Meu Feed

Últimos dias

Trump faz primeiro comício pós-atentado e mantém tom de discurso na convenção republicana

Valor Econômico - Finanças Acompanhado por seu candidato a vice, Trump volta... Veja Mais

‘Me sinto tão candidato quanto você’, diz Lula no lançamento da candidatura de Boulos em SP

Valor Econômico - Finanças Lula, ministros e demais lideranças partidárias re... Veja Mais

Edge 50 Ultra vs iPhone 15 Pro Max: top Motorola supera rival da Apple? | Comparativo

tudo celular Comparativo com os modelos top de linha da Apple e da Motorola, iPhone 15 Pro Max e Edge 50 Ultra. Veja Mais

Premiê de Bangladesh cancela viagem ao Brasil após protestos em massa

Valor Econômico - Finanças A primeira-ministra do país, Sheikh Hasina, viria... Veja Mais

Após fazer piada sobre violência, Lula diz que homem com fé em Deus não bate em mulher

Valor Econômico - Finanças Em São Bernardo do Campo, petista diz que para ele... Veja Mais

Conheça mais de 80 itens do LoL (League of Legends)

Conheça mais de 80 itens do LoL (League of Legends)

Tecmundo Mais que um bom campeão ou habilidades, usar bons itens pode fazer a diferença nas partidas de League of Legends. Com tantas opções, a dúvida que fica é: quais itens usar em cada build?Para compreender melhor os usos de cada um dos itens, listamos abaixo as mais de 80 opções disponíveis em League of Legends. Confira!Leia mais... Veja Mais

Mercado de biscoitos movimenta R$ 10,5 bilhões de janeiro a abril com destaque para categoria doce

Valor Econômico - Finanças Nos quatro primeiros meses do ano já foram consumi... Veja Mais

Lula e ministros lançam Luiz Fernando como pré-candidato a prefeito em São Bernardo

Valor Econômico - Finanças Evento teve participação de Alckmin e ministros de... Veja Mais

Argentina mandou ouro do banco central para o exterior, diz ministro

Valor Econômico - Finanças Em ao canal La Nación+, o ministro da Economia da... Veja Mais

Inflação, dívida pública, receitas: o cenário por trás do congelamento de R$ 15 bilhões de gastos do governo

G1 Economia Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, justificou que o corte é necessário para o governo se adequar às regras exigidas pelo arcabouço fiscal. País vive momento de atenção sobre o rumo das contas públicas. Haddad e Tebet WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO Na quinta-feira (18), o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou que o governo decidiu congelar R$ 15 bilhões dos gastos previstos para o ano. De acordo com Haddad, o congelamento é necessário para que o governo mantenha o controle das despesas, como prevê o arcabouço fiscal — a regra que impõe as diretrizes para o gasto público, aprovada pelo Congresso em 2023. O arcabouço estabelece que as despesas só podem crescer em determinada proporção do aumento das receitas. E essa relação estava ficando desequilibrada. Segundo a Instituição Fiscal Independente (IFI), órgão de consultoria ligado ao Senado, as receitas do governo cresceram 8,5% acima da inflação de janeiro a junho. Mas as despesas cresceram mais: 10,5%, sinal de os rumos precisavam ser corrigidos. E por que as contas públicas às vezes precisam de uma readaptação? É que, quando o governo planeja o Orçamento do ano (e o Congresso aprova), são feitas previsões de receitas e de despesas. E essas previsões podem não se concretizar, por uma série de fatores. Entenda, abaixo, o cenário que obrigou o governo a congelar gastos: Haddad anuncia congelamento de R$ 15 bilhões no Orçamento de 2024 Déficit orçamentário A previsão de déficit para o Orçamento deste ano, tirando o pagamento de juros da dívida, é de zero. Ou seja, receitas e despesas devem empatar. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vem dando declarações que têm sido interpretadas como dúbias em relação a essa meta. Ora ele diz que está compromissado com o déficit zero, ora diz que essa é uma necessidade do mercado. As declarações causam tensão no mercado, porque são vistas como um pouco compromisso de Lula com a responsabilidade fiscal. ???? Se os gastos do governo se descontrolam em relação às receitas, os agentes econômicos começam a duvidar da capacidade do Brasil em honrar as suas dívidas. Os juros crescem, como uma forma de compensar os riscos dos papéis brasileiros. Os investimentos ficam mais escassos e menos dinheiro entra no país. A inflação sobe, o crescimento da economia desacelera. Diante dessa pressão, o governo anunciou o congelamento. Lula disse que teria que ser convencido pelos seus ministros sobre o valor do corte. E deu anuência ao montante de R$ 15 bilhões. Mas economistas entendem que esse congelamento ainda é tímido para zerar o déficit. "Na minha avaliação, se vier um limite de gastos, um bloqueio de gastos menor do que R$ 23 bilhões — esse é o limite mínimo necessário — ficará sinalizado que o governo continua com a mesma intenção de empurrar com a barriga. Foi o que ele fez no ano passado", afirmou o economista Marcos Mendes, "Ano passado, ele [o governo] prometeu no início do ano um déficit primário de 0,5% do PIB e entregou quase 2,5% do PIB", continuou. "Este ano, continua a mesma toada de empurrando a má notícia para o final do ano, mas o estresse está muito alto, e seria importante que o governo desse uma sinalização agora de que está efetivamente interessado em cumprir as metas fiscais", completou Mendes. Dívida pública Outro indicador que é afetado pela desorganização das contasé a dívida pública. Em maio, a dívida do setor público consolidado (que abrange governos federal, estaduais e municipais e empresas públicas), chegou a R$ 8,5 trilhões. Isso significa 76,8% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. O patamar é considerado elevado para países emergentes do porte do Brasil. Quanto mais o governo se endivida (acumulando déficits em vez de superávits), maior é a pressão em cima da moeda (o real tende a se desvalorizar) e em cima da inflação (produtos vão ficando mais caro). Isso porque surge no mercado uma dúvida se o país conseguirá honrar seus compromissos. Leia também: Governo mantém em 2,5% estimativa de crescimento do PIB em 2024 Haddad anuncia congelamento de R$ 15 bilhões no Orçamento deste ano para cumprir o arcabouço fiscal Ex-diretor da IFI vê bloqueio de R$ 15 bilhões no Orçamento insuficiente e novos cortes 'em etapas' Qual o caminho para equilibrar as contas públicas? Inflação Um dos maiores traumas da sociedade brasileira quando se fala em economia é a hiperinflação. O fenômeno foi debelado na década de 1990, com o Plano Real. Mas ainda é uma preocupação das famílias e de especialistas. Um dos motivos para a taxa de juros básica no país estar em 10,5% é o controle da inflação. O Banco Central aponta que a falta de clareza do governo com o compromisso fiscal. No Boletim Macrofiscal, divulgado nesta quinta (18), o Ministério da Fazenda elevou a previsão para a inflação deste ano de 3,7% para 3,9%. A meta central de inflação é de 3% neste ano, e será considerada formalmente cumprida se o índice oscilar entre 1,5% e 4,5% neste ano. Ou seja, começa a ficar mais perto do teto do que do centro da meta. Qual é a alternativa? Durante o primeiro ano do mandato, o governo buscou melhorar as contas públicas pela via das receitas. Ou seja, melhorar a arrecadação de impostos, através de um aquecimento na economia. Mas, por mais que as receitas estejam melhorando, ainda não são suficientes. Especialistas alertam que é preciso cortar também gastos. E que o corte seja em gastos desnecessários. O governo anunciou um "pente-fino" em benefícios sociais, em busca de pagamentos irregulares que podem ser cortados. A estimativa é economizar bilhões. Como disse a ministra do Planejamento, Simone Tebet, ao longo da semana, programas fundamentais para a sociedade e benefícios pagos a quem realmente tem direito não serão bloqueados: “De forma objetiva, vamos ter de cortar gastos. Mas vamos cortar gastos naquilo que efetivamente está sobrando. Fraude, erros e irregularidades, ainda têm muito. Por isso, temos de fazer reformas estruturantes para poder ter [recursos] para aquilo que mais precisa. Onde mais precisa? Eu sou professora e sei. É na educação e na saúde”, disse Tebet. Veja Mais

Imbroxável! Viagra eletrônico é desenvolvido por empresa suíça

tudo celular "Viagra elétrico" tem brasileiro como um dos responsáveis pelo projeto. Veja Mais

Teste de câmera | Poco F6 Pro tem qualidade descente

canaltech A Poco é uma fabricante de smartphones que não costuma se destacar no mercado quando o assunto é câmera. Seu último lançamento, o Poco F6 Pro, é mais um exemplo do que pode ser o principal ponto negativo da chinesa em relação aos concorrentes, embora tenha melhorado. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp Poco F6 Pro é bom? Testamos o novo top de linha da chinesa   O Poco F6 Pro possui três câmeras traseiras: principal de 50 MP, ultrawide de 8 MP e macro 2 MP. A câmera frontal tem 16 MP com foco fixo. No geral, as fotos são decentes, embora não brigue com outros celulares top de linha. A câmera principal tem ótima qualidade no dia a dia: o nível de detalhes é altíssimo, enquanto as cores são agradáveis. A saturação pode ser um pouco acima da média, mas os resultados são geralmente bons. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Nível de detalhes do aparelho é muito bom! (Imagem: Diego Sousa/Canaltech) Para fazer fotos em modo retrato, o dispositivo manda bem, apresentando bom desfoque de fundo e tom de pele natural. No entanto, assim como acontece em outros modelos de marcas chinesas, o pós-processamento sempre deixa peles mais escuras meio acinzentadas, sendo bem artificial. As fotos com a câmera ultrawide do Poco F6 Pro são ok, porém ficam abaixo até mesmo de celulares intermediários, como o Galaxy A55. Obtivemos imagens boas de dia, mas com menos detalhes do que conseguiríamos em outros modelos, por exemplo. Foto perde definição com a câmera ultrawide (Imagem: Canaltech) Com relação à câmera macro, não recomendamos o seu uso. Tem apenas 2 MP e entrega cores bem lavadas, além de uma definição muito baixa, também. Normalmente esse tipo de sensor é usado só para fazer volume. Galeria de fotos do Poco F6 Pro Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro - Galeria de fotos (Diego Sousa/Canaltech) Poco F6 Pro tem boa gravação de vídeo O Poco F6 Pro grava em até 8K a 24 quadros por segundo (fps) com a câmera principal, mas também entrega 60 fps na resolução 4K. Gostamos dos resultados em boas condições de luz, tendo boas cores e estabilização agradável. ???? Veja o preço do Poco F6 Pro no Mercado Livre Não gostamos das gravações com as câmeras ultrawide e frontal, tendo ruídos aparente e cores meio desfavoráveis. Dá para registrar os momentos e postar nas redes sociais, no entanto.   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins ???? PARCELADO | iPhone 15 atinge preço imperdível em oferta Amazon Prime Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft Seres paralisa venda de carros no Brasil por tempo indeterminado CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Veja Mais

Calor extremo nos EUA provoca prejuízos de bilhões que as seguradoras não cobrirão

Valor Econômico - Finanças Segundo dados do governo americano, as ondas de ca... Veja Mais

Danos do apagão cibernético podem durar semanas, alertam especialistas

canaltech Diversos serviços ao redor do mundo, como bancos, aeroportos, hospitais e operadoras de TV, começaram a se recuperar na madrugada deste sábado (20), após o “apagão cibernético” que afetou computadores Windows. Porém, a retomada total pode levar semanas, segundo especialistas que analisam a “maior interrupção da história”. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta O apagão — causado por uma atualização do antivírus Falcon, da CrowdStrike — resultou em instabilidade em bancos, provocou caos em aeroportos do Brasil e do mundo e fez vários computadores Windows mostrarem a temida “tela azul” logo no início da última sexta-feira (19). Apesar da CrowdStrike já ter lançado uma nova atualização para resolver a falha, deve demorar semanas para que todos os estragos sejam resolvidos. Em meio ao processo de recuperação, especialistas afirmam que o apagão mostrou que muitas empresas não estão preparadas para lidar com interrupções em sistemas de TI. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Em entrevista ao canal de televisão Sky News, o especialista britânico em TI James Bore afirmou que as grandes empresas e companhias de serviços essenciais terão que fazer de tudo para resolver o problema quanto antes. Porém, por ser uma questão que exige reparo manual, pode demorar semanas para que todos os computadores afetados sejam consertados, de acordo com Bore. CrowdStrike se pronunciou sobre o caso Na noite de ontem, George Kurtz, fundador e CEO da CrowdStrike, disse que a empresa “continua a trabalhar com clientes e parceiros para resolver a incidente”. Em uma publicação no X (antigo Twitter), ele acrescentou que a equipe publicou uma visão geral técnica dos acontecimentos. As CrowdStrike continues to work with customers and partners to resolve this incident, our team has written a technical overview of today’s events. We will continue to update our findings as the investigation progresses. https://t.co/xIDlV7yKVh — George Kurtz (@George_Kurtz) July 20, 2024 No documento, a CrowdStrike explicou o seguinte: Em 19 de julho de 2024, às 04h09 UTC (01h09 no horário de Brasília), como parte das operações em andamento, a CrowdStrike lançou uma atualização de configuração do sensor para sistemas Windows. As atualizações de configuração dos sensores são uma parte contínua dos mecanismos de proteção da plataforma Falcon. Esta atualização de configuração acionou um erro lógico que resultou em uma falha do sistema e tela azul (BSOD) nos sistemas afetados. A atualização de configuração do sensor que causou a falha do sistema foi corrigida na sexta-feira, 19 de julho de 2024, às 05h27 UTC (02h57 no horário de Brasília). Este problema não é resultado ou está relacionado a um ataque cibernético. Além disso, na postagem do blog havia uma breve seção sobre a análise da causa do problema: Compreendemos como esse problema ocorreu e estamos fazendo uma análise completa da causa raiz para determinar como ocorreu essa falha lógica. Este esforço será contínuo… Atualizaremos nossas descobertas na análise da causa raiz à medida que a investigação avança. Pouco antes de divulgar o texto, Kurtz disse em uma entrevista à emissora NBC que poderia levar “algum tempo” até que as plataformas que não se recuperaram automaticamente retornassem à normalidade. LEIA TAMBÉM: Falha que derrubou serviços online não é ataque cibernético, diz CrowdStrike Serviços já voltaram a funcionar no Brasil Fabio Assolini, diretor da equipe de Pesquisa e Análise da Kaspersky para a América Latina, comentou ser difícil estimar o tempo para a resolver o problema. Segundo o especialista, será necessário arrumar milhões de computadores de forma manual nos próximos dias. … a dificuldade reside no fato de que quando esse tipo de problema ocorre, cada dispositivo (computador, laptop ou servidor) deve ser reinicializado manualmente em modo de segurança; e isso não pode ser automatizado usando ferramentas de gerenciamento. Este é, de fato, um problema muito sério que tem afetado numerosos sistemas, incluindo ambientes de infraestruturas críticas, explicou. O horário em que a falha aconteceu é um dos motivos pelos quais o Brasil não foi tão afetado. Inclusive, os serviços de bancos mais prejudicados, como Bradesco, Neon, Next e Itaú já voltaram ao normal, de acordo com dados do site Downdetector. Serviços online voltam a funcionar no Brasil após apagão cibernético (Imagem: Murilo Tunholi/Canaltech) Impactos são maiores em aeroportos Ao redor do mundo, por outro lado, ainda é possível ver consequências em diversas áreas, principalmente em aeroportos. Companhias aéreas de todos os continentes continuam trabalhando para reacomodar os passageiros, mas há grande demanda por novos voos. LEIA TAMBÉM: Apagão: aeroportos atuam “à moda antiga” pelo mundo; veja relatos Em nota, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) disse que “no fim do dia 19, os sistemas de check-in de algumas empresas aéreas que apresentaram queda no início do dia já tinham sido normalizados” no Brasil. A agência também solicitou à Azul, operadora que teve maior impacto operacional, informações detalhadas sobre as medidas adotadas para resguardar os direitos dos passageiros. Segundo a companhia aérea, todos os passageiros impactados foram reacomodados. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins ???? PARCELADO | iPhone 15 atinge preço imperdível em oferta Amazon Prime Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft Seres paralisa venda de carros no Brasil por tempo indeterminado CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Veja Mais

Convenções pelo país tem cenários em aberto nas capitais e presença de caciques nos palanques

Valor Econômico - Finanças O prazo para os partidos deliberarem sobre coligaç... Veja Mais

BMW e DeepDrive trabalham em novo motor elétrico com rotor duplo

tudo celular A tecnologia foi testada com sucesso em laboratório e pode ser aplicada em protótipos em breve Veja Mais

O que é doping e quais são os exames e testes que o detectam?

Valor Econômico - Finanças Nos últimos Jogos Olímpicos, em 2020, cinco brasil... Veja Mais

Cultura de proteção de dados ainda é um desafio no Brasil e na América Latina

canaltech Mesmo com a Lei Geral da Proteção de Dados (LGPD) em vigor há quase seis anos, a cultura de proteção de dados no Brasil ainda não é uma realidade. Contudo, essa não é uma situação única do Brasil: em entrevista exclusiva ao Canaltech na última terça-feira (16), o coordenador do Centro de Tecnologia e Sociedade da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Luca Belli, explicou que a questão é um desafio regional da América Latina. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp Uso da IA é importante, mas traz riscos, diz diretor-presidente da ANPD A conversa ocorreu durante a abertura do evento CPDP LatAm 2024, realizado pela FGV Direito no Rio de Janeiro (RJ). Na exposição inicial, o professor participou de um debate com a participação do diretor-presidente da ANPD, Waldemar Gonçalves, da relatora da ONU sobre privacidade, Ana Brian, entre outros especialistas e autoridades, onde foram discutidas as questões que precisam de atenção no bloco em relação à proteção de dados. Confira a entrevista na íntegra a seguir: -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Canaltech (CT): Vamos começar falando do evento. O que você achou desse começo? Luca Belli (LB): Acabamos de começar, mas começamos muito bem. Essa é a 4ª edição do evento. Na verdade, começamos a conceber o evento em 2020 e, depois com a pandemia, tivemos que postergar.  São cinco anos de aprendizagem, né? A gente está construindo realmente uma comunidade latino-americana de profissionais, uma comunidade multissetorial, com reguladores, governo, empresas, sociedade civil, especialistas e ONGs. Esse debate inicial foi muito positivo, muito bom, para destacar quais são as prioridades, quais são os problemas que precisamos regular, que precisamos considerar o uso de dados de maneira interoperável, ou seja, tirar proveito desses dados, valorizar os dados, mas de maneira regularizada, não de maneira concentrada como frequentemente vemos.  Na verdade, é isso que acontece, mas temos a possibilidade de reverter, ao menos mitigar essa tendência, ou seja, regular as transferências de dados ou uso de dados pessoais de um lado, justamente para evitar que haja essa concentração, e de outro, permitir aos indivíduos ter um real controle sobre os seus dados, que é a parte chamada autodeterminação informativa, que no Brasil é a base da Lei Geral de Proteção de Dados. É o segundo artigo da lei e que, recentemente, como mencionei na minha fala inicial, foi também consagrado como um direito autônomo ao nível latino-americano pela Corte Interamericana de Direitos Humanos. É por isso que fizemos essa proposta, também, de criar um marco regulatório regional justamente porque hoje em dia temos as bases para fazê-lo e, especialmente, a vontade de fazê-lo. Professor da FGV participou da abertura do CPDP LatAm 2024 (Imagem: Bruno De Blasi/Canaltech) CT: A gente fala muito aqui no Brasil sobre a cultura de proteção de dados, que é um desafio que nós temos. Esse cenário se aplica para a América Latina como um todo ou alguns países da região estão mais adiantados?  LB: Claramente isso é um enorme desafio regional. São países nos quais a proteção de dados chegou recentemente, com exceção de alguns países, como Uruguai, Argentina e México, que adotaram já no início da década de 2000 e 2010 as leis deles, enquanto os outros adotaram nos últimos quatro ou cinco anos — incluindo o Brasil.  Isso significa que a lei foi adotada, mas, basicamente, ninguém conhece a lei. Então, o esforço de criar essa comunidade de especialistas, criar essas interações, essa pesquisa, essa divulgação, é essencial para construir uma cultura de proteção de dados, que é algo que, sem o qual, é inútil ter a lei de proteção de dados. CT: Além da questão cultural, quais são os grandes desafios que nós temos no Brasil e no bloco? LB: Primeiramente, o fato de ter uma efetividade da regulação. Mais uma vez, não é somente uma questão de construir a cultura. É uma questão de implementar a lei. A gente sabe que a lei existe, porém, a atuação é muito limitada em tempo de implementação. Esse é um ponto também que a gente destaca na nossa proposta de convenção de dar às autoridades reguladoras todas as medidas, os recursos, que sejam humanos ou econômicos, para poder atuar de maneira independente e de maneira contundente.  De um lado, é necessário claramente uma obra de pedagogia para criar a cultura, para que as pessoas saibam quais são os direitos delas e também quem trata e processa dados saiba quais são as suas obrigações. Do outro lado, é necessário sancionar quando estiver evidente o descumprimento à lei. Aí são duas tarefas complementares dos reguladores. Treinamento de IA com dados pessoais é uma das principais questões da atualidade (Imagem: Pexels/Tara Winstead) CT: Falando sobre IA, como está sendo a questão do uso de dados para treinamento dos modelos?  LB: A meu ver essa é uma das questões principais que temos na nossa frente e por enquanto não temos uma solução definitiva.  Eu acho que sou muito crítico na atuação dos reguladores nesse momento, porque são eles que têm a responsabilidade de nos dizer como é que lei deve ser interpretada. Claramente, você treinar o seu modelo com base na raspagem de qualquer dado pessoal que existe na internet, é extremamente difícil conciliar essa prática com a autodeterminação informativa, o controle sobre os dados. Não tem nenhum consentimento na raspagem total de dados, não tem nenhuma base legal.  Não estou dizendo que é ilegal. É o regulador que precisa nos dizer segundo quais condições podem ser [uma atividade] legal. Da forma como está sendo feita, é muito provavelmente ilegal na maioria dos casos.  Então, esse é o pequeno segredo sujo da inteligência artificial generativa, que está sendo treinada e construída basicamente na ilegalidade. CT: Nós temos até o caso recente da ANPD com a medida provisória aplicada à Meta.  LB: Esse é justamente um exemplo no qual a atuação do regulador é essencial para nos indicar quando essa prática é possível. Mais uma vez, não é preciso proibir o treinamento de modelos com dados pessoais. Pode ser absolutamente legítimo. Porém, é preciso definir como. Nesse momento, estamos em uma situação de total ignorância do lado de quem treina sobre como fazer [o treinamento] legalmente.  Quem fez de boa fé está perdido e quem fez de má fé sabe que não está sendo nem orientado e nem fiscalizado. É uma situação muito pouco sustentável neste momento. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: X-Men | Quem são e quais os poderes dos novos alunos mutantes de 2024? CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins Pedaço de Mim | Novela da Netflix com Juliana Paes vira hit mundial 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Curiosity encontra pela 1ª vez rocha com cristais de enxofre em Marte Veja Mais

Compre agora! Cubot KingKong X é robusto com 5G, duas telas e bateria imensa

tudo celular O novo Cubot KingKong X é um smartphone robusto com conexão 5G, duas telas, câmera traseira de 100 MP e bateria de 10.200 mAh. Veja Mais

LIBERTY CUP 2024 - FINAIS - CAMPEONATO SUL-AMERICANO DE BASQUETE DE BASE

LIBERTY CUP 2024 - FINAIS - CAMPEONATO SUL-AMERICANO DE BASQUETE DE BASE

Band Sports Inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do BandSports! Nos sigam tambe?m nas redes sociais: Instagram: https://www.instagram.com/bandsports/?? Twitter: https://twitter.com/bandsports????????? Facebook: facebook.com/BandSportsTV Veja Mais

Apagão cibernético afetou cerca de 8,5 milhões de máquinas, estima Microsoft

Valor Econômico - Finanças Segundo a empresa, o montante é menos de 1% do tot... Veja Mais

Múmias egípcias: bactérias e vírus ancestrais são ameaça ao mundo moderno?

Múmias egípcias: bactérias e vírus ancestrais são ameaça ao mundo moderno?

Tecmundo Diversos filmes, séries e desenhos animados nos mostraram que escavações em criptas antigas podem não ser uma boa ideia. Maldições, doenças virais, bacterianas e as proféticas pragas do Egito antigo, podem sobrevir a humanidade curiosa que não permite que os mortos descansem em paz.Mas será que realmente existe um risco eminente de contaminação por vírus, bactérias ou outros patógenos durante escavações e no contato com as múmias? Um novo apocalipse viral estaria escondido em algum sarcófago mal enterrado?Leia mais... Veja Mais

Famosos lamentam a morte de Thommy Schiavo, ator de Pantanal

G1 Pop & Arte Ator morreu aos 39 anos após se desequilibrar de sacada e cair de 4 metros de altura, diz polícia. Thommy Schiavo, ator de Pantanal, morre aos 39 anos Redes sociais/Instagram O ator Thommy Schiavo morreu aos 39 anos na manhã deste sábado (20), em Cuiabá (MT). Conforme o boletim de ocorrência, ele se desequilibrou e caiu da sacada do 2° andar do prédio onde morava. Thommy Schiavo fez parte do elenco da segunda fase da novela Pantanal, da TV Globo. Ele interpretou o peão João Zoinho que trabalhava na fazenda de José Leôncio. Companheiros de carreira, família e amigos lamentaram a morte do ator nas redes sociais. Veja a repercussão abaixo: Leandro Lima, ator "Acabo de receber uma notícia muito triste , nosso amigo Thommy schiavo nos deixou , ainda estou atônito , tentando digerir tudo isso , Thommy era uma cara de coração enorme , sempre pronto a ajudar , amava o campo , os bichos e cuidar das pessoas . Lembrando dele chamando todo mundo pra assistir um pôr do sol lindo ouvindo Tião carreiro ou pedindo p cantar junto Peão ( uma de suas favoritas ) lá no pantanal . Ele deixa Larinha sua filha com quem sonhava tanto(mesmo antes dela nascer) e amava demais . Esse retrato que fiz dele lembro como se fosse hoje ????Estamos orando por você nosso eterno peão Zoinho". Thayná Schiavo, irmã do ator "Quanta dor, quanta bordoada da vida em pouco tempo eu levei .... Sem espaço de tempo ,perdi você . Parece que arrancaram meu coração com as mãos , sinto como se eu estivesse levando facadas dentro do meu peito ! Quanta dor , meu amor, meu irmão , eu sei que essa dor nunca vai passar , mas eu vou ter que aprender a conviver com ela , e eu sei que vai ter dias que eu vou chorar outros vou ser forte , em outros vou me pegar escrevendo em suas fotos , mandando msg no seu whatsapp, no seu direct , tudo pra buscar meios e meios de me confortar . Que Deus nos conforte , seguir sangrando , e jamais esquecer de você . Eu te amo além da vida, eu te amo além do amor Lara ???? pedaço do meu amor na terra ! A tia ama você . Meu eterno Thommy ???????????? luto pelo meu irmão #thommyschiavo Eu juro, por mim mesma por Deus por meus pais ! Vou te amar ... Eu juro, esse amor não acaba jamais ! Vou te amar ... É tanto querer , é tanta paixão, te amo do fundo do meu coração..... Eu juro ???? Seguirei cantando , te amando, te lembrando , orando , e clamando a Deus pra me ajudar ! ". Juliano Cazarré, ator "Acabei de receber uma notícia muito triste, a morte de um amigo meu. Vocês viram ele na novela pantanal. Um cara muito legal, coração de ouro, amava os amigos, queria ajudar todo mundo. Estou devastado pela morte dele". Caico de Queiroz, empresário "Com tristeza confirmamos o falecimento de Thommy Schiavo, ator talentoso do nosso escritório e juntos vínhamos desenhando uma linda carreira e infelizmente nos deixa precocemente. Thommy,seu talento e sua obra e sua história fará parte das nossas histórias! Obrigado Thommy!". Dira Paz, atriz "Coração partido demais!!!????". Gustavo Corasini, ator mirim "Meu Deus que triste. Ele foi tão importante pra mim em Pantanal sempre um parceiro me ajudou tanto, me tranquilizou nas cenas com os bois". Initial plugin text Veja Mais

FT: Apagão cibernético pode levar semanas para ser resolvido, dizem especialistas

Valor Econômico - Finanças As interrupções foram ainda mais chocantes, dado o... Veja Mais

Gilson Peranzzetta reverencia o mestre João Donato em álbum que inclui valsa inédita do pianista, morto há um ano

G1 Pop & Arte João Donato (1934 – 2023) – à esquerda – é celebrado pelo pianista Gilson Peranzzetta no álbum ‘Aprendi com Donato’ Marcelo Castello Branco / Divulgação ? Quando gravou disco com o ritmista Amoy Ribas, Repercutindo (2015), o compositor, pianista, arranjador e maestro carioca incluiu no repertório um tema que compusera para reverenciar a maestria de João Donato (17 de agosto de 1934 – 17 de julho de 2023). Intitulada Aprendi com Donato, a composição reaparece no álbum que Peranzzetta lança na próxima sexta-feira, 26 de julho, via Mills Records, como celebração póstuma da obra do compositor, pianista e arranjador acreano. A música inclusive batiza o disco Aprendi com Donato, tributo que chega ao mundo um ano após a morte do artista nortista e que também pode ser caracterizado como uma homenagem de Peranzzetta aos 90 anos que o amigo pianista completaria em 17 de agosto. Gravado no estúdio Visom Digital em dois dias, 18 e 19 de maio, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), com direção musical e arranjos do próprio Gilson Peranzzetta, o álbum Aprendi com Donato alinha 12 músicas no formato de piano, baixo e baterista. O piano é obviamente o de Peranzzetta. O baterista é João Cortez. O diferencial é que Peranzzetta convidou nada menos do que três baixistas – Alexandre Cavallo, Didier Fernan e Zeca Assumpção – para se alternarem no registro do repertório. Com exceção da música-título Aprendi com Donato (Gilson Peranzzetta, 2015), todas as composições são naturalmente de autoria do parceiro de Gilberto Gil em Lugar comum (1974), Bananeira (1975), Emoriô (1975) e A paz (1987), quatro das 12 músicas do disco. A novidade do repertório do álbum Aprendi com Donato é a inédita Valsa, tema composto por Donato no início dos anos 1970 – quando o músico vivia nos Estados Unidos – e até então sem registro fonográfico oficial. Valsa tem o toque da flauta de Mauro Senise, cujo sax alto é soprado na música-título Aprendi com Donato. A rã (João Donato com letra de Caetano Veloso, 1974, escrita a partir do tema instrumental The frog, de 1967), Amazonas (João Donato com letra de Lysias Ênio, 1977, escrita a partir do tema Amazon, de 1965), Até quem sabe (João Donato e Lysias Ênio, 1973), Bluchanga (João Donato, 2017), Minha saudade (João Donato com letra de João Gilberto, 1959, escrita a partir do tema instrumental de 1955) e Simples carinho (João Donato e Abel Silva, 1982) completam a seleção do disco em que Gilson Peranzzetta festeja o mestre João Donato. Capa do álbum ‘Aprendi com Donato’, de Gilson Peranzzetta Marcelo Castello Branco / Divulgação Veja Mais

Meta Quest 4 pode ser lançado em duas versões em 2026

Meta Quest 4 pode ser lançado em duas versões em 2026

Tecmundo A Meta se prepara para o lançamento de seus próximos headsets de realidade virtual (VR, na sigla em inglês). Informações obtidas pelo The Information mostram quando serão anunciados os próximos dispositivos da marca.A notícia não revelou detalhes acerca do hardware contido em cada lançamento, mas mostra parte da estratégia de vendas que a Meta deve assumir para as próximas gerações.Leia mais... Veja Mais

Em SP, União Brasil adia decisão sobre apoio e mantém pressão sobre Nunes

Valor Econômico - Finanças Partido descarta apoio a Marçal e Boulos; tendênci... Veja Mais

PSD oficializa candidatura de Paes à reeleição no Rio e adia escolha de vice

Valor Econômico - Finanças A confirmação do vice na chapa de Eduardo Paes só... Veja Mais

Veja as capas e artes mais feias do mundo dos jogos

Veja as capas e artes mais feias do mundo dos jogos

Tecmundo Já dizia o ditado: “não julgue um livro pela capa”. O mesmo vale também para o mundo dos games, pelo menos em alguns casos. Isso porque muitos jogos clássicos, no passado, poderiam ter sido um fracasso de venda por conta de suas horripilantes capas. De Mega Man e Double Dragon, até Street Fighter e Amnesia, foram diversas as franquias que perderam a linha na hora de desenvolverem suas capas. Pior ainda foram aqueles que fracassaram tanto na hora de desenvolver a capa, como o jogo todo. E hoje o Voxel traz uma lista com as capas mais feias da história dos games. Confira! Leia mais... Veja Mais

Tombo de 'big techs' aumenta pressão do mercado antes de balanços

Valor Econômico - Finanças Mercado eleva pressão sobre resultados trimestrais... Veja Mais

Teste de bateria | Poco F6 Pro tem boa duração e carrega rápido

canaltech O celular Poco F6 Pro é um top de linha de respeito não só pelo processador Snapdragon 8 Gen 2, mas também pelo carregamento ultrarrápido de 120 W, completando a carga em apenas 19 minutos segundo a marca. A bateria de 5.000 mAh também se saiu bem nos nossos testes de uso no dia a dia. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp O Poco F6 é bom? Saiba se o intermediário da Xiaomi vale a pena em 2024 Qual é o melhor celular Xiaomi para comprar em 2024?   Quanto tempo dura a bateria do Poco F6 Pro? O Poco F6 Pro alcançou autonomia estimada de 24 horas no teste padrão do Canaltech. Em 6 horas de uso contínuo, alternando entre reprodução de vídeo, redes sociais, uso de internet Wi-Fi e jogos, o celular consumiu 25% da carga. Vale destacar que o teste é mais exigente que o uso “normal” do aparelho no dia a dia. Por isso, ao desconsiderar os jogos ou as redes sociais, por exemplo, o celular pode durar bem mais que nosso resultado. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Com isso, o F6 Pro se saiu melhor que o seu irmão F6, que consumiu 30% no mesmo teste, além do Galaxy S23 FE e do Motorola Edge 50 Pro. Confira na tabela abaixo como seus concorrentes se saíram: Duração de bateria do Poco F6 Pro em relação aos concorrentes (Imagem: Flourish/Canaltech) Quanto tempo o Poco F6 Pro demora para carregar? Com um carregador compatível com 120 W de potência, o Poco F6 Pro durou cerca de 27 minutos para carregar de 0% a 100%, o que é uma duração excelente para a categoria. Porém, não atingiu a duração prometida pela Poco, que era de 19 minutos. Mesmo assim, ele supera modelos bem mais caros, como Galaxy S24 Ultra e iPhone 15 Pro Max, ambos com mais de uma hora na tomada para recarregar completamente. ???? Veja o preço do Poco F6 Pro no Mercado Livre Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins ???? PARCELADO | iPhone 15 atinge preço imperdível em oferta Amazon Prime Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft Seres paralisa venda de carros no Brasil por tempo indeterminado CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Veja Mais

Morre aos 101 anos Maria Josephina Mignone, pianista de importante obra solo e em duo com Francisco Mignone

G1 Pop & Arte ? OBITUÁRIO – Pianista de formação clássica, nascida em Belém (PA), Maria Josephina Mignone (25 de março de 1923 – 18 de julho de 2014) cruzou a barreira dos 100 anos sem jamais se separar do instrumento que aprendeu a tocar na infância, por volta dos quatro anos, no piano da avó, Josephina Maria, de quem herdou o nome (invertido). A morte da artista paraense aos 101 anos – ocorrida anteontem em decorrência de pneumonia, em hospital da cidade de São Paulo (SP), onde a instrumentista estava internada desde 29 de junho em virtude de uma queda – enluta o universo da música erudita. Maria Josephina Mignone atuou com pianista solista, como camerista e como professora ao longo da longa vida pautada pela música. Aluna do Instituto Gentil Bittencourt e do Conservatório Carlos Gomes, a musicista progrediu e, de aluna dessas instituições, se tornou professora da Academia Lorenzo Fernandez, no Rio de Janeiro (RJ), onde em 1964 conheceu Francisco Mignone (1897 – 1986), pianista, compositor e regente paulista com quem se casaria e com quem formaria o Duo Mignone, ativo até a morte do artista. Quando Francisco saiu de cena, Maria Josephina se tornou uma viúva determinada a preservar a obra e a memória musical de Francisco. A edição de partituras com temas do marido – perpetuados com a publicação do livro 24 valsas brasileiras para piano (2017) – e as gravações dos álbuns Descobrindo tesouros – A magia de Maria Josephina no piano infantil de Mignone (2018) e Chico Bororó – Um Jovem Mignone (2019), entre muitos outros discos, foram relevantes ações da pianista no sentido de manter a obra e a figura de Francisco em evidência no universo da música erudita. Contudo, tais ações póstumas em favor de Francisco Mignone jamais encobriram a importância da própria Maria Josephina Mignone. Veja Mais

FT: O que acontece se Joe Biden deixar a corrida pela Casa Branca?

Valor Econômico - Finanças Quase todos os 4 mil delegados democratas se compr... Veja Mais

Por que as montadoras chinesas têm tanto interesse pelo Brasil?

canaltech As montadoras de carros chinesas invadiram o Brasil e têm causado calafrios nas marcas mais tradicionais do mercado verde-amarelo, principalmente no segmento dos carros elétricos. Isso, porém, não é algo que começou recentemente, com as chegadas de BYD e GWM. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp 5 carros chineses que fariam sucesso no Brasil 5 motivos para comprar um carro chinês Antes das duas líderes da “revolução”, muitas outras marcas tentaram se estabelecer por aqui. Geely, Lifan, Chana (que hoje utiliza o nome Changan), JAC Motors e Chery também inundaram o consumidor de opções no passado. Todas tinham como principal atrativo o preço, bem mais barato que os produtos nacionalizados, mas, em sua grande maioria, deixavam a desejar no pós-venda e nas peças de reposição. De todas essas, apenas a Chery, agora sob a aba da Caoa, e a JAC permanecem com certa relevância em meio ao novo “boom” de marcas chinesas no Brasil, agora com foco quase exclusivo em carros eletrificados. Mas o que mudou em pouco mais de uma década para o país atrair tanto interesse das chinesas? -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Cassio Pagliarini, da Bright Consulting, e Felipe Muñoz, da JATO Dynamics, enumeraram diversos pontos que justificam a escolha das chinesas e indicam que a “invasão” não tem data para acabar. GWM vai produzir o Ora 03 e outros modelos eletrificados em Iracemápolis, no interior paulista (Imagem: Divulgação/GWM) Brasil é mercado emergente e “amigo” Apesar de atualmente as novas taxas e alíquotas de importação estarem causando dor de cabeça nas montadoras chinesas, em um passado não muito distante o Brasil tinha todas as características que um fabricante procura para expandir sua marca: economia emergente, alta procura por carros 0km e boa aceitação ao investimento estrangeiro. “Como todos os fabricantes chineses querem expandir globalmente para encontrar outras fontes de crescimento e lucros, é natural visar um mercado como o Brasil, o maior da América Latina. É tão grande como a França ou o Reino Unido em termos de vendas unitárias, mas não é tão fechado ao investimento estrangeiro. É mais fácil para uma empresa chinesa investir nos mercados emergentes do que nas economias desenvolvidas. O Brasil é o segundo maior emergente e, por conta das tensões com a Índia, torna-se o primeiro alvo da China”, explicou Muñoz, da JATO, à reportagem do Canaltech. Já Cassio Pagliarini, da Bright, lembrou que a China tem uma década de vantagem sobre os demais países no desenvolvimento de carros elétricos e suas baterias, mas olha com carinho para o Brasil por outros motivos. “Os chineses têm uma capacidade grande de produção e saíram procurando mercados que tivessem grande volume, baixa penetração de eletrificados e baixa penetração de chineses. Exatamente o Brasil é um mercado desse tipo”, completou. Fabricantes chinesas como a Zeekr estão investindo alto no futuro do Brasil (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) Segundo o especialista da Bright Consulting, até 2022 o Brasil não tinha 1% de penetração de carros vindos da China, situação que se alterou drasticamente em 2024, com o país se tornando o principal importador de carros do país asiático. Para ele, a principal diferença entre as marcas que vieram para cá nos primórdios e as atuais é simples: antes elas olhavam apenas o baixo custo; agora, todas têm um atrativo a mais — a eletrificação, carro-chefe dos chineses. Pressão interna “expulsa” chinesas para o Brasil A procura pelo Brasil também aumentou nos últimos anos por um motivo que, ironicamente, pode decretar a falência de 85% das fabricantes que atuam no mercado automotivo da China: a concorrência local. BYD "manda" na China e tem feito marcas menores procurarem outros mercados, como o Brasil (Imagem: Divulgação/BYD) Na visão do consultor da JATO Dynamics, a guerra de preços está fazendo as montadoras menores operarem praticamente sem lucro. Dessa forma, a exportação para mercados em que há boa aceitação de produtos importados é um caminho a seguir. “O Brasil tem um potencial de crescimento com uma população com uma renda sensível ao preço. Os chineses jogam o jogo dos preços, e isso pode realmente funcionar em mercados emergentes como o Brasil, onde o preço dos carros aumentou muito nos últimos anos”. “Imposto do pecado” não vai atrapalhar? A inclusão de carros eletrificados no Imposto Seletivo (IS), também chamado de “Imposto do Pecado”, foi duramente criticada por representantes das montadoras e dos principais órgãos da indústria automotiva brasileira, mas, na visão de Cassio Pagliarini, não será tão prejudicial assim às marcas chinesas. O especialista da Bright Consulting argumentou que, hoje, há “50 níveis de IPI diferentes”, que cobram valores distintos de acordo com cilindrada, tipo de utilização e eficiência energética do veículo. A chegada do criticado "Imposto do Pecado" serviria, de acordo com Pagliarini, para colocar ordem na casa. “O [Projeto] Mover vem trazer uma diferenciação fiscal entre os vários veículos. Aquele que é mais eficiente deve pagar menos imposto do que aquele que é menos eficiente. Aquele que se utiliza melhor dos recursos brasileiros deve pagar menos impostos do que aquele que utiliza gasolina ou diesel, por exemplo”, pontuou. Seres Group também chegou ao Brasil e vai abrir concessionárias nas principais regiões do país (Imagem: Divulgação/Seres) Pagliari alertou que ainda não dá para saber se os impostos virão acima ou abaixo da média e que a colocação do carrro elétrico no Imposto Seletivo é “uma questão de justiça”, pois “você tem que ter veículos que devam ser incentivados, veículos que devam ser penalizados de acordo com a emissão de CO2, emissão de poluentes, a eficiência energética e outros fatores”. O executivo, que também tem ligação com a Seres, uma das marcas chinesas que chegaram por aqui, explicou que vê as fabricantes mais preparadas para colocar um fim em um dos maiores problemas que JAC, Chery e tantas outras enfrentaram no passado: a falta de peças de reposição e a demora para buscar os itens no exterior. Para isso, a solução é a abertura de fábricas para nacionalizar a produção. "O início de uma nova fábrica aqui no Brasil tem vários desafios e ter um adequado estoque de peças de reposição é um deles. O início dessa tratativa, o início de produção, precisa-se trazer um conjunto de peças e assegurar que o tipo de falha que ocorre aqui no Brasil é similar ao tipo de falha que ocorre em outros mercados e, às vezes, isso não acontece. Aqui tem mais acidentes, ou tem problemas de vias, vias esburacadas, ou tem problema de combustível nos veículos híbridos, os problemas podem diferir, mas isso é algo que em seis meses e um ano estará corrigido", apostou. A Seres, é bom frisar, ainda não confirmou se terá fábrica própria no Brasil, mas marcas como MG Motor, Neta Auto e, claro, GWM e BYD caminham a passos largos para tornar a competição ainda mais acirrada para os players tradicionais, como General Motors, Fiat, Volkswagen e Ford. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: X-Men | Quem são e quais os poderes dos novos alunos mutantes de 2024? CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins Pedaço de Mim | Novela da Netflix com Juliana Paes vira hit mundial 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Curiosity encontra pela 1ª vez rocha com cristais de enxofre em Marte Veja Mais

LGPD: ANPD regula papel do encarregado pelo tratamento de dados pessoais

Valor Econômico - Finanças Essa semana, a ANPD divulgou uma nova resolução qu... Veja Mais

5 jogos grátis para jogar no PC, consoles e celulares; veja a lista!

5 jogos grátis para jogar no PC, consoles e celulares; veja a lista!

Tecmundo Os jogos estão ficando cada vez mais caros para a realidade de muitos brasileiros — mas, felizmente, nem tudo está perdido. Está no grupo de pessoas que não quer gastar nada, mas ainda assim se divertir? O Voxel preparou uma lista com cinco ótimas opções de jogos gratuitos para você resgatar e jogar no PC, consoles e celulares.E tem opções para todos os gostos, hein? Procurando uma experiência de corrida com visuais deslumbrantes? Temos Asphalt Legends Unite para esse propósito. Em busca de um jogo de terror? Então Maid of Sker pode ser a pedida certa!Leia mais... Veja Mais

Triatlo e maratonas podem ser prejudicados por poluição no Rio Sena. Entenda

Valor Econômico - Finanças Por ser uma cidade antiga, sistema combinado trans... Veja Mais

Destaques da NASA: galáxias, nuvens e + nas fotos astronômicas da semana

canaltech Entre as mais recentes fotos destacadas pela NASA no site Astronomy Picture of the Day, encontramos uma foto incrível de uma galáxia registrada no exato momento em que um meteoro atravessava o campo de visão do fotógrafo. Também há glóbulos cometários, nuvens estelares e muito mais. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp Eclipse lunar em setembro vai ser visível do Brasil No compilado de imagens da semana, a galáxia do Girino chama a atenção com sua longa "cauda" azulada. Também conferimos um vídeo em timelapse da erupção do vulcão Villarrica, no Chile. Saiba mais sobre os objetos nas imagens e veja as fotos na galeria no fim desta matéria. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- 1. Retrato de família Nessa imagem, vemos registros de quase todos os planetas do Sistema Solar, feitos pela sonda Voyager 1. O mosaico de 60 quadros mostra Vênus, Terra, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. O Sol aparece como um simples ponto brilhante no centro da composição.  2. O meteoro e a galáxia A galáxia Triangulum (M33), a 3 milhões de anos-luz, foi fotografada em um momento fortuito: o exato instante em que um meteoro cruzada a atmosfera terrestre. O astrofotógrafo capturou ambos em uma única exposição, sem dúvidas um golpe de sorte que não deve se repetir tão cedo.  3. Galáxia do Girino A galáxia Arp 188 é também conhecida como Galáxia do Girino, e fica a 420 milhões de anos-luz de distância da Terra. Sua "cauda" mede de 280 anos-luz e provavelmente se formou devido à passagem de outra galáxia, que "puxou" parte das estrelas com sua atração gravitacional. ???? Leia mais: galáxia do Girino na foto astronômica de segunda-feira (15) 4. Glóbulos cometários Os glóbulos cometários dessa imagem estão a 1.300 anos-luz de distância e são compostos por gás e poeira. Ali, estrelas pouco massivas surgem, com a capacidade de desgastar as estruturas das nuvens, fazendo-as brilhar. Provavelmente o objeto também foi afetado pelos restos da supernova da Vela, que explodiu há 11 mil anos. ???? Leia mais: glóbulos cometários na foto astronômica de terça-feira (16) 5. Vulcão Villarrica Dessa vez, a NASA destacou um vídeo em timelapse de uma erupção do vulcão Villarrica, no Chile, capturado por Gabriel Muñoz. O vídeo de 7 segundos mostra também o movimento das estrelas no céu noturno, incluindo a Via Láctea e as Nuvens de Magalhães, nos dando noção da velocidade da passagem de tempo.   6. Nuvem Estelar de Sagitário Nessa imagem, o astrofotógrafo conseguiu capturar a Nuvem Estelar de Sagitário (Messier 24) em toda a sua glória e esplendor. Trata-se de uma nuvem de poeira interestelar em um cenário que permite observar estrelas do braço Sagitário da nossa galáxia. O objeto que vemos se estende por uma área com largura equivalente a 12 vezes a da Lua cheia.  ???? Leia mais: Nuvem Estelar de Sagitário na foto astronômica de quinta-feira (18) 7. Raios no Festival do Planeta Em 11 de julho, durante o Festival do Planeta anual da região no parque abaixo do Observatório e Planetário de Brno, raios anticrepusculares atravessaram o céu. Esses raios são faixas de luz e sombra projetadas por nuvens durante pôr do sol, parecedndo convergir no horizonte oposto. Confira a galeria de fotos Fotos dos planetas do Sistema Solar pela sonda Voyager 1 (Projeto Voyager , NASA) Um meteoro passa em frente a uma galáxia no momento exato do clique. Que sorte! (Aman Chokshi) Essa cauda tem incríveis 280 anos-luz de comprimento (Hubble Legacy Archive, ESA, NASA; Harshwardhan Pathak) Um berço de estrelas pequenas (Mark Hanson & Martin Pugh, Observatorio El Sauce) É uma grande área do braço de Sagitário, da Via Láctea (Christopher Freeburn) Espetáculo da natureza no Festival do Planeta (Pavel Gabzdyl) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: X-Men | Quem são e quais os poderes dos novos alunos mutantes de 2024? CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins Pedaço de Mim | Novela da Netflix com Juliana Paes vira hit mundial 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Curiosity encontra pela 1ª vez rocha com cristais de enxofre em Marte Veja Mais

Ex-peão e amante da 'vida simples': quem é Cody Johnson, astro do country que estreia no Brasil com show na Festa de Barretos

G1 Pop & Arte Em conversa exclusiva, cantor americano falou da necessidade em renovar o gênero com letras mais maduras e a preocupação em manter 'pés no chão' mesmo com o sucesso: 'Ganho dinheiro, mas não dirijo Ferrari'. Cody Johnson conversa com o g1 com exclusividade O ar descolado, a idade e as tatuagens até as mãos podem, em um primeiro momento, o afastar do padrão que foi estabelecido para o “cowboy”. Os primeiros segundos de conversa, no entanto, desmoronam o estereótipo. As falas contundentes, a paixão pela vida no campo, o sotaque do Texas e a convicção pela arte que produz evidenciam logo que, ali à frente, está uma estrela da música country dos Estados Unidos. Aos 37 anos e com 7,5 bilhões de streamings globais, Cody Johnson tomou para si a renovação de um dos gêneros musicais mais ouvidos no país norte-americano. Guardião do legado de lendas como Alan Jackson e Reba McEntire, o cantor terá, no mês que vem, uma experiência inédita - ainda que os 15 anos de carreira já não proporcionem tantos ineditismos assim. Ele viaja ao Brasil pela primeira vez para se apresentar no maior rodeio da América Latina, a Festa do Peão de Barretos. Pouco mais de um mês antes do show, o astro conversou com o g1 com exclusividade e, além de reforçar a expectativa pela estreia no país - que o fez até ouvir Chitãozinho e Xororó pela 1ª vez depois de saber que iam tocar no mesmo dia - também falou do início da trajetória, quando chegou a ser peão de rodeio, a responsabilidade de dar um tom menos machista e mais romântico ao country, e a preocupação em manter os pés no chão mesmo com o sucesso. [Essa idolatria] é uma loucura porque eu levo uma vida tão simples. Eu ganho muito dinheiro. Mas você não me vê por aí dirigindo uma Ferrari. Eu sou uma pessoa muito simples. Então, muitas vezes eu me surpreendo porque vamos a esses grandes locais e as pessoas estão chorando, tremendo e elas estão tão envolvidas. Eles dizem: você é uma lenda, você é uma lenda, e eu digo: legal. Eu tenho muita humildade." Assista à entrevista no vídeo acima, com direito a uma mensagem aos fãs brasileiros, e conheça mais, abaixo, sobre quem é sobre um dos astros da música americana. Antes peão, agora laçador Do caminhão ao topo Não falar de mulheres como objetos Renascimento do country A primeira viagem ao Brasil Cody Johnson Chris Douglas Antes peão, agora laçador Cody Johnson nasceu em Sebastopol, no Texas, estado que é um dos berços do country nos Estados Unidos. Após crescer imerso em um meio rural, o artista se apaixonou por este universo e, antes de se tornar cantor e compositor, foi peão profissional de rodeio. Apesar de ter se tornado uma estrela da música, as referências e lembranças deste período seguem ditando seu estilo de vida. Ao ser perguntado sobre a época que foi peão, o gesto foi mais expressivo que qualquer palavra. Cody apontou para uma estante que tem em sua casa no Texas e mostrou todos os prêmios que recebeu quando era atleta. Entretanto, mesmo tendo interrompido a montaria, ele não deixou os rodeios: se tornou laçador, atividade que considera que exerce muito melhor do que montar em touros. "Os caras com quem eu montava touros eram muito melhores do que eu. Eles eram atletas fenomenais. Eu tinha toda a determinação, todo o coração e toda a garra, mas eu simplesmente não tinha aquilo. Eu não tinha o que eles tinham. Então, eu sabia que montar touros provavelmente não seria algo que duraria muito tempo para mim. Agora faço laço em equipe. Sou um laçador de equipe, treinador de cavalos e criador de gado. E sou um laçador de equipe muito bom" Sou muito melhor no laço em equipe do que jamais fui montando touros", afirmou. Ao conciliar, em paralelo, as atividades como músico e laçador, e usando o benefício de ter se tornado uma estrela do country, Cody consegue se manter próximo dos ídolos que tem neste segmento dos rodeios. "Eu cresci admirando caras como Tuff Hedeman, como peão de rodeio. E como cowboys como Joe Beaver e Trevor Brazile. E agora, um dos meus melhores amigos no mundo, Colby, é campeão mundial de laço em equipe e treinador de cavalos campeão. E é tão legal porque eu queria estar nesse mundo como atleta de rodeio por causa da minha música e de viver o estilo de vida de cowboy, agora sou amigo de todos os meus heróis", disse. Do caminhão ao topo Agora dono de hits poderosos como "'Till You Can't", "Me and my Kind", "Human" e "Diamond in My Pocket", Cody Johnson também teve a versão do artista desacreditado que sofreu no início. A caminhada na música começou quando estava no Ensino Médio e um professor de agricultura enxergou um talento diferente quando o viu tocando violão e cantando. Incentivado pelo mentor, ele montou uma banda, se apresentou no festival de talentos da escola e começou uma luta que durou dez anos até o estouro. À época, ele fazia tudo por conta própria, inclusive o investimento para a gravação do primeiro álbum, que não teve sucesso. "Começamos com um caminhão e um pequeno reboque U-Haul e tocávamos em barzinhos onde ninguém se importava. Ninguém queria ouvir. E nós simplesmente tocávamos assim mesmo por anos e anos. E quanto mais eu trabalhava, sabe, o público começava a crescer. Eu gravei um álbum e foi um álbum horrível, sem produção, sem dinheiro. Mas as pessoas compraram e foi crescendo, crescendo e crescendo. Então, eu fiz isso sozinho. Eu simplesmente não ia aceitar um não como resposta. Vou trabalhar e vou tocar minha música. E um dia vai dar certo. E finalmente deu", revelou. Também por conta das dificuldades que passou e ter vivido muito tempo como desconhecido, o artista mantém a preocupação para que o sucesso não suba à cabeça. "Entendo que tenho esse status [de ídolo]. E é muito importante para mim não deixar isso subir a minha cabeça e ser um bom exemplo de como alguém deve se portar nessa posição", pontuou. Não falar de mulheres como objetos A renovação que Cody comanda na música country passa muito pelo tom de suas letras - já que também compõe a maioria de suas canções. O último álbum, "Leather", lançado em 2023, que já revelou sucessos como "The Painter" e "Dirt Cheap", fala de amor verdadeiro, vida do homem do campo, integridade, entre outros assuntos não tão comuns no gênero. O americano Cody Johnson, cantor de country, fará show na Festa do Peão de Barretos em 2024 Reprodução/Facebook A ideia é evitar temas recorrentes, mas que ainda têm abordagens desrespeitosas com algumas representações da sociedade, como a mulher, por exemplo. "Eu poderia até falar sobre o hip-hop. O hip-hop por muito tempo tem sido muito desrespeitoso com as mulheres, na minha opinião. Fala sobre mulheres como se fossem objetos em vez de pessoas. E isso se espalhou para a música country, onde é:, ei, garota, vem com esses shorts curtos e entre na minha caminhonete 4x4, vou beber umas cervejas e te levar para casa. Que tal realmente falar sobre uma mulher? O que ela realmente faz? Acho que os mais jovens precisam ouvir esses assuntos porque poucas pessoas falam sobre isso e isso tem o potencial de mudar nossa juventude e a cultura em todo o mundo", explicou. Renascimento do country A preocupação que Cody Johnson tem de cuidar para que o country não fique ultrapassado passa pelo entusiasmo em ver grandes fenômenos da música mundial, como Beyoncé e Post Malone, se aventurando pelo gênero. Para ele, essas convergências fazem com que o público se renove e os fãs destes artistas que nunca teriam contato com as canções dele passem a ter. Eu acho que pessoas como Post Malone ou Beyoncé podem fazer o que quiserem porque, se você falar Post Malone, ele é global. Taylor Swift começou na música country, mas se tornou um fenômeno tão global que não pertence a nenhum gênero específico. Seu gênero é Taylor Swift. Ela pode tocar o que quiser. E por causa disso, fãs que eram fãs deles talvez venham para a música country agora e digam: estou ouvindo country, quem é Cody Johnson? A primeira viagem ao Brasil Cody Johnson se apresenta na Festa do Peão de Barretos no dia 24 de agosto em uma noite que o palco principal também terá Hugo e Guilherme e Chitãozinho e Xororó - uma das maiores e mais influentes duplas da história da música sertaneja. O cantor afirmou que não conhecia a lendária dupla brasileira, mas, ao saber que iriam tocar no mesmo dia, foi atrás de escutar. "É muito difícil para mim pronunciar os nomes. Então, não quero ser desrespeitoso. Mas sinto que a música é muito parecida com a minha. Agora, os instrumentos são um pouco diferentes. Talvez o ritmo seja um pouco diferente. Mas a sensação que me causa é a mesma. Para mim, parece muito universal. Eu sou realmente country, mas tenho esse lado festivo", contou. O músico conversou com alguns peões de rodeio com quem tem contato nos Estados Unidos, o que o deixou animado para acompanhar as provas de montaria ou, quem sabe, até se arriscar no laço na Arena de Barretos. "Eu laçei com o Júnior Nogueira há alguns meses e ele disse: ah, você vai? Cara, prepare-se. Ele disse que é uma grande festa, um grande rodeio. Ele disse que é diferente de qualquer rodeio nos Estados Unidos. Então isso meio que me empolgou. Ainda estou tentando descobrir se consigo participar do rodeio. Eu preciso de um parceiro para a laçada em dupla", brincou. O americano Cody Jhonson, cantor de country, fará show na Festa do Peão de Barretos em 2024 Reprodução/Cody Johnson Veja mais notícias da Festa do Peão de Barretos na página especial Veja Mais

VOLTA AO BRASIL, JOGO HEROICO CONTRA O REBAIXAMENTO E MAIS: Bernardo e Igor Julião no Resenha ESPN

VOLTA AO BRASIL, JOGO HEROICO CONTRA O REBAIXAMENTO E MAIS: Bernardo e Igor Julião no Resenha ESPN

Fox Sports Brasil Todo o esporte AO VIVO da ESPN disponível no Disney+! http://dis.la/ESPNenDisneyPlus_YT_BR E o melhor do jornalismo esportivo, com vídeos e notícias exclusivas, você acompanha no https://www.espn.com.br/ #Resenha #Futebol #ESPN #DisneyPlus Veja Mais

Mega-Sena, concurso 2.751: prêmio acumula e vai a R$ 61 milhões

G1 Economia Veja os números sorteados: 42 - 18 - 53 - 13 - 52 - 04. Bilhete volante loteria mega-sena mega sena versão 2018 Marcelo Brandt/G1 Aposta única da Mega-Sena custa R$ 5 e apostas podem ser feitas até as 19h do dia do sorteio Marcelo Brandt/G1 O sorteio do concurso 2.751 da Mega-Sena foi realizado na noite deste sábado (20), em São Paulo. Nenhuma aposta acertou as seis dezenas, e o prêmio para o próximo sorteio acumulou em R$ 61 milhões. Clique aqui para seguir o canal de Loterias do g1 no WhatsApp Veja os números sorteados: 42 - 18 - 53 - 13 - 52 - 04. 5 acertos - 60 apostas ganhadoras: R$ 60.964,39 4 acertos - 4.978 apostas ganhadoras: R$ 1.049,72 Concurso 2751 da Mega-sena g1 O próximo sorteio da Mega será na terça-feira (23). Entenda como funciona a Mega-Sena e qual a probabilidade de ganhar o prêmio Para apostar na Mega-Sena As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal — acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito. Probabilidades A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, que custa R$ 5, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa. Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa. Veja Mais

Sucessão de Lira e Pacheco e eleições municipais dominam pauta do Congresso

Valor Econômico - Finanças A sucessão das Mesas Diretoras da Câmara e do Sena... Veja Mais

Thommy Schiavo e Silvero Pereira protagonizaram beijo gay em Pantanal

G1 Pop & Arte Ator de Pantanal morreu aos 39 anos em Cuiabá (MT). Segundo familiares, Thommy caiu de uma sacada e não resistiu aos ferimentos. Em Pantanal, Silvero Pereira e Thommy Schiavo protagonizaram beijo gay Reprodução/TV Globo Thommy Schiavo, que morreu neste sábado (20), protagonizou um beijo gay com o ator Silvero Pereira durante no último capítulo da segunda fase da novela Pantanal, da TV Globo. Thommy interpretou o peão João Zoinho que trabalhava na fazenda de José Leôncio. Silvero Pereiro lamentou a morte do colega de elenco em publicação no Instagram: "Thommy ???? Um grande parceiro de cena. Você era sempre muito cuidadoso com todos e sempre disposto a ajudar, a colaborar. Muito triste, chocado com o que aconteceu! ???? Que sua família receba meu forte abraço Grande amigo e grande colega de profissão". Outros artistas e familiares também se manifestaram. Initial plugin text Quem era Natural de Presidente Prudente, Thommy se formou em teatro em 2006 no Rio de Janeiro e também interpretou o cantor Leandro, da dupla Leandro e Leonardo, no especial “Por Toda Minha Vida”, em 2007. Além disso, atuou nas novelas Paraíso, Beleza Pura, Além do Tempo e Cordel Encantado. Thommy deixa esposa e uma filha de um ano. O acidente Segundo a Polícia Civil, a morte foi causada por uma queda de cerca de quatro metros de altura. Conforme o boletim de ocorrência, o ator estava deitado na sacada do 2° andar do prédio onde morava, quando levantou, se desequilibrou e caiu. Conforme o boletim de ocorrência, a vítima estava bebendo com alguns amigos em uma conveniência próxima da residência. Ele morava em um conjunto de quitinetes de dois andares. Thommy foi encontrado de barriga para baixo e sem ferimentos aparentes, mas já sem vida. A polícia informou que, baseado nas imagens de câmera de segurança, ele estava sentado no andar superior e, depois, se deitou no chão por alguns minutos. Em seguida, se desequilibrou e caiu por cima do parapeito. O corpo será levado de Cuiabá para Presidente Prudente (SP), onde será velado na Casa de Velório Athia, localizada na Rua Emílio Trevisan, nº 1011, no Jardim Bela Daria. O horário do velório e do sepultamento ainda não foram definidos. Veja Mais

Com Kassab, PSD lança candidatura de Fuad em Belo Horizonte

Valor Econômico - Finanças Vice será escolhido na próxima semana pelo União B... Veja Mais

Presidente do STF rejeita suspender contrato da Sabesp com município de São Paulo

Valor Econômico - Finanças Segundo a decisão, não há urgência que justifique... Veja Mais

Milhares de passageiros continuam sofrendo com os efeitos do apagão cibernético

Valor Econômico - Finanças Na manhã deste sábado (20), centenas de voos foram... Veja Mais

TC Gamer: Top 10 melhor jogo de esporte para Android e iOS

tudo celular Confira a nossa lista dos 15 melhores jogos de esporte para Android e iOS. Veja Mais

ExpressVPN: como instalar e configurar a VPN?

ExpressVPN: como instalar e configurar a VPN?

Tecmundo A ExpressVPN é uma das Redes Privadas Virtuais mais utilizadas do mundo. Com ela, é possível ter uma conexão segura, usando redes privadas de diferentes partes do globo.  Porém, mesmo boa parte delas funcionando de maneira quase que automática, ainda sim é preciso ter um certo conhecimento para configurar a ExpressVPN, e assim utilizar os seus recursos exclusivos. Leia mais... Veja Mais

Seres paralisa venda de carros no Brasil por tempo indeterminado

canaltech A chinesa Seres anunciou a paralisação das operações no Brasil, um ano após a chegada no país. Desde o início de 2024, a marca parceira da Huawei — gigante dos celulares na China — vendeu apenas oito unidades de carros, sendo cinco Seres 3 e três Seres 5, segundo a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE). Clique e siga o Canaltech no WhatsApp As 10 maiores fabricantes de carros da China De acordo com a reportagem do Autoesporte, a Seres está passando por uma reestruturação interna, sem previsão para terminar. A fabricante começou operando no Brasil de forma totalmente digital, sem concessionárias - ou seja, os carros eram vendidos pela internet e importados de Xangai. A Seres teria planos de modernizar a venda de carros no Brasil. Quando chegou ao país, em julho do ano passado, a fabricante adotou estratégia parecida com a da Tesla. Porém, o modelo mudou em outubro, após a chinesa abrir lojas físicas nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Mesmo com a operação supostamente pralisada, a Seres ainda tem carros elétricos disponíveis no site. A loja online está ativa e conta com os seguintes modelos à venda: Seres 3 BEV, a partir de R$ 199,990; Seres 5 BEV, a partir de R$ 394.990; Seres 5 EVR, com preço sob consulta; Seres M7, com preço sob consulta. Seres também tem caminhão e furgão no catálogo (Imagem: Seres/Divulgação) A fabricante também oferece dois modelos de veículos elétricos comerciais: o caminhão DFSK EC31 e o furgão DFSK EC35, ambos os modelos custando a partir de R$ 194.990. Montadoras chinesas têm muito interesse pelo Brasil Apesar da possível paralisação da Seres, as demais fabricantes chinesas ainda têm bastante interesse no mercado tupiniquim. O Canaltech conversou com especialistas que enumeraram diversos pontos que não só justificam a escolha das chinesas, como também indicam que a “invasão” não tem data para acabar. Um dos especialistas buscados foi Cassio Pagliarini, da Bright Consulting, que também tem ligação com a Seres. Para ele, as fabricantes chinesas estão mais preparadas para colocar um fim em um dos maiores problemas que JAC, Chery e tantas outras enfrentaram no passado: a falta de peças de reposição e a demora para buscar os itens no exterior. Por outro lado, estudos recentes indicam que 85% das montadoras chinesas vão falir até 2030. De acordo com o levantamento, a forte concorrência local fará com que apenas as montadoras mais estruturadas sobrevivam ao fim da década. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins ???? PARCELADO | iPhone 15 atinge preço imperdível em oferta Amazon Prime Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Veja Mais

CrowdStrike alerta sobre ataques cibernéticos na América Latina após apagão

canaltech A CrowdStrike — empresa de cibersegurança responsável pelo recente apagão cibernético global — emitiu um alerta, neste sábado (20), sobre possíveis ataques hacker direcionados a clientes da América Latina, incluindo Brasil. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp Danos do apagão cibernético podem durar semanas, alertam especialistas Segundo a companhia, criminosos estão invadindo computadores por meio de um arquivo disfarçado de reparo para o antivírus Falcon. Em uma publicação no blog oficial, a CrowdStrike disse que o malware chamado “crowdstrike-hotfix.zip” foi registrado em um serviço de monitoramento de ameaças localizado no México. A empresa explicou o seguinte: -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Em 19 de julho de 2024, foi identificado um problema presente em uma única atualização de conteúdo do sensor CrowdStrike Falcon® que afetava os sistemas operacionais Windows, e uma correção foi implantada. Desde então, a CrowdStrike Intelligence observou cibercriminosos aproveitando o evento para distribuir um arquivo ZIP malicioso chamado crowdstrike-hotfix.zip. O arquivo ZIP contém uma versão do malware HijackLoader que, quando executado, carrega o RemCos. Notavelmente, os nomes de arquivos e as instruções no arquivo ZIP em espanhol indicam que esta campanha provavelmente tem como alvo clientes da CrowdStrike baseados na América Latina (LATAM). Instruções do Malware disfarçado de patch da CrowdStrike (Imagem: CrowdStrike/Divulgação) A companhia ainda recomendou aos clientes afetados pela falha de ontem que se comunicassem apenas por canais oficiais e seguissem as orientações técnicas fornecidas pelas equipes de suporte da CrowdStrike. Ao comentar sobre o apagão cibernético, George Kurtz, fundador e CEO da CrowdStrike, também alertou sobre pessoas “mal intencionadas” que poderiam se aproveitar da interrupção nos sistemas de TI: “Sabemos que adversários e maus atores tentarão explorar acontecimentos como este. Encorajo todos a permanecerem vigilantes e garantirem o envolvimento com representantes oficiais da CrowdStrike. Nosso blog e suporte técnico continuarão sendo os canais oficiais para as atualizações mais recentes”, comentou. Arquivo ZIP contém malware sofisticado De acordo com a CrowdStrike, o arquivo com o malware está sendo divulgado como uma solução automatizada para o problema causado pela atualização do antivírus Falcon. As instruções em espanhol pedem que os usuários executem um “Setup.exe” para iniciar a instalação do patch. Ao ser executado, o Setup.exe injeta na máquina o malware HijackLoader. O programa é um carregador modular de vários estágios altamente focado em evitar detecções, de acordo com a empresa de cibersegurança. Por fim, o HijackLoader é responsável por executar a carga útil final do RemCos, que estabelece conexão com um servidor remoto comando e controle. Desta forma, o invasor toma controle total sobre o computador infectado e pode executar diversos ataques, como roubo de dados. Leia mais sobre o caso: Falha que derrubou serviços online não é ataque cibernético, diz CrowdStrike Apagão cibernético provoca caos em aeroportos do Brasil e do mundo Apagão: aeroportos atuam “à moda antiga” pelo mundo; veja relatos Bradesco, Next e mais: bancos relatam instabilidade após apagão cibernético Recuperação de alguns sistemas pode demorar, diz CEO da CrowdStrike após apagão "Feliz dia internacional da tela azul": apagão cibernético rende memes no X Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins ???? PARCELADO | iPhone 15 atinge preço imperdível em oferta Amazon Prime Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft Seres paralisa venda de carros no Brasil por tempo indeterminado CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Veja Mais

NASA descobre cristais de enxofre em uma rocha de Marte

tudo celular O Curiosity da NASA fez uma descoberta verdadeiramente intrigante: cristais de enxofre em Marte. Veja Mais

BYD tem planos de lançar 3 novos carros plug-ins na Europa em 2026

tudo celular A BYD se prepara para lançar mais carros no mercado europeu em breve. Veja Mais

Compilador AMD LLVM encerra suporte ao conjunto "3DNow!" de instruções de processador

tudo celular O set já não vinha sendo usado nos últimos anos por ter se tornado obsoleto desde o seu lançamento, em 1998 Veja Mais

5 inovações e fatos curiosos do MINI Countryman SE ALL4

canaltech O MINI Countryman SE ALL4 chegou cheio de novidades ao Brasil em sua linha 2025, apresentada no início de julho em um evento que contou com a presença da reportagem do Canaltech em Campos de Jordão (SP). Clique e siga o Canaltech no WhatsApp Preview MINI Countryman SE ALL4 | Agora elétrico, SUV é pura diversão Depois de ver de perto as duas versões disponibilizadas aos clientes do Brasil (Exclusive e Top) e sentir, na prática, um gostinho do que o SUV pode entregar em um mercado bastante competitivo, listamos alguns fatos curiosos sobre o utilitário britânico. Conversamos reservadamente com Emílio Paganoni, Gerente-Sênior de treinamento da BMW Brasil, e pedimos a ele para listar também as inovações tecnológicas presentes no MINI Cooper Countryman SE ALL4. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Confira a seguir os principais destaques do SUV premium da marca pertencente ao BMW Group. MINI Countryman SE ALL4 tem muitas inovações na linha 2025 (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) 5. Novas máquinas elétricas dos motores O executivo do BMW Group revelou que a nova geração do MINI Countryman SE ALL4 tem como principal inovação a motorização, que trocou o powertrain híbrido plug-in pelo sistema 100% elétrico, formado por dois motores que, juntos, entregam 306 cv ao motorista (313 com o Boost acionado). Segundo Paganoni, as novas máquinas elétricas são muito mais compactas e extremamente eficientes e, em conjunto com as baterias de Geração 5, “dão ao MINI Countryman uma autonomia muito boa, com ótima regeneração e controle de temperatura”. Sistema elétrico de Geração 5 é uma das inovações importantes do MINI Countryman SE All4 (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) 4. Células de bateria com ventiladores individuais A segunda entre as inovações tecnológicas do MINI Countryman SE ALL4 também é ligada às baterias, mais especificamente às 156 células que compõem os cinco módulos do sistema que entrega 66,45 kWh e, segundo a marca, rodam até 320 km por carga, de acordo com o PBEV do Inmetro. Segundo Paganoni, a grande novidade fica por conta do sistema de refrigeração. “Não é indução por ventoinha. Tem ventilador com refrigeração ou calefação, dependendo da necessidade. Um por célula. Antigamente, nas gerações 2 e 3, havia as serpentinas em volta das células. Hoje é muito mais moderno”, explicou. Nova células de bateria têm sistema de refrigeração e calefação mais moderno, e isso influencia no ganho de autonomia (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) 3. MINI Countryman SE ALL4 “cresceu para aparecer” No campo das curiosidades, uma das principais diz respeito à mudança de tamanho da nova geração do MINI Countryman SE ALL4. O utilitário, literalmente, “cresceu para aparecer”. Os dados oficiais da marca confirmam que a nova geração do Countryman SE ALL4 ficou 13,6 centímetros maior que o anterior e, agora, ostenta 4,43 metros de comprimento. Além disso, está 2 cm mais largo (1,84 m), 7 cm mais alto (1,64 m) e com 2 centímetros a mais de entre-eixos (2,69 m). Novo MINI Countrymann SE ALL4 ficou maior, mais alto, mais largo e com entre-eixos mais generoso (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) 2. Tela OLED e navegação com realidade aumentada A terceira inovação do MINI Countrymann ALL4 em sua linha 2025 está no tipo de tela utilizado para a central multimídia, agora com tecnologia OLED. Segundo Paganoni, o SUV é “o único do mercado” a usar esse tipo de tela na indústria automotiva, e ela trabalha com uma placa de vídeo Nvidia Junto dela está uma inovação que também se mostrou presente nos novos BMW X2 e iX2, apresentados no mesmo evento promovido pelo grupo alemão: a navegação com realidade aumentada. “A câmera dianteira projeta a real imagem da rua e o sistema te dá as direções por seta”, resumiu Paganoni. Tela OLED e navegação com realidade aumentada estão presentes no Countryman SE ALL4 2025 (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) 1. Assinatura em LED configurável Fechando a lista de 5 curiosidades e inovações presentes no MINI Countryman SE ALL4 2025 está uma das mais legais de se olhar, mas, para isso, é preciso estar fora do utilitário: a assinatura em LED dos faróis e lanternas. A MINI embarcou nos novos SUVs elétricos e, também, no novo Cooper S, faróis e lanternas com assinatura em LED configurável, que oferecem três modos distintos: Classic Mode, Favoured Mode e JWC (John Cooper Works) Mode. Faróis e lanternas em LED com assinatura configurável estão presentes no Countryman e no Cooper S 2025 (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) As novas versões do MINI Cooper Countryman SE ALL4 já estão disponíveis em todo o Brasil, com preços que variam entre R$ 294.990 (Exclusive) e R$ 339.990 (Top). A marca oferece 10 variações de cores para a carroceria, que podem ser combinadas ainda com o teto e com o revestimento interno. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: X-Men | Quem são e quais os poderes dos novos alunos mutantes de 2024? CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins Pedaço de Mim | Novela da Netflix com Juliana Paes vira hit mundial 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Curiosity encontra pela 1ª vez rocha com cristais de enxofre em Marte Veja Mais

Férias de julho: top 10 filmes para assistir com as crianças no Amazon Prime Video

tudo celular Traga as crianças para a sala e aproveite os melhores filmes com elas no Amazon Prime Video. Veja Mais

Novidades da Netflix, Prime Video e Disney Plus nesta semana [20/07/2024]

tudo celular Todas as estreias da semana na Netflix, Prime Video e Disney Plus estão aqui. Veja Mais

10 notícias mais importantes da semana (15/07 a 19/07)

10 notícias mais importantes da semana (15/07 a 19/07)

Tecmundo Bom dia! Para se manter atualizado neste início de sabadão (20), o TecMundo separou tudo o que rolou de mais importante nesta semana (15 a 19 de julho). Além de várias notícias sobre tecnologia e ciência, o mundo do entretenimento e dos games também foram bastante movimentados no período.Logo na segunda-feira (15), noticiamos que a Netflix recebeu uma multa milionária do Procon. Na quarta-feira (17), a Netshoes foi vítima de um grande vazamento. Nesta sexta-feira (19), o mundo acordou com uma grande falha cibernética que afetou voos, bancos, emissoras e muito mais.Leia mais... Veja Mais

Vírus antigos em nosso DNA estariam atrelados ao câncer moderno

canaltech Fragmentos de DNA humano contém, em alguns casos, pedaços de vírus que infectaram nossos ancestrais há milhares de anos — agora, cientistas estão notando que tais elementos podem estar ativando o câncer em alguns pacientes. Em nosso genoma, há mais de 20.000 genes, usados para informar o copo como criar cada uma de suas partes e como funcionar. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp Organização do DNA nas células influencia em mutações cancerígenas Cerca de 8% dele é formado de DNA viral, já que antigos patógenos invadiram os humanos do passado e fizeram seus corpos carregarem e copiarem o material genético do vírus. Após se infiltrarem nos espermatozoides, óvulos e embriões, era uma questão de tempo até chegarem nas gerações modernas. Essa infecção não é, por si só, negativa — recentemente, descobrimos que a resposta imune contra o vírus causador da covid-19 depende, dentre outras coisas, dos fragmentos de DNA viral em nosso genoma. O problema é que, em alguns casos, esse material genético pode ser reativado, afetando negativamente o organismo. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Vírus, DNA e câncer Em um estudo publicado na revista científica Science Advances, pesquisadores da Universidade do Colorado descobriram que fragmentos do DNA de vírus podem se tornar “interruptores”, ativando genes próximos. Uma linhagem viral específica, chamada LTR10, infectou primatas há 30 milhões de anos, e se mostra muito ativa em diversos tipos de câncer, como os de pulmão e de cólon. Edward Chuong, um dos autores do estudo que descobriu a influência de vírus antigos no DNA humano (Imagem: Glenn Asakawa/Universidade do Colorado) Em análise do genoma de 21 tipos de câncer humano, foi notado o papel dessa linhagem, incluindo os já citados. Nos pacientes com câncer colorretal, um terço deles mostrou ter o LTR10 ativo. Uma solução, segundo os cientistas, é “silenciar” o DNA residual dos vírus, o que, segundo suas análises, faz os tratamentos contra a doença funcionarem melhor. Em testes onde o retrovírus genômico foi silenciado, a expressão genética próxima diminuiu, e os cânceres diminuíram mais quando tratados. Teoriza-se que, à medida que envelhecemos, o corpo passa a ficar com as defesas naturais mais fracas, aumentando as chances dos vírus antigos acordarem e causarem problemas à saúde. A ciência ainda vê como um mistério o fato de algumas doenças se originarem nas próprias células — apesar dos retrovírus endógenos não serem a resposta completa para o problema, pode ser um dos aspectos importantes para entender o fenômeno. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Fóssil de tatu gigante comprova presença humana na América do Sul há 21 mil anos X-Men | Quem são e quais os poderes dos novos alunos mutantes de 2024? Pedaço de Mim | Novela da Netflix com Juliana Paes vira hit mundial Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins Marvel introduz a filha de um herói clássico em nova HQ do Justiceiro Fusão nuclear | Imagens 3D mostram como é um reator tokamak por dentro Veja Mais

Após apagão, Pacheco defende regulação da Inteligência Artificial

Valor Econômico - Finanças Presidente do Senado é autor do PL 2.338/2023, que... Veja Mais

+Milionária, concurso 165: prêmio acumula e vai a R$ 250 milhões

G1 Economia Veja os números sorteados: 37 - 48 - 07 - 38 - 41 - 03 ; e trevos: 5 - 1. Próximo sorteio será no quarta-feira (24). Mais Milionária bilhete volante Rafael Leal /g1 O sorteio do concurso 165 da +Milionária foi realizado na noite deste sábado (20), em São Paulo, e nenhuma aposta acertou a combinação de seis dezenas e dois trevos. Com isso, o prêmio para o próximo sorteio acumulou em R$ 250 milhões. Clique aqui para seguir o canal de Loterias do g1 no WhatsApp De acordo com a Caixa Econômica Federal, nove apostas acertaram cinco dezenas e dois trevos e vão levar R$ 75.775,70 cada. Veja os números sorteados: Dezenas: 37 - 48 - 07 - 38 - 41 - 03 Trevos: 5 -1 Os outros ganhadores são: 5 acertos + 1 ou nenhum trevo - 37 apostas ganhadoras: R$ 8.191,96 4 acertos + 2 trevos - 154 apostas ganhadoras: R$ 2.108,78 4 acertos + 1 ou nenhum trevo - 2.219 apostas ganhadoras: R$ 146,35 3 acertos + 2 trevos - 2.911 apostas ganhadoras: R$ 50,00 3 acertos + 1 trevo - 25.578 apostas ganhadoras: R$ 24,00 2 acertos + 2 trevos - 24.613 apostas ganhadoras: R$ 12,00 2 acertos + 1 trevo - 206.495 apostas ganhadoras: R$ 6,00 +Milionária: veja como jogar na loteria da Caixa Sobre a +Milionária As chances de vencer na loteria são ainda menores do que na Mega-Sena tradicional: para levar o prêmio máximo, é preciso acertar seis dezenas e dois “trevos”. (veja no vídeo mais abaixo) O valor de uma aposta simples é de R$ 6. Com ela, o apostador pode escolher 6 números de 50 disponíveis e mais 2 trevos, dentre os seis disponíveis. Para apostas múltiplas, é possível escolher de seis a 12 números e de dois a seis trevos, com preços que chegam a R$ 83,1 mil. A +Milionária teve seu primeiro sorteio em maio de 2022. Na época, a Caixa informou que ela foi a primeira modalidade "a oferecer prêmio mínimo de dois dígitos de milhões". Cada concurso distribui o valor mínimo de R$ 10 milhões. Saiba mais aqui. Além disso, a +Milionária se destaca por ter dez faixas de premiação. São elas: 6 acertos + 2 trevos 6 acertos + 1 ou nenhum trevo 5 acertos + 2 trevos 5 acertos + 1 ou nenhum trevo 4 acertos + 2 trevos 4 acertos + 1 ou nenhum trevo 3 acertos + 2 trevos 3 acertos + 1 trevo 2 acertos + 2 trevos 2 acertos + 1 trevo Veja Mais

Quem era Thommy Schiavo, ator de Pantanal que morreu após cair de sacada no MT

G1 Pop & Arte Nascido em Presidente Prudente (SP), Thommy interpretou João Zoinho em Pantanal, além do cantor Leandro, da dupla Leandro e Leonardo, no especial “Por Toda Minha Vida”. Thommy Schiavo, ator de Pantanal, morre aos 39 anos Redes sociais/Instagram O ator Thommy Schiavo morreu aos 39 anos neste sábado (20) após sofrer uma queda de quatro metros de altura do prédio onde morava, em Cuiabá (MT). ???? Participe do Canal do g1 Presidente Prudente e Região no WhatsApp O ator era natural de Presidente Prudente (SP) e estava morando em Cuiabá há três meses, segundo a família. VEJA TAMBÉM: Thommy Schiavo, ator de Pantanal, morre aos 39 anos Ator de Pantanal morreu após se desequilibrar de sacada e cair de 4 metros de altura em Cuiabá, diz polícia Famosos lamentam a morte do ator Thommy Schiavo, ator de Pantanal Nascido em 1º de janeiro de 1985, Thommy se formou em teatro no Rio de Janeiro em 2006. Seu último papel de destaque foi em 2021 na novela Pantanal, da TV Globo. Ele interpretou o peão João Zoinho na segunda fase da novela, que trabalhava na fazenda de José Leôncio, interpretado por Marcos Palmeira. Além de atuar, Thommy tinha proximidade com cavalos e também auxiliou na preparação dos atores da novela que não possuíam proximidade com animais. Thommy protagonizou um beijo gay com ator Silvero Pereira em Pantanal Redes sociais/Instagram Na trama, o papel de Thommy também ganhou destaque no último capítulo, quando protagonizou um beijo gay com Zaquieu, interpretado pelo ator Silvero Pereira. O ator também interpretou o cantor Leandro, da dupla Leandro e Leonardo, no especial “Por Toda Minha Vida”, em 2007. Além disso, atuou nas novelas Paraíso, Beleza Pura, Além do Tempo e Cordel Encantado. Thommy deixa esposa e uma filha de um ano. Thommy Schiavo, ator de Pantanal, morre aos 39 anos Redes sociais/Instagram Queda de sacada O ator Thommy Schiavo morreu aos 39 anos na manhã deste sábado (20), em Cuiabá (MT). Segundo informações de familiares, o ator caiu de uma sacada e não resistiu aos ferimentos. Segundo a Polícia Civil, a morte foi causada por uma queda de cerca de quatro metros de altura. Conforme o boletim de ocorrência, o ator estava deitado na sacada do 2° andar do prédio onde morava, quando levantou, se desequilibrou e caiu. Conforme o boletim de ocorrência, a vítima estava bebendo com alguns amigos em uma conveniência próxima da residência. Ele morava em um conjunto de quitinetes de dois andares. Thommy foi encontrado de barriga para baixo e sem ferimentos aparentes, mas já sem vida. A polícia informou que, baseado nas imagens de câmera de segurança, ele estava sentado no andar superior e, depois, se deitou no chão por alguns minutos. Em seguida, se desequilibrou e caiu por cima do parapeito. O corpo será levado de Cuiabá para Presidente Prudente (SP), onde será velado na Casa de Velório Athia, localizada na Rua Emílio Trevisan, nº 1011, no Jardim Bela Daria. O horário do velório e do sepultamento ainda não foram definidos. Thommy Schiavo conta como é participar da novela Pantanal VÍDEOS: Tudo sobre a região de Presidente Prudente Veja mais notícias em g1 Presidente Prudente e Região. Veja Mais

X/Twitter prepara função para bloquear respostas com links

canaltech O X (antigo Twitter) está desenvolvendo um novo recurso para eliminar bots e spam na rede social. De acordo com Nima Owji - pesquisador independente de aplicativos que descobriu várias funções inéditas do X no passado — a plataforma planeja desativar respostas com links. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp X/Twitter volta a testar botão “não gostei” para respostas Em uma publicação no próprio perfil do X, Nima mostrou uma imagem com a opção de marcar uma caixa para impedir respostas com links. A caixa é opcional e fica na mesma seção para mudar quem pode responder o post. X is working on the ability to let you disable links in the replies of your posts! pic.twitter.com/dddP0a8l5w -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- — Nima Owji (@nima_owji) July 19, 2024 Christopher Stanley, diretor sênior de engenharia de segurança do X, confirmou a existência do recurso em uma resposta à publicação do usuário DogeDesigner. “Minha equipe construiu isso”, escreveu o diretor. Além de manter os bots de spam afastados, o recurso também pode impedir que usuários reais promovam sites pessoas em postagens de outras pessoas. No entanto, também pode impedir que usuários postem links para fontes legítimas e úteis. Ainda não há previsão para o recurso ficar disponível para todos os usuários. Por enquanto, somente usuários selecionados, como Nima, têm acesso à ferramenta. No passado, Nima descobriu que X estava experimentando uma moeda no aplicativo para ajudar os criadores a ganhar dinheiro com a plataforma. Vários meses depois da falsificação desenfreada de identidade no site, ele descobriu que a rede também estava trabalhando em novos recursos de verificação para perfis. O pesquisador ainda descobriu que a empresa estava procurando competir com o LinkedIn, oferecendo anúncios de emprego para organizações verificadas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins ???? PARCELADO | iPhone 15 atinge preço imperdível em oferta Amazon Prime Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft Seres paralisa venda de carros no Brasil por tempo indeterminado CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Veja Mais

Garfield e mais: os 10 filmes mais pirateados da semana (19/07)

Garfield e mais: os 10 filmes mais pirateados da semana (19/07)

Tecmundo Todos prontos para mais uma lista especial com os filmes mais pirateados da última semana? Ótimo, pois ela acabou de chegar! Chegou o momento de descobrirmos juntos quais foram os títulos mais quentes ao redor da internet nos últimos dias e, de quebra, discutir um pouquinho sobre cada um deles, para que você fique por dentro de tudo o que está rolando.Apenas lembrando, como de costume, que utilizamos os dados semanais levantados pelo site TorrentFreak, que acompanha quais títulos têm recebido mais downloads em sites de torrent, como base para este segmento. Não apoiamos a pirataria de forma alguma.Leia mais... Veja Mais

Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft

canaltech A Microsoft informou que o apagão cibernético da última sexta-feira (19) atingiu 8,5 milhões de PCs — menos de 1% de todos os computadores Windows do mundo. Causada por uma atualização no antivírus Falcon, da empresa CrowdStrike, a falha gerou problemas em bancos, aeroportos, comércios, entre outros setores dependentes de tecnologia. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp CrowdStrike alerta sobre ataques cibernéticos na América Latina após apagão Em uma publicação no blog oficial, o vice-presidente de segurança para empresas e sistemas operacionais da Microsoft, David Weston, compartilhou pela primeira vez os números oficiais do ocorrido. Embora a quantidade de dispositivos afetados tenha sido relativamente baixa, o estrago foi generalizado e global. Ao longo dos últimos dias, diversas empresas sofrem com danos nas operações, que devem durar pelas próximas semanas, segundo especialistas. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- “Apesar a porcentagem [de dispositivos afetados] ser pequena, os amplos impactos econômicos e sociais refletem o uso do CrowdStrike por empresas que executam muitos serviços críticos”, escreveu Weston no blog da Microsoft. Microsoft e CrowdStrike colaboram Apagão cibernético foi causado por falha em atualização de software da CrowdStrike (Imagem: Bruno De Blasi/Canaltech) O vice-presidente não informou o número exato de computadores Windows, com o software da CrowdStrike, afetados pela falha. É válido dizer que um único PC defeituoso pode derrubar servidores e até bancos de dados inteiros. Wetson ainda escreve que “embora não tenha sido um incidente da Microsoft”, a empresa trabalha com a CrowdStrike para resolver os problemas. O executivo afirmou que as empresas já desenvolveram “uma solução escalável que ajudará a infraestrutura do Azure da Microsoft a acelerar uma correção”. A ideia é permitir a correção remota e automática dos computadores afetados. A Amazon Web Services (AWS) e o Google Cloud Platform também estão colaborando para acelerar a resolução do problema. Leia mais sobre o caso: Falha que derrubou serviços online não é ataque cibernético, diz CrowdStrike Apagão cibernético provoca caos em aeroportos do Brasil e do mundo Apagão: aeroportos atuam “à moda antiga” pelo mundo; veja relatos Bradesco, Next e mais: bancos relatam instabilidade após apagão cibernético Recuperação de alguns sistemas pode demorar, diz CEO da CrowdStrike após apagão “Feliz dia internacional da tela azul”: apagão cibernético rende memes no X Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins ???? PARCELADO | iPhone 15 atinge preço imperdível em oferta Amazon Prime Seres paralisa venda de carros no Brasil por tempo indeterminado CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Veja Mais

Israel ataca cidade portuária no Iêmen controlada por houthis

Valor Econômico - Finanças O exército israelense disse que sua força aérea at... Veja Mais

Berkshire Hathaway, de Warren Buffett, vende US$ 1,5 bilhão em ações do Bank of America

Valor Econômico - Finanças Venda ocorreu após ações do BofA subirem com divul... Veja Mais

Saiba por que Deadpool esconde uma grande injustiça no mercado de HQs

canaltech Se você abrir a edição New Mutants #98 ou a estreia da versão nacional de X-Force no início dos anos 1991, é bem provável que você quase não reconheça o Deadpool. Embora ele tenha mantido os poderes básicos e suas armas e visual, a pessoa dentro do uniforme não tem nada a ver com o que já vimos em Deadpool e Deadpool 2 e o que veremos em Deadpool & Wolverine nos cinemas. E é justamente por isso que sua trajetória esconde uma das maiores injustiças nos bastidores da indústria dos quadrinhos. Wolverine & Deadpool | Como nasceu o bromance entre os mutantes nas HQs? Deadpool & Wolverine tem trailer final com uma surpresa feroz Xbox entra no hype com novo controle “bumbum de Deadpool” Saiba como o pai do Deadpool envelheceu bem mesmo desenhando mal Bem, para todos os efeitos, o criador de Deadpool é Rob Liefeld, que, embora ainda não consiga desenhar pés e mãos e sofra para manter a proporção dos personagens e a consistência dos traços e arte-final, a ideia de praticamente plagiar o Exterminador da DC Comics foi dele. Mas quem escreveu os cenários, as tramas em que ele se envolvia na época e os subplots conectados aos X-Men e a X-Force foi Fabian Nicieza — guarde essa informação, voltaremos a falar desse cara. Em sua estreia, Wade Wilson apareceu com o mercenário que conhecemos, mas ele era um vilão — e nem era dos melhores. Deadpool fazia parte de um grupo de malfeitores que pareciam atores de filme pornô dos anos 1980 e vivia aparecendo para estragar a felicidade de Cable e a X-Force, assim como do próprio Wolverine — aliás, na primeira treta entre os dois, há um painel tão malfeito que Logan parece uma criança. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Pense naquele Deadpool de X-Men Origins: Wolverine. Ele era bem parecido com aquilo. Para não sermos também injustos com Liefeld, vale lembrar que a atitude inconsequente e o jeitão sarrista estavam lá, mas de forma muito mais discreta se comparado com atualmente. Observe a proporção dos personagens e a caracterização infantil de Wolverine (Imagem: Reprodução/Marvel Comics) E, sim, os traços dele, embora muito irregulares, trouxeram energia e ação extrema para um cenário que precisava dessa explosão de testosterona. Ok, mas qual é a injustiça? Joe Kelly foi quem moldou o Deadpool atual Assim que Liefeld deixou a Marvel Comics para integrar a Image Comics com outros criadores, Deadpool foi parar nas mãos do escritor Joe Kelly e do desenhista Ed McGuinness em 1997. E foi com essa dupla que ele se tornou o Wade Wilson que conhecemos atualmente. No título mensal Deadpool produzido pela dupla é que passamos a ver o personagem “quebrar a quarta parede” e falar com os leitores. Eles é que introduziram esse humor sarcástico e ligeiro, cheio de gags. Foram Kelly e McGuinness que deram mais estofo para a vida de Wilson, com a colega de quarto cretina Blind Al e o bar dos mercenários.  Joe Kelly foi quem injetou esse humor sombrio e escrachado no Deadpool (Imagem: Reprodução/Marvel Comics) Além disso, eles é que inventaram um vilão que seria uma pedra no sapato de Deadpool por anos, o personagem conhecido como Ajax, ou Francis. Aliás, esse malfeitor tem a ver com o passado como rato de laboratório, em uma trágica parte de sua história que explica como ele foi abusado em experimentos que lhe deram câncer e deformaram seu corpo. Nos três anos da fase Kelly/McGuinness vimos desenhos muito bons com uma pegada parecida com mangás. Acompanhamos Deadpool sendo designado a uma missão para matar um Anticristo alienígena para se tornar um Messias intergalático. Rimos com Wilson chutando a virilha do Capitão América, para depois confessar que ele é fã número um de Steve Rogers.  Ao fim desse ciclo, Wilson se tornou um personagem muito mais divertido e interessante, com uma hilária dinâmica em suas histórias. O vilão se tornou um anti-herói e, na conclusão se transformou em um herói injustiçado, que sempre salva o mundo mas não é compreendido pelo mundo, que continua só julgando seus deslizes e passado sombrio. Ou seja, tudo o que você viu de mais legal no Deadpool de Ryan Reynolds a partir de seu filme solo veio da dupla Kelly/McGuinness. Liefeld não aceita dividir créditos com ninguém Desde que Deadpool se tornou um sucesso, Liefeld voltou a ser relevante e parou de fazer histórias estúpidas como a de uma insólita batalha entre Zeus e Jesus Cristo. Ele surfou na onda do sucesso e sequer lembrou de Joe Kelly.  Estranhamente, Kelly nem comenta muito sobre isso. E Liefeld parece sequer se lembrar que a alma que existe dentro do personagem que ele cometeu nos anos 1990 foi construída na fase Kelly/McGuinness.  Liefield voltou a desenhar Deadpool, mas note que nos traços dele aquela aura debochada desaparece (Imagem: Reprodução/Marvel Comics) Para completar a injustiça, Liefeld também se negou a dar reconhecimento e créditos para Fabian Nicieza, que, embora escreva histórias cafonas e previsíveis, teve sim sua parcela de culpa no Deadpool de início de carreira. A impressão que dá é que Liefeld é tão chato e insuportavelmente reclamão que tanto Nicieza quanto Kelly e McGuinness preferem ignorar a falta de créditos e reconhecimento para ter paz na vida — e olha que a maturidade até tornou o Liefeld bem melhor em muitos aspectos de suas atitudes, porém nem tudo dá para mudar. Ainda assim, isso não deixa de configurar uma das maiores injustiças já vistas no mercado de quadrinhos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins ???? PARCELADO | iPhone 15 atinge preço imperdível em oferta Amazon Prime Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft Seres paralisa venda de carros no Brasil por tempo indeterminado CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Veja Mais

Em evento do PL em Niterói, Bolsonaro foca discurso na ideologia e líderes de direita

Valor Econômico - Finanças O ex-presidente da República participou, na manhã... Veja Mais

Teoria da internet morta: conspiração ou a internet vai mesmo acabar?

tudo celular Teoria da conspiração ou fato? Qual é o futuro da internet? Veja Mais

Steam: veja os melhores jogos para PC em promoção com até 95% de desconto!

Steam: veja os melhores jogos para PC em promoção com até 95% de desconto!

Tecmundo Salve, salve, PC Gamer!! Venha conosco dar uma olhadinha na nossa seleção semanal com alguns dos melhores jogos para PC com desconto na  Steam! Listamos vários jogos para PC disponíveis na loja da Valve bem baratinhos, com até 95% de desconto, para você se divertir ao máximo gastando o mínimo.Entre as principais ofertas de jogos na Steam desta semana temos temos games como Marvel's Midnight Suns, Borderlands 2, Shadow Tactics: Blades of the Shogun, BioShock Infinite, Steep, Road Redemption e 12 is Better Than 6, que está custando apenas R$ 1,99. Isso mesmo, tem jogo saindo quase de graça!Leia mais... Veja Mais

Olímpiadas em Paris, capital da moda; veja os uniformes das delegações

G1 Pop & Arte Jogos Olímpicos começam no dia 26 de julho. Estilistas como Ralph Lauren e Giorgio Armani foram responsáveis pelos uniformes das equipes de atletas. Figurinos feitos pela estilista Stella Jean com o pintor Philippe Dodard para a delegação do Haiti Stella Jean/via AP Paris é uma das capitais mais influentes da Moda. Por isso, não é surpresa que os designers de todo mundo estejam ocupados em preparar os uniformes das delegações de seus países para ter um momento de destaque. Os figurinos são exibidos tanto na cerimônia de abertura, marcada para o dia 26 de julho, como nas próprias competições. Stella Jean é a estilista que desenhou o figurino de todos os atletas do Haiti. Jean, uma designer ítalo-haitiana baseada em Roma, calcula que terá exatamente dois segundos, na noite da cerimônia de abertura, para causar uma impressão no mundo — uma impressão que pode reverberar por anos. "Para esses atletas, é uma vitória só estar aqui", diz Jean, cujo design vivo e colorido pretende destacar a vitalidade cultural do país caribenho. No outro extremo do espectro de tamanho (e orçamento) está Ralph Lauren, que vai vestir centenas de atletas da equipe dos EUA nas cerimônias de abertura e encerramento, pela nona vez. Ralph, que está apresentando um visual casual de jeans azuis e blazers, é um dos designers mais ricos do mundo, junto com Giorgio Armani, que tem desenhado os uniformes da Itália desde 2012. Muitos outros estilistas se envolveram na empreitada, incluindo marcas mais jovens e "indies" ansiosas para causar impacto. É também uma oportunidade para enfatizar qualidades como sustentabilidade na moda e adaptabilidade, também, como nos designs para os Jogos Paralímpicos. "Designers e fabricantes agora percebem que isso pode ser uma enorme plataforma para eles, para muitas coisas", diz Alison Brown, que apresenta um podcast com temas relacionados aos Jogos Olímpicos, "Keep the Flame Alive". "Sustentabilidade é uma grande palavra da moda agora para toda esta Olimpíada." Canadá A equipe da Lululemon, que vestiu os atletas canadenses pela segunda vez, diz que ouviu atentamente os atletas e como eles se sentiram com as roupas. "Quando você se sente melhor, você dá o seu melhor”, diz Audrey Reilly, diretora criativa da equipe do Canadá na empresa de roupas esportivas. Ela se lembra de ouvir Alison Levine, uma atleta paraolímpica que usa cadeira de rodas, e saber que a atleta não tinha nada adequado para treinar – então ela usava uniforme médico. Atletas olímpicos canadenses Zak Madell, à esquerda, e Cindy Ouellet Lululemon via AP "Fiquei chocado que um atleta profissional tivesse que fazer isso", disse Reilly em entrevista. "Então dissemos: 'vamos investigar'." Um dos resultados foi uma "calça de carpinteiro sentada", parte de uma coleção que pretende ser inclusiva e adaptável. Outras características incluem fechos especiais para facilitar a colocação e retirada das roupas e bolsos nos joelhos para que um atleta como Levine possa acessar seu telefone durante o treino. Os atletas olímpicos canadenses Cindy Ouellet, Damian Warner e Leylah Fernandez, de Lululemon Lululemon via AP Para as cerimônias de abertura, os designers criaram o que chamam de "tapeçaria de orgulho". Desenhado à mão e incorporado no tecido, inclui 10 animais – nove representando as províncias do Canadá e um representando a França. "Queríamos evocar todo o Canadá, de costa a costa e de norte a sul", diz Reilly. Haiti Stella Jean, do Haiti, está acostumada a desenhar roupas lindas. Mas a beleza pela beleza não foi levada em consideração em seus projetos para a seleção do Haiti. Era tudo uma questão da mensagem. "Esta será a primeira boa notícia vinda do Haiti pelo menos nos últimos três anos", diz ela, e a aparição dos atletas é uma contra-mensagem às notícias sobre turbulência política, pobreza ou desastres naturais. "Então, senti a responsabilidade de dizer o máximo que puder sobre o país." Para isso, Jean colabora com o artista haitiano Philippe Dodard, cuja pintura vibrante será incorporada aos uniformes cerimoniais – saia em tons vivos para as mulheres e calças para os homens, combinadas com itens tradicionais como uma camisa de cambraia. Uniformes do Haiti desenhado por Stella Jean Stella Jean/via AP Os desenhos foram construídos com "sobras" de tecido – sustentabilidade, sim, mas não porque esteja na moda, diz Jean, mas porque no Haiti é uma tradição e uma necessidade. Jean chama os atletas haitianos de "embaixadores". "Esses embaixadores estarão lá, em Paris", diz ela. "E todos sabem, mesmo que sejam muito, muito jovens, o quão importante é a sua presença – e que não se trata apenas de desempenho. Eles sabem que seus corpos são uma bandeira." EUA Nos últimos jogos de verão em Tóquio, Ralph Lauren vestiu os atletas com algo literalmente fresco: uma tecnologia que direcionava o calor através de um ventilador na parte de trás do pescoço. Uniformes dos EUA para as Olímpiadas de Paris, desenhados por Ralph Lauren Charles Sykes/Invision/AP Para a Paris, ele está apresentando outro tipo de frescor: os bons e velhos jeans americanos. "Nada diz mais a América do que o jeans, especialmente quando estamos em Paris", disse David Lauren, diretor de branding e inovação da marca e filho do fundador, ao revelar o design em junho. Em sua nona vez vestindo a equipe dos EUA para cerimônias de abertura e encerramento, Ralph Lauren diz que o figurino será adaptado para cada atleta. Para a cerimônia de abertura, eles usarão blazers marinho sob medida com camisas Oxford listradas em azul e branco - e jeans. Kamren Larsen, atleta de BMX, exibe uniforme da delegação dos EUA para as Olímpiadas de 2024 Charles Sykes/Invision/AP Para a cerimônia de encerramento, a equipe usará jeans branco com jaquetas combinando nas cores vermelho, branco e azul. Lauren chamou a cerimônia de encerramento de "mais gráfica, mais divertida, um pouco mais emocionante". Índia O designer indiano Tarun Tahiliani é conhecido por sua capacidade de combinar elementos tradicionais com uma sensibilidade moderna. E foi isso que ele e a sua marca de moda masculina Tasva tentaram fazer pela equipa olímpica do seu país. Mansukh Mandaviya, Ministro da Juventude e Esportes da Índia, saiu, apresentando um kit à ex-atleta olímpica indiana, Mary Kom Assessoria de imprensa via AP Tahiliani disse à "GQ Índia" que quando começou a pesquisar o uniforme da cerimônia de abertura da Índia, notou uma tendência de países incorporarem suas bandeiras nacionais no design. Então ele começou a trabalhar em um design com tons tricolores de açafrão, branco e verde. Para os homens, Tahiliani começou com uma kurta, a típica camisa asiática longa e larga. Ele combinou isso com um bundi, ou jaqueta tradicional sem mangas. Ele disse à revista que usa bundi todos os dias, inspirado em seu pai, que era almirante da marinha indiana. Delegação da Índia mostra figurino para as Olímpiadas de Paris 2024 Assessoria de imprensa via AP Após feedback do comitê olímpico, o estilista abandonou o visual uniforme feminino, optando por um sári, que, segundo ele, "pode embelezar qualquer tipo de corpo, e é exatamente isso que queremos para nossas atletas femininas." Todos os figurinos incorporam bordados em açafrão e verde. "O objetivo é criar trajes que capacitem nossos atletas a representar a Índia com orgulho e confiança", disse Tahiliani. Itália Os atletas italianos estarão elegantemente vestidos com uniformes da Emporio Armani, como fizeram em todas as Olimpíadas desde 2012. Giorgio Armani recebe aplausos da seleção paraolímpica italiana no final da coleção masculina Primavera Verão 2024 da Emporio Armani apresentada em Milão, Itália, no sábado, 17 de junho de 2023 Luca Bruno/Arquivo/AP O agasalho do pódio é estampado com "W Italia", abreviação de "Eviva Italia" ou "Viva a Itália". O lema poderia se estender ao próprio designer Giorgio Armani, que completou 90 anos no dia 11 de julho. "Buscar novas soluções para o kit do atleta, que deve aliar elegância à praticidade, é sempre um desafio emocionante para mim?, disse Armani no ano passado, quando o kit nacional foi apresentado no desfile Primavera-Verão 2024 da jovem e esportiva Emporio Armani marca. A campeã paraolímpica Beatrice 'Bebe' Vio, à esquerda, usa um design da Emporio Armani para as Olimpíadas de Paris. Luca Bruno/AP Os agasalhos dos atletas são na cor azul Armani, que há muito é a cor do uniforme diário do estilista, seja como camiseta ou pulôver fino. Os atletas não terão desculpa para não conhecer o hino nacional: o início está estampado na gola das camisas polo, e todo o primeiro verso está dentro das jaquetas. Grã-Bretanha A marca de roupa britânica Ben Sherman, de 60 anos, conhecida pela sua roupa masculina, está a criar os uniformes olímpicos britânicos pela terceira vez e este ano quer lembrar ao mundo que a Grã-Bretanha é composta por quatro nações, não uma. O seu design para as cerimônias de abertura e encerramento "representa a unidade e a diversidade do Reino Unido, refletindo a rica tapeçaria da identidade da nossa nação", diz o diretor criativo da marca, Mark Williams. Os atletas britânicos Kye Whyte e Jacob Peters vestindo uniformes oficiais da equipe olímpica de Ben Sherman Ben Sherman via AP Williams descreveu em um e-mail seu novo motivo floral de quatro nações, com rosa, cardo, narciso e trevo, servindo como "uma homenagem às identidades e histórias únicas da Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte." Williams enfatiza que o motivo não é puramente decorativo, mas pretende enviar uma mensagem de colaboração e unidade. Seu motivo floral aparece nas cores azul e vermelho — em camisas polo, usadas com jaqueta bomber, e em meias coloridas, em colaboração com a marca Happy Socks. Os atletas da Coreia do Sul vão usar uniformes inspirados no símbolo circular nacional "taegeuk" do país, que ocupa o centro de sua bandeira. Coreia do Sul O círculo vermelho e azul denota harmonia entre as forças cósmicas negativas da porção azul e as forças cósmicas positivas do vermelho. Membros da seleção sul-coreana usam uniformes para a cerimônia de medalhas dos Jogos Olímpicos de Paris 2024 durante um dia de mídia no Centro Nacional de Treinamento Coreano em Jincheon, Coreia do Sul, em 26 de junho de 2024 Kim In-cheul/Yonhap via AP Os motivos dos uniformes da marca North Face também incluem um dos quatro trigramas pretos (grupos de barras) dos cantos da bandeira, segundo a Youngone Outdoor Co., parceira oficial do comitê olímpico do país que produz e distribui roupas North Face em Coreia do Sul. O trigrama usado simboliza a água. Um uniforme para cerimônias de medalhas apresenta uma jaqueta representando as águas azul índigo da costa leste do país em estilo de pintura a tinta, um cinto vermelho e calças pretas, diz Youngone. O uniforme da delegação para cerimônias de abertura e encerramento foi desenhado pela Musinsa Standard, uma marca própria administrada pela loja de moda online sul-coreana Musinsa. O uniforme todo azul claro inclui blazer, forro gravado com desenhos tradicionais de porcelana branca e azul, cinto e calça estilo tradicional. Brasil Bordadeiras do Rio Grande do Norte foram as responsáveis por fazer os detalhes das jaquetas jeans que serão desfiladas pelos atletas brasileiros na cerimônia de abertura das Olímpiadas. O figurino foi desenvolvido pela Riachuelo. Delegação brasileira embarca para Paris Reprodução/Alexandre Loureiro/Twitter/Time Brasil A empresa também ficou responsável pelas roupas de passeio e viagem da delegação brasileira. São moletons com as cores do Brasil, feitos de algodão desfibrado (reciclados). Eles têm ainda uma inscrição por dentro: "Embarcando no sonho". Veja Mais

Como favoritar um contato no WhatsApp | Guia Prático

canaltech O WhatsApp possui uma função que permite favoritar contatos e agilizar chamadas no app: os nomes ficam salvos no topo da aba de ligações, com atalhos para conversas por áudio ou vídeo. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp Como deixar o WhatsApp mais seguro | 10 dicas Como adicionar contatos aos favoritos no WhatsApp Existem diversas formas de favoritar um contato no mensageiro no Android e no iOS e o Canaltech explica cada uma delas: Nas configurações Siga estes passos: -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Abra o menu de configurações do WhatsApp; Toque em “Favoritos”; Selecione “Adicionar contato favorito”; Escolha os nomes na lista — não há limite de contatos. Salve um contato como favorito pelas configurações (Imagem: Captura de tela/André Magalhães/Canaltech) Na aba de ligações Também é possível gerenciar os favoritos na própria aba de chamadas: No menu inferior, toque em “Ligações”; Toque em “Mais” na seção “Favoritos”; Pressione o ícone de “+”; Escolha um contato. Também é possível salvar um perfil pela aba de ligações (Imagem: Captura de tela/André Magalhães/Canaltech) Na lista de conversas Por fim, a terceira opção permite salvar um contato pela própria lista de conversas: Toque e mantenha pressionado sobre um chat individual; Selecione o ícone de três pontos; Pressione “Adicionar aos favoritos”. Você pode selecionar um contato e favoritá-lo na lista de conversas (Imagem: Captura de tela/André Magalhães/Canaltech) Como acessar a lista de favoritos Para ver todos os números salvos, siga estas etapas: Toque em “Ligações”; Veja a lista completa; Pressione os botões ao lado de cada nome para fazer chamadas de áudio ou vídeo. Como remover um contato dos favoritos O WhatsApp também oferece mais de uma opção para excluir um contato da lista. No caso das configurações, o caminho é este: Abra as configurações; Toque em “Favoritos”; Selecione o ícone de lápis; Pressione a lixeira para excluir. Para remover na aba de ligações, siga estas etapas: Acesse “Ligações”; Toque em “Mais” sobre os contatos; Selecione o ícone de lápis; Pressione a lixeira para excluir. Por fim, você pode fazer o comando pela lista de conversas: Toque e pressione sobre um contato; Abra o menu de opções; Selecione "Remover dos favoritos". Se você procura uma forma de favoritar conversas no mensageiro, a alternativa é fixá-las no topo da tela do WhatsApp: veja o passo a passo no Android e no iOS. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: X-Men | Quem são e quais os poderes dos novos alunos mutantes de 2024? CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins Pedaço de Mim | Novela da Netflix com Juliana Paes vira hit mundial 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Curiosity encontra pela 1ª vez rocha com cristais de enxofre em Marte Veja Mais

Top 10: conheça os carros 0km mais baratos do Brasil atualmente

Top 10: conheça os carros 0km mais baratos do Brasil atualmente

Tecmundo Os preços dos carros novos não param de subir no mercado brasileiro e isso motiva muitas pessoas a buscarem alternativas entre os seminovos e usados. Existem infinitas opções para todos os gostos e bolsos, porém, quem ainda sonha em ter um 0km na garagem consegue achar modelos de entrada a valores entre 70 e 90 mil reais em média.A fim de lhe ajudar na tarefa de escolher o próximo 0km para ser seu companheiro de trânsito e garagem, o TecMundo fez um apanhado dos 10 modelos novos mais baratos oferecidos atualmente no país. É importante lembrar que esses valores são de tabela, podendo ser negociados ou sofrer alterações no ato da compra, direto na concessionária.Leia mais... Veja Mais

'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress

canaltech A nova “taxa das blusinhas” do governo brasileiro em produtos importados irá começar a ser aplicada a partir da próxima semana. O AliExpress divulgou, na sexta-feira (19), uma simulação mostrando como os preços serão impactados pela nova tributação (veja tabela completa abaixo). Clique e siga o Canaltech no WhatsApp Magalu lidera combate à venda de celulares ilegais no Brasil, diz Anatel Com o novo Imposto de Importação, todas as compras internacionais até US$ 50 (cerca de R$ 280, na cotação atual) vão ficar um pouco mais caras. Na simulação do AliExpress, a loja utilizou como exemplo uma remessa de R$ 100 — considerando o preço do produto, mais o frete. A compra terá valor final de R$ 120,48, já incluindo o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços) até 27 de julho. Após a data, porém, o valor total vai subir para R$ 144,58. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Na prática, o cliente passará a pagar mais de 44% do valor da compra em taxas. Serão 20% do novo Imposto de Importação, mais 17% de ICMS, de acordo com os dados divulgados pelo AliExpress: Abaixo de US$ 50 Como era Como fica agora Valor da remessa (preço produto + frete) R$ 100,00 R$ 100,00 Imposto de Importação (20%) — R$ 20,00 ICMS (17%) R$ 20,48 R$ 24,58 Total R$ 120,48 R$ 144,58 Por que 44% de imposto em vez de 37%? Apesar da soma do ICMS (17%) e do novo Imposto de Importação (20%) resultar em 37% de taxa, a cobrança segue uma ordem específica. Desta forma, o valor final sempre será um pouco mais alto que o esperado. A “taxa das blusinhas” será inserida primeiro ao preço do produto com o frete. Quando a nova regra passar a valer, o ICMS será aplicado considerando todos os itens (preço do produto + frete + Imposto de Importação). Então, o cálculo de impostos para compras internacionais deve ser feito da seguinte forma: Converta o valor do produto para reais; Adicione o custo do frete; Calcule 20% do valor total e some ao montante; Calcule 17% do resultado e some novamente. Nova regra reduz imposto de produtos caros A “taxa das blusinhas” adiciona o novo imposto apenas em produtos de baixo custo. O Imposto de Importação já existe para compras de alto valor no exterior — até US$ 3 mil (R$ 16.785) — desde julho do ano passado, porém a taxa é maior (60%). Produtos de valor alto vão ficar mais baratos no AliExpress com novas regras (Imagem: Unsplash/CardMapr.nl) Com a chegada das novas regras, compras de alto valor continuarão tendo a taxa de 60%, mais a cobrança de ICMS. Entretanto, o governo do Brasil irá garantir uma dedução fixa de US$ 20 sobre o valor do Importo de Importação. Isto é, após calcular o Imposto de Importação, será aplicado um desconto de US$ 20. Só depois é que o ICMS entra na conta para chegar ao valor final. O AliExpress usou a simulação abaixo para exemplificar o cálculo: Entre US$ 50,01 e US$ 3.000 Como era Como fica agora Valor da remessa (preço produto + frete) R$ 330,00 R$ 330,00 Imposto de Importação (20%) R$ 198,00 R$ 198,00 Dedução fixa (-US$ 20,00) — R$ 88,00 ICMS (17%) R$ 108,13 R$ 85,61 Total R$ 636,13 R$ 503,61 Acordo entre AliExpress e Magalu não afeta taxas O AliExpress vai começar a vender produtos da linha Choice no site e app do Magalu a partir de 31 de julho. A estratégia faz parte do projeto “Muralha”, que também prevê a inclusão da varejista brasileira como um vendedor de bens duráveis na plataforma chinesa. Desde o anúncio, especialistas em comércio eletrônico avaliam a parceria como positiva para ambas as empresas, devido a vantagens como: Redução de custos de logística; Aumento da capacidade de distribuição de produtos no Brasil; Aumento da oferta de produtos nos catálogos; Aplicações de novas tecnologias e estratégias de marketing. Além desses pontos, o e-commerce chinês, do Alibaba, espera reduzir não só preços, como também prazos de entrega.  É a primeira vez que o AliExpress vende itens em uma plataforma terceira no mundo, e que o Magalu assume o papel de seller em outro marketplace. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: X-Men | Quem são e quais os poderes dos novos alunos mutantes de 2024? CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins Pedaço de Mim | Novela da Netflix com Juliana Paes vira hit mundial Curiosity encontra pela 1ª vez rocha com cristais de enxofre em Marte Veja Mais

Netflix ultrapassa 277 milhões de assinantes em todo o mundo

canaltech A Netflix está em festa. Na quinta-feira (18), a gigante de streaming divulgou o seu relatório financeiro do segundo semestre de 2024 e revelou que adicionou mais de 8 milhões de usuários pagantes ao seu catálogo, chegando a impressionante marca de 277,65 milhões de assinantes. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp Netflix aumenta preço de todos os seus planos no Brasil Segundo os dados reportados pelo serviço, entre abril e junho deste ano, a Netflix teve um aumento de 17% de sua receita em relação ao mesmo período de 2023, faturando US$ 9,56 bilhões. O valor superou as expectativas de Wall Street para a companhia, que espera registrar no próximo trimestre outro aumento entre 14% e 15%. Em sua carta aberta aos investidores, o streaming comentou sobre a importância de alguns de seus produtos de sucesso do segundo semestre. No universo das séries, a empresa destacou a terceira temporada de Bridgerton, Bebê Rena, Rainha das Lágrimas e The Great Indian Kapil Show, enquanto entre os longa-metragens e especiais foram citados os títulos Sob as Águas do Sena, Atlas, Hit Man (não disponível no Brasil) e The Roast of Tom Brad. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Terceira temporada de Bridgerton foi um dos sucessos do segundo semestre da Netflix (Imagem: Divulgação/Netflix) O serviço contou também que, desde junho, vem testando uma nova página inicial em seu app para TV, que além de mais simples e intuitiva, tende a melhorar a experiência do usuário. Além disso, a Netflix continua investindo em seu plano básico com anúncios, pacote que, segundo a plataforma, cresceu 34% em novos assinantes no período. Cansado de perder tempo procurando preços baixos? Inscreva-se no Canaltech Ofertas e receba as melhores promoções no seu celular! Netflix lidera indicações ao Emmy A Netflix tem mesmo o que comemorar. O relatório financeiro da companhia foi divulgado um dia após a revelação dos indicados ao Emmy 2024, premiação em que a plataforma teve nada menos do que 107 nomeações (levando em conta categorias técnicas, anunciadas antes da cerimônia principal) vindas de 35 títulos diferentes. Netflix foi a plataforma de streaming com o maior número de indicações no Emmy 2024 (Imagem: Divulgação/Netflix) O número coloca a companhia como líder entre os serviços de streaming, superando a Max que havia ficado em primeiro lugar no ano passado com 127 indicações (e, para a 76ª edição, recebeu “apenas” 91) e seu próprio número de 2023, quando teve 103 nomeações. Entre suas produções mais indicadas estão a sexta e última temporada de The Crown (18 indicações), as minisséries Ripley (13) e Bebê Rena (11), a primeira temporada de O Problema dos 3 Corpos (6) e a série documental Beckham (5). Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: X-Men | Quem são e quais os poderes dos novos alunos mutantes de 2024? CrowdStrike, tela azul e Windows: entenda apagão cibernético desta sexta Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins Pedaço de Mim | Novela da Netflix com Juliana Paes vira hit mundial 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Curiosity encontra pela 1ª vez rocha com cristais de enxofre em Marte Veja Mais

Apollo 11 | Missão que levou o homem à Lua completa 55 anos

canaltech Há 55 anos, a missão espacial Apollo 11 levava os primeiros seres humanos à Lua, nosso satélite natural. A alunissagem ocorreu no dia 20 de julho, data que terá seu aniversário no próximo sábado, levando Neil Armstrong e Edwin “Buzz” Aldrin a andarem no solo de outro corpo celeste além da Terra pela primeira vez na história. Um terceiro astronauta, Michael Collins, ficou no módulo orbital. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp Qual foi a última vez que o homem pisou na Lua? O evento de 1969 possui algumas referências icônicas à ciência e mesmo à cultura pop, como a citação “Esse é um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”. O programa Apollo, em si, é fruto de sua época, com a Guerra Fria em curso e a Corrida Espacial sendo uma de suas principais consequências. Por um lado, os soviéticos já haviam emplacado basicamente todos os recordes, com o primeiro satélite no espaço, o primeiro homem, a primeira mulher, os primeiros animais, as primeiras caminhadas espaciais e muitos outros. Por isso, em 1961, o presidente americano John F. Kennedy afirmou: -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- “Escolhemos ir até a Lua nesta década e fazer as outras coisas, não porque são fáceis, mas porque são difíceis [...]”.   Conquistas da missão Apollo 11 Cumprindo a missão prometida, os astronautas americanos plantaram a bandeira americana na Lua, recolheram amostras e fotografias e experimentaram o solo lunar com uma caminhada, ao contrário do que teorias conspiratórias afirmam. Rochas vindas do satélite natural foram estudadas dois dias após a volta do módulo lunar à Terra, enquanto os tripulantes ficaram em uma quarentena de três semanas. A conquista da missão espacial Apollo 11 foi, acima de tudo, provar que a humanidade era capaz de chegar em segurança a outros corpos celestes, especialmente com a tecnologia da época. O foguete Saturn V decola, em 16 de julho de 1969, levando os três astronautas até a Lua na missão Apollo 11 (Imagem: NASA/Domínio Público) Embora os soviéticos afirmassem não haver uma corrida, o pouso na Lua foi visto como uma vitória, sendo transmitido para centenas de milhões de americanos pela televisão. Fotos da Terra tiradas do satélite natural, como a famosa Earthrise (esta da missão anterior, Apollo 8), marcaram a história e o imaginário popular. O sucesso ajudou a acalmar, também, os ânimos políticos dos Estados Unidos, em uma época em que a Guerra do Vietnã e as desigualdades sociais deixavam a opinião pública em atrito com o então presidente Nixon. Missões seguintes do programa Apollo, no entanto, não tiveram tanto apelo popular — a conquista principal já havia sido feita, e explorar a geologia da Lua é algo mais abstrato e complexo, difícil de cair nas graças do povo. O programa Apollo, na missão de número 8, tirou a icônica foto "Earthrise" (Imagem: William Anders/NASA) 55 anos depois, o único tripulante vivo da missão é Buzz Aldrin, que, mesmo aposentado e aos 94 anos, segue ativo no apoio a missões americanas para Marte, onde quer que humanos vivam nos próximos anos. Seu companheiro de missão Michael Collins faleceu de câncer em 2021, e Neil Armstrong, em 2012, após complicações de uma cirurgia de ponte de safena. A última missão tripulada à Lua também foi feita pelos Estados Unidos, na missão Apollo 17, em 1972. O recente programa Artemis planejava levar seres humanos de volta ao satélite natural ainda em 2024, no 55º aniversário da Apollo 11, mas contratempos adiaram a missão Artemis II para 2025.  A tripulação da Apolo 11 posa para foto em seus trajes espaciais (Imagem: NASA/Domínio Público) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Fóssil de tatu gigante comprova presença humana na América do Sul há 21 mil anos X-Men | Quem são e quais os poderes dos novos alunos mutantes de 2024? Pedaço de Mim | Novela da Netflix com Juliana Paes vira hit mundial Dexter revela primeiras imagens do prequel Original Sins Marvel introduz a filha de um herói clássico em nova HQ do Justiceiro Fusão nuclear | Imagens 3D mostram como é um reator tokamak por dentro Veja Mais

Pabllo Vittar triunfa na parada global com feat alternativo, em ano do pop festeiro e melancólico

G1 Pop & Arte "Alibi", feat da brasileira com iraniana Sevdaliza e a francesa Yseult, chegou (até agora) à 12ª colocação do ranking de músicas mais ouvidas do mundo no Spotify; veja análise do g1. g1 analisa 'Alibi', feat de Pabllo Vittar com Sevdaliza Depois de Anitta dominar a parada global de músicas com "Envolver" em 2022, é a vez de Pabllo Vittar escalar o mesmo ranking. Na lista de faixas mais ouvidas do Spotify no mundo, a brasileira chegou (até agora) à 12ª colocação com "Alibi". A música é uma parceria com a cantora iraniana de pop experimental Sevdaliza -- uma espécie de Björk das novas gerações. A francesa Yseult também participa da gravação. As cantoras Yseult, Sevdaliza e Pabllo Vittar no clipe de 'Alibi' Reprodução/YouTube Lançada em junho, "Alibi" foi beneficiada pelo bom momento do pop alternativo. Dois dos discos mais elogiados e comentados do ano têm letras melancólicas embaladas em batidas esquisitonas -- muitas delas festeiras e ao mesmo tempo sombrias: "Hit me hard and soft" mostrou a jovem Billie Eilish discorrendo sobre desilusões numa perspectiva mais madura; "Brat" colocou a popstar de nicho Charli XCX em seu auge, com reflexões profundas sobre a vida e a indústria da música. "Alibi" surfa na mesma onda, com uma letra sobre amor, dor e vulnerabilidade: "Você lembra quando foi a última vez que se sentiu segura no escuro? Esse mundo não foi feito pro coração de uma mulher." Pabllo aparece com expressão de voz mais grave, bem diferente da que ficou conhecida em suas músicas. Ritmos latinos Mas o verdadeiro segredo da faixa está no sample. A música que serve de referência para a melodia de "Alibi" é "Rosa", uma canção tradicional colombiana, que se conecta com as raízes indígenas da América Latina. A origem da música não é completamente conhecida: já foi atribuída à cantora colombiana Irene Martínez, ao compositor do mesmo país Magín Diaz e ao grupo cubano Sexteto Habanero. Sabe-se que ela foi feita entre as décadas de 1920 e 1930, mas as versões mais conhecidas foram lançadas por cantores latinos a partir dos anos 80. Capa do álbum 'El orisha de la rosa', de Magín Díaz; colombiano é um dos compositores que reivindicam autoria da música 'Rosa' Divulgação Em "Alibi", um trecho de "Rosa" é muito bem encaixado no refrão, para ajudar a construir a atmosfera de mistério da música. Ao misturar a referência de ritmos tradicionais latinos com o funk brasileiro, os criadores da faixa chegaram em uma sonoridade cosmopolita e descolada. Entre os 11 nomes nos créditos da composição, dois são de brasileiros: Rodrigo Gorky e Number Teddie, parceiros frequentes de Pabllo. Apesar da participação deles, as menções de funk em "Alibi" poderiam ter sido melhor trabalhadas, para alcançar um som ainda mais original. É um problema que pode ser resolvido numa versão remix. Há a expectativa de que ela aconteça e rumores rondam uma possível participação especial, que poderia impulsionar ainda mais a música na parada global. Nomes como o do astro porto-riquenho Bad Bunny e da cantora espanhola Rosalía são requisitados pelos fãs. Veja Mais

Mega-Sena pode pagar R$ 53 milhões neste sábado; +Milionária pode chegar a R$ 247 milhões

G1 Economia Apostas podem ser feitas até as 19h em lotéricas ou pela internet. Mega-Sena Marcelo Brandt/G1 Aposta única da Mega-Sena custa R$ 5 e apostas podem ser feitas até as 19h Marcelo Brandt/G1 A Caixa Econômica Federal promove neste sábado (20), a partir das 20h, os sorteios dos concursos 2.751 da Mega-Sena e 165 da +Milionária. A +Milionária tem prêmio estimado em R$ 247 milhões. Criada há mais de dois anos, a loteria nunca teve ganhador no prêmio principal. As chances de vencer são ainda menores do que na Mega-Sena: para levar o prêmio máximo, é preciso acertar seis dezenas e dois trevos. (veja no vídeo mais abaixo) O valor de uma aposta simples é de R$ 6. Com ela, o apostador pode escolher 6 números de 50 disponíveis e mais 2 trevos, dentre os seis disponíveis. Para apostas múltiplas, é possível escolher de seis a 12 números e de dois a seis trevos, com preços que podem chegar a R$ 83.160,00. A +Milionária se destaca por oferecer o prêmio principal mínimo de R$ 10 milhões por sorteio e possuir dez faixas de premiação. Veja os detalhes: +Milionária: veja como jogar na loteria da Caixa Mega-Sena Já a Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 53 milhões para os acertadores das seis dezenas. No concurso da última quinta-feira (18), ninguém levou o prêmio máximo. A aposta mínima para a Mega-Sena custa R$ 5 e pode ser realizada também pela internet, até as 19h – saiba como fazer a sua aposta online. Entenda como funciona a Mega-Sena e qual a probabilidade de ganhar o prêmio Para apostar na Mega-Sena As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal – acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito. Probabilidades A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, que custa R$ 5, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa. Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa. Veja Mais