivamente dados da etnia dos voluntários de ensaios clínicos para covid-19 — a falta de diversidade em testes para medicamentos é uma pauta emergente na área de saúde. 'A maior parte dos voluntários em ensaios clínicos são brancos e homens — minorias raciais e étnicas são seriamente sub-representadas', diz a agência federal sanitária dos EUA, a FDA Lena/Datsiuk/Getty Images Ao divulgar, no início do mês, resultados satisfatórios de seu projeto de vacina contra a covid-19, as farmacêuticas Pfizer e BioNTech logo destacaram em um comunicado que, dos mais de 43 mil participantes dos testes de fase 3 no mundo, "42% tinham origem étnica diversa". À frente de outra candidata a vacina, a empresa Moderna também tem divulgado dados sobre o perfil dos voluntários que estão participando dos seus testes — na fase 3, realizada nos Estados Unidos com 30 mil pessoas, 63% eram brancos, 20% latinos, 10% negros, 4% asiáticos, e 3% "outros". A empresa diz em seu site ter como objetivo que os participantes "sejam representativos das comunidades sob maior risco da covid-19 e de nossa sociedade diversa". Segundo uma reportagem com informações exclusivas publicada em outubro pela agência Reuters, a Moderna chegou a desacelerar seu cronograma de testes ao constatar que a maior parte dos voluntários recrutados por empresas terceirizadas eram brancos, o que precisou ser revisado. O esforço das empresas em comunicar a diversidade entre voluntários de testes responde a um debate que não é de hoje, mas que foi impulsionado pela pandemia de coronavírus. "Uma vez que os afro-americanos e as comunidades de latinos nos Estados Unidos têm maior taxa de infecção, hospitalização e mortalidade, acreditamos que estes grupos deveriam ter um acesso mais igualitário a ensaios clínicos (testes envolvendo humanos) referentes à covid-19. A maior inclusão também deve acontecer em estudos multinacionais", escreveu por e-mail à BBC News Brasil Daniel Chastain, professor da Faculdade de Farmácia da Universidade da Geórgia, nos EUA. Com mais cinco pesquisadores, Chastain publicou em agosto um artigo sobre isso no periódico científico mais influente do mundo na área médica, o New England Journal of Medicine. No texto, os autores defendem maior representatividade por motivos éticos, como o acesso de populações "minoritárias" a tratamentos potencialmente benéficos; e também por motivos científicos, pois um produto testado em pessoas com perfil limitado não necessariamente funcionará bem em outras populações — seja por fatores genéticos, sociais, entre outros. "A diversidade é necessária para garantir a generalização (dos resultados)", completou Chastain. O artigo que publicou com colegas mirou especificamente o remdesivir, medicamento antiviral fabricado pela farmacêutica Gilead e considerado pelo governo americano um tratamento oficial para a covid-19 — apesar de a Organização Mundial da Saúde (OMS) divergir da orientação, defendendo que o remédio não tem eficácia comprovada contra a nova doença. Os autores criticaram a falta de dados raciais em estudos iniciais com remdesivir, e também o que seria uma baixa representatividade de minorias fortemente afetadas pela covid-19 nos testes. Pesquisadores envolvidos nos estudos com o remdesivir publicaram então uma réplica garantindo que houve uma representatividade satisfatória, dando início a uma sequência de cartas, gráficos e diferentes dados defendidos por cada um dos lados. Fato é que, nos Estados Unidos, a agência sanitária federal Food and Drug Administration (FDA) incorporou a pauta há algum tempo. Anualmente, ela registra as principais características demográficas de voluntários envolvidos em ensaios clínicos de novos medicamentos registrados no país — em 2019, 72% dos participantes eram brancos, 9% negros e 18% hispânica. O percentual de voluntários negros avançou na comparação com 2015, data mais antiga para a qual o FDA tem dados disponibilizados em seu site. Naquele ano, 79% dos participantes de testes eram brancos e 5% afro-americanos (não há dados específicos para latinos). Na população americana, segundo estimativas do Censo nacional para 2019, 76% são apenas brancos, 13% apenas negros e 18,5% hispânicos ou latinos (o "apenas" se opõe à opção de declaração em duas ou mais "raças", o que é possível no Censo; hispânicos e latinos não são considerados uma raça em si, por isso têm interseção com outras categorias). Os EUA têm também uma lei federal que obriga a inclusão de minorias em pesquisas financiadas pelo governo por meio dos National Institutes of Health (NIH), apesar de o texto não prever em qual percentual ou quantidade. O NIH também obriga que ensaios clínicos de fase 3 divulguem informações sobre gênero e raça dos participantes. No Brasil, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), não há normas que determinem o registro ou participação de diferentes raças em ensaios clínicos. A assessoria do órgão explicou à BBC News Brasil que medicamentos podem ser registrados no país com dados de ensaios clínicos feitos no exterior, mas "as empresas deverão demonstrar que esses dados podem ser extrapolados para a população brasileira". "Se houver indícios de que fatores étnicos possam alterar a eficácia ou a segurança de um medicamento etnicamente 'sensível', (…) a Anvisa pode solicitar estudos adicionais em uma população que represente a população local (Brasil)", escreveu a agência em nota. "Isso ocorre especialmente para estudos conduzidos somente com uma população específica." Pesquisadores entrevistados pela reportagem afirmaram desconhecer dados e até estudos acadêmicos sobre o perfil racial de voluntários em testes realizados no Brasil. Por experiência, entretanto, a infectologista Anita Campos, atualmente diretora médica na Sarepta Farmacêutica, afirma que "com certeza" o Brasil também tem maior participação de brancos e pessoas de classes mais privilegiadas nos testes — geralmente convocados através das redes sociais, divulgação na imprensa, do contato com associações de pacientes ou recrutamento no ambiente hospitalar. Considerando tratamentos em estudo para a covid-19, a reportagem procurou representantes dos testes com vacinas que estão trabalhando com voluntários no Brasil e em fase adiantada: a CoronaVac (desenvolvida pela Sinovac) e a AZD1222 (Universidade de Oxford e AstraZeneca). A Universidade de Oxford respondeu que não poderia compartilhar dados sobre a etnia dos voluntários. Representando a AZD1222 no Brasil, a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) acrescentou que foram recrutados profissionais de saúde, outros trabalhadores atuando em ambiente hospitalar (como seguranças e faxineiros) e idosos aposentados em São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Natal, Santa Maria e Porto Alegre. "A vacina de Oxford também está sendo aplicada em voluntários nos Estados Unidos e na África do Sul, sem contar Reino Unido. A diversidade na localidade e o grande número de voluntários recrutados — cerca de 50 mil — permite naturalmente que seja esse um grupo de grande variedade de pessoas", escreveu a assessoria da Unifesp. A Sinovac e seu parceiro no Brasil, o Instituto Butantan, não responderam aos pedidos de informação da reportagem. Desigualdades refletidas nos ensaios clínicos Diferenças no acesso à informação e até ao transporte podem afetar diversidade em ensaios clínicos Ada da Silva/Getty Images No artigo publicado no "New England Journal of Medicine", a equipe de Daniel Chastain enumerou possíveis motivos para a pouca diversidade nos ensaios clínicos: "Pode ter a ver com uma antiga desconfiança dos médicos em relação às comunidades minoritárias, mas o problema pode ser composto também pelo custo (em particular, custos 'escondidos' com locomoção, alimentação e acomodação), pouco conhecimento para assuntos de saúde, pouca informação, limitações de idioma, acessibilidade, e vieses implícitos contra minorias." Outra possível explicação apontada é a falta de diversidade entre os próprios cientistas, o que pode influenciar no recrutamento de voluntários. Os pesquisadores levam em conta, portanto, que a raça está associada a fatores socioeconômicos. Isso é demonstrado por vários indicadores de escolaridade, saúde, emprego, representação política e cultural em que negros, por exemplo, tendem a ter menos oportunidades do que brancos, tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil, conforme mostrou a BBC News Brasil em junho. Para tentar reverter a falta de representatividade nos testes, o FDA apostou na divulgação, lançando em 2017 uma campanha intitulada Latinos Can Make a Difference in Clinical Trials ("Latinos podem fazer a diferença em ensaios clínicos"), que convida com vídeos e textos de orientação em espanhol pessoas de origem hispânica a participarem de mais testes. "A maior parte dos voluntários em ensaios clínicos são brancos e homens — minorias raciais e étnicas são seriamente subrepresentadas", diz o site do FDA. Entretanto, apesar da menção a um histórico predomínio dos homens, dados da agência sobre medicamentos aprovados em 2019 mostram que 72% das voluntárias dos testes eram mulheres. Em 2015, o percentual foi de 40%. Um texto em espanhol da campanha Latinos Can Make a Difference in Clinical Trials defende que "participar de um estudo clínico pode ser uma boa opção para você se: você e seu médico acreditam que os tratamentos atuais não são opções satisfatórias e um estudo clínico oferece alternativas adicionais; se você quer ajudar a assegurar que os benefícios e riscos dos produtos médicos sejam estudados em pacientes de grupos diversos". Como lembra esse material de orientação do FDA, ensaios clínicos envolvem possíveis benefícios, mas também malefícios. Assim, incluir mais perfis de voluntários não poderia também deixar estas pessoas mais expostas a riscos? "Evidente que existem riscos, mas em geral os participantes são acompanhados de forma mais frequente, há um registro rotineiro de efeitos adversos e muitas pessoas (profissionais) observando. A chance de evolução (em um quadro de saúde) costuma ser maior na pesquisa clínica do que na prática clínica", responde o médico Otavio Berwanger, diretor do centro de pesquisa clínica do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, setor que coordena e executa ensaios, muitas vezes multinacionais, patrocinados pela indústria farmacêutica. No centro, Berwanger diz que o esforço para aumentar a diversidade foca principalmente na divulgação de testes a serem realizados, com chamadas nas redes sociais e na imprensa. "Hoje sabemos que quanto mais representativos, melhores os estudos", completa o médico, especialista em pesquisa clínica pela Universidade de Oxford, na Inglaterra. Do DNA ao social Berwanger explica que, enquanto em algumas doenças, como as cardiovasculares, o comportamento é em geral semelhante independentemente da origem da pessoa, outras têm manifestações diferentes a depender da etnia, gênero, entre outras características. Isso pode acontecer por fatores internos do organismo, como características genéticas e metabólicas de determinadas populações; ou externos, como hábitos alimentares e estilo de vida mais comuns entre algumas comunidades — ou ainda uma combinação de tudo isso. Uma revisão de dados de todos os medicamentos aprovados pelo FDA nos Estados Unidos entre 2008 e 2013 mostrou que aproximadamente um quinto dos novos remédios apresentou alguma diferença na exposição ou resposta ao tratamento entre diferentes grupos raciais. Por exemplo, vários estudos já mostraram que diferenças na fisiologia da pele podem afetar a resposta a remédios e pomadas dermatológicas. Em outra área da medicina, brancos e negros já demonstraram uma resposta metabólica mais fraca a alguns antidepressivos e antipsicóticos, na comparação com asiáticos. Em 2005, o FDA aprovou o primeiro remédio direcionado a um grupo racial, o BiDil, para tratamento de insuficiência cardíaca. A empresa que patrocinou o estudo fez inicialmente dois ensaios clínicos com pessoas de diversas origens, cujos resultados não mostraram benefícios em geral, mas sugeriram melhores efeitos para pessoas negras. Então, a empresa fez testes com 1.050 pessoas que se identificaram como negras, mostrando a segurança e eficácia do medicamento, finalmente aprovado. De acordo com a Anvisa, no Brasil, "normalmente há alertas ou recomendações descritas no texto da bula" quando há diferenças na "resposta clínica ou susceptibilidade à toxicidade a fármacos, relacionada às diferenças étnico-raciais". Segundo entrevistados pela BBC News Brasil, a raça dos voluntários de estudos clínicos costuma ser registrada a partir da autodeclaração. Entretanto, nem essa alternativa para classificar a origem ou a cor de uma pessoa é simples, aponta o antropólogo Ricardo Ventura, que estuda questões étnicas relacionadas à demografia, ciência e saúde. "Desde o primeiro Censo americano, possivelmente nenhuma edição subsequente teve as mesmas categorias raciais, pois elas mudam muito com o tempo. O que é 'latino'? Que categorias raciais são essas? Não são dados simples. O debate sobre a inclusão (em estudos médicos) é muito importante, mas estas classificações precisam ser bem trabalhadas, pensadas", diz Ventura, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). "É preciso problematizar a ideia de que existem diferenças entre categorias, raças, do ponto de vista biológico. Obviamente a questão racial envolve componentes biológicos, mas também é uma construção social", completa o pesquisador, graduado em ciências biológicas e mestre e doutor em antropologia. Ele, que trabalha principalmente com povos indígenas, destaca que esta população tem mostrado maior mortalidade e letalidade pela covid-19 do que a população brasileira em geral — e, inclusive, defende que indígenas sejam mais incluídos em ensaios clínicos, o que a reportagem não conseguiu confirmar com dados se está acontecendo ou não. Mas Ventura critica que, na produção científica sobre o coronavírus, está sendo reproduzida uma abordagem "perigosa" já observada anteriormente. "Muitos estudos já relacionaram a tuberculose à população ameríndia como se estivesse ligada à genética, à ancestralidade. Mas eles deixaram de considerar outras variáveis relacionadas à doença — como a quantidade de pessoas morando no domicílio, a presença ou não de janelas nas casas, problemas no acesso aos serviços de saúde." "Tem emergido em trabalhos de covid-19 a defesa de que os povos indígenas teriam uma fragilidade imunológica por serem populações geneticamente mais homogêneas. Essa vulnerabilidade é um debate antigo, das décadas de 50 e 60, e que já apareceu em outras epidemias. Não tendo estudos consistentes demonstrando isso, se tornou um mantra." "É um argumento que, se não olhado criticamente, pode ser muito perigoso, porque olha para a saúde e a doença como estando basicamente no domínio da biologia. Vira algo determinista", aponta, acrescentando que, na transmissão do coronavírus, arranjos sociais dos indígenas, como aqueles vivendo em terras indígenas, também têm um papel — por exemplo com maior interação e contato dentro da moradia. Desconforto no ambiente médico: 'Preconceito do guarda que está na porta ao recepcionista' Falando especificamente dos ensaios clínicos, Ricardo Ventura reforça como a falta de confiança que certas populações sentem ao acessar serviços de saúde pode levar a uma baixa representatividade. Há experiências traumáticas para algumas minorias envolvidas na pesquisa médica. O antropólogo menciona um caso famoso e emblemático dos Estados Unidos, o estudo de Tuskegee, realizado entre 1932 e 1972. Por 40 anos, pesquisadores da Universidade de Tuskegee, no Alabama, acompanharam o desenvolvimento da sífilis em centenas de homens negros e pobres — que não só não sabiam ter a doença, como tampouco receberam tratamento, apesar de o antibiótico penicilina já estar disponível na época. Quase 65 anos depois, o então presidente Bill Clinton pediu desculpas em nome do governo americano pelo episódio. A falta de confiança também foi um desafio em estudos no Brasil com o PrEP, uma prevenção medicamentosa para o HIV. Quem conta é a infectologista Anita Campos, que trabalhou no desenvolvimento do truvada (um dos componentes do PrEP) na farmacêutica Gilead. Ela lembra que o Brasil, o primeiro país no mundo a ter o PrEP como política de saúde pública, pediu antes um projeto demonstrativo — aquele citado pela Anvisa, usado para provar que um remédio do exterior funciona com a população brasileira — à Fiocruz, começando em 2014. O recrutamento pediu como voluntários homens que fazem sexo com homens (HSH) e mulheres transexuais. Mas apareceram muito mais voluntários com o primeiro perfil. "Justamente por terem menos acesso à informação e também pelo preconceito no acesso à saúde, as mulheres trans foram menos incluídas (inicialmente). Existe um grande receio delas em procurarem os serviços de saúde, pois elas sentem preconceito desde o guarda que está na porta ao recepcionista." Uma solução encontrada pela Fiocruz foi buscar essas mulheres em seus locais de trabalho e moradia, e também contratar pessoas trans como agentes de saúde, facilitando o contato e a confiança no processo. "Em geral, em ensaios clínicos da área de HIV, uma das grandes críticas na hora de registrar uma droga é que ela é pouco representativa de mulheres e negros. Nesses estudos, a representação dessas populações é sempre muito baixa." "Mas vejo um movimento na indústria de maior discussão e preocupação com a diversidade nos ensaios", completa. VÍDEOS: novidades sobre vacinas contra Covid-19 Veja Mais

Campanha propõe retorno às livrarias físicas

O Tempo - Diversão - Magazine #TudoComeçaNaLivraria quer resgatar o hábito de folhear livros na compra Veja Mais

10 documentários incríveis sobre o meio ambiente e aquecimento global

canaltech Nos últimos anos, quando o assunto é meio ambiente, os termos mais ouvidos são "aquecimento global" — que consiste no aumento constante das temperaturas do planeta devido às ações humanas e também naturais — e "mudanças climáticas" — consequências de tudo isso, que resultam em enchentes, furacões, derretimento de geleiras, entre outros desastres. 10 eventos naturais que causam mudanças climáticas na Terra Acompanhe as mudanças climáticas da Terra neste site interativo da ESA Aquecimento global X mudanças climáticas: qual a diferença? O mundo já está em alerta há bastante tempo, com a questão se tornando tema de diversos documentários, seja em formato de filme ou série, trazendo uma aproximação do problema com o público e explicando-o em forma de um texto didático com imagens surpreendentes. O meio ambiente, no entanto, é abordado não só para falar de coisas ruins, mas para mostrar todas as belezas que precisam ser cuidadas e o motivo disso, trazendo uma melhor qualidade de vida no futuro. Pensando nisso, o Canaltech selecionou 10 documentários incríveis para você se aprofundar melhor no tema, todos disponíveis em streamings como Netflix, Amazon Prime Video e o recém-chegado Disney+. Confira a lista completa! -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- 10- Saving the Amazon A Amazônia, a maior floresta tropical da Terra, é o que há de mais importante no Brasil, impactando também o resto do mundo, e não é à toa que dizem que a floresta amazônica é como se fosse o coração do planeta. Para explicar a importância da vasta região, foi criado do documentário Saving the Amazon, por Sophie McNeil. "Nós vamos te levar ao coração da Amazônia, onde você vai encontrar pessoas arriscando suas vidas para salvar a floresta tropical", conta McNeil. O documentário vai mostrar a luta de indígenas, cientistas e ativistas contra o desmatamento, além das consequências que o problema está trazendo para a saúde da floresta, os animais e as pessoas que habitam o local. Imagem: Divulgação O documentário Saving the Amazon pode ser assistido no Amazon Prime Video. 9- Nosso Planeta  Agora, mudando para a Netflix, você pode conferir a série documental Nosso Planeta, que traz, em oito episódios, imagens incríveis do melhor que a natureza proporciona ao redor de todo o mundo. Narrada pelo famoso ambientalista David Attenborough, a produção traz uma temática diferentes a cada episódio, mostrando a vida no gelo, em florestas tropicais, no oceano, deserto, e muito mais. Nosso Planeta também traz um episódio que foca nas mudanças climáticas, mostrando o quanto a vida de ursos polares, leões marinhos, pinguins e focas estão ameaçados com o derretimento do gelo, mostrando na prática o motivo de o alerta estar aceso há tanto tempo, e por que é preciso tomar ações o quanto antes. Imagem: Divulgação/Netflix A minissérie documental Nosso Planeta está disponível na Netflix. 8- Mission Blue  Mergulhando no fundo do mar, a próxima dica é o documentário Mission Blue, que acompanha um grupo que conta com aproximadamente 100 pessoas, entre ativistas e cientistas especializados em meio ambiente. Juntos, eles viajam às Ilhas Galápagos, no Oceano Pacífico, no Equador, com o objetivo de construir uma rede de proteção de animais marinhos. A líder dessa equipe é Sylvia Earle, renomada biologista marinha, oceanógrafa e ambientalista, que comprova o quanto a existência dos oceanos é importante para a sobrevivência humana e animal no planeta Terra. O documentário também homenageia todos os esforços de Earle na luta a favor dos mares, que envolveu mais de 50 expedições e mais de sete mil horas de registros debaixo d'água. Imagem: Divulgação/Kip Evans Você pode assistir ao documentário Mission Blue na Netflix. 7- Em Busca dos Corais  Ainda falando sobre oceanos, este documentário mostra o que está acontecendo com os corais ao redor do mundo, que estão desaparecendo a cada vez mais de uma forma nunca antes vista na história. Para entender melhor o problema, o documentário Em Busca dos Corais acompanha uma equipe de mergulhares, cientistas e fotógrafos em uma expedição no fundo do mar. Lá embaixo, o documentário investigativo, dirigido por Jeff Orlowski, não só explica o que são os corais e a sua importância para o oceano, como parte fundamental do ecossistema, como também nos presenteia com imagens incríveis que não são vistas o tempo todo. Em Busca dos Corais foi vencedor do Emmy Awards como Melhor Documentário sobre Natureza. Imagem: Divulgação/Netflix Em Busca dos Corais é um documentário da Netflix. 6- David Attenborough e o Nosso Planeta David Attenborough está de volta à Netflix, dessa vez com o documentário David Attenborough e o Nosso Planeta, em que o ambientalista, hoje com 93 anos, disserta sobre a sua trajetória na missão de ajudar a salvar o planeta, contando ainda como vem sendo a evolução da Terra e das vidas que existem nela, sejam nós, humanos, ou os animais. No documentário, que conta com quase uma hora e meia de duração, Attenborough relata o seu aprendizado em visitas a todos os continentes do mundo, mostrando o quanto o impacto humano vem afetando a natureza e como é preciso agir para tentar proteger o planeta da melhor forma possível. Imagem: Divulgação/Netflix O documentário David Attenborough e o Nosso Planeta está disponível na Netflix. Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? 5- Solo Fértil  No documentário Solo Fértil, que estreou em setembro deste ano, conhecemos um grupo revolucionário composto por cientistas, ativistas, fazendeiros e políticos, que estão envolvidos em um movimento de agricultura regenerativa. O objetivo da equipe é equilibrar o clima da Terra e favorecer o suprimento de água necessário para alimentar o planeta. Solo Fértil conta com a participação do casal Gisele Bündchen e Tom Brady, do cantor Jason Mraz, todos envolvidos com a causa, além dos ambientalistas e cientistas Ray Archuleta, John Wick, Kristin Ohlson, com narração do ator e ativista Woody Harrelson. Imagem: Divulgação/Netflix Solo Fértil pode ser assistido no streaming da Netflix. 4- Os EUA e As Mudanças Climáticas do Planeta Em Os EUA e As Mudanças Climáticas do Planeta, conhecemos de perto quais são os esforços tomados por pessoas que estão entrando em conflito as ameaças vindas com as mudanças climáticas. O documentário traz ainda um debate sobre o futuro energético dos Estados Unidos, que com a administração de Donald Trump tirou o país do Acordo Climático de Paris, mostrando toda a repercussão entre a população. O Acordo de Paris tem como objetivo trazer uma resposta global às mudanças climáticas e as suas consequências, precisando do apoio dos países mais poderosos para lidar com o problema e, de fato, ver uma solução no futuro. Imagem: Divulgação/National Geographic Channel Você pode assistir a Os EUA e As Mudanças Climáticas do Planeta no Disney+. Mercado tech se une para tentar manter os EUA no Acordo de Paris 3- Seremos História?  O ator Leonardo DiCaprio, que está presente em grandes obras do cinema, também é um grande ambientalista, e conhecemos um pouco desse lado em Seremos História?. O documentário foca nas mudanças climáticas, mostrando como o problema atinge o meio ambiente e como precisamos agir, enquanto sociedade, para prevenir que mais espécies de animais sejam extintas, assim como para salvar as comunidades nativas em torno da Terra. Leonardo DiCaprio também é o narrador do documentário, que conta a participação de outras pessoas envolvidas na causa. O filme é dirigido por Fisher Stevens e recebeu o prêmio de Melhor Documentário do Ano no Hollywood Film Award, em 2016. Imagem: Divulgação/National Geographic Channel O documentário Seremos História? está disponível no Disney+. 2- Oceanos de Plástico  Em Oceanos de Plástico, documentário de 2017, conhecemos a organização britânica Plastic Ocean Foundation, criada para trazer soluções no combate ao descarte e acúmulo de lixo no planeta. O filme mostra quais são as áreas que mais sofrem com a poluição causada por lixo plástico e quais são os danos que ela pode trazer para a flora e a fauna. O documentário é comandado pelo jornalista Craig Leeson e pela mergulhadora Tanya Streeter, além de uma equipe internacional de cientistas e pesquisadores, que viajaram pelo mundo por quatro anos para explorar o estágio atual de nossos oceanos. Imagem: Divulgação Oceanos de Plástico pode ser assistido no streaming da Netflix. 1- A Lei da Água - Novo Código Florestal Para fechar a lista com os melhores documentários sobre meio ambiente e aquecimento global para assistir no streaming, a dica é A Lei da Água - Novo Código Florestal, que explica de forma didática a importância das florestas para os recursos hídricos do Brasil, focando na votação do Novo Código Florestal no Congresso. O documentário traz não só a conscientização sobre a importância da preservação das florestas, como também coloca em jogo todos os problemas legislativos que resultaram na determinação do que deve ser preservado ou desmatado nas propriedades rurais do país. Imagem: Divulgação/O2 Filmes A Lei da Água está disponível no Amazon Prime Video. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Destaques da NASA: fotos astronômicas da semana (21/11 a 27/11/2020) Anvisa se posiciona após Doria afirmar que pode adotar CoronaVac sem aprovação Lançamentos da Netflix na semana (27/11/2020) Sony estaria banindo donos de PS5 que abusam da PlayStation Plus Collection Cientistas descongelam e ressuscitam vermes de mais de 42 mil anos atrás Veja Mais

Justiça obriga prefeito de Recife a parar de convocar comissionados e terceirizados para campanha de Campos

Valor Econômico - Finanças Se comprovada a prática de crime eleitoral, o desfecho poderá ser a cassação da chapa do PSB A Justiça Eleitoral determinou que o prefeito de Recife (PE), Geraldo Júlio (PSB), e três servidores parem de convocar comissionados e terceirizados da prefeitura, para fazer campanha para o deputado João Campos (PSB). Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Doomscrolling: ler más notícias no celular sem parar pode prejudicar sua saúde

canaltech Deslizar o dedo interminavelmente pela tela, você percebe que as notícias são preocupantes. Uma pior que a outra. No entanto, algo te prende naquela atividade, e mesmo que as sensações sejam desagradáveis, você continua lendo cada uma das notícias. Identificou-se? Acontece que você não está sozinho. Nesse período de pandemia, essa prática tem sido cada vez mais comum, e os norte-americanos a nomearam de doomscrolling (na tradução literal, seria algo como 'rolagem da desgraça'). Smartphone vicia? Conheça o impacto que o aparelho causa no seu cérebro O que é saúde mental e como ela impacta nosso dia a dia? Saúde mental: como a tecnologia tem ajudado quem tem depressão? O termo ganhou popularidade logo no início da pandemia, em março, quando o norte-americano Kevin Roose, do The New York Times, fez uma reportagem sobre como acompanhar as notícias a respeito da COVID-19. "Eu tenho feito muito desse tipo de doomscrolling recentemente, me agitando a ponto de sentir desconforto físico, apagando qualquer esperança de uma boa noite de sono. Talvez você também tenha feito isso. Não há nada de errado em se manter informado. Mas precisamos praticar o autocuidado e equilibrar nosso consumo de notícias ruins com tipos mais suaves de estímulo, para nossa saúde e a sanidade das pessoas ao nosso redor", escreveu, na ocasião. E, de fato, a enxurrada de notícias preocupantes em torno da COVID-19 têm sido um dos principais pontos responsáveis pelo impacto que a pandemia tem causado em nossa saúde mental. Inclusive, o Canaltech fez um especial sobre O impacto da pandemia na saúde mental da população (Parte 1; parte 2). -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Em entrevista ao Canaltech, a jornalista Ingrid*, de 22 anos, conta que precisou parar quando viu que acompanhar as catástrofes lhe fazia mal: "Tenho apps de notícias no meu celular e quando me senti atingida diariamente pelas manchetes ruins, resolvi silenciar as notificações e até exclui alguns. Consumir todas aquelas informações negativas me deixava com um misto de tristeza, impotência e medo. Então, preferi me abster do que me fazia mal, mesmo sabendo que isso não mudaria a realidade do país. Eu precisei desse tempo e, particularmente, foi uma boa decisão". De acordo com o psicólogo clínico e hospitalar Rodrigo Casemiro, submeter-se a essa chuva de notícias preocupantes pode trazer sérias consequências para a saúde mental. "Estamos vivendo um momento muito atípico no qual, se alguém fizer uma estatística, provavelmente encontrará mais notícias ruins que boas. Se estatisticamente forem mais notícias boas que ruins, existe então a percepção coletiva de que há mais notícias ruins que boas", observa. Para o psicólogo, essa avalanche gera um sentimento de desesperança, uma sensação de impotência, de estarmos reféns de uma situação maior. "Com essa carga de frustração, muitas pessoas podem desencadear quadros de depressão e/ou ansiedade, por exemplo. E estas questões podem levar doenças psicossomáticas, que são aquelas de origem emocional, psicológica. A psicoterapia pode ser um recurso importante para a retomada de um fôlego para enfrentamento e busca de meios para contornar as situações, tanto no âmbito pessoal quanto social", reitera. Celular durante a pandemia Em meio ao período de isolamento social na pandemia, as pessoas encontraram, no celular, uma forma de suprir esse vazio (Imagem:  José Martín Ramírez Carrasco/Unsplash) No entanto, apenas a prática de mexer no celular de forma incessante já é suficiente para preocupar os especialistas. E num período de isolamento social, tem sido uma atividade muito comum, muito frequente e, por sua vez, as consequências também acabam frequentes. O estudante Leonardo*, de 18 anos, conta que, antes da pandemia, o celular era uma ferramenta extremamente essencial de comunicação para ele, pois estudava em outra cidade e tinha que se comunicar com a mãe o tempo todo. Nessa época, ele evitava deitar na cama e ficar tomando tempo olhando as redes sociais, ou então acordar de manhã e matar tempo no celular. No entanto, com a ascensão da COVID-19, as coisas mudaram. "Estou 100% do tempo no celular ou no computador. Quando estou longe do computador pode ter certeza que estou andando pela casa com todas as redes sociais abertas no celular. No geral, eu tenho uma necessidade absurda de ser entretido o tempo inteiro, de não ficar entediado, de dividir meu foco de atenção. É um ciclo vicioso horrível: estou jogando no computador, paro de jogar, abro o Twitter e fico com vontade de jogar de novo. Acho que o que motivou isso foi simplesmente a falta de foco e a sensação de descomprometimento que o EAD traz. Gradualmente, eu comecei a usar cada vez mais o celular e o computador", relata Leonardo. No entanto, ao perceber o vício no smartphone, Leonardo tentou desinstalar as suas redes sociais, mas sem êxito. "Eu desinstalei quando percebi que tava totalmente viciado, porém, eu não tenho mais com o que ocupar minha cabeça. Eu só instalei tudo de novo e voltei a ficar viciado", observa. Esse vício também tem assolado Ingrid durante o período de isolamento social. "Atualmente, o celular está sempre comigo, virou uma relação de vício. Agora estou tentando amenizar o consumo, e, de acordo com os dados do próprio celular, meu tempo de uso está com média de 6h20. Com a pandemia, meu hábito de mexer no celular e redes sociais só aumentou. Passo muito mais tempo consumindo conteúdos nas mídias digitais e a maioria desses conteúdos é irrelevante", afirma. Para a jornalista, o começo da pandemia foi mais difícil. "Fiquei muito agoniada com o fato de ficar em isolamento, sem sair para nada. Além disso, a sensação de medo do que poderia acontecer com o mundo, no geral, também foi um sentimento que mexeu muito comigo. Foi horrível. A alternativa que achei para amenizar foi evitar consumir notícias desse tipo, e deu certo. Hoje, não sei se é porque já me habituei de alguma forma, mas consigo lidar melhor essa situação", conta. Arthur Igreja, especialista em Tecnologia e Inovação e professor convidado da Fundação Getulio Vargas (FGV), analisa que o celular virou uma extensão do corpo, se tornou nosso modem. "Ainda bem que o nosso corpo não tem conexão, ou ficariamos neuróticos 24 horas por dia. Vivemos tanto tempo sem, pois era algo que não existia... E, assim, usávamos outros mecanismos e maneiras de fazer as coisas. Outro fator é a convergência. É difícil, hoje, definir o que é um smartphone: ferramenta de socialização, de trabalho, performance, aprendizado, exercício físico ou meditação? Ele é o painel de controle da nossa vida". Questionado sobre até que ponto podemos reconhecer que o uso do celular está saudável e a partir de quando é possível identificar que aquilo se tornou um vício, o professor afirma: "Com relação a qualquer coisa que possamos analisar pela ótica do vício, o fator principal é a partir do momento que se abre mão de algo para ficar 'pendurado' no celular, ou não existe interação, pois deixou-se de lado o contato humano para checar notificações ou postar nas redes sociais, por exemplo". Impactos na rotina O psicólogo Rodrigo diz que, frente aos impactos na saúde mental proporcionados pelo isolamento, procurar ajuda é um caminho (Imagem: Adrien Olichon/Unsplash) Na visão do psicólogo Rodrigo, com o isolamento social, as pessoas estão impossibilitadas de fazerem muitas de suas atividades do dia a dia, e desta forma, acabam direcionando sua atenção para aquilo que está ao alcance, por exemplo, o celular, e algumas atividades, como a interação em redes sociais, propiciam um prazer grande, o que ativa o centro de recompensas no cérebro, favorecendo que a pessoa busque com mais frequência a utilização das redes ou celulares. "O isolamento nos impossibilita de fazer algumas atividades, e principalmente, de ter contato físico e social. O ser humano é um ser em relação e precisa das trocas sociais. Certamente, algumas pessoas interagem mais do que outras, porém, já que não há contato físico nem as reuniões sociais e familiares presenciais, a tecnologia propicia o contato, a troca, de maneira virtual", reflete o especialista. "É importante saber que nesse momento específico talvez não possamos dizer que seja necessariamente um vício, mas sim, a quase única possibilidade de interação, de relação, e assim sendo, podemos observar se o uso está trazendo algum prejuízo para além da ansiedade advinda do isolamento; podemos pensar em nos envolvermos com outras atividades", acrescenta. E de fato, Leonardo e Ingrid relatam impactos na saúde mental desde que o período de isolamento teve início. "Não consigo encontrar o menor foco para estudar e é desesperador perder meu terceiro ano e não ter nenhuma aula decente para prestar vestibular. Fora que em casa é o puro caos. Ninguém estava acostumado com isso", diz Leonardo. "Acho que, no momento em que estamos vivendo, o uso desses meios, serve, muitas vezes, de escape. Devido à pandemia, o isolamento social é quase inevitável (para aqueles que respeitam isso, claro). Mas acredito também que antes dessa crise o uso excessivo de celulares/redes sociais era resultado do isolamento de algumas pessoas, sim. Já vi muita gente em restaurantes, por exemplo, mexendo no celular, sendo que ali era um momento para socializar", completa Ingrid. Questionado sobre quais recomendações pode dar para quem está começando/retornando um vício em celular possa contornar essa situação, Rodrigo diz: "Se a máxima 'um dia de cada vez' é válida para tratamentos de vícios, podemos ampliá-la para um momento de cada vez, uma atividade de cada vez, isto é um exercício que pode ajudar a contornar questões viciantes. Envolver-se com cada atividade plenamente, com o que chamamos de atenção plena. Tomar consciência de que se está envolvido com um vício. Vícios podem acometer a todos nós. Não é motivo de vergonha ou culpa. Mas pode e deve ser olhado com atenção, carinho e autocompaixão. E procurar ajuda é um caminho que auxilia, e muito". Leonardo e Ingrid acreditam que a situação pode voltar à normalidade assim que a pandemia se der por encerrada. "Se eu conseguir voltar com uma rotina ocupada acordando cedo e dormindo cedo, eu serei obrigado a abdicar das redes sociais e meu cérebro também vai ter tempo para se importar com outras coisas", diz o estudante. "Acredito que irá diminuir, sim. Antes da pandemia, eu tinha uma vida mais agitada, com muitas coisas que consumiam o meu tempo, ou seja, não dava para ficar tanto de bobeira. Para mim, esse é um vício momentâneo", finaliza a jornalista. *Alguns nomes presentes nessa matéria foram alterados para proteger a identidade dos entrevistados. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Destaques da NASA: fotos astronômicas da semana (21/11 a 27/11/2020) Anvisa se posiciona após Doria afirmar que pode adotar CoronaVac sem aprovação Lançamentos da Netflix na semana (27/11/2020) Sony estaria banindo donos de PS5 que abusam da PlayStation Plus Collection Cientistas descongelam e ressuscitam vermes de mais de 42 mil anos atrás Veja Mais

PF e polícia portuguesa prendem hacker suspeito de invadir sistemas do TSE

G1 Economia PF também faz buscas no Brasil. No domingo do primeiro turno das eleições municipais (dia 15), uma invasão expôs informações administrativas de ex-servidores e ex-ministros do TSE. Preso em Portugal hacker suspeito de invadir o sistema do Tribunal Superior Eleitoral Um hacker suspeito de invadir sistemas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi preso neste sábado (28) em Portugal, numa operação conjunta entre a Polícia Federal e a Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e Criminalidade Tecnológica da Polícia Judiciária Portuguesa. O preso é um cidadão português de 19 anos, segundo comunicado da polícia portuguesa, e usa o codinome Zambrius. De acordo com a PF estavam sendo cumpridos em São Paulo e em Minas Gerais três mandados de busca e apreensão e três medidas cautelares de proibição de contato entre investigados e, em Portugal, além do mandado de prisão, um mandado de busca e apreensão. O inquérito instaurado pela Polícia Federal apura os crimes de invasão de dispositivo informático e de associação criminosa. De acordo com as investigações, um grupo de hackers brasileiros e portugueses, comandados por um português, foi o autor do ataque ao sistema do TSE. Segundo informou a PF, os mandados cumpridos no Brasil foram autorizados pelo juízo da 1ª Zona Eleitoral do Distrito Federal, após representação da PF e manifestação favorável da 1ª Promotoria de Justiça Eleitoral. No domingo do primeiro turno das eleições municipais (dia 15), os hackers expuseram informações administrativas de ex-servidores e ex-ministros do TSE. O objetivo da divulgação na data da eleição seria desacreditar a segurança do sistema de computadores da Justiça Eleitoral. Mas, segundo a Polícia Federal, a invasão não atingiu os sistemas relacionados à eleição porque as urnas eletrônicas não são ligadas à internet — portanto, os equipamentos não são vulneráveis a ataques. "Não foram identificados quaisquer elementos que possam ter prejudicado a apuração, a segurança ou a integridade dos resultados da votação", informou a PF. A operação foi batizada de "Exploit", expressão definida pela PF como "uma parte de software, um pedaço de dados ou uma sequência de comandos que tomam vantagem de um defeito a fim de causar um comportamento acidental ou imprevisto no software ou hardware de um computador ou em algum dispositivo eletrônico". A apuração inicial era de que os dados obtidos pelo hacker se referiam ao período de 2001 a 2010. Mas depois se constatou acesso a dados de 2020, como endereços e telefones, no Portal do Servidor, um sistema administrativo sem relação com o processo eleitoral. A suspeita era de que o ataque tivesse acontecido antes de 1º de setembro porque o material não mostrava informações registradas nos arquivos do TSE após o dia 2 daquele mês. Outra tentativa Além da divulgação dos dados, no domingo também houve outra tentativa de ataque hacker aos sistemas do TSE, que acabou neutralizada. Esse ataque consistiu em múltiplos acessos oriundos de Brasil, Nova Zelândia e Estados Unidos. O TSE informou que uma comissão do tribunal vai acompanhar as investigações da PF sobre os ataques cibernéticos do último dia 15. A Comissão de Segurança Cibernética será comandada pelo ministro Alexandre de Moraes. O grupo também vai elaborar estudos sobre ações de prevenção e enfrentamento de crimes cometidos pela ação de hackers. A comissão conta também com a participação do corregedor-geral do TSE, ministro Luis Felipe Salomão; do delegado federal Disney Rosseti, assessor especial de Segurança Institucional do TSE; de dois juízes auxiliares do TSE e de um representante da Secretaria da Tecnologia da Informação (STI) do TSE. Veja Mais

Fotógrafo sírio é ferido em protestos na França

O Tempo - Mundo Repórteres sem Fronteira denunciam violência policial Veja Mais

10 filmes que você precisa assistir no Natal

canaltech Dezembro chegando e a cidade começa a ficar repleta de luzes, deixando as selfies mais interessantes, os entusiastas empolgados, os religiosos ansiosos, as lojas mais cheias, os supermercados lotados de comidas que só vemos uma vez por ano e, da nossa parte, demandando uma lista com alguns dos melhores filmes sobre o Natal para assistir neste final de ano. O Natal tem uma essência complexa e que remonta a tempos antigos, com influências sociais, religiosas e comerciais. Para os brasileiros, a importação do Natal não gerou muita representatividade e só muito recentemente estamos vendo mudanças significativas nas representações familiares. Embora existam filmes como Pode Me Chamar de Noel, em que a personagem de Whoopi Goldberg é a escolhida para suceder o bom velhinho, os melhores títulos continuam sendo aqueles que sobreviveram ao teste do tempo e seguem sendo amados pelo público por motivos que vão além do tema natalino. Nesta lista, o Canaltech trouxe clássicos que podem atender a diversos interesses natalinos, desde quem está interessado em ver o terror do Natal até quem quer um título mais recente e que traga todos aqueles elementos que deixam o nosso coração quentinho. Então esqueça o alcaçuz vermelho e pense nas sobras amanhecidas, naquela combinação maravilhosa de resto de peru com farofa e arroz com passas esquentados no micro-ondas, e vem com a gente escolher o filme que vai representar o espírito deste Natal para você. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Ah! E os filmes que estão disponíveis para assistir online (streaming e/ou VOD) também estão indicados, então é só clicar no nome da sua plataforma favorita para ir direto para a página do filme e apertar o play. 10. Krampus: O Terror do Natal   Quando comemorar o Natal se torna uma obrigação e as boas ações um pré-requisito para ganhar presentes, surge o espírito que vem atormentar aqueles que negam o verdadeiro espírito do Natal. As reuniões familiares de fim de ano são a bênção de alguns e o martírio de outros, mas a essência é comum: este é um momento de tentar manter a união familiar. Em Krampus: O Terror do Natal, a festividade em família não acontece como planejado e as discussões atraem a atenção do personagem título. O elenco com a presença de Toni Collette (Hereditário), Adam Scott (The Good Place) e Conchata Ferrell (Two and a half Men) fazem Krampus valer a pena. O filme parece não ter grandes intenções de ser um grande terror e frequentemente flerta com o trash, o que deixa Krampus bastante divertido, apesar dos monstros que estão tentando caçando e amedrontando a família. Krampus: O Terror do Natal pode ser comprado no Looke, estando disponível para aluguel e compra na Play Store e na iTunes. 9. A Felicidade não se Compra   De 1946, este é o filme mais antigo da lista, mas está aqui por ter conquistado seu lugar no tempo. Dirigido por Frank Capra, A Felicidade não se Compra é seu filme mais reconhecido, tendo sido indicado ao Oscar nas categorias de Melhor Filme, Melhor Ator (James Stewart), Melhor Diretor, Melhor Som e Melhor Montagem. Com o tempo, o filme tornou-se um dos filmes mais tradicionais da festividade e até hoje muitas famílias estadunidenses ainda se reúnem para assisti-lo. A trama é um misto de alegria e tristeza, já que começa com o personagem principal em uma situação suicida na véspera de Natal, quando é interrompido por um anjo que lhe mostra como teria sido a vida se ele nunca tivesse existido. Toda vida tem um impacto no mundo e cada trajetória é uma história épica em si. A importância de existir é a grande mensagem desse filme, então prepare um lençol, porque um lencinho de papel não vai dar conta das lágrimas. A Felicidade não se Compra está disponível para streaming no Telecine, NetMovies, Oldflix, NOW e Looke, onde também está disponível para aluguel ou compra. 8. O Estranho Mundo de Jack   Ué, esse não é aquele filme que tem uma música sobre o Halloween? Sim. Apesar de ser um filme claramente com códigos de Halloween, este é também um filme de Natal. Para os Grinchs de plantão, O Estranho Mundo de Jack traz uma abordagem completamente diferente sobre essa festividade. Quando Jack Skellington, o astro da cidade do Halloween, acaba descobrindo a cidade do Natal, ele decide que todos têm direito ao Natal e resolve fazer sua própria versão da festividade em sua cidade. Claro que os monstros de lá vão demorar para assimilar a essência desse momento, mas Jack está disposto a ser um Noel digno para o seu povo. Tudo isso feito com uma técnica de stop motion que continua impecável até os nossos dias. O Estranho Mundo de Jack está disponível para os assinantes do NOW e do Disney+. Assine a Disney+ aqui e assista a títulos famosos da Marvel, Star Wars e Pixar quando e onde quiser! 7. Trocando as Bolas   Os anos 1980 e 1990 tiveram os lançamentos de alguns dos mais memoráveis títulos natalinos, com aquele gostinho de Sessão da Tarde que nos enche de nostalgia. Entre eles, Trocando as Bolas, que traz a conhecida fórmula de personagens que têm suas vidas trocadas até que aprendam a lição (que diz respeito, claro, ao espírito do Natal). O que faz de Trocando as Bolas um filme marcante é a equipe envolvida. Dirigido por John Landis (Os Irmãos Cara de Pau) a partir de um roteiro de Timothy Harris e Herschel Weingrod, que escreveram também Irmãos Gêmeos e Um Tira no Jardim de Infância, Trocando as Bolas ainda é estrelado por Dan Aykroyd no papel do esnobe investidor que troca de vida com o astuto vigarista de rua interpretado por Eddie Murphy. Ah, e ainda tem a diva Jamie Lee Curtis para completar o elenco. Trocando as Bolas pode ser comprado ou alugado na Microsoft Store. 6. Tokyo Godfathers   Fãs de animação japonesa também podem ter um filme para curtir o próprio Natal. O filme de Satoshi Kon (Paprika e Perfect Blue) e Shôgo Furuya acompanha três moradores em uma noite de Natal, que encontram um bebê recém-nascido no lixo e partem em busca da mãe da criança. Permeado de consciência social, esta é uma das animações japonesas de longa-metragem a atingir o status de clássico do gênero. Internacionalmente premiado, Tokyo Godfathers venceu em três categorias do Tokyo Anime Award, onde podemos imaginar que a concorrência não foi fácil. Tokyo Godfathers pode ser comprado ou alugado no iTunes. 5. Grinch   Impossível falar de Natal e não lembrar do personagem verde e rabugento criado por Dr. Seuss. Aqui, no entanto, não iremos recomendar apenas um filme, mas três possibilidades para que você escolha a adaptação que preferir, já que o personagem, originalmente, ficou conhecido não nos filmes, mas nos livros infantis do autor. Há não muito tempo, a adaptação mais conhecida era o live-action O Grinch (2000), estrelado por Jim Carrey sob uma maquiagem que ficou realmente incrível. Esse filme, no entanto, não foi muito bem recebido e, mais recentemente, tivemos a animação O Grinch (2018), bem menos assustadora que o live-action e que deve deixar as crianças mais confortáveis com o monstrinho verde (trailer acima). Mas nenhuma dessas é reconhecida como a melhor adaptação. Até hoje, é a animação de 1986 que encanta os fãs de Dr. Seuss: Como o Grinch Roubou o Natal! (1966) tem como um dos diretor ninguém menos que Chuck Jones, envolvido com animações como Looney Tunes e Tom & Jerry. O Grinch (2000) está nos catálogos da Netflix e do Amazon Prime Video, podendo ser comprado ou alugado na Play Store, Looke e iTunes. A animação O Grinch (2018) está disponível para os assinantes do NOW e do Amazon Prime Video, podendo também ser comprado ou alugado na Play Store, Looke e iTunes. Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? 4. Edward Mãos de Tesoura   Outro filme do Tim Burton? Não. Embora O Estranho Mundo de Jack pareça ser um filme assinado por Burton, a animação não foi dirigida por ele. Edward Mãos de Tesoura, por outro lado, é um dos seus filmes mais cultuados e que ostenta um elenco com Johnny Depp, Winona Ryder, Alan Arkin e com o ícone do terror Vincent Price. Edward Mãos de Tesoura começa com uma premissa simples, explicar de onde vem a neve, e conta uma belíssima história que passa por sentimentos complexos como amor, amizade e confiança, tudo isso com aquele jeitinho esquisito que só Tim Burton tem e que dialoga diretamente com quem tem uma alma trevosa demais para as cores do Natal. O protagonista Edward, que soa bastante assustador, consegue conquistar até mesmo o público infantil em pouquíssimo tempo, ensinando sobre tolerância e respeito de uma forma sensível e que casa perfeitamente com o Natal. Edward Mãos de Tesoura pode ser assistido pelos assinantes do Disney+. 3. Uma Segunda Chance para Amar   Não só de filmes “velhos” será feita esta lista e, para trazer algo bem fresco, o recente Uma Segunda Chance para Amar, estrelado por um trio de mulheres poderosas: Emma Thompson, Michelle Yeoh e Emilia Clarke. Na trama, uma mulher que trabalha como elfa em uma loja de artigos natalinos tem sua vida completamente mudada quando ela conhece Tom. Aspirante a cantora, ela acha que sua nova vida é boa demais para ser verdade. Romance e Natal é uma fórmula que traz novos filmes todos os anos e este está aqui por ter na direção Paul Feig, conhecido por comédias como a série Freaks & Geeks, As Bem-Armadas, Missão Madrinha de Casamento e o remake Caça-Fantasmas. Uma Segunda Chance para Amar não foi exatamente um filme aclamado, mas tem momentos belíssimos e também promete arrancar lágrimas dos espectadores, além de trazer Yeoh no primeiro papel cômico da sua carreira. Uma Segunda Chance para Amar está nos catálogos do Telecine e do NOW, estando disponível também para compra e venda na Play Store, no Looke e na iTunes. 2. Esqueceram de Mim   Clássico dos clássicos, Esqueceram de Mim é obrigatório em muitas casas durante o Natal. O segredo do sucesso pode estar nos nomes envolvidos. O primeiro filme foi dirigido por Chris Columbus, de Uma Babá Quase Perfeita e Harry Potter e a Pedra Filosofal, a partir de um roteiro assinado por John Hughes, que não temos como citar aqui todos os seus filmes mais icônicos, mas vale lembrar que é o diretor de roteirista de Clube dos Cinco e Curtindo a Vida Adoidado. Embora esses detalhes não sejam lembrados pelo público em geral, é quase unanimidade a lembrança de que muito da qualidade do filme se deve à maravilhosa atuação de Macaulay Culkin, o verdadeiro rosto do filme, já que tudo gira em torno do seu personagem Kevin, uma criança que sempre é esquecida pelos seus pais durante as férias e que acaba tendo que se defender sozinho durante o Natal. No primeiro filme, ladrões tentam roubar a casa da sua família, mas se arrependem profundamente quando descobrem que a casa não estava vazia. Esqueceram de Mim, assim como a sequência, está disponível para streaming no Disney+. 1. Gremlins   Lançado em 1984, Gremlins utiliza animatronics e técnicas de stop motion para mostrar uma noite de Natal que é terrivelmente interrompida por monstrinhos bizarros cujo único objetivo é a destruição de tudo o que veem pela frente. Com 34 anos de idade, Gremlins continua tão perfeitamente executado que é impensável um remake com CGI, porque parte da fofura e da graça está justamente na expressão corporal dos monstrinhos. Neste filme, Chris Columbus, que dirigiu Esqueceram de Mim, atua como roteirista, enquanto a direção ficou nas mãos de Joe Dante, diretor do clássico Piranha (1978). Gremlins é um filme sensível e que fala sobre valores familiares que recusam qualquer estereótipo de comercial de panetone, além de trazer o reconhecimento necessário de que, apesar de ser uma data amplamente comemorada, ela não necessariamente é um momento lindo para todos. Gremlins pode ser assistido pelos streamers do NOW, estando também disponível para compra ou venda no iTunes, Play Store e Microsoft Store. No Looke, o título pode ser apenas comprado. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Fim do Sistema Solar | Como a Via Láctea vai nos destruir em 1 trilhão de anos Sony estaria banindo donos de PS5 que abusam da PlayStation Plus Collection Lançamentos da Netflix na semana (27/11/2020) Miniórgãos revolucionam o que a ciência sabe sobre a COVID-19; entenda Destaques da NASA: fotos astronômicas da semana (21/11 a 27/11/2020) Veja Mais

Alexandre Frota é condenado pagar R$ 60 mil a Caetano Veloso

O Tempo - Diversão - Magazine Deputado terá de pagar indenização por danos morais Veja Mais

Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (28/11/2020)

canaltech A última lista de novembro continua no mesmo pique das demais: encontrar nos serviços de streaming e VOD (sob demanda) os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online. Com o fim de novembro, cresce também a expectativa pelos lançamentos de dezembro, que, além dos filmes voltados para festividades, também deve trazer alguns dos lançamentos mais aguardados do ano para a TV. Nesta semana trouxemos novamente uma lista bastante variada, com opções que vão desde o inesperado sucesso de um documentário sobre uma estrela pop a estreias que poderiam passar despercebidas, mas que estão aqui para quem quer saber o que está sendo lançado para além dos aguardados blockbusters que continuam esperando pelos cinemas. Além disso, temos ainda filme de super-herói muito diferente e um filme para provar que o famigerado vampiro tem talento sim para ser um homem-morcego. E mais. Sempre mais. Ficou curioso para saber que filmes e séries são esses? Então dá uma olhada nas nossas dicas do que assistir online neste final de semana. Para facilitar ainda mais a sua vida, o Canaltech sempre acrescenta trailer e uma pequena descrição de cada produção, além de incluir os links para os serviços em que elas estão disponíveis, assim o seu trabalho é basicamente apenas apertar o play. Veja quais te agradam, prepare a sala, reúna toda a família e divirta-se! -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Os lançamentos da Netflix em novembro de 2020 Os lançamentos do Amazon Prime Video em novembro de 2020 Lançamentos da Netflix na semana (20/11/2020) 10. Folklore: Sessões no Long Pond Studio   Quem não gosta de ir a fundo na composição das músicas dos seus artistas favoritos? Os fãs de Taylor Swift receberam um presente adorável esta semana: um documentário em que a própria Swift revela detalhes sobre a criação do seu novo álbum "folklore", além de contar o significado de cada faixa. Conforme indica a sinopse oficial, o Long Pond Studios, onde aconteceu a gravação, "evoca a natureza nostálgica e melancólica" do álbum, o que é enfatizado pelas imagens do doc. Embora os sites que fazem a média das notas da crítica ainda não tenham informações sobre a qualidade da produção, o Rotten Tomatoes já exibe a incrível nota de 99% da crítica não-especializada. No Brasil, Folklore: Sessões no Long Pond Studio foi um dos filmes mais comentados da semana, o que significa que muito provavelmente esta é uma obra que pode cativar até mesmo quem não é fã da cantora. Folklore: Sessões no Long Pond Studio é um original Disney+, podendo ser visto apenas pelos assinantes dessa plataforma. Leia também: Crítica | Em Miss Americana, Taylor Swift revela a sua ambição pela perfeição Rainha do Twitter, Taylor Swift é eleita a mais influente da rede social 15 filmes, documentários e séries para assistir no Disney+ 9. Penny Dreadful   Penny Dreadful é o equivalente britânico do estadunidense Pulp Fiction e do italiano Giallo, histórias fantásticas, bizarras, geralmente envolvendo terror, que ganhavam edições baratíssimas e de grande apelo popular. Muito do imaginário da cultura pop contemporânea tem suas raízes nesses tipos de publicação. A série Penny Dreadful faz sua homenagem ao reunir alguns dos principais personagens da ficção fantástica e de terror em uma única história. Estrelada pela diva dark Eva Green, a série conta ainda com a presença de Timothy Dalton e Reeve Carney para acompanhar um improvável grupo que se junta para enfrentar ameaças sobrenaturais que têm surgido em Londres. A série teve, no total, três temporadas que somaram apenas 27 episódios, ou seja, é uma ótima série para maratonar, porque já foi finalizada, mas é também uma opção que não vai demandar muito de quem não tem tempo de sobra para séries muito longas. Penny Dreadful tem suas três temporadas disponíveis para os assinantes do Globoplay e do NOW. Leia também: As 10 melhores séries britânicas para maratonar na Netflix As 10 melhores séries britânicas para assistir no streaming As 6 melhores séries britânicas para assistir no Amazon Prime Video 8. Industry   Estreia de 2020, Industry acompanha a tóxica realidade de jovens adultos que, desde muito cedo, precisam se submeter às corrupções e problemas do mundo financeiro para conseguir empregos que garantirão a estabilidade das suas vidas. A produção é uma parceria entre Reino Unido e EUA, e leva os selos de qualidade da BBC e da HBO, que produziram diretamente a série. O tema mais sério não agradou muito o público não-especializado, que ajudou a deixar a nota da série em 64% no Rotten Tomatoes. Em compensação, Industry agradou muito a crítica, que gerou a média de 81%. Essa não é uma sugestão para quem busca puro entretenimento, mas é uma opção excelente para quem procura séries que fogem um pouco das fórmulas mais populares. Industry está nos catálogos do HBO GO e do NOW. Leia também: 10 séries clássicas para maratonar no streaming durante o isolamento As 10 melhores séries originais da Netflix 9 séries mais longas da TV que ainda estão no ar 7. Three Christs   Ao ver o pôster de Three Christs, um elemento chama a atenção como motivo suficiente para assistir ao filme: a presença de Peter Dinklage, mais conhecido pelo seu papel como Tyrion Lannistere em Game of Thrones. Um olhar mais atento, no entanto, nos dá ainda mais motivos: Richard Gere, Walton Goggins e Bradley Whitford. Então vem o nome do filme, “Três Cristos” em tradução livre, o que deixa tudo ainda mais curioso. O filme acompanha o caso real relatado pelo psicólogo Milton Rokeach, mas com algumas doses de ficção ao mostrar um médico que acompanha três pacientes que sofrem de esquizofrenia paranoide e acreditam que são Jesus Cristo. O desenvolvimento da trama, apesar dos diversos elementos dramáticos, consegue ser tragicômica e bastante tocante, ainda que tenha sido dirigido por Jon Avnet, cuja única obra memorável é Tomates Verdes Fritos. Three Christs pode ser assistido pelos assinantes do NOW, além de estar disponível para compra ou aluguel no Looke. Leia também: Jason Momoa e Peter Dinklage farão vampiro e Van Helsing em Good Bad & Undead Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? 6. Super   Saudades dos filmes de super-heróis, não é? Mas não só de Marvel vive esse mundo. Antes do MCU se tornar uma febre, James Gunn, de Guardiões da Galáxia, fez Super, um filme de super-heróis que está bem longe de qualquer coisa que você possa imaginar. E estamos falando de James Gunn, o diretor que conseguiu transformar em um estrondoso sucesso um grupo de super-heróis praticamente desconhecidos da Marvel e que hoje são tão ou mais amados que os personagens mais tradicionais. O elenco com a presença de Rainn Wilson (The Office), Ellen Page (Juno), Liv Tyler (Armageddon) e Kevin Bacon (O Homem Sem Sombra) ajuda a contar a história de ação, comédia e drama sobre um homem comum que resolve se tornar super-herói mesmo sem ter poderes. Super pode ser assistido no Amazon Prime Video e no Looke, onde também pode ser comprado ou alugado. Leia também: 11 melhores filmes adaptados dos quadrinhos para assistir no isolamento 6 filmes de quadrinhos que mereciam ganhar o Oscar Os filmes de super-heróis e a rivalidade entre diretores e produtores 5. Cosmópolis   Robert Pattinson ficou estigmatizado por seu papel como Edward Cullen na franquia Crepúsculo ao ponto de os fãs esquecerem que ele já havia sido amado quando era Cedrico Diggory em Harry Potter. Apesar de ter feito tantos outros filmes, porque Pattinson não conseguiu conquistar a confiança de muitos ao encarnar o novo Batman? Isso acontece porque ele se retirou do circuito comercial e trabalhou com grandes diretores que não são muito populares, como é o caso de David Cronenberg, diretor de Cosmópolis. Nesse filme muito louco, Pattinson está incrível no papel de um jovem bilionário que está atravessando Manhattan em uma limusine para cortar o cabelo. O trajeto, no entanto, se torna uma verdadeira odisseia quando diversos personagens começam a surgir e começam a fazer o seu mundo desmoronar. Nesse filme, Pattinson inclusive dá conta de contracenar com gigantes como Juliette Binoche e Paul Giamatti, deixando claro que ele não só está à altura do Homem-Morcego, como precisaremos também ver se o próprio Batman de Matt Reeves está à altura do ator. Cosmópolis está disponível para streaming no Amazon Prime Video, Globoplay e Belas Artes. Leia também: 10 filmes que provam que Robert Pattinson é um ótimo ator Os 10 melhores filmes da década (do circuito mais restrito) 10 filmes cults que você precisa assistir no streaming do Telecine 4. Luta por Justiça   O diretor do não tão conhecido, mas excelente Temporário 12 retornou no ano passado com Luta por Justiça, que só chegou aos nossos cinemas em fevereiro deste ano. Além do nome do cineasta, Destin Daniel Cretton, o filme conta ainda com um elenco liderado por Michael B. Jordan (Pantera Negra), Jamie Foxx (Power) e Brie Larson (Capitã Marvel) para contar a história de um advogado defensor dos direitos civis que precisa tentar inocentar um homem que foi erroneamente condenado à morte. Baseado no livro de Bryan Stevenson, o filme chegou a ficar entre os 10 melhores de 2019 e ainda rendeu um prêmio de Melhor Ator Coadjuvante para Jamie Foxx pela Associação de Críticos de Cinema Afro-Americanos. Após o filme, os atores chegaram a se reunir com Stevenson para um diálogo em que mostravam como os filmes poderiam causar transformações reais no mundo. Luta por Justiça está no catálogo do HBO GO, podendo também ser comprado no iTunes, Play Store e Microsoft Store. Leia também: Crítica | Luta Por Justiça desenha para expor o racismo 10 filmes importantes para refletir sobre racismo e Consciência Negra Filmes com apologia ao preconceito devem ser censurados ou não? 3. Tio Frank   Escrito e dirigido por Alan Ball, da série A Sete Palmos, Tio Frank é uma estreia deste ano e traz Paul Bettany, o Visão do MCU, como Frank, um homem que embarca em uma viagem com sua sobrinha de 18 anos e, inesperadamente, com seu próprio amante. De época, esse novo road trip ambientado em 1973 é muito sensível ao falar sobre o contexto social que se choca com as vidas pessoais dos personagens. Frank é inspirado em um personagem real, o pai do diretor, o que deixa a história ainda mais íntima e comovente, o que é acentuado também pela atuação de Sophia Lillis, mas conhecida por seu papel como It: A Coisa e Maria e João: O Conto das Bruxas. Para além da história, Tio Frank ainda conta com uma direção de arte incrível ao reviver a atmosfera dos anos 1970. Tio Frank estrou com exclusividade no Amazon Prime Video. Leia também: Os 10 melhores filmes originais do Amazon Prime Video 10 filmes premiados para assistir no Amazon Prime Video 10 filmes para assistir no Amazon Prime Video durante o isolamento 2. 007 Contra Spectre   Com Sem Tempo Para Morrer a caminho, rever o penúltimo filme de Daniel Craig como 007 pode ser uma excelente escolha. Em 007 Contra Spectre o agente secreto precisara enfrentar um dos seus clássicos inimigos, Blofeld, cuja principal marca é o gato branco que está sempre em seu colo. Além disso, Blofeld é tão icônico que é justamente ele o vilão caricaturado por Myke Myers em Austin Powers - Um Agente Nada Discreto. Dirigido por Sam Mendes, 007 Contra Spectre mantém a altíssima qualidade desse reboot suave iniciado por 007: Cassino Royale em 2006. Além disso, o filme ostenta uma longa lista de nomes incríveis que retornarão no filme que marcará a despedida de Craig do universo James Bond e apresentará a nova agente 007. 007 Contra Spectre está no catálogo do Telecine, podendo também ser comprado ou alugado no iTunes, Play Store e Microsoft Store. Leia também: 007 | Spectre? Goldfinger? Quais os melhores filmes de James Bond? 007 - Sem Tempo Para Morrer | Conheça o vilão de Rami Malek no novo filme Sem Tempo para Morrer | Vilão do novo 007 deve ser o mais assustador de todos 1. Ilha da Fantasia   Ilha da Fantasia foi um sucesso quando foi ao ar entre 1977 e 1984, com Ricardo Montalban e Hervé Villechaize se tornando as faces mais conhecidas da série. Anos depois chega o remake, muito mais focado em um aparente terror e se afastando da vibe mais leve da série, que tinha até mesmo elementos de comédia. Lançado este ano, Ilha da Fantasia foi um dos últimos filmes a estrear nos cinemas brasileiros e agora ganha espaço na internet para contar a história de um grupo de pessoas que são convidadas a uma ilha onde poderão realizar suas mais complexas e elaboradas fantasias. Ainda que não seja classificado como terror, o novo Ilha da Fantasia tem diversos elementos desse gênero, deixando a história mais obscura e até mesmo assustadora em alguns momentos. Ilha da Fantasia pode ser assistido pelos assinantes do NOW, além de estar disponível para aluguel ou compra no iTunes, Play Store e Microsoft Store. O título também pode ser comprado no Looke. Leia também: Crítica | A Ilha da Fantasia é um coice Qual a diferença entre remake, remaster e reboot? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Fim do Sistema Solar | Como a Via Láctea vai nos destruir em 1 trilhão de anos Sony estaria banindo donos de PS5 que abusam da PlayStation Plus Collection Lançamentos da Netflix na semana (27/11/2020) Miniórgãos revolucionam o que a ciência sabe sobre a COVID-19; entenda Destaques da NASA: fotos astronômicas da semana (21/11 a 27/11/2020) Veja Mais

Eclipse lunar penumbral: saiba como observar o evento na segunda-feira (30)

Eclipse lunar penumbral: saiba como observar o evento na segunda-feira (30)

Tecmundo Na próxima segunda-feira (30), acontecerá um eclipse lunar penumbral. Isso significa que a Lua perderá parte de seu brilho ao passar pela parte externa da sombra do planeta Terra, que é projetada pelo Sol.Vale ressaltar que é importante não confundir esse tipo de eclipse lunar com o total e o parcial. Em um eclipse lunar total, a Terra passa exatamente entre o Sol e a Lua, obstruindo a luz do Sol; já em um eclipse parcial, a Lua passa por parte da sombra escura da Terra, conhecida como umbra. Leia mais... Veja Mais

'Waterworld': por que 'maior fracasso' do cinema é visto com outros olhos 25 anos depois

G1 Pop & Arte Embora não tenha sido sucesso de crítica ou bilheteria, o filme teve impacto positivo nas discussões sobre as mudanças climáticas. Quando Waterworld - O Segredo das Águas estreou nos cinemas americanos em julho de 1995, foi um grande fiasco. E quando entrou em cartaz no Reino Unido, apenas duas semanas depois — com status de filme mais caro já feito até então, problemas na produção, críticas de medianas a negativas e bilheteria comparativamente fraca —,. havia todos os ingredientes para a obra se consolidar como um verdadeiro fracasso. Mas, 25 anos depois, o legado e o impacto de Waterworld merecem uma releitura. O roteirista do filme, Peter Rader, que criou a aventura pós-apocalíptica ambientada em um futuro em que as calotas polares derretem e a água cobre a Terra, disse à BBC Culture que Waterworld é, na verdade, "uma das produções de maior sucesso" no vasto catálogo da Universal. Com razão, já que a atração Waterworld: A Live Sea War Spectacular tem sido fundamental para os parques temáticos da Universal Studios desde que foi aberta em Hollywood, apenas algumas semanas após o lançamento do filme. Uma das atrações mais populares nas filiais do parque em Cingapura e no Japão, a performance gerou "bilhões em receita" para o estúdio, de acordo com Rader. "Milhões de pessoas foram expostas ao conceito de Waterworld. (O parque) tem uma área dedicada ao Jurassic Park. Uma área para o Harry Potter. Uma área do Transformers. E todas essas são franquias de uma série de filmes. Todas tiveram pelo menos três, em alguns casos sete produções. Waterworld é apenas um único filme. O que isso quer dizer sobre o conceito? É tão primordialmente atraente." Mesmo como filme, Waterworld "não é tão terrível quanto alguns críticos afirmam", diz Sorcha Ní Fhlainn, professora de Estudos de Cinema e Estudos Americanos na Manchester Metropolitan University, no Reino Unido. "Tem algumas cenas emocionantes e faz considerações importantes sobre ecologia, combustíveis fósseis e sustentabilidade na década de 1990." Não é à toa que Waterworld foi reavaliado pelos críticos nos últimos anos, com o jornal britânico The Guardian descrevendo o longa como um "clássico cult em produção", e a revista americana Forbes afirmando que o filme foi o "maior fracasso de bilheteria sem ter sido". Embora Rader, que foi substituído por David Twohy como roteirista, quando o ator Kevin Costner e o diretor Kevin Reynolds se juntaram à equipe, admita que ficou decepcionado com o tom de Waterworld, há vários elementos que ele adora na versão final do filme. Particularmente, a cena silenciosa de abertura, que mostra como o marinheiro interpretado por Kevin Costner filtra sua própria urina para beber — o que, segundo Rader, é um excelente exemplo de narrativa visual, conforme ensinado na renomada escola de cinema da University of Southern California, nos EUA. Grande demais para fazer sucesso Mas se os fãs de cinema estão começando agora a apreciar Waterworld, por que o filme foi tão avidamente rejeitado e atacado quando foi lançado? De acordo com Yannis Tzioumakis, da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, uma tempestade perfeita de problemas arruinou a estreia do longa. Em primeiro lugar, houve um "grande aumento no que chamamos de infoentretenimento" — combinação entre notícias e entretenimento. Isso abrange principalmente "números de bilheteria e produções cinematográficas, especialmente quando enfrentam problemas e estouram o orçamento". A duplicação e, em seguida, triplicação dos custos de produção de Waterworld, acompanhada pela destruição de um set multimilionário de filmagem por um furacão e a batalha criativa de Costner com Reynolds, que resultou na saída do diretor antes de a edição ser finalizada, logo se tornaram a matéria-prima perfeita para esses programas. Além disso, a série de filmes incríveis protagonizados por Costner, que começou em 1987 com Sem Saída e Os Intocáveis, e foi seguida por Sorte no Amor, Campo dos Sonhos, Dança com Lobos, Robin Hood - O Príncipe dos Ladrões, JFK, O Guarda-Costas e Um Mundo Perfeito já havia sido interrompida em 1994. Tanto Wyatt Earp quanto A Árvore dos Sonhos foram um fracasso de bilheteria — nenhum dos dois conseguiu arrecadar nem a metade de seus orçamentos. Por volta dessa época, O Último Grande Herói e A Ilha da Garganta Cortada também foram um fiasco. Esses blockbusters com orçamentos milionários eram a antítese do movimento indie de Hollywood dos anos 1990, diz Ní Fhlainn, especialmente com "o surgimento de novos diretores, como Quentin Tarantino", e uma onda de "filmes emocionantes de sucesso comercial e de crítica". Mas embora Waterworld possa ser mais interessante do que costuma ser lembrado, há dois aspectos do filme que são terrivelmente datados. A falta de diversidade é assustadora, já que o elenco é quase inteiramente branco e masculino. Rader reconhece que este lado de Waterworld é particularmente "gritante" nos "dias de hoje". O tratamento que o filme oferece às personagens femininas não é muito melhor. Ní Fhlainn observa como o longa mostra repetidamente uma "compreensão limitada da complexidade feminina". No filme, um grupo chamado Smokers está à procura de uma garota que tem um mapa para terra firme tatuado nas costas; segundo Ní Fhlainn, a menina Enola (Tina Majorino) e sua tutora Helen (Jeanne Tripplehorn) são tratadas como "commodities a serem negociadas ou mantidas em segurança". E todas as suas ações apenas "ressaltam a centralidade do marinheiro na trama", que oferece Helen como isca para os saqueadores. Embora Waterworld evidencie o quão branca e masculina é a história recente de Hollywood, o filme teve pelo menos um impacto positivo nas discussões sobre as mudanças climáticas. Em meados da década de 1980, quando começou a trabalhar no roteiro, Rader sabia que o derretimento das calotas polares resultaria no aumento do nível do mar em cerca de 10 metros, e não colocaria tudo debaixo d'água como acontece no filme. Isso obviamente teria resultado em um filme muito mais "seco" e menos impactante. E, segundo Rader, ele e Reynolds estavam certos de que queriam fazer "algo para alardear essa preocupação urgente com o planeta, na forma de filme comercial". Para isso, eles encheram Waterworld com uma série de referências ambientais, incluindo transformar o navio Exxon Valdez — petroleiro que colidiu na costa do Alasca em 1989 e derramou 10,8 milhões de galões de óleo no oceano — em uma base para os vilões no filme. Waterworld incluía originalmente muito mais referências ao impacto do homem sobre a Terra — como a revelação de que Dryland, o último lugar não coberto por água no planeta, era na verdade o cume do Monte Everest. A ideia original era mostrar isso com a descoberta de uma placa que detalhava como os alpinistas Edmund Hillary e Tenzing Norgay haviam escalado o pico. Segundo Rader, Reynolds disse a ele que "este foi o momento em que soube que queria fazer o filme", ​​comparando à "cena do Planeta dos Macacos em que você vê a coroa da Estátua da Liberdade". Infelizmente, de acordo com Rader, quando Costner "basicamente assumiu a edição" de Waterworld, este final foi removido, o que ele classifica como uma das "poucas oportunidades perdidas" no filme. Embora Waterworld não mencione explicitamente o aquecimento global, Ann Merchant acredita que o filme teria feito, sem dúvida, os espectadores questionarem sobre a crise ambiental e "buscarem mais fontes confiáveis ​​para entendê-la". "Se tornou um marco cultural na dramatização de como a mudança climática pode nos impactar", diz Merchant. Peter Gleick, especialista de renome mundial em questões sobre água e clima, compartilha deste sentimento, afirmando que, como exemplo de ficção climática, Waterworld é "ainda mais relevante e certeiro hoje do que era quando foi lançado". "Esses filmes nos oferecem pequenos lampejos do futuro. Por mais realistas que possam ser ou não, eles nos dão a oportunidade de refletir que talvez devêssemos fazer algo para impedir que essas coisas ruins aconteçam." O trabalho de Rader em Waterworld repercutiu além do cinema. Em abril de 2019, ele foi convidado para fazer parte da primeira mesa redonda sobre Cidades Flutuantes Sustentáveis ​​na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, ao lado de uma equipe de especialistas. Uma maquete projetada pelo arquiteto Bjarke Ingels foi criada para a ocasião e colocada no meio da mesa. Rader não conseguia acreditar no que estava diante dos seus olhos. "Parecia exatamente com o nosso atol de Waterworld... Foi uma satisfação imensa estar em uma sala em que os conceitos que eu criei três décadas atrás poderiam de fato nos ajudar". O impacto ambiental de Waterworld vai ainda mais além. Costner ficou tão inspirado com o longa que comprou a Ocean Therapy Solutions, empresa especializada em separar óleo da água — processo usado para mitigar derramamentos de óleo — e que vendeu sua tecnologia para a BP após a explosão da plataforma Deepwater Horizon, em 2010. Atualmente, a previsão é que o gelo do mar Ártico, que desempenha um papel vital no controle do clima no planeta, pode desaparecer já em 2035. Então, da próxima vez que você ouvir alguém chamar Waterworld de fiasco, diga que um dia, ele pode ajudar a salvar o planeta. Vídeos: Saiba tudo sobre entretenimento com o Semana Pop Veja Mais

Wiz anuncia renúncia do conselheiro Camilo Godoy, envolvido em esquema investigado pela PF

Valor Econômico - Finanças Segundo a PF, entre 2014 e 2016, três diretores da companhia teriam praticado atos de gestão fraudulenta e desviado valores que podem chegar a R$ 28,3 milhões A corretora Wiz, que foi alvo de uma operação da Polícia Federal na quinta-feira, anunciou a renúncia do membro do conselho de administração Camilo Godoy. “A companhia esclarece que o conselheiro renunciante outorga a Wiz a mais plena, irrevogável, irretratável, ampla, rasa e geral quitação, para nada mais reclamar, receber ou repetir, seja a que título for”. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Em áudio, chefe de gabinete do prefeito do Recife cobra de volta “ajudinha” dada à candidata

Valor Econômico - Finanças Rodrigo Farias diz que não há qualquer irregularidade no áudio divulgado Uma gravação de ligação telefônica mostra o chefe de gabinete do prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), Rodrigo Farias, cobrando de volta uma “ajudinha” dada à candidata a vereadora Charmainne Almeida (Solidariedade). No áudio ao qual o Valor teve acesso, com 3min27seg, Farias discute com Charmainne e diz que vai mandar uma pessoa para buscar o dinheiro. Ela responde que vai chamar a polícia. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

ONU pede 'contenção' após assassinato de cientista iraniano

O Tempo - Mundo O Irã culpou Israel pelo assassinato de Mohsen Fakhrizadeh na sexta-feira e ameaçou se vingar Veja Mais

TSMC termina as obras de construção de sua fábrica para o processo de 3 nm

canaltech A TSMC organizou uma cerimônia nesta quinta-feira (24) para celebrar o fim das obras em sua nova fábrica de 3 nm, localizada na cidade de Tainan. A produção no local, porém, deve ficar para o final de 2022, após a instalação do maquinário necessário para a operação. TSMC vai produzir chips de 3 nm apenas no 2º semestre de 2022, diz site Problemas da Samsung na fabricação de 5 nm podem afetar celulares em 2021 Exynos 1080 é o primeiro chip de 5 nm da Samsung e inclui modem 5G Segundo Mark Liu, CEO da empresa, o local será sede da fábrica mais avançada de semicondutores no mundo, mantendo a atual liderança da empresa taiwanesa no segmento. Tanto a TSMC quanto a Samsung Foundry atualmente oferecem um processo de fabricação de 5 nm, enquanto a geração mais avançada da norte-americana Intel é a de 10 nm (equivalente à litografia de 7 nm das rivais). A nova unidade da TSMC, no Parque Científico do Sul de Taiwan, ocupa uma área total de cerca de 35 hectares, com mais de 160.000 metros quadrados de área útil. O local tem capacidade estimada de produção de 600.000 placas de silício (wafers) com diâmetro de 12 polegadas (cerca de 30 cm). -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Cada placa inclui centenas de processadores do mesmo tipo (Imagem: divulgação/TSMC) O início da operação na fábrica deve expandir o número de funcionários da empresa dos atuais 15.000 para 20.000 empregados no parque. Além disso, o CEO destacou que a unidade adota medidas para uso eficiente de energia e água, com o compromisso de utilizar 100% de energias renováveis até 2050. De acordo com a TSMC, o processo de 3 nm — chamado pela empresa de N3 — apresenta uma densidade de transístores 70% superior ao atual N5 (usado, por exemplo, pelos chips A14 e M1 da Apple). O resultado prático da miniaturização é um aumento de desempenho de até 15% ou uma redução no consumo de energia de até 30%. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Destaques da NASA: fotos astronômicas da semana (21/11 a 27/11/2020) Anvisa se posiciona após Doria afirmar que pode adotar CoronaVac sem aprovação Lançamentos da Netflix na semana (27/11/2020) Sony estaria banindo donos de PS5 que abusam da PlayStation Plus Collection Cientistas descongelam e ressuscitam vermes de mais de 42 mil anos atrás Veja Mais

Kátia Abreu recebe alta após uma semana internada com covid-19

Valor Econômico - Finanças Senadora foi internada após exames mostraram um avanço na inflamação dos pulmões A senadora e ex-ministra da Agricultura Kátia Abreu (PP-TO) recebeu alta hospitalar neste sábado, após passar uma semana internada no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, para tratar da Covid-19. Kátia Abreu continuará a recuperação em casa. A informação foi divulgada pela assessoria da senadora. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Boris Casoy vira youtuber e diz que não teve toda a liberdade na RedeTV!

O Tempo - Diversão - Magazine Apresentador vai estrear na Gazeta, na próxima segunda (30), o 'Jornal do Boris', das 8h45 às 9h15, telejornal que ele começou no final de outubro em seu canal no YouTube Veja Mais

Após episódio de violência policial, milhares protestam na França contra lei de segurança

Valor Econômico - Finanças Organizações afirmam que "projeto de lei pretende restringir a liberdade de imprensa, a liberdade de informar e de ser informado, a liberdade de expressão, as liberdades públicas fundamentais de nossa República” Milhares de franceses foram hoje para as ruas contra um projeto de lei sobre segurança que é considerado uma mordaça por críticos, informa o site G1 com informações da agência AFP. O país entrou em ebulição após novo caso de violência policial. O presidente da França, Emmanuel Macron, disse ontem que as imagens que mostram policiais parisienses atacando brutalmente um produtor musical negro em Paris "envergonham" o país. Gravadas por câmeras de vigilância, as imagens de 21 de novembro mostram Michel Zecler sendo agredido na entrada de seu estúdio na capital francesa. Ao depor, o ele disse que os agentes de segurança também proferiram xingamentos racistas não captadas por câmeras. Os protestos de hoje se concentram em três artigos do projeto de lei de Segurança Global aprovado na Assembleia Nacional semana passada, que enquadram a divulgação de imagens da polícia, o uso de drones, assim como imagens das forças de segurança feitas por cidadãos com telefones celulares. Segundo a reportagem, milhares de pessoas protestaram durante a manhã nas cidades de Lille (norte) e Montpellier (sudeste). Em Paris, centenas de manifestantes começaram a se reunir no início da tarde na Praça da República, de onde caminharam por pouco mais de dois quilômetros até a Praça da Bastilha. As organizações que convocaram os protestos afirmam que o "projeto de lei pretende restringir a liberdade de imprensa, a liberdade de informar e de ser informado, a liberdade de expressão, as liberdades públicas fundamentais de nossa República.” Veja Mais

Milhares protestam na França, abalada pela violência policial

O Tempo - Mundo Manifestantes saíram às ruas contra um projeto de lei sobre segurança, considerado uma mordaça por seus críticos Veja Mais

Caixa abre hoje 762 agências para pagar auxílio emergencial

Valor Econômico - Finanças Ao todo, foram creditados R$ 6,1 bilhões para 7,3 milhões de beneficiários dos ciclos 3 e 4 A Caixa Econômica Federal abre hoje 771 agências para o pagamento do auxílio emergencial a 7,3 milhões de beneficiários dos ciclos 3 e 4, nascidos em agosto e setembro. O atendimento será feito das 8h ao meio-dia. Ao todo, foram creditados R$ 6,1 bilhões para esse público. Desse total, R$ 2,58 bilhões são referentes às parcelas do auxílio emergencial, de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras). O restante, R$ 3,52 bilhões, corresponde às parcelas do auxílio emergencial extensão, de R$ 300 (R$ 600 para mães solteiras). Não é preciso chegar antes do horário de abertura. Em comunicado, a Caixa esclareceu que todas as pessoas que procurarem as agências dentro do período de funcionamento serão atendidas. Além do saque, será possível transferir de forma gratuita os valores, por meio do aplicativo Caixa Tem, para outra conta — seja da Caixa ou de outras instituições financeiras. Do total de beneficiários, 3,6 milhões nasceram em agosto e 3,7 milhões, em setembro. Entre os beneficiários do ciclo 3, o dinheiro foi depositado na conta poupança digital em 21 de outubro, para os nascidos, em agosto, e em 25 de outubro, para os nascidos em setembro. No ciclo 4, os depósitos na poupança digital ocorreram em 13 de novembro, para os nascidos em agosto, e em 15 de novembro, para os nascidos em setembro. Até agora, os recursos podiam ser movimentados apenas por meio do Caixa Tem, que permite compras por cartão de débito virtual, compras por QR Code (versão avançada do código de barras) em estabelecimentos parceiros e o pagamento de boletos e de contas residenciais. Desde o início do programa, em abril, o auxílio emergencial alcançou 67,8 milhões de brasileiros, num montante de R$ 264,8 bilhões creditados em cinco parcelas regulares e até três parcelas do auxílio extensão. A lista das agências está disponível no endereço www.caixa.gov.br/agenciasabado Veja Mais

Coronavírus: Brasil chega a 172.561 mortes em 6.290.272 casos confirmados | Relatório diário

tudo celular Fique por dentro dos dados atualizados de casos confirmados e mortes por Covid-19 no Brasil e no mundo. Veja Mais

Witzel comemora absolvição do governador de SC em processo de impeachment

Valor Econômico - Finanças Assim como governador catarinense, ex-juiz também foi afastado do governo do Rio por um tribunal misto, formado por deputados e desembargadores A absolvição do governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, decidida na última sexta-feira (27) por seis votos a três pelo tribunal misto que analisava o processo de impeachment, foi celebrada pelo governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. O ex-juiz também responde junto a um tribunal misto, formado por cinco deputados e cinco desembargadores, e entrega sua defesa no processo na próxima segunda-feira (30). Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Em Ribeirão Preto, Duarte Nogueira tem 61% dos votos, e Suely Vilela, 39%, aponta Ibope

Valor Econômico - Finanças Tucano subiu nove ponto em relação à pesquisa anterior O candidato Duarte Nogueira (PSDB) tem 61% dos votos válidos na disputa pela Prefeitura de Ribeirão Preto (SP), aponta pesquisa Ibope divulgada neste sábado (28). Já Suely Vilela (PSB) aparece com 39% dos votos válidos, que excluem brancos, nulos e indecisos. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Em João Pessoa, Cícero Lucena tem 58%, e Nilvan Ferreira, 42%, aponta Ibope

O Tempo - Política Levantamento foi feito entre os dias 27 e 28 de novembro Veja Mais

Barroso pede em pronunciamento que eleitores não entreguem o destino aos outros

O Tempo - Política O TSE reforçou os testes preparatórios para evitar que novos problemas no domingo Veja Mais

Beneficiários do Bolsa Família poderão receber auxílio por poupança digital

canaltech A Caixa Econômica Federal (CEF) anunciou nesse sábado (28) que, a partir de dezembro, os beneficiários do programa Bolsa Família receberão o auxílio por meio a Conta Poupança Social Digital. A ação beneficiará mais de nove milhões que tem direito ao pagamento, mas não possuem nenhum conta bancária. O que é Poupança Social Digital e como usar no seu celular A partir da Conta Poupança Social Digital, será possível não apenas sacar os valores recebidos, como também movimentá-los pelo aplicativo CAIXA Tem. A modalidade também permitirá que o beneficiário tenha conta bancária sem obrigatoriedade de saque integral das parcelas. A abertura das contas será feita de forma automática e escalonada pela Caixa sem a necessidade de apresentação de documentos ou comparecimento às agências. App Caixa TEM, que permitirá a movimentação da poupança digital (Captura de tela: Laisa Trojaike/Canaltech) Além de movimentar o benefício pelo aplicativo, os beneficiários poderão continuar sacando os recursos por meio do Cartão Bolsa Família ou Cartão Cidadão. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Abertura gradual das contas A CEF informou também que a abertura das contas Poupança Social Digital para crédito do Bolsa Família será feita de forma gradual e escalonada. Os primeiros a receber os recursos com os serviços nesta modalidade serão os beneficiários de NIS com final 9 e 0, seguindo a data de crédito regular do programa.   A primeira etapa ocorrerá em dezembro, com cerca de 1,5 milhão de pessoas recebendo os valores pelo CAIXA Tem. Mês a mês, de acordo com o último digito no NIS, os beneficiários passarão a receber o benefício do Bolsa Família com os serviços da Conta Poupança Social Digital, conforme o seguinte calendário: - Beneficiários com NIS final 6, 7 e 8 receberão a partir de janeiro de 2021 (2,25 milhões de pessoas) - Beneficiários com NIS final 3, 4 e 5 receberão a partir de fevereiro de 2021 (2,25 milhões de pessoas) - Beneficiários com NIS final 1, 2 e Grupos Populacionais Tradicionais Específicos (indígenas, quilombolas, ribeirinhos, extrativistas, pescadores artesanais, comunidades tradicionais, agricultores familiares e outros) receberão a partir de março de 2021 (três milhões de pessoas) Mas o que é a Poupança Social Digital da CEF? ​A Poupança Social Digital CAIXA é uma modalidade de poupança cuja movimentação é feita pelo aplicativo Caixa Tem e que não possui limite de movimentação e saldo. Ela foi criada pela CEF para beneficiários de programas do Governo Federal, como o Auxílio Emergencial, o Benefício Emergencial e o Fundo de Garantia do Trabalhador Social (FGTS). ​A partir da Poupança Social Digital CAIXA, o usuário poderá - através do Caixa Tem - realizar pagamentos e transferências; transações com utilização do Cartão Virtual de Débito e saque sem cartão em terminais de autoatendimento (ATM), Lotéricas e Correspondentes CAIXA Aqui Transacionais. ​​A Poupança Digital Caixa é isenta de tarifa mensal de manutenção e conta com os seguintes serviços básicos gratuitos:Realização de até 02 (dois) saques por mês, em terminal de autoatendimento e unidades lotéricas (em breve, pelo Saque Digital sem cartão); Realização de 03 (três) transferências por mês, para conta de depósitos para outros bancos; Realização ilimitada de transferências para contas da Caixa; Fornecimento de até 02 (dois) extratos, por mês, contendo a movimentação dos últimos trinta dias; Realização de consultas por meio digital, site ou aplicativos disponibilizados pela Caixa. As movimentações que ultrapassem os serviços básicos são cobradas conforme Tabela de Tarifas vigente. Além disso, a regra da poupança determina que a remuneração dos depósitos de poupança é composta de duas parcelas: a remuneração básica, dada pela Taxa Referencial - TR; a remuneração adicional, correspondente a: 0,5% ao mês, enquanto a meta da taxa Selic ao ano for superior a 8,5%; ou 70% da meta da taxa Selic ao ano, mensalizada, vigente na data de início do período de rendimento, enquanto a meta da taxa Selic ao ano for igual ou inferior a 8,5%. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Fim do Sistema Solar | Como a Via Láctea vai nos destruir em 1 trilhão de anos Sony estaria banindo donos de PS5 que abusam da PlayStation Plus Collection Lançamentos da Netflix na semana (27/11/2020) Miniórgãos revolucionam o que a ciência sabe sobre a COVID-19; entenda Destaques da NASA: fotos astronômicas da semana (21/11 a 27/11/2020) Veja Mais

Cielo diz que vendas no varejo caíram 14,5% na Black Friday

Valor Econômico - Finanças Índice considera as vendas gerais e não apenas as transações processadas na maquininha da empresa A Cielo informou que as vendas no varejo brasileiro caíram 14,5% na Black Friday deste ano, comparado com a data no ano passado. O índice considera as vendas gerais, e não apenas as transação processadas nas maquininhas da Cielo. A queda geral foi puxada pelo varejo físico, que teve contração de 25,5%, enquanto no comércio eletrônico as vendas cresceram 21,2%. Outro impacto claro da pandemia do novo coronavírus no resultado se reflete na divisão por setores. As vendas em turismo e transporte caíram 50,7%. Outros segmentos com queda foram cosméticos e higiene pessoal (-41,4%) e vestuário (-36,7%). Já os setores com maior expansão foram materiais para construção (9,9%), drogarias e farmácias (2,6%) e veterinárias e pet-shops (1,7%). Na divisão geográfica, a região Sudeste liderou as quedas, com baixa de 31,1%. Na sequência aparecem Nordeste (-21,8%), Sul (-21,4%), Centro-Oeste (-13,3%) e Norte (-10,2%). De acordo com o superintendente-executivo de inteligência da Cielo, Gabriel Mariotto, o crescimento do e-commerce está relacionado com a maior familiaridade das pessoas em comprar pela internet. “Desde o início da pandemia, com as medidas de isolamento, as pessoas buscaram o e-commerce para realizar compras. Essa mudança de comportamento se reflete nos resultados da black friday, uma data tradicionalmente mais forte nesse canal”, afirma em nota. Considerando a Black Friday e a véspera, as vendas no varejo brasileiro tiveram queda de 8,6% este ano na comparação com o mesmo período do ano passado. Veja Mais

Carlos Fernandes toma posse como diretor-presidente da BRB Financeira

Valor Econômico - Finanças Segundo o Banco de Brasília (BRB), executivo foi interino no Ministério das Cidades e Integração O Banco de Brasília (BRB) informou que Carlos Antônio Vieira Fernandes tomou posse como diretor-presidente da BRB Financeira. Ele é graduado em estudos sociais pela Faculdade de Ciências Filosóficas e Letras de Guarabira, com MBAs em finanças empresariais pela FGV, executivo internacional pelo Instituto Amana-Key, comércio externo pela Universidade Católica de Brasília e estratégias empresariais pelo Centro Universitário de João Pessoa. Fernandes atuou em diversos cargos e funções, como diretor operacional da BRB Financeira, ministro interino no Ministério das Cidades e Integração, presidente do conselho de administração da Empresa Brasileira de Transportes Urbanos (CBTU) e membro do conselho da Litel e Vale. Funcionário aposentado da Caixa, também foi diretor-presidente da Funcef. Veja Mais

Banco Inter diz que Rubens Menin transferiu fatia de 24,14% das ações para nova holding

Valor Econômico - Finanças Família Menin, dona da construtora MRV, também é a controladora do Banco Inter O Banco Inter informou que Rubens Menin transferiu suas 176.275.468 ações ordinárias e 8252.121 ações preferenciais, representando aproximadamente 24,14% do total de ações emitidas pelo banco, para integralizar o capital de uma nova holding financeira, chamada Inter HoldFin. Menin controla e detém 99,99% da holding. A família Menin, dona da construtora MRV, também é a controladora do Banco Inter. Menin é presidente do conselho de administração do banco e seu filho, João Victor Menin, é o CEO da instituição. Veja Mais

Boulos quer 'programa massivo de contratação' de espetáculos pela prefeitura

O Tempo - Política Em seu programa, Boulos diz que vai aumentar gradativamente as verbas da cultura até chegar em 3% do total do orçamento da cidade, até 2024 Veja Mais

Em evento sem Boulos na véspera do pleito, Erundina destaca união da esquerda

O Tempo - Política Boulos está recolhido em casa após testar positivo para a covid-19 na tarde de sexta-feira. Nesta sábado, o candidato apresentou sintomas da doença Veja Mais

Bolsonaro completa três semanas sem parabenizar Biden por vitória

O Tempo - Mundo Trump denuncia desaparecimento de votos na Pensilvânia, e brasileiro aguarda decisão do colégio eleitoral Veja Mais

França e Bélgica começam a afrouxar medidas contra segunda onda de covid-19

Valor Econômico - Finanças Bares e restaurantes, contudo, permanecerão fechados nos dois países A França iniciou neste sábado o afrouxamento das novas medidas de isolamento social contra a covid-19, à medida que a segunda onda da pandemia começou a refluir no país. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Covid-19: Maior fabricante de vacinas do mundo pedirá licença de emergência

O Tempo - Mundo Indiana Serum poderá produzir 100 milhões de doses da Oxford- Astrazeneca Veja Mais

TEM GOL BRASILEIRO NA PREMIER LEAGUE! Melhores momentos de Crystal Palace 0 x 2 Newcastle

TEM GOL BRASILEIRO NA PREMIER LEAGUE! Melhores momentos de Crystal Palace 0 x 2 Newcastle

Fox Sports Brasil Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! https://www.espn.com.br/ ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Juntos na torcida! #CrystalPalace #Newcastle #PremierLeague Veja Mais

Em Fortaleza, Sarto (PDT) lidera com 54%; Capitão Wagner (Pros) tem 35%, aponta Ibope

Valor Econômico - Finanças Considerando-se os votos válidos, Sarto tinha 61% e Capitão Wagner, 39% A um dia do segundo turno das eleições municipais, o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, José Sarto (PDT), é o favorito para ser o próximo prefeito de Fortaleza. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

SP reforçará linhas de transportes públicos amanhã

Valor Econômico - Finanças Ao todo, 16 municípios paulistas irão definir prefeitos no segundo turno A Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM) informou que irá reforçar suas linhas, para facilitar o deslocamento da população amanhã, quando ocorre o segundo turno das eleições municipais. Estão vinculadas à pasta a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU/SP) e a Companhia do Metropolitano de São Paulo, responsável pelas linhas de metrô. Em nota, o órgão esclarece que todas as linhas da CPTM, com exceção da 13 — Jade, irão circular com um intervalo de 15 minutos entre os trens. Em geral, a empresa deixa para realizar obras aos fins de semana normais, o que acaba aumentando o tempo de espera para os passageiros. O intervalo também será reduzido nas linhas 1 — Azul, 2 — Verde, 3 — Vermelha e 15 — Prata do metrô. As Linhas 4 — Amarela e 5 — Lilás, operadas pela ViaQuatro e ViaMobilidade, respectivamente, devem manter a frota inalterada. Portanto, o tempo de espera será o mesmo de todo domingo. A STM acrescenta que a operação será monitorada "ininterruptamente" e que podem ser disponibilizados mais trens, caso a demanda aumente. "Também haverá reforço no quadro de agentes de estação e de segurança para auxiliar no embarque e desembarque de idosos e pessoas com deficiência", diz. Já a EMTU/SP, que gerencia ônibus intermunicipais, decidiu, em princípio, manter a tabela de horários da frota que atende aos domingos. Caso haja um aumento no número de passageiros em alguma linha específica, a empresa poderá ampliar a quantidade de viagens. Ao todo, 16 municípios paulistas irão definir prefeitos no segundo turno. Além da capital paulista, o pleito será realizado em Bauru, Campinas, Diadema, Franca, Guarulhos, Limeira, Mauá, Mogi das Cruzes, Piracicaba, Praia Grande, Ribeirão Preto, São Vicente, Taboão da Serra e Taubaté. Veja Mais

Galaxy XCover Pro: celular resistente com bateria removível e hardware mediano | Análise / Review

tudo celular O XCover Pro é o celular mais duro na queda da Samsung que você encontra no Brasil, mas será que vale a pena comprar? Confira nossa análise completa. Veja Mais

Cuidado! Mensagem que promete cafeteira na Black Friday é golpe

Cuidado! Mensagem que promete cafeteira na Black Friday é golpe

Tecmundo Nos últimos dias, muitas pessoas têm recebido pelas redes sociais uma mensagem que promete dar uma cafeteira de presente na Black Friday, sem qualquer sorteio, para quem responder a um questionário. Apesar de parecer verdadeira, a campanha faz parte de um golpe para roubar dados pessoais, conforme alertou a Kaspersky nesta sexta-feira (27).De acordo com a empresa de segurança digital, a mensagem, também compartilhada via WhatsApp, convida a vítima a clicar em um link e responder a algumas perguntas. Mas ao abri-lo, ela precisa preencher um formulário com seus dados pessoais e autorizar o compartilhamento das informações com patrocinadores, para ganhar um vale-brinde de R$ 2 mil.Leia mais... Veja Mais

Banda Maglore revitaliza sobra de álbum de 2017 em gravação aditivada com a voz e o violão de Josyara

G1 Pop & Arte ♪ Banda baiana residente na cidade de São Paulo (SP), Maglore vem desengavetando músicas gravadas para o último álbum de estúdio do grupo, Todas as bandeiras (2017), mas limadas da seleção final de repertório do disco editado há três anos. Um mês após reapresentar a canção Não existe saudade no Cosmos (Teago Oliveira, 2018) com adição da guitarra de John Ulhoa e da voz de Fernanda Takai, a Maglore revitaliza Liberta, música até então inédita em disco. O single Liberta foi lançado na sexta-feira, 27 de novembro. Capa do single 'Liberta', da banda Maglore com Josyara Divulgação Feita entre o fim de 2016 e o início de 2017 pelo principal compositor da Maglore, Teago Oliveira, em parceria com Lucas Gonçalves (baixista então recém-admitido na banda), a música Liberta sai da gaveta em single que apresenta a gravação de 2017, mas turbinada com a voz e o violão de Josyara, cantora, compositor e instrumentista baiana, conterrânea da Maglore. O convite a Josyara foi feito para realçar as intenções da letra de Liberta, escrita com múltiplos sujeitos, como se cada verso fosse cantado por uma pessoa diferente. Ao desengavetar Liberta, a banda Maglore esvazia o baú com registros relativos ao disco Todas as bandeiras, fechando o ciclo vital do melhor álbum desse grupo que está em cena desde 2009. Veja Mais

Supernatural: quais são as melhores temporadas da série?

Supernatural: quais são as melhores temporadas da série?

Tecmundo Analisando a história e a trajetória de Supernatural, ao longo de 15 temporadas o público acompanhou tramas extremamente interessantes. Além de diversos episódios realmente assustadores, a série contou a saga dos irmãos Winchester caçando os mais diferentes tipos de criaturas bizarras.Por mais que o último ano não tenha sido bem avaliado pelo público — lembrando que o episódio final da série foi severamente criticado nas redes sociais —, há diversos arcos de temporada que fizeram as construções narrativas decorrentes dos períodos específicos com maestria.Leia mais... Veja Mais

Em Campinas, Dário Saadi tem 55% dos votos válidos, e Rafa Zimbaldi, 45%, aponta Ibope

Valor Econômico - Finanças Candidato do Republicanos está à frente do rival do PL Pesquisa Ibope divulgada neste sábado mostra o candidato Dário Saadi (Republicanos) à frente de Rafa Zimbaldi (PL) na véspera do segundo turno em Campinas (SP). Saadi aparece com 55% dos votos válidos, contra 45% do adversário. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Dr. Pessoa tem 68%, e Montezuma, 32%, no segundo turno em Teresina, aponta Ibope

O Tempo - Política Levantamento foi feito entre os dias 26 e 28 de novembro Veja Mais

Milhares de ativistas antiaborto protestam na Argentina

O Tempo - Mundo Grupos fazem ato de repúdio a projeto de legalização apresentado pelo presidente Alberto Fernández Veja Mais

7 séries parecidas com O Gambito da Rainha para quem ficou querendo mais

7 séries parecidas com O Gambito da Rainha para quem ficou querendo mais

Tecmundo A Netflix já anunciou que a minissérie O Gambito da Rainha é a mais assistida de todos os tempos em sua plataforma. Quem diria que uma história tão simples e dramática fosse atrair tanto a atenção do público, não é mesmo?Existem diversos fatores que podem contribuir e confirmar o sucesso da produção. Além do protagonismo de uma jovem em formação (interpretada brilhantemente por Anya Taylor-Joy) e da ambientação de época, somos apresentados a um mundo extremamente competitivo dos jogos de xadrez, de dramas intensos e repleto de camadas significativas.Leia mais... Veja Mais

Leda Nagle recebe alta de internação por Covid-19

O Tempo - Diversão - Magazine Jornalista e apresentadora ficou cinco dias em hospital após confirmação de diagnóstico de coronavírus Veja Mais

Extrema-direita alemã gera polêmica com congresso na pandemia

O Tempo - Mundo Protestos e divisões sobre uso de máscaras marcam encontro do partido Alternativa para a Alemanha Veja Mais

Justiça vai repassar mais R$ 755 milhões para Estados e DF

Valor Econômico - Finanças Com isso, transferências do FNSP em 2020 devem chegar a R$ 1,2 bilhão, maior valor da história O Ministério da Justiça e Segurança Pública informou que iniciará os trâmites administrativos na próxima segunda-feira (30) para garantir o repasse adicional de R$ 755 milhões do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) aos Estados e Distrito Federal para investimentos na área. De acordo com a pasta, será alcançado o montante de R$ 1,2 bilhão em transferências do FNSP em 2020, o que o classifica como o “maior valor da história” já repassado às forças de segurança pública locais. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

No último dia de campanha, Covas diz que pandemia está estável em São Paulo

Valor Econômico - Finanças Candidato à reeleição passou o último dia da campanha em visitas a casas de militantes históricos do PSDB em cinco bairros da zona leste O prefeito de São Paulo e candidato à reeleição Bruno Covas (PSDB) afirmou neste sábado que, apesar da alta de internações pelo novo coronavírus, os dados de óbitos e contaminações mostrariam que a pandemia está estável na capital paulista. O candidato passou o último dia da campanha eleitoral em visitas a casas de militantes históricos do PSDB em cinco bairros da zona leste da cidade, onde tomou café com simpatizantes. Segundo Covas, dados da Prefeitura de São Paulo não indicam aceleração da contaminação e das mortes por covid-19 na cidade Divulgação Questionado sobre a possibilidade de que o governo estadual volte a declarar medidas restritivas na capital devido ao recente aumento do número de casos de covid-19, Covas disse que qualquer atualização se dá com base em dados da prefeitura, que segundo ele não indicam aceleração da contaminação e dos óbitos na cidade. “Aqui na cidade de SP, a gente teve um aumento na quantidade de internações, mas há uma estabilidade em relação ao número de casos e óbitos. Os dados não são produzidos pelo prefeito, são da vigilância sanitária. Há uma estabilidade da pandemia na cidade de São Paulo”, afirmou Covas. Integrantes do Centro de Contingência contra a covid-19 em São Paulo afirmaram que foram encaminhadas ao governo Doria recomendações para aumentar restrições diante do avanço do novo coronavírus nos últimos dias. A atualização do Plano São Paulo, que determina a fase das restrições às atividades em cada região do estado, estava prevista para 16 de novembro, quando já havia um aumento de 18% no número de internações em uma semana no Estado, mas foi adiada pelo governo Doria para a próxima segunda, 30 de novembro, um dia depois das eleições. Essa decisão do governo estadual, que tem sido questionada como eleitoreira por adversários, foi atribuída ao governador João Doria (PSDB) a uma recente falha no sistema do Ministério da Saúde que compila dados referentes à pandemia. “Os dados que o governo do Estado tem são os da Prefeitura de São Paulo, não tem como ter dados diferentes daqueles que estão sendo mostrados diariamente para a população. Na cidade, há uma estabilidade da pandemia. Não há espaço para o discurso alarmista dizendo que estamos escondendo os dados, como também não há para dizer que a pandemia acabou”, afirmou o prefeito. Segundo a última pesquisa Datafolha, divulgada na última quinta-feira, Covas aparece com 47% das intenções de voto e Boulos com 40% no segundo turno. Veja Mais

Continuação de 'Dirty Dancing' não vai substituir Patrick Swayze

O Tempo - Diversão - Magazine 'Tudo o que posso dizer é que não há como substituir alguém que morreu.Você simplesmente vai para algo diferente', revelou a estrela do filme, Jennifer Gray Veja Mais

Comandante do Exército fratura fêmur e vai passar por cirurgia

Valor Econômico - Finanças General Edson Pujol sofreu um acidente neste sábado quando andava a cavalo O comandante do Exército, general Edson Pujol, sofreu um acidente neste sábado, quando andava a cavalo. O militar, segundo pessoas próximas, fraturou o fêmur e foi levado ao Hospital das Forças Armadas (HFA). Ele será submetido a cirurgia. Veja Mais

Papa Francisco deixa sua marca com a posse de 13 novos cardeais

O Tempo - Mundo Pontífice segue com o trabalho de reforma na hierarquia da Igreja; cerimônia de ordenação aconteceu neste sábado no Vaticano Veja Mais

Crítica | Troop Zero grita contra um mundo retrógrado

canaltech   Assistir a Troop Zero é como entrar em um universo muito próximo, aparentemente simples e acessível. Não existem tentativas mirabolantes de deixar a história complexa. Desde o princípio, o filme consegue segurar a atenção do público e a direção da dupla Bert & Bertie sabe explorar essa atenção com muita sensibilidade. Parte disso está na presença mais-que-cativante da atriz mirim Mckenna Grace. A intérprete da protagonista é de um carisma absoluto e, sabendo disso, a direção explora cada detalhe expressivo. Ao iniciarmos o filme a partir do rosto da pequena, acabamos por ficar um tanto quanto hipnotizados pela ingenuidade. É a isca perfeita para um desenrolar que é, ao mesmo tempo, transparente e simbólico. Mckenna Grace: todo carisma do mundo. (Imagem: Reprodução/Amazon Prime Video) Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Atenção! Esta crítica contém spoilers sobre o filme! -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Experiência alienígena Ao descrever um recorte da vida de Christmas Flint (Mckenna), a roteirista Lucy Alibar (de Indomável Sonhadora) parece disposta a permanecer no básico e, de certa forma, em um formato já visto muitas vezes antes: um grupo de personagens desajustados ou avessos ao sistema reúne-se em torno de uma luz guia. Esta luz, que é Christmas, segue uma busca, a princípio, por um contato extraterrestre. Crítica | Annabelle 3: nem todo fantasma é do mal (e assusta) Claro que nada seria tão interessante se o resultado fosse somente uma aventura direta, sem contratempos. Nesse sentido, Troop Zero é praticamente uma releitura de Pequena Miss Sunshine (de Jonathan Dayton e Valerie Faris, 2006). Por outro lado, Bert & Bertie demonstram estar muito mais preocupados em elevar a sua protagonista do quem em dar complexidade aos coadjuvantes. A forma, então, é onde as comparações talvez percam força, porque se no filme de 2006 o elenco inteiro tinha um peso praticamente igual, tanto pela direção de Dayton e Faris quanto pelo roteiro de Michael Arndt (de Toy Story 3), aqui Mckenna reina. E isso é algo gigante para uma criança que está contracenando com Viola Davis. O timing de suas reações é algo raro e sua segurança com uma personagem tão sensível é algo quase sobrenatural, de uma experiência inimaginável para a idade. Crítica | Toy Story 4: "Os seus problemas são meus também" Grace contracenando com Viola Davis. (Imagem: Reprodução/Amazon Prime Video) Paixão pela liberdade Dentro de todo o contexto aventureiro de Troop Zero, existem relações com a realidade. Algumas são óbvias, como o tom progressista em seus comentários mais do que ácidos sobre Joseph (Charlie Shotwell) e em suas críticas negativas a respeito da condição feminina de necessitar ser uma lady. Outras, porém, estão implícitas e são estas que mais enriquecem o filme de subtextos e promovem uma leitura mais profunda sobre tudo. O pai de Christmas (Ramsey — interpretado por Jim Gaffigan) é o pivô de uma profundidade silenciosa. Sua relação com a filha, que a princípio tem algum distanciamento, logo se percebe como uma paixão pela liberdade. Ele — que, inclusive, chama a filha de patroa — não somente a incentiva em suas decisões, mas, quando necessário, luta ao seu lado sem que, para isso, precise a superproteger. Diretor d'A Maldição da Residência Hill fará série de terror teen para a Netflix Ramsey, por essa perspectiva, é mais do que um coadjuvante de Troop Zero, ele se faz de secundário na vida da personagem de Mckenna. Ele é o suporte, aquele que, se for necessário, estará presente, mas que acredita não ser essencial o seu protagonismo. Aliás, a saudade que ele sente de sua falecida esposa (mãe de Christmas) parece entalada em sua garganta desde sempre, até o momento em que, finalmente, ele diz para a filha que eles podem conversar sobre qualquer assunto. Os reis da cerveja podem conversar sobre tudo. (Imagem: Divulgação/Amazon Prime Video) Permanecemos aqui... Assim como o citado Pequena Miss Sunshine, Troop Zero não esconde a sua dedicação em elevar oprimidos e em, sutilmente, ridicularizar opressores. De repente, Bert & Bertie vão até um pouco além: por mais que vilanizem as opressoras, acabam humanizando, no fim, a senhorita Massey (Alisson Janney). É um ato com muitas camadas e que traz um ar de bondade e satisfação após uma hora e meia (ou quase isso). Troop Zero não é nada complexo e é tão fácil de assistir quanto uma aventura infantojuvenil sem pretensões. Simultaneamente, é tão recheado de possibilidades que, instantaneamente, pode construir um lugarzinho confortável no nosso coração. As palavras e os chamados, na última cena, são, dentro da história, para o universo, para extraterrestres... mas o universo, na verdade, é qualquer um de nós que permanece insistindo em um mundo retrógrado, falsamente moralista, antipático e que ainda pouco faz para reconhecer a necessidade por equidade. Aliens podem ter visitado a Terra há milhões de anos, na visão deste cientista Nós, os desajustados e diferentes, estamos aqui. (Imagem: Reprodução/Amazon Prim e Video) Os aliens somos nós. Christmas — que não deve ter o nome da data que celebra o nascimento de Jesus Cristo por acaso — é a representação de uma humanidade mais sensível; é a isca perfeita para que, quebrando-se as barreiras do simbolismo, possamos agir para enxergar, no futuro, um mundo muito mais bonito. E sem qualquer ingenuidade, mas mantendo o espírito livre de uma criança: especialmente livre de preconceitos.  Estamos aqui. Estamos aqui. Estamos aqui. Troop Zero está disponível no catálogo do Amazon Prime Video. *Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Canaltech. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Destaques da NASA: fotos astronômicas da semana (21/11 a 27/11/2020) Anvisa se posiciona após Doria afirmar que pode adotar CoronaVac sem aprovação Lançamentos da Netflix na semana (27/11/2020) Sony estaria banindo donos de PS5 que abusam da PlayStation Plus Collection Cientistas descongelam e ressuscitam vermes de mais de 42 mil anos atrás Veja Mais

Diagnosticado com covid-19, Boulos tem febre e leve dificuldade respiratória

Valor Econômico - Finanças Candidato à Prefeitura de São Paulo recebeu visita de infectologista, que atestou sintomas brandos da doença Diagnosticado com covid-19 ontem, o candidato do Psol à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos, apresentou neste sábado febre, dor no corpo e uma leve dificuldade respiratória. O infectologista Esper Kallas realizou uma consulta médica nesta tarde e, durante a avaliação, atestou sintomas brandos da doença, incluindo cansaço leve e dor no corpo. Ele recomendou ao candidato que permaneça em casa, sem contato social. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Jogos da Nintendo ganham capas no melhor estilo Pulp Fiction

Jogos da Nintendo ganham capas no melhor estilo Pulp Fiction

Tecmundo A Nintendo, nos anos 80 e 90, trouxe diversos jogos cujas capas se tornaram icônicas pelas suas artes. Em cima desse conceito, o ilustrador Astor Alexander resolveu criar novas ilustrações, no estilo Pulp Fiction, para alguns clássicos da empresa, como Metroid, Zelda e, claro Mario Bros, transformando-os em livros em cima do que o enredo original apresenta. O trabalho de Astor imaginou, por exemplo, o game Metroid como um conto envolvendo uma astronauta muito sensual, e Super Mario Bros. como uma trama onde Mario é uma espécie de policial em busca de uma mulher sequestrada - no caso a princesa Peach. Leia mais... Veja Mais

“Ainda que o site do TSE caia, a eleição não cai”, afirma especialista em segurança digital

Valor Econômico - Finanças Segundo analista, invasões criminosas durante o primeiro turno não significam risco para a segurança da contagem de votos Ataques reportados ao site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) durante o primeiro turno não significam risco para a segurança da contagem de votos. Essa é a opinião do especialista em segurança digital Hiago Kin, presidente da Associação Brasileira de Segurança Cibernética. Segundo Kin, um ataque ao site não é o mesmo que invadir o sistema das urnas. O especialista também reforça que a lentidão na contagem de votos se deu por uma decisão errada do Tribunal ao centralizar a apuração. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Casos e mortes por coronavírus no Brasil em 28 de novembro, segundo consórcio de veículos de imprensa (atualização das 13h)

Glogo - Ciência País tem 172.079 óbitos e 6.243.216 diagnósticos pela Covid-19, segundo consórcio de veículos de imprensa. O Brasil tem 172.079 mortes por coronavírus confirmadas até as 13h deste sábado (28), segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde. Desde o balanço das 20h de sexta-feira (27), 2 estados atualizaram seus dados: GO e MG. Veja os números consolidados: 172.079 mortes confirmados 6.243.216 casos confirmados Na sexta-feira, às 20h, o balanço indicou: 501 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 171.998 óbitos desde o começo da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 477. A variação foi de -2% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de estabilidade nas mortes por Covid, quando não há aumento ou queda significativos. Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 6.238.076 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 33.506 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 31.496 novos diagnósticos por dia. Isso representa uma variação de +13% em relação aos casos registrados em duas semanas; também indica tendência de estabilidade nos diagnósticos. Brasil, 27 de novembro Oito estados apresentaram alta na média móvel de mortes: RS, SC, ES, RJ, AC, AM, CE e SE. Os estados de Goiás e Rondônia não tiveram atualizações em seus números em 24 horas. As duas secretarias relataram problemas de acesso ao sistema de registros do Ministério da Saúde. Também vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Em Sergipe, por exemplo, a média móvel estava em 3 e permaneceu em 3 após duas semanas, resultando em variação de alta de +22%. Já em Santa Catarina, que tem a maior tendência de alta entre os estados (+117%), a média variou de 15 para 33 em duas semanas. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados. Veja como estão os estados: Subindo (8 estados): RS, SC, ES, RJ, AC, AM, CE e SE Em estabilidade, ou seja, o número de mortes não caiu nem subiu significativamente (7 estados): MG, SP, PA, BA, MA, PB e PE Em queda (9 estados + o DF): PR, DF, MS, MT, AP, RR, TO, AL, PI e RN Não atualizaram os dados (2 estados): GO* e RO* Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo G1 para analisar as tendências da pandemia). Estados com mortes em alta Editoria de Arte/G1 Estados com mortes em estabilidade Editoria de Arte/G1 Estados com mortes em queda Editoria de Arte/G1 Sul PR: -26% RS: +24% SC: +117% Sudeste ES: +56% MG: -13% RJ: +35% SP: -13% Centro-Oeste DF: -21% *O estado de GO não divulgou novos dados até as 20h. Considerando os dados até 20h de quinta-feira (26), estava em -33% MS: -24% MT: -69% Norte AC: +22% AM:+52% AP: -31% PA: +8% *O estado de RO não divulgou novos dados até as 20h. Considerando os dados até 20h de quinta-feira (26), estava em -8% RR: -36% TO: -52% Nordeste AL: -20% BA: 0% CE: +84% MA: +4% PB: -4% PE: +10% PI: -25% RN: -50% SE: +22% Brasil Sul Sudeste Centro-Oeste Norte Nordeste Consórcio de veículos de imprensa Os dados sobre casos e mortes de coronavírus no Brasil foram obtidos após uma parceria inédita entre G1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL, que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal (saiba mais). Veja Mais

PF prende em Portugal suspeito de invadir sistema do TSE

Valor Econômico - Finanças Operação foi realizada em conjunto com a polícia portuguesa; mais buscas são realizadas no Brasil A Polícia Federal prendeu hoje, em Portugal, o suspeito de invadir o sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no primeiro turno das eleições municipais. A operação foi realizada em conjunto com a polícia portuguesa. Mais buscas são realizadas no Brasil. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Como baixar filmes e séries no Disney+ para assistir offline

Como baixar filmes e séries no Disney+ para assistir offline

Tecmundo Com pouco mais de 1 semana desde o lançamento do Disney+ no Brasil, a plataforma de streaming já se tornou uma das queridinhas de quem é fã de séries e filmes, afinal o catálogo reúne desde os clássicos da Disney até produções mais atuais, além de conteúdos exclusivos. De The Mandalorian e Hannah Montana até um documentário exclusivo da cantora Taylor Swift, não há dúvidas de que existe o conteúdo perfeito para você no Disney+. No quesito facilidade de streaming, a Disney também não deixou a desejar. Assim como nos concorrentes, é possível fazer o download do conteúdo para assistir offline e sem gastar a rede de dados. Leia mais... Veja Mais