Meu Feed

Últimos dias

BORJA DÁ ASSISTÊNCIA, E COLÔMBIA VENCE O EQUADOR EM ESTREIA NA COPA AMÉRICA

BORJA DÁ ASSISTÊNCIA, E COLÔMBIA VENCE O EQUADOR EM ESTREIA NA COPA AMÉRICA

Fox Sports Brasil Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse o ESPN.com.br e inscreva-se no nosso canal! https://www.espn.com.br/ ➡ Facebook: https://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: https://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: https://instagram.com/foxsportsbrasil ➡ Facebook: https://www.facebook.com/espnbrasil ➡ Twitter: https://twitter.com/ESPNBrasil ➡ Instagram: https://www.instagram.com/espnbrasil Vamos JuntosNaTorcida! #ESPN #ESPNBrasil #FOXSports Veja Mais

JULIO GOMES: "INGLATERRA NÃO CEDEU CHANCES PARA A CROÁCIA"| DEPOIS DO JOGO

JULIO GOMES:

Band Sports Comentarista elogiou o desempenho dos ingleses na estreia da Eurocopa. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

"O FLAMENGO É O TIME A SER BATIDO NO BRASIL"| DEPOIS DO JOGO

Band Sports Jornalista destacou que o Rubro-Negro é o principal candidato a conquistar o título do Brasileirão. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

"HOJE, ESPECIALMENTE NO PRIMEIRO TEMPO, TIVEMOS O CONTROLE DO JOGO"| DEPOIS DO JOGO

Band Sports Cuca elogiou a atuação do Atlético Mineiro, após a quarta vitória consecutiva. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

Starfield: trailer pode ter revelado localização do Elder Scrolls VI

Starfield: trailer pode ter revelado localização do Elder Scrolls VI

Tecmundo Durante a apresentação da Microsoft + Bethesda na E3 2021, foi revelado um novo trailer de Starfield, além de ganhar data de lançamento para 11 de novembro de 2022. E um usuário do Reddit com 'olhos biônicos' notou um possível easter egg do Elder Scrolls VI mostrando sua suposta localização, Hammerfell. Confira a seguir:Leia mais... Veja Mais

Athena Saúde compra Hospital das Clínicas de Alagoinhas

Valor Econômico - Finanças A Athena Saúde fechou contrato para a compra de 100% do Hospital das Clínicas de Alagoinhas, localizado na cidade de Alagoinhas, na Bahia. O preço de aquisição é de R$ 137,1 milhões. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Tetsuya Nomura revela detalhes sobre Final Fantasy Origin

Tetsuya Nomura revela detalhes sobre Final Fantasy Origin

Tecmundo O diretor Tetsuya Nomura explicou, neste domingo (13), um pouco sobre o conceito de Stranger of Paradise: Final Fantasy Origin. Em comunicado da Square Enix, ele comentou que o conceito e o planejamento surgiram depois de Dissidia 012: Duodecim Final Fantasy.“Eu pensei comigo que gostaria de ter um jogo focado não nas batalhas entre os personagens, mas nos lugares onde as ações acontecem. Depois de um tempo, eu comecei a planejar um novo Final Fantasy com temas como ‘a história de um homem nervoso. Mais tempo passou e eu pude combinar ambos os conceitos em um plano coeso, que é que vocês veem agora”, contou ele, que é produtor criativo do game.Leia mais... Veja Mais

Como as pessoas mais ocupadas conseguem se manter produtivas no trabalho

G1 Economia Para alguns indivíduos, encontrar um tempo para trabalhar sem interrupções pode parecer algo totalmente irreal — mas há métodos para otimizar nosso dia a dia. A artista Mahreen Zuberi divide as tarefas em partes — e aloca aquelas que exigem foco profundo em seu horário mais produtivo ARQUIVO PESSOAL Assim como muitos pais, quando as escolas fecharam devido à pandemia da Covid-19, Elizabeth Hunter se viu com mais responsabilidades na criação dos três filhos, que passaram a ter aulas 100% remotas. Mas seu volume de trabalho também aumentou. Como cofundadora da STEMTaught, fundação que oferece planos de estudo de ciências sob medida, a cientista que mora na Califórnia teve que descobrir como seu programa poderia permanecer ativo em um ambiente virtual, assim como trabalhar em diversos fusos horários com autores e editoras para lançar novas edições de material didático mais rápido. Conciliar essa carga de trabalho maior — que incluía questões logísticas, como montar e enviar kits de aprendizagem e agendar sessões de laboratório online com os alunos — com a educação dos filhos deixava poucas brechas de silêncio nas quais ela pudesse realmente se concentrar. Hunter começou então a botar todo mundo para dormir cedo e a trabalhar até tarde da noite para conseguir algum momento de paz para desenvolver o trabalho criativo de preparar os planos de estudo, enquanto lidava com as tarefas mais práticas durante o dia. "Estabeleci uma regra para mim. Se as crianças estão dormindo e não é muito tarde, em vez de lavar a louça ou fazer o trabalho doméstico, estou trabalhando. Prezo esses períodos de tempo como diamantes — são muito preciosos para eu ser capaz de fazer meu trabalho de reflexão profunda", diz ela. É um desafio que muitos de nós enfrentamos: estamos mais ocupados do que nunca, mas ainda precisamos de períodos sem interrupções para realizar o trabalho que exige nosso foco mais profundo. Teorias populares sugerem que nosso trabalho mais valioso só acontece depois que nos livramos das nossas distrações — que aliviar a desordem da mente nos induz a um estado de fluxo, um paraíso idílico de produtividade em que a criatividade prospera. Antes da Covid-19, podíamos usar as horas dedicadas no escritório ou os horários de pico naturalmente produtivos quando as crianças estavam na escola para tentar acessar essa 'zona' e executar tarefas que exigem bastante concentração. Agora, acessar esse tipo de zona de trabalho profunda pode parecer quase impossível. Se você está ocupado com várias tarefas, encontrar uma boa quantidade de tempo sem interrupção para produtividade pode ser algo totalmente irreal. Felizmente, há métodos para otimizar o tempo limitado de 'trabalho profundo' que temos, planejar as interrupções e produzir um trabalho significativo, apesar das demandas que competem por nossa atenção. Separar as tarefas Elizabeth Hunter (à direita) utiliza os períodos de silêncio enquanto sua família está dormindo para fazer seu trabalho focado ARQUIVO PESSOAL Há várias recomendações para a criação de um ambiente que vai te ajudar a produzir seu melhor trabalho. Cal Newport, autor de "Deep Work: Rules for Focused Success in a Distracted World", sugere que a maioria das distrações são estímulos externos "controláveis" que podem ser eliminados por grandes gestos, como fazer check-in em um quarto de hotel para trabalhar ou abandonar as redes sociais. O popular aplicativo de produtividade Trello recomenda encontrar um lugar sem pessoas em sua visão periférica e investir em fones de ouvido com cancelamento de ruído. Steven Kotler, diretor-executivo do Flow Research Collective, uma organização de pesquisa e treinamento, recomenda adotar blocos de foco ininterrupto de 90 a 120 minutos para maximizar o fluxo. No entanto, muitas dessas sugestões são incompatíveis com nossas realidades atuais; para a maioria das pessoas ocupadas, a criatividade e a produtividade não podem existir como processos isolados que ocorrem em janelas dedicadas e impenetráveis. "Somos obcecados pela ideia de um artista solitário trabalhando loucamente com inspiração quase divina", diz a artista contemporânea paquistanesa Mahreen Zuberi, mãe de dois filhos. Mas em sua prática criativa, Zuberi separa seu tempo de pensar e executar, com a maior parte conceitual de sua arte concluída de manhã cedo, antes dos filhos acordarem. Ela divide a execução em pequenos períodos de tempo ao longo do dia porque sabe que atenção e foco são bens preciosos que devem ser racionados com sabedoria, e é muito mais fácil encarar o trabalho em pedaços menores e retomar o processo de implementação de onde parou. Separar diferentes aspectos da mesma tarefa, como Zuberi, faz sentido. Para alguns indivíduos, encontrar um tempo para trabalhar sem interrupções pode parecer algo totalmente irreal ALAMY Muita gente usa o horário não-comercial para priorizar tarefas difíceis ou projetos especiais — mas tentar encaixar tudo durante as primeiras horas do dia ou no fim da noite pode ser insustentável, uma vez que a falta de sono pode prejudicar a produtividade (e as crianças podem acordar cedo, de qualquer maneira). Trabalhar nesse esquema consistentemente para todos os aspectos de uma tarefa também reforça a mentalidade de que há um 'espaço' para a produtividade, sem a possibilidade de sobreposições saudáveis ​​com outras responsabilidades durante o dia. Além disso, como o padrão de trabalho de Zuberi mostra, nem todas as partes de uma tarefa requerem o mesmo tipo de foco. Ao determinar quais partes de uma tarefa exigem suas horas mais produtivas, ela as aloca em horários em que é mais provável que não seja interrompida, o que dá a ela uma probabilidade maior de êxito. Aquecimento Uma vez que você encontra um período precioso de tempo para alocar um trabalho altamente focado, Sophie Leroy, professora de administração da Universidade de Washington Bothell, nos Estados Unidos, sugere que se preparar de antemão para esse intervalo de tempo pode ajudar a encontrar seu foco mais rápido. "Identifique a tarefa mais importante na noite anterior. Ao fazer a transição das responsabilidades não relacionadas ao trabalho na manhã seguinte, lembre a si mesmo no que você estará trabalhando quando se sentar", diz Leroy. "É como dirigir um carro. Você pode acelerar aos poucos até 100 km/h ou ir de 0 a 100 muito rápido. " Reservar um tempo metaforicamente para aquecer o motor e partir com um claro senso de direção oferece recompensas, ao contrário de se jogar e tentar descobrir tudo ao longo do caminho. Nausheen Shahzad, diretora-executiva do Centro de Neuropsicologia em Karachi, no Paquistão, uma clínica privada especializada em psicologia educacional e treinamento, compara o "aquecimento" a uma professora primária que inicia a aula pedindo ao alunos que cantem o abecedário. "O objetivo do aprendizado não é repassar o alfabeto. É recuperar aquele arquivo no cérebro relacionado à linguagem para que eles possam ser mais receptivos ao aprendizado", explica. Para alguns, as interrupções são parte da vida — portanto, aprender a antecipá-las pode ajudar ALAMY Essa 'ativação cerebral' também pode ser aplicável a adultos ocupados. "Digamos que você queira escrever uma ode às flores. Você pode começar a pensar nisso enquanto está lavando a louça", ressalta Shahzad. Clarear nossas mentes também nos ajuda a acessar a concentração profunda. Por isso, se as preocupações ou pensamentos perdidos persistirem, a neurocientista computacional Grace Lindsay, da University College London (UCL), no Reino Unido, recomenda fazer um rápido 'brain-dump' — algo tão simples quanto escrever em um bloco de notas ou até mesmo enviar um e-mail para si mesmo sobre tudo que está em sua mente. "Sabemos que não podemos manter muitas coisas em nossa mente ao mesmo tempo. Enquanto você está se concentrando em um trabalho profundo, minimize o número de coisas em sua mente. Não se conecte a todo o resto", sugere Lindsay, que também é autora do livro Models of the Mind. Plano de interrupções É claro que encontrar brechas para blocos ininterruptos de trabalho pode não coincidir com a hora do dia em que nos sentimos mais naturalmente produtivos, de acordo com nossos ritmos circadianos individuais. Isso significa que temos que tentar adaptar nosso ritmo natural ou começar uma tarefa difícil em um horário em que as interrupções são inevitáveis. Leroy, que estuda os impactos cognitivos e emocionais das interrupções, diz que uma estratégia é aceitar que as interrupções vão acontecer e, assim, reduzir sua capacidade de nos tirar do eixo. "Frustração, raiva, estresse e ansiedade são as respostas emocionais usuais a uma interrupção, e essas emoções negativas podem facilmente transbordar e dificultar o foco após uma interrupção, impedindo o progresso." "Ao aceitar [o fato de que as interrupções podem ocorrer] como nosso paradigma, nós atenuamos a probabilidade dessas emoções negativas ocorrerem. Nunca será algo do tipo: 'Oba! Fui interrompida', mas é uma abordagem muito pragmática ", diz ela. Leroy também desenvolveu e testou a intervenção 'Ready to Resume' ("pronto para retomar", em tradução literal) para lidar com a realidade das interrupções. A ideia, segundo ela, é "dar ao seu cérebro o que ele precisa para funcionar com eficácia em um contexto de interrupções frequentes". Quando se senta para trabalhar, ela deixa uma folha de papel sobre a mesa, justamente com potenciais interrupções em mente, para fazer um balanço rápido de onde estava na tarefa, e como espera retomar, antes de lidar com a interrupção. Ao testar a eficácia da abordagem em laboratório, Leroy descobriu que as pessoas demoravam muito pouco tempo — um minuto, ou até cinco segundos — para alcançar o fechamento cognitivo e desviar totalmente a atenção. Isso ajudou a evitar resíduos de atenção, uma divisão inútil de recursos cognitivos que ocorre quando os pensamentos relativos a uma tarefa anterior persistem e se intrometem na próxima. Tempos estranhos Vale a pena lembrar, no entanto, que embora seja possível extrair mais 'diamantes' do precioso tempo de trabalho profundo — e até mesmo usá-lo de forma mais eficaz —, em última análise, estes são tempos estranhos. A produtividade e o trabalho profundo podem ser muito diferentes dependendo da pessoa, profissão, posição, parte da tarefa em si — ou em uma pandemia. E, às vezes, pode não parecer muito glamouroso. O truque é mudar nossas expectativas sobre como pode ser nosso dia de trabalho e perceber que a produtividade e a criatividade não são processos padronizados. Porque, independentemente de como caminhamos rumo ao sucesso, todos nós podemos alcançar nossa própria versão do estado de desempenho ideal, mesmo quando estamos ocupados. Como diz Lindsay, "é incrivelmente diferente de pessoa para pessoa. Essa ideia de que você tem que encontrar a solução e que existe uma e é para sempre (...) nem sempre se alinha com a experiência de todos. Há muitas maneiras de ser bem-sucedido." Veja Mais

Back 4 Blood ganha detalhes de gameplay do modo PvP

Back 4 Blood ganha detalhes de gameplay do modo PvP

Tecmundo A Warner Bros. divulgou, neste domingo (13), durante a E3 2021, vários detalhes sobre o gameplay de Back 4 Blood. O jogo será lançado em 12 de outubro para PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series X/S e PC.Leia mais... Veja Mais

Encontro

em - Internacional Veja Mais

Halo Infinite será lançado em 9 de novembro, diz Xbox Brasil [Rumor]

Halo Infinite será lançado em 9 de novembro, diz Xbox Brasil [Rumor]

Tecmundo O perfil brasileiro do Xbox divulgou, neste domingo (13), no Twitter, que Halo Infinite será lançado em 9 de novembro de 2021. A mensagem, que foi posteriormente apagada, deve se tratar de um erro.Leia mais... Veja Mais

10 melhores animes com apenas uma temporada

10 melhores animes com apenas uma temporada

Tecmundo Os animes são um formato de desenho animado originado do Japão, onde o tipo de animação faz parte de uma cultura que está se espalhando por todo o mundo. Existem inúmeros animes conhecidos por sua qualidade e pelo grande número de temporadas e spinoffs, como Naruto, DragonBall, Pokémon e One Piece. Entretanto, também existem algumas dessas animações que fizeram um sucesso internacional, mas tiveram apenas uma season. Por conta disso, o Minha Série decidiu trazer uma lista com os 10 animes que tem apenas uma temporada e você precisa assistir. Leia mais... Veja Mais

Life is Strange: True Colors ganha data de lançamento

Life is Strange: True Colors ganha data de lançamento

Tecmundo A Square Enix divulgou, neste domingo (13), durante a E3 2021, a data de lançamento de Life is Strange: True Colors. O game será lançado em 10 de setembro para PC, PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One e Xbox Series X/S.Leia mais... Veja Mais

Marvel Avenger’s: DLC com Pantera Negra chega em agosto de 2021

Marvel Avenger’s: DLC com Pantera Negra chega em agosto de 2021

Tecmundo A Square Enix divulgou, neste domingo (13), durante a E3 2021, um trailer novo da DLC do Pantera Negra de Marvel’s Avengers. O conteúdo será lançado em agosto de 2021 gratuitamente.Leia mais... Veja Mais

Milhares de pessoas comemoram o fim do governo de Netanyahu em Tel Aviv

O Tempo - Mundo Uma multidão exultante invadiu a Praça Rabin, no centro de Tel Aviv, para celebrar a mudança de governo Veja Mais

SARETTA: "CINCO SETS CONTRA O BIG3 É UM MARTÍRIO PARA OS ADVERSÁRIOS"| ACE BANDSPORTS

SARETTA:

Band Sports Comentarista salientou que enquanto Nadal, Federer e Djokovic continuarem atuando, será muito difícil vencê-los em Grand Slams. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

'Eu era péssimo em palavras cruzadas, mas criei inteligência artificial para fazer por mim'

G1 Economia Programa de computador Dr. Fill acaba de ganhar uma das competições de palavra cruzada de maior prestígio nos Estados Unidos. Matt Ginsberg era tão ruim em palavras cruzadas que decidiu criar uma máquina para se sair melhor GETTY IMAGES E MATT GINSBERG VIA BBC Matt Ginsberg é bom em uma série de coisas — ele é um cientista de inteligência artificial, escritor, dramaturgo, mágico e piloto de avião acrobático. Mas não é muito bom em resolver palavras cruzadas, nem as que ele mesmo cria. Apesar de escrevê-las para o jornal americano New York Times, ele conta que, quando elas são publicadas, muitas vezes não é capaz de acertá-las – ele se esquece das palavras e se considera um "péssimo solucionador de palavras cruzadas". Então, quando ele estava sentado no salão de um hotel, perdendo mais uma vez em uma competição de palavras cruzadas nos Estados Unidos, decidiu fazer algo a respeito. "Eu estava com 700 pessoas que eram realmente boas em resolver palavras cruzadas e me incomodava ser tão terrível nisso. Decidi então escrever um programa de computador que daria o troco por mim", diz ele à BBC. E, finalmente, ele conseguiu. Após dez tentativas frustradas, Dr. Fill, como o programa é conhecido, acaba de ganhar sua primeira competição. Ele ficou em primeiro lugar no American Crossword Puzzle Tournament, o principal torneio de palavras cruzadas dos Estados Unidos. Dr. Fill foi treinado com uma massa de dados, incluindo um banco de dados gigante de pistas e respostas de palavras cruzadas retiradas da web. Foi ensinado ainda a pesquisar com velocidade possíveis empregos de palavras em uma grade de palavras cruzadas. Era, admite Ginsberg, um sistema bastante "primitivo". Mas, neste ano, ele recebeu uma ajuda. "Algumas semanas antes do evento, fui contatado por pessoas que trabalhavam em Berkeley que haviam construído um sistema de resposta de palavras cruzadas. Percebemos rapidamente que poderíamos combinar os dois." O professor Dan Klein, que lidera o Grupo de Processamento de Linguagem Natural na Universidade da Califórnia em Berkeley, explicou à BBC que estava procurando algo para unir a equipe durante o lockdown — e eles tiveram a ideia de criar um solucionador de palavras cruzadas. Quando soube do Dr. Fill, pensou que os dois sistemas poderiam estabelecer uma boa parceria. As palavras cruzadas podem enganar o mais inteligente dos humanos, mas como será que uma máquina se sairia? GETTY IMAGES via BBC "Nosso sistema apresentava uma compreensão mais ampla da linguagem, e o Dr. Fill era bom em como as respostas se combinam com outras pistas. São técnicas muito diferentes, mas que falam uma linguagem comum de probabilidades." Penne envenenado Pode parecer estranho pedir para uma inteligência artificial resolver palavras cruzadas, mas na verdade elas representam um playground muito fértil para o chamado machine learning (aprendizagem automática de computadores). Palavras cruzadas básicas que simplesmente exigem que alguém saiba a resposta são extremamente fáceis para uma inteligência artificial, que terá sido programada com grandes quantidades de informações de fontes disponíveis na web, como a Wikipedia. As cripto cruzadas (que usam números correspondentes a letras, em vez de perguntas) também são muito fáceis para uma máquina, porque contêm regras muito definidas e dicas para coisas como anagramas. Por outro lado, as palavras cruzadas no estilo americano exigem tanto conhecimento quanto um certo grau de pensamento lateral. Uma pergunta que Klein está particularmente orgulhoso de Dr. Fill ter acertado foi: "O prato de massa no centro de um assassinato misterioso." A resposta era "penne envenenado". "Isso não pode ser encontrado na Wikipedia", diz ele. Ginsberg concorda que as palavras cruzadas no estilo americano podem ser "brutalmente difíceis" para os computadores decifrarem. Dr. Fill cometeu apenas três erros em toda a competição, embora no final tenha vencido por uma pequena margem de diferença. Alguns exemplos de palavras cruzadas que a inteligência artificial enfrentou na competição YOUTUBE/MATT GINSBERG Ginsberg não recebeu o prêmio em dinheiro de US$ 3 mil, algo que ele afirma ter sido combinado de antemão e ser "a decisão certa". Ele reconhece que é complicado para os organizadores de competições, se tanto humanos quanto máquinas participarem do torneio. Felizmente, diz ele, a comunidade de palavras cruzadas é um "grupo maravilhoso". Embora os competidores possam fingir odiar a inteligência artificial adversária — vaiar Dr. Fill quando ele vai bem e vibrar quando ele vai mal —, no fundo ele acredita que os participantes estavam "realmente torcendo" por ele. Ele não tem certeza disso, já que o evento deste ano foi virtual, o que significa que ele não pôde ver nenhum dos competidores. Pelo mesmo motivo, no entanto, Dr. Fill foi capaz de se beneficiar de uma ajuda extra do computador, que normalmente não seria transportável. A conquista ganhou elogios da DeepMind, empresa líder em pesquisas de inteligência artificial e que está acostumada a ganhar jogos — é famosa por ter derrotado o melhor jogador de Go do mundo em 2016. "Parabéns a Ginsberg e à equipe de Berkeley. É uma conquista incrível e uma colaboração inspiradora, ver os principais pesquisadores de inteligência artificial combinando forças e ver poderosos blocos de construção de pesquisa e aprendizagem de inteligência artificial sendo empregados juntos", declarou Michael Bowling, pesquisador sênior da DeepMind e professor de ciência da computação da Universidade de Alberta, no Canadá. "Saber que há alguém melhor do que eu em palavras cruzadas não vai tirar meu prazer de tentar resolver uma delas às terças-feiras." Aprendendo de forma diferente A evolução em direção ao que é conhecido como inteligência artificial de propósito geral, em que uma máquina pode completar uma série de tarefas em vez de apenas ser boa em uma coisa, está muito longe, mas bastante avanço já foi feito. O processamento de linguagem natural, a especialidade do professor Klein, já alcançou feitos em cenários do mundo real tão diversos quanto tradução, reconhecimento de fala e possibilitando as conversas diárias que temos com assistentes de voz. Mas, de acordo com Klein, estamos apenas começando a compreender como as máquinas aprendem. "Nossa compreensão do que é fácil e do que é difícil para os computadores é mutável. As pessoas costumavam se surpreender com o fato de um computador poder competir no xadrez, mas agora achamos incrível que um ser humano possa competir contra uma máquina no xadrez." Segundo ele, a forma como um computador decide qual movimento fazer no jogo é uma combinação de "matemática, lógica e análise prospectiva", que provavelmente não é exatamente a mesma maneira que um ser humano consideraria o mesmo movimento. Ginsberg concorda que os humanos e as máquinas abordam os problemas sob diferentes perspectivas. "Dr. Fill resolve esses quebra-cabeças de maneira muito diferente da nossa. Ele está fazendo uma pesquisa gigantesca de todas as respostas possíveis." Essa diversidade é, na opinião dele, um "bom prenúncio" para o futuro. "Vamos resolver mais problemas com elas ao nosso lado do que somos capazes sozinhos. Vamos nos unir às máquinas para nosso benefício mútuo." Mas ele não tem planos de dominar o mundo, pelo menos por enquanto. "Dr. Fill é apenas um programa de palavras cruzadas e estou satisfeito com isso." Veja Mais

Análise: Antecipação da vacinação em SP dá força ao “trade da reabertura”

Valor Econômico - Finanças A antecipação do calendário de vacinação pelo governo de São Paulo pode ser mais um ingrediente no caldeirão de boas notícias que tem trazido otimismo ao mercado financeiro nos últimos dias. E pode até dar argumento para uma esticada adicional no preço das ações no pregão desta segunda-feira. O anúncio, que é hoje motivo de muita comemoração para a população, não chega a alterar de forma significativa o cenário que analistas financeiros já têm traçado para o ritmo de vacinação - que hoje é uma das principais variáveis monitoradas por quem toma decisão de investimento. Mas certamente servirá de argumento adicional para o tom positivo dos mercados, especialmente em uma semana em que se espera que o Federal Reserve - o banco central americano - indique a manutenção das condições de estímulo monetário nos Estados Unidos por mais algum tempo. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

"O ATLÉTICO MINEIRO É UM DOS FORTES CANDIDATOS A BRIGAR PELO TÍTULO"| DEPOIS DO JOGO

Band Sports Alex Müller projetou até onde a equipe do Galo pode chegar no Brasileirão. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

CRESPO: "O JOGO DE HOJE FOI DECIDIDO POR UM DETALHE"| DEPOIS DO JOGO

CRESPO:

Band Sports Técnico do São Paulo falou após a derrota do clube para o Atlético Mineiro, pelo Brasileirão. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

JULIO GOMES: "GABRIEL JESUS É UM JOGADOR MAIS COMPLETO QUE O GABIGOL"| DEPOIS DO JOGO

JULIO GOMES:

Band Sports Comentarista opinou sobre os dois atacantes da Seleção Brasileira. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

"O BRASIL ENFRENTOU UMA EQUIPE B DA VENEZUELA", AFIRMA JULIO GOMES| DEPOIS DO JOGO

Band Sports Jornalista destacou os desfalques por causa da covid-19 da equipe venezuelana na estreia da Copa América. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

Antônio Fagundes revela que está jogando The Last of Us 2

Antônio Fagundes revela que está jogando The Last of Us 2

Tecmundo Que o ator Antônio Fagundes é um amante e apreciador da arte dos videogames todo mundo já sabe. A novidade, desta vez, é que ele tem jogado The Last of Us: Parte II na pandemia.A revelação foi feita na noite deste domingo (13), durante o Domingão do Faustão, que está sendo apresentado por Tiago Leifert. Conhecido do público gamer, tendo já comandado o programa Zero 1, Leifert questionou o ator sobre o que ele andava jogando em casa.Leia mais... Veja Mais

‘Governo não aprendeu nada com a pandemia’: pesquisador alerta sobre efeitos da penúria na ciência brasileira

Glogo - Ciência Presidente da Associação Brasileira de Ciência, Luiz Davidovich diz que Brasil vive seu pior momento no financiamento da pesquisa científica. Redução de investimentos na ciência afeta duramente a capacidade do Brasil conquistar protagonismo internacional, alerta o presidente da ABC. Getty Images/BBC Nos últimos anos, o cientista Luiz Davidovich viu mais e mais pesquisadores brasileiros deixando o país em busca de oportunidades no exterior. "O êxodo na minha área, a física, está sendo muito maior agora do que anos atrás. Conheço ao menos cinco pesquisadores muito bons que saíram do país nos últimos dois ou três anos", relata Davidovich à BBC News Brasil. Especialistas da área pontuam que é difícil mensurar o tamanho atual desse fenômeno, conhecido como fuga de cérebros, porque não há dados oficiais sobre o tema. Apesar disso, afirmam que têm notado um aumento de jovens pesquisadores que partiram do país ou planejam fazer isso em breve. Presidente da Academia Brasileira de Ciência (ABC), Davidovich admite frustração ao ver o atual cenário da pesquisa no país. "Isso mata o futuro sustentável do país. São jovens pesquisadores, pessoas que trazem novas ideias. Esse pessoal vai realizar fora do país o investimento que o Brasil fez, em bolsas de pesquisa, mestrado ou doutorado, para educá-los. O Brasil está dando esses jovens de presente para outros países. E é um grande presente receber um pesquisador formado", declara. Para ele, a fuga de cérebros se torna um fenômeno inevitável diante da situação atual do Brasil em relação à ciência. Em 2021, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) terá o menor orçamento dos últimos anos. Valores fundamentais para a pasta estão contingenciados pelo governo federal e sem prazo para que sejam liberados. O Ministério da Educação (MEC) também sofre com cortes de recursos. Com orçamentos apertados, universidades públicas, onde são feitas grande parte das pesquisas brasileiras, vivem uma fase de incerteza em relação ao futuro. Davidovich avalia que o governo federal não aprendeu nada sobre a importância da ciência em meio à pandemia de Covid-19. Ele aponta que enquanto outros países decidiram aumentar os investimentos nesse setor, principalmente após a crise sanitária, o Brasil cortou recursos para a área. A ciência e a pandemia O MCTI tem, neste ano, pouco mais de R$ 2,7 bilhões em despesas discricionárias (recursos não são obrigatórios, que dependem da disponibilidade de verbas e são usados para áreas como as pesquisas). Desse total, pouco menos da metade é crédito suplementar — aquele que precisa de aprovação do Congresso. Quando comparado a um passado recente, o orçamento atual é preocupante. Em 2015, por exemplo, as despesas discricionárias do MCTI eram correspondentes a R$ 6,5 bilhões. Nos anos seguintes, os orçamentos diminuíram até chegar a 2021, que é, em valores corrigidos, o menor número desde então. Em contrapartida, os números de laboratórios, pesquisadores e insumos cresceram nos últimos anos com o avanço da graduação e pós-graduação no país. Mas agora essas pessoas que conquistaram graduação, mestrado ou doutorado enfrentam dificuldades para seguir na área da pesquisa. Especialistas têm classificado a situação atual da ciência brasileira como um "estado vegetativo". "O atual orçamento do MCTI se compara ao de 20 anos atrás. Ou seja, podemos dizer que ele recuou duas décadas", diz Davidovich. Fundamentais para o desenvolvimento da ciência no Brasil, as universidades federais tiveram redução de 37% na verba para despesas discricionárias (que incluem manutenção de laboratórios e apoio à pesquisa), 37% se comparadas às de 2010 corrigidas pela inflação, segundo levantamento feito pelo G1. Somente neste ano, segundo a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), houve corte de R$ 1 bilhão no repasse às universidades federais do país. O alerta de Davidovich é que sem investimento na ciência, tecnologia e inovação, o Brasil não terá capacidade para enfrentar futuras crises sanitárias e continuará dependendo intensamente de recursos externos. "Isso impacta diretamente no enfrentamento às pandemias. Na epidemia de zika (2015-2016) os recursos para a ciência eram maiores e conseguimos sucesso no combate à doença. Mas agora está cada vez mais difícil fazer isso", declara Davidovich à BBC News Brasil. "A falta de insumos para pesquisas nessa área da saúde é cada vez mais grave, como é possível ver agora na pandemia de covid-19. Temos novas cepas do coronavírus. Não podemos ficar dependentes de vacinas de estrangeiros para atacar essas cepas. Quando você produz vacinas, tem tecnologia e conhecimento para fazê-lo, você pode adaptar a vacina facilmente para enfrentar novas cepas." Os investimentos de outros países Cortes em recursos para a ciência e tecnologia afetam duramente a capacidade do Brasil de conquistar protagonismo internacional, alerta o presidente da ABC. De acordo com a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o Brasil investiu pouco mais de 1% do PIB em pesquisa e desenvolvimento em 2018. Países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) — como Alemanha, França, Itália, Estados Unidos, Reino Unido, entre outros —, da qual o Brasil almeja fazer parte, investem, em média, mais de 2% do Produto Interno Bruto (PIB) em pesquisa e desenvolvimento. Já países reconhecidamente inovadores, como Coreia do Sul e Israel, investem mais de 4% na área. Davidovich ressalta que um dos pontos que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ressaltou quando assumiu o cargo foi que a área da ciência e tecnologia receberia alto investimento durante seu governo. Atual cenário da ciência e tecnologia no Brasil é considerado preocupante por especialistas GETTY IMAGES/BBC "Os Estados Unidos devem investir de 2,7% a 3% do PIB na ciência. O Biden mandou agora, para o Congresso norte-americano, um orçamento assombroso de centenas de bilhões de dólares para a pesquisa de desenvolvimento', diz. "O que ocorre frequentemente é que as empresas americanas pressionam o governo para financiar pesquisas básicas, que são feitas em universidades. Essas pesquisas favorecem as indústrias, que não precisam desenvolver o básico, apenas os frutos desses conhecimentos. É uma estratégia que tem dado certo nos EUA", acrescenta. Ele ressalta que a China, principal adversária global dos EUA, também decidiu aumentar os investimentos para a área de educação e ciência neste ano. "A grande guerra hoje em dia não é por bomba atômica ou algo assim. É a guerra da rede 5G de internet móvel entre os Estados Unidos e a China. É uma guerra da tecnologia. O mundo hoje mudou e está fortemente ligado ao conhecimento", assevera. O Brasil está na contramão desse movimento, opina Davidovich, porque o governo acredita que o investimento nessa área é puramente gasto e não considera que o retorno surge a longo prazo. "As estimativas apontam que o Brasil investiu menos de 1% do PIB em pesquisa e desenvolvimento no ano passado. Está muito abaixo desses países no investimento nessa área, se analisarmos em termos de PIB", diz o cientista. "Esses países que têm investido muito em ciência já entenderam há bastante tempo que a economia deles depende fortemente de inovação e que essa inovação está ligada à ciência e tecnologia." Sem prioridade para a ciência no Brasil, o país abre espaço para que os cientistas busquem nações que tenham alto investimento em pesquisa. "Nós estamos perdendo jovens cientistas para outros países. Será que podemos perder? Será que temos um grande número de cérebros e podemos dispensar alguns? A resposta é não. Os dados mais atuais do Banco Mundial indicam que o Brasil tem 880 pesquisadores por milhão de habitantes. A Argentina, nossa vizinha, tem 1,2 mil por milhão. E os países da OCDE têm entre 3,5 mil a 4 mil pesquisadores por milhão", detalha Davidovich. Recurso contingenciado Um motivo que faz com que a ciência brasileira enfrente uma fase extremamente difícil é o contingenciamento de R$ 5,1 bilhões. Esse valor é referente a cerca de 90% do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), uma das principais fontes de recursos da ciência e tecnologia no país. O FNDCT é obtido por meio de impostos e tributações de setores que exploram recursos naturais e outros bens da União. Há décadas, parte desse recurso é bloqueado. "Esse contingenciamento foi diminuindo aos poucos durante o governo Lula e chegou a ser encerrado. Mas depois, no governo seguinte, foi retomado", relata Davidovich. Ele ressalta que nunca houve um bloqueio como agora. "Esse contingenciamento de 90% é o mais alto das últimas décadas", diz. Os cerca de 90% do FNDCT deste ano foram guardados em uma reserva de contingência sob o argumento de que a liberação total desse valor ultrapassaria o teto de gastos do MCTI. Desde meados do ano passado, entidades ligadas à ciência iniciaram um movimento para impedir o bloqueio do FNDCT. Elas alegaram que os recursos do fundo são necessários para o avanço da ciência e tecnologia. As manifestações das entidades culminaram em uma lei complementar, promulgada no fim de março, que proibiu o Executivo de bloquear o FNDCT. A medida foi comemorada pelas entidades que lutam pela ciência, mas logo se tornou um problema: a Lei Orçamentária Anual (LOA) 2021 foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro com os R$ 5 bilhões do fundo contingenciados. A lei complementar foi publicada no Diário Oficial pouco após a sanção da LOA pelo Congresso. Quando Bolsonaro sancionou o Orçamento, a lei já estava em vigor. Porém, o presidente ignorou a medida e manteve o bloqueio do FNDCT. Entidades relacionadas à ciência e tecnologia se manifestaram contra o contingenciamento de Bolsonaro e cobraram a liberação do fundo. No fim de maio, essas entidades divulgaram uma carta na qual pediram que os R$ 5,1 bilhões fossem "imediatamente e integralmente liberados para a função estabelecida em lei, que é o financiamento da pesquisa científica e tecnológica". "Os avanços da ciência, tecnologia e inovação têm se mostrado imprescindíveis para a superação da crise sanitária, econômica e social, em razão da pandemia de covid-19", diz trecho da carta. "O sistema nacional de ciência e tecnologia, consolidado nas últimas décadas, está em vias de colapso. Os sucessivos cortes orçamentários precarizam universidades e institutos de pesquisa, afetando seriamente a pesquisa realizada nessas instituições e a formação adequada de profissionais. O investimento escasso em P&D (pesquisa e desenvolvimento) prejudica a inovação e a recuperação da economia", acrescenta a carta. Durante uma recente sessão conjunta no Congresso Nacional, deputados e senadores aprovaram um projeto de lei que abre crédito suplementar de R$ 1,88 bilhão para financiar projetos de desenvolvimento tecnológico de empresas, por meio do FNDCT. Na mesma sessão também foi aprovado um projeto de lei para liberar R$ 415 milhões do fundo para custear testes clínicos de vacinas nacionais contra a covid-19. Mas Davidovich alerta que desse montante liberado, somente R$ 415 milhões não são reembolsáveis. Já o R$ 1,88 bilhão deve ser devolvido posteriormente aos cofres públicos. "Esse recurso (de R$ 1,88 bilhão) é empréstimo. As empresas precisam devolver, depois de algum tempo, para o governo com juros. Esse dinheiro para crédito não tem sido usado pelas empresas porque os juros são altos demais. Elas conseguem empréstimos a juros menores em outros lugares", explica o cientista. "Para ter uma ideia, a Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) tem bilhões de reais de créditos desses, de anos anteriores, porque não consegue gastar. As empresas inovadoras não querem esses recursos, elas querem a subvenção, que faz parte dos recursos não reembolsáveis, que realmente são importantes para a ciência e inovação. E que não estão sendo liberados", acrescenta o presidente da ABC. Para o cientista, dificilmente o R$ 1,88 bilhão será usado. "Quando o governo diz que liberou esse R$ 1,8 bilhão do FNDCT para crédito, está dizendo: olha, vou colocar esse dinheiro para falar que estou liberando, mas no fim do ano, como esse dinheiro não será emprestado, ele vai ter que ser devolvido ao tesouro. É como se o governo estivesse dando com uma mão e tirando com a outra", declara. Ainda não há prazo para desbloqueio dos R$ 2,8 bilhões do FNDCT que continuam contingenciados. Especialistas afirmam que esse valor não será reembolsável. Em nota á BBC News Brasil, o Ministério da Economia não informou se há um prazo para a liberação de todo o recurso do FNDCT. A pasta argumenta que faz avaliações de receitas e despesas bimestralmente e, com base nisso, faz realocações de recursos. No caso do fundo, o MCTI precisará definir como esse recurso será aplicado, respeitando os limites do teto de gastos. Apesar de a liberação integral do FNDCT ser considerada fundamental para a ciência, especialistas ressaltam que o recurso por si só não será capaz de solucionar a crise na área da ciência e tecnologia. Eles ressaltam que também é importante que haja mais investimentos por parte do governo federal para que o setor possa avançar. Um dos problemas para a ciência brasileira, avaliam especialistas, é a regra do teto de gastos governamentais, adotada durante o governo Michel Temer (MDB). "O teto de gastos certamente se tornou um problema e isso está na raiz dele. O pecado original do teto é igualar gastos correntes com investimentos. São coisas muito diferentes, até porque gastos correntes entram como despesas na matriz econômica. Os investimentos deveriam entrar como ganhos futuros, mas não são vistos assim", diz Davidovich. Cientista afirma que governo Bolsonaro não aprendeu sobre a importância da ciência durante a pandemia ASCOM ABC/BBC "O investimento na pesquisa traz retorno ao país. Por exemplo, cada real colocado na Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) traz retorno de R$ 10 a R$ 15 a mais no futuro. Mas o teto de gastos, desde o início, não faz essa distinção", acrescenta. Além do teto de gastos, o especialista ressalta que as dificuldades atuais relacionadas à ciência e tecnologia ocorrem porque não existe interesse do governo de Jair Bolsonaro em dar atenção ao setor. Os impactos da atual situação O orçamento reduzido para a ciência e tecnologia afeta todos os setores da ciência e tecnologia, detalha o presidente da ABC. Ele pontua que muitos equipamentos de laboratórios ficaram obsoletos durante a pandemia, por não terem sido usados. Em razão disso, precisam ser consertados, mas não há garantia de recursos para isso. Outro problema, relata Davidovich, é a aquisição de insumos. Ele conta que a taxa de importação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), vinculado ao MCTI, caiu de US$ 300 milhões no ano passado para cerca de US$ 93 milhões neste ano. "Como consequência disso, há laboratórios parando porque faltam insumos. É um desperdício no país, porque pesquisas foram financiadas com recursos públicos e, de repente, não podem continuar porque não tem como importar insumos", diz. Ainda entre as dificuldades também há a redução de bolsas concedidas pelo CNPq e pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), vinculada ao MEC. "A conta de bolsas para o CNPq não fecha até o fim do ano. Então vão ser necessários recursos adicionais. Essas bolsas são fundamentais para muitos pesquisadores. Sem bolsas, muitas pessoas vão ter que interromper seus projetos", diz. "Vão faltar recursos para importações e para bolsas de pesquisadores. Então, os projetos vão ser suspensos e isso prejudica a economia do país, porque muitas dessas pesquisas são feitas em colaboração com a indústria", explica o presidente da ABC. As dificuldades na área da ciência e tecnologia têm preocupado a Confederação Nacional da Indústria (CNI), que tem atuado junto com entidades ligadas à ciência pela liberação do FNDTC. Davidovich ressalta que as dificuldades na área da ciência e tecnologia afetam a economia em geral. "Costumo dizer que a economia é importante demais para ficar apenas nas mãos dos economistas. A economia não é uma ciência exata e é facilmente ligada à política", diz. "Não existe apenas um caminho para a economia, ela envolve opções políticas. E a política econômica adotada atualmente não está privilegiando, por exemplo, o capital produtivo. Ela tem privilegiado o capital financeiro. O mercado financeiro também faz parte do sistema, mas ele por si só não produz riqueza." Ele comenta que uma área muito afetada pela falta de investimentos na ciência é a de pesquisas relacionadas diretamente à biodiversidade. "O Brasil tem Amazônia, Cerrado, Pantanal… Essa biodiversidade pode, por exemplo, ser fonte de novos medicamentos e garantir remédios para várias doenças com preços muito mais baratos", acrescenta Davidovich. "Por exemplo, há um anti-inflamatório e antioxidante poderoso que é produzido em um laboratório da Suíça e é vendido no Brasil por R$ 1,2 mil cada miligrama. Esse produto vem de uma planta da Amazônia. O Brasil poderia estar vendendo por esse preço lá fora e mais barato aqui. Podemos baratear medicamentos e exportar, mas precisamos de indústria para escala de produção e de pesquisas", diz. "Há um ciclo que envolve a academia e a indústria que permitiria o barateamento de medicamentos novos. E isso agrega valor comercial ao país por meio de novos remédios." Os impactos desses cortes são diversos e afetam praticamente todas as áreas de pesquisa, destaca o cientista. "Isso está atingindo, por exemplo, a Embrapa (que é fundamental para desenvolver técnicas para a agropecuária). Outra área é a capacidade computacional do Brasil, que é necessária para várias áreas, inclusive a Defesa Nacional, mas estamos defasados por falta de investimentos", diz. A BBC News Brasil questionou o MCTI sobre os impactos do atual orçamento da pasta para a pesquisa em todo o país. Porém, o ministério não respondeu até a publicação deste texto. 'Temos o pior de dois mundos' Davidovich concluiu a graduação em física há mais de 50 anos e desde essa época atua na área de pesquisa relacionada à física quântica. Em meados da década de 70 se tornou doutor em física, após concluir os estudos na Universidade de Rochester, nos Estados Unidos. Atuando há mais de cinco décadas na ciência, ele não acreditava que presenciaria uma fase tão complicada como a atual. "Durante a ditadura militar nós tivemos fortes investimentos em pesquisas. Foi nesse período que foram fundadas a Embrapa, a Embraer e a Finep. Então havia um projeto nacional para a ciência. Porém, havia um ataque por questões ideológicas. Nós tínhamos recursos, mas, por outro lado, havia uma questão política muito importante", declara. "Agora temos o pior dos mundos: não temos recursos e, além disso, temos ataques à ciência. Esses ataques ocorrem de várias formas. Primeiro pelo negacionismo da ciência, como na insistência pelo uso de medicamentos que já foram comprovados que são ineficazes para combater a covid-19 (como a hidroxicloroquina). Além disso, há ataques frequentes a pesquisadores e professores", diz o cientista. Apesar das dificuldades, ele relata ter notado que muitas pessoas passaram a aprender mais sobre a importância da ciência durante a pandemia. "A população viu que a ciência é importante, as pessoas saem da vacinação e agradecem ao SUS (Sistema Único de Saúde). Então, a população está vendo (a importância da ciência)", diz. "Agora, o governo está vendo essa importância? Me parece que não", declara Davidovich. "Há uma simultaneidade, infelizmente. Há uma pandemia e também há o corte de orçamento para a ciência e tecnologia. Isso é um contrassenso. É um paradoxo." Veja Mais

Protesto

em - Internacional Veja Mais

G7 apoia taxa mínima global para multinacionais e buscará acordo no G20

Valor Econômico - Finanças Taxa de 15% deve atingir especialmente as gigantes de tecnologia Em seu comunicado final, os líderes do G7 apoiaram a proposta dos ministros de Finanças do bloco de criar um imposto mínimo global de 15% para as multinacionais, em  especial as gigantes de tecnologia americanas como Google, Facebook, Apple e Amazon, e prometeram aprofundar o debate sobre a medida. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

E3 2021: venha conferir a live da Warner e PC Gaming Show no Voxel!

E3 2021: venha conferir a live da Warner e PC Gaming Show no Voxel!

Tecmundo Achou que a E3 2021 já parou por hoje depois de tantos anúncios o dia todo? Achou errado! Agora é a vez da Warner Bros. Games e PC Gaming Show! Então convido a todos para continuarem a acompanhar esse evento maravilhoso com a galera do Voxel, com a participação de Bruno Micali, Ruan Segretti, Vinicius Munhoz, Felipe Goldenboy e Bela Campos!Leia mais... Veja Mais

Final Fantasy Pixel Remaster é nova coletânea para PC e celulares

Final Fantasy Pixel Remaster é nova coletânea para PC e celulares

Tecmundo A Square Enix anunciou, neste domingo (13), durante a E3 2021, a coletânea Final Fantasy Pixel Remaster. O jogo compila do 1º até o 6º jogo da série numerada da franquia de RPG e chega em breve para PC (Steam) e celulares Android e iOS.Leia mais... Veja Mais

Como mudar o teclado padrão do iPhone

canaltech Existe uma série de aplicativos na App Store que fornecem novos teclados ao iPhone, sendo que os mais conhecidos são o Gboard (o teclado do Google, que já oferecia GIFs muito antes das atualizações do iOS e do WhatsApp, por exemplo), o Grammarly (para escrever em inglês, com sugestões inteligentes de correção na gramática) e o SwiftKey (um teclado inteligente que "aprende" o seu estilo de escrita e te ajuda a digitar de forma mais rápida e prática). Como escrever deslizando o dedo no teclado do iPhone e do iPad 10 recursos de acessibilidade do iOS para você testar Como desativar letras maiúsculas automáticas no iPhone Isto sem mencionar o teclado de Emoji, que requer ativação nos ajustes para poder ser utilizado, e os teclados de idiomas diferentes, que podem ser adicionados para facilitar o uso de acentos e caracteres especiais daquele determinado idioma. Como baixar dicionários no iPhone e no iPad Teclado do Google: como usar o Gboard no iPhone Como desativar a correção automática do teclado no iPhone e iPad Com tantas opções de teclados diferentes, qual é o definido como padrão do seu iPhone? É possível manter vários ativados e ir alternando entre eles conforme troca de aplicativos em seu dispositivo, mas você pode definir nos ajustes qual deles é o seu principal teclado de uso. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Veja como alterar e definir o teclado padrão do seu iPhone: Passo 1: nos Ajustes do seu iPhone, entre em "Geral". Vá em Ajustes > Geral. Captura de tela: Lucas Wetten (Canaltech) Passo 2: desça a tela e encontre a opção de "Teclado". Clique na opção de Teclado. Captura de tela: Lucas Wetten (Canaltech) Passo 3: logo no topo da tela, selecione "Teclados". Entre em Teclados. Captura de tela: Lucas Wetten (Canaltech) Passo 4: aqui você vai encontrar listados todos os teclados ativados no seu iPhone. No topo direito da tela, clique em "Editar". Clique para editar a lista de teclados. Captura de tela: Lucas Wetten (Canaltech) Passo 5: clique e segure para arrastar o teclado de sua preferência para o topo da lista e defini-lo como padrão do seu iPhone. Caso prefira, você pode também remover algum dos teclados ativados, clicando no ícone vermelho ao lado esquerdo do nome de cada um. Reordene os teclados do seu iPhone e defina o padrão, colocando-o no topo da lista. Captura de tela: Lucas Wetten (Canaltech) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Quanto custa assinar todos os streamings no Brasil? Equipe de Indiana Jones 5 está sendo assombrada em castelo na Inglaterra Esta espécie foi ressuscitada e pôde se reproduzir após 24 mil anos congelada O céu (não) é o limite | Cadáver espacial, fotos do rover chinês em Marte e mais 5 filmes que você precisa assistir antes de Luca, nova animação da Pixar Veja Mais

Final Fantasy VII: The First Soldier, battle royale de FF, ganha trailer

Final Fantasy VII: The First Soldier, battle royale de FF, ganha trailer

Tecmundo Durante a Square Enix Presents, evento da E3 2021, a publisher revelou um novo trailer de Final Fantasy VII: The First Soldier, o jogo battle royale de celulares no universo de Final Fantasy 7.Leia mais... Veja Mais

Marvel Guardians of the Galaxy é anunciado pela Eidos-Montréal

Marvel Guardians of the Galaxy é anunciado pela Eidos-Montréal

Tecmundo A Square Enix já tinha prometido uma grande revelação para essa E3 2021 através da Eidos Montréal, e agora o estúdio revelou o jogo Marvel Guardians of the Galaxy! O mais legal é que, além de conhecermos o jogo, seu gameplay e temas, já temos até uma data de lançamento!O game oficial dos Guardiões da Galáxia chega no dia 26 de outubro de 2021 para PC, Xbox Series X|S, Xbox One, PlayStation 5 e PS4. A convite da produtora, tivemos a oportunidade de conferir uma apresentação exclusiva com pouco mais de meia hora de informações sobre esse ambicioso projeto, e você confere tudo a seguir!Leia mais... Veja Mais

Cobiçada, UniCesumar resiste à venda

Valor Econômico - Finanças Universidade do Paraná tem 334 mil alunos em cursos on-line e medicina, segmentos que mais crescem no ensino superior Com cerca de 90% de seus alunos matriculados em ensino a distância e a outra fatia distribuída em cursos presenciais, com destaque para medicina, a Unicesumar, instituição de ensino do Paraná, é alvo cada vez maior dos investidores por atuar nos dois segmentos da educação superior que mais crescem. “De fato, somos muito assediados e nossa postura sempre foi de conversar, estamos abertos a conversas com grupos qualificados. Mas não estamos à venda”, disse Wilson de Matos Filho, vice-reitor e um dos sócios da UniCesumar. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

"FALTOU AO TSITSIPAS ARRISCAR UM POUCO MAIS NO TERCEIRO SET"| ACE BANDSPORTS

Band Sports Dadá Vieira ressaltou que sabendo do retrospecto de viradas de Djokovic, o grego deveria ter tentado fechar a partida. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

"QUEM GANHA INCOMODA", DISPARA FLÁVIO SARETTA|ACE BANDSPORTS

Band Sports Comentarista opinou sobre as criticas que Djokovic sofreu por ter ido ao vestiário após a perda do segundo set. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

Paes considera antecipar fim de vacinação de toda população do Rio para setembro

Valor Econômico - Finanças O prefeito do Rio, Eduardo Paes, afirmou neste domingo (13) estar otimista com a possibilidade de antecipar em um mês a conclusão da vacinação de toda a população da cidade acima dos 18 anos, atualmente prevista para outubro. Sem confirmar qualquer mudança no calendário divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, ele esclareceu que o ritmo de chegada de vacinas tem permitido a antecipação da imunização dos grupos etários, justificando esse cenário otimista. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

ALEX: "GRÊMIO TEM UM TIME PARA FAZER UMA CAMPANHA DE LIBERTADORES"| DEPOIS DO JOGO

ALEX:

Band Sports Jornalista projetou até onde o Imortal pode chegar no Campeonato Brasileiro. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

JULIO GOMES: "O NEYMAR É O JOGADOR QUE MAIS ASSUSTA ADVERSÁRIO"| DEPOIS DO JOGO

JULIO GOMES:

Band Sports Jornalista comentou sobre a capacidade técnica do atacante da Seleção Brasileira. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

Sonic Colors: Ultimate ganha trailer de gameplay frenético

Sonic Colors: Ultimate ganha trailer de gameplay frenético

Tecmundo A SEGA revelou, neste domingo (13), durante a E3 2021, um novo vídeo com gameplay de Sonic Colors: Ultimate. O conteúdo mostra um pouco mais de como será a transição entre os ambientes 2D e 3D e a ação frenética das fases do ouriço azul.Leia mais... Veja Mais

Covid-19: Com mais 1.118 mortes em 24h, Brasil atinge 487.476 óbitos, diz consórcio de imprensa

Valor Econômico - Finanças O Brasil registrou 1.118 novas mortes por covid-19 e 36.998 novos casos da doença nas últimas 24 horas até a divulgação do balanço do consórcio de veículos de imprensa às 20h deste domingo (13). Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Final Fantasy Pixel Remaster: 6 originais chegam jogos no mobile e PC

Final Fantasy Pixel Remaster: 6 originais chegam jogos no mobile e PC

Tecmundo Durante a apresentação da Square Enix na E3 2021, a distribuidora revelou Final Fantasy Pixel Remaster, que parece ser uma coletânea que traz os seis primeiros jogos da franquia com tratamento "remasterizado" para PC e mobile (Android e iOS).Leia mais... Veja Mais

Brasil registra média móvel de 1.997 mortes por Covid na última semana; total passa de 487 mil

Glogo - Ciência País contabiliza 487.476 óbitos e 17.413.996 casos, segundo balanço do consórcio de veículos de imprensa com dados das secretarias de Saúde. Foram 1.118 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas. Média móvel de mortes por covid volta a se aproximar de 2 mil óbitos por dia O Brasil registrou 1.118 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando neste domingo (13) 487.476 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias chegou a 1.997. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +8% e indica tendência de estabilidade nos óbitos decorrentes do vírus. É o 25º dia seguido de estabilidade na comparação com duas semanas atrás. Isso significa que o ritmo atual das mortes por Covid tem se assemelhado mais a um platô do que a uma queda ou a um aumento na curva, e isso em patamar bastante elevado. Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h deste domingo. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde. Veja a sequência da última semana na média móvel: Evolução da média móvel de óbitos por Covid no Brasil na última semana Editoria de Arte/G1 Segunda (7): 1.664 Terça (8): 1.714 Quarta (9): 1.727 Quinta (10): 1.764 Sexta (11): 1.912 Sábado (12): 1.961 Domingo (13): 1.997 São agora 34 dias com a média de mortes abaixo da marca de 2 mil. De 17 de março até 10 de maio, foram 55 dias seguidos com essa média acima de 2 mil. No pior momento desse período, a média chegou ao recorde de 3.125, no dia 12 de abril. Sete estados aparecem com tendência de alta nas mortes: AM, PR, RS, RJ, AP, PB e RN Oficialmente, o Ceará não registrou nenhuma morte por Covid hoje. A Secretaria de Saúde do estado diz que não sabe se isso ainda é reflexo da instabilidade no sistema de coleta de dados, notada nesta sexta-feira (11). Ainda segundo a secretaria, caso tenham ocorrido mortes por Covid, esses dados podem aparecer nos próximos dias. O estado de Roraima não divulgou novos dados de mortes neste domingo. Segundo a secretaria, o sistema estadual que centraliza os números de óbitos não é alimentado pelos municípios em fins de semana e feriados. Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 17.413.996 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 36.998 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 66.842 novos diagnósticos por dia. Isso representa uma variação de +10% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de estabilidade também nos diagnósticos. Mortes e casos de coronavírus no Brasil e nos estados Mortes e casos por cidade Veja como está a vacinação no seu estado Brasil, 13 de junho Total de mortes: 487.476 Registro de mortes em 24 horas: 1.118 Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 1.997 por dia (variação em 14 dias: +8%) Total de casos confirmados: 17.413.996 Registro de casos confirmados em 24 horas: 36.998 Média de novos casos nos últimos 7 dias: 66.842 por dia (variação em 14 dias: +10%) Estados Subindo (7 estados): AM, PR, RS, RJ, AP, PB e RN Em estabilidade (16 estados): SC, ES, MG, SP, GO, MS, MT, AC, PA, AL, BA, MA, PE, PI e SE Em queda (3 estados e o DF): DF, RO, TO e CE Não divulgou (1 estado): RR Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo G1 para analisar as tendências da pandemia). Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados. Vacinação Mais de 54,6 milhões de pessoas tomaram a primeira dose de vacinas contra a Covid no Brasil. Os dados do consórcio de veículos de imprensa, divulgado às 20h deste domingo (13), apontam 54.607.404 primeiras doses aplicadas, o que corresponde a 25,79% da população. Já a segunda dose foi aplicada em 23.659.355, o que dá 11,17% da população. No total, somando a primeira e a segunda doses, 78.266.759 doses da vacina foram aplicadas. Veja a variação das mortes por estado Sul PR: +24% RS: +21% SC: -11% Sudeste ES: -11% MG: +11% RJ: +40% SP: +1% Centro-Oeste DF: -17% GO: +14% MS: +10% MT: +5% Norte AC: +10% AM: +43% AP: +30% PA: +13% RO: -24% RR: o estado não divulgou novos dados até as 20h. Considerando os dados até as 20h de sexta (11), estava em -15% (estabilidade) TO: -22% Nordeste AL: +13% BA: +3% CE: -26% MA: +10% PB: +25% PE: +14% PI: +1% RN: +39% SE: -2% Brasil Sul Sudeste Centro-Oeste Norte Nordeste Consórcio de veículos de imprensa Os dados sobre casos e mortes de coronavírus no Brasil foram obtidos após uma parceria inédita entre G1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL, que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal (saiba mais). Veja vídeos de novidades sobre vacinas contra a Covid-19: Veja Mais

Naraka Bladepoint chega em agosto e terá Beta aberto em breve

Naraka Bladepoint chega em agosto e terá Beta aberto em breve

Tecmundo Durante a PC Gaming Show da E3 2021, a desenvolvedora de Naraka: Bladepoint divulgou que o battle royale que explodiu na Steam recentemente ganhou uma data de lançamento  para o dia 12 de agosto de 2021. Além disso, o game terá um Beta aberto entre 16 e 22 de junho.Leia mais... Veja Mais

Demo de Stranger of Paradise: Final Fantasy Origin no PS5 está corrompida

Demo de Stranger of Paradise: Final Fantasy Origin no PS5 está corrompida

Tecmundo Hoje (13), tivemos o anúncio do Souls-like da Square Enix Stranger of Paradise: Final Fantasy Origin, e disponibilizaram a demo gratuita do game para PS5. Porém, parece que quem baixou está recebendo a mensagem de 'Dados Corrompidos', até mesmo o Jason Schreier e o insider Nibel. Confira a seguir:CHAOS pic.twitter.com/PHBbsnuFyoLeia mais... Veja Mais

Microsoft + Bethesda: resumão da apresentação na E3 2021

Microsoft + Bethesda: resumão da apresentação na E3 2021

Tecmundo E finalmente a conferência mais megalomaniaca da E3 aconteceu. A Microsoft arrebentou com a conferência da Xbox + Bethesda, apresentando um caminhão de novidades e nós fizemos um resumão com tudo o que foi apresentado.Leia mais... Veja Mais

Decisão do STF sobre “revisão da vida toda” é adiada

Valor Econômico - Finanças Aposentados enfrentam novamente a possibilidade de ver uma tese julgada a seu favor no STJ ser reformada pelo STF Os aposentados enfrentam novamente a possibilidade de ver uma tese julgada a seu favor no Superior Tribunal de Justiça (STJ) ser reformada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Faltando apenas um voto para a conclusão do julgamento sobre a “revisão da vida toda” para o cálculo do benefício previdenciário, um pedido de vista suspendeu o fim da análise da tese pela Corte. Cinco ministros votaram a favor do pedido do grupo de aposentados e cinco em sentido contrário. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Chegada

em - Internacional Veja Mais

STF mantém quebra de sigilo de coordenadora do PNI

O Tempo - Política Francieli Fantinato entrou com ação para impedir o procedimento Veja Mais

O que esperar da reunião do Fed nesta semana

Valor Econômico - Finanças Enquanto o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) realiza sua reunião regular de política monetária nesta semana, mais uma vez os analistas e investidores deveriam virar o clichê da era Nixon e observar o que eles dizem, não o que fazem. O que todos querem saber é se o painel finalmente começou a falar sobre o afastamento de sua política monetária ultraflexível. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Governo desviou R$ 52 mi de publicidade da Covid para propaganda de suas ações

O Tempo - Política ​Os recursos foram alocados pela medida provisória 942, de abril de 2020 Veja Mais

Oposição aciona TCU e MPF contra governo por desvio de verba para campanha contra covid-19

Valor Econômico - Finanças Deputado Alessandro Molon disse que pedidos de impeachment serão aditados com a informação Os partidos de oposição vão representar contra o governo Bolsonaro no Tribunal de Contas da União (TCU) e no Ministério Público Federal (MPF) contra o desvio de verbas que deveriam ter sido destinadas a campanhas publicitárias de orientação à população contra a covid-19. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

QUEM TERMINA 2021 COM MAIS TÍTULOS DE GRAND SLAM? COMENTARISTAS OPINAM| ACE BANDSPORTS

QUEM TERMINA 2021 COM MAIS TÍTULOS DE GRAND SLAM? COMENTARISTAS OPINAM| ACE BANDSPORTS

Band Sports Novak Djokovic chegou a 19 troféus, após conquistar o segundo Major do ano. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

Replaced: indie cyberpunk será lançado em 2022

Replaced: indie cyberpunk será lançado em 2022

Tecmundo Um novo jogo indie com temática cyberpunk foi anunciado durante a conferência da Xbox + Bethesda na 3E 2021. Replaced tem um visual pixelado, conta com uma iluminação linda e uma gameplay com um combate free-flow.Leia mais... Veja Mais

Jornalista Edison Veiga perscruta a vida de Santo Antônio de Pádua

O Tempo - Diversão - Magazine Livro repassa a história do intelectual português que se chamava Fernanda, e que se tornou o santo mais querido do Brasil Veja Mais

Parlamento de Israel aprova novo premiê e põe fim a era Netanyahu

Valor Econômico - Finanças Ultradireitista Naftali Bennett recebeu 60 votos a favor e 50 contra Depois de mais de uma década no comando de Israel, o premiê com a trajetória mais longeva do país, Binyamin Netanyahu, 71, deixou o cargo. O Parlamento aprovou neste domingo, 13, por 60 votos a favor e 50 contrários, o nome do ultradireitista Naftali Bennett como seu sucessor –a Casa tem 120 cadeiras, e um dos integrantes se absteve. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

G7 promete doar 1 bilhão de vacinas contra a Covid-19 até 2022

O Tempo - Mundo O compromisso consta na declaração final do encontro de cúpula, ocorrido na Baía de Carbis, na Cornualha, sudoeste do Reino Unido Veja Mais

"NÃO SEI O QUE MAIS O ROGÉRIO PRECISA FAZER PARA O TORCEDOR ACEITÁ-LO"| DEPOIS DO JOGO

Band Sports Alex Müller destacou que não entende o receio que os torcedores do Flamengo têm com seu treinador. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

"É O PIOR INÍCIO DO SÃO PAULO NA HISTÓRIA DOS PONTOS CORRIDOS"| DEPOIS DO JOGO

Band Sports Julio Gomes destacou o péssimo começo do Tricolor Paulista, que em três jogos somou apenas um ponto no Brasileirão. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

"NÃO VEJO A LUCAS PAQUETÁ COM PEGADA DE ASSUMIR A TITULARIDADE"| DEPOIS DO JOGO

Band Sports Alex Müller salientou que não vê o meia do Lyon, neste momento, capaz de ser titular da Seleção Brasileira em uma Copa do Mundo. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

"BRASIL NÃO FEZ MAIS QUE SUA OBRIGAÇÃO, MAS FEZ O QUE TINHA QUE FAZER"| DEPOIS DO JOGO

Band Sports Alex Müller elogiou o desempenho da Seleção Brasileira na estreia da Copa América. Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos siga também na redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/ Twitter: https://twitter.com/bandsports Facebook: https://www.facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

Joe Biden obtém do G7 comunicado mais duro sobre a China

O Tempo - Mundo No comunicado do grupo de potências industrializadas, o país asiático é citado diretamente cinco vezes Veja Mais

Langoni se considerava ‘Chicago grandfather’ e era autêntico liberal, com visão social, diz Castello Branco

Valor Econômico - Finanças Roberto Castello Branco, conselheiro da Vale e ex-presidente da Petrobras, lamentou neste domingo a morte de Carlos Langoni e afirmou que o economista era “um autêntico liberal, sempre com visão social”. Ele contou que Langoni se apresentava como “um Chicago grandfather”, referência à alcunha de “Chicago boys” atribuída aos economistas com doutorado na Universidade de Chicago. O ex-presidente do Banco Central foi o primeiro brasileiro a obter o doutorado em economia na Universidade de Chicago, em 1970. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Covid-19: com mais 1.129 mortes em 24h, Brasil atinge 487.401 óbitos, diz Ministério da Saúde

Valor Econômico - Finanças O Brasil registrou 1.129 mortes por covid-19 confirmadas nas últimas 24 horas e 37 mil novos casos da doença, segundo boletim do Ministério da Saúde divulgado neste domingo. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Como utilizar dados para antecipar tendências?

Como utilizar dados para antecipar tendências?

Tecmundo É impossível fazer marketing hoje sem se basear em dados. Tudo o que funciona atualmente e tudo que vai funcionar futuramente precisa deles. Encontrar esse “futuro” é o que toda marca busca: identificar o sucesso e se preparar para ele antes de qualquer concorrente. Será, então, que é possível utilizar os dados também para antecipar tendências?Resumidamente, a resposta é "sim". Mas para conseguir isso, é preciso ficar claro que não existe fórmula pronta e há a necessidade de empenhar muito trabalho baseado em dois pilares: dados de público e de mercado.Leia mais... Veja Mais

Moraes autoriza blogueiro bolsonarista em prisão domiciliar ir a culto evangélico

Valor Econômico - Finanças Oswaldo Eustáquio é investigado por postagens que desinformam sobre o sistema eleitoral O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes concedeu permissão para que o blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio compareça a um culto evangélico em Taguatinga, cidade a 20 quilômetros do centro da capital federal. Segundo a decisão, ele poderá sair de casa neste domingo, das 18h30 às 20h30. O uso de tornozeleira eletrônica é obrigatório para monitoramento. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Stranger of Paradise: Final Fantasy Origin é anunciado e chega em 2022

Stranger of Paradise: Final Fantasy Origin é anunciado e chega em 2022

Tecmundo Hoje (13), durante a apresentação da E3 2021 da Square Enix foi revelado o Stranger of Paradise: Final Fantasy Origin, um novo game Souls-like com colaboração da Koei Tecmo e Team Ninja, inspirado no primeiro Final Fantasy. Confira o trailer:Leia mais... Veja Mais

Babylon's Fall ganha novo trailer na E3 2021; versão PS5 confirmada

Babylon's Fall ganha novo trailer na E3 2021; versão PS5 confirmada

Tecmundo Babylon's Fall, game da PlatinumGames de ação, foi anunciado na E3 de 2018 e recebeu pouquíssimos detalhes desde então. E hoje (13), finalmente a Square Enix mostrou um pouco mais do game. Confira a seguir o trailer inédito do game:Leia mais... Veja Mais

Fraudes esquentam madeira brasileira vendida ilegalmente para o exterior

O Tempo - Mundo De acordo com investigação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, esses são alguns dos destinos do produto extraído da Região Amazônica Veja Mais

Tem filho pequeno em casa? Então, cuidado com as telas!

canaltech Já não é de hoje que estudos se concentram em entender se a luz azul, transmitida pelos smartphones, notebooks e afins, é prejudicial para os olhos ou para outras áreas da saúde, de alguma forma. No ano passado, inclusive, conversamos com especialistas que chegaram à conclusão de que as telas não são inimigas, desde que usadas de forma adequada. Mas será que isso se aplica às crianças também, ou será que as telas têm um potencial mais prejudicial no que diz respeito ao público infantil? Luz azulada de smartphones e laptops aumenta chances de cegueira Como o filtro de luz azul pode proteger sua visão enquanto você assiste a TV? O modo escuro do celular protege contra os danos causados pela luz azul? Para começar, Arthur Igreja, especialista em Tecnologia e Inovação e professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), nos esclarece o que é a luz azul: "É uma frequência emitida, um espectro de luz que é emitido pelos aparelhos eletrônicos e comprovadamente está relacionada ao cansaço e estresse, pois não é natural para o corpo humano ter relacionamento com esse tipo de cor por muito tempo", explica. Segundo o professor, a parte danosa é justamente por ser emitida com muita intensidade pelos aparelhos eletrônicos e por ser uma frequência que não é natural para o organismo. "Temos que lembrar que o corpo humano teve uma adaptabilidade ao longo do tempo em à noite ter muita escuridão. É um fato estranho para o ser humano, depois do entardecer, ter luz artificial. E esse espectro de onda está muito relacionado ao despertar, ao dia, à atividade. Ou seja, o cérebro entende que deveria estar ativo ao invés do descanso", afirma. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Para combater isso, o especialista em tecnologia e inovação conta que nos últimos anos já foi desenvolvido o modo noturno, e existem alguns óculos que filtram essa frequência, mas o mais comum é a configuração para que o aparelho emita muito menos essa luz, com a imagem ficando mais amarelada, em tom de âmbar, para ajudar a mitigar esse estímulo. Questionamos o professor, então, se deixar o brilho do celular ao máximo é ainda mais prejudicial. "Com certeza, pois se tem uma intensidade maior de estímulo, o olho e o corpo são sobrecarregados. É possível habilitar o modo de pouca emissão de luz azul, mas além disso, a intensidade da luz pode ser regulada. Nos sistemas Android e iOS já há algum tempo têm essa adaptabilidade conforme a luz ambiente, em que o aparelho usa sensores para entender o quão escuro está para se adequar", declara. Luz azul e vista infantil Especialistas esclarecem se o acesso excessivo às telas (smartphones, notebooks, tablets) pode prejudicar a vista do público infantil (Imagem: Reprodução/Rawpixel) Mas o que a oftalmologia tem a dizer sobre o acesso excessivo às telas? Para entender esses possíveis prejuízos à saúde dos olhos das crianças, a equipe do Canaltech conversou com a oftalmologista Dra. Juliane Arrivabene. A especialista começa dizendo que, apesar de inúmeras pesquisas na área, "nenhum estudo no mundo conseguiu comprovar lesões permanentes nos olhos humanos com a luz azul". Mas mesmo sem as lesões permanentes, a oftalmologista comenta que o uso excessivo de telas podem estar associados a astenopia (cansaço ocular). "Os olhos das crianças são mais sensíveis à radiação solar que os olhos dos adultos. Devido ao cristalino ser mais transparente, absorvem mais radiação que os olhos dos adultos", explica Dra. Juliane. Isso quer dizer, portanto, que a exposição é mais prejudicial ainda nas crianças, de certa forma, "pelo fato da criança estar em franco desenvolvimento ocular e neurológico". Um estudo norte-americano publicado na revista científica National Library of Medicine aponta que à medida que envelhecemos, as estruturas de nossos olhos se tornam gradualmente menos sensíveis à luz. "O envelhecimento aumenta a absorção de luz e diminui a área da pupila, resultando em perda progressiva da fotorrecepção. Uma criança de 10 anos tem fotorrecepção dez vezes maior do que um adulto de 95 anos, por exemplo, ao que um adulto de 45 anos retém apenas metade da fotorrecepção do início da juventude", aponta o estudo. "A iluminação retiniana diminui com o envelhecimento devido à redução da transmissão de luz do cristalino, especialmente em comprimentos de onda curtos. Luz ambiental inadequada e pode causar aumento do risco de insônia, depressão e vários distúrbios sistêmicos. A iluminação artificial é mais fraca e menos ponderada em azul do que a luz do dia natural", o estudo reitera. Segundo a especialista, a exposição continua e abusiva da tecnologia pode levar ao surgimento da miopia. "Mais pessoas estão se tornando míopes hoje se comparado a décadas atrás", aponta. Dra. Juliane ainda menciona a astenopia, ou cansaço ocular: "Deve-se à contração continua do músculo de acomodação. Isso se dá quando a criança fica muito tempo olhando para perto como no caso do uso dos eletrônicos", explica. Com isso, a questão que vem à mente é: quanto tempo por dia uma criança pode ficar no celular/tablet/computador sem comprometer a sua vista? "Crianças não devem ficar expostas a eletrônicos por longos períodos, segundo a Organização Mundial de Saúde. Crianças abaixo de 2 anos não devem ter contato com eletrônicos. Crianças de 2 a 5 anos no máximo uma hora por dia", sugere a especialista. A oftalmologista aproveita para dar dicas para manter os cuidados da vista das crianças: "A primeira dica é, sempre levar seu filho ao oftalmologista com periodicidade. A segunda dica é reduzir o tempo de exposição aos eletrônicos. A terceira fica é proporcionar alimentação saudável que contribua para saúde ocular, e a quarta dica é o uso do óculos de sol", recomenda Dra. Juliane. Sono Estudos norte-americanos relacionam a alta exposição às telas e à luz azul a prejuízos no sono (Imagem: Jelleke Vanooteghem/Unsplash) Um outro estudo publicado na revista científica National Library of Medicine aponta que à medida que a tecnologia se tornou comum na vida cotidiana, a qualidade do sono nas crianças foi prejudicada. A análise diz, inclusive, que aproximadamente um terço das crianças e mais da metade dos adolescentes não dorme o suficiente. O que acontece, segundo o estudo em questão, é que gastar horas nas telas durante o período noturno acaba justamente culminando em menos horas para dormir, e o conteúdo estimulante pode diminuir a sonolência. Outro mecanismo pelo qual os eletrônicos podem afetar o sono, de acordo com a pesquisa, é justamente a luz azul emitida por esses dispositivos. "Com o uso generalizado de dispositivos eletrônicos portáteis e a normalização de dispositivos de mídia de tela no quarto, sono insuficiente se tornou comum. Em uma revisão de estudos, 90% dos incluídos encontraram uma associação entre o uso de tela de mídia e atraso na hora de dormir ou diminuição do tempo total de sono", consta o estudo. "Este fenômeno generalizado de perda de sono pediátrica tem implicações generalizadas. Há uma necessidade de pesquisa básica e clínica examinando os efeitos da mídia de tela na perda de sono e consequências para a saúde em crianças e adolescentes para educar e motivar médicos, professores, pais e os próprios jovens a promover hábitos de sono saudáveis", acrescenta. Outro estudo publicado nessa mesma revista apontou que a exposição à luz solar durante o dia pode promover energia e concentração para as crianças, além de melhorar a qualidade e a duração do sono, mas que em contrapartida, o uso de dispositivos que produzem luz azul artificial durante o período vespertino e noturno interrompe o ciclo natural de sono e despertar, induzindo o cérebro a não produzir melatonina antes de dormir, fazendo com que as crianças se sintam menos sonolentas do que deveriam na hora de ir para a cama. "As variações rítmicas na iluminação ambiente afetam os comportamentos, como o descanso durante o sono e a atividade durante o despertar, bem como seus processos biológicos. Recentemente, a disponibilidade de luz artificial mudou substancialmente o ambiente de luz, especialmente durante a tarde e a noite", concluiu o estudo. Desenvolvimento infantil Especialistas da psicologia trazem à tona os possíveis prejuízos da alta exposição às telas para o desenvolvimento das crianças (Imagem: Erik Odiin/Unsplash) No entanto, a exposição às telas não atrapalha apenas a vista ou o sono das crianças. De acordo com especialistas da psicologia, esse excesso pode afetar até mesmo o desenvolvimento. Segundo a Dra. Deborah Moss, neuropsicóloga mestre em psicologia do desenvolvimento, o acesso a essas telas tem a sua parte positiva, considerando o contato social (como poder falar com os avós) e ter atividades lúdicas escolares, principalmente durante essa pandemia, mas que o excesso pode causar prejuízos sim. "O excesso de telas tira a oportunidade da criança fazer outras atividades que são imprescindíveis para o desenvolvimento, principalmente a parte motora, a exploração do corpo, as vivências lúdicas de correr, pular, subir, descer, essa parte física, mas também a parte psicomotora, de desenhar, pintar, encaixar", aponta a especialista. A neuropsicóloga menciona, como os riscos, desde o sedentarismo até a dificuldade com a escrita. "A criança que tem pouca vivência do corpo no espaço físico pode apresentar atrasos nessas aquisições que são próprias para cada faixa etária. Tem também a questão do isolamento: pouca interação com o outro, porque a criança fica presa a atividades solitárias", Dra. Deborah explica. Dra. Gabriela Luxo — psicóloga, mestre e doutora em distúrbios do desenvolvimento — ressalta que esse impacto no desenvolvimento, decorrente do acesso excessivo às telas, ocorre porque a criança não tem maturidade para saber utilizar as telas de uma forma a favor dela, pensando tanto na parte cognitiva quanto os prejuízos físicos. "É importante que tenha sempre um supervisor. É interessante que crianças pequenas usem [as telas] por poucas horas no dia, num horário que não afete o sono ou a alimentação, por exemplo", recomenda. "Quando a criança fica se alimentando enquanto vê as telas, não presta atenção na comida, não sabe nem o que está comendo, não consegue discernir os sabores. Se utiliza essas telas antes de dormir, acaba tendo um sono mais agitado, acaba tendo fantasias mais negativas baseadas no conteúdo que ela viu", menciona a psicóloga. Questionada sobre o que os pais devem fazer, a psicóloga indica: "Sempre orientar essas crianças antes mesmo delas irem para jogos e tudo o mais. Supervisionar não é ficar vigiando, e sim explicar, mostrar os riscos. Em todas as idades, é importante que os pais estejam entendendo, escutando os filhos. Parece muito simples, mas há necessidade de escuta, porque às vezes por trás do passar muito tempo jogando tem quadros de ansiedade, e o jogo acaba sendo um refúgio", reitera a especialista. Dra. Gabriela recomenda ter uma rotina bem estabelecida — e aponta que isso é algo que muitas famílias têm grande dificuldade — e indica colocar nessa rotina aquela hora dedicada ao uso das tecnologias, mas também convidar essa criança para outras atividades. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Quanto custa assinar todos os streamings no Brasil? Equipe de Indiana Jones 5 está sendo assombrada em castelo na Inglaterra Esta espécie foi ressuscitada e pôde se reproduzir após 24 mil anos congelada O céu (não) é o limite | Cadáver espacial, fotos do rover chinês em Marte e mais 5 filmes que você precisa assistir antes de Luca, nova animação da Pixar Veja Mais

Joe Biden parabeniza o novo primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett

O Tempo - Mundo Aliança de vários partidos derrubou Benjamin Netanyahu e formou um novo governo Veja Mais

E3 2021: venha conferir a live da Square Enix no Voxel!

E3 2021: venha conferir a live da Square Enix no Voxel!

Tecmundo Após a conferência da Microsoft + Bethesda na E3 2021 recheada de anúncios, agora é hora da Square Enix! Então bora conferir com a galera do Voxel, com a participação de Bruno Micali, Ruan Segretti, Vinicius Munhoz, Felipe Goldenboy e Bela Campos!Leia mais... Veja Mais

Redfall é novo jogo da Arkane exclusivo do Xbox para 2022

Redfall é novo jogo da Arkane exclusivo do Xbox para 2022

Tecmundo A Bethesda e a Microsoft divulgaram, neste domingo (13), durante a E3 2021, um trailer exclusivo de Redfall, novo jogo da Arkane Studios. O game com temática de vampiro será lançado no meio de 2022 para Xbox Series X/S, PC e XCloud.Leia mais... Veja Mais