Meu Feed

No mais...

Gilberto do BBB é aprovado em universidade dos Estados Unidos

O Tempo - Diversão - Magazine Pernambucano vai receber bolsa de estudos de instituição de ensino situada no Texas Veja Mais

Forte terremoto atinge Fukushima, no Japão, e deixa dezenas de feridos

O Tempo - Mundo Energia elétrica acabou em toda a região, mas não houve alerta de tsunami nem grandes danos a prédios nem às usinas nucleares da região, conhecida por outra tragédia Veja Mais

COVID-19: vacina da Oxford vai ser testada em crianças e adolescentes

COVID-19: vacina da Oxford vai ser testada em crianças e adolescentes

em - Internacional Segundo a Universidade de Oxford, este vai ser o primeiro ensaio clínico mundial com essa faixa etária Veja Mais

The Office: as 10 melhores reuniões de funcionários na série

The Office: as 10 melhores reuniões de funcionários na série

Tecmundo The Office cativou o público ao longo de suas nove temporadas por conta de um grande carisma dos personagens e situações cômicas bastante inesperadas. A rotina de um escritório foi explorada em diversas nuances, incluindo as famigeradas reuniões entre funcionários.Dessa forma, nossa lista apresenta alguns dos momentos mais estranhos, hilários e inadequados apresentados na série ao longo desses encontros de trabalho que forneceram boas risadas aos espectadores.Leia mais... Veja Mais

Julgamento de impeachment de Trump segue e veredito pode ser dado neste sábado

O Tempo - Mundo Objetivo dos democratas é que Trump seja condenado e depois desqualificado politicamente, mas para isso eles precisam de 17 votos republicanos para alcançar uma maioria de dois terços Veja Mais

Democratas e republicanos chegam a acordo e impeachment de Trump deve acabar neste sábado

Valor Econômico - Finanças Acusação e defesa agora tem até duas horas cada um para apesentar seus argumentos finais Depois de uma série de idas e vindas, senadores republicanos e democratas chegaram a um acordo para acelerar o julgamento do impeachment do ex-presidente Donald Trump. Com isso, o processo deve terminar ainda neste sábado – caso não aconteçam novas surpresas. A confusão ocorreu porque, no início da sessão deste sábado, o grupo de deputados democratas responsáveis pela acusação surpreendeu a todos ao apresentar um pedido para convocar uma testemunha a depor. Trump fala a apoiadores em Washington AP Photo/Evan Vucci Caso essa medida fosse para frente, o processo poderia se prolongar por até duas semanas, de acordo com a imprensa americana. Mas a demora desagradava os dois lados da disputa: os republicanos pretendem resolver logo o tema e deixar para trás as confusões da gestão Trump, enquanto os democratas querem que o Congresso foque na agenda do novo presidente, Joe Biden. Com isso, os senadores chegaram a um acordo para acelerar a questão. Em vez de convocar uma testemunha – a deputada republicana Jaime Herrera Beutler – para depor, apenas uma declaração que ela deu para a rede de TV CNN foi incluída no processo. Assim, o julgamento pode prosseguir. Acusação e defesa agora tem até duas horas cada um para apesentar seus argumentos finais e, na sequência, os senadores devem votar se absolvem ou não o ex-presidente. A decisão deve sair por volta das 17h do horário de Washington (19h de Brasília). Para que Trump seja considerado culpado, são necessários 67 votos por sua condenação – a expectativa é que isso não aconteça. Veja Mais

Sem folia tradicional, marcas promovem gigantes do samba e revivem desfiles de Carnaval

Valor Econômico - Finanças TV Globo, Brahma e Africa se reuniram para exibir momentos de desfiles históricos "Não deixe o samba morrer, não deixe o samba acabar", cantam a "rainha do samba" Alcione e o jovem sambista da nova geração Ferrugem para uma Marquês de Sapucaí vazia. "Pela 1ª vez, as escolas não vão pisar na avenida", diz a peça publicitária veiculada pela Brahma e que viralizou nas redes sociais. O vídeo, além de uma homenagem à história e ao futuro do samba, é também um chamamento para uma série de ações que a cervejaria, tradicional patrocinadora de camarotes na Sapucaí e no Anhembi, fará nos próximos dias para promover um Carnaval diferente. Por causa da pandemia, os desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro e de São Paulo foram cancelados. Mas, em homenagem a uma das maiores festas populares do país, a TV Globo, a Brahma e a agência Africa se reuniram para exibir o "Desfile Nº 1 Brahma", com os melhores momentos de 28 desfiles históricos. Metade será exibida neste sábado, após o programa "Altas Horas", e outros 14 no domingo, depois do "Big Brother Brasil", com apresentações de escolas dos dois Estados. São sambas-enredo como "Liberdade! Liberdade! Abra as Asas Sobre Nós" (1989), da Imperatriz Leopoldinense, "Orfeu – O Negro do Carnaval" (1998), da Unidos do Viradouro, “Aquarela Brasileira” (2004), reedição do samba de 1964 da Império Serrano e a homenagem da Tom Maior a Martinho da Vila, em 2009. A escolha dos desfiles foi feita por um grupo de curadores, com apoio das Ligas do Rio e de São Paulo e das próprias escolas de samba. O carnavalesco Milton Cunha e o ator Aílton Graça apresentam o programa e comentam as apresentações. No site do Gshow, o público poderá eleger os melhores desfiles (um de cada Estado). O resultado será anunciado no domingo. Além da apresentação dos desfiles, o "Camarote Brahma em Casa" terá lives com Zeca Pagodinho e Zé Neto & Cristiano (sábado, às 20h30) e com Matheus & Kauan e Os Barões da Pisadinha (domingo, às 14h), exibidas no Multishow e no canal do YouTube do Multishow e dos artistas. O impacto do cancelamento dos desfiles, porém, não é só na avenida. "É no barracão. É na comunidade. É em quem vive pro Carnaval. É em quem vive do Carnaval", alerta vídeo publicado pelo Reserva em suas redes sociais. A grupo carioca promove a "colabe" com a Estação Primeira de Mangueira, uma das mais tradicionais escolas de samba do Rio. Todos os produtos da coleção – camisetas diversas e tênis – terão lucro revertido para a Mangueira. E quem comprar ganha ainda acesso a aulas online com os profissionais do samba da escola, que estão parados devido à pandemia. Serão quatro encontros ao vivo abordando os temas: adereços, customização, samba no pé e percussão. Initial plugin text Para parcela dos trabalhadores do Carnaval, o impacto maior é no cancelamento dos blocos de rua, momento em que era possível contar com uma fonte de renda extra. Pensando nisso, a Ambev firmou uma parceria com a Associação Nacional dos Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis (ANCAT) para doar R$ 100 como auxílio financeiro a 2.800 profissionais de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Salvador, praças onde a empresa já havia atuado no Carnaval de 2020 com catadores. No ano passado, a força-tarefa para coleta de resíduos gerados nas festas recolheu mais de 324 toneladas de materiais recicláveis, segundo a Ambev. Com o Zé Delivery, a empresa também vai promover uma ação de renda extra aos ambulantes a partir das compras feitas no aplicativo no período, além de oferecer frete grátis durante todo o Carnaval. Em conjunto com o portal eCycle, a Ambev ainda disponibilizará, durante os dias de Carnaval, um serviço de busca por pontos de descarte de resíduos, que serão destinados a cooperativas de reciclagem. A ideia é incentivar as pessoas a ficarem em casa, mas descartarem resíduos corretamente, ao mesmo tempo em que ajudam o trabalho dos catadores. Ao todo, serão mais de 800 pontos de coleta mapeados e mais de 500 cooperativas apoiadas com a iniciativa, de acordo com a Ambev. Durante lives promovidas pelas marcas da Ambev, um código QR da eCycle será compartilhado para direcionar o consumidor à página do site com o serviço. Além disso, as caixas térmicas que seriam usadas pelos vendedores ambulantes nos blocos de rua serão encaminhadas a postos de saúde pelo Brasil para ajudar a armazenar e transportar vacinas contra a covid-19, informa a empresa. Colaborativo e conectado O Burger King convocou, através do movimento #CarnaEmCasa, o público para compartilhar frases nas redes sociais que ajudassem a criar um samba-enredo colaborativo. A letra acabou se transformando em uma mistura de desabafos que retratam bem o dia a dia na pandemia, com frases como "não aguento mais video calls" ou "nem lembro o que é fim de semana". O resultado da ação pode ser conferido em um vídeo nas redes sociais do BK. "Esperamos que as pessoas curtam dentro de suas casas, respeitando as normas de distanciamento, mas com muito bom-humor e leveza", afirma Thais Souza Nicolau, diretora de marketing da Burger King Brasil, detentora das marcas BK e Popeyes no país. Com patrocínio da Amstel, o Bloco Casa Comigo, um dos gigantes de São Paulo, lançou em fevereiro o movimento "Carnaval Vem de Dentro", "para um Carnaval responsável e sem aglomeração". Entre as ações estão a websérie "De onde Vem?", exibida no Instagram no grupo, e uma releitura da canção "Quando o Carnaval Chegar", de Chico Buarque. Sambódromo iluminado na Marquês de Sapucaí, no Rio, em dia sem Carnaval Rafael Catarcione | Riotur via Fotos Públicas Veja Mais

Bolsonaro gera aglomeração em SC e é cobrado por auxílio: 'pede ao governador'

O Tempo - Política Sem máscara, Bolsonaro deu a mão para simpatizantes, tirou fotos e pegou crianças no colo Veja Mais

Milhares vão às ruas em Mianmar desafiando Forças Armadas

Valor Econômico - Finanças Crise no país asiático pôs fim à recente transição democrática após reacender a tensão entre o governo civil e as Forças Armadas No oitavo dia seguido de protestos contra o golpe de Estado em Mianmar, dezenas de milhares de pessoas foram às ruas neste sábado desafiar as Forças Armadas, que avisaram que estão à procura de sete ativistas acusados de ameaçar a estabilidade nacional por seus comentários nas redes sociais. Entre os procurados, está Min Ko Naing, que liderou os protestos reprimidos violentamente em 1988 e apoiou as atuais manifestações e a campanha de desobediência civil. Os militares tomaram o poder em 1º de fevereiro e prenderam a chefe do governo e principal líder civil do país, Aung San Suu Kyi, o presidente Win Myint e outras autoridades da Liga Nacional pela Democracia (LND), que havia vencido as eleições. AP A crise no país asiático pôs fim à recente transição democrática após reacender a tensão entre o governo civil e as Forças Armadas - que comandaram o país entre 1962 e 2011 - e gerou preocupação pela volta à antiga era de repressão. Segundo a junta militar neste sábado, as pessoas devem avisar a polícia se virem um dos sete ativistas procurados e serão punidas se os protegerem. Os casos estão sendo enquadrados em um artigo do código penal que era frequentemente usado pelas juntas anteriores e que impõe penas de até dois anos de prisão por comentários que possam causar alarme ou "ameaçar a tranquilidade". Uma das procuradas respondeu aos militares em sua página no Facebook, onde tem mais de 1,6 milhão de seguidores. "Tenho tanto orgulho de ser procurada com Min Ko Naing. Peguem-me se forem capazes", escreveu. De acordo com a Organização das Nações Unidas, mais de 350 pessoas já foram presas em Mianmar desde a tomada do poder pelos militares. A jornalista Shwe Yee Win, que cobria a oposição ao golpe, foi levada por soldados na quinta-feira, e sua família não teve notícias dela. "Ela não conseguiu nem colocar os sapatos antes de a levarem", disse a mãe dela, Thein Thein, que ficou cuidando do neto de 1 ano. Para tentar impedir a prisão de ativistas, manifestantes montaram comitês de vigilância cidadã, que desafiam o toque de recolher, válido a partir das 20h, e vão às ruas ao sinal de operações policiais em busca de dissidentes. Em Pathein (no sul do país), centenas de pessoas marcharam à noite em direção ao hospital público, algumas armadas com varas ou barras de ferro, para tentar defender o responsável médico do hospital, depois que souberam que havia sido preso pelo Exército. O médico, que se unira ao movimento de desobediência civil lançado nas primeiras horas após o golpe, foi detido enquanto atendia um paciente. Em Rangoon, médicos, estudantes e funcionários do setor privado marcharam por uma das principais avenidas da cidade, também desobedecendo a proibição de se reunir. "Retornaremos ao trabalho somente quando o governo civil da 'Mãe Suu' Kyi for restabelecido. Pouco importam as ameaças", declarou à agência AFP o médico Wai Yan Phyo, 24, antes de a multidão se dispersar. Desde o golpe, a opositora Suu Kyi não foi vista em público. De acordo com membros da LND, ela está em prisão domiciliar, mas se encontra "bem de saúde". A ativista e vencedora do Nobel da Paz de 1991 continua extremamente popular, apesar dos danos à sua reputação internacional devido à situação da minoria rohingya. Houve protestos também em outras cidades, com jovens que cantavam rap e dançavam "coreografias antigolpe". A maioria dos protestos foi pacífica, mas a tensão era palpável. As forças de segurança dispersaram brutalmente uma manifestação no sul do país. Várias pessoas ficaram levemente feridas por balas de borracha e pelo menos outras cinco foram detidas. Veja Mais

Por que uma flor da Wikipédia tem 90 milhões de acessos por dia?

Por que uma flor da Wikipédia tem 90 milhões de acessos por dia?

Tecmundo Um misterioso movimento que está acontecendo na internet desde 2020 chamou a atenção de profissionais responsáveis pelos servidores da Wikipédia nas últimas semanas. Desde que o TikTok foi banido na índia, em junho do ano passado, a imagem de uma flor tem correspondido a 20% do tráfego de um dos data centers da enciclopédia virtual.A flor em questão é a Michaelmas daisy, que no Brasil é genericamente conhecida pelo seu gênero botânico, chamado de Aster. Uma imagem da planta roxa chega a receber 90 milhões de acessos por dia em um servidor do Wikimedia, entidade sem fins lucrativos que hospeda a Wikipédia na internet.Leia mais... Veja Mais

Com covid-19, empresas familiares adiam investimentos, demitem e reduzem dividendos

Valor Econômico - Finanças Realizado pela consultoria BanyanGlobal, estudo confirma o impacto negativo da pandemia de covid-19 para a maioria dos negócios Um levantamento realizado com 31 empresas familiares no Brasil sobre o impacto da covid-19 nos negócios mostrou que 45% delas adiaram investimentos ou grandes projetos, um terço (28%) demitiu funcionários e mais da metade (52%) reduziu dividendos. Além disso, um quarto das empresas (24%) lançaram mão de licença não remunerada de funcionários e um quinto (17%), de redução de salários ou benefícios. Realizado pela consultoria BanyanGlobal, o estudo confirma o impacto negativo da pandemia para a maioria (58%) dos negócios, embora um terço (29%) indique impacto positivo. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Ex-presidente da Câmara de Limeira do Oeste é preso por abusos contra crianças

O Tempo - Política José Rodrigues Barbosa, mais conhecido como Zaca, estava foragido há mais de um ano e foi preso em uma cidade do interior de São Paulo Veja Mais

Galaxy S21 Ultra vs. iPhone 12 Pro Max: qual é o melhor topo de linha?

canaltech A linha Galaxy S21 chegou ao Brasil para disputar o mercado de celulares premium com os iPhone 12. Carro-chefe da nova família da Samsung, o Galaxy S21 Ultra tem a missão de bater o iPhone 12 Pro Max como o queridinho dos criadores de conteúdo graças aos recursos de foto e vídeo profissionais, sem contar com o desempenho ideal para qualquer tipo de tarefa. Samsung Galaxy S21 vs. Xiaomi Mi 11: quem vence um duelo de especificações? Galaxy S21 vs. Galaxy S20: o que muda entre as gerações? Mas qual dos dois oferece o melhor conjunto para esse tipo de perfil? Nos próximos parágrafos confira as principais diferenças entre o Galaxy S21 Ultra e o iPhone 12 Pro Max e veja qual dos dois é o melhor para você! Construção e design O Galaxy S21 Ultra e o iPhone 12 Pro Max têm um visual completamente diferente: o celular da Samsung oferece bordas mais finas que o iPhone, além de contar com o atual furo na tela para a câmera frontal, enquanto o modelo da Apple aposta no já datado notch em formato de “bigode”. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- S21 Ultra tem um design mais atual que o modelo da Apple (Imagem: Divulgação/Samsung) Vale mencionar, também, que o iPhone 12 não mexeu no design em relação à geração anterior, trazendo um módulo de câmeras em formato de “cooktop” que divide opiniões, diferente do S21 que resolveu dar uma cara nova à família e trazer um visual bastante diferente em relação aos modelos anteriores, com um conjunto fotográfico que se conecta à moldura do aparelho. No mais, ambos são construídos em vidro em seus respectivos painéis traseiros, mas a moldura do S21 Ultra é de metal, contra aço inoxidável do iPhone 12. Na prática, a solução da Apple promete ser resistente, embora acumule mais marcas de dedo. Além disso, os dois trazem as soluções para telas mais resistentes atualmente, ou seja, o Ceramic Shield (iPhone 12) e o Gorilla Glass Victus (S21 Ultra). (Imagem: Reprodução/Apple) Tela Como se costume na linha Galaxy S, a tela do S21 Ultra é uma das melhores do mercado: são 6,8 polegadas com tecnologia Dynamic AMOLED de 2X, resolução 2K (1440p) e taxa de atualização variável de 10 Hz a 120 Hz, ou seja, ele adapta a velocidade da tela de acordo com o conteúdo exibido. Some a isso suporte a brilho máximo de 1.500 nits, HDR10+ e contraste profundo do AMOLED, e você tem um dos conjuntos mais completos para quem gosta de consumir mídia no celular. A tela do iPhone 12 Pro Max não faz feio, mas fica bem atrás em especificações em relação ao modelo da Samsung. Ela tem 6,7 polegadas com painel OLED e resolução um pouco acima do Full HD, oferecendo uma qualidade muito boa, mas não tão definida quanto o S21 Ultra. Além disso, ele traz apenas 60 Hz de taxa de atualização, teoricamente menos fluida que os 120 Hz do rival. Além disso, o iPhone 12 Pro Max ainda conta com o polêmico e característico notch em formato de “bigode” para agrupar os sensores de desbloqueio e câmera frontal, enquanto o S21 Ultra traz um pequeno furo para o sensor de selfie, trazendo um maior aproveitamento frontal. Câmeras Teoricamente, o iPhone 12 Pro Max tem o pior conjunto fotográfico dos dois. Ele aposta em três câmeras de 12 MP cada e lentes principal, ultrawide e telefoto. Ainda há um sensor LiDAR para aprimorar os recursos de realidade aumentada e fotos em baixa luz, além de uma câmera frontal também de 12 MP. Conjunto de câmeras do S21 Ultra é mais parruda, com cinco sensores (Imagem: Divulgação/Samsung) Já o Galaxy S21 Ultra traz cinco sensores na traseira, sendo uma principal de 108 MP, uma ultrawide de 12 MP, duas telefoto de 10 MP cada e uma exclusiva para foco a laser. Para selfies, há um sensor de 40 MP. Embora não possamos responder qual dos dois tem o melhor conjunto de câmeras, vale mencionar alguns diferenciais de cada um: o Galaxy S21 Ultra pode gravar em até 8K de resolução a 24 quadros por segundo (fps), mas também suporta 4K a 60 fps. Um dos principais destaques do aparelho é seu zoom de até 100x combinando as capacidades de hardware e software. O iPhone 12 Pro Max faz gravações de vídeo em até 4K ou em HDR Dolby Vision a 60 quadros por segundo (fps). O modelo da Samsung possui mais opções filtros, além de uma interface mais completa, enquanto o iPhone tem um sistema mais simplificado. (Imagem: Reprodução/Apple) Se você é criador de conteúdo, provavelmente o iPhone 12 Pro Max segue como a melhor opção para redes sociais, oferecendo uma qualidade de imagem em Stories superior ao S21 Ultra. Mas a Samsung também revelou durante o lançamento da linha S21 uma melhora nos aparelhos para quem usa Snapchat, TikTok e Instagram. Processador e memória Samsung Galaxy S21 Ultra: Exynos 2100 (1x2.9 GHz Cortex-X1 & 3x2.80 GHz Cortex-A78 & 4x2.2 GHz Cortex-A55) Apple iPhone 12 Pro Max: A14 Bionic (2x3.1 GHz Firestorm + 4x1.8 GHz Icestorm) Tanto o Galaxy S21 Ultra quanto o iPhone 12 Pro Max são os primeiros modelos do mundo pertencentes à nova geração de processadores, portanto os dois se destacam pelo desempenho potente e pela eficiência energética. Em números o modelo da Samsung é bem mais chamativo em relação ao seu rival: até 16 GB de memória RAM contra apenas 6 GB do iPhone; e versões com até 512 GB de espaço interno. Importante mencionar que, apesar das especificações mais parrudas, o S21 Ultra não é mais potente que o iPhone 12 Pro Max devido à otimização do sistema iOS, que funciona perfeitamente mesmo em hardware "inferior". Outro detalhe que vale destacar, agora negativo, é que nenhum dos dois traz suporte para cartão de memória, portanto, se você quiser mais memória será preciso adquirir uma versão mais cara. Bateria e carregamento Quando o assunto é bateria, o Galaxy S21 Ultra leva vantagem pelo seu tanque de 5.000 mAh, enquanto o iPhone 12 Pro Max tem 3.687 mAh. Entretanto, o consumo de energia de ambos não deve ser muito diferente, uma vez que o modelo da Samsung traz recursos mais "gastões", como a taxa de atualização e resolução mais altas, e gravação em 8K. Em outubro passado, a Apple foi a primeira fabricante do mundo a retirar o carregador na caixa dos seus smartphones. Muitas fabricantes tiraram sarro da situação, mas acabaram aderindo à tendência, como foi o caso da Samsung. No entanto, pelo menos aqui no Brasil quem comprar o Galaxy S21 Ultra durante a pré-venda poderá solicitar o acessório sem custo adicional, uma vantagem em relação ao iPhone 12. (Imagem: Reprodução/Samsung) Em termos de velocidade de carregamento, os dois smartphones não diferem muito: 25 W para o S21 Ultra e 20 W para o iPhone 12 Pro Max. Uma novidade muito bem-vinda do celular da Apple é o suporte ao carregamento magnético MagSafe, enquanto seu rival é capaz de recarregar outros aparelhos através de carregamento reverso. Recursos extras Como se tratam de aparelhos premium, recursos extras não faltam por aqui. Os dois tem certificação IP68 para proteção contra água e poeira, mas o iPhone 12 Pro Max se sobressai por garantir mergulhos em até 6 metros de profundidade por 30 minutos, contra 1,5 m do S21 Ultra. Devido às bordas relativamente mais finas, o leitor de digitais do Galaxy S21 Ultra está localizado sob a tela, enquanto o iPhone 12 Pro Max só oferece o desbloqueio facial, o Face ID. Além disso, o celular da Samsung conta com um Bluetooth mais atualizado e suporte para a Galaxy S21 Ultra vs. iPhone 12 Pro Max: qual é o melhor? Olhando somente para os números, o Galaxy S21 Ultra parece muito superior ao iPhone 12 Pro Max, principalmente em câmeras, tela, bateria e opções de memória. Mas o iPhone 12 Pro Max se destaca entre os criadores de conteúdo devido a sua consistência em todos os departamentos, sem contar com uma maior qualidade em aplicativos de redes sociais, como Instagram, TikTok e Snapchat. De fato, o S21 Ultra chega ao Brasil com recursos de foto e vídeo profissionais que podem conquistar o público que curte trabalhar, fotografar, gravar vídeos em alta qualidade e consumir conteúdos multimídia. Mas como o iPhone ainda é o nome preferido para esse tipo de usuário, o modelo da Samsung terá uma tarefa difícil pela frente. Confira as ofertas do Samsung Galaxy S21 Ultra Confira as ofertas do iPhone 12 Pro Max E aí, Galaxy S21 Ultra ou iPhone 12 Pro Max? Qual smartphone topo de linha você gostaria de ter? Conte-nos abaixo, no campo dos comentários! Samsung Galaxy S21 Ultra: ficha técnica   Tela: 6,9 polegadas Dynamic AMOLED 2X, 2K, 120 Hz, Gorilla Glass 7; Chipset: Samsung Exynos 2100 OctaCore (3x 2.8 + 4x 2.4 + 1x 2.9 GHz); Memória RAM: 12 GB; Armazenamento interno: 128 GB, 256 GB ou 512 GB; Câmera traseira: 108 MP (principal) + 12 MP (ultra grande-angular) + 10 MP (telefoto) + 10 MP (telefoto com zoom híbrido- óptico) Câmera frontal: 40 MP; Dimensões: 165,1 x 75,6 x 8,9 mm; Peso: 228 gramas; Bateria: 5.000 mAh com recarga rápida Extras: IP68, Wireless PowerShare, ANT+, DeX, Modo Criança, Segurança de Dados Knox, Geo-Tagging, Função de Sincronização, Dual SIM; Cores disponíveis: Sistema operacional: Android 11 com Samsung One UI 3.1. Apple iPhone 12 Pro Max: ficha técnica   Tela: OLED de 6,7 polegadas com resolução Full HD (2778 x 1284 pixels), HDR; Chipset: Apple A14 Bionic; Memória RAM: não divulgado; Armazenamento interno: 128 GB, 256 GB ou 512 GB, sem possibilidade de expansão; Câmera traseira: tripla de 12 MP (f/1.6, principal) + 12 MP (f/2.4, ultrawide) + 12 MP (f/2.0, teleobjetiva zoom 4x óptico); Câmera frontal: 12 MP (f/2.2); Dimensões: 160,8 x 78,1 x 7,4 mm (AxLxP); Peso: 228 gramas; Bateria: capacidade não divulgada. Até 20 horas de reprodução de vídeo offline, 12 horas online, 80 horas de música, recarga sem fio de 15 W; Extras: 5G, Bluetooth 5.0, Face ID, suporte para WiFi 6, NFC; Cores disponíveis: azul, dourado, cinza e branco; Sistema operacional: iOS 14. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: COVID-19 | 80% dos pacientes recuperados têm problema de concentração e memória Presença de gás poluente pode indicar civilizações avançadas em outros planetas Depois de prever pandemia, Bill Gates se preocupa agora com duas novas ameaças Essa é a primeira foto de Marte feita pela missão chinesa Tianwen-1 Viagem para Marte | Como astronautas deverão ser tratados caso fiquem doentes? Veja Mais

COVID-19 | 80% dos pacientes recuperados têm problema de concentração e memória

canaltech Anteriormente, já levantamos o olhar para as consequências neurológicas carregadas pela COVID-19, mas nesta semana, um estudo do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor), da Faculdade de Medicina da USP, em São Paulo, traz dados alarmantes: 80% dos pacientes recuperados de COVID-19 apresentaram disfunções cognitivas, como perda de memória, dificuldade de concentração, compreensão e raciocínio. Como estará nossa saúde mental quando a pandemia tiver acabado? 18% dos pacientes com COVID-19 desenvolvem doença mental, segundo estudo Crescem sintomas neurológicos associados à COVID-19, segundo USP O estudo aponta que os pacientes também tiveram habilidades prejudicadas e problemas na execução de várias tarefas, além de mudanças comportamentais e emocionais e até confusão mental. Entretanto, as consequências da doença no cérebro podem ser tratadas se o diagnóstico for precoce. Vale alertar que até mesmo pacientes com quadros e sintomas leves ou assintomáticos tiveram sequelas neurológicas. A pesquisa faz pensar a respeito da importância de se submeter a uma avaliação clínica depois de se recuperar da COVID-19. Inclusive, o Incor menciona que a OMS (Organização Mundial da Saúde) aguarda os resultados finais do estudo para adotar a metodologia como padrão no diagnóstico e na reabilitação da disfunção cognitiva pós-COVID. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- 80% dos pacientes recuperados têm problema de concentração e memória, de acordo com estudo do Incor (Imagem:  Robina Weermeijer / Unsplash) Para chegar à descoberta, a equipe usou um jogo mental digital avaliativo. A primeira fase do estudo foi feita com 185 pessoas, entre março e setembro de 2020, mas atualmente já são 430 pacientes em acompanhamento na pesquisa. Segundo os pesquisadores, muitas pessoas perderam a coordenação motora e caem muito, o que acontece, segundo exames de ressonância magnética funcional, porque a função executiva é afetada em pessoas que já contraíram o SARS-Cov-2. A equipe ressalta que as sequelas cognitivas acontecem porque o vírus entra pelas vias aéreas, compromete o pulmão e, com isso, baixa o nível de oxigênio circulante. Em novembro do ano passado, um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Oxford apontou que 18% dos pacientes infectados com a COVID-19 desenvolvem uma doença mental (incluindo demência, depressão, ansiedade e insônia) em questão de três meses. Na ocasião, os pesquisadores também descobriram que pacientes com problemas psiquiátricos preexistentes tinham 65% mais probabilidade de serem diagnosticados com COVID-19.  Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Presença de gás poluente pode indicar civilizações avançadas em outros planetas Galaxy S21 Ultra vs. iPhone 12 Pro Max: qual é o melhor topo de linha? Depois de prever pandemia, Bill Gates se preocupa agora com duas novas ameaças Essa é a primeira foto de Marte feita pela missão chinesa Tianwen-1 Viagem para Marte | Como astronautas deverão ser tratados caso fiquem doentes? Veja Mais

Gravação de conversas do Clubhouse levanta preocupação de autoridades

Valor Econômico - Finanças Clubhouse é um serviço apenas para convidados, e os usuários não podem enviar convites sem dar ao aplicativo acesso total aos seus contatos, incluindo nomes e números de telefone O aplicativo de bate-papo por voz Clubhouse ganhou destaque nas últimas semanas como uma nova forma única de mídia social, atraindo uma grande variedade de fãs, de dissidentes chineses a Elon Musk. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Nina Wirtti saúda a liberdade feminina em single com música de Chico César e Socorro Lira

G1 Pop & Arte ♪ Um ano após pedir passagem como compositora com Loka (2020), samba de espírito folião apresentado pela artista em single editado em fevereiro do ano passado, Nina Wirtti – cantora gaúcha residente na cidade do Rio de Janeiro (RJ) – retorna ao mercado fonográfico com Deusa livre. Single editado via Circus em 11 de fevereiro, com capa que expõe arte de Gabi Lopes, Deusa livre traz registro de composição de Chico César em parceria com Socorro Lira. A música saúda a liberdade feminina. “Deus a livre de ser livre só de vez em quando / De ser presa fácil do bando”, joga com as palavras Nina na letra da composição gravada com produção musical dividida entre a artista, o irmão Guto Wirtti e o percussionista Marcelo Costa. O arranjo de Deusa livre é pontuado pelas guitarras distorcidas manuseadas por Guto (também no toque do baixo e dos sintetizadores). Embora até então inédita em disco, a música Deusa livre já tinha sido cantada por Nina Wirtti em show feito em 2020 – também com Guto e Marcelo – e transmitido pela internet. Capa do álbum 'Deusa livre', de Nina Wirtti Arte de Gabi Lopes Veja Mais

Apple Watch ultrapassa marca de 100 milhões de usuários no mundo

tudo celular Marco histórico para a linha Apple Watch chega após a confirmação de que existem 1 bilhão de iPhones ativos no mundo Veja Mais

Netflix: as 10 melhores séries francesas no catálogo do streaming

Netflix: as 10 melhores séries francesas no catálogo do streaming

Tecmundo Nos últimos anos, o público da Netflix viu diversas produções novas chegarem ao catálogo vindas de muitos lugares diferentes no mundo. A iniciativa da gigante do streaming é de poder realmente oferecer aos seus assinantes conteúdos variados que possam se relacionar ainda mais com os gostos individuais.Leia mais... Veja Mais

O céu (não) é o limite | Missões chegando a Marte, Oumuamua e muito mais!

canaltech Hoje é sábado, dia que marca o fim de mais uma semana e, como de costume, o Canaltech chega com o "resumão" das principais notícias espaciais que estamparam o noticiário nos últimos sete dias. Essa semana ficou marcada como "a" semana da chegada de novas (e históricas) missões a Marte, então se liga que tem bastante coisa boa nas linhas abaixo! Missões históricas entrando na órbita marciana Em julho do ano passado, três países aproveitaram a curta janela de máxima aproximação periódica entre Terra e Marte para lançar novas missões ao Planeta Vermelho. Estamos falando dos Estados Unidos, China e Emirados Árabes Unidos — e as naves dos dois últimos já chegaram a seu destino. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Primeiro foi a árabe Hope Mars, que entrou na órbita de Marte no dia 9 com sua sonda orbital. A missão passará dois anos estudando o clima marciano e também fazendo um mapeamento global do planeta. Com isso, os Emirados Árabes se tornaram a quinta nação da história a chegar ao Planeta Vermelho. تمت المهمة بنجاح Mission Accomplished #العرب_إلى_المريخ pic.twitter.com/BxPQiJM0Sq — HH Sheikh Mohammed (@HHShkMohd) February 9, 2021 No dia seguinte, foi a vez da chinesa Tianwen-1 entrar na órbita de Marte, levando um orbitador, um lander e um rover — estes cujo pouso está previsto para o mês de maio. Agora, a China se tornou o sexto país a entrar na órbita marciana. A ideia é que o orbitador fotografe e produza mapas de Marte para identificar o melhor local de pouso e, depois disso, o módulo que contém o rover em seu interior irá descer para a superfície marciana. Essa é uma etapa crítica da missão e, se tudo correr bem, o lander irá liberar o rover na superfície do planeta para passar cerca de três meses estudando a geologia marciana e a possível distribuição de água congelada. #BREAKING China's first Mars probe Tianwen-1 has successfully entered the orbit of the red planet after a crucial “brake” to decelerate and be captured by Mars gravity, according to #CNSA. pic.twitter.com/jx2TaN9Z8l — CGTN (@CGTNOfficial) February 10, 2021 Já a missão dos Estados Unidos se chama Mars 2020 e seu pouso acontece na próxima semana, especificamente na quinta-feira (19). Clique aqui para saber mais sobre a missão árabe e clique aqui para saber mais sobre a missão chinesa. Imagens da Tianwen-1 em Marte Pouco antes de entrar na órbita marciana, a missão chinesa Tianwen-1 liberou a primeira foto que tirou do Planeta Vermelho. A foto em preto e branco mostra algumas formações geológicas do planeta, como a cratera Schiaparelli e os grandes cânions de Valles Marineris, que se estendem por mais de 4 mil quilômetros. A imagem foi feita a cerca de 2,2 milhões de quilômetros de distância de Marte. A primeira imagem de Marte feita pela Tianwen-1 (Imagem: Reprodução/China National Space Administration) E, logo após o sucesso da inserção orbital, a Tianwen-1 também nos enviou imagens de como foi essa entrada — imagens essas que foram reunidas em um vídeo, divulgado pela agência espacial chinesa. No vídeo, podemos ver Marte entrando de pouco a pouco no campo de visão da câmera da sonda. É possível notar também um pouco de vibração na filmagem, que foi causada pela ativação dos motores durante o voo do lado diurno do planeta para o noturno. Por fim, podem ser vistos brevemente alguns componentes da sonda, como o painel de energia solar e a antena direcional. O planeta e suas crateras aparecem em preto e branco nas imagens, em contraste com a escuridão do espaço.   Clique aqui para saber mais sobre a primeira foto da Tianwen-1 e clique aqui para saber mais sobre o vídeo que revela a entrada orbital em Marte. Seria essa a explicação do objeto interestelar Oumuamua? (Imagem: Reprodução/Stuart Rankin) Desde que foi flagrado "passeando" pelo Sistema Solar em 2017, o objeto interestelar Oumuamua rende muita discussão — e muitas polêmicas, também, já que alguns cogitam a possibilidade de ele ser uma nave alienígena. Mas tudo indica que sua natureza é muito menos fantástica do que o imaginário popular possa prever. Um novo estudo sugere que o Oumuamua pode ser rico em gelo de nitrogênio que, ao sublimar, daria um impulso ao objeto, o que explicaria sua estranha aceleração no período em que pôde ser observado aqui da Terra. A história é longa e complexa, mas clicando aqui você compreende tudo. Veja uma nave russa queimando na atmosfera da Terra Farewell, Progress 76P MS-15! #Russian cargo spacecraft undocked from #ISS, and successfully burned up. #ロシア プログレス宇宙船、役目を終えて大気圏突入時の夜空に燃え尽きる瞬間を見事に捉えました!#はやぶさ 思い出すと泣けます。。。 pic.twitter.com/2OLMrlmAKO — NOGUCHI, Soichi 野口 聡-(のぐち そういち) (@Astro_Soichi) February 9, 2021 Após completar uma missão de abastecimento de quase 200 dias de duração, a nave cargueira russa Progress MS-15 se desacoplou da Estação Espacial Internacional para voltar à Terra. Seus componentes estruturais não combustíveis foram direcionados para caírem em uma região do Oceano Pacífico, enquanto o restante da estrutura da nave se rompeu e queimou na atmosfera da Terra — e os astronautas a bordo da ISS flagraram este momento. Saiba mais clicando aqui. Exoplanetas com atmosferas "contaminadas" podem indicar vida Ilustração de um exoplaneta tecnologicamente avançado, com cores exageradas que representam a poluição atmosférica (Imagem: Reprodução/Reprodução/NASA/Jay Freidlander) Ainda não encontramos uma prova definitiva da existência de vida em outros planetas — nem mesmo microbiana, que dirá tecnologicamente avançada. Mas desistir não é uma opção, e cientistas propõem que, ao se analisar a composição da atmosfera de exoplanetas, procurar por gases poluentes ali pode ser uma boa maneira de, quem sabe, descobrir que ali existe alguma civilização tecnologicamente avançada, com processos industriais tal qual acontece na Terra. Entre esses gases poluentes, foi proposto dar uma atenção especial ao dióxido de nitrogênio, que é produzido em nosso planeta por meio da queima de combustíveis fósseis, ainda que também seja fruto de processos naturais (incluindo biológicos). A equipe trabalhou com modelos computacionais para verificar como o dióxido de nitrogênio poderia gerar sinais detectáveis por telescópios, descobrindo que, se um exoplaneta como a Terra orbitar uma estrela como o Sol em sua zona habitável, uma civilização que produz a mesma quantidade de dióxido de nitrogênio que a nossa poderia ser identificada a até 30 anos-luz de distância, em cerca de 400 horas de observação. Ficou intrigado? Clique aqui para ler mais a respeito. Observando possível planeta em Alpha Centauri A dupla Alpha Centauri A e Alpha Centauri B (Imagem: Reprodução/ESO/L. Calçada/Nick Risinger) Se tal planeta pode confirmado, este pode ter sido o primeiro mundo na zona habitável de uma estrela a ser observado diretamente. Estamos falando do sistema de Alpha Centauri, a apenas 4,37 anos-luz de nós, com este possível planeta aparecendo ao redor da estrela Alpha Centauri A. A equipe envolvida somou 100 horas de observações em um total de 10 noites em 2019 para produzir essa provável descoberta. Eles examinaram as observações desde então, encontrando um pequeno ponto luminoso que emitia um brilho muito acima do ruído de fundo existente. E o melhor ainda: esse ponto luminoso estava na zona habitável da estrela. Clique aqui para descobrir mais detalhes sobre essa observação. Confirmada a existência de um objeto muito, muito longe no Sistema Solar Animação que mostra as imagens da descoberta do FarFarOut (Imagem: Reprodução/Scott S. Sheppard/Carnegie Institution for Science) Em 2018, pesquisadores detectaram um objeto que, se confirmado, poderia ser o mais distante já encontrado no Sistema Solar. Agora, sua existência acaba de ser confirmada, e o objeto ganhou o apelido de "FarFarOut" — algo como "muito, muito longe". O nome é uma brincadeira com o apelido de outro objeto extremamente distante também descoberto em 2018, que foi chamado de "Farout" (ou "muito longe"). O FarFarOut fica a 132 unidades astronômicas de distância do Sol, o que é mesmo muito, muito longe. Considere que uma UA é a distância média entre a Terra e o Sol, que é de quase 150 milhões de km. Tamanha distância também significa um período orbital demorado, e o objeto leva mil anos para dar uma volta completa ao redor da nossa estrela. Para conhecer mais sobre esse objeto tão distante, clique aqui. Leia também: Construído há 12 mil anos, templo Gobekli Tepe segue intrigando arqueólogos Afinal, onde está a maior parte da água no planeta Terra? 5 motivos para assistir Os Eleitos, nova série espacial do Disney+ Como são as galáxias além da Via Láctea? Conheça os principais tipos Destaques da NASA: fotos astronômicas da semana (06/02 a 12/02/2021) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Presença de gás poluente pode indicar civilizações avançadas em outros planetas Depois de prever pandemia, Bill Gates se preocupa agora com duas novas ameaças Essa é a primeira foto de Marte feita pela missão chinesa Tianwen-1 Uso de duas máscaras pode bloquear 92% de partículas no ar, diz pesquisa do CDC Galaxy S21 Ultra vs. iPhone 12 Pro Max: qual é o melhor topo de linha? Veja Mais

Justiça concede alvará de soltura para Crivella, ex-prefeito do Rio

O Tempo - Política Ele deverá cumprir medidas cautelares decididas STF. Entre elas, a proibição de entrar em contato com qualquer pessoa citada no processo e também de deixar o país Veja Mais

'EUA estão desmoronando': o multimilionário que pede que os mais ricos paguem mais impostos

G1 Economia Morris Pearl, ex-diretor de um dos maiores fundos de investimentos do mundo, lidera grupo de magnatas americanos que defendem que os mais endinheirados contribuam mais para a arrecadação pública. Em meio à pandemia da Covid-19, manifestantes pedem que os multimilionários dos Estados Unidos paguem mais impostos GETTY IMAGES via BBC Pode parecer estranho que um multimilionário peça que lhe cobrem mais impostos. Nos Estados Unidos, entretanto, um grupo de magnatas formou a organização "Patriotas Milionários" justamente para pedir que os mais ricos contribuam mais para a arrecadação pública. Ela é presidida por Morris Pearl, um ex-diretor de um dos maiores fundos de investimentos do mundo, o BlackRock, que agora vive da rentabilidade de seus investimentos, após uma carreira de sucesso em Wall Street. Pearl argumenta que os Estados Unidos deveriam seguir caminho semelhante ao da Argentina e criar um imposto sobre a riqueza para enfrentar a crise econômica gerada pela pandemia da Covid-19. Ex-diretor no BlackRock, Pearl foi diretor da BlackRock hoje preside a organização Milionários Patriotas PATRIOTIC MILLIONAIRES via BBC Em dezembro passado, o país sul-americano aprovou um novo imposto sobre as grandes fortunas que será aplicado uma vez e que tributa aqueles que têm patrimônio superior a 200 milhões de pesos (cerca de R$ 13 milhões). Esse imposto deve variar de 2% a 3,5%, de acordo com o valor do patrimônio. Com a nova medida, o governo de Alberto Fernández afirmou que planeja arrecadar cerca de US$ 3 bilhões, que devem ser usados para financiar suprimentos médicos e programas de ajuda econômica às famílias mais afetadas pela crise. O magnata Morris Pearl não apoia apenas a criação de um imposto emergencial para mitigar os efeitos da pandemia. Ele defende que o sistema tributário dos Estados Unidos seja modificado para que os multimilionários façam contribuições maiores — de maneira permanente — aos cofres públicos, principalmente agora que a Bolsa de Valores está em um período de altas históricas. "Nos últimos 10 meses, ganhei milhões de dólares" em meio a uma das piores crises econômicas das últimas décadas, diz Pearl. Por isso, acredita que ele e os demais milionários que tiveram grandes lucros deveriam pagar um imposto por suas fortunas. Abaixo, confira a entrevista de Pearl à BBC News Mundo, serviço em espanhol da BBC. Recentemente, as bolsas chegaram a máximas históricas em meio a uma euforia que contrasta com os brutais efeitos econômicos da pandemia para a população GETTY IMAGES via BBC BBC News Mundo - Por que você escreveu que os EUA deveriam seguir o exemplo da Argentina e aprovar imposto sobre grandes fortunas? Morris Pearl - Aqui nos Estados Unidos você só paga impostos pela sua renda, não sobre a sua riqueza. Pessoas realmente ricas deveriam pagar um imposto sobre a riqueza. Por isso digo que os Estados Unidos deveriam copiar a Argentina e aprovar um imposto aos mais ricos. BBC News Mundo - De que nível de riqueza estamos falando? Pearl - De pessoas que ganharam milhões e milhões de dólares durante essa crise, como Jeff Bezos, o fundador da Amazon. Ele quase não paga impostos, porque não tem renda que seja entendida como um salário. Ele não precisa receber um salário, porque é multimilionário. Os multimilionários, que aumentaram muito suas fortunas, também deveriam pagar impostos. Aqueles que são realmente ricos não estão pagando muitos impostos. Neste país, algumas pessoas se deram muito bem. O mercado de ações está em seu pico histórico. Banqueiros e advogados que trabalham em suas casas estão muito bem. Mas as outras pessoas, que trabalham em restaurantes, hotéis ou companhias aéreas, estão com problemas. Muitos perderam o emprego, não têm condições de pagar o aluguel e isso, ao mesmo tempo, causa problemas aos proprietários desses estabelecimentos e aos locais em que essas pessoas compram (seus insumos). Existe uma grande divisão entre os que têm e os que não têm. Pearl assegura que um aumento de impostos aos mais ricos dos Estados Unidos somente afetaria algumas centenas de pessoas GETTY IMAGES via BBC BBC News Mundo - Quanto cresceu a desigualdade devido à crise econômica causada pelo novo coronavírus? Pearl - Não tenho estatísticas, mas acho que aumentou muito. Algumas pessoas se tornaram extraordinariamente ricas. Faz muitos anos que eu não trabalho, só faço serviços voluntários. Porém, ainda assim estou mais rico agora do que quando me aposentei. Eu ganhei muito dinheiro no ano passado mesmo sem trabalhar. Mas aqui em Nova York há muitas pessoas desempregadas e há mais desigualdade social agora do que há um ano. BBC News Mundo - Quanto mais rico você se tornou durante a pandemia? Pearl - Nos últimos 10 meses, ganhei milhões de dólares. BBC News Mundo - Vamos voltar para a Argentina. Quando esse imposto foi aprovado, que será cobrado somente uma vez dos mais ricos, houve forte oposição por parte dos empresários, que criticaram as medidas por taxar a riqueza produtiva. Eles dizem que esse imposto afeta novos investimentos e, portanto, a criação de empregos e a reativação da economia. Qual é a sua opinião? Pearl - Para os Estados Unidos, estamos propondo que subam os impostos a quem tem uma riqueza superior a US$ 1 bilhão. Esse é um limite cerca de 400 vezes maior que o valor estabelecido na Argentina. Grande parte da riqueza pode ser vista como riqueza produtiva, de uma forma ou de outra. Eu tenho ações da Amazon e, por exemplo, poderíamos dizer que essa é uma riqueza produtiva porque produz algo, mas não há nenhuma razão pela qual eu não tenha que pagar imposto pelo aumento gigantesco da minha fortuna no ano passado. É que, no final, qualquer riqueza pode ser produtiva, dependendo de como a define. O que propomos é taxar uma riqueza a partir de US$ 1 bilhão. Estamos falando dos mais ricos, que representam algumas centenas de pessoas. Durante o governo Donald Trump houve uma reforma tributária que reduziu os impostos GETTY IMAGES via BBC BBC News Mundo - Mas na Argentina alguns empresários dizem que tiveram que vender máquinas para pagar o imposto. Quer dizer, não estamos falando apenas daqueles que são muito ricos... Pearl - Na Argentina, eles tributaram 2% do patrimônio de uma pessoa a partir de um determinado valor. Quem tem que pagar esse imposto fica com os outros 98%. Portanto, me parece bom que os muito ricos fiquem com 98% de suas fortunas. Imposto sobre grandes fortunas foi uma das questões mais debatidas antes das eleições dos EUA GETTY IMAGES via BBC BBC News Mundo - Estamos falando de um imposto que varia de 2% a 3,5% que foi promovido por um governo considerado de esquerda. Você acredita que nos Estados Unidos tal medida teria apoio político no Congresso? Pearl - É difícil saber. Algum apoio, sim, existe. Dentro do Partido Democrata há um amplo espectro de posições políticas, algumas mais à esquerda e outras mais ao centro. A verdade é que não sei o que vai acontecer politicamente. Estamos muito motivados a aplicar algum imposto à riqueza, mas não sei se haveria apoio suficiente no Congresso para aprovar uma lei desse tipo. BBC News Mundo - Qual é exatamente a sua proposta para os Estados Unidos e quanto poderia ser arrecadado? Pearl - O imposto teria de ser pago por algumas centenas de pessoas. Sobre quanto dinheiro poderia ser levantado, não acho que seja o mais importante. Ao contrário da Argentina, os Estados Unidos emitem dólares, o que nos permite ter uma margem de déficit orçamentário. Não estou tão preocupado sobre quanto dinheiro poderíamos conseguir. Estou mais preocupado com o fato de termos uma desigualdade crescente. No fim de 2017, o sistema tributário foi alterado e isso agravou a desigualdade (no período, durante o governo Donald Trump, houve uma reforma tributária que reduziu impostos e favoreceu as empresas). Por isso, acredito que temos que mudar o rumo e os mais ricos precisam pagar mais impostos que o cidadão comum que trabalha para viver. Em Nova York e em outras cidades dos EUA, diversas ações foram organizadas para ajudar os mais afetados pela crise econômica GETTY IMAGES via BBC BBC News Mundo - Aqueles que se opõem à criação de um imposto sobre a riqueza costumam argumentar que a Europa é o melhor exemplo do fracasso desse imposto, já que na década de 90, 12 países tinham esse imposto, e agora somente três continuam: Suíça, Noruega e Espanha. E a razão do fracasso, dizem especialistas, é que os ricos levaram o dinheiro para outros países para evitar esse imposto… Pearl - Não acho que as pessoas vão deixar os Estados Unidos. Pessoas que moram aqui e pagam impostos se sentem seguras aqui. Este é um país seguro, em comparação a outras nações. A situação é diferente da Europa. Como existe a União Europeia, é mais fácil transferir o dinheiro de um país para outro. E quem tem fortuna nos Estados Unidos, em geral, paga menos impostos do que em outros países europeus. Em diferentes cidades dos Estados Unidos, voluntários dividem caixas de comida para quem está sofrendo com os piores efeitos da atual crise GETTY IMAGES via BBC Bom, quem quiser pagar menos impostos pode morar até no Zimbábue, por exemplo, mas não acho que queiram morar lá. O pagamento de impostos é exatamente o que te permite viver em um país como os Estados Unidos. BBC News Mundo - No debate no Reino Unido sobre a criação de um imposto único sobre o patrimônio para enfrentar os efeitos econômicos da pandemia, alguns dizem que isso pode abrir a porta para o aumento de outros impostos. O que pensa a respeito disso? Pearl - Não estamos propondo um imposto de uma única vez nos Estados Unidos. Estamos propondo que os multimilionários paguem mais impostos de maneira permanente. Isso afetaria uma pessoa em um milhão. BBC News Mundo - O que acha da ideia de aumentar os impostos sobre as empresas, não apenas do patrimônio pessoal? Pearl - Sim, também concordamos em aumentar os impostos sobre as empresas. Em nossa organização, Milionários Patriotas, estamos preocupados com grandes empresas que dizem que seus lucros estão em outros países com impostos menores, como a Irlanda, por exemplo. BBC News Mundo - Algumas pessoas criticaram o senhor, dizendo que sua postura em relação aos impostos é bastante cínica, porque agora que está aposentado defende o aumento dos impostos, mas nunca fez isso enquanto trabalhava em Wall Street. Por que não fez isso antes? Pearl - Venho defendendo isso nos últimos 10 anos. Antes, quando trabalhava, ganhava dinheiro com o salário que as empresas de Wall Street me pagavam. O que mudou é que agora todo o dinheiro que ganho vem da minha fortuna. São os lucros que faço com meus investimentos. É por isso que um imposto sobre a fortuna me afetaria muito mais agora do que antes, quando eu estava trabalhando. BBC News Mundo - Como você bem sabe, há multimilionários que não têm nenhum interesse em reduzir a desigualdade, que não têm nenhum tipo de ação para tentar contornar esse cenário. Como você convence essas pessoas de que devem pagar mais impostos? Pearl - O que estou dizendo é que o nosso país está desmoronando. Temos gente protestando nas ruas e temos tumultos. A razão por trás dos protestos é a enorme desigualdade. Não é o país onde eles querem viver. Se a desigualdade piora, dificulta que o país seja atrativo para investimentos. Digo aos meus amigos ricos que eles também deveriam ser a favor de reduzir a desigualdade, porque temos um país muito dividido e isso não é uma característica de um bom lugar para ter a sua família e fazer investimentos. Os melhores lugares para investir são aqueles onde há uma classe média forte, não um lugar repleto de pobreza. Veja Mais

Donald Trump é absolvido no processo de impeachment pelo Senado dos EUA

O Tempo - Mundo Os senadores votaram por 57 votos a favor e 43 contra para condenar Trump, mas não alcançaram a maioria de dois terços exigida para uma condenação Veja Mais

Rajadas rápidas de rádio: saiba o que são e o que os cientistas já descobriram

canaltech Talvez você já tenha lido algo sobre as rajadas rápidas de rádio, também conhecidas pelo termo fast radio bursts, do inglês — ou simplesmente pela abreviação FRB. São verdadeiros disparos explosivos em ondas de rádio, muito intensos, liberando quantidades enormes de energia pelo universo — algumas com mais energia do que o nosso Sol produz em 80 anos. Mas de onde vêm essas rajadas? E, mais importante, o que causa essas explosões? Essa pode ser a explicação para o misterioso desaparecimento da Lua há 900 anos Cientistas identificam gás frio e misterioso no centro da Via Láctea Sinal de rádio ajuda cientistas na descoberta da matéria faltante do universo Se você não faz ideia da resposta, não se preocupe, os astrônomos também estão intrigados. A primeira detecção de uma FRB foi em 2007, e até hoje ainda não se sabe exatamente o que as causa. As explosões rápidas de rádio são atualmente um dos grandes mistérios do universo e há muitos pesquisadores empenhados em solucioná-lo. E isso é ótimo, pois desde sua descoberta os cientistas aprenderam muitas coisas sobre o assunto. Eis algumas delas. O início do mistério das FRB Uma das FRBs foi rastreada até sua origem na periferia da pequena galáxia SDSS J015800.28+654253.0I (Imagem: Reprodução/Observatório Gemini/AURA) Os pulsos intensos têm poucos milissegundos de duração, mas são o suficiente para saber muita coisa sobre eles. Por exemplo, a distância que percorreram até chegar aos instrumentos científicos que os detectou, aqui na Terra. É que quando os astrônomos medem uma FRB, é possível ver a quantidade total de gás que passou por ela durante toda a sua jornada em direção ao nosso planeta Terra. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- O primeiro FRB descoberto foi detectado em 2007 por uma equipe liderada pelo astrônomo anglo-americano Duncan Lorimer, através do radiotelescópio Murriyang, também conhecido como Parkes Observatory, que fica na Austrália. A equipe encontrou um pulso tão incrivelmente brilhante que os astrônomos pensaram que poderia nem mesmo ser real. Era algo incomum demais, sem nenhuma explicação possível na época. Quando fizeram a medida de quanta poeira cósmica foi atravessada pela rajada durante sua jornada à velocidade da luz, os astrônomos concluíram que a FRB teria que ter viajado por muitas regiões do universo para passar por tanto material. O que quer que tenha produzido aquela rajada de rádio deveria estar localizado a bilhões de anos-luz de distância. A equipe de Lorimer não podia apontar com precisão nenhum lugar, pois as medições do Murriyang eram muito limitadas para saber de onde veio a rajada. Mas eles sabiam que a fonte da energia era uma galáxia distante da Via Láctea. Localizando a fonte das FRB O Very Large Array (Imagem: Reprodução/Jeff Hellermann/NRAO/AUI/NSF) Para identificar a localização das FRB, foi necessário esperar alguns anos até que uma nova rajada fosse detectada. Além disso, os astrônomos sabiam que da próxima vez precisavam detectar a FRB com um interferômetro de rádio, que é uma instalação composta por uma série de antenas espalhadas por pelo menos alguns quilômetros no solo terrestre. Nesse tipo de observatório, os cientistas poderiam obter a leitura daquele único sinal, de curtíssima duração, através de vários telescópios combinados. Com essa estratégia, o observatório pode produzir uma imagem de um FRB com detalhes suficientes para ver em qual galáxia a explosão aconteceu. Não só isso, mas em alguns casos os astrônomos podem descobrir em que lugar daquela galáxia a fonte da FRB está localizada. Em 2012, uma nova FRB foi detectada, e dessa vez a fonte emitiu muitas rajadas. A primeira explosão foi descoberta em 2012, com o telescópio de Arecibo, em Porto Rico, enquanto as demais foram detectadas pelo Very Large Array, no Novo México, que é um observatório de radioastronomia composto por 27 antenas independentes, cada uma com um disco de diâmetro de 25 metros. Era o lugar ideal para investigar as FRB. Naquela ocasião, os pesquisadores descobriram que as rajadas vinham de uma pequena galáxia a cerca de 3 bilhões de anos-luz de distância da Terra. Foi um grande avanço para a pesquisa das FRB, mas ainda não era o suficiente para responder todas as perguntas. Os astrônomos não puderam descobrir qual objeto exatamente estava emitindo rajadas tão intensas, embora algumas hipóteses fossem cogitadas. Entre as hipóteses estavam inclusos objetos como estrelas de nêutrons, buracos negros, pulsares com estrelas companheiras, magnetares, entre outros. E claro, alguns pesquisadores, como Avi Loeb, propuseram que os sinais poderiam vir de naves alienígenas, mas a ideia não é levada muito em consideração. Também houve uma série de outras detecções que, mais tarde, se mostraram ser de fonte terrestre. Antenas Murchison Widefield Array (Imagem: Reprodução/Dragonfly Media) Foi só em 2018 que os cientistas tiveram outra oportunidade de observar uma FRB, dessa vez através do radiotelescópio Australian Square Kilometer Arrometer Pathfinder (ASKAP), localizado no Observatório de Radioastronomia (MRO) de Murchison. Ele identificou um sinal que ficou conhecido como FRB 181112, e era composto por múltiplos pulsos, cada um com duração inferior a 40 microssegundos. Essa detecção foi particularmente positiva, pois a equipe responsável conseguiu detectar o local onde a rajada foi liberada, uma galáxia bastante comum, ao contrário da galáxia de onde veio a FRB anterior. Os pesquisadores publicaram um artigo sobre a FRB 181112, e este trabalho garantiu à equipe um prêmio anunciado no dia 10 de fevereiro de 2021 pela American Association for the Advancement of Science . Depois da FRB 181112, outras equipes localizaram mais rajadas, totalizando cerca de uma dúzia de FRB, oriundas de várias galáxias diferentes entre si — grandes e pequenas, jovens e velhas. Essa variedade tão grande de galáxias é mais um mistério, mas também uma dica importante para encontrar a verdadeira fonte das FRB. No início de 2020, mais explosões de raios-X de foram detectadas, provenientes de uma galáxia radicalmente diferente de todas as outras de onde os FRBs estudados anteriormente vieram. Poucos meses depois, uma nova detecção foi noticiada, dessa vez pelo telescópio orbital Swift. A essa altura, a hipótese de que se as FRB sejam emitidas por magnetares ganhou mais força. Dois telescópios, o CHIME, no Canadá, e o STARE2, nos Estados Unidos, detectaram uma explosão de rádio muito brilhante, acompanhada de raios-X, proveniente de uma estrela muito magnética em nossa Via Láctea. Isso mostra que estrelas de nêutrons podem ser uma fonte das FRB que vemos em galáxias distantes. A liberação simultânea de raios X e ondas de rádio revelou pistas importantes que apontam para as megnetares, mas ainda é cedo para bater o martelo nessa questão. É preciso mais detecções e mais análises para comprovar a hipótese. O futuro da pesquisa de FRB Conceito artístico de uma magnetar, uma forte candidata a fonte de FRBs (Imagem: Reprodução/ESO/L. Calçada) Pesquisadores esperam que 2021 seja um ano no qual as FRB mais distantes já detectadas sejam registradas. É que uma equipe da Caltech está construindo uma instalação especificamente dedicada a encontrar FRBs, por isso é possível que muitas novidades estejam prestes a ser anunciadas. Além disso, o telescópio CHIME tem agora a maior amostra de sinais de FRB e esses dados estão sendo compilados em um catálogo sistemático que estará disponível para os astrônomos em breve. Na Austrália, os pesquisadores estão desenvolvendo um novo supercomputador para detecção de FRB no ASKAP, e prometem encontrar rajadas de fontes mais distantes. De acordo com por Ryan Shannon e Keith Bannister, que fazem parte dessa equipe, o computador “transformará o ASKAP em uma câmera de vídeo de alta velocidade e alta definição e fará um filme do universo a 40 trilhões de pixels por segundo”. Caso explosões provenientes de galáxias mais distantes sejam encontradas, os astrônomos poderão estudar melhor as FRB e entender o que causa essas rajadas intensas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: COVID-19 | 80% dos pacientes recuperados têm problema de concentração e memória Presença de gás poluente pode indicar civilizações avançadas em outros planetas Depois de prever pandemia, Bill Gates se preocupa agora com duas novas ameaças Galaxy S21 Ultra vs. iPhone 12 Pro Max: qual é o melhor topo de linha? Viagem para Marte | Como astronautas deverão ser tratados caso fiquem doentes? Veja Mais

Little Nightmares II assusta pela qualidade e competência

Little Nightmares II assusta pela qualidade e competência

Tecmundo A cada ano que passa fica mais complicado aterrorizar as pessoas, seja com um filme, uma série ou com um game de terror. Com a realidade do nosso mundo, de pandemias, assaltos e desigualdades sociais, os diretores tentam quebrar a cabeça para achar uma nova fórmula. Desde os primeiros sustos que eu tomei, com as maravilhosas películas de Alfred Hitchcock, os anos foram tratando de apaziguar nossos lados mais assustadores. Alguns cineastas tiveram muito êxito nisso, como Tobe Hooper e Sean Cunningham, que nos apresentaram as obras primas O Massacre da Serra Elétrica (1974) e Sexta-feira 13 (1980). Já nos videogames, houve tentativas certeiras, como os primeiros jogos da série Silent Hill e o clássico Resident Evil. Recentemente, tivemos o sucesso das franquias Amnesia, Dead Space e Outlast.Leia mais... Veja Mais

Streaming de filmes de artes, MUBI estará de graça por 24h neste domingo

O Tempo - Diversão - Magazine Acesso gratuito será liberado em todo o mundo, para comemorar o aniversário de 14 anos da plataforma Veja Mais

Como fazer posts animados com o Canva

canaltech O Canva (Android | iOS | Web) é um editor de vídeos e imagens que oferece diversos templates para que seus usuários criem banners, cartões de visita, papéis de parede para celular e até mesmo posts animados para redes sociais. Como criar um banner usando o Canva Como criar papel de parede personalizado para celular no Canva Como usar o Canva para criar imagens e vídeos personalizados para redes sociais Se você quer deixar a sua rede social mais viva e interativa, saiba que pode criar estes posts animados de maneira rápida e prática na plataforma, além de deixá-los com a sua cara. Confira abaixo o passo a passo para criar um!  Como fazer posts animados com o Canva Passo 1: abra o site do Canva em seu PC, faça o login com a sua conta e utilize o campo de buscas para procurar por “Animações para redes sociais”; -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Acesse a plataforma Canva e procure por "Animações para redes sociais" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 2: localize um template que você queira utilizar ou crie um design em branco; Selecione um dos templates ou crie um em branco (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 3: com o template selecionado, ajuste a parte escrita do post; Selecione o item de escrita e faça os ajustes dele (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 4: após inserir o texto, faça os ajustes de posição e formatação usando o menu superior; Insira um novo texto e ajuste a sua posição e formatação (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 5: acesse a aba “Uploads” no menu lateral e faça o upload de novas imagens para fazer a composição do seu post; Faça o upload de novas imagens para compor o seu post (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 6: clique na imagem e faça os ajustes de tamanho e posição; Ajuste a posição e tamanho da nova imagem dentro do seu post (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 7: apesar de o post já conter uma animação, você pode criar uma para a composição inteira. Clique fora da imagem e selecione o item “Animar” no menu superior; Crie uma animação para o seu post clicando em "Animar" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 8: selecione um dos efeitos do menu exibido em seguida e verifique qual combina mais com o seu post; Selecione um dos efeitos disponíveis no menu exibido (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 9: finalizados os ajustes, clique em “Baixar” no canto superior direito para poder fazer o download do vídeo do seu post; Finalizados os ajustes, clique em "Baixar" para baixar o vídeo do seu post (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 10: caso queira, clique no ícone de “Três pontos” no canto superior direito e compartilhe o post animado que você criou direto nas suas redes sociais. Caso queira, já pode compartilhá-lo diretamente em uma rede social (Captura de tela: Matheus Bigogno) Pronto! Agora você pode usar o editor Canva para criar posts animados e compartilhá-los em suas redes sociais. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: COVID-19 | 80% dos pacientes recuperados têm problema de concentração e memória Presença de gás poluente pode indicar civilizações avançadas em outros planetas Galaxy S21 Ultra vs. iPhone 12 Pro Max: qual é o melhor topo de linha? Depois de prever pandemia, Bill Gates se preocupa agora com duas novas ameaças Essa é a primeira foto de Marte feita pela missão chinesa Tianwen-1 Veja Mais

Ex-presidenciável pelo MDB, Henrique Meirelles se filia ao PSD

O Tempo - Política A chegada do ex-ministro foi comemorada pelo presidente nacional da sigla, o ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab Veja Mais

'Oposição sistemática a Bolsonaro não adianta', diz Eduardo Leite

O Tempo - Política O governador do Rio Grande do Sul adotou tom moderado em relação ao Planalto, fazendo contraponto ao também tucano João Doria Veja Mais

Crítica | Bliss: Em Busca da Felicidade pode estar ao nosso lado

canaltech   Existe uma confusão muito provável a partir da primeira impressão deixada por Bliss: Em Busca da Felicidade. Teríamos assistido a um filme ambíguo, que deixa em aberto a sua percepção de mundo? Ou será que o conceito do roteirista e diretor Mike Cahill (de O Universo no Olhar — lançado em 2014) é fechado e aponta para uma única direção? O ponto principal, antes de tudo, é que o filme em questão, antes de necessitar de compreensão, mira em sensações, em experiências. A partir disso, constrói sua história. Esta, sim, pode ter um caráter dúbio, mas talvez baste uma entrega maior, um tempo de digestão ou um pensar mais ativo sobre tudo para que se perceba o quanto o que foi visto é rico justamente por ser direto e real. Os lançamentos do Amazon Prime Video em fevereiro de 2021 Atenção! Esta crítica pode conter spoilers sobre o filme! -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- O peso Claro que a maneira com a qual Cahill trata a realidade é metafórica (mas nem tanto), como muitas das melhores ficções científicas o fazem. Portanto, existe uma dramatização que consegue extrapolar o que é mais palpável para que, à primeira vista, o que é mostrado torne-se ameno. Isso traz um tom de sensibilidade que é fundamental para que Bliss: Em Busca da Felicidade seja mais facilmente digerível. A fantasia do filme, portanto, tem força para tirar tanto espectador quanto os protagonistas da realidade. Nesse sentido, a existência por si só é algo sofrido demais para ser expositiva. Greg Wittle (Owen Wilson), recém-divorciado, despedido e sem perspectivas, vive em um mundo literalmente quase sem cor. A opção pela dessaturação das cenas cria uma atmosfera quase repulsiva. Praticamente sem brilho e em um mundo nublado, é construído um universo depressivo ao redor de um homem em colapso. Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? O mundo dessaturado e sem brilho. (Imagem: Reprodução/Amazon Prime Video) Susceptível a qualquer pessoa que lhe estenda a mão, Greg logo se une a Isabel Clemens (Salma Hayek), alguém que, supostamente, tem a verdade sobre os fatos. Acontece que Cahill está muito mais interessado no mundo que está sendo formado dentro da mente da personagem de Wilson do que naquele que já tem consistência para Isabel. E, sim, são dois mundos diferentes — apesar de surgirem de um mesmo processo. Isso porque Bliss (sem subtítulo no original), a esse ponto, é um estudo de personagem que, se já tem início com a consistência da depressão enquanto a doença que é, logo recai em uma das consequências desse mal. A satisfação de Greg em sentir-se com superpoderes a partir de uma droga consegue segurá-lo naquele novo mundo. As outras pessoas, tidas como irreais, passam a não ter mais o valor pejorativo que tinham em sua trajetória. Com isso, Greg começa a se desfazer do peso da ansiedade. Conheça a história do 'Bliss', o famoso papel de parede do Windows XP O declínio Tudo é erguido pela direção a partir de subtextos. Por mais que o filme não seja claro ao extremo, há, constantemente, a colocação do espectador dentro da experiência dos protagonistas. Isso fica mais nítido a partir da escolha de closes nos momentos mais introspectivos e, especialmente, quando da utilização da câmera subjetiva — colocando o público no lugar da visão de Greg e Isabel. A câmera subjetiva de Greg. (Imagem: Reprodução/Amazon Prime Video) Esses momentos, aliás, podem deixar tudo muito mais compreensível sobre o que está acontecendo. Seja quando, na pista de patinação, a dupla derruba todos os "irreais" com seus "superpoderes" e logo depois é presa — sem ter tocado nas pessoas na visão deles (e, propositalmente, na nossa); seja ao relacionar a agonia de Isabel observando Greg através de uma janela conversando com sua filha (Emily — Nesta Cooper); ou naqueles instantes que são reveladores: quando a impressão é que o efeito da droga mais forte começa a passar e o mundo maravilhoso, colorido e ensolarado inicia um declínio repentino. ONU remove cannabis da lista de drogas mais perigosas; entenda Inclusive, neste último, é tudo tão sensível que a relação entre a história e os efeitos visuais é particularmente efetiva. Enquanto o então Dr. Wittle busca a filha escadaria acima, ele parece ter lapsos da dura e sombria realidade que é a sua vida, com ambos os mundos conhecidos até ali se fundindo. É, naquele momento, que o fantasma de Emily — aquela que nunca desistiu de Greg — consegue trazê-lo de volta ao mundo real. A fusão entre os mundos. (Imagem: Reprodução/Amazon Prime Video) O despertar A simbologia de Bliss: Em Busca da Felicidade, finalmente, é tão potente quanto triste. Ao mesmo tempo em que revela o sofrimento de um homem (e de uma mulher) depressivo e com crise de ansiedade, ergue uma experiência protetora — fruto de entorpecentes — que acaba com a vida de quem o ama também. É um mundo cruel, que corrói, que destrói tudo ao seu redor e que, em formato de uma sci-fi com flertes de fantasia, pode provocar a empatia por quem é arremessado nesse universo, além de promover perspectivas. Os 10 melhores filmes de ficção científica disponíveis na Netflix No final das contas, o conceito parece ser um só, mas, como acontece com os melhores filmes, ele (o conceito) pode ser interpretado de outras formas. A única direção para a qual Cahill aponta indica um caminho com muitas variáveis. A história, que pode ser dúbia, só precisa de uma conversa — tête-à-tête — entre espectador e filme para que se possa despertar e descobrir que Greg e Isabel podem estar na calçada de nossas casas, na porta dos nossos condomínios, nas esquinas pelas quais passamos... Bliss: Em Busca da Felicidade está disponível no Amazon Prime Video. *Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Canaltech Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: COVID-19 | 80% dos pacientes recuperados têm problema de concentração e memória Presença de gás poluente pode indicar civilizações avançadas em outros planetas Galaxy S21 Ultra vs. iPhone 12 Pro Max: qual é o melhor topo de linha? Depois de prever pandemia, Bill Gates se preocupa agora com duas novas ameaças Essa é a primeira foto de Marte feita pela missão chinesa Tianwen-1 Veja Mais

Toffoli nega pedido de Frota contra retomada de sessões presenciais na Câmara

O Tempo - Política O presidente da Câmara, Arthur Lira já sinalizou que a Mesa Diretora irá definir critérios para a retomada das sessões presenciais Veja Mais

Milton Cunha e bambas contam como vão passar o carnaval em casa

G1 Pop & Arte Serão 28 desfiles divididos em dois dias de programação. Milton Cunha e Aílton Graça comentam desfiles. Milton Cunha e bambas contam como vão passar o carnaval em casa Em um ano com o carnaval cancelado, nomes que fazem sucesso na Marquês e Sapucaí contaram como vão passar os dias de folia e como vão lembrar da festa em casa, seguindo os protocolos para evitar a contaminação pela Covid-19. Um dos programas é conferir algumas das exibições mais marcantes, que serão mostradas em 28 compactos apresentados por Milton Cunha e Aílton Graça divididos na programação de sábado (13) e no domingo (14). No sábado, os desfiles terão início após o programa "Altas Horas", e no domingo, após o "BBB". (Confira a lista dos desfiles abaixo). Detalhe da ala das baianas da Unidos do Viradouro no desfile de 2020. Marcelo Brandt/G1 "“Meu carnaval vai ser dentro da minha casa, me produzindo muito e aproveitando esse mundo virtual, com muita alegria, com muita felicidade. Porque eu sei que isso vai passar. Suje a sua casa de carnaval, de papel picado", afirmou o destaque Nelcimar Pires. O carnavalesco Leandro Vieira vai relembrar “Maria Bethânia, a Menina dos Olhos de Oyá”, título que marcou suas estreia no Grupo Especial. “O negócio é arrastar os móveis da sala, tirar a mesinha de centro. É manter fresca na memória das pessoas a importância dos desfiles. Relembrar antigos desfiles é manter viva a importância das escolas na memória coletiva do país", disse o carnavalesco Leandro Vieira. Desfila da Mangueira homenageou Maria Bethânia Fábio Tito/G1 Max Lopes, carnavalesco autor de “Liberdade! Liberdade! Abra as Asas Sobre Nós”, desfile da Imperatriz Leopoldinense de 1989 que será relembrado, vai rever a própria criação. “Foi um trabalho árduo, mas muito bem feito, bem acabado. Não tínhamos dia para trabalhar. Era de domingo a domingo e valeu a pena. Claro que emociona”, afirmou. A escolha dos sambas foi feita por curadores especializados, com apoio das Ligas do Rio e de São Paulo e das próprias escolas de samba. Confira lista de desfiles selecionados para a programação: Desfiles de São Paulo Águia de Ouro (2020) – “O poder do saber” Mancha Verde (2019) – “Oxalá salve a princesa” Mocidade Alegre (2014) – “Andar Com Fé Eu Vou... Que a Fé Não Costuma Falhar” Acadêmicos do Tatuapé (2018) – “Maranhão: Os Tambores Vão Ecoar Na Terra da Encantaria” Unidos de Vila Maria (2017) – “Aparecida – a rainha do Brasil – 300 anos de maor e fé no coração do povo brasileiro” Dragões da Real (2017) – “Dragões canta Asa Branca” Rosas de Ouro (2005) – “Mar de Rosas” Tom Maior (2009) – “Uma nova Angola se abre para o mundo. Em nome da paz, Martinho da Vila canta a liberdade” Império de Casa Verde (2005) – Brasil, se Deus é por nós, quem será contra nós” Barroca Zona Sul (2020) – “Benguela, a Barroca clama a ti, Teresa” Gaviões da Fiel (2003) – “Cinco deusas encantadas na corte do rei” Colorado do Bras – 2019 – “Hakuna Matata, isso é viver” Vai-Vai (2008) – “Vai-Vai Acorda Brasil” Acadêmicos do Tucuruvi (2011) – “O Xente, o que seria da gente sem essa gente, São Paulo, a capital do Nordeste” Desfiles do Rio de Janeiro Acadêmicos do Salgueiro (1993) - “Peguei um Ita no Norte” (Explode Coração) Mocidade Independente de Padre Miguel (1990) - “Vira Virou, a Mocidade Chegou” Unidos do Viradouro (1998) - “Orfeu – O Negro do Carnaval” Beija-Flor (1989) - “Ratos e Urubus, Larguem a Minha Fantasia” Portela (2017) - “Quem Nunca Sentiu o Corpo Arrepiar ao Ver Esse Rio Passar” Unidos da Tijuca (2010) - “É Segredo” Imperatriz Leopoldinense (1989) - “Liberdade! Liberdade! Abra as Asas Sobre Nós” Estação Primeira de Mangueira (2016) - “Maria Bethânia, a Menina dos Olhos de Oyá” Unidos de Vila Isabel (1988) - “Kizomba, Festa da Raça” Mocidade Independente de Padre Miguel (1985) - “Ziriguidum 2001” Beija-Flor (2011) - “A Simplicidade de um Rei” Acadêmicos do Grande Rio (2017) - “Ivete do Rio ao Rio” Unidos do Viradouro (2020) - “Viradouro de Alma Lavada” Império Serrano (2004 – reedição do samba de 1964) - “Aquarela Brasileira” VÍDEOS: Os mais vistos do Rio nos últimos 7 dias Veja Mais

Bolsonaro tira fotos com apoiadores em chegada a forte em SC

Valor Econômico - Finanças Presidente vai passar Carnaval em São Francisco do Sul. É a segunda vez em menos de dois meses que visita a cidade O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou ao Forte Marechal Luz, em São Francisco do Sul (SC), no início desta tarde de sábado, às 12h20. Populares o aguardavam, aglomerados e a maioria sem máscara, desde 9h deste sábado. O forte foi erguido em 1909 e hoje funciona como uma colônia de férias para militares e civis. É a segunda vez em menos de dois meses que Bolsonaro visita a cidade e fica hospedado no local. O presidente não tem compromissos oficiais, mas o prefeito da cidade, Godofredo Moreira (MDB), o convidou para conhecer o Centro Histórico de São Francisco do Sul, tombado como patrimônio histórico. Bolsonaro veio acompanhado do filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), pelo deputado federal Coronel Armando (PSL), o deputado federal Hélio Lopes (PSL) e o secretário nacional da Pesca, Jorge Seif. A nora, Heloísa Bolsonaro, também acompanha a comitiva. Na chegada, Bolsonaro tirou fotos com populares e se irritou quando foi questionado sobre o auxílio emergencial: “quem tirou teu emprego? quem fechou tudo? Foi eu ou foi o governador? Eu estou te perguntando, quem tirou o teu emprego?”, e saiu sem responder. Pela programação, Bolsonaro deve retornar a Brasília somente na terça-feira. Veja Mais

Bolsonaro usa redes sociais para divulgar decretos sobre armas

Valor Econômico - Finanças Medidas são criticadas por parlamentares e especialistas O presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais neste sábado para divulgar os quatro decretos editados na noite de sexta-feira para facilitar a compra de armas de fogo. Antes de viajar para o Carnaval, Bolsonaro postou uma foto em que aparece segurando uma arma em um local para praticar tiro esportivo. "Em 2005, via referendo, o povo decidiu pelo direito às armas e pela legítima defesa'”, escreveu. Initial plugin text Um dos decretos amplia de quatro para seis o número máximo de armas que cada cidadão pode ter. Bolsonaro também estabeleceu a permissão para que atiradores adquiram até 60 armas e caçadores, 30. Também foi aumentado o limite de munições que os chamados CACs (colecionadores, atiradores esportivos e caçadores) podem adquirir. O presidente é um defensor do armamento da população e, desde o início do seu mandato, tem editado regras para facilitar o acesso a armas de fogo. Os novos decretos foram criticados por parlamentares e especialistas. Pelo Twitter, o deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) expressou preocupação com a medida e disse que vai apresentar a projetos para anular os novos decretos além de voltar a acionar o Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o tema. "O presidente não pode legislar sobre armas via decreto", disse. Para ele, "a política armamentista do presidente não é apenas sobre insegurança pública, é sobre democracia". "Bolsonaro está armando seus apoiadores para ameaçar as instituições. O golpe está em curso", afirmou. O deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) também foi na mesma linha e disse que as medidas do presidente abrem a "porteira para o armamentismo". "Ele usa o poder para armar as milícias que o apoiam. Quando ele diz que teremos problema maior que o dos EUA nas eleições, é disso que está falando. Não vê quem não quer", disse, referindo-se ao ataque ao Capitólio insuflado pelo ex-presidente Donald Trump. A cientista política Ilona Szabó, diretora do Instituto Igarapé, também se manifestou pelas redes sociais. "Governo da morte. Mais decretos ampliando direito de compra de armas e munições, e acabando com pontos importantes de controle em meio ao carnaval. Esse pesadelo precisa acabar", disse. Veja Mais

Bolsonaro edita mais 4 decretos para facilitar acesso a armas e munições

O Tempo - Política A nova leva de flexibilizações traz um decreto que atualiza a lista de Produtos Controlados pelo Comando do Exército Veja Mais

Windows 10 Insider Build 21313 chega ao Canal Dev com fim do Edge Legacy e melhorias

tudo celular Atualização direcionada para usuários cadastrados no Windows 10 Insider no Canal Dev oferece ampliação no Noticias e Interesses, encerramento do Edge Legacy e dezenas de correções e melhorias Veja Mais

Bolsonaro avança por filiação ao Patriota

Valor Econômico - Finanças Chefe do Executivo prometeu que nos próximos dias delegará dois auxiliares para conduzir as negociações com a diretoria da legenda Sem constar na agenda oficial, o presidente Jair Bolsonaro recebeu ontem um grupo de representantes do Patriota para discutir sua possível filiação à legenda. Na conversa, segundo relatos feitos a ‘O Globo”, o chefe do Executivo prometeu que nos próximos dias delegará dois auxiliares para conduzir as negociações com a diretoria da legenda. No encontro, Bolsonaro teria reafirmando o interesse em ingressar no Patriota para disputar a reeleição de 2022, mas não pediu diretamente o controle do partido. A intenção do presidente e de seu grupo é assumir o controle do Patriota, mas um racha na cúpula da legenda ameaça os planos do chefe do Executivo. Na reunião, Bolsonaro já teria sido avisado que há resistência em entregar diretórios como do Rio, São Paulo, Minas Gerais e Maranhão. Veja Mais

Clubhouse para Android vai chegar quando?

Clubhouse para Android vai chegar quando?

Tecmundo O Clubhouse se tornou um verdadeiro fenômeno nos últimos dias, chegando a atingir 600 mil usuários registrados em poucos meses. Por enquanto, apenas proprietários de aparelhos iOS podem desfrutar da novidade – o que não deve levar muito tempo para mudar, de acordo com a empresa por trás do aplicativo, já que uma versão dedicada ao Android faz parte de seus planos."Desde os primeiros dias, queríamos construir o Clubhouse para todos. Com isso em mente, estamos entusiasmados em começar a trabalhar em nosso aplicativo Android em breve e em adicionar mais recursos de acessibilidade e localização para que as pessoas em todo o mundo possam experimentá-lo de uma forma que pareça nativa", disse a companhia em uma postagem oficial em seu blog.Leia mais... Veja Mais

Uso de duas máscaras pode bloquear 92% de partículas no ar, diz pesquisa do CDC

canaltech Uma pesquisa realizada pelo Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC) mostra que o uso de duas máscaras pode melhorar a proteção contra o coronavírus. Segundo a pesquisa, usar uma máscara de pano em cima de uma máscara para uso médico, como a cirúrgica, pode bloquear cerca de 92,5% de partículas. Pesquisa busca voluntários no BR para identificar COVID a partir da tosse CDC orienta que pessoas totalmente vacinadas não precisam ficar de quarentena Nova variante britânica pode contaminar quem já se vacinou ou teve COVID Rochelle Wallensky, diretora do CDC, diz que o resultado do estudo reforça a necessidade do uso de máscaras que sejam seguras, inclusive durante o período de vacinação. "Continuamos recomendando que as máscaras tenham duas ou mais camadas, cubra completamente o nariz e a boca, e se encaixe de forma confortável no nariz e nas laterais do rosto", diz. A pesquisa diz que a máscara de tecido é um ótimo complemento para a cirúrgica. Como as máscaras de uso médico não se adaptam perfeitamente ao rosto e podem deixar alguns espaços, as de pano acabam preenchendo essas lacunas e evitando o vazamento de ar e a entrada de partículas. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Imagem: prostooleh/Freepik Os testes do CDC começaram ainda no início de janeiro, e os especialistas destacam duas modificações simples para verificar o desempenho das máscaras usadas no dia a dia. Os pesquisadores analisaram tanto o método da máscara dupla, quanto o de fazer um nó. Neste nó, a pessoa dobra as bordas da máscara para dentro, o que acaba achatando o excesso de tecido e reduzindo o espaço para a entrada de ar dos dois lados do rosto. Isso, combinado com um nó feito nas alças, logo atrás da orelha, para que a máscara fique mais justa. O método do nó, no entanto, pode bloquear somente 63% das partículas, sendo uma melhoria de apenas 42% de quando o nó não é feito. Mas o estudo descobriu ainda que quando uma pessoa infectada e outra não estão usando máscara dupla, a exposição da pessoa que não está infectada ao acúmulo de aerossóis é reduzida a 96,4%. Já quando ambas estão usando o método do nó, o acúmulo de exposição é reduzido a 95,9%. No teste, o CDC usou uma máscara médica e uma máscara de pano de três camadas para fazer o total de 12 combinações. A versão N95, no entanto, que conta com respirador, não foi testada. Os especialistas reforçam que qualquer outro tipo de combinação com máscaras que não foram citadas no estudo podem não trazer os mesmos níveis de proteção, pois ainda não há uma comprovação. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Presença de gás poluente pode indicar civilizações avançadas em outros planetas Depois de prever pandemia, Bill Gates se preocupa agora com duas novas ameaças O céu (não) é o limite | Missões chegando a Marte, Oumuamua e muito mais! Essa é a primeira foto de Marte feita pela missão chinesa Tianwen-1 Galaxy S21 Ultra vs. iPhone 12 Pro Max: qual é o melhor topo de linha? Veja Mais

Jogos de filmes: do pior ao melhor, segundo a crítica

Jogos de filmes: do pior ao melhor, segundo a crítica

Tecmundo Jogos inspirados em filmes não são nenhuma novidade. Grandes empresas de Hollywood querendo lucrar ainda mais com suas produções às vezes dão muito certo e outras dão muito errado.Sem dúvida alguma essa foi uma das listas do quadro mais difíceis em relação à pesquisa, mas depois de horas e horas procurando, conseguimos o roteiro que vocês tanto esperaram! Vocês votaram e aqui está o do Pior ao Melhor Especial de jogos baseados em filmes. Aqui estão nossos critérios, prestem bastante atenção:Leia mais... Veja Mais

Trump diz após sua absolvição que seu movimento patriótico 'apenas começou'

O Tempo - Mundo Ex-presidente, que está em resort, divulgou comunicado sem mencionar os sete senadores republicanos que votaram a favor de sua condenação por incitação à violência Veja Mais

Absolvição pelo Senado dá fôlego à influência do trumpismo sobre republicanos

O Tempo - Mundo Desafio de Donald Trump agora é permanecer no comando da direita populista americana até 2024, se quiser concorrer mais uma vez à Casa Branca Veja Mais

Banda Plutão Já Foi Planeta anuncia entrada da vocalista Cyz Mendes com o single 'Acostuma'

G1 Pop & Arte Nascida em Rondônia, cantora assume o posto ocupado por Natália Noronha de 2013 a 2020. ♪ Banda potiguar que ganhou visibilidade nacional há cinco anos ao participar da terceira edição do programa Superstar, exibida pela TV Globo em 2016, Plutão Já Foi Planeta inicia ciclo com o inédito single Acostuma. Lançado pelo selo Baila Records na sexta-feira, 12 de agosto, o single Acostuma é o primeiro registro fonográfico do grupo com a nova vocalista, Cyz Mendes. Cantora nascida em Rondônia que integrou o elenco do espetáculo Doze flores amarelas (2018), ópera-rock dos Titãs, Cyz Mendes se junta a Sapulha Campos (guitarra), Renato Léllis (bateria) e Gustavo Arruda (guitarra) para assumir o posto antes ocupado por Natália Noronha de 2013 a 2020. Enquanto promove a entrada da nova vocalista e a edição do single com Acostuma, inédita música autoral de pegada roqueira ambientada em atmosfera evocativa do synth-pop dos anos 1980, a banda Plutão Já Foi Planeta aporta na cidade de São Paulo (SP) em busca de novos caminhos artísticos para o quarteto. Gravado com produção musical de Rodrigo Cunha, o single Acostuma é o primeiro disco do grupo desde Risco de sol (2020), EP lançado em outubro do ano passado, ainda com a vocalista Natália Noronha. Veja Mais

VLC terá design reformulado e nova versão web ainda em 2021

canaltech O aplicativo de reprodução de vídeo VLC completa 20 anos em 2021 e deve finalmente ser redesenhado em breve. Disponível para diversas plataformas, o app será atualizado para a versão 4.0 com um visual modernizado, e talvez ganhe uma versão web. Como usar o VLC para assistir a vídeos do celular Como transmitir vídeos e fotos para sua TV com Chromecast usando o VLC A revelação foi feita pelo criador do aplicativo e presidente da VideoLAN Foundation, Jean-Baptiste Kempf, em entrevista ao site Protocol. A nova versão deve chegar ainda em 2021, mas não há uma previsão mais específica para o lançamento da atualização. “Modificamos a interface para ficar um pouco mais moderna”, resumiu o executivo, sem detalhar muito as novidades. Além do novo visual, o VLC também vai ter maior integração com conteúdos online, de uma maneira um pouco diferente. “Em vez de oferecer o mesmo catálogo de vídeos para todo mundo, o VLC vai ter algumas extensões para reproduzir conteúdo de terceiros”, explicou. Kempf ainda disse não descartar o uso de vídeos com anúncios no futuro para tentar algum retorno financeiro com o projeto. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- A empresa também trabalha em um projeto chamado Moviepedia, que seria uma espécie de concorrente ao IMDb com estilo mais parecido com a Wikipedia, permitindo que os próprios usuários editem o conteúdo. Versão web Kempf também mencionou uma nova versão web para o VLC, que usa WebAssembly e JavaScript para rodar vídeos em navegadores. No passado, o app já teve um plugin que usava o Flash para reproduzir vídeos na internet, mas esta tecnologia ficou ultrapassada e não tem mais suporte em praticamente nenhum navegador moderno. Não há previsão para o VLC 4.0 chegar aos dispositivos móveis ou PCs, nem uma data para o Moviepedia ficar disponível ou para a versão web do aplicativo. Mas as revelações do desenvolvedor do app podem ser um sinal de que não deve demorar muito. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: COVID-19 | 80% dos pacientes recuperados têm problema de concentração e memória Presença de gás poluente pode indicar civilizações avançadas em outros planetas Galaxy S21 Ultra vs. iPhone 12 Pro Max: qual é o melhor topo de linha? Depois de prever pandemia, Bill Gates se preocupa agora com duas novas ameaças Essa é a primeira foto de Marte feita pela missão chinesa Tianwen-1 Veja Mais

Acordo em que Onyx admite caixa dois à PGR deve ser analisado pelo Supremo

O Tempo - Política No ano passado, Onyx admitiu crime e, em troca de não ser alvo de ação penal, se comprometeu a pagar multa de R$ 189.145,00 Veja Mais

Como está o mercado de games em nuvem?

Como está o mercado de games em nuvem?

Tecmundo O streaming é um serviço que mudou a forma de muita gente assistir a TV, séries e filmes; agora, pode modificar também o modo de várias pessoas jogarem video game. Isso porque são muitas as empresas que investem no formato, apostando em uma tendência para um futuro não muito distante. Hoje, já são muitas as opções de se jogar pela nuvem. As principais publishers, como Sony e Microsoft, contam com serviços dedicados; entretanto, há outras que apostaram todas as suas fichas, como a Google, mas em um período que ainda não é o apropriado. Entenda como anda o serviço de jogos por streaming e o que podemos esperar dele no futuro.Leia mais... Veja Mais

Galaxy A12: boa bateria e trocas injustificáveis em um lançamento apressado | Análise / Review

tudo celular Galaxy A12 é um bom celular básico? Confira o que a novidade da Samsung tem a oferecer e se é uma melhor compra que modelos baratos da LG ou Motorola. Veja Mais

João Campos tenta aproximar Luciano Huck do PSB

O Tempo - Política Desde 2020, ao menos quatro partidos sondam Huck e, com o DEM fragmentado e mais governista, o PSB passou a ser avaliado Veja Mais

Secretaria de Pesca quer assumir administração de cessão de águas da União

Valor Econômico - Finanças Informação foi passada pelo secretário Jorge Seif, que acompanha o presidente Jair Bolsonaro em viagem a Santa Catarina O secretário nacional da Pesca, Jorge Seif, afirmou neste sábado que a Secretaria pretende assumir a administração de cessão de águas da União. “Nós estivemos com a Secretaria de Patrimônio da União. Tem muitos processos de cessão de água que estão parados nas superintendências da SPU nos estados. Eles já estão estudando uma forma de entregar essa administração para a Secretaria Nacional da Pesca. Se isso acontecer, em 2021, será um recorde talvez mundial de cessão de águas da união em um país em um ano. Muitos dos processos dependem de análises deles e nós temos capacidade de fazer. Isso vai honrar não só Santa Catarina, mas o Brasil inteiro”, disse. Seif acompanha o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na visita a São Francisco do Sul, em Santa Catarina. 13/02/2021 13:25:15 Veja Mais

Casos e mortes por coronavírus no Brasil em 13 de fevereiro, segundo consórcio de veículos de imprensa

Glogo - Ciência País contabilizou 9.766.512 casos e 237.616 óbitos por Covid-19 desde o início da pandemia. Casos e mortes por coronavírus no Brasil, segundo consórcio de veículos de imprensa O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 13h deste sábado (13). Desde o último levantamento, às 20h de sexta-feira (12), um estado atualizou seus dados: MS. Veja os números consolidados: Mortes: 237.616 Casos: 9.766.512 Na quinta-feira, às 20h, o país registrou 1.204 mortes pela Covid-19 nas 24 horas anteriores, chegando ao total de 237.601 óbitos desde o começo da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 1.068. Já são 23 dias com essa média acima da marca de 1 mil. A variação foi de 0% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de estabilidade nos óbitos pela doença. Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 9.765.694 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 49.396 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 45.229 novos diagnósticos por dia. Isso representa uma variação de -12% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de estabilidade nos diagnósticos. Dez estados estão com alta nas mortes: MG, GO, AC, PA, RO, RR, TO, BA, MA e RN. O estado do Ceará não divulgou novos dados na sexta e neste sábado. Brasil, 12 de fevereiro Total de mortes: 237.601 Registro de mortes em 24 horas: 1.204 Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 1.068 (variação em 14 dias: 0%) Total de casos confirmados: 9.765.694 Registro de casos confirmados em 24 horas: 49.396 Média de novos casos nos últimos 7 dias: 45.229 por dia (variação em 14 dias: -12%) (Antes do balanço das 20h, o consórcio divulgou um boletim parcial às 13h, com 236.638 mortes e 9.725.231 casos confirmados.) Estados Subindo (10 estados): MG, GO, AC, PA, RO, RR, TO, BA, MA e RN Em estabilidade (10 estados e o Distrito Federal): RS, SC, SP, DF, MS, MT, AM, AL PE, PB e PI Em queda (5 estados): PR, ES, RJ, AP e SE Não divulgou (1 estado): CE Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo G1 para analisar as tendências da pandemia). Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados. Vacinação Balanço da vacinação contra Covid-19 desta sexta-feira (12) aponta que 4.909.251 pessoas já receberam a primeira dose de vacina contra a Covid-19, segundo dados divulgados até as 20h. O número representa 2,32% da população brasileira. A segunda dose já foi aplicada em 155.652 pessoas (0,07% da população do país) nos estados do Acre, Amazonas, Alagoas, Minas Gerais, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Piauí, Sergipe, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e também no Distrito Federal. São Paulo já iniciou a aplicação da segunda dose, mas não começou a divulgar os dados em separado. No total, 5.064.903 doses foram aplicadas em todo o país. Variação de mortes por estados Estados com mortes em alta Editoria de Arte/G1 Estados com mortes em estabilidade Editoria de Arte/G1 Estados com mortes em queda Editoria de Arte/G1 Sul PR: -48% RS: +2% SC: -14% Sudeste ES: -24% MG: +17% RJ: -24% SP: +6% Centro-Oeste DF: -8% GO: +29% MS: +13% MT: 0% Norte AC: +63% AM: -3% AP: -29% PA: +62% RO: +18% RR: +157% TO: +25% Nordeste AL: -5% BA: +36% O estado do CE não divulgou novos dados até as 20h. Considerando os dados até 20h de segunda-feira (11), estava em alta (+13%) MA: +75% PB: +13% PE: +9% PI: +2% RN: +38% SE: -20% Brasil Sul Sudeste Centro-Oeste Norte Nordeste Consórcio de veículos de imprensa Os dados sobre casos e mortes de coronavírus no Brasil foram obtidos após uma parceria inédita entre G1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL, que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal (saiba mais). Veja vídeos sobre a vacinação contra a Covid no Brasil: Veja Mais

Setor de turismo na Europa enfrenta outro ano de incertezas

Valor Econômico - Finanças Turismo é fundamental para muitos países ao longo do sul da Europa e responde por 21% da economia na Grécia e 17% em Portugal Em todos os pontos turísticos do sul da Europa, tudo o que o setor pode fazer é se preparar e manter a esperança. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Fiocruz envasa primeiro lote de IFA da vacina contra a covid-19

Valor Econômico - Finanças Serão processadas cerca de 400 mil doses de pré-validação, para garantir que o processo esteja totalmente adequado para a produção do imunizante O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) iniciou na sexta-feira o envase do primeiro lote do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela instituição em parceria com o laboratório AstraZeneca. A previsão é que o envase desse primeiro lote seja concluído ainda neste sábado (13). Divulgação/Fiocruz Serão processadas cerca de 400 mil doses de pré-validação, para garantir que o processo esteja totalmente adequado para a produção da vacina, que seguirão para o controle de qualidade interno do instituto. O insumo faz parte do lote com 90 litros de IFA recebido pela Bio-Manguinhos/Fiocruz há uma semana, e que são suficientes para a produção de 2,8 milhões de doses. Ainda estão previstas mais duas remessas de IFA em fevereiro, do total de 15 milhões a serem recebidos ainda este mês. Segundo a Fiocruz, o processamento das primeiras doses começou ainda na quinta-feira, com a etapa de formulação, em que o insumo passa por um processo de diluição e é acrescida uma solução para garantir a manutenção das propriedades da vacina e possibilitar a sua armazenagem de 2ºC a 8ºC. Em seguida, a vacina seguiu para o envase, processo no qual o líquido é inserido, de forma automatizada, em pequenos frascos de vidro, os mesmos que futuramente seguirão para os postos de saúde. Já com o imunizante, esses frascos são fechados com uma rolha de borracha e seguem para a recravação, onde recebem um lacre de alumínio. As vacinas seguem depois para o setor de controle de qualidade interno da Bio-Manguinhos, onde uma análise minuciosa deve garantir a sua integridade e segurança. A Fiocruz informou que vai escalonar a produção ao longo dos primeiros meses para manter a meta de 100,4 milhões de doses até julho deste ano. No segundo semestre não será mais necessária a importação do IFA, que passará a ser produzido em Bio-Manguinhos, após a conclusão da transferência de tecnologia. De agosto a dezembro serão mais 110 milhões de doses de vacinas produzidas inteiramente na instituição, garantindo autonomia para o país e continuidade da vacinação para toda a população brasileira. Veja Mais

Stardew Valley: atualização 1.5 chega aos consoles de surpresa

Stardew Valley: atualização 1.5 chega aos consoles de surpresa

Tecmundo Quem costuma acompanhar as atualizações e novidades de Stardew Valley já deve saber que seu criador Eric Barone, também conhecido como ConcernedApe, sempre faz surpresas para os fãs do jogo. Em vez de realizar grandes anúncios de seus planos, ele acaba soltando updates substanciais e gratuitos para o game de fazenda.Com a atualização 1.5, a situação não foi muito diferente disso. Embora os jogadores já soubessem de sua existência por ela estar disponível na versão de PC de Stardew Valley, ninguém tinha noção de quando o update ia chegar nos consoles. Barone avisou seus seguidores que isso não ia demorar, mas nunca deu uma data certa.Leia mais... Veja Mais

BlueTrade abre inscrições para projeto de formação de jovens talentos na região de Ribeirão Preto

G1 Economia Inscrições vão até este domingo (14) pela internet. Candidatos devem ter ensino superior completo ou estarem cursando o último ano da faculdade. Blue Trade abre inscrições para projeto de jovens talentos Divulgação A Blue Trade, uma das maiores operações da XP Investimentos, está com inscrições abertas para o projeto Jovens Talentos. Os interessados devem se inscrever pela internet até domingo (14). O projeto tem como objetivo selecionar e preparar dez pessoas para a atuação como assessores de investimento e brokes, que são os agentes de mercado que atuam intermediando a negociação entre um comprador e um vendedor. Não há restrição de idade nem de endereço, o candidato pode residir em qualquer região do Brasil. É obrigatório ter nível superior completo ou estar cursando o último ano de faculdade. Também não é exigida experiência anterior. Durante o treinamento, os selecionados passarão por uma maratona sobre o mercado financeiro e poderão acompanhar de perto, sob supervisão, como funciona a operação da empresa. Todo o processo de treinamento dos candidatos selecionados deve durar entre 45 e 90 dias e acontecerá em Franca (SP). A Blue Trade oferce suporte financeiro durante o período. O treinamento ocorrerá em três etapas que correspondem a análise de perfil, análise de perfil comportamental e capacitação técnica específica. Serviço Programa Jovens Talentos Blue Trade Inscrições: até domingo (14) Onde: as inscrições devem ser feitas pelo site da empresa Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca VÍDEOS: Tudo sobre Ribeirão Preto, Franca e região s Veja Mais

Jovem prodígio pagava luxos com esquema Ponzi em criptomoedas

Valor Econômico - Finanças Vários dos cerca de 800 fundos de criptomedas em todo o mundo são administrados por pessoas sem nenhum conhecimento de Wall Street ou finanças Stefan Qin tinha apenas 19 anos quando afirmou ter o segredo da negociação de criptomoedas. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Aos 70 anos, compositor Cleber Augusto ganha as flores em vida

G1 Pop & Arte Integrante do Fundo de Quintal por 20 anos, bamba carioca tem obra celebrada pelo grupo Arruda em álbum ao vivo. ♪ Integrante do grupo Fundo de Quintal por 20 anos, precisamente entre 1983 e 2003, o cantor, compositor e violonista carioca Cleber Augusto nunca foi tão lembrado e reverenciado como Arlindo Cruz, Jorge Aragão e outros bambas da mesma geração de ouro do samba que frutificou nos quintais do Rio de Janeiro (RJ) ao longo dos anos 1980. Por isso mesmo, o tributo fonográfico do grupo carioca Arruda a Cleber Augusto da Cruz Bastos – atualmente com 70 anos, completados em 4 de agosto de 2020 – tem especial relevância. Gravado ao vivo em 15 de setembro de 2019, em apresentação feita pelo Arruda no palco da Comunidade Samba do Maria Zélia, na cidade de São Paulo (SP), o álbum ao vivo Flores em vida – Arruda canta Cleber Augusto será apresentado paulatinamente em série de três EPs. Capa do EP 'Flores em vida – Arruda canta Cleber Augusto vol. 1' Divulgação O primeiro EP já entrou em rotação nos players digitais na sexta-feira de Carnaval virtual, 12 de fevereiro, com cinco músicas do repertório de Cleber Augusto (artista por ora impedido de cantar por conta de câncer nas cordas vocais). Dessas cinco músicas do primeiro volume do tributo, quatro – Deixe estar (Cleber Augusto, 1999), Falso herói (Cleber Augusto, Djalma Falcão e Bicudo, 1996), Lucidez (Cleber Augusto e Jorge Aragão, 1991) e Minhas andanças (Cleber Augusto e Jorge Aragão, 1984) – são de autoria do compositor. Já Nosso grito (André Renato, Riquinho e Sereno, 1999) é samba que, mesmo sem o nome do bamba nos créditos, batizou álbum do Fundo de Quintal em 1999, quando Cleber Augusto ainda integrava o grupo. A cantoria do Arruda em homenagem a Cleber Augusto foi gravada para o disco sob direção musical do cavaquinhista e arranjador Alessandro Cardozo. Atualmente um septeto formado por Anderson Popó (percussão), Armandinho do Cavaco (cavaquinho e bandolim), Fabão Araújo (surdo), Gustavo Palmito (repique de mão), Marcelinho (tan tan), Maria Menezes (voz) e Nego Josy (voz e pandeiro), o grupo Arruda ainda contava com o violonista Vitor Budoia na época da gravação ao vivo do álbum Flores em vida – Arruda canta Cleber Augusto. Veja Mais

Trump é absolvido em julgamento de impeachment no Senado

Trump é absolvido em julgamento de impeachment no Senado

em - Internacional Os 57 votos a favor e 43 contra para condenar Trump não alcançaram a maioria de dois terços exigida para uma condenação Veja Mais

Fraturas na centro-direita reforçam obstáculos eleitorais para todos os nomes à Presidência

Valor Econômico - Finanças Crises dos últimos dias envolvendo o DEM e o PSDB anteciparam largada a 2022 As crises no DEM e no PSDB deflagradas na última semana obrigaram os dois partidos a realinhar estratégias e conversas sobre 2022, tentando conter divergências internas para não minar negociações já em curso e fortalecer Jair Bolsonaro. Políticos experientes das duas siglas, reservadamente, fizeram apelos por um cessar fogo. Os últimos movimentos, no entanto, deixaram evidentes problemas que todos os possíveis candidatos da centro-direita à Presidência terão que driblar ao longo deste ano se quiserem se viabilizar eleitoralmente. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Diogo Nogueira faz live de carnaval neste domingo, dia 14

O Tempo - Diversão - Magazine Em meio a um churrasco, ele mostra muito samba, marchinhas de carnaval, frevos e sambas enredos de várias agremiações Veja Mais

Associação Médica Brasileira envia voluntários para Manaus

Valor Econômico - Finanças Voluntários viabilizarão a reabertura de UTIs desativadas por falta de médicos na cidade A Associação Médica Brasileira (AMB) enviou neste sábado um grupo de 18 médicos voluntários para reforçar a assistência à população de Manaus no tratamento da covid-19. A Força-Tarefa AMB-Covid desembarca na cidade neste sábado. Eles se somarão a outros seis médicos voluntários que estão na cidade desde o dia 6 deste mês e ainda receberão reforço de mais outros seis, em 20 de fevereiro. Segundo a AMB, os seis primeiros médicos colaboraram na reativação da unidade de terapia intensiva (UTI) de campanha Nilton Lins. Os voluntários que chegam neste sábado viabilizarão a reabertura de outras UTIs desativadas por falta de médicos. Veja Mais

EUA: Republicanos pedem bloqueio de proposta de diversidade da Nasdaq

Valor Econômico - Finanças Nasdaq quer padrões de diversidade racial e de gênero para conselhos de empresas listadas Republicanos do Comitê Bancário do Senado dos Estados Unidos pediram que a Securities Exchange Commission (SEC, a comissão de valores mobiliários americana) rejeite uma regra proposta pela Nasdaq que exige a adoção de novos padrões de diversidade racial e de gênero para conselhos de empresas listadas. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Viagem para Marte | Como astronautas deverão ser tratados caso fiquem doentes?

canaltech Para os primeiros humanos chegarem ao Planeta Vermelho, existe um longo percurso, e tecnologias estão em desenvolvimento para permitir essa viagem ainda inédita. Hoje, pesquisadores e cientistas desenham, testam e constroem inúmeras soluções para as necessidades humanas em Marte, inclusive como tratar os astronautas, caso fiquem doentes. Por enquanto, não existem planos de uma "farmácia marciana", mas a ideia é o cultivo de uma "horta de remédios". Esses são alguns dos desafios que aguardam os primeiros astronautas em Marte 60 anos explorando Marte: um resumo das missões que estudaram o Planeta Vermelho Existiu ou existe vida em Marte? Esses 3 cenários podem explicar a questão Desde 2017, um projeto de pesquisa da NASA busca alterativas para o eventual tratamento de astronautas que podem adoecer em Marte. Para essa missão, a agência espacial norte-americana fundou o Centro de Utilização da Engenharia Biológica no Espaço (Cubes). Especialistas da área concordam que desenvolver estratégias para cuidar da saúde de uma tripulação é tão importante quanto prover os astronautas de oxigênio ou de comida. Para Marte ser habitável, cientistas pensam formas de produzir medicamentos de forma local (Imagem: Reprodução/ ESA /DLR /FU Berlin /Bill Dunford) É viável levar remédios para Marte? Talvez, a ideia mais simples seja levar medicamentos da Terra para Marte. No entanto, os astronautas não saberiam, com antecedência, todas as doenças que poderiam desenvolver no planeta vermelho. Outro porém aqui são os altos custos de se transportar uma "imensidão" de medicamentos entre os planetas. Afinal, seria necessário despachar todos os tipos de remédio conhecidos pela humanidade e em altas quantidades para garantir que o tratamento fosse viável, caso toda a tripulação necessitasse. Essa carga extra ocuparia um espaço significativo na espaçonave, sem nenhuma garantia de uso, já que são produtos perecíveis e, em algum momento, seriam descartados. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Por outro lado, os astronautas não poderiam depender de remessas enviadas da Terra, de acordo com a necessidade de cada paciente. Isso porque a viagem é longa entre os planetas e o tempo poderia ser fatal para o tratamento de alguma doença mais grave. Por exemplo, o rover Perseverance foi enviado no dia 30 de julho de 2020 e só chegará na próxima quinta-feira (18), ou seja, mais de 200 dias depois. Em outras palavras, não é viável aguardar tanto tempo por medicamentos ou suprimentos urgentes. Para tratar doentes em Marte, enviar intermináveis lotes de medicamento não é uma opção (Imagem: Reprodução/ Christina Victoria/ Unsplash) Fabricação de remédios sob demanda No lugar de manter um estoque finito e caro de medicamentos, os cientistas do Cubes tentam viabilizar a ideia de que os próprios astronautas possam fabricar os medicamentos em Marte. Para isso, a equipe foca seus esforços no estudo da biologia sintética, um campo científico que procura "construir" novos organismos biológicos sob demanda. “Se pudéssemos construir algo que pudesse ser cultivado, essencialmente, como uma fábrica [de remédios], poderíamos reduzir os custos e aumentar a eficiência e resiliência quando você [estiver em Marte]”, explicou Adam Arkin, diretor do CUBES, para a revista Astornomy. Parte das iniciativas do CUBES, a Food and Pharmaceuticals Synthesis Division (FPSD) está explorando métodos para melhor aproveitar organismos editados geneticamente para a produção farmacêutica. Por exemplo, sementes de uma planta modificada e que pode produzir uma molécula chave para um medicamento. Nesse caso, as sementes seriam enviadas para espaçonave e, quando a colônia estivesse estabelecida, elas seriam cultivadas. Em Marte, a solução para tratar astronautas doentes pode estar no alface (Imagem: Reprodução/ Mutia Rahmah/ Unsplash) Quanto ao uso do potencial terapêutico, poderia ser feito de duas formas: o consumo do próprio vegetal in natura; ou a partir da extração do componente medicinal e a posterior formulação de um medicamento. Para desenvolver essas sementes especiais, a FPSD utiliza uma bactéria, conhecida pelo nome de Agrobacterium tumefaciens, que introduz um novo gene na planta, ou seja, edita o DNA vegetal para quele el produza uma proteína terapêutica. Além dessa técnica, outros métodos podem ser adotados pelos cientistas. “Quando você está falando sobre biologia sintética, uma das coisas poderosas sobre ela é que você pode sintetizar o DNA para uma variedade de propósitos [incluindo os terapêuticos]. Então, desenvolver uma forma de síntese de genes no planeta, penso que seria uma ferramenta muito valiosa”, explica Karen McDonald, chefe do FPSD e professora de engenharia química na Universidade da Califórnia. Verduras como remédio? Por enquanto, um dos principais projetos da divisão é produzir proteínas, potencialmente terapêuticas, a partir de um pé de alface, cultivado em Marte. A ideia é que uma molécula introduzida em seu código genético possa auxiliar, como um remédio, no tratamento da osteopenia e da osteoporose. Além dele, a equipe procura outras verduras, como o espinafre, como plataformas potenciais para o desenvolvimento de drogas. Uma pergunta válida é o porquê de se optar pelo uso de alface e de outras verduras. De acordo com os cientistas, esses vegetais apresentam um bom índice de colheita, ou seja, a maior parte das plantas cultivadas podem ser consumidas como alimento — e em uma missão espacial, no futuro, como remédios. “Como engenheiros, trabalhamos com projetos de sistemas sob restrições”, comenta McDonald. “Mas as restrições com as quais estamos lidando aqui na Terra não são nada como as restrições que você pode ter em uma missão a Marte”, explica sobre os desafios de transpor esses cultivos para o planeta vermelho. Para isso, também são estudas formas de extração baratas e seguras das moléculas potencialmente terapêuticas dos vegetais. Pode ser que, um dia nas próximas décadas, as pesquisas realizadas pelo Cubes modifiquem, radicalmente, a maneira como consumimos e cultivamos os vegetais na Terra. Com certeza, essa seria uma revolução em como a espécie humana interage com os alimentos e com a natureza, mas ainda são necessários muitos estudos científicos para que isso aconteça. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: COVID-19 | 80% dos pacientes recuperados têm problema de concentração e memória Presença de gás poluente pode indicar civilizações avançadas em outros planetas Galaxy S21 Ultra vs. iPhone 12 Pro Max: qual é o melhor topo de linha? Depois de prever pandemia, Bill Gates se preocupa agora com duas novas ameaças Essa é a primeira foto de Marte feita pela missão chinesa Tianwen-1 Veja Mais

Bolsonaro passa o Carnaval descansando em Santa Catarina

O Tempo - Política Presidente está acompanhado da filha e da primeira-dama e não tem compromissos oficiais; local é de hospedagem exclusiva para militares, com cerca de 45 casas e apartamentos Veja Mais

Senado convoca testemunhas e adia veredito de impeachment de Trump

O Tempo - Mundo Senadores esperavam encerrar ainda neste sábado o processo contra Trump, mas a nova estratégia deve atrasar o veredito Veja Mais

Lei prevê multa de até R$ 98 mil para fura-fila da vacina em SP

Valor Econômico - Finanças Campanha de imunização na região teve início no dia 17 de janeiro com a vacinação de profissionais de saúde diretamente relacionados ao tratamento contra a covid-19 A pessoa que furar a fila da vacinação contra a covid-19 em todo o estado de São Paulo poderá ser multada em até R$ 98 mil a partir deste sábado (13). A lei que prevê a multa para os que descumprirem a ordem de vacinação dos grupos prioritários foi publicada hoje no Diário Oficial do estado. Os valores recebidos por meio das multas serão recolhidos ao Fundo Estadual da Saúde. Caso a pessoa imunizada descumpra o cronograma previsto de vacinação, a multa estabelecida é de 1.700 Unidades Fiscais do Estado de São Paulo (UFESPs), atualmente calculada em R$ 49.453. Essa multa ainda pode dobrar e chegar a R$ 98.906 se a pessoa que tomou a vacina for um agente público, cuja vacinação ainda não estava prevista pelo cronograma. Siphiwe Sibeko/Pool via AP O agente público que aplicou a vacina na pessoa que furou a fila também será multado. A multa prevista, nesse caso, é de 850 UFESPs, calculada atualmente em R$ 24.726,50. A pena também pode recair para os superiores hierárquicos, caso seja comprovada que veio dele a ordem ou o consentimento para a vacinação. A campanha de imunização em São Paulo contra a covid-19 teve início no dia 17 de janeiro com a vacinação de profissionais de saúde diretamente relacionados ao tratamento contra a covid-19, além de indígenas e quilombolas. Na semana passada, teve início a vacinação de idosos com idade superior a 90 anos de idade e, na sexta-feira, a vacinação para o público acima de 85 anos de idade. O governo de São Paulo anunciou para o dia 1º de março o início da vacinação de idosos com idade superior a 80 anos de idade. Veja Mais

TCU dá 10 dias para Saúde explicar envio de cloroquina da malária para Covid-19

O Tempo - Política A cobrança do Tribunal se estende à Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), responsável pela fabricação do medicamento Veja Mais

Marcelo Freixo anuncia projetos e ação no STF para barrar decretos sobre armas

O Tempo - Política "O presidente não pode legislar sobre armas via decreto", escreveu o deputado federal pelo Psol em sua conta no Twitter Veja Mais

Immortals Fenyx Rising injeta dose de desafios criativos no DLC Novo Deus

Immortals Fenyx Rising injeta dose de desafios criativos no DLC Novo Deus

Tecmundo Lançar uma franquia nova no mercado é, definitivamente, o maior desafio da atualidade, especialmente numa indústria saturada, lotada de opções e de ideias recicladas. Immortals: Fenyx Rising foi uma tentativa bem-sucedida da Ubisoft em 2020, de acordo com a própria empresa em papo com o Voxel.Leia mais... Veja Mais

9 séries parecidas com Cidade Invisível para quem ama fantasia

9 séries parecidas com Cidade Invisível para quem ama fantasia

Tecmundo A série brasileira Cidade Invisível, da Netflix, já estreou no top 10 títulos mais assistidos da plataforma de streaming. Aliás, vale ressaltar que o sucesso não foi apenas nacional. Desde o lançamento, milhares de pessoas ao redor do mundo se encantaram pelo seriado baseado no folclore brasileiro.Na 1ª temporada, já lançada pela plataforma, um detetive investiga a morte de sua mulher. Em um incêndio misterioso que quase levou também a sua filha, os mistérios e segredos de uma pequena vila começam a ser revelados. Com isso, ele se depara com algumas criaturas fantásticas do folclore brasileiro, como a Cuca e a Iara, por exemplo.Leia mais... Veja Mais

Ocupação hoteleira no carnaval deve ficar em 40%

Valor Econômico - Finanças Ocupação nos hotéis deve ficar ao redor de 40% no país este ano, contra 80% no carnaval de 2020, segundo estimativa da ABIH Nacional O avanço das contaminações por coronavírus, que levou ao cancelamento do ponto facultativo em 21 Estados e à suspensão de desfiles e festas de rua neste carnaval, representam novo baque para o setor de turismo. A ocupação nos hotéis deve ficar ao redor de 40% no país este ano, contra 80% no carnaval de 2020, segundo estimativa da Associação Brasileira de Hotéis (ABIH Nacional). No Rio de Janeiro, uma das cidades que cancelou as festividades, espera-se que a hotelaria não ultrapasse os 50% de ocupação, contra média de 93% no ano anterior. A queda é decorrente também da suspensão do feriado em São Paulo, um dos principais emissores de turistas nesse período. Rafael Catarcione | Riotur via Fotos Públicas A situação da hotelaria na capital paulista, onde a ocupação média ficou em 20% no segundo semestre de 2020, não deve melhorar antes de julho, nas projeções do presidente da ABIH Nacional, Manoel Linhares . Na Bahia, tradicional pelo carnaval de Salvador, a ocupação deve ficar 70% abaixo do que foi em 2020. A taxa ficou em 50% em dezembro, enquanto o esperado era chegar a 70%. Em janeiro, o índice ficou em 55%. Linhares reforçou apelo ao governo federal por medidas de apoio ao setor, como flexibilidade no pagamento de linhas de crédito. “Precisamos de medidas assertivas como a suspensão da cobrança das parcelas dos fundos de financiamentos também em 2021 — como foi feito a partir de abril até dezembro de 2020 — e a reprogramação dos pagamentos a partir de 2022”, disse. Ele destacou que a hotelaria nacional, sobretudo nos destinos corporativos, ainda não conseguiu chegar nem perto de 20% dos números alcançados em 2019 e a atual taxa de ocupação não cobre sequer os custos operacionais. O cenário para os resorts também é preocupante, segundo o presidente da Resorts Brasil, Sergio Souza. “A movimentação está 50% do que seria normal para o carnaval”, disse. “O cancelamento do evento, assim como o ponto facultativo, desestimulou as viagens”, disse. A Latam Airlines optou por não programar voos extras para o período. “A companhia está retomando gradualmente a sua malha aérea em função dos impactos da pandemia de Covid-19, com bastante equilíbrio entre a oferta de voos e real demanda por viagens”, informou a empresa, em nota. Neste mês, a Latam deverá operar no Brasil com até 57% da sua capacidade — oferta de 360 voos domésticos diários —, e 15% da sua capacidade internacional. Já a Azul decidiu colocar em sua malha 158 voos extras para 24 aeroportos entre os dias 11 e 21 de fevereiro. “Como diversas cidades mantiveram o feriado e o setor privado, em sua maioria, liberou seus funcionários para a data, observamos que muitas famílias e turistas em geral estão aproveitando para visitar parentes e amigos”, disse Marcelo Bento Ribeiro, diretor de relações institucionais da empresa. Ribeiro ponderou que o fluxo de voos extra é bastante inferior se comparado ao carnaval de 2020, quando somente a Azul disponibilizou 740 voos adicionais. A Gol informou que vai operar voos adicionais para mercados como São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Curitiba, sem especificar quantos. “Considerando que grandes cidades do Brasil adotaram medidas de suspensão das festas de carnaval, o planejamento da Gol já estava adequado para essa realidade”, observou a empresa em nota. Nesta semana, a Gol divulgou, em comunicado ao mercado, que pretende operar 371 voos por dia em fevereiro, o que representa cerca de 51% do realizado em fevereiro de 2020. O número é menor do que os 489 voos diários de janeiro e 476 de dezembro. A queda veio diante da segunda onda de covid-19 no país e receios sobre as novas cepas de coronavírus. Veja Mais

Destaques da NASA: fotos astronômicas da semana (06/02 a 12/02/2021)

canaltech Bem-vindos a mais uma compilação de imagens astronômicas selecionadas pela NASA durante a semana. Hoje, além das imagens impressionantes, todas muito interessantes visualmente, temos um bocado de curiosidades sobre o mundo da astronomia. Você sabia que alguns observatórios disparam lasers no céu para criar "estrelas falsas" e "enganar" intencionalmente os telescópios? Pois você conhecerá um deles e suas quatro estrelas fake, e entenderá por que isso é feito! Além disso, temos composições impressionantes de cenários cósmicos, galáxias de formatos peculiares, aglomerados globulares, e muito mais. Sábado (06/02) — Noite panorâmica (Imagem: Reprodução/Lukasz Zak) Às vezes, a melhor estratégia para obter uma “astroimagem” incrível é adicionar um toque de criatividade às fotos do céu noturno. Nesse caso, deu certo! O fotógrafo criou uma imagem panorâmica de uma floresta perto de Siemiony, Polônia, incluindo a neve, as árvores, e, claro, o céu estrelado. O conjunto de exposições prolongadas garantiu uma boa visão da faixa central da Via Láctea e o resultado é este panorama esférico super interessante. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Perto do zênite (o ponto imaginário do céu que fica exatamente acima da cabeça do observador, que no caso desta imagem é o centro do panorama) está a estrela Capella, a mais brilhante da constelação do Cocheiro e a sexta mais brilhante do céu, localizada a 43 anos-luz de distância do topo das árvores que, nesta foto, apontam para ela. Mais à direita estão estrelas mais famosas, como a constelação de Órion, incluindo as Três Marias, que estão excepcionalmente brilhantes, formando o cinturão do Caçador. A estrela V1787 Ori tem uma "companheira" menos massiva que o Sol Domingo (07/02) — Estrelas azuis em aglomerado globular (Imagem: Reprodução/ESA/Hubble/NASA) Este objeto cósmico é um aglomerado globular, mais especificamente o M53 (ou NGC 5024), que fica na constelação de Coma Berenices, a uma distância de aproximadamente 50.000 anos-luz do centro da Via Láctea. Nosso Sistema Solar, por exemplo, fica a mais ou menos 58.000 anos-luz de distância do núcleo galáctico, então ambos os objetos são considerados bastante periféricos. Você pode vê-lo com nada mais do que um simples par de binóculos adequados para astronomia. O aglomerado tem mais de 250 mil estrelas, dentre as quais a maioria é de estrelas mais velhas — e, portanto, mais vermelhas — que o nosso Sol, mas também há algumas azuis e mais jovens. Esse contraste estranho não é exatamente o que os astrônomos esperariam encontrar, e poderia significar que as estrelas do M53 se formaram em períodos diferentes. Só que essa conclusão contradiz a hipótese mais aceita sobre o objeto, então alguns estudos e debates acadêmicos levantaram a teoria de que essas estrelas azuis foram rejuvenescidas por matéria fresca que veio de um companheiro estelar binário, e assim é considerado atualmente. Estrelas como essas (as azuis e aparentemente jovens) são conhecidas como stragglers azuis, uma classe observada em sistemas estelares antigos e densos, como é o caso dos aglomerados globulares. De acordo com estudos recentes, os stragglers azuis se formaram em ambientes densos, onde as distâncias entre estrelas são pequenas. Assim, colisões entre estrelas acabam sendo relativamente comuns. Quando duas velhas estrelas vermelhas colidem, o resultado seria uma estrela com uma massa maior (portanto, de cor mais azul). Astrônomos encontram vários buracos negros em um aglomerado globular de estrelas Segunda-feira (08/02) — Nebulosa de Gabriela Mistral (Imagem: Reprodução/Ariel Cappelletti) A Grande Nebulosa de Carina, também conhecida como Eta Carinae, é um objeto fabuloso. Com um diâmetro de 300 anos-luz, esta nebulosa é um dos maiores “berçários” de estrelas — ou seja, uma área de formação estelar — de nossa galáxia. Está localizada a 7.500 anos-luz de distância da Via Láctea, mas é brilhante o suficiente para ser vista a olho nu casos você esteja no hemisfério sul, em uma noite de céu livre de poluição luminosa. Além disso, ela abriga outros objetos menores, mas igualmente fantásticos. Na Eta Carinae estão mais de 14 mil estrelas, incluindo aglomerados, estrelas de nêutrons e remanescentes de supernovas. Esses objetos criam seus próprios filamentos de gás e poeira, e seus ventos estelares ficam responsáveis por esculpir essas estruturas que mais parecem pinturas de um artista muito inspirado. Nesta imagem, estamos vendo apenas duas das muitas nuvens de gás da Grande Nebulosa de Carina, mais especificamente a nuvem formada por uma estrela Wolf-Rayet (um tipo bastante massivo de estrelas evoluídas que possuem espectros anormais em suas linhas de emissão) e outra esculpida por um aglomerado globular chamado NGC 3324. A formação proveniente da estrela Wolf-Rayet são os filamentos semicirculares ondulados à esquerda, que ficaram conhecidos como WR 23. A curiosa cavidade no canto superior direito tem 35 anos-luz de diâmetro e é formada pelos ventos e radiação das estrelas que compõem o NGC 3324. Juntas, essas “pinturas” formam a região conhecida como Nebulosa de Gabriela Mistral (NGC 3324). Os tons de vermelho, verde e azul representam enxofre, hidrogênio e oxigênio ionizados, respectivamente. Estrela mais brilhante da galáxia será visível da Terra em pouco mais de 10 anos Terça-feira (09/02) — Pulsar do Caranguejo   Se você reparar bem neste curto vídeo montado em timelapse, você notará um pontinho piscando no meio de uma grande mancha clara. Trata-se de um pulsar, um tipo de estrela que “pisca” em intervalos de tempo precisos. Na verdade, pulsares são estrelas de nêutrons que transformam a energia rotacional em energia eletromagnética. Assim, quando gira, o campo magnético da pulsar induz um enorme campo elétrico na sua superfície. Essa estrela de nêutrons específica é conhecida como Pulsar do Caranguejo, porque ela é o remanescente de uma supernova que explodiu e formou a Nebulosa do Caranguejo. A NASA conta que essa pulsar pode ter sido vista pela primeira vez por uma mulher desconhecida, em uma noite de observação pública na Universidade de Chicago em 1957, mas ninguém acreditou nela. Modelo 3D permite navegar pela Nebulosa do Caranguejo e observá-la de pertinho Quarta-feira (10/02) — Estrelas falsas no céu (Imagem: Reprodução/Juan Carlos Muñoz/ESO)  Este é o Paranal Observatory, localizado no Observatório Europeu do Sul (ESO), e as rajadas de laser que ele emite são emitidas pelo Guide Star Facility ou 4LGSF. Mas para que ele serve? O sistema envia quatro feixes de laser aos céus para produzir quatro estrelas artificiais ao interagir com os átomos de sódio da atmosfera terrestre a uma altitude de 90 km. Cada laser fornece 22 watts de potência e eles são importantes para dar suporte à nova era de instrumentos do Paranal, ajudando a vencer a maior barreira entre os telescópios terrestres e as estrelas, que é a própria atmosfera terrestre. A turbulência atmosférica causa um efeito que pode ser bonito aos nossos olhos, mas que também atrapalha a astronomia. Estamos falando do aparente piscar das estrelas. Elas não estão piscando de verdade, mas as luzes de cada uma interagem com a atmosfera, e isso resulta em imagens borradas. A óptica adaptativa resolve esse problema combinando as tecnologias para corrigir as distorções introduzidas pela atmosfera, e para isso é necessário a luz de uma estrela suficientemente brilhante, que esteja perto do alvo no céu, servindo como referência. Só que para muitos alvos, não há estrelas adequadas por perto, então cria-se estrelas artificiais com estes lasers. É como enganar o telescópio, mas por um bom motivo! A importância do Observatório Astronômico Sul-Africano em 200 anos de história Quinta-feira (11/02) — O lago do Cisne (Imagem: Reprodução/P Metsavainio) Este incrível cenário foi composto ao longo de mais de uma década, com 400 horas de dados de imagem. Estamos olhando para um mosaico que abrange 28x18 graus no céu, ou seja, uma área muito grande, rica em detalhes. A região é a circunvizinhança da estrela alfa da constelação do Cisne, que é a supergigante Deneb, ou Alpha Cygni. Ela está à esquerda da imagem, indicada de maneira sutil. Também há muitas outras estrelas e nuvens de gás luminosas na região de Cygnus, além da nebulosa escura Saco de Carvão. Aí também estão presentes as regiões de formação de estrelas NGC 7000, a Nebulosa da América do Norte e a IC 5070, a Nebulosa do Pelicano, logo à esquerda e um pouco abaixo da estrela Deneb. Os olhares mais experientes poderão identificar outras nebulosas e aglomerados de estrelas nesse cenário impressionante. Hubble registra parte externa de nebulosa Laço do Cisne, que segue em expansão Sexta-feira (12/02) — O olho cósmico (Imagem: Reprodução/Mike Selby/Warren Keller) A galáxia espiral NGC 1350 está a cerca de 85 milhões de anos-luz de distância, em direção à constelação de Fornax. Ali, há aglomerados de estrelas azuis facilmente perceptíveis nos braços espirais. Essa galáxia é um pouco maior que a nossa Via Láctea, com cerca de 130.000 anos-luz de diâmetro. O curioso formato que os braços desenham ao redor do núcleo garantiu à NGC 1350 o apelido de “olho cósmico”. Como são as galáxias além da Via Láctea? Conheça os principais tipos Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: COVID-19 | 80% dos pacientes recuperados têm problema de concentração e memória Presença de gás poluente pode indicar civilizações avançadas em outros planetas Galaxy S21 Ultra vs. iPhone 12 Pro Max: qual é o melhor topo de linha? Depois de prever pandemia, Bill Gates se preocupa agora com duas novas ameaças Essa é a primeira foto de Marte feita pela missão chinesa Tianwen-1 Veja Mais

Bolsonaro vai para Santa Catarina passar feriado de Carnaval

Valor Econômico - Finanças Presidente deve ficar em São Francisco do Sul e retornar a Brasília somente na terça-feira O presidente Jair Bolsonaro embarcou neste sábado para Santa Catarina, onde vai passar o feriado de Carnaval. Pela programação, Bolsonaro deve ficar em São Francisco do Sul, litoral catarinense, e retornar a Brasília somente na terça-feira. No fim do ano, quando passou férias na região, o presidente ficou hospedado no Forte Marechal Luz. Veja Mais

Aos 70, idoso cruza Atlântico a remo e arrecada R$ 4,5 milhões para pesquisa sobre Alzheimer

Glogo - Ciência Frank Rothwell percorreu mais de 4 mil quilômetros e passou 56 dias no mar. Frank Rothwell é o homem mais velho a vencer o desafio de cruzar o Altântico a remo. Instagram/@frank_rothwell Aos 70 anos, um homem conseguiu percorrer o Oceano Atlântico enfrentando a "linha mais difícil do mundo" - o Talisker Whiskey Atlantic Challenge. O desafio o levou a arrecadar £ 1 milhão em doações para pesquisas sobre o Alzheimer. O valor equivale a cerca de R$ 4,5 milhões. Frank Rothwell percorreu mais de 4 mil quilômetros e passou 56 dias no mar. Ele é o homem mais velho a completar o desafio. Ele saiu de La Gomera, nas Ilhas Canárias, e chegou a Antigua, no Mar do Caribe, no último sábado (6). A marca de £ 1 milhão foi atingida na quinta-feira (11), cinco dias após completar o desafio. Initial plugin text “O desafio foi muito difícil, com mar agitado, ondas enormes e saudades da minha esposa, Judith. Mas por mais exaustivo que tenha sido, valeu totalmente a pena, pois espero que o dinheiro que arrecadamos faça uma grande diferença em tantas vidas", afirmou Rothwell. De acordo com informações em sua página oficial, mais de 9 mil pessoas fizeram doações. Os primeiros £ 500 mil em doações foram dobrados pela Iceland Foods Charitable Foundation. Alzheimer na família A motivação de Rothwell estava em sua própria família. Ele presenciou o impacto da doença em seu cunhado, Roger. Enquanto estava no mar, recebeu a notícia de que Roger havia morrido com a doença, aos 62 anos. “Roger foi minha principal motivação para completar o desafio e levantar £ 1 milhão para pesquisas sobre demência. Tendo recebido centenas de mensagens de pessoas que, como eu, testemunharam o desgosto da demência, estou orgulhoso de ter arrecadado uma quantia tão incrível em homenagem a Roger e a todos os que passaram pela devastação que ela causa", afirmou. A página que arrecada doações segue aberta. VÍDEOS: Mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias Veja Mais