Meu Feed

Últimos dias

Após receber vacina, governo do Amazonas planeja levar a todos os municípios em até 5 dias

Valor Econômico - Finanças A meta é vacinar 95% do público-alvo, o que corresponde a 1.096.778 pessoas em todo o Estado Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Clássicos do cinema: 10 dos melhores filmes dos anos 1960

canaltech Como sabemos da diversidade do nosso público, pensamos nesse resgate de clássicos do cinema. Muitos deles, claro, não precisam ser exatamente resgatados — afinal, permanecem presentes no imaginário de quem os assistiu ou, ainda, fazendo parte de nossas formações. Acontece que, nos streamings mais populares, proporcionalmente, pouco há do catálogo de antes da década de 1990. Então, vamos aos anos 1960, década de grandes musicais, como Amor, Sublime Amor (de Jerome Robbins e Robert Wise, 1961) e A Noviça Rebelde (de Robert Wise, 1965) e da derrocada da inocência do american way of life, quebrada em A Primeira Noite de um Homem (de Mike Nichols, 1967) com Dustin Hoffman e Anne Bancroft. Também é a década do monumental A Aventura (de Michelangelo Antonioni, 1960) e de alguns dos maiores trabalhos de Federico Fellini, além do começo das engranagens para o nascimento, em 1970, da Nova Hollywood. Clássicos do cinema: 10 dos melhores filmes dos anos 1950 Entenda o cinema a fundo: Parte 1 Entenda o cinema a fundo: Parte 2 Entenda o cinema a fundo: Parte 3 É verdade, porém, que a nossa lista poderia ser bem maior, pois sabemos que deixamos de fora alguns filmes muito queridos (como os citados acima) e gigantescos para o cinema. De todo modo, no campo para comentários, toda indicação será bem-vinda! Podemos ir fazendo uma espécie de corrente. Assim, mais e mais bons filmes poderão ser citados e chegar a todos. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Vamos, então, à mais uma lista do Canaltech de clássicos do cinema, com 10 dos melhores filmes dos anos 1960: 10. A Grande Testemunha A Grande Testemunha é um estudo sobre santidade dirigido com toda a formalidade de Robert Bresson. O protagonista do filme é de um burrinho, que segue seu rumo sendo maltratado e, em seu caminho, acaba promovendo interações quase que hipnotizantes. Os coadjuvantes, humanos no caso, talvez se revelem como menos empáticos do que o quadrúpede e a direção de Bresson é tão direta sobre tudo que acaba sendo impossível deixar detalhes passarem despercebidos. Uma obra-prima do minimalismo no cinema. Crítica | Hamilton é o que de melhor um filme pode ser mesmo sem ser um filme   9. Deus e o Diabo na Terra do Sol Considerado um marco do cinema novo, o filme de Glauber Rocha, gravado em Monte Santo (na Bahia), está em praticamente todas as listas de melhores filmes brasileiros da história. Indicado à Palma de Ouro do Festival de Cannes, o filme conta de maneira corajosa a saga de um homem que se torna uma espécie de fora-da-lei após matar seu empregador quando este tenta enganá-lo. A partir de então, começa a seguir um autoproclamado santo. Deus e o Diabo na Terra do Sol é, sobretudo, sobre revolução, sobre resistência e sobre o desmoronar a opressão... e filmado com extrema competência. Os 10 melhores filmes brasileiros da década   8. Acossado O primeiro filme de Jean-Luc Godard é um clássico do cinema e um trabalho que parece confrontar a linguagem firmada de sua arte. Godard, que é, em essência, um transgressor, usa toda sua habilidade para contar uma história aparentemente comum: a de um pequeno ladrão que rouba um carro e assassina impulsivamente um policial. Mas tudo é inesperado, sem definição, sem planejamento aparente, fazendo com que Acossado seja quase o reflexo de uma vida. O tal ladrão, procurado pelas autoridades, reúne-se com uma estudante americana de jornalismo e tenta persuadi-la a fugir com ele para a Itália. O desenvolvimento disso está na história: do filme e do cinema. 25 filmes indispensáveis para quem quer aprender cinema A saber: para Acossado, Godard escrevia as cenas pela manhã e filmava logo. Algumas falas só eram entregues aos atores à medida em que as cenas eram realizadas, resultando em uma forma que parece acompanhar a história nervosa de fuga do protagonista. À Bout de Souffle (o título original) é uma expressão da língua francesa que significa, na língua portuguesa (em tradução livre), sem fôlego.   7. O Leopardo Luchino Visconti é, sem dúvida, um dos cineastas mais elegantes nesse mais de um século do cinema. Seus filmes exalam nobreza e beleza. Acontece que ele nunca está interessado no vazio da classe retratada, mas em revelar a podridão por trás de toda aparente glória. Em O Leopardo, um nobre aristocrata de integridade impecável tenta preservar sua família e sua classe em meio às tumultuosas convulsões sociais da Sicília de 1860. É um filme que vai além dos estereótipos. Muito além.   6. Cléo das 5 às 7 A cantora hipocondríaca Cléo fica cada vez mais preocupada com a possibilidade de ter câncer enquanto aguarda os resultados dos exames de seu médico. A partir dessa situação, a roteirista e diretora Agnès Varda constrói um filme de sensibilidade gigante e, talvez, o mais humano e empático de toda a nossa lista. Falecida em 2019 aos 90 anos de idade, Varda deixou um legado imenso que dialogava entre a ficção e o documentário. Sua linguagem é única, o que a solidifica, junto ao seu enorme coração, entre os gigantes do cinema. 15 filmes dirigidos por mulheres que você precisa assistir   5. Psicose Mesmo que se conheça os acontecimentos de Psicose — por mais que se saiba do seu final inclusive —, o trabalho perfeccionista da direção de Alfred Hitchcock aqui é, da idealização à finalização, das maiores maravilhas já realizadas pelo cinema. Nem tudo, afinal, é conhecido por aquilo que os olhos nos mostram ou as lentes revelam. Isso pode ter um paralelo com a vida. O inimigo, como um tipo de vampiro, pode nem aparecer nos mesmos espelhos que aparecemos — desvinculando caráteres e egos —; pode ser simpático e ter um sorriso arrogante (ou não); e o que chega aos nossos olhos pode ser apenas a ponta de um iceberg. Mas é uma ponta dolorosa que é o resultado de todo um mundo complexo construído durante anos e escondido em uma mente adoecida. Um clássico irretocável do suspense. Crítica | Psicose é um clássico irretocável do suspense   4. 8 ½ Passando pela crise de criatividade de um cineasta entrecortada por um tom autobiográfico de Federico Fellini, 8 ½ utiliza a metalinguagem para contar sua história — a linguagem do cinema recriando um filme realizado pelos próprios personagens. O filme conta com influências da psicanálise, especialmente da jungiana. Os sonhos do protagonista são exemplos diretos de pensamentos de Jung, além da utilização do conceito de sombra, que é reforçado pela opção pelo preto e branco. 10 filmes cults que você precisa assistir no streaming do Telecine   3. Quando Duas Mulheres Pecam A sinopse mais simples e imprudente diria que o filme trata de uma enfermeira encarregada de cuidar de uma atriz muda e, aos poucos, descobre que suas personalidades estão se fundindo. A verdade é que é quase impossível criar um resumo desse que é considerado por muitos o melhor filme do gênio sueco Ingmar Bermann. O título original (Persona) é, inclusive, muito mais apropriado do que a versão brasileira, que, se não é um spoiler enorme, acaba por ser uma tentativa (totalmente infeliz) de explicar o trabalho realizado por Bergman nessa obra-prima. 10 filmes para assistir no streaming do Telecine durante o isolamento   2. 2001: Uma Odisseia no Espaço Selecionar este que talvez seja uma das maiores obras do cinema é mais fácil do que escrever sobre ele. É um filme sobre a vida; sobre o quanto somos destrutivos; sobre o quanto nossa evolução é embaraçosa... A sinopse oficial simples (bem simplificada mesmo) diz: "Depois de descobrir um artefato misterioso enterrado sob a superfície lunar, a humanidade parte em uma busca de suas origens com a ajuda do supercomputador HAL". Mas existe tanto nas entrelinhas e tanto a ser apreciado e, melhor, experenciado que uma vida pode ser pouco. Crítica | 2001: Uma Odisseia no Espaço mostra que podemos estar no início do fim   1. Era uma Vez no Oeste A maior de todas as obras-primas do faroeste, o filme de Sergio Leone, que é acompanhado por uma das trilhas sonoras mais marcantes de Ennio Morricone, traz a história de um estranho misterioso que, com sua gaita, une forças com um bandido notório para proteger uma viúva de um assassino implacável. O trabalho de Leone é gigante e tem uma das resoluções de conflito final mais emblemáticas entre todos os westerns. Os 10 melhores filmes de faroeste   Agora, ficam aí os comentários para que vocês acrescentem filmes e possamos criar uma lista de obras-primas cada vez maior e construída por todos nós! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Signal vs Telegram: qual app de mensagens é mais seguro? Galaxy S21 vs. Galaxy S20: o que muda entre as gerações? Motorola Capri passa na Anatel com bateria de 5.000 mAh e carregador na caixa 10 séries campeãs de audiência dos anos 1990-2010 para assistir no streaming Mais poderoso que o Hubble: o que esperar do telescópio Nancy Grace Roman? Veja Mais

Coronavírus: Ministério da Saúde registra 1.050 mortes em 24h, total vai a 209.296

Valor Econômico - Finanças São Paulo é o Estado com mais mortes (49.885) e casos confirmados (1.619.619) de covid-19 Gerd Altmann/pixabay O boletim do Ministério da Saúde deste sábado com os dados sobre a evolução da covid-19 aponta o registro de 1.050 mortes pela doença nas últimas 24 horas. O total de óbitos pela doença subiu para 209.296 no país. O boletim fechado às 18h30 informa ainda que o Brasil registrou 61.567 novos casos de covid-19 no mesmo intervalo. Com isso, o total de diagnósticos confirmados nas estatísticas oficiais sobe para 8.455.059. O pior quadro está no Amazonas — sobretudo Manaus —, que entrou em caos, com forte aumento das internações e a falta de insumos básicos nos hospitais, como cilindros de oxigênio. Pacientes vêm morrendo por falta desse produto nas UTIs. O Estado contabiliza até o momento 229.367 casos e 6.123 mortes por covid-19, segundo o boletim do Ministério da Saúde. Mais mortes em SP São Paulo é o Estado com mais mortes (49.885) e casos confirmados (1.619.619) de covid-19. Minas Gerais é o segundo Estado com mais casos (636.797) e o Rio de Janeiro é o segundo com mais óbitos (27.755). Veja Mais

Pixote lança álbum 'Drive in' com registro integral de show feito com convidados como Léo Santana

G1 Pop & Arte ♪ Após série de EPs editados no segundo semestre de 2020, o grupo Pixote lança o álbum Drive in com o registro integral do show gravado em apresentação feita por Dodô (voz), Thiaguinho (teclados) e Tiola (tantã) em 14 de agosto no projeto Arena sessions, do Allianz Parque, ginásio situado em São Paulo (SP), cidade natal do trio. O álbum Drive in já está disponível desde sexta-feira, 15 de janeiro, em edição distribuída via ONErpm. Ao longo de 23 números que combinam músicas inéditas e medleys com regravações de sucessos próprios e alheios, Pixote recebe convidados como o cantor Léo Santana (na faixa Tudo menos isso), a dupla sertaneja Marcos & Belutti (na música Playground) e o grupo Menos é Mais (em Minha fã). Simultaneamente com a edição do álbum Drive in nos players digitais, o registro audiovisual do show – captado sob direção de Anselmo Troncoso – foi disponibilizado no canal oficial de Pixote no YouTube. Capa do álbum 'Drive in', do grupo Pixote Divulgação Veja Mais

Andressa Urach critica pastores da Universal após ser comparada a Satanás

O Tempo - Diversão - Magazine Em rede social, a modelo disse que vai revelar tudo o que sabe sobre os bastidores da igreja caso os pastores não parem de usar a imagem dela em cultos; ela afirma ter áudios comprometedores Veja Mais

Boninho publica post com enigma sobre nova edição do 'Big Brother Brasil'

O Tempo - Diversão - Magazine Post com números e letras aparentemente aleatórios já despertou a curiosidade do público; diretor provocou dizendo que pode haver um nome escondido na imagem Veja Mais

Falha no PIX do Superdigital Santander permitiria roubo de dinheiro

Falha no PIX do Superdigital Santander permitiria roubo de dinheiro

Tecmundo Uma suposta vulnerabilidade no Superdigital, banco digital do Santander, permitiu que cibercriminosos movimentassem um valor milionário durante a madrugada deste sábado (16). Ainda faltam detalhes específicos sobre a falha, mas imagens e vídeos comprovam que carders conseguiram realizar até saque de dinheiro via falha.O TecMundo entrou em contato com o Santander no começo da tarde de hoje (16), contudo, devido ao fluxo grande de imagens e vídeos rodando nas redes sociais (como Twitter e YouTube), foi decidido publicar esta reportagem como alerta para clientes antes de um posicionamento.Leia mais... Veja Mais

Rio inicia distribuição de seringas e agulhas aos municípios

Valor Econômico - Finanças Operação para a entrega do material, em quatro dias para todos os municípios, tem o apoio da Polícia Militar Vesna Harni/Pixabay O governo do Rio deu início, neste sábado, à distribuição do primeiro lote de seringas para a campanha de vacinação contra a covid-19. Ao todo, nesta primeira fase, a Secretaria de Saúde (SES) enviará 5,5 milhões de seringas descartáveis de 3 milímetros (ml) com agulha aos 92 municípios do Estado. A operação para a entrega do material, em apenas quatro dias para todos os municípios, tem o apoio da Polícia Militar (PM). A PM dará suporte, com 17 comboios, fazendo a escolta dos veículos da secretaria que levarão as seringas para as cidades. Cem policiais militares participarão diariamente da ação, que será monitorada pelo Centro Integrado de Comando e Controle (CICC). Na última quarta-feira, a SES encaminhou aos secretários municipais de Saúde um ofício recomendando que as seringas sejam de uso exclusivo da campanha de vacinação contra a covid-19. O material corresponde ao mesmo número de doses que serão necessárias para imunizar a população, que se encaixa nas quatro fases iniciais da vacinação. Prontos para vacinar O governador Claudio Castro disse que está tudo pronto para a vacinação. “Estamos prontos para vacinar a população fluminense. Agora, é hora de cada cidade do Estado receber seringas e agulhas para a primeira fase de imunização. Cada cidadão, de forma igualitária e seguindo o Plano Nacional de Imunização, terá direito à vacina, de Natividade a Paraty”, disse. O secretário de Saúde, Carlos Alberto Chaves, destacou a experiência dos profissionais de saúde em ações de vacinação desse tipo. “A secretaria já tem em sua rotina as vacinações pelo SUS e histórico de grandes campanhas de imunização. Estamos preparados para dar início à vacinação. A distribuição das seringas é mais um passo desse processo para garantir que toda a população do Estado seja vacinada”, disse. Em dezembro do ano passado, a SES recebeu 8 milhões de agulhas e seringas adquiridas por meio de licitação. Um segundo lote, com mais 8 milhões de agulhas e seringas, tem previsão de entrega à secretaria, em fevereiro. Esse material foi comprado a R$ 0,17 a unidade, abaixo do valor estabelecido nas atas de preço vigentes. Outro processo de aquisição, de mais 50 milhões de agulhas e seringas, já foi iniciado e estará concluído para as fases seguintes da campanha de vacinação contra a covid-19. Plano Nacional A SES vai seguir o Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde (MS), que prevê a distribuição de vacinas contra a covid-19 para todos os Estados do país. O PNI ocorrerá inicialmente em quatro fases, obedecendo a critérios logísticos de recebimento e distribuição das doses. A primeira fase dá prioridade aos trabalhadores da saúde, à população idosa a partir de 75 anos de idade, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (asilos e instituições psiquiátricas) e população indígena. A segunda fase inclui pessoas de 60 a 74 anos, enquanto a terceira prevê a vacinação de pessoas com comorbidades e, por isso, maior risco de agravamento da doença (como portadores de doenças renais crônicas e cardiovasculares). A quarta fase abrangerá professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade. Veja Mais

Como a escravidão atrasou o processo de industrialização do Brasil

G1 Economia Cativeiro negro beneficiou pequena elite, mas postergou desenvolvimento do país, dizem pesquisadores. Escravizados urbanos coletando água no Brasil da década de 1830. Para pesquisadores, escravidão atrasou desenvolvimento do país Johann Moritz Rugendas/Slavery Images via BBC O Brasil importou mais africanos escravizados do que qualquer outro país e, por aqui, a escravidão durou mais tempo do que em qualquer outra parte do Ocidente. No entanto, ao invés de promover o crescimento econômico e o desenvolvimento, o trabalho compulsório de negros e negras atrasou o processo de industrialização do país, mostra estudo feito por pesquisadores das universidades de Manchester, Bonn e da FGV (Fundação Getulio Vargas). De maneira inédita, usando a econometria — um método que utiliza a matemática e a estatística para avaliar teorias econômicas —, os analistas mostram com números algo que a literatura historiográfica e econômica já apontava: que a escravidão beneficiou apenas uma pequena elite enquanto atrasou o desenvolvimento do país como um todo. Escravidão no Brasil em números Segundo o estudo, entre os séculos 16 e 19, cerca de 4,9 milhões de africanos desembarcaram na costa brasileira, o que representa 46% de todas as chegadas de escravizados ao continente americano. Em comparação, 388.746 escravizados foram levados para os Estados Unidos. Escravizados recém-chegados da África sendo desembarcados em um porto brasileiro. Entre os séculos 16 e 19, cerca de 4,9 milhões de africanos desembarcaram no país Johann Moritz Rugendas/Slavery Images via BBC O tráfico de africanos começou no Nordeste do país na década de 1560, com os cativos sendo empregados inicialmente em grandes plantações de cana-de-açúcar nos entornos de Recife e Salvador. Na década de 1590, a chegada de escravizados aos portos da Bahia e de Pernambuco superava 12 mil por ano e flutuou em torno desse nível até a proibição do tráfico pela Lei Eusébio de Queirós, em 1850. O Sudeste se tornou um destino relevante para escravizados no século 18, durante a corrida do ouro em Minas Gerais. A maioria dos africanos chegou à região através do Rio de Janeiro, que se tornou o maior porto de escravizados do mundo. Os desembarques de cativos ali chegaram a 25 mil por ano entre 1801 e 1850, com os escravizados sendo direcionados também à produção de café nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Números do fim do século 19 sugerem que a população de escravizados no Brasil chegou a cerca de 1 milhão a 1,5 milhão de pessoas, num país com uma população de 3 milhões. O país também foi o último do Ocidente a abolir a escravidão, em 1888, depois de todos os vizinhos sul-americanos e caribenhos e dos Estados Unidos (1863). Um debate que vem de décadas "Nosso objetivo é contribuir para um debate amplo que é qual é o papel da escravidão no desenvolvimento econômico de longo prazo", diz Thales Pereira, professor da EESP-FGV (Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vargas). Pereira é um dos coautores do estudo, junto a Nuno Palma, Andrea Papadia e Leonardo Weller. Palma é professor na Universidade de Manchester, no Reino Unido; Papadia é pesquisador na Universidade de Bonn, na Alemanha; e Weller é professor da EESP-FGV. O artigo foi apresentado como texto para discussão pela Universidade de Warwick, no Reino Unido, e os autores esperam sua publicação em periódico acadêmico ainda este ano. Africanos em um mercado de escravizados em Pernambuco. Debate sobre papel da escravidão no desenvolvimento econômico começou na década de 1940, com o historiador Eric Williams Crédito: Maria Graham/Slavery Images via BBC Segundo Pereira, esse debate começa na década de 1940, com o historiador Eric Williams, que discute o papel da escravidão no Caribe para a revolução industrial inglesa. Nos últimos dez anos, ganhou força uma nova literatura sobre o tema, parte da chamada "Nova História do Capitalismo", produzida por um grupo de historiadores americanos, que busca analisar o papel da escravidão para o desenvolvimento dos Estados Unidos. Para esses autores, como Edward Baptist e Sven Beckert, a industrialização dos EUA estaria ligada ao acesso a algodão barato, fruto da exploração violenta dos escravizados. "É uma visão de crescimento econômico em que o desenvolvimento vem da exploração", avalia Pereira. Segundo ele, apesar da interpretação desses autores ser considerada por muitos pesquisadores como extremamente falha e baseada em premissas equivocadas, essa visão ganhou espaço no senso comum, daí a importância de testar essas hipóteses a partir de dados concretos da realidade. No Brasil, produção de algodão com e sem escravizados O Brasil ofereceu aos pesquisadores uma ótima oportunidade para esses testes. Isso porque, por aqui, houve um aumento repentino da produção de algodão a partir da década de 1860, em resposta à paralisação das lavouras americanas em meio à Guerra Civil daquele país. Além disso, no Brasil, houve uma situação peculiar: duas províncias vizinhas, Maranhão e Ceará, passaram por esse forte crescimento na produção de algodão, mas uma delas tinha praticamente só trabalho escravo e a outra, somente trabalho livre. Assim, pela hipótese da "Nova História do Capitalismo", a produção do Maranhão deveria ter crescido mais do que aquela do Ceará. Mas não é isso que os pesquisadores encontram, ao analisar dados dos ministérios da Fazenda e da Agricultura do século 19. "Na verdade, marginalmente, a produtividade do Ceará aumentou mais do que a do Maranhão", diz Pereira, acrescentando que isso descarta a hipótese de Edward Baptist de que seria a violência contra os escravos a causa do aumento de produtividade nas lavouras de algodão. Por aqui, afirmam os pesquisadores, com base em registros históricos, o fator determinante nesse ganho de produtividade foi o uso de novas sementes, importadas dos Estados Unidos, e a adoção de tecnologias inovadoras. Escravidão e industrialização Outra hipótese que pôde ser testada na realidade brasileira é a que relaciona a escravidão e o avanço da industrialização. Para isso, os pesquisadores usaram dados do Censo nacional de antes de depois da Abolição, mais precisamente, de 1872 e 1920. E compararam dados municipais dos Estados de São Paulo e do Rio de Janeiro (excluída a capital fluminense, cuja realidade era muito peculiar, pelo fato de a cidade ter sido a capital do país entre 1763 e 1960). Vendedoras de Angu. Regiões com presença de escravizados afastavam imigrantes e o trabalho livre de maneira geral Jean Baptiste Debret/Slavery Images via BBC "Testamos se áreas que tinham maior presença de escravos, no Censo de 1872, que foi o primeiro Censo nacional brasileiro, tinham mais indústrias no início do século 20", explica Pereira. "Levamos em conta um monte de controles para analisar isso." Entre os controles utilizados estão a parcela de trabalhadores ocupados na agricultura, a presença de imigrantes, o grau de alfabetização, se os municípios eram produtores antigos ou tardios de café, se havia presença ou não de estação de trem, a distância em relação ao porto mais próximo e a desigualdade na posse de terras. "O que encontramos é que há uma forte correlação entre industrialização e capital humano. Tanto regiões onde os brasileiros são mais alfabetizados, quanto regiões que têm imigrantes — que à época tinham mais acesso à alfabetização —, têm mais industrialização", diz Pereira. "Mas o que encontramos de interessante é que esse efeito só aparece após a abolição da escravidão. Ou seja, regiões com mais alfabetização e mais imigrantes em 1872 não têm mais indústria. Mas, onde esses fatores estão presentes em 1872, aparece a indústria em 1920." "Isso é o que a literatura, à exceção da 'Nova História do Capitalismo', já discutia há muito tempo: que o potencial produtivo do país era limitado pela escravidão. Então, com o fim dela, houve um melhor uso dos recursos humanos na sociedade." 'Escravidão foi um desastre e atrasou o país' Segundo o pesquisador, a presença de escravizados afastava os imigrantes e o trabalho livre de maneira geral. Além disso, em regiões onde havia muitos escravos, não havia incentivo municipal para a abertura de escolas para alfabetizar a população. O professor da FGV diz que há evidências de que houve escravizados trabalhando na manufatura e na indústria têxtil, por exemplo. Mas que havia limites para a expansão dessa industrialização, pela falta de um mercado consumidor, já que esses trabalhadores não recebiam salários. Além disso, não havia estímulo para empregar escravizados na manufatura, porque o retorno deles na agricultura era maior. "Resultados como os nossos, apesar de não serem conclusivos, ajudam a dissipar essa ideia, que vai e volta na literatura, de que crescimento econômico ocorre simplesmente por exploração", diz Pereira. "Tentamos retomar a literatura que diz que isso não é verdade. A escravidão foi um desastre, um horror. Ela gerou riqueza para alguns, mas não gerou crescimento econômico para a sociedade." "Ela não teve um efeito positivo 'oculto' como sugere a 'Nova História do Capitalismo'. Ela era indefensável. Mas por que a escravidão durou tanto? Porque ela era lucrativa para as pessoas que eram donas de escravos. Mas isso atrasou o país." Vídeos: Últimas notícias de economia Veja Mais

ANTT flexibiliza normas para transporte de oxigênio em todo o país

Valor Econômico - Finanças A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) flexibilizou neste sábado as normas para o transporte de oxigênio em território nacional. O objetivo, segundo a autarquia, é facilitar o envio do material para o Amazonas, que passa por grave crise de desabastecimento. A medida suspendeu por 90 dias a necessidade de apresentação de antecipação do valor do pedágio; Certificado do Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas; registro da operação de transporte e pagamento do valor do frete. Essas suspensões valem para traslados nacionais e internacionais. A ANTT também autorizou por 90 dias a emissão de Autorização de Viagem de Caráter Ocasional para o transporte rodoviário internacional de cargas. Por fim, a ANTT também delegou à Superintendência de Serviços de Transporte Rodoviário de Cargas “a competência para outorgar os atos necessários ao cumprimento” das novas normas. Veja Mais

Na pandemia, Alesp vira canteiro de obras e prevê gastos de R$ 30 mi

Valor Econômico - Finanças Reforma das instalações acontece durante a presidência de Cauê Macris (PSDB), cotado para assumir a Casa Civil do governo do tucano João Doria neste ano Quando os deputados estaduais de São Paulo voltarem às atividades neste ano, em fevereiro, poderão estacionar seus carros em um lugar mais agradável. O jardim de inverno que fica na garagem interna da Assembleia Legislativa teve suas instalações reformadas por R$ 821.925. Localizado no subsolo da Assembleia, o local passou nos últimos meses por reforma que previa lixamento e rejunte das paredes, transplantes de árvores, instalação de floreiras e renovação de todo o espaço. Como toque final, há a inserção de um brasão do estado de São Paulo em latão, ao custo de R$ 5.000. A mudança na garagem é uma das reformas que foram feitas ou estão previstas no Palácio 9 de Julho, sede do Legislativo paulista, entre 2020 e 2021, anos em que a pandemia da Covid-19 reduziu a circulação de pessoas no local. Entre as obras que já foram concluídas e as que estão sendo planejadas, o valor deve ultrapassar os R$ 30 milhões. Divulgação As reformas acontecem durante a presidência de Cauê Macris (PSDB), deputado estadual que é cotado para assumir a Casa Civil do governo do tucano João Doria neste ano. O favorito para substituí-lo como presidente da Assembleia, na eleição prevista para março, é o atual líder do governo, Carlão Pignatari (PSDB). Além de Cauê, também deram aval para as modificações o primeiro e o segundo secretários da mesa diretora, os deputados Ênio Tatto (PT) e Milton Leite Filho (DEM). Um já tradicional acordo entre esses partidos para a distribuição desses postos deve se repetir na disputa ao comando da Assembleia neste ano. Em relação às obras, o maior gasto ainda está em fase de estudos internos antes do lançamento da licitação. É a reforma de três auditórios - Franco Montoro, Teotônio Vilela e Paulo Kobayashi – que, segundo documentos internos aos quais a reportagem teve acesso, tem custo estimado de R$ 17 milhões e prazo de no mínimo 90 dias para conclusão. Não é incomum que haja aditivos à contratação desse tipo de obra. O projeto executivo de arquitetura, encomendado pela Assembleia no ano passado, custou R$ 26 mil. O setor de informática do palácio também deve ser reformado. O projeto executivo para as modificações foi concluído em novembro. Em outra obra, cuja execução se iniciou em agosto do ano passado, três plenários foram reformados em um serviço que foi contratado por aproximadamente R$ 3 milhões. O prazo inicial era de dois meses, mas foram acrescentados 45 dias. No edital que lançou as obras de reformas desses plenários, havia a determinação de que todo o material usado fosse "de primeira qualidade". "A expressão 'de primeira qualidade' tem nas presentes especificações o sentido que lhe é dado no comércio; indica, quando existem diferentes gerações de qualidade de um mesmo produto, a gradação de qualidade superior", diz o texto do edital. A justificativa para a obra eram melhorias "em relação à higiene, conforto e segurança dos usuários". Até março deverá estar construído na área externa da Assembleia um bicicletário, que já foi licitado pelo custo de R$ 404 mil. A estrutura deverá contar com cobertura, assentos e banheiros. O piso será trocado. Também foram construídos um novo estúdio e uma nova redação para a TV Alesp, inaugurados em dezembro, com uma entrevista do próprio Cauê Macris, em que ele afirmava que a sua gestão prezou pela austeridade. "Temos de fazer mais com menos. O dinheiro público deve ser empregado da melhor maneira possível e isso é realidade na Assembleia", disse Cauê. Na mesma entrevista, disse que houve "investimento na área da comunicação, de tecnologia da informação e de infraestrutura para melhorar o trabalho desenvolvido". No total, com custo original somado a um aditivo de R$ 245 mil, estúdio e redação custaram cerca de R$ 2,7 milhões. O estúdio foi para o terceiro andar, onde funcionava o antigo restaurante da Assembleia Legislativa. A justificativa apresentada pela mesa diretora é que foi necessário o remanejamento "para área mais ampla e adequada", de forma a "modernizar e otimizar os espaços ocupados pelo setor, atendendo às condições necessárias de segurança, higiene e funcionalidade para os usuários". Procurada, a assessoria de imprensa da Assembleia Legislativa de São Paulo afirma que realiza periodicamente a manutenção e modernização do palácio e que "pela primeira vez, por exemplo, o prédio do Parlamento paulista terá auto de vistoria do Corpo de Bombeiros". Esses equipamentos e sistemas de combate a incêndio tiveram custo de aproximadamente R$ 3,8 milhões. "Obras são contratadas e realizadas com base em estudo técnico e licitação pública. O que significa que foram planejadas e previstas no Orçamento ainda em 2019", afirma a assessoria, em nota. "No exercício de 2020 a Casa fará a maior devolução de orçamento de sua história ao Governo do Estado – cerca de R$ 300 milhões – para ajudar no combate a pandemia da Covid-19." "Em abril, a Alesp foi a primeira casa legislativa do país a cortar os salários de seus parlamentares (30%), verbas de gabinete (40%), ter doado 80% de seu Fundo Especial de Despesas, além de rever contratos. Tudo destinado a luta contra a Covid-19", disse a assessoria. A gestão de Cauê Macris, que se iniciou em 2017, ainda no governo Geraldo Alckmin (PSDB), teve algumas polêmicas em relação a despesas. Uma delas foi ter contratado por um ano, por R$ 2,6 milhões, uma empresa que automatizaria a triagem diária de notícias da Casa. Mas, nove meses depois do início do contrato, o serviço continuava a ser feito manualmente por quatro funcionários. Veja Mais

Pacer traz corridas eletrizantes e um divertido multiplayer

Pacer traz corridas eletrizantes e um divertido multiplayer

Tecmundo Corridas antigravitacionais, frenéticas e com naves que atingiam quase 1000 km/h foram destaque na segunda grande década do mundo dos games. Praticamente todos os detentores do Super Nintendo tinham uma fita de F-Zero, considerado o pai deste gênero. Ao longo dos anos, outros games foram surgindo, como WipeOut, Fast RMX e Redout. Foi então que chegamos em 2017, com o lançamento de Formula Fusion.Com um nome alusivo à corrida, Formula Fusion surgiu após uma campanha muito bem sucedida no KickStarter, chegando a arrecadar cerca de £80 mil. Porém, o tiro não saiu como os desenvolvedores da R8 Games queriam. Foi então que surgiu a ideia de lançar uma grande atualização para o game. Só que o trabalho ficou maior que a criatura e os britânicos resolveram até mudar o antigo nome do jogo.Leia mais... Veja Mais

Galaxy M51 vs Poco X3 NFC: o que importa mais em um intermediário? | Comparativo

tudo celular O Galaxy M51 e o Poco X3 NFC são dois dos celulares intermediários que mais chamaram a atenção dos usuários em 2020. Mas qual leva a melhor na hora de colocar ambos lado a lado? Saiba a resposta... Veja Mais

A Todo Vapor: conheça a série brasileira steampunk do Amazon Prime Video

A Todo Vapor: conheça a série brasileira steampunk do Amazon Prime Video

Tecmundo As plataformas de streaming abriram portas para produtores brasileiros criarem séries dos mais variados gêneros, como a série distópica 3%, lançada na Netflix. O Amazon Prime Video não fica para trás e, no ano passado, se tornou a casa de A Todo Vapor,  uma produção nacional com temática steampunk.Com oito episódios, a produção brasileira foi lançada em setembro no catálogo do serviço da Amazon e se passa em um Brasil retrofuturista. A narrativa é protagonizada por Juca Pirama (Felipe Reis) e Capitu Machado (Thais Ribeiro), que investigam crimes misteriosos no interior de São Paulo, em 1908.Leia mais... Veja Mais

Os 10 animes mais esperados de 2021

Os 10 animes mais esperados de 2021

Tecmundo Você sabe quais são os animes mais esperados de 2021? Recentemente, essa categoria ganhou muita relevância no Brasil, ou seja, os melhores animes começaram a ser transmitidos em plataformas de streaming mais acessíveis. Além disso, os fãs aumentaram, e muito, nos últimos tempos!Então, vamos conferir a lista? Veja quais são os 10 animes de 2021 mais esperados.Leia mais... Veja Mais

Fiat Chrysler e PSA concluem processo de fusão para criar a Stellantis

G1 Economia Empresa nasce como quarto maior grupo automotivo do mundo; ações começarão a ser negociadas na próxima semana. A Fiat Chrysler e a PSA selaram sua esperada fusão neste sábado (16) para criar a Stellantis, quarto maior grupo automotivo do mundo com dinheiro suficiente para financiar a mudança para a direção elétrica e enfrentar rivais maiores, Toyota e Volkswagen. Stellantis, nome da empresa fruto da fusão da PSA com a FCA Divulgação Demorou mais de um ano para as montadoras ítalo-americana e francesa finalizarem o negócio de US$ 52 bilhões, período no qual a economia global foi afetada pela pandemia Covid-19. Elas anunciaram o plano de fusão em outubro de 2019, para criar um grupo com vendas anuais de cerca de 8,1 milhões de veículos. Entenda como a fusão bilionária entre Peugeot e Fiat vai dar origem à Stellantis "A fusão entre a Peugeot e a Fiat Chrysler, que conduzirá o caminho para a criação da Stellantis, tornou-se efetiva hoje", disseram as montadoras em comunicado. Fusão da Fiat e Peugeot cria 4ª maior montadora do mundo As ações da Stellantis, que será chefiada pelo atual presidente-executivo da PSA, Carlos Tavares, começarão a ser negociadas em Milão e Paris na segunda-feira (18) e em Nova York na terça-feira (19). Agora, analistas e investidores estão voltando seu foco para como Tavares planeja enfrentar os enormes desafios que o grupo enfrenta - desde o excesso de capacidade de produção até um péssimo desempenho na China. Tavares dará sua primeira coletiva de imprensa como presidente da Stellantis na terça-feira, após tocar a campainha da Nyse com o presidente John Elkann. A FCA e a PSA disseram que a Stellantis pode cortar custos anuais em mais de 5 bilhões de euros sem o fechamento de fábricas, e os investidores estarão ansiosos para obter mais detalhes sobre como isso fará. Como todas as montadoras globais, a Stellantis precisa investir bilhões nos próximos anos para transformar sua gama de veículos para a era elétrica. Mas outras tarefas urgentes se aproximam, incluindo reviver a operação do grupo na China, racionalizar seu enorme império global e lidar com o enorme excesso de capacidade. O presidente da FCA Mike Manley - que chefiará as principais operações da Stellantis na América do Norte - disse que 40% das sinergias esperadas virão da convergência de plataformas e motores e da otimização de investimentos em P&D, 35% de economias em compras e outros 7% de economia nas operações de vendas e despesas gerais. Vídeos: Últimas notícias de economia Veja Mais

Anvisa se reúne neste domingo para decidir se autoriza vacinas contra covid-19

Valor Econômico - Finanças Mesmo assim, não há garantia de que a agência dará uma resposta definitiva no dia, devido ao grande volume de informações pendentes Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Nego do Borel apela para discurso religioso após acusações de agressão

O Tempo - Diversão - Magazine Ex-namorada do cantor, Duda Reis (18) conseguiu medida protetiva para que ele não se aproxime nem dela nem da família; polícia fez buscas na casa do artista, que agora "recorre a Deus" Veja Mais

Anvisa descarta uso emergencial de vacina russa

Valor Econômico - Finanças A farmacêutica União Química, parceira local dos russos, não teria entregue nem sequer a documentação mínima necessária para o início da análise Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Homem fortemente armado é preso perto do Capitólio dos Estados Unidos

O Tempo - Mundo Cidadão do Estado da Virginia carregava mais de 500 cartuchos de munição; a poucos dias da posse de Joe Biden, ruas da capital estão vigiadas 24 horas por dia e há pontos de revista Veja Mais

Salas de prova do Enem têm 80% de ocupação e Defensoria diz que Inep mentiu sobre segurança

Valor Econômico - Finanças Instituição diz que a condição para ceder os espaços foi de que seria respeitado o limite de 40%, o que não ocorreu Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Em Manaus, desespero e revolta nas portas dos hospitais

Valor Econômico - Finanças Só na sexta-feira, 213 sepultamentos foram registrados nos cemitérios da capital, de acordo com o último boletim divulgado pela prefeitura municipal de Manaus Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Índia inicia campanha de vacinação com desafio de atingir 1,3 bilhão de pessoas

O Tempo - Mundo O objetivo é injetar as duas doses o mais rápido possível em 30 milhões de cidadãos do setor de saúde e dos grupos mais vulneráveis; em seis meses, seriam 300 milhões de vacinados Veja Mais

Covid-19: cientistas buscam terapias para quem não pode se vacinar

Covid-19: cientistas buscam terapias para quem não pode se vacinar

Tecmundo Quando o presidente estadunidense Donald Trump foi diagnosticado com covid-19, o tratamento aplicado foi um coquetel de anticorpos monoclonais que serão a base da profilaxia da doença: terapias com células do sistema imune para quem não puder ser vacinado.Uma das terapias, chamada AZD7442, está na fase 3 de testes clínicos. Desenvolvida pelo University College Hospital (UCLH) com o laboratório AstraZeneca (o mesmo que trabalha com o Instituto Jenner, da Universidade de Oxford, no desenvolvimento de uma vacina contra a covid-19), a pesquisa foi dividida em dois estudos. Leia mais... Veja Mais

Itália suspende voos vindos do Brasil para conter infecção pela nova cepa

O Tempo - Mundo Medida terá validade a partir do dia 31 de janeiro; quem transitou pelo Brasil nos últimos 14 dias também está proibido de entrar na Itália Veja Mais

Itália suspende voos procedentes do Brasil

Valor Econômico - Finanças A Itália suspendeu a realização de voos procedentes do Brasil, informou na tarde deste sábado a Globo News. A medida teria sido tomada em função da nova variante do coronavírus registrada em território nacional. A ordem, assinada pelo ministro da Saúde, Roberto Speranza, por enquanto é válida até o fim de janeiro. A Itália já possui 2,36 milhões de casos de infecção por covid-19 e 81,8 mil mortes. O Reino Unido também suspendeu a entrada de voos provenientes do Brasil e de mais 14 países desde o dia 14 de janeiro. Veja Mais

Kingston anuncia a nova linha de produtos Workflow e NVMe SSDs

Kingston anuncia a nova linha de produtos Workflow e NVMe SSDs

Tecmundo Durante a feira CES 2021, a Kingston Technology anunciou a família Workflow, composta pelos produtos Workflow Station, Workflow SD Reader e Workflow microSD Reader, além das unidades PCIe Gen 4.0, tendo o promissor Ghost Tree como carro-chefe. A convite de sua assessoria nacional, pudemos conversar com Shealyn Johnson, relações públicas da Kingston que nos mostrou em primeira mão as novas tecnologias.Durante a feira ficamos conhecendo os futuros lançamentos em SSDs NVMe, com a aguardada chegada dos primeiros SSDs PCIe NVMe de quarta geração. Jogadores e criadores de conteúdo devem ficar de olho no Ghost Tree, a unidade PCIe Gen 4.0 que conseguirá fazer leituras e gravações em até 7.000MB/s com armazenamento entre 1TB e 4TB!Leia mais... Veja Mais

Galaxy S21 vs. Galaxy S20: o que muda entre as gerações?

canaltech Os Galaxy S21, S21+ e S20 Ultra foram lançados nesta quinta-feira (14) com promessa de melhorias em todos os departamentos em relação ao S20, desde construção e tela a conectividade e desempenho. Mas será que houve um aprimoramento significativo a ponto de fazer você trocar a geração de 2020? É isso que tentaremos responder mais nos próximos parágrafos. Novos Galaxy S21 são anunciados com visual renovado e sem carregador na caixa Samsung anuncia os novos Galaxy Buds Pro e o rastreador Galaxy SmartTag Antes de começarmos, vale deixar claro que ainda não tivemos a oportunidade de testar os novos Galaxy S21 a fundo, mas, à convite da Samsung, pudemos colocar as mãos nos aparelhos e experimentar seus principais recursos. Portanto, os próximos parágrafos são nossas primeiras impressões sobre os smartphones e suas diferenças com a linha S20. Construção e design Logo de cara, o que mais chama atenção no Galaxy S21 é o novo visual. A nova geração abandona a traseira lisa dos S20 e traz um acabamento fosco que agrada por não escorregar com muita facilidade nem acumular marcas de dedo. As versões S21+ e S21 Ultra mantêm a construção em vidro, mas o S21 padrão adota uma tampa traseira de plástico, o que teoricamente é um retrocesso em relação ao modelo anterior, embora na prática não deva fazer uma diferença tão grande na pegada devido ao visual fosco. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Novo visual dos novos Galaxy S21, S21+ e S21 Ultra (Imagem: Divulgação/Samsung) Outra mudança bastante positiva é o novo módulo de câmeras, que mantém o formato de peça de dominó do S20, mas agora está ligada à moldura metálica do aparelho, resultando em um design único. Todos os aparelhos são protegidos pela tecnologia Gorilla Glass Victus, que garante mais resistência a riscos e quedas quando comparado ao Gorilla Glass 6 do modelo do ano passado. Design da linha S20 (Imagem: Divulgação/Samsung) Aos poucos, a Samsung vem abandonando a curvatura da tela dos seus aparelhos e os novos Galaxy S21 e S21+ possuem um display totalmente plano, o que é uma mudança positiva porque diminui os toques acidentais. O S21 Ultra, por sua vez, mantém as bordas curvas, embora sejam levemente mais finas que as bordas presentes no S20 Ultra. Tela Há alterações significativas nas telas dos novos Galaxy S21: o S21 e o S21+ trazem um display com resolução Full HD, opção que a empresa não escolhia desde o lançamento do Galaxy S5. Muitas pessoas podem não se importar com a mudança, mas isso deve afetar a qualidade das imagens no geral, principalmente em vídeos no YouTube onde a maioria dos vídeos já se encontra com resoluções acima do Full HD. Galaxy S21 e S21+ têm tela Full HD+, enquanto o S21 Ultra traz display 2K (Imagem: Divulgação/Samsung) Outra novidade, agora bastante positiva, é a adição da taxa de atualização variável de 120 Hz nos três aparelhos. Isso significa que, diferentemente da geração anterior, os novos S20 serão capazes de alterar a frequência da tela entre 10 Hz e 120 Hz de acordo com o conteúdo exibido, por exemplo, ao navegar pelo sistema ou jogar títulos compatíveis. Essa solução também deve ajudar a consumir menos energia, já que o display não será usado na qualidade máxima quando não for necessário. Com relação aos tamanhos, o S21 e o S21+ mantêm as respectivas 6,2 polegadas e 6,7 polegadas dos modelos do ano passado, enquanto o S21 Ultra tem 0,1 polegada a menos em relação ao S20 Ultra, indo para 6,8 polegadas. Por falar na versão mais potente, ela oferece brilho máximo de 1.500 nits, além de resolução Quad HD+ (2K) e a mesma taxa de atualização variável dos irmãos menores. As versões menos potentes trazem brilho máximo de até 1.300 nits. Todos os modelos da geração anterior trazem tela 2K com 120 Hz (Imagem: Divulgação/Samsung) Câmeras Assim como o S20 e o S20+, a dupla mais básica deste ano possuem três câmeras na traseira, com principal de 12 MP, ultra grande-angular de 12 MP e uma teleobjetiva de 64 MP. Na versão Plus, no entanto, não há mais o sensor de profundidade que ajudava no famoso modo retrato. Já o S21 Utra traz algumas mudanças importantes no conjunto fotográfico em relação ao S20 Ultra: sai o sensor de profundidade e entra um sensor com foco a laser; a câmera principal mantém os 108 MP da geração passada, mas o sensor é o novo HM3 produzido pela própria Samsung; e agora há duas lentes teleobjetivas com 10 MP cada. A câmera ultra grande-angular, por outro lado, se mantém com 12 MP e ângulo de 120º. Câmeras do Galaxy S21 Ultra são as melhores já incluídas em um Galaxy (Imagem: Divulgação/Samsung) Além das mudanças na ficha técnica, os aparelhos ganharam uma série de recursos inéditos para as câmeras, cortesia da nova interface One UI 3.1. Uma delas é a Visão do Diretor, que permite ter uma visão única de todas as câmeras simultaneamente, deixando para o usuário a possibilidade de escolher o enquadramento que melhor se adapta a cada ocasião. Esse modo também realiza capturas com as câmeras traseira e frontal ao mesmo tempo, ideal para vídeos de reações, vlogs e afins. Introduzida na linha S20, a função Single Take foi atualizada e agora promete 5x mais capacidades de processamento para gerar fotos e vídeos prontos para postar nas redes sociais. Outra novidade que não tem na geração passada é o Minuaturas Ao Vivo, que permite visualizar a captura de cada lente e alternar entre elas com facilidade, mais um recurso que deve incrementar consideravelmente a forma como se captura imagens a partir de um dispositivo móvel. As duas câmeras teleobjetivas do S21 Ultra, aliadas a recursos de inteligência artificial aprimorados, agora são capazes de produzir imagens com zoom de até 100x com mais qualidade e estabilidade em relação ao S20 Ultra. O aparelho mais potente também grava vídeos em HDR a 12 bits, algo que somente os iPhone 12 traziam. Processador e memória Como acontece em todas as novas gerações da linha Galaxy S, há uma evolução nas plataformas móveis utilizadas nos novos Galaxy S21. Nos mercados norte-americano, sul-coreano e chinês, os celulares são equipados pelo Snapdragon 888 da Qualcomm, deixando as versões europeia e brasileiracom o Exynos 2100. Em ambas as soluções, a garantia é de desempenho ainda melhor e um consumo de energia otimizado. Novos Galaxy S21 são equipados com os poderosos Exynos 2100 e Snapdragon 888 (Imagem: Divulgação/Samsung) Os dois chips são fabricados no processo de 5 nanômetros e trazem oito núcleos de processamento liderados pelo poderoso Cortex-X1, da ARM. Ele trabalha com três núcleos Cortex-A78 voltados para tarefas de alto desempenho e outros quatro núcleos Cortex-A55 de alta eficiência. Segundo a Samsung, o Exynos 2100 é até 30% superior em desempenho e até 20% mais econômico do ponto de vista energético em relação ao problemático Exynos 990, que equipa os S20 e Note 20 brasileiros. Já o Snapdragon 888 promete até 25% mais rapidez em tarefas e 20% mais economia de energia que o Snapdragon 865. No entanto, como estamos falando de um topo de linha de apenas um ano de vida, a garantia é de que todos os S20 consigam realizar todas as tarefas disponíveis na Play Store por, no mínimo, mais dois anos. Com relação às opções de memória RAM e armazenamento, não houve muitas mudanças, com exceção da exclusão suporte ao cartão microSD. Tanto o S21 quanto o S21+ são equipados com 8 GB de memória RAM e variantes com 128 GB ou 256 GB de armazenamento interno. Já o S21 Ultra é comercializado com 12 GB ou 16 GB de RAM e três opções de memória: 128 GB, 256 GB ou 512 GB. Bateria O Galaxy S21 e o S21 Ultra são equipados com, respectivamente, 4.000 mAh e 5.000 mAh, as mesmas capacidades dos S20 e S20 Ultra. A versão Plus, por outro lado, traz um tanque de 4.800 mAh, 300 mAh a mais que o do S20+. Todos os aparelhos têm suporte a carregamento rápido de 25 W, mas o carregador não vem incluso na caixa. Software e recursos Os novos Galaxy S21 já saem de fábrica com o sistema operacional Android 11 rodando a inédita One UI 3.1. A nova interface da Samsung, no entanto, não difere muito da versão 3.0, que já começou a sair para os modelos do ano passado no começo deste ano. As principais novidades da nova personalização são focadas em câmeras e estabilidade. O leitor de impressões digitais dos smartphones continua sob as telas, mas a área do sensor é maior e o reconhecimento promete ser mais preciso. Uma grande — e bem-vinda — novidade é que, pela primeira vez, um celular da linha Galaxy S traz suporte à caneta S Pen (no caso o S21 Ultra), acessório até então exclusivo das linhas Galaxy Note e Galaxy Tab. Infelizmente, não conseguimos testar a caneta no S21 Ultra, mas a Samsung afirmou que ele suporta todas as gerações do acessório lançadas até agora, da primeira a mais recente. Pela primeira vez na linha Galaxy S há suporte à caneta S Pen (Imagem: Divulgação/Samsung) Outro ponto positivo é o suporte à rede 5G, cortesia dos processadores atualizados. Diferentemente dos S20, a nova geração já deve chegar ao mercado nacional suportando as novas redes, mesmo que a tecnologia ainda não esteja disponível por aqui. Galaxy S21 vs. Galaxy S20: vale a pena o upgrade? De fato, o Galaxy S21 representa uma evolução em quase todos os departamentos em relação ao modelo do ano passado, como construção mais bonita e resistente, desempenho aprimorado e recursos de câmeras muito interessantes. No entanto, vale considerar alguns pontos antes de pensar em trocar de geração: O Galaxy S20 começou a receber no começo deste ano o sistema operacional Android 11 e tem previsão de ganhar o Android 12 durante o segundo semestre de 2021, então os aparelhos do ano passado continuar sendo atualizados e recebendo novos recursos por mais de um ano, o que é excelente para um celular topo de linha mais antigo. Além disso, apesar de o Exynos 2100 ser até 30% superior em desempenho em relação ao Exynos 990, o processador de 2020 ainda dá conta de todas as tarefas disponíveis na Play Store. Outro ponto a se considerar é a resolução Full HD dos modelos S21 e S21+, enquanto os S20 e S20+ contam com painel 2K. Por fim, mas não menos importante: a falta do carregador e dos fones de ouvido na caixa. Vale a pena gastar mais para ter uma qualidade de tela inferior e precisar comprar um adaptador de energia separadamente, caso não tenha um em casa? Se a resposta for sim, pode ter certeza que os novos Galaxy S21 oferecerão desempenho de sobra, um visual único de recursos de câmera profissionais. Caso a resposta seja negativa, a linha S20 ainda deve, no mínimo, mais dois anos de ótima performance, câmeras competentes e uma qualidade de tela incomparável. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: O que sabemos sobre a nova variante do coronavírus descoberta em Manaus 5 doenças ainda sem cura encontrada pela ciência Lançamentos do Disney+ na semana (15/01/2021) 10 séries campeãs de audiência dos anos 1990-2010 para assistir no streaming Os lançamentos da Netflix em janeiro de 2021 Veja Mais

Caixa será novo gestor do seguro DPVAT, diz Susep

Valor Econômico - Finanças Passará a receber avisos de sinistros ocorridos a partir de 1º de janeiro de 2021; os que ocorreram antes seguem sob responsabilidade da Líder A Superintendência de Seguros Privados (Susep) informou neste sábado que a Caixa é o novo gestor do seguro DPVAT e passará a receber os avisos de sinistros ocorridos a partir de 1º de janeiro de 2021. Os sinistros que ocorreram até 31 de dezembro do ano passado, independentemente da data de aviso, permanecem sob responsabilidade da seguradora Líder. Segundo a Susep, a Caixa tem "reconhecida capacidade técnica e operacional" para assumir uma operação complexa como o DPVAT. "A solução construída pela Susep, Ministério da Economia e CNSP visa garantir o pagamento das indenizações previstas em lei para a população brasileira em 2021", disse o regulador em nota. O Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) já havia aprovado a indicação da Susep de prêmio zero para o DPVAT em 2021. Isso foi possível porque há um excedente de recursos, pago pelos proprietários de veículos no passado, em torno de R$ 4,3 bilhões. As mudanças ocorrem depois que as seguradoras que fazem parte do DPVAT decidiram pela dissolução do consórcio que administra o produto, no fim de novembro. Marcelo Camargo/Agência Brasil Veja Mais

Após determinação judicial, governo amazonense diz que oxigênio será enviado ao interior

Valor Econômico - Finanças Questionado sobre a determinação judicial para restabelecer o fornecimento de oxigênio no Hospital Regional José Mendes, no município de Itacoatiara, interior do Amazonas, o governo do Estado informou que ainda não foi notificado oficialmente sobre a decisão. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Como criar regras no Gmail para ações automáticas

canaltech O Gmail disponibiliza um recurso que permite criar ações automáticas a partir de regras determinadas pelo usuário. Dessa forma, ao receber um e-mail com uma palavra-chave ou contato específicos, a plataforma pode automaticamente executar funções. Como configurar uma conta Gmail no Outlook Como fazer login em mais de uma conta no Gmail Como enviar um email com cópia oculta A plataforma do Google já possui algumas regras pré-determinadas, como a distribuição de e-mail de diferentes domínios em campos de promoções ou redes sociais, mas é possível customizar ainda mais. Os comandos através de regras incluem encaminhar a mensagem, categorizá-la em uma seção, marcar como spam, entre outros. A criação de filtros só pode ser realizada na versão para navegadores. Para isso, existem duas maneiras: através da busca do Gmail ou por um e-mail específico. Veja como usar! -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Gmail: como criar regras para ações automáticas Pela ferramenta de pesquisa Passo 1: abra o Gmail e selecione o ícone de seta para baixo na barra de pesquisa; Use a seta da barra de pesquisa (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 2: um campo de pesquisa avançada será exibido. Preencha com informações que procura, como palavra-chave, assunto e remetentes; Campo de pesquisa avançada (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 3: após digitar os termos de pesquisa, clique em "Criar filtro"; Avance para a criação de filtro (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 4: em seguida, é hora de selecionar qual vai ser a função do filtro. Marque as caixas com as opções desejadas e clique em "Criar Filtro" para finalizar. O Gmail executará as ações marcadas para cada novo e-mail contendo os critérios da pesquisa. Escolha o tipo de ação que o Gmail precisa executar (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Através de um e-mail específico Passo 1: abra o corpo do e-mail e clique no ícone com três pontos; Abra as opções do corpo do e-mail (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 2: em seguida, selecione "Filtrar mensagens semelhantes"; Clique na opção de filtro (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 3: o Gmail abrirá, novamente, a caixa de pesquisa avançada. Insira mais critérios e selecione "Criar Filtro"; Continue para criar o filtro (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 4: escolha as funções de cada regra e clique em "Criar filtro" para salvar. Configure o filtro (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Você possui regras criadas no Gmail? Comente! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Signal vs Telegram: qual app de mensagens é mais seguro? Clássicos do cinema: 10 dos melhores filmes dos anos 1960 Galaxy S21 vs. Galaxy S20: o que muda entre as gerações? Motorola Capri passa na Anatel com bateria de 5.000 mAh e carregador na caixa 10 séries campeãs de audiência dos anos 1990-2010 para assistir no streaming Veja Mais

Twitter marca publicação de Carla Zambelli sobre Covid-19 como enganosa

O Tempo - Política Deputada federal compartilhou vídeo em que o jornalista Alexandre Garcia fala a respeito de estudo que teve como objeto o uso da cloroquina, que não tem eficácia comprovada contra a Covid-19 Veja Mais

Twitter faz alerta em post do Ministério da Saúde de informação enganosa

G1 Economia Em postagem, órgão pede que o tratamento precoce seja solicitado por quem apresentar sintomas da Covid-19. Pesquisadores de diferentes universidades e países comprovaram que não há prevenção com a ajuda de medicamentos. Twitter faz alerta de informação enganosa em postagem do Ministério da Saúde O Twitter colocou uma marca num post do Ministério da Saúde apontando que houve "a publicação de informações enganosas e potencialmente prejudiciais relacionadas à COVID-19". O tuíte do órgão pede que o tratamento precoce seja solicitado por quem apresentar sintomas da doença, o que não é endossado por especialistas. Marcação do Twitter em posto do ministério Reprodução/Twitter O "tratamento precoce", ou "Kit Covid", disponibilizado pelo Ministério da Saúde é uma combinação que inclui a hidroxicloroquina e a cloroquina, junto com outros fármacos. As substâncias inicialmente foram testadas em laboratório e, depois, em estudos clínicos, pesquisadores de diferentes universidades e países comprovaram que não há prevenção e/ou tratamento com a ajuda de medicamentos. "Todos os países com seriedade, que seguem a ciência, eles já compreenderam que esses medicamentos não são eficazes contra a Covid", disse Ethel Maciel, professora titular da Universidade Federal do Espírito Santo e pós-doutora em epidemiologia pela Universidade Johns Hopkins. "Se esses medicamentos tivessem qualquer comprovação científica, seria impossível que esses países, onde existem pesquisadores muito sérios e instituições muito respeitadas e competentes, não estivessem recomendando para a sua população", acrescentou. Pelo mesmo motivo, o Twitter já fez alertas na conta do presidente Jair Bolsonaro e nos perfis dos deputados federais Carla Zambelli e Daniel Silveira. Apesar da marcação, as publicações seguem visíveis. Esse tipo de medida do Twitter, no entanto, ajuda a restringir a circulação desse tipo de postagem. Twitter inclui alerta em postagem do Ministério da Saúde; Ana Flor comenta Posts apagados em 2020 O Twitter já agiu contra as postagens do presidente Jair Bolsonaro no ano passado. Em março, tuítes de Bolsonaro foram apagados também por violação de regras relacionadas a conteúdos que envolvam a pandemia. Na ocasião, foram tirados do ar posts que registravam um passeio de Bolsonaro em Brasília, que provocou aglomerações, e o posicionamento dele contra o isolamento social, defendido por autoridades de saúde do mundo inteiro. Nas regras sobre remoção de conteúdo que envolva desinformação sobre a Covid-19, em texto de julho passado, a rede social aponta o que leva em conta ao considerar essa medida. Podem ser alvos posts que: reflitam não uma opinião, mas algo apontado como fato, e, entre os exemplos, o Twitter cita postagens que abordem supostas medidas preventivas contra a doença, tratamentos ou curas; tenham sido apontados como falsos ou enganosos por especialistas no assunto, como autoridades de saúde pública; possam causar danos se as pessoas acreditarem nessa informação, da forma como ela foi apresentada, podendo levar a uma maior exposição ao vírus ou afetar a capacidade do sistema de saúde de lidar com a pandemia, por exemplo. A plataforma afirma ainda que, em vez de remover um post, poderá colocar um advertência no tuíte, nos casos em que o risco de dano seja menos grave, mas, ainda assim, possam confundir as pessoas. E que isso reduz a visibilidade da postagem. Initial plugin text Veja Mais

Depois de alerta em publicação de Bolsonaro, Twitter notifica post de Carla Zambelli e Daniel Silveira

G1 Economia Postagens dos deputados mencionam estudo que comprova a eficácia do tratamento precoce para evitar evolução da Covid-19. O Twitter colocou uma marcação em postagens antigas dos deputados federais Carla Zambelli (PSL-SP) e Daniel Silveira (PSL-RJ) por "publicação de informações enganosas e potencialmente prejudiciais relacionadas à COVID-19". Na sexta-feira (15), o Twitter fez o mesmo tipo de alerta em um post de Jair Bolsonaro. Todas as postagens mencionam um estudo que comprova a eficácia do tratamento precoce para evitar uma evolução da Covid-19. Apesar da marcação, as publicações seguem visíveis. Esse tipo de medida do Twitter, no entanto, ajuda a restringir a circulação desse tipo de postagem. Post de Carla Zambelli Reprodução/Twitter O "tratamento precoce", ou "Kit Covid", disponibilizado pelo Ministério da Saúde é uma combinação que inclui a hidroxicloroquina e a cloroquina, junto com outros fármacos. As substâncias inicialmente foram testadas em laboratório e, depois, em estudos clínicos, pesquisadores de diferentes universidades e países comprovaram que não há prevenção e/ou tratamento com a ajuda de medicamentos. "Todos os países com seriedade, que seguem a ciência, eles já compreenderam que esses medicamentos não são eficazes contra a Covid. Se esses medicamentos tivessem qualquer comprovação científica, seria impossível que esses países, onde existem pesquisadores muito sérios e instituições muito respeitadas e competentes, não estivessem recomendando para a sua população", disse Ethel Maciel, professora titular da Universidade Federal do Espírito Santo e pós-doutora em epidemiologia pela universidade Johns Hopkins. Post de Daniel Silveira Reprodução/Twitter Posts apagados em 2020 O Twitter já agiu contra as postagens do presidente Jair Bolsonaro no ano passado. Em março, tuítes de Bolsonaro foram apagados também por violação de regras relacionadas a conteúdos que envolvam a pandemia. Na ocasião, foram tirados do ar posts que registravam um passeio de Bolsonaro em Brasília, que provocou aglomerações, e o posicionamento dele contra o isolamento social, defendido por autoridades de saúde do mundo inteiro. Nas regras sobre remoção de conteúdo que envolva desinformação sobre a Covid-19, em texto de julho passado, a rede social aponta o que leva em conta ao considerar essa medida. Podem ser alvos posts que: reflitam não uma opinião, mas algo apontado como fato, e, entre os exemplos, o Twitter cita postagens que abordem supostas medidas preventivas contra a doença, tratamentos ou curas; tenham sido apontados como falsos ou enganosos por especialistas no assunto, como autoridades de saúde pública; possam causar danos se as pessoas acreditarem nessa informação, da forma como ela foi apresentada, podendo levar a uma maior exposição ao vírus ou afetar a capacidade do sistema de saúde de lidar com a pandemia, por exemplo. A plataforma afirma ainda que, em vez de remover um post, poderá colocar um advertência no tuíte, nos casos em que o risco de dano seja menos grave, mas, ainda assim, possam confundir as pessoas. E que isso reduz a visibilidade da postagem. Initial plugin text Veja Mais

#PorOndeAnda o elenco de Hannah Montana 10 anos após o fim da série?

#PorOndeAnda o elenco de Hannah Montana 10 anos após o fim da série?

Tecmundo Hannah Montana, série do Disney Channel, terminou há exatos 10 anos. Disponível no Disney+, a produção protagonizada por Miley Cyrus fez muito sucesso com o público e até hoje é celebrada pelos fãs, mas #PorOndeAnda o elenco de Hannah Montana?Vejamos agora:Leia mais... Veja Mais

Tribunal abre brecha para reduzir pena tricentenária de Sérgio Cabral

Valor Econômico - Finanças Ex-governador do Rio está preso preventivamente desde novembro de 2016. Em 2019, fechou acordo de delação com a Polícia Federal, sem pena ou regime de cumprimento estabelecidos Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

The Falconeer é um grande vazio em um lindo cenário

The Falconeer é um grande vazio em um lindo cenário

Tecmundo Fico imaginando a dificuldade de um desenvolvedor que resolve criar um jogo sozinho. Cuidar da arte, trilha sonora, game design, mecânicas, entre outros pontos. Penso que é uma tarefa para gênios e sabemos que eles são raros. Ao longo dos anos tivemos diversos casos de sucesso. Como esquecer do grande River Raid, feito pela Carol Shaw, para o Atari? E Spelunky, criado por Derek Yu e Stardew Valley, que esteve à cargo de Eric Barone?Leia mais... Veja Mais

Ministério da Saúde enviará 80 cilindros de oxigênio para Manaus

Valor Econômico - Finanças Carga ajudará a abastecer e reforçar com o gás as unidades de saúde da região amazonense, que vive um colapso por causa da pandemia Avião da Azul para transporte de oxigênio de Viracopos, em Campinas (SP) para Manaus Tony Winston/Ministério da Saúde O Ministério da Saúde informou que um avião vai transportar, neste sábado, 80 cilindros com oxigênio hospitalar para Manaus. A carga ajudará a abastecer e reforçar com o gás as unidades de saúde da região amazonense, que vive um colapso por causa da pandemia de covid-19. O transporte será feito pela mesma aeronave que buscará, ainda sem data definida, dois milhões de doses de vacinas contra a covid-19 em Mumbai, na Índia. O avião A330neo, da companhia Azul, que estava no pátio do aeroporto de Recife (PE) de onde iria para a Índia, seguiu às 23h desta sexta-feira para o aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), para ser carregado com os cilindros. Desde o fim do ano passado, o Amazonas vive um avanço nos números da doença e está com quase todos os leitos clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ocupados no Estado, tanto na rede pública quanto na privada. Além disso, por causa da alta demanda, a rede do Estado tem sofrido, principalmente nos últimos dias, um desabastecimento em larga escala de oxigênio hospitalar, insumo essencial para manter a respiração de pacientes internados com a covid-19 e outros problemas. O governo estadual já transferiu, até o momento, cerca de 230 pacientes para outros Estados. Recrutamento de profissionais Até o momento, segundo o Ministério da Saúde, foram recrutados 198 médicos, 562 enfermeiros, 1.212 técnicos de enfermagem, 313 fisioterapeutas e 263 farmacêuticos para atuar nos serviços da rede pública de Manaus. No total, o ministério informou ter contratado 30.196 profissionais para reforçar o atendimento. Na última quinta-feira, o governador do Amazonas, Wilson Lima, anunciou medidas mais drásticas para conter a disseminação da covid-19 no Estado, incluindo toque de recolher para a população, além do fechamento de uma série de atividades e comércio não essenciais. Veja Mais

Signal vs Telegram: qual app de mensagens é mais seguro?

canaltech Em meio à confusão causada pelas novas regras de privacidade do WhatsApp, apps rivais, como o Telegram e Signal, viram sua popularidade disparar ao redor do mundo, inclusive no Brasil. Mas qual aplicativo respeita mais as suas informações e qual é o mais seguro para usar? Vamos tentar responder estas e outras perguntas a seguir. Telegram e Signal superam WhatsApp na lista dos mais baixados também no Brasil Como usar o Signal, rival do WhatsApp Adeus ao WhatsApp? Veja dicas para escolher um novo mensageiro mais seguro Recursos Tanto o Signal quanto o Telegram oferecem os mesmos recursos básicos do WhatsApp, com direito a grupos, acesso pelo PC, envio de mensagens que somem automaticamente, anexos de fotos, vídeos, áudios, documentos, GIFs e figurinhas (stickers). A principal vantagem do WhatsApp em relação aos concorrentes é o recurso de chamadas em grupo, para voz e vídeo, ainda em desenvolvimento no Signal e no Telegram. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Fora isso, os rivais se destacam pela opção de acesso em tablets e a opção de personalizar o visual com temas personalizados. Para quem se importa, ambos possuem o código-fonte aberto, sob a licença GPL. Além disso, o Telegram tem a vantagem de oferecer canais, que funcionam como grandes comunidades com milhares de participantes. O aplicativo dá ainda maior liberdade para apagar mensagens e envios — opção que fica indisponível no WhatsApp após uma hora e no Signal, após três horas. Outro destaque do Telegram são os chats secretos, opção que bloqueia o encaminhamento e tenta alertar o usuário caso o destinatário tente capturar a tela. Apps oferecem recursos parecidos (Imagem: Rubens Eishima/Canaltech) O funcionamento do Telegram, que permite acessar a conta em diferentes dispositivos de maneira independente, complica a implementação do recurso de criptografia de ponta-a-ponta. A proteção contra curiosos está disponível apenas nos chats secretos e chamadas de áudio e vídeo, não valendo para mensagens comuns nem para canais. Privacidade Neste quesito — ponto chave na adoção dos apps alternativos — o WhatsApp perde de goleada, não à toa o Facebook protestou quando a Apple tornou obrigatório o sistema de selos na App Store para identificar a coleta de dados. Facebook Messenger é o mensageiro com menos privacidade da App Store, diz site WhatsApp acusa de anticompetitiva nova exigência de privacidade da Apple O novo sistema de informações da loja da Apple revela quais dados o aplicativo coleta sobre o usuário, com uma lista bem maior no WhatsApp do que nos rivais. O “Zap” justificou parte da enorme lista graças à integração de seus recursos a outros serviços do Facebook, mas mesmo assim a lista é capaz de intimidar qualquer usuário. O Telegram por sua vez coleta apenas o nome e número de telefone, a lista de contatos (para buscar conhecidos para a lista de conversas) e um identificador do usuário. No caso do Signal, nem isso, já que o número de telefone é utilizado, mas não para associar o usuário a um identificador único: Dados coletados pelo WhatsApp impressionam (Imagem: Reprodução/Apple) Segurança Neste ponto, o Signal justifica porque é o aplicativo recomendado pelo ativista Edward Snowden e pelo empresário Elon Musk: além da criptografia de ponta-a-ponta, o serviço permite criptografar todos os dados armazenados no celular. O recurso aproveita o bloqueio por senha do app, ferramenta disponível nos três aplicativos. Além disso, o Signal criptografa todos os metadados do usuário, incluindo a foto de perfil, grupos nos quais participa e outras informações pessoais, impedindo o acesso não apenas por parte de curiosos, como dos próprios responsáveis pelo Signal. O Telegram e WhatsApp oferecem, por sua vez, a opção de proteção da conta com autenticação em duas etapas (2FA), recurso não oferecido pelo Signal. Com a 2FA ativada, é preciso confirmar a identidade do usuário ao tentar ativar a conta em outro aparelho, dificultando a vida de curiosos mesmo em caso de clonagem do chip da operadora. Número de usuários O melhor serviço de mensagens não serve para muita coisa caso não tenha usuários. Nesse ponto, o WhatsApp ainda é líder absoluto, com mais de dois bilhões de utilizadores ao redor do mundo. Recentemente, o Telegram comemorou a marca de 500 milhões de usuários, em meio ao pânico causado pelas novas regras do “Zap”. Em contato com a reportagem, o Signal afirmou que não compartilha números públicamente, mas garante estar "quebrando todos os recordes que já estabelecemos”. No Brasil, o WhatsApp está presente em praticamente 100% dos celulares, enquanto o Telegram registrava presença em 35%, segundo números da pesquisa Panorama Mobile Time de agosto. A edição de dezembro da mesma pesquisa identificou que o líder do segmento está presente na tela inicial dos celulares de 56% dos brasileiros, contra 7% do Telegram. Em ambas as edições do estudo, o Signal não foi suficientemente mencionado. No final das contas, a principal barreira para a maior difusão do Signal e do Telegram é mesmo a popularidade do WhatsApp e a dificuldade de "converter" uma grande base de usuários. Mesmo assim, já vimos isso acontecer com serviços como ICQ, MSN Messenger ou ainda o Orkut. Será que o WhatsApp tem chance de perder o lugar como o app queridinho dos brasileiros? Deixe sua opinião no campo de comentários abaixo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: O que sabemos sobre a nova variante do coronavírus descoberta em Manaus 5 doenças ainda sem cura encontrada pela ciência Galaxy S21 vs. Galaxy S20: o que muda entre as gerações? Lançamentos do Disney+ na semana (15/01/2021) 10 séries campeãs de audiência dos anos 1990-2010 para assistir no streaming Veja Mais

China derrota Trump na guerra comercial

Valor Econômico - Finanças País já resistia às sobretaxas antes da pandemia; quando controlou vírus, demanda por equipamentos médicos e para trabalho remoto ampliou seu superávit com os EUA “Guerras comerciais são boas, e fáceis de vencer”, tuitou o presidente dos EUA, Donald Trump, quando começou a impor sobretaxas a cerca de US$ 360 bilhões em importações da China em 2018. Acontece que ele estava errado nas duas coisas. Antes mesmo de a pandemia de covid-19 provocar a maior recessão econômica desde a Grande Depressão, a China já resistia às sobretaxas de Trump. Assim que o país controlou o vírus, a demanda por equipamentos médicos e para o trabalho à distância aumentou seu superávit comercial com os EUA, apesar das tarifas. As tensões comerciais entre as duas maiores potências econômicas do mundo não começaram com Trump, mas ele ampliou a disputa com o uso sem precedentes de tarifas e sanções sobre empresas de tecnologia. Essa postura mais dura não gerou o resultado esperado por Trump. “A China é grande demais e importante demais para a economia mundial para você pensar que pode acabar com ela como se ela fosse uma boneca de papel”, diz Mary Lovely, professora de economia da Universidade de Syracuse. “O governo Trump foi alertado disso.” O déficit comercial dos EUA cresceu. Trump prometeu em 2016, ano em que foi eleito, “começar a reverter” muito rapidamente o déficit comercial dos EUA com a China, ignorando os economistas que minimizam a importância dos déficits bilaterais. Mas o déficit com a China aumentou desde então, atingindo US$ 287 bilhões nos 11 meses até novembro, segundo dados chineses. O déficit com a China caiu em 2019 ante o ano anterior, com as empresas americanas passando a importar de países como o Vietnã, mas continuou maior que o rombo de US$ 254 bilhões de 2016. Isso se deveu em parte porque a imposição por Pequim de tarifas retaliatórias sobre cerca de US$ 110 bilhões em produtos americanos reduziu suas importações dos EUA e essas só começaram a se recuperar nos últimos meses de 2020. Como parte da “fase um” do acordo comercial assinado há um ano, Pequim fez uma promessa ambiciosa de importar US$ 172 bilhões em mercadorias dos EUA em categorias específicas em 2020, mas até o fim de novembro havia comprado apenas 51% dessa meta. A queda nos preços da energia em meio à pandemia e os problemas com os aviões da Boeing contribuíram, em parte, para isso. Máquina exportadora da China segue firme A guerra comercial de Trump com a China coincidiu com outra expansão das exportações chinesas. Após caírem por dois anos seguidos em 2015 e 2016, os embarques totais da China cresceram em todos os anos do mandado de Trump, incluindo 2019, quando as exportações para os EUA caíram. Um grupo de dez países do Sudeste Asiático substituiu os EUA como segundo maior parceiro comercial da China em 2019. Projeções mostram que as economias do Sudeste da Ásia deverão crescer mais que as economias desenvolvidas na próxima década. Esses laços comerciais serão ainda mais fortalecidos pela Parceria Econômica Regional Abrangente, firmada no fim do ano passado e pela qual 15 economias regionais gradualmente irão eliminar algumas tarifas sobre produtos umas das outras. Companhias dos EUA na China Trump disse que as tarifas encorajariam as empresas americanas a trazerem suas produções de volta para casa e num tuíte de 2019 ele “ordenou” a elas que começassem a “buscar imediatamente uma alternativa à China”. Mas há poucas evidências de que tal mudança esteja ocorrendo. Os investimentos diretos dos EUA na China cresceram de US$ 12,9 bilhões em 2016 para US$ 13,3 bilhões em 2019, segundo dados do Rhodium Group. Arte/Valor Mais de três quartos dos mais de 200 fabricantes americanos de Xangai e arredores consultados em setembro disseram que não pretendem tirar suas unidades de produção da China. As empresas americanas citam o rápido crescimento do mercado consumidor chinês, combinado com a grande capacidade de produção, como motivos para expandir sua presença no mercado chinês. Perdas econômicas nos dois lados Trump afirma que as tarifas estimularam a economia dos EUA, ao mesmo tempo que levaram a China a ter em 2019 “seu pior ano em mais de 50 anos”. Mas os impactos econômicos diretos foram pequenos em relação ao tamanho das economias dos dois países, uma vez que o valor das exportações entre eles é pequeno em relação ao PIB. A China cresceu 6% ou mais em 2018 e 2019, com as tarifas custando ao país cerca de 0,3% do PIB nesses anos, segundo Yang Zhou, economista da Universidade de Minnesota. Ela estima que a guerra comercial custou aos EUA 0,08% do PIB no mesmo período. Quem saiu ganhando com essa disputa foi o Vietnã, que ganhou quase 0,2 pontos percentuais a mais no PIB, ao atrair empresas para seu território. Consumidor dos EUA paga a conta Trump afirmou várias vezes que a China estava pagando pelas tarifas. Mas economistas que analisaram os números ficaram surpresos ao constatar que no geral os exportadores chineses não reduziram os preços para manter seus produtos competitivos com as novas tarifas. Isso significa que as tarifas dos EUA foram pagas por empresas e consumidores americanos. As tarifas levaram a uma perda de renda anual aos consumidores americanos de US$ 16,8 bilhões em 2018, segundo o National Bureau of Economic Research. Outro gol contra: as tarifas retaliatórias da China reduziram as exportações americanas. Isso porque cadeias de fornecimento globalizadas significam que a produção industrial é dividida entre os países, e os EUA aumentaram os custos de seus próprios produtos ao impor sobretaxas às importações de componentes chineses. Empresas que juntas respondem por 80% das exportações dos EUA tiveram de pagar preços mais altos pelas importações chinesas, reduzindo o crescimento das exportações, segundo análises de dados confidenciais das empresas feitas pelo National Bureau of Economic Research, Census Bureau e o Federal Reserve (Fed, o banco central americano). Cinturão da Ferrugem segue enferrujado Durante a campanha de 2016, Trump prometeu de revitalizar a economias dos nove Estados que compõem o chamado Cinturão da Ferrugem, enfrentando a China e trazendo empregos de volta para casa. Isso não aconteceu. O crescimento do nível de emprego no setor industrial dos EUA ficou estagnado em 2019, em parte devido à queda das exportações. Mesmo as regiões que abrigam setores como o siderúrgico, que recebeu proteção explícita das tarifas de Trump, registraram quedas no nível de emprego, segundo pesquisa do economista Michael Waugh da Stern School of Business da Universidade de Nova York. Isso sugere que a guerra comercial não alterou a tendência da produção industrial dos EUA. A China mudou em seu próprio ritmo O governo Trump afirma que as tarifas proporcionavam vantagem sobre os chineses, que os forçaria a promover reformas em benefício das empresas americanas. A maior vitória reivindicada pelo governo Trump como parte de seu acordo comercial foram as promessas de Pequim de fortalecer as proteções à propriedade intelectual. Mas provavelmente isso foi feito dentro dos interesses da China. Mark Cohen, especialista em legislação chinesa da Universidade Fordham de Nova York, disse que nos últimos dois anos Pequim fez “grandes mudanças legislativas” para reforçar a proteção à propriedade intelectual, mas mais por interesse próprio do que por pressão dos EUA. O acordo não “pressionou por reformas estruturais na China que teriam tornado seu sistema mais compatível com a maior parte do mundo”, disse. As companhias chinesas pagaram um valor recorde de US$ 7,9 bilhões direitos de propriedade intelectual aos EUA em 2019, em comparação a US$ 6,6 bilhões em 2016, e seus tribunais impuseram multas recorde sobre violações de propriedade intelectual de empresas americanas. Mas esse aumento foi menor que o de seus pagamentos de propriedade intelectual para o mundo todo, segundo dados do Banco Mundial, mostrando que os pagamentos feitos aos EUA foram parte de uma tendência geral. Washington também não conseguiu extrair nenhum compromisso significativo sobre reformas das empresas estatais chinesas, que também foram citados como justificativa para as tarifas. De guerra comercial a guerra tecnológica Caberá agora ao presidente eleito Joe Biden decidir ou não pela continuidade da guerra comercial. Numa entrevista recente, ele disse que não removerá as tarifas imediatamente e que em vez disso vai analisar a “fase um” do acordo comercial. Mas o que mais preocupa a China é o risco de uma escalada no conflito sobre tecnologia. As sanções a restrições às exportações impostas por Washington ameaçaram a viabilidade de grandes empresas de tecnologia como a Huawei Technologies e a fabricante de microchips Semiconductor Manufacturing International Corp (SMIC). Esta é uma ameaça existencial aos planos de Pequim para seu crescimento econômico. Até agora, o impacto das sanções americanas foi o de acelerar o esforço de Pequim em busca da autossuficiência tecnológica. A questão ganhou destaque na agenda do Partido Comunista chinês, como revela a declaração de dezembro de que “a força estratégica científica e tecnológica” é a missão econômica mais importante. Veja Mais

Presidente é reeleito para sexto mandato em Uganda, sob denúncias de fraude

O Tempo - Mundo Eleição aconteceu após uma campanha violenta, cheia de casos de assédio e prisão de membros da oposição, ataques contra a imprensa e a morte de, pelo menos, 54 pessoas Veja Mais

Vencedor do 'Big Brother' britânico é preso por divulgar vídeo íntimo com ex

O Tempo - Diversão - Magazine Georgia Harrison, que já participou de outro reality show, denunciou ter sido filmada em momentos íntimos por câmeras secretas que Stephen Bear instalou em sua casa Veja Mais

MCU: quais filmes e séries fazem parte da Fase 4 da Marvel

MCU: quais filmes e séries fazem parte da Fase 4 da Marvel

Tecmundo Depois de mais de 1 ano de espera, a Fase 4 do MCU finalmente terá início — e não será no cinema. O futuro da Marvel começará no Disney+ com a série WandaVision, que chega ao catálogo nesta sexta-feira (15). Depois disso, serão pelo menos mais 22 produções (algumas ainda sem data) que servirão para responder às perguntas que ficaram no encerramento da Fase 3 e trilhar o caminho da Fase 4.Quer saber quais são os próximos lançamentos? Apresentamos tudo o que já sabemos sobre o futuro do MCU.Leia mais... Veja Mais

Argentina registra primeiro caso de infecção pela variante britânica do vírus

O Tempo - Mundo Infectado é argentino residente no Reino Unido, que chegou assintomático no país vizinho em dezembro Veja Mais

Total cancela filiação ao American Petroleum Institute, grupo de lobby nos EUA

Valor Econômico - Finanças Francesa citou como justificativa a posição do instituto sobre as mudanças climáticas e seu apoio a políticos que se opuseram ao Acordo de Paris A empresa de energia francesa Total se tornou a primeira das grandes companhias de petróleo a cancelar sua filiação ao American Petroleum Institute (API), o poderoso grupo de lobby das gigantes petrolíferas em Washington, e citou como justificativa a posição do instituto sobre as mudanças climáticas e seu apoio a políticos que se opuseram ao Acordo de Paris, que prevê a redução de emissões de gases que provocam efeito estufa. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Apoiadores de Bolsonaro convocam caravanas a favor de Lira e voto impresso

Valor Econômico - Finanças Integrantes de movimentos de direita pedem eleição do deputado do PP à presidência da Câmara e tentam sensibilizá-lo para que discuta o sistema eleitoral Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) inicialmente unidos para levantar bandeiras de direita e a favor do voto impresso decidiram ampliar a pauta de reivindicações e agora pedem a eleição de Arthur Lira (PP-AL) à presidência da Câmara dos Deputados. Espalhados pelo Brasil, diversos integrantes de movimentos de direita se preparam para fazer caravanas em direção a Brasília no dia 1º de fevereiro para apoiar o candidato de Bolsonaro e já tentar sensibilizá-lo para que discuta o sistema eleitoral. Apontado como organizador dos atos, o pastor evangélico Marlan Gustavo diz que há caravanas de 25 cidades programadas para ir à capital federal na data da eleição no Congresso. A previsão dele é que mais de 2.000 pessoas viajem a Brasília. Os atos, afirma, são "pacíficos e superpatrióticos". "A gente quer a eleição do Lira porque não é o presidente da Câmara que pauta os assuntos? Então, não adianta nada o Brasil querer o voto impresso e ter um presidente que não paute o assunto. E a gente tem só um ano para isso", diz Marlan, que é coordenador do movimento Deus, Pátria e Família. Segundo ele, o deputado do PP já se mostrou simpático ao voto impresso. "A gente quer o Lira porque ele já falou do voto impresso, saiu na frente, a gente gosta dele", diz. Em declarações públicas, o líder do centrão disse que pautaria o assunto caso houvesse manifestação da maioria dos líderes da Câmara, mas afirmou confiar no sistema atual, que evitaria fraudes. Apesar disso, Lira é a favor de que a Justiça Eleitoral faça um piloto em um local específico para avaliar as vantagens e desvantagens de um novo sistema. O presidente Jair Bolsonaro e o deputado Arthur Lira em vídeo Reprodução O movimento que apoia o parlamentar defende que o futuro presidente da Câmara paute uma proposta de emenda à Constituição (PEC) apresentada pela deputada Bia Kicis (PSL-DF) que trata do assunto. "A gente entende com tudo que aconteceu no Brasil que precisamos ter um voto impresso. Está tudo muito solto. Nosso sistema eleitoral está na nuvem, você não tem nenhum tipo de comprovante." Para Marlan, não há problema que o deputado seja líder de um grupo de partidos que já foi criticado pelo próprio Bolsonaro sob o argumento de ser adepto a fisiologismos e políticas de toma lá da cá. "O que é centrão? O que é esquerda? O que é direita? Tá tudo misturado, uma confusão maluca", afirma o pastor. Na avaliação de Marlan, o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), "paralisou o país". Já Lira é "simpático a Bolsonaro" enquanto o outro candidato, Baleia Rossi (MDB-SP), teria se comprometido a abrir processos de impeachment contra o chefe do Executivo, o que o emedebista já negou publicamente. O grupo é o mesmo que organizou um ato no último dia 6 de dezembro a favor do voto impresso. Kicis e o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) participaram do protesto, que reuniu cerca de 100 pessoas na Esplanada dos Ministérios. Marlan afirma, porém, que as viagens não são bancadas por parlamentares e que o organização do movimento é dele junto a apoiadores pelo país. Embora seja pastor, ele preferiu não revelar a qual igreja está vinculado. Panfletos que têm circulado em grupos de redes sociais convocam para viagens no dia 31 de janeiro com volta programada no dia 2. Os valores das caravanas variam de R$ 200 a R$ 380. Semelhantes, alguns flyers têm frases como "O dia mais importante para o Brasil. 1º de fevereiro vamos exigir Arthur Lira para presidente da Câmara dos Deputados". Em outros está escrito "O dia mais importante para o Brasil. 1º de fevereiro vamos exigir nossa vontade na votação para presidente da Câmara dos Deputados". Apesar de os grupos concordarem com a eleição de Lira na Câmara, o mesmo não ocorre com a disputa no Senado. "Para senador estamos indefinidos. Aqui em Minas a gente não gosta do [Rodrigo] Pacheco (DEM-MG) [candidato apoiado por Bolsonaro]. Ele se aliou ao Kalil [prefeito de Belo Horizonte], que é contra o Bolsonaro e o Zema [governador]", diz José Antônio, que organiza o movimento em Belo Horizonte. "Aqui em BH, somos 22 movimentos de direita. Segunda-feira a gente vai fazer manifestação contra o lockdown do Kalil", conta. Segundo ele, a ideia é sair de Minas com 40 caravanas rumo a Brasília. "A ideia é ter muita gente lá no dia, para mais de 100 mil", afirma. Alguns panfletos contêm o nome de partidos, como o Republicanos. Um deles é referente ao Rio de Janeiro. O organizador das caravanas cariocas, Joel Machado, no entanto, nega que o ato tenha relação com a direção da sigla. "Sou um membro do partido e estou convocando quem se identifica com o Republicanos e a pauta para que façam parte", diz. Machado já foi candidato no Rio pelo Republicanos. A caravana do Rio Grande do Sul também é organizada pelo movimento de direita Deus, Pátria e Família, que promoveu no ano passado a Marcha Cristã em Brasília. O ativista Marcelo Buhler, organizador da caravana, disse que o movimento é espontâneo e não tem o financiamento de políticos. "Nenhuma caravana é bancada por nenhum político. Nós acreditamos que, mostrando para os deputados e senadores que estamos ao lado do presidente Jair Bolsonaro, em um número importante de manifestantes, talvez consigamos virar dois, três ou quatro votos", disse. 16/01/2021 12:20:05 Veja Mais

Benjamin de Rothschild morre aos 57 anos

Valor Econômico - Finanças O empresário cuidou do império bancário iniciado por seu pai em 1953 Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Afinal, o que muda com as novas regras impostas pelo WhatsApp?

Afinal, o que muda com as novas regras impostas pelo WhatsApp?

Tecmundo Muito se tem falado quanto às mudanças que estão por acontecer nas regras de privacidade e compartilhamento do WhatsApp. Mas afinal, você sabe o que efetivamente muda?Primeiro, é importante esclarecer que, de acordo com a empresa de aplicativo de troca de mensagens, as novas regras irão afetar "apenas as mensagens enviadas para contas empresariais no WhatsApp". Ou seja, as informações enviadas entre contas não corporativas não teriam qualquer mudança.Leia mais... Veja Mais

Brasil é um dos maiores produtores de energia renovável do mundo

G1 Economia Tem o biodiesel extraído da soja, o etanol da cana e agora também do milho. Brasil é um dos maiores produtores de energia renovável do mundo O Brasil é um dos maiores produtores de energia renovável do mundo. Tem o biodiesel extraído da soja. O etanol da cana e agora também do milho. A eletricidade produzida pela queima do bagaço da cana nas caldeiras das usinas de açúcar e álcool. Série do G1 mostra a origem dos alimentos consumidos no país Nas granjas de suínos, o biogás movimenta geradores que abastecem a rede elétrica. Nossa natureza ainda gera energia da água, do sol e do vento. As fontes renováveis já fornecem quase metade do consumo do país. Energia renovável polui menos e se torna cada vez mais lucrativa. Energia renovável é Agro! VÍDEOS: veja mais sobre a indústria-riqueza do Brasil Veja Mais

Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (16/01/2021)

canaltech Sem muitas grandes estreias do ano nas plataformas de streaming e por demanda (VOD), a nossa lista de melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online desta semana traz obras para exercitar os neurônios, alguns títulos diferentes e que fogem um pouco daquela busca desesperada por entretenimento, o que costuma nos levar a assistir qualquer coisa que pareça minimamente interessante. Mas não apenas de cults vive a nossa lista, que traz ainda um dos lançamentos mais aguardados de janeiro: a primeira das aguardadas séries Marvel que farão parte da Fase 4 do universo cinematográfico que acompanhamos. A lista abaixo tem alguns filmes "menores" que podem ter passado despercebidos, mas que não merecem ser esquecidos; grandes títulos de diretores mais cultuados pelos cinéfilos, um pouquinho de terror, uma boa dose de história e uma pitada de romance. No topo, temos títulos para não deixar para depois: um longa inédito sobre um encontro que marcou a história, o documentário escolhido para representar o Brasil no próximo Oscar e duas séries cujas estreias de suas temporadas eram bastante aguardadas. Ficou curioso para saber que filmes e séries são esses? Então dá uma olhada nas nossas dicas do que assistir online neste final de semana. Para facilitar ainda mais a sua vida, o Canaltech sempre acrescenta trailer e uma pequena descrição de cada produção, além de incluir os links para os serviços em que elas estão disponíveis, assim o seu trabalho é basicamente apenas apertar o play. Veja quais te agradam, prepare a sala, reúna toda a família e divirta-se! -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Os lançamentos da Netflix em janeiro de 2021 Os lançamentos do Amazon Prime Video em janeiro de 2021 Os lançamentos do Disney+ em janeiro de 2021 Amor Bandido   Escrito e dirigido por Jeff Nichols, de O Abrigo, Amor Bandido chama a atenção pelo elenco recheado de nomes incríveis: Matthew McConaughey (Clube de Compras Dallas), Sam Shepard (Falcão Negro em Perigo), Michael Shannon (A Forma da Água), Sarah Paulson (American Horror Story e Vidro), Reese Witherspoon (Legalmente Loira) e um jovem Tye Sheridan (Jogador Nº 1). Ufa! Se um elenco como esse não é o suficiente para despertar o seu desejo por Amor Bandido, vale dizer que o título também é um ótimo indicativo do tipo de romance que você verá nesse filme, que nem sequer é do gênero dos amores, mas é classificado apenas como um drama. Na trama, dois meninos encontram um fugitivo e fazem um pacto para ajudá-lo a escapar dos vigilantes que estão em seu encalço e impedindo que ele se encontre com seu grande amor. Amor Bandido está nos catálogos do Amazon Prime Video, do HBO Go e do Globoplay. Leia também: 10 filmes independentes que você precisa assistir Além da Netflix | 10 serviços de streaming diferentes para você conhecer 10 filmes premiados para assistir no Amazon Prime Video Histórias Assustadoras Para Contar no Escuro   O título desse terror parece infantil e tem motivo para isso: não muito conhecida dos brasileiros, a série de livros de Alvin Schwartz assombrou toda uma geração de crianças estadunidenses. Embora tenha muito mais a cara de algo infantojuvenil, as histórias são classificadas como infantis e as ilustrações certamente renderam “bons” pesadelos para os leitores que, só recentemente, puderam ver a versão cinematográfica das bizarras e maravilhosas ilustrações de Stephen Gammell (vale dar uma pesquisada, inclusive, para conferir o quão fiel ficou a adaptação da aparência dos personagens). Com um gostinho de terror e aventura dos anos 1980, Histórias Assustadoras Para Contar no Escuro consegue entreter com seus personagens e até causar algumas risadas; mas também é capaz de assustar até o adulto mais cético, já que as criaturas estão incríveis por não serem apenas de CGI, mas sim pessoas maquiadas: a preferência por efeitos práticos ao invés de apenas digitais certamente tem o apoio de Guillermo del Toro (A Forma da Água), que está na produção de Histórias Assustadoras Para Contar no Escuro. E para quem duvidar que o Jangly Man também é interpretado por um ator, vale a pena conferir o trabalho de Troy James, que você provavelmente também já viu em outros filmes e nem sabia. Histórias Assustadoras Para Contar no Escuro pode ser assistido pelos streamers do Amazon Prime Video e do HBO Go, além de estar disponível para aluguel ou compra na Play Store e na iTunes. Leia também: Crítica | Histórias Assustadoras para Contar no Escuro Os 10 melhores filmes de terror para ver no Amazon Prime Video Os 5 piores filmes de terror que você precisa assistir Ruby Sparks - A Namorada Perfeita   Não se deixe iludir pelo título. Ou deixe. Tanto faz. Escrito por Zoe Kazan, que também interpreta Ruby Sparks, essa comédia romântica surpreende pelas deliciosas doses de fantasia que encontra pelo caminho. Esse não é um romance normal, que segue aquele mesmo desenvolvimento da maioria das atrações do gênero. Aqui, um jovem escritor, frustrado com o tradicional bloqueio, cria uma personagem que seria capaz de amá-lo. O que ele não imaginava é que um dia ela iria se materializar e, bom, prepare-se para o drama. Ruby Sparks - A Namorada Perfeita conta ainda com sempre incrível Paul Dano no elenco, o que ajuda a mudar bastante a atmosfera do filme. Esse é um romance para quem quer fugir do óbvio e ainda é daqueles indies bonitinhos que ajudam a aquecer o coração (mas não sem antes nos dar umas boas bofetadas na nossa cara). Na direção, Jonathan Dayton e Valerie Faris, os responsáveis pelo maravilhoso Pequena Miss Sunshine. Ruby Sparks - A Namorada Perfeita está disponível para streaming no NOW e para aluguel no Claro Video e no Looke, além de estar disponível para aluguel ou compra na Play Store e na Microsoft Store. Leia também: As 10 melhores comédias românticas disponíveis na Netflix Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Acossado   Longa francês dos anos 1960, Acossado pode ser um desafio para quem não está acostumado com filmes dessa época, mas, na pior das hipóteses, você vai poder dizer que viu um título de Jean-Luc Godard, um dos mais cultuados diretores de todos os tempos. Assim, esta é a opção super cult da lista, bem longe dos “tiro, porrada e bomba” que estamos acostumados a ver no cinema contemporâneo. Considerado por muitos o melhor filme do Godard, Acossado ainda tem mais dois gigantes envolvidos no roteiro: Claude Chabrol e François Truffaut. A trama de crime e drama acompanha um pequeno ladrão que rouba um carro e acaba assassinando um policial por impulso. Enquanto é procurado, ele tenta convencer uma estudante a fugir com ele para a Itália. Acossado pode ser comprado ou alugado na iTunes e na Microsoft Store. Leia também: Clássicos do cinema: 10 dos melhores filmes dos anos 1950 10 filmes clássicos imperdíveis para assistir online Os filmes mais esperados para 2021 Varda por Agnés   Uma das maiores documentaristas de todos os tempos, Agnès Varda nos deixou em 2019, mas não sem antes fazer um documentário sobre a própria obra, um verdadeiro presente para os fãs e para quem ainda está por descobrir o trabalho dessa grande artista. Varda por Agnés é uma minissérie em dois episódios, na qual Varda percorre sua carreira ao longo de 64 anos, uma autobiografia sobre suas três vidas: como fotógrafa, como cineasta e como artista. Ignorado pelas grandes premiações, Varda por Agnés foi considerado por muitos o melhor documentário de 2019, o que também é um título delegado à próxima indicação da nossa lista. Mesmo que você não conheça Varda, vale a pena conhecer a obra dela, já que a artista é uma das melhores contadoras de histórias que a humanidade já viu passar pela terra. E isso não é coisa pouca. Varda por Agnés pode está disponível para os streamers do Telecine Play e do NOW, além de poder ser comprado ou alugado na iTunes. Na Play Store, o título está disponível apenas para compra. Leia também: 15 filmes dirigidos por mulheres que você precisa assistir 8 filmes com mulheres que não têm medo de nada As 10 mulheres mais poderosas da ficção Chernobyl   Impactante e incisivo, Chernobyl foi um dos títulos mais comentados de 2019, mas acabou não sendo visto por muitas pessoas, porque estava apenas em um streaming, o que torna sua entrada em outro catálogo algo realmente digno de nota, já que muitos outros espectadores poderão assistir a essa história que foi incrivelmente premiada em festivais como Globo de Ouro, Emmy e BAFTA. A série não esconde o tema: em abril de 1986, uma explosão na usina nuclear de Chernobyl se tornou uma das piores e mais conhecidas catástrofes provocadas pelo homem. O local, que hoje é visto como uma cidade fantasma, esconde diversos relatos que são revelados pelo documentário em um formato que deixou muita gente de cabelo em pé. Chernobyl agora pode ser assistido pelos assinantes do HBO Go e do NOW. Leia também: Os 10 melhores documentários disponíveis na Netflix 10 documentários incríveis sobre o meio ambiente e aquecimento global 15 filmes, documentários e séries para assistir no Disney+ Babenco - Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou   Todo ano o Brasil escolhe um filme que irá concorrer a uma das cinco vagas na categoria de Melhor Filme Internacional. Em 2020, o escolhido para o Oscar 2021 foi Babenco - Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou, a primeira vez que o nosso país envia um documentário. Dirigido por Bárbara Paz, que foi casada com Babenco desde 2010 até o seu falecimento em 2016, o documentário acompanha a trajetória do cineasta através de relatos sobre suas “memórias, amores, reflexões, intelectualidade e a frágil condição de saúde de Babenco”, revelando como o cinema o manteve vivo por tantos anos. Babenco - Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou está no catálogo do NOW, mas pode também ser comprado ou alugado na Play Store, na Microsoft Store e no Looke. Leia também: 5 documentários brasileiros imperdíveis para assistir na Netflix Os 10 melhores filmes brasileiros da década 5 melhores filmes para assistir no Dia do Documentário Brasileiro Uma Noite em Miami...   Uma das principais estreias de janeiro é a chegada do filme Uma Noite em Miami…, que relata, através da ficção, o marcante encontro histórico de quatro personalidades: o pugilista Muhammad Ali, o ativista Malcolm X, o cantor Sam Cooke e o jogador de futebol americano Jim Brown. Só a reunião dessas personalidades em uma única história compartilhada já é motivo suficiente para muita gente estar aguardando esse filme, mas vamos além. Uma Noite em Miami… tem direção de Regina King, mais conhecida por ter interpretado a cantora Margie Hendricks em Ray, e roteiro de Kemp Powers, roteirista do excelente último filme da Disney/Pixar, Soul. Ficou ainda mais interessante, não? O encontro retratado no longa não foi casual: em Uma Noite em Miami…, os quatro ícones se reunem justamente para discutir seus papéis enquanto representantes influentes da luta pelos direitos civis e da cultura que estava surgindo nos anos 1960. Uma Noite em Miami… estreou com exclusividade no Amazon Prime Video. Leia também: 10 filmes importantes para refletir sobre racismo e Consciência Negra 15 séries com protagonismo negro para assistir no streaming Judas e o Messias Negro | Filme sobre Fred Hampton ganha trailer American Gods — 3ª Temporada   American Gods ou Deuses Americanos estreou o primeiro de 10 episódios que serão lançados semanalmente na plataforma de streaming e no canal norte-americano Starz!. O primeiro episódio, intitulado A Winter's Tale, mostra um encontro entre Shadow e o deus Wisakedjak, o que deixa o personagem interpretado por Ricky Whittle com uma profecia sobre seu destino. Inicialmente, a série foi bastante comentada por ser uma adaptação de um livro do cultuado Neil Gaiman, mas com o tempo acabou perdendo alguns atores e sofreu mudanças de showrunners. Ainda assim, a série tem seguido fiel ao livro e, agora, investe em personagens da cultura iorubá, com aparição inclusive de orixás. Uma representatividade que vale a pena conferir. As três temporadas de Deuses Americanos estão no catálogo do Amazon Prime Video. Leia também: Crítica | American Gods ainda é uma das produções mais belas e necessárias da TV As 6 melhores séries britânicas para assistir no Amazon Prime Video Novo no Prime Video? Confira 10 séries da Amazon que você precisa assistir WandaVision   Começou a Fase 4 da Marvel! Depois de um 2020 repleto de adiamentos e reagendamentos de estreias, WandaVision é a primeira produção Marvel de 2021 e provavelmente o título mais aguardado de janeiro. Infelizmente, não vai ser possível maratonar, já que apenas os dois primeiros episódios foram liberados no dia 15, com os demais a caminho semanalmente, toda sexta-feira. Leia também: Crítica | WandaVision começa estranhamente divertida e empolgante WandaVision | Primeiras impressões revelam trama "surpreendente e esquisita" WandaVision | Tudo o que você não percebeu no 1º trailer da nova série da Marvel A série tem sido bastante bem recebida pelo público e pela crítica, e faz uma combinação de gêneros televisivos para contar a história do casal Wanda Maximoff (Elizabeth Olsen) e Visão (Paul Bettany). Ambos parecem estar vivendo uma perfeita vida suburbana até que tudo começa a se mostrar não tão perfeito. Pouco foi divulgado sobre o destino dos personagens na série, o que aumenta ainda mais a curiosidade pelos futuros episódios. WandaVision estreou com exclusividade no Disney+. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Signal vs Telegram: qual app de mensagens é mais seguro? Clássicos do cinema: 10 dos melhores filmes dos anos 1960 Galaxy S21 vs. Galaxy S20: o que muda entre as gerações? Motorola Capri passa na Anatel com bateria de 5.000 mAh e carregador na caixa 10 séries campeãs de audiência dos anos 1990-2010 para assistir no streaming Veja Mais

Justiça determina que governo envie oxigênio para interior do Amazonas

Valor Econômico - Finanças Governo disse que ainda não foi notificado, mas que o oxigênio será distribuído Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Samsung anuncia novo sensor de câmera de 108 megapixels

canaltech Um dos anúncios paralelos à linha Galaxy S21, feito durante o evento Galaxy Unpacked 202, foi o Isocell HM3. O sensor fotográfico criado pela Samsung Semiconductors é a nova geração do componente de 108 megapixels da fabricante, com a promessa de mais qualidade de imagem para fotos e vídeos. Novos Galaxy S21 são anunciados com visual renovado e sem carregador na caixa O campeão voltou | Título de melhor câmera de celular troca de mãos novamente Xiaomi lança o Mi 10 Ultra com a melhor câmera já vista em um celular Apesar de trazer a mesma resolução inaugurada pela Samsung em 2019, o novo Isocell traz melhorias, como um sistema mais rápido de foco automático. Segundo a fabricante, o componente consegue acompanhar melhor objetos em movimento, além de oferecer um melhor desempenho em ambientes com pouca luz. Outro destaque do Isocell HM3 é uma maior sensibilidade à luz, com um aumento na casa dos 50%. Além disso, o sensor inclui um recurso que captura simultaneamente a mesma cena com sensibilidade (ISO) alta e baixa, combinando as informações em uma imagem final com uma gama maior de brilho. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Combinação de captura promete maior definição de cores (Imagem: divulgação/Samsung) Como o nome já indica, o Isocell HM3 traz o sistema de células isoladas da fabricante, que melhoram a captura de luz pelos pontos no sensor e permitem resoluções maiores. Além disso, o HM3 mantém a opção de combinar as informações registradas por nove pontos diferentes em um único pixel — técnica batizada de Nonacell — aumentando a sensibilidade em fotos tiradas com pouca luz. Neste caso, o resultado é uma imagem de 12 megapixels. Cada ponto do sensor Isocell HM3 mede 0,8 micrômetros (μm), ou seja, são levemente maiores do que os pixels de 0,7 μm do modelo HM2, anunciado em setembro. O resultado, além da maior sensibilidade à luz, é um componente que ocupa uma área maior, 1/1,33’’ contra 1/1,52’’ do HM2. Enquanto o HM2 já pode ser encontrado em aparelhos intermediários, caso do Xiaomi Mi 10i, o HM3 deve ser usado por celulares premium, caso do recém-anunciado Galaxy S21 Ultra, já que os novos recursos e a área maior ocupada devem encarecer o componente. Samsung foi a pioneira em sensores de 108 megapixels para celular, usado no Xiaomi CC9 Pro (Imagem: divulgação/Samsung) A Xiaomi, por sinal, é forte candidata a utilizar o novo sensor, afinal de contas, foi o modelo CC9 Pro que estreou a resolução, equipado com o Isocell HMX no final de 2019. Mais tarde, o mesmo HMX foi usado em diversos modelos da fabricante chinesa, caso do Mi 10 Pro e até mesmo do Mi 11, anunciado em dezembro de 2020. Resta aguardar as avaliações do novo Galaxy S21 Ultra para saber se a Samsung conseguiu superar as rivais, especialmente a Huawei com o Mate 40 Pro+ e a Xiaomi com o Mi 10 Ultra. Ambos contam com sensores ainda maiores (e mais sensíveis à luz), além de uma resolução menor. Uma combinação que ajudou na escolha de ambos como os donos das melhores câmeras do mercado pelo site especializado DxOMark, reforçando o argumento de que mais importante que a quantidade de pixels, é o tamanho de cada um deles para captar o máximo de luz. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Signal vs Telegram: qual app de mensagens é mais seguro? Galaxy S21 vs. Galaxy S20: o que muda entre as gerações? 5 doenças ainda sem cura encontrada pela ciência 10 séries campeãs de audiência dos anos 1990-2010 para assistir no streaming O que sabemos sobre a nova variante do coronavírus descoberta em Manaus Veja Mais

Por que Carl Jung provavelmente se horrorizaria com a interpretação atual de conceitos que criou?

Glogo - Ciência Foi psiquiatra suíço quem popularizou os termos introversão e extroversão, mas não com a intenção de que fossem usados ​​da forma polarizada como são hoje. Jung não contrapunha a extroversão e a introversão como se faz hoje em dia Getty Images via BBC Se perguntassem se você é introvertido ou extrovertido, o que você responderia? A maioria das pessoas se identifica como um adjetivo ou outro sem pensar duas vezes. Afinal de contas, são características totalmente opostas. Uma pessoa introvertida, por exemplo, pode desejar passar seu tempo livre na tranquilidade de sua própria companhia, algo que para um indivíduo mais extrovertido pode parecer um inferno. Mas você pode realmente ser extrovertido ou introvertido? E será que há algum benefício em nos identificar como um, e não como o outro? Intro e extra O psiquiatra suíço Carl Jung foi quem popularizou os termos introversão e extroversão (ou "extraversão", como ele escrevia) quando fundou seu corpus teórico e clínico que chamou de psicologia analítica em 1913. A premissa básica é que os introvertidos buscam energia internamente, enquanto os extrovertidos a obtêm das pessoas ao seu redor. No entanto, de acordo com o psicoterapeuta e escritor Mark Vernon, Jung ficaria "horrorizado" com a maneira como esses termos são adotados hoje. Embora muitos de nós nos descrevamos veementemente como "extrovertidos" ou "introvertidos" e vejamos esses traços como partes essenciais de nossa identidade, as definições de Jung não eram tão polarizadas. Precisamos ser os dois para alcançar a plenitude Getty Images via BBC Na visão de Jung, precisávamos buscar "energia" tanto fora quanto dentro para sermos "pessoas plenas". Longe de ser "o que somos", Jung considerava a introversão e a extroversão como tipos de consciência que podemos experimentar de maneiras diferentes em situações distintas. Tanto a introversão quanto a extroversão podem dominar nosso comportamento, mas também podemos nos beneficiar da outra que está em algum lugar dentro de nós. Aproveitando ambas as fontes de "energia", podemos realmente expandir nossa experiência de vida. Nas profundezas O que é exatamente isso que temos em algum lugar profundo? Jung se refere ao que chama de "sombra". Embora pareça perturbador, é simplesmente uma metáfora para o lado da nossa personalidade que supostamente reprimimos porque não reflete a maneira como nos apresentamos ao mundo. Alguém que pula de festa em festa, por exemplo, pode descobrir que passar um tempo sozinho não é tão insuportável quanto temia; pode ser uma forma eficaz de se reabastecer. A vida é mais fácil para os extrovertidos? Ver a introversão e a extroversão de uma forma binária pode nos levar a tomar decisões com base no tipo de personalidade com a qual nos identificamos. Os rótulos podem nos impedir de fazer coisas que gostaríamos Getty Images via BBC Por exemplo, há estudos que indicam que os "introvertidos" (como os testes de personalidade rotulam) acham que não teriam sucesso ou tampouco desfrutariam de cargos de liderança. Isso pode dissuadi-los completamente de concorrer a esses tipos de vagas no trabalho. Em contrapartida, os extrovertidos, que se apresentam como confiantes e dominantes, são vistos convencionalmente como mais adequados para essas funções de alto poder. Assim, é provável que os "extrovertidos" ganhem mais do que os 'introvertidos'. Os benefícios da introversão No entanto, as pessoas não se restringem a apenas um tipo de personalidade, e aqueles com tendências introvertidas podem se beneficiar profissionalmente por se comportar de maneira extrovertida de vez em quando. Pesquisas mostram que indivíduos com traços de introversão tendem a superestimar os sentimentos negativos que vivenciam quando agem de forma extrovertida, o que os desencoraja a fazê-lo. Mas estudos também sugerem que essas preocupações são infundadas e, quando os introvertidos exploram um lado diferente de sua personalidade, eles na verdade gostam de agir de forma extrovertida (tanto quanto aqueles com uma disposição extrovertida!). Isso parece confirmar a teoria de Jung de que podemos nos beneficiar ao resgatar nossa 'sombra' (neste caso, a extroversão). Temos ambos os lados, então por que não aproveitar os dois? GETTY IMAGES via BBC Como diz Vernon, se aproveitarmos cada vez mais essas formas de contradição, "aos poucos as reforçamos, e elas deixam de ser uma sombra para se tornar parte de nós". Finja até conseguir As qualidades associadas à introversão também podem ser benéficas para situações de liderança. Pesquisas mostram que enquanto líderes extrovertidos obtêm melhores resultados ao trabalhar com uma equipe passiva, as mais proativas respondem melhor a líderes introvertidos. Abraçar a qualidade extrovertida da confiança ajudará as pessoas introvertidas a acreditar e colocar em prática suas habilidades de liderança. Depois de terem alcançado essas posições de poder, os líderes introvertidos podem se beneficiar do comportamento que lhes é mais natural, como uma boa capacidade de ouvir e pensar. O problema com os rótulos Há algo mais, explica Vernon, que faz com que definir as pessoas por tipos de personalidade não seja particularmente útil: o fato de que nossas personalidades mudam com o tempo, mesmo quando somos adultos. A linguagem é um fator importante em jogo: descrever a nós mesmos ou aos outros usando um adjetivo como "introvertido" ou "extrovertido" implica que isso é o que somos, e com isso vêm as conotações de permanência. Mas os seres humanos são mais maleáveis ​​do que pensamos, e nosso fascínio por rótulos pode nos impedir de ver que podemos mudar e crescer. Introvertido ou extrovertido? Por que não ambos? Veja Mais

Biden completa equipe diplomática para 'consertar' a política externa dos EUA

O Tempo - Mundo Entre os escolhidos estão pessoas que já passaram pelos gabinetes de Bill Clinton e Barack Obama; Biden diz querer "retomar a liderança mundial e moral" do país Veja Mais

Ex-Rouge, Karin Hils revela que é bissexual: 'conheci mulheres incríveis'

O Tempo - Diversão - Magazine Cantora, que sempre foi reservada quanto a sua vida pessoal, respondeu a perguntas de fãs no Instagram e surpreendeu ao dizer que teve experiências melhores com meninas Veja Mais

Anvisa já analisa documentação entregue hoje pelo Butantã

Valor Econômico - Finanças O Instituto Butantan entregou neste sábado para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) toda a documentação necessária para a análise da CoronaVac. No meio da tarde, o site da Anvisa mostrava que 55,14% dos documentos estavam em análise e 44,86% já tinham a sua avaliação concluída. No caso da AstraZeneca, toda a documentação já havia sido entregue ontem pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Nesse caso, 49,45% da documentação já estavam com a avaliação concluída e 50,55% ainda tinham análise pendente. Veja Mais

Manifestação reúne 10 mil pessoas contra o uso de máscaras em Viena

O Tempo - Mundo Em plena pandemia, negacionistas questionam eficácia da proteção individual, acusam a imprensa de mentir e pedem a renúncia do governo Veja Mais

Manaus recebe mais oxigênio; suprimento no AM está sendo restabelecido, diz Lima

Valor Econômico - Finanças Volume de 70 mil metros cúbicos, enviado por balsas, é suficiente para demanda do dia; outros cinco tanques de oxigênio líquido, correspondentes a cerca de 11.000 kg, chegaram de avião Na madrugada deste sábado, um carregamento de 70 mil metros cúbicos de oxigênio chegou a Manaus para ajudar no abastecimento da rede de saúde do Estado. O insumo deve ser suficiente para atender a demanda de hoje. Com a chegada do material, a transferência de 60 bebês prematuros que precisariam ser levados a outros Estados não será mais necessária. A Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) afirma que o governo do Estado continua empreendendo todos os esforços para abastecer as unidades de saúde com oxigênio e que as maternidades foram abastecidas ainda na sexta-feira. Em nota, o órgão afirma que, “por se tratar de uma operação de risco, a secretaria preferiu mantê-los em Manaus, não havendo previsão de transferência neste momento para outros estados da federação, não estando descartada a transferência, caso haja necessidade”. Carga de oxigênio chega a Manaus para ajudar a reabastecer hospitais Divulgação/Governo do Amazonas Ainda sobre a chegada do material, o governador do Amazonas, Wilson Lima, disse por meio das redes sociais do governo que as equipes estiveram trabalhando praticamente 24 horas em uma parceria com os governos federal, municipal, prefeituras do interior e instituições não governamentais. “Com isso nós começamos a restabelecer a normalidade da nossa rede. Algumas das carretas já foram para os hospitais para fazer o reabastecimento. Mas a gente vai continuar trabalhando com os nossos parceiros para restabelecer o fornecimento de oxigênio na nossa rede hospitalar para atender o povo que mais precisa, as pessoas que estão sendo acometidas por esse vírus”, disse Lima. O material, segundo ele, vai garantir a estabilidade da rede tanto na capital do Estado como no interior, que também já começou a receber o produto nas unidades de saúde. Apesar disso, muitos familiares de pacientes que precisam do oxigênio madrugaram na fila de uma empresa que fornece o produto na capital. Apreensivos, muitos queriam levar o material para familiares que estão fazendo tratamento domiciliar ou até mesmo nos hospitais da capital, que até então não tinham sido abastecidos. “A gente precisa muito do oxigênio, ela está em casa, tem 86 anos e precisa do oxigênio para sobreviver. Ela tem um pouco apenas e estamos desesperados, sem isso ela não sobrevive. A empresa fala que não vai resolver nada, que não tem para vender”, disse Emanuel Silva, 55, que madrugou na porta da empresa Nitron da Amazônia em busca do produto. Transferência de pacientes Enquanto isso, na rede estadual de saúde, mesmo com a chegada de mais oxigênio, pacientes continuam sendo transferidos para outros Estados. As ações de transferência, em parceria com a Força Aérea Brasileira (FAB), continuaram na manhã deste sábado. Só ontem, início da operação, 21 pacientes foram encaminhados para Teresina e São Luís do Maranhão. Além dos 70 mil metros cúbicos que chegaram à capital por meio de balsas, vindas de Belém e adquiridos pelo Estado por meio da fornecedora White Martins, mais cinco tanques de oxigênio líquido, correspondentes a cerca de 11.000 kg, chegaram a Manaus também na madrugada. O produto chegou ao Estado com o apoio da FAB, em uma aeronave C-130 Hércules, vinda do Estado de São Paulo. Ainda neste sábado a assessoria de imprensa do órgão informou que uma segunda aeronave, do mesmo modelo, deve chegar ao Amazonas com mais oito tanques de oxigênio líquido. Veja Mais

Vacinado na Rússia, brasileiro brinca: "Não virei jacaré nem urso siberiano"

O Tempo - Mundo Fundo desenvolvedor do imunizante pediu a autorização para uso emergencial no Brasil Veja Mais

10 séries campeãs de audiência dos anos 1990-2010 para assistir no streaming

canaltech 2020 acabou e com ele diversas séries campeãs de audiência dos anos 1990-2010 deixaram o catálogo da Netflix, por conta da chegada do HBO Max na América Latina, prevista para o primeiro semestre desse ano. Gossip Girl, Friends, Pretty Little Liars e Um Maluco no Pedaço foram algum dos títulos que tinham todas as temporadas disponíveis no streaming, mas por conta do contrato de exclusividade de distribuição, tiveram de se despedir do público brasileiro por um tempo, pelo menos até a plataforma da WarnerMedia enfim estar disponível no país. Mesmo passando pelo período caótico da pandemia de COVID-19 praticamente ilesa, se há algo que a Netflix não pode controlar são esses deadlines previstos por contratos de distribuição de séries e filmes que não são originais da empresa. Ou seja, é em movimentos como a aquisição de séries clássicas como Dawson's Creek, que chega ao catálogo nesta sexta-feira (15), que fica nítido o tipo de reação que a empresa deve ter ao encarar uma perda de tantos títulos de alta audiência de um dia para o outro. Dawson's Creek chegou hoje na Netflix! (Imagem: Divulgação / The WB Television Network) O seriado foi ao ar entre 1998 e 2003 e chega à Netflix na íntegra, com as seis temporadas disponíveis para agradar todos os tipos de maratonistas de séries. A trama segue quatro colegas que tentam encontrar seu espaço no mundo na fase mais conturbada da vida: a adolescência. Dawson's Creek se passa em Capeside, uma cidade litorânea de Boston e retrata o grupo de amigos enfrentando os mais diferentes tipos de problema no cotidiano, abordando a maturidade em todo o seu processo com, é claro, uma dose de romance e amizade. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Para celebrar a chegada de um clássico de gerações recentes à Netflix, o Canaltech listou dez séries que fizeram parte de uma das melhores épocas da televisão e estão disponíveis na íntegra no streaming. Além de listar os nomes e dar uma breve sinopse sobre o que se trata cada uma, ainda colocamos o link de qual plataforma encontrá-las. No final das contas, seu único trabalho é decidir a maratona do dia e pressionar o play! Os lançamentos da Netflix em janeiro de 2021 Os lançamentos do Amazon Prime Video em janeiro de 2021 Os lançamentos do Disney+ em janeiro de 2021 10. One Tree Hill One Tree Hill possui nove temporadas ao todo (Imagem: Divulgação / The CW) Seguindo a linha de tramas adolescentes como Dawson's Creek, a série One Tree Hill foi um dos principais títulos do gênero nos anos 2000, não é a toa que durou nove temporadas. A história gira em torno do adolescente Lucas Scott (Chad Michael Murray), que tem o sonho de ser jogador de basquete, mas possui diversas complicações familiares em casa. A trama ainda segue um triângulo amoroso entre o jovem, a namorada de seu meio-irmão, Peyton (Hilarie Burton) e a estudante Brooke Davis (Sophia Bush), sem deixar de trazer assuntos importantes para a tela, como depressão, gravidez, anorexia, drogas e alcoolismo. One Tree Hill está disponível no Globoplay. 9. House M.D. House M.D. está completa no streaming em oito temporadas (Imagem: Divulgação / FOX) Dr. Gregory House (Hugh Laurie) é um conceituado médico num hospital de Princeton, em New Jersey, que apesar de elaborar excelentes diagnósticos e resolver os mais misteriosos casos, tem um caráter marcado pelo mau-humor e um comportamento sarcástico, narcisista e antissocial. A série fez sucesso no início dos anos 2000 por mostrar as mais complexas doenças na tela, que são muito raras, porém reais. Além disso, House ainda deve lidar com uma quantidade de horas a serem cumpridas na clínica do hospital e gerir uma equipe inteira para resolver e desvendar os casos de seus pacientes. House M.D. está disponível no Prime Video e no Globoplay. Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! 8. The X-Files The X-Files tem as 11 temporadas disponíveis no streaming (Imagem: Divulgação / FOX) O Arquivo X que dá nome à série contém relatos sobre diversos casos paranormais sem explicação (que envolvem satanismo, aparições fantasmas, ocultimo entre outros), que acabaram sendo guardados e mantidos em segredo no subsolo do FBI, mas que acabaram sendo encontrados pelo agente Fox Mulder (David Duchovny), que começa a investigar os arquivos por conta própria, até que o resto da equipe policial recruta a agente Dana Scully (Gillian Anderson) para invalidar as investigações e enfim fechar a pasta. Entretanto, com o passar do tempo, a própria agente que, além de médica, é cientista e legista, começa a se interessar pelos casos e se dar conta que as teorias do parceiro fazem sentido. The X-Files está disponível no Prime Video e no NET Now. 7. Seinfeld Seinfeld tem nove temporadas (Imagem: Divulgação / NBC) Para os fãs de comédia, Seinfeld é uma ótima alternativa, principalmente para quem sente falta de maratonar Friends, agora que a série saiu da Netflix. A história acompanha o comediante Jerry Seinfeld, que interpreta ele mesmo, passando pelas mais triviais aventuras cotidianas enquanto tenta ganhar a vida em Nova York ao lado dos amigos Elaine (Julia Louis-Dreyfus), George (Jason Alexander) e Kramer (George Costanza). O dia a dia do quarteto mostra problemas de relacionamento, pessoais e financeiros, todos sendo lidados com muito humor. Seinfeld está disponível no Prime Video. 6. Smallville Prepara a maratona: Smallville tem 10 temporadas ao todo (Imagem: Divulgação / The CW) Um dos principais nomes das tramas de super-heróis, Smallville, também está disponível na íntegra nas plataformas de streaming. A série acompanha Clark Kent (Tom Welling), residente da cidade fictícia que dá nome à produção, retratando sua vida antes dele se tornar o conhecido super-herói dos quadrinhos, Superman. A ideia da trama é justamente trazer uma visão mais moderna se a nave espacial do Homem de Aço tivesse caído na Terra no Século XXI, mas ainda apresentando elementos e valores antigos. Além disso, outras histórias apresentadas nas HQs da DC Comics são exploradas, como outros heróis, personagens e vilões. Smallville está disponível no Globoplay. 5. Família Soprano Família Soprano possui seis temporadas (Imagem: Divulgação / HBO) Uma das mais premiadas séries de televisão também etá com todas as temporadas disponíveis no streaming. Altamente indicada para quem gosta de Ozark, Família Soprano acompanha a vida de Tony Soprano (James Gandolfini), um ítalo-americano residente de Nova Jersey da máfia que, após um ataque de pânico, procura ajuda profissional com a Dra. Jennifer Melfi (Lorraine Bracco) que o ajuda a lidar com seus problemas particulares, além de se envolver diretamente com os "negócios da família", já que Tony revela sua vida no crime e demais intimidades. Tentando proteger sua esposa e filhos, o mafioso enfrenta uma investigação federal e uma possível traição de um membro da família. Família Soprano está disponível no HBO Go e NET Now. 4. Mad Men Mad Men está com as sete temporadas disponíveis (Imagem: Divulgação / AMC) Retratada numa Nova York da década de 1960 e entregando um verdadeiro deleite visual, Mad Men mostra a vida de Don Draper (Jon Hamm), um dos mais renomados publicitários da cena local que guarda um importante segredo sobre sua vida passada, além de gerir muito mal seu dia a dia e de sua família. Em seu escritório, Don lida com a ambição de outros coletas publicitários ao mesmo tempo que incentiva novos funcionários a pegarem o embalo da empresa em meio a um período de grande movimentação política e social. Mad Men está disponível no Prime Video. 3. The Americans The Americans tem seis temporadas no total (Imagem: Divulgação / FX) The Americans é uma das mais conceituadas séries da televisão, já indicada e premiada diversas vezes pelas mais renomadas academias da indústria. A história acompanha Nadezhda e Mischa, dois espiões da KGB, a principal organização de serviços secretos da União Soviética, que se passam por um casal americano vivendo no subúrbio de Washington sob o os nomes Elizabeth Jennings (Keri Russell) e Phillip Jennings (Matthew Rhys). Atendendo as exigências de seu governo, eles têm como missão controlar a rede de informações entre os espiões que operam no país enquanto vivem sob seus disfarces inclusive para seus filhos, que precisam lidar com os típicos problemas de pré-adolescente. The Americans está disponível no Prime Video. 2. Lost Lost possui seis temporadas disponíveis (Imagem: Divulgação / ABC) Um verdadeiro fenômeno da cultura pop, Lost fez tanto sucesso que é considerado um patrimônio da televisão atualmente. A história acompanha as vítimas do misterioso acidente aéreo do vôo Oceanic 815 que caiu numa ilha tropical em que tudo não é o que parece. Seguindo duas linhas narrativas, a série apresenta a vida dos personagens tanto depois do desastre, tentando conviver uns com os outros enquanto esperam por ajuda, quanto antes da queda do avião, revelando que o fato de estarem no mesmo voo não foi pura coincidência. Lost está disponível no Prime Video e no Clarovideo. 1. Breaking Bad Breaking Bad tem cinco temporadas (Imagem: Divulgação / AMC) Amada e reassistida pelos fãs, Breaking Bad foi indicada e venceu diversos prêmios da TV, além de já ter entrado para o livro dos recordes em 2014 como o seriado mais bem avaliado de todos os tempos pela crítica. A série retrata a vida do frustrado Walter White (Bryan Cranston), um químico que dá aulas para adolescentes do ensino médio enquanto lida com um caso de paralisia cerebral na família, a gravidez da esposa e uma série de dívidas. Quando o professor recebe o diagnóstico de câncer no pulmão, resolve abraçar uma vida de crime para pagar suas dívidas hospitalares e enfim dar uma boa vida para sua família produzindo metanfetamina com seu ex-aluno Jesse Pinkman (Aaron Paul). Breaking Bad está disponível na Netflix. Menções honrosas: Monk Monk tem oito temporadas (Imagem: Divulgação / NBC) Adrian Monk (Tony Shalhoub) é um detetive brilhante de homicídios que cresceu com Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e teve sua esposa morta em um acidente misterioso. Atuando como consultor particular para a polícia em casos muito difíceis de serem resolvidos, Monk deve lidar com suas fobias que curiosamente o ajudam a perceber detalhes minúsculos e fazer conexões que nenhum outro investigador faria ao mesmo tempo que tenta descobrir o que de fato aconteceu no dia em que sua esposa morreu, um caso incapaz de ser resolvido. Monk está disponível no Prime Video. Sons of Anarchy Sons of Anarchy tem as sete temporadas no streaming (Imagem: Divulgação / FX) Sons of Anarchy é uma série sobre a vida de motociclistas em Charming, uma cidade fictícia no norte da Califórnia. Cada temporada da série é apresenta duas tramas paralelas que se cruzam, se entrelaçam e se sobrepõem, a primeira acompanhando o protagonista Jackson "Jax" Teller (Charlie Hunnam) e sua família, enquanto os episódios subsequentes exploram a SAMCRO, o clube de motoqueiros que está envolvido com o tráfico de armas em todo o oeste dos Estados Unidos, além de lidar com a rivalidade direta com gangues rivais, políticos e autoridades locais. Sons of Anarchy está disponível no Prime Video. Bones A longuíssima Bones tem 12 temporadas (Imagem: Divulgação / FOX) Indicada para os fãs de tramas misteriosas, Bones possui 12 temporadas repletas de suspense e investigação. A história acompanha a dupla formada por Dra. Temperance 'Bones' Brennan (Emily Deschanel), antropóloga e cinesiologista e um dos nomes mais respeitados no ramo da antropologia forense, e o agente especial Seeley Joseph Booth (David Boreanaz) do FBI. Juntos, eles examinam restos mortais de vítimas de assassinato e desvendam casos criminais utilizando conhecimentos científicos, além de explorar as origens dos personagens principais. Bones está disponível no NET Now. The Vampire Diaries The Vampire Diaries tem oito temporadas (Imagem: Divulgação / The CW) The Vampire Diaries foi um fenômeno entre as séries de drama e romance adolescente durante os oito anos que foi exibida. Baseada na série de livros homônima, a história acompanha a jovem Elena Gilbert (Nina Dobrev) que conquista o coração dos dois irmãos Salvatore, Stefan (Paul Wesley) e Damon (Ian Somerhalder), dois vampiros condenados a viver a eternidade mantendo a imortalidade em segredo. Além disso, a trama ainda acompanha a cidade de Mystic Falls, assombrada por seres sobrenaturais que logo terá seu misterioso passado revelado, envolvendo Katherine Pierce e os Vampiros Originais. The Vampire Diaries está disponível no Prime Video. The Mentalist The Mentalist possui sete temporadas (Imagem: Divulgação / CBS) The Mentalist possui uma pegada que agradará fãs de séries policiais. A trama acompanha Patrick Jane (Simon Baker), consultor independente do California Bureau of Investigation (CBI) que tem um enorme talento em deduzir e observar detalhes. Embora não seja um oficial da lei, ele acaba utilizando suas habilidades da carreira já aposentada como médium psíquico para ajudar uma equipe de agendes do CBI a desvendar assassinatos. Ao mesmo tempo, Patrick quer descobrir quem é o serial killer Red John, responsável pelos assassinatos de sua filha e sua esposa. The Mentalist está disponível no Globoplay e Prime Video. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: O que sabemos sobre a nova variante do coronavírus descoberta em Manaus 5 doenças ainda sem cura encontrada pela ciência Galaxy S21 vs. Galaxy S20: o que muda entre as gerações? Lançamentos do Disney+ na semana (15/01/2021) Os lançamentos da Netflix em janeiro de 2021 Veja Mais

MC Kekel se une a Niack na batida de 'Nervosinha'

G1 Pop & Arte ♪ A temporada de verão tem gerado série de músicas gravadas com a ambição de que se tornem o grande hit da estação. O single Nervosinha – lançado na sexta-feira, 15 de janeiro, com gravação que junta MC Kekel com MC Niak, ambos nomes do universo do funk paulista – apresenta uma dessas músicas candidatas a hit do verão de 2021. Com produção musical orquestrada pelo trio Dogz (leia-se Pablo Bispo, Sergio Santos e Ruxell), a gravação de Nervosinha está sendo promovida em single e clipe através de parceria da gravadora Som Livre com a Kondzilla Records. Por alguns versos da música (“Ó que doideira, né? / Ela desce até o chão / Você quer fazer de tudo / Pra chamar minha atenção / Vai sentar nervosinha / Rebolar nervosinha / Se tu tá reclamando / Eu parto pras amiguinhas”), já para perceber o teor sexual e machista da letra que embala o batidão de Nervosinha. Capa do single 'Nervosinha', de MC Kekel e Niack Reprodução Veja Mais