Meu Feed

Últimos dias

Caio, Gil e Rodolffo formam paredão do 'BBB21'

G1 Pop & Arte Público vai escolher qual deles será o nono eliminado do reality na terça-feira (6). Caio, Gilberto e Rodolffo estão no paredão do 'BBB 21' Reprodução/TV Globo Caio, Gil e Rodolffo estão no paredão do "BBB21". O mais votado pelo público será o nono eliminado do reality na terça-feira (6). Gil foi indicado pela líder Viih Tube. Juliette e Rodolffo foram os mais votados pela casa na votação fechada e a líder escolheu Rodolffo para desempatar. Rodolffo iniciou uma votação aberta em que houve um empate entre Juliette e Caio. A líder precisou decidir de novo e escolheu Caio. Ele poderia indicar um participante no contragolpe e optou por Juliette. Disputaram a prova Bate e Volta: Caio, Juliette e Rodolffo. A paraibana venceu e escapou do paredão. Veja Mais

Lua de Saturno pode ter correntes oceânicas como as da Antártica

Lua de Saturno pode ter correntes oceânicas como as da Antártica

Tecmundo Cientistas divulgaram um novo estudo em que afirmam que os oceanos de Encélado, sexto maior satélite natural de Saturno, localizados 20 quilômetros abaixo da camada externa, podem ser tão ativos quanto os da Terra – contrariando suposições anteriores. Eles estão de olho no objeto desde 2014, ano em que missão espacial Cassini-Huygens registrou dezenas de gêiseres ejetando materiais através de fissuras no gelo depositado em sua superfície.Leia mais... Veja Mais

Crítica | Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre é sobre julgamento e pedras

canaltech   Existe um peso sempre muito evidente durante Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre. É uma carga manifestada já na primeira cena, com uma apresentação escolar pública de Autumm (Sidney Flanigan) ditando o tom do filme. Ali, enquanto a adolescente está aparentemente desconfortável cantando e tocando violão, a plateia permanece fria, com direito a um grito de insulto de um sujeito que parece ser colega da protagonista — o que pouco importa. A questão é que essa abertura é fundamental para o teor do filme. O incômodo de Autumm pode ser sentido. Há uma espécie de opressão por parte da plateia. Em meio a isso, ela chega a parar de tocar após a ofensa que escuta, mas respira, olha para frente e retoma a música. Desistir, portanto, não é uma opção para aquela adolescente. Ela precisa resistir e seguir seu caminho por mais que todos a olhem, julguem-na e possam, invariavelmente, lhe xingar. Respira, olha para frente e retoma a música. (Imagem: Reprodução/Telecine) Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Atenção! Esta crítica pode conter spoilers sobre o filme! -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- O visível e o invisível A bolha inflada que é a introdução não demora a respingar durante o desenvolvimento de Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre. A diretora Eliza Hittman (de Ratos de Praia — filme de 2017), para manter uma noção sempre ameaçadora, trabalha alimentando o espaço fílmico que não é visto, ou seja: tudo o que está fora do quadro, daquilo que é visível para o público, tem tanta ou mais importância do que aquilo que pode ser observado. 10 filmes independentes que você precisa assistir Com isso, Hittman demonstra que não pretende guiar o filme pelo viés do choque imagético. Ao mesmo tempo, existe um choque sim, mas ele não se apoia nas imagens, mas nas sensações. Um exemplo claro — e até preliminar — é o momento em que Autumm resolve furar o nariz para colocar um piercing. Existe uma preparação quase que de suspense, com planos detalhes do alfinete de segurança sendo esquentado e closes no rosto, mas o momento do furo é cortado. Acontece, àquele ponto, uma pequena elipse que não permite a visualização do momento e, quando se mostra algo, nunca é o furo em si. Mas o impacto da dor pode ser bem transparente. Plano detalhe do alfinete se segurança sendo esquentado. (Imagem: Reprodução/Telecine) Essa fuga do explícito, ainda, está em como a diretora trata o tema — e em vários sentidos. Não é claro, por essa perspectiva, quem engravidou a protagonista, mas pode crescer uma noção no espectador de que foi o companheiro de sua mãe (Ted — interpretado por Ryan Eggold). Hittman não constrói isso por meio de palavras ou de situações comprometedoras, mas de um silêncio que é tanto de voz quanto de imagens. Crítica | O Som do Silêncio é um filme de muitos contrastes Ópera silenciosa Assim, Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre torna-se uma ópera do silêncio: Autumm, em nenhum momento, comenta sua situação diretamente para com a prima Skylar (Talia Ryder); faz exames sem que diga exatamente o que deseja; segue uma trajetória cheia de opressões; e mantém-se firme contra assédios — como o que acontece no metrô em um momento. Ela (Autumm), que parece nunca desmoronar em meio a tanto, é a solista dessa ópera silenciosa de Hittman. Seu solo principal traz, junto a ele, o título do filme. A diretora, nesse momento, não poupa a atriz. Com a câmera imóvel, frontal, em primeiro plano e sem qualquer corte por mais de cinco minutos, é possível ver toda a dureza da expressão da protagonista enquanto não consegue dizer se nunca, raramente, às vezes ou sempre. As perguntas soam como lâminas, machucam, ferem mesmo... mas ela segue seu caminho dizendo, somente, que sim, que quer a presença daquela mulher, alguém que, para além da prima, parece a figura mais compreensiva do seu universo. Crítica | Silenciadas e a temida liberdade feminina Nunca, raramente, às vezes ou sempre? (Imagem: Reprodução/Telecine) Se a cena que dá nome ao filme é a mais claramente forte, há outra que, próximo ao fim, permite o surgimento de uma impressão de empatia pura. Quando Skylar permite que Jasper (Théodore Pellerin) lhe beije e lhe toque para que elas consigam retornar para suas casas — o que fica, finalmente, explícito pelo modo como Hittman filma a reação dela (de Skylar) —, Autumm demonstra que está ali com a prima ao segurar sua mão discretamente. Mas é uma discrição para o momento, não para o espectador. Isso porque a diretora, apesar de manter o silêncio sonoro das atitudes, prefere mostrar sem camuflagem os melhores sentimentos. Crítica | Ferrugem corrói até o osso da imaturidade O sonoramente silencioso e imageticamente sonoro "estou aqui". (Imagem: Reprodução/Telecine) Pedras podem existir Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre é, finalmente, um drama que funciona, ainda, como um estudo de personagens. Autumm e Skylar são figuras das mais ricas do cinema recente e com duas das melhores atuações adolescentes dos últimos anos. O filme não é sobre aborto em si, mas sobre as sensações causadas por um mundo que julga, oprime, assedia e estupra; sobre um mundo que pode ser devastador para as mulheres. Nesse sentido, é como se Hittman tentasse trazer à tona o subjetivo, deixando as obviedades adolescentes e da confusão da cidade grande em um plano muito mais real — e, no caso, secundário. Até porque são as sensações que alimentam a empatia e, de repente, pode ser que, através dela (da empatia), possa surgir algum sentimento que não julgue e não esteja disposto a atirar pedras. Aliás, julgamento e pedras podem existir, mas, em um filme que são mostrados um insulto público, um gerente (interpretado por Drew Seltzer) que exige beijar as mãos das funcionárias adolescentes, um padrasto estuprador e um assediador que coloca o pênis para fora da calça em frente a ela dentro do metrô, o alvo, aqui, nunca deveria ser Autumm. Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre está disponível no catálogo do Telecine. *Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Canaltech Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Ciência desenvolve tratamento para fazer dentes nascerem de novo Observações da NASA mostram que humanos estão desequilibrando energia da Terra Galaxy S22 Ultra: conceito mostra como ficaria câmera gigantesca de 200 MP 8 hábitos equivocados que não te protegem contra COVID-19 Doença misteriosa atinge mais de 40 pessoas no Canadá Veja Mais

Brasil chega a 331,5 mil mortes por covid, mostra consórcio da imprensa

Valor Econômico - Finanças Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 12.983.560 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 30.939 desses confirmados no último dia O Brasil registrou 1.233 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando neste domingo 331.530 óbitos. Com isso, a média móvel de mortes no país nos últimos 7 dias ficou em 2.747. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +20%, indicando tendência de alta nos óbitos pela doença. Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h deste domingo. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde. Já são 74 dias seguidos com a média móvel de mortes acima da marca de mil; o país completa agora 19 dias com essa média acima dos 2 mil mortos por dia; é o nono dia com a média acima da marca de 2,5 mil. Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 12.983.560 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 30.939 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 64.418. Isso representa uma variação de -14% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de estabilidade nos diagnósticos. Doze Estados e o Distrito Federal estão com alta nas mortes: Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Amapá, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco e Piauí. Em estabilidade em casos estão 10 Estados: Santa Catarina, Goiás, Acre, Pará, Rondônia, Tocantins, Alagoas, Bahia, Rio Grande do Norte e Sergipe. Quatro Estados apresentaram queda no número de casos: Paraná, Rio Grande do Sul, Amazonas e Roraima. Veja Mais

Liga da Justiça de Zack Snyder: mais de 60% não assistiram até o fim

Liga da Justiça de Zack Snyder: mais de 60% não assistiram até o fim

Tecmundo Lançado mundialmente em 18 março, o filme Liga da Justiça de Zack Snyder comprovou sua fama de um dos lançamentos mais esperados do ano, chegando a 1,8 milhões de lares americanos, de acordo com o app agregador de audiência Samba TV.  Porém, esta empresa assegura que apenas 36% dessas pessoas conseguiram assistir ao filme até o final.Para o Samba, o número real de domicílios que deram conta de assistir a todos os 242 minutos do filme foi de apenas 800 mil. Apesar de não serem números oficiais (pois não divulgados pelo HBO Max), os números do app de recomendação traçam um quadro questionável.Leia mais... Veja Mais

Gabriel Paulista, do Valencia, lamenta racismo: 'Ninguém merece tal humilhação'

O Tempo - Mundo Juan Cala, do Cádiz, teria chamado Diakhaby de "negro de merda" Veja Mais

Era do ativismo mobiliza liderança e funcionários

Valor Econômico - Finanças Engajamento individual e corporativo ganha força, mas é preciso trabalhar a defesa e comunicação das causas Em 2018, a gerente de Operações Comerciais da Unidade de Negócios de Papel e Embalagens da Suzano Ananda Sá Dias recebeu um pedido inusitado. Um grupo de estagiários tinha elaborado um projeto de diversidade e pediu ajuda a essa engenheira química de 35 anos para um evento sobre a consciência negra. “O evento estava agendado, mas não tínhamos convidados. Comecei a chamar as pessoas pelos corredores da empresa, pelo LinkedIn, pedi verbas para confeccionar camisetas e adesivos. No final, tivemos até a presença do CEO”, diz. A partir daquele evento, o ativismo ganhou outra proporção para ela na empresa. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Como duplicar aplicativos no celular da Xiaomi

canaltech Os celulares Xiaomi são conhecidos por terem baterias duradouras e diversas funções interessantes disponíveis na sua interface MIUI, como duplicar aplicativos para que o usuário consiga utilizar duas contas, ao mesmo tempo, em uma determinada rede, por exemplo, como Facebook. No caso, o recurso é nativo e pode ser utilizado em qualquer aplicativo. Veja abaixo como configurar o recurso. Como identificar se o celular Xiaomi é original ou não? 6 aplicativos da Xiaomi para usar em qualquer celular Android Como ver o consumo de bateria do seu Xiaomi na MIUI 12 Como duplicar seus aplicativos no celular Xiaomi Passo 1: abra o aplicativo de “Configurações” do seu celular e vá em “Apps”. Caption Passo 2: na tela seguinte, toque em “Dual Apps”. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Caption Passo 3: serão listados todos os aplicativos instalados no seu celular. Escolha quais deseja duplicar e deslize o dedo no botão ao lado do app. Caption Passo 4: alguns aplicativos necessitam que seja duplicado o Google Play. Clique em “Ativar” se quer continuar com o procedimento. Caption Passo 5: aparecerá uma mensagem dizendo que o aplicativo está sendo gerado. Após alguns instantes, o aplicativo estará disponível. Caption Pronto! Agora você já sabe como configurar e utilizar duas contas de um aplicativo em um mesmo celular da Xiaomi. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Observações da NASA mostram que humanos estão desequilibrando energia da Terra Doença misteriosa atinge mais de 40 pessoas no Canadá Robôs começam a entregar encomendas em cidade dos EUA O céu (não) é o limite | Nova força fundamental na física, asteroide perto e + Xiaomi Mi Mix Fold vs Samsung Galaxy Z Fold 2: qual o melhor dobrável? Veja Mais

Indústria de papel e celulose oferece oportunidades de estágio para estudantes do Alto Tietê

G1 Economia As vagas são voltadas aos alunos com graduação prevista entre junho de 2022 e junho de 2023. As inscrições devem ser feitas pela internet. Uma indústria de papel e celulose está com inscrições abertas para seu programa de estágio, que oferece vagas no Alto Tietê. Os interessados devem se inscrever pela internet até o dia 27 de abril. De acordo com a empresa, as vagas são direcionadas aos alunos com graduação prevista entre junho de 2022 e junho de 2023. Ciee seleciona estudantes para cinco oportunidades de estágio e do Jovem Aprendiz no Alto Tietê nesta quinta; veja lista Os selecionados atuarão em diversas áreas da companhia, como Tecnologia da Informação, Relações Institucionais, Sustentabilidade Institucional, Negócios, Saúde e Segurança, Suprimentos e Logística, Comunicação e Marca, Desenvolvimento Socioambiental, Marketing, Gente e Gestão, além das operações florestais e outras. As vagas serão preenchidas conforme a necessidade da companhia, não sendo exigido a obrigatoriedade de um segundo idioma, exceto para vagas pontuais que atuam diretamente com mercado externo. O processo será 100% on-line e contará com as seguintes etapas: inscrições (março e abril); avaliação (abril); dinâmica de grupo; etapa final (maio). Os requisitos, benefícios e outras dúvidas sobre o processo seletivo podem ser consultados pela internet. Assista a mais notícias Veja Mais

Tesla e SpaceX abrem milhares de vagas de emprego no Texas

Tesla e SpaceX abrem milhares de vagas de emprego no Texas

Tecmundo A montadora de carros elétricos Tesla e a empresa de exploração espacial SpaceX, ambas atualmente comandadas por Elon Musk, estão em busca de novos funcionários na região do estado norte-americano do Texas.O empresário foi ao Twitter para divulgar a oferta de empregos — algumas até sem pré-requisitos, como diplomas de cursos superiores, e com a possibilidade de crescimento na companhia ao longo dos anos.Leia mais... Veja Mais

Uber vai indenizar passageira cega que teve corridas recusadas

Uber vai indenizar passageira cega que teve corridas recusadas

Tecmundo A Uber foi condenada a pagar um total de US$ 1,1 milhão em uma ação judicial movida por uma passageira contra a empresa. O motivo é a falta de suporte de motoristas da plataforma que recusavam corridas a ela, que é uma pessoa cega, e ao cão-guia que a acompanha.Segundo o jornal San Francisco Chronicle, a norte-americana Lisa Irving teve ao menos 60 corridas recusadas no momento em que o condutor chegava para pegá-la e via que teria que levar também Bernie, o labrador treinado que a acompanha.Leia mais... Veja Mais

Pokémon GO: como fazer as evoluções do Eevee em 2021

Pokémon GO: como fazer as evoluções do Eevee em 2021

Tecmundo Pokémon GO tem como premissa principal capturar diversos monstros para montar times para o PvP, Reides ou mesmo colecionar aqueles que são mais fortes ou raros (seja por aparição ou por serem da categoria Brilhante). Destes, o que oferece mais variações, sem sombra de dúvidas, é o Eevee.A pequena raposa, diferente de muitas criaturas existentes no game, possui um total de sete evoluções disponíveis dentro do game (a saber, Vaporeon, Jolteon, Flareon, Umbreon, Espeon, Glaceon e Leafeon), e neste guia você confere como conseguir cada uma delas.Leia mais... Veja Mais

GOL BRASILEIRO E DOIS DE KANE! Melhores momentos de Newcastle 2 x 2 Tottenham na Premier League

GOL BRASILEIRO E DOIS DE KANE! Melhores momentos de Newcastle 2 x 2 Tottenham na Premier League

Fox Sports Brasil Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse o ESPN.com.br e inscreva-se no nosso canal! https://www.espn.com.br/ ➡ Facebook: https://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: https://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: https://instagram.com/foxsportsbrasil ➡ Facebook: https://www.facebook.com/espnbrasil ➡ Twitter: https://twitter.com/ESPNBrasil ➡ Instagram: https://www.instagram.com/espnbrasil Vamos JuntosNaTorcida! #ESPN #ESPNBrasil #FOXSports Veja Mais

ECMO: entenda a terapia que está sendo feita em Paulo Gustavo

Glogo - Ciência Em alguns pacientes, o pulmão se torna incapaz de absorver o oxigênio. Por isso, é preciso “substituir” o órgão. A ECMO age como um pulmão artificial e oxigena o sangue fora do corpo. Paulo Gustavo trava batalha contra a Covid; parentes, amigos e fãs fazem corrente pela melhora do ator Internado desde 13 de março para tratamento contra a Covid-19, o ator Paulo Gustavo apresentou uma piora no quadro e passou a utilizar uma terapia chamada ECMO – Oxigenação por Membrana Extracorpórea. Ou seja, a oxigenação do paciente será feita por uma membrana fora do corpo. Marido pede para que pessoas não espalhem notícias falsas sobre Paulo Gustavo Famosos pedem força, axé e cura após piora do quadro de saúde de Paulo Gustavo Hospital de Curitiba usa máquina que oxigena o sangue enquanto pulmão 'descansa' Em alguns pacientes, o pulmão se torna incapaz de absorver o oxigênio. Por isso, é preciso “substituir” o órgão. É nessa hora que a ECMO entra. O equipamento age como um pulmão artificial e oxigena o sangue fora do corpo. “A função da ECMO é repousar o pulmão. A terapia é ponte para a recuperação. Na Covid-19 existe uma inflamação muito séria no pulmão. Por causa dessa inflamação, o ar não entra e não tem oxigenação. Por isso, o pulmão fica incapaz de manter o corpo oxigenado. A terapia, então, devolve o sangue oxigenado para o corpo”, explica o fisioterapeuta cardiorrespiratório e de Terapia Intensiva, Fábio Rodrigues. "Na maioria dos casos de Covid, o dano está no pulmão. Vemos uma dificuldade de oxigenação, o pulmão está muito lesado, muito afetado. O órgão não consegue trocar com a ventilação tradicional e a ECMO entra para ajudar na oxigenação e suporte para o paciente devolvendo o sangue oxigenado artificialmente", explica Rafaella Gato, cardiologista pediátrica e diretora do programa de ECMO do departamento de cardiologia do Sabará Hospital Infantil (SP). Quando o paciente está na máquina, ele precisa estar sedado. "O pulmão passa a ser a membrana. Controlamos o gás carbônico e o oxigênio por essa membrana. Deixamos o pulmão parado para desinflamar", completa Rodrigues. Diferente do ventilador mecânico Apesar de semelhantes, a ventilação mecânica não é igual a ECMO. O ventilador dá oxigênio, promove as trocas gasosas e dá pressão para o pulmão ficar aberto. Ele não substitui o pulmão. Ele vai favorecer a fisioterapia e a recuperação do pulmão. No entanto, o suporte tem um limite. "Quando o ventilador não consegue fazer o pulmão funcionar bem, se o pulmão está lesado e não consegue fazer mais a troca de oxigênio, a ECMO está indicada. As trocas dos gases serão controladas pela máquina", explica a cardiologista do Sabará Hospital Infantil. Terapia já existe há anos Segundo Rafaela Gato, a terapia ECMO foi muito utilizada em 2009, por causa da H1N1. “Tivemos um pico de assistência em ECMO em 2009, quando a terapia voltou a ser falada e consolidada. E agora, com Covid, de novo. Estamos fazendo estudo coletivo dos centros que trabalham com ECMO no Brasil e estamos vendo boas histórias e boas taxas de sobrevida”. A terapia já existe há muitos anos e pode ser de dois tipos: Veno-venosa: utilizada em pacientes com insuficiência respiratória. O sangue é retirado de uma veia central, passa pela membrana extracorpórea onde é realizada a troca gasosa e retorna por uma veia central. Essa é a terapia usada nos casos de Covid-19 e também no ator Paulo Gustavo. Veno-arterial: utilizada em casos de insuficiência cardíaca. Fornece tanto suporte respiratório como circulatório. O sangue retorna para o sistema arterial e fornece suporte hemodinâmico, além do suporte ventilatório. Para todas as idades e sem prazo O equipamento pode ser usado em pessoas de todas as idades, desde recém-nascidos até idosos. Ele também está disponível tanto na rede privada quanto pública. "Não é uma modalidade de terapia disponível só para o paciente particular", reforça Gato. Paciente de Covid-19 é salva no Rio com uso de tecnologia que funciona como pulmão artificial Entenda por que o oxigênio é tão importante para pacientes com Covid – e o que acontece quando ele falta Os especialistas explicam que não existe prazo para o paciente ficar na ECMO. "Ele pode ficar o tempo que for necessário. O que determina a retirada da máquina é: excesso de coágulo no circuito, sangramento excessivo ou se o pulmão melhorou", diz Rodrigues. "Geralmente, a terapia veno-venosa é um pouco mais longa, porque o pulmão demora bastante tempo para se recuperar. Pode demorar dias, semanas", completa a cardiologista. Veja quando o uso é contraindicado Falência múltipla de órgãos Doenças pulmonares ou cardiovasculares irreversíveis Pacientes que passaram muito tempo em ventilação e já têm danos pulmonares Coagulopatia grave e/ou hemorragia Outras anomalias congênitas VÍDEOS: Vacinação no Brasil Veja Mais

Plataformas multiplicam séries com mesmos heróis para fisgar o público

O Tempo - Diversão - Magazine Wanda Maximoff, por exemplo, vai aparecer no próximo filme do Doutor Estranho, treinando com o herói para finalmente abraçar seu alter ego de Feiticeira Escarlate Veja Mais

Morre, aos 40 anos, vítima da Covid, o cineasta Ely Marques

O Tempo - Diversão - Magazine Ele estava internado há mais de uma semana, e chegou a fazer uma postagem sobre a doença Veja Mais

Essas alunas do Ensino Médio descobriram dois asteroides; saiba como

canaltech Não é somente com acesso aos instrumentos poderosos dos observatórios ou a laboratórios que é possível realizar descobertas científicas — prova disso é que, em janeiro, as estudantes Laura dos Santos Dias e Micaele Vitória Cavalcante Gomes descobriram dois asteroides por meio do projeto Caça Asteroides, criado pela universitária Helena Carrara. Ainda não há informações sobre a trajetória, composição, magnitude e demais dados dos objetos, que deverão ser estudados por astrônomos profissionais nos próximos anos. Alunas indianas descobrem asteroide a 70 milhões de km da Terra Cientista cidadão produz imagens coloridas da descida do Perseverance em Marte Sky Hub | Projeto permite a participação do público no monitoramento de OVNIs A descoberta foi o feliz fruto do projeto de Helena, estudante de graduação em Física pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), câmpus de Bauru, no interior de São Paulo. Em seu projeto de iniciação científica, sob orientação do professor Rodolfo Langhi, Helena trabalha com o patrulhamento de meteoros com apoio de uma das câmeras da Bramon (Brazilian Meteor Observation Network), que registra a passagem das rochas espaciais constantemente. Depois, com outras imagens, eles verificam onde o objeto e seus fragmentos caíram, para usar as informações para o ensino: “a ideia é criar um material didático para professores ensinarem mais adequadamente sobre os asteroides e meteoritos na educação básica”, explica ela. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Contudo, alguns problemas técnicos somados aos obstáculos da pandemia resultaram na pausa do projeto. Foi durante uma palestra feita no 6º Encontro Paulista de Astronomia (EPA) que Helena soube que o International Astronomical Search Collaboration (IASC), um programa de ciência cidadã que disponibiliza dados astronômicos para cientistas cidadãos, tinha também um programa voltado para a busca de asteroides. Ela levou ao professor a proposta de criar outro projeto, para que funcionasse também como um complemento à iniciação científica. A ideia avançou: “abrimos as inscrições para o Caça Asteroides, e recebemos cerca de 20 inscrições de interessados”, relata. Os participantes do projeto trabalharam com imagens feitas pelo observatório Pan-STARRS (Imagem: Reprodução/Institute for Astronomy/University of Hawaii) Como as vagas eram limitadas, cinco participantes foram selecionados. Durante um período, Helena dedicou um treinamento a eles, em que estudaram o que eram os asteroides, os materiais fornecidos pelo IASC e o software Astrometrica, cujo acesso foi disponibilizado pelo programa. Neste software, as imagens da campanha são inseridas para ficarem em movimento; assim, é possível identificar o objeto desejado, porque ele vai se mover em uma trajetória reta, como no caso dos asteroides. Durante os estudos, eles aprenderam não só a identificar os possíveis asteroides, mas também as chamadas "assinaturas falsas", que não apresentam o movimento correspondente ao que procuram. No início da campanha, eles receberam as imagens produzidas pelo observatório Panoramic Survey Telescope and Rapid Response System (Pan-STARRS), que fica no topo de um vulcão no Havaí. Ela distribuiu o material entre os membros do grupo, definindo também o conjunto de imagens que cada participante iria analisar. Ao longo do processo, o IASC apresentava as atualizações das descobertas em uma página do site — foi por lá que o grupo soube que Laura e Micaele, duas alunas membros do grupo, haviam feito descobertas. Uma caminhada de conhecimento Desde pequena, Laura já tinha interesse pela ciência. Apesar de esse apreço ter ficado um pouco de lado conforme foi crescendo, a curiosidade voltou com tudo durante as aulas de Física do ensino médio, junto da ajuda de professores da escola em que estuda, em São Paulo: uma estava trabalhando o que os alunos tinham em mente para o futuro, enquanto outro notou o interesse de Laura pela astronomia e propôs que ela se inscrevesse no projeto. Como já se interessava pela área, decidiu tentar participar para saber mais. Depois que soube que conseguiu a vaga, ela trouxe a novidade para eles: "eles ficaram super felizes, esse professor disse que fui a única da escola que se inscreveu e passou", conta.  Indicação do asteroide decoberto por Laura (Imagem: Laura Dias) Já Micaele, inicialmente, tinha grande interesse pelas artes cênicas. Ela pensava em estudar para se tornar atriz e se mudou de Pernambuco para São José dos Campos, no interior de São Paulo, para perseguir o sonho. Mesmo com as aulas do curso de teatro, ela se dedicava à participação em olimpíadas de astronomia, matemática, química e outras áreas das ciências, até que conquistou a medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). Daí em diante, Micaele mergulhou fundo no mundo da ciência, participando de projetos de extensão, buscando oportunidades nas outras escolas em que estudou e, quando não havia projetos, ela mesma os criava. Enquanto procurava por outros projetos, ela topou com o Caça Asteroides. Ela relata que o processo de análise das imagens era um pouco cansativo, mas os participantes iam conversando e brincando entre si, o que deixava tudo mais leve: "eu era muito motivada pela curiosidade de saber o que ia acontecer depois, então não ia desistir ou deixar o processo ficar chato", diz. Laura conta que passava longos períodos observando os pontos na tela, até que algo que lhe chamou a atenção: "quando eu achei que encontrei, avisei a Helena e marquei a localização; depois de alguns dias, saiu a lista com o que a Micaele encontrou", comentou.  Como foram descobertos muito recentemente, ainda não é possível saber qual é a posição precisa dos asteroides. Os dados dos objetos encontrados foram enviados para astrônomos profissionais, que vão estudar a trajetória, o tamanho, o diâmetro e outros parâmetros, o que deve ser feito em um intervalo de três a cinco anos. Depois que isso for feito, elas vão poder dar um nome final a eles, que será usado para a União Astronômica Internacional (IAU) catalogá-los.  Indicação do asteroide descoberto por Micaele (Imagem: Micaele Gomes) Para Laura, essa iniciativa de ciência cidadã tem enorme importância: "a maioria das pessoas fica distante da ciência e não tem interesse pela área, então é uma forma de trazer essa possibilidade e abrir a porta para outras", finaliza ela. Ela considera que a participação foi um passo inicial para outros projetos, e até já se inscreveu em outro, chamado Meninas e Mulheres nas Galáxias, que irá trabalhar a classificação de galáxias em um grupo composto somente por mulheres. Futuramente, ela pensa em tentar uma vaga de graduação na Universidade de São Paulo (USP). Até o momento, Micaele não conseguiu participar de outro projeto de ciência cidadã por falta de tempo. Ela é orientadora das alunas participantes do projeto Meninas e Mulheres nas Galáxias, e começará um projeto no Observatório Nacional para dar apoio ao desenvolvimento de projetos de divulgação científica, além de levar a ciência para as pessoas. Com a rotina corrida, que une o trabalho aos estudos para o vestibular, ela pretende estudar engenharia aeroespacial e astrofísica: "a junção dessas áreas pode trazer muita coisa pro Brasil, e eu quero trazer alguma mudança pro meu país e, quem sabe, pro mundo", conta. Futuramente, ela pensa em trabalhar em algo voltado para o ensino: "quero trabalhar com a educação pra ver outras pessoas, como eu, alcançando essas oportunidades e tendo a vida transformada pela ciência". Do cidadão para a ciência O projeto e os resultados conquistados são um excelente exemplo do que os cientistas cidadãos podem alcançar: “a astronomia tem essa característica que a diferencia das outras ciências: não existe físico, biólogo, ou químico amador, mas há o astrônomo amador”, diz o prof. Langhi. As origens dessa prática se relacionam ao passado: na China antiga, o período migratório dos gafanhotos causava estragos nas plantações, e os moradores ajudavam a rastrear a ocorrência dos insetos — tudo isso há cerca de 2 mil anos! Contudo, a expressão “ciência cidadã” só foi cunhada mesmo por volta da década de 1990. Alan Irwin, sociólogo, a define como “ciência que auxilia as necessidades e preocupações dos cidadãos”, mas também como “uma forma de ciência desenvolvida e possibilitada pelos próprios cidadãos”.  No Observatório, já foram realizadas diversas atividades com o público, desde palestras até observações do céu com telescópios (Imagem: Reprodução/Unesp) O professor, que atualmente é coordenador do Observatório Didático de Astronomia "Lionel José Andriatto", da Unesp de Bauru, conta que essa foi a primeira vez que uma descoberta foi feita em uma colaboração com a astronomia profissional. O Observatório foi construído em um prédio antigo, que no passado era usado para o lançamento de balões meteorológicos, e é voltado para a produção de dados para pesquisas relacionadas ao ensino de ciência. Inaugurado oficialmente em 2009, o local recebeu alunos e moradores da cidade, chegando à marca de 9 mil visitantes por ano: "quando abrimos para o público, montamos vários telescópios no térreo, para quem tem necessidades especiais, e na cúpula, que é onde fica o maior telescópio newtoniano da região", explica. Enquanto as lunetas usam apenas lentes para aproximar os objetos observados, estes telescópios usam espelhos esféricos para captar a luz. No momento, devido à pandemia de COVID-19, a equipe vem seguindo nas atividades com transmissões ao vivo pela internet — tanto que uma que fez grande sucesso foi uma observação lunar, durante a Noite Internacional de Observação da Lua: “colocamos uma câmera no telescópio e fizemos a observação online, explicando a superfície da Lua”, explica ele. Durante o evento, eles moviam o telescópio para que as pessoas conhecessem as crateras do nosso satélite natural. Em outras atividades, a equipe montou telescópios na cidade para o público poder observar eclipses, chuvas de meteoros e, claro, os objetos no céu: "tinha gente que olhava e achava que era uma foto que colocamos na frente do telescópio, mas também tinham outros que choravam de emoção", relata Langhi.  Além disso, o Observatório também uma carreta, que pode ser usada para levar telescópios a outras cidades do interior paulista para realizar atividades. Segundo o professor, essa aproximação com a sociedade é algo que precisa ser feito, ainda mais no momento atual, em que vemos um distanciamento entre a ciência e a população: "esse nosso trabalho de divulgação é importante, porque conseguimos trabalhar as curiosidades das pessoas do universo e explicar a visão da ciência", diz. “Costumo dizer que, se o cientista não faz a divulgação dele, os anticientistas vão fazer, e muito bem. É por isso que entra a importância da nossa pesquisa, para se buscar maneiras mais eficientes e melhores de divulgar ciência e astronomia”. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Observações da NASA mostram que humanos estão desequilibrando energia da Terra Doença misteriosa atinge mais de 40 pessoas no Canadá Robôs começam a entregar encomendas em cidade dos EUA Fiocruz entrega 1,3 milhão de doses da vacina de março e justifica o atraso O céu (não) é o limite | Nova força fundamental na física, asteroide perto e + Veja Mais

Sonda InSight detecta dois enormes terremotos em Marte

Sonda InSight detecta dois enormes terremotos em Marte

Tecmundo A NASA divulgou em seu site na quinta-feira (1) que a sonda InSight, há quase dois anos explorando o planeta Marte, detectou sinais fortes e claros de dois terremotos na região conhecida como Cerberus Fossae, um conjunto de fissuras semiparalelas formadas por falhas. A intensidade dos tremores foi de 3,3 e 3,1, ocorridos respectivamente nos dias 7 e 18 de março.A equipe de ciência do InSight já registrou mais de 500 terremotos, depois batizados de “martemotos”. Monitorar essa atividade ajuda a compreender melhor o manto e o núcleo do planeta vermelho. Embora Marte não possua placas tectônicas, como a Terra, tem regiões vulcanicamente ativas, que podem causar estrondos.Leia mais... Veja Mais

Como ver o horário que o Apple Watch foi carregado pela última vez

canaltech A bateria do Apple Watch tem melhorado consideravelmente a cada nova geração lançada. Claro que a duração dela varia conforme as preferências de uso definidas por cada usuário - o que inclui a utilização dos modos Não Perturbe, Cinema e Reserva de Energia -, mas é sempre bom sabermos qual a sua capacidade em geral, para calcularmos quando vamos precisar carregá-lo novamente. Como ativar e desativar a reserva de energia do Apple Watch Apple Watch ajuda polícia a encontrar assaltante em menos de 24 horas Como ativar o recurso "Lavar as Mãos" no Apple Watch Como limpar todas as notificações no Apple Watch em 3 passos Como ativar o bloqueio de água no seu Apple Watch Um bom parâmetro é identificarmos quando foi a sua última recarga completa - ou seja, quando o Apple Watch foi retirado de seu carregador com 100% de bateria para ser usado. Com o cálculo baseado tanto no tempo de uso, como no tempo de espera (standby), podemos ter uma ideia muito mais precisa da duração da bateria do relógio e de quando ele vai precisar ser carregado novamente. Descubra como conferir o tempo desde a última carga no seu Apple Watch: -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Passo 1: entre nos "Ajustes" em seu Apple Watch. Passo 2: desça a tela e procure por "Bateria". Vá em Ajustes > Bateria. Captura de tela: Lucas Wetten (Canaltech) Passo 3: você encontrará as informações da bateria do seu relógio, incluindo o horário da última carga completa. Veja as informações da bateria do seu relógio. Captura de tela: Lucas Wetten (Canaltech) Passo 4: no seu iPhone, entre no aplicativo "Watch" e clique em "Geral". Vá em Watch > Geral. Captura de tela: Lucas Wetten (Canaltech) Passo 5: desça as opções e selecione "Uso". Procure pela seção de "Uso". Captura de tela: Lucas Wetten (Canaltech) Passo 6: rola a tela até o final para encontrar o tempo desde a última recarga completa, com o tempo de uso e o tempo de espera (standby) do relógio. Veja as informações de uso do seu relógio. Captura de tela: Lucas Wetten (Canaltech) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Ciência desenvolve tratamento para fazer dentes nascerem de novo Observações da NASA mostram que humanos estão desequilibrando energia da Terra Galaxy S22 Ultra: conceito mostra como ficaria câmera gigantesca de 200 MP 8 hábitos equivocados que não te protegem contra COVID-19 Doença misteriosa atinge mais de 40 pessoas no Canadá Veja Mais

Interferência do governo penaliza ações do BB

Valor Econômico - Finanças Papéis voltam a ser negociados com múltiplo semelhante ao do primeiro mandato de Dilma As ações do Banco do Brasil (BB) perderam desde que o governo começou a interferir na instituição financeira e em outras estatais sem seguir as melhores práticas de governança. Os papéis voltaram a ser negociados em múltiplos semelhantes aos da era Dilma, quando havia desconfiança dos investidores sobre o uso político de bancos estatais. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

É o fim! LG anuncia saída do mercado global de celulares

tudo celular O fechamento da unidade de telefonia móvel foi aprovado pelo conselho de administração da empresa. Veja Mais

Vendas à Zona Franca de Manaus geram créditos de PIS e Cofins

Valor Econômico - Finanças Entendimento é da 2ª Vara Federal de Araraquara (SP) e beneficia a Sertão Alimentos A Sertão Alimentos, especializada no abate e comercialização de aves, obteve na Justiça o direito de apurar créditos de PIS e Cofins sobre vendas efetuadas à Zona Franca de Manaus e áreas de livre comércio no Norte do país — como Boa Vista e Bonfim, ambas em Roraima. A sentença é da 2ª Vara Federal de Araraquara (SP), que equiparou o envio de produtos a essas regiões a exportações. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Da Covid ao ebola: de onde vêm os nomes das doenças?

Glogo - Ciência Raramente paramos para analisar o nome de uma doença ou por que decidiram chamá-la assim — mas isso tem um enorme peso político, econômico e social. Doença do coronavírus é batizada com o nome de Covid-19 pela OMS Quando ficamos sabendo do surgimento de uma nova doença — como foi o caso recentemente da Covid-19, procuramos aprender sobre as causas, os sintomas e como podemos evitá-la. Raramente paramos para analisar o nome de uma doença ou por que decidiram chamá-la de determinada maneira. No entanto, os nomes das doenças têm enorme peso político, econômico e social. "Quando surge uma nova ameaça à vida, a primeira e mais premente preocupação é dar um nome a ela", diz a jornalista especializada em ciência Laura Spinney em seu livro Pale Rider: The Spanish Flu of 1918 and How it Changed the World ("Cavaleiro Pálido: a gripe espanhola de 1918 e como ela mudou o mundo", em tradução livre). Em entrevista ao programa Word of Mouth, da BBC Radio 4, Spinney explica por que a denominação é tão importante. "É muito difícil falar de algo que não tem um nome e mais difícil ainda combatê-lo. Depois de dar um nome, você pode falar sobre isso, discutir possíveis soluções, adotar ou rejeitar essas soluções, transmitir uma mensagem de saúde pública e pedir que as pessoas cumpram", afirmou. "Acho que não há nada mais assustador do que algo que não tem nome e você não sabe o que é." No entanto, às vezes, quando surge uma doença infecciosa, as autoridades se apressam em nomeá-la antes mesmo de conhecer todos os seus sintomas e efeitos. E, ocasionalmente, esses nomes acabam sendo equivocados ou confusos. Um exemplo que a especialista citou foi a pandemia da chamada gripe suína, causada pelo vírus H1N1, que surgiu em 2009. Profissinal da saúde na Espanha prepata vacina contra o H1N1 Cesar Manso/AFP/Arquivo "É provável que tenha surgido com uma transmissão de porcos para humanos, mas a razão pela qual se tornou uma doença perigosa é que foi transmitida entre humanos", afirmou. O nome escolhido teve fortes consequências: muitos países proibiram as importações de carne de porco, e no Egito tomaram a decisão drástica de sacrificar todos os porcos: cerca de 300 mil animais que eram criados principalmente pelos coptas, uma minoria cristã. A gripe espanhola não surgiu na Espanha O caso mais famoso de uma doença nomeada inadequadamente foi o pior surto de gripe da história, que matou mais de 50 milhões de pessoas em todo o mundo em 1918 e 1919. Ainda hoje, cem anos depois, continuamos a chama-la de gripe espanhola. No entanto, "não havia nada de particularmente espanhol na doença", disse Spinney. "Afetou a Espanha, mas não começou na Espanha, acreditamos que começou provavelmente nos Estados Unidos, embora não tenhamos certeza." "A razão pela qual foi chamada de gripe espanhola foi porque a Espanha se manteve neutra durante a 1ª Guerra Mundial e não censurou seus jornais, como fizeram os Estados Unidos, o Reino Unido, a França e as nações em guerra, que proibiram informar sobre a gripe para não baixar a moral da população", explica. "Então, quando os espanhóis começaram a relatar os primeiros casos que surgiram em Madri, que ocorreram vários meses depois dos primeiros casos nos Estados Unidos — algo que eles não sabiam —, o resto do mundo pensou que a doença havia surgido em Madri, e a chamaram de gripe espanhola." Múltiplas origens Apesar desse erro, a verdade é que no passado era muito comum nomear uma doença de acordo com o lugar onde ela surgiu — ou onde se acredita que tenha surgido. A linguista Laura Wright listou vários exemplos para a BBC, como a febre de Malta, a febre do Mediterrâneo ou a doença de Lyme, em referência à pequena cidade em Connecticut, nos Estados Unidos, onde foi descoberta pela primeira vez. Segundo ela, no passado distante, antes de haver cientistas especialistas em vírus e bactérias, as doenças também recebiam nomes de animais — por exemplo, a catapora, que em inglês é chamada de chicken pox, que remete ao frango, ou a escrófula, que vem do latim e significa algo como "pequena porca". Outra origem remetia à aparência ou à atitude dos pacientes após a infecção. Por exemplo, a varíola foi chamada small pox em inglês por causa das pequenas marcas que deixa no rosto. Nos tempos modernos, algumas doenças também receberam nomes com base em quem era acometido por elas. Um exemplo é a doença do legionário, que recebeu esse nome porque as primeiras vítimas conhecidas eram integrantes da Legião Americana que participaram de uma convenção em um hotel em 1976. Há também muitas doenças e condições que ganharam nomes dos cientistas que identificaram sua causa, como a listeriose (em referência ao cirurgião inglês Joseph Lister), a síndrome de Down e a doença de Creutzfeldt-Jakob (também conhecida como a versão humana do mal da vaca louca). Peter Piot, diretor da London School of Hygiene and Tropical Medicine, no Reino Unido, e professor de saúde global, disse à BBC que hoje muitos especialistas achariam de mau gosto usar seu nome para identificar uma doença fatal. Em 1976, Piot foi um dos cientistas que descobriram o vírus ebola, que recebeu o nome de um rio remoto perto de uma aldeia na República Democrática do Congo, onde a febre hemorrágica foi descoberta. Segundo ele, a forma tradicional de nomear as doenças pelo local de onde teriam surgido causa muito estigma. "Quando você identifica uma doença com o nome de um país, isso pode ter uma conotação política e também consequências enormes: fronteiras são fechadas, e voos são cancelados para aquele destino. Há consequências enormes para toda a economia do país." Novas regras A Organização Mundial da Saúde (OMS) criticou, por exemplo, a escolha do nome Mers (Síndrome Respiratória do Oriente Médio, na sigla em inglês), cujo primeiro surto foi registrado na Arábia Saudita em abril de 2012. "Vimos que certos nomes de doenças provocam uma reação contra membros de comunidades religiosas ou étnicas específicas, criam barreiras injustificadas para viagens, comércio e comércio e provocam o abate desnecessário de animais para alimentação", afirmou a OMS em comunicado. Como resultado, foram criadas em 2015 novas regras para nomear doenças e evitar erros do passado. "O nome não deve estigmatizar ou citar lugares específicos, tampouco animais ou grupos humanos. Deve evitar palavras alarmantes como 'fatal' ou 'desconhecido' e deve ser neutro", explicou Piot. A OMS diz ainda que o nome deve ser curto e descritivo — como o da Sars (Síndrome Respiratória Aguda Grave, na sigla em inglês). Covid-19 A Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), foi nomeada pela OMS dentro das novas diretrizes. Mas você sabe de onde surgiu esse nome? O nome deriva das palavras "corona", "vírus" e "doença", com 2019 representando o ano em que surgiu — o surto foi relatado à OMS em 31 de dezembro. "Tivemos que encontrar um nome que não se referisse a uma localização geográfica, a um animal, a um indivíduo ou a grupo de pessoas, e que também seja pronunciável e relacionado à doença", explicou na ocasião o chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. "Ter um nome é importante para impedir o uso de outros nomes que podem ser imprecisos ou estigmatizantes. Também nos fornece um padrão a ser usado em futuros surtos de coronavírus." A demora em anunciar o nome oficial, no entanto, pode ter consequências: "O perigo quando você não tem um nome oficial é que as pessoas comecem a usar termos como 'vírus da China', e isso poderia criar uma discriminação contra certas populações", afirmou Crystal Watson, professora-assistente do Centro para Segurança da Saúde de Johns Hopkins, nos EUA. Com as redes sociais, nomes não oficiais se firmam rapidamente e são difíceis de ser mudados, diz ela. Dar nome aos bois Em relação às diretrizes da OMS, Laura Spinney adverte que a adoção de um nome neutro, que não menciona a fonte de contágio e evita causar alarde, pode ser perigoso. "Acho que a intenção da OMS de evitar o estigma e a discriminação é boa, mas neste contexto um nome tem que deixar as pessoas em alerta e esclarecer quais são as potenciais fontes de infecção que devem ser evitadas", declarou. "Nomes insípidos e esquecíveis não farão as pessoas ficarem alertas, porque elas não saberão do que estamos falando." A jornalista científica destaca que, às vezes, chamar as coisas pelo nome pode ter um efeito positivo. "Às vezes, dar o nome da origem pressiona um setor para evitar que o risco seja ainda maior. Por exemplo, 'gripe aviária' sugere alguma responsabilidade do setor agrícola e dos governos que a regulamentam." "Mas se você extrair essa informação do nome, haverá menos pressão, e ninguém será forçado a se encarregar disso." Mas os especialistas concordam que, no fim das contas, não existe uma pessoa ou grupo específico que decide o nome de uma doença: podem ser médicos, políticos, burocratas ou jornalistas. "Simplesmente o nome que 'pega' é aquele que permanece", afirmou Spinney. Sob o ponto de vista linguístico, Wright acredita que as novas diretrizes da OMS têm um efeito limitado. "As regras pressupõem que há um poder que pode controlar o idioma, e isso não existe. As pessoas vão chamar do que quiserem." Veja Mais

“Papel do CEO é ser habilitador da transformação”, diz Cristina Palmaka, da SAP

Valor Econômico - Finanças A pandemia interrompeu temporariamente um dos principais hobbies de Cristina Palmaka: as corridas em maratonas. Mas a presidente da SAP América Latina e Caribe mantém a todo vapor uma outra paixão: a defesa de causas que a acompanha durante sua trajetória profissional. Diversidade e inclusão, saúde mental, equidade de gênero e uso de energias limpas são algumas delas. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Coreia do Norte está pronta para empunhar novas armas que desenvolveu nos últimos anos

Valor Econômico - Finanças Nas últimas semanas, a Coreia do Norte intensificou atividades em instalações suspeitas de processar plutônio e urânio. Regime está voltando a um jogo delicado, mas conhecido Sempre foi mais uma questão de quando, e não de se, a Coreia do Norte voltaria a fazer provocações com armas. Agora que voltou, o regime de Kim Jong-un está pronto para empunhar novas armas que desenvolveu sem alarde nos últimos anos. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

FT: Empresas podem se indispor com Biden por plano que prevê aumento de imposto

Valor Econômico - Finanças Se implementado, o plano aumentará a alíquota de imposto de renda das empresas de 21% para 28% A intenção do presidente dos EUA, Joe Biden, de financiar seu plano de infraestrutura de US$ 2 trilhões inteiramente com aumentos dos impostos sobre as empresas desencadeou seu primeiro grande conflito com grandes companhias americanas, elevando as tensões que complicam as perspectivas do pacote no Congresso. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Decisão de Kassio sobre cultos incomoda, e ministros do STF preveem reversão

O Tempo - Política "Não somos Executivo, não governamos, não temos expertise na matéria", afirmou decano Marco Aurélio Mello Veja Mais

Teclado ABNT e ABNT2, confira a principal diferença

Teclado ABNT e ABNT2, confira a principal diferença

Tecmundo Após muito tempo usando um teclado, é comum que as pessoas estranhem a posição das teclas quando trocam de notebook ou adquirirem um acessório novo. Isso acontece porque o Brasil tem dois layouts para esse periférico: o ABNT e o ABNT2.A seguir, entenda o que significa ABNT e as diferenças entre os dois modelos de teclados.Leia mais... Veja Mais

Zé Alexanddre, cantor carioca de 63 anos, ganha projeção nacional como campeão do 'The Voice +'

G1 Pop & Arte Em cena desde a década de 1970, artista brilha com luz própria no programa ao interpretar músicas como 'Pétala', de Djavan. ♪ Cantor carioca de 63 anos, José Alexandre Gomes Coelho da Rocha e Silva – ou simplesmente Zé Alexanddre, como o artista se apresenta ultimamente, com o “d” dobrado no segundo nome – é o campeão da primeira temporada do programa The Voice +. Na final, exibida pela TV Globo na tarde deste domingo de Páscoa, 4 de abril, Zé Alexanddre se sagrou campeão pelo time da cantora Claudia Leitte, derrotando fortes concorrentes como a cantora Leila Maria, em eleição feita pelo público telespectador. Eleito campeão com 39,40% dos votos do público, Zé Alexanddre ganha R$ 250 mil, contrato com a gravadora Universal Music e – talvez o mais importante – projeção nacional e visibilidade inédita na carreira do cantor, compositor e músico de origem carioca e grande vivência brasiliense. Nascido em 1957 na cidade do Rio de Janeiro (RJ), Zé Alexanddre já está em cena há mais de 40 anos, tendo iniciado a carreira artística nos anos 1970 em Brasília (DF), cidade onde morou de 1958 a 1976. Nesse início, boa parte da trajetória de Zé foi pavimentada ao lado do cantor, amigo e parceiro Oswaldo Montenegro, com quem defendeu a valsa Bandolins em festival exibido em 1979 pela TV Tupi e com quem viajou pelo Brasil na década 1980 como músico da banda de Montenegro. Zé Alexanddre já esteve em palcos de vários festivais – como o Festival dos festivais, promovido pela TV Globo em 1985 – e já gravou álbuns como Alma de músico (1981). A questão é que, nos anos 1980. Zé pareceu estar na sombra de Montenegro. Ao longo do programa The Voice +, o cantor brilhou com luz própria ao dar voz à canções como Pétala (Djavan, 1982) – composição que reavivou com interpretação personalíssima que lhe valeu vaga entre os quatro finalistas do programa na edição deste domingo. A disputa decisiva foi com o canto de música do grupo inglês Queen, Somebody to love (Freddie Mercury, 1976). Compositor e músico, Zé Alexanddre tem com a vitória no The Voice + a chance de, agora mais conhecido pelo público, desenvolver a carreira com maior regularidade e maior visibilidade, ficando sozinho sob os holofotes. Veja Mais

Lucifer: as principais diferenças entre a série e os quadrinhos

Lucifer: as principais diferenças entre a série e os quadrinhos

Tecmundo Muitos não sabem, mas a série Lucifer, da Netflix, que atualmente se encaminha para a exibição da segunda parte de sua 5ª temporada, é baseada em histórias em quadrinhos. Inclusive, as HQs relacionadas ao personagem são derivadas de Sandman, do escritor Neil Gaiman.Com a popularidade de Lucifer, a série foi encomendada inicialmente pela Fox, contando com Tom Ellis no papel principal. Por questões de adaptação, muitas diferenças são notáveis entre a obra original e a série da Netflix.Leia mais... Veja Mais

Polímero desenvolvido nos EUA avisa quando um material está quase quebrando

canaltech Engenheiros da Universidade de Illinois, nos EUA, desenvolveram moléculas sensíveis à força que mudam de cor quando o material onde foram aplicadas está prestes a falhar. A mudança de tonalidade nos chamados mecanóforos é reversível e pode ser detectada instantaneamente. Novo tipo de plástico pode ajudar a consertar ossos quebrados Nova substância pode avançar ligação entre IA e cérebro humano MIT cria polímero que dissipa melhor calor para ser usado em eletrônicos É como se, cada vez que um objeto fosse quebrar ou se romper, o ponto de maior estresse ganhasse uma coloração diferente. Imagine duas pessoas puxando um pedaço de borracha em direções opostas e, quando estivesse prestes a arrebentar, o material transparente ficasse roxo. Ficaria bem mais fácil evitar o tombo. O estudo apoiado pelo Centro de Excelência em Pesquisas Científicas da Força Aérea dos EUA vem sendo desenvolvido há mais de uma década pelo professor Hai Qian. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Nos experimentos anteriores, os polímeros utilizados demoravam a mudar de cor e quase nunca voltavam ao seu estado original. Já a nova estrutura permite uma mudança de coloração imediata e totalmente reversível, indicando um avanço e aumentando a expectativa para ver esse tipo de material marcando presença em produtos comerciais. Quando a força é aplicada a cor se altera e à medida que a tensão vai diminuindo ocorre um rearranjo molecular e tudo volta ao normal. Veja o novo polímero flexível funcionando na prática:   Como funciona Segundo a professora Nancy Sottos, que também participou da pesquisa, a resposta rápida e a reversibilidade observada nos polímeros permitirão que os engenheiros monitorem e detectem com antecedência se uma estrutura está sobrecarregada e com algum ponto de fadiga. “A mudança de cor é o resultado do estresse aplicado às ligações que conectam os mecanóforos a uma cadeia de polímero. Agora estamos ligando esses elementos às cadeias do polímero usando um esquema de arranjo diferente, chamado de estrutura de oxazina”, complementa o professor Hai Qian. Esquema explica como ocorre a mudança de cor nos polímeros (Imagem: Reprodução/Chem Journal) Aplicações Os materiais que utilizam a nova técnica podem ser usados como sensores de tensão em estruturas sujeitas a variações repentinas de estresse como pontes, edifícios e asas de aviões. Os pesquisadores esperam que, em um futuro não tão distante, esses avanços também possam ser aplicados na área da biomecânica, com dispositivos que monitorem como nossos corpos reagem a forças externas. Já pensou se fosse possível prever e evitar que um músculo se rompesse ou que um osso fosse quebrado? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Observações da NASA mostram que humanos estão desequilibrando energia da Terra Doença misteriosa atinge mais de 40 pessoas no Canadá Robôs começam a entregar encomendas em cidade dos EUA Fiocruz entrega 1,3 milhão de doses da vacina de março e justifica o atraso O céu (não) é o limite | Nova força fundamental na física, asteroide perto e + Veja Mais

Mi 11 e Galaxy S21 Plus enfretam ROG Phone 3 e Legion Phone Duel | Comparativo de câmeras

tudo celular Celulares gamer conseguem competir em câmera? Confira o resultado da nossa votação e saiba se o ROG Phone 3 e Legion Phone Duel superam o Galaxy S21 Plus e Mi 11. Veja Mais

Marco Aurélio critica liberação de cultos e missas pelo 'novato' Nunes Marques

O Tempo - Política Chamado de 'novato' por Marco Aurélio, o indicado de Bolsonaro para a vaga no STF atendeu, no sábado (3), a um pedido feito pela Associação Nacional de Juristas Evangélicos ao tribunal Veja Mais

Campos Neto alerta para aumento de incerteza fiscal em função do Orçamento 2021

Valor Econômico - Finanças Para o presidente do BC, percepção de peça inexequível ou que exija suplementação de crédito é fator que vai preocupar a autoridade monetária, já que altera o prêmio de risco nas variáveis macroeconômicas O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, alertou para o aumento da incerteza fiscal em função do Orçamento 2021. Em entrevista ao “Estado de S.Paulo” publicada neste domingo, ele disse que “qualquer incerteza em relação ao Orçamento agrava a incerteza fiscal”, apontou para o aumento das taxas de juros do mercado – o que mostra a preocupação com a sustentabilidade das contas públicas –, defendeu a importância de uma mensagem de credibilidade, que mostre convergência fiscal à frente, e ressaltou o impacto negativo da incerteza fiscal para a condução da política monetária. “Quando olhamos a reação do mercado e dos agentes econômicos às notícias fiscais, é uma preocupação que está no topo da lista, é o que tem sido responsável por fazer o risco do Brasil ser elevado, diferenciando o País do resto dos países. Hoje, somos o País mais endividado do mundo emergente”, disse Campos Neto ao jornal. Para ele, o Orçamento ainda não está fechado e é preciso acompanhar as negociações para avaliar a influência na atuação do Banco Central. Caso o Orçamento passe, no entanto, ele destacou que “a percepção de que ele é inexequível ou precise fazer algum tipo de suplementação de crédito para que atinja os números é um fator que vai preocupar o BC”, já que altera o prêmio de risco fiscal presente nas variáveis macroeconômicas. Na entrevista, o presidente do BC também apontou sua preocupação com o ritmo de avanço da vacinação, já que é ela “que faz a economia abrir”. “Para o BC, é relevante ter uma estimativa de abertura da economia para traçar o nosso cenário”, apontou. Campos Neto também defendeu a mais recente decisão da autoridade monetária de aumentar a taxa básica de juros de 2% para 2,75% ao ano, ao ser questionado sobre “uma encruzilhada” em elevar juros em meio à retração da atividade econômica. “Nossa meta primordial é a inflação. Na nossa linguagem deixamos claro que essa alta não vai influenciar fortemente o crescimento de 2022. O BC controla os juros curtos (a taxa Selic), mas tem um conjunto de outras variáveis que não estão no controle do BC, como a curva longa de juros, o câmbio e outras condições”, disse ele, que reforçou a importância da condução da política monetária para uma inflação mais estável ao longo do tempo. “É importante conduzir a política com credibilidade. É o que maximiza, ao longo do tempo, o processo onde a inflação seja menos volátil, mais estável e baixa”, disse. Ele também afirmou que a mensagem transmitida pelo Banco Central é que se antecipa uma nova alta de 0,75 ponto percentual da taxa Selic, “a menos que as condições mudem de forma extraordinária”. “Num contexto que não se realizou e de inflação acima do esperado, com um processo de contaminação, acreditamos que fazer mais rápido significa que podemos antecipar e fazer menos no total”, afirmou. Ao jornal “O Estado de S.Paulo”, Roberto Campos Neto também negou que tenha recebido convite para substituir Paulo Guedes no Ministério da Economia, como o mercado já especulou algumas vezes. “Nunca houve convite. Eu tenho uma agenda no BC a seguir. Tenho uma missão no BC a cumprir”, disse ele, explicando que sua agenda “comunga das mesmas ideias do grupo econômico como um todo”. A defesa do liberalismo também foi tema da entrevista, com Campos Neto reforçando que “o liberalismo é a solução" e defendendo a redução do tamanho do Estado. “Acredito que o liberalismo é a solução, porque o Estado brasileiro está intoxicado pelo seu tamanho. Precisamos ganhar eficiência diminuindo o seu tamanho e não aumentando. Existiram tentativas feitas no passado de ganhar eficiência através de aumento, e não deu certo. Estamos aqui para fazer uma tentativa diferente, o pensamento liberal”, apontou. Pablo Jacob/Agência O Globo Veja Mais

Polvo gigante nervoso ataca turista que tentava filmá-lo

Polvo gigante nervoso ataca turista que tentava filmá-lo

Tecmundo Uma cena praiana publicada no Instagram na sexta-feira (2) tem chamado a atenção da mídia internacional e de pessoas ao redor do mundo: um vídeo, capturado por um geólogo australiano em férias com a família, mostra um polvo gigante que, irritado por estar sendo filmado, resolve dar uns tapas no cinegrafista chato.O fato aconteceu no mês passado (18), quando Lance Karlson, de 34 anos, estava com sua esposa e filha em uma praia em Dunsborough, na Austrália, quando avistou o polvo nas águas rasas, conforme o The New York Times. Com a filha de dois anos em uma mão e o celular na outra, correu para registrar o encontro ecológico.Leia mais... Veja Mais

Com plano de vacinação alterado, comorbidades podem ficar para trás na fila

Valor Econômico - Finanças Pela ordem, doenças como diabetes, hipertensão e obesidade estariam na terceira fase, à frente dos professores e de forças de segurança, por exemplo Com a decisão de estados e municípios de priorizar professores e forças de segurança na vacinação contra a Covid-19, grupos de pessoas com comorbidades podem ficar para trás na fila da imunização. Pela ordem do plano nacional de vacinação, doenças que elevam o risco de agravamento da covid-19, como diabetes, hipertensão, obesidade, cardiopatias, doenças pulmonares e renais, estariam na terceira fase da vacinação, à frente dos professores e de forças de segurança, por exemplo. O grupo com comorbidades é o maior entre os prioritários: soma quase 17,8 milhões no país, dos quais 4,8 milhões estão no estado de São Paulo. Dada a quantidade de pessoas, já se discute um escalonamento entre elas, pelo grau de gravidade, idade ou de vulnerabilidade, por exemplo. Segundo Jurandi Frutuoso, secretário-executivo do Conass (conselhos nacional de secretários da Saúde), por se tratar de um grupo numeroso, é provável que o escalonamento se dê por idade, mas a logística ainda está sendo discutida. Para a cardiologista Lília Nidro Maia, diretora da Sogesp (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo), pacientes com diabetes, obesidade e síndrome metabólica deveriam ser priorizados. "Esse tipo de pessoa, com múltiplas comorbidades, deveria passar na frente porque tem mais riscos. Se você for priorizar só os hipertensos, por exemplo, seriam 60% da população adulta brasileira." Maia explica que a diabetes aumenta o risco de a pessoa infectada desenvolver a forma grave da Covid. Já obesidade, segundo ela, é um dos principais de fatores de risco para os pacientes mais jovens. "Às vezes, a gente vê a notícia: morreu com 24 anos, morreu com 30 anos. Quando vai ver, é obeso." Os pacientes renais crônicos também são outro grupo que deveria ter prioridade na imunização, segundo os especialistas. Além da saúde fragilizada, esses doentes precisam se deslocar três vezes por semana até as clínicas de hemodiálise, o que os deixam mais expostos à infecção. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia, são mais de 140 mil recebendo diálise em cerca de 810 clínicas espalhadas pelo país. A nefrologista Ana Beatriz Barra, diretora médica da Fresenius Medical Care, diz que, seja pela Covid seja pela desassistência provocada pela pandemia, a taxa de mortalidade desses pacientes está em 25%, seis pontos percentuais acima da média histórica. Ela afirma que esses pacientes têm outras comorbidades, como diabetes e hipertensão, o que os tornam ainda mais vulneráveis à Covid. A maioria (73%) tem menos de 64 anos e não foi contemplada pela vacinação pelo critério de idade. E tem o fato de não poderem ficar em casa, em isolamento social. "Boa parte precisa pegar transporte público e enfrentar uma, duas, três horas de viagem para chegar à clínica. E eles estão se infectando e morrendo. Precisam ser vacinados com urgência", diz Gilson Silva, diretor da Abrasrenal, entidade representativa dos pacientes. Segundo ele, vários pacientes renais já morreram após contrair a Covid. Outros, recém-transplantados, perderam os órgãos e tiveram que voltar para a máquina de diálise. A entidade ainda computa os números. Pacientes com câncer também pedem prioridade na vacinação. Um estudo brasileiro que acompanhou 198 doentes oncológicos que tiveram Covid mostrou que 33 deles morreram, uma taxa de mortalidade de 16,7%, seis vezes mais do que o índice global de mortalidade pelo coronavírus, de 2,4%. "São pacientes que tendem a se complicar mais se adquirirem a Covid, uma vez que já estão lutando contra o câncer. Precisam ser priorizados na vacinação", diz o oncologista Bruno Ferrari, fundador e presidente do conselho de administração da Oncoclínicas. Segundo ele, esses pacientes muitas vezes estão em tratamento oncológico, usando drogas imunossupressoras, que não podem ser interrompidas. "É um paciente que tem que sair, ir para clínica, e corre mais riscos de ser infectado." A Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica encaminhou ofício ao Ministério da Saúde solicitando prioridade a esses pacientes. A estimativa é que 1,5 milhão de brasileiros estejam em tratamento oncológico. Para o médico Rodrigo Olmos, professor de clínica médica da USP e médico do Hospital Universitário, dentro das comorbidades existem diferenças de risco para a Covid e deveria haver uma classificação do impacto delas em cada município. Para ele, como as comorbidades mais comuns, como diabetes e hipertensão, afetam boa parte da população adulta, um escalonamento por vulnerabilidade social seria uma boa saída. "Talvez o risco de uma pessoa que tenha nível socioeconômico bom seja menor do que outra que more na periferia, que vive em situação de vulnerabilidade social." Para a epidemiologista Carla Domingues, que esteve à frente do Programa Nacional de Imunizações (PNI) por oito anos, a alteração da ordem dos grupos prioritários é ruim não só pelo fato de atrasar a vacinação de quem tem mais riscos de adoecimento e morte pela Covid como também prejudica o monitoramento do impacto da vacinação nos diferentes grupos. "Cada hora tem um estado, uma cidade, fazendo uma política diferente. Muitas categorias que trabalham com o público deveriam ter prioridade, mas não temos vacina. O nosso foco tem que ser proteger os grupos mais expostos, os que estão morrendo mais." Na sua opinião, professores que estão em home office e forças de segurança que ocupam cargos administrativos não deveriam estar entre os prioritários. Em nota, o Ministério da Saúde diz que a antecipação de parte do grupo prioritário das forças de segurança foi discutida na Comissão de Intergestores Tripartite e pactuada com o Conass e o Conasems (conselhos de secretários da Saúde). Ressaltou ainda que o plano nacional de vacinação está sujeito a alterações e que a orientação aos estados, municípios e Distrito Federal é para que gestores de saúde locais sigam a ordem de prioridades estabelecida. Jurandi Frutuoso, do Conass, afirma que uma quantidade mínima de vacina foi destinada às forças de segurança que estão na linha de frente da pandemia, como os socorristas, pilotos de avião e motoristas de ambulância que estão transportando doentes com Covid. Ele diz que a decisão foi tomada porque em abril haverá mais oferta de vacinas. As remessas, segundo ele, giram em torno de 25,4 milhões de doses, que serão usadas para iniciar novos grupos, os 5 milhões de 65 a 69 anos e os 9,3 milhões de 60 a 64 anos. "Vacinando esse grupo, inicia-se o grupo das comorbidades", diz ele. A previsão é que isso ocorra ainda neste mês, se o ritmo de vacinação girar em torno de 700 mil doses/dia. Para os pacientes com idades entre 18 e 59 anos e que apresentem uma ou mais das comorbidades listadas no plano nacional de vacinação, será necessário comprovar a condição na hora da imunização (com exames, receitas ou relatório médico, por exemplo). Comorbidades que dão direito à vacina Diabetes melitus; Pneumopatias crônicas graves, como doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave; Hipertensão arterial; Insuficiência cardíaca; Hipertensão pulmonar; Cardiopatia hipertensiva; Síndromes coronarianas crônicas, como cardiopatia isquêmica; Valvopatias; Miocardiopatias e pericardiopatias; Doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas, como aneurismas e hematomas da aorta; Arritmias cardíacas; Cardiopatias congênitas no adulto; Portadores de próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados (como marcapassos e cardiodesfibriladores) Doença cerebrovascular; Doença renal crônica; Imunossuprimidos, como indivíduos transplantados, que usam imunossupressores ou com imunodeficiências primárias; Anemia falciforme; Obesidade mórbida; Síndrome de Down Tânia Rêgo/Agência Brasil Veja Mais

Ritmo de mortes seguirá crescendo, afirma Dimas, que vê com ceticismo meta de vacinação

Valor Econômico - Finanças Em entrevista ao Valor, diretor do Instituto Butantan diz que não é realista esperar uma rápida aceleração no número de pessoas vacinadas nos próximos meses, como projeta o Ministério da Saúde À frente do Instituto Butantan, maior fabricante de vacinas contra covid-19 do Brasil, o médico Dimas Covas avalia que o ritmo de mortes diárias provocadas pela doença continuará avançando e vê com certo ceticismo as expectativas do Ministério da Saúde sobre aquisição de vacinas de diversos laboratórios até o fim do ano. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Nunes Marques intima Kalil a cumprir em BH decisão que autoriza cultos e missas

Valor Econômico - Finanças Ministro do STF publicou intimação após prefeito reiterar proibição em razão da pandemia O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Kassio Nunes Marques intimou o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, a cumprir sua decisão que liberou a realização de cultos, missas e demais celebrações religiosas no país, em meio a medidas restritivas para a covid-19. O magistrado publicou a intimação na madrugada deste domingo (4) após Kalil declarar que não cumpriria a medida, anunciada no sábado (3) pelo ministro do Supremo. Kassio ainda intima a Superintendência da Polícia Federal em Minas Gerais para "garantia do cumprimento" de sua liminar e comunica a Procuradoria-Geral da República (PGR) a adotar providências "tendo em vista a gravidade da declaração pública de uma autoridade de que não pretende cumprir uma decisão deste Supremo Tribunal Federal". A intimação do prefeito de Belo Horizonte atende a uma manifestação da Advocacia-Geral da União (AGU), comandada pelo ministro André Mendonça, feita após as declarações de Kalil. A decisão de Kássio a favor dos cultos foi publicada depois que a (Anajure) Associação Nacional de Juristas Evangélicos entrou com uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) na Corte. A decisão impede estados, Distrito Federal e municípios de editar ou de exigir o cumprimento de decretos ou atos administrativos locais que proíbam completamente a realização de celebrações religiosas presenciais, por motivos ligados à prevenção da Covid-19. Porém, estabelece que sejam aplicados nestes eventos os protocolos sanitários de prevenção relativos à limitação de presença (no máximo, 25% da capacidade). Além disso, exige medidas como distanciamento social (com ocupação de forma espaçada entre os assentos e modo alternado entre as fileiras de cadeiras ou bancos) e observância de que o espaço seja arejado (com janelas e portas abertas, sempre que possível). Após a divulgação da liminar, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), disse que, mesmo com a decisão do ministro, não liberará os cultos na cidade. "Em Belo Horizonte, acompanhamos o Plenário do Supremo Tribunal Federal. O que vale é o decreto do Prefeito. Estão proibidos os cultos e missas presenciais", escreveu no Twitter. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que indicou Kássio ao STF, noticiou a medida em seu perfil no twitter: "Celebrações religiosas: Min. Nunes Marques/STF concede medida cautelar para o fim de determinar que: estados, DF e municípios se abstenham de editar ou exigir o cumprimento de decretos ou atos administrativos locais que proíbam a realização de celebrações religiosas presenciais", disse. O ministro do STF Kassio Nunes Marques Marcos Oliveira/Agência Senado Veja Mais

RONY NO AJAX? ZINHO DÁ INFORMAÇÃO IMPORTANTE DOS BASTIDORES DO PALMEIRAS

RONY NO AJAX? ZINHO DÁ INFORMAÇÃO IMPORTANTE DOS BASTIDORES DO PALMEIRAS

Fox Sports Brasil Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse o ESPN.com.br e inscreva-se no nosso canal! https://www.espn.com.br/​ ➡ Facebook: https://facebook.com/foxsportsbrasil​ ➡ Twitter: https://twitter.com/foxsportsbrasil​ ➡ Instagram: https://instagram.com/foxsportsbrasil​ ➡ Facebook: https://www.facebook.com/espnbrasil​ ➡ Twitter: https://twitter.com/ESPNBrasil​ ➡ Instagram: https://www.instagram.com/espnbrasil #Rony #Palmeiras #AJAX Veja Mais

FHC defende formação de centro progressista, 'social e economicamente'

Valor Econômico - Finanças Em artigo publicado neste domingo, ex-presidente evita fazer defesa de nomes e não cita nominalmente nenhum possível candidato deste centro que considera em formação O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) defendeu, em um artigo publicado nos jornais “O Globo” e “O Estado de S. Paulo”, a formação de um centro para as eleições de 2022 que, entre outras características, "seja progressista, social e economicamente". No Brasil, a expressão "progressista" está mais associada ao campo da esquerda, mas seu conceito é mais amplo e, em linhas gerais, indica uma oposição ao conservadorismo. Entre os políticos que se autodenominam desta forma está Ciro Gomes (PDT), que nesta semana assinou um manifesto ao lado de representantes do PSDB, DEM e Novo. Partidos como PT e PSB também se colocam como progressistas. Em entrevistas recentes, FHC também disse que imaginava uma aliança de centro progressista como alternativa política ao país. "Defendamos a Constituição, que é democrática, e saudemos os políticos que creem que é melhor apoiar quem possa chegar à Presidência sem representar um extremo", diz FHC no artigo, sem citar diretamente quem seriam estes extremos, mas indicando um caminho alternativo para o que é chamado por críticos de polarização entre Jair Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva. "Apresentemos aos brasileiros, quanto antes, um programa de ação realista, que permita juntar ao redor dele os partidos e as pessoas para formar um centro, que seja progressista, social e economicamente. Centro que não pode ser anódino: terá lado, o da maioria, o dos pobres; mas não só, também o dos que têm visão de Brasil e os que são aptos para produzir", completou FHC. A manifestação de Fernando Henrique Cardoso ocorre em uma semana que ficou marcada por um manifesto em defesa da democracia assinado por seis possíveis candidatos em 2022 que buscam um caminho que evite a polarização vista no segundo turno de 2018 entre o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o PT, que pode ter a candidatura de Lula. Assinaram o manifesto o ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT), o apresentador Luciano Huck (sem partido), o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM), os governadores João Doria (PSDB-SP) e Eduardo Leite (PSDB-RS) e o ex-presidente do partido Novo, João Amoêdo. 'Não é hora de fulanizar' No artigo, Fernando Henrique Cardoso evita fazer defesa de nomes e não cita nominalmente nenhum possível candidato deste centro que considera em formação. Citando o ex-deputado Ulysses Guimarães, ele diz que "não é hora de fulanizar" quem seria a personificação deste campo. "Mas é hora de promover a junção das forças capazes de se contraporem a eventuais estrebuchamentos autoritários, antes que surjam propostas que nos levem a eles. Vejo que alguns políticos se dispõem a agir para evitar que a mesmice predomine. Pelo menos é o que deduzo das declarações recentes de vários líderes da vida brasileira. A eles juntarei minha voz", disse. Nesta semana, Fernando Henrique Cardoso recebeu em São Paulo a visita do correligionário Eduardo Leite, possível candidato tucano para 2022. O ex-presidente também é apontado como entusiasta de uma eventual candidatura de Luciano Huck. Veja Mais

Brasil chega a 331,5 mil mortes por Covid e se aproxima de 13 milhões de casos

Glogo - Ciência País contabilizou 12.983.560 casos e 331.530 óbitos por Covid-19 desde o início da pandemia, segundo balanço do consórcio de veículos de imprensa. O Brasil registrou 1.233 mortes por Covid nas últimas 24 horas, totalizando neste domingo (4) 331.530. Com isso, a média móvel de mortes no país nos últimos 7 dias ficou em 2.747. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +20%, indicando tendência de alta nos óbitos pela doença. Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h deste domingo. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde. Já são 74 dias seguidos com a média móvel de mortes acima da marca de mil; o país completa agora 19 dias com essa média acima dos 2 mil mortos por dia; é o nono dia com a média acima da marca de 2,5 mil. Veja a sequência da última semana na média móvel: Média de mortes nos últimos 7 dia Arte G1 Domingo (28): 2.598 (recorde) Segunda (29): 2.655 (recorde) Terça (30): 2.728 (recorde) Quarta (31): 2.971 (recorde) Quinta (1º): 3.119 (recorde) Sexta (2): 3.006 Sábado (3): 2.800 Domingo (4): 2.747 Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 12.983.560 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 30.939 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 64.418. Isso representa uma variação de -14% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de estabilidade nos diagnósticos. 12 estados e o Distrito Federal estão com alta nas mortes: ES, MG, RJ, SP, DF, MS, MT, AP, CE, MA, PB, PE e PI Mortes e casos de coronavírus no Brasil e nos estados Mortes e casos por cidade Veja como está a vacinação no seu estado Brasil, 4 de abril Total de mortes: 331.530 Registro de mortes em 24 horas: 1.233 Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 2.747 (variação em 14 dias: +20%) Total de casos confirmados: 12.983.560 Registro de casos confirmados em 24 horas: 30.939 Média de novos casos nos últimos 7 dias: 64.418 por dia (variação em 14 dias: -14%) Estados Subindo (12 estados e o Distrito Federal): ES, MG, RJ, SP, DF, MS, MT, AP, CE, MA, PB, PE e PI Em estabilidade (10 estados): SC, GO, AC, PA, RO, TO, AL, BA, RN e SE Em queda (4 estados): PR, RS, AM e RR Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo G1 para analisar as tendências da pandemia). Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados. Variação de mortes por estado Estados com a média móvel de mortes subindo Arte G1 Estados com a média móvel de mortes em estabilidade Arte G1 Estados com a média móvel de mortes em queda Arte G1 Sul PR: -17% RS: -18% SC: -12% Sudeste ES: +68% MG: +44% RJ: +86% SP: +49% Centro-Oeste DF: +79% GO: -15% MS: +58% MT: +30% Norte AC: -7% AM: -51% AP: +20% PA: -1% RO: -8% RR: -20% TO: +9% Nordeste AL: +8% BA: -15% CE: +61% MA: +33% PB: +26% PE: +29% PI: +36% RN: -6% SE: +2% Brasil Sul Sudeste Centro-Oeste Norte Nordeste Consórcio de veículos de imprensa Os dados sobre casos e mortes de coronavírus no Brasil foram obtidos após uma parceria inédita entre G1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL, que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal (saiba mais). Veja vídeos de novidades sobre vacinas contra a Covid-19: Veja Mais

Arquidiocese de BH segue prefeito e mantém missa de Páscoa online

Valor Econômico - Finanças Capital mineira entra em contenda com ministro Kassio Nunes, do STF, que autorizou a celebração presencial de cultos religiosos em todo o país A Arquidiocese de Belo Horizonte, da Igreja Católica, seguiu sua programação de missas online neste domingo de Páscoa (4), apesar de o ministro Kassio Nunes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ter autorizado a celebração presencial de cultos religiosos em todo o país. Belo Horizonte entrou numa contenda com Nunes após o prefeito Alexandre Kalil (PSD) dizer que não endossaria a reabertura dos templos religiosos da cidade por causa do agravamento da covid-19. A capital mineira acumula mais de 3.300 óbitos e 144 mil casos confirmados da doença causada pelo coronavírus. Dom Walmor Oliveira de Azevedo, o arcebispo de Belo Horizonte, manteve as cerimônias remotas e dispensou os encontros presenciais nas 266 paróquias que estão sob o guarda-chuva da instituição na região. Numa mensagem gravada e publicada neste sábado (3), véspera da Páscoa, Azevedo exaltou a importância do distanciamento social como um remédio na travessia do pior momento da pandemia. "O distanciamento social é o remédio necessário mais amargo. Impede de nos abraçarmos, de estarmos na presença uns dos outros. Mas, ao mesmo tempo, sendo sacrificante, o distanciamento social é um sinal de cuidado, compromisso com a própria vida e com a vida do próximo", disse o líder religioso. Com o slogan: celebre em casa o domingo da memória da ressurreição do Senhor, os católicos da capital mineira e região puderam acompanhar os ritos em seus próprios lares, com a primeira missa celebrada às 8h deste domingo. Houve missas também às 10h e às 15h; já a recitação do Santo Terço começaria às 18h15 – todas as cerimônias são transmitidas pelas redes sociais da igreja, TV Horizonte, Rede Minas e Rádio América. Assim que decisão de Nunes foi tornada pública, o prefeito Alexandre Kalil disse que a regra válida na capital mineira seria um decreto assinado por ele que proibia a realização de cultos religiosos. "Em Belo Horizonte, acompanhamos o plenário do Supremo Tribunal Federal. O que vale é o decreto do prefeito. Estão proibidos os cultos e missas presenciais", postou Kalil na sua conta pessoal do Twitter. A queda de braço entre Kalil e Nunes causou um mal-estar. Kassio intimou a Superintendência da Polícia Federal em Minas Gerais para "garantia do cumprimento" de sua liminar e comunicou a Procuradoria-Geral da República (PGR) a adotar providências "tendo em vista a gravidade da declaração pública de uma autoridade de que não pretende cumprir uma decisão deste Supremo Tribunal Federal". Na tarde deste domingo, Kalil voltou às redes sociais dizendo que cumpriria a decisão do ministro, mas adiantou que vai recorrer. "Por mais que doa no coração de quem defende a vida, ordem judicial se cumpre. Já entramos com recurso e aguardamos a manifestação do presidente do Supremo Tribunal Federal", escreveu Kalil no Twitter. Templos abertos Kassio Nunes Marques liberou a realização de cultos, missas e demais celebrações religiosas ao analisar um pedido da Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure), que ingressou no STF com uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF). No pedido, a entidade alegou que decretos estaduais e municipais impediram as celebrações presenciais, que na visão da Anajure ferem a liberdade religiosa e o princípio da laicidade do Estado. Publicada neste sábado, a decisão de Nunes impediu que os Estados, o Distrito Federal e os municípios editem ou exijam o cumprimentos de decretos ou atos administrativos locais que proíbam completamente a realização de celebrações religiosas presenciais por motivos ligados à prevenção da covid-19. Na mesma decisão, Nunes estabeleceu que sejam aplicados nas cerimônias os protocolos sanitários de prevenção relativos à limitação de presença - no máximo, 25% da capacidade dos templos. Também exigiu distanciamento social (com ocupação de forma espaçada entre os assentos e modo alternado entre as fileiras de cadeiras ou bancos) e observância de que o espaço seja arejado (com janelas e portas abertas, sempre que possível). Reportagem do jornal “Folha de S. Paulo” mostrou, porém, que a decisão de Nunes causou incômodo entre os demais ministros do STF. A previsão de integrantes da corte nos bastidores é que a decisão individual de Kassio contra decretos que proíbem celebrações religiosas não tem apoio da maioria e deve ser revertido pelo plenário. Em conversas reservadas, outros ministros avaliaram que a decisão representa um mau sinal emitido pelo Supremo à sociedade em meio ao esforço para reduzir os números recordes que a pandemia da covid-19 tem registrado no país nas últimas semanas. Veja Mais

Como tirar certidão de nascimento online?

Como tirar certidão de nascimento online?

Tecmundo Já faz algum tempo que o governo possibilita aos cidadãos a oportunidade de emitir, visualizar ou regularizar diversos documentos de maneira online. Além da identidade digital, emissão do CPF direto no site da Receita Federal e a regularização do título de eleitor, você também pode emitir a segunda via da sua certidão de nascimento de maneira digital.Como acontece nos outros serviços, é preciso realizar apenas algumas etapas que incluem fornecer informações pessoais antes de realizar a encomenda do documento – lembrando que há uma taxa para isso. Leia mais... Veja Mais

Região de Campinas tem 247 vagas de emprego abertas em 7 cidades; veja lista de cargos

G1 Economia Relação inclui postos para diversos níveis de escolaridade e oportunidades exclusivas para PCDs. Veja a relação de postos de trabalho por município. Vagas de emprego estão abertas na região de Campinas Yogendra Singh/Unsplash A região de Campinas (SP) tem, nesta segunda-feira (5), ao menos 247 vagas de emprego abertas em sete cidades. As oportunidades foram informadas pelas prefeituras de Campinas, Indaiatuba, Itapira, Jaguariúna, Vinhedo, Monte Mor, Mogi Guaçu. Veja a lista de vagas abaixo. Dependendo de cada município, os atendimentos são online ou presenciais, mediante agendamento. Há vagas para diferentes níveis de escolaridade, além de opções para pessoas com deficiência (PCD). O preenchimento se dá ao longo do dia, por isso a lista divulgada pode ter alterações. Campinas - 7 vagas Campinas tem 7 vagas empregos disponíveis. Por conta da pandemia do coronavírus, os interessados devem agendar o atendimento pelo telefone 156. Agente de vistoria de alarmes - 3 vagas Costureiro (a) de máquina reta - 1 vaga Instalador (a) de sistemas eletroeletrônicos de segurança - 1 vaga Motorista de ônibus - 1 vaga Operador (a) de motosserra - 1 vaga Para acompanhar mudanças no quadro de vagas ou conferir detalhes, acesse a página do CPAT. Jaguariúna - 21 cargos Jaguariúna também oferta vagas em 21 cargos no PAT, mas sem especificar a quantidade em cada função. Os interessados devem acessar o site da unidade para agendar um horário e, posteriormente, comparecer presencialmente. Ajudante geral para chaparia Ajudante de obra Ajudante geral rural Analista de rede Analista de servidores e storage Auxiliar contábil Auxiliar de bomba de concreto Auxiliar de departamento fiscal Auxiliar de limpeza Auxiliar de serviços de cozinha Calheiro (a) Carpinteiro (a) Encarregado (a) de limpeza Encarregado (a) de obra Líder de limpeza Marceneiro (a) Pedreiro (a) Pizzaiolo (a) Soldador (a) Técnico agrícola Técnico instalador Indaiatuba - 104 vagas O PAT de Indaiatuba tem 104 vagas de emprego. A unidade pede que, por conta da pandemia, os interessados entrem em contato pelo telefone (19) 3816-9252. Agente de inspeção - 2 vagas Ajudante de eletricista - 1 vaga Ajudante de obras - 2 vagas Apontador (a) de produção - 1 vaga Armador (a) de ferragens na construção civil - 1 vaga Assistente administrativo - 1 vaga Assistente de vendas - 1 vaga Atendente de lanchonete - 1 vaga Auxiliar de almoxarifado - 1 vaga Auxiliar de cozinha - 1 vagas Auxiliar de limpeza - 1 vaga Auxiliar de linha de produção - 1 vaga Auxiliar de manutenção predial - 1 vaga Auxiliar de marceneiro - 1 vaga Auxiliar operacional de logística - 1 vaga exclusiva para PCD Caldeireiro (a) - 1 vaga Caldeireiro (a) montador (a) - 1 vaga Carpinteiro (a) - 1 vaga Caseiro (a) - 1 vaga Coletor (a) de lixo domiciliar - 1 vaga Coveiro (a) - 1 vaga Consultor (a) de vendas - 1 vaga Coordenador (a) de restaurante - 1 vaga Chefe de Cozinha - 1 vaga Desenhista mecânico (a) - 1 vaga Eletricista - 4 vagas Encanador (a) - 1 vaga Encarregado (a) de orçamento - 1 vaga Encarregado (a) eletromecânico de instalações - 1 vaga Enfestador (a) de roupas - 1 vaga Ferramenteiro (a) de bancada - 1 vaga Fresador (a) - 2 vagas Gerente comercial - 1 vaga Gerente de restaurante - 1 vaga Jardineiro (a) - 1 vaga Manobrista - 2 vagas Marceneiro (a) - 2 vagas Mecânico (a) de auto em geral - 1 vaga Mecânico (a) de manutenção de máquina industrial - 2 vagas Mecânico (a) montador (a) - 1 vaga Montador (a) de estruturas metálicas - 1 vaga Montador (a) de fundição - 1 vaga Montador (a) soldador (a) - 2 vagas Motorista de caminhão - 1 vaga Motorista carreteiro (a) - 1 vaga Oficial de manutenção - 1 vaga Oficial de manutenção predial - 2 vagas Oficial de serviços diversos na manutenção de edificações - 5 vagas Oficial de serviços gerais - 1 vaga Operador (a) de caixa - 1 vaga Operador (a) de empilhadeira - 2 vagas Operador (a) de extrusora de borracha e plástico - 1 vaga Operador (a) de de máquinas de construção civil e mineração - 1 vaga Operador (a) de máquina-elevador - 1 vaga Operador (a) de máquinas fixas - 1 vaga Operador (a) de telemarketing ativo (a) - 1 vaga Operador (a) de tesoura mecânica e máquina de corte, no acabamento de chapas e metais - 1 vaga Pedreiro (a) - 3 vagas Pintor (a) de automóveis - 1 vaga Pintor (a) industrial - 1 vaga Pintor (a) de obras - 1 vaga Porteiro (a) - 1 vaga Preparador (a) de torno automático - 2 vagas Preparador (a) de máquinas-ferramenta com comando numérico - 1 vaga Programador (a) de risco e corte - 1 vaga Repositor (a) de mercadoria - 1 vaga Retificador - 1 vaga Serralheiro (a) - 2 vagas Servente de obras - 1 vaga Soldador (a) - 4 vagas Supervisor (a) de vendas e serviços - 1 vaga Traçador de caldeiraria - 1 vaga Técnico (a) eletrônico - 1 vaga Técnico em manutenção de equipamentos de informática - 1 vaga Tecnólogo em eletrônica - 1 vaga Torneiro (a) mecânico - 3 vagas Vendedor (a) interno (a) - 2 vagas Zelador (a) - 1 vaga Itapira - 28 cargos Itapira oferece oportunidades em 28 funções, mas não especificou a quantidade de vagas por ocupação. Os interessados devem enviar um e-mail para o PAT no endereço: postoatendimentoitapira@gmail.com, contendo o currículo atualizado, o PIS e identificação da vaga pretendida. Ajudante geral Alimentador (a) de linha de produção Analista de faturamento Auxiliar administrativo Auxiliar de produção Auxiliar de PCP Auxiliar de logística Balconista Caseiro (a) Cozinheiro (a) Empregado (a) doméstico (a) Marceneiro (a) Mecânico (a) automotivo Meio oficial de cozinha Meio oficial de manutenção Moldador (a) manual Moldador (a) mecanizado Motorista de caminhão Operador (a) de estação de tratamento de água Operador (a) de máquinas Operador (a) de extrusora e embalagens Operador (a) de colhedora Promotor (a) de negócios Serralheiro (a) Supervisor (a) comercial Torneiro (a) mecânico(a) Trabalhador (a) agrícola Tratorista agrícola Mogi Guaçu - 44 vagas O PAT de Mogi Guaçu disponibiliza 44 postos de trabalho em 27 ocupações diferentes, mas não específicou a quantidade de vagas por profissão. Interessados podem entrar em contato pelo telefones (19) 3841-7323 e (19) 3891-5300. Analista em comércio exterior Auxiliar contábil Auxiliar de linha de produção Auxiliar manutenção elétrica e hidráulica Auxiliar mecânico Auxiliar mecânico de autos Comprador (a) Carpinteiro (a) Eletricista de manutenção industrial Eletromecânico (a) de manutenção industrial Expedidor (a) de mercadorias júnior Fiscal de prevenção e perdas Instalador (a) de sistemas eletrônicos de segurança Líder em reposição de mercadoria Mecânico (a) de suspensão Mecânico (a) de motor a diesel Mecânico (a) de manutenção de automóveis Mecânico (a) manutenção de tratores Monitor (a) externo de alarme Montador (a) de andaimes Montador (a) de estruturas metálicas Oficial de manutenção Operador (a) de escavadeira/retroescavadeira Operador (a) de extrusora de borracha e plástico Soldador (a) Técnico (a) em saúde bucal Vendedor (a) interno (a) Monte Mor - 15 vagas O PAT de Monte Mor anuncia 15 vagas para vendas externas. Pessoas interessadas podem entrar em contato pelo e-mail patsrh@montemor.sp.gov.br. Mais informações também estão disponíveis no site da unidade. Vendedor (a) externo (a) - 15 vagas Vinhedo - 28 vagas O PAT de Vinhedo (SP) oferta 28 vagas. Os interessados devem encaminhar o currículo para o e-mail patemprego@vinhedo.sp.gov.br. Devido à fase emergencial, o atendimento presencial está suspenso. Meio oficial de cozinha – 1 vaga Barman – 1 vaga Cozinheiro (a) industrial – 1 vaga Empregado (a) doméstico (a) – 1 vaga Serralheiro (a) – 1 vaga Torneiro (a) Ferramenteiro – 5 vagas Auxiliar de produção – 10 vagas exclusivas para PCD Eletricista de auto - 1 vaga Mecânico (a) de máquinas industriais – 1 vaga Técnico (a) de qualidade - 1 vaga PLAYLIST: Veja vídeos de assuntos de destaque na região de Campinas Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas Veja Mais

Cooperativas querem lei de falências e recuperação judicial própria

Valor Econômico - Finanças Parlamentares e juristas já discutem regramento específico para o setor O setor cooperativista quer criar uma lei específica para a recuperação judicial e falência das cooperativas. Parlamentares e juristas já articulam ideias no Congresso Nacional, e representantes do segmento afirmam que a mudança, se ocorrer, deve melhorar o ambiente de crédito para as cooperativas, em especial as pequenas e médias. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

ACIDENTE INSANO! Fabio Quartararo vence! Veja o melhor da MOTOGP aqui!

ACIDENTE INSANO! Fabio Quartararo vence! Veja o melhor da MOTOGP aqui!

Fox Sports Brasil Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse o ESPN.com.br e inscreva-se no nosso canal! https://www.espn.com.br/ ➡ Facebook: https://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: https://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: https://instagram.com/foxsportsbrasil ➡ Facebook: https://www.facebook.com/espnbrasil ➡ Twitter: https://twitter.com/ESPNBrasil ➡ Instagram: https://www.instagram.com/espnbrasil Vamos JuntosNaTorcida! #MotoGP #ESPNBrasil #FOXSports Veja Mais

Galaxy S22 Ultra: conceito mostra como ficaria câmera gigantesca de 200 MP

canaltech O lançamento do Galaxy S22 ainda está longe de acontecer, visto que a série Galaxy S21 foi apresentada há menos de quatro meses. Mas isso não impede que os primeiros conceitos do dispositivo apareçam na internet, e um deles chamou atenção por conta da câmera principal. Galaxy S21 leva Samsung ao topo de vendas em fevereiro, revela estudo Armazenamento médio de celulares Android avança e se aproxima do iPhone Publicado pelo canal Technizo Concept no YouTube, o vídeo abaixo mostra a ideia de um Galaxy S22 Ultra que herda muitas características visuais do Galaxy S21 Ultra, mas inova em um aspecto crucial: a câmera de 200 MP com um sensor gigantesco, que ocupa a parte de cima do módulo em um espaço que seria suficiente para dois sensores lado a lado. Inclusive é possível ver logo abaixo que há dois sensores alinhados. Além da câmera de 200 MP, o conceito mostra uma periscópica para zoom e mais um sensor de foco automático a laser com o flash logo ao lado, ou seja, apenas duas câmeras. O módulo segue a ideia do Galaxy S21 Ultra, unido ao quadro lateral do dispositivo, com os botões de volume e energia logo ao lado dos sensores fotográficos. Um conector SUB-C pode ser visto na parte inferior, e o nome da Samsung aparece no local de sempre na traseira. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Já a parte da frente traz uma mudança em relação ao modelo lançado em 2021: a tela com laterais curvadas dá lugar a um display totalmente plano, com pouquíssimas bordas. A câmera frontal segue em um furo centralizado na porção superior. O vídeo também mostra a S-Pen, fazendo alusão à compatibilidade com o acessório, já presente no Galaxy S21 Ultra.   Por se tratar apenas de um conceito de design, o vídeo não cita especificações do celular. Não custa reforçar que é apenas um conceito de terceiro, sem relação com qualquer vazamento da Samsung. O vídeo vale a pena por inovar com a câmera gigantesca de 200 MP, que inclusive segue uma tendência já vista em alguns modelos chineses apresentados nos últimos meses. O que você achou desta ideia de design para o Galaxy S22 Ultra? Gostou da câmera de 200 MP ou achou que ficou meio exagerado? Conte-nos suas impressões no campo de comentários abaixo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Observações da NASA mostram que humanos estão desequilibrando energia da Terra Doença misteriosa atinge mais de 40 pessoas no Canadá Robôs começam a entregar encomendas em cidade dos EUA Fiocruz entrega 1,3 milhão de doses da vacina de março e justifica o atraso O céu (não) é o limite | Nova força fundamental na física, asteroide perto e + Veja Mais

Abertura do setor de óleo e gás aquece ofertas na bolsa

Valor Econômico - Finanças Além de petroleiras especializadas em campos maduros, motivadas pelos desinvestimentos da Petrobras, empresas de infraestrutura do setor também acenam para a possibilidade de IPOs O aquecimento das aquisições de campos de óleo e gás, impulsionado pelos desinvestimentos da Petrobras — embora não somente por ela —, tem movimentado o mercado de capitais. Em cinco meses, a PetroRio e a 3R Petroleum, ambas especializadas na revitalização de campos maduros, levantaram cerca de R$ 3,5 bilhões com a oferta de ações na bolsa, como estratégia de financiamento de investimentos e de compras de mais ativos. A expectativa é que os números cresçam ainda mais, caso a PetroRecôncavo avance com os planos de abrir seu capital. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Quais são os domínios de internet mais antigos do mundo e do Brasil?

canaltech Os sites foram uma das primeiras criações originadas do uso da internet. A teia mundial de computadores foi pensada para possibilitar a troca direta de informações entre pessoas fisicamente distantes, mas isso se perdia com o tempo. Foi quando alguém teve a ideia de documentar tudo, como se fosse as páginas de um livro, e disponibilizar na rede para que várias pessoas pudessem ver simultaneamente. Do 1.0 ao 10: qual o tamanho em disco de cada versão do Windows? Três bilhões de e-mails “falsificados” são enviados todos os dias Cuidado! Registros de domínios maliciosos sobre vacinas têm alta de 300% na web Nascia assim a ideia que deu origem aos primeiros websites, que, naquela época, não passavam de meros aglomerados de texto, sem hiperlinks, diagramação ou imagens. Só que para tornar essas páginas acessíveis de qualquer lugar, era preciso colocá-las em algum “endereço virtual”. A ARPANET foi a precursora da internet: conectava universidades e institutos norte-americanos (Imagem: Reprodução/Yngvar/Wikipedia) No começo, isso era feito com base no IP, o que obrigava o interessado a digitar uma sequência de números sem qualquer lógica para acessar. Com o tempo e o aumento na quantidade de páginas, o pessoal da tecnologia começou a perceber que essas numerações seriam muito difíceis de memorizar e pouco práticas no dia a dia. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Em vez das complicadas sequências numéricas, começou-se a usar nomes. Foi assim que surgiu o primeiro domínio da internet. Você já parou para pensar em quantos deles existem atualmente? Qual seria o domínio mais antigo do mundo? Qual o site mais antigo do Brasil? O Canaltech preparou este especial para responder a essas e outras dúvidas sobre os domínios mais antigos da internet. Qual o domínio mais antigo do mundo? Segundo dados da Website Hosting Ratin, estima-se que exista 1,83 bilhão de websites no mundo para um total de 4,78 bilhões de usuários. Isso dá uma média de quase quatro sites para cada dez habitantes, um número realmente impressionante. Na década de 1970 e meados de 80, a internet era algo restrito aos militares das forças armadas dos EUA. Por isso, os primeiros sites que nasceram foram vinculados a órgãos de defesa norte-americanos. (Imagem: Reprodução/Microsoft Sweden) Tudo começou com o site da Advanced Research Projects Agency (ARPA), a agência norte-americana de pesquisa e desenvolvimento do Departamento de Defesa dos Estados Unidos. No dia 1 de janeiro de 1985, a página da ARPA foi ao ar usando os domínios .net, .org, .edu, .gov, .mil, .arpa. Exceto pelo último, todos viraram extensões usadas até hoje para designar sites específicos da web. Depois, acabou virando apenas arpa.mil e, a seguir, ganhou uma letra “d” no início, se tornando darpa.mil. Mas juntamente com o site da ARPA, outra página também viu a luz do mundo pela primeira vez: nordu.net. A NORDUnet foi uma instituição criada a partir da colaboração internacional entre as redes nacionais de pesquisa e educação nos países nórdicos. Suécia, Noruega, Finlândia, Dinamarca e Islândia uniram forças para trocar conhecimentos acadêmicos e assim conseguirem evoluir nas pesquisas da internet. A NorduNET foi o primeiro domínio não-militar da internet: na foto, captura de tela de 1996 (Imagem: Reprodução/InternetArchive) Embora tenha passado por diversas atualizações, o domínio original nordu.net continua ativo até os dias atuais, o que pode ajudar a classificá-lo como o mais antigo do mundo fora da esfera militar. Domínios comerciais mais antigos da internet Com a expansão da internet no serviço de defesa, começou a surgir a demanda de empresas privadas pelo uso da tecnologia. No âmbito acadêmico, embora ainda não houvesse domínios registrados, já existia o sufixo .edu, mas ninguém tinha pensado na aplicação comercial da rede de computadores. Foi aí que surgiu a necessidade de identificar os sites mercadológicos e convencionou-se o uso do .com.   Mesmo antes de a internet ser aberta como é hoje, uma empresa de tecnologia já estava sedenta por adentrar neste mundo desconhecido. A Symbolics Computer Corporation, com sede em Massachusetts, nos Estados Unidos, entrou para a história ao ter o primeiro endereço comercial do mundo: symbolics.com, cadastrado em 15 de março de 1985. Vale ressaltar que não pouquíssimas as imagens de sites, já que naquela época não existia print screen nem outras funcionalidades como as atuais. As fotos listadas a seguir foram retiradas do portal Internet Archive Wayback Machine, que registra capturas de tela de páginas a partir de 1996. Confira, a seguir, mais detalhes sobre os 10 domínios comerciais mais antigos do mundo: 1. symbolics.com Data de registro: 15 de março de 1985Continua no ar: sim, porém com outro foco (Imagem: Reprodução/InternetArchive) Symbolics.com não pertence mais à empresa que o registrou, que era fabricante de estações de trabalho. Após a falência da empresa, em 1996, o domínio ficou inativo por muitos anos, até que um investidor resolveu comprá-lo dos antigos donos em 2009. Hoje a página está ativa e serve como uma espécie de homenagem aos primórdios da internet. Lá se encontra dados curiosos, informações sobre os visitantes (a página recebe muitos acessos devido a sua importância histórica), detalhes sobre a antiga Symbolics e, claro, bastante destaque para o comprador do endereço. 2. bbn.com Data de registro: 24 de abril de 1985Continua no ar: sim, porém dentro de outro site (Imagem: Reprodução/InternetArchive) A BBN Technologies é conhecida por ter dado contribuições significativas para a Internet em seus primórdios. Ray Tomlinson, um engenheiro da Raytheon BBN Technologies, é conhecido por ter sido o inventor do e-mail em 1971. O bbn.com é o segundo domínio comercial mais antigo da Internet e, ao contrário do primeiro site da lista, ainda é operado pela sua dona original. Atualmente, a companhia de alta tecnologia desenvolve serviços de pesquisa e desenvolvimento para os militares dos EUA. Embora o site tenha alterado seu nome de domínio após se tornar uma subsidiária integral da Raytheon em 2009, bbn.com ainda está registrado e irá redirecioná-lo para o site atualizado da empresa. 3. think.com Data de registro: 24 de maio de 1985Continua no ar: não (Imagem: Reprodução/InternetArchive) A think.com foi o terceiro domínio comercial a ser registrado e pertencia à corporação Thinking Machines, um fabricante de supercomputadores com sede em Massachusetts. A empresa foi bem-sucedida devido aos seus contratos com a DARPA, mas entrou em falência em 1994. Embora não esteja mais ativo, não parece que o domínio foi vendido, pois o acesso apresenta o Erro 408, quando é impossível carregar a página no tempo limite. O endereço virtual não está disponível para registro nem para leilão. 4. mcc.com Data de registro: 11 de julho de 1985Continua no ar: não (Imagem: Reprodução/InternetArchive) A mcc.com foi o quarto nome de domínio comercial a ser registrado e serviu como página inicial da Microelectronics and Computer Technology Corporation (MCC). A companhia foi um grande consórcio de pesquisa e desenvolvimento de computadores nos Estados Unidos, mas fechou as portas no início de 2000. O site não está mais ativo há muitos anos e o domínio pode ser comprado por aproximadamente US$ 1 milhão (cerca de R$ 5,7 milhões). 5. dec.com Data de registro: 30 de setembro de 1985Continua no ar: sim, mas com outro enfoque (Imagem: Reprodução/InternetArchive) A Digital Equipment Corporation foi uma companhia pioneira na indústria de computadores. Seus produtos eram os mais populares minicomputadores (para os padrões da época) nas comunidades científica e de engenharia nos anos 70 e 80. A DIGITAL, como era conhecida, chegou a ter quase 100 mil funcionários e foi comprada pela Compaq em 1998, que por sua vez se fundiu com a Hewlett-Packard. O dec.com ainda está ativo, mas foi comprado por um pesquisador que trabalha com criptografia e segurança de dados. Desde então, o domínio passou a redirecionar para um site pessoal dele. 6. northrop.com Data de registro: 7 de novembro de 1985Continua no ar: não (Imagem: Reprodução/InternetArchive) A northrop.com é o sexto domínio comercial da lista e foi propriedade da empresa de mesmo nome, uma das principais fabricantes de aeronaves dos Estados Unidos. Seu projeto mais conhecido foi o avião B-2 Spirit, conhecido como Stealth Bomber, um caça que passa despercebido por radares. Em 1994, a Northrop se fundiu com a Grumman para se tornar uma das líderes do segmento no mundo. O domínio direciona para uma página informando que o servidor não pode ser encontrado, mas o nome de domínio não está à venda. No entanto, Northrop Grumman migrou para um novo nome: northropgrumman.com. 7. xerox.com Data de registro: 9 de janeiro de 1986Continua no ar: sim (Imagem: Reprodução/InternetArchive) A Xerox Corporation é a dona do domínio comercial que ocupa a sétima posição neste ranking. É uma das companhias mais antigas do mundo ainda em atividade (fundada em 1906), sendo conhecida pelas máquinas de fotocópia e periféricos de computador. Quem nunca fez um “xerox” de um documento, não é? O xerox.com permanece ativo e com um site moderno, atualizado de tempos em tempos pela empresa conforme os conceitos tecnológicos da época. 8. sri.com Data de registro: 17 de janeiro de 1986Continua no ar: sim (Imagem: Reprodução/InternetArchive) A sri.com é o oitavo domínio comercial registrado na história e ainda possui um site ativo operado pela SRI International. Trata-se de um instituto de pesquisa americano sem fins lucrativos fundado em 1946 por um conselho de curadores da Universidade de Stanford, que acabou crescendo e ganhando “vida própria” em 1970. Hoje, a SRI desenvolve pesquisas em áreas como ciências biomédicas, química e materiais, computação, sistemas terrestres e espaciais e muitas outras. O dominío continua no ar, atualizado e plenamente funcional. 9. hp.com Data de registro: 3 de março de 1986Continua no ar: sim (Imagem: Reprodução/InternetArchive) A Hewlett-Packard Company (conhecida como HP) provavelmente é a empresa mais conhecida desta lista. É uma empresa gigante voltada para a fabricação de produtos tecnológicos como laptops, impressoras, scanners, tablets, computadores de mesa e calculadoras. Na época em que o site foi registrado, na década de1980, a HP produzia principalmente impressoras jato de tinta. O domínio hp.com é o nono colocado na lista de mais antigos e ainda permite que o usuário obtenha informações sobre a companhia ou compre produtos online. 10. bellcore.com Data de registro: 5 de março de 1986Continua no ar: Não (Imagem: Reprodução/InternetArchive) O domínio bellcore.com foi o décimo a ser registrado e foi a página inicial da Bell Communications Research, hoje conhecida como Telcordia Technologies Inc.. A companhia se mantém no ramo da pesquisa e desenvolvimento de telecomunicações desde sua criação e posterior separação da AT&T no início dos anos 80. O nome de domínio está inativo desde 2015, mas também não está à venda. Ao acessar o endereço hoje, o usuário recebe uma mensagem dizendo não ser possível encontrar a página. Os domínios mais antigos no Brasil E no Brasil, quais seriam os endereços mais antigos? Enquanto nos EUA, os primeiros domínios comerciais começaram a ser registrados na década de 1980, por aqui eles levaram mais de uma década para surgir. No começo dos anos de 1990, apesar de a internet já ter avançado em parte do mundo, ela praticamente inexistia para os brasileiros. Não havia, portanto, interesse das empresas nacionais investir para criar e manter um site virtual. Naquela época, como era tudo feito à mão, um domínio poderia levar até 7 dias para ser registrado. Quando o Comitê Gestor da Internet Brasileira (CGI) adotou um sistema eletrônico em substituição aos requerimentos em papel, todos os domínios registrados passaram automaticamente a ter a data de 1º de janeiro de 1996. Portanto, o Brasil não tem uma lista cronológica de domínios antigos, o que levou o CGI a agrupá-los por setor da indústria. CEMIG foi o pioneira no Brasil (Imagem: Reprodução/WebInternetArchive) Segundo o Comitê, o primeiro domínio comercial registrado no País foi da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), em 17 de agosto de 1995. Antes disso, apenas universidades e órgãos governamentais registravam domínios de internet. A Cisco talvez tenha sido uma das primeiras empresas privadas a registrar um domínio no país. Isso faz todo sentido, já que a companhia forneceu uma parte considerável da infraestrutura da rede internet brasileira. Somente a partir da segunda metade de 1995, bancos, entidades financeiras e órgãos de imprensa começaram a registrar suas marcas na internet. Domínio .br chegou antes da internet ao país O diretor presidente do NIC.br, Demi Getschko, lembra que a Internet ainda não existia no Brasil, mas que o domínio .br era utilizado para identificar máquinas nas redes que já operavam no ambiente acadêmico, como Bitnet e HEPNet. A primeira transmissão via internet, com a transmissão de pacotes TCP/IP, só ocorreu por aqui em 1991. Veja capturas de tela dos primeiros sites da internet brasileira: Página da Chevrolet no Brasil em 1996 (Reprodução/WebInternetArchive) Textos e links compunham a página da Universidade de São Paulo (Reprodução/WebInternetArchive) A Philco tinha uma página diferente do tradicional (Reprodução/WebInternetArchive) O primeiro domínio registrado foi o da CEMIG (Reprodução/WebInternetArchive) Um dos bancos mais populares da década de 90 não ficou de fora da internet (Reprodução/WebInternetArchive) A CAPES está online desde os primórdios da internet no Brasil (Reprodução/WebInternetArchive) No mesmo ano, surgiram os primeiros subdomínios no país: governos (gov.br), empresas (com.br), organizações sem fins lucrativos (org.br) e forças armadas (mil.br). Hoje, já são mais de 120 as opções, incluindo app.br (Aplicativos), eco.br (Atividades Ambientais), tec.br (Empresas de tecnologia), adv.br (Advogados), jor.br (Jornalistas) e dezenas de outras opções para pessoas físicas e jurídicas. Confira a listagem de alguns dos domínios mais antigos do Brasil: Setor Domínio Registrado para Comunicação abril.com.br Grupo Abril Comunicação folha.com.br Folha de S.Paulo Comunicação oglobo.com.br Jornal O Globo Comunicação sbt.com.br Sistema Brasileiro de Televisão Comunicação jc.com.br Jornal do Commércio Finanças bamerindus.com.br Banco Bamerindus Finanças banco1.com.br Banco 1 Finanças banespa.com.br Banco do Estado de São Paulo Finanças banrisul.com.br Banrisul Finanças bradesco.com.br Banco Bradesco Faculdades/Governo bndes.gov.br Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social Faculdades/Governo capes.gov.br Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Faculdades/Governo ipt.br Instituto de Pesquisas Tecnológicas Faculdades/Governo mec.gov.br Ministério da Educação Faculdades/Governo usp.br Universidade de São Paulo Gerais bol.com.br Brasil Online Gerais chevrolet.com.br Chevrolet Brasil Gerais ibm.com.br IBM Brasil Gerais philco.com.br Philco-Hitachi Brasil Gerais tectoy.com.br Tectoy Daquela época até os dias atuais, o cenário digital brasileiro deu um salto gigantesco: hoje, são mais de 4,6 milhões de domínios registrados — em 2009, por exemplo, eram “apenas” 1,5 milhão. Esse impulso se deve à popularização da internet móvel com a chegada do 4G. O Brasil é um dos países com valores mais baixos para aquisição de um domínio no mundo, os quais se mantêm sem alteração há muito tempo. Por isso, a expectativa é que a quantidade de registros por aqui cresça ainda mais nos próximos anos. O lançamento do 5G, a redução no preço dos planos de telefonia e a acessibilidade a aparelhos com suporte a tecnologias mais modernas podem fazer com que novos sites surjam em uma velocidade ainda maior. Quando você fez seu primeiro acesso à internet? Consegue se recordar de qual foi o site que visitou? Compartilhe sua experiência nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Observações da NASA mostram que humanos estão desequilibrando energia da Terra Doença misteriosa atinge mais de 40 pessoas no Canadá Robôs começam a entregar encomendas em cidade dos EUA Fiocruz entrega 1,3 milhão de doses da vacina de março e justifica o atraso O céu (não) é o limite | Nova força fundamental na física, asteroide perto e + Veja Mais

Bolsonaro cita no Twitter distribuição de vacinas e recebimento de IFA

Valor Econômico - Finanças Anúncios feitos na quinta-feira e na sexta foram comentados pelo presidente neste domingo Um dia depois de voltar a criticar políticas de fechamento de atividades (lockdown) e deixar em aberto a possibilidade de se vacinar, o presidente Jair Bolsonaro fez publicações no Twitter neste domingo mencionando a distribuição das vacinas contra covid-19 na última semana, pelo Ministério da Saúde, e o recebimento do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) pela Fundação Oswaldo Cruz para a fabricação do imunizante. Bolsonaro destacou a maior distribuição de vacinas de uma única vez pelo Ministério da Saúde, desde o início da campanha de vacinação, com 9,128 milhão de doses. O anúncio foi feito pelo ministério na última quinta-feira, mas mencionado pelo presidente apenas neste domingo. Outra publicação de Bolsonaro relacionada à pandemia foi a divulgação sobre os 225 litros de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) recebidos pela Fiocruz, o que permitirá a fabricação de 5,3 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca. O anúncio também já tinha sido feito pela Fiocruz, na última sexta-feira. O presidente ainda destacou, no Twitter, a entrega, pelas Forças Armadas, de uma remessa com 86 mil ampolas de medicamentos do ‘kit intubação’ para o estado do Rio Grande do Sul e 223 toneladas de alimentos para o município de Aparecida, em São Paulo. Veja Mais

Godzilla vs. Kong: o que o final significa para o futuro do MonsterVerse?

Godzilla vs. Kong: o que o final significa para o futuro do MonsterVerse?

Tecmundo ATENÇÃO, SPOILERS À FRENTE!Depois do remake de Godzilla pela Legendary, os fãs da MonsterVerse esperam pela luta entre o Rei dos Monstros e King Kong, apresentada pela primeira vez em 1963 nos cinemas e que retorna em proporções ainda maiores.Leia mais... Veja Mais

A regra do ganho marginal de 1% que ajuda a explicar o sucesso de pessoas excepcionais

G1 Economia O pesquisador Kumar Mehta investigou como são as pessoas excepcionais e o que podemos aprender com elas. Nesta entrevista, ele revela suas descobertas e explica por que a "microexcelência" é tão importante para capacitar seus talentos. O americano Michael Phelps tornou-se uma pessoa excepcional prestando atenção até nos menores detalhes para atingir seus objetivos Getty Images/via BBC Kumar Mehta passou anos estudando o que torna as pessoas excepcionais. Ao longo desse caminho, ele vem fazendo descobertas surpreendentes sobre o que têm em comum as mulheres e os homens que brilham por sua excelência, e como cada um de nós pode alcançar o melhor potencial de nossos talentos. "Descobri que a maioria de nós se propõe grandes objetivos, mas tenta enfrentá-los todos ao mesmo tempo para obter resultados imediatos. Isso faz com que acabemos fracassando", diz o pesquisador em entrevista à BBC News Mundo, o serviço de notícias em espanhol da BBC. É por isso que ele desenvolveu o conceito de "microexcelência", no qual pequenas mudanças levam a grandes resultados. Esse conceito está relacionado a outra ideia que vem se tornando bastante popular: a regra do ganho marginal de 1%. Essa estratégia, que tem sido aplicada com nomes diferentes, afirma que se você melhorar apenas 1% de cada vez, terá uma chance melhor de atingir a meta que estabeleceu do que se tentar alcançar aumentos maiores. Kumar Mehta publicou dois livros que giram em torno da excelência: "The Innovation Biome" ("O bioma da inovação", em tradução livre) e "The Exceptionals: How the Best Become the Best and How you Can Too" ("Os Excepcionais: Como os melhores se tornam os melhores e como você também pode", em tradução livre). Ambos os livros não foram lançados no Brasil. Pesquisador do Centro para o Futuro Digital da Universidade do Sul da Califórnia, palestrante, consultor e autor, Mehta conversou com a BBC News Mundo sobre as lições que aprendeu em seus estudos. BBC News Mundo: O que é uma pessoa excepcional, qual é o conceito que o sr. usa em sua pesquisa? Kumar Mehta: Tornar-se uma pessoa excepcional significa se destacar dos demais. Em alguns casos, pode ser uma pessoa conhecida internacionalmente, como Michael Jordan (jogador de basquete americano), mas também pode se referir a pessoas que não têm esse nível de fama. Por exemplo, alguém que ganhou um Prêmio Nobel de Física ou Economia, que mudou o mundo de forma significativa, ou simplesmente alguém que se tornou o melhor em sua área, seja o que for - arquitetura, enfermagem, contabilidade ou o que seja. Uma pessoa excepcional é aquela que conseguiu maximizar seu potencial físico, mental e social. BBC News Mundo: Alguém pode se tornar excepcional, mesmo que não pareça ter um grande talento? Mehta: Sim. Isso é interessante porque nem todos temos os mesmos talentos. Temos oito tipos de inteligência. Você pode ser talentoso como escritor ou orador, mas se desenvolver uma carreira profissional que não esteja alinhada com esses tipos de habilidades, você não será excepcional. Você tem que combinar seu talento natural com o que você faz. É muito importante que as pessoas que desejam se tornar as melhores em algo entendam quais são seus talentos, quais são seus pontos fortes. BBC News Mundo: O sr. poderia me dar um exemplo de pessoa excepcional que admira pessoalmente? Mehta: Provavelmente, a pessoa excepcional que mais admiro é Bill Gates. Tive o prazer e a honra de trabalhar na Microsoft e interagir com ele, vendo como sua mente funciona. "A pessoa excepcional que mais admiro é Bill Gates. Tive o prazer e a honra de trabalhar na Microsoft e interagir com ele, ver como sua mente funciona", diz Mehta Getty Images/via BBC Lendo sobre as coisas que está fazendo para mudar o mundo e torná-lo um lugar melhor, parece-me que ele mostra as características de uma pessoa excepcional. BBC News Mundo: Como o sr. se interessou por fazer pesquisa neste campo? Mehta: No começo, eu estava interessado em entender como podemos tornar nossas vidas melhores. Como resultado, pensei que a única coisa que torna nossas vidas melhores é a inovação. Inovações que podem melhorar nossas vidas ao longo da história, como novos medicamentos, novas tecnologias. Então, comecei a estudar inovação no sentido de o que torna possíveis as grandes inovações. Estudei centenas e centenas de inovações, desde a roda até cirurgias robóticas, smartphones e todas as coisas legais que usamos hoje. Kumar Mehta publicou em dezembro, em inglês, um livro sobre pessoas consideradas excepcionais em suas áreas de atuação Getty Images/via BBC Isso me levou a publicar o livro "The Innovation Biome", tentando entender como acontecem as inovações. Então, comecei a pensar o que torna as pessoas por trás dessas grandes inovações tão especiais. E foi aí que comecei a estudar o que torna as pessoas excepcionais. Entrevistei vencedores de medalhas olímpicas, músicos, arquitetos e várias pessoas de diferentes origens para encontrar um terreno comum. Cada um tem sua própria história, e cada história é perfeita para cada indivíduo, mas se você olhar para os elementos que eles compartilham, certos padrões emergem. BBC News Mundo: E quais são esses elementos comuns? Mehta: Escrevi sobre o que chamo de elementos de excelência. Quando uma pessoa é excepcional, 50% é determinado desde o nascimento, 25% é esforço e os 25% restantes são um conjunto de elementos facilitadores. Esses facilitadores são: acreditar em si mesmo, no ambiente de onde você vem, no sistema de apoio que você tem (porque é impossível fazer tudo sozinho), microexcelência e comprometimento. Esses são todos os recursos que encontrei como resultado de minha pesquisa. BBC News Mundo: Qual é a sua história acadêmica, ou seja, a partir de qual área do conhecimento o sr. abordou a questão da excepcionalidade? Mehta: Tenho doutorado em Economia Social Farmacêutica, algo que estudei há muito tempo e não continuei desenvolvendo. Mas na faculdade você aprende como aprender, aprende a fazer pesquisas e então segue seu próprio caminho. Comecei no setor farmacêutico, mas trabalhei muito tempo na Microsoft e trabalhei em análise de dados. Depois fiz pesquisas sobre questões de inovação e agora me dedico ao tema da excelência pessoal, trabalhando com atletas. A parte mais emocionante da minha vida foi aprender algo novo e construir um conjunto de experiências e conhecimentos. BBC News Mundo: Já que agora o sr. se dedica ao tema da excelência, qual é a coisa mais incrível que aprendeu nessa área? Mehta: A ideia de microexcelência, o fato de que pessoas excepcionais se concentram em coisas muito pequenas para alcançar grandes objetivos. O que me impressiona é o foco sistemático na precisão cirúrgica. Os excepcionais prestam atenção a cada detalhe, não prestam atenção às "grandes coisas". Uma pessoa excepcional é aquela que conseguiu maximizar seu potencial físico, mental e social. Na foto, Emmanuelle Charpentier, ganhadora do Prêmio Nobel de Química em 2020 Getty Images/via BBC Outra coisa que me surpreendeu nas pessoas excepcionais é que não se trata apenas delas. São excepcionais porque têm uma rede, um sistema de apoio completo que lhes permite tornar-se excepcionais, como o Usain Bolt ou o Michael Phelps. BBC News Mundo: Ao colocar o foco em cada detalhe com precisão cirúrgica, os conceitos de microexcelência e a regra do ganho marginal de 1% são semelhantes? Mehta: Já escrevi sobre micro excelência. Outros pesquisadores falam da regra do ganho marginal de 1%, mas o conceito é semelhante, é a mesma ideia de focar nas coisas que os outros consideram irrelevantes. BBC News Mundo: Quem inventou esse conceito de ganho marginal de 1%? Mehta: A expressão sobre os ganhos marginais de 1% vem do ex-técnico da equipe britânica de ciclismo Dave Brailsford. Não sei se ele tirou de outra pessoa, mas Brailsford é quem o popularizou aplicando-o ao ciclismo. É interessante porque no final chegamos a conclusões semelhantes e meu conceito de micro excelência foi validado por outras pessoas. BBC News Mundo: E se alguém quiser entrar no caminho da microexcelência ou aplicar a regra do ganho marginal de 1%, qual seria o primeiro passo? Mehta: Seja qual for a sua atividade, você deve dividi-la em pequenos componentes. Se você dividi-la em quatro ou cinco componentes, provavelmente não será o suficiente. Você tem que dividi-la em 20 ou 30 componentes. Cada um desses componentes influencia a atividade que você realiza. E então você pode fazer um exercício simples: avalie seu desempenho em cada um deles, em uma escala de um a cinco. A outra coisa é se comparar com seus colegas, não com os famosos. Se você se comparar a eles em cada um dos componentes que selecionou, esse exercício pode abrir seus olhos. Você identificará onde se sai bem e onde está em desvantagem. E nas áreas em que não obteve uma boa pontuação é que é necessário aplicar a microexcelência. E quando você tiver melhorado em cada uma dessas pequenas coisas, verá que passou para outro nível, um pouco mais alto. Então você faz o mesmo exercício novamente, mas agora se comparando ao novo grupo de pares mais avançados. Portanto, você constrói esses microelementos um por um como se fosse uma escada, passo a passo, para maximizar seu potencial. BBC News Mundo: Embora, se alguém não for excepcional, nenhuma estratégia vai me tornar excepcional... Mehta: Todos nós podemos maximizar nossos talentos e ser o melhor que podemos ser. Em alguns casos, alguém se tornará o melhor do mundo fazendo algo e, em outros casos, alguém será o melhor que pode ser. E essa é a única coisa que você e eu podemos fazer, nos tornarmos a melhor versão de nós mesmos. Isso vai te dar a satisfação de ter dado tudo e te deixar mais feliz. Isso, para mim, também é excepcional. Esther Duflo, Prêmio Nobel de Economia, é uma pessoa excepcional que desenvolveu importantes pesquisas sobre pobreza e desenvolvimento Getty Images/via BBC Quando você identifica seus talentos e sabe onde está, define uma meta de longo prazo. Você pega um pedaço de papel e escreve o que chamo de "declaração pessoal". Lá você escreve o que deseja alcançar e o que está disposto a deixar para trás para alcançá-lo. Esse é o começo. Veja Mais

LineageOS leva Android 11 para quase 60 celulares; veja quais

LineageOS leva Android 11 para quase 60 celulares; veja quais

Tecmundo Nesta quinta-feira (01) o LineageOS, sistema operacional desenvolvido por fãs recebeu sua mais nova versão, incluindo diversos novos recursos e mudanças. A novidade leva o Android 11 e todas as suas funções para quase 60 modelos de celulares — incluindo os considerados "velhos demais" para receberem atualizações oficiais por suas fabricantes. Atualmente, é possível encontrar a LineageOS 18.1 para alguns modelos de grandes marcas, incluindo a Google, Xiaomi, Sony, Motorola, LG, OnePlus e Samsung. Nesse sentido, uma de suas principais vantagens é a capacidade de "rejuvenescer" celulares que não receberam atualizações em seu sistema operacional em muitos anos — como o Galaxy S4, um dos modelos suportados. Entretanto, a novidade também está disponível para lançamentos recentes, como os Pixel 4A 5G e Pixel 5. Confira a lista completa no fim do texto.Leia mais... Veja Mais

Charmed: Krista Vernoff revela o que a fez abandonar a série

Charmed: Krista Vernoff revela o que a fez abandonar a série

Tecmundo Krista Vernoff, atual showrunner de Grey’s Anatomy e Station 19, já teve que tomar decisões difíceis ao longo de sua carreira envolvendo sua própria participação na série Charmed. Em entrevista recente ao The Hollywood Reporter, a roteirista e produtora revelou os motivos que a levaram a abandonar a equipe de Charmed, série lançada no final dos anos 1990 pelo The WB, atual The CW.Leia mais... Veja Mais

Receita altera entendimento e reduz tributação para o setor imobiliário

Valor Econômico - Finanças Órgão publica solução de consulta sobre venda de imóvel anteriormente alugado Empresas do setor imobiliário poderão pagar menos Imposto de Renda (IRPJ) e CSLL na venda de imóveis anteriormente alugados, desde que estejam no regime do lucro presumido. A Receita Federal mudou recentemente seu entendimento sobre o assunto e deixou de tributar a operação como ganho de capital. A decisão está na Solução de Consulta nº 7, editada pela Coordenação-Geral de Tributação (Cosit). Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Lucifer: showrunner comenta impacto da pandemia no final da série

Lucifer: showrunner comenta impacto da pandemia no final da série

Tecmundo Recentemente, em entrevista ao Wordballon, Joe Henderson, co-showrunner de Lucifer, da Netflix, falou sobre os impactos da pandemia do coronavírus nas filmagens do final da série. Os trabalhos foram encerrados na última semana. Entretanto, algumas mudanças significativas precisaram ocorrer no set de gravações. De acordo com Henderson, a trama dos episódios finais sofreram alterações para que pudessem se adequar às medidas restritivas que impedem a propagação da covid-19.Leia mais... Veja Mais

Amazon pede desculpas e admite que motoristas urinam em garrafas

Amazon pede desculpas e admite que motoristas urinam em garrafas

Tecmundo A Amazon reconheceu nesta sexta-feira (2) pela primeira vez que os relatos de alguns motoristas que trabalham para a empresa são verdadeiros e que, em alguns casos, eles precisam urinar em garrafas durante o expediente.As denúncias já são relativamente antigas, mas foram intensificadas após críticas do congressista norte-americano Mark Pocan, do partido Democrata, que criticou a empresa por tentar sabotar a sindicalização de funcionários, ofertar baixos salários e "fazer os empregados urinarem em garrafas de água".Leia mais... Veja Mais

Resident Evil Village: jogadora de basquete faz cosplay de Lady Dimitrescu

Resident Evil Village: jogadora de basquete faz cosplay de Lady Dimitrescu

Tecmundo Desde que Resident Evil Village foi anunciado, a grande vilã do game, Lady Dimitrescu tem roubado os holofotes. E grande parte da atenção é voltada para a sua altura bem acima dos padrões. Pensando nisso, a ex-jogadora de basquete, e atual modelo mais alta do mundo, Ekaterina Lisina, fez um cosplay da personagem que encanta pelo seu realismo, principalmente pelo tamanho de Lisina.Leia mais... Veja Mais

Ingenuity: helicóptero da NASA é ativado com sucesso em Marte

Ingenuity: helicóptero da NASA é ativado com sucesso em Marte

Tecmundo O helicóptero em miniatura Ingenuity está oficialmente encostando em solo marciano. O veículo, que estava acoplado na sonda Perseverance, foi liberado para se movimentar sozinho neste sábado (3).Segundo o NASA Jet Propulsion Laboratory, que cuida da missão e foi o responsável por fabricar os robôs, o procedimento envolvia uma queda de cerca de 10 cm da "barriga" da Perseverance, onde o helicóptero estava guardado, até atingir a terra firme sem danos.Leia mais... Veja Mais

Silva e Luna inicia trabalhos de transição na Petrobras

Valor Econômico - Finanças Posse ainda depende de trâmites; expectativa é que AGE no dia 12 eleja general como conselheiro da empresa, pré-requisito para que seja efetivado como presidente da estatal Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir o comando da Petrobras, o general da reserva Joaquim Silva e Luna iniciou os trabalhos de transição junto à atual gestão da estatal e analisa nomes para compor o novo time de diretores da companhia. Os executivos de saída da empresa têm sugerido profissionais da casa como substitutos. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Ex-ministro do STJ, mineiro Paulo Medina morre aos 79 anos vítima da Covid-19

O Tempo - Política Medina assumiu a cadeira no STJ em 2001 e exerceu o cargo até 2010 Veja Mais

Após liberação, missa de Páscoa na Basílica de Aparecida reúne 154 pessoas

Valor Econômico - Finanças Decisão que autorizou cultos religiosos mesmo com proibição em meio à pandemia recomenda limite de 25% da capacidade do local, o que ali equivaleria a até mil pessoas Após a liberação de cerimônias religiosas, a missa de Páscoa na Basílica de Aparecida (SP) reuniu 154 pessoas na manhã deste domingo. De acordo com o Santuário Nacional, os fiéis assistiram à missa das 8h sentados com distanciamento nos bancos e com máscara. Ontem, o ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu uma liminar que determinou que estados e municípios não podem proibir completamente celebrações religiosas presenciais. Na decisão, o ministro defendeu que o momento da pandemia pede cautela, mas reconheceu a “essencialidade” da atividade religiosa para dar “acolhimento e conforto espiritual”. “Ao tratar o serviço religioso como não-essencial, Estados e municípios podem, por via indireta, eliminar os cultos religiosos, suprimindo aspecto absolutamente essencial da religião, que é a realização de reuniões entre os fiéis para a celebração de seus ritos e crenças”. Na decisão de Nunes Marques, foram estabelecidas medidas sanitárias a serem adotadas nos templos e igrejas, como uso obrigatório de máscara, aferição de temperatura e limite de 25% da capacidade do local, entre outras. Na Basílica de Aparecida, 25% representa até mil pessoas. As celebrações religiosas coletivas estavam proibidas em todo o estado de São Paulo desde 15 de março, quando teve início a fase emergencial do Plano São Paulo de retomada econômica. A liberação das cerimônias foi tomada em meio a um período de agravamento da crise do coronavírus, com março registrando o maior número de mortes para um mês desde o início da pandemia. A liminar ainda será analisada pelo plenário do STF, em julgamento sem data definida. Em Belo Horizonte, o prefeito Alexandre Kalil foi intimado a cumprir a liminar, após afirmar no Twitter que não iria cumprir a decisão de liberar a abertura dos templos. Após a postagem, o prefeito virou alvo de críticas e ataques nas redes sociais. "Em Belo Horizonte, acompanhamos o plenário do Supremo Tribunal Federal. O que vale é o decreto do prefeito. Estão proibidos os cultos e missas presenciais", escreveu o prefeito da capital mineira. Veja Mais

Frente de prefeitos pede intervenção de Fux após decisão que liberou cultos

Valor Econômico - Finanças Presidente da FNP alega que liminar concedida por Nunes Marques cria insegurança jurídica O presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), João Donizette, usou as redes sociais neste domingo para pedir que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, se manifeste sobre a decisão do ministro Kassio Nunes Marques que suspendeu os efeitos de decretos que proíbam a realização de cultos religiosos presenciais para evitar o aumento de casos de covid-19. No sábado, Nunes Marques concedeu uma decisão em caráter liminar liberando cultos religiosos presenciais. Nos últimos dias, prefeitos de diversos municípios e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), assinaram decretos proibindo a realização desse tipo de evento por conta do avanço da covid-19 no país. Nunes Marques concedeu a decisão liberando os cultos em resposta a uma ação da Associação Nacional dos Juristas Evangélicos (Anajure). A liberação foi alvo de críticas por conta dos altos índices de infecção e mortes causadas pela covid-19. O país passa pelo pior momento da epidemia que já matou mais de 330 mil pessoas e infectou mais de 12 milhões. Em sua postagem, Donizette argumentou que a decisão de Nunes Marques precisa ser obedecida pelos prefeitos, mas pediu a intervenção de Fux por conta da insegurança jurídica que a decisão do ministro teria criado. “Pedimos ao STF e ao presidente Luiz Fux que se manifeste urgentemente, orientando qual decisão precisa ser seguida […] A decisão do plenário, que determinou que os municípios têm prerrogativa de estabelecer critérios de abertura e fechamento das atividades em seus territórios ou essa liminar?”, disse Donizette. A frase faz referência à decisão do plenário do STF em abril de 2020 que determinou que estados e municípios têm competência para estabelecer suas próprias medidas sanitárias para conter o avanço da covid-19. Donizette afirmou que essa “contradição” atrapalha o enfrentamento à pandemia. “Essa flagrante contradição atrapalha o enfrentamento à pandemia em um país federado e de dimensões continentais como o nosso”, afirmou o presidente da FNP. A decisão de Nunes Marques liberou os cultos sob o argumento de que esse tipo de proibição não ocorreria “sequer em estados de defesa e de sítio”. “Certo, as questões sanitárias são importantes e devem ser observadas, mas, para tanto, não se pode fazer tábula rasa da Constituição”, disse o ministro. Após a decisão, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), disse que não iria cumprir a decisão. Após essa afirmação, Nunes Marques mandou intimar o prefeito para que ele cumprisse a liminar. Apesar de já estar em vigor, a decisão de Nunes Marques ainda precisa ser levada ao plenário do STF, onde o caso deverá ser avaliado pelos demais ministros e ministras. Ainda não há, porém, uma data prevista para que esse julgamento aconteça. Veja Mais

Cópia rara de Super Mario Bros. é vendida por US$ 660 mil em leilão

Cópia rara de Super Mario Bros. é vendida por US$ 660 mil em leilão

Tecmundo Uma cópia selada, em ótimo estado de conservação e parte de uma edição rara de Super Mario Bros. foi arrematada em um leilão nesta sexta-feira (2). O novo dono da peça pagou US$ 660 mil pelo item da Nintendo, estabelecendo um novo recorde no setor.Esse agora é o maior valor já pago por um jogo de video game em leilões: o valor anterior era bem menor, US$ 156 mil, por um cartucho de Super Mario Bros. 3. Segundo a Heritage Auctions, o comprador pediu para permanecer anônimo.Leia mais... Veja Mais

Como conectar a Alexa com a sua Smart TV?

canaltech Oi, gente! Vocês sabiam que a Alexa pode ser usada como saída de som da sua Smart TV? Legal, né? Só que para isso a caixinha de som da Amazon precisa ser conectada à sua TV pelo Bluetooth. Para fazer isso é bem fácil, vou te contar os detalhes agora mesmo. ???? Como configurar a imagem da Smart tv para assistir filmes Mas antes, vocês já ouviram falar sobre a Alexa? Ela foi criada para deixar sua vida digital ainda mais fácil. Ela é a assistente virtual que está dentro da caixinha de som Echo Dot, e funciona por comando de voz, assim ela consegue entender vários comandos a qualquer momento e fazer tarefas. Incrível né? Como resetar uma Smart TV Como baixar aplicativos em Smart TV’s Android TV, webOS e Tizen Por isso, hoje nesse tutorial vou ensinar para vocês como conectar a Alexa em sua Smart TV. Dá só uma olhadinha! ???? -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Como conectar Alexa em uma Smart TV Passo 1: acesse as configurações de áudio da sua TV e encontre a opção “Saída de som”, ou algo parecido (isso pode mudar de acordo com o modelo da sua TV), então procure por “Bluetooth”; Passo 2: clique em “Pesquisa” e, em sua Echo Dot, é só dizer o comando de voz: “Alexa, conectar”. Daí é só aguardar alguns segundinhos; Passo 3: agora, em sua Smart TV, selecione na lista que irá aparecer o nome "Echo Dot", e espere a Alexa dizer que a conexão foi feita com sucesso. Prontinho! Agora você pode assistir aos seus programas favoritos, ouvindo o som pela Alexa. Fica quase como uma experiência de cinema em casa, não é mesmo? Gostou dessa dica? Compartilhe essa matéria com seus amigos. ???? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Observações da NASA mostram que humanos estão desequilibrando energia da Terra Doença misteriosa atinge mais de 40 pessoas no Canadá Robôs começam a entregar encomendas em cidade dos EUA Fiocruz entrega 1,3 milhão de doses da vacina de março e justifica o atraso O céu (não) é o limite | Nova força fundamental na física, asteroide perto e + Veja Mais

Xiaomi Mi Mix Fold vs Samsung Galaxy Z Fold 2: qual o melhor dobrável?

canaltech O mercado de smartphones dobráveis acaba de ficar mais acirrado com a chegada de um novo nome forte para a categoria. Atualmente muito bem representada por modelos como o Huawei Mate X2 e o Samsung Galaxy Z Fold 2. A Xiaomi apresentou no final de março o seu primeiro dobrável, chamado de Mi Mix Fold, voltando a apresentar um modelo da série Mix depois de anos sem um representante na linha. Mi 11i vs Mi 10T Pro: qual geração de baratinhos tem maior custo-benefício? Moto G100 vs Galaxy S20 FE: qual Android poderoso e acessível vale mais a pena? Os dois dobráveis, da Samsung e Xiaomi, possuem características de destaque. O modelo chinês tem um processador Qualcomm Snapdragon 888, tela interna de resolução Quad HD+, câmera traseira de 108 MP e carregamento rápido de 67 watts. O Galaxy Z Fold 2, por sua vez, tem carregamento sem fio, o chamado UTG (sigla para Ultra Thin Glass, uma fina camada de vidro para proteção da tela interna) e estabilização óptica de imagem na câmera traseira principal, por exemplo. Inclusive, o modelo da Samsung venceu no Prêmio Canaltech de 2020 como smartphone mais inovador. Mas qual deles é a melhor opção? Design e construção O formato dos dois aparelhos é basicamente o mesmo, mas eles possuem diferenças bem interessantes. Começando com o Mi Mix Fold, vemos que ele tem um módulo retangular no canto superior esquerdo traseiro, que visualmente lembra muito o do Mi 10S. Inclusive, a traseira tem dois acabamentos diferentes, que faz com que ele tenha dois pesos diferentes também. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Samsung Galaxy Z Fold 2 (Imagem: Divulgação/Samsung) Uma das opções é o vidro, que faz com que ele pese 317 gramas, enquanto a outra é cerâmica, pesando então 332 gramas. O Galaxy Z Fold 2 também tem um módulo no canto superior esquerdo, e tem apenas uma opção de acabamento traseiro, que é o vidro. O celular da Samsung pesa 282 gramas. Importante destacar que no caso da Samsung, o acabamento pode ser vidro fosco na cor bronze ou vidro brilhante na cor preta. Ambos possuem lateral em alumínio, com leitor de impressões digitais integrado no botão power, próximo aos botões de volume Nenhum deles chega ao mercado com conexão P2 de 3,5 mm para fones de ouvido, tendo apenas uma conexão USB Tipo-C na parte inferior. Uma diferença, porém, está no fato de que enquanto o Galaxy Z Fold 2 tem apenas duas saídas de som, com assinatura AKG, o Mi Mix Fold tem quatro saídas de som, com assinatura Harman Kardon. A tela externa dos dois ocupa boa parte da superfície e tem apenas um furo para a câmera frontal, que enquanto no Z Fold 2 é centralizada no topo do display, no Mi Mix Fold é posicionada no canto superior direito. Xiaomi Mi Mix Fold (Imagem: Divulgação/Xiaomi) Por fim, olhando para a tela interna, vemos mais diferenças. O aparelho da Xiaomi não tem nenhum tipo de furo ou recorte, sendo uma tela inteira para o usuário consumir conteúdo. No caso do Z Fold 2, existe um furo para uma câmera na parte direita da tela. Além disso, o Mi Mix Fold tem apenas um acabamento plástico para essa tela, enquanto o da Samsung tem um vidro ultra fino fazendo um reforço na proteção do aparelho. Vale destacar que o sul-coreano ainda tem a habilidade de poder permanecer em qualquer posição do mecanismo de dobra, enquanto o chinês só tem a posição aberto ou fechado. Telas Samsung Galaxy Z Fold 2: Tela interna: Dynamic AMOLED 2X de 7,6 polegadas com resolução Full HD+, suporte a HDR10+ e taxa de atualização de 120 Hz Tela externa: Super AMOLED de 6,23 polegadas com resolução 2260x816 pixels e taxa de atualização padrão de 60 Hz Xiaomi Mi Mix Fold: Tela interna: AMOLED de 8,01 polegadas com resolução Quad HD+, suporte a HDR10+, Dolby Vision e taxa de atualização padrão de 60 Hz Tela externa: AMOLED de 6,52 polegadas com resolução 2520x480 pixels, HDR10+, Dolby Vision e taxa de atualização de 90 Hz As telas dos dois modelos contam essencialmente com a mesma tecnologia, o AMOLED, que tem como vantagem ser capaz de entregar cores mais vibrantes e preto profundo. Porém, elas possuem diferenças significativas entre si. O Galaxy Z Fold 2 tem uma tela interna de 7,6 polegadas com taxa de atualização de 120 Hz, mas resolução Full HD+. Por outro lado, o Mi Mix Fold tem uma tela de 8,01 que tem uma maior resolução, sendo Quad HD+, mas com taxa de atualização padrão, de 60 Hz. Ambos suportam o HDR10+. Dessa forma, enquanto uma entrega maior fluidez no uso, outra foca em ter um conteúdo exibido com mais definição. Samsung Galaxy Z Fold 2 (Imagem: Divulgação/Samsung) Agora, quando se fala da tela externa, tem basicamente apenas uma diferença em jogo. O sul-coreano tem uma tela de 6,23 polegadas com resolução 2260x816 pixels, mas com taxa de atualização padrão de 60 Hz. Já o dispositivo da Xiaomi conta com um display maior, de 6,52 polegadas, que tem resolução 2520x840 pixels, mas com taxa de atualização mais alta, de 90 Hz. Essa maior taxa de atualização, tanto na tela interna no caso do Samsung, quanto na tela externa no caso do Mi Mix Fold, faz com que o conteúdo em exibição seja mais fluido, com movimentos mais suaves, causando também maior sensação de velocidade. Câmeras Samsung Galaxy Z Fold 2: 12 MP (principal, f/1.8) + 12 MP (ultrawide, f/2.2) + 12 MP (telefoto, f/2.4) + 10 MP (frontal interna, f/2.2) + 10 MP (frontal externa, f/2.2) Xiaomi Mi Mix Fold: 108 MP (principal, f/1.8) + 13 MP (ultrawide, f/2.4) + 8 MP (telefoto/macro) + 20 MP (frontal) Infelizmente, não é possível fazer um comparativo efetivo de câmeras entre os dois aparelhos, uma vez que o Canaltech ainda não colocou as mãos no Mi Mix Fold. No entanto, pelo menos na teoria os dois prometem serem modelos interessantes no quesito fotografia. Eles possuem kits de câmera completamente diferentes. Começando pela câmera principal, o Samsung aposta na parte de "megapixels não quer dizer qualidade", e tem uma de 12 MP com estabilização óptica de imagem (OIS, que ajuda a evitar as tremidas indesejadas em fotos). Todavia, o Mi Mix Fold tem uma principal de 108 MP, sem a estabilização óptica, mas ambos contam com a mesma abertura na lente. A vantagem do Xiaomi é usar a técnica NonaCell, que mescla nove pixels próximos em um só para conseguir uma imagem mais bem definida (mas de menor resolução). Xiaomi Mi Mix Fold (Imagem: Divulgação/Xiaomi) Na ultra grande angular, a Xiaomi tem uma câmera de maior contagem de megapixels, mas que tem uma abertura um pouquinho menor, fazendo com que menos luz entre no sensor, quando comparado com o concorrente. Além disso, na câmera telefoto existe uma diferença bem perceptível. O Galaxy Z Fold 2 tem uma câmera de 12 MP com abertura f/2.4 para zoom óptico de 2x, mas como o Mi Mix Fold tem as lentes líquidas, permite que a câmera de 8 MP, que tem zoom óptico de 3x e total de 30x, também seja usada para fotografia macro. Isso permite que ela seja usada para fotografia de objetos a poucos centímetros de distância com um grande nível de nitidez. Processamento e memória Xiaomi Mi Mix Fold: Qualcomm Snapdragon 888 (1x2.84 GHz Kryo 680 & 3x2.42 GHz Kryo 680 & 4x1.80 GHz Kryo 680); Samsung Galaxy Z Fold 2: Qualcomm Snapdragon 865 Plus (1x3.09 GHz Kryo 585 & 3x2.42 GHz Kryo 585 & 4x1.8 GHz Kryo 585); Apesar de ambos serem modelos topo de linha, por serem de anos diferentes, contam com diferentes gerações do processador mais forte da Qualcomm. Independente disso, levando em conta o desempenho deles atualmente, isso não será um fato que pesará na escolha. Agora, caso olhe para a parte de longevidade, o Snapdragon 888 do Mi Mix Fold supera o Snapdragon 865 Plus do Z Fold 2. Samsung Galaxy Z Fold 2 (Imagem: Divulgação/Samsung) O clock máximo do Snapdragon 865 Plus é maior, chegando a 3.09 Ghz, enquanto o do Snapdragon 888 é de 2.84. Por outro lado, enquanto o Snapdragon 865 Plus do Samsung é de 7 nm, o Snapdragon 888 do Xiaomi é de 5 nm, e com isso deve ter melhor eficiência energética. Outra diferença importante no caso do Snapdragon 888 é a utilização de núcleos Kryo 680, mais recentes e mais fortes que os núcleos Kryo 585 do Snapdragon 865. Além disso, na parte de memórias, o Galaxy Z Fold 2 chega com 12 GB de memória RAM, e com 256 GB ou 512 GB de espaço para armazenamento interno. Por outro lado, o Mi Mix Fold tem 12 GB ou 16 GB de memória RAM e 256 GB ou 512 GB de armazenamento interno. Em ambos os aparelhos, vemos o uso de memórias do tipo UFS 3.1, uma das mais rápidas da atualidade, sem possuir expansão de armazenamento via cartão micro SD. Bateria Em bateria, os modelos possuem capacidades diferentes, velocidades de carregamento diferentes e um deles apresenta mais recursos nesse quesito. O Xiaomi Mi Mix Fold chega com uma bateria de 5.020 mAh, que tem suporte a carregamento rápido de 67 watts, que segundo a Xiaomi pode carregar o aparelho por completo em apenas 37 minutos. Xiaomi Mi Mix Fold (Imagem: Divulgação/Xiaomi) Já o Galaxy Z Fold 2 tem uma bateria de 4.500 mAh, com suporte a carregamento rápido de 25 watts. A diferença é que o modelo da marca sul-coreana, tem suporte a carregamento sem fio de 11 watts e carregamento reverso sem fio de 4,5 watts, que pode servir para carregar outros smartphones, relógios ou fones de ouvido, por exemplo, desde que sejam compatíveis com a tecnologia Qi. Teoricamente, o Mi Mix Fold pode durar mais tempo de bateria, ao mesmo tempo que carrega mais rápido. Porém, o Z Fold 2 tem como suas vantagens esses recursos extras de carregamento. Mas, só dá para saber se essas diferenças são efetivas por meio de testes. Mi Mix Fold vs Galaxy Z Fold 2: qual vale mais a pena? Fica claro aqui que, apesar de terem suas diferenças nas fichas técnicas, elas são mais efetivas nos detalhes do que em grandes alterações de fato. São dois modelos competentes, realmente dignos de fazerem parte da categoria de topos de linha. Samsung Galaxy Z Fold 2 (Imagem: Divulgação/Samsung) Porém, dá para tirar algumas conclusões ainda assim. O Galaxy Z Fold 2 tem uma tela mais resistente a riscos e visualmente mais agradável graças ao UTG, tem uma câmera interna que pode ser útil, possui a habilidade de permanecer numa posição intermediária que não seja efetivamente aberto ou fechado, uma tela interna com maior taxa de atualização e mais recursos extras relacionados à bateria. Já no Mi Mix Fold, ele tem uma performance um pouco melhor, a possibilidade de um acabamento externo diferente, que seria a cerâmica, uma tela interna sem recortes ou furos, mais saídas de som, displays maiores e com mais resolução, uma câmera para zoom mais versátil por permitir fotografia macro e um carregamento mais veloz. Xiaomi Mi Mix Fold (Imagem: Divulgação/Xiaomi) Independente de qual smartphone escolher, são dois verdadeiros titãs, que são, no momento, o ápice da tecnologia, justamente por conta da capacidade de dobrar uma tela. O problema é que são aparelhos caros, e no caso do Mi Mix Fold, ainda não existem informações sobre seu lançamento em mercados fora da China. Xiaomi Mi Mix Fold: ficha técnica Tela Interna: 8,01" 4:3 Super AMOLED, resolução Quad HD+, 60 Hz, brilho máximo de 900 nits Tela externa: 6,52" 27:9 Super AMOLED, resolução de 2520 x 840 pixels, 90 Hz, brilho máximo de 900 nits Chipset: Qualcomm Snapdragon 888 Memória RAM: 12 GB ou 16 GB Armazenamento interno: 256 GB ou 512 GB Câmera traseira: 108 MP (principal, sensor de 1/1,52") + 13 MP (ultrawide, f/2.4, 123°) + 8 MP (lente líquida com telefoto e macro) Câmera frontal: 20 MP Dimensões: 173,27 x 69,8 x 17,2 mm (dobrado) e 173,27 x 133,38 x 7,62 mm (aberto) Peso: 317 gramas (preto) e 332 gramas (cerâmica) Bateria: 5.020 mAh com recarga rápida de 67 W Extras: 5G, Wi-Fi 6E, quad speakers com áudio Harman Kardon, motor de vibração linear no eixo X Cores disponíveis: preto e cerâmica Sistema operacional: Android 10, sob a MIUI 12 Samsung Galaxy Z Fold 2: ficha técnica Tela interna: 7,6 polegadas Dynamic AMOLED 2X, resolução de 1.768 x 2.208 pixels, 120 Hz; Tela externa: 6,2 polegadas Super AMOLED, resolução de 816 x 2.260 pixels, 60 Hz; Chipset: Snapdragon 865 Plus; Memória RAM: 12 GB LPDDR5; Armazenamento interno: 256 GB UFS 3.1; Câmera traseira: tripla 12 + 12 + 12 megapixels (principal, ultra grande-angular, telefoto); Câmera frontal: 10 + 10 megapixels (tela externa e interna); Dimensões: dobrado: 159,2 x 68 x 16,8-13,8 milímetros; desdobrado: 159,2 x 128,2 x 6,9-6 milímetros; Peso: 282 gramas; Bateria: 4.500 mAh, recarga com fio de 25 W, recarga sem fio e carregamento reverso; Extras: leitor de digitais na lateral, carregamento rápido, carregamento reverso, 5G, UWB, Bluetooth 5.0; Cores disponíveis: preto e bronze; Sistema operacional: Android 10 com personalização One UI. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Observações da NASA mostram que humanos estão desequilibrando energia da Terra Doença misteriosa atinge mais de 40 pessoas no Canadá Robôs começam a entregar encomendas em cidade dos EUA Fiocruz entrega 1,3 milhão de doses da vacina de março e justifica o atraso O céu (não) é o limite | Nova força fundamental na física, asteroide perto e + Veja Mais

Os 15 clipes mais populares do YouTube

Os 15 clipes mais populares do YouTube

Tecmundo Não há muito tempo atrás, tínhamos que ficar ligados nos canais de música para assistirmos o lançamento dos clipes. Agora, com o YouTube, podemos ver e rever o mesmo vídeo quantas vezes e na hora que quisermos. E os números de visualizações de videoclipes na plataforma são impressionantes.Confira agora os 15 clipes de maior sucesso no YouTube. Vale ressaltar que os vídeos de músicas infantis foram excluídos, então não espere ver Baby Shark e nem Galinha Pintadinha.Leia mais... Veja Mais

Jadsa foca a Bahia natal além dos estereótipos em 'Olho de vidro', álbum feito em São Paulo

G1 Pop & Arte ♪ Com assumida influência da obra vanguardista do compositor paulista Itamar Assumpção (1949 – 2003), a baiana Jadsa foca uma Bahia contemporânea, eventualmente noise, indo além do cartões-postais e dos estereótipos da música da terra natal no recém-lançado primeiro álbum da artista de 26 anos, Olho de vidro. É na fronteira entre Bahia e Sâo Paulo – onde, entre 2018 e 2019, Jadsa deu forma ao disco posto no mundo neste ano de 2021, precisamente em 26 de março, via Balaclava Records – que a cantora, compositora e guitarrista se situa ao longo das 14 músicas do álbum, cuja edição foi antecedida pelos singles A ginga do nego, Raio de sol e Lian. A propósito, Lian é tributo de Jadsa à colega Luiza Lian, convidada da faixa. Já Raio de sol flerta com o samba do Recôncavo Baiano em gravação feita por Jadsa com as adesões de Ana Frango Elétrico e Kiko Dinucci. Contudo, o som de Jadsa no álbum Olho de vidro soa inclassificável pela fusão de elementos de samba, rock, trip hop, reggae e vanguarda paulista – mistura deglutida entre percussões tribais e beats eletrônicos. Esse mix pop contemporâneo é encorpado com os golpes do violão de Josyara, instrumentista e intérprete convidada de Run, baby, música composta por Jadsa ainda em Salvador (BA), à beira da partida para São Paulo. Produzido por João Meirelles, o álbum Olho de vibro soa inquieto na fricção de músicas como Power, Selva e Sem edição. Capa do álbum 'Olho de vidro', de Jadsa João Meirelles / Divulgação Veja Mais

HQs e super-heróis | Nova fase da DC, Keanu Reeves e os destaques da Marvel

canaltech O que aconteceu de mais relevante no mercado de quadrinhos norte-americano no mês que passou? A resposta está aqui, com uma lista resumida das principais edições lançadas em março, especialmente da Marvel Comics e DC Comics. HQs e super-heróis: confira reviews dos destaques da Marvel e DC em fevereiro HQs e super-heróis | A nova fase da DC e simbiontes invadindo a Marvel As 10 melhores histórias em quadrinhos da Marvel e da DC em 2020 Vale lembrar que, a cada semana, o mercado gringo recebe muitas edições, então, as “escolhidas” abaixo contam com um resumo rápido e alguns comentários. Várias dessas novidades chegarão ao Brasil muito em breve; e o objetivo aqui é também chamar atenção para coisas que têm grandes chances de influenciar as adaptações para TV e cinema. Você sempre pode acompanhar os lançamentos lá fora por meio do site Comic List. Então, vamos lá, lembrando que este conteúdo traz uma boa dose de spoilers! Fique avisado. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- DC Comics Depois que a editora brincou com todos os seus principais personagens, realidades paralelas e linhas temporais em Dark Knights: Death Metal, novos Multiversos foram estabelecidos, com todas as Terras e versões de propriedades coexistindo em novos mundos compartilhados. Sim, você leu corretamente, eu disse Multiversos: agora, não são apenas 52 Terras em um Multiverso, e sim infinitas Terras e Multiversos. Em dois meses, janeiro e fevereiro deste ano, a DC mostrou diferentes versões de seus principais ícones. Em Future State, a editora nos levou ao futuro de suas histórias e pudemos acompanhar um Superman mais jovem, Jonathan Kent; o próximo Batman Tim Fox e a Mulher-Maravilha brasileira Yara Flor. Enquanto isso, Kal-El se tornou um Superman muito mais poderoso, maduro e ciente de sua missão de espalhar esperança não somente pela Terra, mas também pelo cosmos. Bruce Wayne perdeu sua fortuna e age como um detetive fora-da-lei em Gotham. E Mulher-Maravilha ascende para um papel muito maior na fábrica de realidades da DC, como uma verdadeira deusa no panteão que monitora o funcionamento desses novos Multiversos. Imagem: Reprodução/DC Comics E aí chegamos em março, em Infinite Frontier #0, que dá a largada para a nova fase “tudo junto e misturado” da DC Comics. A edição, basicamente, restabelece os status quo mais conhecidos de cada personagem, combinando abordagens clássicas com as revisões que deram certo com o reboot Novos 52 e reposicionando algumas peças. São pequenos cantos, que pincelam como será esse playground daqui para frente Primeiramente, vemos a Mulher-Maravilha sendo incorporada à Quintessência, um grupo de entidades cósmicas formado pelo Pai Celestial, Espectro, Hera, Vingador Fantasma, Ganthet e o Mago Shazam. Em seguida, temos Adão Negro inesperadamente branco e do lado dos mocinhos, batizado pelo ridículo nome de Shazadam, talvez como forma já de “redimir” o personagem, já que o novo filme protagonizado por Dwayne Johnson deve trazer uma versão mais “heroica” do então vilão. Em outro momento, vemos Grifter, que andava sumido na DC, depois de ser incorporado com a chegada de seu criador, Jim Lee, à empresa. Entre as amazonas, embora Yara Flor se autoproclame como Mulher-Maravilha, quem sucede Diana como rainha é Nubia. Imagem: Reprodução/DC Comics O Lanterna Verde Alan Scott revela que é gay para seus filhos, o que antes existia somente na Terra-2 e finalmente foi bem incorporado à cronologia “oficial”. Jonathan Kent está chegando à Metropolis, depois de passar anos em aventuras no futuro e em outras realidades, tornando-se um Superman jovem muito poderoso e sábio. Os Lanternas Verdes ganham uma nova parceira-mirim, Keli Quintela, que usa uma manopla energizada por uma “mochila-lanterna”. E Wally West é promovido a “Flash oficial” pelo próprio Barry Allen. Imagem: Reprodução/DC Comics E, como ameaça final, a Quintessência aponta sua própria morte e a de todos os Multiversos na chamada Terra Ômega, onde Darkseid é seu dono absoluto e, aparentemente, consome a vida de todos os seres a partir de seu domínio da Equação Anti-Vida. Esse é o panorama pintado por Infinite Frontier #0, que dá a largada para um terreno em que todas as versões de todos os personagens existem simultaneamente, de acordo com cada cantinho que os autores vão querer explorar. Como dá para notar, ainda não tem como saber exatamente como isso vai funcionar, mas, aos poucos, as coisas vão ficando mais claras. Crime Syndicate #1 Caption Aqui vemos a recriação do Sindicato do Crime, a versão maligna da Liga da Justiça da Terra-3 composta ao Ultraman, Supermulher, Coruja, Relâmpago, Anel Energético, Atômica e Relâmpago, todos versões distorcidas dos membros da Liga da Justiça. Pense em algo na linha do The Boys da TV e você terá uma melhor ideia do que se trata. Vale destacar que o grupo deve ter mais relevância nesta nova fase da DC, já que esse reposicionamento vem sendo bastante divulgado pela editora. Suicide Squad #1 Imagem: Reprodução/DC Comics O próximo filme de James Gunn tem tudo para ser um sucesso, misturando seu jeitão charmoso de combinar humor com ação. A DC já antecipa um pouco dessa tonalidade com uma edição que já destaca os principais personagens do longa, a exemplo do Pacificador e Rick Flag. É interessante notar que, assim como a Marvel faz bem em seu cânone multimídia, a editora finalmente comece a alinhar melhor seus títulos com os lançamentos do cinema. The Next Batman - Second Son #2 Imagem: Reprodução/DC Comics Aos poucos vamos vendo a maior diferença entre o Batman de Tim Fox com Bruce Wayne. Enquanto Wayne evoca melhor as histórias detetivescas de mistério noir, Fox é mais conectado aos problemas das ruas e causas sociais. Ele vem para trazer representatividade à DC, que, na verdade, demorou um pouco para abraçar a diversidade, na comparação com a Marvel. Essa parece ser uma grande premissa da editora para a temporada, já que em junho teremos o DC Pride, uma antologia só com heróis e vilões LGBTQ+. The Swamp Thing #1 Imagem: Reprodução/DC Comics Lá nos anos 1980 Alan Moore mostrou em Lição de Anatomia que, na verdade, não foi Alec Holland que se tornou o Monstro do Pântano, e sim foi o deus-planta que se libertou de suas limitações humanas. Aqui vemos uma inversão disso, com o Monstro do Pântano contido novamente em um hospedeiro humano, para compreender melhor sua missão. Desta vez, seu alter-ego é Levi Kamei e a abordagem aqui continua sendo de ambiente de terror, mas com um toque de “Hulk”, já que Kamei se parece com Banner e parte de seu conflito é controlar a transformação no avatar do Verde do Parlamento das Árvores. Superman #29 Imagem: Reprodução/DC Comics Esta edição já faz a ponte entre o Superman Clark Kent para o Superman Jonathan Kent, com uma aventura que envolve ambos e nos mostra algumas diferenças entre os dois. Jonathan é mais impulsivo e mostra que deve superar os poderes do pai, neutralizando uma ameaça que Kal-El não pôde. Isso se deve à experiência que Jonathan teve em outros mundos, algo que Clark também teve, mas por menos tempo. É a DC destacando que deve investir novamente no legado dos personagens, sua marca registrada. Justice League #59 Imagem: Reprodução/DC Comics Somos introduzidos a uma nova formação, com os sensacionais desenhos e design de David Marquez. Aquaman, Superman, Garota-Gavião, Batman, Shazadam, Arqueiro Verde, Canário Negro, Flash Barry Allen e a nova integrante Naomi McDuffie, que, aparentemente, possui poderes elétricos. Essa é uma tocante e surpreendente homenagem a Dwayne McDuffie, roteirista que sempre lutou para a inclusão de personagens pretos nos quadrinhos, a exemplo de Super Choque e Aço. Batman - Superman #16 Imagem: Reprodução/DC Comics Aqui dá para notar melhor como a DC Comics vai explorar todas as versões de suas propriedades nessa nova fase. A aventura desenhada pelo brasileiro Ivan Reis remete às primeiras versões do Superman e do Batman que chegaram à TV. Clark Kent ainda se preocupa muito mais com ameaças mundanas e triviais e Bruce Wayne tem a companhia do Robin como no seriado dos anos 60, mas sem tanta fanfarronice. A “camada cinematográfica” é até mesmo reforçada com design das páginas, que se parecem com as bordas de um filme fotográfico. Marvel Comics A saga King in Black continua, mas neste mês vemos apenas a Marvel “espremendo a teta da vaca” até a última gota de leite, já que, em vez de encerrar de uma vez a trama que já se arrasta por um bom tempo em todos os títulos, ela segue explorando as consequências da invasão do deus simbionte Knull. Algumas das edições são até interessantes, mas a maioria se arrasta com o pano de fundo da vilania de Knull, em uma tentativa de emplacar os simbiontes como um elemento fundamental no cânone da editora. Um dos destaques é Captain America - King in Black #1, que, basicamente, traz a ação e a parceria do Falcão e do Soldado Invernal, que vêm mostrando no Disney+ como essa dupla pode ser legal, mas com presença de Steve Rogers. Imagem: Reprodução/Marvel Comics Isso é especialmente interessante para quem vem acompanhando a atração na TV, pois muitas das coisas que acontecem no seriado são baseadas na ausência de Steve Rogers como Capitão América. E, aqui, é legal ver o Falcão e o Soldado Invernal atuando ao lado de Rogers, respondendo como seria se o Sentinela da Liberdade original ainda estivesse presente no Universo Cinematográfico Marvel (MCU, na sigla em inglês). Já em King in Black - Ghost Rider #1, seguimos acompanhando o reposicionamento do cantinho mágico da Marvel, com Johnny Blaze como o novo rei do Inferno, enquanto Mefisto tenta se recuperar para um dia retomar o seu domínio. Para ajudar a deter as forças de Knull, Blaze ganha a ajuda de Danny Catch, que já foi o Motoqueiro Fantasma e a agora retorna como o Motoqueiro Mortal ou algo assim (o original é Death Rider). Imagem: Reprodução/Marvel Comics Danny agora possui uma espada, que leva o ser atingido a consumir toda a corrupção de sua vida. Essa novidade tem muito a ver com a ligação dos quadrinhos com a Marvel Studios, já que os aspectos sombrios da magia na Casa das Ideias vão ganhar mais atenção após WandaVision e com a chegada de Doutor Estranho no Multiverso da Loucura e Blade. America Chavez - Made in the USA #1 Imagem: Reprodução/Marvel Comics No final dos anos 1990, o mercado norte-americano de quadrinhos vivia uma crise sem precedentes, com baixa renovação leitores com faixa etária mais baixa, ou seja, só os velhos fãs continuavam comprando gibis de super-heróis. A Marvel encontrou em personagens mais jovens e diversos a chave para o rejuvenescimento, especialmente com a Ms. Marvel. Agora, ela faz o mesmo com America Chavez, que, pelo visto, deve ganhar bastante atenção no filme Doutor Estranho no Multiverso da Loucura. E aqui ela tem a companhia de Kate Bishop, que também terá destaque na série do Gavião Arqueiro. Ou seja, é a Marvel Studios fazendo seu processo de retroalimentação com a Marvel Comics, já preparando o terreno para o que vem por aí nos cinemas e nas telinhas. Vale apontar o protagonismo feminino, para atender à crescente demanda das mulheres fãs de gibis. Alien #1 Imagem: Reprodução/Marvel Comics Desde que a Disney comprou a Fox, importantes franquias agora fazem parte também da Marvel Comics, a exemplo de Aliens e Predador. E, assim como aconteceu com Conan, a Casa das Ideias pretende explorar essas propriedades com uma série mensal contínua, que traga os elementos clássicos e acrescente novos elementos, assim como uma cronologia. É bem possível que, um dia, a editora também inclua essas criaturas nas mesma realidade dos Vingadores. Aqui, vemos uma nova espécie de xenomorfo, na forma da rainha, que parece mais humanoide. É bem verdade que os traços de Salvador Larroca já foram menos estáticos e sua narrativa mais inventiva, mas seus desenhos dão uma “cara cinematográfica”. A trama com a Weyland e Charles Bishop estão na trama, com uma conexão direta aos filmes mais recentes da franquia, a exemplo de Prometheus. Avengers - Curse of the Man-Thing #1 Imagem: Reprodução/Marvel Comics A Marvel tem grandes planos para o Homem-Coisa, personagem adorado pelos fãs que nunca teve assim muita regularidade de publicação. Ele é muito importante quando falamos no Nexus das Realidades, afinal, ele é o protetor do portal terreste que dá acesso às várias realidades do Multiverso Marvel. Como a Marvel Studios já começou a brincar com isso em WandaVision, a Casa das Ideias já começa a revisar as regras disso tudo. Aqui, vemos que Ted Sallis estava tentando recriar o Soro do Supersoldado quando se misturou ao pântano e virou o Homem-Coisa, enquanto um grupo de bruxas e cientistas explica melhor como a ciência se mescla com magia nas histórias da Marvel. X-Men #19 Imagem: Reprodução/Marvel Comics Depois do fim de X of Swords, os X-Men vivem uma nova fase, com a equipe liderada por Ciclope e Jean Grey novamente como foras-da-lei, mesmo entre seus próprios pares em Krakoa. Enquanto não começa próximo arco, Reino de X, a revista traz uma abordagem futurista da equipe, com a Wolverine Laura Kinney e personagens mais novos, a exemplo de Darwin e Synch. Esta história destaca o interessante processo de evolução e regeneração dos mutantes, tudo com a complexa ficção científica criada por Jonathan Hickman. Thor #13 Imagem: Reprodução/Marvel Comics Donny Cates mergulha de uma vez nas entranhas das raízes asgardianas do personagem e combina elementos de sucesso da revista de Odinson nas últimas décadas, explorando elementos clássicos do Thor, incluindo seu alter-ego humano, Donald Blake; e passagens da fase de Jason Aaron, que ampliou a mitologia do Deus do Trovão e trouxe Odin e as Valquírias para mais histórias. Aqui, Thor está preso em outra realidade, criada por Odin para conter Blake, enquanto ambos trocavam de papel na Terra. Blake se tornou poderoso e segue invadindo a vida de Thor. Doutor Estranho, o cão teleportador Dentinho e o Sapo Thor encontram a companhia da Valquíria Jane Foster para trazer Odin de volta de seu autoexílio. É interessante ver como a Marvel ultimamente vem mostrando como era o Pai de Todos antes de sua aposentadoria, já que, claro, Odinson é bem parecido com ele. No final da edição, Thor consegue sair de sua prisão, por meio da armadura do Destruidor. Boom! Studios BRZRKR #1 Imagem: Reprodução/Marvel Comics Imagina Keanu Reeves sendo uma mistura do Wolverine com John Wick, em um personagem altamente treinado para matar, que tenta lidar com as amarras do tempo por ser uma criatura imortal atravessando séculos de assassinatos e sobrevivência. A ideia aqui é ver BRZRKR falando pouco e surrando todo mundo que vê pela frente, sem piedade, em sequência de ação em alta velocidade. É o tipão mesmo de Reeves, em um revista totalmente financiada pela “vaquinha” de nada menos do que US$ 2 milhões no Kickstarter. A primeira das 12 edições vendeu nada menos do que 615 mil cópias, tornando-se a segunda história em quadrinhos mais vendida na última década, somentre atrás de Star Wars #1, da Marvel, em 2015. Esse sucesso todo já rendeu à HQ uma adaptação, que ficará a cargo da Netflix e, claro, terá Reeves como protagonista. Até o próximo mês! Obviamente, não dá para comentar tudo o que saiu no mercado norte-americano nas quatro semanas anteriores, mas essas edições são as que mais fizeram barulho em outubro e prometem ter relevância nas editoras (e em suas outras mídias) nos próximos meses. Assine Amazon Kindle Unlimited por apenas R$ 19,90/mês e tenha acesso a mais de 1 milhão de livros digitais! Continuem lendo as matérias de quadrinhos e toda a cultura pop aqui do Canaltech. A coluna no primeiro domingo de maio. E quem quiser me acompanhar no Twitter e saber das matérias relacionadas que saem durante o período, é só me seguir no @clangcomix. Até logo! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Observações da NASA mostram que humanos estão desequilibrando energia da Terra Doença misteriosa atinge mais de 40 pessoas no Canadá Robôs começam a entregar encomendas em cidade dos EUA Fiocruz entrega 1,3 milhão de doses da vacina de março e justifica o atraso O céu (não) é o limite | Nova força fundamental na física, asteroide perto e + Veja Mais