Meu Feed

No mais...

FGTS registra lucro de R$ 8,4 bi em 2020, queda de 24,7%

Valor Econômico - Finanças Segundo balanço, os ativos somaram, na visão consolidada, R$ 570,3 bilhões no ano passado O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) registrou lucro líquido de R$ 8,467 bilhões em 2020, com receitas de R$ 33,4 bilhões, despesas de R$ 25 bilhões. O resultado teve uma queda de 24,77% ante 2019, quando o lucro do fundo foi de R$ 11,3 bilhões. As informações constam de demonstrações financeiras consolidadas do fundo que foram aprovadas hoje pelo Conselho Curador do FGTS em reunião extraordinária. Segundo balanço, os ativos somaram, na visão consolidada, R$ 570,3 bilhões no ano passado. No contexto da pandemia, o FGTS realizou uma série de ações que contribuíram com milhares de trabalhadores, empresas e mutuários que financiam suas casas próprias e que afetaram o resultado do fundo. Dentre as medidas citadas na reunião estão o saque emergencial, que resultou em R$ 24,2 bilhões sacados, beneficiando 31,7 milhões de trabalhadores; a suspensão de recolhimento do FGTS por três meses beneficiou 800 mil empregadores e que totalizaram R$ 11,1 bilhões suspensos nas competências envolvidas, dos quais R$ 10,5 bilhões retornaram ao Fundo nos meses de diferimento. Também foi feita a suspensão de prestações de habitação, saneamento e infraestrutura somou R$ 2,005 bilhões, com R$ 1,969 bilhão só em habitação beneficiando 1,4 milhão de mutuários e foram sacados R$ 9,8 bilhões relativos ao saque aniversário, que também contribuíram com o alívio financeiro das famílias. As demonstrações financeiras do FGTS foram avaliadas por auditoria externa independente, e aprovadas sem ressalvas. Divulgação / Caixa Veja Mais

Pressionado na CPI, deputado do Amazonas acusa Aziz e gera bate-boca

Valor Econômico - Finanças Desentendimentos começaram quando os senadores passaram a pressionar Fausto Junior, repetidamente, sobre a razão de ele não ter pedido o indiciamento do governador amazonense Wilson Lima O depoimento do deputado estadual do Amazonas Fausto Junior (PRTB) à CPI da Covid nesta terça-feira gerou bate-boca entre os parlamentares. Ele foi convocado a prestar esclarecimentos ao colegiado como relator da CPI da Saúde, comissão instalada pela Assembleia Legislativa do Estado durante a primeira onda da pandemia de covid-19. Edilson Rodrigues/Agência Senado Os desentendimentos começaram, no entanto, quando os senadores passaram a pressionar Fausto Junior, repetidamente, sobre a razão de ele não ter pedido o indiciamento do governador amazonense Wilson Lima (PSC) no âmbito das investigações conduzidas pela Assembleia Legislativa do Estado. O presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), também endossou os questionamentos. "Vossa excelência teve a oportunidade, como relator, de indiciar o governador do Estado do Amazonas por prevaricação, por uso de verba. O povo do Amazonas que está escutando e queria saber. A pergunta é deles [senadores]. Agora, eu estou perguntando: por que não indiciou o governador do Estado do Amazonas na CPI da Saúde? Por que o deputado Fausto Junior não indiciou o governador do estado do Amazonas na CPI da Saúde?", perguntou Omar. A insistência fez Fausto Junior reagir contra Omar Aziz, que também foi governador do Amazonas entre 2011 e 2014. "O papel da CPI da Saúde no Amazonas foi subsidiar os órgãos de controle. Pinçamos os problemas mais sensíveis para tentarmos dar encaminhamento a uma investigação mais aprofundada dos órgãos de controle. Todos os governadores investigados pela CPI, entre 2011 e 2020, mereciam ser indiciados, incluindo o Omar Aziz", rebateu Fausto. Omar e Fausto passaram a discutir, então, sobre os chamados pagamentos indenizatórios, mecanismo usado pelo governo do Amazonas para contratação de serviços sem licitação. Fausto deu a entender que todo o montante de R$ 1,5 bilhão, gasto desde 2011 nesse tipo de processo, teria indícios de corrupção, incluindo a parcela referente ao governo de Aziz. "É um contrato onde a empresa é chamada pela Secretaria de Saúde para prestar determinado serviço. A empresa, primeiro, presta o serviço e depois vai levar a fatura para o governo do Estado pagar, sem qualquer tipo de licitação, sem qualquer tipo de fiscalização, muitas vezes, sem o serviço sequer ser executado. E o Governo paga, é obrigado a pagar. Por uma questão de enriquecimento ilícito... ele é obrigado a pagar aquele valor, muitas vezes sem qualquer tipo de auditoria. Então, é um caso que está previsto na administração pública, mas de uma forma excepcionalíssima, em casos em que há claro perigo de descontinuidade do serviço público. E a gente viu que não foi dessa forma que foi atuado. Virou via de regra, e não exceção", argumentou Fausto. Omar Aziz rebateu. "O que estou vendo aí é o seguinte: esses processos indenizatórios... É simples: o Tribunal de Contas aprovou esses processos indenizatórios. E aí eu, como governador, tenho responsabilidade zero nesses processos indenizatórios porque não sou ordenador de despesas das pastas. Esse é um ponto. Em 2015 e 201,6 já não era mais meu governo", retrucou o presidente da CPI da Covid. No meio da discussão, Aziz deu a entender que o deputado estadual estaria atuando de forma alinhada com o senador Eduardo Braga (MDB-AM), que também foi governador do Estado e é membro da CPI. "A gente vai chegar lá no final e vocês vão ver quem é quem aqui", disse Omar. "Senador, eu estou sendo ameaçado? Eu estou sendo ameaçado, senador?", questionou Fausto Junior. Por conta do bate-boca, Omar Aziz passou a questionar o parlamentar estadual sobre sua relação com uma série de empresas e suas viagens a São Paulo. "Irei quebrar o sigilo dessas empresas. Quebrarei o sigilo fiscal dessas empresas e irei pegar a autorização de construção do condomínio de luxo que o senhor diz não conhecer", afirmou o presidente da CPI da Covid. Eduardo Braga, por sua vez, acusou Omar de estar "extrapolando". "Isso tem a ver com a causa de o governador não ter sido indiciado pelo deputado", concluiu Aziz. "Eu tenho direito de me defender." Veja Mais

IGP-M continua desacelerando, mas pressão dos preços ao consumidor não muda, projeta FGV Ibre

Valor Econômico - Finanças André Braz, especialista em inflação do Instituto, espera alta entre 6,7% e 7% para o IPCA em 2021; teto da meta para o ano é 5,25% A valorização do câmbio e a queda da cotação de commodities em dólares reduziram a inflação no atacado e desaceleraram o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) em junho, mas o alívio não muda o cenário pressionado para os preços ao consumidor. A avaliação é de André Braz, especialista em inflação do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre), para quem o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve aumentar entre 6,7% e 7% em 2021. O teto da meta para o ano é 5,25%. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Rachel Biderman fala sobre conservação da natureza e o bem-estar social

Valor Econômico - Finanças Em entrevista, a vice-presidente sênior para as Américas da Conservação Internacional comenta a importância das florestas e da agricultura para o clima A advogada e administradora Rachel Biderman tem concentrando a maior parte do seu trabalho em projetos sobre mudança climática e florestas, igualdade de gênero e a proteção de povos indígenas. Ela também é vice-presidente sênior para as Américas da Conservação Internacional, uma organização sem fins lucrativos que reúne especialistas em diversas áreas para proteger os ecossistemas críticos que fornecem água e alimentos, sustentam economias e regulam o clima. A conversa conta com a participação de Karine Bueno, superintendente executiva de sustentabilidade do Santander Brasil. Initial plugin text Conhecido por abordar pautas urgentes do século 21 e engajar líderes cívicos e empresariais na busca soluções para os problemas do planeta, esse ano o Cidadão Global trouxe o ambientalista e ex-vice-presidente americano Al Gore. Já estiveram no Cidadão Global personalidades como o ex-presidente americano Barack Obama, o historiador israelense Yuval Noah Harari e o biólogo Jared Diamond, a atriz e ativista americana Viola Davis e a ganhadora do Nobel de Economia Esther Duflo – no ano passado, elas falaram sobre o futuro da Globalização. Gostou deste conteúdo? Responda o chat abaixo e nos ajude na missão produzir conteúdo sempre útil para você. Leva 30 segundos. Veja Mais

Aneel eleva em 52% cobrança extra na conta de luz; aumento já vale em julho

Valor Econômico - Finanças Valor cobrado na bandeira tarifária vermelha Patamar 2 vai sair dos atuais R$ 6,24 para R$ 9,49 a cada 100 kWh Com voto divergente do relator, a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou o aumento do valor cobrado pela bandeira tarifária vermelha Patamar 2 (P2) dos atuais R$ 6,24 para R$ 9,49 a cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos. A alta de 52% valerá já a partir do consumo de energia faturado em julho. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Crédito imobiliário avança 127% nos primeiros cinco meses de 2021

Valor Econômico - Finanças Só em maio o crédito imobiliário com recursos da poupança cresceu 144,9% e atingi nível recorde de R$ 17,47 bilhões Os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) atingiram R$ 17,47 bilhões em maio de 2021, maior volume nominal mensal registrado em um mês de maio na série histórica iniciada em 1994, informa a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). O montante superou em 4,6% o registrado em abril e, comparado a maio do ano passado, foi 144,9% maior. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Novo presidente da Hitachi prioriza mercado dos EUA

Valor Econômico - Finanças Executivo está de olho em pacotes de estímulos econômicos oferecidos pelo governo de Joe Biden Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Substituição de milho por arroz na ração animal é tema de estudo

Valor Econômico - Finanças Alternativa foi debatida no projeto Duas Safras, ação do Sistema Farsul, da ABPA e da Embrapa A estimativa de uma quebra entre 20% e 30% na safra de milho de inverno e suas consequências nos preços da ração animal vêm causando preocupação em relação aos custos de produção de proteínas animais. Com isso, associações de produtores de grãos e de pecuaristas estudam usar arroz para substituir o milho. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Startup Geração Agro cresce com serviço de ajuste técnico de plantadeiras

Valor Econômico - Finanças Máquinas mal ajustadas podem gerar queda de 15% na produtividade das lavouras Plantadeiras mal ajustadas podem reduzir a produtividade de lavouras de grãos (soja, milho e algodão) em 15%, em média, estima a startup Geração Agro, que nasceu após engenheiros agrônomos perceberem o tamanho desse problema. Oferecendo um serviço de gestão de plantio, que vai da avaliação técnica do maquinário ao treinamento dos operadores, a empresa já viu seu faturamento saltar 300% em quatro anos de operação e alcançar R$ 1,2 milhão. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

CPI da Covid ouve deputado estadual do Amazonas Fausto Junior

Valor Econômico - Finanças O requerimento de convocação é de autoria de Marcos Rogério (DEM-RO) A CPI da Covid colhe nesta terça-feira o depoimento do deputado estadual do Amazonas Fausto Junior (PRTB). Ele foi relator da CPI da Saúde realizada pela Assembleia Legislativa do Estado em 2020. O requerimento de convocação é de autoria de Marcos Rogério (DEM-RO) e foi aprovado em 16 de junho. O senador afirma que, desde 2020, o governo do Amazonas é alvo de investigações coordenadas pela Polícia Federal (PF) referentes a fraudes em aquisições emergenciais e desvio de recursos públicos destinados ao enfrentamento da pandemia da covid-19. No requerimento, Marcos Rogério explicou que, após 120 dias, as investigações da CPI revelaram que autoridades, servidores públicos e representantes de empresas privadas se associaram com o intuito de obter vantagens patrimoniais indevidas. Além disso, de acordo com o senador, a CPI da Saúde teve atuação decisiva e complementar nas linhas de investigação do chamado “escândalo dos ventiladores pulmonares”, comprados pelo governo do Amazonas por intermédio de uma loja de vinhos. Fausto Junior deve falar também sobre o envolvimento do governador do Estado, Wilson Lima (PSC), que conseguiu habeas corpus para não ter de prestar esclarecimentos à CPI da Covid. Lima é investigado sobre um suposto esquema de desvio de dinheiro durante a pandemia, a partir da formação de uma organização criminosa no Estado. A apuração foi deflagrada pela PF, que quer saber se o governo do Amazonas favoreceu empresários locais na construção de um hospital de campanha em Manaus. Os agentes chegaram a fazer buscas na casa do governador, na sede do governo e Secretaria de Saúde. Em junho do ano passado, o governador amazonense já tinha sido alvo de uma operação por suspeita de fraude na compra de respiradores. O depoimento mais esperado da semana, no entanto, é o do empresário Francisco Maximiano, sócio da Precisa Medicamentos, que está agendado para quinta-feira. Em janeiro, ele fez parte de uma “delegação” que foi até a Índia para tratar da importação do imunizante da Bharat Biotech. Na ocasião, ele defendeu a compra da Covaxin como forma de “romper o oligopólio” formado por GSK, Pfizer e Sanofi. Veja Mais

Dólar tem leve alta e juros recuam com cena externa e crise hídrica no radar

Valor Econômico - Finanças Investidores avaliam ainda dados sobre inflação no Brasil e esperam relatório do mercado de trabalho nos EUA, que saem no fim desta semana O dólar abriu os negócios desta terça-feira em alta, enquanto os juros futuros operam em queda, com os investidores repercutindo o vigor da moeda americana no exterior e ponderando o risco hidrológico. Às 9h54, o dólar comercial subia 0,39%, a R$ 4,9471, em linha com a valorização da divisa tanto em relação às rivais fortes, como euro, libra e iene, como quanto ante as principais moedas emergentes. “O dólar ganha alguma tração hoje, conforme os mercados reavaliam as perspectivas dos Estados Unidos. Espera-se que os principais dados desta semana mostrem uma economia forte à medida que avançamos para o segundo semestre”, escrevem Win Thin e Ilan Solot, estrategistas do Brown Brothers Harriman, referindo-se aos números do relatório de emprego dos EUA de junho, que serão divulgados na sexta-feira. “Isso contrasta com muitas outras partes do mundo, onde o atraso na aplicação de vacinas está permitindo que a variante delta se espalhe rapidamente, forçando alguns a voltarem ao bloqueio”, ressaltam os profissionais do BBH. Um potencial catalisador da divisa ao longo do dia pode ser o anúncio de que o Tesouro Nacional voltará a captar recursos no mercado internacional. Será emitido um título soberano com vencimento em 10 anos, para 2031, e haverá a reabertura do atual papel de 30 anos, para 2050, disse há pouco a instituição. “O objetivo da operação é dar continuidade à estratégia do Tesouro Nacional de promover a liquidez da curva de juros soberana em dólar no mercado externo”, informou. Os juros futuros, por sua vez, iniciaram o pregão com viés de queda, na medida em que agentes de mercado ponderavam as perspectivas para a inflação e aguardavam pelo edital do leilão de títulos com rentabilidade atrelada à inflação oficial. A taxa do contrato futuro de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2022 recuava de 5,64% no ajuste anterior para 5,615%; a do DI para janeiro de 2023 caía de 7,01% para 6,97%; a do contrato com vencimento em janeiro de 2025 ficava inalterada a 7,98% e a do DI para janeiro de 2027 passava de 8,44% para 8,46%. Mais cedo, o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de junho mostrou uma desaceleração relevante, de alta de 4,10% em maio para 0,60% em junho, com a queda dos preços de produtos de origem agropecuária no Índice de Preços no Atacado (IPA). Este número fornece espaço para uma calibragem das apostas para o rumo dos juros, já que, hoje, o mercado dá chance majoritária de uma elevação de 1 ponto da Selic na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, em agosto. Ao mesmo tempo, o risco hidrológico segue no radar, uma vez que está prevista para hoje a divulgação dos novos valores a serem cobrados para cada 100 kWh da bandeira tarifária vermelha patamar 2. Além disso, o Tesouro publicará hoje o edital da oferta de títulos com retorno ligado ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo. Os papéis a serem oferecidos hoje têm vencimentos em agosto de 2026, agosto de 2030 e maio de 2055. Veja Mais

Precisa entrega pedido de uso emergencial da Covaxin à Anvisa

Valor Econômico - Finanças Agora, a agência reguladora terá 30 dias para se manifestar sobre o pedido A Precisa Medicamentos protocolou na última segunda-feira na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pedido de autorização para uso emergencial da vacina indiana Covaxin. A informação foi revelada no último domingo pelo Valor. Agora, a agência reguladora terá 30 dias para se manifestar sobre o pedido. Uma eventual liberação derrubaria uma série de entraves impostos pela Anvisa quando autorizou a importação da vacina, no último dia 4. Por falta de documentos, a agência liberou a vinda de apenas 4 milhões de doses. O contrato assinado em fevereiro prevê 20 milhões de doses, ao custo de US$ 15 a unidade. A Covaxin está no centro da crise política que dominou Brasília desde a semana passada, quando o deputado Luis Miranda (DEM-DF) denunciou supostas irregularidades nas negociações para compra do imunizante. A empresa nega qualquer irregularidade e estará pronta para enviar um primeiro lote de 3 milhões de doses tão logo haja autorização. Nesse cenário, o Ministério da Saúde teria que fazer o primeiro pagamento após a chegada da carga. Reprodução/Bharat Biotech Veja Mais

BIS aconselha política monetária ‘flexível e prudente’ com economia ainda na zona de perigo

Valor Econômico - Finanças Em seu relatório anual, a instituição nota que a retomada econômica global é altamente desigual e incompleta e as perspectivas continuam incertas O Banco de Compensações Internacionais (BIS), espécie de banco dos bancos centrais, estima que a economia mundial ainda não saiu da zona de perigo e alerta para a importância de os governos manterem programas de apoio flexíveis no curto prazo. As políticas monetárias devem ser “flexíveis e prudentes”. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Porto Seguro conclui acordo e fica com fatia de 13,5% na Petlove

Valor Econômico - Finanças Valor do negócio não foi revelado A Porto Seguro afirmou que, após o cumprimento de todas as condições precedentes, incluindo a aprovação do Cade, concluiu seu acordo com a Petlove, ficando com uma fatia de 13,5% na companhia. O negócio, cujos valores não foram revelados, havia sido divulgado em abril. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Confiança do comércio sobe para nível mais alto desde setembro, mostra FGV

Valor Econômico - Finanças Indicador subiu 2,0 pontos em junho, ao passar de 93,9 para 95,9 pontos O Índice de Confiança do Comércio (Icom) do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre) subiu 2,0 pontos em junho, ao passar de 93,9 para 95,9 pontos, nível mais alto desde setembro de 2020 (99,6 pontos). Em médias móveis trimestrais, o indicador subiu 7,8 pontos, registrando a segunda alta depois de seis meses de quedas consecutivas. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Área de resiliência

Valor Econômico - Finanças Avanço da renda no campo transborda para outros setores e estimula atividade econômica no interior do país Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Aumento de demanda eleva preços do frete

Valor Econômico - Finanças No primeiro trimestre, 17 Estados apresentaram alta em relação a igual período de 2020 Uma das exigências dos caminhoneiros para encerrar a paralisação feita em junho de 2018, a tabela de preços de frete se mantém em um limbo jurídico sem ter sido ainda julgada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Há pelo menos três ações diretas de inconstitucionalidade contestando a medida. O tabelamento, na média, não teve grande impacto em um setor que registra aumento da demanda desde 2020. “Há leis que pegam e que não pegam no Brasil, e neste caso não pegou”, afirma Mauricio Lima, sócio-diretor do Instituto de Logística e Supply Chain (Ilos). Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

‘Agfintechs’ fazem ponte entre campo e mercado

Valor Econômico - Finanças Mudanças na legislação e juros baixos favorecem startups Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Cooperativas têm aumento de 34% no faturamento

Valor Econômico - Finanças Com crescimento de 34% no ano passado, setor recebe mais da metade da safra brasileira de grãos Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Hubs de inovação multiplicam negócios

Valor Econômico - Finanças AgTech Garage, Tech Start Agro Digital da Embrapa, Cubo e Inovabra conectam startup com mercado Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Agtechs têm mais destaque nos portfólios de gestores

Valor Econômico - Finanças Soluções em logística de transporte, armazenamento, área financeira e informação sobre microclimas atraem investimentos Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Inversão de rota

Valor Econômico - Finanças Com avanço do agronegócio e do e-commerce, mercado logístico cresce na crise Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Investidores avaliam impactos da pandemia para a ponte aérea

Valor Econômico - Finanças A sétima e última rodada de concessões deverá incluir os dois principais terminais ainda não concedidos pelo governo federal: Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ) O próximo leilão de aeroportos federais está previsto para 2022. A sétima e última rodada de concessões deverá incluir os dois principais terminais ainda não concedidos pelo governo federal desde 2012: Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ), com relevante movimentação regional de passageiros nos dois maiores Estados do país. Uma questão entre os investidores é o impacto que a pandemia terá sobre a movimentação da ponte aérea, em especial do turismo de negócios. “Pairam dúvidas sobre quais serão as viagens de negócios depois da pandemia”, diz Daniel Keller, sócio da Una Partners. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

TST nega recurso do Santander em disputa de R$ 5 bi

Valor Econômico - Finanças O ministro Luiz Philippe Vieira de Mello Filho entendeu que não há repercussão geral no caso, que envolve cerca de 8 mil aposentados Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Novos hábitos fazem gastos com entregas crescerem 149% em 2020

Valor Econômico - Finanças Empresas devem reforçar equipes de produto para definir estratégias de IA Os gastos com delivery cresceram 149% em 2020, ante 2019, segundo pesquisa da Mobills, startup de gestão de finanças pessoais que analisou as despesas de 46 mil usuários em três aplicativos de entrega (iFood, Uber Eats e Rappi). O mês de dezembro foi o recordista de pedidos. Comparado a março de 2020, início da pandemia, o aumento nas compras foi de 187%. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Evolução das compensações tributárias será mais perceptível nos próximos meses, aponta Receita

Valor Econômico - Finanças Chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros aponta ainda que ”é possível identificar um crescimento bastante vigoroso da arrecadação atrelado ao desempenho da atividade” econômica de uma forma geral O chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias, afirmou nesta terça-feira que, nos próximos meses, ficará mais fácil observar o ritmo de crescimento das compensações tributárias. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Ambev terá dificuldades diante do avanço de Petrópolis e Heineken, diz banco

Valor Econômico - Finanças O Bank of America reafirmou a recomendação de venda e o preço-alvo de R$ 15 da ação da Ambev Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Advogado de Barros participou de reunião com Anvisa para tratar de vacina chinesa

Valor Econômico - Finanças Flavio Pansieri esteve em reunião de 30 de abril que tratou do pedido de uso emergencial da Convidecia, vacina de dose única contra a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica chinesa CanSino O advogado Flavio Pansieri, ligado ao deputado Ricardo Barros (PP-PR), participou em abril de uma reunião com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para tratar de vacinas contra a covid-19. Realizada no dia 30 de abril, a reunião tratou do pedido de uso emergencial da Convidecia, vacina de dose única contra a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica chinesa CanSino, em parceria com a empresa brasileira Belcher. Pansieri aparece como um dos representantes das empresas interessadas. Recentemente, a CanSino rompeu o contrato com a Belcher, alegando "questões de compliance". A Belcher é acusada de fraudes em contratos com o Distrito Federal e entrou na mira da CPI da Covid. A assessoria de Barros confirmou que o deputado é cliente de Pansieri. O advogado não havia retornado até o momento da publicação. O Ministério da Saúde chegou a assinar uma carta de intenção de compra de 60 milhões de doses da vacina, ao custo de R$ 5,2 bilhões. O rompimento da parceria entre a CanSino e a Belcher, contudo, esfriou as negociações. Marco Ugarte/AP Veja Mais

CVM altera regras sobre recursos de decisões relativas ao Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos

Valor Econômico - Finanças Instrumento garante ao investidor ressarcimento de prejuízo decorrente de erros operacionais das corretoras na intermediação de operações em bolsa ou nos serviços de custódia até o valor de R$ 120 mil A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) editou nesta terça-feira (29) nova resolução que altera procedimentos envolvendo recursos de decisões relativas ao Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (MRP). Por enquanto, a regra é temporária e tem caráter experimental. A norma entra em vigor em 1º de agosto de 2021. Vigente no mercado desde 2008, o instrumento, administrado pela BSM (entidade autorreguladora da B3), assegura aos investidores ressarcimento de prejuízos decorrentes de erros operacionais das corretoras na intermediação de operações realizadas em bolsa ou na prestação de serviços de custódia até o valor de R$ 120 mil. As regras determinam que o investidor tem até 18 meses a contar da ocorrência do prejuízo para apresentar reclamação. A BSM é a responsável por processá-las em primeira instância. Um investidor que não concordar com o resultado pode recorrer à CVM. A resolução prevê que o prazo para a decisão da CVM passa a ser de 180 dias úteis, ante um período anterior de 90 dias. Além disso, segundo a nova regra, a decisão caberá ao colegiado, nos casos em que a Superintendência de Relações com Mercado e Intermediários (SMI), após analisar o recurso, concluir pela procedência integral ou parcial do recurso. O assunto também poderá ir ao colegiado quando envolver aspecto inovador ou entendimento ainda não pacificado pela autarquia. Nos demais casos, a decisão sobre os recursos caberá ao titular da SMI. A mudança ocorre em meio ao aumento do número de investidores no mercado de capitais, o que também decorreu em significativo crescimento do número de recursos recebidos pela autarquia. Segundo o regulador, os novos procedimentos buscam promover a eficiência administrativa da CVM e viabilizar o adequado tratamento desses recursos. Neste caso, a audiência pública foi dispensada em virtude de a resolução ser voltada para situação específica e pontual, não envolvendo alteração substancial de mérito da instrução 461, que regula o assunto. Veja Mais

Confiança do consumidor nos EUA aumenta em junho, aponta universidade

Valor Econômico - Finanças Sinalização é de que o crescimento econômico nos EUA melhorou mais no segundo trimestre do ano O índice de confiança do consumidor americano, do Conference Board, subiu a 127,3 pontos em junho, após se situar em 120 pontos um mês antes (dado revisado). "A confiança do consumidor melhorou em junho e está atualmente ao seu nível mais elevado desde o começo da pandemia, em março de 2020", disse Lynn Franco, diretora de indicadores econômicos do Conference Board. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Ibovespa opera em baixa; ações de shoppings recuam e siderúrgicas sobem

Valor Econômico - Finanças Investidores estão atentos ainda à cena externa A bolsa brasileira é negociada em queda, abaixo dos 127 mil pontos, com os investidores ainda digerindo as questões locais, sobre a tributação de dividendos e a crise hídrica. A cena externa segue no radar. Entre as ações, o “call de reabertura” perde força, com o setor de shoppings centers liderando as quedas, ao passo que as siderúrgicas se recuperam e figuram entre os destaques de alta. Perto de 11h30, Multiplan ON tinha 3,50% de baixa e BR Malls perdia 3,75%. Na lista positiva, os destaques eram CSN ON e Usiminas PNA, cada com 2,17 de avanço, além de Banco Inter Units (+3,96%). O Ibovespa, por sua vez, cedia 0,89%, aos 126.296 pontos, após mínima em 126.184 pontos. O índice à vista ensaiou alta, subindo até os 127.507 pontos, na máxima até então. Veja Mais

TST, governo e Febraban falam sobre as leis trabalhistas após a pandemia em webinar do Valor

Valor Econômico - Finanças Webinar do Valor e Itaú discute as perspectivas diante das transformações trazidas pela pandemia. Inscreva-se! Os presidentes do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Maria Cristina Peduzzi, e da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Isaac Sidney, participam nesta quarta-feira (30), a partir das 9 horas, do debate “Relações trabalhistas pós-pandemia”, promovido pelo Valor Econômico em parceria com o Itaú. Também fazem parte da conversa o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco, e o deputado federal Christino Áureo (PP-RJ). O debate vai abordar as transformações nas relações e nos meios de trabalho geradas pela pandemia de covid-19. Os convidados vão analisar as perspectivas, desafios e oportunidades desse novo cenário, no âmbito da legislação trabalhista. O evento será mediado pela jornalista do Valor Bárbara Pombo. Para participar, é preciso fazer a inscrição no link: https://infolive.digital/relacoestrabalhistas Veja Mais

Arrecadação de impostos vai a R$ 142,1 bilhões e é recorde para maio

Valor Econômico - Finanças Com esse desempenho, o recolhimento no ano atingiu a marca de R$ 744,828 bilhões, uma elevação real de 21,17% A arrecadação federal de impostos registrou uma alta real de 69,88% em maio na comparação com o mesmo mês de 2020 e chegou a R$ 142,106 bilhões. Foi a maior arrecadação para o mês em toda a série histórica da Receita Federal, que tem início em 1995. Com esse desempenho, o recolhimento no ano atingiu a marca de R$ 744,828 bilhões, uma elevação real de 21,17% ante o mesmo período de 2020. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Análise: Com ajuste na bandeira, Aneel ainda improvisa em sistema concebido na crise de 2014

Valor Econômico - Finanças A sinalização mensal do custo da energia na fatura do consumidor — as bandeiras tarifárias — nasceu da crise hídrica de 2014 e ainda não está preparado para responder aos cenários de crises hídricas mais agudos. Por essa razão, o sistema, que passou a funcionar em 2015, passará por mudança nesta terça-feira para responder ao momento atual, uma situação que se enquadra na parcela dos 5% dos eventos probabilísticos mapeados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sem uma cor de bandeira definida para sinalizar ao consumidor custos ainda mais elevados. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

3R Petroleum contrata bancos e estuda emitir R$ 1,6 bilhão em dívidas

Valor Econômico - Finanças Recursos obtidos poderão ser aplicados para otimização da estrutura de capital da companhia A 3R Petroleum informou que contratou Itaú BBA, BTG Pactual e XP para atuarem em uma potencial captação de recursos no mercado local de renda fixa, em valor total de R$ 1,6 bilhão, em regime de garantia firme de colocação para tal montante, a ser dividida igualmente entre os coordenadores. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Votorantim Cimentos anuncia aquisição da cimenteira espanhola Cementos Balboa

Valor Econômico - Finanças O valor do negócio não foi revelado A fabricante de cimentos do grupo Votorantim, a Votorantim Cimentos, anunciou nesta terça-feira que adquiriu o controle da espanhola Cementos Balboa, localizada na região da Extremadura. O valor do negócio não foi revelado. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Enauta assina contratos de concessão de blocos terrestres adquiridos em dezembro

Valor Econômico - Finanças O valor do bônus de assinatura para estes blocos foi de R$ 2,1 milhões e a empresa desembolsará R$ 633 mil nos próximos dias A Enauta anunciou nesta terça-feira que assinou os contratos de concessão dos quatro blocos terrestres que adquiriu no leilão da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realizados em dezembro de 2020. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Contra nova variante, Espanha e Portugal impõem restrições a viajantes do Reino Unido

Valor Econômico - Finanças Disseminação da variante Delta provocou outra onda de casos de covid-19 no Reino Unido Espanha e Portugal impuseram nesta terça-feira novas restrições a viajantes que venham do Reino Unido, onde a disseminação da variante Delta do vírus da covid-19, mais transmissível, provocou uma nova onda de infecções. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Os cargos em alta no setor de seguros

Valor Econômico - Finanças Demanda por profissionais do setor aumenta 40% até maio, segundo levantamento de consultoria de recrutamento Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Confira os principais destaques da programação da Oracle Fest

Valor Econômico - Finanças Em três dias de evento, festival digital multiplataforma realiza mais de cem painéis, com destaque para a presença de Simon Sinek Em que tempo você quer estar? Afinal, desde o ano passado o cenário global mudou e a transformação digital, que para muitas empresas ainda parecia estar num horizonte distante, se tornou essencial. Para refletir sobre o futuro e agir na evolução dos negócios, a Oracle criou um festival de tecnologia, inovação e transformação dos negócios, com grandes pensadores e altos executivos do Brasil e exterior. Começando no dia 29 de junho, o Oracle Fest vai reunir mais de 100 palestras, distribuídas ao longo de três dias. A programação agrega uma diversidade de vozes, que discutirão tendências de mercado, liderança, educação, diversidade, empreendedorismo, sustentabilidade e soluções que habilitam a transformação das organizações. O festival traz um olhar especial para três indústrias – varejo, serviços financeiros e manufatura – e conteúdo que direcionam os desafios das diferentes áreas estratégicas das corporações, como Marketing, RH, Finanças, Suprimentos, Vendas e TI. O evento é gratuito, aberto ao público e será realizado em diversas plataformas digitais, como LinkedIn, YouTube, Facebook, além do site da própria empresa. Entre os palestrantes estarão nomes como o da brasileira Gabriela Prioli, mestre em direito penal pela Universidade de São Paulo e apresentadora da CNN Brasil, o peruano José Adolfo Quisocala, jovem que fundou aos sete anos um banco, o colombiano Juan David Aristizábal, Cofundador da ProTalento e reconhecido pela revista Forbes como um dos 30 nomes com menos de 30 anos que está mudando o mundo, Luiza Trajano, presidente do conselho de administração da Magazine Luiza, executivos de empresas como Arcos Dourados, Mercado Livre, Dasa, Accenture, PwC, Banco Interamericano de Desenvolvimento e muito mais. Mas a grande estrela é o pensador e escritor Simon Sinek em uma palestra inédita sobre liderança e propósito. Um dos grandes nomes do século 21, ele é criador do conceito de círculo dourado, uma metodologia que permite criar e desenvolver o valor de um novo negócio de forma inspiradora, com impacto positivo para a comunidade e o mercado. Simon participará de um debate sobre propósito, inovação e transformação de líderes no mundo dos negócios. O pensador e escritor Simon Sinek Divulgação Confira alguns dos destaques da programação para cada dia do evento. 29/06, terça-feira Tema principal: Varejo. Venha conhecer práticas inovadoras e discutir como a tecnologia pode habilitar a transformação do seu negócio. Imperdível: 11h15 – “Inovação posta à prova”, com Sebastián Barrios, CIO do Mercado Libre 18h – “Criação de um banco sustentável”, com José Adolfo Quisocala, CEO do Banco del Estudiante Bartselana. 19h – “Estamos prontos para refletir sobre as transformações?”, com Gabriela Prioli, apresentadora da CNN Brasil. 30/06, terça-feira Tema principal: Serviços financeiros. Venha descobrir as tendências econômicas e como a tecnologia pode ser uma habilitadora para a transformação da indústria financeira. Imperdível: 14h30 – “Como ser bem-sucedido no Open Banking”, com Thiago Alvarez, CEO do Guia Bolso. 17h30 – “ESG na prática”, com Carolina Serra, gerente geral de RH do BID – CHRO. 19h – “Perspectivas e facilitadores para a transformação da América Latina”, com Juan David Aristizábal, Cofundador da Pro Talento. 01/07, quinta-feira Tema principal: Manufatura. Participe dos debates sobre os desafios do setor de manufatura e as soluções para aumentar a eficiência do setor. Imperdível: 11h15 – “A melhor experiência na nova realidade: a transformação da Arcos Dorados”, com Gustavo Hernando, Sr Corporate IT Manager da Arcos Dourados. 14h30 – “Quem vê cara não vê potencial”, com Luiza Helena Trajano, Chairman of the Board of Magazine Luiza e Presidente do Grupo Mulheres do Brasil 19h – Liderança com propósito, com Simon Sinek, pensador visionário e criador do Golden Circle. Para conferir a programação completa, fazer sua inscrição e acompanhar as palestras, acesse https://www.oracle.com/br/events/oracle-fest/. Veja Mais

Acomodação do câmbio ameniza pressão sobre preços

Valor Econômico - Finanças A quebra na produção global de grãos nos últimos dois anos veio acompanhada de um aumento da demanda no mundo todo, resultando em estoques mais baixos A pressão sobre os preços dos alimentos foi mais intensa na segunda metade de 2020, mas continuou a gerar inflação ao longo deste ano, afetando, sobretudo, a renda das famílias de renda mais baixa. O aumento dos custos da alimentação, observa o ex-ministro e coordenador do FGV Agro, Roberto Rodrigues, foi observado em todo o mundo desde a chegada da pandemia, que recolocou na agenda global o tema da segurança alimentar. “O subsídio à agricultura tem sido mal compreendido, porque ele não se destina ao produtor, mas ao consumidor, operando como um instrumento de uma política mais ampla de segurança na alimentação das famílias”, afirma. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Setor acelera emissões e investidor privilegia ESG

Valor Econômico - Finanças Volume financeiro de CRA praticamente dobrou em 12 meses Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Bancos acirram disputa pela carteira de crédito rural

Valor Econômico - Finanças Briga se dá tanto no financiamento pelas linhas subvencionadas pelo Tesouro quanto por meio de recursos livres e títulos do mercado de capitais De olho em um setor que pode atingir 30% de participação no Produto Interno Bruno (PIB) nacional neste ano, segundo previsão de alguns bancos, as instituições financeiras acirram a disputa pela concessão de crédito ao campo. A briga se dá tanto no financiamento das linhas subvencionadas pelo Tesouro Nacional quanto por meio de recursos livres e de títulos do mercado de capitais. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Cenário segue positivo para vendas externas de açúcar e para o etanol

Valor Econômico - Finanças Apesar da safra menor de cana, previsões de demanda aquecida sustentam as cotações dos produtos Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Certificação amplia negócios no exterior

Valor Econômico - Finanças Além das exigências fixadas em acordos bilaterais, protocolos avalizam sustentabilidade da produção As exportações de carne bovina, que chegaram ao recorde de US$ 8,5 bilhões em 2020, passaram a contar, em maio, com estímulo da certificação da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) dada a seis Estados brasileiros livres de febre aftosa sem vacinação. O reconhecimento deve ampliar as exportações do produto, além de contribuir para abertura e expansão de mercados como Japão, Coreia do Sul e Estados Unidos, que exigem a certificação da OIE. Até então, Santa Catarina era o único Estado com tal reconhecimento. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Cacau avança com arranjos inovadores

Valor Econômico - Finanças No rastro do chocolate sustentável, iniciativas aumentam renda de produtores na Amazônia Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Rodovias são destaque em pacote de concessões

Valor Econômico - Finanças Projetos de transporte podem somar R$ 60 bi em investimentos Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Demanda por ‘project finance’ deve ter aumento

Valor Econômico - Finanças Apesar do atraso, agenda de leilões aquece mercado Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Destaques

Valor Econômico - Finanças Danos morais A 7ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) rejeitou o recurso do Atacadão contra condenação ao pagamento de indenização por dano moral a um fiscal que foi vítima de um assalto nas dependências da unidade da rede em Maringá (PR). Na reclamação trabalhista, o empregado disse que estava sozinho na guarita do supermercado quando foi rendido por dois dos quatro assaltantes sob a mira de revólver. Eles queriam roubar o caixa eletrônico e o cofre da empresa. Segundo ele, não havia vigilante armado no local. A empresa sustentou que não poderia ser responsabilizada pelo assalto em suas dependências, o que seria um caso fortuito. Ainda alegou que a unidade conta com sistema de monitoramento e alarme. Para o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Paraná, ficou comprovado, pelos depoimentos, que não havia vigilante armado no local nem câmeras. No TST, o ministro Cláudio Brandão, relator do agravo, observou que a conclusão do TRT leva à dedução de que os empregados estavam expostos a situação de risco. E que a decisão regional está alinhada com a jurisprudência do TST, que reconhece a responsabilidade objetiva do empregador em situações análogas (AIRR nº 97-87.2017.5.09.0661). Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Em um ano, debêntures verdes de infra somam R$ 10,4 bi

Valor Econômico - Finanças Como “verdes”, são classificadas as debêntures emitidas em projetos que têm claro impacto ambiental ou social Um ano após regulamentadas, as debêntures verdes atingiram um volume de emissões de R$ 10,4 bilhões e há outros R$ 63,9 bilhões autorizados. É o que aponta balanço elaborado pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, entregue em primeira mão ao Valor. Desse total, 50% dos papéis são atrelados a projetos de energia. Outros 25% estão na área de saneamento e mais 25% são em transportes. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Joint venture entre Basf e Bosch recebe sinal verde no mundo

Valor Econômico - Finanças Nova empresa empresa já desenvolve uma solução de pulverização inteligente A joint venture formada pelas gigantes alemãs Basf e Bosch, anunciada no ano passado, foi aprovada por todas as autoridades de controle de fusões empresariais relevantes no mundo e agora tem sinal verde para atuar no mercado de tecnologia agrícola. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Guedes: Governo estuda possibilidade de corte maior na alíquota do IRPJ já em 2022

Valor Econômico - Finanças Estudo é para reduzir a alíquota já em 5 pontos percentuais, em vez de realizar o corte em duas etapas O governo está recalibrando seus cálculos para ver se é possível cortar 5 pontos percentuais da alíquota do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) de uma vez, e não em duas etapas como foi anunciado na semana passada. A afirmação foi feita nesta terça-feira pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, na divulgação do resultado da arrecadação do mês de maio. O corte ocorreria em 2022. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

FT: United Airlines faz encomenda recorde e aposta em viagens 'premium'

Valor Econômico - Finanças Aérea fez um pedido de 270 aviões e prevê criar 25 mil empregos até 2026 em função disso Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

FT: Dúvidas sobre reflação pegam grandes fundos hedge no contrapé

Valor Econômico - Finanças “Óbvio que a aposta na reflação tomou uma surra”, diz Thanos Bardas, da Neuberger Berman Apostar contra os preços dos bônus do governo dos Estados Unidos vinha sendo uma jogada bem-sucedida neste ano, com fundos hedge e outros investidores acumulando lucros consideráveis à medida que a recuperação da economia americana ganhava força. No entanto, recentes giros do mercado e a sombra ameaçadora de uma mudança na política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) deixaram investidores na dúvida se deveriam manter a aposta. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Melhora em vendas impulsiona confiança do comércio, mas continuidade é incerta, diz FGV

Valor Econômico - Finanças Economista alerta que o bom humor do varejista depende da evolução da pandemia Impulsionada pela melhora nas vendas no varejo, o Índice de Confiança do Comércio (Icom) subiu 2 pontos em junho, para 95,9 pontos, informou nesta terça-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV). A alta mensal, a terceira consecutiva, mesmo em meio à pandemia, levou a confiança do comércio ao maior patamar desde outubro de 2020 (95,8 pontos). O economista da FGV Rodolpho Tobler, alerta, entretanto, que a sustentabilidade do bom humor do varejista depende da evolução da pandemia. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Bolsas dos EUA sem rumo comum um dia após recordes

Valor Econômico - Finanças Investidores seguem atentos a dados sobre a situação da economia americana Os índices acionários em Nova York operam sem uma direção única no pregão desta terça-feira, após o S&P 500 e o Nasdaq terem anotado novas máximas históricas no dia anterior. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Datena acerta filiação ao PSL e partido quer lançá-lo à Presidência

Valor Econômico - Finanças O PSL é o sexto partido ao qual Datena deve se filiar. O apresentador já foi filiado ao MDB, DEM, PT, PP e PRP O apresentador José Luiz Datena acertou na noite desta segunda-feira sua filiação ao PSL para ser candidato nas eleições de 2022. O presidente nacional do partido, Luciano Bivar, disse que a intenção é lançá-lo à Presidência, com apoio do MDB. No entanto, Datena poderá ser uma espécie de “coringa” da legenda, que cogita também apresentá-lo para concorrer ao governo de São Paulo ou ao Senado. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Moderna diz que sua vacina é efetiva contra as principais variantes do novo coronavírus

Valor Econômico - Finanças A substância produziu anticorpos neutralizantes contra todas as variantes testadas, incluindo a Delta, surgida na Índia A farmacêutica Moderna anunciou nesta terça-feira que testes com sangue de pessoas imunizados com sua vacina de RNA mensageiro (mRNA) contra a covid-19 mostrou que ela é efetiva contra as principais variantes do vírus. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Investidores estrangeiros injetaram R$ 681 milhões na B3 na última sexta-feira

Valor Econômico - Finanças O saldo de fluxo externo em junho segue positivo e subiu a R$ 15,984 bilhões Os investidores estrangeiros injetaram R$ 681,5 milhões em recursos no segmento secundário da B3 (ações já listadas) na sexta-feira da semana passada (dia 25), na segunda entrada diária seguida. Naquele dia, o Ibovespa fechou em queda de 1,74%, aos 127.256 pontos, digerindo as propostas do governo para a reforma tributária. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Minério de ferro recua 2,9% no porto de Qingdao

Valor Econômico - Finanças Piora do sentimento em relação à demanda chinesa no curtíssimo prazo foi um dos fatores com impacto nos negócios Os preços do minério de ferro voltaram a cair nesta terça-feira, refletindo a piora do sentimento em relação à demanda chinesa no curtíssimo prazo e receios relacionados a potenciais iniciativas do governo da China para conter a valorização de diferentes commodities. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Abiove e Serasa Experian fazem parceria

Valor Econômico - Finanças Objetivo é monitorar cumprimento de contratos de entrega de milho A Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) informou que estabeleceu uma parceria com a Serasa Experian para a implementação de uma ferramenta da entidade que permitirá que os compradores de milho monitorem o andamento das entregas dos volumes vendidos antecipadamente pelos produtores. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Índice de Preços ao Produtor desacelera alta para 1% em maio com queda do dólar

Valor Econômico - Finanças É a menor taxa mensal em todo o ano de 2021. No acumulado do ano e em 12 meses, indicador subiu 17,58% e 35,86%, respectivamente Com influência da queda do dólar, a chamada inflação de “porta de fábrica”, sem impostos e fretes, desacelerou para 1% em maio, segundo o Índice de Preços ao Produtor (IPP), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em abril, os preços tinham subido 2,19% em relação ao mês anterior (dado revisado). Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Empresas brasileiras são as mais endividadas entre grandes emergentes, diz BIS

Valor Econômico - Finanças Mesmo que não se concretize um aumento das insolvências, as empresas terão que enfrentar um aumento do pagamento devido ao grande crescimento de empréstimos contraídos no início da pandemia O Banco de Compensações Internacionais (BIS), espécie de banco dos bancos centrais, calcula que companhias brasileiras terão dívidas a pagar nos próximos dois anos em valor equivalente a 45% de seu lucro líquido. É o maior percentual entre sete grandes emergentes examinados. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Supercomputador japonês Fugaku mantém título de mais rápido do mundo

Valor Econômico - Finanças Em segundo lugar, ficou o supercomputador Summit, da IBM O supercomputador Fugaku, desenvolvido pela Fujitsu e pelo instituto de pesquisa nacional do Japão Riken, defendeu seu título de supercomputador mais rápido do mundo, batendo concorrentes da China e dos Estados Unidos. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Aposentados precisam de US$ 180 bi a mais por ano para cobrir despesas no Brasil, diz Swiss Re

Valor Econômico - Finanças Essa lacuna aumenta os riscos de pobreza, saúde precária e pressão sobre as gerações mais jovens, nota a entidade Os trabalhadores no Brasil estão se aposentando sem ativos suficientes para cobrir suas necessidades e registram déficit de US$ 180 bilhões (R$ 887 bilhões) de poupança previdenciária por ano, segundo estudo da Swiss Re Institute publicado nesta terça-feira em Zurique. Essa lacuna aumenta os riscos de pobreza, saúde precária e pressão sobre as gerações mais jovens, nota a entidade. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Crise hídrica ameaça o escoamento da safra pela hidrovia Tietê-Paraná

Valor Econômico - Finanças Gargalos em diferentes modais afetam competitividade da produção brasileira Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Moderfrota tem R$ 7,53 bilhões em 2021/22

Valor Econômico - Finanças Crédito cobre até 85% do valor de máquinas e equipamentos O Plano Safra 2021/2022 destinou R$ 7,53 bilhões para o Moderfrota, a principal linha de financiamento para a aquisição de tratores, colheitadeiras e outros equipamentos agrícolas. O anúncio foi feito no dia 22 pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A taxa de juros aumentou em relação ao Plano Safra anterior, de 7,5% ao ano para 8,5% ao ano. O prazo de pagamentos se manteve em sete anos, com 14 meses de carência. O crédito cobre até 85% do valor do bem adquirido. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Na área de crédito, plano é abrir mais agências para continuar a expansão

Valor Econômico - Finanças Cooperativas apostam em estratégia de proximidade ao produtor para expandir financiamentos Com estratégia oposta à dos grandes bancos, as cooperativas de crédito rural abrem agências para chegar a lugares onde em muitos casos são a única opção financeira da cidade. O ritmo de competição acirrada e a velocidade com que adentram o campo já faz com que algumas se posicionem a frente dos maiores bancos privados do país. Caso do Sicredi, que só perde para o Banco do Brasil (BB) no volume de financiamento ao produtor agropecuário, tendo desembolsado R$ 27 bilhões na safra atual, com 200 mil operações a cerca de 120 mil produtores, sendo 80% delas dedicadas à agricultura familiar. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Preços do café continuam firmes com mais demanda e produção em baixa

Valor Econômico - Finanças Estiagem que atingiu toda a região Centro Sul do país jogou mais para baixo as previsões de queda na safra Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Grandes frigoríficos focam em ESG para ganhar mercado e investidores

Valor Econômico - Finanças Iniciativas buscam reduzir emissões de gases de efeito-estufa As boas práticas ambientais, sociais e de governança (ESG, na sigla em inglês) vem ganhando espaço nos grandes frigoríficos brasileiros. Ao fixarem metas e assumirem compromissos alinhados, entre outros, com a redução de emissões de carbono, mitigação de impactos e transparência, as companhias tornam-se mais competitivas nos mercados externos e interno e mais atrativas para os investidores. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

País progride no desenvolvimento de sementes resistentes

Valor Econômico - Finanças Pesquisas com espécies nativas de regiões áridas resultam em plantas mais produtivas mesmo com estresse hídrico Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Logística integrada é alternativa promissora

Valor Econômico - Finanças Indústria de óleo e gás busca soluções inovadoras para operações na costa brasileira Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Empresas em crise recorrem à mediação para facilitar pagamento de dívidas

Valor Econômico - Finanças Nos Tribunais de Justiça de São Paulo e do Rio, índice de acordos com credores é alto Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Aportes nas startups somam R$ 3,3 bilhões em seis anos

Valor Econômico - Finanças A pandemia potencializou os investimentos em startups da área de logística Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Variante P.4 do coronavírus circula desde o início do ano em SP

Valor Econômico - Finanças A prevalência da variante chegou a 20,4% na região de São João da Boa Vista e a 13,3% na região de Araraquara, segundo o Instituto Adolfo Lutz e o Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado A variante P.4, descoberta em maio no interior de São Paulo, circula no Estado desde o início do ano, segundo o Instituto Adolfo Lutz e o Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde. A prevalência da variante chegou a 20,4% na região de São João da Boa Vista e a 13,3% na região de Araraquara. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Governo proíbe queimadas controladas em todo o país por 120 dias

Valor Econômico - Finanças Em alguns casos, prática poderá ser liberada por órgãos ambientais O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assinou um decreto em que suspende em todo o território brasileiro, por 120 dias, as queimadas controladas, que são utilizadas em atividades agropecuárias, pesquisas científicas e combate ao fogo. O documento foi publicado hoje no Diário Oficial da União (DOU). Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

FT: Farmacêuticas aceleram busca por supervacina contra todos os coronavírus

Valor Econômico - Finanças O Sars-Cov-2 é o terceiro betacoronavírus a se propagar entre humanos nos últimos 20 anos Num momento em que os países aceleram suas campanhas de vacinação para tentar conter o surgimento e a disseminação de novas variantes do coronavírus causador da covid-19, cientistas começam a reduzir temores sobre outra pandemia com o desenvolvimento de uma vacina única contra todos os coronavírus, passados, presentes e futuros. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Tendência no STF é decidir contra contribuintes e trabalhadores, diz pesquisa

Valor Econômico - Finanças Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Relator da reforma do IR se reúne com Lira e terá encontros com Receita e BC

Valor Econômico - Finanças Após esses encontros, deputado tucano voltará a se reunir com Lira para discutir o projeto e então definir um calendário de tramitação. Relator do projeto de reforma do Imposto de Renda (IR) e taxação de dividendos, o deputado Celso Sabino (PSDB-PA) se reuniu nesta terça-feira com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para tratar do calendário de tramitação da proposta. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Energia solar produzida pelo próprio consumidor bate recorde, diz Absolar

Valor Econômico - Finanças A geração solar distribuída atingiu a marca de 6 gigawatts, volume corresponde a mais de um terço de toda a capacidade da usina hidrelétrica de Itaipu A geração solar distribuída acaba de atingir a marca de 6 gigawatts (GW) de potência instalada no Brasil, segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar). Como comparação, o volume corresponde a mais de um terço de toda a capacidade da usina hidrelétrica de Itaipu. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Safra analisa impacto da segunda etapa da Reforma Tributária

Valor Econômico - Finanças Redução na alíquota do IR, se aprovada, deve trazer ligeiro aumento na tributação para alguns setores, como financeiro, telecom e tecnologia Getty Images O Safra, em relatório publicado na última segunda-feira (28), analisou a segunda etapa da Reforma Tributária, entregue pelo governo brasileiro à Câmara na semana passada. O documento destaca, entre as mudanças, a proposta para que o intervalo de isenção do Imposto de Renda para pessoa física seja ampliado para pessoas com renda de R$ 2.500 mensais (contra os R$ 1.900 atuais); já para empresas, haverá redução de 5 pontos percentuais na alíquota geral do Imposto de Renda dos atuais 15% para 12,5% em 2022 e para 10% a partir de 2023 (levando a alíquota de Imposto de Renda e contribuição social para 29% contra os atuais 34%). Além disso, também foi proposta a proibição da possibilidade de utilização de incentivos fiscais sobre instrumento de juros sobre capital próprio (JCP). “Nossa primeira visão é que a redução na alíquota do Imposto de Renda pode não ser suficiente para compensar a redução do benefício fiscal do JCP, portanto trará ligeiro aumento na tributação para alguns setores, como financeiro, telecom e tecnologia. Além disso, a tributação de dividendos para pessoas físicas é outro obstáculo para os investidores”, afirma o relatório assinado por Luis Azevedo, Cauê Pinheiro, Conrado Vegner, Daniel Travitzky, Guilherme Assis, Luiz Peçanha e Ricardo Boiati. Na opinião dos especialistas, a Reforma Tributária pode impactar mais histórias de valor (que geralmente são maiores pagadoras de dividendos), em comparação com casos de crescimento. De acordo com os analistas, o fato de os dividendos serem tributados também pode alterar as estratégias de pagamento de algumas empresas, que podem mudar para um maior uso de programas de recompra de ações. Taxação de dividendos Outra mudança significativa apresentada na reforma e analisada pelo Safra foi a tributação de 20% sobre dividendos distribuídos, que antes eram isentos – haverá isenção de até R$ 20 mil mensais para micro e pequenas empresas. Segundo os analistas, o fim da isenção sobre os rendimentos distribuídos a pessoas físicas também é válido para os fundos de investimento imobiliário com ações negociadas em bolsa a partir de 2022. A tributação dos demais cotistas desses fundos, como institucionais ou outros negócios, por outro lado, cai de 20% a 15% na distribuição de renda. Adicionalmente, na amortização e venda de cotas, todos os investidores deverão pagar 15% do Imposto de Renda sobre o ganho de capital. “Acreditamos que neste momento seja difícil ter uma visão clara sobre os impactos gerais das alterações fiscais em todos os setores, pois acreditamos que o projeto de lei proposto deve estar sujeito a alterações importantes durante o processo de aprovação, incluindo alterações nas alíquotas de impostos corporativos e outros fatores”, pontuam os analistas. Confira abaixo algumas projeções do Safra de efeitos potenciais da Reforma Tributária para empresas e setores: - O setor financeiro pode acabar pagando mais impostos (com a taxa efetiva de imposto aumentando em média cerca de 3 pontos percentuais). “Vemos Itausa (ITSA4) como um dos casos menos impactados em nossa cobertura, assumindo que o fim dos instrumentos de JPC pode resultar em ineficiência tributária de Pis/Cofins em algumas participações”, diz o relatório. - As empresas de telecomunicações podem ser mais afetadas do que as ações de tecnologia (que são mais orientadas para o crescimento). “Mesmo assim, vemos uma oportunidade para a Telefônica Brasil (VIVT3), reequilibrando sua estrutura de capital, o que poderia desbloquear um movimento de forte redução de capital”, afirmam os analistas. - Para o varejo, a redução de 5 pontos percentuais na alíquota do IR beneficiará mais D1000, CVC, Natura, Profarma, Carrefour Brasil, Lojas Quero-Quero e Track & Field, que pagarão a maior alíquota efetiva, todas acima de 34%, combinando Imposto de Renda mais taxas de contribuição social. Além disso, segundo o Safra, a redução da alíquota do Imposto de Renda para pessoas físicas de renda média pode dar mais poder de compra para algumas famílias. - Quanto a siderurgia e mineração, bem como a óleo e gás, o fim dos juros sobre capital próprio tende a ter um impacto maior nas empresas com alto payout, tanto atualmente, como a Vale, ou potencialmente, como a Petrobras. Por outro lado, os maiores beneficiários potenciais da redução da alíquota do Imposto de Renda, de acordo com os analistas, são aquelas com a maior alíquota efetiva dos últimos anos e que fizeram pouco ou nenhum pagamento de juros sobre capital próprio: Ultrapar e Usiminas. - Em relação a serviços públicos, o Safra avalia preliminarmente que as empresas de saneamento serão as mais impactadas pela exclusão do mecanismo de JPC. - A Safra Corretora não observa um impacto relevante para as companhias aéreas. “Considerando o atual cenário de dificuldades que leva as empresas a apresentar prejuízo líquido recorrente, não vemos perspectiva de retomada da lucratividade no futuro próximo. As concessionárias são empresas ‘cash cows’ (vacas leiteiras), pagadoras de dividendos, sendo a maioria de seus acionistas sensíveis ao volume de pagamentos de dividendos”, diz o relatório. - Os analistas esperam pouco ou nenhum impacto da Reforma Tributária para o setor de logística, que apresenta níveis naturalmente baixos de dividendos distribuídos pelas empresas devido ao seu alto crescimento e alta alavancagem. - Os especialistas também não observam impactos importantes em relação às operações das empresas no setor de construção residencial. Não foram anunciadas mudanças no regime de tributação do RET, que permite às empresas pagar um imposto total de 4% sobre as receitas de Imposto de Renda, contribuição social, PIS e PASEP. - Conforme o Safra, as operadoras de shopping centers têm um modelo de tributação híbrido - as empresas têm uma parte de seus ativos tributada pelo método do rendimento real e outra parte pelo método do rendimento presumido. - Na avaliação dos analistas, as ações do setor de saúde devem ter um impacto de LPA (lucro por ação) de neutro a positivo, mas um impacto negativo no rendimento de dividendos. O impacto geral sobre o lucro por ação das ações de saúde deve ser limitado, assumindo as principais alterações propostas, ou seja, eliminação de juros sobre capital próprio e benefícios fiscais de compensação com base em ações; e uma redução de 2,5 pontos percentuais na alíquota do Imposto de Renda corporativo em 2022, seguida por uma redução adicional de 2,5 pontos percentuais em 2023. - Espera-se um menor impacto para o setor de educação, principalmente devido aos baixos níveis naturais de dividendos distribuídos pelas empresas, dado seu alto crescimento e alta alavancagem. O setor de educação também desfruta de benefícios fiscais para o ensino superior do Prouni, destaca o Safra. Veja Mais

Às vésperas da Olimpíada, alta de casos de covid-19 põe Tóquio em alerta

Valor Econômico - Finanças Tóquio registrou 476 novos casos de covid-19 na terça-feira, no décimo dia consecutivo de alta Às vésperas da abertura dos Jogos Olímpicos, marcada para o próximo dia 23, Tóquio registrou 476 novos casos de covid-19 na terça-feira, no décimo dia consecutivo de aumento do número de infecções. Na véspera, a capital japonesa registrou 317 novos casos de covid-19. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Mesmo acuado, Bolsonaro pretende bater o pé por Mendonça no STF

Valor Econômico - Finanças Ministros mais próximos a Bolsonaro têm incentivado o presidente a "bater o pé" e não ceder às pressões por outro nome Mesmo pressionado pela crise política e a CPI da Covid, o presidente Jair Bolsonaro está decidido a insistir na indicação do ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), André Mendonça, para o Supremo Tribunal Federal (STF). Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

IPP da indústria extrativa sobe mais de 100% em 12 meses, aponta IBGE

Valor Econômico - Finanças Preços do setor refletem a alta das commodities no mercado internacional, além da valorização do dólar nos últimos meses, antes do movimento mais recente de queda Os preços da indústria extrativa tiveram deflação pelo segundo mês seguido segundo o Índice de Preços ao Produtor (IPP), que é calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e é considerada a inflação de porta de fábrica. O resultado de maio foi negativo em 0,43%, após queda de 0,70% em abril. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

SP pagará seis parcelas de R$ 300 a quem perdeu parente por covid-19

Valor Econômico - Finanças Anúncio foi feito nesta terça-feira pelo governador João Doria (PSDB), em sua conta no Twitter João Doria Governo do Estado de São Paulo O governo de São Paulo pagará seis parcelas de R$ 300,00 para pessoas que perderam um parente por covid-19 e vivem em situação de vulnerabilidade. O anúncio foi feito nesta terça-feira pelo governador João Doria (PSDB), em sua conta no Twitter. “Nada vai reparar a dor da perda de uma pessoa querida, mas vamos ajudar na reconstrução dessas famílias”, escreveu o governador na rede social. Doria não detalhou quando terá início o pagamento nem como será feita a seleção. Initial plugin text Oficialmente, mais de 126 mil pessoas morreram de covid-19 no Estado de São Paulo desde o início da pandemia. Em todo o país, o número já passa de 514 mil. Veja Mais

Tesouro concede mandato para emissão de títulos em dólares no mercado internacional

Valor Econômico - Finanças Haverá emissão de um novo título de 10 anos e a reabertura do Global 2050 O Tesouro Nacional anunciou nesta terça-feira que concedeu mandato para emissão de títulos em dólares no mercado internacional. “Será realizada a emissão de um novo benchmark de 10 anos, com vencimento em 2031, e a reabertura do atual benchmark de 30 anos, o Global 2050”, diz comunicado. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

IRB convoca assembleia para eleger dois novos conselheiros

Valor Econômico - Finanças André Marcelo da Silva Prado e Antonio Francisco de Lima Neto entram nos lugares de Marcos Bastos Rocha e Roberto Dagnoni O IRB convocou assembleia geral extraordinária (AGE) para 28 de julho, para eleição dos membros do seu conselho de administração, para um mandato unificado de dois anos. Entre os dez integrantes, dois são novos: André Marcelo da Silva Prado e Antonio Francisco de Lima Neto. Eles entram nos lugares de Marcos Bastos Rocha e Roberto Dagnoni. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Justiça da África do Sul condena Zuma a 15 meses de prisão por desafiar corte

Valor Econômico - Finanças A decisão do tribunal foi bem recebida por ativistas da sociedade civil, pois o caso foi visto como um grande teste para o Judiciário O tribunal superior da África do Sul condenou o ex-presidente Jacob Zuma a 15 meses de prisão por desacato à Justiça depois de ele ter se recusado a colaborar em uma investigação sobre acusações de corrupção durante seu mandato. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

PF investiga contratos de TI firmados com Ministério da Integração, Funasa e INSS

Valor Econômico - Finanças Os contratos com suspeita de irregularidades somam R$ 16 milhões A Polícia Federal começou a cumprir nesta terça-feira 50 mandados de busca e apreensão em uma operação que investiga possíveis irregularidades em contratos de tecnologia da informação (TI) firmados com o Ministério da Integração Nacional, a Fundação Nacional da Saúde (Funasa) e o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), informa o portal “G1”. Os contratos somam R$ 16 milhões. Conforme a reportagem, os mandados foram expedidos pela Justiça Federal do Distrito Federal e estão sendo cumpridos na capital e em outros cinco Estados: Goiás, Rio de Janeiro, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba. A Justiça também determinou o bloqueio de R$ 22 milhões da conta dos investigados. Entre os alvos da operação, nomeada "Bouchonée", estão servidores suspeitos de participação no esquema e representantes da empresa que fechou os contratos, que não teve o nome divulgado. Ainda segundo o “G1”, além do bloqueio de valores, a Justiça determinou o afastamento de servidores públicos de suas funções e proibição da empresa de firmar novos contratos. De acordo com a PF, "os investigados fraudaram inicialmente uma licitação no Ministério da Integração Nacional, que resultou em uma ata de registro de preços, instrumento que viabilizava que outros órgãos contratassem diretamente a empresa investigada, por meio de adesões a essa ata". Ainda segundo a corporação, "os investigados criaram um 'kit adesão', com minutas e modelos de documentos necessários para que outros órgãos formalizassem a adesão à ata de registro de preços do Ministério da Integração (MI). Esse 'kit adesão' era repassado aos servidores públicos cooptados, que, mediante o pagamento de propina, iniciavam o processo de adesão à ata do MI". Além disso, segundo a PF, os suspeitos lavaram o dinheiro ilícito por meio de lojas de vinhos. "Somente uma delas recebeu transferências de mais de R$ 3 milhões da empresa de TI investigada, num curto período de quatro meses", diz a corporação. Os investigados devem responder pelos crimes de peculato, organização criminosa, lavagem de dinheiro, fraude à licitação, falsificação de documento particular, corrupção ativa e passiva, diz a reportagem. As penas podem ultrapassar 50 anos de prisão, em caso de condenação. Marcelo Camargo/Agência Brasil/Arquivo Veja Mais

Morning Call Safra: Reforma tributária e investimentos

Valor Econômico - Finanças Segundo projeto enviado pelo governo segue no radar do mercado No Morning Call do Safra desta terça-feira, falamos sobre o desempenho dos mercados ontem, com destaque para o índice Nasdaq nos EUA. No segundo bloco, explicamos os possíveis efeitos da proposta tributária do governo sobre os investimentos. Quer receber o Morning Call do Safra, análises de ações e outros conteúdos exclusivos? Faça parte do canal do Safra no Telegram. Gostou deste conteúdo? Responda o chat abaixo e nos ajude na missão de produzir conteúdo sempre útil para você. Leva 30 segundos. Veja Mais

Vendas de maquinário devem crescer 30%

Valor Econômico - Finanças Bom desempenho anima lançamentos e aumento da produção, mas falta e encarecimento de insumos preocupa A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) espera crescimento real, descontada a inflação, de 30% nas vendas de máquinas e implementos agrícolas em 2021. No ano passado, as vendas reais cresceram 17% e o faturamento do setor atingiu R$ 42 bilhões. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Seguradoras ampliam áreas de cobertura

Valor Econômico - Finanças Volume total de seguro rural em 2020 foi de R$ 3 bilhões, uma alta de 36% sobre 2019 Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Startups atraem US$ 67 milhões e apostam em portfólio diversificado

Valor Econômico - Finanças Os investimentos em agtechs no Brasil atingiram US$ 160 milhões desde 2009, segundo o estudo Distrito Mining Report-Agtech 2021 Os investimentos em agtechs no Brasil atingiram US$ 160 milhões desde 2009, segundo o estudo Distrito Mining Report-Agtech 2021, divulgado este mês pela plataforma de inovação aberta Distrito. De acordo com o relatório, mais da metade dos investimentos aconteceram nos últimos três anos. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Exportação de frutas cresce 22% este ano

Valor Econômico - Finanças Com vendas de US$ 286,3 milhões, desempenho registrado no primeiro quadrimestre surpreende Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Cultivo urbano reduz temperatura

Valor Econômico - Finanças Pesquisa do Instituto Escolhas aponta que o plantio sustentável tem alto potencial de amenizar a temperatura e diminuir o risco de inundações na RMSP Além de produzir alimentos mais acessíveis, a expansão da agricultura urbana em moldes sustentáveis tem alto potencial de amenizar a temperatura e diminuir o risco de inundações na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP). A conclusão é de estudo recém-concluído pelo Instituto Escolhas com dados demonstrando os serviços ambientais dos cultivos e os benefícios à qualidade de vida na cidade, em contraponto ao cenário de crescente expansão do concreto sobre áreas verdes. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Operadores voltam a enfrentar dificuldades

Valor Econômico - Finanças Os operadores do transporte rodoviário, que chegaram ao final de 2020 reconhecidos pelo papel fundamental de manter o abastecimento num ano de pandemia, e relativamente otimistas com a recuperação econômica do país, estão às voltas, novamente, com dificuldades de fechar o caixa. A nova onda da covid-19 e os sucessivos aumentos no preço do diesel são os principais desafios enfrentados nos primeiros meses de 2021, segundo recente pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT), com 580 empresas do setor. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Com leilão previsto para o fim do ano, Ferrogrão deve baratear fretes

Valor Econômico - Finanças Projeto é um dos maiores “greenfield” do setor de infraestrutura dos últimos 20 anos Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Seguradora desburocratiza contratos e indenizações

Valor Econômico - Finanças Aplicativos reforçam o gerenciamento de risco e simplificam processos Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Logtechs diversificam oferta de serviços

Valor Econômico - Finanças Gerenciamento de frotas em tempo real e antecipação de recebíveis são novidades das estreantes Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

PF informa ao Supremo que Salles já está impedido de deixar o país

Valor Econômico - Finanças Ex-ministro é alvo de dois inquéritos: um por atrapalhar apuração sobre a maior apreensão de madeira ilegal da história e outro por supostamente favorecer a exportação de madeira ilegal aos Estados Unidos e à Europa A Polícia Federal (PF) informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles já está formalmente impedido de deixar o país. Na quinta-feira, a ministra Cármen Lúcia mandou o ex-ministro entregar o passaporte e oficiou a PF para incluí-lo na lista de pessoas proibidas de viajar para fora do Brasil. Salles é alvo de um inquérito no Supremo, de relatoria da ministra, por tentar atrapalhar uma apuração sobre a maior apreensão de madeira ilegal da história. Em outra frente, sob relatoria de Alexandre de Moraes, o ex-ministro é investigado por supostamente favorecer a exportação de madeira ilegal aos Estados Unidos e à Europa. O coordenador-geral de Polícia de Imigração em exercício, o delegado da PF Hugo Uruguai Bentes Lobato, afirmou ao STF que a ordem já foi cumprida. "Dando cumprimento à ordem, foi acionado o plantão do edifício sede da PF, ocasião em que foi a restrição inserida no módulo de alertas do Sistema de Tráfego Internacional", escreveu o delegado. Salles foi intimado da decisão por meio de seu advogado, Roberto Podval. O oficial de Justiça Federal Renato Macedo relatou ao STF que o fez via WhatsApp por volta das 8h da sexta-feira. Como Salles pediu demissão na quarta-feira, ele perdeu o foro especial no STF, prerrogativa a que tinha direito por ser ministro de Estado, e seus processos devem ser enviados à primeira instância. Ricardo Salles Jorge William/Agência O Globo Veja Mais