Meu Feed

Últimos dias

Nubia Z60S Pro tem imagem e especificações reveladas após receber certificação

tudo celular O modelo da marca da ZTE deve substituir o Z50S Pro, apresentado por ela em 2023 Veja Mais

Após oito anos sem fazer novelas, Malu Mader retorna às telas; atriz fala sobre 'Renascer' e explica o motivo de não ter rede social

G1 Pop & Arte Malu recebeu o Fantástico no intervalo das gravações, que está sendo um reencontro com a sua história. Após oito anos sem fazer novelas, Malu Mader retorna às telas Depois de oito anos sem fazer novela, Malu Mader finalmente voltou. Ao Fantástico deste domingo (21), ela falou, comovida, sobre a participação especial em "Renascer". Malu recebeu o programa no intervalo das gravações, que está sendo um reencontro com a sua história. “Exatamente, eu cresci aqui, né? Trabalhei muito, desde os 16 anos... eu fiz coisas que foram muito importantes para minha formação. As séries, as novelas. Eu fui realmente formada aqui dentro", afirma. Malu ainda foi além: explicou por que não tem rede social. Ela tem um dos rostos mais conhecidos e um dos nomes mais importantes da teledramaturgia brasileira. Mas é discreta, sempre foi. “Não tenho rede social nenhuma, mas assim, não é por uma convicção nem nada... e de repente vem essa coisa da evasão de privacidade, não invasão, e todo mundo gostando de contar da sua vida, da sua intimidade e tal... eu acho que eu sempre tive muita noção do que me fazia feliz, do que é essencial pra mim. Um trabalho assim. O que vinha junto, essas questões de ego, exposição e tal, não só não me deslumbrava como me causava uma certa rejeição", declara. Malu ainda elogiou o feminismo do marido Toni Belotto e disse que, com o tempo, ficou cada vez mais tímida. Veja a entrevista completa no vídeo acima. Ouça os podcasts do Fantástico ISSO É FANTÁSTICO O podcast Isso É Fantástico está disponível no g1, Globoplay, Deezer, Spotify, Google Podcasts, Apple Podcasts e Amazon Music trazendo grandes reportagens, investigações e histórias fascinantes em podcast com o selo de jornalismo do Fantástico: profundidade, contexto e informação. Siga, curta ou assine o Isso É Fantástico no seu tocador de podcasts favorito. Todo domingo tem um episódio novo. PRAZER, RENATA O podcast 'Prazer, Renata' está disponível no g1, no Globoplay, no Deezer, no Spotify, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, na Amazon Music ou no seu aplicativo favorito. Siga, assine e curta o 'Prazer, Renata' na sua plataforma preferida. BICHOS NA ESCUTA O podcast 'Bichos Na Escuta' está disponível no g1, no Globoplay, no Deezer, no Spotify, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, na Amazon Music ou no seu aplicativo favorito. Veja Mais

Deadpool & Wolverine, Impuros e mais: os principais lançamentos da semana

Deadpool & Wolverine, Impuros e mais: os principais lançamentos da semana

Tecmundo Julho continua sendo um mês recheado de lançamentos. O grande destaque não poderia ser outro senão Deadpool & Wolverine, um dos filmes mais esperados do ano, e que chega aos cinemas de todo o Brasil esta semana. Já nas plataformas de streaming, o primeiro destaque fica para a quinta temporada de Impuros, série nacional, exclusiva da Disney Plus. Na Amazon Prime Video, temos a estreia de Guerra Sem Regras, novo filme Guy Ritchie que traz Henry Cavill como protagonista. Leia mais... Veja Mais

Empresa da Embraer mostra primeiro protótipo de carro voador em tamanho real

canaltech A Eve Air Mobility (Eve), fabricante de aeronaves elétricas de decolagem e pouso vertical (“eVTOL”), empresa da Embraer, anunciou hoje a montagem de seu primeiro protótipo de carro voador em escala real. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp Qual a diferença entre quadricóptero, drone e carro voador? A aeronave foi produzida na unidade da Embraer em Gavião Peixoto, São Paulo, foi exibida da durante a 45ª edição do Farnborough Airshow no Reino Unido. Em comunicado à imprensa, Johann Bordais, CEO da EVE informa: “Agora, devemos focar na preparação de uma rigorosa bateria de testes". -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Os testes irão avaliar aspectos de desempenho e operacionais, entre eles, a capacidade de voo e os recursos de segurança do eVTOL, que devem seguir critérios rigorosos e de alto padrão. As informações obtidas com os testes também terão um papel crucial no aprimoramento do design e funcionalidade da aeronave. Objetivos para o futuro O objetivo da EVE é produzir 2.900 eVTOLs que usam uma configuração de decolagem e cruzeiro com rotores dedicados ao voo vertical e asas fixas utilizadas para o voo em cruzeiro. O conceito mais recente do carro voador inclui um propulsor elétrico alimentado por motores elétricos duplos que proporcionam redundância de propulsão para alto desempenho, segurança e menor custo operacional. Enquanto desenvolve carros voadores, a EVE segue produzindo programas para gerenciamento de tráfego aéreo e urbano como o Vector, com objetivo de otimizar operações de mobilidade aérea e urbana no mundo. Carro voador conhecido Embora o anúncio pareça algo surpresa, a EVE já havia divulgado um teaser de seu eVTOL em maio de 2024. Com informações: Embraer Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Windows com mais de 30 anos pode ter salvado companhia aérea de apagão Quanto pesa o cérebro humano? Confira 7 curiosidades sobre o órgão A história do homem que roubou o cérebro de Einstein Mashco Piro: conheça o povo peruano isolado que apareceu em imagens raras 5 motivos para não comprar o BYD Seal Veja Mais

Com gol de Borja, River Plate busca empate contra o Lanús nos minutos finais no Campeonato Argentino

Com gol de Borja, River Plate busca empate contra o Lanús nos minutos finais no Campeonato Argentino

Fox Sports Brasil Todo o esporte AO VIVO da ESPN disponível no Disney+! http://dis.la/ESPNenDisneyPlus_YT_BR E o melhor do jornalismo esportivo, com vídeos e notícias exclusivas, você acompanha no https://www.espn.com.br/ #riverplate #borja #futebol Veja Mais

E ESSA RESENHA DO RENATO GAÚCHO? KKKK #Shorts

E ESSA RESENHA DO RENATO GAÚCHO? KKKK #Shorts

Fox Sports Brasil Todo o esporte AO VIVO da ESPN disponível no Disney+! http://dis.la/ESPNenDisneyPlus_YT_BR E o melhor do jornalismo esportivo, com vídeos e notícias exclusivas, você acompanha no https://www.espn.com.br/ #gremio #renatogaucho #futebol Veja Mais

Cardiff City faz 3 x 0 e atropela Hamburgo em amistoso de pré-temporada

Cardiff City faz 3 x 0 e atropela Hamburgo em amistoso de pré-temporada

Fox Sports Brasil Todo o esporte AO VIVO da ESPN disponível no Disney+! http://dis.la/ESPNenDisneyPlus_YT_BR E o melhor do jornalismo esportivo, com vídeos e notícias exclusivas, você acompanha no https://www.espn.com.br/ #cardiff #hamburgo #futebol Veja Mais

Presidente da Câmara dos Representantes dos EUA critica decisão de Biden

Valor Econômico - Finanças Mike Johnson disse que desistência de Biden de con... Veja Mais

Após semanas de pressão, democratas agora elogiam ‘heroísmo’ de Biden

Valor Econômico - Finanças Ao desistir de reeleição, Biden pode estar novamen... Veja Mais

TV Cultura: 11 desenhos nostálgicos exibidos na emissora nos anos 2000

TV Cultura: 11 desenhos nostálgicos exibidos na emissora nos anos 2000

Tecmundo A TV Cultura nos anos 2000 era o canal ideal para quem era fã de desenhos. Lá era possível acompanhar uma programação repleta de animações, muitas delas inéditas, e que eram mania em todo o mundo. Além é claro de clássicos do passado, como o icônico Pingu. Cyberchase, Os Sete Monstrinhos, Os Camundongos Aventureiros e O Pequeno Urso são só alguns exemplos do que era exibido diariamente na grade do canal aberto. E para lembrar dessa divertida época, hoje o Voxel traz uma lista com 11 desenhos nostálgicos exibidos na emissora nos anos 2000. Confira!Leia mais... Veja Mais

Need for Speed Underground 2: veja lista de códigos e cheats para PC e PS2!

Need for Speed Underground 2: veja lista de códigos e cheats para PC e PS2!

Tecmundo Lançado lá em 2004 para PlayStation 2, Xbox, PC e GameCube, Need For Speed Underground 2 é um dos títulos mais emblemáticos não só da franquia da EA, mas de todos os jogos de corrida em contexto geral. Que atire a primeira pedra quem não sente aquela nostalgia boa quando toca Riders on the Storm!Desenvolvido pela Electronic Arts, em NFS Underground 2 os jogadores podem mergulhar em um vasto universo do tuning, que ficou ainda mais popular na época por conta do jogo e dos filmes da franquia Velozes e Furiosos.Leia mais... Veja Mais

Pente-fino no INSS começa em agosto; prorrogação de benefícios já passa por perícia presencial

G1 Economia Estimativa do INSS é revisar 680 mil benefícios ainda este ano. Foco é checar Benefícios por Incapacidade Temporária e Benefícios de Prestação Continuada. INSS começa a telefonar para segurados à espera do auxílio doença há mais de 45 dias Jornal Nacional/Reprodução O programa de revisão de benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o chamado pente-fino dos benefícios, deve cortar cerca de 680 mil pagamentos, segundo o governo. A previsão é que esse processo comece nas próximas semanas. Segundo o governo, o objetivo do pente-fino é combater fraudes e irregularidades no pagamento de benefícios, mas também cortar gastos e abrir espaço no Orçamento da União. A meta fiscal deste e do próximo ano é zerar o déficit das contas públicas. Ou seja, gastar apenas o que arrecadar. Os pedidos de prorrogação do Benefício por Incapacidade Temporária, antigo Auxílio-doença, já estão sendo direcionados para a perícia médica presencial. Pressionado por pente-fino, governo discute medidas que podem ampliar BPC Em entrevista à TV Globo, o presidente do INSS, Alessandro Stefanutto, explicou por que a autarquia está antecipando a revisão desses casos. “Antes, o segurado pedia prorrogação e era automática. Agora, aqueles que têm um afastamento com um CID (classificação internacional de doenças), que não comporte longos períodos, como, por exemplo, seis meses para uma fratura simples no dedo, esses segurados, ao ligarem para o 135 (central de atendimento do INSS), estão sendo encaminhados para a perícia presencial", disse Stefanutto. O foco, a partir de agosto, é checar dois tipos de benefícios que tenham sido concedidos há mais de dois anos: Benefício por incapacidade temporária: é pago ao segurado do INSS, que está incapacitado para o trabalho por mais de 15 dias consecutivos por causa de doença ou acidente; e Benefício de Prestação Continuada: é pago a idosos com 65 anos ou mais e a pessoas com deficiência, em qualquer idade. O benefício é dado a quem tem renda per capita familiar (por membro da família) igual ou inferior a ¼ do salário mínimo (equivalente hoje a R$ 353). A estimativa do INSS é que pelo menos 680 mil benefícios sejam revistos até o fim do ano. O governo calcula chegar a 800 mil até o fim do programa de revisão, que não tem prazo para acabar. Leia também: Tebet diz que governo tem que cortar gastos, mas aqueles 'desnecessários', e não em programas sociais Ana Flor: combate de fraudes em benefícios vai ajudar a fechar as contas Como vai funcionar? Segundo o INSS, a revisão dos benefícios se dará, num primeiro momento, por meio da checagem de dados: o instituto fará cruzamento de informações disponíveis para conferir se o cidadão tem ou não direito ao benefício. Se houver algum indício de irregularidade, a pessoa será notificada e terá que comparecer a uma agência do INSS. O presidente da autarquia aconselha aos beneficiários que tenham sempre os documentos em dia. "Não é preciso ter pânico, nem temer a suspensão do benefício de repente. Os casos serão analisados com base em cruzamento de dados e as pessoas que serão chamadas terão que comprovar a necessidade do benefício. Provou? O pagamento continua. É importante que os beneficiários tenham em mãos laudos e exames médicos atualizados para que haja comprovação mediante perícia médica sobre a necessidade de manter o benefício", diz Stefanutto. ? O presidente do INSS, Alessandro Stefanutto. Divulgação/INSS Aumento dos pedidos de BPC Dados do órgão apontam que o número de requerimentos do Benefício de Prestação Continuada (BPC) saltou nos últimos dois anos. No primeiro semestre de 2022, foram 621 mil pedidos de BPC. No mesmo período em 2023, 866 mil. Já de janeiro a junho deste ano, o número superou um milhão (1,04 mihão). Questionado sobre o que explicaria esse aumento, o presidente do INSS disse que é necessária uma avaliação técnica, mas elencou uma soma de fatores. "A meu ver, as pessoas que estão em vulnerabilidade social, ou que perderam seus empregos, buscam benefícios no INSS – mesmo que não tenham direito – na esperança de garantir alguma renda. Isso é uma avaliação pessoal. Para termos certeza desse movimento é necessário fazer um estudo técnico", avaliou. Veja Mais

Rebeldes pró-Irã do Iêmen escalam crise e atacam sul de Israel

Valor Econômico - Finanças Israel confirmou apenas um lançamento, interceptad... Veja Mais

Conselho da Qualicorp aprova acordo de leniência que envolve multa de R$ 43,5 milhões

Valor Econômico - Finanças Até R$ 20 milhões serão pagos pelo fundador da emp... Veja Mais

FT: Donald Trump arrecadou mais dinheiro do que Joe Biden no segundo trimestre

Valor Econômico - Finanças Ex-presidente recebeu aumento de doações desde con... Veja Mais

Review BYD Seal | Elétrico chinês encanta, mas pode melhorar

canaltech A gente sabe que um carro é diferente quando sai para dar uma volta e ouve as pessoas nas ruas falando “caraca”, “nossa”, “que carro é esse?” em praticamente todos os lugares por onde passa. E foi exatamente isso que aconteceu durante os dias que passei ao volante do BYD Seal em nome do Canaltech. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp 5 motivos para comprar o BYD Seal 5 motivos para não comprar o BYD Seal O coupé 100% elétrico da marca chinesa causou uma “epidemia de torcicolos” nas ruas de Jundiaí e Louveira, tamanho foi o número de pescoços que viraram para apreciar o imponente sedan branco tão logo ele surgia (já que não há barulho do motor para “anunciar” sua chegada). O design arrojado do Seal, porém, nem de longe é o melhor atributo do sedan da BYD, que já fez um enorme barulho no mercado brasileiro e chegou a figurar, durante vários meses, na lista dos 10 sedans mais vendidos do país, à frente de muitos carros a combustão de montadoras mais tradicionais. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Os dois motores elétricos que, juntos, entregam 531 cv de potência nas mãos do motorista, o impressionante 0 a 100 km/h, imortalizado em uma plaquinha na parte traseira do coupé (3.8 S), o comportamento dinâmico e alguns acessórios, como o teto panorâmico, tornaram a confecção deste review uma tarefa deliciosa. Confira o que achamos do BYD Seal. BYD Seal é sedan elétrico, esportivo e com preço atraente (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) Prós Potência Comportamento dinâmico Eficiência energética Teto panorâmico Preço Contras Visibilidade traseira Suspensão muito mole Tamanho da multimídia Calibração do ADAS Conectividade e Segurança O BYD Seal não foge à regra dos carros lançados pela montadora chinesa no Brasil. Isso significa que, assim como o Yuan Plus, o Song Plus DM-i e até o Mini Dolphin, o sedan elétrico vem com um pacote bastante completo no que diz respeito à conectividade e segurança. Além das baterias tipo Blade, consideradas as mais seguras do mundo, o carrão de 4,80 metros de comprimento, 2,92 m de entre-eixos, 1,91 m de largura e 1,59 m de altura tem oito airbags, aviso de colisão dianteira e traseira, frenagem de emergência, alerta de tráfego cruzado, freio de tráfego cruzado, assistência de manutenção em faixa, assistência de mudança de faixa, controle de cruzeiro adaptativo e câmera 360 graus. Embora alguns dos itens atuem de forma exagerada e, às vezes, equivocada, como pontuamos na lista de motivos que podem fazer o cliente não comprar o Seal, é sempre melhor ter o recurso e ajustá-lo do que não oferecê-lo ao cliente.  Câmera com visão 360 é um dos destaques do BYD Seal (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)A conectividade oferece pareamento para smartphones com Apple CarPlay e Android Auto e, ainda, um dos recursos mais bacanas do modelo: o NFC Card. Ele permite travar e destravar as portas encostando o cartão no retrovisor e até mesmo dar a partida, desde que o aplicativo esteja instalado em um smartphone previamente pareado. "O BYD Seal tem potência de sobra, é equilibrado e muito bonito, mas ainda carece de alguns ajustes" — Paulo Amaral Conforto e Experiência de uso Depois de experimentar brevemente o Seal no Autódromo de Interlagos, passar uma semana de posse do carro foi uma experiência que serviu para ressaltar os pontos positivos detectados no primeiro contato e, também, detectar outros que necessitam de pequenos ajustes. Vamos começar pelos pontos positivos, que são muito maiores do que os que incomodaram um pouco durante os testes ao volante. O Seal é um sedan coupé com pegada esportiva, e isso fica claro já ao entrar no carro, pois a posição de dirigir é baixa e os bancos moldados ao melhor estilo cockpit. O desempenho, como esperado, é de dar frio na espinha. Afinal de contas, são dois motores elétricos, instalados um em cada eixo, com 218 cv no dianteiro e 313 cv no traseiro. Juntos, eles entregam  531 cv de potência e 60,2 kgf/m de torque, e fazem o coupé acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 3,8 segundos — tempo invejável até mesmo por esportivos de marcas mais tradicionais. BYD Seal é grande, mas tem potência de sobra para acelerar a 100 km/h em menos de 4 segundos (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)A força e a potência precisam ser controladas, e o BYD Seal faz isso com maestria. A direção se mostrou precisa e com respostas rápidas, enquanto a tração integral foi competente em manter o carro sempre à mão nas curvas. O principal senão fica por conta da suspensão macia (até demais nas lombadas), como frisamos na lista de possíveis motivos para não comprar o sedan chinês. Além disso, a visibilidade traseira, prejudicada por conta do design coupé, também incomodou em alguns momentos, principalmente em rodovias, nas situações em que a velocidade é maior. Não há também como deixar de citar os problemas apresentados por alguns dos assistentes de direção, em especial a frenagem automática de emergência e o assistente de permanência em faixa. Ambos, talvez por má calibragem, atuaram de forma demasiada e, às vezes, equivocada, causando sustos desnecessários durante a condução. Em termos de eficiência energética, porém, só elogios. As baterias de 82,5 kWh podem rodar, segundo o PBEV do Inmetro, até 372 km sem precisar recarregar. O número real, porém, aparenta ser bem maior, pois, mesmo cravando o pé no acelerador vez ou outra para sentir uma emoção a mais, passamos dos 400 km percorridos e devolvemos o carro com uma boa sobra no “tanque”. Colocamos o Seal no carregador só pra fazer "pose para a foto", pois ele voltou com carga no "tanque" (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)Design e Acabamento Pensou que o ponto alto do BYD Seal fosse a aceleração e o comportamento dinâmico? Errou! O design externo e o acabamento interno do sedan elétrico chinês são igualmente elogiáveis, e jogam por terra as críticas de quem ainda tem na cabeça a imagem de que “produto da China não presta”. Por fora, o coupé logo remete ao visual de carros consagrados de marcas premium, em especial ao Porsche Taycan. As luzes dianteiras em LED são a marca registrada, mas as maçanetas escamoteáveis, as lanternas traseiras interligadas por um feixe luminoso e os vincos do capô e das laterais não deixam dúvidas de que o Seal é um esportivo “nervoso”. Por dentro, o Seal é o tipo de carro que pode, sem exageros, te deixar sem fôlego, tamanho o capricho e a beleza que a cabine oferece. Além dos materiais sensíveis ao toque nos painéis, portas e console e dos bancos confortáveis, a alavanca de câmbio tipo joystick e, principalmente, o teto panorâmico, são de tirar o chapéu. Teto solar panorâmico (que não abre, é bom avisar) é um show à parte no Seal (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)O carro conta ainda com dois carregadores de celular por indução, duas entradas USB, uma delas tipo C (mal posicionadas, diga-se de passagem), ajustes elétricos para o banco do motorista e sistema de som Dynaudio com 12 alto-falantes. Concorrentes O BYD Seal não tem um rival direto no mercado brasileiro, mas, por conta da esportividade e da potência que entrega, elegemos o Porsche Taycan, em sua variante de entrada, como o concorrente mais próximo do coupé chinês até o momento. O modelo mais básico da marca alemã tem 408 cv e custa a partir de R$ 629 mil. Em números frios, ele entrega menos potência e é mais caro que o Seal, mas há outros pontos que precisam ser colocados na balança, e isso faremos em um outro conteúdo, ok? BYD Seal é apontado como rival do Porsche Taycan, principalmente pela potência e semelhança (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) "Se a BYD calibrar os recursos de ADAS, será difícil para os rivais acompanharem o Seal" — Paulo Amaral BYD Seal: Vale a pena? Depois de passar alguns dias de posse do BYD Seal e colocar o coupé elétrico à prova tanto em vias urbanas quanto em rodovias, a resposta simples e direta para quem perguntar se vale a pena gastar quase R$ 300 mil no elétrico chinês (R$ 299,8 mil em julho) tem apenas três letrinhas: "SIM"! Afinal, não há no mercado brasileiro, em qualquer segmento, um carro que ofereça mais de 500 cavalos, esportividade, beleza e desempenho por menos de R$ 300 mil, como o modelo chinês. Claro que há pontos a serem ajustados, mas eles são pequenos perto dos muitos benefícios que o Seal oferece. BYD Seal é único carro do mercado brasileiro com mais de 500 cv por menos de R$ 300 mil (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)*O BYD Seal utilizado neste  review foi gentilmente emprestado ao Canaltech pela BYD Brasil. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: ???? PARCELADO | iPhone 15 atinge preço imperdível em oferta Amazon Prime Google anuncia fim do encurtador de links, o que pode gerar erros em sites 5 motivos para não comprar o BYD Seal Seres paralisa venda de carros no Brasil por tempo indeterminado Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft Qual é melhor tablet bom e barato para comprar em 2024? Veja Mais

Carro elétrico: o que considerar antes de pensar em ter um?

Carro elétrico: o que considerar antes de pensar em ter um?

Tecmundo Os veículos elétricos já são uma realidade presente e ao alcance de qualquer um. Atualmente, as opções mais baratas ficam na faixa dos 100 mil reais, custando o mesmo que modelos a combustão e despertando a curiosidade de muitos consumidores. Acontece que não basta comparar valores: é preciso analisar se um carro elétrico se enquadra em sua realidade.Para te ajudar a decidir se é hora de ter um 100% elétrico na garagem ou não, o TecMundo fez um pequeno compilado de tópicos que você precisa analisar antes de transformar a vontade em realidade. Vale ressaltar que os híbridos, também chamados de eletrificados, não se enquadram nesses tópicos devido a sua arquitetura mista com um motor a combustão.Leia mais... Veja Mais

Como Olinda se tornou o epicentro do judaísmo no Novo Mundo

Valor Econômico - Finanças Livro do pesquisador Jacques Ribemboim revela raiz... Veja Mais

Agenda de política: Lula cumpre agendas em SP, Rio e lança PAC Seleções

Valor Econômico - Finanças Presidente recebe, na quinta, a primeira-ministra... Veja Mais

Pecuarista tem que fazer contas quando deixa a boiada no confinamento

G1 Economia Na propriedade rural localizada em Irapuã (SP), uma boa gestão é imprescindível para uma boa qualidade do gado. Nela, todos os gastos com dietas nutricionais são precisamente calculadas, garantindo um resultado financeiramente positivo. Um bom desenvolvimento da fazenda e do gado, tanto na qualidade como no financeiro e na gestão Reprodução/TV TEM Para um bom desenvolvimento da fazenda e do gado, tanto na qualidade como no financeiro, é necessária uma boa gestão, com planos de ação e contas para todos os lados. ???? Participe do canal do g1 Sorocaba e Jundiaí no WhatsApp Em uma propriedade rural de Irapuã (SP), tudo é decidido na conversa entre pai e filho no escritório. Nela, é importante ficar de olho no tempo em que o gado permanece no local antes de ir ao frigorífico, levando a genética como principal fator. "Se eu tenho animais de boa genética e que tem uma resposta para um maior tempo de confinamento, eu posso deixá-los por mais dias. Caso contrário, eu tenho que encurtar um pouco o período da sua permanência", explica Fernando Costa, líder da fazenda. Isso se deve ao ganho de peso dos animais com uma boa genética. Depois de um tempo médio de 120 dias, os animais não considerados puros param de engordar, aumentando somente o custo de manutenção. "Nós tentamos fazer a dieta mais barata para o melhor ganho, sempre. Isso impacta muito no final do confinamento. O custo nutricional no resultado final é muito grande", explica Maurício Lerro, zootecnista da propriedade. Veja a reportagem exibida no programa em 21/07/2024: Pecuarista tem que fazer contas quando deixa a boiada no confinamento VÍDEOS: veja as reportagens do Nosso Campo Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes sociais Confira as últimas notícias do Nosso Campo Veja Mais

Apagão cibernético: Microsoft confirma quantidade de PCs afetados pelo bug

tudo celular A Microsoft divulgou um relatório confirmando quantos PCs foram afetados pelo bug que causou o apagão cibernético na última sexta-feira. Veja Mais

Xiaomi HyperOS 2.0 melhora RAM virtual e expande opções para até 16 GB

tudo celular O Xiaomi HyperOS 2.0 deve trazer uma importante atualização no recurso de RAM virtual para deixar os smartphones mais poderosos. Veja Mais

Vivo V40 Pro é certificado com Dimensity 9200 Plus, bateria de 5.500 mAh e mais

tudo celular O novo vivo V40 deve ser lançado em breve com Dimensity 9200 Plus, tela AMOLED e bateria de 5.500 mAh. Veja Mais

Xiaomi 15 Pro pode ter bateria de 6.000 mAh com carga de 90W, diz rumor

tudo celular Topo de linha da Xiaomi ainda pode ter comunicação via satélite e conjunto poderoso de câmeras com lente telefoto. Veja Mais

Sinfônica da Petrobras lança disco com arranjos inéditos de 20 cantigas infantis coletadas por Villa-Lobos em 1930

G1 Pop & Arte Ilustração da capa do álbum ‘Villa-Lobos – Canções do Guia prático volume 1’, da Orquestra Petrobras Sinfônica Divulgação ? Em 1930, o compositor e maestro carioca Heitor Villa-Lobos (1887 – 1959) coletou e arranjou nada menos do que 137 cantigas recolhidas do folclore do Brasil e do universo infantil. Intitulada Guia prático, a compilação gera, quase um século depois, álbum da Orquestra Petrobras Sinfônica. O disco Villa-Lobos – Canções do Guia prático volume 1 chega amanhã, 22 de julho, ao mundo digital com arranjos inéditos do maestro Vittor Santos para 20 dos 137 temas da coletânea de Villa-Lobos. As 20 cantigas são interpretadas no álbum por diversos grupos de câmara da orquestra. Já gravados, o segundo e o terceiro volumes têm lançamentos previstos para outubro, por ocasião do Dia das Crianças. ? Eis os 20 temas selecionados para o álbum Villa-Lobos – Canções do Guia prático volume 1, da Orquestra Petrobras Sinfônica. ? Os pombinhos ? A dança da carranquinha ? Cai, cai balão ? Capelinha de melão ? Vamos, maninha ? Bezuntão da Lagoa ? Uma, duas angolinhas ? Viva o Carnaval ? Os escravos de Jó ? Hei de namorar ? Padre Francisco ? A praia ? O pião ? Cachorrinho ? A cotia ? Machadinha ? Pai Francisco ? Olha aquela menina ? Meninas, ó meninas ? Garibaldi foi à missa Capa do álbum ‘Villa-Lobos – Canções do Guia prático volume 1’, da Orquestra Petrobras Sinfônica Divulgação Veja Mais

Zelensky diz que Ucrânia é grata pelo apoio de Biden na guerra contra Rússia

Valor Econômico - Finanças Em mensagem na rede social X (ex-Twitter), Zelensk... Veja Mais

Kamala tem desafio de obter apoio coeso e entender populismo nacionalista dos EUA, aponta Cebri

Valor Econômico - Finanças Joe Biden abandonou corrida eleitoral neste doming... Veja Mais

Ameaça de congelamento das doações foi decisiva para desistência de Biden, diz especialista

Valor Econômico - Finanças “Não é somente sobre a Casa Branca”, diz Gunther R... Veja Mais

Análise: desistência de Biden dará novo ânimo à eleição nos EUA e pode ameaçar Trump

Valor Econômico - Finanças Decisão inédita e tardia de Biden da corrida à Cas... Veja Mais

Trump diz que Biden não estava apto a concorrer à presidência e servir aos EUA

Valor Econômico - Finanças Comentário foi feito após Biden anunciar sua desis... Veja Mais

Naomi Biden, neta do presidente do EUA, diz estar orgulhosa da trajetória do seu avô

Valor Econômico - Finanças Naomi, que é filha de Hunter Biden, escreveu ainda... Veja Mais

Modern Logistics vai estrear frete internacional para cinco países da AL em agosto

Valor Econômico - Finanças Operadora de carga aérea no Brasil, controlada por... Veja Mais

Em post, Paulo Coelho relembra prisão na ditadura e diz não querer saber quem o delatou: 'Não vai mudar o passado'

G1 Pop & Arte Escritor foi preso durante o golpe militar, em 1974, e torturado por duas semanas. Neste domingo, ele recuperou um texto que narra momentos de terror e explicou a decisão de não querer saber detalhes. Paulo Coelho em dezembro de 2014, em entrevista em sua casa da Suíça. AP Photo/Boris Heger O escritor Paulo Coelho utilizou sua conta no X (antigo Twitter) neste domingo (21) para relembrar o momento de sua prisão durante o golpe militar, em 1974, e voltou a declarar que não quis descobrir quem fez a denúncia que o levou a ser torturado por semanas. Na publicação, o autor narrou momentos de terror. ... Sou retirado e espancado enquanto ando por aquilo que parece ser um corredor. Grito, mas sei que ninguém está ouvindo, porque eles também estão gritando. 'Está lutando contra seu país. Vai morrer devagar, mas antes vai sofrer muito'. Em outra passagem do texto, Paulo conta que teve a oportunidade de descobrir o nome da pessoa que o denunciou aos militares, mas decidiu não saber, e justificou: "Décadas depois, os arquivos da ditadura são abertos e meu biógrafo consegue todo o material. Pergunto por que fui preso: 'uma denúncia', ele diz. 'Quer saber quem o denunciou?' Não quero. Não vai mudar o passado." O relato foi publicado originalmente em março de 2019 pelo The Washington Post como um artigo de opinião assinado pelo escritor, na forma de uma crítica ao ex-presidente Jair Bolsonaro. Na ocasião, o então presidente havia determinado que o dia 31 de março, que marcava o início do golpe militar em 1964, passasse a ser celebrado oficialmente pelo Ministério da Defesa em comemoração ao golpe. Apesar de não falar deste acontecimento na publicação feita neste domingo, Paulo Coelho chegou a citar a decisão presidencial na versão original de seu texto. "E são essas décadas de chumbo que o Presidente Jair Bolsonaro – depois de mencionar no Congresso um dos piores torturadores como seu ídolo – quer festejar nesse dia 31 de março", escreveu ele. Paulo Coelho foi preso em 28 de maio de 1974 e foi torturado por duas semanas antes de ser solto. Em 1988, ele publicou a famosa obra "O Alquimista", que virou num best-seller. Além da literatura, o escritor já trabalhou como diretor de teatro, jornalista e compositor. Como compositor, já escreveu canções para consagrados cantores brasileiros, como Elis Regina, Rita Lee e Raul Seixas. Desde 2002, Paulo ocupa a cadeira nº 21 da Academia Brasileira de Letras. E se tornou, assim, um imortal. Neste ano, o presidente Luis Inácio Lula da Silva acordou com as forças armadas que o marco pelo início do golpe não seria mais celebrado. Atualmente com 76 anos, o autor carioca mora na Suíça com a esposa Christina Oiticica. Em maio deste ano, ele se encontrou com Lula em um evento comemorativo pelos 35 anos do livro 'O Alquimista'. Histórias olímpicas reais e impressionantes que viraram filmes para ver no streaming Veja Mais

Windows com mais de 30 anos pode ter salvado companhia aérea de apagão

canaltech O apagão cibernético que afetou empresas no mundo na última sexta-feira (19), parece não ter sido um problema para a Southwest Airlines, a quarta maior companhia aérea dos Estados Unidos, porque a empresa ainda usa o Windows 3.1, versão do programa lançada em 1992. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft A pane generalizada afetou computadores que utilizam o Windows como sistema operacional ocorreu devido a uma falha de atualização feita pela empresa CrowdStrike que gerou a famosa “tela azul da morte” e impediu o funcionamento dos computadores. Atividades de diversas empresas como American Airlines e Delta foram prejudicadas, criando transtornos em agendamento de voos, registros de manutenção, emissão de bilhetes e programação de pilotos, entre outras atividades que resultaram em aeroportos superlotados e voos cancelados. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- O jogo virou A Southwest Airlines costuma ser bastante criticada pelo norte americanos, devido aos seus sistemas datados. Contudo, neste caso, em que a maioria das empresas sofreu devido a uma atualização problemática, a Southwest passou quase ilesa por um usar programa, sem atualizações e com mais de 30 anos. Embora a companhia aérea não tenha passado por muitos problemas, seus passageiros ainda acabaram afetados, afinal os aeroportos estavam com suas operações paradas. Além do Windows 3.1, a Southwest Airlines ainda usa o Windows 95 para seu sistema de agendamento de funcionários, mostrando que é uma empresa vintage. Mesmo que isso possa gerar algumas reclamações de funcionários. Apesar da curiosidade, empresas muitas vezes utilizam programas mais antigos e confiáveis por serem mais simples de operar e exigirem menos recursos de máquinas, como acontece na Alemanha, onde trens ainda usam o Windows 3.11, lançado em 1993. Não é possível saber se Southwest Airlines vai se animar para atualizar seus sistemas após o atual apagão envolvendo a Cloudstrike. Fonte: Tom’s Hardware, Digital Trends Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Mashco Piro: conheça o povo peruano isolado que apareceu em imagens raras 5 motivos para não comprar o BYD Seal Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Qual é melhor tablet bom e barato para comprar em 2024? Veja Mais

Once Human será lançado para PS4, PS5 e Xbox Series S/X?

Once Human será lançado para PS4, PS5 e Xbox Series S/X?

Tecmundo Games gratuitos sempre são muito bem-vindos à biblioteca, isso é um fato. Se você gosta de jogos de tiro com uma pegada um pouco mais cooperativa, saiba que Once Human, da Starry Studio, já está disponível gratuitamente para PC (Steam e Epic Games Store). A grande questão aqui é: o shooter será lançado para PlayStation, Xbox e Switch eventualmente?Bom, Once Human não foi lançado para nenhum console neste primeiro momento — mas, felizmente, pode acabar chegando nessas plataformas futuramente. Ao ser questionada no X (antigo Twitter) sobre a possibilidade, a Starry Studio disse para um jogador que está "decidindo cuidadosamente se lançará o jogo para console com base nos testes e no feedback dos jogadores, o que levará algum tempo". Leia mais... Veja Mais

GED: ferramentas de Gestão Eletrônica de Documentos aumentam a produtividade nas empresas

GED: ferramentas de Gestão Eletrônica de Documentos aumentam a produtividade nas empresas

Tecmundo Por Marcelo Araújo.A crescente digitalização das operações de companhias de diferentes segmentos tem mostrado que a Gestão Eletrônica de Documentos (GED) foi, é e continuará sendo uma tendência para os próximos anos. Isso porque, além de eliminar a dependência dos papéis (algo já assimilado por praticamente todos os setores), a GED tem se mostrado muito eficiente no aumento da produtividade dentro das empresas.Leia mais... Veja Mais

SNK vs. Capcom Chaos é relançado para PlayStation 4, PC e Nintendo Switch

canaltech A SNK aproveitou as finais de The King of Fighters XV que aconteceram neste fim de semana durante a EVO 2024 para fazer diversos anúncios sobre suas franquias, incluindo o inesperado relançamento de SNK vs. Capcom Chaos para as plataformas atuais com melhorias. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp 5 franquias da Capcom que merecem uma segunda chance O jogo é um crossover lançado originalmente para arcades, PlayStation 2 e Xbox em 2003 que coloca personagens icônicos da Capcom como Ryu e Ken de Street Fighter para trocar sopapos com figuras importantes da SNK como Terry Bogard e Iori Yagami. Confira o trailer.   SvC Chaos chega com 36 personagens disponíveis, incluindo os lutadores secretos Athena e Red Arremer. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Outras figuras importantes Mai Shiranui, Gesse Howard, Kyo Kusanagi marcam presença pelo lado da SNK, enquanto Zero, Guile, M.Bison e até Demitri de Darstalkers representam a Capcom. Online com rollback netcode e melhorias SNK vs Capcom Chaos apresenta modo online e rollback netcode para oferecer partidas online com mais qualidade e menos atrasos, além de lobbies para até nove jogadores. Ferramentas como um novo modo de visualização de hitbox devem agradar aqueles que levam o lado competitivo mais a sério e uma galeria artes do jogo pode satisfazer os mais nostálgicos. Plataformas e disponibilidade A versão para PC já está disponível na Steam, enquanto as versões para PlayStation 4 e Nintendo Switch chegam no dia 22 de julho. Vale lembrar que donos de PlayStation 5, podem jogar via retrocompatibilidade nativa do console. SNK e Capcom: rivais, mas nem tanto SNK e Capcom marcaram uma das maiores rivalidades entre os anos 90 e a primeira década dos anos 2000, com franquias como Street Fighter e The King of Fighters. Atualmente, o quadro mudou. Hoje as empresas estão mais próximas, até realizando parcerias, tanto que Terry Bogard, será o primeiro personagem convidado a aparecer em Street Fighter 6. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: ???? PARCELADO | iPhone 15 atinge preço imperdível em oferta Amazon Prime Google anuncia fim do encurtador de links, o que pode gerar erros em sites 5 motivos para não comprar o BYD Seal Seres paralisa venda de carros no Brasil por tempo indeterminado Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft Qual é melhor tablet bom e barato para comprar em 2024? Veja Mais

Conheça Silverwing e Vermithor, os novos dragões de A Casa do Dragão

Conheça Silverwing e Vermithor, os novos dragões de A Casa do Dragão

Tecmundo A partir do sexto episódio de sua segunda temporada, a série A Casa do Dragão deve começar a introduzir mais criaturas que vão participar ativamente da guerra civil conhecida como A Dança dos Dragões. Entre aquelas que devem aparecer e ganhar destaque nos próximos episódios estão Vermithor e Silverwing (Asaprata), que residem em Pedra do Dragão.Ambas vão ganhar novos cavaleiros graças ao processo conhecido como Semeadura, que envolve uma busca por pessoas que tenham sangue valiriano em suas veias. Embora não sejam membros legítimos da casa Targaryen, elas vão conseguir se conectar com dragões — e algumas delas já foram apresentadas de forma sutil pela produção da HBO.Leia mais... Veja Mais

Sucessão de Lira e Pacheco e eleições municipais dominam pauta do Congresso

Valor Econômico - Finanças Eleições para comando da Câmara e do Senado serão... Veja Mais

Pix tem funcionalidades atrasadas, apesar de sucesso do sistema

Valor Econômico - Finanças BC enfrenta problemas relacionados a orçamento e p... Veja Mais

Receita Nosso Campo: aprenda a fazer arroz com carne desfiada

G1 Economia Programa deste domingo (21) ensina a preparar um arroz especial. Nosso Campo ensina a preparar um delicioso arroz especial, com carne e queijo Reprodução/TV TEM O Nosso Campo deste domingo (21) ensina a preparar um delicioso arroz especial, com carne e queijo. Saiba como fazer: ???? Participe do canal do g1 Sorocaba e Jundiaí no WhatsApp Ingredientes 3 xícaras de chá de arroz; 1 quilo de carne; 150 gramas de queijo coalho; 50 gramas de queijo parmesão; 2 tomates; 1 maço de salsinha picada; 1 colher de sopa de molho de soja; 1 cabeça de alho amassado; 1 colher de sopa de colorau; 1 colher de sopa de tempero caseiro; Sal; 1 porção de alho poró picado. Modo de preparo Em uma panela de pressão, sele a carne no óleo; Frite por alguns minutos; Em seguida, acrescente o colorau e o tempero caseiro; Inclua o molho de soja, o tomate e o sal; Em uma outra panela, frite a segunda parte do alho; Adicione a carne desfiada; Acrescente o arroz; Cubra com água e espere secar; Agora, coloque a salsinha; Toste o queijo coalho; Coloque-o por cima do arroz e sirva. Veja a reportagem exibida no programa em 21/07/2024: Receita Nosso Campo: aprenda a fazer arroz com carne desfiada VÍDEOS: veja as reportagens do Nosso Campo Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes sociais Confira as últimas notícias do Nosso Campo Veja Mais

Apenas um brasileiro tem a medalha mais difícil da Olimpíada: 'maior conquista'

Valor Econômico - Finanças Medalha Pierre de Coubertin é entregue a atletas q... Veja Mais

Samsung Mensagens não vem mais pré-instalado em celulares Galaxy nos EUA

tudo celular O aplicativo proprietário de mensagens da Samsung não será mais pré-instalado em smartphones Galaxy nos EUA. Veja Mais

Google Pixel 9: linha deve ter comunicação via satélite gratuita, indica código

tudo celular A linha Google Pixel 9 deve oferecer conexão via satélite gratuita por um período limitado. Veja Mais

Redmi Pad SE 8.7 4G tem especificações e imagens vazadas após ganhar data de lançamento

tudo celular O Redmi Pad SE 8.7 4G foi certificado pelo IMEI e pode ser lançado em breve. Veja Mais

Governo federal descarta três casos suspeitos da doença de Newcastle em propriedades no RS

G1 Economia Testes foram realizados na sexta-feira (19) em propriedades da zona de proteção contra a doença, que abarca um perímetro de até 10km. Único caso registrado ocorreu em granja do município de Anta Gorda. Barreiras sanitárias instaladas em Anta Gorda para impedir o avanço da Doença de Newcastle O governo federal descartou três casos suspeitos da doença de Newcastle neste domingo (21). Os testes foram realizados na sexta-feira (19) em propriedades da zona de proteção contra a doença, que abarca um perímetro de até 10km. ???? Acesse o canal do g1 RS no WhatsApp O único caso confirmado ocorreu em um aviário de Anta Gorda, no Vale do Taquari, em 17 de julho, após a morte de 7 mil aves. Com a detecção da doença, outros 7 mil animais da granja foram abatidos e enterrados, conforme determina o protocolo sanitário. Testes da doença de Newcastle tiveram resultado negativo Divulgação/Ministério da Agricultura e Pecuária "As amostras foram transportadas para o Laboratório Federal de Defesa Agropecuária de São Paulo, que processou em tempo recorde as análises de RT-PCR, descartando a possibilidade de novas ocorrências de foco neste momento", disse o ministro da Agricultura e Pecuária (Mapa), Carlos Fávaro. O governo afirma que controla a movimentação de pessoas e de aves na área onde o único caso da doença foi registrado. Para prevenir a proliferação da doença, oito barreiras sanitárias foram instaladas. O governo federal suspendeu temporariamente a exportação de carne de aves para 44 países (veja a lista completa). Apesar disso, o ministro afirma que a população pode continuar consumindo carne de frango e ovos da região. Desinfecção de veículos de risco, de cargas de animais e aviários Varreduras em todas as propriedades rurais em dois raios, de 3 km e 10 km Segundo Francisco Lopes, diretor de Vigilância e Defesa Sanitária, veterinários e técnicos agrícolas avaliam clinicamente as aves e conversam com produtores para verificar sinais da doença. Ele afirma que mais 870 propriedades rurais devem ser visitadas. As barreiras sanitárias devem funcionar por 21 dias e só serão encerradas se, nesse período, não houver nenhum foco da doença de Newcastle. Barreira sanitária para conter doença de Newcastle identificada em granja no RS Reprodução/RBS TV Suspensão das exportações A suspensão de exportações foi confirmada pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) e considera o acordo bilateral entre países parceiros, a fim de garantir a transparência do serviço brasileiro com os importadores. As suspensões devem durar pelo menos 21 dias e variam o produto e a área, a partir do acordo comercial. Parte dos países considera carnes produzidas em todo o território nacional; alguns, somente no Rio Grande do Sul; e outros, em um raio de 50 km do foco da doença identificada. Suspensão válida para todo o Brasil: República Popular da China Argentina Peru México Suspensão válida para todo o RS: África do Sul Albânia Arábia Saudita Bolívia Cazaquistão Chile Cuba Egito Filipinas Geórgia Hong Kong Índia Jordânia Kosovo Macedônia Mianmar Montenegro Paraguai Polinésia Francesa Reino Unido República Dominicana Sri Lanka Tailândia Taiwan Ucrânia União Europeia União Econômica Euroasiática Uruguai Vanuatu Vietnã Suspensão válida para o raio de 50 km do caso identificado: Canadá Coreia do Sul Israel Japão Marrocos Maurício Namíbia Paquistão Tadjiquistão Timor Leste Barreiras sanitárias são montadas no Vale do Taquari por causa da Doença de Newcastle Identificação após queda de granizo A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) afirmou que a doença de Newcastle foi identificada na propriedade em meio às ondas de frio no inverno. Uma chuva de granizo teria destelhado o aviário, matando 7 mil aves em razão das condições inadequadas, segundo o presidente da entidade, Ricardo Santin. "Entrou água, umedeceu a cama e essas aves pereceram exatamente porque, nesse contexto, o aquecimento da granja não conseguiu funcionar e parte delas morreram. Ao morrer nesse nível de 50% [7 mil aves], o proprietário chamou o serviço oficial que fez essas 12 amostras e numa delas se encontrou um vírus, que é do pombo, e foi sequenciado geneticamente", afirma. As outras 7 mil aves que sobreviveram foram mortas na quinta-feira (18), de acordo com a associação, conforme determina o protocolo, para evitar que a doença se alastre pela região. O presidente afirma, ainda, que o impacto na economia será mínimo, tanto para o país quanto para o Rio Grande do Sul. Ele detalha que o Brasil produz uma média de 1,2 milhão de toneladas de carne de frango todos os meses, exportando 430 mil toneladas. No pior cenário, o presidente diz que o país vai deixar de vender entre 50 a 60 mil toneladas por mês, que representa 5% da produção nacional. Granja onde foi identificado caso da doença de Newcastle em Anta Gorda Reprodução/RBS TV Especialista explica doença O g1 conversou com um especialista sobre o assunto, o professor de Medicina de Aves da Faculdade de Medicina Veterinária da UFRGS Hamilton Luiz de Souza Moraes, que esclareceu dúvidas sobre a doença. O que é A doença de Newcastle (DNC) é uma enfermidade viral que contamina aves domésticas e silvestres. Ela é causada pelo vírus pertencente ao grupo paramixovírus aviário sorotipo 1 (APMV-1). Com isso, as aves apresentam sinais respiratórios, seguidos por manifestações nervosas, diarreia e edema da cabeça. Qual o impacto em humanos O especialista explica que a doença pode causar, no máximo, conjuntivite transitória em humanos, podendo durar cerca de uma semana. A transmissão ocorre pelo contato, e não pelo consumo. "Ela é o que a gente chama de uma zoonose classe 2. Ela não causa muitos problemas, no máximo conjuntivite, mas em uma semana, tá bom. Então não é um problema para a saúde pública, vamos dizer assim. O problema maior é para as aves mesmo", explica. Como ela é transmitida A doença é transmitida por aves migratórias infectadas que fazem rotas comuns através dos continentes. Por conta disso, elas podem ter ocorrência em qualquer lugar do mundo. "Em algum momento essas aves se cruzam, então algumas que estejam infectadas podem contaminar outras, e nos locais onde elas estavam podem sair e infectar aves domésticas", explica. Como a doença é extinta A eliminação de todas as aves do mesmo lote é a metodologia de controle da doença. Isso ocorre pois o vírus é transmitido pelo ar, podendo contaminar ração, água e o abrigo aviário. Caso o foco não seja extinto, o surto pode se espalhar para uma região mais ampla. A medida foi confirmada pela Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) do Mapa, em conjunto com a Secretaria da Agricultura do RS (Seapi), que irá seguir o seguinte protocolo: Eliminação e destruição de todas as aves do estabelecimento; Limpeza e desinfecção do local; Interdição imediata do estabelecimento avícola, suspendendo toda movimentação de aves desde o primeiro atendimento pela Seapi. Existe uma vacina contra a doença de Newcastle, que precisa ser aplicada, preventivamente, antes da transmissão da doença. Quão transmissível é a doença A difusão da DNC é rápida, pois ocorre por um vírus transmitido pelo ar. O especialista alerta que, se as aves contaminadas saem dos locais onde estão concentradas ou se são mortas e descartadas em lugares inadequados, podem se disseminar para toda uma região. A enfermidade também é letal, podendo matar quase 100% das aves infectadas. Por conta disso, os órgãos fiscalizadores têm uma preocupação com a dispersão. Para garantir a contenção do surto, o Mapa afirmou que irá realizar uma investigação epidemiológica complementar em um raio de 10 quilômetros ao redor da área de ocorrência do foco. No entanto, o especialista afirma que cada país tem um protocolo. Alguns países regionalizam em raio de 50km, podendo fechar um estado ou até o país, dependendo da disseminação da doença. "O Japão é mais inteligente. Para 50 quilômetros, porque esse vírus se conserva bem na carne congelada, então se a gente exportar a carne com vírus, a gente pode estar contaminando outros locais", explica. Qual a recorrência da doença No Brasil, o último registro da doença foi em 2006, nos estados do Amazonas, Mato Grosso e Rio Grande do Sul, segundo o Ministério. O especialista afirma que o foco da doença no estado se concentrou no município de Vale Real, a cerca de 90 km de Porto Alegre. "Algumas aves morreram e outras foram eliminadas", relembra. Qual o impacto financeiro O especialista explica que os animais sacrificados em 2006 foram um problema não apenas para as aves como também para os países que importavam o frango à época. Ele afirma que houve uma interdição do produto por cerca de três meses. "O Brasil é o primeiro exportador mundial de carne de frango, e os países que compram a nossa carne, quando tem surtos dessa doença, não querem exportar daquele local. Então naquela época, em 2006, houve a interdição da importação por mais ou menos 3 meses", revela. Doença de Newcastle identificada em aviário do RS g1 VÍDEOS: Tudo sobre o RS Veja Mais

7 Days to Die, F1 Manager e mais: os lançamentos de jogos na semana (21/07)

7 Days to Die, F1 Manager e mais: os lançamentos de jogos na semana (21/07)

Tecmundo Julho continua sendo um mês recheado de lançamentos. O grande destaque dessa semana é o jogo de terror 7 Days to Die que, depois de 10 anos, finalmente será lançado de forma oficial para PC e consoles da atual geração. Outro game que merece destaque é F1 Manager 2024. O simulador de administração de equipes chega cheio de novidades e com uma inteligência artificial apurada. Já Conscript mistura os horrores da Primeira Guerra Mundial, com um enredo repleto de terror psicológico. Leia mais... Veja Mais

Desistência de Biden trará volatilidade a mercados, sobretudo no câmbio, diz Fourtrade

Valor Econômico - Finanças Desistência já estava no preço do câmbio de sexta,... Veja Mais

Kamala Harris diz que intenção é merecer e vencer nomeação para substituir Biden na eleição

Valor Econômico - Finanças Vice-presidente disse que fará tudo que estiver ao... Veja Mais

Esposa do Coutinho no meio da torcida do Vascão lamentou um gol perdido contra o Galo #shorts

Esposa do Coutinho no meio da torcida do Vascão lamentou um gol perdido contra o Galo #shorts

Fox Sports Brasil Todo o esporte AO VIVO da ESPN disponível no Disney+! http://dis.la/ESPNenDisneyPlus_YT_BR E o melhor do jornalismo esportivo, com vídeos e notícias exclusivas, você acompanha no https://www.espn.com.br/ #Vasco #AtleticoMG #Coutinho Veja Mais

Republicanos dizem que Biden deve renunciar à presidência se não pode concorrer à reeleição

Valor Econômico - Finanças Senador da Flórida disse que "não podemos permitir... Veja Mais

Quais são as melhores hashtags para TikTok?

Quais são as melhores hashtags para TikTok?

Tecmundo As hashtags estão se tornando um elemento essencial em diversas redes sociais. Afinal, elas ajudam a localizar rapidamente conteúdos de seu interesse, já que agrupam todos os materiais sob uma mesma temática em uma página única.Assim como no Instagram, as hashtags para TikTok ajudam a aumentar o engajamento de suas publicações. Dessa forma, confira abaixo quais são as 100 hashtags mais utilizadas dentro do TikTok para viralizar um vídeo curto.Leia mais... Veja Mais

Mashco Piro: conheça o povo peruano isolado que apareceu em imagens raras

canaltech Os Mashco Piro são um grupo de cerca de 750 indígenas que vivem na fronteira Peru-Brasil e podem ser considerados o maior grupo indígena isolado do mundo, segundo estimativa dos ativistas da ONG Survival International. Os indígenas apareceram em imagens raras na última terça (16). Clique e siga o Canaltech no WhatsApp Indígenas da Amazônia carregam mutação que protege contra Chagas Um grupo de aproximadamente com dezenas de integrantes foi visto em imagens inéditas próximos a poucos quilômetros de áreas destinadas à exploração de madeira. A exploração de madeira é uma questão em evidência na área, pois diversas madeireiras têm concessões para operar no território dos Mashco Piro. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- Em outro avistamento recente, mais de 50 indígenas Mashco Piro apareceram em território dos indígenas Yine de Monte Salvado, no sudoeste do Peru. Embora os Yine não sejam isolados, falam um língua parecida e informaram que os Mashco Piro reclamaram de madeireiros em suas terras. Segundo a ativista Priscilla Oliveira da ONG Survival essa ocorrência não é normal: “É bem incomum que um grupo tão grande apareça assim, dessa forma. É isso que faz a gente pensar que realmente está acontecendo alguma coisa lá”. Mashco Piro e Yines Os dois povos falam línguas parecidas, mas o contato entre eles não é frequente, pois segundo é informado pelos Yines, os Mashco Piro preferem seguir isolados e podem responder de maneira agressiva. No entanto, há contato entre os povos quando os Mashco Piro buscam por alimentos. O povo depende apenas do que cultivam e caçam na floresta. Isso inclui recursos para produzir ferramentas e casas, chamadas de tapiris, além dos alimentos, portanto a invasão das terras se torna um problema grave. História Na década de 1880, o território dos Mashco Piro passou a ser invadido por trabalhadores envolvidos na extração de látex, durante o período do ciclo da borracha. Neste período muitos integrantes da tribo foram mortos, escravizados e o povo teve terras roubadas por consequência. Diversos membros da tribo fugiram para lugares remotos na floresta e se mantiveram isolados, da mesma maneira que seus descendentes seguem até os dias atuais. Em 2002, após pressão da organização indígena FENAMAD (Federação Nativa do Rio de Madre de Dios e Afluentes), o governo peruano criou a Terra Indígena Madre de Dios para proteger o território dos Mashco Piro. O território florestal conservado se estende por diversas bacias hidrográficas próximas à fronteira com o Brasil. Madeireiras e concessões Apesar da criação da reserva, grandes áreas do território Mashco Piro ficaram fora dos limites da terra indígena, acabaram desprotegidas e sujeitas às ações das madeireiras, sendo a maior delas a Canales Tahuamanu. Neste avistamento recente, a terra indígena fica a poucos quilômetros da região onde a Canales Tahuamanu detém uma licença de extração certificada pelo Conselho de Manejo Florestal (FSC). A diretora da Survival International, Caroline Pearce, fez o alerta: “Essas imagens incríveis mostram que um grande número de indígenas isolados Mashco Piro vive a poucos quilômetros de áreas concedidas à exploração de madeira. Inclusive, a empresa Canales Tahuamanu já está trabalhando dentro do território dos Mashco Piro.” Apesar licença de extração certificada da empresa, organizações sem fins lucrativos seguem pressionando o governo peruano para que a concessão da Canales Tahuamanu seja cancelada. Saúde em risco Os ativistas alertam que indígenas isolados são vulneráveis ao contato com pessoas de fora, pois não possuem imunidade contra doenças comuns como a gripe e esse contato pode gerar uma situação de crise humanitária. Mashco Piro no Brasil Segundo a Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) o Brasil tem três confirmações da presença de indivíduos identificados como Mashco Piro: Na Terra Indígena Mamoadate, no Parque Nacional do Manú e na região do Rio Envira na terra indígena Kampa. Fonte: G1, Survival Brasil Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Windows com mais de 30 anos pode ter salvado companhia aérea de apagão 5 motivos para não comprar o BYD Seal Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Qual é melhor tablet bom e barato para comprar em 2024? Veja Mais

Galaxy A05 vs realme Note 50: qual é o celular básico com mais vantagens? | Comparativo

tudo celular Nesta disputa entre o basicão da Samsung e o da realme, é a coreana ou a chinesa que leva a melhor neste segmento? Você verá a resposta em detalhes agora, no Comparativo do TudoCelular. Veja Mais

Totvs quer captar R$ 1,5 bilhão com oferta de debêntures

Valor Econômico - Finanças Companhia vai usar o dinheiro para recomprar títul... Veja Mais

Enchente no Sul tem peso menor no PIB, mas fiscal preocupa

Valor Econômico - Finanças Impacto maior das chuvas não aconteceu e demais re... Veja Mais

Bangladesh reduz cotas para empregos públicos após 115 mortes em protestos

Valor Econômico - Finanças A divisão de apelação da Suprema Corte determinou... Veja Mais

FT: Cofundador do Google apoia biotecnologia no estudo de arbustos psicodélicos africanos

Valor Econômico - Finanças A organização sem fins lucrativos de Sergey Brin f... Veja Mais

5 motivos para não comprar o BYD Seal

canaltech O BYD Seal é o tipo de carro que chama a atenção de todos por onde passa. O sedan 100% elétrico da montadora chinesa tem design diferenciado, potência e desempenho dignos dos melhores esportivos, e um preço acessível se comparado com carros da mesma categoria, que não oferecem tantos atrativos. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp 5 motivos para comprar o BYD Seal Há, no entanto, diversos pontos que precisam ser ajustados ou melhorados para que o estiloso coupé possa ser considerado um player digno de competir nas categorias mais altas do mercado automotivo brasileiro, o chamado segmento premium. Confira, a seguir, uma lista com 5 destes ajustes que, para alguns, podem ser encarados como motivos para não comprar o BYD Seal. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- 5. Visibilidade traseira Dirigir um carro com mais de 500 cavalos de potência e um torque capaz de te fazer grudar no banco requer alguns pontos fundamentais, que vão além da habilidade do motorista. Um deles é ter ampla visibilidade em todos os ângulos do veículo. E o BYD Seal deixa a desejar nesse quesito. O design coupé do BYD Seal pode prejudicar a visibilidade traseira do motorista, algo perigoso em um carro tão potente (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) Por conta do design diferenciado, com caimento coupé do teto em relação à traseira, a área envidraçada acima do porta-malas é reduzida e, enquanto não há o costume de dirigir o Seal, a visibilidade acaba prejudicando um pouco a experiência. Nas manobras, por conta das câmeras com visão 360º, o problema é reduzido, mas, na pista, e em alta velocidade, a atenção precisa ser redobrada. 4. Suspensão O segundo ponto que merece uma certa atenção da BYD e pode levar o consumidor a não comprar o Seal diz respeito à suspensão. Apesar de ela ser excelente no que diz respeito ao comportamento dinâmico do carro, que tem tração integral, é grudado nas curvas e bastante equilibrado nas retas, ela é “molde demais” em certas situações. Suspensão do Seal é ótima nas curvas, mas mole demais ao passar por lombadas (Paulo Amaral/Canaltech) Isso faz com que o Seal “balance” muito, especialmente em trechos com muitas lombadas, particularidade das cidades de Jundiaí e Louveira, em que rodei com o carro durante os testes para o Canaltech. O “defeito” também está presente no Dolphin Mini, e foi apelidado de “efeito gelatina”. O problema pode ser facilmente resolvido com a instalação de um kit buffer. Fica a dica, galera da BYD. 3. Tela gigantesca da multimídia A central multimídia giratória é uma marca registrada dos carros da BYD e, por isso, é oferecida pela marca desde o mais barato do portfólio (Dolphin Mini) até os mais caros (Tan e Han). No caso do Seal, porém, ela tem um tamanho maior (15,6 polegadas contra 12,8 polegadas das demais), e isso acabou causando alguns inconvenientes. Central multimídia de quase 16 polegadas cobre parte da saída de ar-condicionado e pega na perna do passageiro (Imagens: Paulo Amaral/Canaltech) Durante a experiência a bordo do sedan coupé elétrico chinês, detectei ao menos dois graves problemas envolvendo o acessório, especialmente quando está na posição horizontal: a central tampa, parcialmente, uma das saídas do ar-condicionado e, além disso, bate no joelho de quem estiver sentado no banco do passageiro. Mais um ponto fácil de ajustar, né BYD? 2. Posição das entradas USB Outro ponto que particularmente me incomodou durante a experiência a bordo do BYD Seal não é algo exclusivo do sedan elétrico chinês, mas, como essa lista trata de pontos que podem ser melhorados para que o consumidor não tenha dúvidas na hora de escolher qual carro comprar, vale a ressalva. A posição escolhida pela montadora para abrigar as portas USB, USB-C e a entrada para cartão micro-SD é de difícil acesso, e pode causar a perda de atenção caso o motorista decida plugar um cabo ou um pendrive com o carro em movimento (não é o correto, mas pode acontecer). Não custa nada reposicionar as entradas em um local mais acessível, talvez próximas aos carregadores por indução para celulares. Portas USB ficam escondidas e dificultam acesso no BYD Seal (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) 1. Calibração do sistema ADAS O último ponto da lista de motivos que podem fazer o consumidor não comprar o BYD Seal é, ao lado da visibilidade traseira reduzida, o que considero mais grave na relação, já que os demais podem ser resolvidos facilmente. Alguns recursos do sistema ADAS do BYD Seal atuam de forma excessiva e, às vezes, na hora errada (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) Trata-se da calibração dos principais recursos presentes no sistema ADAS, especialmente a frenagem automática de emergência e o assistente de permanência em faixa. Ambos atuaram de forma exagerada (e, às vezes, equivocada) no trânsito e chegaram a incomodar. Menos mal que a BYD permite que eles sejam desligados, o que eu recomendo que todos façam até que a calibração seja refeita. De qualquer forma, na balança entre pontos positivos e negativos durante a experiência ao volante do BYD Seal, o sedan coupé elétrico coupé surpreendeu positivamente e mostrou que pode, sim, dar uma dorzinha de cabeça até mesmo em rivais que estão degraus acima, como o Porsche Taycan 4S. Mas isso é assunto para um outro conteúdo, ok? BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: ???? PARCELADO | iPhone 15 atinge preço imperdível em oferta Amazon Prime Google anuncia fim do encurtador de links, o que pode gerar erros em sites Seres paralisa venda de carros no Brasil por tempo indeterminado Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft Qual é melhor tablet bom e barato para comprar em 2024? Veja Mais

Equipe econômica quer antecipar indicação ao BC para reduzir custo de transição

Valor Econômico - Finanças Além do sucessor de Campos Neto, Lula também terá... Veja Mais

Demanda por hortaliças pode aumentar com inverno menos rigoroso

G1 Economia Agricultores do interior de São Paulo estão aproveitando o inverno mais quente para cultivar hortaliças. Há alguns anos, plantar hortaliças no inverno era praticamente impossível Reprodução/TV TEM Há alguns anos, plantar hortaliças no inverno era praticamente impossível. No entanto, com as temperaturas mais quentes em épocas tradicionalmente frias, o cultivo e consumo de vegetais tem trazido otimismo para os produtores. ???? Participe do canal do g1 Sorocaba e Jundiaí no WhatsApp Os agricultores têm aproveitado essa mudança climática para diversificar suas plantações. Além de cultivarem alface, que é a verdura mais vendida, também têm investido em couve, brócolis e rabanete, ampliando a variedade e atendendo a diferentes demandas do mercado. Para garantir o desenvolvimento de hortaliças de qualidade, é crucial que o solo esteja bem nutrido. Durante o período de menor demanda, os agricultores aproveitam para deixar a terra descansar e se enriquecer, preparando-se para uma futura produção. A explicação para os invernos mais quentes está relacionada à falta de chuva e à secura do clima, segundo meteorologistas. Essas condições têm impactado positivamente a agricultura, permitindo uma produção mais consistente de hortaliças durante o ano todo. Veja a reportagem exibida no programa em 21/07/2024: Demanda por hortaliças pode aumentar com inverno menos rigoroso VÍDEOS: veja as reportagens do Nosso Campo Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes sociais Confira as últimas notícias do Nosso Campo Veja Mais

MediaTek Dimensity 8400 surge no AnTuTu e supera Snapdragon 8s Gen 3

tudo celular O MediaTek Dimensity 8400 está em desenvolvimento e deve superar o Snapdragon 8s Gen 3 em poder de processamento, mas com um preço bem mais acessível. Veja Mais

Apple iPhone 17: lista vazada reforça modelo 17 Slim e taxa de 120 Hz em todos

tudo celular Um novo vazamento revelou que a Apple pode mesmo lançar o iPhone 17 Slim em 2025, sendo que todos os modelos da próxima geração devem ter tela de 120 Hz e chip A19. Veja Mais

'BBB das galinhas': câmeras ajudam o ES a manter a liderança na produção de ovos no país

G1 Economia Santa Maria de Jetibá, na Região Serrana do Espírito Santo, concentra mais de 90% de toda a produção de ovos no estado. E para ajudar na quantidade e qualidade do produto, donos de granjas apostam em máquinas modernas, elevadores e até monitoramento das aves. Modernização ajuda no aumento da produtividade e qualidade em granjas no estado Elevadores, esteiras, maquinários modernos e até câmeras para monitorar as aves e todas as etapas da produção de ovos: do recolhimento até a embalagem. A tecnologia é uma aliada em granjas na cidade de Santa Maria de Jetibá, na Região Serrana do Espírito Santo, que se mantém líder no segmento não só no estado, mas também no país, com uma produção de 12 milhões e 700 mil ovos por dia em 2023, de acordo com a Associação dos Avicultores do Espírito Santo. Compartilhe no WhatsApp Compartilhe no Telegram O estado ocupa a primeira posição como a maior produtora de ovos do país desde 2016, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Toda a tecnologia empregada na produção, dentro e fora das granjas, facilita o trabalho dos funcionários, contribui para a qualidade dos produtos, dá rapidez ao recolhimento e embalagem dos ovos. Na prática, por exemplo, a mecanização das granjas faz com que, de hora em hora, chegue alimento fresco para as galinhas.Tudo automatizado. E tem até produtor que investiu em instalação de câmeras para vigiar os próprios equipamentos utilizados e também as aves, para evitar perdas. É o caso do dono de uma granja em Santa Maria, Carlos Berger, que segue com os investimentos tecnológicos e colocou até câmeras de monitoramento espalhados pela granja. "Instalamos para fazer o monitoramento na falha da máquina. Precisamos ter alguém para observar se entupiu um tratador. Então, a gente bota esse monitoramento para não ter perda na produção. Já vimos em outros países que já tem robô para fazer o encaixe do ovo e retirar as aves quando elas morrem. Então, acho que o futuro é cada vez mais modernidade" finalizou o dono da granja. ???? Clique aqui para seguir o canal do g1 ES no WhatsApp Carlos disse que começou o investimento em equipamentos mais modernos há 15 anos, e não se arrepende. A tecnologia tem avançado e ele tenta acompanhar o ritmo. "Na época, a gente começou devagar, começamos com um barracão. O investimento não é baixo, é realmente alto, e a gente foi fazendo com o passar dos anos. Fomos aumentando a granja de acordo com o que a gente foi crescendo no mercado também", relatou Carlos. Tecnologia é aliada das granjas e ajuda na produção no Espírito Santo Reprodução/TV Gazeta Todas as máquinas são pré-programadas sem a ação humana. O que gera menos mão de obra. Sem o maquinário, a granja de Carlos precisaria de três vezes mais da quantidade de funcionários. "A gente até comenta que quem não está automatizado não fica no mercado, exatamente por causa dessa dificuldade de mão de obra. Então, a gente olha lá pra trás, em 2010, e conseguimos ver que realmente foi uma decisão acertada ter automatizado a granja", comentou Carlos. Dentro dos galpões da granja do Carlos são reproduzidos 300 mil ovos por dia. Segundo o médico veterinário que trabalha no local, são 320 mil galinhas que vivem engaioladas. Cada gaiola abriga de 12 a 13 aves. Donos de granja no Espírito Santo utilizam maquinário para ajudar no andamento do trabalho Reprodução/TV Gazeta O veterinário da granja, Leonardo Morelo, explicou que a nutrição interfere diretamente na quantidade e qualidade dos ovos. E para ajudar nisso, uma máquina é responsável por nunca deixar os cochos esvaziarem. "A gente programa nos relógios a passagem do tratados, colocamos o horário que a gente quer que ele passe durante o dia. Colocamos o intervalo de meia em meia hora e fazemos o tratamento das aves. Com isso, o cocho vai permanecendo sempre cheio. As aves consomem ração o dia inteiro e tem a necessidade da alimentação sempre renovada. Porque os tratadores passam, deixam o cocho sempre cheio e estimula a alimentação delas também", pontuou o veterinário. LEIA TAMBÉM: Produção de tangerina cai, mas tamanho e qualidade dos frutos aumentam no ES Colheita de café arábica começa no ES e produção deve superar em mais de 1,5 milhão de sacas a safra de 2023 Acidentes com mortes e amputações aumentam nas lavouras de café e período de colheita exige cuidado com máquinas Máquinas ajudam desde a retirada dos ovos até a embalagem final em granjas no Espírito Santo Reprodução/TV Gazeta Com a automatização, a granja busca profissionais especializados que saibam mexer no maquinário. "Cada dia mais a gente está mais automatizado e estamos precisando de pessoas mais capacitadas. E por isso a gente conta com programas de treinamento, orientação. Capacitamos os funcionários na empresa com relação a todos os processos, todos os cuidados", explicou o veterinário. Apenas Santa Maria de Jetibá concentra mais de 90% de toda a produção do estado, com dezenas de granjas espalhadas pela cidade. E para muitos avicultores da região, a tecnologia é vista como uma grande aliada para se destacar no mercado. Santa Maria de Jetibá, no Espírito Santo, é líder na produção de ovos Reprodução/TV Gazeta VÍDEOS: tudo sobre o Espírito Santo Veja o plantão de últimas notícias do g1 Espírito Santo Veja Mais

Doença de Newcastle: saiba como funcionam barreiras para impedir avanço de vírus que afeta frangos no RS

G1 Economia Barreira faz desinfecção de veículos de risco, de cargas de animais e aviários, enquanto equipes realizam varreduras em propriedades ruais a 3 km e 10 km de onde foi identificado foco da doença, em Anta Gorda. Barreiras sanitárias instaladas em Anta Gorda para impedir o avanço da Doença de Newcastle Oito barreiras sanitárias foram instaladas na região de Anta Gorda, no Vale do Taquari, para impedir o avanço da doença de Newcastle. O diagnóstico foi confirmado em um aviário no município, e outros 7 mil animais do aviário onde foi detectado o foco do vírus foram abatidos e enterrados. ???? Acesse o canal do g1 RS no WhatsApp O governo federal suspendeu temporariamente a exportação de carne de aves para 44 países (veja a lista completa). Apesar disso, o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro (PSD), afirma que a população pode continuar consumindo carne de frango e ovos da região. A Vigilância Sanitária afirma que não há focos da doença em um raio de 3 km da granja. Contudo, as barreiras sanitárias fiscalizam uma área maior. Desinfecção de veículos de risco, de cargas de animais e aviários Varreduras em todas as propriedades ruais em dois raios, de 3 km e 10 km Segundo Francisco Lopes, diretor de Vigilância e Defesa Sanitária, veterinários e técnicos agrícolas avaliam clinicamente as aves e conversam com produtores para verificar se há sinais da doença. "Vamos terminar o trabalho com mais de 870 propriedades rurais a serem visitadas", diz. As barreiras sanitárias devem funcionar por 21 dias e só serão encerradas se, nesse período, não houver nenhum foco da doença de Newcastle. A doença de Newcastle (DNC) é uma enfermidade viral que contamina aves domésticas e silvestres. Causada pelo vírus pertencente ao grupo paramixovírus aviário sorotipo 1 (APMV-1), a doença apresenta sinais respiratórios, seguidos por manifestações nervosas, diarreia e edema da cabeça dos frangos. Barreira sanitária para conter doença de Newcastle identificada em granja no RS Reprodução/RBS TV Suspensão das exportações A suspensão de exportações foi confirmada pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) e considera o acordo bilateral entre países parceiros, a fim de garantir a transparência do serviço brasileiro com os importadores. As suspensões devem durar pelo menos 21 dias e variam o produto e a área, a partir do acordo comercial. Parte dos países considera carnes produzidas em todo o território nacional; alguns, somente no Rio Grande do Sul; e outros, em um raio de 50 km do foco da doença identificada. Suspensão válida para todo o Brasil: República Popular da China Argentina Peru México Suspensão válida para todo o RS: África do Sul Albânia Arábia Saudita Bolívia Cazaquistão Chile Cuba Egito Filipinas Geórgia Hong Kong Índia Jordânia Kosovo Macedônia Mianmar Montenegro Paraguai Polinésia Francesa Reino Unido República Dominicana Sri Lanka Tailândia Taiwan Ucrânia União Europeia União Econômica Euroasiática Uruguai Vanuatu Vietnã Suspensão válida para o raio de 50 km do caso identificado: Canadá Coreia do Sul Israel Japão Marrocos Maurício Namíbia Paquistão Tadjiquistão Timor Leste Barreiras sanitárias são montadas no Vale do Taquari por causa da Doença de Newcastle Identificação após queda de granizo A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) afirmou que a doença de Newcastle foi identificada na propriedade em meio às ondas de frio no inverno. Uma chuva de granizo teria destelhado o aviário, matando 7 mil aves em razão das condições inadequadas, segundo o presidente da entidade, Ricardo Santin. "Entrou água, umedeceu a cama e essas aves pereceram exatamente porque, nesse contexto, o aquecimento da granja não conseguiu funcionar e parte delas morreram. Ao morrer nesse nível de 50% [7 mil aves], o proprietário chamou o serviço oficial que fez essas 12 amostras e numa delas se encontrou um vírus, que é do pombo, e foi sequenciado geneticamente", afirma. As outras 7 mil aves que sobreviveram foram mortas na quinta-feira (18), de acordo com a associação, conforme determina o protocolo, para evitar que a doença se alastre pela região. O presidente afirma, ainda, que o impacto na economia será mínimo, tanto para o país quanto para o Rio Grande do Sul. Ele detalha que o Brasil produz uma média de 1,2 milhão de toneladas de carne de frango todos os meses, exportando 430 mil toneladas. No pior cenário, o presidente diz que o país vai deixar de vender entre 50 a 60 mil toneladas por mês, que representa 5% da produção nacional. Granja onde foi identificado caso da doença de Newcastle em Anta Gorda Reprodução/RBS TV Especialista explica doença O g1 conversou com um especialista sobre o assunto, o professor de Medicina de Aves da Faculdade de Medicina Veterinária da UFRGS Hamilton Luiz de Souza Moraes, que esclareceu dúvidas sobre a doença. O que é A doença de Newcastle (DNC) é uma enfermidade viral que contamina aves domésticas e silvestres. Ela é causada pelo vírus pertencente ao grupo paramixovírus aviário sorotipo 1 (APMV-1). Com isso, as aves apresentam sinais respiratórios, seguidos por manifestações nervosas, diarreia e edema da cabeça. Qual o impacto em humanos O especialista explica que a doença pode causar, no máximo, conjuntivite transitória em humanos, podendo durar cerca de uma semana. A transmissão ocorre pelo contato, e não pelo consumo. "Ela é o que a gente chama de uma zoonose classe 2. Ela não causa muitos problemas, no máximo conjuntivite, mas em uma semana, tá bom. Então não é um problema para a saúde pública, vamos dizer assim. O problema maior é para as aves mesmo", explica. Como ela é transmitida A doença é transmitida por aves migratórias infectadas que fazem rotas comuns através dos continentes. Por conta disso, elas podem ter ocorrência em qualquer lugar do mundo. "Em algum momento essas aves se cruzam, então algumas que estejam infectadas podem contaminar outras, e nos locais onde elas estavam podem sair e infectar aves domésticas", explica. Como a doença é extinta A eliminação de todas as aves do mesmo lote é a metodologia de controle da doença. Isso ocorre pois o vírus é transmitido pelo ar, podendo contaminar ração, água e o abrigo aviário. Caso o foco não seja extinto, o surto pode se espalhar para uma região mais ampla. A medida foi confirmada pela Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) do Mapa, em conjunto com a Secretaria da Agricultura do RS (Seapi), que irá seguir o seguinte protocolo: Eliminação e destruição de todas as aves do estabelecimento; Limpeza e desinfecção do local; Interdição imediata do estabelecimento avícola, suspendendo toda movimentação de aves desde o primeiro atendimento pela Seapi. Existe uma vacina contra a doença de Newcastle, que precisa ser aplicada, preventivamente, antes da transmissão da doença. Quão transmissível é a doença A difusão da DNC é rápida, pois ocorre por um vírus transmitido pelo ar. O especialista alerta que, se as aves contaminadas saem dos locais onde estão concentradas ou se são mortas e descartadas em lugares inadequados, podem se disseminar para toda uma região. A enfermidade também é letal, podendo matar quase 100% das aves infectadas. Por conta disso, os órgãos fiscalizadores têm uma preocupação com a dispersão. Para garantir a contenção do surto, o Mapa afirmou que irá realizar uma investigação epidemiológica complementar em um raio de 10 quilômetros ao redor da área de ocorrência do foco. No entanto, o especialista afirma que cada país tem um protocolo. Alguns países regionalizam em raio de 50km, podendo fechar um estado ou até o país, dependendo da disseminação da doença. "O Japão é mais inteligente. Para 50 quilômetros, porque esse vírus se conserva bem na carne congelada, então se a gente exportar a carne com vírus, a gente pode estar contaminando outros locais", explica. Qual a recorrência da doença No Brasil, o último registro da doença foi em 2006, nos estados do Amazonas, Mato Grosso e Rio Grande do Sul, segundo o Ministério. O especialista afirma que o foco da doença no estado se concentrou no município de Vale Real, a cerca de 90 km de Porto Alegre. "Algumas aves morreram e outras foram eliminadas", relembra. Qual o impacto financeiro O especialista explica que os animais sacrificados em 2006 foram um problema não apenas para as aves como também para os países que importavam o frango à época. Ele afirma que houve uma interdição do produto por cerca de três meses. "O Brasil é o primeiro exportador mundial de carne de frango, e os países que compram a nossa carne, quando tem surtos dessa doença, não querem exportar daquele local. Então naquela época, em 2006, houve a interdição da importação por mais ou menos 3 meses", revela. Doença de Newcastle identificada em aviário do RS g1 VÍDEOS: Tudo sobre o RS Veja Mais

China: Banco central reduz taxas básicas de juros

Valor Econômico - Finanças Os bancos chineses reduziram nesta segunda-feira (... Veja Mais

Episódio dos 'Simpsons' tinha 'previsão' sobre Kamala Harris? Entenda

G1 Pop & Arte Lisa Simpson apareceu em cerimônia de posse da presidência dos EUA usando um terno roxo e colar de pérolas, em episódio da 11ª temporada. A vice-presidente americana, favorita à candidatura pelo partido Democrata, vestiu a exata mesma roupa em 2021. 'Simpsons': Semelhança de traje de Lisa e Kamala Harris na posse entra em lista de 'previsões' Kevin Lamarque/Reuters / Reprodução/YouTube Mais uma previsão dos "Simpsons"? Após a desistência de Joe Biden à candidatura da presidência, um episódio da série voltou a chamar atenção pela similaridade com cenários reais. Em um episódio da 11ª temporada da série, Lisa Simpson se tornou a primeira mulher a assumir a presidência do país. Na cena, ela usou traje semelhante ao usado pela primeira vice-presidente americana, Kamala Harris, durante a cerimônia de posse de Joe Biden em 2020. LEIA TAMBÉM: Kamala Harris recebe apoio de Biden, dos Clinton e desperta otimismo Episódio de 'Os Simpsons' com atirador em comício é suspenso após atentado contra Trump No desenho, Lisa vestia um terno roxo e um colar de pérolas, mesma escolha de Kamala na posse de Biden. Ambas faziam a transição de governo antecedido por Donald Trump. A vice-presidente de Biden é considerada a favorita para se candidatar à presidência pelo Partido Democrata. Se eleita, ela seria a primeira mulher a assumir o cargo na história dos EUA, assim como Lisa. O episódio de "Simpsons", intitulado "Bart to the Future", foi ao ar em 2000. Episódio dos 'Simpsons' tinha 'previsão' sobre Kamala Harris? Previsões de Simpsons Esta não é a primeira cena da série com semelhanças com a vida real. No ano passado, o programa "previu" a nota de R$ 200. A nova cédula foi aprovada pelo Conselho Monetário Nacional e anunciada pelo Banco Central em 2020, mas a animação "adivinhou" a existência da nota seis anos antes. No mesmo episódio, os roteiristas também "previram" a derrota do Brasil para a Alemanha após a lesão do seu maior craque. Outros episódios de "Os Simpsons" viraram alvo de comentários e brincadeiras por mostrarem situações que depois aconteceram de verdade, como a eleição de Donald Trump. Outra cena foi comentada por "prever" a compra da Fox pela Disney. No último dia 14, o Channel 4 cancelou a exibição de um episódio do desenho, um dia após o atentado a Donald Trump. Em uma de suas cenas, a personagem Lisa discursa no pódio de um comício e é se torna a mira de um atirador. O episódio nem cita, nem faz referências a Trump. Mesmo assim, a emissora suspendeu a exibição. No dia anterior, o candidato presidencial republicano discursava para seus eleitores quando os disparos foram feitos. Veja Mais

Troca de Biden por Kamala recoloca Partido Democrata na disputa, avalia embaixador Rubens Barbosa

Valor Econômico - Finanças Em sua avaliação, a pressão sobre Biden, em especi... Veja Mais

O Universo gira? Conheça os mistérios da rotação cósmica

O Universo gira? Conheça os mistérios da rotação cósmica

Tecmundo Se tudo o que conhecemos está em um movimento rotacional, seria correto supor que o cosmos, em sua totalidade, também está rodopiando na imensidão da existência? Se está, onde é o eixo dessa rotação, ou ainda, onde é o centro do universo?Quando colocamos nossa perspectiva, pensamentos e cálculos matemáticos para descrever a imensidão de tudo o que existe, dentro e fora de nossa vizinhança cosmológica, podemos ter alguns percalços no trajeto. Por exemplo, mal sabemos o que há em nossa galáxia, quiçá conseguir perscrutar o que há na periferia da imensidão cósmica. Leia mais... Veja Mais

Casal Clinton apoia Kamala Harris e critica Trump

Valor Econômico - Finanças Trump prometeu ser um ditador no primeiro dia e re... Veja Mais

Kevin Rian é anunciado como novo personagem de Fatal Fury City of the Wolves

canaltech A SNK aproveitou a EVO 2024 para mostrar novidades para seus jogos. A empresa japonesa anunciou Kevin Rian como novo membro do elenco de Fatal Fury: City of the Wolves com direito um trailer. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp Street Fighter 6 | Personagens de Fatal Fury são anunciados como DLC do game O policial membro da S.W.A.T aparece em trailer mostrando seu arsenal de golpes e combos pesados para encarar os demais lutadores do game.   Pistas de novo personagem A descrição do trailer oficial do game informa que Kevin e seu jovem parceiro Marky retornam em perseguição ao sinistro Freeman, o homem que o melhor amigo de Kevin.  -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- O ponto curioso é que por enquanto, Freeman não foi informado como um personagem do jogo, portanto, a citação pode ser uma pista, visto que ambos faziam parte do elenco de Garou: Mark of the Wolves, mas isso é apenas interpretação. Personagens confirmados Com a chegada de Kevin Rian, o elenco do game passa a contar com oito lutadores, sendo seis veteranos e dois novatos. Confiram a lista com os personagens do game. Terry Bogard; Rock Howard; B.Jenet; Marco Rodrigues; Preecha; Hotaru Futaba; Vox Reaper; Tizoc; Kevin Rian. O game marca a nova fase da SNK, em que a empresa decidiu voltar a trabalhar com franquias clássicas como Samurai Showdown que teve um novo título em 2019 e em Art of Fighting que tem um novo game em desenvolvimento, além do inesperado relançamento de SNK vs. Capcom Chaos. Data de lançamento Fatal Fury: City of the Wolves está previsto para chegar ao mercado no início de 2025 para PC, PlayStation 4, PlayStation 5 e Xbox Series. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Windows com mais de 30 anos pode ter salvado companhia aérea de apagão Mashco Piro: conheça o povo peruano isolado que apareceu em imagens raras 5 motivos para não comprar o BYD Seal Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft 'Taxa das blusinhas': quanto vai custar compra de R$ 100 no AliExpress Qual é melhor tablet bom e barato para comprar em 2024? Veja Mais

Caminho natural é uma candidatura de Kamala Haris, diz Amorim após desistência de Biden

Valor Econômico - Finanças Ex-ministro das Relações Exteriores acredita que s... Veja Mais

Além de Harris, outros democratas correm por fora para substituir Biden

Valor Econômico - Finanças Governador da Califórnia, Gavin Newsom, e a do Mic... Veja Mais

Biden indica Kamala Harris para substitui-lo na campanha

Valor Econômico - Finanças Decisão de escolher Kamala Harris como vice em 202... Veja Mais

Biden anuncia desistência de candidatura à presidência dos EUA

Valor Econômico - Finanças A desistência ocorre após pressões do partido e de... Veja Mais

Como usar um gerador de e-mail temporário?

Como usar um gerador de e-mail temporário?

Tecmundo Hoje em dia, é preciso ter um e-mail para fazer praticamente todo tipo de cadastro na internet. Entretanto, junto com alguns deles, há também o recebimento de spams e outras mensagens indesejadas, que acabam lotando a Caixa de Entrada.Para isso, muita das vezes a solução é usar um gerador de e-mail temporário para criar caixa de entradas adicionais. Como o nome sugere, você cria um endereço eletrônico com uma validade estipulada para evitar o recebimento de mensagens inconvenientes no seu e-mail pessoal. Leia mais... Veja Mais

Desistência de Biden, PIB dos EUA e IPCA-15 são destaque da semana

Valor Econômico - Finanças Relatório bimestral de receitas e despesas, do Min... Veja Mais

No compasso de sempre, Alaíde Costa reaviva alegrias e dores da caminhada no álbum ‘E o tempo agora quer voar’

G1 Pop & Arte O segundo título da trilogia idealizada para a cantora não bisa a coesão do repertório do aclamado disco antecessor ‘O que meus calos dizem sobre mim’. Aos 88 anos, Alaíde Costa lança o álbum ‘E o tempo agora quer voar’ com oito músicas compostas para a cantora Daryan Dornelles / Divulgação Capa do álbum ‘E o tempo agora quer voar’, de Alaíde Costa Daryan Dornelles com arte de Emicida Resenha de álbum Título: E o tempo agora quer voar Artista: Alaíde Costa Edição: Samba Rock Discos Cotação: ? ? ? 1/2 ? Por acaso ou destino, Alaíde Costa estreou o memorável show em que canta o repertório do primeiro LP de Caetano Veloso, Domingo (1967), na mesma semana em que apresentou o segundo álbum da trilogia idealizada por Emicida e Marcus Preto para a cantora e compositor carioca, E o tempo agora quer voar, disco aberto com a primeira parceria de Caetano com o rapper, Foi só porque você não quis. A caminho dos 89 anos, a serem festejados em 8 de dezembro, Alaíde saboreia a colheita do plantio feito ao longo de 70 anos de trajetória profissional marcada pela dignidade, coerência e absoluta fidelidade aos princípios musicais e ideológicos da artista. Em bom português, Alaíde Costa somente cantou e gravou o que quis, ignorando modas, modismos e movimentos do mercado musical. Sucessor do já emblemático álbum O que meus calos dizem sobre mim (2022), E o tempo agora quer voar perde no confronto com o disco anterior porque o repertório é menos imponente no conjunto da obra. A ponto de a canção de Marisa Monte e Carlinhos Brown – Moço, lançada em maio de 2023 como um primeiro single que não chegou a arrebatar, em que pese a graça da letra feminina que inverte os papéis conjugais da sociedade patriarcal – crescer no álbum e sobressair entre as oito faixas, se diferenciando também pela leveza que contrasta com a densidade da maior parte do repertório. A arquitetura dos dois discos é a mesma. Sob a direção artística de Emicida e Marcus Preto, o produtor musical Pupillo Oliveira trabalhou com a mesma banda, formada por Fábio Sá no contrabaixo acústico, Léo Mendes no violão de sete cordas e o próprio Pupillo na bateria. Sem falar nos sopros orquestrados por Antonio Neves e Antonio Albino. A propósito, os arranjos – aliados à já notória classe do canto de Alaíde – atenuam a irregularidade do cancioneiro gravado no tempo dessa artista que caminha em ritmo suave, no compasso de sempre. Nesse percurso, os sopros refrescam as lembranças que acalentam a memória da artista no samba-canção Foi só porque você não quis, avivando reminiscências de festas e fanfarras de tempos idos em clima de anos dourados. Com melodia feita por Caetano Veloso a partir de letra escrita por Emicida a partir de desencontro de Alaíde com o artista baiano em 1974, Foi só porque você não quis se destaca ao lado de Meus sapatos dentre as seis faixas inéditas do álbum. É uma bela música! Sim, são apenas seis faixas inéditas, uma vez que que a música Ata-me (Junio Barreto e Montorfano, 2023) já tinha sido apresentada em single editado em setembro do ano passado com versos incandescentes – “Chega, derrama e incendeia / Rouba-me o gole e a água / Crava, certeira, carece, serena, rara, engana / Da minha sanha alastra / Rasga, fraqueja, me morda / Jura-me, molha a carne / Move, me leva, mas ata-me” – que se chocam com a temperatura amena do canto denso de Alaíde Costa. Tal densidade acompanha o samba-canção Meus sapatos, em cuja letra – iniciada pelo rapper Rashid sobre melodia de Gilson Peranzzetta e finalizada por Emicida – a cantora reflete sobre a caminhada ao reavivar as alegrias e as dores da jornada, inventariando tanto os gozos como os calos que, sim, dizem muito sobre a integridade de Alaíde Costa. Segunda parceria da cantora e compositora com Nando Reis, Suave embarcação desliza com serenidade no mar calmo, mas profundo, de Alaíde em dueto com Claudette Soares, de quem a artista sempre foi amiga de verdade em todas as bossas e horas. Com o toque do vibrafone de Jota Moraes, Bem Belém – melodia de Zé Manoel com letra de Leonel Pereda e Ronaldo Bastos – é música refinada, mas sem fôlego para alcançar o âmago do ouvinte. O mesmo podendo ser dito de Além de uma palavra (melodia de Cristovão Bastos e Zé Renato com letra da poeta Clara Delgado) e de Bilhetinho (letra escrita por Emicida e Luz Ribeiro sobre melodia de Rubel). Nesse sentido, E o tempo agora quer voar – álbum mixado e masterizado por Carlos Trilha – causa menor impacto do que o antecessor O que meus calos dizem sobre mim, disco em que arranjos, canto e repertório batiam na mesma alta frequência. No atual disco, além da já enfatizada oscilação do repertório, os arranjos de algum modo também já soam déjà vu, ainda que de ótimo acabamento. Contudo, o saldo é positivo e, além do mais, somente o fato de Alaíde Costa estar lançando álbum com músicas inéditas, compostas para a cantora, já é fato em si louvável que merece alarde. Que venha em 2026 o disco que fechará a abençoada trilogia! Veja Mais

Dia dos avós: Entenda quais são seus direitos e deveres

Valor Econômico - Finanças Avós podem ser obrigados a prestar pensão alimentí... Veja Mais

Mundo, aos poucos, descarta Biden e busca aproximar-se de Trump

Valor Econômico - Finanças Países veem a influência de presidente dos EUA enc... Veja Mais

5 motivos para comprar o BYD Seal

canaltech O BYD Seal não é um carro perfeito e, como tudo na vida, tem pontos que podem ser mais bem trabalhados pela marca chinesa nas futuras atualizações. Clique e siga o Canaltech no WhatsApp 5 motivos para não comprar o BYD Seal Não dá para negar, porém, que o sedan elétrico coupé oferece uma vantajosa lista de razões para quem está disposto a comprar um modelo que certamente vai atrair olhares curiosos por onde passar, seja pelo design, seja pelo desempenho. Por isso, listamos 5 ótimos motivos para comprar o BYD Seal. -Entre no Canal do WhatsApp do Canaltech e fique por dentro das últimas notícias sobre tecnologia, lançamentos, dicas e tutoriais incríveis.- 5. Potência Não dá para deixar de abrir a lista de 5 motivos para comprar o BYD Seal com algo que não seja a potência do sedan elétrico. Afinal de contas, são dois motores elétricos, instalados um em cada eixo, com 218 cv no dianteiro e 313 cv no traseiro. BYD Seal tem 2 motores elétricos e 531 cavalos de potência combinada (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) Juntos, eles entregam nada menos que 531 cv de potência e 60,2 kgf/m de torque, composição que faz o coupé acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 3,8 segundos, tempo invejável até mesmo por esportivos de marcas mais tradicionais. 4. Comportamento dinâmico Como dizia um comercial de TV de uma famosa marca de pneus, “potência não é nada sem controle” e, no caso do BYD Seal, o cliente que optar por comprar o sedan elétrico chinês pode ficar tranquilo, pois o carro oferece ambos. BYD Seal mostrou excelente dirigibilidade e muito equilíbrio, até nas curvas em alta (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) O coupé já havia mostrado, em uma breve experiência durante o Festival Interlagos, um pouquinho da excelente dirigibilidade. A primeira impressão foi comprovada durante os dias em que utilizei o Seal como carro do dia a dia. A direção se mostrou precisa e com respostas rápidas, enquanto a tração integral é competente em manter o carro sempre à mão nas curvas. O único senão é a suspensão macia (até demais nas lombadas), como frisamos em outra lista. 3. Eficiência energética Além de extremamente potente, o BYD Seal também é eficiente, e esse é, sem dúvida, um dos motivos mais importantes na lista de quem está no mercado em busca de comprar um novo carro elétrico. Recarregar pra quê? BYD Seal mostrou eficiência maior que a oficial do Inmetro (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) O Seal mostrou, durante a experiência que tive ao volante para o Canaltech, capacidade de rodar bem mais do que os 372 km aferidos oficialmente pelo Inmetro. As baterias de 82,5 kWh de capacidade demonstraram que, mesmo pisando forte no acelerador de vez em quando, podem passar dos 460 km sem precisar recarregar. 2. Teto panorâmico Um dos motivos que podem convencer você, canaltecher, a escolher o BYD Seal como próximo carro, é o teto panorâmico. “Ah, mas isso lá é motivo para comprar um carro”, você pode perguntar? A resposta não precisa de palavras, e sim, de uma imagem. Teto panorâmico do BYD Seal não abre, mas nem precisa, não é? (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) Viu a foto aí em cima? Ela foi tirada do banco traseiro do sedan coupé e mostra como o teto panorâmico (que não abre, é bom frisar) pode tornar um simples passeio em um momento inesquecível, principalmente se o céu estiver bonito como o do dia do teste. 1. Preço O último entre os motivos que podem fazer o cliente optar por comprar o BYD Seal e não um outro carro elétrico é o preço que a montadora chinesa decretou para o sedan coupé em nosso mercado. BYD Seal custa, hoje, pouco menos de R$ 300 mil, preço bem honesto por tudo o que o sedan oferece (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech) O Seal desembarcou no Brasil custando R$ 296.800, chegou a ter o preço reduzido em promoções-relâmpago e, agora, com a nova alíquota de imposto sobre eletrificados importados, passou a R$ 299.800. Mesmo assim, é o carro mais barato do Brasil a oferecer mais de 500 cavalos de potência. Por tudo isso que mostramos acima, o que você acha? O BYD Seal oferece motivos suficientes para fazer com que você, canaltecher, compre o sedan elétrico chinês? Comente conosco em nossas redes sociais. BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) BYD Seal (Review) (Paulo Amaral/Canaltech) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: ???? PARCELADO | iPhone 15 atinge preço imperdível em oferta Amazon Prime Google anuncia fim do encurtador de links, o que pode gerar erros em sites 5 motivos para não comprar o BYD Seal Seres paralisa venda de carros no Brasil por tempo indeterminado Apagão cibernético atingiu 8,5 milhões de computadores, segundo Microsoft Qual é melhor tablet bom e barato para comprar em 2024? Veja Mais

Havaianas aumenta em 40% investimentos em marketing para a Olimpíada de Paris

Valor Econômico - Finanças Estratégia inclui desfile dos atletas brasileiros... Veja Mais

Best-seller de escritor médico é uma espécie de ‘Cem anos de solidão’ em versão indiana

Valor Econômico - Finanças Com mais de 600 páginas, ‘O pacto da água’, de Abr... Veja Mais

Kinect e mais: 6 acessórios para videogame que não deram tão certo

Kinect e mais: 6 acessórios para videogame que não deram tão certo

Tecmundo Foram muitos os acessórios de videogames que se popularizaram ao longo da história. Entretanto, há também aqueles que prometeram bastante, mas que com o passar do tempo, ou até em um prazo menor que o previsto, acabaram esquecidos pelas empresas. Desde o até então revolucionário Kinect, até os papelões inovadores e sustentáveis do Nintendo LABO, foram muitos os acessórios que deixaram a desejar. E hoje o Voxel traz uma lista mostrando as principais decepções. Confira! Leia mais... Veja Mais

Crianças passam férias em contato com cavalos

G1 Economia Universidade do Cavalo busca proporcionar às crianças uma nova maneira de aproveitar as férias, com brincadeiras que divertem e ensinam. O haras que abriga mais de 300 cavalos de diferentes raças Reprodução/TV TEM Um lugar cercado por árvores, onde o canto dos pássaros se mistura com o som do trote dos cavalos, oferece muito mais do que um cenário rural. Durante o período de férias, a Universidade do Cavalo abre suas portas para crianças que buscam uma experiência transformadora, aprendendo desde o manejo até curiosidades sobre os equinos. ???? Participe do canal do g1 Sorocaba e Jundiaí no WhatsApp Com a ajuda de monitores, as crianças exploram o haras que abriga mais de 300 cavalos de diferentes raças. Elas escovam a pelagem dos animais e acompanham o passo a passo de como selar um cavalo, vivenciando essa rotina ao longo de uma curta temporada. As crianças aprendem os modos de comunicação do cavalo com o humano, por exemplo, como identificar movimentos das orelhas, da cauda e das patas dos cavalos, entendendo suas emoções e necessidades. Além disso, elas são introduzidas a modalidades esportivas, como saltos, e compreendem a importância da relação de confiança e respeito entre cavalo e cavaleiro. Ao final do programa, as crianças voltam para casa cheias de histórias para contar. Para muitas, a experiência é uma alternativa enriquecedora, saindo um pouco da rotina habitual de jogos e celulares, proporcionando aprendizado em um ambiente diferente. Veja a reportagem exibida no programa em 21/07/2024: Crianças passam férias em contato com cavalos VÍDEOS: veja as reportagens do Nosso Campo Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes sociais Confira as últimas notícias do Nosso Campo Veja Mais

O que os CEOs devem fazer em começo de mandato

Valor Econômico - Finanças Executivos e especialistas em alta gestão orientam... Veja Mais

Nova bolsa de valores do Rio é anunciada em tempos de ‘seca’ de IPOs no Brasil; entenda os desafios

G1 Economia País está há quase três anos sem ver novas empresas abrindo capital. Especialistas explicam os motivos da paralisia e por que a nova bolsa pode melhorar o acesso de empresas em fase de expansão ao mercado de capitais. Touro de Ouro instalado em frente à Bolsa de Valores de SP (B3), na rua XV de Novembro, no Centro de São Paulo. Divulgação/B3/TouroInc O anúncio de uma nova bolsa de valores no Rio de Janeiro (RJ) foi comemorado pelo prefeito Eduardo Paes (PSD) e por Claudio Pracownik, presidente da empresa responsável pela operação da bolsa carioca, a Americas Trading Group (ATG). A cidade volta a ter uma bolsa de valores depois de 20 anos. Mas a notícia vem em meio a um momento difícil para o mercado de IPOs (sigla em inglês para Ofertas Públicas de Ações) no Brasil: já são quase três anos de seca, em que nenhuma empresa brasileira se lançou na bolsa. O último IPO brasileiro foi do Nubank, que abriu capital na Bolsa de Valores de Nova York, a NYSE, em dezembro de 2021. Naquele ano, inclusive, houve recorde no número de registros de ofertas públicas primárias de ações: foram 46 empresas no ano. De lá para cá, o nível mais elevado de juros, mesmo em economias desenvolvidas como os Estados Unidos, diminuiu o apetite de investidores por ativos de renda variável. Esperando um momento mais propício para captar dinheiro no mercado, as empresas se retraíram. Um relatório da consultoria EY apontou que o número total de IPOs feitos pelo mundo encolheu 12% no primeiro semestre deste ano em relação a igual período de 2023, de 624 para 551 ofertas registradas. O volume financeiro movimentado neste mesmo intervalo registrou uma queda de 16%, indo de US$ 62,5 bilhões (R$ 340,8 bilhões) para US$ 52,2 bilhões (R$ 284,6 bilhões) na mesma base de comparação. Segundo especialistas ouvidos pelo g1, a inflação persistente que impede os Bancos Centrais de baixarem os juros ainda deve adiar a volta dos IPOs para o final deste ano — ou até para o começo de 2025. Mas o que está acontecendo com o mercado de capitais? Especialistas consultados pelo g1 destacam três principais fatores para a falta de IPOs no Brasil: A demora na queda de juros dos EUA; A retirada de recursos estrangeiros da bolsa brasileira; e A interrupção dos cortes na taxa básica de juros brasileira, a Selic. ?? Juros nos Estados Unidos Um dos principais motivos para a redução do interesse das empresas em abrir capital é a frustração com o adiamento do ciclo de cortes de juros nos EUA por parte do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano). Em cenário de juros mais altos por lá, investidores preferem direcionar o dinheiro para os Treasuries (ativos do Tesouro norte-americano, considerados os mais seguros do mundo), do que colocar em aplicações de risco. Em outras palavras: se há boa rentabilidade na segurança, o interesse em bolsa de valores diminui. No final do ano passado, com a melhora dos indicadores de inflação e dos sinais de uma economia mais contida nos EUA, o mercado não apenas previa que o Fed faria o primeiro corte de juros entre março e maio, como também esperava de seis a sete reduções das taxas por parte da instituição ao longo do ano. Houve uma empolgação em todo o mercado financeiro. O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, bateu seguidos recordes. Mas esse cenário não se concretizou, uma vez que os índices de preços norte-americanos não cederam e a atividade da maior economia do mundo continuou acelerando. “O mundo inteiro foi decepcionado com a expectativa de redução de juros nos Estados Unidos que ainda não veio. E como isso não aconteceu, temos dificuldade em ver fluxos [de recursos] gringos entrando no país”, explica o corresponsável pela área do banco de investimentos do Bank of America (BofA) no Brasil, Bruno Saraiva. ?? Fluxo estrangeiro no Brasil Conforme ficou claro que os juros demorariam a cair nos EUA, a maior atratividade dos títulos públicos norte-americanos se reforçou e reduziu ainda mais o interesse em investimentos de risco nos países emergentes, como o Brasil. Os investidores estrangeiros respondem por mais da metade do volume movimentado mensalmente na B3, a bolsa de valores brasileira. Em 2024 até 12 de julho, foram retirados mais de 30 bilhões em recursos estrangeiros do mercado nacional. “Assim como o mundo, a gente também vinha passando por questões de juros, inflação e atividade, com previsões mais otimistas no começo do ano que não vieram”, diz o sócio e especialista em IPOs da EY Brasil, Rafael Santos. A preocupação com o cumprimento das metas de controle dos cofres do país já vinha desde abril, quando o governo propôs reduzir as metas para as contas públicas dos próximos anos e passou a prever superávit (receitas maiores que despesas) apenas em 2026. Os últimos dados, inclusive, não são muito animadores. Segundo a Secretaria do Tesouro Nacional, as contas do governo federal registraram déficit primário de R$ 61 bilhões em maio deste ano. E esses temores cresceram em junho, quando novas falas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) refletiram nos mercados. Entre outras coisas, o presidente afirmou que seria necessário avaliar se a saída para as contas públicas seria via corte de gastos ou aumento na arrecadação, além de ter feito críticas à atuação do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e ter dito que o real estaria sendo alvo de um ataque "especulativo". Mas mesmo diante da maior preocupação dos investidores — que contribuiu para que o câmbio atingisse os R$ 5,66 em junho, maior patamar em dois anos e meio — especialistas apontam que a má impressão foi maior do que a real mudança de cenário, e os números brasileiros seguem consistentes. “A verdade é que não houve uma piora significativa. O Brasil continua fazendo reformas, vai ter reforma tributária e várias outras melhorias. O desemprego também está baixo e a renda está crescendo. Mas o fato é que os ruídos não ajudam”, afirma o diretor do Bradesco BBI Felipe Thut. ?? Interrupção de cortes na Selic Por fim, outro ponto que também tem afastado o interesse dos investidores por ativos de renda variável é a interrupção do ciclo de cortes de juros pelo Banco Central, desde a última reunião de política monetária feita pela instituição, em junho. Como o g1 já mostrou, o principal motivo para a pausa nos cortes da Selic foi um reajuste das expectativas de inflação pelos agentes econômicos, que passaram a projetar um aumento mais veloz dos preços, deixando-os mais longe da meta do BC. É o que o mercado chama de "desancoragem" das expectativas. Esse ambiente de mais incerteza sobre os preços deixa o BC mais receoso sobre o patamar em que precisa manter os juros para que se mantenha o controle da inflação. “Para que os investidores voltem a investir em bolsa de valores novamente, temos que ver queda da Selic e dos juros de longo prazo, para que o mercado de renda fixa ofereça uma rentabilidade menor e isso incentive os investidores a voltar para a renda variável”, disse Thut, do Bradesco BBI. E quando o cenário para IPOs deve melhorar? De acordo com os especialistas consultados pelo g1, é preciso ainda ver uma melhora concreta no cenário para que as empresas voltem a abrir capital na bolsa de valores. Assim, a previsão é que o mercado volte a se aquecer apenas no final deste ano — ou no começo de 2025. Segundo dados da ferramenta FedWatch do CME Group, o mercado acredita atualmente em uma chance de 85,6% de que o Fed dê início ao ciclo de cortes dos juros norte-americanos em setembro. Com a redução de juros nos Estados Unidos, abre-se um espaço não apenas para uma menor retirada de recursos da bolsa pelos estrangeiros, como também para que o BC brasileiro volte a cortar os juros por aqui eventualmente. O último relatório Focus, do Banco Central, no entanto, projetava uma Selic de 10,50% ao ano para o final de 2024 e de 9,5% ao ano para 2025. Isso significa que, pelas projeções do mercado, um novo corte da taxa básica brasileira só deve acontecer no próximo ano. Thut, do Bradesco BBI, diz ainda que o mercado também aguarda os resultados das eleições presidenciais norte-americanas para calibrar as apostas. As projeções sobre o pleito seguem envoltas em incertezas. “A eleição norte-americana tem impacto em qual vai ser a política dos candidatos e qual vai ser o impacto na inflação de lá, porque também há uma preocupação do investidor com a dívida dos Estados Unidos”, explica o diretor do Bradesco BBI. Ainda segundo especialistas, após tanto tempo sem novas ofertas públicas de ações, a expectativa é que a retomada desse mercado venha por meio de empresas mais robustas. “Toda retomada de mercado volta primeiro com operações grandes, porque são elas que geram liquidez no mercado secundário no dia seguinte. Assim, devemos ver uma retomada com companhias mais sólidas e com histórias provadas, governança de primeira e previsibilidade financeira”, explica Bruno Saraiva, do BofA. O executivo destaca setores como infraestrutura, energia, saneamento e logística como prováveis destaques na volta do mercado. Para Santos da EY, no entanto, a estimativa é que a volta dos IPOs de empresas brasileiras aconteça primeiro no mercado norte-americano, com mais companhias se preparando para abrir capital nas bolsas de Wall Street. Até agora neste ano, o índice S&P 500 acumula um avanço de mais de 15%. "As companhias competem por um capital que, hoje, é mais limitado no Brasil. O que as empresas buscam é liquidez e elas estão enxergando que há mais capital e disposição para ativos de risco no exterior", explica o especialista. Ele destaca, no entanto, que não são todas as empresas que devem conseguir ir para as bolsas dos Estados Unidos. "O mercado norte-americano é mais rigoroso, e não é todo mundo que está pronto", conclui. E a nova bolsa do Rio? Pode ajudar o mercado de IPOs? Para os analistas consultados pelo g1, a bolsa carioca deve ter pouco efeito no número de empresas que devem decidir abrir capital no Brasil, apesar de ser vista como alternativa positiva para trazer mais maturidade para o nosso mercado. Para Santos, da EY, a tendência é que a nova bolsa do Rio traga um acesso maior ao mercado de capitais, como forma de atender às companhias em fase menos madura, ou em fase de expansão. “Essas iniciativas de mercado de capitais são muito importantes, porque você coloca um nicho de listagem para companhias que ainda não têm espaço no mercado. Se a bolsa do Rio trouxer esse tipo de iniciativa, sem dúvida isso trará benefícios superimportantes”, acrescenta Santos. Segundo o secretário municipal de desenvolvimento urbano e econômico do Rio, Chicão Bulhões, a criação de uma bolsa no Rio de Janeiro deve trazer competitividade com a B3 e ser positiva para o mercado. "Concorrência significa normalmente melhor atendimento, produto e preço para quem contratar o serviço. O custo do mercado financeiro no Brasil ainda é muito alto, por isso esperamos, sim, que a abertura da nova bolsa melhore essa competitividade e torne o mercado de capitais mais acessível não só para as micro e pequenas empresas como para o cidadão comum", diz. Ele destaca, ainda, que há a estimativa de que a nova bolsa carioca também tenha reflexos na arrecadação da cidade. Como a nova bolsa deve funcionar? Segundo o presidente da ATG, Claudio Pracownik, o modelo proposto pela companhia nesse primeiro momento é a dupla negociação — ou seja, que os ativos que já são negociados na B3 também sejam negociados na nova bolsa do Rio de Janeiro, a ATS (American Trading Service). "Na primeira fase de operação, a ATS não fará listagem de novas empresas. No entanto, esse tipo de serviço está em nosso 'pipeline' [previsto em novas etapas] para o futuro, quando pretendemos lançar um produto que, obedecidos os dispositivos regulatórios, seja prático, ágil e com um preço justo", afirma Pracownik. Para que as empresas possam optar pela dupla negociação, elas precisarão aderir à ATS. Com isso, as ações das empresas negociadas na B3 já farão parte da nova plataforma. A primeira fase de atuação da ATS será composta por mercado de ações à vista, aluguel de ações e negociação de cotas de fundos. "Acredito que não teremos nenhum tipo de obstáculo ou dificuldade para conseguir essa aderência das empresas. Primeiro, temos a certeza de que temos um produto muito bom. Segundo, é de interesse das empresas de capital aberto ter maior liquidez para suas ações. Quanto maior liquidez, melhor para o acionista e também para o preço", diz o executivo. Por fim, sobre o maior acesso do mercado de capitais para empresas de médio porte, Pracownik afirma que será necessária a criação de um ecossistema próprio para este setor. "É necessário, a meu ver, [...] estímulos para os fundadores e os investidores, abrangendo a redução de custos de listagem, regras próprias de governança, educação financeira e um estímulo fiscal, reduzindo, por exemplo, o imposto sobre ganho de capital para as transações com os valores mobiliários dessas empresas", afirma. O processo de mudança de nome da nova bolsa ainda está em curso. Veja Mais

Adidas retira modelo Bella Hadid de campanha por polêmica sobre Gaza

G1 Pop & Arte A gigante alemã de roupas esportivas lançou uma reedição dos tênis "SL72", que é uma réplica do calçado usado pelos atletas durante as Olimpíadas de Munique. Durante a competição, homens armados da organização palestina "Setembro Negro" assassinaram dois atletas israelenses. A Adidas anunciou na sexta-feira (19) a retirada da modelo Bella Hadid, cujo pai é palestino, de uma campanha para promover a reedição de um tênis icônico dos Jogos Olímpicos de Munique de 1972, que foram ofuscados pelo massacre de 11 atletas israelenses. A gigante alemã de roupas esportivas lançou uma reedição dos tênis "SL72", um modelo retrô, que é uma réplica do calçado usado pelos atletas durante as Olimpíadas de Munique. Durante a competição, um comando de homens armados da organização palestina "Setembro Negro" invadiu a Vila Olímpica, assassinou dois atletas israelenses e sequestrou outros nove. Depois das negociações empreendidas pela então Alemanha Ocidental falharem e de uma tentativa caótica de resgate, tudo terminou com a morte dos nove reféns e de um policial alemão. A Adidas escolheu como protagonista de sua campanha publicitária Bella Hadid, uma famosa modelo americana filha de um magnata palestino com uma modelo holandesa. Bella Hadid no tapete vermelho de Cannes Vianney Le Caer/Invision/AP Hadid, de 27 anos, expressou apoio aos direitos dos palestinos durante toda a sua carreira, mas suas opiniões geraram mais polêmicas após o ataque de 7 de outubro de 2023, que desencadeou a atual guerra em Gaza. "Estamos cientes de que foram estabelecidas ligações com eventos históricos trágicos, embora estes sejam totalmente involuntários, e pedimos desculpas por qualquer incômodo ou dor que isso possa ter causado", declarou a marca em um comunicado enviado à AFP. A modelo foi removida da campanha com "efeito imediato", indicou uma porta-voz da Adidas. Essa campanha gerou uma onda de críticas nas redes sociais. O descontentamento foi especialmente notável entre o alto escalão de Israel. Hadid manteve silêncio por mais de duas semanas após o ataque brutal de 7 de outubro, quando combatentes islamistas do Hamas mataram 1.195 pessoas, a maioria civis, e sequestraram 251 no sul de Israel, segundo um balanço feito com base em dados oficiais israelenses. Em 26 de outubro, Hadid pediu desculpas por seu silêncio em uma mensagem na qual declarou que estava "de luto" pelas famílias israelenses e condenou "atentados terroristas contra qualquer civil, em qualquer lugar". Desde então, a modelo condena habitualmente os bombardeios israelenses contra Gaza, como parte de uma ofensiva que já deixou 38.800 mortos, também civis em sua maioria, segundo o Ministério da Saúde do território palestino governado pelo Hamas. Veja Mais

WhatsApp começa a liberar emojis animados em teste no Android

tudo celular O WhatsApp começou a testar os emojis animados em novo beta no Android. Veja Mais