Meu Feed

Últimos dias

O que fazer antes de trocar o Xbox One pelo Xbox Series X ou S

canaltech Por mais que a Microsoft tenha prometido uma transição fácil da atual para a nova geração de consoles, ainda existem algumas dúvidas a serem sanadas quanto à entrada nessa nova era dentro do ecossistema do Xbox Series X e do Xbox Series S. Talvez a principal delas seja: vou levar todo o meu progresso para os novos consoles? Xbox Series X e Series S | Tudo o que sabemos sobre os sucessores do Xbox One Xbox Series X e S: conheça a tecnologia da nova geração de consoles A resposta é: sim, mas existem várias maneiras de isso ser feito. Aqui no Brasil os preços dos consoles não são tão convidativos, então, muitas pessoas, antes de comprarem o Xbox Series X ou o Series S, venderão seus atuais Xbox One para ajudar no custeio dos novos videogames. Por padrão, existem alguns passos que devem ser realizados antes disso e que também podem ser feitos mesmo que você mantenha o aparelho antigo. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Veja abaixo o que você precisa fazer antes de trocar seu Xbox One, Xbox One S ou Xbox One X pelos Xbox Series X ou Series S: Transferir os arquivos para o novo console Se você decidir manter o seu Xbox One antigo, tudo o que precisará fazer é transferir tudo o que estiver nele para o Xbox Series X ou Series S. Para isso, existem dois modos: guardar em um HD externo ou transferir tudo pela rede. Para fazer isso é simples: com o menu do Xbox aberto, vá em Configurações > Sistema > Armazenamento. Lá vocês devem escolher uma das duas opções: Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech Restaurar o Console Ao restaurar o console você simplesmente apaga todo o conteúdo existente nele, independentemente do modo de backup que você escolheu. Como seus saves e progressões dos jogos estão todos salvos na nuvem, deletar todos os arquivos do seu Xbox One não oferece perigo algum, principalmente porque será possível jogar tudo de onde você parou no Xbox Series X ou no Series S. Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech Para realizar a restauração, o processo também é simples. Acesse Configurações > Sistema > Informações do Console > Redefinir Console. Ao selecionar essa opção, você apagará não somente os jogos do seu videogame, mas também os perfis logados, capturas de tela e todas as contas de redes sociais e aplicativos que estiverem instalados. Ao adquirir seu Xbox Series X ou Series S e efetuar o login, tudo o que for digital estará pronto para ser instalado diretamente pela internet. Para o caso de você ter os jogos em mídia física, a transferência de arquivos pode poupar o trabalho de instalação de CD por CD de jogo no seu Xbox novo. Para quem comprar o Xbox Series S, essa transferência de arquivos será fundamental, uma vez que o console não possui entrada para CDs. A Microsoft ainda não especificou se há a possibilidade de instalar os jogos que você possui em mídia física de outra maneira. O Xbox Series X e o Xbox Series S estão em pré-venda no Brasil por R$ 4.999 e R$ 2.999 respectivamente. O lançamento nacional acontecerá na mesma data do lançamento global: dia 10 de novembro. Compre o PS5 e o Xbox Series X | S no Brasil E aí, você já decidiu se vai de PS5 ou de Xbox Series? Independentemente da sua escolha, ambos os consoles já estão disponíveis no Brasil em pré-venda. Ao comprá-los antecipadamente, você garante que terá algum dos novíssimos dispositivos antes de 2020 acabar. Que tal aproveitar agora? Basta seguir as nossas dicas pelos links abaixo e esperar a entrega chegar: Compre o PS5 padrão com entrada para mídia física Compre o PS5 Digital Edition, o mais barato da Sony Compre o Xbox Series X com todo o poder da Microsoft Compre o Xbox Series S, o melhor custo-benefício Black Friday é no Canaltech Ofertas Está chegando a época com as melhores promoções do ano! A Black Friday 2020 vai acontecer no dia 27 de novembro e promete grandes descontos em várias categorias cobiçadas pelos brasileiros, como smartphones, smart TVs, notebooks, smartwatches, pulseiras inteligentes, monitores e muitos outros eletrônicos. Para ajudá-lo a encontrar os menores preços da internet, o Canaltech Ofertas fará a cobertura em tempo real da Black Friday, e você pode receber os descontos diretamente no seu celular ao entrar em nossos grupos de WhatsApp e Telegram. Não deixe para se preparar em cima da hora, clique no link abaixo e comece a economizar imediatamente! Entre no grupo de WhatsApp e Telegram do Canaltech Ofertas Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos Hacker misterioso “Eris Loris” está arruinando milhares de partidas de Among Us Stranger Things | Fotos revelam o exato ano em que acontece a 4ª temporada Saiba quais são os melhores processadores de celular em 2020 Veja Mais

Chrome testa anúncios do Google Shopping na página de nova aba

canaltech A equipe do Google Chrome está experimentando uma mudança para a página de nova aba no navegador. O Chrome Canary recebeu, em fase de testes, um recurso que exibe ofertas do Google Shopping na página. Os anúncios exibidos seriam feitos de acordo com as preferências de pesquisa da conta. Chrome://flags: como acessar funções secretas do navegador Microsoft Edge testa recurso de inicialização rápida para rivalizar com Chrome Essa exibição precisa ser ativada nas preferências do Chrome Canary, a versão instável do navegador e voltada para testes. Acesse "chrome://flags" pela barra de pesquisa e, em seguida, marque "Enabled" para a opção "NTP Modules" ("Módulos para página de nova aba", em tradução livre") e "Enabled - Fake Data" para a opção "NTP Shopping Tasks Module". Como a opção revela, os anúncios são exibidos apenas com a seleção de dados falsos. Aviso sobre o uso de dados do Google na janela de anúncios (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Após habilitar todas essas funções, é possível visualizar dois anúncios de cadeiras. Selecionando o ícone de informações, o Chrome revela que os itens são visualizados com base na atividade anterior de pesquisas em serviços do Google. Há a possibilidade de remover esse destaque do Shopping em "Personalizar" > "Cartões" > "Ocultar cards", dentro da página de nova aba. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Ferramenta do Chrome promete apagar cookies, mas retém dados de buscas e YouTube No último dia 24, um porta-voz do Google entrou em contato com o portal Techdows para explicar o uso da função: "gostaríamos de esclarecer que esse experimento consiste em disponibilizar uma lista gratuita com produtos, não anúncios pagos. Regularmente testamos novos recursos desse tipo para ajudar usuários em tarefas como as compras e mais". Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses Hacker misterioso “Eris Loris” está arruinando milhares de partidas de Among Us Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos Stranger Things | Fotos revelam o exato ano em que acontece a 4ª temporada Saiba quais são os melhores processadores de celular em 2020 Veja Mais

Como baixar e jogar Scribble Rider

canaltech Scribble Rider (Android | iOS) é um jogo de corrida no qual cabe ao usuário desenhar o tipo de roda que será utilizado. Qualquer formato pode ser utilizado, desde o tradicional círculo até triângulos, estrelas e outras formas livres. O objetivo é, com essas rodas, vencer o veículo da inteligência artificial no circuito, que pode incluir diferentes obstáculos. O que é Among Us e como baixar o game Quer jogar os games de Xbox no seu iOS? Veja como O jogo ganhou grande popularidade nos últimos meses. De acordo com a consultoria Sensor Tower, foi o jogo mobile mais baixado de agosto em todo o mundo e o segundo mais baixado de setembro, atrás apenas de Among Us. Veja, abaixo, como baixar e jogar! Scribble Rider: como baixar e jogar Passo 1: abra a App Store ou a Google Play Store e procure pelo jogo. Toque em "Instalar" para fazer o download em seu aparelho; -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Baixe o app em seu celular (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 2: ao abrir, o jogo disponibilizará um tutorial rápido para conhecer sua mecânica. Use a área pontilhada para desenhar uma roda com os dedos e confira uma corrida de testes; Desenhe o formato da roda (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 3: em seguida, desenhe qualquer forma dentro da caixa para determinar a roda usada no circuito. As provas possuem obstáculos diferentes e o objetivo é vencer o veículo adversário; Inove nas criações (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 4: ao final de cada prova, o jogador recebe moedas e outros itens de bônus, que podem ser usados para liberar novos equipamentos; Ganhe recompensas a cada vitória (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 5: toque no ícone em destaque no canto esquerdo para abrir a loja; Acesse a loja do jogo (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 6: com as moedas acumuladas, compre novos personagens, veículos e materiais para rodas. O conteúdo é desbloqueado, também, de acordo com o progresso no jogo. Customize personagem e veículo (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Saiba como aumentar FPS no Free Fire O que achou de Scribble Rider? Deixe sua opinião nos comentários! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses Hacker misterioso “Eris Loris” está arruinando milhares de partidas de Among Us Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos Stranger Things | Fotos revelam o exato ano em que acontece a 4ª temporada Saiba quais são os melhores processadores de celular em 2020 Veja Mais

Xiaomi lança vaso inteligente que avisa hora certa de regar planta

canaltech A Xiaomi é conhecida por lançar versões inteligentes de diferentes produtos para casa – em alguns casos, muito inusitados. A novidade da vez é um vaso de plantas inteligente que ajuda a acompanhar o estado das plantas. Possui capacidade de monitorar os níveis de água e de fertilizante na terra, indicadores de LED e resistência à corrosão. Os melhores produtos da Xiaomi para comprar no Brasil Os produtos mais inusitados da Xiaomi que você não conhecia Mi Band 5 vs Galaxy Fit 2: qual smartband vale mais a pena? Chamado de HHCC RoPot, o vaso possui componentes que identificam e acompanham os dados das plantas, informando o status através de cores diferentes em seu painel de LED. A luz verde significa que o vaso está sendo carregado, luz vermelha representa bateria fraca, luz amarela informa desequilíbrio no nível de fertilizantes em por fim, a luz azul reforça a necessidade de regar as plantas. O HHCC RoPot, novo vaso de plantas da Xiaomi (Imagem: Divulgação/Xiaomi) A bateria, de 350mAH, permite monitorar de 60 a 90 dias com uma carga completa dependendo das plantas utilizadas. A caixa do produto vem acompanhada de um cabo USB para carregamento, e há suporte para integração ao Mi Home. Entre outras especificações estão o certificado IPX6 para resistência à água e material resistente à corrosão por raios solares. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- O vaso não é tão grande: suas dimensões são de 20x20x17,5 cm. No AliExpress, está sendo vendido a € 38,16, cerca de R$ 254 em conversão direta. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos WhatsApp agora permite silenciar conversas para sempre; saiba como Por que Nosferatu é o filme ilegal mais famoso da história do cinema? Mais um app do Google passou de 1 bilhão de downloads na Play Store Veja Mais

Microsoft Edge testa recurso de inicialização rápida para rivalizar com Chrome

canaltech A Microsoft está experimentando uma função chamada "Startup Boost" para a versão 88 do Microsoft Edge. Ao ativá-la, permite que vários processos do navegador sejam lançados em segundo plano ao inicializar o computador, e não ao abrir o software, trazendo uma abertura mais rápida. A demanda por um tempo mais curto de inicialização é importante aos navegadores, e essa função poderia trazer uma vantagem contra o Google Chrome. Microsoft Edge mobile | Enfim, um navegador que faz jus à Microsoft [análise] Microsoft Edge: confira 4 dicas incríveis para explorar o navegador Como baixar extensões do Chrome no Microsoft Edge Segundo um FAQ publicado pela Microsoft, o "Startup Boost" terá um impacto limitado no uso de recursos do computador. Os processos são executados em baixa prioridade quando o navegador está fechado. Portanto, estarão preparados para quando o usuário abrir o navegador, agilizando o carregamento sem exigir muito da máquina. Funciona ao executar o Microsoft Edge pela barra de tarefas, área de trabalho ou por hyperlinks em outros programas. A nova função está sendo disponibilizada para gradualmente em dispositivos com qualquer versão do Windows. Ainda não há previsão para lançamento em outros sistemas operacionais. Para verificar se seu navegador já possui o recurso, digite "edge://settings/system" na barra de pesquisa. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos WhatsApp agora permite silenciar conversas para sempre; saiba como Por que Nosferatu é o filme ilegal mais famoso da história do cinema? Mais um app do Google passou de 1 bilhão de downloads na Play Store Veja Mais

Meu Relógio não é Burro

canaltech O que tem atrás da Porta 101? O estúdio do Canaltech! É onde gravamos este Podcast com nossa equipe, onde vale TUDO sobre ciência e tecnologia... menos mau-humor digital. Relaxe ouvindo nossos episódios para se informar e dar boas risadas com nossa turma Ouça ao podcast. Veja Mais

iPhone 12: como funciona o MagSafe, o sistema de recarga sem fio da Apple

canaltech O lançamento do iPhone 12 se destacou pela chegada do 5G aos celulares da Apple, mas um ponto que talvez não tenha recebido a atenção devida é a volta do nome MagSafe, usado anteriormente com a linha MacBook. Mais do que um sistema de recarga, a técnica abre espaço para uma série de recursos e acessórios. Apple lança carregador sem fio e revive a marca MagSafe Carregador sem fio da Xiaomi completa a bateria em menos de 20 minutos Carregador sem fio “entrega” novo sistema MagSafe do iPhone 12 antes da hora O retorno do nome foi antecipado pelo informante Kang dias antes do lançamento do iPhone 12. Na época, especulamos aqui no Canaltech que o sistema funcionaria com o arranjo de imãs noticiado em agosto, o que foi comprovado pela Apple durante a apresentação da nova linha de smartphones. O MagSafe original usava imãs para manter o carregador preso ao MacBook, mas qualquer esbarrão no cabo o soltava do laptop, evitando acidentes. Apesar de também usar imãs e servir para recarregar a bateria, as semelhanças ficam por aí. Diferentemente da primeira versão, restrita à Apple, o novo MagSafe promete um ecossistema de acessórios não só da fabricante, como de outras empresas. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Recarga: básica À primeira vista, o novo MagSafe é apenas um sistema de recarga sem fio baseado no padrão Qi — usado em celulares Android e Windows desde 2012 e pela Apple desde 2017. A Apple menciona a compatibilidade do novo acessório com aparelhos já no mercado, e influenciadores mostraram que os imãs do carregador se acoplam a smartphones de outras empresas. No caso do iPhone 12, a fabricante informa que apenas o MagSafe fornece recarga a 15 W, enquanto os outros carregadores Qi são limitados a 7,5 W. A potência de 15 W é a mesma da especificação Qi — que já prepara uma extensão para 30 W —, mas ao que tudo indica a Apple limitará o valor para acessórios certificados pelo programa MFi. Novo MagSafe faz parte do programa de certificação MFi da Apple (Imagem: divulgação/Belkin) A certificação MFi (Made For iPhone/iPad/iPod) não requer das empresas um pagamento para inscrição, mas cobra uma comissão de cada acessório vendido com o logo do programa. O valor é confidencial, mas a Forbes publicou em 2018 que a Apple cobrava até US$ 4 (cerca de R$ 22) para cada aparelho com um plugue Lightning fabricado por terceiros. Na época, a revista cogitou que a taxa seria o verdadeiro motivo para a remoção do plugue de fone de ouvido. E o novo MagSafe poderia ser uma saída para aposentar o plugue Lightning sem precisar adotar o padrão aberto USB-C — mas vamos deixar essa especulação para outra ocasião. Um ponto importante é que, assim como o iPhone 12, o carregador MagSafe disponível na loja da Apple não inclui o adaptador de parede, apenas o cabo USB-C que é acoplado à base. E para recargas a 15 W, a Apple recomenda o uso do adaptador de 20 W, que na loja brasileira da marca custa R$ 219. Muito mais do que recarga O MagSafe, porém, não é apenas o padrão Qi rebatizado. O sistema inclui um arranjo circular de imãs, com outra peça para alinhar o acoplamento de acessórios. Além disso, os celulares contam com um magnetômetro que, segundo a Apple, permite que o acessório detecte a força do campo magnético e reaja a ele. Sistema inclui conjunto de imãs e magnetômetro (Imagem: reprodução/Apple) A Apple mostrou como o iPhone 12 é compatível com o MagSafe usando a imagem acima. A função de recarga fica por conta da bobina no centro da ilustração (charging coil), que requer o uso do isolamento em cobre e grafite (shield) para não interferir com o funcionamento dos demais componentes; nenhuma grande novidade até aqui. A maior atração mesmo (além do magnetômetro) são os dois imãs — no conjunto semi-circular e de alinhamento (alignment) — que permitem posicionar e manter o celular firme em bases compatíveis. O que pode parecer uma solução exagerada à primeira vista simplifica as recargas sem fio, que perdem eficiência ou deixam de funcionar quando as bobinas do smartphone e do carregador ficam desalinhadas. Carregador duplo mantém tanto o iPhone 12 quando o Apple Watch no lugar ideal (Imagem: divulgação/Apple) O diagrama dos componentes mostrado pela Apple lista ainda a antena NFC, o que não é por acaso. As especificações do iPhone 12 revelam que o sistema de comunicação de curta distância serve para identificação de acessórios (novamente, licenciados). Esse tipo de uso do NFC não é novo e já foi empregado, por exemplo, pelo Google com capinhas interativas para o celular Nexus 6. Durante o evento de anúncio do iPhone 12, Deniz Teoman, vice-presidente da Apple para engenharia de sistemas de hardware, mostrou como uma capa de couro é identificada ao envolver o celular. A fixação do acessório aciona um modo especial da tela, que aproveita uma área exposta para exibir as horas — semelhante às capas Clear View da Samsung — e provavelmente permite interações limitadas com notificações. Capa ativa modo especial da tela do iPhone 12 (Imagem: reprodução/Apple) Atração magnética Já a característica que dá o primeiro nome ao MagSafe abre uma série de possibilidades não só para a Apple, como também para os fabricantes de acessórios. O primeiro aparelho compatível com o sistema anunciado pela Belkin, por exemplo, aproveita os imãs do iPhone 12 para manter o celular “flutuando” sobre a estação de recarga. O dispositivo cumpre ainda a promessa do carregador AirPower, permitindo alimentar a bateria não apenas do celular, como também dos fones AirPods e do Apple Watch. A Belkin anunciou também um suporte veicular para iPhone 12 que mantém o celular preso utilizando apenas o magnetismo. Belkin 3-in-1 Wireless Charger with MagSafe (Divulgação/Belkin) Belkin 3-in-1 Wireless Charger with MagSafe (Divulgação/Belkin) Belkin 3-in-1 Wireless Charger with MagSafe (Divulgação/Belkin) Belkin Car Vent Mount PRO with MagSafe (Divulgação/Belkin) Belkin Car Vent Mount PRO with MagSafe (Divulgação/Belkin) Belkin Car Vent Mount PRO with MagSafe (Divulgação/Belkin) O uso de imãs para facilitar o alinhamento do aparelho durante a recarga sem fio não é novidade, já é usada por exemplo nos relógios da própria Apple. Mas nos celulares, o recurso ajuda não apenas a manter as bobinas de recarga na posição correta, como também oferece mais liberdade para usar o celular durante o carregamento da bateria, o que exige alguma coordenação (ou gambiarras) com os carregadores atuais. Ainda é só o começo do novo MagSafe e sabe-se lá o que pode surgir pela frente. O sistema abre um leque de possibilidades para acessórios — quem sabe, uma lente zoom acoplada por imãs à traseira do iPhone que usa NFC ou Bluetooth para controlar a ampliação da câmera original? Mais do que isso, fora a identificação de acessórios certificados pela Apple, ao que tudo indica nada impede que outros fabricantes de celulares criem modelos compatíveis com as principais características do MagSafe. O acoplamento magnético já foi testado com sucesso no Galaxy Z Fold 2 e não só o protocolo Qi como o NFC são padrões de mercado. O novo MagSafe pode não parecer tão inovador ou essencial quanto era o antigo carregador dos MacBooks — que evitou muito prejuízo para os donos dos notebooks —, mas provavelmente se transformará em mais uma fonte de receita para a Apple, que por sua vez oferece mais uma maneira de personalizar seus celulares.   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Registro indica que Galaxy S21 pode ter design semelhante ao do iPhone 12 Itaú Unibanco abre mais de duas mil vagas para a área de Tecnologia Agora é oficial! Xbox Series X e S já têm data de lançamento no Brasil Veja Mais

A "toupeira" da InSight em Marte pode retomar seus trabalhos em 2021; entenda

canaltech Parece que as coisas voltaram a correr bem com a teimosa "toupeira" da sonda InSight, em Marte: segundo informações de oficiais da NASA, é possível que o instrumento volte a cavar por conta própria já no começo do ano que vem e, assim, consiga coletar informações sobre a temperatura do interior de Marte. Até lá, mais solo será acumulado para que o procedimento seja feito com sucesso. Sonda InSight tira sua primeira selfie em Marte Cinco coisas sobre Marte que a missão InSight descobriu em 10 meses A década de 2020 terá como destaque a exploração de Marte O instrumento em questão tem o nome oficial de Heat Flow and Physical Properties Package (HP3), mas recebeu o apelido simpático de “toupeira” porque precisa se enterrar a pelo menos 3 metros abaixo da superfície marciana para conseguir coletar dados de temperatura. Entretanto, isso não tem sido fácil desde a chegada da missão: a toupeira foi criada para que o solo solto se movimente e gere fricção para cavar mais fundo. Sem a fricção, o instrumento fica apenas pulando no lugar enquanto tenta cavar — tanto que, em julho, a equipe precisou parar a perfuração para verificar o estado do dispositivo. Aqui, o braço robótico se retrai e revela onde a toupeira está tentando cavar (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech) Ali, eles tiveram uma boa surpresa e viram que o instrumento estava coberto de areia e poderia ter a fricção necessária para cavar. Esse é um procedimento desafiador, pois o solo onde o InSight pousou se mostrou diferente daquele que outras missões encontraram, porque, conforme martela, se mantém unido e forma uma espécie de buraco à volta do dispositivo, e não fornece a fricção. Como resultado, a toupeira simplesmente saltou para fora no ano passado. Para evitar isso, a equipe posicionou a pequena concha do braço robótico do InSight na parte de cima, para ficar firme no solo. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Agora, a toupeira está enterrada no solo e a concha será usada para puxar mais terra e, assim, fornecer mais fricção — só que deverá demorar até o ano que vem até haver solo suficiente para que o instrumento possa continuar as atividades. Esse procedimento será importante para que a toupeira consiga trabalhar de forma autônoma, sem precisar da ajuda do braço robótico. "Estou feliz por termos nos recuperado do evento de 'pular para fora' que experienciamos, e conseguimos colocar a toupeira mais fundo do que nunca", disse Troy Hudson, cientista e engenheiro no Laboratório de Propulsão a Jato (JPL). A toupeira é um dos dois principais instrumentos científicos que equipam a InSight; o outro inclui um conjunto de sismômetros de grande sensibilidade, que já registraram centenas de "martemotos" — os terremotos marcianos —, cujos áudios foram disponibilizados. Os dados das descobertas da missão estão ajudando a equipe a mapear a estrutura interior do planeta com detalhes sem precedentes. A sonda InSight pousou em Marte no final de 2018, com o objetivo de estudar o interior do Planeta Vermelho. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil iPhone 12: por que a Apple inclui fones de ouvido em caixa separada na França? Veja Mais

Paranormal | Intenso trailer da nova série de terror da Netflix promete sustos

canaltech   Depois do hype de A Maldição da Residência Hill e A Maldição da Mansão Bly, além do não tão distante sucesso da série francesa de terror Marianne, a nova aposta da Netflix nas atrações do gênero é Paranormal, que acaba de ganhar o primeiro trailer (acima). 13 filmes e séries de terror para assistir no Halloween Crítica | A Maldição da Mansão Bly cria horror com responsabilidade psicológica Crítica | Marianne: medo de qualidade em pele de terror pasteurizado A série egípcia é ambientada nos anos 1960, dispensando todas as atualizações que o terror pode ter com as novas tecnologias em situações de contato com a paranormalidade. Ainda assim, Paranormal parece fugir dos clichês por meio do seu protagonista, que evoca para a sua vida as máximas da Lei de Murphy — e nos induz a pensar que o pior pode acontecer a qualquer momento. Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? A Netflix Brasil divulgou também a sinopse oficial de Paranormal: -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Refaat Ismail é um cético professor de Hematologia cujas convicções científicas são abaladas por inexplicáveis atividades paranormais. Ao lado de sua colega de universidade Maggie, ele mergulha no mundo da paranormalidade e tenta proteger as pessoas que ama dos terríveis perigos que as rondam. Imagem: Reprodução/Netflix A história é baseada nos best-sellers de Ahmed Khaled Tawfik, e tem Majid Al Ansari e Amr Salama como diretores. Esta é a primeira série egípcia produzida pela Netflix. Paranormal estreia em 5 de novembro na Netflix. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

Crítica | Rebecca - A Mulher Inesquecível salta para a glória de um fiasco

canaltech   Quando se trata de um filme dirigido por um diretor como Alfred Hitchcock e, ainda, vencedor de uma premiação tão popular quanto o Oscar, pensar em um remake ou, no caso, uma readaptação pode ser bem questionável — no mínimo, perigoso. Se, além disso, acrescenta-se uma pitada de elegância irritante, tudo pode ficar um tanto quanto pretensioso. Mas quando, de quebra, plastifica-se o todo e o expõe cercado por uma redoma de vidro, tem-se essa nova versão de Rebecca - A Mulher Inesquecível. Não que o filme dirigido por Ben Wheatley (do bom Turistas, de 2012) seja descartável. Isso é justamente o que ele não é — porque talvez seja impossível descartar aquilo que nem se consegue tocar. O diretor parece estar mais preocupado com a beleza visual do seu trabalho do que com o alcance tanto do romance quanto do suspense. Nesse sentido, Lily James (Mrs. de Winter) e Armie Hammer (Maxim de Winter) formariam o casal ideal para o alcance de qualquer profundidade, mas a narrativa se mantém na superfície. Crítica | Psicose é um clássico irretocável do suspense Crítica | O Destino de uma Nação é problemático e muito eficiente Atenção! Esta crítica contém spoilers sobre o filme! -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Sem força Wheatley, aliás, demonstra estar mais preocupado exatamente com a superfície. Enquanto ele filma planos que pouco (ou nada) significam para acrescentar uma dimensão mais sensorial ao filme, esses mesmos planos são preenchidos pela luz quase de fábula da direção de fotografia de Laurie Rose (do recente Cemitério Maldito). É uma boniteza visual que se complementa com todo o desenho de produção de Sarah Greenwood (de O Destino de uma Nação). Crítica | Cemitério Maldito na Montanha da Perdição Sempre lindo e, talvez, sempre irritante. (Imagem: Reprodução/Netflix) Tudo, então, é, realmente, de muita imponência em Rebecca - A Mulher Inesquecível. Acontece, porém, que beleza por beleza só é atraente quando se está disposto a esse tipo relação. Apesar de, aparentemente, James e Hammer serem uma escalação de elenco perfeita para um romance fantasioso, a relação é guiada pela direção de maneira burocrática. Ao mesmo tempo, tudo o que envolve a falecida Rebecca tem uma criação de tensão explorada sem qualquer força. Aliás, é possível, sim, sentir certa aflição, mas tudo é condensado na atuação de James e de Kristin Scott Thomas (Mrs. Danvers). Esta, inclusive, de semblante sempre duro, talvez seja o que de melhor idealizou Wheatley – se é que a idealização do trabalho da atriz partiu dele. Kristin Scott Thomas (à direita): o que há de melhor. (Imagem: Reprodução/Netflix) Por outro lado, a trilha sonora musical de Clint Mansell (de Com Amor, Van Gogh) é de uma cafonice que rima com a dita elegância irritante. Traçando linhas harmoniosas quando o que se acompanha é o romance na cabeça da inicialmente inocente Mrs. Danvers ou pendendo para uma tentativa de suspense genérico quando algo pretensiosamente misterioso acontece, Mansell é tão expositivo quanto a direção de Wheatley não promove qualquer unidade. Os lançamentos da Netflix em outubro de 2020 Os lançamentos do Amazon Prime Video em outubro de 2020 Os lançamentos do Globoplay em outubro de 2020 E sem asas Rebecca (sem subtítulo no original) acaba por ser uma onça linda e forte que sonha em voar. Mas não somente sonha... ela sobe em um penhasco e pula majestosamente, abrindo-se para o mais bonito dos voos. O animal, por si só, é, de fato, lindo. Poderíamos enquadrar uma fotografia de sua robustez. Qualquer ângulo estaria perfeito. Mas o resultado do salto é desastroso. Qualquer ângulo é perfeito. (Imagem: Reprodução/Netflix) Em resumo (e ciente de que uma crítica é, somente, a visão individual de quem escreve), Rebecca - A Mulher Inesquecível é uma mistura de nada com qualquer coisa tentando ser relevante. A onça criada pela escritora Daphne Du Maurier e que Hitchcock domou há 80 anos olhou-se no espelho através dos olhos de Wheatley e viu uma águia; com a pretensa ideia, de repente, de que a beleza pode superar o conteúdo. Rebecca - A Mulher Inesquecível está disponível para os assinantes da Netflix. *Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Canaltech. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

2,2 milhões de pessoas já contraíram COVID-19 na capital paulista, diz pesquisa

canaltech Mesmo que em menor velocidade, o coronavírus SARS-CoV-2 continua em circulação no Brasil, inclusive na cidade de São Paulo. Segundo pesquisa do SoroEpi MSP divulgada nesta quinta-feira (22), 26,2% da população adulta da capital de SP já contraiu a COVID-19. Em números, significa dizer que pelo menos 2,2 milhões de pessoas foram infectadas ou que uma em cada quatro pessoas já se contaminou. Pós-COVID | Idosos e mulheres podem enfrentar mais desdobramentos da infecção Jovem ganha prêmio por descobrir antiviral que pode impedir infecção de COVID-19 COVID-19 | OMS e Wikipédia se juntam para combater a desinformação na pandemia Em comparação com a fase anterior divulgada em agosto, a pesquisa apontou aumento de 8,3 pontos percentuais na soroprevalência — frequência de indivíduos em uma população que apresentam um anticorpo específico —, passando de 17,9% para 26,2%. No período entre a terceira fase e a quarta fase, ocorridas em julho e outubro, respectivamente, cerca de 700 mil adultos adoeceram por causa da COVID-19, segundo levantamento realizado em parceria com o Grupo Fleury, IBOPE Inteligência, Instituto Semeia e Todos pela Saúde. Pesquisa aponta que um em cada quatro moradores da capital de SP já contraiu a COVID-19 (Imagem: Reprodução/ Engin Akyurt/ Unsplash) Perfil de quem contraiu a COVID-19 Seguindo a mesma tendência dos estudos anteriores, os dados mostram que nível de escolaridade, raça/cor da pele e renda média do distrito continuam estatisticamente relacionados com a taxa de infecções por coronavírus na cidade. Em comparativo, a taxa de contaminados em pessoas que vivem nos distritos classificados como de renda média mais baixa é de 30,4% versus 21,6% naqueles indivíduos que moram em locais de renda média mais alta. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Além disso, pessoas com ensino fundamental apresentam soroprevalência 2,2 vezes maior do que aqueles com nível superior completo (35,8% contra 16,0%). No grupo de pessoas com escolaridade mais baixa, um indivíduo em cada três já teve contato com o vírus; enquanto para aqueles com grau de escolaridade médio, essa relação é de um em cada quatro; e com escolaridade alta, a relação entre infectados e não infectados é de um indivíduo para cada seis. Essa situação também é semelhante  quando se analisa a relação entre raça e cor da pele dos moradores da capital. O estudo apontou que a frequência de pessoas com anticorpos contra o novo coronavírus é maior entre pretos e pardos em comparação com pessoas brancas (31,6% contra 20,9%). Como é feita a pesquisa da COVID-19? A quarta fase foi realizada entre os dias 1 e 10 de outubro —  28 semanas após o primeiro caso da COVID-19 ser registrado na cidade. Para estimar essa incidência do coronavírus, foram analisadas 1.129 amostras de sangue de participantes residentes em 152 setores censitários (menor unidade territorial da cidade, definida pelo IBGE). Em cada setor censitário, foram sorteadas oito residências. Após a seleção, são aplicados testes laboratoriais em amostras de sangue de adultos para identificar aqueles que foram expostos ao coronavírus e produziram anticorpos específicos. É com esses resultados dos testes que os pesquisadores estimam a fração de pessoas que já contraíram a COVID-19 na capital. Distante dos números apresentados pela pesquisa, oficialmente, a prefeitura da cidade de São Paulo contabiliza 352.953 casos de coronavírus, sendo 13.358 óbitos, segundo boletim divulgado na quarta-feria (21).  Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

Aliens estão chegando aos quadrinhos da Marvel Comics em 2021

canaltech Como todo mundo sabe, a Disney comprou a Fox há alguns anos e muitas das propriedades que vieram com essa aquisição agora podem ser exploradas pelas empresas que fazem parte do ecossistema da Casa do Mickey, incluindo a Marvel Comics. As franquias Aliens e Predador estão nesse pacote; e a editora já havia mostrado anteriormente que pretende iniciar a publicação de revistas conectadas ao Predador muito em breve — talvez no próprio Universo Marvel, ao lado de seus heróis, como os Vingadores. Aliens e Predador poderão se encontrar com os Vingadores nas HQs? Entenda 16 personagens “Série C” da Marvel que se tornaram protagonistas no cinema Quadrinhos e super-heróis | Confira os destaques da Marvel e DC em setembro Nesta semana, uma prévia de um “crossover” revela que o mesmo planejamento envolve Aliens. Por enquanto, a Marvel Comics adiantou que muitos títulos terão capas variantes de seus mais famosos personagens interagindo com os icônicos xenomorfos criados pelo cineasta Ridley Scott e pelo lendário ilustrador H. R. Giger. Imagem: Divulgação/Marvel Comics No total, serão 22 capas variantes, nas edições Spider-Man #56, Avengers #41, Black Cat #2, Iron Man #5, Venom #32, entre outras previstas para chegar às bancas gringas em janeiro de 2021. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Preparando o terreno para a chegada dos Aliens Não é segredo de ninguém que a Marvel Comics vai explorar tanto a franquia Predador quanto Aliens com novas publicações no próximo ano — anteriormente, os quadrinhos desses personagens eram impressos pela Dark Horse. A ideia inicial é relançar alguns dos projetos bem-sucedidos na antiga editora e criar títulos fresquinhos. "Não há nada mais emocionante do que uma história que vai mantê-lo na ponta do seu assento, e Aliens e Predador já entregaram isso outras vezes! Lembro-me claramente de onde estava quando vi cada uma dessas obras-primas modernas pela primeira vez: deleitando-me em como ambas mesclam o terror e o drama extraterrestre em algumas das cenas mais icônicas que já vimos no cinema”, disse o coeditor-chefe da Marvel, C.B. Cebulski, em julho. Imagem: Divulgação/Marvel Comics "E é esse legado que vamos seguir! Como meio visual, os quadrinhos são o lugar perfeito para desenvolver esses momentos; e nós aqui na Marvel temos a honra de começar a contar essas histórias para fãs. Quando nossa programação de lançamentos voltar ao normal, vamos compartilhar mais coisas nos próximos meses!”, complementou. Ou seja, o que Cebulski havia dito há três meses começou a acontecer. Assine Amazon Kindle Unlimited por apenas R$ 19,90/mês e tenha acesso a mais de 1 milhão de livros digitais! Vale destacar que a maior dúvida para os fãs no momento é se tanto Predador quanto Aliens passarão a ter versões que farão parte da cronologia do Universo Marvel, a exemplo do que acontece com Conan atualmente. E, claro, é preciso lembrar que os X-Men já possuem seus próprios “Aliens”, conhecidos como Ninhada. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

Star Wars | Teoria sugere que Obi-Wan escondeu Luke dos rebeldes, não do Império

canaltech Como os fãs de Star Wars já sabem, Obi-Wan Kenobi passou anos escondido de Darth Vader e do Império em Tatooine, onde passou a vigiar o crescimento de Luke Skywalker à distância. No entanto, embora a situação do Mestre Jedi pareça bem simples, teorias de fãs sugerem que possa haver mais do que isso. Diretamente do Reddit, um fã propôs que, além do Império, Obi-Wan estaria se escondendo da Aliança Rebelde por três motivos específicos. Primeiro, ele acreditava que seu envolvimento tornaria Vader, e consequentemente o Império, mais determinados a erradicar os rebeldes de uma vez por todas. Ao permanecer escondido, ele permitiu que a oposição aos vilões crescesse sem a ameaça da vingança pessoal de Vader. Em segundo lugar, ele pode ter escondido Luke da Aliança Rebelde porque pensou que eles iriam querer usar o filho de um Jedi como um símbolo de esperança para aumentar seu exército — o que poderia trazer atenção indesejada para o jovem Skywalker. Finalmente, Obi-Wan pode ter se sentido culpado pela maneira como Anakin acabou cedendo para o lado sombrio da Força e temia que os rebeldes descobrissem a verdade — culpando-o também. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Este último motivo explicaria porque Obi-Wan Kenobi esteve tão distante de Luke enquanto adolescente; e porque ele não o treinou antes para ser um Jedi — temendo que o jovem Skywalker tivesse o mesmo destino que Anakin. Rey quase foi parente de Obi-Wan Kenobi Teoria sugere que Palpatine é quem matou a mãe de Darth Vader Vergonha pessoal teria distanciado Obi-Wan de Luke? (Imagem: Divulgação / Lucasfilm) "Vader é alimentado por seu ódio por Obi-Wan e não pararia por nada para destruí-lo ou destruir qualquer coisa associada a ele", escreveu o usuário do Reddit, para sustentar a primeira teoria. Vader não sabia o que tinha acontecido a Obi-Wan depois do duelo em Mustafar. Se ele soubesse que seu antigo mestre não apenas ainda estava vivo, mas que também fazia parte de uma rebelião, Vader provavelmente teria caçado Obi-Wan e destruído todos que estivessem em seu caminho. A Aliança Rebelde sobreviveu como grupos pequenos e desconectados por muitos anos antes disso. Se o vilão tivesse ido atrás dessas aglomerações na perseguição à Obi-Wan, poderia ter esmagado os rebeldes antes que sequer tivessem uma chance. Mas Obi-Wan ficou de fora, mantendo sua localização em segredo de todos, exceto alguns amigos de confiança, o que deu aos opositores ao Império uma chance melhor de sobreviver e de ser manterem no anonimato. As cinco maiores teorias dos fãs sobre Os Últimos Jedi Quanto a esconder Luke dos rebeldes, também é um pensamento que faz sentido, embora não hajam tantas evidências que o sustente. Como a teoria sugere, não era de conhecimento de ninguém que Anakin Skywalker e Darth Vader eram a mesma pessoa. Em vez disso, acreditava-se que Anakin morreu com o resto dos Jedi na Ordem 66, sendo considerado um herói pela Aliança Rebelde. Se esse grupo soubesse de Luke, poderia ter usado essa informação a seu favor, espalhando a notícia de que o filho de um dos mais poderosos Jedi estava ao seu lado. Porém, esse tiro poderia ter saído pela culatra, uma vez que a novidade chegaria facilmente a Vader, levando-o a encontrar o Skywalker mais novo e, possivelmente, a destruir os rebeldes. Será que os rebeldes sabiam que o sobrenome de Luke é Skywalker? (Imagem: Divulgação/Lucasfilm) Por outro lado, não se sabe se os rebeldes de fato sabiam que Luke era um Skywalker. Anakin foi proeminente durante as Guerras Clônicas, mas, após a ascensão do Império, os Jedi acabaram sendo rotulados como uma organização opressora. A partir do momento em que a Aliança Rebelde foi formada, muitos passaram a acreditar que os Jedi e a Força eram apenas um mito. Dependendo da idade e do conhecimento dos rebeldes sobre os Jedi, muitos podem não ter visto Anakin como um herói — isso se tivessem ouvido falar sobre ele. Embora essa vergonha de Obi-Wan parecesse explicar o motivo pelo qual ele não treinou Luke mais cedo, outras histórias de Star Wars apresentam razão diferente. De acordo com os quadrinhos e o conto canônico Time of Death, Obi-Wan ficou de fora da vida de Luke a pedido de Owen Lars, que criou secretamente o jovem Skywalker. Owen não sabia que Anakin havia se tornado Darth Vader, acreditando que seu meio-irmão estava morto; e que Obi-Wan era o responsável. Com isso, ele acabou proibindo Obi-Wan de treinar Luke e foi inflexível na decisão sobre os Jedi, determinando que ficassem completamente fora de suas vidas. Apesar disso, Obi-Wan continuou a proteger o menino e sua família sempre que necessário, mas manteve distância, respeitando a vontade de Owen. Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Obi-Wan teve medo de Luke ter o mesmo destino do pai? (Imagem: Divulgação / Lucasfilm) Isso dá a Obi-Wan uma razão externa para não treinar Luke, mas não necessariamente descarta essa vergonha pessoal. Afinal, ele concordou com os termos de Owen sobre ficar fora da vida de Luke; entretanto, como mentor de Anakin, é natural que Obi-Wan se sinta culpado pela maneira como seu ex-aluno acabou tornando-se um perigoso vilão. Obi-Wan definitivamente não gostaria de cometer os mesmos erros novamente, caso tivesse aceitado treinar Luke. E você, o que acha dessa teoria? Conte para nós nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

Google Shopping terá função para rastrear e comparar preços

canaltech A um mês da Black Friday, o Google está adicionando uma nova ferramenta à aba Shopping do buscador, por enquanto somente para usuários dos Estados Unidos. Lá, agora é possível escolher um leque de preço para um produto e ser avisado pela companhia quando aparecer uma promoção que se enquadre no seu bolso. Ex-CEO defende Google em processo antitruste: "excelência não é domínio" Google testa extinguir comando “Ok, Google” em dispositivos da família Nest Gmail libera ferramenta que facilita compartilhamento do Drive direto do e-mail A empresa repaginou o espaço de compras do seu buscador, adicionando preços com melhores ofertas, além de um comparador entres as principais lojas. Ainda, quando se procura por um determinado produto, a companhia agora oferece um sistema que mostra variação do preço do item. A proposta é ajudar quem não têm aquela noção de custo de um produto a saber se está pagando um valor justo pela compra. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Sistema mostra histórico e permite notificação de queda de preço (Foto: Divulgação/Google) Também é possível se inscrever para receber notificações sobre um produto quanto o preço tiver uma queda alta. Em comunicado oficial, o Google disse que o mecanismo está disponível apenas para usuários nos Estados Unidos, sem estimativa para chegar ao resto do mundo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Huawei apresenta a linha Mate 40 com tudo o que tem de melhor; será o bastante? iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

Prévia de HQ revela possível data de O Falcão e o Soldado Invernal no Disney+

canaltech Depois de um longo período sem muito tocar no assunto, e, em especial, devido às paralisações de trabalhos por conta da pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), o Marvel Studios ficou um bom tempo sem dar mais detalhes ou falar sobre a estreia das novas séries conectada ao Universo Cinematográfico Marvel (MCU, na sigla em inglês) no Disney+. Contudo, nas últimas semanas vimos a confirmação de WandaVision ainda para este ano e outras notícias de bastidores sobre She-Hulk, Hawkeye, Ms Marvel, entre outras. O Falcão e o Soldado Invernal, entretanto, que seria a primeira da lista a ser chegar à plataforma de streaming, segue sem data de lançamento. "Falcão e Soldado Invernal é quase um filme de seis horas", diz Anthony Mackie O Falcão e o Soldado Invernal retoma filmagens após paralisação na pandemia 7 razões que tornam o Falcão um Capitão América rebelde e polêmico Embora algumas imagens e vários relatos sobre a trama da série relacionada ao Capitão América tenham vazado recentemente, falta uma confirmação de janela oficial de estreia no Disney+. E eis que as prévias de lançamentos de quadrinhos da Marvel Comics podem ter oferecidos detalhes que preparam os leitores para a própria chegada da série no streaming. De acordo com as solicitações de vendas, a Marvel Comics agendou para novembro a chegada de uma nova história em quadrinhos com foco no Agente Americano. De acordo com a descrição, será uma série limitada de cinco edições John Walker, demitido do governo, deve enfrentar um novo Agente Americano escolhido pelos ex-patrões — e que seria ainda mais implacável e violento que sua versão original. A prévia também aborda o lado militar de Walker, algo que possivelmente será explorado nas telinhas. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Imagem: Divulgação/Marvel Comics Como temos visto há muitos anos desde que o MCU foi estabelecido, a Marvel Comics costuma sincronizar lançamentos com personagens que ganharão destaque nas telonas — neste caso, nas telinhas. Então, como o Agente Americano de Wyatt Russell será peça importante de O Falcão e O Soldado Invernal e já temos ouvido boatos sobre a chegada da série no começo do próximo ano, é bem possível que a nova revista esteja nas bancas durante a janela de estreia. USAgent tem previsão para começar em novembro e terminar em março, e a edição chave para a trama é a de número três, quando Walker terá um substituto, no início de janeiro. Como o final de 2020 deve ser dedicado ao lançamento de WandaVision, há grandes chances, então, de O Falcão e o Soldado Invernal chegar ao Disney+ no primeiro trimestre de 2021, especialmente no primeiro mês do ano. Por que o Agente Americano é tão importante para o MCU? A melhor forma de você mostrar a importância de um personagem na Marvel ou na DC é simplesmente tirá-lo de ação e contar como o mundo reage a essa ausência — ou substituição. Isso aconteceu diversas vezes nos quadrinhos, inclusive em uma história envolvendo o próprio Steve Rogers e John Walker como Capitão América. O Agente Americano de Wyatt Russell flagrado nas gravações de O Falcão e o Soldado Invernal (Imagem: Reprodução/Backgrid) A princípio, Walker não é uma má pessoa — ele apenas que fazer bem o seu serviço. Mas sua abordagem violenta e o direcionamento mais rígido do governo podem tornar suar ações extremas — algo bem diferente do que vemos com Rogers. Então, embora o clássico Capitão América tenha escolhido Sam Wilson para substituí-lo, é certo que veremos uma discussão sobre quem realmente deve ser o novo Sentinela da Liberdade. Assine Amazon Prime por R$ 9,90/mês e ganhe frete grátis, catálogo de filmes e séries que compete com a Netflix, livros, músicas e mais! Teste 30 dias grátis! Assim, com um Capitão América mais agressivo, poderemos enxergar bem as diferenças entre Steve Rogers, John Walker, Sam Wilson e Bucky Barnes — afinal todos os quatro já vestiram o traje e ergueram o escudo do Sentinela da Liberdade nos quadrinhos; e os três últimos estão em O Falcão e o Soldado Invernal. *Com informações de Games Radar. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja Mais

Vídeo mostra iPhone 12 desmontado e confirma marca do modem 5G usado pela Apple

canaltech Antes mesmo de chegar às lojas, o iPhone 12 já foi desmontado em frente das câmeras. Um vídeo que circula nas redes sociais chinesas mostra os componentes internos do celular, com direito a identificação do modem 5G usado no aparelho. iPhone 12 | 6 coisas que a Apple não contou sobre seus novos celulares iPhone 12 não acessa o 5G se estiver usando dois chips, revela documento iPhone 12: primeiras análises elogiam construção e desempenho das câmeras Principal destaque da linha iPhone em 2020, o modem 5G não é integrado ao processador A14. Como em outras gerações do smartphone, a Apple utiliza um chip adicional no iPhone 12, neste caso o Qualcomm Snapdragon X55 (SDX55M). Desmontagem iPhone 12 (Reprodução/Century Weifeng Technology/Weibo) Placa-mãe do iPhone 12 (dir.) é maior do que a do iPhone 11 (Reprodução/Century Weifeng Technology/Weibo) Bateria tem capacidade oficial de 2.815 mAh (Reprodução/Century Weifeng Technology/Weibo) Desmontagem iPhone 12 (Reprodução/Century Weifeng Technology/Weibo) Módulos de câmera são parecidos entre o iPhone 11 e 12 (Reprodução/Century Weifeng Technology/Weibo) Imãs são usados pelo novo carregador MagSafe (Reprodução/Century Weifeng Technology/Weibo) Desmontagem iPhone 12 (Reprodução/Century Weifeng Technology/Weibo) Modem SDX55M da Qualcomm (Snapdragon X55) (Reprodução/Century Weifeng Technology/Weibo) -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- O componente é o mesmo utilizado em conjunto com o processador Snapdragon 865 e inclui suporte a redes 5G/4G/3G/2G. Um acordo firmado entre a Apple e a Qualcomm em abril do ano passado praticamente selou o uso do X55 — na época do acordo, a Intel (então fornecedora dos iPhones) desistiu de competir no segmento de modems. O vídeo mostra a tradicional complexidade de componentes no interior do celular. Enquanto peças como o módulo de câmera permaneceram quase iguais às usadas no iPhone 11, a placa-mãe aumentou de tamanho. O motivo está justamente no uso do novo modem 5G, que exige ainda alguns cuidados com a instalação de antenas no smartphone.   Um dos pontos mais interessantes do vídeo é a retirada da bateria. O componente mostrado nas imagens tem capacidade nominal de 2.815 mAh, menor do que a do iPhone 11, confirmando os números da certificação junto à Anatel.   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja Mais

Data Science: transformando dados em tomadas de decisões

canaltech Por Thiago G. Santos* Do ponto de vista geral, Data Science pode ser definido como a ciência que estuda os dados. Porém, quando falamos de uma perspectiva prática, é considerada um novo campo interdisciplinar que envolve diversas áreas do conhecimento, como estatística, computação, matemática, gestão e sociologia. Todo esse método tem como objetivo estudar os dados de uma empresa, por meio de um processo que vai desde a captura até a transformação de dados.  Data Science: a evolução do Data Analytics como aliado de Customer Experience Em 2020, mais de 40% das tarefas de data science serão automatizadas Com a última etapa alcançada, é possível transformar estes dados em insights, seguindo métodos e processos de um sistema científico, extraindo informações e agregando valor aos objetivos do negócio. O resultado da aplicação desta ciência de dados gera o que chamamos de “produtos” de dados, termo este que, na grande maioria, é abstrato e pode ser uma descoberta de oportunidade e auxílio nas tomadas de decisões. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Embora exista há aproximadamente 30 anos, este campo de estudo ganhou destaque nos últimos anos devido à evolução da capacidade de armazenamento, processamento e uma grande disponibilidade de dados. O crescimento da área e o impulsionamento dos produtos baseados em dados, trazem para a tecnologia diversos benefícios.  As vantagens vão desde o desenvolvimento de um campo totalmente novo, que impulsiona novas carreiras e possibilita englobar pessoas de diversas áreas como saúde, biológicas e política, até o desenvolvimento de novos conceitos em Engenharia de Software para lidar com o “workflow” de desenvolvimento dos produtos de dados, que difere da criação de software tradicional.  Apesar do surgimento destas novas áreas e dos conhecimentos gerados para a tecnologia, a ciência de dados irá impactar muito mais o processo de desenvolvimento de software, seja pelo uso da inteligência artificial, para detectar bugs e problemas de segurança, ou para fazer análises de dados direcionadas às novas releases de produtos, facilitando a compreensão da jornada do usuário.  Atualmente, a ciência de dados ainda está se estabelecendo dentro das indústrias. As principais aplicações em data science ainda são voltadas ao entendimento das informações, auxiliando, assim, na tomada de decisão. Ou seja, a fase mais importante de todo “workflow” de um projeto de dados é a análise exploratória, em que a empresa entende estes dados, cria e valida hipóteses.  Em um futuro breve, esse trabalho de exploração e entendimento dos dados não será mais feito, em sua maior parte, por um cientista de dados. Isso porque, com a implementação de uma cultura de dados dentro da empresa, em que praticamente todos os colaboradores serão capazes de analisar e tirar conclusões baseadas em dados, o papel deste cientista passará a ser menos “analista” e mais “científico”. Desta forma, ele desenvolverá novos modelos e algoritmos de “machine learning” e se aprofundará em problemas mais complexos, como o de processamento de linguagem natural e visão computacional. *Thiago G. Santos é cientista de dados apaixonado por educação que, há 5 anos, propaga a cultura de empoderamento por meio de dados. Atualmente, busca democratizar o acesso à (in)formação em tecnologia, e é responsável pela área de Machine Learning e Data Science na Alura. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja Mais

Crítica | Books of Blood é irregular, mas com inspiração

canaltech   Filmes em que histórias aparentemente desconexas acabam se encontrando em algum ponto não são novidade. Alguns, como Pulp Fiction: Tempo de Violência (de Quentin Tarantino, 1994), têm essa relação trabalhada de maneira simultânea, utilizando-se de conceitos elaborados na década de 1920 pelo russo Vsevolod Pudovkin. Outros, como o em questão Books of Blood, o fazem como se realmente as narrativas fossem separadas. Acontece que essa separação pode ser mais interessante se a estrutura do todo conseguir ser igualitária, ou seja, se as forças individuais de cada linha narrativa tiverem pesos semelhantes dentro da dramaturgia. Nesse sentido, os contos de Clive Barker nos quais Books of Blood se origina são uma matéria-prima forte o suficiente para a construção de algo sólido. Mas, talvez, a mão pesada de Barker, que já deu à luz, por exemplo, Hellraiser: Renascido do Inferno (de 1987), não seja exatamente suficiente para um resultado expressivo. Hellraiser ganhará série produzida pela HBO Atenção! Esta crítica contém spoilers sobre o filme! -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Está escrito Books of Blood, de todo modo, pode não ser um mau filme. Além de ter sido dirigido para a televisão pelo estreante em longas-metragens Brannon Braga, seu conceito se apropria dos textos de Barker de um jeito curioso: são três contos que se entrelaçam e, nessa estrutura, há uma intersecção entre passado, presente e futuro. Por essa perspectiva, é somente uma das histórias que comanda o todo e se mantém pelos três períodos. Ao mesmo tempo, essa é a mais relevante. Os lançamentos da Netflix em outubro de 2020 Os lançamentos do Amazon Prime Video em outubro de 2020 Os lançamentos do Globoplay em outubro de 2020 É nessa questão que existe um desequilíbrio. Isso porque, após uma rápida abertura de quatro minutos, o primeiro conto, protagonizado por Jenna (Britt Robertson), ocupa praticamente 50 minutos do filme, deixando outros 50 para serem divididos entre os restantes. Não seria um problema se o desenvolvimento conseguisse não acusá-lo, mas a direção de Braga, nesse princípio, beira a monotonia e, no final das contas, pode dar a impressão de que tudo o que é vivido pela personagem de Robertson poderia ser encurtado, especialmente a pouco aproveitada relação com sua mãe (Nicole — interpretada por Paige Turco). Essa condução um tanto quanto cansativa, por outro lado, contrasta com a história seguinte, que, afinal, é a principal — a história de Miles (Etienne Kellici) e do então surgimento do Livro de Sangue. Não é somente a história mais instigante dentro do gênero do terror, como também é a mais inspirada do trabalho da direção. Cada movimento parece minuciosamente calculado e o ritmo, enfim, é capaz de fomentar o nervosismo e a angústia com mais propriedade. Nervosismo e angústia. (Imagem: Divulgação/Fuzzy Door Productions) Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Mas não é só: enquanto a narrativa é construída na base do amor e do ódio, como bem comentam Mary (Anna Friel) e Simon (Rafi Gavron) em uma reunião caseira para investidores, Braga não perde tempo com contemplações e firulas simbólicas. Por mais que isso caiba dentro do terror, parece que há certa aversão quando se trata de um trabalho tão visceral quanto os escritos de Barker. Aceitando essa pegada, o diretor constrói tudo sem arrodeios e finaliza com a cena mais forte de Books of Blood: o Livro de Sangue está escrito. Além do comum É verdade que o que é exposto é muito menos Miles (que é o título do segmento afinal) e muito mais a relação de sua mãe e Simon. Mas o menino, tão bem interpretado por Kellici, rege os acontecimentos de Mary ao falso médium (Simon). Este é o sujeito que serve, justamente, como via (ou páginas) de contato para o outro lado, o que é ironicamente delicioso. Aliás, a forma com a qual ele (o tal médium) é exposto àquilo que ele fingia ser um porta-voz tem uma estética em CGI estranhamente despolida que deve ser celebrada até mesmo por Barker, que tanto usou a criatividade em seus efeitos práticos no citado Hellraiser: Renascido do Inferno [principalmente por falta de orçamento — e em uma época na qual o trabalho com computador para o cinema era um luxo a nível dos dois primeiros O Exterminador do Futuro (de James Cameron, 1987 e 1991)]. Por fim, o trecho central de Books of Blood se encerra com a solidificação de uma unidade de estilo que, facilmente, é uma experiência que pode fazer o longo primeiro capítulo ser relevado. Os 5 melhores filmes de James Cameron Luta de Clive Barker pelos direitos de Hellraiser pode afetar novas produções Então, o final, que se liga aos quatro primeiros minutos do todo, é tão rápido quanto o carro verde que corta a cena. Bennett (Yul Vazquez) liga os três atos a um contexto único. É verdade que essa ligação pode ser sentida como apressada, com o fim do personagem (Bennett) sendo quase que displicente e tirado da cartola. É interessante, porém, como os minutos finais do filme não só revelam os pontos de união entre as histórias de Jenna, Miles e Bennett, mas fazem com que o passado o presente e o futuro se consolidem em uma harmonia doentia. E é tudo tão misturado que pode ficar difícil separar os tempos. Miles, que morrera há tantos anos, encontra Bennett no presente por meio de sua arte no corpo de um envelhecido Simon e, finalmente, a arrastada agonia de Jenna chega a uma espécie de término; um término que, por mais que plante um sorriso em seu rosto, só chegará de fato quando acabar o seu tempo enquanto vegetal — ou quase isso nas mãos dos já idosos Ellie (Freda Foh Shen) e Sam (Nicholas Campbell). Antes do término... (Imagem: Divulgação/Fuzzy Door Productions) Books of Blood talvez seja bastante irregular, mas existe um trabalho inspirado em seu miolo. O terror essencialmente barkeriano pode ter, pelo menos por meia hora, a sensação de uma sobrevida para além do comum. E além do comum, de repente, é um sinônimo para o criador do Pinhead e dos Cenobitas. *Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Canaltech. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Netflix revela quais são as séries e os filmes mais populares do catálogo Veja Mais

Como adicionar músicas em vídeos do Lomotif

canaltech Lomotif (Android | iOS) é um aplicativo de edição de montagens de vídeo. Através dele, é possível adicionar filtros cinematográficos, músicas e até mesmo compartilhar seu vídeo diretamente em redes sociais. Além disso, seus projetos são salvos em sua galeria de fotos. Como usar o Lomotif, aplicativo para criar vídeos Como melhorar imagens pelo celular usando o app Google Fotos Como dublar no Reels com o áudio de outra publicação no Instagram O Aplicativo ganhou muita popularidade nos últimos anos, por ser uma plataforma totalmente gratuita e intuitiva, sem exigir cadastro para utilizar suas ferramentas. No entanto, ao adicionar músicas em vídeos no Lomotif, usuários podem optar por utilizar a galeria de artistas que estão disponíveis na plataforma, porém, algumas músicas possuem apenas 30s de reprodução disponível. Instagram: como usar o recurso Reels (Cenas) para criar vídeos Como publicar fotos panorâmicas no Instagram 5 dicas simples para você usar o Lightroom e melhorar suas fotos Mas não se preocupe caso você não encontre sua música favorita. Através do Lomotif usuários também podem adicionar músicas salvas no armazenamento de seu dispositivo. Confira em nossa matéria, como adicionar músicas em vídeos do Lomotif. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Como adicionar músicas em vídeos do Lomotif Passo 1: na página inicial do aplicativo, toque no ícone de "+" para começar uma nova montagem; Na página inicial toque no ícone de "+" - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Passo 2: em seguida, adicione as mídias que você deseja usar em seu vídeo, depois de selecionadas, toque em "Adicionar"; Selecione quais mídias serão utilizadas em sua montagem - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Passo 3: nessa página, você poderá adicionar músicas para editar seu vídeo. Você pode pesquisar músicas e artistas na plataforma; Aqui você pode navegar entre diversas músicas - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Passo 4: ao tocar em "As minhas músicas", você pode navegar por todos os arquivos de áudio que estão disponíveis em seu armazenamento; Você pode adicionar músicas de seu armazenamento - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Passo 5: após selecionar a música desejada, basta tocar no ícone de "Justificado" localizado no canto superior direito; Toque no ícone de justificado para adicionar a música desejada - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Passo 6: por fim, sua música será adicionada a timeline de edição do Lomotif e pode ser substituída tocando em "Alterar"; Também é possível substituir sua música tocando em "Alterar" - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Pronto! Agora você sabe como adicionar músicas em vídeos do Lomotif. Mas, e você? Já conhece o Lomotif? Comente abaixo como você usa o aplicativo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Netflix revela quais são as séries e os filmes mais populares do catálogo Veja Mais

Ajude o Pequeno: marketplace que digitaliza comerciantes ganha novos recursos

canaltech O Ajude o Pequeno é um marketplace no qual vendedores conseguem criar uma versão online de seus negócios, oferecendo produtos e as opções de pagamento e entrega. Os consumidores, por sua vez, cadastram-se e conseguem conferir o catálogo de produtores da região. Todo o processo é feito de forma gratuita, sem cobrança de taxas. As entregas podem ser feitas pelos Correios, por retirada no local e também através de parcerias com outras empresas de delivery, já disponíveis em cidades como São Paulo. E agora, a plataforma online ganha uma nova versão, com funcionalidades inéditas. Voluntários criam marketplace gratuito para pequenos comerciantes Tem um pequeno negócio? Saiba como oferecer entregas na sua região Como encontrar e comprar de pequenos comerciantes no seu bairro Dentre os novos recursos do mercado digital está a migração para o ".org". O objetivo desta alteração é dar mais segurança e transparência aos visitantes do site, indicando ainda que se trata de uma organização não-governamental sem fins lucrativos. Além disso, com a nova versão a navegação no site foi melhorada. Agora é possível que o visitante escolha a localização (cidade/Estado), possibilitando alterá-la quando houver necessidade para encontrar as lojas próximas a ele. "Adicionamos uma ferramenta de busca para que o cliente busque pelo nome da loja ou pelo produto que deseja. Todo o design do site repaginado para promover uma melhor experiência do usuário e navegabilidade", afirmou Clarissa Antunes, cofundadora e head de comunicação do Ajude o Pequeno, em entrevista ao Canaltech. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Nova versão da plataforma Ajude o Pequeno: inserção da localização facilita a busca por lojas (Captura de imagem: Rui Maciel) Agora os lojistas podem também incluir informações mais completas sobre o seu negócio para que o comprador conheça mais sobre ele, como endereço da loja, horários de funcionamento, formas de entregas, redes sociais e descrição do negócio. Estas informações agora estão mais visíveis, ajudando na confiabilidade do comprador. A página dos produtos mostra mais claramente a que loja pertence o produto e novas formas de entrega podem ser configuradas, com destaque para o “delivery local”, onde o lojista pode adicionar um serviço de delivery que o seu estabelecimento ofereça. A página inicial do marketplace passa a ter destaques de lojas por região, ajudando a projetar os estabelecimentos, que são definidos aleatoriamente, dentre as que estão 100% configuradas pelo lojista. "Em breve lançaremos a busca por categorias bem como a opção de avaliação dos produtos e das lojas pelos clientes", continua Antunes. "Também está em fase final de configuração para lançamento a ferramenta de troca de mensagens por e-mail entre a loja e os clientes no formato 'caixa de entrada', que estará disponível diretamente no painel da loja para acesso do lojista, facilitando a interação direta entre este e o comprador". A migração para o digital  Atualmente, o Ajude o Pequeno conta com mais de três mil lojistas cadastrados na plataforma desde março deste ano até agora. E muitos deles, compreensivelmente, tiveram dúvidas na forma como realizar a migração do offline para o online. Para ajudar nessa processo, os idealizadores da plataforma criaram um projeto de mentoria para os pequenos comerciantes onde os voluntários da ONG auxiliam diretamente os lojistas que se inscreveram no programa, em áreas como finanças, vendas, estratégias digitais, dentre outras. As mentorias acontecem em reuniões online em grupo. "Com a solução que oferecemos e a possibilidade de ter uma loja online gratuita, os empreendedores começaram a trazer clientes para a compra digital a partir do Ajude o Pequeno, na sua nova loja virtual", destacou Clarissa. "Os lojistas também vêm conquistando novos clientes pela facilidade que a loja virtual oferece e podem ser facilmente encontrados nos mecanismos de busca como o Google. Além disso, eles vêm usando o meio de pagamento do Ajude O Pequeno com taxas abaixo do mercado para finalizar as vendas", completa. Na nova versão do Ajude o Pequeno, as informações sobre a loja estão mais completas e visíveis (Captura de imagem: Rui Maciel) Entre as principais dúvidas apresentadas pelos comerciantes, estão criar e configurar a loja, como fazer para aumentar as vendas, dentre outras questões referentes aos primeiros passos no ambiente digital. "Percebemos que os lojistas ainda estão se familiarizando com a possibilidade de ter uma loja virtual e para isso nós construímos um ambiente educativo com videoaulas, além do projeto de mentoria e do atendimento direto dos voluntários da ONG, com suporte pelo Whatsapp e chamadas de voz", afirmou Antunes. "Muitos deles ainda demonstram dificuldade na familiarização com o ambiente online por nunca terem tido experiência com as ferramentas. O nosso projeto de mentoria tem feito excelentes progressos nesse quesito e em breve abriremos inscrições para a terceira turma. Vale lembrar que o projeto é aberto a todos os cadastrados no nosso site, sem distinção e o cadastro é gratuito". Suporte na atuação online Abrir um pequeno e-commerce é apenas o primeiro passo nessa transformação digital. O Ajude o Pequeno tem ainda um time de atendimento, onde voluntários da ONG prestam suporte direto aos lojistas para guia-los durante todo o processo de configuração da loja, ensinando boas práticas no ambiente online. Periodicamente, essa equipe de suporte realiza contatos por e-mail, ensina sobre boas práticas online e envia informativos frequentes aos lojistas. Há ainda um painel onde os empreendedores podem acompanhar todas as vendas e interagir diretamente com o cliente. "Criamos o projeto de mentoria para ensiná-los sobre diversos pilares, desde a criação e configuração da loja, até resultados expressivos em vendas e boas práticas no ambiente digital", continua Clarrisa. "Prestamos suporte durante todos os passos dessa jornada de adaptação, desde o primeiro momento que ele chega ao nosso site", finaliza. Para cadastrar a sua loja na plataforma, basta clicar aqui. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Netflix revela quais são as séries e os filmes mais populares do catálogo Veja Mais

Nvidia confirma mais jogos que serão compatíveis com Ray Tracing; Veja lista

canaltech A Nvidia anunciou mais uma leva de jogos que receberão suporte ao DLSS, sua técnica de otimização de resolução por meio de inteligência artificial; e ao tão esperado Ray Tracing — metódo avançado de composição de imagens tridimensionais com uso de poderoso algoritmo. Usuários das placas GeForce RTX capazes de efetuar esses recursos poderão desfrutar de imagens mais realistas e com desempenho superior em uma boa quantidade de jogos já em seus respectivos lançamentos — além de títulos já disponíveis. Assassin’s Creed Valhalla | Trailer revela campanhas de DLC na Irlanda e França Among Us | Como explicar o sucesso dois anos depois do lançamento? Nintendo lança Mario Kart com Realidade Aumentada e esquece de avisar os gatos Entre os jogos anunciados pela Nvidia, estão os aguardados Cyberpunk 2077, Watch Dogs: Legion e Call of Duty: Black Ops Cold War, que chegarão entre o final de outubro e metade de novembro, além de outros jogos que já nos próximos dias, como Pumpkin Jack, Ghostrunner e Xuan-Yuan Sword VII. Assine já: Xbox Game Pass Ultimate é um pacotão que inclui o Live Gold, biblioteca com mais de 100 jogos de Xbox e PC, além de descontos exclusivos! Vale lembrar que jogos como Minecraft, Fortnite e outros títulos já estão com tanto com o DLSS quanto com o Ray Tracing ativos. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.-   Veja abaixo a lista completa de novos jogos com Ray Tracing e DLSS: Jogos que ainda serão lançados Ghostrunner (27/10) - com reflexos e sombras em Ray Tracing e com DLSS Pumpkin Jack (23/10) - com reflexos e sombras em Ray Tracing, iluminação melhorada e DLSS Xuan-Yuan Sword VII (28/10) - com iluminação em Ray Tracing e DLSS Watch Dogs: Legion (29/10) - com reflexos em Ray Tracing e DLSS Call of Duty: Black Ops Cold War (13/11) - com Ray Tracing e DLSS Cyberpunk 2077 (19/11) - com reflexos, oclusão de ambiente, sobras e iluminação difusa em Ray Tracing, assim como o DLSS Jogos já disponíveis e que serão atualizados Edge of Eternity - já disponível em acesso antecipado, receberá suporte ao DLSS Mortal Shell - com sombras em Ray Tracing e DLSS Mount & Blade II: Bannerlord - com DLSS World of Warcraft: Shadowlands - com sombras em Ray Tracing Jogos que terão acesso antecipado Enlisted - o beta fechado que começa em novembro já terá iluminação global em Ray Tracing e DLSS Ready or Not - reflexos, sombras e oclusão de ambiente em Ray Tracing e DLSS estarão disponíveis no acesso antecipado do jogo ainda este ano Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

Google Stadia ganha jogo de Pac-Man em battle royale para 64 jogadores

canaltech O Google está fazendo um evento de três dias especial para mostrar novidades do Stadia, a sua plataforma de jogos por nuvem. No primeiro deles, a companhia teve como destaque Pac-Man Mega Tunnel Battle, uma versão em battle royale para 64 jogadores em competitivo. Assassin’s Creed Valhalla | Trailer revela campanhas de DLC na Irlanda e França PlayStation 5 | Sony irá otimizar ventoinhas via atualizações online Xbox Game Pass receberá Rainbow Six Siege ainda em outubro O título pega carona em outros games com o Tetris 99 e Mario 35, em que vários jogadores competem para serem os melhores. No caso de Pac-Man, a competição acontece contra outros 63 jogadores.   O título foi desenvolvido pela Bandai Namco em parceria com a Heavy Iron Studios. A ideia é que você posa invadir o ambiente do seu adversário e eliminar seu concorrente. Ganha quem for o último a sobreviver no título. A versão ainda traz novos modos de jogo, habilidades e um visual atualizado com personalizações que você vai adquirindo enquanto joga. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Assine o Game Pass e turbine seu Xbox com uma biblioteca que inclui mais de 100 jogos para você baixar a qualquer momento A game não será um exclusivo do Stadia, mas chega primeiro para a plataforma em 17 de novembro, pelo preço de US$ 20, equivalente a R$ 110. Contudo, o serviço tem uma versão demo que já pode ser jogada gratuitamente. O evento do streaming de jogos do Google também vai oferecer demos de Humankind e Immortals Fenyx Rising, a partir de 21 e 22 de outubro, respectivamente. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

Como conectar o Spotify à Alexa

canaltech A Alexa (Android | iOS) é uma assistente virtual desenvolvida pela Amazon que está presente em modelos de alto-falantes como o Amazon Echo e Echo dot. Além de atender a comandos de voz dos usuários, a assistente também pode tocar músicas de serviços de streaming como o Spotify. Como apagar o histórico de voz da Alexa 250 comandos de voz para usar com a Alexa que você precisa conhecer Como o Google Assistente e Alexa podem te ajudar durante a pandemia A assistente virtual possui inúmeros comandos para interagir com a plataforma de streaming de música, sendo sua conexão feita de forma rápida e prática no app para celular. Confira abaixo o passo a passo para conectá-las! Como conectar o Spotify à Alexa Passo 1: abra o app da Alexa em seu celular e clique em “Mais” no canto inferior direito. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Abra o app da Alexa em seu celular e clique em "Mais" à direita do menu inferior (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 2: na aba seguinte, selecione o item “Configurações”. Na ab seguinte, selecione o item "Configurações" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 3: clique em “Música”. Selecione o item "Música" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 4: com a aba “Música” aberta, clique no ícone mais “+” em “Vincular novo serviço”. Clique no ícone "+" do item "Vincular novo serviço" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 5: clique em “Spotify” para poder conectar a Alexa à plataforma. Clique em "Spotify" para poder prosseguir (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 6: clique em “Ativar para uso” para poder prosseguir. Na aba seguinte, clique em "Ativar para uso" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 7: efetue o login com a sua conta do Spotify utilizando um dos métodos disponíveis e clique em “Aceito” na aba seguinte. Efetue o login com a sua conta do Spotify e clique em "Aceitar" na aba seguinte (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 8: a sua conta foi vinculada com sucesso, portanto, clique em “Fechar” no canto inferior. Clique em "Fechar" no canto inferior (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 9: caso você queira utilizar o Spotify como serviço padrão da Alexa, faça os ajustes na aba de "Configurações". Para fazer isso, clique em "Acessar configurações de música". Clique em "Acessar configurações de música" para colocar o Spotify como app padrão (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 10: dentro da seção “Minha biblioteca padrão”, marque a opção “Spotify”. Você também pode selecionar a plataforma como “Estação padrão”. Marque o Spotify dentro da seção "Minha biblioteca padrão" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Pronto! Agora você pode conectar a sua conta do Spotify à Alexa e pedir à assistente virtual para tocar suas músicas favoritas na plataforma de streaming de música. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

Mesmo após conserto, ar continua vazando de rachadura em módulo russo na ISS

canaltech O vazamento de ar que ocorre na Estação Espacial Internacional (ISS) desde o ano passado não parece querer dar descanso para os astronautas: depois que descobriram que o problema estava acontecendo em uma rachadura no compartimento de intersecção do módulo russo Zvezda, os cosmonautas a selaram com fita. Mesmo assim, o vazamento continua, e agora parece ter ficado mais intenso. Cosmonautas encontram a origem do vazamento de ar na ISS e tentam solução Tripulação está tentando encontrar origem de vazamento de ar na ISS com confetes Astronautas saem do confinamento em módulo russo após vazamento de ar na ISS No início da semana, o cosmonauta Ivan Vagner informou que o vazamento foi consertado temporariamente. Segundo uma fonte na indústria, a rachadura em questão tinha cerca de 2,5 cm, e a tripulação a cobriu com fita Kapton, que é resistente a temperaturas extremas. Entretanto, de acordo com informações fornecidas pela tripulação na terça-feira (20), a pressão do módulo continua caindo mesmo com a tentativa de conserto — inclusive, parece até cair mais rapidamente do que ocorria antes de os astronautas a selarem.  O módulo russo Zvezda (Imagem: Reprodução/NASA) Anatoly Ivanishin, também cosmonauta, informou que a pressão atual no módulo é de 670 milímetros, e comentou também que observou a existência de algumas partículas sob a fita. Mais cedo, antes de as escotilhas serem fechadas, o módulo tinha pressão igual à do resto da estação, mas acabou perdendo 63 mm durante a noite mesmo com o conserto. Antes disso, o valor era de 50 milímetros. Assim, a tripulação recebeu a recomendação de aplicar mais camadas de fita na próxima tentativa.  -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- O vazamento foi identificado pela primeira vez em 2019, mas foi em 2020 que a intensidade da saída de ar apresentou aumento. Desde então, os tripulantes da Expedição 63 precisaram se confinar algumas vezes no segmento russo da estação para a realização de buscas do vazamento que, no fim, era pequeno, o que dificultava as buscas, e encontrava-se justamente no módulo russo.  É importante lembrar, entretanto, que a estação sempre tem algum vazamento de ar acontecendo por não ser completamente hermética e, além disso, os astronautas são treinados para lidarem com imprevistos dessas. Somado a um problema recente no suprimento de oxigênio também do módulo russo, os inconvenientes sinalizam o desgaste dos equipamentos russos, que já chegam aos 20 anos de uso. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

iPhone 12 não acessa o 5G se estiver usando dois chips, revela documento

canaltech A Apple tem planos de disponibilizar uma atualização de software ainda neste para os novos iPhone 12 que habilitará a conexão 5G mesmo quando o aparelho usa redes de duas operadoras diferentes, segundo documento interno da Verizon obtido pelo site MacRumors. Há alguns dias, informações internas da Apple vazadas no Reddit revelaram que os novos smartphones da Maçã não conseguem utilizar o 5G no modo Dual SIM. Como cancelar sua assinatura do Apple Arcade iPhone 12: primeiras análises elogiam construção e desempenho das câmeras Por que o iPhone 12 tem bateria menor e mesma autonomia? Anatel explica Todos os modelos do iPhone 12 lançados na semana passada trazem suporte para dois chips de operadora, sendo um de forma tradicional e outro digital, chamado de eSIM. No entanto, um documento de treinamento de vendas feito pela Apple indica que "não será possível usar a rede 5G em nenhuma das linhas quando estiver no modo Dual SIM, automaticamente alterando para o 4G LTE". De acordo com as informações, o iPhone 12 só poderá utilizar o 5G se estiver utilizando o eSIM, ou seja, a nova geração de chip para celular, onde a nova tecnologia de rede funcione. Nos Estados Unidos, por exemplo, háverá cobertura às faixas mmWave (ondas milimétricas) e sub-6GHz. Em outras regiões, como Canadá e Europa, no entanto, os smartphones devem suportar apenas o sub-6GHz. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Até o momento, a Apple não confirmou que vai habilitar o 5G no modo Dual SIM, mas a expectativa é que a atualização chegue ao iOS até o final do ano. O iPhone 12 e o iPhone 12 Pro terão suas vendas iniciadas no próximo dia 23, enquanto as versões mini e Pro Max do iPhone 12 começarão a ser vendidas apenas em meados de novembro. No Brasil, não há previsão de lançamento, embora os smartphones já estejam homologados por aqui. Tudo sobre os novos iPhone 12   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Celular robusto Samsung Galaxy XCover Pro é lançado no Brasil por R$ 2,8 mil O céu (não) é o limite | Enorme tubo de lava descoberto em Marte, e muito mais! Windows 10 October Update: confira todas as novidades da nova versão Primeiro celular compatível com carregador sem fio da Apple não é um iPhone Supercomputador mostra como o coronavírus se espalha em mesa de restaurante Veja Mais

10 séries que abordam a violência física e psicológica contra a mulher

canaltech A violência contra a mulher e o feminicídio sempre foram abordados no mundo do entretenimento, incrementados em outros elementos derivados do machismo. Porém, nos últimos anos, as pessoas estão mais atentas para a existência desse tipo de opressão, então o tema tem sido colocado em pauta de forma a criar debates e conscientizar pessoas que possam estar vivenciando ou tem contato com alguém que sofre esse tipo de abuso. 10 melhores séries de investigação criminal para maratonar na Netflix I May Destroy You | 6 motivos para largar tudo e assistir à nova série da HBO Muitas dessas produções não são nada fáceis de assistir, mas são necessárias por se tratar de uma temática que não pode ser esquecida. Por isso os criadores, diretores e roteiristas estão sempre incorporando a violência contra a mulher em histórias incríveis e muito bem construídas, sejam elas em um título que foca completamente no tema ou que apenas cita em alguns episódios, para que a experiência seja completa e não apenas algo informativo. Pensando nisso, o Canaltech selecionou 10 séries que, de alguma forma, abordam a violência física e psicológica contra a mulher para conscientizar quem está do outro lado da tela sobre essa realidade à medida que entretêm com grandes histórias. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Atenção: a lista abaixo contém spoilers das séries citadas! 10. Você A série Você, também conhecida pelo nome original em inglês, You, traz um tipo de violência contra a mulher que começa pelo psicológico e, infelizmente, tem um final terrível. Joe, interpretado por Penn Badgley, é um rapaz que parece ser a pessoa mais boazinha do mundo. Porém, ele fica tão obcecado pelas mulheres com quem se relaciona que começa a agir como se elas pertencessem a ele e, sem que elas saibam, consegue controlar suas vidas, o que elas fazem, com quem podem conversar, entre muitos outros detalhes perturbadores. A desculpa para agir dessa forma, segundo o próprio, é ser algo feito por "amor", afinal apenas ele sabe o que é melhor para a parceira. O mais curioso da segunda temporada é que ela traz uma história diferente, fazendo com que Joe conheça uma mulher tão psicopata quanto ele, como se fosse uma lição de como é estar na pele da pessoa oprimida, como havia sido anteriormente. Imagem: Divulgação/Netflix Crítica | Você mostra Joe tentando controlar seus instintos na temporada 2 Você conta com duas temporadas completas na Netflix. 9. Big Little Lies Big Little Lies é uma série baseada em um livro de mesmo nome que conta a história de mulheres que estão relacionadas de alguma forma e que, no final, se unem com a intenção de defender e proteger uma delas que vem sofrendo violência física do marido. Durante o andamento da trama, o relacionamento aparenta ser perfeito, mas o desequilíbrio emocional do homem começa a trazer indícios de que ele é perigoso e que sair dessa seria mais arriscado e desgastante ainda. A trama deveria ser uma minissérie, mas história foi tão impactante que acabou ganhando uma segunda temporada. Nos episódios mais recentes, essas mulheres se unem em mais um desafio de proteção a elas e à vítima do marido abusivo, contra a punição jurídica que elas podem receber após terem feito justiça com as próprias mãos. Imagem: Divulgação/HBO Big Little Lies está disponível em duas temporadas no HBO GO. 8. The Handmaid's Tale The Handmaid's Tale, ou O Conto da Aia, é uma adaptação literária de uma história assustadora de quando os Estados Unidos se tornam a República de Gilead. Com isso, o governo norte-americano chega ao fim e o país passa a ser comandado por extremistas religiosos que criam um regime totalitário baseado na Bíblia e que controla todas as mulheres. Neste novo governo, as mulheres são vistas apenas como máquinas de procriação, e as aias são constantemente estupradas para gerarem filhos às famílias estéreis. Na série, acompanhamos a luta da personagem June (Elizabeth Moss), que teve a sua filha retirada de seus cuidados com a transição de governo e que vem resistindo às novas medidas constantemente, ajudando as mulheres que estão a sua volta e descobrindo formas de derrubar Gilead. Imagem: Divulgação/Hulu The Handmaid's Tale está disponível em três temporadas no Globoplay. 7. Coisa Mais Linda As décadas de 1950 e 1960 não eram nada amigáveis às mulheres e isso é visto na série Coisa Mais Linda, brasileira e original da Netflix. Além de retratar o machismo escancarado da época, a trama aborda uma situação em peculiar bastante grave, envolvendo a personagem Lígia, interpretada por Fernanda Vasconcellos, que aparenta ter um casamento perfeito. Além do marido não deixar ela seguir seus sonhos, ele constantemente bebe e fica bastante violento, a agredindo. Assim como na realidade, a personagem chega a acreditar que as atitudes do homem acontecem devido a algo que ela fez ou por sua culpa, o que nem de longe deveria justificar uma agressão. Infelizmente, no final da primeira temporada, a história acaba de uma forma trágica e bastante chocante, alertando para possíveis similaridades com casos reais. Imagem: Divulgação/Netflix Crítica | Coisa Mais Linda busca a emancipação das mulheres em 2ª temporada Coisa Mais Linda conta com duas temporadas na Netflix. 6. Jessica Jones Jessica Jones, heroína do universo da Marvel, ganhou a sua própria série em 2015, protagonizada por Kristen Ritter. A personagem é o resultado de uma mulher que experienciou na pele o resultado do abuso físico e psicológico do seu parceiro, Kilgrave (David Tennant), um homem violento que a manipulou psicologicamente graças ao seu poder de controlar a mente das pessoas. Então, todas as suas ações são de uma mulher traumatizada, que teve parte de sua vida controlada por alguém que retirou a sua liberdade individual e que precisou concentrar todas as suas forças e energias para sair daquela vida e não deixar mais que o vilão a transformasse em uma pessoa forçadamente submissa. Imagem: Divulgação/Netflix A série Jessica Jones está disponível na Netflix em três temporadas. Crítica | Jessica Jones entrega um fim corajoso e imperfeito 5. The Fall The Fall é uma série britânica que acompanha o trabalho da detetive Stella Gibson, interpretada pela incrível Gillian Anderson, que está em missão de descobrir o paradeiro de um assassino em série que vem atacando mulheres da cidade de Belfast. O criminoso é uma pessoa que, por fora, aparenta ser um rapaz indefeso e prestativo com sua família, mas quando sai de casa busca jovens mulheres para cometer esses terríveis crimes. Mas a série não fala só da psicopatia e da frieza desse assassino, como também faz um alerta à misoginia, o ódio pelas mulheres, que o leva a cometer esses crimes, o que é visto também no tratamento recebido pela detetive, que é constantemente questionada por posturas que não são cobradas de homens. Imagem: Divulgação/BBC Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? The Fall está disponível em uma temporada no Now. 4. Inacreditável A série Inacreditável conta uma história real de quando uma jovem, Marie (Kaitlyn Denver), alega ter sido estuprada, mas ninguém acredita que o que ela diz aconteceu. Seus depoimentos são, muitas vezes, confusos, e não há muitas evidências que ajudaram a provar o que havia acontecido, o que dificultou ainda mais a sua situação, visto que os oficiais não aceitavam apenas a sua declaração. Felizmente, ela contou com a ajuda de duas detetives mulheres assumem a liderança do caso e com a dedicação e empatia necessárias, conseguem manter um bom diálogo com a vítima, principalmente acreditando no que ela diz. Imagem: Divulgação/Netflix Inacreditável conta com uma temporada na Netflix. 3. Orange Is The New Black Orange Is The New Black, uma das primeiras séries originais da Netflix, estreou em 2013 mostrando como é a vida em um presídio feminino, com foco na protagonista Piper (Taylor Schilling). A trama aborda muitas questões de homofobia, racismo, xenofobia, entre outros preconceitos, mas também foca em crimes de ódio contra as mulheres, que acontecem ali dentro. As presidiárias são constantemente assediadas verbal e fisicamente pelas pessoas que trabalham ali dentro, muitos deles cometendo estupros, violência física e até assassinatos. São sete temporadas com críticas ao tratamento recebido por essas mulheres, trazendo sempre referências a acontecimentos da vida real. Imagem: Divulgação/Netflix Orange Is The New Black se despede com temporada morna e missão cumprida Todas as sete temporadas de Orange Is The New Black estão disponíveis na Netflix. 2. Bom Dia, Verônica Uma das séries mais recentes da Netflix, Bom Dia, Verônica, conta uma história de serial killer junto à violência doméstica. Na trama, Tainá Muller é Verônica, uma escrivã da delegacia de homicídios de São Paulo que não aguenta ver um caso, que envolve uma mulher que teve a sua vida destruída por um aproveitador, ser negligenciado nas mãos de pessoas que não se importam com a situação. Além de ajudar as vítimas desse desconhecido, em paralelo ela tenta salvar a vida de Janete (Camila Morgado), uma mulher que sofre abuso psicológico do marido, Brandão (Eduardo Moscovis), que não só a prende em casa como também é um assassino em série que escolhe jovens mulheres como vítima e a obriga a participar de parte do processo. Imagem: Divulgação/Netflix A primeira temporada de Bom Dia, Verônica pode ser assistida na Netflix. Crítica | Bom Dia, Verônica traz anseio no combate à violência contra a mulher 1. I May Destroy You Para fechar a lista, uma das séries mais intensas sobre estupro dos últimos tempos: I May Destroy You. Criada e protagonizada por Michaela Coel, a trama original da HBO mostra como a vida da escritora amadora foi abalada após ela ter sido dopada e estuprada em um bar, sem saber por quem. Imagem: Divulgação/HBO Ao longo dos episódios a série mostra como são as conversas com a polícia, como a questão psicológica fica abalada após sofrer um crime do tipo e como é importante ter pessoas ao lado para ajudar nessa tão difícil superação, que muitas vezes não é acompanhada de justiça. Crítica | I May Destroy You reflete toda a genialidade de Michaela Coel I May Destroy You conta com uma temporada no HBO GO. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos Hacker misterioso “Eris Loris” está arruinando milhares de partidas de Among Us Stranger Things | Fotos revelam o exato ano em que acontece a 4ª temporada Saiba quais são os melhores processadores de celular em 2020 Veja Mais

Como foi a última morte de Wolverine? E o que aconteceu depois disso?

canaltech Depois de uma série de mortes chocantes nos quadrinhos de super-heróis dos anos 1990, em especial a do Superman, o óbito de um personagem nessa seara passou a ser uma coisa, digamos, mais banal. Atualmente, a Marvel Comics já deixou claro, publicamente, que, embora mortes continuem acontecendo em suas páginas, elas não são definitivas e apenas funcionam como ferramentas em arcos dramáticos. Ou seja, ninguém mais efetivamente vai dessa para uma melhor nas páginas da Casa das Ideias. Quadrinhos e super-heróis | Confira os destaques da Marvel e DC em setembro Por que Henry Cavill não será Wolverine em Capitã Marvel 2? O Canaltech explica Keanu Reeves admite que sempre quis interpretar Wolverine Pouquíssimas mortes continuam intocadas na Marvel, como a do Capitão Marvel original, que, ainda assim, de vez em quando aparece “vivo” em uma ou outra saga. Nos X-Men de Jonathan Hickman, há um processo constante de “ressurreição”, que envolve um grupo de mutantes e o próprio Professor Xavier. Mas, antes mesmo dessa nova fase dos Filhos do Átomo, houve uma última morte que foi “mais sentida”, por assim dizer: a de Wolverine. Imagem: Reprodução/Marvel Comics O querido anti-herói canadense já foi dado como morto em outras ocasiões, mas esta última realmente foi tratada como “morte oficial”, inclusive com um arco na revista mensal que “preparou o leitor” e uma minissérie chamada A Morte de Wolverine — tudo para tornar a coisa toda mais séria. E lá se foram seis anos de lançamento deste evento, dos quais quatro Wolverine ficou fora de cena — o que pode ser considerado uma eternidade para o mutante mais popular da Marvel Comics. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Como foi que isso aconteceu? E quais foram as consequências? As respostas você pode ler logo abaixo. Desgaste de três décadas Wolverine nasceu na revista The Incredible Hulk #180, de novembro de 1974. Mas seu desenvolvimento se deu mesmo nos anos 1980, quando conhecemos mais sobre seu passado no Japão, pelas mãos de Frank Miller e Chris Claremont; e quando ele passou a ser uma referência maior nos X-Men, em arcos históricos, a exemplo da Saga da Fênix. Nos anos 1990, Logan chegou ao seu auge, especialmente com a nova fase de Jim Lee e com a popularidade da animação dos X-Men na TV. O personagem ganhou mais estofo em seu passado, em especiais como Arma X; e passou a ser um carro-chefe da Marvel. Só que aí começou sua queda: em uma década especialmente frágil para os quadrinhos de super-heróis, somente os mutantes saíram “ilesos” das baixas vendas — e parte desse sucesso está atrelado a Wolverine, que praticamente se tornou onipresente nos títulos da Marvel, e não somente os dedicados aos Filhos do Átomo. Imagem: Reprodução/Marvel Comics Assim, Wolverine teve seu adamantium arrancado de seu corpo, foi dado como morto diversas vezes, retornou a Japão, virou agente da SHIELD e se tornou fugitivo da mesma entidade, tornou-se arauto do Apocalipse, entre várias outras aventuras. Já no final dos anos 2000, um dos “arquitetos” da Casa das Ideias explorou, então, um lado inédito que mudou a visão sobre o personagem, considerado virtualmente imortal, dado os seus poderes regenerativos, capacidade de luta e adamantium. Mark Millar, ao lado do ilustrador Steve McNiven, imaginou um cenário em que Logan já não tem um fator de cura tão regular e está extremamente abatido, cansado por perder tantas batalhas e que não tira mais suas garras de seus punhos. Old Man Logan se tornou um clássico instantâneo, uma espécie de “Cavaleiro das Trevas do Wolverine”. Nesse momento, sua versão idosa se tornou muito mais interessante que a original, que estava se sobrecarregando de histórias ruins, devido ao desgaste do personagem. Imagem: Reprodução/Marvel Comics Foi aí que a Marvel e os próprios leitores passaram a concordar que talvez fosse melhor dar um fim à atual versão e ficar um pouco com seu modelo do futuro, como forma de “reboot” de Wolverine. E foi exatamente isso que aconteceu em novembro de 2014, justamente no aniversário de 40 anos da primeira aparição de Logan na batalha entre Hulk e Wendigo. Como foi a Morte de Wolverine? O quinto e o sexto volume da série mensal do Wolverine se tornou basicamente “o caminho” para a trama principal. Vale destacar que o título já não vendia muito na época e os mutantes, em geral, sofriam com uma fase ruim que parecia nunca acabar — e mais tarde, veio a revelação que Ike Perlmutter, executivo da Marvel Entertainment, na época tinha “segurado” o desenvolvimento dos X-Men por conta da treta envolvendo os direitos vendidos para a Fox, que se rejeitava em negociar com o crescente Marvel Studios. Imagem: Reprodução/Marvel Comics Em 2013, Wolverine vinha revisitando seu passado, enquanto Old Man Logan já começava a aparecer com mais frequência nos títulos mutantes. Foi então que nosso Logan da cronologia atual teve seu corpo contaminado por um vírus do Microverso, que tornou seu fator de cura inativo. Seu corpo passou a se deteriorar com mais facilidade e, claro, sem os ossos inquebráveis, ele se transformou em um alvo muito mais vulnerável para seus inimigos. Feige x Ike: Entenda como essa "Guerra Civil interna" afeta tudo na Marvel O Senhor Fantástico se dispôs a tentar ajudar Wolverine, mas ele decidiu que continuaria a viver dessa forma mesmo, pois, além de teimoso, o baixinho canadense passou a aceitar sua nova condição como destino — afinal, ele mesmo sabia que qualquer que viva tanto tempo talvez considere uma rara possibilidade de morte como um final mais comum e apropriado para sua própria história. 10 aspectos que mudaram radicalmente os X-Men na atual fase de Jonathan Hickman Nova HQ da Marvel deve colocar os Vingadores contra os X-Men mais uma vez Disney+ pode lançar continuação da animação clássica dos X-Men Nessa época, Wolverine dividia seu tempo entre os Vingadores e os X-Men, não somente como herói, mas também no papel de diretor da Escola Jean Grey para Jovens Superdotados. E, mesmo assim, decidiu encarar seus maiores rivais, que, claro, também já estavam sabendo que o anti-herói não andava mais o mesmo. No final, Logan enfrenta o Doutor Cornelius, um dos responsáveis pelo projeto Arma X e pela injeção de adamantium no corpo do X-Man. Imagem: Reprodução/Marvel Comics Após um combate feroz, Cornelius perece e, antes de ir, ele questiona a Logan quais foram suas grandes realizações na vida. Wolverine, então, decide fica sob um tanque de adamantium quente, que cobre seu corpo. Ele morre por sufocamento, após o endurecimento do metal que o salvou por tantos anos. O que aconteceu depois da morte de Wolverine? Vários personagens conectados a Wolverine, como Dentes-de-Sabre, X-23, entre outros, passaram a seguir seu legado e, no final, X-23 é que acabou se tornando a detentora desse nome. A Marvel Comics aproveitou a popularidade da personagem no filme Logan, que já havia se inspirado na trama de Old Man Logan, para tornar a “filha do Wolverine” como sua sucessora oficial. Essa também foi uma oportunidade de apresentar mais diversidade e dar ao público feminino sua própria versão do famoso anti-herói. Old Man Logan se tornou mais presente e seu estilo de “Wolverine clássico”, com instinto assassino e um passado ainda mais sombrio, foi um sucesso. Ele passou a fazer parte dos X-Men de nossa era e teve a oportunidade de encontrar com seu “eu” mais jovem antes de se despedir em sua própria linha cronológica. Imagem: Reprodução/Marvel Comics Wolverine voltou aos poucos aos Universo Marvel, em meados de 2018. Ele começou reaparecendo com seu corpo jovem e completamente renovado, ainda mais poderoso que o anterior. Logan, inicialmente, ressurgiu em algumas “cenas pós-créditos” de títulos da Marvel, portando a Joia do Tempo. Mais tarde, ele deixou de lado a gema e ficamos sabendo, em uma trama que não vale muito a pena contar agora, que, basicamente, Wolverine teve seu corpo e mente trazidos de volta por conta de um processo criado pela vilã Persephone, com participação de Sotera. A trama de retorno foi, em geral, bem ruim e cheia de buracos e saídas mirabolantes de roteiro. Mas, o que importava, naquele momento, era que o Logan de nossa época deveria, definitivamente, voltar ao Universo Marvel. Imagem: Reprodução/Marvel Comics Inicialmente, Wolverine demorou um pouco para se restabelecer e veio até com um poder diferente, o de aquecer suas garras em momentos de muita fúria. Mas com o iminente reboot dos X-Men nas mãos de Jonathan Hickman e o começo da jornada de um novo Logan no Universo Cinematográfico Marvel (MCU, na sigla em inglês) pela frente, a Casa das Ideias decidiu trazer de volta seu mais popular mutante novamente no auge de seu temperamento e porte físico. Assine Amazon Kindle Unlimited por apenas R$ 19,90/mês e tenha acesso a mais de 1 milhão de livros digitais! E, assim, temos de volta aquele assassino impiedoso com seu próprio código de honra, em referência aos anti-heróis de filmes de faroeste. Ele continua amável com as crianças, teimoso e agora até aceita fazer parte de um “trisal” com Ciclope e Jean Grey — amando Scott, inclusive, com a mesma intensidade que ama Jean. Este é o Wolverine “2.0”, um clássico atualizado que voltou a fazer sucesso nas mãos de Hickman. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses Hacker misterioso “Eris Loris” está arruinando milhares de partidas de Among Us Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos Stranger Things | Fotos revelam o exato ano em que acontece a 4ª temporada Saiba quais são os melhores processadores de celular em 2020 Veja Mais

Hacker misterioso “Eris Loris” está arruinando milhares de partidas de Among Us

canaltech Among Us virou um fenômeno global no meio da pandemia, e, ao longo das últimas semanas, até mesmo alguns políticos se renderam ao divertido joguinho de investigação (organizando transmissões ao vivo para engajar a população nas eleições). Porém, como de praxe, é óbvio que alguém teve a “brilhante” ideia de dar um jeito de arruinar a experiência e acabar com a diversão de todo mundo. Among Us com Alexandria Ocasio-Cortez reúne quase 450 mil usuários na Twitch Among Us | Como explicar o sucesso dois anos depois do lançamento? Among Us: confira as tarefas visuais e em qual mapa elas estão Ao longo desta última semana, diversos jogadores começaram a ser importunados por um hacker misterioso conhecido apenas como Eris Loris. Ele entra em partidas online e comete spam no chat público, enchendo-o de mensagens que divulgam seu próprio canal no YouTube ou declaram apoio ao presidente Donald Trump. Teoricamente, o spammer teria recrutado amigos para aumentar o alcance dessa “zoeira” inconveniente. i hate it here, i just want to play a simple game without eris loris PLEASE pic.twitter.com/qOrZSz3zqA -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- — Stinky (@liziztrash) October 23, 2020 Estima-se que Eris tenha atrapalhado pelo menos 1,5 milhões de partidas, afetando quase 5 milhões de jogadores ao redor do globo. A situação é tão crítica que a desenvolvedora do título, a InnerSloth, teve que desenvolver uma atualização emergencial no servidor do game para tentar resolver a situação. Tudo indica que o update melhorou a situação, mas não exterminou o fenômeno completamente. Para quem nunca jogou Among Us, vale a pena ressaltar que o chat é um componente crítico para o bom andamento da partida. É através deles que os jogadores alertam para assassinatos ocorridos dentro da espaçonave e discutem quem pode ser o impostor, convocando reuniões que culminam na tentativa de expulsar o fraudador. Com o chat cheio de spam, torna-se impossível se comunicar apropriadamente. Hello everyone,We're are super duper aware of the current hacking issue and we're looking into it. We will be pushing out an emergency server update so people who are in game will get kicked from games. Please play private games or with people that you trust!!! Bare with us!! ???? — InnerSloth (@InnerslothDevs) October 23, 2020 Outra curiosidade: embora seja difícil atestar que haja qualquer ligação entre tais fatos, é interessante observar que Éris, na mitologia grega, é a deusa da discórdia, sendo a divindade adorada por seguidores do discordianismo, religião que cultua o caos e a confusão (mas jamais de forma e/ou para fins negativos). Em seu canal, Eris Loris divulga hacks e técnicas de cheating para outros games variados. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses WhatsApp agora permite silenciar conversas para sempre; saiba como Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos Mais um app do Google passou de 1 bilhão de downloads na Play Store Saiba quais são os melhores processadores de celular em 2020 Veja Mais

8 melhores jogos multiplayer para Android e iOS

canaltech Jogos multiplayer não estão restritos apenas aos computadores e consoles. Nos celulares, conseguem alcançar uma enorme base de jogadores com opções de jogos gratuitos e que, em alguns casos, não exigem uma grande performance dos aparelhos. Com isso, os games mobile ganham muito espaço, inclusive no cenário competitivo. Navegando pela App Store e pela Google Play Store, é possível encontrar inúmeras opções de jogos com suporte para modos online. O Canaltech listou alguns dos melhores títulos disponíveis entre diferentes gêneros. Saiba mais e comece a jogar com amigos e com diferentes adversários de todo o mundo! 1. Pokémon GO (Android | iOS) Torne-se um Mestre Pokémon pelo celular (Imagem: Divulgação/Niantic) Pokémon GO é um dos games de maior sucesso para celulares. Utilizando realidade aumentada, permite que os jogadores capturem Pokemons próximos e desenvolvam os seus personagens. Além da atividade em campo aberto, os monstrinhos capturados podem ser usados em batalhas contra amigos e adversários aleatórios na Liga de Batalha GO. Mesmo lançado em 2016, ainda é muito popular e um dos games mais rentáveis no ramo mobile. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Como jogar Pokémon GO sem precisar sair de casa 2. Garena Free Fire (Android | iOS) Free Fire faz sucesso entre brasileiros (Imagem: Divulgação/Garena) Os Battle Royales são populares no meio mobile. No Brasil, talvez o nome mais importante seja Free Fire, da Garena. O game conquistou uma legião de fãs e colocou o país dentro da rota do cenário competitivo. Disputado em até quatro pessoas por equipe, consiste em colocar 50 jogadores simultâneos em um mapa rodeado por armas e equipamentos. Vence quem sobreviver por último. Com gráficos simples e boa jogabilidade, é uma excelente opção para quem procura um jogo do tipo. Dicas de como jogar melhor Free Fire e como subir capa 3. Clash Royale (Android | iOS) Jogo de estratégia envolve diferentes tipos de cartas (Imagem: Divulgação/Supercell) Jogos com cartas fazem muito sucesso nos celulares pela variedade de possibilidades e com partidas curtas. Clash Royale é uma das melhores indicações para quem procura por algo nesse estilo. O jogo de estratégia traz diversas combinações com os decks, e consiste em utilizar as cartas para conquistar as torres do adversário. Somente na Play Store, são mais de 100 milhões de downloads do game. Dicas de como montar um deck em Clash Royale 4. Call Of Duty: Mobile (Android | iOS) Jogo de tiro em primeira pessoa tem versão mobile com Battle Royale (Imagem: Divulgação/Supercell) Muito popular nos consoles e PCs, a franquia Call Of Duty marcou sua presença nos celulares em 2019, com o lançamento de Call Of Duty: Mobile. O jogo traz os intensos combates de tiro em primeira pessoa em modos de mata-mata, com mapas clássicos da série. Traz, também, um modo Battle Royale com capacidade de até 100 jogadores simultâneos. Confira dicas para vencer no jogo Call of Duty Mobile 5. Mario Kart Tour (Android | iOS) Mario Kart pode ser jogado em celulares (Imagem: Divulgação/Nintendo) Mario Kart é um clássico entre os jogos de corrida e ganhou uma edição mobile em 2019, com modo multiplayer disponível a partir de março de 2020. A jogabilidade é um pouco diferente da versão para consoles, mas a diversão é a mesma. Com pistas e personagens clássicos, é um dos melhores jogos de corrida para jogar entre amigos. Confira dicas para jogar Mario Kart Tour 6. Mobile Legends: Bang Bang (Android | iOS) Mobile Legends é um dos principais MOBAs para celulares (Imagem: Divulgação/Moonton) Os jogos no estilo MOBA, como League Of Legends e DotA 2, são destaques nos computadores e no cenário competitivo. Para celulares, Mobile Legends é uma das principais indicações para quem quer jogar essas partidas em um dispositivo móvel. O funcionamento é o mesmo: partidas entre duas equipes de cinco jogadores em mapas com lanes e torres adversárias. As partidas ainda são rápidas, com duração de até 10 minutos. 7. Among Us (Android | iOS) Descubra o impostor em Among Us (Imagem: Matheus Bigogno/Captura de tela) Lançado em 2018, Among Us demorou dois anos para fazer imenso sucesso no Brasil. A popularidade foi tão grande que trouxe celebridades e figuras públicas para jogatinas. Disputado em até 10 pessoas, envolve uma equipe de uma nave espacial que precisa realizar tarefas para seu funcionamento. Entretanto, possui até três impostores por partida, com o objetivo de assassinarem toda a equipe. A cada corpo denunciado, os integrantes se reúnem e discutem para decidir um eliminado. O que é Among Us e como baixar o game 8. Roblox (Android | iOS) Crie seu avatar e explore a biblioteca de Roblox (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Por que jogar apenas um jogo quando é possível explorar milhões de opções? Roblox é um universo virtual que permite a criação de jogos pela própria comunidade dentro de seu motor gráfico. A biblioteca é extensa, com mais de 50 milhões de games diferentes, variando entre estilos. Basta criar o seu avatar dentro do jogo e experimentar uma das opções. Roblox: conheça o jogo que é febre no Android e iOS Qual outro jogo multiplayer merecia entrar na lista? Dê sua opinião! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos WhatsApp agora permite silenciar conversas para sempre; saiba como Por que Nosferatu é o filme ilegal mais famoso da história do cinema? Mais um app do Google passou de 1 bilhão de downloads na Play Store Veja Mais

Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos

canaltech A polêmica sobre a ausência de carregador na caixa do iPhone 12 ganhou mais um capítulo. Kaiann Drance, vice-presidente de marketing do iPhone na Apple, sugeriu em entrevista que os futuros donos do iPhone 12 utilizem os cabos antigos para carregar o celular. A caixa do produto incluirá um cabo do tipo USB-C, mas não será acompanhada de um carregador. Segundo a empresa, a decisão foi tomada pelo fator ambiental. iPhone 12: por que a Apple inclui fones de ouvido em caixa separada na França? iPhone 12: primeiras análises elogiam construção e desempenho das câmeras Em entrevista ao podcast Rich on Tech, Kaiann Drance comentou que "você ainda pode utilizar seus cabos Lightning antigos e qualquer carregador compatível com isso. Eles ainda vão funcionar e, na verdade, encorajamos que você os use". Em seguida, completou: "Se você precisa de um novo, incluímos um cabo USB-C na caixa. É diferente porque é moderno, mais rápido, agora que pode ser usado com qualquer carregador adaptado a USB-C". Novos iPhone 12 serão acompanhados de cabo, mas sem carregador (Imagem: Divulgação/Apple) Drance ainda sugeriu que os consumidores utilizem os carregadores de tipo C inclusos em outros dispositivos, como o Mac, iPad e até mesmo as entradas dos computadores. É importante ressaltar que alguns carregadores de modelos antigos do iPhone possuem entrada USB-A, requerindo um novo adaptador. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- iPhone 12: como funciona o MagSafe, o sistema de recarga sem fio da Apple Os cabos não foram o único assunto abordado no podcast. A executiva da Apple ainda comentou a funcionalidade do 5G, o novo recurso MagSafe e a durabilidade das novas telas do iPhone 12. A entrevista completa, em inglês, pode ser assistida logo abaixo:   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses WhatsApp agora permite silenciar conversas para sempre; saiba como Por que Nosferatu é o filme ilegal mais famoso da história do cinema? Mais um app do Google passou de 1 bilhão de downloads na Play Store Stranger Things | Fotos revelam o exato ano em que acontece a 4ª temporada Veja Mais

Projeto de lei autoriza penhora de sites para pagamento de dívidas

canaltech O deputado Geninho Zuliani (DEM-SP) apresentou nessa semana o Projeto de Lei 4908/20, que permite a penha de sites de estabelecimentos comerciais com o objetivo de pagar dívidas dos mesmos. O texto ainda acrescenta a possibilidade no Código de Processo Civil.  Segundo o parlamentar, a proposta acompanha a recente jurisprudência dos tribunais brasileiros. O Código de Processo Civil estabelece uma ordem de preferência para penhoras, colocando o dinheiro, em espécie ou em depósito ou aplicação, em primeiro lugar. Não sendo encontrado dinheiro, outros bens e direitos podem ser penhorados, como veículos, imóveis e ações. Geninho Zuliani: seu projeto de lei quer penhora de sites para pagamento de dívidas (Foto: Divulgação / Câmara dos Deputados) Agora, o texto do projeto acrescenta nesta lista o domínio de internet e outros bens intangíveis relacionados com o comércio eletrônico da empresa devedora. Diz o PL: -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- O presente Projeto de Lei visa atualizar a legislação concernente a penhora de bens móveis e imateriais, como o caso do direito ao uso de um determinado domínio na 'internet', registrados no órgão controlador competente. De acordo com decisões proferidas no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo “assemelha-se isso aos direitos sobre a marca de um determinado produto comercial, cuja penhorabilidade é incontroversa. Se a comercialização desses direitos pode ser problemática e se o resultado de eventual arrematação poderá não ser profícuo, isso é questão que interessa ao credor, não sendo motivo para o indeferimento da pretensão quando requerida por ele próprio”. No mesmo sentido, a V Jornada de Direito Civil do Centro de Estudos Judiciários do Conselho da Justiça Federal CEJ/CJF aprovou o Enunciado nº 488, nos seguintes termos: “admite-se a penhora do website e de outros intangíveis relacionados com o comércio eletrônico”. Nas discussões havidas no decorrer da V Jornada de Direito Civil, ficou assente que “o estabelecimento comercial é o conjunto de bens corpóreos e incorpóreos organizados para o exercício da empresa, pela sociedade empresária ou empresário. Diante dessa clássica definição de estabelecimento, temos a presença do estabelecimento comercial virtual que tem a mesma natureza jurídica do estabelecimento físico, enquadrando-se no art. 1.142 do Código Civil, mesmo aquele possuindo em sua maioria bens imateriais.  Retomada da discussão Em 2018, um projeto de lei semelhante foi apresentado na Câmara pelo então deputado Augusto Carvalho (DF). A proposta (PL 9568/18) chegou a ser discutida na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), mas acabou arquivada ao final da legislatura passada, encerrada em também em 2018.  Agora, o texto do PL 4908/20 tramita na Câmara dos Deputados, mas não há um prazo para que entre em votação.   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses WhatsApp agora permite silenciar conversas para sempre; saiba como Mais um app do Google passou de 1 bilhão de downloads na Play Store Registro indica que Galaxy S21 pode ter design semelhante ao do iPhone 12 PS5 | Sony revela mais um detalhe da retrocompatibilidade com o PS4 Veja Mais

xCloud deve ganhar dispositivo de streaming para TVs, sugere Phil Spencer

canaltech A Microsoft tem planos audaciosos para o xCloud, seu serviço de jogos por streaming. Depois de atrelá-lo ao Xbox Game Pass, a ideia da companhia para expandir o serviço pode passar pelo lançamento de um dispositivo feito única e exclusivamente para que as pessoas possam jogar diretamente de suas TVs, como se fosse uma espécie de Chromecast de jogos. xCloud terá lista gigantesca de jogos disponíveis já no lançamento; veja quais Microsoft promete levar xCloud para iOS usando um "jeitinho" Microsoft fará evento online de lançamento do Xbox Series X e S E quem deu essa informação, meio que sem querer, foi o próprio Phil Spencer, chefe da divisão Xbox dentro da Microsoft. Em entrevista ao site Stratechery, o executivo abordou sobre este tema, além de falar sobre o potencial do serviço. “Acho que você verá um hardware de preço mais baixo como parte de nosso ecossistema quando pensar em dispositivos de streaming e outras coisas que alguém pode querer simplesmente conectar na TV e jogar via xCloud. Você pode imaginar que tenhamos algo para incluir na assinatura do Game Pass que dá a você a capacidade de transmitir jogos do xCloud para a sua televisão e a única coisa extra que precisa ser comprada é um controle de Xbox", disse Spencer -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Pelo que foi dito na entrevista, é possível especular dois caminhos para esse possível stick de TV. O primeiro deles é o mais óbvio, que seria o lançamento do aparelho separadamente. Mas, diante do que o próprio Spencer disse, não duvide que apareça uma opção mais cara do Xbox Game Pas que já inclua o que podemos apelidar de Xbox Stick ou Xbox TV. Assine o Xbox Game Pass Ultimate por apenas R$ 39,99/mês e tenha acesso a uma biblioteca com mais de 100 jogos para Xbox e PC! Xbox Game Pass pode ganhar assinatura "premium" que incluiria um stick para TV/ Imagem: Divulgação/ Microsoft É bom lembrar que a Microsoft tem uma parceria formalizada com a Samsung e que em breve poderemos ver o xCloud nas TVs da gigante coreana, uma vez que testes foram realizados no começo do ano. Atualmente o xCloud está disponível apenas para usuários Android e em uma lista restrita de países. No entanto, a Microsoft já trabalha em modos parta lançar o serviço no iOS. Black Friday é no Canaltech Ofertas Está chegando a época com as melhores promoções do ano! A Black Friday 2020 vai acontecer no dia 27 de novembro e promete grandes descontos em várias categorias cobiçadas pelos brasileiros, como smartphones, smart TVs, notebooks, smartwatches, pulseiras inteligentes, monitores e muitos outros eletrônicos. Para ajudá-lo a encontrar os menores preços da internet, o Canaltech Ofertas fará a cobertura em tempo real da Black Friday, e você pode receber os descontos diretamente no seu celular ao entrar em nossos grupos de WhatsApp e Telegram. Não deixe para se preparar em cima da hora, clique no link abaixo e comece a economizar imediatamente! Entre no grupo de WhatsApp e Telegram do Canaltech Ofertas" Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Registro indica que Galaxy S21 pode ter design semelhante ao do iPhone 12 Itaú Unibanco abre mais de duas mil vagas para a área de Tecnologia Agora é oficial! Xbox Series X e S já têm data de lançamento no Brasil Veja Mais

Como usar os novos atalhos do Instagram no Android e navegar mais rápido

canaltech O aplicativo do Instagram para Android recebeu o recurso de acessar atalhos rápidos através do próprio ícone. Essa função é comum no sistema operacional, lançada na versão 7.1, e oferece um caminho direto para determinadas funções de um app. Segundo o Android Police, a rede social estava testando o uso dessa função desde outubro de 2019, e finalmente foi liberada aos usuários. 5 dicas para você aproveitar ao máximo o Reels do Instagram Como acessar o calendário e o mapa de Stories do Instagram 5 funções pouco conhecidas do Stories que você precisa experimentar Para utilizá-la, é necessário atualizar o Instagram para a versão mais recente. Os atalhos redirecionam para quatro funções do app: a aba de mensagens do Direct, a seção de atividades, câmera para Stories e acesso direto para criar uma publicação. Ou seja, é possível realizar a maioria das ações do aplicativo sem a necessidade de abri-lo. Veja como utilizar! Instagram: como usar os novos atalhos no Android Passo 1: certifique-se que o app está atualizado. Abra a Google Play Store, procure pelo Instagram e selecione "Atualizar"; -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Atualize seu app no Android (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 2: em seguida, pressione e segure o ícone do aplicativo. A ação pode ser feita na tela inicial ou na lista de apps do aparelho; Toque e mantenha pressionado até os atalhos serem exibidos (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 3: o ícone exibirá as ações possíveis. Toque em cada uma para acessar a respectiva área do app; Visualize os atalhos disponíveis (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 4: em "Direct", o aplicativo é aberto com a lista de mensagens privadas mais recentes; Acesse sua aba do Direct (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 5: a aba "Visualizar atividade" leva para a área com as ações mais recentes relacionadas ao seu perfil; Confira a atividade mais recente em seu perfil (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 6: tocando em "Nova publicação", o usuário tem um caminho direto para postar uma nova foto no feed; Crie uma nova publicação para o Feed (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 7: por fim, "Câmera" permite criar Stories rapidamente. Publique nos Stories através do atalho (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Qual atalho é seu favorito? Deixe sua opinião! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil iPhone 12: por que a Apple inclui fones de ouvido em caixa separada na França? Veja Mais

Quibi acaba oficialmente em dezembro e fim das atividades irrita investidores

canaltech A Quibi, plataforma de streaming focada em dispositivos móveis, acaba de confirmar oficialmente a sua própria morte. Após um anúncio informal de seus fundadores na última quarta-feira (21), a companhia publicou, nesta quinta-feira (22), uma página admitindo que o serviço deve ser desligado “mais ou menos” no dia 1º de dezembro. Quibi morreu: streaming dedicado a celulares durou pouco mais de 6 meses Quibi: como baixar e usar o streaming de vídeos de curta duração Quibi: novo serviço de streaming de vídeos de curta duração já está disponível “Agradecemos o apoio que recebemos de nossos clientes e queremos agradecer por nos dar a oportunidade de entretê-lo”, afirma a empresa. A página ressalta ainda que não há uma decisão tomada a respeito de o que acontecerá com os conteúdos originais do catálogo do aplicativo, recomendando que seus usuários sigam a hashtag #Quibi no Twitter para saber mais. Como noticiado anteriormente pelo Canaltech, o Quibi bateu recorde como o serviço de streaming de vida mais curta que já existiu — ele decretou falência com pouco mais de seis meses de operação. A proposta era uma plataforma para consumo de seriados, curta-metragens e programas jornalísticos gravados especificamente para dispositivos móveis, podendo ser aproveitados com o aparelho na vertical ou na horizontal. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Imagem: Captura de Tela/Canaltech Ao Business Insider, Anis Uzzaman, cuja firma Pegasus Tech Ventures é uma das principais investidoras do Quibi, afirmou que “gostaria que eles tivessem lutado mais em vez de desistir tão rápido”. Anis ainda declara que a ideia era como “um encontro entre Hollywood e o Vale do Silício”, mas faltou experiência por parte de seus fundadores. Agora, ele espera ter pelo menos 50% de seu investimento de volta. Assine Amazon Prime por R$ 9,90/mês e ganhe frete grátis, catálogo de filmes e séries que compete com a Netflix, livros, músicas e mais! Teste 30 dias grátis! Vale observar que o Quibi já garantiu que devolverá pelo menos US$ 350 milhões em capital para os acionistas, e ainda está tentando comercializar seu catálogo de produções para terceiros. Ademais, a startup ainda enfrenta uma batalha judicial contra outra companhia chamada Eko, que afirma ter tido sua ideia de conteúdo adaptável (“Turnstyle”) roubada pela Quibi. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

WhatsApp avisará usuários caso uma conversa não esteja criptografada

canaltech Nesta quinta-feira (22), o WhatsApp anunciou uma série de novidades para a sua plataforma Business, voltada para uso comercial e corporativo. Porém, dentre tantos recursos inéditos, um deles acabou passando despercebido e não foi citado nem mesmo no comunicado oficial do próprio aplicativo: em breve, ele passará a avisar caso você esteja em uma mensagem que não seja protegida com criptografia de ponta-a-ponta. WhatsApp Business vai hospedar lojas e ganhar mais funções de pagamento WhatsApp cria site para informar usuários sobre falhas de segurança WhatsApp | Pequenas empresas agora podem criar catálogos no app; veja como Quem deu a informação foi Matt Idema, diretor de operações do WhatsApp, durante uma entrevista citada pela Reuters. Segundo o executivo, ao conversar com uma empresa que esteja usando os novos serviços de hospedagem (e que, desta forma, possivelmente armazene os históricos de chats em outro lugar fora dos servidores do app), o usuário final do Business será notificado que a proteção criptográfica pode não estar disponível. Hoje, por padrão, toda e qualquer mensagem trocada entre usuários do WhatsApp é protegida por criptografia. Porém, já existem diversas ferramentas profissionais que intermediam o processo de gerenciar um perfil corporativo do WhatsApp Business — as empresas que adotam esse tipo de solução podem acabar sacrificando a infraestrutura de proteção do mensageiro ao colocar mais um ponto no meio da comunicação. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Com os novos recursos de hospedagem, é provável que isso se torne mais comum — daí a vantagem de ter uma notificação sobre o nível de segurança da conversa. O Canaltech entrou em contato com o WhatsApp para confirmar como esses novos alertas funcionarão e atualizaremos esta matéria assim que obtivermos uma resposta. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

Aparelhos Galaxy vão passar a bloquear ligações de spammers automaticamente

canaltech O spam telefônico é um dos problemas mais incômodos da vida moderna. Que atire a primeira pedra quem não se irrita profundamente ao receber uma ligação, atendê-la e perceber que está conversando com um agente de telemarketing (ou pior, com um robô!) sobre algum assunto não-solicitado. Geralmente, os usuários tentam contornar essa questão instalando aplicativos de terceiros como o Truecaller. Brasil é o país que mais sofre com ligações de spam no mundo Como bloquear ligações irritantes no seu celular Android Confira opções de bloqueador de chamadas para Android e iOS Se você for dono de um dispositivo da linha Galaxy, tal instalação deixará de ser necessária em um futuro breve. A Samsung anunciou que, logo mais, seus smartphones serão capazes de identificar e bloquear chamadas indesejadas de forma nativa, graças a uma parceria com a empresa de inteligência Hiya. O único porém é que a funcionalidade só será compatível com gadgets equipados com a interface One UI 2.5 (ou superior). Isso significa que, por enquanto, apenas dois modelos são elegíveis: o Galaxy Note20 e o Galaxy Z Fold 2. A atualização deve chegar em breve para outros telefones, incluindo o Galaxy S20, o Galaxy Note 10 e alguns integrantes da linha A (como o A71 e o A51). Não será necessário mexer em configurações complexas, bastando ligar ou desligar a detecção de spam pelas configurações do app de telefonia. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Ademais, vale lembrar que as boas novas possivelmente também se aplicam ao Brasil. Embora a Samsung não tenha citado especificamente o nosso país, ela garantiu que o recurso estará disponível no lançamento para um total de 40 países da Europa, América do Norte e América do Sul. Segundo um levantamento da Truecaller em dezembro de 2019, o Brasil é o país que mais sofre com spam telefônico. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

Observadores em exoplanetas poderiam detectar bioassinaturas na Terra?

canaltech Há 30 anos, Carl Sagan descreveu a Terra na foto da missão Voyager como um “pálido ponto azul”. Ali, nosso planeta foi registrado a 6 bilhões de quilômetros de distância. Desta vez, uma dupla de astrônomos realizou um estudo onde propõem uma visão diferente da Terra: a partir do ponto de vista dos exoplanetas que existem relativamente perto de nós, qual deles poderia ter identificado a Terra e a vida que existe nela? Exoplaneta a 4,2 anos-luz pode ser mais parecido com a Terra do que imaginamos “Planeta pi”: astrônomos descobrem exoplaneta com período orbital de 3,14 dias O universo pode ter mais exoplanetas potencialmente habitáveis do que pensamos Lisa Kaltenegger, professora de astronomia e diretora do Instituto Carl Sagan e Joshua Pepper, professor de física, identificaram 1.004 estrelas com o catálogo Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS), da NASA, que podem conter planetas semelhantes à Terra em suas zonas habitáveis, onde a água pode existir em estado líquido. Todos os planetas estão a 300 anos-luz da Terra, e estão em localizações que devem permitir detectar os rastros químicos de vida na Terra. “Nós propomos inverter o ponto de vista para o das outras estrelas e perguntamos em quais outros sistemas a Terra seria vista como planeta em trânsito", disse Kaltenegger.   Dizer que um planeta está em trânsito significa que o planeta em questão está passando pela visão que o observador tem de outra estrela — como o Sol, por exemplo —, e pode revelar pistas da composição atmosférica do outro mundo. “Se os observadores estivessem procurando lá fora, eles poderiam encontrar sinais de biosfera na atmosfera do nosso Pálido Ponto Azul", disse ela. "Podemos até ver algumas das estrelas mais brilhantes no nosso céu noturno sem binóculos ou telescópios". -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Observar o trânsito é importante para os astrônomos identificaram planetas de outros sistemas, e o telescópio espacial James Webb, que deverá ser lançado no ano que vem, será essencial para isso. O segredo para identificar esses planetas está no plano da eclíptica da Terra, que é o plano de órbita do nosso planeta à volta do Sol. Então, os exoplanetas que poderiam ver a Terra estariam no mesmo plano, já que eles precisam ser locais em que a Terra pode ser observada cruzando o Sol e, assim, permitindo que os observadores possam saber mais sobre a biosfera terrestre. Pepper ressalta que uma quantidade muito pequena dos exoplanetas estará aleatoriamente alinhada com a linha de visão para que seja possível observar o trânsito deles. "Mas todas as mil estrelas que identificamos na nossa vizinhança poderiam ver a Terra transitando o Sol”, comenta. Mesmo assim, para Kaltenegger, um planeta com uma biosfera vibrante como a da Terra poderia deixar os pesquisadores curiosos sobre se haveria — ou não — algo por lá nos observando de volta. “Acabamos de criar o mapa estelar de onde devemos olhar primeiro”. O artigo com os resultados do estudo foi publicado na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

NASA escolhe empresa privada para buscar água congelada no polo sul da Lua

canaltech Por meio da iniciativa Commercial Lunar Payload Services (CLPS), a NASA selecionou a empresa Intuitive Machines of Houston para levar à Lua, em 2022, seu experimento PRIME-1, que conta com uma broca e um espectrômetro de massa. Para a empreitada, a empresa recebeu a soma de U$ 47 milhões. De acordo com os oficiais da agência espacial, essa será a primeira missão em busca de água congelada no interior do nosso satélite natural. Satélite pequeno como um micro-ondas irá à Lua em 2021; saiba o que ele fará Agência Espacial Europeia cria mapa mostrando onde existe gelo escondido na Lua Robôs movidos a laser poderiam encontrar gelo de água em crateras da Lua A Intuitive Machines utilizará o lander NOVA-C para isso, que levará cerca de 40 kg de carga útil do PRIME-1. "Estabelecer os fundamentos para levar humanos outra vez para a Lua é uma honra incrível e um grande desafio", disse Steve Altemus, CEO da empresa. "Na Intuitive Machines, somos alimentados pela busca dessas missões audaciosas que vão redefinir o que um pequeno negócio pode fazer". Veja a animação abaixo, que demonstra o funcionamento do PRIME-1: -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/-   Com a broca, o PRIME-1 vai realizar uma perfuração de cerca de 1 metro de profundidade na superfície lunar em busca de gelo. O experimento inclui também um espectrômetro de massa, que irá medir quanto gelo da amostra coletada foi perdido durante a sublimação, processo que ocorre no vácuo do ambiente lunar. "O PRIME-1 vai nos fornecer informações importantes sobre os recursos na Lua e como extraí-los", explica Jim Reuter, administrador da NASA. O gelo lunar é um recurso importante para a presença humana na Lua e deverá ser melhor explorado com o programa Artemis, que busca levar a primeira mulher e o próximo homem para lá em 2024. Para Thomas Zurbuchen, administrador associado da NASA para missões científicas, as informações coletadas pelo PRIME-1 e demonstrações de tecnologia e instrumentos científicos serão importantes para um entendimento melhor de como construir a presença lunar sustentável. Uma versão da broca lunar da PRIME-1 e do espectrômetro de massa será usada no rover VIPER, o próximo rover robótico lunar da NASA que deverá ser lançado em 2023. Essa missão também vai voar para o polo lunar em busca de gelo que possa ser importante para futuras missões que aconteçam por lá. O lançamento será feito pela Astrobotic. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

Boston Dynamics vai começar a vender braços para seus cachorros robóticos

canaltech A Boston Dynamic começou, no meio deste ano, a vender seus Spot, os já conhecidos cachorros-robôs da companhia. Agora, a empresa se prepara para adicionar um acessório a eles: braços mecânicos.  Spot, cão-robô da Boston Dynamics, vai ajudar produtora norueguesa de petróleo Com aquisição de startup, Boston Dynamics compra um cérebro melhor para robôs Boston Dynamics quer produzir mil robôs SpotMini por ano Até o momento, a Boston informou que 250 empresas e unidades de pesquisa já compraram um robô vendido por ela desde junho. Com isso, recebeu o retorno de que a maioria sente falta de um braço ou algo que possa pinçar objetos. Assim, ela já planeja um kit de acessórios para o ano que vem. Em um vídeo divulgado anteriormente, a companhia já mostrava que o braço seria posicionado perto de onde se pode identificar como a “cabeça” do Spot. Veja: -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.-   Com isso, o robô se torna capaz não somente pinçar objetos, como também de usar o braço para se movimentar. Em um dos exemplos, o Spot se apoia para conseguir levantar de uma queda. Segundo a empresa, o braço não será somente um acessório mecânico, mas vai contar com sensores e uma interface própria que converse com o sistema automatizado da Boston.  A expectativa é de que o novo braço do Spot chegue ao mercado em janeiro do ano que vem, ainda sem preço divulgado. Contudo, a companhia já conta com kits extras que variam de US$ 1.600 para carregadores, até US$ 34 mil para câmeras e outros aparelhos.  A Boston Dymanics ainda não tem planos para vender seus Spots para uso doméstico, até porque seria necessário ter, pelo menos, US$ 75 mil sobrando para isso. Quem aqui tem R$ 400 mil apostar nesta brincadeira, não é mesmo? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Huawei apresenta a linha Mate 40 com tudo o que tem de melhor; será o bastante? iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

Moto G9 Plus e Moto G9 Play: O QUE mudou neles?

canaltech Testamos parte dos recursos mais legais dos Moto G9 Plus e Moto G9 Play, utilizando suas câmeras, jogando e tudo mais. Nessa série de experiências, conseguimos ver a diferença da linha G9 para os Moto G anteriores. Assista ao vídeo. Veja Mais

Grêmio x América de Cali: onde assistir à Libertadores na internet

canaltech Grêmio entra em campo hoje (22) para encerrar a sua participação na fase de grupos na Copa Libertadores da América. O tricolor gaúcho segue firme na busca pelo quarto título continental e, nesta quinta, enfrenta o América de Cali jogando em casa. Crítica | Alex Câmera 10 é um relato genial sobre a despedida de um gênio NFL está de volta! Saiba como assistir à liga de futebol americano Crítica | Futebol Arte é um retrato saudoso e real da Seleção de 1982 Já classificado o time comandado por Renato Gaúcho pode garantir o primeiro lugar do grupo mesmo com uma derrota — para isso, basta que o Internacional não vença o seu duelo contra o Universidad Católica. Onde assistir Grêmio x América de Cali de graça na internet O jogo entre Grêmio e América de Cali terá transmissão gratuita direto da página da Conmebol no Facebook. Para conferir, basta acessar este link — o jogo começa às 21h30, mas a transmissão estará disponível uma hora antes, às 20h30. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Quem levará a melhor na disputa? O Grêmio confirma o favoritismo e o primeiro lugar ou o América de Cali vai surpreender? Deixe a sua opinião nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja Mais

Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica

canaltech Anunciado em julho deste ano como um dos smartphones 5G mais acessíveis do continente europeu, o Moto G 5G Plus chegou ao Brasil nesta quinta-feira (22) em parceria da Motorola com a operadora Claro e com a promessa de democratizar a nova geração da rede móvel em território nacional. O lançamento mistura características das linhas Moto G e Edge, mas traz suas particularidades. Moto E7 Plus vs Moto E6 Plus: o que muda de uma geração para outra? Moto G9 Plus vs Moto G8 Plus: o que muda de uma geração para outra? Motorola prepara mais um celular 5G com preço acessível, afirma site Tela de cinema e câmeras inéditas Assim como o intermediário premium Motorola Edge, o Moto G 5G Plus é equipado com uma tela Full HD+ (2.520 x 1.080 pixels) de 6,7 polegadas e taxa de atualização de 90 Hz, que promete animações na tela e conteúdos compatíveis mais fluidos. Para baratear o aparelho, a Motorola optou pelo painel IPS LCD, teoricamente inferior ao OLED, mas conta com suporte ao padrão HDR10 para fornecer cores mais vivas mesmo sob a luz do sol. Em vez de notches ou mecanismo retrátil para a câmera frontal, o Moto G 5G Plus utiliza dois furos na tela para as câmeras de selfies. É uma solução curiosa e, à primeira vista, um pouco estranha, mas não deve ser empecilho na hora de assistir a filmes e séries com o smartphone, ainda mais devido ao seu formato mais esticado (20,5:9). -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Motorola G 5G Plus tem duas câmeras frontais, o primeiro celular da marca com a novidade (Foto: Divulgação/Motorola) Por falar em selfies, o Moto G 5G Plus traz uma câmera principal de 16 MP com tecnologia Quad Pixel, que praticamente une quatro fotos em uma para fornecer até 4x mais sensibilidade em ambientes com baixa luminosidade. Já o segundo sensor com lente ultra grande-angular de 8 MP é suficiente para dar adeus ao famoso “pau de selfie”, já que permite capturar um campo de visão maior do que os sensores tradicionais. Na parte traseira, o novo celular da Motorola conta com um módulo em formato de peça de dominó que agrupa quatro câmeras. A principal tem 48 MP e traz a tecnologia Quad Pixel da Motorola, seguida por uma ultra grande-angular de 8 MP, uma macro de 5 MP e um sensor de profundidade, este com apenas 2 MP. As configurações são levemente inferiores às do Moto G9 Plus, embora conte com um lente macro de maior qualidade. Conjunto fotográfico é levemente inferior ao do Moto G9 Plus (Foto: Divulgação/Motorola) Especificações de respeito Por dentro, o Moto G 5G Plus é equipado com o processador Snapdragon 765 da Qualcomm, o mesmo do Motorola Edge 5G, que tem como principal diferencial o suporte ao 5G. Em parceria com a operadora Claro, a Motorola promete entregar o 5G DSS no Brasil, tecnologia que permite o compartilhamento das frequências do 4G LTE com os usuários de 5G, além da faixa sub-6GHz quando estiver disponível por aqui. 5G DSS | O que é e como funciona a "nova geração" da rede disponível no Brasil O chip intermediário premium trabalha com 8 GB de memória RAM, um aumento de 2 GB em relação à versão vendida na Europa, e 128 GB de espaço interno, expansíveis via cartão de memória para até 512 GB. O smartphone é alimentado por uma bateria de 5.000 mAh que promete até dois dias de uso, além de recarga com fio de 20 W — com adaptador de tomada incluso na caixa, frisou a Motorola. Com foco nos gamers de plantão, o celular oferece o recurso Gametime, que promete uma experiência mais imersiva e fluida para jogos, pois bloqueia interrupções e conta com acesso fácil a apps e ferramentas que aprimoram o desempenho dos games. O Moto G 5G Plus sai de fábrica com sistema operacional Android 10, infelizmente com promessa de atualização apenas para o Android 11. Entre as novidades da interface da Motorola está o popular Moto Ações e o recurso My UX, que permite modificar estilo e cor de ícones. O leitor de impressões digitais se encontra na lateral do aparelho, e a empresa reforçou a compatibilidade com a tecnologia por aproximação NFC. Preço e disponibilidade Em parceria com a Claro, o Moto G 5G Plus estará disponível a partir do dia 22 de outubro e será vendido exclusivamente pela operadora, além do site oficial da Motorola e nas MotoStores, localizadas nos principais shoppings do país. Seu preço é de a partir de R$ 2.999 na versão com 8 GB de memória RAM, 128 GB de armazenamento e suporte a rede 5G DSS da Claro. Motorola Moto G 5G Plus: ficha técnica Tela: 6,7 polegadas, Full HD+, taxa de atualização de 90 Hz, HDR10, formato 20,5:9; Chipset: Qualcomm Snapdragon 765; Memória RAM: 8 GB; Armazenamento interno: 128 GB; Câmera traseira: quádrupla, 48 + 8 + 5 + 2 megapixels (principal + grande-angular + macro + sensor de profundidade); Câmera frontal: dupla, 16 + 8 megapixels (principal + grande-angular); Bateria: 5.000 mAh, recarga com fio de 20 W; Dimensões: 168,3 x 74 x 9,7 mm; Peso: 207 gramas Cores disponíveis: azul; Extras: leitor de digitais na lateral, NFC, 5G DSS, 5G sub-6GHz; My UX, Moto Ações; Sistema operacional: Android 10. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Netflix revela quais são as séries e os filmes mais populares do catálogo Veja Mais

Velozes e Furiosos 11 será o último da franquia

canaltech Quase 20 anos depois do lançamento do primeiro filme, a franquia Velozes e Furiosos chegará ao fim. De acordo com o Deadline, a Universal Pictures está planejando encerrar a série depois do 11º filme. Não é rumor! Velozes e Furiosos 9 terá cenas no espaço Velozes e Furiosos 9 e 007 são adiados mais uma vez; veja nova data de estreia Há informações de que os estúdios estão em negociações com Justin Lin para dirigir os dois próximos capítulos da história de ação automobilística. O cineasta dirigiu os últimos cinco Velozes e Furiosos, além de ter créditos na produção de alguns filmes da saga. Segundo o Deadline, o projeto ainda está em fase de pré-produção, mas já conta com Vin Diesel, Michelle Rodriguez, Tyrese Gibson, Chris "Ludacris" Bridges, Jordana Brewster, Nathalie Emmanuel e Sung Kang no elenco. Ainda não se sabe se Dwayne Johnson, que estrelou o spin-off Hobbs & Shaw, voltará para os capítulos finais. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Velozes e Furiosos 9 tem previsão de estreia para maio de 2021 (Imagem: Divulgação / Universal Pictures) Acumulando US$ 5,7 bilhões nas bilheterias globais, Velozes e Furiosos consagrou-se como o maior sucesso dos estúdios da Universal em, até então, 12 filmes lançados, contando com o futuro F9, o spin-off e os dois curta-metragens.  Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Velozes e Furiosos 9, ou apenas F9, como sugere o título oficial, está previsto para lançar nos cinemas no dia 28 de maio de 2021. Devido à pandemia mundial da COVID-19, a estreia foi adiada um ano após o planejado. Ainda não há previsão de início das filmagens do penúltimo e último Velozes e Furiosos. Oito filmes da franquia estão disponíveis no catálogo do Telecine, alguns também podem ser encontrados na Netflix. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Netflix revela quais são as séries e os filmes mais populares do catálogo Veja Mais

Carros elétricos e híbridos plug-in serão um terço do mercado em 10 anos

canaltech Que os carros eletrificados vão, daqui a uns bons anos, dividir o espaço em pé de igualdade com veículos a combustão não há muitas dúvidas. Com a popularização e maiores investimentos neste tipo de motorização, a tendência é que os custos diminuam e mais pessoas possam adquirir esses carros para uso pessoal. Mas, segundo a Deloitte, essa realidade pode estar mais próxima do que imaginávamos. Audi e-Tron: passamos um dia com o primeiro SUV 100% elétrico da marca O Brasil está preparado para os carros elétricos? Hands-On | BMW i3 2020 mostra que carros elétricos podem ser divertidos Um estudo feito pela consultoria revela que, em 10 anos, carros elétricos e híbridos plug-in serão 32% da frota mundial, ou seja, um terço dos carros circulando nas ruas pelo mundo serão zero emissão. Os dados da pesquisa intitulada "Veículos elétricos, traçando um caminho para 2030" revelam, ainda, que 81,7% dos veículos serão totalmente elétricos, já os 18,3% restantes serão do tipo híbrido plug-in. Traduzindo em números, teremos por volta de 25,3 milhões de carros 100% elétricos e 5,8 milhões de híbridos plug-in. Para ajudar um pouco na compreensão do que são esses carros, que já passaram aqui pelas análises do Canaltech, é bem simples. Carros 100% elétricos são modelos como o Renault Zoe, o Nissan Leaf ou o Chevrolet Bolt, que não dependem de outra fonte de energia para funcionarem. Já os híbridos plug-in, como o Volvo XC40 Hybrid, o Volkswagen Golf GTE e o Mini Cooper Countryman S E, são carros que possuem motores à combustão, mas que têm uma enorme ajuda de propulsores elétricos, que podem ter suas baterias recarregadas do mesmo modo que os veículos zero emissão. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Híbridos Plug-In são alternativa mais plausível para o Brasil/ Imagem: Matheus Argentoni/ Canaltech No Brasil, é mais comum vermos carros como o Toyota Corolla Hybrid ou o Toyota Prius, que são híbridos leves, ou seja, não precisam ser espetados em um carregador para terem suas baterias recarregadas. Há, também, uma demanda crescente por híbridos plug-in, que já são negociados por montadoras como Volvo, BMW, Audi e, em breve, a Jeep, que trará os novos Renegade e Compass com essa tecnologia. Enquanto não há infraestrutura para abraçarmos os elétricos de vez, híbridos leves e plug-in parecem ser a melhor opção se pensarmos no mercado nacional. China, Europa e Estados Unidos à frente Segundo a Deloitte, a China será o principal mercado para os veículos elétricos em 2030. O estudo aponta que o gigante asiático vai concentrar 48% de toda a frota, enquanto a Europa, que hoje é a praça que mais vende carros desse tipo, terá algo na casa dos 27%, e os Estados Unidos com 14%. Não há menção sobre o Brasil no estudo da Deliotte, mas podemos ter uma noção com base no que acontece hoje. Segundo dados da FENABRAVE, não há nenhum carro elétrico entre os 100 mais vendidos do país em setembro de 2020. Sobre os híbridos, não há um dado específico, pois, com exceção ao Prius, existem versões à combustão dos mesmos carros e eles aparecem em meio aos emplacamentos gerais, como acontece com Corolla, XC40, XC60, entre outros. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Netflix revela quais são as séries e os filmes mais populares do catálogo Veja Mais

Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda

canaltech Conforme anunciado pelo Google inúmeras vezes, o Google Play Música deixou de funcionar nesta quinta-feira (22). O serviço já tinha sido desativado em alguns países nas últimas semanas e agora parece ter chegado ao fim definitivamente. Como transferir músicas do Google Play Music para o YouTube Music Spotify ou YouTube Music: qual streaming é melhor para você? Ao abrir o aplicativo no celular, a tela inicial é substituída por um aviso de que o serviço não está mais disponível. O texto da mensagem lembra que é possível transferir músicas e playlists para a biblioteca do YouTube Music e gerenciar os dados da conta, usando um link para a web. Aplicativo não oferece mais acesso às músicas e sugere o YouTube Music (Imagem: Rubens Eishima/Canaltech) Ao acessar o Google Play Música pelo navegador no desktop, a página do serviço exibe uma mensagem semelhante, oferecendo opções para baixar músicas enviadas para o serviço, excluir o histórico de recomendações e a biblioteca de músicas. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Acesso pelo navegador também foi desativado (Imagem: Rubens Eishima/Canaltech) Segundo o Google, os usuários terão até dezembro para usar a ferramenta de migração para o YouTube Music ou baixar suas músicas. E aí, você já transferiu a sua biblioteca do Google Play Music para o YouTube Music? Saiba como fazer o processo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Netflix revela quais são as séries e os filmes mais populares do catálogo Veja Mais

Como transferir dinheiro no PayPal

canaltech O PayPal (Android | iOS | Web) pode ser a escolha que faltava em seu negócio. Usuários da plataforma, podem abrir uma conta para gerenciar e receber pagamentos online de maneira totalmente gratuita, assim, a plataforma se torna uma boa alternativa para receber pagamentos na internet. Como cadastrar e usar um cartão de débito no PayPal pelo celular Como adicionar saldo em sua conta do PayPal Como pagar jogos da Steam com sua conta PayPal Atualmente muitos serviços utilizam o PayPal como método de pagamento. Além disso, você também pode utilizar o PayPal como uma carteira digital, sendo possível realizar transferências de valores com ausência de taxas. O que é o PayPal? Saiba tudo sobre a plataforma de pagamentos Como usar o PayPal para pagar corridas no Uber Como usar o PayPal no Uber Eats A seguir em nossa matéria aprenda como transferir dinheiro no PayPal. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Como transferir dinheiro no PayPal Passo 1: ao acessar sua conta no PayPal, clique em "Transferir saldo"; Clique em "Transferir saldo" - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Passo 2: em seguida, será necessário adicionar para qual conta ou cartão a transferência será realizada, toque em "Adicionar um banco" e depois em "Avançar"; Clique em "Adicionar um banco" - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Passo 3: insira os dados referentes a conta na qual a transferência será enviada, depois clique em "Concordar e adicionar"; Clique em "Concordar e adicionar" - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Passo 4: então selecione a conta adicionada e toque em "Avançar"; Selecione a conta adicionada - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Passo 5: logo após, insira o valor de sua transferência, então clique em "Avançar"; Insira qual será o valor de sua transferência - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Passo 6: então basta revisar as informações de sua transferência e caso esteja tudo certo, clique em "Transferir R$ [X] agora"; Clique em "Transferir R$ [X] agora" - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Passo 7: por fim, sua transferência terá sido realizada com sucesso. Então sua transferência terá sido realizada com sucesso - (Captura: Canaltech/Felipe Freitas) Pronto! Agora você sabe como transferir dinheiro no PayPal. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

Among Us com Alexandria Ocasio-Cortez reúne quase 450 mil usuários na Twitch

canaltech A Twitch deixou há tempos de ser somente uma plataforma de exibição de jogatinas para ser também um ambiente de streaming ao vivo para diversos outros eventos. Tanto é que vários políticos norte-americanos vêm usando o serviço para promover seus comícios e planos de governo. E eis que a deputada democrata Alexandra Ocasio-Cortez, que costuma usar abordagens mais próximas de seus jovens eleitores, decidiu usar um game popular em uma mistura de campanha política com live. E o resultado deu certo: sua participação em uma sessão de Among Us reuniu quase 450 mil espectadores. Deputada novaiorquina “frita” Zuckerberg em audição no Congresso dos EUA DC anuncia nova HQ com Beyoncé (e outras mulheres reais) como Mulher-Maravilha Among Us | Como explicar o sucesso dois anos depois do lançamento? O objetivo de Ocasio-Cortez era encorajar os eleitores estadunidenses a planejar sua votação para as próximas eleições presidenciais dos Estados Unidos. A transmissão inaugural desse projeto teve um pico de 439 mil espectadores, tornando-a a política mais assistida na plataforma de jogos até o momento, conforme relatado pela empresa de dados Stream Hatchet. Last night, @AOC hopped on @Twitch for the first time to play Among Us with popular streamers like @pokimanelol, @TSM_Myth, @hasanthehun and more!Her inaugural stream produced a peak of 439K viewers - by far the highest ever peak of any politician on the platform! pic.twitter.com/uFH7qx2yIY -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- — Stream Hatchet (@StreamHatchet) October 21, 2020 Durante a sessão, a Ocasio-Cortez jogou com uma variedade de streamers da Twitch, incluindo o popular streamer Myth, que também lembrou aos seus quase sete milhões de seguidores na Twitch e outros 2,3 milhões de fãs no Twitter para votarem na próxima eleição. Thank you so much for joining, Myth! I’m so excited this is your first time voting!I had a blast. Thanks @IlhanMN, @pokimanelol, @hasanthehun, @DisguisedToast, @mxmtoon, @Jack_Septic_Eye, @Hbomberguy, @DrLupo, @Valkyrae, @Gusbuckets, @Corpse_Husband, @MoistCr1TiKaL & @israhirsi https://t.co/L02lZwWpjz — Alexandria Ocasio-Cortez (@AOC) October 21, 2020 Ocasio-Cortez aproveitou para discutir questões sociais, como saúde, e essa conversa também alcançou o Twitter, com Brennan Murphy compartilhando o trecho da jogatina em que a congressista discute a diferença entre saúde gratuita e privada com seus seguidores. AOC talks healthcare with @Hbomberguy, who is from the UK, where healthcare is free. pic.twitter.com/3wMUZXpuF7 — Brennan Murphy (@brenonade) October 21, 2020 Bem, independente de posicionamento político, todos os eleitores e rivais têm que elogiar Ocasio-Cortez: em vez de usar as plataformas digitais e redes sociais para espalhar fake news, ela usou sua popularidade junto a de um game do momento para posicionar suas ideias em um serviço de streaming amplamente utilizado por sua base eleitoral. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

Tesla supera expectativas e apresenta quinto trimestre consecutivo de lucros

canaltech A Tesla divulgou nesta quarta-feira (21) seus resultados financeiros relativos ao terceiro trimestre de 2020. E as notícias foram boas: além de apresentar lucros pelo quinto trimestre consecutivo, a montadora elétrica apresentou os três meses mais lucrativos da sua história e segue firme para atingir seu primeiro ano no azul. Carro da Tesla com traje espacial da SpaceX fez sua 1ª aproximação com Marte Tesla diz que pode baratear custos de bateria sem perder qualidade; como? Tesla | Hacker revela que câmeras dos carros monitoram hábitos do motorista Em apresentação ao mercado, a empresa registrou ganhos de US$ 0,76 por ação nos três meses que terminaram em 31 de setembro, além de receitas de US$ 8,77 bilhões. Esses números superaram a expectativa de analistas de Wall Street ouvidos pela Bloomberg. Eles esperavam US$ 0,55 de lucro por ação e US$ 8,26 bilhões em receita. Tesla apresentou o melhor resultado trimestral da sua história (Imagem: CNBC) A Tesla também revelou que ganhou US$ 397 milhões com a venda de créditos fiscais regulatórios para outras montadoras. Essas vendas vêm aumentando nos últimos anos e representam grande porcentagem das margens de lucro da empresa. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Energia solar Energia solar e armazenamento, uma grande parte da recente apresentação da Tesla aos investidores em seu "Battery Day", realizado em setembro, também registraram ganhos substanciais nos últimos trimestres. A empresa disse que implantou 57 megawatts (MW) de equipamentos de geração solar, um aumento de 33% em relação ao ano anterior. Os pacotes de armazenamento de energia tiveram um aumento de 59% ano a ano, para 759 MWh. "Continuamos a ver um interesse crescente em nossos carros, armazenamento e produtos solares e continuamos focados na eficiência de custos, enquanto aumentamos a capacidade o mais rápido possível", disse a empresa em um comunicado à imprensa. Em uma teleconferência com investidores e analistas que acontecerá ainda nesta quarta-feira, Elon Musk, cofundador e CEO da Tesla, junto com outros executivos, provavelmente serão questionados sobre seu plano para atingir 500 mil entregas de automóveis este ano. Em setembro, a montadora disse que vendeu 139 mil carros este último trimestre. Para atingir a meta de meio milhão, que reafirmou na divulgação do balanço, a empresa precisará entregar 181 mil nos últimos três meses do ano - um ganho de 30% em relação ao terceiro trimestre. Elon Musk: o CEO da Tesla será questionado sobre a capacidade de entregar 500 mil carros da marca até o final de 2020 (Imagem:JD Lasica / Wikimedia) "Embora atingir essa meta tenha se tornado mais difícil, entregar meio milhão de veículos em 2020 continua sendo nossa meta", disse o comunicado da Tesla. "Alcançar essa meta depende, principalmente, de aumentos trimestre a trimestre na produção do Modelo Y e também em nossa fábrica em Xangai, bem como melhorias adicionais na logística e eficiência de entrega em níveis de volume mais altos." Outro desafio da Tesla passa em encontrar esse crescimento em um mercado cada vez mais congestionado de veículos elétricos. A Volkswagen revelou planos para vender um modelo do gênero para o mercado de massa, com um alcance ligeiramente menor do que o Modelo 3, da Tesla, a um preço mais barato. E no segmento de luxo, uma série de carros esportivos movidos a bateria e SUVs de alto desempenho devem chegar ao mercado nos próximos anos, oferecendo novas opções para consumidores adeptos de práticas ecológicas e, claro, com um bolso recheado. O preço das ações da empresa subiu cerca de 3% no final do pregão após a divulgação dos resultados. Os papeis da montadora subiram quase 400% este ano, com os investidores clamando por uma parcela do crescimento da Tesla na forma de distribuição de dividendos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

Coringa desprezado de Jared Leto estará no Snyder Cut da Liga da Justiça

canaltech Como todos os fãs de filmes de super-heróis sabem, Zack Snyder finalmente conseguiu o sinal verde para realizar seu tão sonhado corte de Liga da Justiça — inclusive com um aporte milionário de US$ 30 milhões da WarnerMedia para ser finalizado como série de quatro episódios no HBO Max em 2021. Com grana a mais, o diretor vem realizando novas gravações, inclusive com Gal Gadot e Ben Affleck, que retornam como Mulher-Maravilha e Batman, respectivamente; e, possivelmente, Ray Fisher, o Ciborgue. Agora, novas informações dão conta de que o insistente — além de polêmico e desprezado — Coringa de Jared Leto também fará parte do longa. Zack Snyder responde a críticas sobre "momento Martha" em Batman vs Superman Zack Snyder prefere explodir Liga da Justiça a usar filmagens de Joss Whedon 6 mudanças que o trailer do Snyder Cut já traz em relação a Liga da Justiça De acordo com o Hollywood Reporter, Jared Leto viverá a mesma versão que apresentou no Esquadrão Suicida de David Ayer, de 2016. Ele deve se juntar aos outros atores nas regravações previstas para acontecer este mês. Por enquanto não há muitas informações sobre o que isso representará na trama de Zack Snyder’s Justice League, como é chamado oficialmente o Snyder Cut da Liga da Justiça. Imagem: Reprodução/Warner Bros Entre as novidades já confirmadas estão novos visuais e designs de produção, personagens e sequências excluídos da versão de Joss Whedon, participação efetiva de Darkseid como vilão, entre outras coisas. É bem possível que Snyder aproveite a oportunidade de concluir algumas subtramas apresentadas em Homem de Aço e Batman vs Superman: A Origem da Justiça. E mais tomadas com o Batman e o Coringa podem deixar tudo ainda mais interessante. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Assine Amazon Prime por R$ 9,90/mês e ganhe frete grátis, catálogo de filmes e séries que compete com a Netflix, livros, músicas e mais! Teste 30 dias grátis! Por enquanto, não há uma previsão de estreia, mas a expectativa é de que Zack Snyder’s Justice League chegue ao HBO Max nos primeiros meses de 2021. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

Netflix revela quais são as séries e os filmes mais populares do catálogo

canaltech Você já se perguntou se a série que você mais gosta também é a favorita de outra pessoa? No último relatório de lucros da Netflix, a empresa anunciou as atrações mais populares da plataforma. Embora os números não sejam exatos, já dá pra ter uma ideia quais são os títulos do catálogo que fazem mais sucesso entre os assinantes — principalmente porque a companhia não costuma divulgar os dados de audiência. O relatório divide o ano em quartos, portanto, a análise desse relatório refere-se ao terceiro quarto de 2020, ou seja, o período entre o dia 1º de julho e 30 de setembro. O título de maior sucesso da Netflix nesse período foi The Old Guard, estrelado por Charlize Theron, que foi reproduzido por 78 milhões de lares nas primeiras quatro semanas de acordo com o documento. Atrás dele, Enola Holmes e A Barraca do Beijo 2, impactando 76 milhões e 66 milhões de lares, respectivamente. Leia nossas críticas: -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- The Old Guard depende muito da disposição do espectador Enola Holmes mostra que Sherlock não é o único detetive da família A Barraca do Beijo 2 peca pelo excesso de tempo e arcos coadjuvantes Queridinho dos assinantes: The Umbrella Academy foi uma das séries mais assistidas da Netflix entre julho e setembro (Imagem: Divulgação / Netflix) Nas séries, a segunda temporada de The Umbrella Academy acumulou 46 milhões de famílias nos 28 primeiros dias desde o lançamento, enquanto a última temporada de Lúcifer foi assistida por 38 milhões no mesmo período. Outra série de muito sucesso foi Ratched, estrelada por Sarah Paulson e desenvolvida por Ryan Murphy. A produção baseada em Um Estranho no Ninho atingiu 48 milhões de lares nas primeiras quatro semanas, embora não tenha agradado tanto a crítica especializada. Por outro lado, a bem-avaliada Cobra Kai foi assistida por 50 milhões de lares no mesmo período. The Umbrella Academy acerta na construção divertida de heróis imperfeitos Ratched é a pura essência de Ryan Murphy, mas engana como prequela Cobra Kai adapta o melhor do caratê dos anos 1980 para a atualidade O Dilema das Redes, que tem gerado enorme discussão nas redes sociais, foi assistido por 38 milhões de famílias. A Maldição da Mansão Bly, nova série de terror da Netflix, é uma das promessas para o próximo relatório de lucros da empresa (Imagem: Divulgação / Netflix) Mas não para por aí: 2020 ainda não acabou, assim como os lançamentos originais da Netflix. Assim como adiantado pelo co-CEO Ted Sarandos em uma entrevista, a empresa se garante com produções originais até o final do ano, e esclarece que a paralisação do setor de entretenimento devido à pandemia de COVID-19 não afetou os projetos planejados até dezembro. A plataforma possui muito conteúdo em andamento. Como o mês de outubro é dedicado ao Dia das Bruxas, a Netflix está apostando em conteúdo sobre a temática, disponibilizando séries como A Maldição da Mansão Bly e o filme com Adam Sandler, O Halloween do Hubie. De acordo com o Gamespot, a empresa espera que esses dois títulos sejam de muito sucesso entre os assinantes. A Maldição da Mansão Bly cria horror com responsabilidade psicológica O Halloween do Hubie não é o pior filme com Adam Sandler O ano ainda não acabou! The Crown está chegando com sua 4ª temporada (Imagem: Divulgação/Netflix) Enquanto isso, vale lembrar que a 4ª temporada de The Crown está chegando, além do filme natalino The Christmas Chronicles 2, do diretor Chris Columbus e Mank, novo filme de David Fincher. Outras séries que anteriormente foram paralisadas por conta do período de distanciamento social voltaram às filmagens, embora as previsões de lançamento estejam mais distantes justamente por conta da pausa. É o caso de Sex Education, The Witcher, You, Elite, Stranger Things entre muitas outras. Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! Mas como nem tudo é boa notícia, vale lembrar que muitas séries foram canceladas este ano, algumas justamente por conta dos prejuízos causados pela pandemia. GLOW, I am not okay with this, The society e o mais recente cancelamento Away são algumas produções que compõem essa triste lista. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Celular robusto Samsung Galaxy XCover Pro é lançado no Brasil por R$ 2,8 mil O céu (não) é o limite | Enorme tubo de lava descoberto em Marte, e muito mais! Windows 10 October Update: confira todas as novidades da nova versão Primeiro celular compatível com carregador sem fio da Apple não é um iPhone Supercomputador mostra como o coronavírus se espalha em mesa de restaurante Veja Mais

Startup desenvolve "versão mini" de animais robôs da Boston Dynamics

canaltech O "cão-robô" Spot, desenvolvido pela Boston Dynamics, constantemente surpreende – e assusta – na internet com suas habilidades motoras e capacidade de movimentação. Caso você queira ter uma versão desse robô que caiba na palma de sua mão, isso é possível. A startup Petoi criou o Bittle, um pequeno cão-robô que se movimenta de forma autônoma e que pode realizar diferentes ações. Oito perguntas sobre: Inteligência Artificial na educação Plataforma de IA corporativa da NVIDIA bate novos recordes de desempenho Duplex | IA do Google já consegue agendar corte de cabelo sozinha O robô é desenvolvido em código aberto e modelado com peças encaixáveis feitas em impressão 3D: a montagem completa leva, em média, uma hora. Além de possuir um formato muito parecido com o Spot, o Bittle vem acompanhado de uma cabeça de plástico para deixá-lo mais simpático. Depois de montado, o robô pode ser ativado ao baixar os códigos de demonstração pelo GitHub.   O objetivo do Bittle é criar uma opção acessível, reduzindo as barreiras técnicas e financeiras para quem deseja estudar e aprender com esses robôs. Além da estrutura original, é possível aplicar novos módulos e sensores, como uma placa Raspberry Pi e outros chips de inteligência artificial. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- O projeto é liderado pelo cientista da computação chinês Rongzhong Li e foi adicionado para crowdfunding na plataforma Indiegogo. Com meta inicial de US$ 50 mil no Kickstarter, o projeto já acumulou mais de U$ 580 mil – cerca de R$ 3,2 milhões em conversão direta. Em pré-venda, cada kit custa US$ 250 e o produto tem previsão de envio a partir de janeiro de 2021. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses Hacker misterioso “Eris Loris” está arruinando milhares de partidas de Among Us Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos Stranger Things | Fotos revelam o exato ano em que acontece a 4ª temporada Saiba quais são os melhores processadores de celular em 2020 Veja Mais

Novo sensor do iPhone 12 Pro permitirá medir a altura das pessoas

canaltech A presença de um sensor LiDAR foi uma das grandes novidades nas câmeras do iPhone 12 Pro e iPhone 12 Pro Max. Esse tipo de sensor facilitará a medição da distância de objetos e pode ser muito útil para uso de realidade aumentada. Além disso, foi revelado que esse recurso também conseguirá medir, com precisão, a altura das pessoas. Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos O que muda nas câmeras dos novos iPhone 12, 12 mini, 12 Pro e 12 Pro Max? Certificação do iPhone 12 Pro Max revela bateria menor do que a do 11 Pro Max Através do app Medida (iOS), que transforma o aparelho em uma fita métrica, será possível posicionar a câmera para medir a altura de uma pessoa em poucos segundos. De acordo com a Apple, o cálculo pode ser feito até se a pessoa estiver sentada em uma cadeira. Há, ainda, a possibilidade de tirar uma foto com a sinalização da altura e compartilhar. Para isso, basta abrir o aplicativo, apontar a câmera de uma forma que a pessoa apareça da cabeça aos pés. Depois de um tempo, uma linha será exibida com a altura. Exemplo do uso de sensor LiDAR para medir altura (Imagem: Divulgação/Apple) Esse recurso só estará disponível em dispositivos da Apple com o sensor LiDAR. Atualmente, os modelos disponíveis são o iPad Pro 11 polegadas (2ª geração), IPad Pro 12,9 polegadas (4ª geração), iPhone 12 Pro e iPhone 12 Pro Max. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses Hacker misterioso “Eris Loris” está arruinando milhares de partidas de Among Us Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos Stranger Things | Fotos revelam o exato ano em que acontece a 4ª temporada Saiba quais são os melhores processadores de celular em 2020 Veja Mais

O que fazer antes de trocar o PlayStation 4 pelo PlayStation 5?

canaltech A nova geração está chegando e a ideia na cabeça de muita gente é: devo vender meu console usado? Seja como forma de recuperar parte do valor e o investir em uma nova plataforma, se desfazer de um aparelho que não será mais usado ou apenas liberar espaço na prateleira, algumas medidas importantes podem ser seguidas na hora de trocar o seu bom e velho PlayStation 4 por um PlayStation 5 novinho. Vale a pena trocar o PlayStation 4 pelo PlayStation 5? Por dentro do PlayStation 5: conheça todos os componentes do videogame PlayStation 5 ou Xbox Series X e S: qual comprar? PlayStation 5: saiba tudo sobre o novo console da Sony Mais do que apenas uma opção financeiramente interessante, realizar certos passos antes de passar o vídeo game adiante pode ser uma medida de segurança. Afinal de contas, ainda que o console seja voltado para a diversão, ele também pode carregar dados pessoais, perfis de usuário, informações bancárias e demais elementos que você pode não querer que passeiem livremente por aí. Para quem está pensando em comprar o PlayStation 5, vender o PS4 pode ser uma boa opção — mas alguns cuidados precisam ser tomados antes disso (Imagem: Divulgação/Sony) Os passos são poucos e relativamente simples, mas importante para uma troca tranquila. Confira, então, o que você precisa fazer antes de vender o PS4 para comprar um PlayStation 5. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Faça backups de jogos e dados salvos De acordo com informações da Sony, 99% dos títulos lançados no PlayStation 4 rodarão normalmente no PS5. Isso vale tanto para os games digitais, comprados pela loja do console, quanto para aqueles em disco — desde que, claro, você opte pelo console de nova geração com drive de Blu-Ray. Continuar a jogatina na plataforma que chega em novembro é praticamente garantido, mas você não quer perder seus saves nessa mudança. Sendo assim, é importante realizar o backup dos dados salvos no HD de seu console atual, de forma que eles possam ser transferidos para o PS5. No lançamento, o novo console terá uma opção de migração de saves pelo Wi-Fi, mas caso você queira realizar esse processo antes, pode usar um pen-drive ou HD externo, conectado a uma das portas USB frontais do vídeo game. No menu de configurações, acesse a opção “Gerenciamento de dados salvos do aplicativo” e, na sequência, “dados salvos no armazenamento do sistema”. Depois, selecione “Copiar para armazenamento USB”. Após algum tempo de carregamento, você terá acesso à lista com todos os saves disponíveis, basta selecionar os que deseja copiar (ou todos, apertando o botão Options, no controle, “Selecionar vários aplicativos” e, depois, “Selecionar tudo”. O processo é finalizado com o botão “Copiar” e o tempo varia de acordo com a quantidade de informações salvas. Um processo semelhante também vale para jogos salvos no disco rígido, apesar de ainda não sabermos se esse tipo de transferência vai funcionar de PS4 para PlayStation 5, como funciona hoje entre dois consoles da mesma geração. Na dúvida, e se quiser tentar economizar algum tempo de download, acesse a opção “Sistema” do menu de configurações, e em seguida, escolha “Fazer backup e restaurar”. Na opção “Fazer backup do PS4”, você terá acesso a todos os dados disponíveis, incluindo os saves descritos na opção anterior. Escolha o que deseja copiar (os jogos são categorizados como “Aplicativos”) e complete o processo, que também leva mais ou menos tempo de acordo com a quantidade de informações. Apague perfis de usuário Todo jogador de PS4 tem um perfil, que serve tanto para acompanhar o progresso nos jogos com troféus e dados salvos, no próprio console, como também comprar jogos online. É possível, por exemplo, registrar cartões de crédito para uso automático por meio da PlayStation Store, enquanto todos os jogos adquiridos ou obtidos de graça ficam em uma opção específica no menu do console. Caso você não deseje que tudo isso seja entregue ao comprador do seu vídeo game usado, é preciso apagar os perfis acessando o menu de configurações. Na opção “Configurações de login”, selecionar “Gerenciamento de usuários” e, depois, “Excluir usuário” faz exatamente o que indica, permitindo gerenciar todos os perfis disponíveis. Entretanto, a presença de games instalados no HD pode valorizar o vídeo game nesse mercado de segunda mão. Caso esse seja seu caso, certifique-se de acessar as opções da PlayStation Store, pelo menu de configurações e, depois, na opção “Gerenciamento da conta”. Em “Informações da conta” é possível alterar nomes, e-mails e demais dados que estejam cadastrados, além de métodos de pagamento e assinaturas. Limpeza completa Caso a ideia seja apenas vender o console em sua forma “pura”, os processos anteriores não são necessários. Todas as etapas de apagar contas, limpar o disco rígido e garantir que informações pessoais não acompanhem o console podem ser feitas de uma só vez com uma reinicialização do console, que o deixará em estado de novo, como se nunca tivesse sido utilizado antes. Para fazer isso, primeiro, acesse a opção “Gerenciamento da conta” e, na sequência, “Ativar como seu PS4 principal”. Escolha a opção “Desativar” para facilitar o processo de registro de sua conta na nova plataforma e evitar problemas que possam te deixar trancado para fora dela. Na sequência, volte às Configurações e role o menu até o final, escolhendo “Inicialização”, e depois, “Inicializar PS4”. Escolha a opção desejada, de acordo com as orientações e o tipo de limpeza a ser realizada, e conclua o processo. Lembre-se, uma vez iniciado, ele não poderá ser revertido e seu console terá todas as informações apagadas da memória, assim como perfis, dados salvos e demais informações. Vale a pena lembrar, entretanto, que o processo não altera listas de troféus ou amigos registrados na conta da PSN. Limpar a memória do seu console também não vai zerar o seu progresso em games online como Fortnite ou Overwatch, cujo progresso fica armazenado nos servidores das produtoras, em vez de localmente, no aparelho. Compre o PS5 e o Xbox Series X | S no Brasil E aí, você já decidiu se vai de PS5 ou de Xbox Series? Independentemente da sua escolha, ambos os consoles já estão disponíveis no Brasil em pré-venda. Ao comprá-los antecipadamente, você garante que terá algum dos novíssimos dispositivos antes de 2020 acabar. Que tal aproveitar agora? Basta seguir as nossas dicas pelos links abaixo e esperar a entrega chegar: Compre o PS5 padrão com entrada para mídia física Compre o PS5 Digital Edition, o mais barato da Sony Compre o Xbox Series X com todo o poder da Microsoft Compre o Xbox Series S, o melhor custo-benefício Black Friday é no Canaltech Ofertas Está chegando a época com as melhores promoções do ano! A Black Friday 2020 vai acontecer no dia 27 de novembro e promete grandes descontos em várias categorias cobiçadas pelos brasileiros, como smartphones, smart TVs, notebooks, smartwatches, pulseiras inteligentes, monitores e muitos outros eletrônicos. Para ajudá-lo a encontrar os menores preços da internet, o Canaltech Ofertas fará a cobertura em tempo real da Black Friday, e você pode receber os descontos diretamente no seu celular ao entrar em nossos grupos de WhatsApp e Telegram. Não deixe para se preparar em cima da hora, clique no link abaixo e comece a economizar imediatamente! Entre no grupo de WhatsApp e Telegram do Canaltech Ofertas Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses WhatsApp agora permite silenciar conversas para sempre; saiba como Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos Mais um app do Google passou de 1 bilhão de downloads na Play Store Saiba quais são os melhores processadores de celular em 2020 Veja Mais

Rapper Travis Scott é o novo parceiro estratégico criativo do PlayStation

canaltech A poucas semanas do lançamento do PlayStation 5, a Sony anunciou uma parceria com um dos artistas mais populares da atualidade: o rapper Travis Scott. O artista juntou-se à marca como "parceiro criativo de estratégia", e pretende realizar colaborações para novos projetos usando sua imagem e a marca de moda Cactus Jack. PS5 | Sony revela mais um detalhe da retrocompatibilidade com o PS4 Surgem primeiras carcaças customizadas para PlayStation 5 Em vídeo divulgado ontem (22) pelo próprio Travis e pelos canais oficiais do PlayStation, são mostrados funcionários da equipe que trabalharam no desenvolvimento do console usando roupas e tênis desenhados pelo rapper, além de Travis Scott ligando o novo PS5. É possível ver, também, um tênis da Nike personalizado com o logo do PlayStation, item que pode chegar às lojas no futuro. No Instagram do artista, esse vídeo já passou de 3,3 milhões de visualizações. Veja abaixo:   A publicação no blog do PlayStation não traz detalhes específicos sobre a parceria, apenas reforça a liberdade criativa para futuras ideias. A postagem incluiu, também, uma declaração de Travis Scott, que pode ser lida a seguir: -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Estou realmente ansioso para poder mostrar tudo em que a Cactus Jack tem trabalhado em conjunto com a Sony e a equipe PlayStation. Mais importante, estou muito animado para ver como os fãs e famílias PlayStation irão reagir, e não vejo a hora de jogar alguns games com todos em breve! Essa não é a primeira colaboração de Travis Scott com o mundo dos games. Em abril desse ano, um evento ao vivo com o rapper em Fortnite reuniu mais de 12 milhões de jogadores simultâneos, superando o número de jogadores ativos na Steam naquela época. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos WhatsApp agora permite silenciar conversas para sempre; saiba como Por que Nosferatu é o filme ilegal mais famoso da história do cinema? Mais um app do Google passou de 1 bilhão de downloads na Play Store Veja Mais

Destaques da NASA: fotos astronômicas da semana (17/08 a 23/08/2020)

canaltech Esta foi uma semana de sucesso para a NASA. É que a sonda robótica OSIRIS-REx conseguiu coletar com sucesso amostras do asteroide Bennu, e já se prepara para o grande retorno à Terra com o material espacial. Claro que a NASA nos brindou com uma imagem incrível do cabeçote coletor tocando a superfície do asteroide, que apareceu em destaque no site APOD (Astronomy Picture of the Day), que a agência espacial mantém desde 1995. No mais, a NASA nos trouxe também nossas amadas nebulosas com seus formatos e cores impressionantes. A Via Láctea também é destaque, fotografada no céu noturno da Terra ao lado de outros objetos famosos como a Nebulosa de Órion e a galáxia Andrômeda. E se você gosta de galáxias espirais, temos duas delas, com características bem peculiares. Por fim, há uma ótima dica de evento astronômico para você aproveitar nos próximos dois meses: a aproximação e conjunção de Júpiter e Saturno, algo que só vai acontecer novamente em 2080. De quebra, deixamos algumas dicas para você aprender a identificar estes e outros objetos celestes ;) -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Sábado (17/10) — A nuvem e a bolha (Imagem: Reprodução/Wissam Ayoub) A Nebulosa Crescente, catalogada como NGC 6888, é uma nebulosa de emissão, ou seja, fica ao redor de uma estrela quente. Fica na direção da constelação de Cisne, cerca de 5.000 anos-luz de distância. Neste caso, a estrela central jovem que forma a nebulosa é a Wolf-Rayet WR 136, que tem apenas cerca de 4,7 milhões de anos e já está chegando ao fim de sua vida. Ela se tornou uma gigante vermelha há 400 mil anos e, como é bastante massiva (21 vezes a massa solar), deverá explodir em uma supernova daqui a algumas centenas de milhares de anos. Percebeu algo no canto inferior esquerdo? Trata-se da nebulosa Bolha de Sabão, um nome que recebeu por motivos óbvios — aparece redondinha e transparente nas imagens capturadas pelos telescópios. Catalogada como PN G75.5+1.7 e também localizada na constelação de Cisne, é uma nebulosa planetária, ou seja, se formou a partir do gás e plasma expulsos durante os momentos finais de uma estrela gigante vermelha. Nova imagem da Nebulosa Carina traz uma riqueza incrível de detalhes Domingo (18/10) — Colisão galáctica  (Imagem: Reprodução/NASA/ESA/Hubble/HLA/Domingo Pestana) Esta imagem parece retratar apenas uma galáxia espiral, mas há uma série de outras galáxias distantes ao fundo. A galáxia principal, chamada UGC 1810, também está interagindo com uma galáxia menor e, em algum momento, essa colisão pode resultar em uma fusão entre os dois objetos. Juntas, elas recebem o nome de Arp 273. Esse formato um tanto desordenado, principalmente de seu anel externo azul, é provavelmente resultado de interações gravitacionais violentas entre os dois corpos galácticos. Aliás, essa cor azul da espiral é devida a estrelas massivas jovens e muito quentes, que costumam ter esse tom azulado. Na parte interna, a galáxia é mais vermelha e cheia de filamentos de poeira fria. Isso significa que as estrelas ali presentes são bem mais velhas. Também podemos ver algumas estrelas brilhantes em primeiro plano, que parecem muito maiores, mas na verdade elas não fazem parte da UGC 1810, e estão muito mais próximas de nós do que esta galáxia. O Arp 273 fica a cerca de 300 milhões de anos-luz de distância da Terra, em direção à constelação de Andrômeda. A fusão entre os dois objetos galácticos ainda levará algo por volta de um bilhão de anos e, finalmente, ganhará uma forma espiral clássica e mais organizada do que a atual. Nesta imagem, você vê o momento em que duas galáxias iniciam processo de fusão Segunda-feira (19/10) — Sobrevoo por Júpiter   O que vemos neste vídeo não é a superfície de Júpiter, e sim as extensas camadas do maior e mais antigo sistema de tempestades do Sistema Solar, tão densas que não podemos ver o que ocorre no interior do planeta. São tornados, ciclones, ventos em alta velocidade e nuvens espessas que cobrem este mundo gigante. A famosa Grande Mancha Vermelha aparece aos 2 minutos e 12 segundos após o início do vídeo, mas antes dela, fazemos um passeio por lugares também muito interessantes. Na verdade, não há nada nessa atmosfera que não nos fascine. As nuvens estão em constante mudança, bem como suas cores. Até mesmo a Grande Mancha Vermelha sofre alterações e não vai durar para sempre. Os 41 quadros que compõem o vídeo foram capturados em junho pela sonda Juno, quando ela se aproximou do planeta gasoso. O vídeo é produzido pela equipe da missão Juno (incluindo a NASA, o JPL-Caltech, SwRI, MSSS) e a música é do compositor grego Vangelis, famoso por produzir a trilha sonora de clássicos como Blade Runner e da série Cosmos, de Carl Sagan. Mistério sobre tornados nos polos de Júpiter pode ser solucionado em breve Terça-feira (20/10) — Dobradinha de gigantes (Imagem: Reprodução/Giorgia Hofer) Saturno e Júpiter, os dois gigantes gasosos mais famosos do Sistema Solar, estão se aproximando e você encontrará os dois, pertinhos um do outro, nas noites dos próximos dois meses. Na metade de dezembro, eles estarão tão perto que provavelmente não poderemos distingui-los. Será uma conjunção bastante rara, pois os dois mundos não se aproximam tanto desde 1623. Vale a pena aproveitar este evento, e você não precisará de nenhum instrumento especial. Os planetas já são facilmente visíveis a olho nu e você tem até dezembro para aprender a reconhecê-los entre as estrelas. O aplicativo Carta Celeste, por exemplo, ajudará bastante a encontrá-lo no céu noturno, e em pouco tempo você conseguirá distingui-los facilmente. A grande conjunção de dezembro só vai se repetir em 2080. Por que Saturno tem um hexágono no polo norte? Modelo 3D pode ajudar a descobrir Quarta-feira (21/10) — Via Láctea & Cia (Imagem: Reprodução/Tomáš Slovinský) Quando uma fotografia consegue registrar o arco da Via Láctea no céu noturno, sempre podemos encontrar no cenário um conjunto de vários objetos celestes famosos. No caso desta imagem, composta por mais de 60 exposições, podemos encontrar o Cinturão de Orion, a Nebulosa de Orion, a Galáxia de Andrômeda, a Nebulosa da Califórnia e as estrelas Sirius e Betelgeuse. Você consegue identificar algum desses objetos? Não é tão difícil quando você começa a se familiarizar com os nomes e as características de cada um. Por exemplo, a Betelgeuse é um dos objetos mais brilhantes do céu, mas Sirius é a campeã quando se fala de estrelas. Portanto, Sirius pode ser identificada no lado direito da imagem, enquanto a Betelgeuse é a estrela menor amarela um pouco acima e mais ao meio. Encontrou as Três Marias? Para muitos, essa é a constelação que aprendemos a identificar quando crianças, por ser muito fácil de encontrar. Ela é o cinturão de Órion, então a constelação inteira de Órion e a Nebulosa de Órion também estão ali. E a galáxia de Andrômeda é fácil, pois é a única galáxia que pode ser vista além da própria Via Láctea. Encontre um disco achatado e lá está a galáxia que um dia colidirá com a nossa — daqui a alguns bilhões de anos. Por fim, a Nebulosa Califórnia é uma nuvem lilás no topo central da imagem. A Via Láctea está "engolindo" um aglomerado globular de estrelas Quinta-feira (22/10) — O toque da OSIRIS-REx (Imagem: Reprodução/OSIRIS-REx/University of Arizona/NASA/Goddard Scientific Visualization Studio) Na terça-feira, 20 de outubro, a NASA conseguiu coletar amostras de um asteroide com sua nave robótica OSIRIS-REx em uma manobra delicada e complexa. Ela esticou seu braço mecânico e tocou a superfície do Bennu por apenas alguns segundos, liberou o gás de nitrogênio comprimido em uma garrafa, e capturou pedrinhas e poeira que se espalharam para dentro do cabeçote coletor de amostras de 30 cm de largura. Essa cena foi gravada pela câmera SamCam a bordo da OSIRIS-REx, a cerca de 321 milhões de km da Terra, durante a missão. Depois da coleta, a nave acendeu o combustível de seus motores e voltou à órbita segura. 10 curiosidades sobre o asteroide Bennu Sexta-feira (23/10) — A galáxia e a supernova (Imagem: Reprodução/NASA/ESA/A. Riess/SH0ES team/M. Zamani) A galáxia NGC 2525 é uma espiral barrada que fica a 70 milhões de anos-luz da Via Láctea, na direção da constelação Puppis. Seus braços alcançam até cerca de 60.000 anos-luz de diâmetro e a coloração rosada representa as regiões de formação de estrelas. No canto inferior esquerdo, há um ponto muito brilhante — trata-se da supernova SN 2018gv. Identificada como uma supernova Tipo Ia, a NS 2018gv é considerada uma vela cósmica, ou seja, pode ser usada pelos astrônomos para medir distâncias entre galáxias e determinar a taxa de expansão do Universo. Espirais, elípticas e lenticulares... por que as galáxias são tão diferentes? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos WhatsApp agora permite silenciar conversas para sempre; saiba como Por que Nosferatu é o filme ilegal mais famoso da história do cinema? Mais um app do Google passou de 1 bilhão de downloads na Play Store Veja Mais

PS5 | Sony revela mais um detalhe da retrocompatibilidade com o PS4

canaltech A Sony está começando a tirar as principais dúvidas dos jogadores em relação à retrocompatibilidade do PlayStation 5. A companhia já informou que apenas 1% da biblioteca do PlayStation 4 não vai funcionar no novo aparelho. Contudo, alguns detalhes ainda estão em aberto. PlayStation 4 | Relembre os jogos mais marcantes do videogame da Sony Sony confirma que nova PS Store não terá jogos de PlayStation 3, PSP nem PS Vita Retrocompatibilidade no PlayStation 5: Sony volta a falar sobre o assunto Agora, a empresa confirmou que será possível manter um jogo ativo no PS4 e PS5 ao mesmo tempo, com apenas uma cópia do jogo. A informação veio de uma conversa com o suporte do Playstation divulgada no Reddit. Um usuário de nome bigpapijugg perguntou: “Por exemplo, darei meu PS4 para meu filho quando comprar o PS5. Se eu tiver um game de PS4 como [Marvel's Spider-Man] Miles Morales e fizer o upgrade da versão de PS4 [para PS5], nós dois poderemos jogar?”. Confirmed: If you take advantage of the PS4-to-PS5 free upgrades on a digital game, you’ll maintain access to both the PS4 version and PS5 version from r/PS5 -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- A resposta do suporte da Sony foi de que sim, ainda haverá manutenção da versão no PS4, caso o jogo seja uma versão digital. "Como as cópias de PS4 e PS5 serão separadas, e a cópia do PS5 é um acesso complementar à plataforma, você ainda deve manter o acesso ao progresso e dados no PS4. Na prática, é como ter duas cópias: uma para cada plataforma", respondeu a empresa. O mesmo não vai acontecer com as cópias físicas. No caso, a resposta é simples: como ambos aparelhos precisam conter o disco como chave para liberar o jogo, ele só vai rodar em um console que estiver com o Blu-ray. A retrocompatibilidade do PS5, contudo, não vai suportar títulos de outras gerações. Ou seja, nada de game do PlayStation original, PS2 e PS3 ou dos portáteis. Compre o PS5 e o Xbox Series X | S no Brasil E aí, já decidiu se vai de PS5 ou de Xbox Series? Independentemente da sua escolha, ambos os consoles já estão disponíveis no Brasil em pré-venda. Ao comprá-los antecipadamente, você garante que terá algum dos novíssimos dispositivos antes de 2020 acabar. Que tal aproveitar agora? Basta seguir as nossas dicas pelos links abaixo e esperar a entrega chegar: Compre o PS5 padrão com entrada para mídia física Compre o PS5 Digital Edition, o mais barato da Sony Compre o Xbox Series X com todo o poder da Microsoft Compre o Xbox Series S, o melhor custo-benefício Quer mais promoções? Conheça o Canaltech Ofertas Cansado de gastar várias horas para encontrar preços baixos na internet? Então chegou a hora de conhecer o Canaltech Ofertas, nosso serviço que seleciona apenas as melhores promoções das lojas online. Pronto para economizar? Você pode acompanhar os descontos no grupo de WhatsApp ou no site oficial: Receba ofertas diretamente no celular em nosso grupo do WhatsApp Acompanhe os descontos no site oficial do Canaltech Ofertas Grande parte da biblioteca do PlayStation 4 também será compatível automaticamente com o PlayStation 5. Pelo suporte da empresa, usuário confirmou que será possível jogar nos dois consoles ao mesmo tempo, com apenas uma cópia da versão digital Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses WhatsApp agora permite silenciar conversas para sempre; saiba como Mais um app do Google passou de 1 bilhão de downloads na Play Store Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Registro indica que Galaxy S21 pode ter design semelhante ao do iPhone 12 Veja Mais

LG Q52 surge em fotos reais com visual semelhante a outros modelos da marca

canaltech Novas fotos e ficha técnica do LG Q52, novo smartphone intermediário da marca, foram divulgadas pelo blog coreano Naver e revelam um dispositivo com muitas semelhanças a outros aparelhos lançados pela empresa recentemente: os básicos LG K52 e K62. Entre as principais características estão chipset da MediaTek, tela gigante e um visual que foge do que já vimos nas duas linhas. Terceira idade e tecnologia combinam, sim! Sucesso do iPhone 12 renderá muito dinheiro para Samsung e LG; saiba por que Novo módulo de câmeras De acordo com o que parecem ser fotos reais do novo aparelho da LG, podemos observar o novo módulo de câmeras do Q52, também presente nos recém-lançados K52 e K62. A câmera principal tem 48 MP, seguida por uma ultra grande-angular de 5 MP e duas de 2 MP cada, com lentes macro e profundidade. LG Q52 tem design idêntico aos recém-lançados K52 e K62 (Foto: Reprodução/Naver) Na frente, o Q52 conta com uma tela gigante de 6,6 polegadas e um furo localizado na região superior central para a câmera frontal, aqui de 13 MP. Apesar de grande, o display tem resolução apenas HD e tecnologia IPS LCD. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- LG vai levar interface do Velvet a outros celulares da marca; saiba quais são Ficha técnica competente Sob o capô, o Q52 aparece com um chipset de oito núcleos com frequência máxima de 2,3 GHz, provavelmente o Helio P35 da MediaTek — também está presente no K61, à venda no Brasil. Ele trabalha com 4 GB de memória RAM e 64 GB de espaço interno (expansíveis via cartão de memória), conjunto decente para a faixa de preço. Novo módulo de câmeras da LG (Foto: Reprodução/Naver) O smartphone é alimentado por uma bateria de 4.000 mAh, mas sem informações de recarga rápida, apesar de trazer conector USB-C. O leitor de digitais se encontra na lateral do dispositivo, que conta também com a tradicional resistência a impactos MIL-STD 810G da LG. Preço e disponibilidade Embora já tenha aparecido em fotos reais, o Q52 ainda não foi lançado oficialmente na Coreia do Sul. O smartphone ainda não tem previsão de lançamento por lá, mas será comercializado nas cores branco e vermelho e custará entre 300 mil e 400 mil wons, ou seja, em torno de R$ 1,4 mil e R$ 1,9 mil em conversão direta para a nossa moeda. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Registro indica que Galaxy S21 pode ter design semelhante ao do iPhone 12 Itaú Unibanco abre mais de duas mil vagas para a área de Tecnologia Agora é oficial! Xbox Series X e S já têm data de lançamento no Brasil Veja Mais

Registro indica que Galaxy S21 pode ter design semelhante ao do iPhone 12

canaltech Um registro recente da Samsung sugere que a empresa prepara novidades para o design de seus celulares. A marca registrada para o nome “Blade Bezel” (borda de lâmina, em tradução direta), não oferece uma descrição detalhada, mas uma projeção criada pelo site LetsGoDigital sugere que trata-se de um design familiar para os fãs da Apple. Estas são as primeiras imagens vazadas do Galaxy S21 Ultra Linha Galaxy S21 terá opções com telas planas e curvas, aposta informante Samsung deve antecipar lançamento da série Galaxy S21 O cadastro foi feito junto ao escritório sul-coreano de propriedade intelectual (KIPO) e concedido há uma semana. A marca registrada foi atribuída à Samsung Display, divisão do grupo especializada na fabricação de telas LCD e OLED, e não para a Samsung Electronics, responsável pelos celulares. Isso não impediu que o site holandês LetsGoDigital criasse uma renderização do que poderia ser a tecnologia aplicada a um celular. A imagem aproveita outro registro feito pela empresa sul-coreana, nesse caso uma patente para uma tela destacável, como inspiração de como pode ser o visual do Galaxy S21. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Registro não revela um significado para a marca (Imagem: Giuseppe Spinelli/LetsGoDigital) Assim como no celular da patente concedida recentemente à Samsung, a renderização mostra um aparelho com bordas finas ao redor da tela. No caso das ilustrações do registro anterior chamou a atenção, porém, as laterais planas do modelo, bem diferente do estilo usado pela fabricante. Um design parecido já foi usado por celulares como o iPhone 4 e alguns sucessores, voltando recentemente em modelos da linha iPad e o novo iPhone 12. Projeção criada pelo site LetsGoDigital lembra o visual do iPhone 4 (Imagem: Giuseppe Spinelli/LetsGoDigital) Mais dúvidas do que certezas O nome Blade Bezel não dá pistas do que a Samsung prepara para suas telas e celulares. Uma interpretação mais literal sugere bordas bem finas ao redor do display. Para reduzir ainda mais a espessura das partes o componente poderia embutir a câmera de selfie, sensores e as aberturas para a reprodução de sons, mas tudo isso são apenas hipóteses. Além disso, a nova marca registrada está cadastrada não apenas para aplicação em celulares, como também em telas grandes. Uma técnica para reduzir as bordas seria bem-vinda em modelos de TVs e monitores, especialmente os que são voltados para arranjos com muitos painéis lado a lado. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil iPhone 12: por que a Apple inclui fones de ouvido em caixa separada na França? Veja Mais

Quanto custa assinar o Apple TV+: planos, valores e formas de pagamento

canaltech Apple TV+ é o serviço de streaming de vídeos da Apple. Reúne um catálogo apenas com conteúdos originais entre filmes, séries e documentários protagonizados por artistas famosos do cinema e da televisão, marcando a presença da empresa no ramo. O aplicativo do serviço já vem instalado em aparelhos da Apple, como iPhone, iPad, iPod Touch, iMac e Macbooks. Apple TV+ | Conheça os principais conteúdos originais do streaming da Maçã Além dos produtos da empresa, é possível assistir ao catálogo em navegadores, Smart TVs e outros dispositivos de transmissão, como Amazon Fire TV e Roku. Caso tenha interesse em conhecer o serviço, confira abaixo os planos e valores disponíveis. Apple TV+: planos e valores The Morning Show, com Jennifer Aniston, é uma das principais séries do catálogo (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Não existe restrição de catálogo aos planos da Apple TV+: todas as assinaturas dão acesso ao acervo completo. Usuários que compram um aparelho Apple e fazem a ativação da oferta em até três meses após a aquisição recebem, gratuitamente, um ano do serviço de streaming. Quem assina o plano universitário do Apple Music, streaming musical da plataforma vendido a R$ 8,50 por mês, também recebe acesso gratuito. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Nos demais casos, a assinatura é vendida por R$ 9,90 ao mês, incluindo compartilhamento familiar com até cinco pessoas. Novos assinantes ainda podem utilizar um período de testes gratuito com duração de sete dias. Após o prazo, há a renovação automática. Como conectar o Apple TV+ à sua TV A Apple anunciou o Apple One, uma assinatura única que agrega todos os serviços disponíveis da empresa: Music, TV+, Arcade e iCloud. Ainda não há uma data oficial de lançamento no Brasil, mas os valores foram divulgados. O plano individual será vendido por R$ 26,50, enquanto o plano familiar custará R$ 37,90 ao mês, comportando até cinco pessoas. Apple TV+: formas de pagamento A assinatura do serviço é feita utilizando um ID Apple, login para todas as plataformas da empresa. O pagamento é feito através de cartões de crédito ou débito com as bandeiras Visa, MasterCard, Elo ou American Express. 8 séries que valem a assinatura do Apple TV+ Você utiliza o Apple TV+? Deixe sua opinião sobre a plataforma! Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

De olho nos compradores do iPhone 12, WD anuncia novos carregadores sem fio

canaltech A Western Digital, empresa responsável pela marca homônima e também pela SanDisk, anunciou nesta quinta-feira (22) dois novos produtos bem interessantes para a sua linha Ixpand. Estamos falando do Wireless Charger e do Wireless Charger Sync, dois carregadores sem fio que chegam em boa hora — tudo indica que a marca visa atingir os compradores da nova linha iPhone 12, cujos aparelhos não virão com alimentador de energia na caixa. A Apple reduzirá o impacto ambiental com iPhones 12 sem carregadores? Calma lá Carregador sem fio da Xiaomi completa a bateria em menos de 20 minutos Primeiro celular compatível com carregador sem fio da Apple não é um iPhone De qualquer forma, o Ixpand Wireless Charger pode ser usado com qualquer aparelho que possua compatibilidade com carregamento por indução (Qi Charging) e oferece uma corrente de 15 W para garantir uma carga mais ágil. Exemplos de gadgets compatíveis incluem o iPhone 8 ou mais recente; o Galaxy S7 ou superior, e até mesmo periféricos sem fio como os AirPods Pro. Já o Ixpand Wireless Charger Sync possui uma funcionalidade a mais: ele é dotado de armazenamento interno e realiza backups automáticos dos seus arquivos sempre que fica em proximidade com o celular. Dessa forma, além de garantir que seus documentos tenham sempre uma cópia de segurança, você consegue liberar espaço na memória interna do celular. Estão disponíveis opções com 64 GB, 128 GB e 256 GB de capacidade. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.-   “No mundo móvel de hoje, nossos clientes contam com dispositivos móveis totalmente equipados e com backup para se manterem conectados, informados e entretidos”, afirma Sairam Challa, gerente de marketing de produto da SanDisk. “A marca SanDisk é conhecida por oferecer soluções confiáveis e estamos entusiasmados em expandir nosso portfólio para incluir o primeiro carregador sem fio do mundo com backup local automático, tornando a vida dos consumidores mais conveniente e simples”, conclui. Infelizmente, por enquanto, os modelos só estão disponíveis nos EUA, custando a partir de US$ 49,99 (R$ 280 na conversão direta) pelo Wireless Charger simples e chegando a US$ 199,99 (R$ 1,1 mil) pela versão Sync com 256 GB de espaço para armazenamento. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

Como personalizar a tela do seu celular Android em 4 passos simples

canaltech Um dos destaques do Android é o seu potencial de customização na tela principal e no menu de aplicativos. Suas opções incluem widgets na tela inicial, alterações de plano de fundo e tela de bloqueio, ícones personalizados, cores e fontes para o sistema. Saiba como diminuir o tamanho dos aplicativos na tela do Android 5 coisas que você não deveria fazer no seu Android O que é WebView do sistema Android Algumas marcas, como Samsung e Xiaomi, possuem as próprias interfaces para o sistema operacional, incluindo apps e lojas virtuais com temas, pacotes de ícones e imagens para planos de fundo. Além disso, alguns programas de customização podem ser encontrados na Play Store. Para esse tutorial, foi utilizado um Samsung Galaxy A51 com Android 10, mas os procedimentos são similares em outras interfaces. Confira como personalizar a tela inicial do seu celular! Android: como personalizar a tela do celular Trocar o papel de parede Passo 1: pressione e segure por alguns segundos na tela inicial. A página ficará suspensa e mostrará alguns ícones na parte inferior. Selecione "Papel de parede"; -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Confira as opções ao pressionar e segurar a tela (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 2: em seguida, é possível visualizar quais imagens estão sendo usadas para a tela de bloqueio e para a tela inicial. Escolha entre utilizar imagens da galeria ou acessar opções inclusas no aparelho; Utilize a galeria ou papéis de parede baixados (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 3: toque na imagem desejada para usá-la como papel de parede. O sistema permite escolher entre usar na tela inicial, de bloqueio ou em ambas; Configure os papéis de parede do seu celular (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Adicionar widgets Passo 1: pressione e segure na tela inicial para abrir as opções de personalização e toque em "Widgets"; Escolha a opção de widgets (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 2: navegue pela lista de widgets disponíveis de acordo com os apps instalados no aparelho. Toque e segure em um deles para adicionar à tela inicial; Escolha seu widget favorito (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 3: posicione o widget de acordo com os espaços disponíveis demarcados na tela; Posicione o widget na tela de acordo com o espaço ocupado (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 4: pronto! O widget ficará instalado na tela principal, com acesso rápido aos apps de sua escolha. Acesse funções de um app diretamente da tela inicial (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Alterar a fonte Passo 1: abra as configurações do aparelho e selecione "Visor"; Acesse as configurações da tela do celular (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 2: na próxima tela, toque na opção "Tamanho e estilo da fonte"; Procure pelas preferências de fonte (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 3: altere o tamanho da fonte em seu celular e escolha entre as opções disponíveis em "Estilo da fonte"; Personalize a fonte do sistema (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Ícones Passo 1: para esse processo, é necessário baixar um pacote de ícones e um app de inicialização na Play Store. Nesse caso, foi usado o Viral (Android); Caption Passo 2: faça o download e abra o app. Em seguida, toque em "Apply Viral" para utilizar os ícones; Utilize os ícones (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 3: escolha um app de inicialização que suporte o pacote de ícones. Caso não tenha instalado, é possível acessar a página da Play Store para baixá-lo. Foi usado o Nova Launcher (Android) na ocasião; Abra um inicializador personalizável (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Passo 4: configure o Launcher e aplique o tema de ícones; Configure o tema de ícones Passo 5: seu Android estará customizado com diferentes ícones para os aplicativos. Veja seus apps de cara nova (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

Black Friday | Como saber se uma loja é confiável?

canaltech A Black Friday está chegando no dia 27 de novembro e, desde já, tem muita gente preparando o cartão de crédito para a temporada de ofertas. A tradição americana que desembarcou no Brasil nos últimos anos costuma trazer bons preços, mas, também, uma enxurrada de tentativas de golpes ou fraudes; além de sites que não são bem o que parecem enquanto tentam encantar os consumidores com preços convidativos ou bem abaixo do padrão. Preços, fretes e cashback: Google mostra tendências para Black Friday 2020 Black Friday no Brasil superou a dos EUA nos apps de compras, segundo estudo Pandemia impulsiona e-commerce e Brasil já tem mais de 1,3 milhões de lojas E como checar se uma loja é confiável na Black Friday? Como os clientes devem agir antes de fazer a compra no produto e quais caminho seguir para ter a certeza de fazer uma boa compra? Os descontos são realmente o que parecem? O estabelecimento é legítimo? Seguir alguns passos simples e fazer um pouco de pesquisa são os caminhos para quem não quer ter problemas e aproveitar a onda de descontos com tranquilidade. Pesquise em sites de reclamações e redes sociais Sites de reclamações reúnem informações úteis e os índices de resposta e resolução (Imagem: Captura de tela/Canaltech) Uma busca rápida em mecanismos de busca e plataformas como Twitter ou Facebook são caminho rápidos para entender o nível de satisfação dos clientes com as lojas online. Existem, também, serviços como o Reclame Aqui, voltados justamente para fazer a intermediação de reclamações entre consumidores e empresas nos casos em que uma conversa com o serviço de atendimento não solucionou o problema. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Pela plataforma, é possível saber quais são os maiores índices de problemas dos clientes em cada loja e, também, se a companhia responde ou não às solicitações. É possível acessar relatos de problemas específicos e também entender de que forma o estabelecimento lidou em cada caso, ou ter acesso a um índice geral de satisfação que envolve não apenas a experiência de compra em si, mas também a resolução de eventuais questões. Já no Twitter, uma busca pelo nome da loja pode trazer comentários e reclamações dos consumidores; vale a pena fazer uma busca pelo estabelecimento junto com o tipo de produto buscado, para dar uma refinada nos resultados apresentados. Já no Facebook, o caminho está nas postagens realizadas pela empresa, cujos comentários podem conter clientes tentando ser ouvidos — novamente, vale a pena prestar atenção na maneira como a empresa responde ou se as reclamações nunca recebem retorno algum. Na soma de tudo isso, fica a avaliação. Será difícil encontrar um estabelecimento que não tenha absolutamente nenhum tipo de queixa de seus clientes, mas a quantidade delas indica se os problemas são comuns ou não. Da mesma forma, prestar atenção na forma como o comércio lida com os usuários, a velocidade nas respostas e a prestatividade das soluções dadas também podem ser fatores para saber se uma loja é confiável ou não. Fique de olho nos preços Comparadores exibem flutuações de valores, permitindo identificar promoções "falsas" (Imagem: Captura de Tela/Canaltech) Uma prática comum de lojas pouco confiáveis na Black Friday é vender produtos por “metade do dobro”, ou seja, aumentar os preços dos produtos nas semanas anteriores à temporada de ofertas, para então, na semana derradeira, “baixar” os valores para o preço original alegando ser uma promoção. Sites comparadores de preços, porém, podem ajudar a detectar esse tipo de comportamento. Dois bons exemplos de sites para isso são o Zoom e o Buscapé. Em ambos, é possível buscar por produtos e, em páginas dedicadas, ver um gráfico com a variação de preço dos itens nos últimos dias ou ao longo dos seis meses anteriores, com as linhas facilmente indicando subidas artificiais nos valores em preparação para a temporada de descontos (ou não). Além disso, os comparadores de preços podem indicar os menores preços já oferecidos por um produto específico, ajudando a entender se aquela oferta realmente é vantajosa ou se dá para esperar mais um pouco para obter um valor ainda menor. Por fim, as plataformas oferecem ainda um serviço de alertas, no qual o usuário pode inserir quanto deseja pagar por um item, sendo avisado por e-mail quando aquele valor estiver disponível. Sites oficiais e conexão criptografada Ícone no próprio navegador exibe informações sobre a segurança das conexões a uma loja online (Imagem: Captura de tela/Canaltech) Os valores e supostas promoções não são a única preocupação dos clientes na hora de comprar na Black Friday. Aproveitando as buscas incessantes por descontos, golpistas podem criar sites falsos para roubar dados pessoais dos clientes, incluindo versões que simulam a aparência de grandes varejistas e podem enganar os clientes mais desatentos. Via de regra, um dos principais caminhos para garantir a confiabilidade em um marketplace é sempre acessar endereços oficiais, que costumam trazer o nome do estabelecimento seguido de .com.br. Ao visitar, vale a pena ficar esperto na presença de um cadeado na parte superior do navegador, ao lado da URL. Clicando no ícone, você tem acesso a mais detalhes da loja acessada — e uma confirmação de que o site é seguro, possuindo protocolos de segurança ativos para que as informações compartilhadas pelos clientes não sejam interceptadas por terceiros. Muitas vezes, entretanto, ofertas especiais podem ser obtidas a partir de um link específico, o que exige cautela adicional — ainda assim, dificilmente, uma página destas terá um endereço muito diferente do oficial ou estará hospedada em um servidor não relacionado. Assim, vale a pena prestar atenção em links recebidos por redes sociais ou mensageiros instantâneos, para não comprar gato por lebre. Confira os dados da loja A lei exige que as lojas tragam CNPJ e dados acessíveis aos clientes (Imagem: Captura de tela/Canaltech) A legislação brasileira garante aos clientes acesso aos dados de lojas online, que sempre devem constar de forma visível, no rodapé ou em uma seção específica do site oficial. Basta rolar a página até o final para ter acesso a informações como CNPJ, endereço, razão social e até telefone; caso tais informações não estejam presentes, desconfie desde o início. A presença de tais informações, entretanto, não são uma garantia. Vale a pena procurar endereços no Google, verificando para onde exatamente os dados apontam; ou dar uma olhada no site da Receita Federal para checar as informações de CNPJ. Desconfie de cadastros baixados, irregulares ou que não puderem ser encontrados no sistema, assim como localidades que levem a prédios residenciais, terrenos baldios ou que não existam em serviços de mapas. Observe prazos de entrega e políticas de troca Código de Defesa do Consumidor traz diretrizes e normas para troca e garantia (Imagem: Divulgação/Procon-MT) Prestar atenção nos detalhes da compra é uma boa via para evitar dores de cabeça no pós-venda. Produtos de grande procura, por exemplo, podem ter prazos de entrega maiores em alguns casos, ou o estabelecimento pode estar vendendo, antecipadamente, itens que não possui em seu estoque, possibilidades que podem gerar maior demora no frete. Fique atento, também, para pré-compras e saiba estar adquirindo algo que ainda não foi lançado. Além disso, de acordo com o Código de Defesa do Consumidor, quem faz compras online tem até sete dias, a partir do recebimento, para solicitar a troca ou devolução de valores em caso de desistência ou defeito, já que o cliente não viu de perto o item que adquiriu. A legislação também estabelece um prazo de 30 dias para reclamações de problemas em produtos não-duráveis e até três meses para itens duráveis. Ainda assim, vale a pena ficar atento a condições especiais de garantia dos fabricantes e estabelecimentos, bem como condições especiais para troca e devolução de produtos utilizando serviços postais ou de entrega. Certifique-se, ainda, de guardar comprovantes de compra, notas fiscais e demais documentos, para que possam ser localizados e apresentados de maneira fácil caso necessário. Poupe trabalho! Recorra ao Canaltech Ofertas e garanta sua segurança na Black Friday Grupos e páginas do Canaltech Ofertas reúnem promoções e lojas confiáveis A equipe especializada do Canaltech Ofertas realiza todos os passos acima por você e pode poupá-lo de todo o trabalho, garantindo que você aproveite suas compras de Black Friday ao máximo! Para utilizar o serviço exclusivo do Canaltech, acesse o site e verifique uma lista com todas as mais de 140 lojas participantes. Você também pode ter acesso aos mesmos cupons de desconto e ofertas da Black Friday no grupo do WhatsApp e Telegram do Canaltech Ofertas, onde nossa equipe disponibiliza as melhores promoções diariamente! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

Como assim? Pesquisadores descobrem um novo órgão do corpo humano

canaltech É curioso, mas nem mesmo a ciência desvendou todos os detalhes do complexo corpo humano. Em pesquisa recente, uma equipe de cientistas holandeses identificou um novo órgão, até então desconhecido. O conjunto de glândulas humanas foi descoberto atrás do nariz, no encontro com a garganta, a partir de exames de imagem, como uma tomografia. IA soluciona enigma do coração humano apontado há 500 anos por Leonardo da Vinci Dos aplicativos ao coração biônico: cardiologia é uma especialidade MUITO tech! Criogenia: é possível congelar corpos humanos e trazê-los de volta à vida? Em artigo publicado no Radiotherapy and Oncology journal, os pesquisadores do Instituto do Câncer da Holanda (NKI) descreveram como foi o processo que levou a descoberta do que vem a ser o quarto par de glândulas salivares — partes do corpo responsáveis por produzir saliva — no organismo humano. Oficialmente, são conhecidas como glândulas salivares tubárias. Pesquisa holandesa descobre novo órgão no corpo humano (Imagem: Reprodução/ Radiotherapy and Oncology journal) Antes da descoberta, se acreditava que a região da nasofaringe — parte concentrada atrás do nariz — hospedasse apenas glândulas salivares microscópicas e difusas. No entanto, esse conjunto recém-descoberto mede, em média, cerca de 3,9 centímetros de comprimento. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- De acordo com as pesquisas iniciais, a função desse órgão é lubrificar e umedecer a parte superior da garganta, atrás do nariz e da boca. Além da nova glândula, a ciência já conhecia outras três estruturas desse tipo, sendo que uma está inserida perto das orelhas, a outra abaixo da mandíbula e uma sob a língua. Novo órgão humano A descoberta das novas glândulas foi acidental, já que a equipe holandesa investigava o câncer de próstata, através de tomografias. Ao examinar as imagens obtidas, o grupo notou uma estrutura até então desconhecida e muito semelhante às glândulas que existem sob a língua. "O local não é muito acessível e você precisa de imagens muito sensíveis para detectá-lo", explica o autor do estudo e oncologista do Instituto do Câncer da Holanda, Wouter Vogel, tentando explicar porque ninguém tinha notada essas glândulas ainda. Durante pesquisa sobre câncer de próstata, cientistas descobrem novo órgão humano (Imagem: Reprodução/ Radiotherapy and Oncology journal) Para confirmar a descoberta, Vogel e sua equipe registraram imagens de 100 pacientes — 99 deles homens devido ao foco da pesquisa no câncer de próstata — e verificaram que todos apresentavam as glândulas recém-descobertas. Além disso, dissecaram a região da nasofaringe em dois cadáveres de um programa de doação de corpos humanos. Novamente, confirmaram a existência do novo órgão. Sobre a descoberta, Yvonne Mowery, oncologista de radiação na Duke University, comentou que "ficou bastante chocada por estarmos em 2020 e ter uma nova estrutura identificada no corpo humano". Mesmo que essa descoberta seja surpreendente, mais estudos ainda devem ser feitos para determinar qual é exatamente a função dessas glândulas e uma seleção maior de pessoas devem ser examinadas no futuro. Para acessar o artigo, publicado no Radiotherapy and Oncology journal, clique aqui. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferentes?

canaltech A Motorola quer ser a principal responsável pela democratização do 5G em território brasileiro e lançou nesta quinta-feira (22) o Moto G 5G Plus no Brasil. Com especificações técnicas de respeito e algumas características mais “acessíveis” típicas da linha intermediária Moto G, eis que temos aqui o smartphone 5G mais barato do Brasil por aqui, em um segmento onde seu único concorrente é o Edge 5G… também da Motorola. Motorola Edge vs. Galaxy S10 Lite vs. Mi Note 10: quais as diferenças? Motorola Edge e Edge+ são anunciados no Brasil com 5G a partir de R$ 5.499 Nos próximos parágrafos, o Canaltech organiza as principais vantagens e desvantagens entre o Moto G 5G Plus e o Motorola Edge, para que você possa entender se vale a pena apostar no 5G no Brasil agora, já que ainda não temos a nova rede da nova geração disponível, e qual smartphone pode te atender melhor. Construção e design Durante o evento de apresentação do Moto G 5G Plus, a Motorola foi questionada sobre as propostas dos dois smartphones, já que contam com especificações técnicas parecidas e, claro, suporte ao 5G. Basicamente, a empresa afirmou que o novo integrante da linha Moto G é destinado ao público intermediário básico, pois conta com alguns cortes na produção e em alguns recursos para levar o 5G a um degrau mais abaixo. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Isso fica claro na construção dos dois aparelhos: embora eles contem com um acabamento plástico, o Edge 5G passa a sensação de ser mais premium, muito disso graças às bordas curvas e a pegada mais robusta. O Moto G 5G Plus, por sua vez, não foge do que já vimos em outros modelos da linha Moto G e não se destaca no visual. Visual do Moto G 5G Plus não foge muito do que vimos na linha Moto G (Foto: Divulgação/Motorola) Na frente, a principal diferença entre eles está no display: o Edge 5G traz laterais bastante curvas, o que é uma característica um tanto quanto controversa — muitas fabricantes estão retornando ao aspecto plano. Já o Moto G 5G conta com dois furos na tela para as câmeras frontais, algo nunca visto em um smartphone da marca. Motorola Edge 5G tem o mesmo visual do seu irmão mais potente (Foto: Divulgação/Motorola) Se a sua preferência for de telas mais planas, fuja do Edge 5G, pois ele é um dos smartphones que oferecem as laterais mais curvadas do mercado, embora pareça mais bem-acabado que o Moto G 5G Plus. Tela Motorola Moto G 5G Plus: OLED de 6,7 polegadas, Full HD+, 90 Hz Motorola Edge 5G: LTPS de 6,7 polegadas, Full HD+, 90 Hz Pela primeira vez em um smartphone da linha Moto G, temos uma tela com taxa de atualização de 90 Hz, mesma quantidade do Edge 5G. Isso significa que os conteúdos na tela são atualizados 90 vezes por segundo, resultando em animações e jogos mais fluidos. Os dois aparelhos contam com 6,7 polegadas de tela e resolução Full HD, mas o Edge 5G tem a tecnologia OLED, trazendo cores mais vivas, um contraste mais intenso e um preto mais profundo quando comparado com o LTPS do Moto G 5G Plus. Curvatura da tela do Motorola Edge (Foto: Divulgação/Motorola) Como dito acima, o display curvo do Egde 5G pode ser um diferencial tanto positivo quanto negativo — isso vai depender da sua preferência. Caso seja do seu gosto, vale comentar que a Motorola trouxe recursos que tornam as laterais mais úteis, com alguns controles de software e animações para informar quantidade de carga quando o aparelho está na tomada, por exemplo. Câmeras Motorola Moto G 5G Plus: 48 MP (principal) + 8 MP (ultra grande-angular) + 5 MP (macro) + 2 MP (profundidade) + 16 MP (frontal) + 8 MP (ultra grande-angular frontal) Motorola Edge 5G: 64 MP (principal) + 8 MP (telefoto) + 16 MP (ultra grande-angular) + 25 MP (frontal) O Moto G 5G Plus é o primeiro smartphone da Motorola com um total de seis câmeras, sendo quatro na traseira e duas para selfies. A principal tem 48 MP com tecnologia Quad Pixel, que praticamente une quatro fotos em uma para fornecer até 4x mais sensibilidade em ambientes com baixa luminosidade. O mesmo recurso está presente no sensor principal do Edge 5G, mas ele conta com 64 MP e um tamanho maior, prometendo fotos de maior qualidade. O smartphone premium da Motorola também leva vantagem nas lentes ultra grande-angular e telefoto, embora o Moto G 5G Plus tenha sensores exclusivos para fotos macro, algo que vem se tornando padrão nos celulares intermediários, e para auxiliar na profundidade de campo. Moto G 5G Plus é o primeiro celular da empresa com 6 câmeras (Foto: Divulgação/Motorola) Na frente, o novo aparelho da empresa oferece duas câmeras, uma principal e outra que oferece mais campo de visão, mas com resolução máxima de 16 MP. Apesar de contar com apenas um sensor para selfies, o Edge 5G traz 25 MP de resolução e recursos mais atualizados para fotos em cenários mais escuros. Processador e memória Motorola Moto G 5G Plus: Qualcomm Snapdragon 765 Motorola Edge 5G: Qualcomm Snapdragon 765G Por dentro, o novo Moto G é bastante semelhante ao Edge 5G. Ambos são equipados com a plataforma Snapdragon 765 da Qualcomm, mas o modelo mais premium promete um fôlego extra para rodar jogos mais pesados, já que conta com recursos exclusivos para gamers. No entanto, estamos falando de chipsets bastante potentes para basicamente todas as aplicações disponíveis na Play Store, sendo um degrau abaixo do potente Snapdragon 865. Vale mencionar que o novo Moto G é o smartphone mais rápido da linha atualmente, ultrapassando o recém-lançado Moto G9 Plus. Em relação à memória, o novo Moto G se sai melhor que o Edge 5G, pois oferece 2 GB de RAM a mais, somando 8 GB no total — contra 6 GB do “rival”. Quando o assunto é espaço interno, ambos contam com 128 GB, capacidade padrão atualmente. Independentemente do modelo, a promessa é de entregar desempenho suficiente para rodar qualquer jogo ou aplicação disponível na Play Store por pelo menos dois anos. Bateria Motorola Moto G 5G Plus: 5.000 mAh Motorola Edge 5G: 4.500 mAh O novo Moto G 5G Plus tem 5.000 mAh de bateria, 500 mAh a mais que o Edge 5G e seus 4.500 mAh. Ambos contam com praticamente as mesmas tecnologias de tela e processamento, então o consumo de bateria deve ser semelhante nos dois. No entanto, vale lembrar que o Edge traz alguns recursos de software extras, especialmente que aproveitam seu display curvo, o que deve resultar em um gasto ligeiramente maior alto. Ainda não temos como comprovar qual dos modelos se sai melhor em autonomia, mas na teoria o novo Moto G tende a consumir menos energia. Recursos extras A Motorola ainda não desistiu da entrada P2 para fones de ouvido em seus smartphones e a incluiu nos dois aparelhos, o que é muito bem-vindo. O Edge 5G, no entanto, traz dois alto-falantes estéreos, contra apenas um do novo Moto G, então a experiência sonora promete ser mais imersiva no modelo mais caro. Outra característica de ambos que vale destacar é a construção com revestimento repelente à água, embora não haja nenhuma certificação IP para imersão — portanto, nada de jogá-los em piscinas e praias. Os dois também trazem suporte à tecnologia de aproximação NFC, que permite pagar contas com o celular, além de recarga rápida. Novo Moto G 5G Plus tem suporte a NFC (Foto: Divulgação/Motorola) Por ser premium, o Edge 5G conta com leitor de digitais na tela, enquanto o novo Moto G traz o sensor na lateral. Os smartphones são embarcados de fábrica com sistema operacional Android 10, mas com promessa de receberem o Android 11. No entanto, a Motorola garantiu que o Edge 5G também vai ganhar o Android 12, diferente do Moto G 5G Plus. Diferencial dos dois aparelhos, o 5G está presente, embora ainda não tenhamos uma estrutura 5G robusta no país, o que deve acontecer somente depois de 2021. Ou seja, tanto o Moto G quanto o Edge já estarão prontos para quando a tecnologia estiver disponível. Enquanto esperamos esse dia chegar, os smartphones oferecem o 5G DSS, tecnologia que permite o compartilhamento das frequências do 4G LTE com os usuários de 5G. Na prática, a promessa é de uma conexão até 12 vezes mais rápida que o 4G tradicional. 5G DSS | O que é e como funciona a "nova geração" da rede disponível no Brasil Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: qual vale mais a pena? O novo Moto G e o Edge 5G são os smartphones com 5G mais "acessíveis" disponíveis no Brasil — em aspas mesmo, porque ambos ainda custam caro para o que oferecem. A Motorola trouxe o novo Moto G 5G Plus ao Brasil nesta quinta-feira (22) por R$ 2.999. Com isso, você leva um smartphone com tela de 90 Hz, processamento bastante competente e um total de seis câmeras traseiras. Ainda assim, é um aparelho da linha Moto G, por isso o acabamento de plástico pode não condizer com seu preço alto. Já o Edge 5G oferece construção mais premium, câmeras mais aprimoradas, recursos e tecnologias mais atuais e uma tela de maior qualidade, tudo isso por cerca de 500 reais a mais. Se tratando do suporte ao 5G e as vantagens do modelo mais premium, o investimento no Edge pode ser a escolha a mais acertada. Confira as ofertas do Motorola Edge 5G No futuro, a expectativa é que tenhamos aparelhos com a nova geração da rede móvel mais baratos, quando a tecnologia estará mais difundida por aqui. No entanto, se o 5G não for uma prioridade para você no momento, vale mais a pena pegar o One Fusion+, também da Motorola, que traz um conjunto bastante equilibrado e já pode ser encontrado por aproximadamente R$ 2 mil. Confira as ofertas do Motorola One Fusion+ Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: ficha técnica Moto G 5G Plus Motorola Edge 5G Tela 6,7 polegadas, Full HD+, 90 Hz, LTPS 6,7 polegadas, Full HD+, 90 Hz, OLED Chipset Qualcomm Snapdragon 765 Qualcomm Snapdragon 765G RAM 8 GB 6 GB ROM 128 GB 128 GB Câmera traseira 48 MP + 8 MP + 5 MP + 2 MP 64 MP + 16 MP + 8 MP Câmera frontal 16 MP + 8 MP 25 MP Bateria 5.000 mAh 4.500 mAh Extras NFC, leitor de digitais na lateral, Bluetooth, recarga rápida NFC, leitor de digitais na tela, Bluetooth, recarga rápida Sistema Android 10 Android 10 Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja Mais

Como adicionar vídeos em apresentação de PowerPoint

canaltech O PowerPoint é um editor de apresentação de slides da Microsoft que possui inúmeras funções e ferramentas para seus usuários. Além de permitir que sejam inseridas imagens, a plataforma também permite inserir vídeos diretamente do YouTube, ou do seu PC. Como converter arquivo do PowerPoint em PDF no seu celular Android Pacote Office: como fazer os cursos gratuitos oferecidos pela Microsoft PowerPoint ganha recurso de tradução instantânea de apresentações Este procedimento é rápido, prático, e ainda por cima ajuda a evitar a necessidade de ter que sair da apresentação para exibir um vídeo. Confira a seguir o passo a passo para adicionar vídeos nas suas apresentações! Como adicionar vídeos em apresentação de PowerPoint Do YouTube Passo 1: abra a apresentação do PowerPoint, selecione o slide que você quer inserir um vídeo do YouTube e acesse a aba “Inserir” no menu superior. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Abra o PowerPoint, selecione o slide que você quer editar e acesse a aba "Inserir" no menu superior (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 2: localize e clique no item “Vídeo” no canto superior direito e, com o menu aberto, selecione a opção “Vídeo Online”. Clique no item "Vídeo" e, em seguida, selecione a opção "Vídeo Online" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 3: na janela aberta, cole a URL do vídeo no local indicado e clique em “Inserir”. Na janela exibida, cole a URL do vídeo e clique em "Inserir" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 4: o seu vídeo foi devidamente inserido e agora você pode ajustar o tamanho e a disposição dele no slide. Lembre-se que, quando estiver apresentando, você deve ter acesso à internet para reproduzi-lo. O vídeo foi devidamente inserido e você pode ajustar o tamanho e a disposição dele no slide (Captura de tela: Matheus Bigogno) Do seu PC Passo 1: abra a apresentação do PowerPoint, selecione o slide que você quer inserir um vídeo do seu PC e acesse a aba “Inserir” no menu superior. Abra o PowerPoint, selecione o slide que você quer editar e acesse a aba "Inserir" no menu superior (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 2: localize e clique no item “Vídeo” no canto superior direito e, com o menu aberto, selecione a opção “Vídeo em Meu PC”. Clique no item "Vídeo" e, em seguida, selecione a opção "Vídeo em Meu PC" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 3: com a janela aberta, selecione o arquivo de vídeo direto do seu PC e clique em "Inserir". Na janela exibida, selecione um arquivo de vídeo do seu PC e clique em "Inserir" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 4: o seu vídeo foi devidamente inserido e agora você pode ajustar o tamanho e a disposição dele no slide. Quando você estiver apresentando, basta apenas utilizar o player exibido abaixo dele para controlá-lo. O vídeo foi devidamente inserido e você pode ajustar o tamanho e a disposição dele no slide (Captura de tela: Matheus Bigogno) Pronto! Agora você pode adicionar vídeos do YouTube, ou do seu PC nas apresentações de slide do PowerPoint. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja Mais

Astronautas da Expedição 63 voltam à Terra após seis meses vivendo na ISS

canaltech Nesta quarta-feira (21), o astronauta Chris Cassidy, da NASA, e os cosmonautas Anatoly Ivanishin e Ivan Vagner, da agência espacial russa Roscosmos, deixaram a Estação Espacial Internacional (ISS) depois de 196 dias a bordo do laboratório durante a missão da Expedição 63. Eles embarcaram no veículo russo Soyuz MS-16 e pousaram com segurança no Cazaquistão. Astronautas saem do confinamento em módulo russo após vazamento de ar na ISS Suprimento de oxigênio do módulo russo na ISS falha, mas tripulação está segura As fotos mais legais tiradas pelos astronautas da NASA que voaram com a SpaceX Um dia antes de voltar para casa, Cassidy, que foi o comandante da expedição, transferiu o comando para Sergey Ryzhikov durante uma cerimônia oficial. O astronauta alcançou a marca dos 378 dias no espaço, que é o quinto período mais longo entre os astronautas dos Estados Unidos. Durante sua estadia, ele realizou diversos experimentos científicos em microgravidade, além de ter recebido Robert Behnken e Douglas Hurley na missão Demo-2 — a missão tripulada de testes da NASA com a SpaceX, a bordo da nave Crew Dragon, marcando a primeira vez, desde o fim do programa dos ônibus espaciais em 2011, em que astronautas norte-americanos eram enviados à ISS a partir de solo norte-americano, em uma nave norte-americana. Esse transporte vinha sendo feito pelos russos e suas naves e foguetes Soyuz. Confira o momento do pouso: -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Touchdown!!! The Exp 63 crew, with @Astro_SEAL, @ivan_mks63 and Anatoly Ivanishin, has returned to Earth landing safely in Kazakhstan at 10:54pm ET. https://t.co/6xxCacI1Fd pic.twitter.com/VCQEIdzwHe — Intl. Space Station (@Space_Station) October 22, 2020 Chris Cassidy realizou sua terceira viagem para a estação espacial, enquanto Ivanishin passou pelo terceiro voo espacial e chegou ao total de 476 dias no espaço. Vagner, por sua vez, realizou o primeiro voo. Após chegar à Terra, o trio realizou exames médicos e se separou para voltar para casa: Cassidy seguiu para Houston em um avião da NASA, enquanto Vagner e Ivanishin voltaram para Star City, na Rússia. Agora, a estação conta com a astronauta Kate Rubins, da NASA, e os cosmonautas Sergey Ryzhikov e Sergey Kud-Sverchkov, da Roscosmos, como tripulantes da Expedição 64. O trio chegou recentemente ao laboratório em tempo recorde, e passarão seis meses a bordo. Entretanto, o número de tripulantes deverá aumentar em breve: depois de três adiamentos, a missão Crew-1 deverá ser lançada em novembro, e levará os astronautas, Michael Hopkins, Victor Glover and Shannon Walker, todos da NASA, e Soichi Noguchi, da Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (JAXA), para lá. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja Mais

Huawei apresenta a linha Mate 40 com tudo o que tem de melhor; será o bastante?

canaltech   A Huawei apresentou nesta quinta-feira (22) sua nova linha de smartphones premium Mate 40. O lançamento é o primeiro desde que a fabricante conquistou o primeiro lugar global na venda de smartphones, perdido recentemente para a Samsung. Apesar das dificuldades impostas pelas sanções comerciais dos Estados Unidos, os novos celulares mostram que a marca chinesa não pretende jogar a toalha, incluindo os avanços de câmera e processamento que marcaram as últimas gerações de aparelhos da fabricante. Samsung supera Huawei e retoma liderança global do mercado de celulares Com 5G, Huawei promete um futuro com cada vez menos fios Huawei Y7a é um básico de respeito com bateria de 5.000 mAh e câmera quádrupla A gigante chinesa está cada vez mais encurralada pelas restrições do governo norte-americano, que proibiu não apenas a venda dos modelos da marca nos EUA, como também o uso de aplicativos do Google. A restrição afeta até mesmo componentes fabricados por terceiros, caso dos processadores Kirin projetados pela Huawei e produzidos em Taiwan. Visual familiar Na parte externa, o Mate 40 Pro não traz grandes surpresas, com uma tela OLED de 6,76 polegadas (6,5, no Mate 40 básico) que se estende pelas laterais do aparelho. O componente possui bordas finas e possui um recorte em formato circular (Mate 40) ou de pílula (40 Pro/Pro+) para a câmera de selfie. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- O componente possui taxa de atualização de 90 Hz, oferecendo animações mais suaves no sistema. Segundo a fabricante, a linha Mate 40 Pro não adotou taxas ainda mais rápidas — caso dos 144 Hz do Xiaomi Mi 10T — para evitar um consumo elevado de energia. Tela OLED se estende pelas laterais em todos os modelos (Imagem: divulgação/Huawei) Recarga(s) rápida(s) Falando em energia, a bateria de 4.400 mAh à primeira vista parece convencional. O Mate 40 Pro e Pro+ se diferenciam, porém, ao incluir não apenas uma recarga rápida de 66 W, como também compatibilidade com carregamento sem fio com potência de 50 W. No caso do Mate 40, o aparelho conta com capacidade de 4.200 mAh. A recarga com fio do celular é compatível com até 40 W de potência e o aparelho não oferece carregamento sem fio. Kirin 9000 Motivo de orgulho da marca, o processador Kirin 9000 foi apresentado como o mais rápido de todos os tempos. A Huawei destacou que o componente é o primeiro chip 5G produzido com a tecnologia de 5 nm — o A14 usado pelo iPhone 12 não inclui um modem 5G. A CPU octa-core mantém a estrutura em três níveis, com um núcleo mais rápido com velocidade de até 3,13 Ghz. Já a GPU é a ARM Mali-G78 com 24 núcleos que, segundo a fabricante, é 52% mais rápida do que o rival Snapdragon 865+. Para os recursos de inteligência artificial, a unidade de processamento neural (NPU) do Kirin 9000 promete desempenho 2,4x superior do que o chip da norte-americana Qualcomm. Chip Kirin 9000 inclui modem 5G (Imagem: divulgação/Huawei) Não bastasse o desempenho do novo processador, a fabricante divulgou que a performance do celular reduzirá apenas 2,5% em 36 meses. Câmera turbinada Os últimos modelos premium da Huawei se destacaram bastante pelo conjunto fotográfico e com a linha Mate 40 não é diferente. Contando com o processamento de inteligência artificial do chip Kirin, a linha Mate 40 oferece ainda mais efeitos e modos especiais. Cada um dos diferentes modelos traz uma configuração diferente de câmeras, com apenas uma em comum. Todos contam com uma câmera principal de 50 megapixels. Segundo a Huawei, o sensor é o maior já usado em um celular, prometendo um bom desempenho em cenas com pouca luz. O Mate 40 Pro+ completa o conjunto com um sensor superzoom de 8 megapixels e zoom óptico de 10x, a lente telefoto de 12 MP também oferece ampliação, neste caso de 3x. Completam o conjunto o sensor ultrawide cine de 20 megapixels e um sensor de profundidade. Já o Mate 40 Pro traz uma câmera grande-angular de 16 megapixels, uma lente telefoto com zoom óptico de 3x e sensor de 8 megapixels, além de um sensor laser. O Mate 40 básico, por sua vez traz um conjunto mais tradicional, com câmera telefoto de 12 megapixels e zoom híbrido de 10x, lente ultrawide cine de 20 megapixels e o mesmo sensor laser do Mate 40 Pro. Este último componente é usado para oferecer autofoco mais rápido e preciso para o aparelho. Já a câmera de selfies oferece os mesmos 13 megapixels nos três modelos, complementado por um sensor de gestos no Mate 40 Pro e Pro+. [em atualização] Huawei Mate 40 Pro+: ficha técnica Tela: 6,76 polegadas OLED, 1.344 x 2.772 pixels, taxa de atualização de 90 hz; Chipset: HiSilicon Kirin 9000, até 3,13 GHz; Memória RAM: 12 GB; Armazenamento interno: 256 GB; Câmera traseira: 50 + 20 + 12 + 8 megapixels (principal, grande-angular, telefoto com zoom 3x e superzoom com zoom 10x) e sensor de profundidade; Câmera frontal: 13 megapixels + sensor de profundidade; Dimensões: 162,9 x 75,5 x 8,8 milímetros; Peso: 230 gramas; Bateria: 4.400 mAh, recarga com fio de 66 W, recarga sem fio de 50 W; Extras: 5G, NFC, Bluetooth 5.2, Wi-Fi 6, alto-falantes estéreo, resistência IP68 contra água e poeira; Cores disponíveis: branco e preto; Sistema operacional: Android 10, com personalização EMUI 11. Huawei Mate 40 Pro: ficha técnica Tela: 6,76 polegadas OLED, 1.344 x 2.772 pixels, taxa de atualização de 90 hz; Chipset: HiSilicon Kirin 9000; Memória RAM: 8 GB; Armazenamento interno: 256 GB; Câmera traseira: 50 + 20 + 12 megapixels (principal, grande-angular e telefoto) + sensor laser para foco; Câmera frontal: 13 megapixels + sensor de profundidade; Dimensões: 162,9 x 75,5 x 9,1 ou 9,5 mm (em vidro ou couro vegano, respectivamente); Peso: 212 gramas; Bateria: 4.400 mAh, recarga com fio de 66 W, recarga sem fio de 50 W; Extras: 5G, NFC, Bluetooth 5.2, Wi-Fi 6, alto-falantes estéreo; Cores disponíveis: : branco, preto, prata, opções com acabamento em couro vegano verde ou amarelo; Sistema operacional: Android 10, com personalização EMUI 11. Huawei Mate 40: ficha técnica Tela: 6,5 polegadas OLED, resolução de 1.080 x 2.376 pixels, taxa de atualização de 90 Hz; Chipset: HiSilicon Kirin 9000E; Memória RAM: 8 GB; Armazenamento interno: 256 GB; Câmera traseira: 50 + 16 + 8 megapixels (principal, grande-angular e telefoto) + sensor laser para foco; Câmera frontal: 13 megapixels; Dimensões: 158,6 x 72,5 x 8,8 ou 9,2 mm (em vidro ou couro vegano, respectivamente); Peso: 188 (vidro) ou 184 gramas (couro); Bateria: 4.200 mAh, recarga com fio de 40 W; Extras: 5G, NFC, Bluetooth 5.2, Wi-Fi 6, alto-falantes estéreo, entrada para fone de ouvido; Cores disponíveis: branco, preto, prata, opções com acabamento em couro vegano verde ou amarelo; Sistema operacional: Android 10, com personalização EMUI 11. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Netflix revela quais são as séries e os filmes mais populares do catálogo Veja Mais

WhatsApp para Android deve ganhar proteção via reconhecimento facial em breve

canaltech O WhatsApp liberou uma nova versão de testes para Android e como sempre, os especialistas do site WABetaInfo já destrincharam o aplicativo. O novo beta do mensageiro inclui referências a uma opção para entrar em chamadas perdidas e, mais importante, suporte a novos sistemas de biometria, incluindo reconhecimento facial. Como proteger suas conversas com senha no WhatsApp Web Como colocar senha no WhatsApp do seu smartphone Android? WhatsApp ganha bloqueio por digital no Android Ao que tudo indica, o WhatsApp irá ganhar no Android compatibilidade com desbloqueio facial — recurso oferecido desde o ano passado no iPhone. A novidade foi encontrada ao acessar o menu de configurações da versão de testes 2.20.203.3 do app. No lugar da opção “Bloqueio por impressão digital”, o beta oferece um “bloqueio por biometria”. Nova descrição lista reconhecimento facial e outros métodos de desbloqueio (Imagem: reprodução/WABetaInfo) Atualmente nos celulares equipados com o sistema do Google, é possível restringir o acesso ao WhatsApp apenas com impressão digital ou com o uso de ferramentas de terceiros. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- O novo sistema de proteção poderá utilizar outros recursos de biometria oferecidos pelo celular, desde que compatíveis com o sistema Android e o próprio mensageiro. A novidade é útil não apenas para os smartphones que não contam com um sensor de digitais, como também facilita o uso em situações em que o leitor não está funcionando direito ou quando o usuário está com luvas. Chamadas atrasadas Outro novo recurso encontrado neste beta do WhatsApp é a opção de entrar em chamadas perdidas. Um exemplo citado pelo WABetaInfo é para as conversas de grupo em andamento que o usuário não viu a notificação (ou fechou por acidente). WhatsApp beta mostra chamadas perdidas que estão em andamento (Imagem: reprodução/WABetaInfo) Como geralmente acontece com os recursos testados no WhatsApp, não há previsão de lançamento das novidades mostradas. É possível que elas sofram alterações antes de chegar ao app oficial ou até mesmo não sejam disponibilizadas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Netflix revela quais são as séries e os filmes mais populares do catálogo Veja Mais

Diretor de Barrados no Shopping promete retorno de todo elenco na sequência

canaltech A comédia romântica Barrados no Shopping (Mallrats), lançada em 1995, tornou-se um clássico cult e sua aguardada sequência já está saindo do papel. A novidade, agora, é que o diretor Kevin Smith garantiu o retorno do nostálgico elenco original em Twilight of the Mallrats. Os melhores filmes de comédia disponíveis na Netflix 5 filmes de chorar de rir para assistir no streaming do Telecine As 10 melhores comédias românticas disponíveis na Netflix Alguns personagens e atores do primeiro filme já haviam sido confirmados anteriormente — Shannen Doherty como Rene e Ben Affleck como Shannon —, mas o que os fãs não sabiam é que todo o elenco central está voltando para a sequência. A informação surgiu em uma entrevista, quando o diretor foi questionado sobre quem os fãs poderiam aguardar pelo retorno no novo filme. Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Imagem: Reprodução/Alphaville Films O cineasta foi direto ao dizer que “todo mundo volta”, inclusive o falecido Stan Lee, que faz uma participação especial em Barrados no Shopping. Não foi revelado, no entanto, como a imagem dele seria inserida no novo filme, mas não é difícil prever que a aparição de Lee será um dos momentos mais aguardados de Twilight of the Mallrats. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- "Absolutamente. Todo mundo volta. Barrados no Shopping tem uma parte realmente gostosa e comovente. Estou muito feliz com a parte dois de Barrados no Shopping. O que me deixa mais feliz... Mas, obviamente, um de nós não pode voltar, certo? Stan se foi. Então há uma cena de Stan Lee, e ela faz todo o sentido. E quando você vir isso, certamente vai chorar ao mesmo tempo que ri. Bem, não estou dizendo que sou inteligente, mas é muito inteligente. E eu consigo fazer isso sem trazer alguém que não faz parte da família, por assim dizer. É muito maravilhoso. Então, ele também está representado. Ele é uma grande figura na vida de Brodie. Até o momento, Twilight of the Mallrats (que poderíamos traduzir como “Crepúsculo dos Barrados no Shopping”, aproveitando o título que o primeiro ganhou no Brasil) está definido apenas como comédia e ainda não tem uma data de estreia definida. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Netflix revela quais são as séries e os filmes mais populares do catálogo Veja Mais

Dropbox lança plano “Família” com espaço e recursos para até seis pessoas

canaltech Quem paga licenças para dois ou mais usuários em uma mesma residência no Dropbox agora pode economizar um pouco ao assinar o novo plano Family (ou Família, em português), que foi anunciado nesta quarta-feira (21) pela plataforma de armazenamento em nuvem. Por enquanto, infelizmente, a novidade pareça ser restrita aos usuários dos EUA, visto que não encontramos a opção no site brasileiro do serviço. Dropbox lança aplicativo para gerenciamento de senhas OneDrive para PC ganha modo escuro e novo limite de upload Comparativo: os principais serviços de armazenamento na nuvem O pacote Family nada mais é do que uma licença única para seis usuários, sendo que cada um terá todos os recursos do plano Plus (incluindo um “cofre” privado protegido por senhas para arquivos sensíveis e um gerenciador de passwords). O espaço de armazenamento total é de 2 TB e existe um espaço no qual todos os membros da família podem compartilhar arquivos entre si — o chamado Family Room. “Com a maioria das pessoas vivendo, trabalhando e estudando em casa, nossas vidas se complicaram quase que da noite para o dia. Não podemos reunir todos para algumas risadas na sala da família, mas estamos fazendo a nossa parte para ajudar você e sua família a organizar suas vidas digitais com a introdução de nosso novo plano Família”, explica a companhia. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Vale observar que a novidade já estava sendo testada com um número diminuto de usuários selecionados pela própria plataforma, e só agora foi liberada ao público. O plano custa US$ 19,99 (cerca de R$ 112 na cotação direta) por mês ou US$ 203,88 (R$ 1,1 mil) para uma licença anual. Trata-se de um investimento salgado, mas que ainda assim vale mais a pena do que pagar três ou quatro mensalidades Plus separadamente, por exemplo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil

canaltech A nova linha iPhone 12 já está oficialmente pronta para ser comercializada em nosso país, visto que, nesta quarta-feira (21), a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) finalmente emitiu o Certificado de Conformidade Técnica para o iPhone 12 Pro Max. Tratava-se do último modelo a ser homologado pela agência reguladora, visto que a edição primária e as variantes mini e Pro já haviam recebido sinal verde. Certificação do iPhone 12 Pro Max revela bateria menor do que a do 11 Pro Max Por que o iPhone 12 tem bateria menor e mesma autonomia? Anatel explica iPhone 12: primeiras análises elogiam construção e desempenho das câmeras Embora o documento em questão não cite exatamente o nome comercial do gadget, ele se refere ao A2411 — que, conforme a própria página de especificações técnicas da Apple, é o código pertencente ao modelos mais poderoso da nova família. O relatório lista todas as frequências nas quais o smartphone está apto a operar e tal listagem bate com as bandas especificadas em sua página oficial no site da Maçã. Imagem: Captura de Tela/Canaltech Ademais, o certificado ressalta que, embora o 12 Pro Max tenha sido testado com uma fonte de alimentação de código A2465 (um carregador de 20W que foi homologado em agosto), ele não virá com um carregador incluso em sua caixa — algo que, infelizmente, todos nós já sabíamos desde o anúncio do produto. Por fim, é interessante citar que o documento lista as unidades fabris do smartphone e cita que poderão ser comercializadas unidades oriundas da China, da Índia e da própria fábrica do Brasil. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- A homologação, vale lembrar, é essencial para que qualquer dispositivo seja vendido em terras brasileiras — é ela que atesta a conformidade do aparelho com as normas técnicas estabelecidas pela Anatel. Apesar de as certificações já terem sido emitidas, não sabemos exatamente quando os novos aparelhos serão lançados por aqui. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar Celular robusto Samsung Galaxy XCover Pro é lançado no Brasil por R$ 2,8 mil Veja Mais

Novo Acer Chromebook Spin 513 vem com Snapdragon 7c e bateria que dura 14 horas

canaltech Tudo indica que, para o futuro, a tendência é que o mercado de laptops abandone as arquiteturas de processamento tradicionais em prol da ARM (que nasceu para uso em smartphones), criando assim modelos leves e altamente portáteis. A Microsoft já usa esse tipo de chip na linha Surface e a Apple deve adotá-la em seu futuro Apple Silicon, que estreará na próxima geração da família MacBook. Conhecendo o Chrome OS: entenda o sistema operacional do Google O que é um processador ARM? Macs com CPUs próprias da Apple devem ser anunciados em novembro Porém, se um Surface ou um MacBook forem caros demais para o bolso, saiba que a Acer acaba de anunciar uma alternativa bem mais acessível e que usufrui dessa nova tendência tecnológica. Estamos falando do Chromebook Spin 513, um conversível que roda o sistema operacional Chrome OS e é baseado na plataforma de computação Qualcomm Snapdragon 7c (revelada em dezembro de 2019).   Por conta desse “coração” moderno, o modelo possui compatibilidade com redes 4G, sendo possível usar um chip de dados para conectá-lo à internet mesmo quando estiver longe de um roteador WiFi. Ademais, visto que o Snapdragon 7c possui uma excelente autonomia energética, a bateria do laptop pode durar até 14 horas. São duas características que o tornam perfeito para o profissional “móvel” dos tempos atuais. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Com design similar ao de um MacBook Air, o Spin 513 conta com chassi de alumínio e um display de 13,3 polegadas com resolução Full HD e vidro Gorilla Glass. Será possível encontrá-lo com até 8 GB de memória RAM (o que é mais do que o suficiente para rodar o sistema operacional baseado em nuvem do Google) e 128 GB de armazenamento interno. O gadget passará a ser vendido nos EUA a partir de fevereiro de 2021, custando a partir de US$ 399 (cerca de R$ 2,2 mil na conversão direta). Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

Gmail libera ferramenta que facilita compartilhamento do Drive direto do e-mail

canaltech A Workspace — antigo G Suite — é uma das suítes de produtividade em nuvem mais famosas que existem. Se a sua empresa também a utiliza, você certamente já passou por tal situação: elaborou um documento no Docs e, após compartilhá-lo com o restante da equipe, passou a receber diversas notificações em seu email de indivíduos solicitando acesso para visualizá-lo. GSuite vira Google Workspace e ganha novo visual e mais integração entre apps Rumor | Google Meet sairá do G Suite para concorrer com Zoom Gmail: veja funções do serviço de e-mails que você nem devia saber que existiam Isso acontece porque nem sempre nos lembramos de conceder tal acesso manualmente através do menu de compartilhamento da plataforma. Felizmente, o Gigante das Buscas resolveu acabar com tal dor de cabeça ao anunciar, nesta quarta-feira (21), que a partir de agora será possível compartilhar arquivos do Drive diretamente através dos e-mails de solicitação enviados automaticamente pela plataforma. Imagem: Divulgação/Google Workspace As tais notificações agora incluem um campo interativo no qual o internauta consegue especificar se o solicitante poderá editar, comentar ou apenas ler o documento em questão, salvando tal configuração diretamente pela interface do Gmail, sem precisar ter que abrir uma nova guia e se embaralhar no menu de compartilhamento do Docs. A mudança é simples, mas com certeza dará maior agilidade às equipes de trabalho. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Vale ressaltar que a novidade só é válida para usuários corporativos (G Suite/Workspace) do Drive/Gmail — os usuários finais ainda precisarão conceder acessos manualmente ao compartilhar algo com alguém. A funcionalidade começou a ser disponibilizada gradualmente desde a última terça-feira (20) e será distribuída para todas as contas ao longo dos próximos 15 dias. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

Acer apresenta seis novos monitores gamer com alta taxa de atualização

canaltech A Acer apresentou seis novos monitores com foco em games. Isso quer dizer que eles chegam com tecnologia IPS e alta taxa de atualização de quadros, acima dos 170 Hz, colaborando com o tempo de resposta para jogos. Mas, antes de falarmos sobre cada um dos novos modelos, é preciso compreender como funcionam as nomenclaturas da Acer. A marca conta com duas linhas para gamers: a Predator, voltada para tecnologia de ponta, e a Nitro, que funciona como a versão mais básica das duas (embora ainda com alto nível). Predator A linha conta com quatro novos aparelhos. Abaixo, você confere do mais potente para o menos, diferenciando suas especificações. É importante ter em mente que a linha toda conta com G-Sync da Nvidia e IPS, garantindo alta taxa de resposta. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Predator X 34 GS Foto: Divulgação/Acer O aparelho chega com tela IPS de 34 polegadas e ultra-wide em definição QHD (3440 x 1440). Segundo a empresa, o modelo pode alcançar até 180 Hz de atualização e é compatível com VESA DisplayHDR 400. O monitor ainda tem caixas de som de 7 W. Este novo Predator deve ser lançado em dezembro deste ano nos Estados Unidos por US$ 1.100, equivalente a R$ 6.150. Predator XB323U GX Foto: Divulgação/Acer Esta versão é muito parecida com a anterior. Ele mantém o modelo com QHD, mas sem ser ultra-wide. Assim, é uma tela de 32 polegadas que consegue alcançar até 270 Hz de atualização. Com tempo de resposta de 0,5 ms, é compatível também com o G-Sync. O modelo tem lançamento agendado para janeiro de 2021 por US$ 900, equivalente a R$ 5.050. Predator XB273U NV Foto: Divulgação/Acer Ainda em modelos com QHD IPS, este aparelho é menor, com 27 polegadas. Ele alcança 170 Hz contando com 1ms de resposta. Ainda, o monitor chega com o sistema VisionCare 4.0, sensor capaz de ajustar automaticamente brilho e temperatura de cor de acordo com o ambiente. Ele está tem lançamento previsto para janeiro de 2021 custando US$ 550, equivalente a R$ 3.070. Predator XB253Q GW Foto: Divulgação/Acer Por fim, este é o modelo mais básico da linha. É o único dos quatro a alcançar apenas 1080p em sua tela IPS de 24,5 polegadas, atingindo atualização de 280 Hz, que é ideal para jogos com alta demanda de resposta. O modelo tem lançamento marcado para janeiro de 2021 por US$ 430, equivalente a R$ 2.400. LINHA NITRO Agora, vamos para os modelos gamer de entrada. Aqui, há duas versões muito similares, ambos com 27 polegadas: XV272U KV Foto: Divulgação/Acer Este monitor IPS de 27 polegadas conta com definição em QHD, alcançando até 170 Hz de atualização e tempo de resposta de 1ms. Ele também chega com a tecnologia VisionCare 4.0 de ajuste automático ao ambiente. O aparelho custa US$ 400 (equivalente a R$ 2.250), com lançamento em dezembro. XV272 LV Foto: Divulgação/Acer Por fim, o modelo mais básico apresentado pela Acer é este aqui. Ele conta com definição de 1080p em sua tela IPS, com taxa de atualização de 165 Hz. A empresa não deu mais informações sobre o dispositivo, por enquanto. Este monitor deve chegar ao mercado também em dezembro, por US$ 280, equivalente a R$ 1.570. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Celular robusto Samsung Galaxy XCover Pro é lançado no Brasil por R$ 2,8 mil O céu (não) é o limite | Enorme tubo de lava descoberto em Marte, e muito mais! Windows 10 October Update: confira todas as novidades da nova versão Primeiro celular compatível com carregador sem fio da Apple não é um iPhone Supercomputador mostra como o coronavírus se espalha em mesa de restaurante Veja Mais

Acer atualiza notebooks com novos processadores e GPU da Intel

canaltech Em sua conferência global realizada nesta quarta-feira (21), a Acer não só anunciou os novos laptops e desktops da linha ConceptD como também renovou as linhas Swift, Spin e Aspire com os novos processadores Intel Tiger Lake de 11ª geração e GPU dedicada Intel Iris Xe Max. O mais interessante, entretanto, é que a mudança para a nova família de CPUs da Intel elevou consideravelmente a autonomia dos ultraportáteis da marca taiwanesa, que agora diz conseguir chegar a mais de 17 horas longe da tomada. Acer atualiza linha de PCs ConceptD para bater de frente com MacBook Pro Acer Swift 3X A principal novidade apresentada na manhã de hoje nesse segmento, o Swift 3X é o primeiro notebook ultraportátil da Acer a vir equipado com a nova GPU integrada da Intel, a Iris Xe Max. Em conjunto com os novos processadores Tiger Lake de 11ª geração, as especificações são suficientes para dar conta de trabalhos de fotógrafos, youtubers e profissionais que demandam por desempenho ou que querem jogar. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- O notebook chama atenção pela cor escura da carcaça e o dourado aplicado na porção interna. O corpo mede 32,2 x 21,3 x 1,7 cm e pesa apenas 1,27 kgs, o que o coloca em pé de igualdade com o MacBook Air da Apple. Porém, diferente do notebook da empresa de Cupertino, a máquina taiwanesa vem com display IPS Full HD (1080p) de 14 polegadas e bem mais opções de conectividade, contando com USB-C, Thunderbolt 4, HDMI e USB-A. Outro destaque são os novos processadores Tiger Lake da Intel. Ao todo, o Swift 3X será oferecido pela Acer em duas versões diferentes: uma mais básica, com Core i5-1135G7, e outra mais potente, com Core i7-1165G7. Ambos são processadores competentes, com quatro núcleos e oito threads, e que se aproveitam das mais recentes melhorias de arquitetura promovidas pela Intel. Uma delas, inclusive, é o menor consumo energético, que proporciona um incremento considerável na autonomia da bateria. Sendo assim, a Acer diz que o Swift 3X pode ficar até 17,5 horas longe do carregador - tempo mais que suficiente para um dia inteiro de trabalho. Outro benefício óbvio é a nova placa gráfica Iris Xe Max, que não foi detalhada pela Acer, mas já foi apresentada pela Intel no Architecture Day 2020. Se tudo correr conforme o anunciado, essas novas GPUs serão as responsáveis por tornar a fabricante de semicondutores mais competitiva num mercado que hoje é dominado por Nvidia e AMD. Para fechar o pacote, a Acer confirmou que o Swift 3X poderá ser configurado pelo consumidor para vir com até 16 GB de memória RAM LPDDR3X, e sistema de armazenamento híbrido com 512 GB em SSD e memória Optane ou SSD NVMe de 256 GB, 512 GB ou 1 TB. Swift 3X é a principal nova oferta da Acer no segmento de produtividade. Diferencial fica por conta dos processadores Intel Tiger Lake de 11ª geração e a nova GPU integrada Iris Xe Max (Imagem: Divulgação/Acer) Acer Spin 5 e Spin 3 O conversível da marca taiwanesa também foi atualizado e recebeu os novos processadores da Intel. Com dobradiça de 360 graus, 14,9 mm de espessura e 1,2 kg, o equipamento pode ser usado em modo tablet, tenda e o tradicional concha. Internamente, o Acer Spin 5 vem com os mesmos processadores que o Swift 3X, aproveitando-se das melhorias dos novos componentes e das novas GPUs integradas Intel Iris Xe Max. As opções de memória RAM também são as mesmas, embora o armazenamento seja um pouco mais restrito: o consumidor poderá escolher entre 512 GB ou 1 TB em SSD NVMe. A bateria também aguenta menos tempo longe da tomada: aqui a Acer promete até 15 horas de logenvidade com uma única carga. Spin 5 é a principal oferta no segmento de conversíveis da Acer; principal diferencial é a tela no formato 4:3, que dá mais espaço para artistas trabalharem (Imagem: Divulgação/Acer) As diferenças, no fim das contas, ficam por conta da tela IPS de 13,5 polegadas sensível ao toque com resolução 2K e aspecto 3:2 e a canetinha integrada Acer Active Stylus, que vem com tecnologia Wacom AES para ajudar designers e artistas a extraírem o que há de melhor no Spin 5. Para quem deseja algo mais "simples", a Acer também falou brevemente sobre o Spin 3. O equipamento vem com as mesmas especificações de seu irmão, mas se diferencia por ter uma versão ainda mais básica com Core Core i3-1115G4 e tela sensível ao toque no formato 16:10 com resolução WQXGA (2.560 x 1.600 pixels). Fora isso, todo o resto é igual, incluindo as portas USB-C compatíveis com Thunderbolt 4, conectividade Wi-Fi Killer 1650 e Acer Active Stylus embutida. Com mais uma opção de processador, o Spin 3 tem uma proposta mais tradicional no setor de conversíveis, contando com tela no formato 16:9 (Imagem: Divulgação/Acer) Acer Aspire 5 Ao contrário das linhas irmãs, a Aspire foi a única que "esnobou" a nova placa de vídeo integrada da Intel e ofereceu GPUs dedicadas Nvidia GeForce MX 350 e MX450 mesmo tendo adotado a 11ª geração de processadores da companhia — embora o usuário possa escolher um modelo com a GPU da Intel. Ao todo, a Acer apresentou três novos modelos para a família Aspire, todos voltados para a produtividade e multitasking e contando com tela IPS Full HD sensível ao toque com relação tela-corpo de mais de 80%. A diferença fica por conta do tamanho do display, que vai de 14 polegadas no modelo de entrada, passando por 15 polegadas no intermediário, e chegando ao topo de linha de 17,3 polegadas. O chassi vem em diferentes colorações, desde o tradicional preto e prata, até azul, verde-oliva e rosê, enquanto as configurações ficam por conta da preferência do usuário. Os modelos vêm equipados com processadores Intel Core Core i3-1115G4, Core i5-1135G7 ou i7-1165G7, até 8 GB de memória RAM DDR4 (expansível para até 24 GB), além de opções de armazenamento de 128GB, 256GB ou 1TB em SSD NVMe, ou ainda 1 TB ou 2 TB em disco rígido mecânico. A bateria tem autonomia estimada de 10 horas, segundo a Acer. Tradicional linha Aspire também foi atualizada para novas CPU da Intel, mas se diferencia das demais por trazer opção de GPU Nvidia MX350 ou MX450 (Imagem: Divulgação/Acer) Preço e disponibilidade O Acer Swift 3X tem lançamento agendado para dezembro nos Estados Unidos, onde chega ao mercado com preço a partir de US$ 899. O Acer Spin 3, por sua vez, tem previsão de estreia nos EUA em março, quando chega por a partir de US$ 850; enquanto seu irmão está previsto para fevereiro com etiqueta de a partir US$ 1.000. Finalmente, o Acer Aspire 5 chegará ao mercado norte-americano entre dezembro e fevereiro custando de US$ 500 a US$ 550, dependendo do modelo que o usuário escolher. A Acer ainda não confirmou nem preço, nem data de lançamento dos novos notebooks no Brasil. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Celular robusto Samsung Galaxy XCover Pro é lançado no Brasil por R$ 2,8 mil O céu (não) é o limite | Enorme tubo de lava descoberto em Marte, e muito mais! Windows 10 October Update: confira todas as novidades da nova versão Primeiro celular compatível com carregador sem fio da Apple não é um iPhone Supercomputador mostra como o coronavírus se espalha em mesa de restaurante Veja Mais

Toyota Corolla x Honda Civic: qual o melhor sedã japonês?

canaltech Não tem como negar: no mercado automotivo, poucos embates são mais acirrados quanto o de Toyota Corolla e Honda Civic. Os sedãs japoneses são dois dos carros mais vendidos e respeitados do mundo há décadas e, aqui no Brasil, possuem uma clientela fixa, que ainda resiste às imposições do cenário nacional, que se entregou de vez aos SUVs. Análise | Toyota Corolla 2020 Hybrid dá show em consumo, tecnologia e conforto Análise | Toyota Corolla continua reinando em terra de SUVs Análise | Honda Civic Touring é purista e divertido, mas precisa se atualizar Tanto o Corolla quanto o Civic apresentaram inovações e melhorias significativas ao longo dos anos, mas, nas atuais gerações de cada um, tanto Toyota quanto Honda optaram por seguir caminhos diferentes para tentarem atingir o mesmo público, seja apelando para pacotes tecnológicos mais modernos, ou para um motor mais apimentado. Em termos de vendas, o Corolla segue dominando o segmento há anos e com ampla vantagem. Para termos ideia, em 2020, até o mês de setembro, mesmo com a pandemia, o sedã médio da Toyota emplacou 26.770 unidades, enquanto o Honda somou 12.766, segundo a FENABRAVE. Muitos carros populares não chegam nem aos pés desses dois, o que mostra que o consumidor desses modelos é bem fiel e sabem bem o que estão procurando -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Nós testamos as versões topo de linha de ambos os carros para esse comparativo. Eventualmente utilizaremos as demais versões para alguns parâmetros. Da mesma forma como fizemos com o comparativo de picapes, dividiremos em critérios e, na soma dos pontos, o veredicto final. Lembrando que a pontuação é: Vitória - 3 Pontos 2º lugar com pouca desvantagem - 2 pontos 2º lugar absoluto - 1 ponto 1. Design e Acabamento O bicho já começa a pegar por aqui. Como falamos acima, por mais que sejam concorrentes ferrenhos, Corolla e Civic tentam atingir o mesmo público, mas com propostas bem diferentes, e isso inclui o design. Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech Sempre conhecido como "Vovôrolla", o Toyota mudou bastante essa visão na atual geração e apresenta um estilo mais agressivo em seu design, mas ainda sim mais "tradicional" se compararmos com o Civic. Já o modelo da Honda optou pela esportividade, e traz uma aparência mais arrojada e moderna. Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech Quando vamos para o interior, o jogo se inverte. Por mais que a evolução do Civic para a geração 9 tenha sido brutal, o Corolla apresenta um painel e detalhamento mais refinado e elegante, com materiais de mais qualidade. Como não podemos ficar em cima do muro, a vitória vai para o Honda Civic, mas podemos dizer, sem dúvidas, de que não existe mais Vovôrolla. Vencedor: Honda Civic - 3 pontos 2º lugar: Toyota Corolla - 2 pontos 2. Conforto Este é um quesito que vai causar polêmica. Ambos os automóveis são confortáveis, mas aqui é onde, talvez, a proposta de ambos se torne mais distinta. O Toyota Corolla é, há décadas, sinônimo de conforto e maciez, e isso parece ser chegado ao auge na atual geração. A cabine, além de extremamente silenciosa, recebe poucos impactos do solo devido à suspensão independente com braço multilink (na traseira). Por mais que seja o mesmo tipo de equipamento do Civic, o acerto de ambos é bem diferente. Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech O Civic, até por seu apelo esportivo, privilegia uma condução mais firme e robusta. Não que ele não seja confortável, mas a diferença para o Corolla é bem evidente, sobretudo na maneira como nosso corpo se posiciona no hip line. Se estivéssemos falando sobre dirigibilidade, talvez até o Honda pudesse vencer, mas, o que torna o Corolla absoluto neste quesito é que o modelo da Toyota, por mais macio e confortável que seja, também é capaz de proporcionar uma condução ágil se necessário. Aqui, não há muitos questionamentos. Dá Corolla. Vencedor: Toyota Corolla - 3 Pontos 2º lugar: Honda Civic - 1 ponto 3. Desempenho Aqui, por mais que tenhamos um vencedor, haverá polêmica, claro e, de novo, entenderemos os motivos pelos quais as propostas são bem diferentes. Não há dúvida: o Civic anda mais do que o Corolla. O Honda, em sua versão topo de linha, ostenta um motorzão 1.5 turbo de 173cv, enquanto o Corolla ainda aposta em uma solução 2.0 aspirada, que entrega 177cv. A diferença, contudo, vai para a oferta de torque, que é superior, nesse caso, no Civic, graças ao seu motor turbo. O Civic traz os 22,4 kgf/m de torque já a 1700rpm, enquanto o Corolla vem com 21,4 a 4400rpm. Por mais que o Toyota esteja longe, bem longe, de ser chato de guiar, o Honda é superior e mais ágil, além de ser um pouco mais econômico. A única desvantagem, contudo, é ser movido apenas à gasolina. Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech Neste quesito, a vitória vai para o Honda Civic, mas devemos fazer algumas ponderações. O motor Dynamic Force, que equipa a versão topo de linha do Corolla, é a mesma em todos os modelos do carro, inclusive a de entrada, a GLi. Já o Civic só possui o 1.5 turbo na versão Touring, uma vez que nas demais, é o mesmo e cansado 2.0 de 150cv. Isso sem falar que o Corolla possui uma versão híbrida, muito eficiente, ágil e, claro, econômica. Portanto, no campo do desempenho, o Civic Touring reina absoluto, mas nas demais versões, o Toyota se sai melhor. Vencedor: Honda Civic - 3 Pontos 2º lugar: Toyota Corolla - 1 ponto 4. Conectividade e Tecnologia Em nossa análise do Honda Civic, abordamos que o sedã médio, apesar de agradar mais aos puristas, estava bem defasado em termos de tecnologia quando o comparávamos não apenas ao seu principal rival, mas também aos demais veículos de sua categoria e, até, de segmentos inferiores. Por isso, por aqui, sem mistérios. Dá Corolla. Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech Apesar de bem equipado e seguro, o Civic não possui o pacote tecnológico que equipa o Corolla. O sedã da Toyota, em sua nova geração, incorporou sistemas de segurança que, em breve, serão padrão da indústria, como o piloto automático adaptativo, alerta de colisão, sistema de frenagem de emergência e o alerta de saída de faixa com correção ativa. No campo da conectividade, porém, ambos possuem centrais multimídia equilibradas, com suporte ao Android Auto e Apple Car Play, além de um som de extrema qualidade. A Honda talvez equilibre as coisas com a nova geração do Civic, que deve chegar ao Brasil apenas em 2022. Vencedor: Toyota Corolla - 3 Pontos 2º lugar: Honda Civic - 1 Ponto 5. Custo-benefício Aqui é páreo duro. Corolla e Civic reinam absolutos no mercado brasileiro não apenas por serem automóveis espetaculares, mas também pelo pós-venda impecável de suas respectivas montadoras. Aqui, a diferença é pelo fio de cabelo e dá Toyota Corolla. Explicamos. Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech Hoje, o Toyota Corolla Altis, em sua versão 2.0, custa na casa dos R$ 130.390, com todos os opcionais. Já o Honda Civic, mesmo defasado tecnologicamente, pode ser adquirido por R$ 142.200, também com todos os pacotes opcionais. É uma diferença considerável de preço de levarmos em conta o que cada um entrega aos seus proprietários. Ambos são veículos extremamente confiáveis e duradouros, mas o que dá ao Civic a vantagem em termos de desempenho, pode tirá-la depois de anos de uso, já que o motor turbo exige uma manutenção mais delicada e complicada. Além disso, a tabela de revisões, que até os 30 mil quilômetros é bem equilibrada, apresenta uma discrepância quando vamos para os 40 mil. Veja abaixo: Quilometragem Toyota Corolla Altis Premium Honda Civic Touring 10 mil km R$ 347,56 R$ 353,15 20 mil km R$ 699,00 R$ 573,71 30 mil km R$ 621,00 R$ 584,15 40 mil km R$ 960,00 R$ 1.696,32 Com isso em mente, na ponta do lápis, o custo-benefício do Corolla se mostra superior ao do Honda Civic, ao menos, neste momento. Com a nova geração, claro, tudo pode mudar. Vencedor: Toyota Corolla - 3 Pontos 2º Lugar: Honda Civic - 2 pontos Veredicto Com fãs pelo Brasil e pelo mundo, é sempre muito arriscado fazer um comparativo entre Honda Civic e Toyota Corolla. Mas, aqui no Canaltech, procuramos levar em conta todos os aspectos possíveis para este tipo de análise, e cada detalhe conta, afinal, são produtos extremamente equilibrados e bem sucedidos há décadas. Porém, analisando ponto a ponto, a vitória vai para a atual geração do Toyota Corolla. Mesmo sendo inferior em desempenho, o sedã médio mais vendido do Brasil e do mundo reúne predicados que o colocam no topo sem maiores questionamentos. Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech Com design correto, muita tecnologia e conforto, mecânica confiável e custo-benefício justo, o Corolla segue na ponta sem risco de ser ultrapassado, mesmo tendo concorrentes como o Honda Civic. Já pelo lado do Honda, o Civic é um carro extremamente gostoso de guiar e com desempenho mais do que divertido, porém seu atual projeto já precisa passar por uma atualização urgentemente, sobretudo no campo tecnológico. Pontuação Toyota Corolla - 12 pontos Honda Civic - 10 pontos Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses Hacker misterioso “Eris Loris” está arruinando milhares de partidas de Among Us Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos Stranger Things | Fotos revelam o exato ano em que acontece a 4ª temporada Saiba quais são os melhores processadores de celular em 2020 Veja Mais

Lee Kun-hee, presidente da Samsung, morre aos 78 anos

canaltech Lee Kun-hee, presidente da Samsung, faleceu no último sábado (24), aos 78 anos. A empresa, em comunicado oficial, confirmou a notícia e reforçou que estava acompanhado da família no momento de sua morte. Lee estava hospitalizado, mas a causa do falecimento não foi revelada oficialmente até o momento. O executivo precisou fazer uma cirurgia em 2014, em decorrência de um ataque cardíaco, e fez tratamento contra câncer de pulmão na década de 1990. Galaxy S21 Plus tem suposto visual revelado; confira as imagens Galaxy Note 20 e Note 20 Ultra começam a receber beta da One UI 3.0 Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável A Samsung, em nota oficial, afirmou que "O presidente Lee foi um verdadeiro visionário que transformou a Samsung em líder mundial de inovação e potência industrial através de um negócio local. Sua declaração de 'Nova Administração' em 1993 foi a motivação para a visão da empresa de fornecer a melhor tecnologia para ajudar no avanço da sociedade global. Seu legado será eterno". Seu filho, o vice-presidente Jay Y. Lee, assumirá o comando da empresa. Lee Kun-hee transformou a Samsung Lee Kun-hee foi responsável pela transformação e crescimento da Samsung, colocando a empresa em um patamar global. No começo da década de 1990, liderou uma série de mudanças com a missão de criar produtos com a maior qualidade disponível, mesmo que isso significasse um número baixo de vendas. Sua fortuna foi estimada em U$ 20,7 bilhões, de acordo com o índice de bilionários do Bloomberg, classificando-o como a pessoa mais rica da Coreia do Sul. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses Hacker misterioso “Eris Loris” está arruinando milhares de partidas de Among Us Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos Stranger Things | Fotos revelam o exato ano em que acontece a 4ª temporada Saiba quais são os melhores processadores de celular em 2020 Veja Mais

Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (24/10/2020)

canaltech Sem grandes novas estreias nos cinemas, seguimos nos alimentando de streaming e VOD por tempo indeterminado. O lado ruim, é que não sabemos quando chegarão os títulos mais aguardados. O lado bom, é que este é o momento para assistir alguns dos melhores títulos que já passaram e perdemos ou conferir as novidades que existem para além dos blockbusters. A lista de melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online desta semana está repleta de opções que foram alguns dos filmes mais comentados dos últimos anos, enquanto o topo da lista abre espaço para as novidades que chegaram sorrateiramente na internet. Nesta semana, tivemos o último episódio da primeira temporada de uma das séries mais aguardadas do momento e que ficou entre os nossos destaques. Temos série nova também, alguns filmes premiados e elogiados que são praticamente indispensáveis para quem gosta de cinema, e até um musical, que é um gênero que, feliz ou infelizmente, aparece pouco por aqui. Mas a cereja do bolo é uma aguardada sequência que foi lançada a tempo de tentar causar um impacto real nas eleições dos EUA. Ficou curioso para saber que filmes e séries são esses? Então dá uma olhada nas nossas dicas do que assistir online neste final de semana. Para facilitar ainda mais a sua vida, o Canaltech sempre acrescenta trailer e uma pequena descrição de cada produção, além de incluir os links para os serviços em que elas estão disponíveis, assim o seu trabalho é basicamente apenas apertar o play. Veja quais te agradam, prepare a sala, reúna toda a família e divirta-se! -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Os lançamentos da Netflix em outubro de 2020 Os lançamentos do Amazon Prime Video em outubro de 2020 Lançamentos da Netflix na semana (23/10/2020) 10. Garota Exemplar   É mistério que você quer? Garota Exemplar é daqueles filmes que dá um quebra-cabeças para o espectador tentar montar, um mistério que, a cada nova informação ou camada, fica ainda mais complexo e fisga você justamente por isso. Para quem acompanha os nomes por trás das câmeras, não é uma surpresa que a direção seja de David Fincher, de Seven: Os Sete Crimes Capitais, Clube da Luta e A Rede Social. Estrelado por Ben Affleck e Rosamund Pike, em um elenco que conta ainda com a presença de Neil Patrick Harris e Tyler Perry, Garota Exemplar é impecável ao nos manipular e o trabalho de atuação é essencial em cada momento. Esse é daqueles filmes que, mesmo que não gostemos, nem sequer conseguimos colocar defeitos. Garota Exemplar, que está disponível nos catálogos da Netflix e do Now, pode também ser comprado ou alugo na iTunes, na Play Store e na Microsoft Store. Leia também: 10 ótimos filmes para quem gosta de resolver mistérios 7 filmes com finais surpreendentes para ver na Netflix Crítica | Você mostra Joe tentando controlar seus instintos na temporada 2 9. O Homem Invisível   O terror da Blumhouse que levou muitas pessoas aos cinemas para ver a atualização incrível que foi feita do clássico monstro da Universal acabou de ampliar seu espaço de exibição online. O Homem Invisível chamou a atenção pelo roteiro, pela adaptação, pela direção e pela atuação, sobretudo da personagem de Elisabeth Moss, que está mais uma vez maravilhosa e conquistando novamente os corações que ela fisgou em Mad Men e The Handmaid's Tale (O Conto da Aia). Uma mistura de ficção científica e terror, O Homem Invisível acaba sendo muito mais um suspense com fortes raízes na vida real. O trabalho de Leigh Whannell na direção foi essencial para o sucesso do filme, o que surpreendeu bastante, já que os outros dois títulos do diretor não são exatamente muito memoráveis, Sobrenatural: A Origem e Upgrade: Atualização. O Homem Invisível é, certamente, um dos filmes mais comentados do ano e, na época da sua estreia, foi daqueles que, em qualquer lugar que você chegasse, brotava alguém de uma moita para perguntar se você já viu. Agora que passou um tempo do abuso, pode ser um timing interessante para conhecer mais esse sucesso do terror contemporâneo. O Homem Invisível está disponível para os assinantes do Telecine e do Now, mas pode ser também alugado no Claro Video, além de estar disponível para aluguel e compra no Looke, na iTunes e na Play Store. Leia também: Crítica | O Homem Invisível é terror de peso para compreender relações abusivas Produtor de O Homem Invisível planeja novo Frankenstein Blumhouse fará Drácula contemporâneo e já tem direção e roteiro definidos 8. The Rover - A Caçada   De toda a lista, este é provavelmente o título menos conhecido, mas está aqui por um motivo de conscientização: ainda há quem pense que o novo Batman será com o ator de Crepúsculo. Ok, Robert Pattinson fez Crepúsculo. Depois disso, no entanto, o ator se aventurou por muitos filmes não muito populares, mas de grande qualidade, contracenando com grandes nomes e sob os comandos de diretores excelentes. Dois anos após ter vivido Edward Cullen pela última vez, Pattinson apareceu em The Rover - A Caçada, no início do que seria uma jornada para provar que é, sim, um excelente ator. Escrito e dirigido por David Michôd, mais conhecido pelos originais Netflix O Rei e Máquina de Guerra, The Rover - A Caçada é um filme de ação, crime e drama bastante intenso, que mostra Pattinson explorando diversos sentimentos e contracenando com o também excelente Guy Pearce. O filme chegou a passar pelo Festival de Cannes e foi bastante premiado em festivais australianos, mas como não era exatamente um filme muito popular, foi mais um dos trabalhos de Pattinson que não foram vistos e não ajudaram muito a tirar dele o estigma de vampiro que brilha. The Rover - A Caçada pode ser comprado ou alugado na Play Store, além de estar disponível para streaming no Claro Video e no HBO GO. Leia também: 10 filmes que provam que Robert Pattinson é um ótimo ator 10 filmes independentes que você precisa assistir 10 filmes para assistir no Amazon Prime Video durante o isolamento 7. Nine   Quem gosta de musical sabe o preconceito que existe com o gênero, mas de tempos em tempos sempre surge algum filme que arrebata corações e novos fãs, como aconteceu com La La Land, por exemplo. Nine tem um selo de qualidade interessantíssimo: a presença de Daniel Day-Lewis, conhecido por fazer somente filmes selecionados e por sempre entregar uma performance de tirar o fôlego. Nine é também um dos títulos mais reconhecidos de Rob Marshall, diretor do excelente musical Chicago e dos recentes Caminhos da Floresta e O Retorno de Mary Poppins. Day-Lewis, no entanto, não é o único chamariz do elenco, que conta ainda com Nicole Kidman, Marion Cotillard, Penélope Cruz, Judi Dench, Sophia Loren, Kate Hudson e Fergie no elenco de um musical ambientado nos bastidores do cinema dos anos 1960. Mas não ache que isso vai deixar o filme cult demais para ser divertido: como a própria sinopse indica, o musical é bastante variado ao acompanhar a vida do protagonista, passando por “paixão, fantasia, desejo, amor, arte, estilo, desilusões, sonhos” e, claro, uma pitada interessante de comédia. Nine não está disponível em nenhum plataforma de streaming, mas pode ser comprado ou alugado na iTunes, no Looke, na Microsoft Store e na Play Store. Leia também: Os 10 melhores musicais do cinema A Festa de Formatura | Musical da Netflix ganha trailer empolgante 10 melhores filmes e séries sobre música e artistas para assistir na Netflix 6. Nós   Tem-se falado cada vez mais de um cinema pós-Jordan Peele ou de uma cinema pós-Corra!, o que ressalta a importância do trabalho de Peele para o cinema de terror. Depois de abordar com clareza o tema racial no seu primeiro filme, Peele retornou para outra narrativa aterrorizante: mesmo que você não tenha medo assistindo, quando entender, talvez sinta medo da vida em si, já que o filme é bastante incisivo em temas sociais. Nós também é interessante ao trazer um elemento não muito visto no terror de hoje, o doppelgänger, a ideia de que, em algum lugar, há alguém fisicamente idêntico a você. O cineasta leva isso ao extremo e cria algo nunca visto com Nós, que rendeu inúmeros vídeos e textos que tentam explicar o significado dos detalhes e subtextos encontrados no filme. Para quem não está interessando em ir tão a fundo, o filme é também assustador mesmo na superficialidade e isso se deve muito às atuações do quarteto central, a família, que precisou interpretar também a suas versões do submundo. Nós está no catálogo do Telecine e do Looke, onde também pode ser comprado ou alugado. O título também está disponível apenas para compra na iTunes e na Play Store. Leia também: Crítica | "Nós" e a dança da vida Crítica | Corra! para ver ou ver de novo A Lenda de Candyman é adiado de novo para evitar lançamento na internet 5. Infiltrado na Klan   Com as manifestações #BlackLivesMatter, Spike Lee tornou-se um dos nomes mais comentados do ano no cinema e um dos seus filmes mais populares, Infiltrado na Klan, foi também um dos mais lembrados, ao lado de Faça a Coisa Certa. E o motivo é claro: em Infiltrado na Klan, Lee faz um dos melhores trabalhos da sua carreira ao trabalhar a história de um policial negro que encara a missão de se infiltrar na Ku Klux Klan, em uma mistura perfeita de comédia e crítica social, com direito a imagens documentais para garantir que o espectador termine o filme devidamente impactado. Infiltrado na Klan colocou o ator John David Washington no radar dos cinéfilos, que puderam ver ele novamente em Tenet, um dos títulos mais aguardados de 2020. No Oscar do ano passado, Infiltrado na Klan era um dos favoritos, tendo levado a estatueta de Melhor Roteiro Adaptado, além de ter concorrido também nas categorias de Melhor Trilha Sonora, Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Ator Coadjuvante (Adam Driver) e Melhor Edição (Montagem). Infiltrado na Klan está disponível para os assinantes do Amazon Prime Video, mas pode ser comprado também na Play Store, na iTunes e no Looke. Leia também: Crítica | Infiltrado na Klan é um filme histórico 5 filmes para conhecer o essencial Spike Lee Crítica | Destacamento Blood é uma obra-prima técnica que exige esclarecimentos 4. Penny Dreadful: City of Angels   Lembra da série Penny Dreadful estrelada por Eva Green? Encerrada em 2016, a série original deixou alguns fãs na mão ao acabar e não trazer mais histórias com um clima delicioso de terror e drama. O canal Showtime acabou criando uma série derivada, City of Angels, que foi ao ar neste ano e acabou de estrear aqui no Brasil. Dessa vez, o elenco é liderado por Natalie Dormer e o clima é mais de cidade do crime, deixando um pouco de lado as referências que a série original incorporava, mas trazendo outras referências da cultura latina e, mais especificamente, da mexicana. Penny Dreadful: City of Angels foi criada por John Logan, mais conhecido como roteirista de filmes como 007 - Operação Skyfall, Gladiador e Sweeney Todd, o Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet. A trama, ambientada em Los Angeles (daí o trocadilho do título), acompanha uma série de crimes que têm chocado a cidade e que, ao ser investigado, revela a complicada história do local. Nesse sentido, a trama mantém o espírito de desvelamento de Penny Dreadful, em que quanto mais se busca, mais coisas terríveis são descobertas. Infelizmente, a série já foi cancelada pelo canal, então os 10 episódios disponíveis no Amazon Prime Video é tudo que você vai poder ver da história, o que, claro, tem seu lado ruim, mas também tem a vantagem de ser uma série que não vai prender ninguém por muito tempo. Leia também: 10 melhores séries de investigação criminal para maratonar na Netflix Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? 3. Bruce Springsteen's Letter To You   Bruce Springsteen's Letter To You não é apenas um documentário, mas um registro histórico intimista. A lenda Bruce Springsteen acaba de lançar seu novo álbum, "Letter to You", e, com ele, um documentário que acompanhou de perto as gravações das novas faixas executadas com a The E Street Band. O filme aproveita as declarações do músico e os momentos de estúdio para evocar outros momentos da sua carreira e, de uma forma menos direta, fazer também um relato biográfico de Springsteen. Como nos diz o trailer, cada música tem uma história. O documentário, que deve ter deixado muitas imagens incríveis de fora do corte final, traz os melhores momentos desse processo criativo e cultural de estúdio, proporcionando aos fãs uma alternativa interessante para apreciar o novo álbum sem ser por meio de um show, conglomeração pouco ou nada recomendada nos dias que estamos vivendo. Bruce Springsteen's Letter To You foi lançado com exclusividade na Apple TV+. Leia também: 10 filmes sobre rock disponíveis em plataformas de streaming As 10 melhores bandas fictícias de rock na TV e no cinema 10 melhores filmes e séries sobre música e artistas para assistir na Netflix 2. Lovecraft Country — Season Finale   Quando esta série estreou na HBO, trouxemos ela no topo da nossa lista, para dizer que algo realmente bom estava chegando. Semanas depois, retornamos para dizer que Lovecraft Country foi um dos maiores sucessos seriados do ano, e que, para quem gosta de maratonar tudo de uma vez, o momento de assistir à temporada completa chegou. Nesta semana, Lovecraft Country lançou seu décimo e último episódio da primeira temporada, “Full Circle”. Ao longo dos episódios, Lovecraft Country conquistou espectadores com um terror fantástico de qualidade e com uma mensagem bastante incisiva e necessária, além de provavelmente ter ajudado no surgimento de novos leitores de H.P. Lovecraft. A série encerrou sua temporada de estreia em alta estima entre a crítica, que tem a média de excelentes 90% no Rotten Tomatoes, enquanto o público em geral parece um pouco menos entusiasmado com sua média de 70%. Original HBO, Lovecraft Country tem todos os dez episódios da primeira temporada disponíveis no HBO GO e a temporada incompleta, com nove episódios até o momento, no NOW. Leia também: Crítica | Lovecraft Country é um soco no estômago da América racista Ator de Lovecraft Country deve ser o próximo grande vilão da Marvel nos cinemas O que é o afrofuturismo, gênero artístico que mescla cultura africana com sci-fi 1. Borat: Fita de Cinema Seguinte   O novo Borat, que tem um título ridiculamente longo no original (Borat Subsequent Moviefilm: Delivery of Prodigious Bribe to American Regime for Make Benefit Once Glorious Nation of Kazakhstan), chega ao Amazon Prime Video em uma data muito específica e com intenções bastante claras, todas elas ligadas às preocupações do comediante Sacha Baron Cohen. Borat, que é uma espécie de Jackass intelectual, chocou o mundo com o primeiro filme e ficou marcado no imaginário popular (senão o filme, pelo menos o look com roupa de banho verde-limão). O retorno do personagem envolve também a sua descaracterização em alguns momentos, já que ele ficou conhecido o suficiente para ser reconhecido nas ruas, durante as gravações que foram realizadas com um sigilo que ninguém conseguiu entender. E é por isso que, meio que do nada, surgiu um Borat: Fita de Cinema Seguinte na internet: o filme que muitos queriam e ninguém esperava que viria. Borat: Fita de Cinema Seguinte foi lançado com exclusividade no Amazon Prime Video. Leia também: Borat 2 foi gravado em segredo e deve ser lançado ainda em 2020 Borat 2 lança teaser "elogiando" Donald Trump após debate presidencial nos EUA 5 filmes de chorar de rir para assistir no streaming do Telecine Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses WhatsApp agora permite silenciar conversas para sempre; saiba como Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos Mais um app do Google passou de 1 bilhão de downloads na Play Store Saiba quais são os melhores processadores de celular em 2020 Veja Mais

Saiba quais são os melhores processadores de celular em 2020

canaltech Muitos podem não saber, mas o processador é um dos componentes mais importantes de um celular. Resumidamente, ele é o “cérebro” do aparelho responsável por realizar todas as operações, não só abrir aplicativos e rodar seus jogos, mas, também, processar vídeos e fotos tiradas pelas câmeras. Huawei cogita usar processadores da Qualcomm em seus celulares, mas há um porém MediaTek encosta na líder Qualcomm no mercado de processadores de celular Qualcomm anuncia Snapdragon 750G e amplia catálogo de plataformas 5G Há inúmeros processadores disponíveis no mercado de diversas marcas, mas, felizmente, a indústria os dividiu em três segmentos para facilitar o entendimento: entrada, que engloba aparelhos mais básicos; intermediário, no qual é possível encontrar celulares com um bom equilíbrio entre desempenho e preço acessível; e topo de linha, categoria para quem busca tudo do bom e do melhor. As principais diferenças entre eles, como mencionamos acima, estão na frequência, naturalmente mais rápida nos celulares mais caros, e as tecnologias embutidas, como suporte para redes 5G e recursos exclusivos para gamers. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Se você está em busca de um celular topo de linha com tudo o que há de melhor na indústria mobile, destacamos abaixo os melhores processadores para celular disponíveis no mercado, de acordo com ferramentas de testes especializadas. Melhores processadores para celular Apple A14 Bionic Atualmente, o chip Apple A14 Bionic é o mais potente do mundo. Primeiro processador mobile fabricado na tecnologia de 5 nanômetros da TSMC, o A14 equipa os recém-lançados iPhone 12 e o tablet iPad Air de 4ª geração. A Maça não costuma divulgar números muito exatos do seu chipset logo de cara, mas afirma que ele é até 50% mais rápido em CPU e GPU, além de um mecanismo neural com velocidade 80% maior que o A13 Bionic, que equipa o iPhone 11. Por ter fabricação em 5 nanômetros, o A14 Bionic também promete ser mais econômico que todos os outros chipsets disponíveis no mercado, inclusive os do Android. De acordo com resultados da plataforma Geekbench, o chip da Apple é superior ao Snapdragon 865 e 865+, da Qualcomm, nos testes de um único e de múltiplos núcleos. A14 Bionic é o 1º chip do mercado fabricado no processo de 5 nanômetros (Foto: Divulgação/Apple) Como você já deve saber, o A14 Bionic é exclusivo dos smartphones da Apple, então será preciso ter um iPhone para aproveitar o que a Maça tem de melhor para oferecer. Até o momento, ele está presente nos quatro modelos do iPhone 12, ainda não disponíveis para venda, e no iPad Air de 4ª geração. Qualcomm Snapdragon 865 e 865+ A Qualcomm é a maior fabricante de processadores de celular do mundo com 29% de participação de mercado, segundo dados da consultoria Counterpoint Research. Sua plataforma mais poderosa atualmente é a Snapdragon 865, presente em praticamente todos os principais smartphones de ponta do mercado. E não, a afirmação acima não é exagero: de acordo com o ranking mais recente do AnTuTu, que lista os smartphones mais potentes que já passaram pela plataforma, o Snapdragon 865 e sua versão Plus equipam os modelos das sete primeiras posições. O Snapdragon 865+ é o chip Android mais poderoso do mercado (Foto: Reprodução/Qualcomm) Fabricado no processo de 7 nm, o Snapdragon 865 tem um processador de oito núcleos, sendo um núcleo principal rodando a 2,84 GHz, três núcleos de 2,42 GHz, com foco em desempenho, e outros quatro de 1,8 GHz, responsáveis pela eficiência energética. O Snapdragon 865+, por sua vez, traz um núcleo principal de 3,1 GHz, sendo o primeiro chip mobile do mundo a ultrapassar a barreira dos 3 GHz — ou seja, o desempenho exemplar é mais que esperado. Vale lembrar que ambos têm suporte para o 5G. Felizmente, se você procura um celular de ponta com chip Snapdragon 865 no Brasil, o Motorola Edge+ 5G é atualmente o único modelo à venda por aqui. No entanto, importante mencionar que ele não é tão acessível quanto gostaríamos, disponível por aproximadamente R$ 6.000. Confira ofertas do Motorola Edge 5G Outros modelos, como o Zenfone 7 e o ROG Phone 3, também devem ser lançados no Brasil, respectivamente, com os chipsets Snapdragon 865 e 865+ — mas também não deve ter um preço tão diferente do smartphone da Motorola. Samsung Exynos 990 A Samsung é a fabricante que concentra o maior número de smartphones de ponta aqui no Brasil e todas as opções utilizam seu próprio chipset, o Exynos 990, como os novos Galaxy Note 20 e Note 20 Ultra, além do S20 e suas versões Plus e Ultra. Se você acompanha o Canaltech, deve ter visto nos últimos meses algumas notícias relacionadas ao Exynos 990 e seu possível desempenho inferior a rivais e até versões dos próprios celulares da empresa com chipset Snapdragon 865. Exynos 990 é o 3º chip para Android mais poderoso (Foto: Reprodução/Samsung) Essa inferioridade já foi comprovada inúmeras vezes por mídias especializadas, é verdade, mas isso não tira o fato de que o chipset de ponta da Samsung é um dos mais potentes do mercado. Dados da plataforma AnTuTu, inclusive, listaram o modelo da Samsung na terceira posição entre os melhores processadores de celular de 2020, atrás somente do Snapdragon 865 e sua versão Plus. O Exynos 990 é fabricado no processo de 7 nm da Samsung e também traz um processador de oito núcleos, sendo dois deles com foco em tarefas de inteligência artificial e aprendizado de máquina rodando a 2,73 GHz, dois núcleos de 2,5 GHz, responsáveis por alto desempenho, e quatro núcleos rodando a 2 GHz, estes focados em eficiência. Ele também conta com suporte a redes 5G. Como mencionado acima, o Exynos 990 está presente nas versões brasileiras do S20, S20+ e S20 Ultra, além do recém-lançado Galaxy Note 20 e Note 20 Ultra. Todos os modelos já estão disponíveis para venda no Brasil por valores entre R$ 3.000 e R$ 7.000 — confira as principais ofertas abaixo: Confira as ofertas da linha Galaxy S20 Confira as ofertas da linha Galaxy Note 20 MediaTek Dimensity 1000 O nome da MediaTek já foi associado a smartphones de qualidade duvidosa no passado, mas aos poucos essa concepção foi mudando e hoje ela é uma das principais responsáveis por democratizar a rede 5G no mundo com a linha Dimensity. Sua principal linha atualmente é a Dimensity 1000, que traz oito núcleos de processamento, sendo quatro núcleos rodando a 2,6 GHz e outros quatro a 2 GHz, além de suporte a redes 5G. MediaTek é uma das responsáveis por democratizar o 5G (Foto: Reprodução/MediaTek) Ele faz parte de alguns smartphones populares, principalmente no mercado asiático, como Redmi K30 Ultra, Realme X7 Pro e iQOO Z1 5G. Infelizmente, não há previsão de um celular com o chip da MediaTek ser lançado no Brasil. Huawei Silicon Kirin 990 Sabemos dos maus bocados que a Huawei enfrenta atualmente devido às sanções impostas pelo governo dos Estados Unidos contra ela. Mas não vamos entrar neste tópico por aqui. O Kirin 990 é o atual chipset de ponta da fabricante e um dos melhores do mundo quando o assunto é tarefas de inteligência artificial. Kirin 990 é o atual chip da Huawei para celulares de ponta (Foto: Divulgação/Huawei) Lançado em 2019 junto com o Mate 30 e Mate 30 Pro, o Kirin 990 também equipa os novos P40, P40 Pro e P40 Pro+ e traz oito núcleos de processamento, sendo dois deles rodando a 2,8 GHz, outros dois a 2,09 GHz e quatro a 1,86 GHz. Além disso, há uma unidade de processamento neural capaz de otimizar tanto o uso da CPU quanto da GPU nas mais diversas aplicações, como jogos e fotografia, bem como suporte a redes 5G. Infelizmente, com a situação atual da Huawei é praticamente impossível vermos algum novo aparelho da empresa em solo nacional. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses Em entrevista, executiva da Apple recomenda carregar iPhone 12 com cabos antigos WhatsApp agora permite silenciar conversas para sempre; saiba como Por que Nosferatu é o filme ilegal mais famoso da história do cinema? Mais um app do Google passou de 1 bilhão de downloads na Play Store Veja Mais

Por que Nosferatu é o filme ilegal mais famoso da história do cinema?

canaltech Não precisa ser cinéfilo ou fã número um de vampiros para reconhecer a figura corcunda e careca, com orelhas pontudas, unhas enormes e dentes afiados. Nosferatu, ícone do expressionismo alemão do diretor Friedrich Wilhelm Murnau, inspirou diversas outras caracterizações de chupadores de sangues e o Conde Orlock se tornou uma referência no cinema de terror — veja bem, ele até mesmo aparece em um dos episódios da animação Bob Esponja. 10 filmes para fãs de Drácula e vampiros assistirem via streaming Vampiro Americano terá nova HQ com o brasileiro Rafa Albuquerque; veja prévia O que esperar do filme de Morbius, o vampiro inimigo do Homem-Aranha? E você sabia que Nosferatu é, até hoje, o mais famoso filme ilegal da história da Sétima Arte? Sim, embora o longa tenha sido fundamental para inspirar tanto o expressionismo com o cinema de terror a partir de seu lançamento, no início dos anos 1920, tecnicamente ele não deveria nem ter sido distribuído. E mais: continua um “fora da lei” até os dias atuais. Mas por quê?   Bem, toda a questão legal gira em torno dos direitos autorais de Drácula, de Bram Stoker, lendário romance o qual Nosferatu foi inspirado. O livro de Stoker chegou ao público em 1897 e, quando o filme foi exibido pela primeira vez, em 1922, a publicação já fazia parte do espólio da família do autor, que morreu em 1912. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Como o filme saiu do papel? O produtor e designer do filme, o alemão Albin Grau, foi soldado na Primeira Guerra Mundial e, enquanto esteve na Sérvia, apaixonou-se pela tradição de histórias de vampiros. Ao retornar para a Alemanha, ele criou uma empresa chamada Prana Film. Logo contratou o roteirista Henrik Green e o diretor Murnau para adaptar Drácula, de Bram Stoker. Imagem: Reprodução/The Literary Edit Como dito, Stoker morreu em 1912, mas sua viúva, Florence, herdou seus bens e se recusou em vender os direitos do romance. Embora o livro já tivesse chegado ao domínio público nos Estados Unidos, onde podia ser reproduzido gratuitamente devido a um erro em seu cadastro de propriedade intelectual em solo ianque, na Alemanha era preciso pagar para utilizá-lo em uma adaptação. Drácula só entraria oficialmente em domínio público 50 anos após a morte de Stoker, em 1962. Apesar dessas restrições, Grau, Green e Murnau insistiram na adaptação. Eles mudaram o nome para Nosferatu, e o vampiro titular se tornou o Conde Orlock. Jonathan Harker foi rebatizado para Thomas Hutter, Mina Harker tornou-se Ellen Hutter e Abraham Van Helsing virou Professor Bulwer. O enredo básico de Drácula e Nosferatu é semelhante: um homem faz uma viagem de negócios para um atmosférico e vampírico castelo, onde chupado de sangue quer seduzir sua noiva. Os cineastas ainda acrescentaram alguns elementos para mudar um pouco a obra original e, claro, disfarçar a inspiração, como a ideia de que a luz do sol mata os vampiros. Imagem: Reprodução/Prana Film Mas esses esforços para diferenciar o filme do material original não foram suficientes para evitar um processo judicial. Florence Stoker descobriu Nosferatu durante a estreia do filme no Jardim Zoológico de Berlim, em 1922. Nas primeiras versões do longa, o nome "Drácula" ainda era usado em sua divulgação, tornando o plágio ainda mais óbvio. A viúva entrou prontamente entrou com um processo de violação de direitos autorais, com exigências de que a propriedade seria compensada pelos responsáveis e todas as cópias do filme seriam destruídas. E, claro, sabemos que Nosferatu continua “vivo” por aí até hoje. O que aconteceu desde então? Logo durante o início do processo, a produtora Prana Film declarou falência e fechou as portas. Em 1925, Florence Stoker ganhou o caso e o juiz responsável pela sentença ordenou que todos os negativos e impressões de Nosferatu fossem enviados a ela e destruídos. Entretanto, algumas cópias sobreviveram a esse processo e chegaram aos Estados Unidos no final dos anos 1920. Imagem: Reprodução/Prana Film Como Drácula era de domínio público nos Estados Unidos, esse material não precisou ser destruído; e não somente foi reproduzido como pôde ser exibido sem restrições. Ao longo do tempo, conforme o culto em torno de vampiros, do expressionismo alemão e do próprio filme, aumentou, mais cópias apareciam no mercado. Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! E, assim, Nosferatu foi se “reproduzindo” ao longo das décadas. E, sem uma resolução sobre o erro no cadastro inicial nos Estados Unidos e a falta de cumprimento da ordem completa da condenação na Alemanha, o título deve chegar aos 100 anos, em 2022, ainda como o mais famoso filme ilegal da história do cinema. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Imunidade duradoura? Pesquisa encontra anticorpos da COVID-19 depois de 7 meses WhatsApp agora permite silenciar conversas para sempre; saiba como Mais um app do Google passou de 1 bilhão de downloads na Play Store Registro indica que Galaxy S21 pode ter design semelhante ao do iPhone 12 PS5 | Sony revela mais um detalhe da retrocompatibilidade com o PS4 Veja Mais

Como adicionar widgets na área de trabalho do iPhone no iOS 14

canaltech Ao longo dos anos a Apple manteve a tela inicial do iPhone sem muitas mudanças, no entanto, o iOS 14 veio para transformar a experiência dos usuários com novas ferramentas. Os Widgets, são janelas que possibilitam interações em seu smartphone. Apple libera o iOS 14: essas são as novidades do novo sistema iOS 14 vs Android 11: pode copiar, só não faz igual Quais iPhones são compatíveis com o novo iOS 14? Muitas funções são possíveis através dos widgets. Esses podem mostrar informações sobre o clima, exibir as notícias mais importantes, controlar a reprodução de músicas e até mesmo mostrar sua lista de tarefas através das notas. iOS 14: 5 recursos legais que a Apple não deu tanto destaque Como adicionar o widget do Deezer no iOS 14 200 comandos de voz para você usar com a Siri em português Além dos widgets instalados por padrão, aplicativos disponibilizam seus próprios widgets para serem adicionados na tela inicial de seu iPhone. Você também pode buscar por eles através da aba "Galeria de Widgets" em seu iPhone. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- A seguir em nossa matéria aprenda como adicionar widgets na área de trabalho do iPhone no iOS 14. Como adicionar widgets no iOS 14 Passo 1: na página inicial de seu iPhone, toque em seu plano de fundo e mantenha seu dedo pressionado até que seus aplicativos possam ser editados. Então toque no ícone de "+" localizado no canto superior direito da tela; Toque no ícone de "+" - (Captura: Canaltech/Bruno Salutes) Passo 2: nessa página, você poderá visualizar a "Galeria de Widgets" em seu iPhone, selecione ou busque pelo widget que você deseja adicionar; Selecione ou busque por widgets através da galeria - (Captura: Canaltech/Bruno Salutes) Passo 3: em seguida, toque no botão "Adicionar Widget"; Toque em "Adicionar Widget" - (Captura: Canaltech/Bruno Salutes) Passo 4: por fim, o widget terá sido adicionado em sua tela inicial com sucesso e você poderá redimensioná-lo como desejar. Então você poderá realizar interações através de seus widgets - (Captura: Canaltech/Bruno Salutes) Pronto! Agora você sabe como adicionar widgets no iOS 14. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Registro indica que Galaxy S21 pode ter design semelhante ao do iPhone 12 Por que tão mortal? O coronavírus "engana" o corpo humano, dizem especialistas Redmi K30S deve ser lançado ainda neste mês com ficha técnica de respeito Veja Mais

Lançamentos da Netflix na semana (23/10/2020)

canaltech Mais um fim de semana chegou e quem é amante da sétima arte e curte maratonar uma boa série sabe que essa é a hora de conferir os lançamentos da Netflix. O serviço de streaming mais popular do mundo adiciona séries e filmes novos ao catálogo todos os dias, e às sextas-feiras o Canaltech lista todas as novidades e dá dicas do que você pode assistir para aproveitar melhor sua assinatura. Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? E olha, esta semana está repleta de coisa boa para assistir. Começando pelo Volume 2 de Mistérios sem Solução, a série documental que deixou muita gente curiosa e inquieta por apresentar casos reais de desaparecimento, assassinatos bizaarros e chocantes e encontros paranormais que abalaram várias vidas e que até hoje permanecem sem qualquer explicação. Depois dos seis episódios iniciais, a atração agora ganha mais seis capítulos para atiçar o seu instinto de detetive.   Crítica | Mistérios Sem Solução intriga, mas não cativa Mistérios Sem Solução tem novas pistas e deve lançar novos episódios em 2020 10 ótimos filmes para quem gosta de resolver mistérios Outro seriado que ganhou novos episódios nesta semana foi The Alienist. Baseada na obra literária de Caleb Carr, a atração gira em torno de investigações criminais que vão desde assassinatos até roubo de órgãos numa obscura Nova York dos anos 1890 que confere todo um clima de suspense. Na temporada 2, que estreou nesta semana na Netflix, a fórmula é mantida e explora o desaparecimento de um famoso diplomata espanhol em meio a uma crise diplomática entre Estados Unidos e Espanha. Para quem é fã de histórias de época embebidas em drama, é um must see. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- E não é só série já consagrada que se destaca essa semana, não. A principal novidade no hall de estreantes é série dramática O Gambito da Rainha. Estrelada pela excelente Anya Taylor-Joy, a trama segue a vida de uma jovem talentosíssima no xadrez que sofre de alcoolismo. Criada em um orfanato, ela está acostumada a viver sozinha, mas descobre que pode ser popular por causa da habilidade que tem no xadrez. Não demora para sua carreira deslanchar, enquanto sua vida pessoal afunda devido aos vícios e autodestruição.   Beleza, e quais os destaques em matéria de filme na Netflix nessa semana? Bem, uma das principais apostas da plataforma de streaming é o terror norueguês Kadaver. O cenário da trama é um mundo pós-apocalíptico arrasado por um desastre nuclear que boa parte dos recursos naturais da face da Terra. Nesse novo mundo, as pessoas vivem famintas e tentando sobreviver a todo custo. Mas uma família parece ter encontrado a sorte grande: um simpático dono de hotel lhes oferece um jantar grátis. Em troca, eles só precisam participar de uma peça de teatro. Mas será que é tudo tão fácil assim?   Os 10 melhores filmes de suspense disponíveis na Netflix Os 10 melhores filmes de terror da nova geração Talvez seja tão difícil quanto a missão de Rebecca - A Mulher Inesquecível, remake de um filme de Alfred Hitchcock vencedor do Oscar de Melhor Filme em 1941. É que até hoje nenhum remake do diretor sequer conseguiu igualar o sucesso do original. Mas olha, a trama aqui é promissora, tanto que o filme já entrou para o Top 10 de mais assistidos no Brasil. A trama acompanha uma jovem que se apaixona e casa de repente com um aristocrata. Ao chegar à propriedade gigantesca onde ele mora, ela descobre que vai ter de disputar atenção com o fantasma da ex-esposa falecida, Rebecca, que assombra o local. Crítica | Rebecca - A Mulher Inesquecível salta para a glória de um fiasco Não quer saber de nenhuma dessas novidades e o que você quer mesmo é assistir a um clássico? Não tem problema. A Netflix investiu forte no lançamento de grandes títulos de catálogo nesta semana. E tem para todos os gostos. Depois de estrear Django Livre em setembro, agora o serviço resolveu trazer de volta Bastardos Inglórios, talvez um dos mais aclamados filmes do diretor Quentin Tarantino. Além disso, os assinantes também poderão assistir e chorar (a gente sabe que você chora) com toda a história de superação, perseverança, amizade e amor de Rocky, já que todos os filmes da saga estrearam no catálogo do serviço. E quando acabar de assisti-los, você ainda poderá assistir Creed: Nascido para Lutar e Creed 2.   10 filmes dirigidos por Quentin Tarantino para assistir online É tanta coisa boa para assistir que poderíamos ficar falando sobre elas até amanhã. Mas em vez disso, aproveite seu fim de semana e assista às indicações que o Canaltech preparou para você. Se não tiver gostado de nenhuma delas, não tem problema. A seguir você confere a lista completa com todos os lançamentos da Netflix na semana. Dê uma olhada, veja o que mais lhe interessa, clique, aperte o play e divirta-se! Os lançamentos da Netflix em outubro de 2020 Os lançamentos do Amazon Prime Video em outubro de 2020 Os lançamentos do Globoplay em outubro de 2020 17/10 Apostando Alto: 1ª Temporada Amor Entre Amigos 18/10 It: A Coisa Apostando Alto (2 episódios, 1 novo) 19/10 ARASHI’s Diary - Voyage (15 episódios, 1 novo) Mistérios sem Solução (12 episódios, 6 novos) 20/10 O Ônibus Mágico Decola Novamente: Conexão Frizz Shopkins: Uma Aventura na Selva The Flash (133 episódios, 19 novos) 21/10 Brave Blue World - A Crise Hídrica Rebecca - A Mulher Inesquecível Enemigo íntimo (113 episódios, 60 novos) O próximo convidado dispensa apresentação com David Letterman (17 episódios, 4 novos) Passarela de Sonhos (14 episódios, 2 novos)   22/10 Kadaver Parceiros da Saúde Eu, tu e ela (50 episódios, 10 novos) Melodia de Esperança (5 episódios, 1 novo) Private Life (5 episódios, 1 novo) RIDE ON TIME (45 episódios, 21 novos) The Alienist (18 episódios, 8 novos)   23/10 Bárbaros: 1ª Temporada O Gambito da Rainha: 1ª Temporada Um Rapaz Adequado: 1ª Temporada Move: 1ª Temporada A Caminho da Lua Creed II Creed: Nascido para Lutar A Escolha de Sofia A Morte e Vida de Charlie A última cartada As férias de Mr. Bean Bastardos Inglórios Campo dos sonhos Cinco Anos de Noivado Hop - Rebelde sem Páscoa Kick-Ass – Quebrando tudo Nanny McPhee - A babá encantada O Gângster O Procurado O Professor Aloprado Questão de Tempo Rocky Balboa Rocky II - A Revanche Rocky III - O Desafio Supremo Rocky IV Rocky um Lutador Rocky V Um Lugar Chamado Notting Hill   Fora de catálogo Os filmes, séries e/ou episódios a seguir saíram do catálogo da Netflix nessa semana. El Viaje: Márama y Rombai Miss Representation Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1 Jogos Vorazes: Em Chamas Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil iPhone 12: por que a Apple inclui fones de ouvido em caixa separada na França? Veja Mais

Chromebooks devem adicionar “lixeira” embutida por padrão em breve

canaltech O Google está corrigindo um dos problemas mais simples e irritantes dos Chromebooks: a falta de uma lixeira para os arquivos. A companhia lançou o Chrome OS 86 no último dia 13 que ainda não conta com o recurso, mas já revela que a opção está em testes. Ainda vale a pena comprar um Chromebook em 2020? Conhecendo o Chrome OS: entenda o sistema operacional do Google Acer atualiza linha de Chromebooks com novo design e tela diferentona Usuários encontraram uma flag chamada #files-trash (termo inglês para lixeira), onde se poderia recuperar arquivos eliminados do Chromebook. Ao ativá-la, o sistema operacional passaria a mostrar uma pasta de lixo dentro do diretório "files". A proposta é reservar os documentos ali antes de serem realmente eliminados por completo. Assim, caso você precise recuperar alguma coisa foi apagada erroneamente, ainda haveria tempo de salvar. O Chrome OS não contava com esta possibilidade, pois a proposta inicial dos Chromebook era de ser um aparelho conectado sempre ao Google Drive, que oferece relativa com pouca capacidade gratuita de armazenamento interno. Contudo, o Google tem trabalhado para fazer o sistema operacional ficar mais funcional quando estiver desconectado da web, incluindo mecanismos como este. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Apesar do flag, ainda não há previsão de quando a funcionalidade será adicionada oficialmente por padrão ao Chrome OS. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

Facebook testa novo recurso para conectar vizinhos nos arredores do usuário

canaltech O Facebook está testando um novo recurso bem interessante: o Neighborhood, que, como seu nome sugere, é feito para facilitar a conexão entre pessoas que moram perto umas das outras. A novidade foi descoberta pela equipe da página Grigg Digital e, ao que tudo indica, está sendo testada exclusivamente na cidade de Calgary, no Canadá. Trata-se de uma iniciativa bem similar à “Campus”, recentemente lançada com foco em universitários. Facebook Watch cresce na pandemia e já tem 1,25 bilhão de usuários por mês Grupos do Facebook registraram 120 milhões de usuários brasileiros em agosto Não se deixe enganar: barrinha colorida no Facebook não é um novo recurso O objetivo do recurso é bem simples: atuar como um espaço unificado para que os internautas possam compartilhar publicações relevantes e comercializar itens com outros moradores do mesmo bairro ou município. Para usá-la, será necessário criar um perfil separado que poderá ser acessado por qualquer vizinho (mesmo que não seja seu amigo) e que inclui seus interesses e informações não sensíveis. Facebook is taking on NextDoor with a NEW ‘Neighborhoods’ feature! ????????h/t Leon Griggs / https://t.co/oHkIdU6nbC pic.twitter.com/OHYMW1ig9I -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- — Matt Navarra (@MattNavarra) October 20, 2020 “Mais do que nunca, as pessoas estão usando o Facebook para participar de suas comunidades locais. Para ajudar a tornar isso mais fácil, estamos lançando um teste limitado do Neighborhood, um espaço dedicado no Facebook para as pessoas se conectarem com seus vizinhos”, teria afirmado um porta-voz da rede social aos descobridores do teste. De fato, com o isolamento social causado pela pandemia da COVID-19, a interação de pequenas comunidades locais se tornou mais importante do que nunca. Ademais, vale observar que, pelo menos no Brasil, já se tornou costume entre os usuários da plataforma criar grupos locais para troca e venda de mercadorias — algo que se tornará desnecessário caso o Neighborhood esteja disponível. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

Sexo animal: fóssil de genital de dinossauro sugere como eles acasalavam

canaltech A preservação da cloaca de um dinossauro, descoberto na região noroeste da China, trouxe novidades sobre como era feita a excreção do animal — e também a sua copulação. A criatura em questão é um psitacossauro, espécie de ceratópsio relacionado ao triceratops, que viveu há 120 milhões de anos. "Dino zumbi" | Brasileiros descobrem dados inéditos sobre doença em dinossauros Nova espécie de dinossauro semelhante ao Tiranossauro Rex é descoberta na Europa Cientistas encontram câncer ósseo avançado em fóssil de dinossauro O fóssil está em exposição há mais de 10 anos no Museu de História Natural Senckenberg, em Frankfurt, na Alemanha, e vários estudos sobre ele, principalmente sobre suas penas e coloração, já foram realizados. Agora, graças aos esforços de Phil Bell, da Universidade de New England, na Austrália, sabemos mais sobre a cloaca do dinossauro. (Imagem: Reprodução/Phil R. Bell/bioXriv) A ideia sobre esta parte do corpo do dinossauro sempre foi meio óbvia, considerando que pássaros e répteis possuem uma cloaca, parte do corpo que consiste em um único orifício destinado tanto para a excreção, micção, acasalamento e liberação de ovos. A suposição acabou se confirmando, mesmo que somente a parte externa da cloaca esteja preservada. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- De acordo com os cientistas, a abertura conta com aproximadamente dois centímetros de comprimento, nivelado com uma área ao redor que é cercada de um tecido pigmentado escuro, em vez de se projetar, como acontece com algumas cloacas. Infelizmente, pela parte interna não ter sido preservada, algumas respostas ficam faltando em relação à forma na qual os dinossauros se acasalavam. (Imagem: Reprodução/Phil R. Bell/bioXriv) O que os paleontólogos descobriram é que a cloaca da criatura, assim como a dos crocodilos, contam com uma abertura longitudinal. Como os crocodilos têm pênis e alguns pássaros não, não é possível revelar mais detalhes da certeza sobre qual era o sexo desse dinossauro. Porém, os cientistas acreditam que ele tinha, sim, um pênis. "A cloaca do psitacossauro parecida com a do crocodilo mostra que, ao contrário dos lagartos e aves que surgiram posteriormente, este dinossauro tinha um órgão copulador muscular, não pareado e posicionado no ventre", explicam os pesquisadores no estudo. Muitos cientistas acreditam que os dinossauros, assim como alguns pássaros, se acasalam através do que é chamado de beijo cloacal, que acontece quando as duas aberturas cloacais são unidas. No entanto, outras aves, como patos e avestruzes, possuem pênis longo que emerge de suas cloacas no momento do acasalamento, o que também deveria acontecer com dinossauros maiores.     Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

Huawei lança serviços de buscas e mapas para disputar mercado com o Google

canaltech Apresentado durante o Huawei Developer Conference 2020, em setembro deste ano, o novo mecanismo de busca da Huawei debutou nesta quinta-feira (22), com a estreia dos modelos da linha Mate 40. E a ferramenta e não veio sozinha: além do Petal Search, a empresa lançou os softwares Petal Maps e Huawei Docs, com a intenção de disputar mercado com Google e Microsoft. EMUI 11 é anunciada com visual que lembra o iOS e mais recursos de produtividade HarmonyOS | Huawei planeja lançar celular com sistema rival do Android em 2021 Huawei apresenta a linha Mate 40 com tudo o que tem de melhor; será o bastante? Petal Search Aposta da Huawei contra a Pesquisa Google e o Bing, o Petal Search é a principal ferramenta de pesquisas dos smartphones da chinesa. O mecanismo está disponível em mais de 170 países e regiões, com suporte a 50 línguas, e permite fazer buscas por texto, imagens e voz. Assim como seus concorrentes, o Petal Search deve oferecer buscas em mais 20 categorias, como aplicativos, notícias, vídeos, imagens e viagens; além de estabelecimentos e negócios locais. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Petal Search está disponível em mais de 150 países (Foto: Divulgação/Huawei) Entre as funcionalidades da ferramenta estão recomendações de aplicações e pesquisas, previsões meteorológicas diárias, principais notícias, informações financeiras, atualizações de mercado de ações; e um recurso chamado Predictive Shopping, que age de forma semelhante ao Google Lens e permite encontrar produtos por meio do reconhecimento de imagens. De acordo com informações da loja de aplicativos da Huawei AppGallery, o Petal Search já possui 39 milhões de instalações. Petal Maps Como o nome já indica, o Petal Maps é a solução da fabricante chinesa para não depender do Google Mapas e do Bing Maps. A ferramenta vai oferecer alguns dos principais recursos da aposta do Google, como procurar lugares, rotas e direções. Serviço de mapas da Huawei está em caráter beta (Foto: Divulgação/Huawei) A Huawei afirmou que o Petal Maps estará disponível em mais de 140 países e regiões, além de 70 línguas, com suporte a mapas 2D e 3D, bem como a possibilidade de reportar trânsitos em tempo real em algumas cidades. Huawei Docs Outra novidade anunciada no evento foi o Huawei Docs. Disponível em mais de 100 países, o serviço oferece suporte à visualização e edição de documentos em mais de 50 formatos, incluindo PDF, PPT e DOC. O app funcionará com a nuvem, ou seja, as atualizações de texto serão sincronizadas em tempo real, tanto para celulares quando para computadores. Huawei Docs vai competir diretamente com o Microsoft Office (Foto: Divulgação/Huawei) Ecossistema crescendo Durante o evento, a Huawei informou que o Huawei Mobile Services é o terceiro maior ecossistema mobile do mundo, atrás apenas do iOS e do Google Mobile Services. São 2 milhões de desenvolvedores globais, um aumento de 98% em um ano, segundo a empresa, com mais de 500 milhões de usuários ativos por mês utilizando a loja AppGallery. A quantidade de aplicativos da companhia disparou de 43 mil para 96 mil, um aumento de 123% de 2019 para 2020. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja vídeos da sonda OSIRIS-REx coletando amostras do asteroide Bennu Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Moto G 5G Plus vs. Motorola Edge 5G: quais as diferenças? Veja Mais

CT News - 22/10/2020 (Airbnb e ex-designer da Apple firmam parceria)

canaltech No CTN de hoje: Airbnb e lendário designer da Apple firmam parceria para atualizar app e site; Vazamento expõe dados de 186 milhões de eleitores norte-americanos; WhatsApp Business vai hospedar lojas e ganhar mais funções de pagamento e mais. Ouça ao podcast. Veja Mais

5 ótimos apps para você editar fotos e postar no Instagram

canaltech Quando foi lançado, o Instagram (Android | iOS) chamava a atenção pela quantidade de filtros inclusos, trazendo efeitos diferentes para as imagens. Anos depois, a rede social tornou-se uma das principais plataformas para a publicação de fotos e, às vezes, os filtros e ferramentas de edição do app podem não ser suficientes para os ajustes necessários. 4 apps para criar planos de fundo e molduras personalizadas para o Instagram Previsão do tempo sumiu do Stories? Saiba como resolver Para isso, existem diversos aplicativos de edição de fotos gratuitos para celulares que ajudam no trabalho. Além de filtros, oferecem variados recursos para manipular as imagens, variando de opções simples até trabalhos mais complexos. Confira cinco interessantes opções para editar fotos e publicá-las no Instagram! 1. VSCO (Android | iOS) App traz grande diversidade de filtros (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) O VSCO é um dos apps de edição de fotos mais populares entre os celulares. Destaca-se pela grande quantidade de filtros disponíveis, incluindo efeitos que se assemelham a filmes de câmeras analógicas. Além desses recursos, oferece a opção manual para editar as imagens, inclusive acessando o arquivo RAW das imagens. Os resultados são fotografias com belíssimos efeitos retrôs. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- 2. Polish (Android | iOS) Polish permite edições rápidas (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) Desenvolvido pela InShot, também responsável por um dos editores de vídeo mais utilizados nos celulares, o Polish chama atenção pela praticidade. Com poucos passos, é possível editar imagens e acrescentar recursos gráficos como textos, figuras e molduras. Entre os filtros, existem interessantes opções de efeitos "glitch", que simula distorções na imagem. 10 aplicativos para editar vídeos no IGTV e turbinar suas criações 3. Adobe Lightroom (Android | iOS) Tenha a experiência completa de um editor de fotos (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) A versão mobile do software da Adobe é um dos editores de fotos mais completos para celulares. Permite manipular as fotografias de diferentes maneiras, criando predefinições para grupos de imagens e incluindo recursos usados por profissionais. É uma excelente opção para quem quer explorar a edição, testando as diferentes ferramentas disponibilizadas. Saiba como aplicar presets no Lightroom e deixar suas fotos mais atraentes 4. Hypocam (Android | iOS) App é voltado para fotos em preto e branco (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) As fotos em preto e branco são frequentes no feed o Instagram. O Hypocam é um editor voltado exclusivamente para essas fotos monocromáticas. E não se engane: o aplicativo não apenas remove as cores da foto, mas oferece diferentes opções de filtros e ferramentas para controle da iluminação, trazendo belíssimos resultados. 5. Google Snapseed (Android | iOS) Snapseed permite edições precisas (Imagem: André Magalhães/Captura de tela) O editor de fotos do Google tem muitas semelhanças com o Lightroom pela quantidade de ferramentas à disposição. Atendendo iniciantes e experientes, inclui predefinições e modelação precisa dos efeitos para que todos consigam encontrar a versão ideal para publicação nas redes sociais. Você usa algum editor que não entrou para a lista? Deixe a sugestão nos comentários! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Huawei apresenta a linha Mate 40 com tudo o que tem de melhor; será o bastante? iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

Os melhores produtos da Xiaomi para comprar no Brasil

canaltech Dona de uma das maiores histórias de sucesso recentes no mercado da tecnologia, a fabricante chinesa Xiaomi ganhou uma legião de fãs em todo o mundo por vender aparelhos de alta qualidade por preços mais baixos que os praticados pelas principais concorrentes. Isso não foi diferente no Brasil, onde os celulares da empresa ganharam muito espaço nos últimos anos, mesmo com a demora para ter uma presença oficial por aqui. Quais são os melhores celulares da Xiaomi para comprar no Brasil? Chromecast com Google TV x Fire TV Stick Lite: qual vale a pena comprar? Com a chegada da empresa em território brasileiro, não é difícil encontrar celulares, fones de ouvido sem fio e pulseiras inteligentes da Xiaomi sendo vendidas diretamente no varejo do país, o que amplia o acesso da população a esses produtos, além de dar mais segurança para o consumidor que prefere evitar a importação por conta própria. Além disso, serviços de assistência técnica especializados em produtos da marca também ficaram mais fáceis de ser encontrados. Pensando nisso, preparamos uma lista com os melhores produtos da Xiaomi que podem ser comprados no Brasil. Todos eles receberam diversas avaliações positivas desde que foram lançados e são boas opções de compra dentro de suas categorias. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Xiaomi Redmi Note 9 Imagem: Divulgação/Xiaomi Um dos lançamentos mais recentes da companhia no Brasil, o Redmi Note 9 chegou com a proposta de ser um intermediário poderoso com excelente custo-benefício. O que mais chama a atenção é exatamente o fato de ele não trazer grandes inovações em relação aos aparelhos dos anos anteriores, preferindo focar em garantir uma boa experiência no que é mais importante: câmera, bateria e poder de processamento. É uma ótima opção para quem não deseja gastar muito em um smartphone novo e quer garantir um uso sem travamentos, bateria que dura até dois dias longe da tomada e um conjunto de câmeras competente. Veja os melhores preços dos modelos de Redmi Note 9 à venda no Brasil: Melhores preços do Xiaomi Redmi Note 9 Melhores preços do Xiaomi Redmi Note 9 Pro Melhores preços do Xiaomi Redmi Note 9S Xiaomi Mi Band 5 Imagem: Matheus Argentoni/Canaltech A pulseira inteligente da Xiaomi é um ótimo exemplo da filosofia da companhia em ação na hora de criar seus produtos. Com um preço acessível, ela se tornou um dispositivo essencial para quem pratica atividades físicas, podendo monitorar sua frequência cardíaca e identificar a prática de 11 atividades diferentes. É um dos modos mais fáceis e baratos de acompanhar seu desempenho físico ao longo do tempo. Mas não pense que esse é um aparelho exclusivo para atletas; ele também é muito utilizado para exibir as notificações do seu celular, permitindo que você passe mais tempo longe do smartphone ao longo do dia. Compre a pulseira inteligente da empresa diretamente no Brasil e com garantia: Melhores preços da Xiaomi Mi Band 5 Xiaomi Mi Box S 4K Imagem:  Divulgação/Xiaomi A Mi Box é a queridinha de muita gente que transformou a TV antiga em uma verdadeira Smart TV, rodando sistema Android com opções de jogos, serviços de streaming, navegador e outros aplicativos. Com a chegada da Mi Box S 4K, foi possível fazer tudo isso na nova resolução que está substituindo o Full HD como padrão de mercado. É só ligar e começar a assistir na tela grande Netflix, Prime Video, Globoplay e qualquer outro serviço de streaming compatível com Android TV ou Chromecast, tudo isso na mais alta resolução disponível por esses serviços. Compre a smart TV box da Xiaomi em território brasileiro e receba rapidinho em casa: Melhores preços da Xiaomi Mi Box S 4K Xiaomi Mi TV Stick Imagem: Divulgação/Xiaomi Quem procura um dispositivo um pouco mais simples para assistir séries e filmes na TV tem outra boa opção na Mi TV Stick. Ela é semelhante ao Chromecast do Google e ao Fire TV Stick da Amazon, mas com a grande vantagem de rodar Android. Ou seja, ela tem a principal função do Chromecast — espelhar o conteúdo do celular ou do notebook para a TV — com o adicional de permitir a instalação de aplicativos da Play Store. Ótima escolha para quem tem uma TV menor com resolução até 1080p e quer aproveitar os serviços de streaming sem gastar muito. Compre o acessório da Xiaomi no Brasil e não tenha que pagar taxas de importação: Melhores preços do Xiaomi Mi TV Stick Black Friday é no Canaltech Ofertas Está chegando a época com as melhores promoções do ano! A Black Friday 2020 vai acontecer no dia 27 de novembro e promete grandes descontos em várias categorias cobiçadas pelos brasileiros, como smartphones, smart TVs, notebooks, smartwatches, pulseiras inteligentes, monitores e muitos outros eletrônicos. Para ajudá-lo a encontrar os menores preços da internet, o Canaltech Ofertas fará a cobertura em tempo real da Black Friday, e você pode receber os descontos diretamente no seu celular ao entrar em nossos grupos de WhatsApp e Telegram. Não deixe para se preparar em cima da hora, clique no link abaixo e comece a economizar imediatamente! Entre no grupo de WhatsApp e Telegram do Canaltech Ofertas Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja Mais

Universidad Católica x Internacional: onde assistir à Libertadores na internet

canaltech O Internacional vai a campo hoje (22) para encerrar a sua participação na fase de grupos na Copa Libertadores da América. O Colorado precisa de pelo menos um empate diante da Universdad Católica para garantir a classificação à segunda fase, mas uma vitória pode render o primeiro lugar do grupo. NFL está de volta! Saiba como assistir à liga de futebol americano Crítica | Futebol Arte é um retrato saudoso e real da Seleção de 1982 Crítica | Alex Câmera 10 é um relato genial sobre a despedida de um gênio No mesmo horário, os colorados precisam secar o rival Grêmio, que enfrenta o América de Cali: em caso de derrota tricolor e vitória do time de Eduardo Coudet, o Inter termina essa fase na primeira posição, deixando o rival em segundo. Onde assistir Universidad Católica x Inter de graça na internet O jogo terá transmissão gratuita direto da página da Conmebol no Facebook. Para conferir, basta acessar este link — a disputa está marcada para começar às 21h30, mas a transmissão inicia uma hora antes, às 20h30. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Será que o Inter passa pela Universidad Católica, já sem chance de garantir vaga à segunda fase? Deixe a sua opinião nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja Mais

Mortal Kombat 11 Ultimate | Vídeo mostra gameplay com Rambo, seu novo personagem

canaltech Desde quando foi anunciada, a versão "Ultimate" de Mortal Kombat 11 já tinha seu destaque mais do que natural: a chegada de John J. Rambo ao game de luta. Para aumentar o hype, a Warner e a NetherRealm Studios lançaram o primeiro trailer de gameplay com o icônico personagem de filmes de ação das décadas de 80 e 90. Análise | Mortal Kombat 11 é o game definitivo da franquia Quais os 5 melhores jogos de Mortal Kombat? Análise | Mortal Kombat 11: Aftermath consagra Shang Tsung como grande vilão Pelo que pode ser visto no vídeo, Rambo, que terá a voz e trejeitos de Sylverster Stalone, participará das lutas com seu armamento característico, incluindo a faca, marca registrada de seus embates nos filmes e que serpa de grande ajuda para golpes próximos. Já quando a coisa estiver apertada e você precisar se distanciar, o arco e a metralhadora vão roubar a cena. Além disso, alguns golpes terão a utilização de armadilhas, que são comumente utilizadas na selva, um dos campos de batalha de Rambo. Veja o trailer de gameplay (dublado) do Rambo abaixo: -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.-   Mortal Kombat 11 Ultimate chegará no dia 17 de novembro para Xbox One, PlayStation 4, Nintendo Switch, PC, Xbox Series X, Xbox Series S e PlayStation 5. Além de Rambo, que chegará com as roupas dos filmes Rambo, Rambo II e Rambo III, também serão adicionados os personagens Mileena e Rain. Para os detentores do jogo, seja a versão base ou MK11: Aftermath, basta adquirir o Pacote de Kombate 2. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Moto G 5G Plus chega ao Brasil por R$ 2.999; confira a ficha técnica Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Google Play Música é encerrado tanto na web quanto no aplicativo; entenda Veja Mais

Digitalização: Como imaginam uma política digital nacional?

canaltech As campanhas eleitorais possuem como grande característica as numerosas promessas que fazem para o eleitorado, a fim de ganhar seus votos. Entre essas promessas, encontramos os que usualmente são denominados “moralistas”, que apelam ao melhor sentido de justiça dos seres humanos. São promessas que asseguram a equidade e a igualdade das pessoas no que se referem ao trabalho, aos acessos aos serviços básicos e a importância de incluí-los nos processos de decisão do estado. As duas caras da arrecadação pelo espectro radioelétrico A COVID-19 ressalta a importância do diálogo para o desenvolvimento das TIC Imagino que tão logo passem as eleições, muitos destes “super-heróis” temporários assumirão cargos, tomarão posse e esquecerão algumas promessas, assim como não serão mais vistos em bairros carentes. As promessas de saúde, trabalho e conectividade estarão congeladas até as próximas eleições, onde essas questões permanecerão, embora tenham diferentes faces. Agora imaginem que nos encontramos imersos no início de uma digitalização ao nosso redor. Lentamente veremos como diversos serviços tendem a começar não apenas a tomar a digitalização, mas também a tomar decisões dependendo dos parâmetros que lhes programamos. Os automóveis, os semáforos, os medidores de energia e até mesmo a agricultura começam a se beneficiar das novas tecnologias. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Tudo isto agrega um aumento na digitalização dos processos governamentais que economizam tempo ao minimizar a burocracia e, por sua vez, aumentam a transparência ao deixar um histórico de todas as transações realizadas. Já imaginou que um agricultor ou pescador pode economizar um dia de viagem para fazer a papelada pessoalmente, com todas as despesas e dinheiro que isso implica, para poder fazê-lo facilmente através de um portal governamental? Precisamente este destino inevitável é que aumenta a importância a qualquer estratégia de conectividade nacional. Por quê? Simples, estes planos apontam para o aumento dos números de cidadãos que podem acessar os serviços que têm à sua disposição somente para os habitantes das grandes cidades. Oferecer aos mais necessitados e isolados as mesmas oportunidades de conectividade que tem o restante do país. Permitir aos trabalhadores rurais e pescadores utilizarem as plataformas de governo oferecidas ao resto da população, deixando de ser marginalizados por uma falta de conectividade sem data de caducidade. Ao falarmos de um plano nacional de desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação (TIC), pratica-se uma estratégia governamental voltada para melhorar a qualidade de vida dos marginalizados. Nenhum governo que pretende vender-se como defensor dos direitos dos pobres, defensor da igualdade de todos os cidadãos, e que se queixe dos privilégios educativos ou de saúde dos segmentos de maior poder aquisitivo, deve jamais ignorar a importância das TIC como ferramenta para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Nenhum ser humano merece a infâmia de ser tratado condescendentemente como animais por aqueles que batem no peito pedindo por equidade e justiça, sendo que são provenientes de uma posição privilegiada e se recusam a ser catalisador do evangelho da equidade, que tantas vezes eles próprios pregaram. Não subestime a criatividade das pessoas que nos permitem continuar, em tempos de pandemia, com a oferta de aulas ou consultas médicas em áreas rurais de nossa América Latina através de aplicativos de chat. WhatsApp, Messenger, Telegram e Skype são os protagonistas que viabilizam a teleducação e a telemedicina em áreas marginalizadas. Apresentar-se como defensor dos pobres enquanto lhe é negado um caminho até a digitalização é similar a dar-lhes um prato de comida e logo lhes cravar um punhal pelas costas. Criar e implementar uma estratégia nacional para o desenvolvimento das telecomunicações é investir na chamada infraestrutura de conhecimento, benefícios intangíveis que as pessoas levarão no dia a dia pelo resto da vida. Deixar de fazer isso é trabalhar para beneficiar o aumento das diferenças sociais de quem tem acesso a privilégios, e de quem tem que se virar diariamente para não cair no analfabetismo funcional. Considero imprescindível aprofundar este aspecto: quando falo de uma estratégia nacional e inclusiva no desenvolvimento das TIC, não apenas faço referência para a infraestrutura. Também me refiro a utilização das novas tecnologias na educação, em serviços de emergência, saúde, agricultura, energia, finanças... enfim, remito a todos os segmentos que constituem a economia de um país. Falo de capacitações, de melhorar eficiências e levar aos setores distantes uma nova possibilidade para melhorias. É indispensável compreender a necessidade de uma correta assessoria sem se recusar a entender que não se pode pensar no crescimento futuro do país quando uma porcentagem significativa da população considera as TIC apenas como uma plataforma para assistir a vídeos ou bater papo. De toda forma, os esforços para mudar esta percepção junto à população são praticamente inexistentes. Como pensar em um país preparado para começar a exportar serviços e conhecimentos quando, em muitas áreas do governo, impera a tecnofobia? Como acabar com a dependência fomentando empreendimentos e crescimento econômico em áreas que mais necessitam, se não se provém as ferramentas básicas para mudar isso? O pior de tudo, infelizmente, é que muitos destes antigos super-heróis, seja por covardia ou por comodidade, têm deixado suas promessas de proteção das massas para passar a ser marionetes que protegem os mesmos interesses de sempre. Como se estivessem esperando Godot, suas palavras se mostram diligentes, mas suas ações os condenam à paralisia da inércia. No final das contas, a vítima ainda é o povo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Netflix revela quais são as séries e os filmes mais populares do catálogo Veja Mais

Microsoft fará evento online de lançamento do Xbox Series X e S

canaltech Com menos de um mês para o lançamento oficial de seus novos videogames, a Microsoft parece trabalhar forte com seu time de marketing para a produção de eventos promocionais. Apesar das restrições sociais impostas pela pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), a gigante de Redmond promete agitar o mercado para a chegada do Xbox Series X e do Xbox Series S com eventos online pelo mundo. Como é de praxe, por conta do fuso horário, países como Austrália e Nova Zelândia costumam ser os primeiros a iniciarem as vendas dos consoles. Há alguns dias, a conta oficial de Xbox nesses países (Xbox ANZ) tuitou um vídeo-teaser que mostra o Lago Wakatipu, em Queenstown, na Nova Zelândia, com uma data e hora: 09 de novembro às 23h do horário local (7h do dia 10/11, no Horário de Brasília), confirmando o que deve ser o evento de lançamento dos consoles. Logo depois, a Xbox ANZ avisou que o evento será 100% digital e com todas as regras de distanciamento social respeitadas. A conta do Xbox México, por sua vez, tuitou algo parecido para um evento de "celebração especial" que acontecerá em 9 de novembro às 19h. Nenhum anúncio foi feito sobre os eventos nos EUA ou no Reino Unido, mas certamente algo deve ser anunciado para esses mercados em breve. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Tune in November 9th, 11pm NZDT / 9pm AEDT#PowerYourDreams pic.twitter.com/mG9OJKx8D7 — Xbox ANZ (@XboxANZ) October 21, 2020 O Xbox Series X chega oficialmente ao mercado no dia 10 de novembro por US$ 499. O Series S chega na mesma data, mas custando US$ 299. No Brasil, os consoles seguem em pré-venda custando R$ 4999 e R$ 2999 respectivamente. A Microsoft do Brasil ainda não anunciou qualquer evento ou data de lançamento oficial para os videogames. Compre o PS5 e o Xbox Series X | S no Brasil E aí, você já decidiu se vai de PS5 ou de Xbox Series? Independentemente da sua escolha, ambos os consoles já estão disponíveis no Brasil em pré-venda. Ao comprá-los antecipadamente, você garante que terá algum dos novíssimos dispositivos antes de 2020 acabar. Que tal aproveitar agora? Basta seguir as nossas dicas pelos links abaixo e esperar a entrega chegar: Compre o PS5 padrão com entrada para mídia física Compre o PS5 Digital Edition, o mais barato da Sony Compre o Xbox Series X com todo o poder da Microsoft Compre o Xbox Series S, o melhor custo-benefício Quer mais promoções? Conheça o Canaltech Ofertas Cansado de gastar várias horas para encontrar preços baixos na internet? Então chegou a hora de conhecer o Canaltech Ofertas, nosso serviço que seleciona apenas as melhores promoções das lojas online. Pronto para economizar? Você pode acompanhar os descontos no grupo de WhatsApp ou no site oficial: Receba ofertas diretamente no celular em nosso grupo do WhatsApp Acompanhe os descontos no site oficial do Canaltech Ofertas Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Netflix revela quais são as séries e os filmes mais populares do catálogo Veja Mais

Google lança portal esclarecendo mitos e fatos sobre desinformação no YouTube

canaltech O Google anunciou o lançamento nesta quinta-feira (22) de uma página especial para combater a desinformação no YouTube. O site “Mitos e fatos sobre desinformação e conteúdos impróprios no YouTube” conta com esclarecimentos sobre algumas das políticas de conteúdo da plataforma. YouTube vai remover fake news sobre vacinas do coronavírus Mecanismos de buscas na lei contra fake news? Google diz que é uma péssima ideia Mais de metade dos brasileiros já compartilharam fake news sem saber Segundo a empresa, a página busca trazer transparência às iniciativas do YouTube, com o objetivo de proteger o usuário contra materiais prejudiciais e duvidosos. O portal esclarece motivos usados para remover conteúdos, como contestar a remoção de um vídeo e permite consultar as regras do serviço de vídeo. Além disso, o YouTube revelou que fez mais de 30 ajustes nos seus algoritmos de sugestões desde o começo do ano passado, com o objetivo de diminuir a propagação de materiais que violem as regras. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Milhões de remoções O anúncio do YouTube divulga ainda dados que ajudam a entender o tamanho do desafio, caso da quantidade de vídeos removidos da plataforma. Entre abril e junho deste ano, por exemplo, foram 11,4 milhões de conteúdos retirados do ar, sendo que 980 mil deles eram do Brasil. O número coloca o país na terceira colocação do ranking de países com mais vídeos removidos, atrás apenas dos Estados Unidos (2 milhões) e Índia (1,4 milhões). Sistema automatizado é responsável pela maioria das remoções de conteúdo (Imagem: reprodução/Google) A página de transparência da plataforma revela que do total de remoções, 10,8 milhões foram feitos pelo sistema de detecção automatizada. Além disso, mais de 75% deles tiveram no máximo 10 visualizações. Para acessar o portal do YouTube sobre o combate à desinformação basta acessar esta página: http://g.co/youtubefatos.   E aí, você conseguiu esclarecer algumas dúvidas hoje? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Netflix revela quais são as séries e os filmes mais populares do catálogo Veja Mais

Google testa extinguir comando “Ok, Google” em dispositivos da família Nest

canaltech É impossível negar a utilidade dos assistentes virtuais como a Siri, a Alexa e o Google Assistente — porém, ao mesmo tempo, não podemos desmerecer os debates a respeito de o quão respeitosas são as tais inteligências artificiais a respeito da privacidade do usuário. Quando incorporadas em smart speakers, a maior preocupação é o controle de o quanto os gadgets estão ouvindo (e registrando!) conversas que não deveriam ser ouvidas. Google redesenha radicalmente sua interface para smart displays Saiba como mudar a voz padrão do Google Assistente 5 coisas que o Google Assistente faz e poucos conhecem Atualmente, para que um speaker da família Home ou um smart display da linha Nest passe a “lhe dar ouvidos”, é necessário ativá-los pelo bom e velho comando “Ok, Google” (ou “Hey, Google” em países que falam a língua inglesa). Mas o Gigante das Buscas está experimentando eliminar a necessidade de tal palavra-chave, fazendo com que o assistente consiga “sentir” a presença do usuário automaticamente. A situação é a seguinte: o youtuber Jan Boromeusz, que é viciado nos gadgets Nest e comumente encontra novos recursos antes que eles sejam lançados, encontrou mais uma ferramenta secreta que está no forno e pôde ser ativada para testes. Batizada de Blue Steel, a novidade experimental usa a câmera do Nest Hub Max para identificar que existe um usuário nas redondezas e ativar o microfone automaticamente. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.-   O vídeo postado por Jan comprova que o sistema funciona bem e dispensa a necessidade de dizer “Ok, Google” antes de cada comando. Porém, é difícil não ficar com várias dúvidas sobre o projeto. E se o usuário estiver longe demais para que a câmera o encontre? E se ele estiver perto do aparelho e não quiser ordenar algo ao Assistente? E, já que o Hub Max é o único Nest dotado de uma câmera, como ficam os outros smart displays da linha? De qualquer forma, vale lembrar que o recurso encontrado pelo youtuber é experimental e pode nem sequer ser disponibilizado ao público final. Resta aguardar um posicionamento da companhia e ver como os usuários vão reagir a tal recurso que pode ser útil, mas que também pode simbolizar uma ameaça à sua privacidade. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

Documento da Apple revela janelas de lançamentos com modem 5G da Qualcomm

canaltech Talvez você já tenha se esquecido, mas, durante anos, a Apple e a Qualcomm travaram uma batalha judicial ferrenha pelo uso de tecnologias de captação para redes de dados móveis. No fim, o embate acabou em abril de 2019, quando as companhias chegaram a um acordo “amigável” — a Maçã pagaria uma quantia misteriosa de dinheiro à fabricante de semicondutores e assinaria um contrato de uso de seus chips por pelo menos seis anos. Acordo com a Apple concedeu à Qualcomm tudo o que ela exigiu durante o processo Qualcomm anuncia modem 5G Snapdragon X60: o que esperar dos novos celulares Qualcomm apresenta o Snapdragon X55, modem 5G mais rápido e fino do mundo Embora tal fato tenha passado batido durante o anúncio da nova família de smartphones, os novos iPhone 12 e suas derivações já são fruto desse acordo — a linha inteira utiliza o modem 5G Snapdragon X55. Agora, como bem notado por alguns internautas, o documento que descreve o fechamento da disputa judicial serve para analisarmos um pouco mais o roadmap da Apple para o futuro. Segundo o acordo, a companhia de Tim Cook deve usar o mais moderno Snapdragon X60 entre junho de 2021 e maio de 2022, possivelmente na versão 13 do iPhone (ou, porque não, em sua próxima geração de MacBooks). Também ficou definido que os modelos X65 e X70 — que ainda sequer foram anunciados pela Qualcomm — serão utilizados nos anos subsequentes, garantindo assim uma parceria até 2024. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Embora a adição do X55 no iPhone 12 já seja uma grata surpresa, vale observar que o Snapdragon X60 — que é fabricado no processo de 5 nanômetros — é muito mais eficiente, sendo menor e tendo uma autonomia energética superior. Porém, visto que a própria Qualcomm prometeu que os primeiros smartphones com o modem só chegariam em 2021, o roadmap da Maçã parece estar de acordo com o planejado entre ambas as marcas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

Quibi morreu: streaming dedicado a celulares durou pouco mais de 6 meses

canaltech A proposta de uma “Netflix” para conteúdo produzido especificamente para ser consumido em celulares até chegou a seduzir muitos fãs e investidores do Quibi. Contudo, a plataforma parece não ter conseguido se posicionar em um mercado que já possui concorrentes audiovisuais de peso no cenário mobile, como YouTube e TikTok. O resultado, segundo o The Wall Street Journal, é que o Quibi, com pouco mais de seis meses de operação, está fechando as portas. Quibi: novo serviço de streaming de vídeos de curta duração já está disponível Quibi: como baixar e usar o streaming de vídeos de curta duração Quibi enviou dados de novos usuários a diversas empresas de publicidade Entre as razões dessa “morte precoce” seria não somente a rivalidade com YouTube e TikTok, mas também um mau momento para o lançamento, justamente quando os usuários passaram a ficar mais tempo em casa, por conta do distanciamento social causado pela pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2). Como a proposta é de um streaming mobile, o apelo comercial do Quibi caiu em relevância. Além disso, faltaram atrações que realmente agregassem um valor inovador à plataforma. Ou seja, por que você usaria um serviço de streaming pago dedicado aos celulares, sendo que o conteúdo não traz assim grandes diferenças ou títulos exclusivos de grande apelo? Pois é, essa é uma das perguntas que ficaram ecoando nos últimos meses à frente do Quibi no mercado. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Imagem: Reprodução/Quibi Não está claro o que acontecerá com a programação da empresa para os programas originais e curtas-metragens e repletos de estrelas que vinham cogitados. Mas os indícios de que a plataforma vinha caindo já apareciam ultimamente: segundo informações de bastidores, o cofundador Jeffrey Katzenberg ofereceu o Quibi para Apple, Facebook e WarnerMedia, sem sucesso. Em uma segunda negociação, ele teria tentado vender o conteúdo do Quibi para a NBCUniversal e para o Facebook, mas isso também não teria dado certo. Trajetória curta O Quibi foi lançado em 6 de abril de 2020, há pouco mais de seis meses, com dois planos: com anúncios, a US$ 4,99 (R$ 28 na conversão direta); ou sem publicidade, a US$ 7,99 (R$ 44,80). A empresa procurou se posicionar exclusivamente no streaming para dispositivos móveis, com um sistema inovador de produção: cada programa foi gravado e editado tanto no formato retrato como paisagem, permitindo a sua visualização em qualquer orientação num smartphone. Sem opção gratuita, os consumidores só podiam conhecer a plataforma via um período de degustação com pagamento posterior. Até recentemente, o Quibi também não tinha um app compatível com Apple TV, Android TV ou Fire TV. Apesar dos 1,75 bilhão de dólares que Katzenberg e a cofundadora e CEO Meg Whitman levantaram, o Quibi chegou a ter certo prestígio, após vencer dois prêmios Emmy com suas atrações originais em setembro. As atrações exclusivas do Quibi até conquistaram bastante fãs (Imagem: Reprodução/Quibi) Mas um relatório da empresa de rastreamento de aplicativos Sensor Tower em julho afirmou que o Quibi perdeu mais de 90% de seus assinantes após o término do teste inicial de três meses. Apenas 72 mil dos cerca de 910 mil usuários que haviam se registrado no lançamento permaneceram como assinantes — embora o Quibi conteste esses números. Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! O Quibi, então, embora premiado e com uma premissa interessante, está morto — pelo menos por enquanto. A companhia ainda não emitiu um comunicado oficial. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

Diversidade importa: fundador do Orkut fala sobre a inclusão na tecnologia

canaltech *Por Nathan Vieira e Natalie Rosa Um assunto que tem conquistado cada vez mais espaço ao longo do tempo é a diversidade, e isso também se estende ao ramo da tecnologia. Com isso em mente, na próxima quinta-feira (22), no evento de inovação e transformação digital Silicon Valley Web Conference, haverá uma palestra sobre diversidade no Vale do Silício, ministrada por Orkut Büyükkökten, o engenheiro de software responsável pela lendária rede social que levava o seu nome. E a equipe do Canaltech conversou com o próprio Orkut para ter um vislumbre do assunto. 15 anos do Orkut, a rede social que ensinou a uma geração o que é a internet Dia do orgulho LGBT | 10 líderes tech que representam diversidade Orkut aposta em 5 superpoderes para construir redes sociais mais saudáveis Orkut: uma presença marcante no Brasil Antes de entender a proposta de Orkut Büyükkökten, é preciso entender quem ele é e o que representa na área da tecnologia. O engenheiro de software turco é um veterano de 11 anos do Google com um mestrado e doutorado em Ciência da Computação pela Stanford University, na Califórnia, onde lançou a primeira de suas três redes sociais de sucesso: a Club Nexus, em 2001. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- (Imagem: Divulgação/Hello) “Na Turquia, a engenharia de software é uma área bastante popular, assim como a engenharia elétrica. As faculdades de ciência da computação são tão boas que quando eu cheguei ao Google fiquei surpreso em ver a boa educação que eu tive lá”, relembra Orkut, em entrevista ao Canaltech. Mas foi em 2004 que ele criou e lançou o Orkut.com, uma rede social que reuniu mais de 300 milhões de usuários em todo o mundo e, em seu auge, foi responsável por mais de 50% das visualizações de página do Google, sendo, naquela época, o website líder na Índia e no Brasil. Para se ter uma noção, a sede da rede social ficava na Califórnia até agosto de 2008, quando o Google anunciou que o Orkut.com seria operado no Brasil devido à grande quantidade de usuários brasileiros. Não é segredo para ninguém que a rede social foi um marco para nosso país, com um sucesso que nenhuma outra conseguiu atingir por aqui. Se foi da sua época, é muito provável que você se lembre até hoje das comunidades, que serviam para reunir diversas pessoas com gostos em comum, ou dos depoimentos, em que se deixava registrado o carinho que se tinha por alguém (diferente dos scraps, que eram mais dinâmicos). “Nós vemos muitos relacionamentos autênticos e genuínos acontecendo em redes sociais, em que as pessoas fazem amigos, arranjam empregos e até mesmo arranjam namorados e namoradas. Uma das minhas memórias do Brasil é de quando alguém chegou para mim e disse 'eu conheci minha esposa no Orkut', e eles têm dois filhos e até me mostraram fotos deles no celular”, conta o criador da rede social. O Orkut.com teve seu fim em 2014 e, dois anos depois, o engenheiro de software lançou uma nova rede social, chamada Hello. O site pode ser personalizado em três idiomas: inglês, francês e português. Em agosto de 2016, o Hello já estava disponível nos EUA, Canadá, França, Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia, Irlanda e Brasil, tanto no iOS quanto no Android. Hello, a rede social mais recente de Orkut (Imagem: Divulgação/Hello) Saúde mental nas redes sociais É indiscutível que a rede social em questão abriu portas para o que hoje está tão presente em nosso cotidiano. “Depois da visibilidade do Orkut.com, eu tenho visto muitas respostas de como a engenharia turca construiu uma rede social que conseguiu ter visibilidade global e que também encorajou muitos adolescentes de lá a terem escolhido a tecnologia como uma profissão”, analisa. No entanto, principalmente com o passar do tempo, as redes sociais têm chamado atenção para uma questão delicada: a saúde mental. “As redes sociais de hoje tem se tornado um lugar de assédio e abuso quando a questão é a diversidade. Muitas pessoas vêm sofrendo assédio devido aos seus posicionamentos políticos, sua aparência física ou o seu gênero, então vemos o efeito oposto. As redes sociais estão encorajando as pessoas a serem todas iguais e isso acaba criando problemas com a sociedade, onde as pessoas estão se sentindo mais inseguras, sozinhas e infelizes”, observa o engenheiro de software. Orkut explica que as empresas começaram a priorizar renda, marketing e propaganda em vez de usuários. Há tanta tecnologia por trás disso, como o aprendizado de máquina e inteligência artificial, que automatizam algoritmos para que as pessoas usem mais os seus produtos e passem mais tempo neles, e isso na verdade acabou separando mais as pessoas, criando estresse, ansiedade, solidão e infelicidade. “Com a tecnologia, você pode criar e desenvolver o serviço para diferentes propósitos que você tenha em mente. E se o seu propósito é unir as pessoas e deixá-las felizes, então é válido tentar, mas se o seu propósito for fazer as pessoas passarem o maior tempo nelas possível e fazer dinheiro, então o efeito será oposto. Se você observar as redes sociais, você sempre vê seus amigos e família, eles estão sempre em festas, viajando pelo mundo, sempre parecem tão fabulosos, e você olha para estes posts e você acha que nunca vai ser tão bom quanto eles e isso cria uma insegurança que as pessoas acreditam que o que veem online é real, mas tudo tem filtro”, afirma. “Então se você olhar para as redes sociais hoje, você acha que ter uma vida daquelas vai te deixar feliz, e que felicidade vem do número de seguidores ou números de likes, mas a felicidade vem de nossas amizades e das experiências que compartilhamos uns com os outros. Hoje, as redes sociais estão fazendo as pessoas passarem menos tempo pessoalmente com as outras e ter essas experiências, e fazem as pessoas postarem conteúdo apenas para obterem mais engajamento”, o engenheiro acrescenta. Por outro lado, Orkut reflete que é muito importante ter essas discussões sobre o valor da diversidade e como usar empresas populares e redes sociais para garantir que as pessoas sejam mais aceitas. “Se você ver a diversidade hoje, as empresas sempre falam sobre quantas pessoas negras são contratadas, quantos latinos e gays são contratados, mas essa discussão precisa ir mais adiante, afinal a diversidade não é só sobre as pessoas que você contrata, mas também em como você as aceita e as empodera”, conclui. (Imagem: Divulgação/Hello) A diversidade no mundo da tecnologia O Canaltech também conversou com Orkut sobre o cenário da diversidade no Vale do Silício, que abriga uma grande parte das maiores empresas de tecnologia do mundo, e como vem sendo essa realidade atualmente, o que é tema do evento que irá participar. De acordo com o executivo, a região já é conhecida por ser bem aberta e diversa, e ele diz que foi bem sortudo. "Quando eu me formei em Stanford e comecei a trabalhar no Google, eles já tinham uma força de trabalho bastante diversa. Eles têm ainda um nome para os seus funcionários da comunidade LGBTQ+ chamada de Gayglers", conta. O termo Gayglers foi criado ainda em 2006 e começou a ser usado de brincadeira para classificar os funcionários gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros da companhia, sendo uma junção das palavras "Googler" + "gay". Orkut contou ainda que lá no começo do Google, a representatividade era maior de homens e de pessoas brancas, mas que os números foram caindo significativamente conforme a empresa foi crescendo. O entrevistado ainda diz que, segundo dados do ano passado, houve um aumento de pessoas negras, por exemplo, na indústria da tecnologia como um todo, o que é um ponto positivo. Perguntamos também a Orkut como ele viu o impacto das redes sociais a favor de ajudar minorias a se encontrarem, conversarem com pessoas pertencentes a uma mesma comunidade e compartilhar suas experiências. Ele contou que o Orkut.com já foi criado pensando nisso, o que já era visto na criação de um perfil, quando era possível definir a sua orientação sexual, além de crenças e religiões, políticas e governos, e que a sua intenção sempre foi fazer com que as pessoas se sentissem pertencentes, em casa e sempre bem-vindas. "Por exemplo, eu conheci este rapaz no Brasil no ano passado, que me contou que cresceu em uma cidade pequena e que sempre se sentiu atraído por garotos quando era jovem, mas não tinha nenhum modelo ou amigos gays", conta Orkut. "Então, ele disse que se sentia triste, até que entrou no Orkut.com e viu várias comunidades LGBTQ+, entrou nelas e começou a fazer amigos. Ele disse que essa experiência salvou a sua vida. Isso mostra o impacto das redes sociais na sociedade em relação à aceitação e diversidade", completa. Página inicial do Orkut.com (Imagem: Divulgação) Mas para uma empresa ser inclusiva, não é preciso "apenas" começar a contratar pessoas mais diversas, como Orkut nos revelou. Para ele, as companhias não devem mostrar a inclusão em números, em quantas pessoas, negras, gays ou latinas são contratadas, mas também através de ações. "Elas (as empresas) têm que mostrar que respeitam as opiniões, experiências e crenças das pessoas, e também fazer mudanças que tornem a vida de seus funcionários melhores", diz o entrevistado. Ele conta ainda que existe uma visão errônea sobre o tratamento concedido às pessoas que fazem parte de minorias. "Hoje, muitas pessoas acham que o que eles (os contratantes) querem é o que todo o resto quer, e que devem tratar as pessoas do jeito que eles querem ser tratados, mas isso é completamente errado, você precisa tratar as pessoas da forma que elas querem ser tratadas. Cada pessoa é diferente, cada pessoa tem uma paixão diferente, crenças e pontos de vista. Nós temos que garantir que somos inclusivos não só na questão de número de pessoas contratadas, como também na aceitação e respeito", conta. Orkut, que hoje toma conta da rede social Hello, encerrou a entrevista contando que, no Vale do Silício, em grandes companhias como a Apple ou o Alibaba, as empresas mais diversas também são as mais bem sucedidas, e que isso as torna grandes exemplos para as outras. "Porém, ainda temos um longo caminho a seguir porque homens brancos ainda são a maioria na indústria", finaliza. Palestra Orkut Buyukkokten irá se apresentar nesta quinta-feira (22) no evento Silicon Valley Web Conference (SVWC), debatendo a questão da diversidade nas empresas de tecnologia, principalmente do Vale do Silício e também nas redes sociais. O objetivo do evento é trazer para os participantes uma amostra do que é Vale do Silício, que hoje é referência mundial em tecnologia e inovação. O SVWC vem acontecendo desde o dia 1° de outubro e chega ao fim no dia 30, totalizando 100 horas de debate de 10 temas diferentes: agro, mobilidade, financeiro, saúde, construção, varejo, RH/pessoas, educação, jurídico e inteligência artificial. O fundador do extinto Orkut.com e da rede social Hello vai palestrar a partir das 18h30 (horário de Brasília) do dia 22 de outubro. As inscrições podem ser feitas no site oficial do evento. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Samsung registra patente de celular com uma curiosa tela destacável Naves poderiam chegar a Titã, lua de Saturno, em apenas 2 anos com este motor Xiaomi cutuca Apple e diz que vai reduzir uso de plástico e manter o carregador Chuva de meteoros Orionídeas terá pico nesta madrugada; saiba como observar iPhone 12 Pro Max é homologado pela Anatel e já pode ser vendido no Brasil Veja Mais

OnePlus Nord N10 5G tem informações reveladas e deve ser lançado ainda neste mês

canaltech Além do OnePlus 8T, a OnePlus deve apresentar mais um smartphone neste mês, mas sob a linha Nord. A fabricante chinesa já havia publicado um teaser em sua conta no Instagram com a hashtag #ComingSoon, indicando o lançamento do segundo dispositivo da sua família de intermediários. Agora, novas informações sugerem que o aparelho será lançado nos próximos dias e com um design semelhante a outro modelo da marca. Conheça a BBK, empresa chinesa que vende mais celulares do que Apple e Huawei OnePlus explica escolha do nome Nord para nova linha de celulares intermediários OnePlus 8T é lançado com design renovado nas câmeras e carga super-rápida O popular informante Max J. publicou em seu Twitter uma imagem com o que pode ser a forma traseira do celular. O módulo de câmeras e as laterais levemente arredondadas lembram o OnePlus 8T, lançado no dia 14 de outubro com um visual diferente da linha OnePlus 8. Veja abaixo: ???? / ???? pic.twitter.com/RnFOB239y8 -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- — Max J. (@MaxJmb) October 21, 2020 Além disso, há letras e números na foto que formam a nomenclatura "N10", o que vai ao encontro de rumores recentes que citaram a existência de um possível OnePlus Nord N10 5G. Os tons de azul na imagem também sugerem que deve haver uma opção de cor em azul. OnePlus 8T foi lançado um dia depois do iPhone 12 (Foto: Divulgação/OnePlus) O que sabemos sobre o OnePlus Nord N10 5G Um novo smartphone da linha Nord já havia sido encontrado em julho deste ano. Segundo informações do site XDA-Developers, o lançamento será equipado com o chip Snapdragon 690, primeiro da série Snapdragon 600 com suporte a redes 5G. Ou seja, tudo indica que ele será posicionado um degrau abaixo do primeiro Nord e, consequentemente, mais acessível. Com relação à tela, rumores apostam em um display Full HD+ de 6,49 polegadas, além de frequência de atualização de 90 Hz, característica que já vem sendo usada pela fabricante em todos os seus aparelhos mais recentes. Já o conjunto de câmeras deve manter os sensores do Nord tradicional, ou seja: principal de 64 MP, ultra grande-angular de 8 MP e outros dois de 2 MP, sendo um de profundidade e outro, macro. OnePlus Nord N100 Recentemente, também surgiu a possibilidade de a OnePlus anunciar um smartphone da linha ainda mais barato, além do N10 5G. Até o momento, a única coisa que sabemos sobre o aparelho é que ele seria equipado com o chipset Snapdragon 460 da Qualcomm e teria o nome de N100 — embora seu nome indique se trata de um aparelho mais potente. Espera-se que os novos smartphones da OnePlus sejam lançados no dia 26 de outubro, ou seja, na próxima segunda-feira. Continue acompanhando o Canaltech para não perder nenhuma novidade sobre os aparelhos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Celular robusto Samsung Galaxy XCover Pro é lançado no Brasil por R$ 2,8 mil O céu (não) é o limite | Enorme tubo de lava descoberto em Marte, e muito mais! Windows 10 October Update: confira todas as novidades da nova versão Primeiro celular compatível com carregador sem fio da Apple não é um iPhone Supercomputador mostra como o coronavírus se espalha em mesa de restaurante Veja Mais

Pós-COVID | Idosos e mulheres podem enfrentar mais desdobramentos da infecção

canaltech Para algumas pessoas que contraíram o coronavírus SARS-CoV-2, os sintomas da COVID-19 podem continuar mesmo após o fim da infecção. Esses casos são conhecidos como "síndrome da pós-COVID" e, em algumas circunstâncias, os pacientes podem precisar até de ajuda médica para retomar às atividades diárias e ao trabalho, por exemplo. Agora, uma pesquisa britânica aponta que idosos, mulheres e aqueles com uma ampla gama de sintomas na primeira semana da infecção podem ter maior probabilidade em desenvolver essa condição. Pessoas estão com sintomas da COVID-19 há mais de dois meses após a contaminação Reino Unido busca voluntários que topem se infectar com COVID-19 para estudo COVID-19 | Vacina Sputnik V pode ser produzida em massa no Brasil Publicado nesta quarta-feira (21), o estudo sobre pós-COVID foi realizada por pesquisadores do King's College London, no Reino Unido. Pensando nessas complicações da infecção por coronavírus, a Mayo Clinic — uma organização norte-americana sem fins lucrativos e de pesquisa na área da saúde — lançou o Programa de Reabilitação de Atividade da COVID (CARP, em inglês), onde também estuda a nova síndrome relacionada a essa pandemia. Idosos e mulheres apresentam maiores chances de desenvolver pós-COVID (Imagem: Reprodução/ Anrita1705/ Pixabay) O que é pós-COVID? De acordo com a pesquisa britânica, a pós-COVID ocorre quando um paciente infectado pelo coronavírus continua a apresentar alguns sintomas que persistem por mais de quatro semanas, depois da "cura" da infecção. Em paralelo, os sintomas de um caso, sem gravidade, da COVID-19 ocorrem por até 10 dias, sem que ocorra uma recaída após esse período. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- "Essa condição tem sido chamada de COVID 'longa', 'pós-aguda' ou 'síndrome pós-COVID-19'", aponta documento sobre Avaliação e manejo de sintomas prolongados, desenvolvido em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). "Até o momento não há evidências que indiquem que os pacientes com sintomas residuais prolongados apresentam infecção viral ativa", completa o texto da UFRGS, esclarecendo que esses pacientes não continuam a transmitir o coronavírus para outras pessoas. Pesquisa sobre pós-COVID Segundo o estudo britânico, uma em cada 20 pessoas infectadas pelo coronavírus (4,5%) tem probabilidade de apresentar sintomas da COVID-19 que se prolongam por oito semanas ou mais. Para o Covid Symptom Study, publicado ainda sem revisão por pares, foram coletados informações de 4.182 usuários de um aplicativo sobre a doença, desenvolvido para os pacientes do Reino Unido. No app, os usuários relataram teste positivo para a doença e precisaram registrar regularmente suas informações de saúde. Cerca de um em cada cinco adultos com mais de 70 anos (21,9%) com resultado positivo para coronavírus desenvolveram a pós-COVID. Em contrapartida, apenas uma em cada 10 pessoas de 18 a 49 anos notificaram o desenvolvimento da síndrome. Além disso, mulheres eram mais propensas a sofrer dessa condição, quando comprada aos homens. O estudo verificou que 14,9% das mulheres desenvolviam a pós-COVID, enquanto apenas 9,5% dos homens relataram algum sintoma após a recuperação. Isso considerando a faixa etária mais jovem do estudo. Após recuperação da COVID-19, alguns pacientes continuam a apresentar sintomas da infecção (Imagem: Reprodução/ Kjpargeter/ Freepik) É importante ressaltar que essa análise tem algumas limitações, já que foi baseada em informações auto-relatadas pelos pacientes via formulários no app. Além disso, maior parcela dos usuários eram mulheres e a maioria dos participantes tinha menos de 70 anos. Mesmo com essas condições, o estudo ajuda a traçar o cenário dessa condição ainda nova para a pandemia da COVID-19. "Parece haver uma relação com a idade e isso pode refletir que, talvez, os indivíduos apenas sejam mais sensíveis à infecção ao passo que envelhecem, o que, claro, vimos nas notícias. Mas, novamente, qualquer pessoa pode ter. Penso que esse é o ponto de destaque disso. Tivemos indivíduos que estavam com a saúde ótima antes da sua infecção e eles também tiveram dificuldades em se recuperarem”, explica o Dr. Greg Vanichkachorn, especialista em medicina preventiva, ocupacional e aeroespacial da Mayo Clinic. Sintomas da pós-COVID Mas, afinal, qual seriam os sintomas da pós-COVID? Há uma variedade de quadros, mas é possível traçar algumas características em comum. “Diria que a característica mais definitiva que vemos nesses pacientes é a fadiga. E não qualquer fadiga, mas sim uma fadiga profunda. Por exemplo, as pessoas dizem: ‘Eu cochilo de quatro a cinco horas após fazer uma coisa simples como lavar a roupa ou caminhar um quarteirão.’ É impressionante o quão esgotadas as pessoas se sentem com apenas um pouquinho de atividade", afirma Vanichkachorn, médico que também lidera o programa de reabilitação desses pacientes desenvolvido pela Mayo Clinic. "O segundo sintoma que vemos com alguma frequência é falta de ar, o que faz sentido. Nós sabemos que a COVID-19 pode causar mudanças de longo prazo nos pulmões, como doenças pulmonares e afins, e pode levar à dispneia de longo prazo. Isso aparece com bastante frequência. Vemos também dores de cabeça, acredite ou não. Cerca de 30 por cento das pessoas reclamam de algum tipo de problema neurológico de longo prazo, seja dor de cabeça, tontura ou fraqueza. Mas dores de cabeça parecem ser definitivamente parte desse quadro”, complementa Vanichkachorn. Retornado aos estudos baseado nos formulários do app, a pesquisa também identificou dois grupos principais de pacientes, incluindo algumas condições comuns descritas pelo médico. Um grupo apresentou sintomas, principalmente, respiratórios, como tosse e falta de ar, além de fadiga e dores de cabeça. Já o outro grupo experimentou sintomas que envolvem diferentes sistemas do corpo humano, como palpitações cardíacas, problemas intestinais e névoa cerebral. Para acessar o estudo britânico, publicado na plataforma online MedRxiv, clique aqui. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Celular robusto Samsung Galaxy XCover Pro é lançado no Brasil por R$ 2,8 mil O céu (não) é o limite | Enorme tubo de lava descoberto em Marte, e muito mais! Primeiro celular compatível com carregador sem fio da Apple não é um iPhone Real Madrid x Shakhtar Donetsk: onde assistir à Champions League na internet COVID-19 | Morre brasileiro voluntário dos testes da vacina de Oxford Veja Mais