Meu Feed

No mais...

Arthur Henrique toma posse em Boa Vista sem orçamento definido

Valor Econômico - Finanças Arthur destacou que sua principal missão será continuar o trabalho da antecessora, Teresa Surita (MDB) O novo prefeito de Boa Vista, Arthur Henrique (MDB), e o vice Cássio Gomes (MDB), tomaram posse na noite desta sexta-feira na capital de Roraima. A cerimônia ocorreu no Teatro Municipal e foi presidida pelo parlamentar mais velho eleito na Câmara, o vereador Manoel Neves (Republicanos), de 56 anos. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Em Aracaju, prefeito Edvaldo Nogueira promete salto na Educação

Valor Econômico - Finanças Edvaldo Nogueira, prefeito de Aracaju Reprodução/Facebook Eleito prefeito de Aracaju (SE) pela quarta vez, Edvaldo Nogueira (PDT) tomou posse nesta sexta-feira em cerimônia realizada no auditório do Tribunal de Justiça de Sergipe, no centro da capital. Também tomaram posse a vice-prefeita Katarina Feitoza (PSD) e os 24 vereadores eleitos no dia 15 de novembro. "Tenho a honra elevada de comparecer pela quarta vez diante deste parlamento para tomar posse como prefeito de Aracaju. Nos desenhos de futuro que tracei para minha vida, não ousei imaginar tal feito. Aqui fui vereador, vice-prefeito e prefeito", disse Edvaldo Nogueira ao iniciar a sua fala como prefeito diplomado. Em seu discurso, ele destacou as dificuldades enfrentadas na gestão anterior e ressaltou o investimento na educação do município que deve fazer nos próximos anos. “Queremos em quatro anos dar o salto de que a nossa educação precisa. São esses desafios e outros mais que virão, que movem a mim e a minha vice Katarina Feitoza”, disse. Com 100% das urnas apuradas no 2º turno, Edvaldo obteve 150.823 votos, o que corresponde a 57,86% dos votos válidos. Ele tem 59 anos, foi um dos fundadores do PCdoB em Sergipe, eleito vereador (1988) e reeleito (1992) em Aracaju. Foi eleito vice-prefeito da capital sergipana (2000) e reeleito (2004) junto com o então prefeito Marcelo Déda. Quando Déda se afastou para concorrer ao governo do Estado, Edvaldo assumiu a prefeitura (2006). Foi reeleito prefeito em primeiro turno (2008). E foi mais uma vez eleito para administrar a capital, em 2016. No início deste ano, ele confirmou a filiação ao Partido Democrático Trabalhista (PDT). Em virtude das restrições impostas pela pandemia, o evento foi restrito, com transmissão ao vivo pela internet. A cerimônia foi iniciada por volta das 15h, com a posse dos vereadores dirigida por Linda Brasil (Psol) - primeira mulher trans a assumir um cargo na Câmara e candidata mais bem votada na capital nas eleições de 2020. Por volta das 17h, foram empossados o prefeito e a vice. “Espero que tenhamos uma legislatura em que possamos prezar pelo respeito, cordialidade, pelo amor e pelo compromisso com a população de Aracaju na execução de nossas obrigações de fiscalizar o Executivo, com independência e autonomia e propondo projetos e políticas públicas que beneficiem toda a sociedade, principalmente aqueles que mais precisam de condições dignas de sobrevivência”, disse. Mesa Diretora Uma chapa única, encabeçada pelo vereador e atual presidente da Câmara, Nitinho Vitale (PSD), concorreu à mesa diretora da Casa, sendo eleito com 21 votos a favor e 3 abstenções - Linda Brasil, Ângela Melo (PT) e Emília Correia (Patriotas). "Estou no meu sexto mandato. Faço política com muito respeito ao eleitor de Aracaju. Faço política com o coração e com a alma. Descobri aos longos desses quatro anos [como presidente] que para você chegar a um cargo desse você precisa ter lealdade", disse Nitinho Vitale. A mesa passa a ter a seguinte composição: Vinícius Porto (PDT) como vice-presidente; Fabiano Oliveira (Progressistas) como 1º secretário; Sgt Byron do Estrelas do Mar (Republicanos), como 2º secretário; e Joaquim do Janelinha (Pros), 3º secretário. Veja Mais

Bolsonaro abre 2021 com nova aglomeração em praia, desta vez dentro d'água

O Tempo - Política Presidente decidiu saltar do barco e mergulhar no mar, acompanhado de seguranças, em Praia Grande Veja Mais

Com posses de prefeitos, oito suplentes assumem vaga na Câmara dos Deputados

Valor Econômico - Finanças Após prefeitos eleitos terem sido empossados, oito suplentes assumiram nesta sexta-feira como deputados federais em cerimônia virtual de posse da Câmara. O deputado Pedro Vilela (PSDB-AL) assumiu a vaga deixada pelo prefeito de Maceió, JHC (PSB-AL). O deputado Milton Coelho (PSB-PE) entrou no lugar do prefeito de Recife, João Campos (PSB-PE). A deputada Vivi Reis (Psol-PA) assumiu o posto deixado pelo prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues (Psol-PA). O deputado Josivaldo JP (Podemos-MA) entrou na vaga deixada pelo prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos-MA). Os deputados Pedro Augusto (PSD-RJ) e Ricardo da Karol (Patriota-RJ) substituíram Alexandre Serfiotis (PSD-RJ) e Wladimir Garotinho (PSD-RJ), que foram eleitos para as prefeituras de Porto Real e Campos de Goytacazes, respectivamente. O deputado Neucimar Fraga (PSD-ES) entrou no lugar deixado pelo prefeito de Serra, Sérgio Vidigal (PDT-ES). O deputado Aelton Freitas (PL-MG) assumiu vaga da prefeita de Juiz de Fora, Margarida Salomão (PT-MG). Veja Mais

Europa já se queixa de falta de vacinas para combater a Covid-19 no continente

O Tempo - Mundo A BioNTech, que desenvolveu com a Pfizer a vacina que começou a ser aplicada no continente, admite que haverá "lacunas no fornecimento" Veja Mais

Prefeito de Goiânia toma posse em UTI com assinatura eletrônica

O Tempo - Política Maguito Vilela está internado há mais de dois meses em razão de complicações decorrentes da Covid-19 Veja Mais

Governo adia entrada em vigor do Estatuto da Pessoa com Deficiência para 2022

O Tempo - Política Estatuto prevê a promoção, em condições de igualdade, do exercício dos direitos e das liberdades fundamentais Veja Mais

Aprenda a usar o recurso Photobooth no Instagram Stories

canaltech O Instagram (Android | iOS) disponibiliza uma série de recursos para customizar e criar diferentes efeitos em publicações dos Stories. Um deles é o "Photobooth", que faz disparos a cada três segundos, simulando uma cabine de fotografia. Os 60 melhores filtros para você usar no Instagram Stories 5 funções pouco conhecidas do Stories que você precisa experimentar Como compartilhar Stories do Instagram no Facebook Após juntar todos os disparos, o efeito cria um vídeo curto exibindo as fotos com filtros e efeitos de transição, que podem ser alterados pelo usuário. A recomendação é de mover a câmera em diferentes ângulos, para poder ter resultados ainda mais diversos. Confira como utilizar o recurso no seu Instagram! Instagram: como usar o recurso Photobooth nos Stories Passo 1: no Instagram, abra a câmera dos Stories e toque na seta lateral para visualizar mais opções de recursos; -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Abra a lista de funções (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 2: em seguida, selecione "Photobooth"; Selecione o modo de captura (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 3: toque no ícone central para começar a gravar; Faça a captura (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 4: movimente a câmera em diferentes ângulos enquanto o Photobooth faz a captura das fotos; Movimente a câmera para ter resultados diferentes (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 5: com a gravação finalizada, é possível alterar os filtros e efeitos de transição. Toque no ícone localizado no topo da tela; Comece a personalizar sua gravação (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 6: escolha um dos filtros disponíveis e pressione o ícone de confirmação no topo; Escolha os efeitos disponíveis (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 7: caso tenha gostado do resultado final, basta publicá-lo nos Stories. Confira o resultado do Photobooth (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Qual seu efeito favorito para usar nos Stories? Comente! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Essa pode ser a explicação para o misterioso desaparecimento da Lua há 900 anos Mais um estudo sugere que o objeto espacial Oumuamua seja uma nave alienígena Os lançamentos da Netflix em janeiro de 2021 Os lançamentos do Disney+ em janeiro de 2021 Os jogos mais esperados para 2021 Veja Mais

Nely Aquino é reeleita presidente na Câmara de BH

O Tempo - Política Única concorrente da atual presidente foi Duda Salabert (PDT), que teve sete votos Veja Mais

Alibaba: como o magnata chinês Jack Ma perdeu US$ 11 bilhões em 2 meses e está na mira das autoridades chinesas

G1 Economia Autoridades intensificaram o cerco regulatório a sua companhia e a outros grandes conglomerados de tecnologia. Os problemas de Jack Ma começaram quando um de seus grandes negócios deu errado: a estreia do Ant Group na bolsa Getty Images via BBC O magnata chinês Jack Ma não teve um fim de ano bom. Cofundador do Alibaba, um dos maiores impérios empresariais do país asiático, ele perdeu quase US$ 11 bilhões desde o fim de outubro, quando as autoridades intensificaram o cerco regulatório a sua companhia e a outros grandes conglomerados de tecnologia. Em 2020, a fortuna de Ma chegou a US$ 61,7 bilhões — e ele esteve perto de se tornar a pessoa mais rica da China novamente. No entanto, seu patrimônio caiu para US$ 50,9 bilhões, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index, que o colocou em quarto lugar no ranking. Os problemas do empresário começaram quando um de seus grandes negócios foi frustrado: a estreia do Ant Group (grupo formiga), braço financeiro do Alibaba, na Bolsa de Valores. No início de novembro, estava tudo pronto para o que seria a maior Oferta Pública Inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da história, mas as coisas não saíram como planejado. A operação foi suspensa inesperadamente após uma intervenção na última hora de reguladores financeiros chineses. Alguns analistas interpretaram a medida como uma tentativa de Pequim de controlar o crescimento de gigantes da tecnologia como o Ant Group e o próprio Ma, que costuma fazer declarações incômodas, conforme explica o jornalista da BBC Timothy McDonald de Cingapura. "Ma deixou de ser um símbolo do potencial da China e de seu progresso tecnológico para se tornar uma ameaça." O magnata teria provocado a ira das autoridades chinesas ao criticar publicamente os bancos chineses controlados pelo Estado, comparando-os a "casas de penhores" que não têm vocação para a inovação. O poder das finanças digitais A partir de então, as coisas se complicaram para o Ant Group, conglomerado que se expandiu rapidamente nos últimos anos. O serviço mais popular deles, o Alipay, começou como plataforma de pagamento do Alibaba. Ma criticou publicamente os bancos chineses controlados pelo Estado, comparando-os a "casas de penhores" que não têm vocação para a inovação Getty Images via BBC Ele retém o dinheiro dos compradores até que eles recebam o produto que compraram online. O Alipay foi essencial para o crescimento do Alibaba. E, atualmente, é mais usado na China do que cartões de crédito. Quando o IPO foi suspenso, a Bolsa de Valores de Hong Kong afirmou que era porque o Ant Group "​​não cumpria os padrões de listagem e requisitos de transparência" e sugeriu que "mudanças recentes" no ambiente regulatório das finanças digitais poderiam ter sido um obstáculo. "Este era um grande negócio. Mas não acho que a China vai se curvar para qualquer negócio. Não vão colocar seu sistema financeiro em risco por um negócio", argumenta Drew Bernstein, diretor da Marcum Bernstein & Pinchuk, empresa que assessora companhias chinesas. Concorrência desleal? Há poucos dias, o Banco Central da China ordenou uma reorganização das operações do Ant Group, de modo que "retifique" seus serviços de empréstimos, seguros e gestão de patrimônio. De acordo com o vice-governador do Banco Popular da China, Pan Gongsheng, os reguladores estão analisando "a má governança corporativa do Ant Group", seu desafio a certas normas e suas práticas para derrotar os concorrentes a fim de evitar a concorrência desleal. O serviço mais popular do Ant Group, o Alipay, começou como plataforma de pagamento do Alibaba Reuters O Ant Group afirmou em comunicado que estabelecerá um grupo de trabalho de "retificação" e implementará por completo os requisitos regulatórios. Enquanto alguns especialistas acreditam que essa nova investida regulatória tenha como alvo Ma, outros acreditam que a reforma do setor financeiro é uma meta política de longo prazo do governo de Pequim, que vai muito além da companhia do empresário. Embora a empresa opere como a maior provedora de pagamentos na China, com mais de 730 milhões de usuários mensais em seu serviço Alipay, são as práticas de crédito da companhia que parecem preocupar mais os reguladores. Ma não é o único Embora Jack Ma esteja no centro da polêmica, ele não é o único que tem enfrentado um escrutínio regulatório cada vez maior. O setor de fintech, tecnologia financeira, parece estar na mira dos reguladores chineses. Algumas empresas já estão ajustando sua forma de operar, provavelmente para se antecipar a possíveis novas regulamentações no setor. Por exemplo, JD Digits, Tencent, Baidu e Lufax pararam de vender depósitos que rendem juros em suas plataformas, depois que as autoridades forçaram o Ant Group a fazer o mesmo. "Não creio que ninguém esteja imune nesta fase e certamente os princípios com os quais o Ant Group vincula seus consumidores aos produtos financeiros é muito semelhante aos que a Tencent faz", acrescenta Norris. Veja Mais

Vou trabalhar para ser o prefeito da educação, diz Reis ao tomar posse em Salvador

Valor Econômico - Finanças Filho da professora, prefeito diz que retomada das aulas é uma das questões que seu governo terá de enfrentar Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

SÃO PAULO FORA DA COPA DO BRASIL PREJUDICA FLAMENGO E ATLÉTICO-MG? VEJA DEBATE NO 'FOX SPORTS RÁDIO'

SÃO PAULO FORA DA COPA DO BRASIL PREJUDICA FLAMENGO E ATLÉTICO-MG? VEJA DEBATE NO 'FOX SPORTS RÁDIO'

Fox Sports Brasil Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes e inscreva-se no nosso canal! https://www.espn.com.br/ ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Juntos na torcida! #SãoPaulo #Flamengo #AtléticoMG Veja Mais

Os jogos mais esperados para 2021

canaltech 2020 chegou ao fim com o lançamento de um dos games mais esperados dos últimos anos, ainda que o resultado em si não tenha sido dos melhores. 2021, porém, chega com a expectativa de resultados um pouco melhores, pelo menos no que toca o mundo dos jogos, com o retorno de personagens e franquias consagradas, assim como verdadeiras demonstrações de força dos consoles de nova geração dando a tônica de um ano que promete ser poderoso. Análise | PlayStation 5: pronto para mais experiências memoráveis Análise | Xbox Series X: poder de fogo de sobra em um mar de possibilidades PlayStation 5 ou Xbox Series X e S: qual comprar? São grandes personagens voltando, com a expectativa de novas aventuras ao lado de Kratos, Alloy, Master Chief e Chris Redfield. Enquanto isso, a nova geração de plataformas mostra a que veio com títulos como The Medium e Ratchet and Clank: Rift Apart, enquanto os consoles antigos ainda mostram seu poder com títulos como Monster Hunter Rise e Hogwarts Legacy, apenas para nos mantermos naqueles que serão citados nesta lista. As expectativas são altas e escolher apenas 10 jogos, entre os mais esperados de 2021, não é muito fácil. Mas aqui está a nossa seleção daquilo que, provavelmente, vai fazer sua cabeça no ano que está começando: -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- 10. Overwatch 2   Anunciado em 2019 e meio sumido desde então, a sequência do game que ganhou honrarias de melhor do ano e foi consagrado por trazer o mundo dos eSports aos consoles deve chegar com a responsabilidade de fazer tudo de novo. Só que o momento é bem mais complicado e, hoje, o mercado tem concorrentes bem mais fortes no certame. A sequência de Overwatch tenta se sustentar pela adição de novidades, como novos modos competitivos entre jogadores e combates contra inimigos controlados pela inteligência artificial que serão exclusividade sua. Enquanto isso, o ambiente online será compartilhado, com os donos do primeiro jogo enfrentando os jogadores da continuação, alguns recursos serão exclusivos. A expectativa de chegada de Overwatch 2 em 2021 é uma previsão segura, mas não confirmada pela Activision Blizzard . O game também está confirmado para PC, PlayStation 4, Xbox One e Switch, onde estão as atuais versões do shooter, mas edições com melhorias gráficas para a nova geração também são de se esperar. 9. Ghostwire: Tokyo   Uma viagem por mitos e lendas japonesas é a promessa do novo título da Tango Gameworks, casa de desenvolvimento de jogos liderada por Shinji Mikami, o criador de grandes nomes do horror como Resident Evil e, mais recentemente, The Evil Within. Ele, porém, não está envolvido diretamente com o jogo, que começou como obra de uma de suas pupilas, Ikumi Nakamura, que deixou a empresa em 2020. Ainda assim, o projeto continua e seremos apresentados, provavelmente ainda em 2021, a uma Tóquio vazia, a não ser pela presença de espíritos. Enquanto todas as pessoas desapareceram, o jogador deve usar seus poderes sobrenaturais para combater os fantasmas e desvendar os eventos que levaram ao sumiço dos humanos e da vida em uma das capitais mais efervescentes do mundo. Ghostwire: Tokyo tem lançamento confirmado no PC e PlayStation 5. 8. Hogwarts Legacy   Um título que passou anos no campo dos rumores foi anunciado em um ambiente não muito legal para os fãs da saga de Harry Potter. Ainda assim, a Warner tenta se distanciar da polêmica e dos comentários da autora deste universo para entregar uma viagem ao mundo de magia, justamente, por meio dos ensinamentos da escola de bruxaria mais conceituada do mundo. Com uma história passada mais de um século antes da saga do garoto que sobreviveu, vamos escolher nossa casa, frequentar as aulas, aprender poções e feitiços; a jornada também inclui, claro, os malfeitos, lugares proibidos, desventuras pelos corredores da escola e um sistema de moralidade que define sua rebeldia, amizade, confiança e, principalmente, alinhamento moral, que neste universo, como em todos os outros, define muito. Hogwarts Legacy é desenvolvido pela Avalanche Software (de Disney Infinity) e chega em 2021 ao PC, PlayStation 4 e Xbox One, além do PS5 e Xbox Series X e S. 7. Ratchet & Clank: Rift Apart   Um dos próximos grandes exclusivos para o PlayStation 5 em 2021. A pegada, aqui, é de transferência entre realidades, com os carismáticos personagens atravessando diferentes mundos enquanto um dispositivo começa a dar problema e ameaça colidir todos esses universos diferentes em um só. Com uma jogabilidade semelhante aos títulos mais recentes da série de exclusivos, o novo game da Insomniac também apresenta novos personagens e maneiras diferentes de explorar os cenários e enfrentar inimigos. De novo, o hardware do PlayStation 5 e seu sistema de SSD dedicado é o que permite essa transição altamente veloz e quase sem tempo de carregamento entre os mundos, enquanto outras tecnologias, como Ray Tracing e o feedback tátil do controle da plataforma, ajudam na imersão. Ratchet & Clank: Rift Apart deve chegar no primeiro semestre de 2021, exclusivamente ao PS5. 6. Monster Hunter Rise   O lançamento de Monster Hunter World foi como um casamento feito nos céus para a Capcom, com um game que, finalmente, consagrou uma de suas maiores franquias como global, levando ao restante do mundo a força que ela já acumulava no Japão. Fruto de um desenvolvimento apurado e um lançamento multiplataforma que agora também deve se tornar uma norma para novos títulos da saga que o levam à sua velha casa. O RPG da vez, exclusivo para o Switch, se aproveita desta experiência para entregar mais um mundo aberto, no qual o jogador deve caçar monstros e se preparar para combates que acontecem em biomas variados e possuem exigências diferentes. Um dos focos, aqui, é o aspecto mais vertical dos cenários, abrindo novas possibilidades de exploração e confronto, além de novas ferramentas que acompanham essa mudança. Monster Hunter Rise chega em 26 de março ao Nintendo Switch (e apenas ele, por enquanto). 5. The Medium   Mais do que um título que deveria ter chegado às nossas mãos junto com a nova geração de plataformas da Microsoft, esta é uma reunião de grandes nomes do terror. Aqui temos a presença de Akira Yamaoka, emprestando uma genialidade que já vimos nas trilhas de Silent Hill, trabalhando ao lado do Bloober Team, de horrores recentes como Blair Witch e Observer. Eles se juntam para contar a história de Marianne, uma médium capaz de trafegar entre o mundo real e o universo espiritual. Em uma transição rápida que só seria possível com a ajuda do hardware do Xbox Series X e S, o título nos colocará em combate contra forças ocultas e botará nossa cabeça para trabalhar com puzzles que unem dois espectros diferentes. The Medium chega em 28 de janeiro com versões para Xbox Series X e S e PC. 4. Horizon: Forbidden West   Mais um exclusivo de peso e continuação daquela que é considerado uma das melhores franquias inéditas da velha geração, a saga de Alloy nos mostra um mundo bem diferente do que estamos acostumados a ver, ainda que por todo lado existam referências e indicações. Este é um local cuja tecnologia se mistura com o mito, com um fim que poderia ser o nosso. Mais uma vez na pele da protagonista, vamos ao chamado “oeste proibido” para investigar a causa de uma corrupção que infecta e mata tudo pelo caminho. A experiência no original, junto com suas raízes, transformou Alloy, de renegada, em uma lenda entre seus pares. Com isso, vem também a responsabilidade de tentar trazer a salvação de todos. Horizon: Forbidden West está confirmado em versões para PlayStation 4 e PlayStation 5, com lançamento previsto para o segundo semestre de 2021. 3. Resident Evil Village   A continuação de um dos jogos de terror mais legal dos últimos anos chega com a intenção de reunir o horror que a série trouxe de volta com seus capítulos recentes à ação e inimigos poderosos dos capítulos anteriores. Na vila que dá nome ao game, mais uma vez acompanharemos a saga de Ethan ainda lidando com os eventos do sétimo game da franquia e apenas tentando encontrar um refúgio para si e sua família Como bem sabemos, esse tipo de calma não dura muito tempo e em Resident Evil tudo pode virar um apocalipse a qualquer momento. Entra, então, Chris Redfield, que parece ter uma abordagem um bocado diferente do herói incorruptível que conhecemos na saga até aqui. Sabemos pouco do game por enquanto, o que torna tudo ainda mais misterioso. Resident Evil Village, que esconde sua alcunha de oitavo game da série no subtítulo, está confirmado para PC, PS5 e Xbox Series X e S, mas ainda não tem data de lançamento marcada. A Capcom disse estar pensando em versões do game para a velha geração, mas, por enquanto, nada confirmado. 2. God of War: Ragnarok   Depois de devastar o Olimpo, o mundo nórdico era o caminho natural para Kratos — e também um desejo de muitos fãs do personagem e da franquia. Dessa mistura, nasceu um dos melhores jogos da geração PlayStation 4, com um novo olhar sobre um personagem que enfrentava seu maior desafio até então. Quem diria que ser um pai, no fim das contas, seria o mais difícil para alguém que derrubou deuses com as próprias mãos? Depois de God of War, é hora do Ragnarok e, novamente, de uma matança de deuses, como previsto na profecia nórdica. Kratos e Atreus aparecem envolvidos nesses eventos no próximo título da desenvolvedora Sony Santa Monica. Não sabemos exatamente como será o envolvimento deles nesse cataclisma, mas, se conhecemos o bom de guerra, podemos esperar que ele não será apenas uma vítima das circunstâncias. God of War: Ragnarok ainda não é o título oficial do game que, se espera, chega em 2021 para o PlayStation 5 . Muita gente quer vê-lo também no PS4, mas essa versão ainda não foi confirmada oficialmente. 1. Halo Infinite   O título que deveria ter sido um dos jogos de lançamento da nova geração de consoles da Microsoft foi atrasado para que a desenvolvedora 343 Industries pudesse entregar o que está sendo chamado como o maior jogo já protagonizado por Master Chief. A ideia é trazer o herói de volta às origens, tanto em trama quanto em jogabilidade. Isso se traduz, de acordo com as informações preliminares, em mecânicas mais parecidas com as do game original, que deu origem a tudo, e mais personalidade para o protagonista, com a promessa de uma trama mais humana e que o atinge diretamente. Os oponentes já são bem conhecidos dos fãs da franquia, mas a ameaça representada por eles desta vez, nem tanto. Halo Infinite não tem data de lançamento definida, mas a expectativa é que o game chegue no segundo semestre de 2021. O lançamento está confirmado para PC e Xbox Series X e S, também com versão para Xbox One. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Essa pode ser a explicação para o misterioso desaparecimento da Lua há 900 anos Mais um estudo sugere que o objeto espacial Oumuamua seja uma nave alienígena Os lançamentos da Netflix em janeiro de 2021 Os lançamentos do Disney+ em janeiro de 2021 Dexametasona e outros medicamentos que podem mudar os rumos da COVID-19 Veja Mais

A biblioteca islâmica perdida onde surgiu a matemática moderna

Glogo - Ciência Séculos atrás, uma prestigiosa biblioteca islâmica trouxe algarismos arábicos para o mundo. Embora a biblioteca tenha desaparecido há muito tempo, sua revolução matemática mudou nosso mundo. A academia foi uma grande potência intelectual em Bagdá durante a Idade de Ouro islâmica Getty Images via BBC A Casa da Sabedoria soa um pouco como fantasia: não há vestígios dessa antiga biblioteca, destruída no século 13, então não podemos ter certeza de onde ela ficava ou como era exatamente. Mas essa prestigiosa academia foi de fato uma grande potência intelectual em Bagdá durante a Idade de Ouro islâmica. Foi também o berço de conceitos matemáticos transformadores, como o zero e nossos modernos algarismos "árabes". Fundada como uma coleção particular do califa Harun Al-Rashid no final do século 8, e então convertida em uma academia pública cerca de 30 anos depois, a Casa da Sabedoria parece ter trazido cientistas de todo o mundo para Bagdá, atraídos pela vibrante curiosidade intelectual e a liberdade de expressão da cidade (estudiosos muçulmanos, judeus e cristãos puderam estudar lá). Com um arquivo de tamanho formidável como a atual Biblioteca Britânica em Londres ou a Bibliothèque Nationale em Paris, a Casa da Sabedoria acabou se tornando um centro incomparável para o estudo das humanidades e das ciências, incluindo matemática, astronomia, medicina, química, geografia, filosofia, literatura e artes, além de alguns assuntos mais duvidosos, como alquimia e astrologia. Invocar este grande monumento, portanto, requer um salto de imaginação (pense na Cidadela em Westeros ou na biblioteca de Hogwarts), mas uma coisa é certa: a academia inaugurou um renascimento cultural que alteraria completamente o curso de matemática. A Casa da Sabedoria foi destruída no cerco mongol de Bagdá em 1258 (de acordo com a lenda, tantos manuscritos foram jogados no rio Tigre que suas águas ficaram pretas de tinta), mas as descobertas feitas lá introduziram uma poderosa linguagem matemática abstrata que, mais tarde, seria adotado pelo império islâmico, pela Europa e, em última instância, por todo o mundo. Veja Mais

EUA ultrapassam 20 milhões de casos de Covid-19

Glogo - Ciência País é o mais afetado pela pandemia da Covid-19, com 346.408 mortes até esta sexta-feira (1º). Reprodução do site da Universidade Johns Hopkins que monitora os casos de Covid Reprodução Os Estados Unidos ultrapassaram os 20 milhões de casos de coronavírus nesta sexta-feira (1º). Os dados são da Universidade Johns Hopkins. País é o mais afetado do mundo, com 346.408 mortes devido à doença. Em menos de um mês, 5 milhões de americanos foram infectados. O país havia atingido os 15 milhões de casos em 8 de dezembro e, também durante o mês, voltou a registrar mais de 3 mil mortes por dia devido ao novo coronavírus. Enquanto isso, autoridades americanas reconheceram que a vacinação contra a Covid-19 enfrenta atrasos e que o país não vai alcançar a meta estabelecida para 2020 – que era vacinar 20 milhões de pessoas em dezembro. Até as 11h (horário de Brasília) de quarta-feira (30), cerca de 2,8 milhões de pessoas haviam sido vacinadas no país, e 12,4 milhões de doses de vacinas haviam sido distribuídas. Os dados são os mais recentes disponíveis no site do Centro de Controle de Doenças americano (CDC, na sigla em inglês). O número é uma estimativa para baixo por causa do atraso das notificações. Na quarta-feira (30), o conselheiro científico da operação de vacinação do país, Moncef Slaoui, confirmou que o número de vacinados está abaixo do esperado. "Nós sabemos que deveria ser melhor, e estamos trabalhando duro para torná-lo melhor", declarou. Nova variante Na terça-feira (20), o governador do Colorado, Jared Polis, disse que o primeiro caso da nova variante do coronavírus foi registrado no estado americano. De acordo com a autoridade, o vírus é da mesma cepa que surgiu no Reino Unido. Até então, não havia registros da nova variação de Covid-19 nos Estados Unidos. O governador anexou um comunicado oficial de seu escritório e de autoridades de saúde estaduais dizendo que o indivíduo é um "homem na casa dos 20 anos que está atualmente isolado no Condado de Elbert e não tem histórico de viagens". Colorado registra primeiro caso de variante do coronavírus identificada no Reino Unido Veja Mais

19 jogos cheios de hype para você ficar de olho em 2021!

19 jogos cheios de hype para você ficar de olho em 2021!

Tecmundo Apesar de todos os problemas enfrentados pela Terra, 2020 conseguiu ser um ótimo ano para os video games, com a chegada de uma nova geração de consoles e diversos títulos incríveis lançados para todas as plataformas. Mais do que nunca, os video games nos ajudaram a encarar as dificuldades e a esquecer um pouco das crises que nos esperavam fora de casa.Com a pandemia do coronavírus ainda longe do fim, a tendência é que 2021 mantenha os video games em destaque como uma ótima forma de matar tempo no isolamento social, permitindo aos jogadores compartilharem as suas experiências e se conectarem com os seus amigos mesmo distantes fisicamente.Leia mais... Veja Mais

AB InBev vende parte da operação de latas nos EUA por US$ 3 bilhões

Valor Econômico - Finanças Companhia vendeu uma participação de 49,9% na fábrica para um consórcio de investidores, liderados pela Apollo Global Management A Anheuser-Busch InBev (AB InBev) vendeu uma participação de 49,9% na sua operação de fábricas de latas de alumínio nos Estados Unidos para um consórcio de investidores, liderados pela Apollo Global Management. A venda foi fechada por aproximadamente US$ 3 bilhões. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Carlo Caiado é eleito presidente da Câmara Municipal do Rio

Valor Econômico - Finanças Escolha se deu por 44 votos de 51 vereadores O vereador Carlo Caiado (DEM) acaba de ser eleito o novo presidente da Câmara Municipal do Rio, numa votação em chapa única para a Mesa Diretora, que recebeu 44 votos. Sete dos 51 vereadores se abstiveram. O parlamentar sucede o vereador Jorge Felippe (DEM), que foi o manda-chuva do Legislativo carioca nos últimos 12 anos e estava como prefeito em exercício havia dez dias, depois da prisão de Marcelo Crivella (Republicanos). Reprodução/Facebook O político veterano sai do comando da Casa, mas, em troca, encaminha o herdeiro, o deputado estadual Jorge Felippe Neto, de 28 anos, que será secretário de Trabalho e Renda no governo de Eduardo Paes (DEM), que também toma posse na Câmara, nesta manhã. Caiado é oriundo do grupo político do ex-prefeito e vereador Cesar Maia (DEM), seu padrinho político, como foi de Paes no início dos anos 1990. Para a Mesa Diretora, foram eleitos ainda Tânia Bastos (Republicanos), para a primeira vice-presidência; Luciano Vieira (Avante), para a segunda vice-presidência; Rafael Aloisio Freitas (Cidadania), como primeiro-secretário; e Marcos Braz (PL) como segundo-secretário. O primeiro suplente será Jones Moura (PSD) e a segunda suplente, Tainá de Paula (PT). Nesta sexta-feira, os 51 vereadores do Rio tomaram posse de seus mandatos. Veja Mais

Diogo Santana, ex-secretário do governo Dilma, morre eletrocutado

O Tempo - Política Ex-presidentes do PT se pronunciaram lamentando a perda do colega Veja Mais

Emanuel Pinheiro toma posse em Cuiabá sem solenidade em meio ao aumento de casos de covid

Valor Econômico - Finanças O prefeito reeleito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), tomou posse hoje na Câmara Municipal. Em meio ao aumento de casos de covid-19 na capital mato-grossense, o ato foi realizado sem solenidade ou festa. Anteriormente, haveria uma cerimônia no Centro de Eventos do Pantanal. Na segunda-feira, Pinheiro comunicou o cancelamento da posse. “Apesar de ser uma solenidade histórica realizada por todos os ex-prefeitos que me antecederam, neste momento de pandemia devemos dar o exemplo. A nossa prioridade será sempre zelar pela saúde e segurança de todos e tenho certeza que dessa forma estaremos começando o próximo mandato em consonância com a atual realidade em que vivemos”, disse ele em sua conta do Twitter. Cuiabá acumula mais de 40 mil e 100 casos confirmados e 1.162 mortes. Na capital mato-grossense, a taxa de letalidade — o número de mortes em relação às pessoas que apresentam a doença ativa — é de 2,9%, de uma média de 2,6% no Brasil. Pinheiro representa uma coligação com 11 partidos — PMB, PTC, Solidariedade, PV, Republicanos, PL, PSDB, MDB, PTB, PP e PCdoB. O medebista ficou conhecido por, em 2017, estar envolvido no escândalo do Paletó. Um vídeo veiculado pelo Jornal Nacional, mostrou o prefeito reeleito — à época, 2013, ele era deputado estadual — colocando maços de dinheiro nos bolso do paletó. O ato lhe rendeu uma denúncia do Ministério Público Federal (MPF) em setembro deste ano, que o acusa de corrupção passiva e associação criminosa. Ele afirma ter recebido o dinheiro como intermediário de uma dívida envolvendo o irmão e um instituto de pesquisas e alega ter sido atacado de forma injusta. O prefeito reeleito tem 55 anos, é casado e declara ao TSE um patrimônio de R$ 2.974.172,98. Já o vice Stopa (José Roberto Stopa), do PV, tem 56 anos, é casado e declara ao TSE um patrimônio de R$ 424.429,57. Além de Pinheiro, 25 vereadores assumiram hoje o cargo para a legislatura de 2021-2024. As maiores bancadas serão do Cidadania e do PV, com 3 vereadores cada um. Pinheiro terá entre os vereadores eleitos 12 representantes de partidos que foram parceiros de campanha. Veja Mais

Edmilson Rodrigues toma posse em Belém e se compromete com os mais pobres

Valor Econômico - Finanças Prefeito enviou um projeto de lei, o “Bora Belém” que garante renda mínima municipal de até R$ 450 Edmilson Rodrigues, prefeito de Belém Reprodução O arquiteto e professor universitário Edmilson Rodrigues, 63 anos, tomou posse da Prefeitura de Belém com um discurso permeado pela pandemia e pelo compromisso de ajudar as populações mais pobres da capital paraense. Não mencionou o governo de Jair Bolsonaro, mas fez referência, mais de uma vez, à parceria para enfrentar dificuldades já acertada com o governador Helder Barbalho, do MDB. Em seu discurso na Câmara de Vereadores de Belém, Edmilson Rodrigues agiu como prometera durante a campanha e enviou um projeto de lei, o “Bora Belém” que garante renda mínima municipal de até R$ 450. O PL complementa programas de transferência de renda como o Bolsa-Família. Edmilson Rodrigues, o único eleito pelo Psol em uma capital, pediu aos vereadores que confiram regime de urgência ao projeto. Com ele, espera enfrentar “a pobreza, a extrema pobreza e a vulnerabilidade social agravadas pelo estado de calamidade pública decorrente da pandemia”, diz o texto do PL. Em Belém, no primeiro trimestre de 2020 havia mais de 100 mil pessoas desempregadas. Era a segunda capital com maior número de pessoas sem emprego formal entre os Estados do Norte. Um terço da população de Belém recebeu auxílio-emergencial – 500 mil pessoas de uma população total de 1,5 milhão. Mais de 120 mil famílias recebem o Bolsa Família, com benefício médio de R$ 190,00. “Belém é uma cidade de periferia, pobre, de uma região tão cobiçada pelos poderosos do mundo mas tão periférica em relação às decisões do centro do país”, disse Edmilson. Lembrou que na cidade “70% do povo tem salários aviltantes, que não alcançam dois salários mínimos. São milhares de pessoas em situação de pobreza e miséria. Temos que tratar, neste momento, de quem não tem um prato de comida. Nossos desafios são enormes”. O Programa Bora Belém, diz o prefeito eleito, “tem instrumentos de distribuição de renda básica”, foi desenhado para dar mais dignidade aos que vivem em situação de “absoluta vulnerabilidade social” e será implementado em cooperação com o governo do Estado. “Negociei com o governador, temos recursos para iniciar este programa e salvar muitas vidas”, disse o prefeito Edmilson aos vereadores reunidos na posse. “Claro, é uma proposta. Mas seria um grande presente para a cidade se puder ser aprovada antes do aniversário de 455 anos de Belém, no próximo dia 12”, apelou. Belém coleciona índices ruins de desenvolvimento. Está entre as capitais mais violentas do país. Acredita-se que os votos do adversário de Edmilson no segundo turno, o outsider da política Delegado Federal Eguchi, do Patriota, vieram das promessas de fortalecer a segurança da capital paraense. Eguchi capitalizava o voto bolsonarista. Edmilson, o Ed, como é conhecido o político que já foi prefeito de Belém duas vezes pelo PT, entre 1996 e 2004, recebeu agora a capital das mãos de Zenaldo Coutinho, do PSDB. Vários dos vereadores empossados disseram, na cerimônia de posse, que a periferia da cidade está abandonada. Chove todos os dias na capital paraense, que está com os canais assoreados. As “baixadas”, como são batizadas as favelas das periferias, sofrem com inundações cada vez piores, agravadas pelas marés mais fortes. Este cenário agrava as condições sanitárias da população. O prefeito eleito promete limpar os canais e fazer obras. “A enchente maltrata o nosso povo. Não tem ideologia assim como o coronavírus, que ataca ricos e pobres”, disse em seu discurso. Edmilson anunciou que seus secretários já estão se reunindo com o governo do Estado e representantes das universidades para ampliar o número de UTIs e de leitos. “E para desenharmos a logística para realizarmos as vacinações assim que as vacinas forem liberadas pelo programa de imunização que o governo federal prometeu implantar”, seguiu. “Vamos respirar esperança”, prometeu. Neste momento, o discurso foi interrompido pelos aplausos dos vereadores. O prefeito do Psol mencionou os quase 200 mil brasileiros que morreram vítimas da covid-19, sendo 10 mil mortos no Pará. Edmilson conhece a situação de pobreza de Belém e seu quadro de desigualdade – e sabe que a pandemia irá piorar o que já está ruim. O PIB per capita de Belém é o menor entre as capitais brasileiras. Em 2018, dado mais recente divulgado pelo IBGE, era de apenas R$ 21.191, o que corresponde a apenas 63% do PIB per capita nacional, de R$ 33.592 por ano. Neste quesito, Belém é a capital mais pobre do país. No ranking do PIB dos municípios Belém está em 27º lugar, com participação de 0,45% no PIB nacional em 2018. São Paulo, em 1º lugar, tem participação de 10,2%. Manaus, em 6º lugar, tem fatia de 1,12%. Belém tem 8,12% do PIB da região Norte atrás de Manaus, com 20,18%. “Sei que não será fácil, a situação financeira de Belém não é das melhores”, continuou. Segundo ele, a cidade tem dívidas de mais de R$ 1 bilhão, com compromissos de curto e médio prazos. Em 2021, disse, terão que ser pagos quase R$ 200 milhões referentes a dívidas. Antes de passar a faixa a Edmilson, o ex-prefeito Zenaldo Coutinho disse que conseguiu garantir a manutenção de operações de crédito de R$ 820 milhões “para que o novo governo possa avançar na construção de obras necessárias à cidade” e que deixou um superávit de caixa de R$ 24 milhões para o início do governo. Disse, ainda que os documentos para a equipe de transição estão no site da Prefeitura, em sinal de transparência e acesso livre. Eleito por uma frente ampla de esquerda, Edmilson não mencionou o governo de Jair Bolsonaro. A menção ao autoritarismo foi lateral e sutil. “Eu tinha 6 anos quando foi implantada no país a ditadura militar. Minha infância, adolescência e parte da minha juventude foi consumida por dias em que não tínhamos direito de eleger os prefeitos das capitais. É importante que se lembre disso”, mencionou, dizendo que jovens que defendem a ditadura não conhecem este período, assim como pessoas distantes da vida política. “Farei de Belém uma cidade mais justa socialmente, mais equilibrada ecologicamente e mais democrática”, prometeu. Segundo ele, sua eleição sinaliza o desejo dos eleitores “por uma cidade que respeite os diferentes e combata as desigualdades”. (Colaborou Ana Conceição) Veja Mais

João Campos toma posse em Recife e diz que imunização contra covid é prioridade

Valor Econômico - Finanças Prefeito afirmou que atuará em duas frentes: discutir com o governo federal o plano nacional de imunização e desenvolver um plano específico para a cidade O prefeito do Recife, João Campos (PSB), disse que a sua primeira prioridade de governo será a imunização da população contra o coronavírus. “Jamais cairei na armadilha de negar a ciência”, disse durante discurso de posse na noite desta sexta-feira, na Câmara Municipal do Recife. O prefeito afirmou que vai atuar em duas frentes nas próximas semanas: discutir com o governo federal o plano nacional de imunização e desenvolver um plano específico para o Recife, que englobará desde a compra até a parte logística de distribuição da vacina. “Teremos uma postura ativa, caso o governo federal não faça a imunização”, disse a jornalistas. Ele ressaltou ainda que tem “muitas divergências” com o governo federal, mas que não vai se “furtar ao diálogo”. No discurso, Campos afirmou que tem compromisso com a democracia, a educação pública e o combate às desigualdades sociais, lembrando a tradição “vanguardista” e “libertária” da capital pernambucana. Reprodução Eleito prefeito mais jovem da história da cidade, aos 27 anos, Campos se emocionou ao falar do pai, o ex-governador Eduardo Campos (2014), morto em 2014 em acidente aéreo em Santos (SP). “Quando perdi meu pai aqui na terra, tive a certeza de que jamais estaria só, tenho um anjo da guarda”, afirmou o prefeito. Ele também citou a mãe, Renata Campos, como seu “maior exemplo de correção” e declarou para a namorada, a deputada Tábata Amaral (PDT), presente no evento: “Sua trajetória me inspira e você me faz ter certeza de que estou no caminho. Te amo!”. Veja Mais

Estados Unidos ultrapassam a marca de 20 milhões de casos de Covid-19

O Tempo - Mundo Mais de 125 mil pessoas estão atualmente hospitalizadas por coronavírus nos EUA - outro recorde Veja Mais

Anvisa termina análise de documentos já apresentados pela AstraZeneca para vacina da Covid

Glogo - Ciência Agência reguladora explica, no entanto, que a empresa ainda pode submeter novas análises. Fiocruz prevê entrega final até 15 de janeiro. Foto sem data divulgada em 23 de novembro mostra frasco da vacina da Universidade de Oxford contra a Covid-19. John Cairns/University of Oxford/AFP A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) terminou a análise dos documentos já apresentados pela AstraZeneca sobre a vacina da Covid-19 feita em parceria com a Universidade de Oxford. Na prática, a agência "está em dia" com o que foi apresentado até agora. Vacina de Oxford: veja o cronograma de produção da Fiocruz A análise das fases 1, 2 e 3 estão com o status "concluído". A Anvisa esclarece, no entanto, que a empresa ainda pode apresentar mais documentos, se achar necessário. Recentemente, a agência flexibilizou as exigências das informações que precisam ser enviadas para o pedido de uso emergencial. Antes, a quantidade de doses disponíveis precisava ser apresentada pela farmacêutica e, agora, a Anvisa pede apenas uma previsão do número de doses que serão disponibilizadas. No caso do registro, o número de imunizantes disponíveis não é requisitado. Fiocruz vai entregar documentos para registro da vacina de Oxford até 15 de janeiro Na quarta-feira (30), a presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade, afirmou que a entrega final de todos os documentos para registro da vacina de Oxford no Brasil deve ser feita até 15 de janeiro. "O nosso registro já está sendo submetido com a perspectiva de entrega final de documentos até a data de meados de janeiro, de 15 de janeiro", disse a presidente. A previsão é que o primeiro lote com 1 milhão de doses seja entregue entre 8 e 12 de fevereiro. Covid-19: o que muda (ou não) no combate à pandemia com a nova variante do coronavírus no Brasil Uso emergencial da vacina de Oxford contra Covid-19 já pode ser pedido à Anvisa, diz coordenadora dos estudos no Brasil 'Estamos com a esperança reanimada com a notícia do registro da vacina AstraZeneca', diz presidente da Fiocruz A vacina de Oxford tem eficácia que variou entre 62% e 90% a depender da dosagem aplicada, segundo estudo publicado no início da dezembro na revista científica "Lancet". Dentre as principais vantagens desta vacina na comparação com outros imunizantes está o fato de ela ser mais barata e mais fácil de armazenar, o que também facilita a sua distribuição. Diferente da vacina Pfizer/BioNTech, por exemplo, ela não precisa ficar guardada a -70°C e pode ser mantida em temperaturas normais de refrigeração, de 2ºC a 8ºC. Na terça-feira (29), o Ministério da Saúde disse que a previsão é começar a vacinação contra a Covid-19 no Brasil entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro – mas, para isso, é necessário o registro da vacina junto à Anvisa. Vacinação no Argentina A Argentina aprovou nesta quarta-feira (30) a autorização de emergência para a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford. O produto, para o qual a Argentina fechou acordo de fabricação, foi inscrito no "registro de vacinas emergenciais de interesse sanitário" pelo prazo de um ano, informou o órgão, em sua resolução. A agência reguladora do país afirma que o produto possui risco-benefício "aceitável". Essa é a terceira vacina contra a Covid-19 autorizada na Argentina para uso emergencial. Na última semana, a agência deu aval para uso emergencial do imunizante da Pfizer e da Sputnik V. Veja Mais

'Fadiga do Zoom é real, mas nós temos os mesmos problemas'; o impacto da Covid-19 na empresa de videoconferências

G1 Economia Lançada em 2012, empresa americana já ia bem, mas teve crescimento exponencial em 2020. Ainda assim, clima não é de celebração, diz a diretora Aparna Bawa: 'Foi uma época sombria. Não dá vontade de comemorar quando tantas pessoas ao redor do mundo estão sofrendo.' Aparna Bawa fez escala de sono com colegas em abril diante da demanda repentina e exponencial pelo serviço de teleconferência Zoom/Divulgação Há um ano, Aparna Bawa, executiva da Zoom, comemorava os resultados de sua empresa de teleconferência, sediada nos Estados Unidos. "No final de dezembro de 2019, lembro ter pensado 'nossa, estamos em uma ótima posição', uma vez que tínhamos, em média, 10 milhões de participantes de reuniões diariamente", lembra a diretora. Ela não podia imaginar que, por conta de um coronavírus que causaria uma pandemia no ano seguinte, aqueles números celebrados em 2019 se tornariam comparativamente modestos. "Em abril (de 2020), já tínhamos chegado a 300 milhões de participantes diários, e ficamos neste nível desde então." A surpresa não veio de graça: impôs para a equipe uma rotina também sem precedentes. "Lembro que, em abril, nosso diretor de marketing e eu fazíamos rodízio para dormir. Foi insano", lembra Bawa, diretora de operações na empresa americana. E embora a "loucura" continue, a executiva diz sentir pessoalmente um "forte senso de obrigação" em trabalhar para entregar o serviço como demandado. Voltemos para o início de 2020 e é justo dizer que a maioria das pessoas nunca tinha ouvido falar do Zoom, embora a empresa tivesse sido criada no Vale do Silício em 2012 e já fosse considerada um negócio de bastante sucesso. Entretanto, muitos de nós não estávamos preocupados com videochamadas, nem para trabalho e nem para a vida pessoal. Até que a pandemia de coronavírus foi declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em março. Apesar de produtos como os oferecidos pelo Zoom serem desconhecidos para muitos até ali, este já era um mercado com concorrentes de peso. 'Marca certa na hora certa' Zoom tem modelo 'freemium', um misto de acesso gratuito com limitações e acesso pago com benefícios Zoom O Google Meet, que usa a mesma métrica do Zoom de participantes diários, afirma que no primeiro trimestre de 2020 teve um "pico de 235 milhões" de usuários — eles são contados a cada reunião que participam em um dia, então se uma pessoa ingressa em dois encontros online, será contada como dois usuários. Enquanto isso, o Microsoft Teams, que contabiliza apenas uma pessoa independentemente de quantas reuniões ela participe por dia, diz que em outubro seu número de usuários diários chegou a 115 milhões. O Facebook não revelou números de seu serviço de videoconferência Messenger Rooms, mas divulgou que as videochamadas diárias no aplicativo Messenger agora totalizam mais de 150 milhões. Então, com tantos serviços disponíveis e milhões de clientes, por que o Zoom se destacou? Martin Veitch, editor colaborador do site de tecnologia IDG Connect, diz que a empresa americana foi "a marca certa na hora certa". "Acho que as principais razões para seu sucesso são a facilidade de uso, um modelo de negócios freemium (um misto de acesso gratuito com limitações e acesso pago com benefícios; no Zoom, empresas podem pagar para que o tempo das reuniões seja ilimitado e inclua mais participantes) e uma tecnologia subjacente robusta que lida bem com conexões à internet abaixo do padrão." Angela Ashenden, analista de tecnologia da consultoria CCS Insight, lembra que o Zoom se saiu bem respondendo a problemas de segurança no início do ano. "Evidentemente, esses problemas tiveram algum impacto na percepção sobre o Zoom e, como resultado, vimos várias empresas banindo seu uso (para reuniões corporativas)", analisa. "Mas, por outro lado, o Zoom respondeu rapidamente e dobrou seu investimento e compromisso para resolver esses problemas. Na verdade, fez um ótimo trabalho nessa frente." Antes da pandemia, a empresa já tinha uma estrutura que facilitou lidar com a chegada repentina de milhões de usuários — incluindo um sistema baseado em computação na nuvem e 19 centros com servidores espalhados pelo mundo. Até ali, isso era mais do que suficiente e atendia aos planos da companhia de crescimento a longo prazo. Mas os contratos em vigor permitiam um acréscimo de "dezenas de milhares de outros servidores dentro de cinco horas [de prazo]" — então, quando o número de usuários disparou, a empresa ativou essa capacidade adicional. Seu uso foi além das tradicionais videochamadas com familiares ou reuniões de trabalho, incluindo também entrevistas de emprego, aniversários e confraternizações de fim de ano. Olhando adiante, Bawa diz que a videoconferência veio para ficar porque a maioria de nós continuará a trabalhar em casa, pelo menos parcialmente. "O futuro do trabalho mudou para sempre", prevê. "Cada vez mais nossos clientes dizem que irão optar por um modelo híbrido, com dois ou três dias por semana de trabalho em casa." 'Fadiga de Zoom' Embora trabalhar de casa seja bem-vindo para muitos, para outros, esta experiência trouxe desafios. O psicólogo Stuart Duff, especializado no mundo corporativo, diz que orientou vários clientes a lidar melhor com as ferramentas online. "O uso excessivo da videoconferência agora é chamado de 'fadiga do Zoom'", lembra. "Existem quatro formas principais de comunicação: texto, vídeo, chamada telefônica e face-a-face. Nada substitui essa última. O vídeo é a segunda melhor opção, mas não quando usado das nove da manhã às cinco da tarde, ou para todas as reuniões." Duff diz que as empresas devem tentar tornar as videochamadas menos estruturadas e que mais tempo deve ser concedido para bate-papos informais. A psicóloga Jess Baker, que também atua no ramo corporativo, precisou igualmente incorporar o tema das novas rotinas em seus atendimentos. "Estar preparado (para o encontro online) permite que você se sinta mais confiante", diz ela. "Prepare-se para cada chamada como se fosse uma reunião com seu gestor [pessoalmente]." "Em seguida, faça contato visual com a câmera e, independentemente de quantas pessoas estão na reunião, imagine que você está falando apenas com uma pessoa. Isso pode parecer bobo no início, mas seus interlocutores ficarão impressionados." 'A pandemia atingiu os funcionários do Zoom tanto quanto todo mundo, e temos os mesmos problemas', relata Bawa Zoom Aparna Bawa concorda que o uso excessivo de videoconferências é uma dificuldade para algumas pessoas. "Quando as pessoas falam sobre a fadiga do Zoom, a tensão é real, mas não é nossa culpa." "É preciso cultivar o bem-estar em sua vida e fazer pausas [da tela]", diz ela. "A pandemia atingiu os funcionários do Zoom tanto quanto todo mundo, e temos os mesmos problemas. Para nós, focar na saúde mental de nossos funcionários tem sido muito importante." A executiva diz que, apesar do sucesso comercial do Zoom em 2020, o clima na empresa não foi de comemoração, por conta da pandemia. "Foi uma época sombria. Não dá vontade de comemorar quando tantas pessoas ao redor do mundo estão sofrendo." Veja Mais

'Bolsonaro gosta do cheiro da morte e do dinheiro das rachadinhas', diz Doria

O Tempo - Política Governador de São Paulo subiu o tom das críticas ao presidente após o ex-aliado eleitoral dizer que o tucano não gosta do "cheiro do povo" Veja Mais

Câmeras caseiras hackeadas transmitem batidas policiais ao vivo nos EUA

G1 Economia FBI emitiu alerta dizendo que criminosos às vezes falaram com a polícia por meio de dispositivos inteligentes violados. As campainhas inteligentes foram comprometidas em alguns ataques hackers Getty Images via BBC Hackers transmitiram em vídeos ao vivo batidas policiais em lares inocentes, após invadirem dispositivos conectados das vítimas e passarem trote telefônico às autoridades, alerta o FBI, serviço de contra inteligência Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Segundo o departamento federal de investigação, criminosos chegaram a falar com os policiais através dos equipamentos hackeados. A novidade é o mais recente avanço de um crime conhecido como "swatting", em que os contraventores enganam policiais ou outros profissionais de atendimento de emergência para ir à casa de uma pessoa que desconhece a ação. O FBI afirma que a prática criminosa traz risco à vida. Uma ligação falsa sobre um suposto caso de reféns levou a polícia a atirar em — e matar — um homem no Kansas há três anos, e houve outros casos em que pessoas foram feridas. Reutilização de senhas dá abertura ao crime O FBI afirma que a nova versão da "pegadinha" foi possível porque as vítimas reutilizaram senhas de outros serviços quando programaram seus dispositivos conectados. Listas de dados hackeados são compradas e vendidas com frequência no mercado ilegal. E os criminosos frequentemente testam os dados roubados de um serviço em outros, para descobrir onde senhas foram reutilizadas. Já houve também registros de falhas de segurança em alguns produtos, incluindo interfones inteligentes, que permitiram aos hackers roubar senhas de rede e ganhar acesso a outros dispositivos conectados ao mesmo wi-fi. Os aplicativos e sites usados para instalar esses produtos frequentemente guardam o nome e endereço dos usuários em seus registros de conta, para oferecer serviços específicos por localidade. "Os infratores ligam para serviços de emergência para denunciar um crime", diz o alerta do FBI. "Os criminosos assistem à transmissão por vídeo ao vivo e interagem com os policiais através da câmera e dos alto-falantes. Em alguns casos, os infratores também transmitem o incidente em comunidades online." Ofensas pelo interfone O alerta do FBI não se refere a nenhum incidente específico, mas houve reportagens recentes na imprensa sobre casos semelhantes nas últimas semanas. Em novembro, a rede de televisão americana NBC News reportou que a polícia foi a uma casa na Flórida após receber uma ligação falsa para o número de emergência 911. No telefonema, um homem dizia ter matado sua esposa e estar armazenando explosivos. Quando os policiais deixaram o prédio, após descobrir que se tratava de uma "pegadinha", eles relataram terem ouvido insultos através do interfone inteligente da propriedade. Em outro incidente, no mesmo mês, na Virgínia, policiais relataram ter ouvido o hacker gritar "me ajudem" através do interfone, após chegarem à casa de uma pessoa que supostamente estaria ameaçando se matar. Quando questionaram o criminoso através do dispositivo, ele disse que havia invadido quatro câmeras diferentes do local e que estava cobrando US$ 5 (cerca de R$ 26) para outras pessoas assistirem ao incidente online. "Depois disso, vamos desconectar, diga a ele para trocar sua senha do Yahoo, sua senha do Ring [serviço de segurança domiciliar e dispositivos inteligentes], e parar de usar a mesma senha para serviços diferentes", teria dito o criminoso, segundo a rede de televisão local WHAS11. Caso de racismo Em outro evento reportado na Geórgia, o criminoso gritou ofensas raciais às suas vítimas, após a polícia deixar o local, e disse que havia realizado mais de uma dúzia de ataques semelhantes naquele dia. A empresa Ring nega que seu sistema tenha sido comprometido. A companhia usa um sistema de verificação em duas etapas, o que significa que os donos dos dispositivos só podem acessá-los a partir de um novo computador se digitarem um código enviado por e-mail ou mensagem de texto no celular. No entanto, se alguma dessas duas formas de comunicação também estiver comprometida, o usuário segue vulnerável. Como resultado, o FBI aconselha que proprietários de dispositivos inteligentes se assegurem de utilizar uma variedade de senhas complexas para cada serviço online. "Os usuários também devem atualizar suas senhas com regularidade", acrescenta o FBI, embora o Centro Nacional de Cibersegurança do Reino Unido considere que isso pode representar um risco, pois a troca constante pode encorajar as pessoas a optarem por senhas mais fracas. Veja Mais

Biden e Pelosi contam com longa relação na tentativa de unir democratas

Valor Econômico - Finanças Líderes democratas se conhecem há mais de 30 anos e têm tradição de unir o partido, que possui diversas correntes A relação entre o presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, e a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, se estende por mais de três décadas. Eles agora devem aproveitar esses laços para conduzir um partido democrata dividido, em meio a uma pandemia e uma economia se recuperando de uma crise profunda. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Cidades do interior têm prefeitos eleitos vítimas da covid-19

Valor Econômico - Finanças Nesses casos, que toma posse é o vice-prefeito eleito juntamente na chapa Em cidades do interior do país, prefeitos eleitos que tomariam posse nesta sexta-feira acabaram se tornando vítimas da covid-19. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

EUA: Trump estende até março veto a novos green cards e vistos de trabalho

Valor Econômico - Finanças Presidente alegou contínua fraqueza no mercado de trabalho americano devido à pandemia de covid-19 O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, estendeu a proibição de novos "green cards" e vistos de trabalho até meses depois de deixar o cargo, citando a contínua fraqueza no mercado de trabalho dos EUA devido à pandemia do coronavírus. Trump assinou na quinta-feira (31) uma proclamação que se estende até 31 de março, com as restrições à imigração que ele colocou em vigor em abril e renovou em junho. “Os efeitos da Covid-19 no mercado de trabalho dos Estados Unidos e na saúde das comunidades americanas são uma questão de preocupação nacional contínua, e as considerações presentes” nas proclamações anteriores “não foram eliminadas”, disse Trump. Evan Vucci/AP A extensão das restrições, que incluem o congelamento de novos vistos H-1B e H-4 usados ​​por trabalhadores de tecnologia, continua a campanha agressiva de Trump para limitar a imigração para os EUA de vários tipos durante seu mandato. A extensão para março significa que as restrições estarão em vigor quando o presidente eleito Joe Biden assumir o cargo, em 20 de janeiro. As empresas de tecnologia e a Câmara de Comércio dos Estados Unidos, a maior organização de lobby empresarial do país, criticaram as proibições como prejudiciais à economia do país. A Câmara e outros grupos comerciais entraram com ações judiciais para bloquear as restrições. A Bloomberg LP, controladora da Bloomberg News, está entre as empresas que expressaram apoio a uma ordem judicial bloqueando a política de Trump. A taxa de desemprego dos EUA em novembro foi de 6,7%, ante 14,7% em abril, no auge do fechamento de empresas devido à pandemia, mas mais do que o dobro da taxa de 3,5% em fevereiro. A taxa de desemprego de dezembro será divulgada em 8 de janeiro. Veja Mais

Vigil: The Longest Night é um Metroidvania que joga seguro

Vigil: The Longest Night é um Metroidvania que joga seguro

Tecmundo Certos jogos não fazem questão alguma de reinventar a roda e se contentam em ser somente uma honesta homenagem aos games que os influenciaram. E tudo bem. Concebido pelas mãos do pequeno estúdio taiwanês Glass Heart Games, Vigil: The Longest Night é exatamente isso: ele não esconde suas influências nas fórmulas Metroidvania e Soulsborne nem se empenha para trazer ideias originais, mas cumpre o propósito fundamental de divertir. Leia mais... Veja Mais

Bolsonaro veta medida que blindava cortes de gastos contra Covid-19 e vacinas

O Tempo - Política O trecho havia sido incluído pelo Congresso Nacional na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2021 Veja Mais

Os grandes marcos da ciência espacial em 2020

Os grandes marcos da ciência espacial em 2020

Tecmundo Apesar de conturbado em algumas esferas, o ano de 2020 contou com diversas missões exploratórias do espaço e incríveis descobertas astronômicas. Listamos abaixo alguns dos eventos mais importantes para a compreensão do Universo através do desenvolvimento científico. Confira!Cápsula DragonLeia mais... Veja Mais

5 youtubers brasileiros que ensinam a desenhar muito mais que boneco de palito

canaltech Já faz alguns meses que estamos em regime de quarentena, ficando em casa o máximo possível. Com isso, uma boa ideia pode ser aprender algo novo, como desenhar, por exemplo. E é justamente tendo isso em mente que trazemos uma lista com youtubers brasileiros que manjam muito do assunto e podem te ensinar. Acredite ou não, mas o YouTube pode se mostrar como uma enorme sala de aula. 5 youtubers brasileiros que ensinam tudinho sobre música 5 youtubers brasileiros que ensinam astronomia 5 youtubers que te divertem com experimentos científicos Mariana Cagnin Quem abre nossa lista de youtubers brasileiros é a ilustradora e quadrinista Mariana Cagnin. Autora dos quadrinhos Vidas Imperfeitas, Black Silence e da webcomic Bittersweet, Mariana ministra cursos online e presenciais, na esperança de poder inspirar artistas e aspirantes. Seu canal já conta com mais de 200 mil inscritos, e é dedicado a produção de conteúdo inspiracional, bem como dicas, tutoriais e processos de desenho e pintura. Em seus vídeos, Mariana ensina desde o básico: como desenhar determinadas partes do corpo, por exemplo. A criadora de conteúdo também realiza lives intituladas "Aulão de desenho". Conversando com Mariana, descobrimos que ela começou a desenhar quando era criança e, desde aquela época, já gostava de criar personagens e universos, sendo que o desenho era uma forma de colocá-los no mundo. "Sempre consumi muito conteúdo de arte, especialmente no Youtube e em meados de 2013, decidi postar um processo de pintura em aquarela no canal. Lembro de alguns colegas vindo me falar que gostaram do vídeo, que acharam terapêutico e que eu deveria continuar. Desde então nunca mais parei", conta. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Questionada sobre as melhores e as piores partes de ser uma youtuber, Mariana opina: "As principais dificuldades são os algoritmos que limitam demais o alcance dos vídeos, o que acaba desanimando bastante, e ter de lidar com trolls e haters. A melhor parte é poder compartilhar conhecimentos e experiências com o mundo e interagir com o público que me acompanha. Os relatos e mensagens que recebo são o que mais me motiva a continuar".   Já quanto ao cenário brasileiro, Mariana aponta que não só é possível viver como ilustrador no Brasil, como de fato muita gente vive disso. "A desvalorização infelizmente é bem comum no nosso ramo, especialmente quando há pouco incentivo à cultura. As pessoas tratam arte como algo supérfluo e não sabem que praticamente tudo que permeia a vida delas teve mãos de algum profissional criativo, como um desenhista, um fotógrafo, um designer, e por aí vai", diz a artista. Para Mariana, seja na busca pela profissionalização ou apenas como hobbie, a arte é acima de tudo uma forma de expressão, uma forma de se comunicar com nós mesmos e com o próximo, além da sensação de satisfação de ter criado algo novo. A ilustradora ainda acrescenta que, com a tecnologia e a ascensão da ilustração digital, desenhar se tornou uma tarefa mais prática. "A arte digital traz mais praticidade pra rotina de um ilustrador, mas é um erro comum acreditar que uma ferramenta vai fazer você automaticamente desenhar melhor". Para quem almeja começar a desenhar, os conselhos da ilustradora são os seguintes: "Determine dias e horários para estudar e mantenha a frequência, pois o desenho se desenvolve com o treino e a prática. Tente não se comparar com outros artistas, pois isso acaba causando muita frustração e cada um teu seu próprio tempo e curva de aprendizado". VC Desenhos World O canal VC Desenhos World já une mais de 100 mil inscritos em busca de dicas e ensinamentos. O ilustrador e professor de desenho Victor Carvalho, responsável pelo canal, conta que no começo a ideia era que o espaço no YouTube fosse apenas uma vitrine para divulgar seus serviços de ilustrador, isso lá em 2011. No entanto, depois de postar a primeira aula de desenho, Victor viu seu canal crescer. Na visão de Victor, é possível viver muito bem sendo ilustrador. "Os desenhistas são muito desvalorizados, mas isso também começa em casa, pela falta de informação, por não ter grandes exemplos de que o desenhista também consegue ter uma boa vida. Quanto à possibilidade de viver sendo desenhista, é que muitos acham que ser desenhista é só sobre aprender a desenhar, e é muito mais sobre empreender do que qualquer outra coisa.   Victor conta que depois que começou a se aprofundar mais nas técnicas, acabou por desenvolver uma percepção diferente para poder, assim, melhorar seus desenhos, mas como efeito colateral, acabou por enxergar uma vida totalmente diferente, e é esse impacto que espera ter com suas aulas. Já em relação à tecnologia e a ascensão da ilustração digital, o professor diz que pode ser sinônimo de benefícios, mas apenas para aqueles que focam em técnicas. "Além de poder montar um estúdio com investimento relativamente baixo porque com uma tablet por exemplo e um software instalado, eu tenho acesso a todas as cores e materiais que existem no mundo todo, outra coisa é a forma que conseguimos contactar e encontrar novos clientes é totalmente diferente do relacionamento que tínhamos há 10 anos atrás. Hoje, eu não preciso sair de casa com uma pasta debaixo do braço tentando prospectar novos clientes", relata o youtuber. As maiores dificuldades que Victor percebe que as pessoas têm, para aprender a desenhar, envolvem desistência na primeira tentativa, sobrecarga de informações, pouco tempo investindo na prática e a utilização de técnicas erradas. Aos leitores do Canaltech que querem aprender a desenhar, o criador de conteúdo aconselha definir metas e desenhar todos os dias. "As metas vão te ajudar a traçar caminhos até seu objetivo principal, que é ser um desenhista. Defina uma agenda para bater o maior desafio, desenhar todos os dias e evoluir constantemente". Caneta & Grafite Mas se a sua vontade é aprender a fazer especificamente desenhos de moda, croquis e tudo o mais, Caneta & Grafite é o canal certo para te ensinar, uma vez que grande parte do canal é relacionada a esse assunto. O canal é administrado pela designer de moda Raquel Melo, e já une cerca de 160 mil inscritos. Em entrevista ao Canaltech, Raquel conta que seu interesse pelos desenhos surgiu desde muito nova. "Eu adorava ler revistas e gibis, e isso me despertou o interesse e amor pelo desenho. Resolvi criar o canal primeiramente para divulgar meu desenhos. Pouquissimas pessoas sabiam que eu desenhava, e depois vi que faltava conteúdo desse tipo no YouTube", relata. Na visão de Raquel, trazer conteúdos relevantes com frequência e investir na qualidade dos vídeos são os principais desafios de sua carreira como youtuber. No entanto, é uma profissão qe traz muitos pontos positivos: "Ajudar as pessoas, fazer novos amigos e trabalhar com o que amo", menciona. Já em relação à importância da arte em geral, a designer acredita no seguinte: "A arte nos torna pessoas mais expressivas, que sabem expor as ideias e formas de pensar através dela".   Na visão da artista, a tecnologia ajuda a deixar o trabalho mais descomplicado e confortável, mas de nada adianta ter tecnologia e não saber administrar as técnicas de ilustração para aplicar. Mas de qualquer forma, a youtuber incentiva as pessoas a colocarem o desenho em prática: "Comece! Não espere ter materiais caros, não ache que só 'quem tem dom' é capaz. Todos somos capazes de desenhar! Basta ter foco, persistência e dedicação", aconselha. Mia GB Outra youtuber brasileira que pode te ajudar nessa jornada de aprender a desenhar é Mia GB, que trabalha com ilustração, tatuagem e quadrinhos. Seus vídeos envolvem speed drawings, speed paintings, tutoriais e outras coisas relacionadas a arte. Questionada sobre o cenário brasileiro, a youtuber aponta: "Desvalorização existe, mas não pensem que isso é problema do Brasil ou um problema da arte. As indústrias de ilustração, quadrinhos, etc. têm muito espaço para crescer ainda no Brasil, mas já demos grandes passos na última década". Segundo Mia, a internet também tem ajudado muito os artistas, não só a aparecerem no cenário nacional, mas até para buscarem oportunidades em empresas internacionais que hoje conseguem contratar artistas do mundo todo. "Artistas, olhem para o lado positivo, busquem e disseminem conteúdo nacional de qualidade. A transformação tem que partir da nossa comunidade", indica a ilustradora.   Mia cita que o interesse pela arte já existe, já temos pessoas sonhando com essa carreira e toda uma indústria disposta a pagar por esses artistas. O necessário é gerar a conexão entre ambos e um entendimento de como essa indústria funciona. Já quanto à relação entre arte e tecnologia, Mia aponta que só o fato de abrir o leque de possibilidades dos artistas já é um grande avanço. "Temos novas ferramentas, novas formas de resolver velhos problemas, novos resultados a alcançar. Em termos profissionais, a internet também revolucionou a carreira dos artistas. Também ampliou os horizontes, abriu portas da oportunidade e criou toda uma comunidade de gente se ajudando, disseminando conhecimento e democratizando os espaços que há 30 anos eram limitados a um grupo muito seleto de pessoas", conta. Aos leitores do Canaltech que querem começar a desenhar, Mia aconselha ter muita paciência. "Muito iniciante desiste porque não alcança o resultado desejado depois de dois a três meses. É bem fácil de se frustrar vendo artes impecáveis da galera na internet, mas, dificilmente a gente tem acesso aos anos de estudo, os desenhos que deram errado, às pinturas que ficaram feias. Todo artista que você admira um dia esteve no seu lugar, começando, com um longo caminho a trilhar". Crás Conversa Encerramos a nossa lista com o canal Crás Conversa, coordenado pelo professor Thiago Spyked. O canal acumula 387 mil inscritos. Entre o conteúdo, o youtuber traz dicas tanto para desenhistas iniciantes quanto aqueles que já têm alguma base. O canal também traz lives mostrando determinadas técnicas de desenho e ainda passa por temas como anime e quadrinhos.   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Essa pode ser a explicação para o misterioso desaparecimento da Lua há 900 anos Mais um estudo sugere que o objeto espacial Oumuamua seja uma nave alienígena Os lançamentos da Netflix em janeiro de 2021 Os lançamentos do Disney+ em janeiro de 2021 Dexametasona e outros medicamentos que podem mudar os rumos da COVID-19 Veja Mais

Mesa Diretora da Câmara de Betim é eleita

O Tempo - Política Klebinho Rezende (PROS) presidirá a Casa legislativa Veja Mais

Governo publica MP que prorroga regra sobre reembolso integral do valor da passagem aérea

G1 Economia Valor integral do serviço também pode ser convertido em crédito para ser utilizado na compra de outro outro bilhete. Prazo da medida vai até 31 de outubro deste ano. Durante pandemia Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília, em imagem de arquivo Felipe Menezes/Inframerica/Divulgação O governo federal publicou na quinta-feira (31) no "Diário Oficial da União" medida provisória (MP) que prorroga até 31 de outubro de 2021 a regra que permite o reembolso integral de passagens aéreas durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo a secretaria, além da devolução do dinheiro, o valor integral da passagem pode ser convertido em crédito para ser utilizado na compra de outro outro bilhete. A prorrogação da regra foi antecipada pela Secretaria-Geral da Presidência na tarde de quinta-feira, mas houve mudanças: o prazo da medida foi ampliado de 21 de outubro para 31 de outubro de 2021 e o período para utilização dos créditos, reduzido de 18 meses para 12 meses a partir da data de cancelamento do voo. Medidas provisórias entram em vigor imediatamente, mas precisam de aprovação do Congresso Nacional para se tornarem leis em definitivo. "O consumidor continua possuindo a flexibilidade para cancelar suas viagens devido a imprevistos decorrentes da pandemia. O valor integral da passagem é reembolsado sem multas caso seja convertido em crédito para ser utilizado na compra de outra passagem", informou o governo. Ainda de acordo com o governo federal, o movimento do setor aéreo "continua muito aquém do normal", com 65% dos voos domésticos e 25% dos internacionais, se comparados ao mesmo período de 2019. "Ante a persistência das incertezas do cenário epidemiológico, é necessário o prosseguimento das regras especiais de reembolso", acrescentou a pasta. Vídeos: Retrospectiva 2020 Veja Mais

Paes estabelece novas medidas na área de saúde para combater pandemia de covid-19

Valor Econômico - Finanças Conjunto de medidas possibilitará criação de 343 novos leitos para tratamento de pacientes de covid-19 já a partir de janeiro O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), publicou nesta sexta-feira, no Diário Oficial do Município, três decretos relacionados à área de saúde, nos quais constam medidas de combate à pandemia de covid-19 na capital fluminense. De acordo com cálculos citados pela prefeitura, o conjunto de medidas nos decretos possibilitará criação de 343 novos leitos para tratamento de pacientes de covid-19 já a partir de janeiro. Além de abrir 193 vagas na rede pública, a Secretaria Municipal de Saúde vai publicar chamamento para 150 na rede privada, detalhou a prefeitura, por meio de assessoria de imprensa. Em comunicado, a assessoria do prefeito eleito detalhou que os decretos determinam transparência da ocupação dos leitos hospitalares nas unidades integrantes da rede do Sistema Único de Saúde (SUS) da cidade do Rio de Janeiro; instituição de Comitê Especial de Enfrentamento da covid-19 no âmbito do SUS; e criação do Centro de Operações de Emergência (COE Covid-19 Rio). No caso dos leitos, o prefeito eleito determinou, em decreto, que todas as unidades integrantes da rede SUS no município do Rio de Janeiro deverão manter atualizados os dados de ocupação de seus leitos hospitalares em uma plataforma da Secretaria Municipal de Saúde. O acesso ao censo de ocupação de leitos hospitalares será público, não havendo restrições, detalhou a prefeitura. Na plataforma, estarão disponíveis informações sobre leitos livres, leitos ocupados, leitos impedidos, leitos cedidos à Central de Regulação, data e hora em que ocorreu o status, motivo do impedimento e lista de leitos livres e de leitos por tipo, acrescentou o órgão municipal, por meio de sua assessoria de imprensa. Além disso, no caso do Comitê Especial de Enfrentamento da Covid-19, ficou estabelecido que, entre outras atribuições, esse comitê terá função de monitorar e avaliar o desempenho da rede do SUS e elaborar recomendações ao Centro de Operações de Emergência (COE Covid-19 Rio). Entre os integrantes do conselho que integrará o comité estarão Daniel Soranz, secretário municipal de Saúde; Alberto Chebabo, representante da Universidade Federal do Rio de Janeiro; Alessandra Siqueira, representante do Ministério da Saúde; Carlos Alberto Chaves, secretário de Estado de Saúde; Carlos Alberto Pereira de Oliveira, representante da Universidade Estadual do Rio de Janeiro; Daniel Becker, Fábio Leal, representante do Instituto Nacional do Câncer; Marcelo Lambert, representante Ministério da Saúde; Rivaldo Venâncio, representante da Fundação Oswaldo Cruz, Fiocruz, entre outros. Ainda de acordo com a prefeitura, o Centro de Operações de Emergência (COE Covid-19 Rio) funcionará na sede do Centro de Operações e Resiliência (COR) no bairro Cidade Nova – onde também se localiza a sede da prefeitura do Rio. Entre outras funções, esse órgão terá competência para planejar ações de combate à pandemia e aplicar medidas protetivas. Estas ações e medidas vão se basear em três níveis que refletem o estágio de risco: nível de alerta 1, estágio considerado de risco moderado; nível de alerta 2, estágio considerado de risco alto; e nível de alerta 3, estágio considerado de risco muito alto. Ainda de acordo com a prefeitura do Rio, os leitos e profissionais do Hospital de Campanha do Riocentro, criado no ano passado para abrigar pacientes de covid-19, serão remanejados para os hospitais Ronaldo Gazolla; Souza Aguiar, Salgado Filho, e Hospital Universitário Clementino Fraga Filho. A prefeitura do Rio informou ainda que, também no Diário Oficial do município, foi publicado Plano de Ações para os 100 primeiros dias do governo. Nesse plano, entre outras medidas, constam outras ações na área de saúde e combate à pandemia, como preparação das Clínicas da Família para a campanha de vacinação contra a covid-19; recomposição das equipes do Programa Saúde da Família e Saúde Bucal. Veja Mais

Conheça os 21 filmes mais aguardados de 2021

Conheça os 21 filmes mais aguardados de 2021

Tecmundo Com o adiamento de muitas estreias devido à pandemia, o ano de 2021 está repleto de lançamentos imperdíveis. Mas como a reabertura dos cinemas depende de muitos fatores, vale lembrar que ainda há muitas questões em jogo quando se trata dos lançamentos. Leia mais... Veja Mais

Tião Bocalom reconhece que assume 'prefeitura saneada' em Rio Branco

Valor Econômico - Finanças 'Não haverá espaço para a corrupção em nossa gestão', discursa prefeito da capital do Acre em sua posse Em discurso de posse da prefeitura de Rio Branco, o prefeito eleito Tião Bocalom (PP) elogiou a ex-prefeita Socorro Neri (PSB), com quem concorreu à eleição no segundo turno. Ele informou que sua equipe de gestão estará completa nos próximos 90 dias. "Tenho certeza de que você conseguiu sanear uma prefeitura que não estava fácil", disse Bocalom dirigindo-se à ex-prefeita. "Sei que estou assumindo uma prefeitura saneada." Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Antônio Furlan toma posse em Macapá na presença de 4 ex-prefeitos da capital

Valor Econômico - Finanças Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Duda Salabert diz que pretende dar chance após episódio de transfobia na CMBH

O Tempo - Política Vereador Wesley (PROS) ignorou Duda como mulher e disse que Professora Marli foi a mais votada da legislatura que começa nesta sexta Veja Mais

10 experimentos estranhos feitos no espaço

canaltech Quando a humanidade conquistou a capacidade de ir ao espaço, muitas perguntas puderam ser respondidas. Descobrimos, por exemplo, que é possível levar um objeto artificial para a órbita do nosso planeta, que podemos transmitir sinais do e para o espaço, e mostramos ser possível chegar à Lua. Mas muitas outras dúvidas só podiam ser respondidas através de experimentos científicos, e alguns podem até ser bem divertidos. Saiba tudo sobre a Estação Espacial Internacional Contra o coronavírus, lave as mãos! Veja como astronautas se higienizam na ISS Coisas do cotidiano da Terra que astronautas não podem fazer no espaço (Imagem: Reprodução/NASA) Talvez possamos dizer que o primeiro grande experimento científico bem sucedido fora da Terra tenha sido o Sputnik, satélite lançado pela União Soviética em 4 de outubro de 1957 (embora outros foguetes tenham deixado nossa atmosfera antes). Ele foi o primeiro satélite espacial e responsável pelo primeiro sinal emitido do espaço. Durante sua missão de 22 dias, ele transmitiu um “bip” através de sinais de rádio, que podiam ser detectados até mesmo por radioamadores. O sucesso do Sputnik levou os EUA a travar a Corrida Espacial com a União Soviética até 1975. Isso fez com que a ciência desenvolvesse tecnologias e conhecimentos o suficiente para o pouso de humanos na Lua com a missão Apollo 11, em 1969, o que nos levou a um novo cenário que se tornaria corriqueiro: o dos experimentos científicos na Lua e, mais tarde, na órbita terrestre. Até hoje, astronautas viajam à Estação Espacial Internacional (ISS) para realizar novos estudos, e alguns deles foram bem estranhos. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Olha só o que esses caras já fizeram lá fora: Empurraram um traje de astronauta para o espaço   Em alguns filmes e séries de ficção científicas, os cadáveres de membros da tripulação que morrem dentro de uma nave espacial são atirados no vácuo cósmico para flutuar eternamente. Se isso acontecesse na ISS, a cena seria algo parecido com o vídeo acima. Este experimento foi realizado no dia 3 de fevereiro de 2006. Um traje espacial russo apelidado de Ivan Ivanovitch (ou Sr. Smith, ambos nomes muito comuns em seus respectivos países) foi recheado com roupas velhas e empurrado propositalmente da câmara de descompressão sem amarras, levando consigo um transmissor de rádio. A ideia era saber se os trajes espaciais poderiam ser usados ​​como satélites, por isso foi batizado de SuitSat-1. Como os trajes tinham uma determinada vida útil e, depois, tornavam-se inúteis, os russos queriam descobrir se era possível encontrar alguma utilidade para eles no espaço. Os relatórios do resultado da missão variam. A NASA diz que o transmissor morreu logo após o lançamento, mas a Rússia afirma que houve uma transmissão final quinze dias depois. O último sinal confirmado foi recebido em 18 de fevereiro, mas o SuitSat-1 continuou em órbita durante meses, antes de entrar na atmosfera da Terra e queimar em 7 de setembro de 2006. Jogaram um martelo e uma pena na Lua   Reza a lenda que, certa vez, Galileu Galilei, convenceu os professores a assistir suas experiências na torre inclinada de Pisa. Do topo da torre, o físico deixou cair uma pedra grande junto de outra pequena para mostra rque ambos alcançavam o solo simultaneamente. Seja a história real ou não, o princípio da universalidade da queda livre foi determinado por Galilei: se dois corpos caírem ao mesmo tempo em um lugar com o mesmo campo gravitacional, sofrem a mesma aceleração independentemente de sua composição. Mas há um problema nessa frase. Se um dos dois objetos tiver formato que apresente resistência ao ar — uma pena ou folha de papel, por exemplo — ele vai lutuar demorar mais para cair no chão. Então, a lei só poderia ser de fato comprovada em um lugar onde não existe ar. A Lua é um desses lugares, e os astronautas que foram para lá durante as missões Apollo aproveitaram a oportunidade para realizar o experimento. Em 2 de agosto de 1971, o comandante David Scott, da missão Apollo 15, pegou um martelo e uma pena de falcão e os ergueu à mesma altura — cerca de 1,6 metro do chão —, e em seguida os largou. Sem a resistência do ar, os dois objetos caíram simultaneamente. Embora os cientistas já soubessem que o resultado seria este, podemos dizer que foi um alívio, já que o retorno dos exploradores espaciais era baseado nessa mesma teoria, conforme relatou o astronauta da NASA Joe Allen. Fizeram uma gota d'água colorida e flutuante   Como as coisas se comportam em microgravidade? Muitas experiências na ISS são motivadas por essa pergunta. Nesse tipo de ambiente, sementes podem brotar? Plantas podem gerar frutos nutritivos? No início, algumas questões eram mais… inusitadas. Mas não menos interessantes. Os astronautas aprenderam rápido que se você derramar um pouco de água em ambiente de microgravidade, ela simplesmente fica flutuando por lá, como uma bola transparente e grudenta. Imagine o tipo de brincadeiras, digo, experimentos podem ser realizados com isso. Já houve balões de água estourados, câmeras GoPro inseriras dentro da água flutuante para filmá-la de dentro, entre outras coisas divertidas. E teve esse cara, chamado Scott Kelly, que coloriu uma gota de água na ISS. Ele usou um corante alimentar e depois inseriu comprimidos efervescentes dentro de uma bolha de água flutuante. Além de se dissolverem lá dentro, gases foram liberados na água e formaram um efeito curioso. Atearam fogo no espaço   E o fogo, como se comporta na microgravidade? Os cosmonautas descobriram isso de uma maneira não muito agradável, ou seja, não intencional, em um incidente na estação espacial soviética Mir, em 1997. Em 24 de fevereiro daquele ano, seis membros da tripulação estiveram em perigo quando um fogo se acendeu no gerador de oxigênio. A chama saiu de um cartucho de combustível sólido e impediu o acesso a uma das duas cápsulas de escape. Felizmente, a equipe conseguiu controlar o incêndio. Isso ensinou às agências espaciais lições importantes para a Estação Espacial Internacional, que ainda estava nos estágios iniciais de construção. Vários outros estudos foram realizados depois, como experimentos de queima de sólidos a bordo da ISS para saber quais são as características do fogo e da extinção de chamas em microgravidade. Vários tipos de combustível foram usados e os dados desses experimentos podem ser usados ​​para diversos fins, inclusive para entender melhor os detalhes mais sutis da combustão aqui mesmo, na Terra. Levaram aranhas para tecer teia no espaço   Desde o início da exploração espacial, animais foram enviados ao espaço para saber como eles se sairiam por lá. Embora a triste história da cachorrinha Laika seja a mais famosa, outros animais foram ao espaço antes. Na maioria das vezes, os viajantes foram mamíferos, mas outras espécies mais inusitadas também fizeram parte das experiências. Por exemplo, aranhas. Duas aranhas tecedeiras de seda dourada (Trichonephila clavipes), chamadas Esmeralda e Gladys, fizeram uma estadia de 45 dias na ISS. Diferente dos animais que antes eram lançados sozinhos em foguetes, sem nenhuma assistência, as aranhas foram bem tratadas, mantidas em um habitat agradável, com as condições de luminosidade ideais para simular um ciclo noturno, além de controle de temperatura e umidade e, claro, alimentação a base de moscas-das-frutas. As aranhas se adaptaram muito bem à microgravidade, tecendo teias para caçar o alimento — as moscas não foram servidas grelhadas em pratos com talheres. Essa espécie come suas teias no final de cada dia para recuperar as proteínas, e Esmeralda e Gladys fizeram todo o processo normalmente, no prazo correto. Isso foi curioso, porque outras espécies de tecelãs levadas à ISS teciam teias a qualquer hora do dia. Algumas curiosidades, contudo, foram anotadas nessa experiência. Por exemplo, as aranhas teciam teias de maneira diferente na microgravidade. Eram teias mais planas e redondas, se comparadas comparação com os formatos mais tridimensionais e assimétricos que essa espécie tece aqui na Terra. Tartarugas cosmonautas Tartarugas também já foram ao espaço. As primeira foram laçadas pelos soviéticos na década de 1960, antes de a humanidade saber como organismos vivos reagiriam a uma viagem espacial. Infelizmente, decidiram usar animais sem a capacidade de dar consentimento, e em 1968 duas tartarugas russas deram uma volta ao redor da Lua, ao lado de moscas, larvas, sementes, plantas, algas e bactérias. No momento do lançamento, as cosmonautas de casco não estavam mais sendo alimentadas. Isso fazia parte do experimento. Elas viajaram por sete dias, enquanato outras tartarugas permaneceram na Terra, também privadas de comida, pelo mesmo período. Uma comparação dos dois grupos de tartarugas revelou que quaisquer mudanças nos animais cosmonautas foram basicamente resultados da fome. Ao menos puderam ter uma vida tranquila depois da aventura espacial. Plantaram sementes astronautas (Imagem: Reprodução/Jud McCranie) Experimentos com plantas e sementes podem ser comuns hoje na ISS, mas na década de 1970 essa era uma ideia… esquisita. A missão Apollo 14, lançada em 31 de janeiro de 1971, levou consigo uma dessas carga inusitadas — cerca de 500 sementes. É que os cientistas do Serviço Florestal dos EUA queriam saber se sementes de árvores que voaram no espaço iriam brotar normalmente. Cinco espécies de árvores foram incluídas em um cilindro que ficou com o astronauta Stuart Roosa, permanecendo no módulo de comando na órbita lunar. Depois de 34 voltas na Lua, a missão voltou à Terra com as sementes. Elas foram plantadas e a maioria sobreviveu para brotar. Não havia diferença perceptível entre elas e as sementes que ficaram em nosso planeta. Elas cresceram e ficaram conhecidas como “Moon Trees”. Foram então transplantadas em vérios lugares de todos os EUA, mas poucas podem ser contabilizadas hoje, pois acabaram se misturando com as demais árvores. Formigas ficaram deslocadas Outra pesquisa teve como objetivo comparar o comportamento de formigas em gravidade normal com um grupo que foi levado à microgravidade. Os cientistas mediram como as interações entre as formigas dependem do número de indivíduos em uma determinada área. Oito habitats com aproximadamente 100 formigas cada foram levados à ISS, onde os cientistas usaram câmeras e softwares para analisar os padrões de movimento e as taxas de interação entre os insetos de cada formigueiro. Estudos anteriores mostram que as formigas conseguem estimar quantas delas estão na área, um cálculo necessário em muitas situações diferentes, como em busca de comida. As formigas na microgravidade, contudo, fizeram suas pesquisas com menos eficiência, talvez devido à dificuldade de se agarrar à superfície, relatam os cientistas do estudo. Cerca de 7% das formigas no espaço flutuavam livremente e não tinham um "ponto de apoio" na superfície, o que deve ter interferido na capacidade individual de avaliar a densidade de formigas em uma área e traçar seu caminho na busca por comida. Tecnologia reptiliana (Imagem: Reprodução/John Solem) Com novos problemas, surgem novas (e estranhas!) abordagens para encontrar soluções. Os astronautas, por exemplo, cansados de ter dificuldades em realizar tarefas simples, como colocar coisas na mesa ou pendurar pranchetas na parede da ISS (nem mesmo fitas adesivas são eficazes na microgravidade), recorreram a testes inspirados nas superfícies pegajosas dos pés das lagartixas. O pé de uma lagartixa tem milhões de pelos minúsculos capazes de se agarrar a outras superfícies, como paredes, através de uma atração no nível atômico. Os engenheiros criaram algo semelhante coberto por pelos minúsculos que podem grudar todos os tipos de paredes e superfícies. Isso ocorre porque os pelinhos criam um pequeno campo elétrico para gerar uma “aderência” através da fricção dos elétrons positivos e negativos. É mais ou menos como esfregar um pedaço de plástico (como uma caneta ou régua) no seu cabelo e ver o objeto atrair pedacinhos de papel. Essa estratégia foi bem inteligente, na verdade, porque usar o campo elétrico para criar algo pegajoso não gera resíduos nas superfícies da ISS. A NASA também planeja usar a tecnologia de “patas de lagartixa” para melhorar os reparos de equipamentos como satélites, por exemplo. Guerra das Colas (Imagem: Reprodução/NASA/collectSPACE.com) Ok, já falamos disso aqui no Canaltech, mas não poderíamos deixar a peculiar “Guerra espacial das colas” de fora dessa lista. Tudo começou em 1985, quando a Coca-Cola pediu à NASA para testar uma latinha de refrigerante a bordo do ônibus espacial. Ela seria desenvolvida especialmente para ser usada no ambiente de microgravidade, onde os líquidos — você já viu a bolha de água flutuante em um dos vídeos acima — podem voar e prejudicar o interior da nave. E NASA enviava à órbita da Terra o ônibus espacial Challenger pela oitava vez, mas essa missão foi diferente, pois a tripulação teve que beber refrigerante no espaço. A lata de Coca-Cola até que era bem elaborada, projetada especialmente para atender às necessidades dos astronautas. Não que eles estivessem loucos por um refrigerante no espaço, mas… por que não? Ser a primeira fabricante de refri a enviar seu produto para o espaço parecia uma ótima publicidade. Quando a Pepsi ficou sabendo da campanha, pediu à NASA para ser incluída no experimento. A agência concordou, e os astronautas receberam a tarefa de experimentar as duas latas e dar um “veredito” sobre as soluções das empresas. Alguns astronautas não ficaram muito satisfeitos com a coisa toda, mas descobriram que o gás das bebidas não iam para lugar algum além da barriga. Quando bebemos um copo de refrigerante, boa parte do gás vai embora para o ar antes de ingerirmos, mas em microgravidade, acaba-se engolindo tudo. Burp! Saúde. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Os lançamentos do Amazon Prime Video em janeiro de 2021 Essa pode ser a explicação para o misterioso desaparecimento da Lua há 900 anos Mais um estudo sugere que o objeto espacial Oumuamua seja uma nave alienígena Os lançamentos da Netflix em janeiro de 2021 Os lançamentos do Disney+ em janeiro de 2021 Veja Mais

Em decisão inédita na gestão Trump, Senado derruba veto a orçamento militar

O Tempo - Mundo A anulação ocorreu na Casa cujo Partido Republicano possui maioria e entra para a série de derrotas a 20 dias do fim do mandato Veja Mais

Covid-19: o que muda (ou não) no combate à pandemia com a nova variante do coronavírus no Brasil

Glogo - Ciência Encontrada pela primeira vez no Reino Unido, nova cepa do patógeno causador da Covid-19 teve sua presença confirmada no Brasil; cientistas alertam para mais risco de falso negativo em testes, mas dizem que a eficácia das vacinas não parece ter sido comprometida. A variante B.1.1.7 apresenta 17 mutações, algumas delas na área responsável por codificar a espícula, a estrutura que permite o coronavírus invadir as células do corpo humano Matejmo/Getty Images via BBC O Brasil acaba de ter os primeiros casos confirmados de Covid-19 provocados por uma nova variante do coronavírus. A cepa B.1.1.7 foi detectada pela primeira vez no Reino Unido e já circula por outros 31 países. Os cientistas suspeitam que ela pode ser mais transmissível que as versões anteriores. Laboratório detecta primeiros casos da nova variante do coronavírus em São Paulo Os dois casos brasileiros foram identificados pela Dasa, empresa de medicina diagnóstica, que já comunicou a descoberta à vigilância sanitária e ao Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. Mas o que essa notícia significa na prática? A chegada da nova variante modifica de alguma maneira a prevenção, o diagnóstico ou o tratamento da doença? E as vacinas? Será que elas protegem contra essa cepa? Perguntas sem respostas Pelo que se sabe até o momento, a variante B.1.1.7 apareceu no Reino Unido entre o final do verão e o começo do outono no Hemisfério Norte (por volta dos meses de agosto e setembro). As primeiras notícias sobre sua existência foram publicadas no dia 20 de setembro. Essa nova versão chamou a atenção por apresentar 17 mutações, algumas delas em sequências de genes que codificam as proteínas da espícula, a estrutura que fica na superfície e permite que o vírus invada as células humanas. Outra observação que preocupou os especialistas foi a forma como a variante se espalhou rapidamente por algumas regiões do Reino Unido — em Londres, no início de dezembro, por exemplo, 60% dos novos casos de Covid-19 detectados eram provocados pela B.1.1.7. Isso levantou a suspeita de que esse coronavírus teria uma transmissão mais rápida e eficiente. Essas informações foram suficientes para aumentar as restrições de circulação das pessoas em cidades como Londres. Em paralelo, dezenas de países começaram a vetar os voos vindos do Reino Unido. Chegada ao Brasil O estudo que detectou os dois primeiros casos da B.1.1.7 no país analisou 400 amostras de saliva por meio de um teste RT-PCR que busca três informações genéticas distintas do coronavírus. Um dos alvos desse método é a proteína S, justamente a responsável por codificar a espícula da superfície viral. "Na Inglaterra, os profissionais começaram a perceber que o RT-PCR de muitos pacientes estava encontrando dois alvos, mas davam resultados negativos para a proteína S. Por mais que as duas confirmações já fossem suficientes para fechar o diagnóstico de Covid-19, levantou-se a suspeita de que havia mutações nos genes codificadores da espícula", contextualiza o virologista José Eduardo Levi, coordenador de pesquisa e desenvolvimento da Dasa. O trabalho brasileiro, que contou com o apoio do Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo (USP), fez uma revisão dessas 400 amostras e achou duas com esse mesmo padrão de resultado: dois alvos genéticos positivos e o gene da proteína S negativo. "Na segunda-feira (29/12), identificamos os dois casos. Na terça, preparamos o material. Na quarta à noite já sequenciamos e confirmamos que eles realmente vinham dessa linhagem britânica", explica Levi. O especialista relata que conseguiu entrar em contato com um dos pacientes. "Ele me confirmou que esteve junto de pessoas que haviam chegado recentemente ao Brasil após uma viagem ao Reino Unido". O que muda na prática? No meio de tantas incertezas, a palavra da vez é calma. "Em resumo, o aparecimento de novas variantes não é surpresa e não muda em nada o que a gente precisa fazer para se proteger", resume o virologista Paulo Eduardo Brandão, professor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP. Por ora, as recomendações de prevenção continuam exatamente as mesmas: manter distanciamento social, usar máscara ao sair de casa, limpar regularmente as mãos com água e sabão ou álcool em gel e sempre deixar os ambientes arejados e com boa circulação de ar. Mudanças nos testes? Quando o assunto é diagnóstico, a preocupação é um pouquinho maior. Como já dito, os testes RT-PCR detectam algumas informações genéticas específicas do coronavírus. Se o patógeno sofre mutações importantes e começa a circular com grande frequência entre a população, há uma possibilidade de que alguns testes passem a falhar com mais frequência. "Pode ser que apareçam mais resultados falso negativos, quando o paciente está com a infecção, mas o exame não a detecta", explica Brandão. Usar máscaras, manter distanciamento de outras pessoas e lavar as mãos com frequência continuam como as principais medidas de prevenção, mesmo com a nova variante Getty Images via BBC Para evitar que isso aconteça, os laboratórios precisam ficar de olho e, se necessário, fazer os ajustes em seus equipamentos, insumos e materiais. A própria Dasa, em parceria com o Instituto de Medicina Tropical da USP, está fazendo um estudo com essa nova variante para avaliar a eficiência dos testes diagnósticos utilizados atualmente. Outras repercussões Não dá pra ter certeza ainda se aquelas pessoas que tiveram Covid-19 antes e se recuperaram estão imunes à B.1.1.7. Novos trabalhos precisam avaliar com mais profundidade essa questão. "Em termos de reinfecção, a gente não sabe nada ainda. É provável que o Reino Unido possa observar alguma coisa a respeito disso nas próximas semanas, já que lá se encontram a maioria dos casos", acrescenta Levi. Em relação à doença em si, a nova variante não parece estar relacionada a quadros mais graves, mais tempo de internação ou a uma maior mortalidade pelo que tem sido observado até o momento. E as vacinas? Outra grande dúvida que surge na cabeça de todo mundo diz respeito à eficácia dos imunizantes que já foram aprovados ou estão em fase final de testes frente à nova cepa. Será que essas vacinas são capazes de proteger mesmo desta nova cepa? "Até agora, as variantes não parecem ter capacidade de escapar das estratégias de vacinação", tranquiliza Brandão. Levi pontua que mudanças na proteína S do vírus podem interferir na eficácia das imunizantes, então é importante que as autoridades fiquem de olho nesse aspecto. "O lado bom é que, mesmo que aconteça uma eventual perda de eficácia, os imunizantes já aprovados usam tecnologias muito modernas, que podem ser ajustadas de acordo com a necessidade". Não se sabe até o momento se as vacinas mais avançadas ou já aprovadas em caráter emergencial são afetadas ou perdem eficácia com a nova variante Getty Images via BBC Muitos grupos de pesquisa trabalham justamente para detectar essas mudanças genéticas do vírus e antecipar possíveis problemas. Por ora, o que foi encontrado parece não colocar em xeque a eficácia das vacinas mais avançadas. Além da variante do Reino Unido, há outras duas que são acompanhadas mais de perto pelos especialistas: a B.1.351, observada na África do Sul, e a B.1.207, na Nigéria. Veja Mais

Covid-19: 'quem ignora regras de isolamento tem sangue nas mãos', diz médico intensivista britânico

Glogo - Ciência Hugh Montgomery atribui o aumento de casos e mortes ao comportamento das pessoas — e não à nova variante do vírus. Hugh Montgomery teme um novo pico de casos após o Ano Novo Hugh Montgomery Pessoas que não seguem regras de distanciamento social ou não usam máscaras "têm sangue nas mãos", criticou um médico intensivista no Reino Unido. Em entrevista à BBC Radio 5 Live, Hugh Montgomery afirmou que os hospitais estão enfrentando um "tsunami" de casos da Cvid-19, e ele teme que a situação piore após a noite de Ano Novo. Ele fez um apelo para as pessoas aceitarem que vai ser uma virada de ano "infeliz" — e não se reunirem em grupos. Isso reforça a recomendação oficial e da Organização Mundial da Saúde, de ficar em casa e não dar festas. Cerca de 44 milhões de pessoas na Inglaterra estão vivendo agora sob o nível mais severo de restrições, o chamado nível quatro, por conta da pandemia. Mais 50.023 novos casos de Covid-19 foram registrados no Reino Unido na quarta-feira, e 981 mortes (ocorridas em um prazo de 28 dias desde que o paciente testou positivo pela primeira vez) — mais do que o dobro do total do dia anterior. No Brasil, pela primeira vez desde agosto, o número diário de mortes por Covid-19 chegou ao patamar de 1,2 mil na última quarta-feira (30), e especialistas afirmam que o avanço do coronavírus está em alta em todas as partes do país, gerando uma sobrecarga nos serviços de saúde. 'Raiva' Montgomery, que trabalha em unidades de terapia intensiva (UTIs) no Whittington Hospital, em Londres, e lidera um grupo de pesquisa na University College London (UCL), acrescentou: "Estamos com muitos problemas nos tratamentos intensivos no Reino Unido agora." "Há simplesmente um número enorme (de pacientes) dando entrada. Sou solidário também aos nossos serviços de emergência, que estão recebendo um tsunami de casos nas últimas semanas. Todos estão trabalhando no limite máximo." Initial plugin text Ele disse ainda que é errado atribuir o aumento de casos e mortes à nova variante do coronavírus, que é, segundo ele, apenas "ligeiramente" mais transmissível e causa os mesmos sintomas. "Na verdade, isso me deixou com muita raiva, porque as pessoas estão colocando a culpa no vírus - e não é o vírus, são as pessoas. As pessoas não estão lavando as mãos, não estão usando máscaras", declarou. 'Pessoas vão morrer' Segundo ele, todos aqueles que não se distanciam socialmente ou não seguem as regras "têm sangue nas mãos". "Eles estão espalhando este vírus. Outras pessoas vão espalhar, e pessoas vão morrer. Eles não saberão que mataram pessoas, mas mataram." "Estou vendo famílias inteiras serem dizimadas aqui, e isso tem que parar", acrescentou. Montgomery, que estava de plantão ao dar a entrevista, afirmou que era "um grande mito" a ideia de que os hospitais estão lotados de idosos. "As pessoas que estamos recebendo são, como na primeira onda, da minha idade. Tenho 58 anos, e eu diria que metade dos pacientes é mais jovem do que eu. São pessoas de meia-idade ou um pouco mais velhas que estamos recebendo." Ele contou, por exemplo, que havia ido para casa tomar banho depois de um plantão e foi chamado de volta porque uma paciente grávida havia piorado. E fez um apelo às pessoas que estavam pensando em celebrar o ano novo com festa: "Eu realmente sinto muito que este réveillon seja infeliz, mas tem que ser. Por favor, não se reúnam em multidões. Não façam disso o último canto do cisne." O alerta de Montgomery reforça a recomendação do professor Stephen Powis, diretor médico do NHS, sistema de saúde público do Reino Unido, que disse em uma entrevista coletiva na quarta-feira: "Covid adora uma multidão, então, por favor, deixem as festas para depois". Veja Mais

Inoperância e negacionismo do governo Bolsonaro estimularam a morte de 194 mil, diz Doria

Valor Econômico - Finanças No Twitter, governador de São Paulo disse que "Bolsonaro gosta mesmo é do cheiro da morte, do cheiro da pólvora e do cheiro do dinheiro das rachadinhas" O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), aumentou o tom na disputa que trava contra Jair Bolsonaro e fez um de seus mais duros ataques ao presidente. Ele disse hoje, por meio do Twitter, que a “inoperância e o negativismo” do governo Jair Bolsonaro “estimularam a morte de 194 mil brasileiros” na pandemia. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Milton Leite é eleito presidente da Câmara Municipal de São Paulo

Valor Econômico - Finanças Vereador teve 49 votos e presidirá a Casa pela quarta vez O vereador Milton Leite (DEM) foi eleito presidente da Câmara Municipal de São Paulo com 49 votos. Presidirá a Casa pela quarta vez. Já a presidiu em 2017, 2018 e concluiu a legislatura de 2020 no lugar de Eduardo Tuma (PSDB), aprovado pelo legislativo paulistano para o cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Município (TCM). A vereadora Erika Hilton (Psol), primeira transexual eleita para o cargo municipal, foi diplomada para seu primeiro mandato e concorreu à presidência da Casa pela oposição. Ela recebeu 6 votos e foi elogiada pelos colegas por apresentar um discurso com ênfase na inclusão social e atenção à população da periferia. Hoje está sendo realizada a eleição para definir os cargos para a mesa diretora do legislativo paulistano: primeiro e segundo vice-presidentes, primeiro e segundo secretários, primeiro e segundo suplentes e o corregedor do legislativo. Veja Mais

Marília Campos toma posse como prefeita de Contagem e prega o diálogo

O Tempo - Política Em seu discurso, ela afirmou que, apesar da eleição acirrada e polarizada, vai governar para toda a população Veja Mais

Dupla Anavitória apresenta algumas canções certeiras no álbum 'Cor' sem se desprender do passado

G1 Pop & Arte Rita Lee e Lenine participam do disco lançado sem aviso prévio nesta sexta-feira, 1º de janeiro de 2021. Capa do álbum 'Cor', de Anavitória Reprodução Resenha de álbum Título: Cor Artista: Anavitória Edição: Anavitória Artes Cotação: * * * ♪ “Ao meu passado, eu devo o meu saber e a minha ignorância. As minhas necessidades e as minhas relações. A minha cultura e o meu corpo. Que espaço o meu passado deixa para a minha liberdade hoje? Não sou escrava dele”, sentencia ninguém menos do que Rita Lee ao recitar versos embutidos em Amarelo, azul e branco (Ana Caetano e Vitória Falcão), música que abre o quarto álbum da dupla Anavitória. Lançado sem aviso prévio nesta sexta-feira, 1º de janeiro de 2021, o disco mostra que Ana Caetano e Vitória Falcão tentam experimentar maior liberdade artística sem se desprender do passado que transformou a dupla – formada em 2013 em Araguaína (TO), cidade do interior do Tocantins – em um dos nomes mais lucrativos da indústria da música nos últimos cinco anos. “O norte é a minha seta, o meu eixo, a minha raiz”, aponta Anavitória em verso de Amarelo, azul e branco, faixa na qual sobressai a pulsação da percussão de Felipe Roseno e da bateria de Valmir Bessa. Com 14 músicas em repertório que somente se desvia do trilho autoral em Dia 34 (Tó Brandileone e Fábio Sá), o álbum Cor foi gravado com produção musical dividida entre Ana Caetano e Tó Brandileone, integrante do grupo paulistano 5 a Seco que já tinha sido arregimentado para pilotar o álbum anterior da dupla, N (2019), dedicado ao cancioneiro do compositor Nando Reis. Tal como já ocorrera em N, disco valorizado pela elegância dos arranjos, Cor é álbum de produção musical sobressalente. O arranjo de Terra (Ana Caetano), por exemplo, exemplifica a evolução de Anavitória nesse quesito. Tanto que há, em Cor, faixas em que o arranjo e a produção musical soam mais interessantes do que a canção em si, caso de Tenta acreditar (Ana Caetano e João Ferreira). Anavitória canta 14 músicas no quarto álbum da dupla, 'Cor' Reprodução Contudo, há munição certeira na safra autoral de Cor, primeiro disco da dupla sem o selo e o aval da Universal Music (o primeiro independente álbum, Anavitória, foi licenciado em 2016 para a gravadora multinacional). Explodir (Ana Caetano) é o fofolk pop romântico típico da dupla. Selva (Ana Caetano e Tó Brandileone) é canção sedutora, escrita com rimas feitas com palavras proparoxítonas em letra que soa charmosa, ainda que distante da engenhosidade de Construção (Chico Buarque, 1971). Eu sei quem é você (Ana Caetano) é balada que soa tão convencional quanto fluente. Cigarra (Ana Caetano) é canção afetuosa, levada com delicadeza no ukelele (tocado por Tó Brandileone) e no violão (de Conrado Goys) com a base suave da percussão de Felipe Roseno e do próprio Tó. Ainda é tempo (Ana Caetano) é balada conduzida pelo piano de Mari Jacinhto em gravação que esboça a densidade possível na obra de dupla que canta para geração de ouvintes refratários a qualquer rasgo de profundidade. A balada Abril (Ana Caetano) segue essa linha densa no mesmo limite da intensidade suportada pelo público de Anavitória. Te procuro (Ana Caetano, Nina Fernandes, Saulo Fernandes) é canção que expia a sofrência de amor doído. Já Carvoeiro (Ana Caetano e Deco Martins) sinaliza, já na 13º faixa, que Cor é álbum longo demais para os padrões fonográficos dos anos 2020, embora seja louvável a atitude da dupla de não apresentar o álbum fatiado em EPs ou singles, como virou praxe no mercado. Das 14 faixas, há resquícios de maior inventividade em Te amar é massa demais (Ana Caetano) – música light que cai em suingue percussivo evocativo da batida do samba-reggae – e Lisboa (Ana Caetano e Pedro Novaes), boa canção final que junta as vozes de Anavitória com o canto suave de Lenine. Lenine é participação inusitada e realmente especial em Cor, álbum que expõe Ana Caetano e Vitória Falcão ainda presas a um passado que lhes trouxe glória precoce. O tempo é agora, como a dupla já sentenciou no título do segundo álbum das artistas, lançado em 2018, mas, sim, é difícil não se deixar escravizar pelo sucesso. Veja Mais

Unicef estima que nasceram mais de 370 mil crianças no planeta nesta sexta-feira

O Tempo - Mundo A organização prevê também que durante 2021 nascerão 140 milhões de crianças Veja Mais

Alexandre Kalil, Fuad Noman e vereadores são empossados em BH

O Tempo - Política Em discurso de posse, Kalil ressaltou que BH é uma cidade plural, “de LGBTs, de cristãos, de evangélicos, é uma cidade de negros, é uma cidade de brancos” Veja Mais

6 aplicativos para assistir futebol ao vivo no celular

canaltech Quem gosta de acompanhar partidas de futebol pelo celular não precisa limitar-se apenas à cobertura do placar: existem vários aplicativos que permitem assistir aos jogos ao vivo. Alguns, inclusive, possuem suporte para transmissão em Smart TVs e dispositivos Chromecast e Apple TV, permitindo a reprodução em uma tela maior. Os 5 melhores aplicativos de futebol para Android e iOS Como acompanhar os jogos de futebol pelo Google em tempo real Entre as opções, existem serviços gratuitos e outros que exigem o pagamento de uma assinatura para acessar os conteúdos. Os campeonatos disponíveis são variados: incluem campeonatos de categorias de base, competições nacionais e torneios de clubes da Europa. Abaixo, veja uma lista com os principais aplicativos para assistir a futebol ao vivo! 1. OneFootball (Android | iOS) OneFootball faz transmissões gratuitas pelo app (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) O OneFootball é um app de notícias e resultados sobre as principais ligas de futebol no mundo. Desde 2020, passou a transmitir para o território brasileiro partidas da Ligue 1 e Bundesliga, as divisões da elite de França e Alemanha, respectivamente. Basta acessar o aplicativo e procurar pela lista de jogos disponíveis, alguns com narração e comentários em português. Caso tenha perdido uma partida, é possível acessar os melhores momentos. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Como usar o OneFootball para assistir a jogos ao vivo 2. DAZN (Android | iOS) App inclui transmissões de diversas modalidades (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) A DAZN é um serviço de streaming esportivo por assinatura. O futebol recebe um grande destaque entre as modalidades inclusas no catálogo, com transmissão do Brasileirão Série C e da Premier League, a primeira divisão do campeonato inglês, incluindo partidas ao vivo e conteúdos on-demand. O serviço pode ser assinado por R$ 19,90 ao mês e novos assinantes possuem direito a um mês gratuito. 3. EI Plus (Android | iOS) UEFA Champions League é destaque da plataforma (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) O EI Plus é a plataforma paga de streaming dos canais Esporte Interativo. O destaque do catálogo é a UEFA Champions League, principal competição entre clubes da Europa, com transmissão de todas as partidas. Há, também, partidas selecionadas do Brasileirão Série A, a primeira divisão do campeonato brasileiro, e jogos eliminatórios de seleções da Europa e da América do Sul. A assinatura mensal é disponibilizada por R$ 19,90 por mês, e o plano anual é dividido em 12 parcelas de R$ 13,90. Algumas partidas da Champions League, entretanto, são transmitidas gratuitamente pela página do Facebook do Esporte Interativo. Vale a pena assinar o EI Plus? Veja prós e contras 4. MyCujoo (Android | iOS) MyCujoo reúne campeonatos de diferentes países e níveis (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) O MyCujoo é o aplicativo para aquelas pessoas que respiram futebol, independentemente da liga em questão. A plataforma gratuita traz competições de futebol de base, futebol profissional masculino e feminino e futsal, cobrindo diferentes países. Além das partidas ao vivo, disponibiliza lances e gols de jogos já transmitidos. 5. Premiere (Android | iOS) Premiere transmite as principais partidas nacionais (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) O Premiere Play é o serviço de transmissão por assinatura dos principais torneios nacionais. Brasileirão Série A, Brasileirão Série B, Copa do Brasil e determinados campeonatos estaduais estão presentes no pacote, que pode ser assinado para a televisão ou acompanhado pela internet via app ou navegador. São três planos disponíveis: mensal, por R$ 79,90 ao mês; anual, com valor mensal de R$ 59,90 por mês em cobrança única; e um pacote com Globoplay, por R$ 84,90 ao mês. 6. ESPN (Android | iOS) Aplicativo disponibiliza transmissões para assinantes (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) O app dos canais ESPN reúne notícias, alarmes e o WatchESPN, com transmissão ao vivo dos conteúdos da emissora. É possível acompanhar partidas de campeonatos da Inglaterra, Espanha e Estados Unidos, além de modalidades como basquete e futebol americano. O acesso ao conteúdo ao vivo depende da assinatura dos canais de acordo com a operadora de televisão. Qual seu app favorito? Comente! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Essa pode ser a explicação para o misterioso desaparecimento da Lua há 900 anos Mais um estudo sugere que o objeto espacial Oumuamua seja uma nave alienígena Os lançamentos da Netflix em janeiro de 2021 Os lançamentos do Disney+ em janeiro de 2021 Dexametasona e outros medicamentos que podem mudar os rumos da COVID-19 Veja Mais

Análise | Astro A03 cumpre tudo o que promete, mas preço é empecilho

canaltech A experiência com produtos voltados para o público gamer costuma ser bem variada. São muitas opções, marcas e níveis de desempenho, que, por vezes, podem confundir o consumidor e atrapalhá-lo na hora de fazer com que ele escolha o item que mais lhe atenda. Quando fechamos o cerco e pensamos nos fones de ouvido, isso se torna ainda mais crítico. Como parear fones de ouvido Bluetooth com o celular Como usar o mesmo fone Bluetooth em dois aparelhos simultaneamente Review | Sony MDR-ZX110: o "pé-de-boi" que tem bons graves! Os fones e headsets gamers podem, eventualmente, servirem para atividades como ouvir músicas e filmes, mas seu foco, claro, é na jogatina. Os drivers desses produtos são pensados, sobretudo, para aquelas pessoas que precisam ouvir o que se passa no jogo, mas que também possam conversar com seus companheiros de equipe ou adversários. Em um primeiro momento, ao olhar para o Astro A03, muitas dúvidas pairam no ar, sobretudo por pensarmos que a função de um fone gamer é justamente a de aliar o bom som do game com uma conversa limpa nos chats. Quando começamos a utilizá-lo, tudo isso pôde ser feito com maestria, fazendo com que não apenas essas dúvidas fossem sanadas, mas também eliminando qualquer confusão na hora de escolhê-lo como seu fone único. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech Tudo isso, claro, tem um preço. Por melhor que o Astro A03 seja, ele é bem caro, ultrapassando a marca dos R$ 600. Portanto, ter em um só produto vários universos possíveis pode te trazer um rombo na carteira, mas, certamente, a tranquilidade de se ter um produto acima da média. O Canaltech teve a chance de passar um tempo com o Astro A03 e vai te dar os detalhes da experiência de uso. Premium, de fato A Logitech fez um belo trabalho com o Astro A03. A linha gamer da empresa conta com requintes premium e isso pode ser percebido logo ao abrir a caixa e tocar nos fones. Seu acabamento em alumínio dá um ar mais sofisticado e, ao mesmo tempo, exala qualidade e durabilidade. Para quem é um pouco mais desastrado com o fone, a jornada pode ser bem tranquila. Os fios também são outro ponto positivo do A03. Seu formato reto e emborrachado garante que possamos dobrá-lo sem maiores problemas, preservando regiões vitais do acessório, como a base conectora e os próprios fones. Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech O formato intrauricular, por sua vez, garante uma enorme sensação de conforto, já que, além de ser bem projetado, pode ser adaptado com uma das três conchas de borracha que acompanham o kit do A03. Na caixa, aliás, além do periférico, manuais e das borrachas, há uma bolsinha para que o usuário possa guardar seus fones e um adesivo. Imersão completa A aparência do Astro A03 é elogiável e seu acabamento de primeira, mas ele brilha mesmo é no uso. A Logitech fez um trabalho primoroso com seu fone de ouvido gamer e merece todos os elogios por isso. A experiência com ele foi a melhor possível. De acordo com a marca, seus drivers de são separados de modo a proporcionar conforto e boa qualidade de áudio mesmo em meio a jogos barulhentos e com o chat a todo o vapor. O driver de 5,8 mm é responsável pelo que ouvimos no papo, já o de 9,2 mm trabalha para trazer o que ouvimos dentro dos games. Com essas características, usar o Astro 03 durante horas não traz maiores desconfortos, sejam eles físicos ou clínicos. Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech Em jogos de tiro, por exemplo, suas valências ficam ainda mais evidenciadas. A imersão é completa e mesmo com seu pequeno tamanho, o som tem um volume bem interessante, com as notas mais graves aparecendo um pouco mais, o que é normal em produtos gamers. Algo interessante, porém, acontece em games com "narração", mais especificamente de esporte como FIFA 21 e NFL Madden 21. A voz dos narradores pode, claramente, ser sentida nos drivers alocados para o chat, não fazendo parte do que ouvimos no jogo como um todo. Não chega a atrapalhar, mas não é neste tipo de game que o A03 se destaca. Já em jogos como corrida e luta, o desempenho é digno de headsets até mais caros. Para ouvir música, porém, o Astro A03 não é recomendado, já que, justamente pelos tons mais graves serem destacados, alguns estilos musicais ficam seriamente comprometidos ao ouvido, como rock clássico e metal. Nas músicas pop e eletrônica, o Astro A03 vai bem. Seu isolamento acústico também é digno de nota. Em diversos momentos durante os testes, eu mal sabia quem estava ao meu redor e, em muitas vezes, as pessoas precisavam me cutucar para que eu percebesse que estavam me chamando. Cachorros e outros ruídos também não ultrapassam os limites do fone. Ser intrauricular, claro, ajuda, mas é notório o bom trabalho da Logitech com o A03. Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech Por fim, seu microfone omnidirecional transmite um som limpo e sem ruídos, captando muito bem o que falamos, sem interferências. Isso vale não apenas para os jogos, mas também para chamadas de áudio e vídeo, muito comuns nessa época de pandemia. Os controles de volume, por sua vez, são bem localizados e podem ser acessados sem maiores problemas, mesmo quando estamos em movimento e utilizando os fones em algum dispositivo mobile. Vale a pena, mas custa caro O Astro A03 é um fone de ouvido que cumpre absolutamente tudo o que promete. Com a proposta de ser um produto premium, seu acabamento é excelente e transparece toda essa ideia com maestria, sendo uma boa aquisição estética para qualquer setup. Já na qualidade de som, sobretudo nos jogos mais imersivos, o periférico pode ser considerado um dos melhores do mercado. O problema, contudo, é que para um produto com foco específico em jogos, desprender de mais de R$ 600 para adquiri-lo pode espantar potenciais consumidores. De todo modo, vale, sim, a pena ter um Astro A03. No Canaltech, o Astro A03 utilizado nesta análise foi gentilmente cedido pela Logitech do Brasil. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Essa pode ser a explicação para o misterioso desaparecimento da Lua há 900 anos Mais um estudo sugere que o objeto espacial Oumuamua seja uma nave alienígena Os lançamentos da Netflix em janeiro de 2021 Os lançamentos do Disney+ em janeiro de 2021 Dexametasona e outros medicamentos que podem mudar os rumos da COVID-19 Veja Mais

Papa Francisco reaparece em público no Vaticano e pede paz mundial

Valor Econômico - Finanças "A vida hoje é governada pela guerra, pela inimizade, por muitas coisas que são destrutivas. Nós queremos a paz", diz pontífice Depois de cancelar sua participação em dois eventos devido a uma dor ciática crônica, o papa Francisco voltou a aparecer em público nesta sexta-feira (1º) no Vaticano. O pontífice não mostrou nenhum sinal de desconforto nem mencionou seu problema de saúde ao fazer um discurso e uma oração ao meio-dia (8h em Brasília) em um púlpito na biblioteca do Palácio Apostólico, ao lado de uma árvore de Natal e de imagens representando Maria, José e o menino Jesus. A bênção do meio-dia normalmente é dada de uma janela com vista para a Praça de São Pedro, mas foi movida para um ambiente interno com o objetivo de evitar que qualquer multidão se reunisse e limitar a disseminação do coronavírus. "A vida hoje é governada pela guerra, pela inimizade, por muitas coisas que são destrutivas. Nós queremos a paz. É um presente", disse Francisco, acrescentando que a resposta à crise global causada pela pandemia de Covid-19 mostra a importância do compartilhamento dos fardos entre a humanidade. Vatican Media via AP "Os dolorosos acontecimentos que marcaram a jornada da humanidade no ano passado, especialmente a pandemia, nos ensinaram o quanto é necessário nos interessar pelos problemas dos outros e compartilhar suas preocupações." O líder católico não pôde comparecer às missas marcadas para a noite desta quinta-feira (31) e para a manhã desta sexta - esta foi a primeira vez que ele foi impedido por motivos de saúde de participar de um grande evento desde que se tornou papa em 2013. Em seu primeiro evento público do ano, Francisco também destacou suas preocupações com Iêmen, país afetado por anos de violência entre uma coalizão liderada pela Arábia Saudita e o movimento Houthi, alinhado ao Irã. Na última quarta-feira (30), ao menos 22 pessoas morreram e 50 ficaram feridas em um ataque ao aeroporto de Aden, capital temporária do país, que desencadeou novos conflitos entre os dois grupos. "Expresso minha tristeza e preocupação com a nova escalada de violência no Iêmen, que está causando inúmeras vítimas inocentes", disse o papa. "Vamos pensar nas crianças do Iêmen, sem educação, sem remédios, famintas." A preocupação com a saúde de Francisco é uma constante no Vaticano. Com seus 84 anos completados em dezembro, o pontífice argentino é considerado integrante dos grupos de risco da covid-19. Além da idade avançada, o papa teve uma doença em sua juventude e o tratamento envolveu a retirada de parte de seu pulmão direito, de acordo com informações do livro "Vamos Sonhar Juntos", biografia de Jorge Bergoglio produzida em colaboração com o jornalista britânico Austen Ivereigh. Pouco antes do Natal, dois cardeais que fazem parte do círculo íntimo do papa, um polonês e um italiano, receberam diagnóstico de covid-19. O Vaticano ainda não indicou quando Francisco deve ser vacinado contra o coronavírus. Veja Mais

Cientistas identificam maior filamento intergaláctico já descoberto

Cientistas identificam maior filamento intergaláctico já descoberto

Tecmundo Você já ouviu falar em filamentos intergalácticos? Eles existem e, basicamente, consistem em estruturas compostas por gás cósmico que envolvem e conectam galáxias e aglomerados galácticos, formando uma rede que se estende pelo Universo. Pois, não é difícil imaginar que objetos desse tipo possam alcançar dimensões extraordinárias, mas, de acordo com Chelsea Gohd, do site Space.com, uma equipe de cientistas da Universidade de Bonn, na Alemanha, anunciou ter identificado o mais longo filamento intergaláctico de que se tem notícia – uma monstruosidade que se estende por pelo menos 50 milhões de anos-luz.Segundo Chelsea, o mega filamento foi descoberto enquanto cientistas realizavam observações de um segmento do cosmos que abriga um sistema composto por 3 aglomerados galácticos situados a 700 milhões de anos-luz de nós conhecido como Abell 3391/95.Leia mais... Veja Mais

EUA: Pence tenta afastar pressão para rejeitar vitória de Biden

Valor Econômico - Finanças Grupo de republicanos alega que vice-presidente, que abrirá envelopes do colégio eleitoral, teria prerrogativa de computar votos como quisesse, mas nem o próprio está de acordo com esse argumento O Departamento de Justiça dos Estados Unidos pediu a um juiz federal na quinta-feira (31) que rejeite uma ação que pressiona o atual vice-presidente, Mike Pence, a anular os resultados do pleito que elegeu Joe Biden para a Casa Branca. Agindo em nome do próprio Pence, o departamento argumentou que os legisladores republicanos, liderados pelo deputado Louie Gohmert, do Texas, não têm poder para invalidar a lei de 1887 que regulamenta os procedimentos do Colégio Eleitoral, instituição que oficializa o resultado das eleições nos EUA. Pence: Em nome do vice, Departamento de Justiça pediu a juiz que rejeite ação movida por grupo de republicanos AP/Mindaugas Kulbis Como vice-presidente do país, Pence acumula o cargo de presidente do Senado e, portanto, tem a função de abrir os envelopes e computar os votos enviados pelos 50 estados americanos em uma cerimônia marcada para a próxima quarta-feira (6) –Biden conseguiu 306 dos 538 delegados, contra 232 do republicano Donald Trump. Na prática, a ação de Gohmert pede que a Justiça desconsidere as regras vigentes há mais de 130 anos e afirma que Pence "pode exercer autoridade exclusiva e critério exclusivo para determinar quais votos eleitorais contar para um determinado estado". Esse pedido se baseia na narrativa contrária às evidências, mas sustentada por parte dos republicanos, segundo a qual Biden só foi eleito devido a uma sequência de fraudes sistemáticas no modelo de votação americano, principalmente nas cédulas enviadas pelo correio. De acordo com autoridades eleitorais apartidárias e mesmo para alguns republicanos, entretanto, não existem indícios de irregularidades no pleito. Por esse motivo, Trump e sua campanha acumularam mais de 50 derrotas judiciais em ações que questionavam a vitória do adversário democrata. Até mesmo um dos aliados mais fervorosos do atual presidente, o agora ex-secretário de Justiça William Barr, descartou há um mês que tenha ocorrido um esquema massivo de fraude para beneficiar Biden na eleição de 3 de novembro. Duas semanas depois, no mesmo dia em que o Colégio Eleitoral confirmou oficialmente a vitória do democrata nas urnas, Trump anunciou a renúncia do secretário, depois de criticá-lo por não apoiar sua narrativa de fraude. Agora, o Departamento de Justiça, que era chefiado por Barr, classificou a ação de Gohmert como "uma contradição jurídica ambulante". O órgão põe em dúvida se o pedido é de fato uma "reclamação judicialmente reconhecível" e questiona o fato de Pence ter sido apontado como alvo do processo movido pelos republicanos. O argumento é que, se os autores da ação veem problemas na forma como o resultado da eleição é contabilizado pelo Legislativo americano, deveriam processar o Congresso, que aprovou a lei original, e não o vice-presidente, que apenas segue o rito previsto na legislação. Se o juiz federal responsável pelo caso deixar claro em sua decisão que Pence não tem autoridade para rejeitar votos ou decidir os resultados, a ação de Gohmert terá efeito oposto ao pretendido e enterrará de vez as chances há muito improváveis de uma alteração dos resultados da eleição presidencial. Veja Mais

Em Palmas, prefeita diz ver mandato ‘pré’ e ‘pós’ vacinação

Valor Econômico - Finanças Cinthia Ribeiro disse que não se trata de repetir um mesmo modelo de gestão porque "não é apenas um novo ano, será um novo mundo Única mulher a vencer em uma capital, Cinthia Ribeiro (PSDB) tomou posse no início da noite desta sexta-feira como prefeita de Palmas (Tocantins) com um discurso em que destacou as mudanças impostas pela pandemia e reforçou o combate às desigualdades. Apesar de tomar posse para um segundo mandato - Cinthia era vice-prefeita até 2018, quando assumiu o Executivo -, ela reforçou que não se trata de mera continuidade. "A nossa primeira gestão não foi planejada por nós", disse Cinthia, observando que 70% do Orçamento já estava executado. "Trabalhamos com o bonde andando.” Além disso, ela disse que não se trata de repetir um mesmo modelo de gestão porque "não é apenas um novo ano, será um novo mundo, com uma cidade totalmente diferente e remodelada por uma pandemia de proporções gigantescas". A cerimônia que deu posse ao novo Executivo e a 19 vereadores palmenses foi realizada presencialmente na Câmara Municipal, mas com público reduzido, sem a possibilidade de convidados. De acordo com a Secretaria de Saúde de Palmas, a cidade tinha, até 31 de dezembro, 21.344 casos confirmados de covid-19 e 217 óbitos. A taxa de ocupação de leitos está em 41%. Por mais que Palmas tenha conseguido “se desviar dos impactos econômicos da pandemia”, disse Cinthia, “as feridas estão abertas". Ela prestou homenagem às vítimas da covid-19 na cidade e seus familiares e ressaltou também o trabalho dos servidores públicos na pandemia. A nova prefeita disse que haverá "dois momentos bem distintos" no seu segundo mandato: um pré-vacina e outro pós-vacina. A “velocidade” da gestão, no entanto, será única, afirmou. "Temos no horizonte a expectativa positiva das vacinas, que rapidamente poderão mudar esse quadro. Aí sim, nós realmente vamos poder voltar a sonhar com uma rotina de trabalho, de lazer, de convivência com amigos e familiares e, mais do que isso, com a segurança de que investimentos na cidade continuarão acontecendo", disse. Segundo Cinthia, mesmo com o impacto da pandemia em setores de serviços, outros segmentos cresceram e a Prefeitura, inclusive, aumentou sua arrecadação, mesmo prorrogando e facilitando o pagamento de impostos. Cinthia disse que Palmas, "a capital de todos os tocantinenses", como chamou, não pode se isolar do governo estadual e federal nem dos outros municípios do Estado. "Vamos fazer de Palmas um grande centro de compras regionais e um grande destino turístico do Brasil", afirmou. Velhas questões, porém, não ficarão de fora da pauta, prometeu Cinthia, citando a necessidade de asfaltar ruas, promover regularização fundiária quando necessário, tentar zerar a fila das creches, fazer praças e levar a drenagem para os locais que mais precisam. "Tudo isso passa pela construção de um Orçamento muito responsável", observou. Será preciso, segundo a prefeita, encontrar um "novo formato", em conjunto com a Câmara Municipal, "com muita sensibilidade social". "Palmas ainda é uma cidade muito desigual. As economias mais evoluídas do mundo trabalham principalmente com a equidade e não há prosperidade sem o combate à desigualdade social”, disse. Ela não deixou de cumprimentar as quatro vereadoras eleitas em Palmas para o mandato 2021-2014. Na sessão desta sexta-feira, também foi escolhida a nova mesa diretora da Câmara de Palmas, com a vereadora Janad Valcari (Podemos) presidente e o vereador Rubens Uchôa (Cidadania) como vice. Perfil Eleita já em 15 de novembro, Cinthia desbancou 11 concorrentes e recebeu 36,24% dos votos válidos, com quase 30 mil votos de diferença para o segundo colocado, Professor Junior Geo (Pros). Palmas não tem segundo turno, já que a cidade possui menos de 200 mil eleitores. Cinthia Ribeiro tem 43 anos. É fonoaudióloga, empresária e pós-graduada em Direito e Combate à Corrupção. Ela foi casada com o senador João Ribeiro até a morte dele, em dezembro de 2013, e tem um filho de 13 anos. Em 2014, filiada ao PTN, concorreu como vice-governadora ao Estado, mas não se elegeu. Migrou para o PSDB em 2015. No ano seguinte, concorreu como vice-prefeita na chapa de Carlos Amastha, então candidato à reeleição. Eles foram eleitos, ma Amastha renunciou ao cargo para disputar o governo do Estado e Cinthia assumiu como prefeita em abril de 2018. Ela também ocupa a presidência estadual do PSDB e o cargo de vice-presidente de Relações Institucionais da Federação Nacional dos Prefeitos (FNP). A chapa de Cinthia Ribeiro teve o apoio do senador Eduardo Gomes (MDB-TO), líder do governo de Jair Bolsonaro no Congresso. O irmão do senador, André Gomes (Avante), é o novo vice-prefeito de Palmas. A coligação "Palmas só Melhora" integra, além de PSDB, MDB e Avante, os partidos Rede, Patriota e Democratas. Veja Mais

Game Boy: periférico nunca lançado é descoberto após 28 anos

Game Boy: periférico nunca lançado é descoberto após 28 anos

Tecmundo O Game Boy teve diversos periféricos em seu ciclo de vida, incluindo uma câmera e uma mini impressora que se acoplavam na parte superior do portátil. Com tantos equipamentos estranhos lançados, até que é de se imaginar se houve projetos ainda mais bizarros que nunca viram a luz do dia.O WorkBoy parece ser exatamente a prova disso, já que se trata de um periférico nunca lançado, mas que teve seu protótipo criado há quase três décadas. Ele foi relembrado recentemente pelo historiador de videogames conhecido como Liam Robertson.Leia mais... Veja Mais

Contas de luz terão redução em janeiro após volta da bandeira amarela

G1 Economia Preço da energia será de R$ 1,34 para cada 100 quilowatts consumidos por hora. Em dezembro, com bandeira vermelha patamar 2, brasileiros pagaram R$ 6,24 a cada 100 quilowatts-hora (kWh). Contas de luz voltam à bandeira amarela TV Globo/Reprodução As contas de luz voltam à bandeira amarela neste mês de janeiro de 2021, por determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A justificativa é de que a agência identificou melhoria no cenário de produção hidrelétrica, com elevação das vazões dos afluentes dos principais reservatórios. A mudança deve provocar uma redução significativa no valor das contas em relação a dezembro, quando estava em vigor a bandeira vermelha patamar 2, o maior do sistema de bandeiras (veja na imagem abaixo). Agora em janeiro, o preço da energia será de R$ 1,34 para cada 100 quilowatts consumidos por hora. Em comparação, em dezembro os brasileiros pagaram R$ 6,24 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Bandeiras tarifárias Juliane Monteiro/Arte G1 Vídeos: Os mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias Veja Mais

A Teacher: criadora e elenco analisam episódio final da minissérie

A Teacher: criadora e elenco analisam episódio final da minissérie

Tecmundo Recentemente, em entrevista à Variety, Kate Mara e Nick Robinson, protagonistas de A Teacher, se reuniram com Hannah Fidell, a criadora da produção, para analisar o seu desfecho. A cada semana um novo episódio da minissérie era exibido pelo canal FX e também ficava disponível no streaming Hulu, que ainda não está disponível no Brasil.Leia mais... Veja Mais

Covas toma posse diz que 'política não é para intolerantes nem lacradores'

O Tempo - Política Prefeito afirmou que "não há tempo para personalismo e arrogância", que é preciso "mais lucidez e senso de responsabilidade coletiva" Veja Mais

Lorenzo Pazolini, do Republicanos, toma posse como prefeito em Vitória

Valor Econômico - Finanças Em cerimônia híbrida, vereadores participam de forma presencial; prefeito e vice, remotamente Começou por volta das 17h a cerimônia de posse do prefeito de Vitória, Lorenzo Silva de Pazolini (Republicanos), e dos 15 vereadores da capital capixaba. Pazolini venceu a disputa com o petista João Coser no segundo turno das eleições, com 58,5% dos votos válidos. Coser teve 41,5% da preferência do eleitorado. Devido à pandemia, a posse será feita de maneira híbrida. Os vereadores participarão de forma presencial, mas só será permitida a presença dos 15 parlamentares e da equipe técnica no plenário. O prefeito e a vice-prefeita participarão de forma remota. Não será permitida a presença de familiares nem do público externo. Pazolini tem 38 anos, é casado, foi deputado estadual e se licenciou para disputar a prefeitura de Vitória. Ele, que é delegado da Polícia Civil do Estado, é aliado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e protagonizou um episódio em junho do ano passado quando deputados invadiram um hospital de campanha da capital capixaba para filmar leitos de pacientes acometidos pela covid-19. Ele ingressou na política em 2018 e na primeira disputa foi eleito deputado estadual pelo Patriotas, sendo o segundo mais votado do estado, com 43.293 votos. Na disputa para a prefeitura em 2020, Pazolini declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um patrimônio de R$ 1.074.870,50. A vice, Capitã Estéfane (Estéfane da Silva Franca Ferreira), do Republicanos, tem 30 anos, é casada, declara ao TSE a ocupação de policial militar, com superior completo, e patrimônio de R$ 296.132,32. Veja Mais

LIBERTADORES: SANTOS E PALMEIRAS PODEM SE ENFRENTAR NA FINAL? VEJA ANÁLISE

LIBERTADORES: SANTOS E PALMEIRAS PODEM SE ENFRENTAR NA FINAL? VEJA ANÁLISE

Fox Sports Brasil IMAGENS: TV SANTOS E TV PALMEIRAS Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! https://www.espn.com.br/ Baixe o APP! https://bit.ly/3dhfI3I Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil #Palmeiras #Santos #Libertadores Veja Mais

Bolsonaro diz que Brasil pode comprar vacina da Moderna contra Covid-19

O Tempo - Política Em transmissão ao vivo em rede social, presidente não abordou detalhes de como o acordo poderia ocorrer Veja Mais

Atrizes Marcella Rica e Vitória Strada ficam noivas no Réveillon

O Tempo - Diversão - Magazine A novidade foi compartilhada por elas em seus respectivos perfis nas redes sociais Veja Mais

Nikolas Ferreira se confunde e diz que revoltar contra Deus é obedecer à tirania

O Tempo - Política Gafe ocorreu durante a posse dos vereadores eleitos em Belo Horizonte Veja Mais

Não ficaremos reclamando de herança maldita, diz Paes ao tomar posse

O Tempo - Política Nunca na história do Rio de Janeiro um prefeito recebeu uma herança tão perversa", disse Paes, em cerimônia na Câmara Municipal Veja Mais

Prefeito e vereadores de Betim são empossados

O Tempo - Política Cerimônia aconteceu no auditório da Prefeitura de Betim e não teve presença de público como prevenção contra a Covid-19 Veja Mais

'Doria me desrespeitou e não é único nome para 2022', diz Mara Gabrilli

O Tempo - Política "O Brasil tem uma das legislações mais completas do mundo. O desafio é tirá-la do papel" Veja Mais

Na UTI por covid-19, novo prefeito de Goiânia toma posse por assinatura eletrônica

Valor Econômico - Finanças Maguito Vilela (MDB) está há mais de dois meses no hospital Albert Einstein, em São Paulo; seu vice, Rogério Cruz (Republicanos), assumirá a prefeitura O prefeito eleito de Goiânia, Maguito Vilela (MDB) tomará posse hoje, por volta das 14h, diretamente da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Albert Einstein, em São Paulo. Ele segue internado há mais de dois meses e em tratamento por complicações da covid-19. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais