Meu Feed

Hoje

Cuba elimina impostos de importação para produtores privados

em - Internacional Cuba isentou produtores privados do pagamento de impostos de importação sobre insumos e matérias-primas até 31 de dezembro, anunciou o Ministério da Fazenda neste sábado(31), três semanas após os protestos que abalaram a ilha. A medida tem "o objetivo de estimular a produção de bens e serviços privados", afirmou a ministra Meisi Bolaños em resolução publicada no Diário da República. Esse "benefício inclui produtos que são importados em consignação para venda no mercado" e insumos e matérias-primas para a produção agrícola, mas não vai "valer para produtos acabados", esclarece. A resolução é anunciada quando os trabalhadores privados aguardam a aprovação do regulamento das Pequenas e Médias Empresas (PME).O presidente Miguel Díaz-Canel anunciou nesta semana que o Conselho de Estado aprovará seu regulamento nos próximos dias. A autorização das PME representa mais um passo nas reformas econômicas implementadas no país socialista, onde predomina empresas estatais. Em fevereiro, o governo expandiu para mais de 2.000 as atividades em que trabalhadores independentes podem atuar na controlada economia cubana. A disposição anunciada neste sábado foi precedida de outra que também isenta de impostos a importação ilimitada de tecnologias geradoras de energia renovável, suas partes e peças.Nos dias 11 e 12 de julho, milhares de cubanos fizeram protestos sem precedentes em cerca de 40 cidades, oprimidas pela escassez de alimentos, cortes de eletricidade e o alto custo de vida. O protesto social ocorreu em meio ao agravamento da pandemia de covid-19 e do embargo dos Estados Unidos, intensificado durante os governos de Donald Trump e Joe Biden. Imediatamente após as manifestações, que deixaram um morto, dezenas de feridos e centenas de detidos, o governo isentou de impostos a importação pessoal de alimentos e remédios dos viajantes que chegavam à ilha, medida considerada por muitos insuficiente. Veja Mais

Covid-19: Variante delta força endurecimento das restrições

O Tempo - Mundo Medidas variam de uso obrigatório de máscaras em Nova York a confinamentos locais de centenas de milhares de pessoas na China Veja Mais

Cantor pop canadense é preso na China sob suspeita de estupro

em - Internacional O cantor e ator canadense Kris Wu, uma estrela da música pop muito famosa na China - onde nasceu - foi preso sob suspeita de estupro, anunciou a polícia chinesa neste sábado (31).Na semana passada, uma estudante chinesa de 19 anos acusou Kris Wu de estuprá-la quando ela tinha 17 anos.As acusações causaram agitação na mídia e uma onda de desaprovação nas redes sociais chinesas."Wu Yifan, de 30 anos, cidadão canadense, está atualmente detido por crime de acordo com a lei pela seção do (distrito de) Chaoyang da polícia de Pequim por suspeita de estupro", informaram as forças de segurança na rede social chinesa Weibo, citando o nome chinês de Kris Wu.A polícia afirma ter aberto uma investigação depois que usuários da Internet o acusaram de "ter enganado jovens para fazerem sexo em várias ocasiões".Kris Wu é um ex-membro do grupo sino-sul-coreano EXO, do qual saiu em 2014 para iniciar uma carreira solo como ator, cantor, modelo e jurado de programas de variedades.A estudante Du Meizhu acusou o cantor pop de estuprá-la durante um encontro quando ela tinha 17 anos. Ela deu-lhe um ultimato para deixar o show business e se desculpar, caso contrário daria detalhes da agressão.Kris Wu nega as acusações.Depois do alvoroço causado pelo escândalo, marcas como Louis Vuitton, Bulgari, L'Oreal e Porsche, com as quais colaborou, suspenderam seus contratos com o cantor na semana passada.Seus advogados processaram Du por difamação e a estudante alega ter entrado com uma ação legal contra Wu.WeiboLVMH - MOET HENNESSY LOUIS VUITTONL'OREAL Veja Mais

Reino Unido alerta que oxímetros contra covid-19 funcionam menos com pessoas negras

em - Internacional O serviço de saúde do Reino Unido (NHS) alertou neste sábado (31) que os aparelhos usados em casa para medir os níveis de oxigênio no sangue de pacientes de covid-19 podem favorecer diagnósticos "equivocados" em pacientes negros.Em um comunicado, o NHS explicou que alterou suas diretrizes para o uso dos oxímetros de pulso, após um estudo publicado em abril pelo Observatório da Raça e da Saúde, o qual advertia que os oxímetros aumentavam "às vezes" os níveis de oxigênio no sangue "de pessoas com a cor da pele mais escura".Os oxímetros de pulso, muito usados pelos próprios pacientes para monitorar um possível agravamento do quadro de coronavírus, funcionam por meio de uma luz através da pele, que permite medir a quantidade de oxigênio no sangue, explicou o NHS.Alguns dados imprecisos podem atrasar uma hospitalização de um paciente, o que seria um problema sério considerando a alta porcentagem de pessoas negras e de outras minorias entre os infectados com covid-19, devido ao maior impacto da pandemia nas classes sociais mais baixas. Este excesso de mortalidade por coronavírus entre as minorias resulta "das injustiças, desigualdades e discriminações estruturais que assolam a nossa sociedade", concluiu um relatório parlamentar no final de outubro."Devemos tentar saber os possíveis limites de alguns equipamentos médicos, especialmente nos setores da população que apresentam um maior risco para esta doença", disse o médico Habib Naqvi, diretor do Observatório da Raça e da Saúde."Isso inclui diversas comunidades de negros e asiáticos que usam os oxímetros de pulso para controlar seus níveis de oxigênio em casa", enfatizou.No entanto, o NHS continua recomendando o uso dos oxímetros, mas aconselha que, em vez de observar a quantidade total de oxigênio, o paciente priorize as alterações significativas, "o que permite ver se os níveis de oxígênio diminuem, embora o oxímetro não seja totalmente preciso". Veja Mais

Onda de calor causa derretimento 'maciço' do manto de gelo na Groenlândia

em - Internacional Uma onda de calor na Groenlândia, com temperaturas de mais de 10 graus acima dos normais sazonais, desencadeou um episódio de derretimento "maciço" do manto de gelo do país esta semana, alertaram os glaciologistas.Desde quarta-feira, a calota polar que cobre o vasto território ártico derreteu cerca de 8 bilhões de toneladas por dia, o dobro da taxa média durante o período de verão, de acordo com dados do Portal Polar, uma ferramenta de modelagem administrada por institutos de pesquisa dinamarqueses.De acordo com o instituto meteorológico dinamarquês DMI, temperaturas incomuns de mais de 20 graus foram registradas no norte da Groenlândia nos últimos dias, com recordes locais.Essa onda de calor, que também afetou grande parte do vasto território ártico, acelerou o degelo da calota polar.A título de comparação, o imenso volume de água derretido todos os dias nos últimos dias - 8 bilhões de litros de água doce - "seria suficiente para cobrir toda a superfície da Flórida com cinco centímetros de água", diz o Polar Portal.O recorde diário de degelo da Groenlândia, no verão de 2019, não foi quebrado, mas a parte do território onde o gelo derreteu é maior do que há dois anos, disse o site de observação do Ártico.Segunda maior calota glaciar depois da Antártica, com uma área de quase 1,8 milhão de quilômetros quadrados, a camada de gelo que cobre a Groenlândia preocupa os cientistas porque o aquecimento do Ártico é três vezes mais rápido do que no resto do mundo.Seu retrocesso, que começou há várias décadas, se acelera desde 1990.De acordo com um estudo europeu publicado em janeiro, o degelo da camada de gelo da Groenlândia contribuirá para o aumento geral do nível do mar em 10 a 18 centímetros até 2100, o que é 60% mais rápido do que a estimativa anterior.O manto polar da Groenlândia contém o suficiente para elevar os oceanos de 6 a 7 metros.Devido a um início de verão relativamente frio com queda de neve e chuva, o recuo do manto de gelo em 2021 ainda está na média histórica, de acordo com o Portal Polar.O período de degelo vai de junho ao início de setembro. Veja Mais

Poucos países assumiram novos compromissos sobre clima, alerta ONU

em - Internacional Apenas pouco mais da metade dos Estados apresentou seus novos compromissos em matéria de clima - disse com preocupação a responsável na ONU pelas questões climáticas, a mexicana Patricia Espinosa, que também pediu que se "reforce" a ambição dos planos apresentados.Em virtude do Acordo de Paris de 2015 - que tem como meta manter o aquecimento "muito abaixo" de +2ºC e, se possível, de +1,5ºC em comparação com a era pré-industrial - cada um dos quase 200 signatários deveria apresentar, até o final de 2020, uma versão revisada dos seus compromissos assumidos na luta contra as mudanças climáticas. Estes compromissos foram intitulados "contribuição determinada em nível nacional" (CDN).Em função da pandemia da covid-19 e do adiamento de um ano da Conferência sobre o Clima COP26, em Glasgow, que será em novembro de 2021, muitos governos disseram que não vão cumprir o prazo.A ONU havia fixado um novo prazo - até 30 de julho - de modo que os compromissos pudessem ser levados em consideração na avaliação global que será publicada antes da COP26. A conferência é considerada uma reunião crucial para o futuro do planeta. Até sexta-feira (30), porém, apenas 110 países haviam apresentado seus compromissos revisados. Trata-se de um "avanço positivo" em relação a janeiro, mas "o novo balanço ainda está longe de ser satisfatório, já que apenas um pouco mais da metade das Partes (58%) cumpriu o prazo de corte"."O nível de ambição refletido nestes planos de ação nacional sobre o clima também deve ser reforçado", insistiu Espinosa."Espero, sinceramente, que a nova revisão dos esforços coletivos revele um panorama mais positiva", completou."As recentes ondas de calor extremo, as secas e as inundações que estamos vendo em todo mundo são uma terrível advertência de que temos que fazer muito mais e muito mais rápido para mudar a trajetória atual", insistiu ela.O relatório de fevereiro estimou que o impacto combinado das novas contribuições representará menos de 1% de redução das emissões de gases causadores do efeito estufa até 2030 (em comparação com 2010). Isso é muito longe dos 45% necessários para se manter abaixo de +1,5ºC, conforme especialistas do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas da ONU (ou IPCC, na sigla em inglês).A lista de países que apresentaram novas metas inclui os Estados Unidos, que retornaram para o Acordo de Paris logo que o presidente Joe Biden chegou à Casa Branca, e o Canadá. China, que se comprometeu com a neutralidade do carbono até 2060, ainda não entregou a sua, Índia e África do Sul, também não. Veja Mais

Reino Unido estimula grávidas a se vacinarem contra covid-19

em - Internacional A parteira-chefe da Inglaterra, Jacqueline Dunkley Bent, pediu às profissionais da sua categoria que estimulem as grávidas a se imunizarem contra a covid-19 - grupo com um número ainda baixo de vacinadas -, depois que um estudo da Universidade de Oxford demonstrou o agravamento dos sintomas no caso da variante Delta."A vacina anticovid-19 pode manter você, seu bebê e seus entes queridos a salvo e fora do hospital", destacou Jacqueline, em meio ao ainda pequeno percentual de grávidas vacinadas.Em uma carta aberta divulgada na sexta-feira (30), ela "convocou as grávidas a tomarem medidas para proteger a si mesmas e a seus bebês", enfatizando que "a vacina salva vidas". Esta advertência surge após a divulgação, na semana passada, de um "preocupante" estudo da Universidade de Oxford.Os dados mostram que 99% das gestantes internadas por causa do coronavírus não haviam sido vacinadas e que uma em cada dez grávidas hospitalizadas precisa de cuidados intensivos."É uma notícia muito boa que tão poucas grávidas vacinadas tenham sido admitidas no hospital por covid-19", lembrou a professora Marian Knight, que liderou o estudo, considerando "muito preocupante que as internações de grávidas nos hospitais por coronavírus estejam aumentando e que as pacientes pareçam ser mais gravemente afetadas, no caso da variante Delta".Segundo ela, 200 gestantes foram admitidas em hospitais na semana passada, com coronavírus.No total, do início da pandemia até 11 de julho, 3.371 grávidas deram entrada nos hospitais com sintomas da doença. A gravidade de seu estado se acentuou com a variante Delta, detalha o estudo de Oxford, que ainda deverá passar pela revisão dos pares. Consultada esta semana sobre o mesmo assunto, a responsável da vacinação da OMS, Kate O'Brien, afirmou que existia um "risco mais elevado" de contair uma forma grave da doença para uma grávida."Isso é ainda mais certo no final da gravidez, quando está com uma barriga grande e sua capacidade pulmonar está reduzida devido ao peso que carrega", disse, incentivando as futuras mamães e as mulheres que amamentam a se vacinarem.Desde meados de abril, as grávidas do Reino Unido podem receber a vacina ou Moderna. O Colégio Real de Obstetras e Ginecologistas (RCOG) e o Colégio Real de Parteiras conselham fazer isso o mais rápido possível.Segundo dados do Serviço de Saúde inglês (PHE) divulgados em 22 de julho, em torno de 51.700 gestantes receberam uma primeira dose da vacina anti-covid-19, e 20.600, a segunda. Estes números estão muito abaixo do total de 606.500 grávidas registrado por seus médicos na Inglaterra em 2020-2021, conforme a rede BBC.KNIGHT CAPITAL GROUP Veja Mais

Espanha retoma voos com Brasil, mas mantém quarentena por covid-19

em - Internacional A Espanha vai suspender as restrições para voos procedentes de Brasil e África do Sul, mas vai impor uma quarentena anticovid-19 de dez dias para estes viajantes, a partir de 3 de agosto - informa decreto publicado no Diário Oficial deste sábado (31).A partir da referida data, os viajantes procedentes de ambos os países que tiverem a cartela de vacinação completa, um teste negativo, ou de contágio recente, de covid-19, poderão entrar na Espanha. Ainda assim, terão de cumprir um período de autoisolamento. Apesar de não estarem mais submetidos a restrições tão severes como há alguns meses, os dois países ainda estão classificados como "alto risco", afirma o decreto.Brasil e África do Sul juntam-se à lista de países submetidos à quarentena desde 27 de junho e na qual também constam Argentina, Colômbia, Bolívia e Namíbia.Desde fevereiro, a Espanha proibiu a chegada de voos do Brasil e da África do Sul, exceto para cidadãos espanhóis e de Andorra, para os residentes estrangeiros na Espanha e Andorra e os passageiros em trânsito internacional para um país fora do espaço Schengen com uma escala de menos de 24 horas (obrigados a permanecer no aeroporto).A Espanha sofre uma nova onda de casos de covid há várias semanas (687 casos a cada 100.000 habitantes nos últimos 14 dias, segundo dados de sexta-feira) e várias regiões reinstauraram restrições.Esses casos são menos graves do que os das ondas anteriores, graças ao avanço da campanha de vacinação: cerca de 57% da população está completamente vacinada e 67% recebeu pelo menos a primeira dose, segundo os últimos dados oficiais. Veja Mais

Viúva do presidente assassinado do Haiti acusa seguranças por crime

em - Internacional Martine Moise, a viúva do presidente haitiano Jovenel Moise, que foi assassinado em sua residência por um comando armado no início de julho, descreveu abertamente o ataque e expressou suas suspeitas sobre o crime em uma entrevista ao New York Times publicada nesta sexta-feira (30)."A única coisa que vi antes de matarem-lo foram suas botas", declarou Martine Moise, ferida no ataque, ao jornal norte-americano sobre os assassinos.Despertada naquela noite de 7 de julho por tiros, a primeira-dama explica que escondeu seus dois filhos em um banheiro antes de se deitar no chão, a conselho do marido."Eu acho que é onde você estará segura", lhe disse Jovenel Moise.Depois de ser ferida por uma bala, ela permaneceu deitada, revelou ao jornal."Naquele momento, senti que estava sufocando com o sangue na boca e não conseguia respirar", descreveu.Mais tarde, membros do comando vasculharam o quarto. Martine Moise os ouviu falar em espanhol um com o outro e com alguém ao telefone. "Eles estavam procurando por algo e encontraram", revelou ao New York Times.A primeira-dama sobreviveu ao ataque e teve que ser evacuada de avião para tratamento na Flórida, onde falou com o jornal. Ela voltou ao seu país há duas semanas para o funeral do marido.Martine se pergunta o que aconteceu durante o ataque com a equipe de 30 a 50 agentes encarregados da segurança na residência do presidente. "Não entendo como ninguém foi atingido pelas balas."Após os primeiros disparos, o presidente chamou os dois homens responsáveis por sua segurança. "E eles me disseram que estão vindo", disse Moise à esposa depois de desligar o telefone.A polícia haitiana prendeu os dois chefes de segurança do presidente, bem como vários mercenários colombianos, e afirma ter descoberto um complô organizado por um grupo de haitianos com ligações no exterior, mas muitas incógnitas persistem na investigação.Para Martine Moise, as pessoas detidas durante a investigação são apenas os executores do crime de 7 de julho, que aprofundou a crise política no empobrecido país."Só os oligarcas e o sistema poderiam matá-lo", acusa a primeira-dama.Martine Moise deu um nome ao New York Times: o de um empresário influente que acabara de entrar na política, Réginald Boulos.Evitando acusá-lo de ordenar o assassinato, Martine acredita que o empresário tinha algo a ganhar com o a morte do presidente, disse o jornal.Contatado pelo New York Times, Boulos negou veementemente as alegações veladas da viúva do presidente e expressou seu apoio a uma investigação internacional independente.THE NEW YORK TIMES COMPANY Veja Mais

Cantor pop canadense é detido na China sob suspeita de estupro

em - Internacional O cantor e ator canadense Kris Wu, uma estrela da música pop muito famosa na China - onde nasceu - foi detido sob suspeita de estupro, anunciou a polícia chinesa neste sábado (31).Na semana passada, uma estudante chinesa de 19 anos acusou Kris Wu de estuprá-la durante um encontro, quando ela tinha 17 anos.As acusações causaram agitação na mídia, uma onda de desaprovação nas redes sociais chinesas e levando várias marcas de luxo a suspenderem seus contratos com o cantor."Wu Yifan, de 30 anos, cidadão canadense, está atualmente detido por crime de acordo com a lei pela seção do (distrito de) Chaoyang da polícia de Pequim por suspeita de estupro", informaram as forças de segurança na rede social chinesa Weibo, citando o nome chinês de Kris Wu.A polícia afirma ter aberto uma investigação depois que usuários da Internet acusaram Wu, uma das maiores celebridades da China, de "ter enganado jovens para fazerem sexo em várias ocasiões".O escândalo evoca o movimento #MeToo da China, iniciado por feministas chinesas em 2018, no qual as mulheres tinham o poder de expressar suas experiências de assédio sexual - às vezes envolvendo figuras públicas poderosas.Kris Wu é um ex-membro do grupo sino-sul-coreano EXO, do qual saiu em 2014 para iniciar uma carreira solo como ator, cantor, modelo e jurado de programas de variedades.Desde as acusações de Du, mais supostas vítimas se ponunciaram online, acusando a equipe de Wu de comportamento predatório, como convidá-los para festas de karaokê com bebidas alcoólicas.- Estrela nega -Depois do alvoroço causado pelo escândalo, marcas como Louis Vuitton, Bulgari, L'Oreal e Porsche, com as quais colaborou, suspenderam seus contratos com o cantor na semana passada.A estrela, que também tem cidadania canadense e cresceu entre Vancouver e Guangzhou, negou todas as acusações de estupro e insistiu que era inocente em várias declarações nas redes sociais."Eu só conheci a Srta. Du uma vez em uma festa de um amigo, eu não a enchi de álcool (...) Eu nunca 'coagi mulheres a fazer sexo' ou me envolvi em 'estupro'", escreveu ele em 19 de julho, acrescentando que não dorme com meninas menores de idade.O estúdio de Wu também publicou uma longa resposta às alegações de Du, negando qualquer delito e alegando que ela só o conheceu uma vez em uma festa, tentou extorquir sua equipe em milhões de yuans e falsificou suas acusações.Quando as acusações surgiram, a empresa de luxo Bulgari disse que "atribui grande importância ao incidente relacionado a Kris Wu e decidiu encerrar todas as colaborações relacionadas com Wu a partir de hoje";Seus advogados processaram Du por difamação e a estudante alega ter entrado com uma ação legal contra Wu.Du disse que a estrela tentou comprar seu silêncio com 500.000 RMB ( 77.100 dólares).WeiboLVMH - MOET HENNESSY LOUIS VUITTONL'OREAL Veja Mais

Barco "Ocean Viking" resgata 196 migrantes no Mediterrâneo

em - Internacional O navio "Ocean Viking", pertencente à organização de resgate em alto mar SOS Mediterrâneo, resgatou neste sábado(31) 196 migrantes a bordo de "navios em situação de emergência" na costa da Líbia, anunciou a ONG europeia.Primeiro, foram salvas 57 pessoas a bordo de um barco inflável, disse SOS Mediterrâneo.Horas depois, o navio resgatou 54 migrantes em outro barco. "Alguns tiveram queimaduras de combustível", explicou a organização.Mais tarde, o "Ocean Viking" encontrou 64 pessoas a bordo de um barco de madeira e o quarto resgate ocorreu no período da tarde, no qual foram salvos 21 migrantes, elevando para 196 o número total de pessoas resgatadas, incluindo duas gestantes.De acordo com a Organização Internacional para as Migrações (OIM), pelo menos 1.146 pessoas morreram em alto mar no Mediterrâneo na primeira metade de 2021 quando tentavam chegar à Europa. Veja Mais

Covid-19: Espanha libera a entrada de voos do Brasil

O Tempo - Mundo Viajantes, no entanto, deverão passar por uma quarentena de dez dias. Anúncio foi feito neste sábado pela embaixada espanhola Veja Mais

Milhões de americanos correm o risco de serem despejados

em - Internacional Milhões de famílias americanas, que não puderam pagar o aluguel por meses por causa da crise, correm o risco de ser despejadas de suas casas a partir deste sábado (31), quando expira a moratória que os protegia.Os congressistas da Câmara não chegaram a um acordo na sexta-feira para dar tempo adicional aos inquilinos em dificuldades. Isso, apesar do fato da a variante Delta do coronavírus estar causando um novo surto de casos de covid-19.Uma comissão parlamentar propôs estender a moratória até 31 de dezembro, mas não obteve apoio suficiente, nem mesmo nas fileiras democratas."Infelizmente, nem um único republicano apóia esta medida. (...) É muito decepcionante que os republicanos na Câmara e no Senado tenham se recusado a trabalhar conosco nessa questão", lamentou a presidente democrata da câmara baixa, Nancy Pelosi, em um comunicado.Uma fonte do Congresso disse à AFP que a proposta também está longe de ter o apoio unânime da bancada democrata."Este é um problema de saúde pública", disse Karine Jean-Pierre, porta-voz da Casa Branca, na sexta-feira durante a coletiva de imprensa diária.Os parlamentares da Câmara começaram suas férias até o final de agosto, no sábado, e serão seguidos pelos senadores em uma semana, afastando qualquer esperança de um acordo rápido.O Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) ordenou a suspensão dos despejos em setembro de 2020, já que a maior economia do mundo havia perdido mais de 20 milhões de empregos devido aos fechamentos durante a pandemia. O CDC argumentou que o aumento da falta de moradia aumentaria o contágio de covid-19.Agora, mais de 10 milhões de pessoas estão com o aluguel atrasado, estima o CBPP, um instituto de pesquisa independente.E cerca de 3,6 milhões de inquilinos acreditam que correm o risco de serem despejados em dois meses, de acordo com um estudo do Escritório de Estatística realizado no início de julho com 51 milhões de inquilinos.O presidente Joe Biden pediu ao Congresso na quinta-feira que prorrogasse a medida, depois que uma decisão da Suprema Corte em junho determinou que a Casa Branca não poderia fazê-lo. Mas muitos o censuram por ter esperado até o último momento. Veja Mais

Estudos científicos equivocados alimentam a desinformação sobre a covid-19

em - Internacional Estudos científicos com metodologias falhas e conclusões imprecisas estão intensificando a crise de desinformação sobre a covid-19, o que desestimula a vacinação e coloca vidas em risco.O intenso interesse público pela pandemia e o debate polarizado nos Estados Unidos sobre como abordá-la facilitam a disseminação de trabalhos de pesquisa equivocados na Internet, que fornecem supostos argumentos aos opositores à vacina. Quando o autor de um estudo se retrata, já é tarde demais."Assim que o artigo é publicado, o dano é irrevogável", disse Emerson Brooking, principal pesquisador residente do Laboratório de Pesquisa Digital Forense do Atlantic Council, que se especializa na identificação e exposição da desinformação.As publicações científicas erradas "colocaram lenha na fogueira para os céticos da covid-19 e os teóricos da conspiração. Com frequência, viralizam na Internet. Suas conclusões também são baseadas em artigos provocativos e enganosos de sites marginais", explicou Brooking à AFP.A informação errada sobre as vacinas é especialmente perigosa, em um momento em que sua aceitação diminuiu nos Estados Unidos, onde as autoridades de saúde afirmam que quase todas as mortes recentes por covid-19 ocorrem entre quem não está imunizado.A revista médica Vaccines publicou um artigo revisado por pares no final de junho chamado "A segurança das vacinas covid-19: deveríamos repensar a política". O texto concluía que as injeções contra a covid-19 estavam causando a morte de duas pessoas em cada três que se salvavam. Esta suposta descoberta se espalhou rapidamente pelas redes sociais.Um tuíte sobre este artigo de Robert Malone - um cientista crítico da vacina contra a covid-19 - obteve milhares de retuítes. Um vídeo da conservadora Liz Wheeler, que disse que o estudo "vai deixar vocês boquiabertos", foi visto mais de 250.000 vezes no Facebook.No entanto, a revista Vaccines depois se retratou pelo artigo que havia publicado, dizendo que continha "vários erros que afetam fundamentalmente a interpretação das conclusões".Ao menos quatro membros do conselho da Vaccines foram demitidos como resultado da publicação desse estudo, incluindo Katie Ewer, professora associada e imunologista principal do Instituto Jenner da Universidade de Oxford."Deveriam saber que este documento teria um grande impacto", disse Ewer, que não participou de sua publicação. "O fato de ninguém na revista ter se dado conta disso (...) é muito preocupante, especialmente para uma revista dedicada a vacinas".O tuíte de Malone sobre este artigo não está mais disponível, mas o vídeo de Wheeler ainda aparecia no Facebook semanas depois.Algumas das revistas científicas mais importantes, incluindo a The Lancet e a New England Journal of Medicine, se retrataram por artigos relacionados à crise do coronavírus, mas um número, ainda limitado, de estudos imprecisos pode causar grandes danos na Internet. Veja Mais

Onze mortos no leste da Índia por chuvas torrenciais

em - Internacional Onze pessoas morreram no leste da Índia depois que as chuvas torrenciais destruíram casas e provocaram deslizamentos de terra, elevando o saldo de vítimas para mais de 230 mortos, anunciaram as autoridades neste sábado (31).As chuvas torrenciais que destruíram o país afetaram o estado de Bengala Ocidental (leste), causando uma destruição generalizada.Quatro pessoas foram eletrocutadas depois que a chuva invadiu suas casas na cidade de Howrah e no distrito de Norte 24 Parganas, informou à AFP Javed Khan, ministro de Gestão de Desastres de Bengala Ocidental. Sete pessoas morreram quando sua casa foi destruída e outras continuam desaparecidas, acrescentou.No estado vizinho de Jharkhand, depois de cinco dias de chuvas intensas, dezenas de carros flutuavam na água.Os especialistas estimam que a intensidade e a frequência das chuvas de monção anuais na Índia, que ocorrem de junho a setembro, são reforçadas pela mudança climática.O estado de Maharashtra (oeste) foi atingido durante o mês de julho por chuvas violentas e deslizamentos de terra que despejaram torrentes de lama sobre as cidades, causando pelo menos 200 mortes.Os estados de Himachal Pradesh e Uttarakhand (norte) também foram gravemente afetados.Sete pessoas morreram em um deslizamento de terra em Himachal Pradesh esta semana, e outras sete em uma tempestade que arrasou a remota cidade de Honzar, na parte indiana da Cachemira.Os turistas estão presos nesses dois estados, onde os deslizamentos de terra bloqueiam as estradas principais. Veja Mais

Noah Gesser, promessa do Ajax, morre aos 16 anos em acidente de carro

O Tempo - Mundo Noah e o irmão, que o acompanhava, morreram no local; o motorista do outro veículo sofreu ferimentos Veja Mais

Israel levará à ONU caso de petroleiro atacado

em - Internacional O governo israelense anunciou que pretende levar à ONU o caso do ataque a um petroleiro administrado pelo estaleiro de propriedade de um bilionário israelense, que deixou dois mortos na costa de Omã e pelo qual o Estado hebreu acusa o Irã.O construtor Zodiac Maritime, empresa internacional de propriedade do israelense Eyal Ofer com sede em Londres, informou na sexta-feira (30) "a morte de dois membros de sua tripulação: um cidadão romeno e um cidadão britânico", durante um incidente a bordo do Mercer Street". Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque, mas a Dryad Global, um empresa especializada com sede em Londres, referiu-se às novas "represálias na guerra nas sombras travada pelas duas potências inimigas" - uma referência a Irã e Israel. "Dei instruções às embaixadas em Washington, Londres e a ONU para que ajam com seus interlocutores governamentais e as delegações competentes na sede da ONU em Nova York", tuitou ontem o ministro israelense das Relações Exteriores, Yair Lapid.O chanceler israelense disse ter conversado com seu homólogo britânico, Dominic Raab, ressaltando a "necessidade de responder de maneira severa ao ataque ao navio, em que morreu um cidadão britânico"."O Irã semeia violência e destruição em todos os rincões da região", denunciou uma autoridade do governo israelense, em um comunicado divulgado mais cedo. Teerã "não é apenas um problema de Israel, mas de todo mundo. Seu comportamento ameaça a navegação e o comércio mundial", acrescentou.Em uma nota, o Exército dos Estados Unidos declarou que forças da Marinha americana, em resposta a um chamado de socorro, foram enviadas para ajudar a tripulação e puderam constatar as evidências de um ataque. As primeiras observações "indicam claramente" um ataque de drones, de acordo com o Exército. No Irã, o canal em árabe de uma das televisões públicas citou "fontes informadas na região", segundo as quais o ataque foi uma resposta "a um recente ataque israelense na Síria". O Mar de Omã está localizado entre Irã e Omã, onde fica o estratégico Estreito de Ormuz. Por ele, transita boa parte do petróleo mundial. Uma coalizão liderada pelos Estados Unidos está presente na região. Veja Mais

Cidade do México recicla milhares de toneladas de lixo em usina moderna

em - Internacional Mais de 1.000 toneladas de lixo são processadas diariamente em uma moderna usina de reciclagem na Cidade do México para rentabilizar materiais como plástico, alumínio, papel e papelão e, ao mesmo tempo, reduzir a poluição. Trata-se de uma estação de transferência e seleção de resíduos sólidos gerados em um bairro da zona norte da capital, onde o material reaproveitável é separado, evitando que chegue a lixões a céu aberto. "Em vez de transferir o lixo para uma usina de triagem, ele é processado aqui mesmo e isso resultará em maior economia e aproveitamento", disse o secretário de Obras da cidade, Jesús Esteva, a jornalistas nesta sexta-feira. Segundo o responsável, este espaço recém-inaugurado pode receber até 1.400 toneladas de lixo por dia, das quais 1.000 entram numa fábrica que classifica os resíduos de acordo com as suas características.As outras 400 toneladas, compostas por resíduos orgânicos, são redirecionadas para uma usina de compostagem da megacidade, com 9,2 milhões de habitantes. Segundo Esteva, o novo complexo é o mais moderno do gênero na América Latina, utilizando equipamentos de tecnologia alemã como "separadores ópticos, balísticos e magnéticos". O secretário prevê que a venda de materiais recicláveis gere receitas para a cidade de 48 milhões de pesos anuais (cerca de 2,4 milhões de dólares). Além disso, reduzir o envio para aterros vai economizar 40 milhões de pesos por ano (cerca de 2 milhões de dólares), acrescentou. "A planta deve ser paga em quatro anos porque custou 385 milhões de pesos (cerca de 19,25 milhões de dólares)", disse o funcionário.- Biocombustíveis -Com uma área de 11 mil metros quadrados, a fábrica separa automaticamente 300 toneladas de lixo que são convertidas em biocombustíveis para uma cimenteira. Outras 60 toneladas de papel, papelão, embalagens PET, sacolas e filmes plásticos, latas de alumínio, tecidos e vidro serão comercializadas para gerar renda que será utilizada na manutenção das máquinas. "Os resíduos que os catadores descarregam vão entrar em um processo de separação no qual tentaremos recuperar o que (...) pudermos dar um uso posterior", explicou à AFP Ricardo Estrada, diretor adjunto de manutenção. A cada dia, esse espaço receberá cerca de 300 caminhões de coleta de quatro dos 16 municípios que compõem a Cidade do México, que gera cerca de 13 mil toneladas de lixo por dia, segundo dados oficiais.Desde o final de 2018, a prefeitura tem buscado reduzir para 3.000 toneladas ou menos a quantidade diária de lixo que vai para aterros, a maioria deles localizados no vizinho Estado do México. Em 2018, esses depósitos chegaram a 8.100 toneladas de lixo, número que caiu para 6.100, segundo o governo liderado pela prefeita Claudia Sheinbaum, que proibiu os plásticos de uso único. Veja Mais

Mais de 200.000 pessoas protestam na França contra passaporte de saúde

em - Internacional Mais de 200.000 pessoas se manifestaram neste sábado(31) em mais de cem cidades francesas contra o passaporte de saúde, no terceiro sábado consecutivo de protestos contra esta medida na França. De acordo com o Ministério do Interior francês, 204.900 pessoas participaram dos protestos, um aumento em relação aos 110.000 e 160.000 manifestantes em 17 e 24 de julho. O presidente francês Emmanuel Macron anunciou no dia 12 de julho a utilização do passaporte de saúde para o acesso a inúmeras atividades culturais e sociais, medida aplicada entre o final de julho e o início de agosto. Cerca de 14.240 pessoas se manifestaram em Paris, onde vários protestos foram convocados e eclodiram confrontos entre manifestantes e forças de segurança.Antes de uma dessas manifestações, Jérôme Rodrigues, figura conhecida na revolta dos "coletes amarelos", criticou "os membros do governo e da imprensa que vendem a eficácia da vacina, sem que haja comprovação". Mais de 3.000 policiais foram mobilizados na capital francesa, onde ocorreram incidentes na semana passada na luxuosa avenida Champs Elysées, cujos acessos foram bloqueados neste sábado. Neste fim de semana, foram convocadas manifestações em cerca de 150 cidades francesas para protestar contra o passaporte de saúde, medida apoiada pela maioria dos franceses, de acordo com as pesquisas. Frases como "Eu sou o Judas de Macron", "Vacine-me contra o fascismo e o capitalismo" ou "Mídia mentirosa! Queremos a verdade", eram exibidas nas faixas dos manifestantes em Rennes (Bretanha, noroeste), onde cerca de 2.900 pessoas se concentraram no início da tarde.Mais de 20.000 pessoas protestaram em cidades no sudeste da França, especialmente em Montpellier (8.500) e Nice (6.500). "Presidente, deputados, senadores, cientistas, jornalistas, são todos covardes", denunciou uma das faixas de uma dessas manifestações, em que se repetiam proclamações de "liberdade, liberdade". Os deputados e senadores franceses finalmente aprovaram no último domingo a lei que estende o uso do passaporte sanitário, que exige a apresentação de um certificado de vacinação com as duas doses ou um teste negativo recente.Este documento é obrigatório a partir de 21 de julho para acesso a espaços culturais e de lazer, e a partir de 9 de agosto será obrigatório para frequentar bares e restaurante e viajar em aviões e trens de longa distância. A França, que esta semana ultrapassou 50% da população vacinada, enfrenta um aumento na circulação do coronavírus, com mais de 24.300 casos registrados na sexta-feira.SOPRA STERIA GROUP Veja Mais

Covid: Reino Unido alerta que oxímetros funcionam menos com pessoas negras

O Tempo - Mundo Aparelhos usados em casa para medir níveis de oxigênio no sangue de pacientes com Covid-19 podem levar a diagnósticos "equivocados" nessa parcela da população Veja Mais

Carrie Symonds e Boris Johnson estão esperando um segundo filho

em - Internacional O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e sua esposa, Carrie Symonds, estão esperando um segundo filho, anunciou neste sábado (31) a parceira do líder conservador, que reconheceu ter sofrido um aborto espontâneo no início deste ano."Espero que nosso bebê arco-íris esteja aqui para o Natal", disse em uma postagem no Instagram Symonds, de 33 anos, que usou um termo comum para se referir a crianças que chegam após a perda de outro filho durante a gravidez."No início do ano, sofri um aborto espontâneo que partiu meu coração", contou. "Eu me sinto muito abençoada por estar grávida de novo, mas ao mesmo tempo estou uma bola de nervosismo".Várias celebridades, como Meghan Markle, esposa do Príncipe Harry, e a apresentadora de televisão Chrissy Teigen, reconheceram recentemente ter sofrido abortos espontâneos, um assunto frequentemente tabu."Os problemas de fertilidade podem ser realmente difíceis para muitas pessoas, especialmente quando nas redes sociais como o Instagram você tem a sensação de que todos estão felizes", disse Symonds."Realmente me consolou saber de outras pessoas que sofreram perdas semelhantes", explicou em seu post. "Portanto, espero que compartilhar meu caso possa ajudar outras pessoas também".Symonds e Johnson tiveram seu primeiro filho, Wilfred Lawrie Nicholas Johnson, no final de abril do ano passado.Além de Wilfred, o primeiro-ministro é pai de cinco outros filhos, quatro com sua segunda esposa e um extraconjugal.THE NEW YORK TIMES COMPANY Veja Mais

Guia supremo iraniano indulta e comuta penas de mais de 2.800 presos

em - Internacional Mais de 2.800 presos se beneficiarão de um indulto ou uma redução de pena no Irã devido às festas muçulmanas, informou uma fonte oficial neste sábado (31).O guia supremo iraniano, Ali Khamenei, "aceitou conceder um indulto ou uma comutação de pena a 2.825 condenados" por diferentes tribunais iranianos, informou um comunicado publicado em seu site.A medida foi tomada em ocasão do Eid al Adha, a festa do sacrifício, conhecida como Ghorban em persa e celebrada este ano no Irã em 21 de julho, e a de Ghadir, uma das mais importantes para os muçulmanos xiitas, festejada na quinta-feira.Segundo este ramo do Islã, foi em Ghadir al Jumm, na Arábia Saudita, onde o profeta Maomé designou como sucessor o primeiro imã xiita Ali ibn Abi Tálib.Todo ano, o chefe de Estado concede vários indultos coletivos, coincidindo com grandes festas religiosas ou nacionais, sob a proposta do chefe da Autoridade Judicial.No final de junho, Khamenei indultou e comutou a pena de mais de 5.000 detidos devido ao nascimento do imã Reza, uma das figuras sagradas do décimo segundo xiismo, religião de Estado no Irã desde o século XVI. Veja Mais

Combates retomados perto de Herat, grande cidade do oeste do Afeganistão

em - Internacional Talibãs e forças governamentais retomaram, neste sábado (31) à tarde, os combates nas redondezas de Herat, grande cidade do oeste do Afeganistão, onde na véspera escritórios das Nações Unidas foram atacados, segundo moradores e autoridades locais.De madrugada, o Exército afegão parecia ter sufocado a ofensiva ao redor desta cidade de 600.000 habitantes, a terceira mais populosa do país, e usaram a força nos lugares onde houve confrontos na véspera.A calmaria reinou até a tarde, quando os confrontos foram retomados."Neste momento, há combates nos subúrbios do sul e no sudeste da cidade de Herat", especialmente nas áreas de Pashtun Pul e Pul Malan, duas pontes situadas a 10 quilômetros da cidade, declarou à AFP o governador da província de Herat, Abdul Saboor Qani.A região de Pashtun Pul, palco de intensos combates na sexta-feira, abriga o edifício da Missão das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA), cuja entrada foi alvo de disparos de lança-foguetes e outras armas de fogo.O ataque, que causou vários feridos e a morte de um policial afegão que guardava a entrada, "foi realizado por elementos anti-governo", disse a UNAMA na sexta-feira."As forças de segurança afegãs e as 'forças de resistência' (milícias anti-talibãs) lutam para repelir e destruir os talibãs. Tentamos ao máximo proteger a população, mas o inimigo tomou posições em domicílios privados. Nos movemos com cuidado para evitar perdas civis", disse o governador neste sábado.A batalha ocorre no distrito de Injil, perto de Herat, no de Guzara, ao sul da cidade, onde se encontra o aeroporto, acrescentou. "As pessoas abandonaram suas casas para fugirem para a cidade de Herat (...). Isso cria terror entre os habitantes", disse à AFP Gul Ahmad, que vive no distrito de Injil.Em seus três meses de ofensiva contra o Exército afegão, os talibãs se apoderaram de vários distritos da província de Herat, assim como dois pontos fronteiriços nessa região, o de Islam Qala, principal passagem para o Irã, e o de Torghundi com o Turcomenistão. Veja Mais

Surto de covid na China se espalha e Espanha permite voos do Brasil

em - Internacional A proliferação de surtos da variante Delta do coronavírus fez com que China e Austrália impusessem, neste sábado (31), medidas mais rigorosas de combate à covid-19, enquanto a Espanha anunciou o levantamento das restrições de voos do Brasil.O maior surto de covid-19 detectado na China há meses se espalhou para duas novas áreas neste sábado: a província de Fujian e a cidade de Chongqing, e já alcança 14 províncias do gigante asiático.Mais de 260 casos no país têm relação com um surto na província de Jiangsu, onde nove funcionários do setor de limpeza do aeroporto internacional da cidade de Nanjing testaram positivo no último dia 20. "A principal cepa em circulação atualmente é a variante Delta (...), o que representa um desafio até mesmo maior para a prevenção do vírus e o trabalho de controle", disse Mi Feng, porta-voz da Comissão Nacional de Saúde.O país onde o vírus da covid-19 surgiu pela primeira vez se apressa para conter o surto com o confinamento de mais de um milhão de pessoas e campanhas de testes de diagnóstico em massa.- Variante Delta é uma advertência -A nível mundial, as infecções de coronavírus voltam a crescer. A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou um aumento médio de 80% das infecções nas últimas quatro semanas em cinco das seis regiões da agência.Detectada inicialmente na Índia, esta contagiosa cepa está presente atualmente em 132 países e territórios, segundo a OMS."A variante Delta é uma advertência de que o vírus está evoluindo, mas também é um apelo para a ação. Temos que agir agora, antes que surjam variantes mais perigosas", disse o diretor de emergências da OMS, Michael Ryan.Na Austrália, a terceira cidade do país - Brisbane - e outras partes do estado de Queensland iniciaram um confinamento de três dias neste sábado após a detecção de seis novos casos."A única forma de vencer a variante Delta é agir rapidamente e ser firme", disse o vice-primeiro-ministro do estado, Steven Miles.Outras partes da região voltaram a impor restrições para combater a cepa.Em Bangladesh, a decisão do governo de excluir do confinamento geral as fábricas de roupa de grandes marcas ocidentais provocou um êxodo em massa de centenas de milhares de trabalhadores de suas cidades para as áreas industriais.Na Malásia, multidões foram às ruas para denunciar o confinamento imposto a nível nacional.Também há expectativas de grandes manifestações neste sábado na França, depois das mobilizações de dezenas de milhares de pessoas nos últimos dois finais de semana para protestar contra o certificado sanitário anticovid, que será obrigatório para entrar em muitos locais públicos. - Voos do Brasil para a Espanha -Na Espanha, o governo decretou o levantamento parcial a partir de 3 de agosto das restrições vigentes para os voos procedentes do Brasil e da África do Sul.Desde fevereiro, a Espanha proibiu as chegadas aéreas desses países, exceto para cidadãos ou residentes da Espanha e Andorra ou passageiros em trânsito para países de fora do espaço Schengen.Agora, todos aqueles vacinados, com testes negativos ou comprovante de um contágio recente de covid-19 poderão entrar no país, mas deverão fazer uma quarentena de dez dias.Há alguns dias, o governo espanhol impôs as mesmas condições aos passageiros da Argentina, Colômbia e Bolívia, de onde também houve fortes restrições para os voos.A Espanha enfrenta há semanas um forte aumento de casos de covid, com uma incidência de 687 casos a cada 100.000 habitantes em 14 dias, apesar dos altos índices de vacinação entre sua população, com quase 57% com a imunização completa e 67% com pelo menos a primeira dose. Veja Mais

Garoto de 8 anos é sequestrado pelo pai no oeste da França

em - Internacional As autoridades francesas lançaram neste sábado (31) um pedido de ajuda para localizar um menino de oito anos que sofre de surdez sequestrado pelo pai na véspera, na Bretanha, no oeste da França. "Dewi, um menino de oito anos, tipo europeu, afetado pela surdez, vestido com jeans casaco azul marinho (foto aos quatro anos), foi sequestrado em 30 de julho de 2021 em Lannion às 11h15 por seu pai, que não pode vê-lo sozinho", indica o alerta lançado. As autoridades pediram às pessoas que localizarem "a criança, ou o suspeito", que avisem um número de emergência, ou um endereço de e-mail autorizado. Este plano de alerta massivo e imediato, denominado "Alerta de Sequestro", está sendo implantado na França para envolver a população na busca de menores supostamente sequestrados.O dispositivo foi ativado em abril após o sequestro, por parte de três homens, da menina Mia, de 8 anos, no leste da França. A mobilização de inúmeros recursos policiais na França e em seus países fronteiriços permitiu que ela fosse encontrada dias depois. Veja Mais

Covid: Mais de 200.000 pessoas protestam na França contra passaporte de saúde

O Tempo - Mundo Documento é obrigatório desde 21 de julho para acesso a espaços culturais e de lazer. A partir de 9 de agosto, será exigido para frequentar bares e restaurantes. Veja Mais

Variante delta da covid-19 força endurecimento das restrições

em - Internacional A variante delta se intensifica, obrigando as autoridades a endurecer as restrições sanitárias com confinamentos locais na China, soldados nas ruas da Austrália para garantir o respeito das medidas restritivas e a extensão do estado de emergência no Japão em plenos Jogos Olímpicos.Centenas de milhares de pessoas foram confinadas na China nesta sexta, enquanto o país luta contra seu pior surto de covid-19 em meses.Uma semana depois do início dos Jogos Olímpicos, o Japão estendeu seu estado de emergência até o fim de agosto em Tóquio e o ampliou a outros quatro departamentos.A média de novos casos diários em nível mundial aumentou 10% na última semana, segundo contagem da AFP, em grande parte devido à variante Delta, altamente contagiosa.Embora a região da Ásia e do Pacífico tenha sido muito afetada, com um aumento diário de casos de 61% no Vietnã e no Japão, os países ocidentais também enfrentam aumentos repentinos, e os Estados Unidos e o Canadá registraram 57% mais infecções.A Organização Mundial da Saúde (OMS) advertiu que a variante delta pode desencadear mais surtos em uma área de alto risco que se estende do Marrocos ao Paquistão, onde as taxas de vacinação são baixas.Na China, um novo surto ameaça a política de covid zero, com casos que se propagam de Nanquim (leste) a cinco províncias e à capital, Pequim, pela primeira vez em seis meses.Centenas de milhares de pessoas voltaram a ficar confinadas na província de Jiangsu, enquanto 41.000 receberam ordens de ficar em casa no distrito de Changping, em Pequim.No Japão, o número de casos continua baixo comparativamente a outros países, com 3.300 novas infecções registradas em Tóquio na sexta-feira, mas os especialistas dizem que o sistema médico corre o risco de se saturar devido ao baixo nível de vacinação: apenas um quarto da população recebeu duas doses.Os organizadores dos Jogos Olímpicos informaram nesta sexta-feira 27 novos casos relacionados com o evento, a cifra diária mais alta até o momento.Na Austrália, a polícia de Sydney contará com a ajuda de 300 soldados para fazer cumprir as restrições na maior cidade do país (5 milhões de habitantes), onde o número de contágios bateu um recorde na quinta-feira.Mais de 200 mil pessoas se manifestaram neste sábado em mais de uma centena de cidades francesas contra a extensão do passaporte de saúde e vacinação obrigatória para algumas profissõesFoi o terceiro sábado consecutivo de protestos na França contra essas medidas, depois que as primeiras manifestações reuniram 110 mil pessoas em todo o país e, as segundas, 161 mil.- Contagiosa como a catapora -A variante delta do coronavírus é tão contagiosa quanto a catapora, provavelmente provoca uma doença mais séria do que as anteriores e os casos entre vacinados podem ser tão transmissíveis quanto entre os não vacinados, segundo documentos dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, divulgados pelo jornal The Washington Post e verificados pela AFP.Por isso, os americanos, inclusive os vacinados, devem usar máscaras em áreas onde o vírus circular demais. E para impulsionar a vacinação, o presidente Joe Biden instou às autoridades locais a pagarem 100 dólares a quem se vacinar pela primeira vez.Na Europa, onde muitos países enfrentam a quarta onda, também há mudanças. Na Espanha, o toque de recolher foi prorrogado em Barcelona e parte da Catalunha.A partir do domingo, a Alemanha vai generalizar a obrigatoriedade de que os turistas não vacinados apresentem um exame anticovid ao entrar no país.Uma nova pesquisa europeia mostra que relaxar as medidas antivírus antes de vacinar toda a população aumenta em grande medida o risco de que surgimento de variantes mais resistentes. Em um momento em que 60% dos europeus receberam pelo menos uma dose, os autores do estudo destacaram a necessidade de se manter as medidas restritivas até que todos estejam completamente vacinados.- "Salvar vidas" -Na Argentina, o Ministério da Saúde anunciou a detecção dos dois primeiros casos da variante delta autóctones, sem vínculos com viajantes.A pressão aumenta para acelerar a vacinação, mas continua sendo muito desigual: os países mais ricos administraram, em média, 97 doses por 100 habitantes e os mais pobres, apenas 1,6 dose.O sistema Covax, que supostamente permite que os países pobres recebam doses gratuitas, espera receber 250 milhões de doses nas próximas seis a oito semanas, informou a OMS.Enquanto isso, a situação é "desesperadora" em Mianmar, alertou o Reino Unido, que instou ao Conselho de Segurança da ONU que garanta que as vacinas possam ser distribuídas apesar da crise provocada desde o golpe de Estado de fevereiro.Nas Filipinas, 13 milhões de pessoas serão confinadas na próxima semana na região de Manila para "salvar mais vidas".Na África, o Senegal, relativamente a salvo durante muito tempo, vive um surto de contágios. E o Quênia, que só aplicou 1,7 milhão de doses em uma população de 52 milhões, estendeu o toque de recolher noturno e proibiu as reuniões públicas devido a um aumento nos casos da variante delta.A pandemia já matou pelo menos 4.202.179 pessoas no mundo desde o fim de dezembro de 2019, segundo contagem da AFP com base em dados oficiais. Mas a OMS acredita que o número de óbitos pode ser duas a três vezes maior. Veja Mais

Grandes organizações internacionais pedem para priorizar vacinação em países pobres

em - Internacional Quatro das organizações mais importantes do mundo em saúde, economia e comércio lançaram um pedido conjunto neste sábado (31) aos produtores de vacinas anticovid para que priorizem a entrega de doses aos países pobres.Em um comunicado conjunto, os líderes da Organização Mundial da Saúde, da Organização Mundial do Comércio, do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial defenderam que os países com programas de vacinação mais avançados liberem suas doses para os Estados menos afortunados."Reiteramos a urgência de fornecer acesso às vacinas contra a covid-19, aos testes e aos tratamentos para os países em desenvolvimento", afirmaram."Em relação às vacinas, uma limitação principal é a aguda e alarmante escassez na oferta de doses a países de baixa e média-baixa renda, especialmente no que resta de 2021", acrescentaram."Pedimos aos países com programas de vacinação avançados que liberem o quanto antes o máximo de suas doses contratadas que puderem ao Covax, à AVAT (o Fundo Africano de Aquisição de Vacinas, ndlr) e aos países de renda baixa e média-baixa", solicitaram.O Covax é um mecanismo liderado pela OMS para entregar vacinas aos países menos desenvolvidos.Os líderes dessas organizações denunciaram que os contratos de entrega de vacinas às nações pobres estavam sofrendo atrasos e que menos de 5% das doses adquiridas foram entregues."Pedimos aos fabricantes de vacinas anticovid que redobrem seus esforços para dimensionar a produção de vacinas especificamente para esses países e que garantam que o abastecimento de doses para o Covax e países com rendas baixa e média-baixa tenham prioridade na entrega de doses de reforço", pediram.Também pediram aos governos que reduzam ou eliminem as barreiras à exportação de vacinas e materiais exigidos para sua produção.As quatro agências internacionais criaram uma unidade conjunta para identificar e resolver os problemas de produção de vacinas covid-19 para países em desenvolvimento. Esta equipe teve sua primeira reunião em 30 de junho.Até agora, mais de 4 bilhões de doses de vacinas anticovid foram aplicadas no mundo, segundo uma contagem da AFP.Nos países de alta renda, segundo a classificação do Banco Mundial, foram aplicadas 98,2 doses a cada 100 habitantes.Por outro lado, nos 29 países com menor renda do mundo, foi aplicada apenas 1,6 dose a cada 100 pessoas. Veja Mais

Estudos científicos equivocados alimentam a desinformação sobre a Covid-19

O Tempo - Mundo O intenso interesse público pela pandemia e o debate polarizado nos Estados Unidos sobre como abordá-la facilitam a disseminação de trabalhos de pesquisa equivocados na Internet, que fornecem supostos argumentos aos opositores à vacina Veja Mais

Saldo de enchentes no Afeganistão sobe para 113 mortos e 110 desaparecidos

em - Internacional Ao menos 113 pessoas morreram pelas enchentes repentinas na noite de quarta-feira na província de Nuristão, no nordeste do Afeganistão, e outras 110 continuam desaparecidas, segundo um novo balanço comunicado neste sábado (31) à AFP.O resultado do desastre provocado pelas chuvas torrenciais no distrito de Kamdesh, 200 km ao nordeste de Cabul, "alcança agora os 113 mortos", declarou à AFP Tamim Azimi, porta-voz do ministério afegão de gestão de catástrofes.Além disso, "110 continuam desaparecidas, 173 casas foram totalmente destruídas, assim como dez comércios e seis pontes", acrescentou.O saldo anterior publicado na sexta-feira era de 60 mortos e 180 desaparecidos.Saeed Momand, porta-voz do governador da província, confirmou à AFP o saldo de 113 mortos, mas afirmou que o número exato de desaparecidos ainda é desconhecido.Esse tipo de catástrofe é frequente no país, sobretudo, nas zonas rurais pobres, onde as casas são de construção precária e se encontram em áreas de risco. As enchentes costumam deixar dezenas de vítimas a cada ano. Uma inundação repentina matou mais de 100 pessoas em agosto de 2020 na cidade de Charikar, capital da província de Parwan.A falta de equipamentos e de infraestrutura dificulta as tarefas de resgate e o envio de ajuda para as áreas isoladas deste país empobrecido por 40 anos de guerra e conflitos. Esta nova tragédia se dá no momento em que o governo luta contra uma ampla ofensiva dos talibãs, que se apoderaram de extensos territórios em poucos meses. Além disso, o Afeganistão enfrenta uma terceira onda de covid-19. Veja Mais

Transatlântico gigante zarpa da Arábia Saudita pela primeira vez

em - Internacional Um cruzeiro gigante zarpou da Arábia Saudita pela primeira vez para as águas da região, em um momento em que o país se esforça para desenvolver a indústria turística e diversificar a economia, dependente do petróleo.Construído na França e maior que três campos de futebol, o "MSC Bellissima" começou na sexta-feira à noite a primeira de uma série de viagens do porto de Yedá, às margens do Mar Vermelho, para Aqaba (Jordânia) e Safaga (Egito).Zarpou dois dias depois de a Arábia Saudita abrir seu primeiro terminal de cruzeiros no porto de Yedá, na costa ocidental.O desenvolvimento do setor turístico e lazer é um dos principais objetivos do projeto "Visão 2030" do príncipe herdeiro Mohamed Bin Salmán, que se propõe a preparar a primeira economia do mundo árabe para a era pós-petróleo. Veja Mais

Operários de Bangladesh voltam ao trabalho, apesar da pandemia

em - Internacional Centenas de milhares de pessoas em Bangladesh pegaram trens e carros para voltar ao trabalho, neste sábado (31), depois que o governo anunciou a reabertura das oficinas de confecção e exportação do setor têxtil, apesar da onda de coronavírus que castiga o país. Diante dos recordes diários de casos e de mortes por covid-19, o governo decretou o fechamento de oficinais, escritórios, fábricas, transportes e estabelecimentos comerciais de 23 de julho a 5 de agosto. Excluiu desta medida, porém, as fábricas que abastecem as principais marcas da Europa e da América do Norte.Cerca de 4.500 oficinas de confecção no país, que empregam quatro milhões de pessoas, poderão reabrir a partir deste domingo (1º). O anúncio causou o fluxo de centenas de milhares de operários, que agora deixam seus povoados rumo aos centros industriais. Alguns optaram por fazer isso a pé, apesar das monções que assolam a região. No porto de Shimulia, 70 km ao sul da capital do país, Daca, dezenas de milhares de trabalhadores esperaram durantes horas para conseguirem pegar uma balsa."A balsa estava lotada", comentou Mohamad Masun, de 25 anos, que deixou sua aldeia ao amanhecer e caminhou por mais de 30 km até pegar um bicitáxi até o porto. A indústria têxtil se tornou a base da economia bengali. Seus influentes empresários alertaram para as consequências "catastróficas", se não conseguissem atender a tempo as demandas de seus clientes estrangeiros, mesmo em meio à pandemia. Com 169 milhões de habitantes, Bangladesh é o segundo maior exportador do setor de têxteis, depois da China. Veja Mais

Tesouro ordena Trump a apresentar declarações fiscais

em - Internacional O Departamento de Justiça americano ordenou que o Tesouro entregue as declarações fiscais de Donald Trump ao Congresso, em um desdobramento de uma investigação de 2019 sobre as finanças do ex-presidente. Também nesta sexta foi revelada a informação que Trump pressionou o Departamento de Justiça dos Estados Unidos no fim do ano passado a respaldar suas acusações de fraude eleitoral. Veja Mais

Últimos dias

Duas novas regiões da China registram focos de Covid (autoridades)

em - Internacional O pior surto do novo coronavírus registrado pela China nos últimos meses se estendeu a duas novas regiões do país. Uma delas abriga uma cidade de 31 milhões de habitantes, anunciaram autoridades sanitárias neste sábado.A Comissão Nacional de Saúde informou que foram detectados 55 novos casos no país, na província de Fujian e em Chongqing, de 31 milhões de habitantes, bem como em Pequim e nas quatro províncias onde já haviam sido reportadas infecções pela variante delta.Mais de 200 casos no país têm relação com um surto na província de Jiangsu, onde nove funcionários do setor de limpeza do aeroporto internacional da cidade de Nanjing testaram positivo no último dia 20. Autoridades de Nanjing decretaram neste sábado o fechamento das atrações turísticas e culturais, após o aumento do número de casos.Centenas de milhares de pessoas foram confinadas na província de Jiangsu. Os 9,2 milhões de habitantes de sua capital, Nanjing, foram submetidos a dois testes de diagnóstico.A cidade turística de Zhangjiajie, na província de Hunan, onde várias pessoas infectadas assistiram a uma peça de teatro, confinou seu 1,5 milhão de habitantes e fechou as atrações turísticas, segundo nota oficial.No distrito Changping de Pequim, 41.000 pessoas foram confinadas após a detecção de dois casos de contágio local, de acordo com as autoridades da capital. Essas infecções são os primeiros casos de transmissão local em Pequim em seis meses.O surto é o mais amplo geograficamente na China em meses e desafia os esforços agressivos do governo para conter o vírus com exames de diagnóstico em larga escala, confinamentos e rastreamento de casos. Veja Mais

Tremor de magnitude 6,1 deixa 40 feridos na costa norte do Peru

em - Internacional Um tremor de 6,1 graus de magnitude sacudiu nesta sexta-feira (30) a costa norte do Peru, deixando 40 feridos e danos em cerca de 200 casas e quatro templos, o que levou o presidente recém-empossado, Pedro Castillo, a visitar o local,O tremor foi registrado às 12h10 locais (14h10 de Brasília), com epicentro 12 quilômetros a oeste da cidade de Sullana, na região de Piura (norte), na fronteira com o Equador, a 36 km de profundidade, segundo o Instituto Geofísico."O sismo de magnitude 6,1 deixa até o momento mais de 40 feridos, três deles com gravidade", disse José Nizama, diretor de Saúde de Piura, citado pela agência estatal Andina.Ele afirmou que entre os feridos há uma mulher grávida e outras pessoas que sofreram fraturas ao cair dos muros de suas casas.O presidente Castillo, que assumiu o comando na quarta-feira, e seu chefe de gabinete, Guido Bellido, viajaram para o local de Lima para inspecionar os danos e agilizar a ajuda às duas cidades mais afetadas, Sullana e Piura."Como autoridade, assistimos na coordenação de ações imediatas de que podem precisar o povo nortista. Nossa prioridade é salvaguardar a integridade todos os cidadãos", tuitou Castillo.Muitos dos moradores das cidades de Sullana, Talara e Tumbes foram às ruas preventivamente, segundo a imprensa local."Sentiu-se muito forte", disse à rádio limenha RPP Teresa Lama de Sullana, cidade situada 1.000 km ao norte da capital peruana.A Direção de Hidrografia e Navegação da Marinha de Guerra do Peru descartou que o sismo provoque uma tsunami.Segundo a Defesa Civil, houve danos em 187 residências e em pelo menos quatro templos.Na catedral da cidade de Piura, construída em 1588 e declarada monumento histórico, houve alguns desabamentos parciais na fachada, reportou a agência estatal Andina.Vinte e quatro pessoas tiveram que ser alojadas em barracas, segundo a Defesa Civil.Na costa de Piura ficam alguns dos balneários mais turísticos do país, entre eles Máncora, mas a região também é grande produtora agrícola.O Peru é sacudido anualmente por pelo menos uma centena de sismos perceptíveis para a população, pois está situado no chamado Cinturão de Fogo do Pacífico, uma área de ampla atividade sísmica que se estende ao longo da costa oeste do continente americano. Veja Mais

'A guerra mudou': documentos dos EUA sobre variante Delta são alarmantes

em - Internacional A variante Delta do coronavírus é tão contagiosa quanto a catapora, provavelmente causa uma doença mais séria do que as anteriores e os casos entre vacinados podem ser tão transmissíveis quanto entre não vacinados, segundo documentos americanos.Uma apresentação de slides dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos ressalta que "a guerra mudou" por causa da Delta.Esses documentos foram revelados pelo jornal The Washington Post e verificados pela AFP.A diretora dos CDC, Rochelle Walenksy, citou esses slides esta semana para justificar um retorno ao uso de máscaras em ambientes de alto risco.Uma de suas conclusões mais relevadoras é que os surtos em pessoas vacinadas são altamente contagiosos, de acordo com dados de estudos anteriores e uma nova análise de um surto em Provincetown, Massachusetts.Os especialistas se baseiam em um número chamado "limiar do ciclo" (CT), que indica quanta carga viral uma pessoa tem. Quanto menor o número, maior será a carga.Em Provincetown, "não houve diferença nos valores médios de CT em casos vacinados e não vacinados", afirma a apresentação.Os CDC divulgaram nesta sexta-feira um relatório preliminar sobre um evento de superpropagação, no qual quase três quartos das pessoas estavam vacinadas.O surto coincidiu com as festividades de 4 de julho, com uma quantidade de infectados que disparou para 900, de acordo com dados locais.Porém, ao contrário de outros surtos maciços, houve apenas sete hospitalizações, segundo o site MassLive, e até agora nenhuma morte foi relatada."Este é o ponto-chave que é parte do motivo pelo qual os CDC mudaram sua orientação", disse à AFP Celine Gounder, especialista em doenças infecciosas da Universidade de Nova York."Na realidade, não é tanto pela própria proteção: como uma pessoa vacinada, se você tiver uma dessas infecções, pode ter sintomas leves ou nenhum sintoma. No entanto, com base no que estamos vendo, você pode ser contagioso para outras pessoas", explicou.Mas embora as estimativas da eficácia da vacinação variem por país, em seu slide final, os CDC consideram que o risco de doença grave ou morte é reduzido em 10 vezes ou mais nos vacinados e o risco de infecção é reduzido em três vezes ou mais.Isso equivale a uma eficácia de pelo menos 90% contra casos graves e mortes e ao menos 67% contra infecções.- "Desperdício" -Jennifer Nuzzo, epidemiologista da Universidade Johns Hopkins, advertiu que o surto de Provincetown ocorreu em um local com baixa transmissão comunitária do vírus e, como resultado, a nova recomendação dos CDC sobre o uso de máscaras não teria ajudado muito."Além disso, uma investigação sobre o surto sugere que as exposições ocorreram em locais como bares ou festas em casa, onde o uso de máscaras seria improvável", afirmou à AFP.O documento dos CDC também indica que as infecções não são tão raras quanto se pensava anteriormente, e atualmente existem "35 mil infecções sintomáticas por semana entre 162 milhões de americanos vacinados".Ao olhar para outros países, percebe-se que, embora o vírus original SARS-CoV-2 fosse tão contagioso quanto um resfriado comum, todos os infectados com a variante Delta infectam outros oito, o que a torna tão transmissível quanto a catapora, mas menos que o sarampo.Relatórios do Canadá e da Escócia também sugerem que a cepa pode ser mais grave, com maior probabilidade de levar à hospitalização. Também em Cingapura foram registradas maiores índices de internações e mortes.Gounder disse esperar que as descobertas impulsionem os pedidos de vacinas do setor privado, mas que isso é menos provável de acontecer em regiões politicamente conservadoras, onde a imunização tem sido mais lenta."Acho que estamos vendo uma fila muito longa de pessoas que terão muita dificuldade para se vacinar", apontou."O que é tão trágico é que tínhamos todos os recursos à nossa disposição para realmente aniquilar isso neste país (EUA) e os estamos desperdiçando", lamentou. Veja Mais

Variante delta da covid-19 força endurecimento das restrições

em - Internacional A variante delta se intensifica, obrigando as autoridades a endurecer as restrições sanitárias com confinamentos locais na China, soldados nas ruas da Austrália para garantir o respeito das medidas restritivas e a extensão do estado de emergência no Japão em plenos Jogos Olímpicos.Centenas de milhares de pessoas foram confinadas na China nesta sexta, enquanto o país luta contra seu pior surto de covid-19 em meses.Uma semana depois do início dos Jogos Olímpicos, o Japão estendeu seu estado de emergência até o fim de agosto em Tóquio e o ampliou a outros quatro departamentos.A média de novos casos diários em nível mundial aumentou 10% na última semana, segundo contagem da AFP, em grande parte devido à variante Delta, altamente contagiosa.Embora a região da Ásia e do Pacífico tenha sido muito afetada, com um aumento diário de casos de 61% no Vietnã e no Japão, os países ocidentais também enfrentam aumentos repentinos, e os Estados Unidos e o Canadá registraram 57% mais infecções.A Organização Mundial da Saúde (OMS) advertiu que a variante delta pode desencadear mais surtos em uma área de alto risco que se estende do Marrocos ao Paquistão, onde as taxas de vacinação são baixas.Na China, um novo surto ameaça a política de covid zero, com casos que se propagam de Nanquim (leste) a cinco províncias e à capital, Pequim, pela primeira vez em seis meses.Centenas de milhares de pessoas voltaram a ficar confinadas na província de Jiangsu, enquanto 41.000 receberam ordens de ficar em casa no distrito de Changping, em Pequim.No Japão, o número de casos continua baixo comparativamente a outros países, com 3.300 novas infecções registradas em Tóquio na sexta-feira, mas os especialistas dizem que o sistema médico corre o risco de se saturar devido ao baixo nível de vacinação: apenas um quarto da população recebeu duas doses.Os organizadores dos Jogos Olímpicos informaram nesta sexta-feira 27 novos casos relacionados com o evento, a cifra diária mais alta até o momento.Na Austrália, a polícia de Sydney contará com a ajuda de 300 soldados para fazer cumprir as restrições na maior cidade do país (5 milhões de habitantes), onde o número de contágios bateu um recorde na quinta-feira.- Contagioso como a catapora -A variante delta do coronavírus é tão contagiosa quanto a catapora, provavelmente provoca uma doença mais séria do que as anteriores e os casos entre vacinados podem ser tão transmissíveis quanto entre os não vacinados, segundo documentos dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, divulgados pelo jornal The Washington Post e verificados pela AFP.Por isso, os americanos, inclusive os vacinados, devem usar máscaras em áreas onde o vírus circular demais. E para impulsionar a vacinação, o presidente Joe Biden instou às autoridades locais a pagarem 100 dólares a quem se vacinar pela primeira vez.Israel, que acreditava que sua população estava imunizada, reinstaurou o passe sanitário em locais com mais de 100 pessoas, e lançou uma campanha "complementar" com uma terceira dose para maiores de 60 anos. Nesta sexta, o presidente israelense, Isaac Herzog, tomou a dele.Na Europa, onde muitos países enfrentam a quarta onda, também há mudanças. Na Espanha, o toque de recolher foi prorrogado em Barcelona e parte da Catalunha.A partir do domingo, a Alemanha vai generalizar a obrigatoriedade de que os turistas não vacinados apresentem um exame anticovid ao entrar no país.Uma nova pesquisa europeia mostra que relaxar as medidas antivírus antes de vacinar toda a população aumenta em grande medida o risco de que surgimento de variantes mais resistentes. Em um momento em que 60% dos europeus receberam pelo menos uma dose, os autores do estudo destacaram a necessidade de se manter as medidas restritivas até que todos estejam completamente vacinados."A delta é uma advertência de que o vírus está evoluindo, mas também é um chamado a que devemos agir agora antes que surjam variantes mais perigosas", disse o diretor de emergências da OMS, Michael Ryan.Na Argentina, o Ministério da Saúde anunciou a detecção dos dois primeiros casos da variante delta autóctones, sem vínculos com viajantes.- "Salvar vidas" -A pressão aumenta para acelerar a vacinação, mas continua sendo muito desigual: os países mais ricos administraram, em média, 97 doses por 100 habitantes e os mais pobres, apenas 1,6 dose.O sistema Covax, que supostamente permite que os países pobres recebam doses gratuitas, espera receber 250 milhões de doses nas próximas seis a oito semanas, informou a OMS.Enquanto isso, a situação é "desesperadora" em Mianmar, alertou o Reino Unido, que instou ao Conselho de Segurança da ONU que garanta que as vacinas possam ser distribuídas apesar da crise provocada desde o golpe de Estado de fevereiro.Nas Filipinas, 13 milhões de pessoas serão confinadas na próxima semana na região de Manila para "salvar mais vidas".Na África, o Senegal, relativamente a salvo durante muito tempo, vive um surto de contágios. E o Quênia, que só aplicou 1,7 milhão de doses em uma população de 52 milhões, estendeu o toque de recolher noturno e proibiu as reuniões públicas devido a um aumento nos casos da variante delta.A pandemia já matou pelo menos 4.202.179 pessoas no mundo desde o fim de dezembro de 2019, segundo contagem da AFP com base em dados oficiais. Mas a OMS acredita que o número de óbitos pode ser duas a três vezes maior. Veja Mais

Documentos dos EUA sobre variante Delta são alarmantes: 'A guerra mudou'

O Tempo - Mundo Uma de suas conclusões mais relevadoras é que os surtos em pessoas vacinadas são altamente contagiosos Veja Mais

Bolsa cai 6% e dólar atinge recorde no Peru sem ministro da Fazenda

em - Internacional A Bolsa de Lima caiu mais de 6% nesta sexta-feira (30) e o dólar ultrapassou os quatro soles pela primeira vez, depois que o novo presidente Pedro Castillo nomeou seu gabinete sem ocupar o cargo de ministro da Fazenda. O Índice Geral Peru, o mais representativo da Bolsa de Valores de Lima, caiu 6,24% por volta do meio-dia e o dólar estava sendo negociado a 4,06 soles (o equivalente a 5,35 reais), após fechar a 3,92 soles na terça-feira, antes de dois feriados por festividades nacionais.O novo presidente de esquerda empossou na quinta-feira seu chefe de gabinete, o parlamentar governista Guido Bellido, e outros 16 ministros, mas ficaram vagas as pastas da Fazenda e Economia e da Justiça. De acordo com a mídia peruana, o Ministério Público investigou Bellido por suposta "apologia ao terrorismo", por declarações em uma entrevista em abril, antes de assumir sua cadeira no Congresso, que lhe concede imunidade. "A alta do dólar ratifica o que aconteceu ontem no Peru: a nomeação surpresa de um chefe de gabinete questionado e o anúncio surpresa de que não seria nomeado ministro da Fazenda", disse à AFP o economista independente Jorge González Izquierdo. "Não há ministro da Fazenda, um jogo terrível para o governo, mas especialmente para o Peru", disse o analista político Hugo Otero à AFP.-"Afastado" -Não se confirmou a expectativa de que seria nomeado para a Fazenda o economista Pedro Francke, que atuou antes e depois da eleição de 6 de junho como principal assessor financeiro de Castillo."Francke foi afastado do gabinete por causa de Bellido", reportou o jornal La República. A nomeação de Bellido, de origem rural como Castillo, "é uma mensagem que polariza", reagiu o parlamentar de extrema direita Alejandro Cavero, em declarações à rádio RPP de Lima.O preço do dólar vem subindo no Peru devido à incerteza política desde os dias anteriores ao primeiro turno das eleições em 11 de abril, quando Castillo despontou entre 18 candidatos presidenciais. No final de dezembro, o dólar era negociado a 3,62 soles. - Voto de confiança -Bellido deve comparecer dentro de um mês ao Congresso - controlado pela oposição - para pedir um voto de confiança ao novo gabinete. Se for rejeitado, Castillo terá que nomear outro primeiro-ministro e reorganizar o gabinete. "O que vai acontecer é que eles não vão dar um voto de confiança" ao gabinete, disse Otero. "Este gabinete não se sustenta."Castillo, professor rural de 51 anos, iniciou seu mandato de cinco anos em meio às esperanças e também à preocupação de muitos peruanos que temem uma forte guinada para o socialismo após décadas de políticas liberais.- "Construir uma nova relação" -O conflito entre o novo governo e o novo Congresso, segundo Otero, começou quando as bancadas de direita marginalizaram o partido governista Peru Livre da diretoria do Parlamento. Isso levou Castillo a nomear um esquerdista radical como chefe de gabinete. "Se não for construída uma nova relação entre o Congresso e o Executivo, não vão se beneficiar rapidamente aqueles que devem se beneficiar, que são milhões (de peruanos) ameaçados pela fome", disse o analista. Veja Mais

EUA: Walmart exigirá máscaras para funcionários em local de alto risco para covid

em - Internacional O Walmart voltou a determinar o uso de máscaras para trabalhadores nos condados dos Estados Unidos considerados de alto risco para transmissão da covid-19. A notícia é outro sinal de que diretrizes federais emitidas mais cedo nesta semana têm implicações amplas para empresas.A gigante do varejo afirmou que encorajará, mas não exigirá, que os clientes usem máscaras dentro de suas lojas. Em condados com taxas de transmissão "substanciais" ou "altas", conforme definição do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), será solicitado que todos os clientes usem máscaras, disse um porta-voz da empresa. Em outras áreas, haverá anúncios para que os clientes não vacinados utilizem a proteção.Fonte: Dow Jones Newswires. Veja Mais

EUA sanciona altos funcionários da polícia de Cuba por "re...

em - Internacional EUA sanciona altos funcionários da polícia de Cuba por "reprimir" protestos (Tesouro) Veja Mais

Nicarágua dá cidadania a ex-presidente salvadorenho, foragido da justiça

em - Internacional O governo da Nicarágua concedeu a cidadania ao ex-presidente salvadorenho Salvador Sánchez Cerén, foragido da justiça em seu país por crimes de corrupção, segundo o jornal oficial La Gaceta desta sexta-feira (30)."Concede-se a nacionalidade nicaraguense ao cidadão Salvador Sánchez Cerén, originário de El Salvador" que cumpriu os requisitos e formalidades estabelecidos na Constituição da Nicarágua, destaca a resolução de Migração e Departamento de Estado, publicada no La Gaceta.A resolução em atos separados também inclui sua esposa, Rosa Margarita Villalta, e sua filha, Claudia Lissete Sánchez Villalta, de acordo com a resolução emitida em 29 de julho e assinada pela ministra do Governo (Casa Civil), Amelia Coronel.A justiça salvadorenha emitiu na quarta-feira ordem de captura internacional contra o ex-presidente Sánchez Céren (2014-2019) e outros funcionários de seu governo por crimes cometidos contra o Estado salvadorenho.O ex-chefe de Estado é o segundo político de seu país a receber a cidadania nicaraguense, depois da concedida em 2019 ao também ex-presidente Mauricio Funes. Os dois são membros do partido da antiga guerrilha Frente Farabundo Martí para a Libertação Nacional (FMLN-esquerda).A FMLN é aliada de longa data do partido nicaraguense e também ex-guerrilha Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN-esquerda), que depôs a ditadura de Anastasio Somoza em 1979.O presidente sandinista Daniel Ortega governou o país entre 1979-1990, voltou ao poder em 2007, e se mantém ali após duas reeleições consecutivas, a última delas com a esposa Rosario Murillo como vice.A Constituição da Nicarágua proíbe a extradição de seus cidadãos.A presença de Sánchez Cerén na Nicarágua, aliado político de Ortega, é mantida em reserva pelas autoridades, embora em El Salvador tenha-se denunciado que o ex-presidente havia fugido para o país.O presidente salvadorenho, Nayib Bukele, escreveu no Twitter na semana passada que Sánchez Cerén era oficialmente um foragido da justiça. "Certamente, saiu do nosso país pela fronteira terrestre em dezembro de 2020 e nunca mais voltou".- Busca da Interpol -Um tribunal salvadorenho emitiu na quarta-feira uma ordem de captura internacional contra Sánchez Cerén e outros quatro ex-funcionários pela suposta participação em um caso de enriquecimento ilícito e lavagem de dinheiro.O juiz "decidiu emitir ofício à Interpol" para que seja localizado e posto à disposição da justiça, declarou a promotora Maricela Velásquez.Os crimes teriam sido cometidos durante o primeiro governo da ex-guerrilha da FMLN, encabeçada por Mauricio Funes, de quem Sánchez Cerén foi vice-presidente, e que também é investigado por suposta apropriação indevida de recursos públicos.Segundo a Procuradoria, Sánchez Cerén teria recebido 530.000 dólares em pagamentos irregulares quando era vice-presidente.Bukele denunciou no início de seu mandato, em junho de 2019, sua intenção de extraditar Funes nos primeiros 100 dias de seu governo.Mas Funes, que fugiu para a Nicarágua em 2016, respondeu-lhe pelo Twitter: "Nem hoje, nem nos primeiros 100 dias do seu governo, nem em anos a extradição será possível", disse Funes, amparado na cidadania nicaraguense. Veja Mais

Sérvios da Bósnia rejeitam proibição de negar o genocídio

em - Internacional Os sérvios da Bósnia rejeitaram oficialmente nesta sexta-feira (30) a proibição recente de negar o genocídio e aprovaram uma nova legislação que estabelece penas de prisão para os que acusarem as forças sérvias da Bósnia de "genocidas".Uma semana depois da decisão do Alto Representante da ONU de proibir a negação do massacre de Srebrenica e outros massacres deste tipo, os deputados sérvios da Bósnia se reuniram para decidir sua resposta. O Parlamento da República de Srpska, a entidade sérvia deste país dividido por etnias, aprovou uma lei de "não aplicação" do crime de negação de genocídio e outro texto que prevê penas de até 15 anos de prisão para aqueles que "violarem a reputação da República de Srpska"."Nunca mais permitiremos que alguém nos chame de genocidas (...) e nos humilhe", disse à imprensa Nedeljko Cubrilovic, presidente deste Parlamento, após a votação.No passado, alguns líderes muçulmanos bósnios descreveram o Parlamento da República de Srpska como uma assembleia "genocida", em uma referência ao massacre de Srebrenica, realizado em 1995 pelo Exército sérvio-bósnio.Uma semana antes de deixar o cargo de Alto Representante, o diplomata austríaco Valentin Inzko usou seu poder discricionário em 23 de julho para introduzir uma pena de até cinco anos de prisão para aqueles que negarem ou minimizarem os crimes de guerra ou de genocídio na Bósnia.Esta decisão indignou os líderes sérvio-bósnios, que anunciaram na segunda-feira um boicote das principais instituições do país.O massacre de Srebrenica, no qual as forças sérvias da Bósnia mataram cerca de 8.000 crianças e adolescentes muçulmanos bósnios, ocorreu vários meses antes do fim do conflito étnico (1992-95) e deixou 100.000 mortos. Foi classificado como ato de genocídio pela Justiça internacional. Os responsáveis políticos sérvios, tanto na Bósnia e Herzegovina quanto na Sérvia, costumam minimizar ou negar este massacre, que reconhecem apenas como um "crime grave". Veja Mais

Assassino em série de gatos é condenado a 5 anos de prisão no Reino Unido

em - Internacional A Justiça britânica condenou, nesta sexta-feira (30), a cinco anos e três meses de prisão um homem por matar nove gatos em Brighton, o que causou pânico entre os donos de animais de estimação nesta cidade do sul da Inglaterra.Steve Bouquet, um agente de segurança de 54 anos, foi julgado por matar nove felinos e ferir outros sete entre outubro de 2018 e julho de 2019, além de posse ilegal de arma branca.Durante o julgamento em um tribunal perto de Brighton, Bouquet se declarou inocente ao juiz. Antes, ele afirmou à polícia que não representava "nenhuma ameaça para os animais". Em seu celular foi encontrada uma foto de um gato morto.Ao anunciar a pena, o juiz Jeremuy Gold classificou sua atitude como "cruel" e afirmou que atacava "o coração da vida familiar".O dono de uma das vítimas, a gata Nancy, explicou ao tribunal que encontrou o animal sob sua cama com um rasto de sangue que conduzia até a porta.Uma testemunha afirmou ter visto Steve Bouquet agindo "estranhamente" no local. Veja Mais

Israel lança campanha da terceira dose anticovid para maiores de 60

em - Internacional Enquanto muitos países ocidentais ainda se esforçam para aplicar o esquema completo de vacinação anticovid-19 à sua população, Israel entra em um terreno desconhecido, ao começar a administrar, a partir desta sexta-feira(30), uma terceira dose em pessoas com mais de 60 anos. Para promover a campanha, o presidente Isaac Herzog, 60, e sua mulher, Michal, receberam a terceira dose do imunizante da no Hospital Sheba, no subúrbio de Tel Aviv. O ex-primeiro-ministro Benjamin Netanyahu também foi vacinado com a terceira dose."Começamos a campanha de reforço da vacinação, para que a vida possa voltar ao normal o mais rápido possível", declarou o presidente Herzog, após ser vacinado.A administração de três doses da vacina anticovid-19 reforça a proteção contra a contagiosa variante Delta, segundo o laboratório da Pfizer, mas não foi aprovada pelas autoridades sanitárias dos Estados Unidos, nem da União Europeia. A decisão de Israel "se baseia na opinião de especialistas, na lógica, mas não em evidência científica sólida. Mas tudo bem", disse à AFP Hagai Levine, epidemiologista da Universidade Hebraica de Jerusalém."Na saúde pública e na medicina, às vezes você toma decisões com base em sua experiência e no seu raciocínio", acrescentou. Israel fez uma rápida campanha de vacinação, graças a um acordo com a e suspendeu muitas restrições em junho, quando os novos casos de covid-19 caíram de 10.000 para menos de 100 por dia. Nas últimas semanas, porém, o número de contágios voltou a subir, e medidas como o uso obrigatório de máscara em espaços públicos fechados voltaram a ser adotadas. No território, 55% de seus nove milhões de habitantes completaram o esquema de vacinação, mas cerca de um milhão rejeita ser vacinado.Diante do aumento de casos, o primeiro-ministro Naftali Bennett anunciou uma campanha para injetar uma terceira dose em pessoas com 60 anos, ou mais, devido ao temor despertado pela variante Delta.Em meados de julho, o governo havia autorizado essa terceira injeção para pacientes com quadro de imunodepressão severa, ou seja, aqueles cujo frágil sistema imunológico os torna particularmente vulneráveis ao vírus. "Israel é o pioneiro, tomando a dianteira com uma terceira dose da vacina para pessoas com 60 anos e mais", disse Bennett, de 49, que acompanhou o presidente Herzog ao hospital nesta sexta-feira. "A única maneira de vencer a covid é agirmos juntos. Juntos significa compartilhar informações, métodos, conselhos, etapas práticas. O Estado de Israel está aberto a compartilhar todas as informações que obterá desta medida audaciosa", acrescentou.De acordo com a Pfizer, que produz a vacina mais usada em Israel, "novos estudos mostram que uma terceira dose tem efeitos neutralizadores contra a variante delta, [que são] cinco vezes mais elevados entre os jovens e mais de 11 vezes entre os mais velhos". Por enquanto, porém, a agência responsável pelo setor de medicamentos e alimentos nos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês), cujas recomendações são, em geral, seguidas por Israel, não deu sinal verde para a injeção de uma terceira dose.Nas últimas 24 horas, Israel registrou mais de 2.100 casos de covid-19, conforme dados divulgados nesta sexta. Além disso, 286 pacientes se encontram internados, 160 deles em estado crítico. Veja Mais

Lançamento do Quantum, o primeiro satélite "flexível"

em - Internacional Um foguete Ariane 5, com lançamento previsto para esta sexta-feira (30) à noite, colocará em órbita o primeiro satélite comercial "flexível" de telecomunicações para a Eutelsat, chamado Quantum.O lançamento do veículo pesado está programado para acontecer entre 21h e 22h30 GMT (17h e 18h30 no horário de Brasília), do centro espacial de Kourou, na Guiana Francesa.O foguete transporta dois satélites de duas operadoras de telecomunicações: um, da Embratel, a mais importante do Brasil e da América Latina; e outro, da Eutelsat, uma das líderes mundiais do setor.Enquanto o primeiro, Star One D2, é uma ferramenta poderosa, mas clássica, o segundo, Quantum, será o primeiro no mundo capaz de modular a área de cobertura e a potência de seus feixes de telecomunicações, quase em tempo real, conforme as necessidades do cliente. Com um peso de 3,5 toneladas, foi desenvolvido por meio de uma parceria público-privada entre a Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês), a Eutelsat e a Airbus Defence and Space. Esta última foi responsável por sua construção.O Ariane 5 deve colocar o satélite em uma órbita de transferência geoestacionária, a uma altitude de cerca de 35.000 km. Deste ponto fixo em relação ao solo, percorrerá uma vasta área geográfica durante 15 anos, que vai da África Ocidental à Ásia.Os satélites de telecomunicações "comuns" são programados em terra com base nas exigências dos clientes e não podem ser modificados uma vez em órbita. No caso do Quantum, cada um de seus oito feixes será ajustável, tanto em área de cobertura, quanto em potência, ou em frequência, "em poucos minutos", através de um programa disponibilizado ao cliente, descreve a Eutelsat.Esta flexibilidade de uso permitirá garantir cobertura móvel para aviões, navios, ou serviços governamentais, no caso, por exemplo, de catástrofes naturais, ou de eventos específicos. "Procuramos flexibilidade, porque quando um satélite é lançado, a demanda e os mercados podem mudar ao longo do tempo. Um satélite que não é 'fixo' e pode ser adaptado aos clientes permite uma perspectiva mais robusta", disse recentemente à AFP a diretora de telecomunicações e aplicações da ESA, Elodie Viau.O novo equipamento também será capaz de localizar geograficamente a origem dos sinais "emitidos com, ou sem, intenção maliciosa e que criam interferência", por exemplo, quando comandos erroneamente direcionados para um satélite vizinho perturbarem os feixes do Quantum, explicou Elodie Viau em entrevista coletiva na quinta-feira (29).Este dispositivo irá identificar a origem do sinal e, assim, intervir para remediar o problema no solo, mas também minimizar seu impacto, reduzindo a interferência. AIRBUS GROUPEUTELSAT COMMUNICATIONS Veja Mais

Variante Delta da covid-19 obriga aumento das restrições

em - Internacional A variante Delta se intensifica, obrigando as autoridades a aumentarem as restrições sanitárias, com confinamentos locais na China, soldados nas ruas da Austrália para garantir o cumprimento das medidas e a extensão do estado de emergência no Japão durante os Jogos Olímpicos Tóquio-2020.Em algumas áreas, como as mais afetadas pelo vírus nos Estados Unidos, o uso de máscara é mais uma vez recomendado, e a campanha de vacinação está sendo promovida novamente.Na China, o primeiro país a conter a pandemia em 2020, um novo surto ameaça a política de zero covid-19, com casos se espalhando de Nanquim (leste) para cinco províncias e a capital, Pequim, pela primeira vez em seis meses. Depois que nove funcionários do aeroporto de Nanquim testaram positivo em 20 de julho, 184 infecções foram detectadas nesta sexta-feira (30) na província de Jiangsu, e 206, em todo país. Centenas de milhares de pessoas estão mais uma vez confinadas nesta região e em Pequim.A eficácia das vacinas chinesas levanta questões, porque a maioria dos novos casos ocorre em pessoas vacinadas. Podem "desacelerar a propagação e reduzir a taxa de mortalidade", mas não "erradicar o vírus", afirmou Zhang Wenhong, um especialista em doenças infecciosas de Xangai.Na Austrália, a polícia de Sydney contará com a ajuda de 300 soldados para fazer cumprir as restrições na maior cidade do país, de cinco milhões de habitantes. Lá, o número de infecções bateu recorde na quinta-feira (29).Em sua quinta semana, o confinamento será mantido até 28 de agosto, mas muitos violam a medida, indo às praias, ou parques. Uma semana após o início das Olimpíadas, o Japão estendeu o estado de emergência até o final de agosto em Tóquio e em outros quatro departamentos."A infecção está se espalhando a uma velocidade nunca vista antes", declarou o governo nesta sexta-feira, com um recorde de mais de 10.000 casos por dia. Os organizadores dos Jogos Olímpicos também detectaram 27 novos casos.- Contagioso como a catapora -Em uma nota interna alarmista, o Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos estima que a variante Delta é tão contagiosa quanto a catapora e causa consequências mais sérias nos pacientes, informam os jornais The Washington Post e The New York Times.É por isso que os americanos, mesmo vacinados, devem usar a máscara em áreas onde o vírus circula muito. E, para aumentar a vacinação que parece estar estagnada, o presidente Joe Biden pediu às autoridades locais que paguem US$ 100 para aqueles que forem vacinados pela primeira vez. Israel, que acreditava que sua população estivesse imunizada e protegida, restabeleceu o passe de saúde na quinta-feira em locais com mais de 100 pessoas. E lançou uma campanha "complementar" com uma terceira dose para pessoas acima de 60 anos. Nesta sexta-feira, o presidente israelense, Isaac Herzog, recebeu a sua. Na Europa, onde muitos países estão enfrentando uma quarta onda, também há mudanças. Na Espanha, o toque de recolher foi estendido em Barcelona e em parte da Catalunha. A partir de domingo (1º), a Alemanha vai generalizar a obrigação de os turistas não vacinados apresentarem um teste anticovid-19 em seu ingresso no país, "de avião, carro, ou trem". A França ordenou, por sua vez, o confinamento das ilhas ultramarinas da Reunião e da Martinica.Nem tudo são más notícias, porém. A zona do euro cresceu no segundo trimestre, com alta de 2% no Produto Interno Bruto (PIB), após duas quedas trimestrais consecutivas.- "Salvar vidas" -A pressão aumenta para acelerar a vacinação, mas sua aplicação continua muito desigual ao redor do mundo. Os países mais ricos administraram em média 97 doses por cada 100 habitantes, e os mais pobres, apenas 1,6. O sistema Covax, que supostamente permite o envio gratuito de imunizantes para os países pobres, espera receber 250 milhões de doses nas próximas seis a oito semanas, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS).Enquanto isso, a situação é "desesperadora" em Mianmar, alertou o Reino Unido, que pediu ao Conselho de Segurança da ONU que garanta que as vacinas possam ser distribuídas para este país, apesar da crise desencadeada desde o golpe de Estado militar de fevereiro passado.Nas Filipinas, 13 milhões de pessoas serão confinadas novamente na próxima semana, na região de Manila, para "salvar mais vidas".Na África, o Senegal, relativamente a salvo por muito tempo, vive um surto de infecções, com hospitais sem oxigênio. Este material também é escasso na Tunísia. A Colômbia alertou que pode restringir o acesso a espaços públicos para pessoas não vacinadas. A pandemia matou pelo menos 4.190.383 pessoas em todo mundo desde o final de dezembro de 2019, de acordo com balanço atualizado pela AFP na quinta-feira (29), com base em fontes oficiais. A OMS acredita, no entanto, que o número de óbitos possa ser duas, ou três vezes, maior. Veja Mais

Japão prorroga estado de emergência por covid uma semana após início dos Jogos

em - Internacional O Japão prorrogou nesta sexta-feira (30) a emergência sanitária por covid-19 em Tóquio e a ampliou para outras quatro regiões, após o aumento dos contágios, uma semana depois do início dos Jogos Olímpicos."Decretamos o estado de emergência para Saitama, Chiba, Kanagawa e Osaka", afirmou o primeiro-ministro Yoshihide Suga, antes de acrescentar que a medida, já em vigor em Tóquio e Okinawa (sul), foi estendida até 31 de agosto.Na quinta-feira (29), o Japão registrou mais de 10.000 casos de coronavírus pela primeira vez, o que levou autoridades e especialistas a advertirem para o risco que implica a propagação da variante Delta.O surto no país é comparativamente pequeno. Desde o início da pandemia, foram registradas 15.000 mortes, e o governo nunca adotou medidas de confinamento rígido. Apenas 25% da população está completamente vacinada.O recorde de casos acontece em pleno desenvolvimento dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Nas últimas 24 horas, foram registrados 27 novos contágios, o maior número diário desde o início do evento esportivo, segundo o comitê organizador. Veja Mais

Japão prorroga estado de emergência por covid uma semana a...

em - Internacional Japão prorroga estado de emergência por covid uma semana após o início dos Jogos Olímpicos (governo) Veja Mais

Ombudsman da Colômbia pede 'plano de choque' para resolver crise migratória na fronteira

em - Internacional O Defensor do Povo da Colômbia, Carlos Camargo, pediu nesta quinta-feira às autoridades do país um "plano de choque humanitário" que permita atender a milhares de migrantes retidos na fronteira com o Panamá.O ombdusman fez o pedido após viajar ao município de Necoclí, onde haitianos, cubanos, venezuelanos e africanos aguardam uma embarcação que os leve para o Panamá, próxima parada de seu trajeto até os Estados Unidos ou o Canadá."É urgente o início de um plano de choque humanitário, no qual já pedimos a várias entidades que tomem medidas imediatas e estruturais para enfrentar a crise migratória", disse Camargo, segundo um comunicado da Defensoria do Povo, que zela pelos direitos humanos na Colômbia.O Golfo do Urabá, onde fica Necoclí, é um dos principais pontos de trânsito de africanos, asiáticos e haitianos que buscam cruzar para o Panamá pelo corredor selvagem conhecido como Tapón del Darién, rumo à América Central.No comunicado, Camargo denunciou as redes internacionais que transportam migrantes do Chile e de outros países para o departamento de Nariño, na fronteira com o Equador, onde "máfias" cobram até US$ 300 para levá-los até a fronteira com o Panamá. Ele fez um pedido a seus colegas "ibero-americanos, em particular do Equador e do Panamá, para que revisem mecanismos de cooperação" que permitam enfrentar o problema e "pôr fim à violação dos direitos humanos dos migrantes que transitam pelo continente", segundo o texto.Em Necoclí, os migrantes alugam quartos de hotel e casas particulares, o que impulsiona o comércio da cidade, de cerca de 45 mil habitantes. No entanto, a aglomeração de pessoas em meio à pandemia faz com que as autoridades temam um novo surto de coronavírus.O diretor da Migração Colômbia, Juan Francisco Espinosa, explicou na véspera que o alto fluxo de migrantes se deve em parte ao "atraso" daqueles que não puderam viajar no ano passado devido ao fechamento de fronteiras imposto pela pandemia. Veja Mais

Cidade australiana de Brisbane terá confinamento de três dias

em - Internacional A cidade australiana de Brisbane, terceira mais populosa do país, e outras regiões do estado de Queensland terão um confinamento de três dias decretado a partir da tarde deste sábado, para tentar conter a propagação da variante delta do novo coronavírus, anunciaram autoridades.Cinco casos da variante foram detectados no estado. Os milhões de habitantes que serão afetados pelo confinamento mais estrito imposto a Brisbane só poderão sair de casa para atividades essenciais, como comprar comida e se exercitar.A decisão foi tomada depois que Sydney, maior cidade do país, adotou o confinamento, que já dura cinco semanas. Veja Mais

EUA apreendem petroleiro que teria burlado sanções contra Coreia do Norte

em - Internacional Um tribunal federal dos EUA ordenou nesta sexta-feira a apreensão de um petroleiro suspeito de realizar entregas à Coreia do Norte e burlar as sanções dos EUA contra Pyongyang.O Courageous fez transferências de produtos petrolíferos para embarcações de bandeira norte-coreana e entregas no porto norte-coreano de Nampo, informou em comunicado o Departamento de Justiça dos EUA, citando documentos incluídos no expediente judicial.A decisão de um juiz federal de Nova York de apreender o navio significa que o governo dos Estados Unidos passa a ser o dono do petroleiro, com capacidade de 2.734 toneladas. O ex-proprietário e operador do navio, um cidadão de Singapura chamado Kwek Kee Seng, é procurado pelas autoridades americanas por cumplicidade em lavagem de dinheiro."Kwek e seus cúmplices estão envolvidos em um amplo sistema para contornar as sanções dos EUA e da ONU ao usarem embarcações sob seu controle para contrabandear combustível à Coreia do Norte, proporcionando um recurso vital para o governo de Pyongyang", argumentou o Departamento de Justiça.O Courageous teria sido comprado com dólares que passaram por bancos americanos "sem o seu conhecimento", assinala o texto. O Camboja, onde o navio estava ancorado, apreendeu o mesmo em março de 2020, a pedido dos Estados Unidos.A economia da Coreia do Norte é duramente afetada pelas sanções internacionais impostas há anos em resposta aos seus programas militares proibidos, incluindo o nuclear. No fim de junho, o representante especial dos Estados Unidos para a Coreia do Norte pediu aos membros do Conselho de Segurança da ONU que apliquem estritamente as resoluções contra Pyongyang, destinadas a limitar as importações norte-coreanas de petróleo e suas exportações, principalmente de carvão, têxteis e pescado. Veja Mais

Incêndios nos EUA mostram que a crise climática deve ser 'combatida', diz Biden

em - Internacional Os violentos incêndios florestais que estão ocorrendo atualmente em vários estados do oeste dos Estados Unidos reforçam a necessidade de agir contra a crise climática, disse o presidente Joe Biden nesta sexta-feira(30). "Não podemos fechar nossos olhos para como os efeitos combinados e cruzados do calor extremo, da seca prolongada e dos incêndios violentos estão afetando o país", disse o presidente americano em uma videoconferência com os governadores dos estados afetados. "Por trás de tudo isso está a necessidade de combater as mudanças climáticas e com sucesso", disse ele. Biden observou que desde a última reunião, há um mês, o número de incêndios dobrou para 66.Mais de 13.700 quilômetros quadrados já foram devastados pelas chamas em todo o país. Milhares de bombeiros foram mobilizados para combater o incêndio, em condições muitas vezes perigosas. Diante do presidente, os governadores dos estados de Montana, Washington e Califórnia pediram auxílio financeiro e logístico ao governo federal. Eles também falaram dos problemas de escassez enfrentados pelos bombeiros, seja para encontrar mangueiras de incêndio ou combustível para aviação, depois que a pandemia interrompeu o comércio e a indústria em todo o mundo. Veja Mais

Município boliviano declara alerta diante de suspeitas da variante Delta da covid-19

em - Internacional O município de Santa Cruz, o mais populoso da Bolívia e o mais atingido pela covid-19, declarou alerta de saúde nesta sexta-feira (30), após registrar um aumento nos casos com sintomas da variante Delta, altamente contagiosa."O prefeito Jhonny Fernández declarou alerta de saúde no município de Santa Cruz, anunciando também o envio de brigadas médicas para o atendimento oportuno de cada vizinho", afirmou o município em nota oficial.O comunicado acrescenta que a medida é tomada "tendo em vista o aumento de casos em alguns bairros de nossa cidade, com sintomas semelhantes aos que a nova variante Delta gera nos pacientes".Fernández disse mais tarde em uma coletiva de imprensa que "há pessoas que estão com diarréia, dor de estômago, dor de cabeça, febre, todos os sintomas que podem estar associados a esta nova cepa".O Ministério da Saúde afirmou em outro comunicado que por enquanto não há relato oficial da presença da variante Delta na Bolívia.A região de Santa Cruz, com quase 3 milhões de habitantes, é a mais afetada pelo coronavírus na Bolívia. Representa 15% dos mais de 472 mil infectados em todo o país e quase o mesmo percentual das 17.700 mortes.A Bolívia, com uma população de 11,5 milhões, vacinou até o momento 2,8 milhões de pessoas com a primeira dose e 1,5 milhão com a segunda.A Organização Mundial da Saúde (OMS) indicou na semana passada que a variante Delta da covid-19 deve se tornar a dominante no planeta nos próximos meses. Veja Mais

EUA anunciam mais sanções contra polícia de Cuba após protestos na ilha

O Tempo - Mundo O Departamento do Tesouro dos EUA justificou que a medida é uma resposta à repressão policial empregada durante os atos Veja Mais

Trump pressionou Departamento de Justiça a declarar que eleição foi fraudada

em - Internacional O ex-presidente Donald Trump pressionou o Departamento de Justiça dos Estados Unidos no fim do ano passado a respaldar suas acusações de fraude eleitoral, pedindo a um funcionário que declarasse que a votação para a presidência havia sido fraudada, segundo documentos divulgados nesta sexta-feira.O registro da pressão de Trump sobre o DoJ uma semana antes de apoiadores seus invadirem o Capitólio para tentar impedir a certificação dos resultados eleitorais foi divulgado pelo Comitê de Supervisão da Câmara dos Representantes, que investiga os esforços sem precedentes do então presidente para reverter o resultado da eleição."Essas notas escritas a mão mostram que o presidente Trump ordenou diretamente que a principal instituição legal do nosso país tomasse medidas para anular uma eleição livre e justa nos últimos dias de sua presidência", indicou a presidente do comitê, Carolyn Maloney, em comunicado."Apenas diga que a eleição foi corrupta e deixe o resto comigo", disse Trump ao então procurador-geral em exercício, Jeffrey Rosen, de acordo com as notas de sua conversa com o presidente. Rosen respondeu a Trump naquela conversa extraordinária de 27 de dezembro de 2020, que o DoJ havia investigado suas acusações de fraude eleitoral e não havia encontrado provas."Entenda que o Departamento de Justiça não pode 'estalar os dedos' e mudar o resultado da eleição, não é assim que funciona", disse Rosen a Trump, de acordo com as notas tomadas pelo vice-procurador-geral, Richard Donoghue. Mas Trump estava desesperado para reverter sua derrota em novembro para o democrata Joe Biden.A pressão sobre Rosen aconteceu dias depois de Trump demitir o procurador-geral Bill Barr por se recusar a aceitar suas acusações de fraude eleitoral. O jornal "Washington Post" noticiou ontem que, depois que Rosen substituiu Barr, Trump o procurou "quase todos os dias" para pressioná-lo sobre a alegação de fraude.O então presidente disse a Rosen que ele poderia ser substituído pelo advogado de nível inferior do Departamento de Justiça Jeffrey Clark, que, de acordo com relatórios posteriores, ajudou o presidente a traçar um plano para destituí-lo. Segundo esses relatórios, Clark apoiou as acusações de fraude de Trump, embora nunca tenham surgido provas de irregularidades significativas em nenhum dos estados ou distritos que deram a Biden a vitória na eleição. Veja Mais

Tesouro dos EUA ordenou apresentação de declarações fiscais de Trump ao Congresso

em - Internacional O Departamento de Justiça dos Estados Unidos ordenou nesta sexta-feira (30) que o Tesouro entregue as declarações fiscais de Donald Trump ao Congresso, em um desdobramento de uma investigação de 2019 sobre as finanças do ex-presidente. O Departamento considerou que o Comitê da Câmara de Representantes que busca obter seis anos de registros fiscais de Trump - que alguns acreditam conter contabilidade questionável - tem motivos legítimos para vê-los."O acesso às declarações de impostos do ex-presidente Trump é uma questão de segurança nacional", disse a presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi. "O povo americano merece saber os fatos dos preocupantes conflitos de interesse (de Trump) e como ele minou nossa segurança e democracia como presidente." A decisão do Departamento de Justiça é a segunda derrota legal de Trump neste ano contra seus esforços para evitar a publicação de suas declarações de impostos, que incluem ativos, receitas e pagamentos de impostos. Em fevereiro, a Suprema Corte recusou-se a suspender o pedido de um promotor de Nova York, que investigava suas empresas e investimentos financeiros pessoais, para acessar as declarações de impostos do ex-presidente.Embora, nesse caso, os registros sejam protegidos contra divulgação ao público. Se as declarações forem entregues à comissão especial da Câmara - como parte de uma investigação do IRS, o serviço de receita do governo federal - há uma chance muito maior de que sejam divulgados. Todos os presidentes americanos desde Richard Nixon, que assumiu o cargo em 1969, tornaram públicas suas declarações de impostos e patrimoniais. Mas mesmo antes de ser eleito presidente, Trump se recusou a divulgar dados sobre sua renda, alegando que seus registros estavam "sob auditoria" do IRS.Se for verdade, essa auditoria ainda estava incompleta quando Trump deixou o cargo em 20 de janeiro, um tempo extraordinariamente longo para que tal processo ainda estivesse em andamento. Enquanto isso, os departamentos do Tesouro e da Justiça, na época liderados por partidários de Trump, resistiram às intimações para entregar os registros, forçando a comissão a levar o caso ao tribunal. O presidente do comissão, Richard Neal, argumentou que seus membros precisavam das declarações para entender como o IRS conduz suas auditorias presidenciais e se Trump havia exercido "influência indevida" sobre a agência. "Sem uma revisão das declarações (fiscais) solicitadas, a comissão não pode garantir que o processo de auditoria do IRS está funcionando de forma justa e eficaz, ou entender como as disposições do código tributário estão implicadas nas declarações do presidente Trump, ou (...) determinar se mudanças no código podem ser justificadas ", disse o painel em 2019. Por trás dessas perguntas estão as suspeitas de que Trump manipulou o código tributário para pagar muito pouco, violando as leis tributárias, conforme alegado na investigação de Nova York. Veja Mais

Amanda Knox acusa novo filme de faturar com seu trágico caso

em - Internacional A atriz americana Amanda Knox, que ganhou fama depois de estar no centro de um caso criminal de alto perfil no qual foi absolvida, acusou um novo filme de "lucrar" com seu caso."Stillwater", que estreia nos cinemas dos Estados Unidos nesta sexta-feira (30), conta a história de um americano (Matt Damon) que viaja à França para tentar ajudar sua filha (Abigail Breslin), presa após ser acusada do assassinato de sua amiga - a quem ela afirma não ter matado. Nessa tarefa, recebe ajuda de uma francesa (Camille Cottin).Seu diretor, Tom McCarthy, disse ter se "inspirado" vagamente no caso em que Amanda Knox estava envolvida, embora afirma que seu roteiro é diferente.Knox, agora com 34 anos, irrompeu em uma série de mensagens em sua conta do twitter na quinta-feira: "Meu nome me pertence? Meu rosto? E quanto à minha vida? Minha história? Por que meu nome se refere a eventos dos quais não participei? Volto a essas perguntas porque outras pessoas continuam a se beneficiar com meu nome, rosto e história sem meu consentimento. Mais recentemente, o filme #STILLWATER", escreveu Knox.A atriz e seu namorado Raffaele Sollecito foram condenados pelo assassinato de sua colega de quarto britânica Meredith Kercher em Perugia, Itália, em 2007, enquanto as duas mulheres estudavam lá.O julgamento foi uma sensação da mídia em ambos os lados do Atlântico e Knox passou quatro anos na prisão antes de sua condenação ser anulada em 2015.Segundo o diretor do filme, sua ideia era "deixar o caso Amanda Knox para trás" e que o argumento foi simplesmente feito "em torno" da história de uma estudante americana no exterior que está envolvida em um crime "sensacional" e acaba sendo presa.Mas Knox apontou uma declaração da revista Vanity Fair, que observa que o filme "é diretamente inspirado na saga de Amanda Knox".E, precisamente, Knox diz que a "saga" se refere ao assassinato de Meredith Kercher por um homem chamado Rudy Guede, condenado a 16 anos de prisão pelo crime em um julgamento separado na Itália em 2008. Então, a história se torna "sobre uma mulher americana que NÃO estava envolvida em um crime sensacional e ainda foi condenada injustamente", ela tuitou. Veja Mais

Mulher dirigiu por meses nos EUA com corpos dos sobrinhos no porta-malas

O Tempo - Mundo A polícia parou seu veículo por excesso de velocidade na quarta-feira e decidiu confiscar o automóvel Veja Mais

Quase 300 palestinos feridos em confrontos com Exército israelense na Cisjordânia

em - Internacional Cerca de 270 palestinos ficaram feridos na Cisjordânia nesta sexta-feira (30) em confrontos com soldados israelenses durante protestos contra a colonização de Israel e no funeral de um jovem palestino morto na quinta-feira, disse a Cruz Vermelha Palestina. Os distúrbios mais graves ocorreram em Beita (norte), perto de Nablus, onde desde maio são comuns confrontos entre as forças de Israel e moradores que se manifestam contra a instalação de uma colônia próxima à cidade. A maioria dos palestinos foi ferida pela inalação de gás lacrimogêneo, embora 50 deles tenham sido atingidos por balas de borracha e sete por balas reais, disse a Cruz Vermelha.De acordo com o Exército de Israel, cerca de 150 palestinos atiraram pedras e pneus em chamas nos soldados, que responderam com "meios antidistúrbios" e disparos. Conflitos semelhantes deixaram 320 feridos na semana passada, segundo a Cruz Vermelha, e um palestino de 17 anos foi morto após ser baleado por militares. Nesta sexta-feira, também houve tumultos no funeral de um palestino de 20 anos, morto no dia anterior durante confrontos com soldados palestinos no funeral de outro adolescente palestino. A Cisjordânia é um enclave palestino ocupado por Israel desde 1967 e onde 470.000 israelenses vivem em colônias consideradas ilegais pelo direito internacional. Veja Mais

Justiça da UE rejeita apelação de deputados catalães e retira sua imunidade

em - Internacional O Tribunal Geral da União Europeia rejeitou, nesta sexta-feira (30), uma ação para suspender o levantamento da imunidade parlamentar do líder catalão e eurodeputado Carles Puigdemont e seus colegas de bancada Toni Comín e Clara Ponsatí.Esta determinação revoga uma decisão provisória adotada em 2 de junho de manter temporariamente a imunidade dos três eurodeputados, que são exigidos pela Espanha devido à tentativa de independência da Catalunha em 2017.O Parlamento Europeu suspendeu sua imunidade em março e os três parlamentares apelaram à Justiça europeia, alegando o "risco real e iminente" de serem "detidos e presos", além de problemas de procedimento.Em 2 de junho, o Tribunal Geral aceitou as medidas provisórias exigidas pelos eurodeputados, mas nesta sexta-feira decidiu que os argumentos apresentados pelos legisladores não comprovavam os temores expressos."Não há razão para considerar que as autoridades judiciais belgas ou as autoridades de outro Estado-membro poderiam executar as ordens de prisão europeias emitidas contra os deputados e entregá-los às autoridades espanholas", afirmou.No caso particular de Ponsatí, a decisão mencionou que sua detenção e entrega às autoridades do Reino Unido (onde viveu até o ano passado) seria "hipotética".Na decisão, o Tribunal observou que "os deputados não demonstraram que poderiam estar sujeitos a uma prisão iminente", nem que sua prisão e eventual entrega à Espanha "eram previsíveis com um grau de probabilidade suficiente".Além disso, a própria decisão do Tribunal menciona que um "pedido de decisão prejudicial" apresentado pelo Supremo Tribunal espanhol - como resultado da recusa belga de extraditar outro líder catalão, Lluís Puig - tinha temporariamente suspendido as ordens de prisão dos três legisladores.O advogado dos três eurodeputados catalães, Gonzalo Boye, disse nesta sexta-feira no Twitter que "se a situação mudar, serão avaliados novas ações cautelares".No entanto, o Tribunal alertou que, sobre a ação mais geral contra a decisão do Parlamento Europeu, adotará sua "decisão definitiva sobre o mérito desta questão em uma data posterior".Os três legisladores "mantêm a possibilidade de ajuizar uma nova ação se, depois dessa ordem, o dano alegado for suficientemente provável", observou a sentença.Isso ocorreria "em particular se eles forem detidos por uma autoridade de execução de um Estado-Membro [da UE] ou se alguma ação for realizada com o objetivo de entregá-los às autoridades espanholas".A Justiça espanhola acusa Puigdemont e Comín de sedição e desvio de verba e a Ponsatí apenas de sedição.O levantamento da imunidade legislativa dos três era a condição necessária para a reativação da análise dos pedidos de extradição à Espanha. Veja Mais

Críticas ao Reino Unido pelas 'condições escandalosas' de acolhida de migrantes

em - Internacional O governo britânico recebeu, nesta sexta-feira (30), críticas de uma deputada pelas "condições escandalosas" de acolhida de demandantes de asilo e outros migrantes, entre eles mulheres com bebês e crianças, no sul da Inglaterra.A deputada trabalhista (oposição) Yvette Cooper, presidente da comissão parlamentar de assuntos internos, expressou suas "graves preocupações" pelas "condições escandalosas" dos migrantes, em uma carta à ministra do Interior Priti Patel publicada nesta sexta.Cooper visitou na terça-feira os locais de acolhida dos migrantes para que sua situação fosse examinada pelos assistentes sociais. Ele descreveu 56 pessoas "amontoadas em uma pequena sala de espera", a maioria delas "sentadas ou encostadas em colchões finos" no chão, incluindo mães com crianças pequenas.A comissão foi informada que nas últimas semanas os migrantes tiveram que esperar até 36 ou 48 horas (para que sua situação fosse analisada), um prazo que, teoricamente, não deveria passar de 24 horas.Segundo ela, apesar dos testes de antígeno usados, há também um "risco evidente" de foco de contágio de coronavírus porque "não há ventilação".Quanto aos locais por onde os migrantes passam quando não estão mais detidos, que na verdade são escritórios, as estadias de vários dias se multiplicam, denuncia a deputada, citando o exemplo de uma jovem obrigada a dormir em um sofá. Um menor não acompanhado passou mais de 10 dias lá, destaca.Contatado nesta sexta-feira pela AFP, o ministério do Interior não fez nenhum comentário de imediato. Segundo a agência de noticias britânica PA, mais de 9.000 migrantes realizaram a perigosa travessia do Canal da Mancha em pequenas embarcações desde o início do ano, mais que o total do ano passado. Cerca de 3.300 chegaram desde o início de julho, um novo recorde para um só mês.O governo britânico, que fez do endurecimento da imigração uma prioridade depois do Brexit, acusa frequentemente a França de não fazer o suficiente para combater essas travessias. Recentemente, o Reino Unido se comprometeu a fornecer 74,5 milhões de dólares em 2021-2022 "para apoiar a França em sua ação de equipamento e de luta contra a imigração irregular", em troca de um reforço das forças de segurança francesas nos litorais, segundo o documento publicado pelo ministério do Interior francês. Veja Mais

Líbano combate incêndios florestais que ameaçam áreas povoadas

em - Internacional Os helicópteros do Exército e os socorristas lutavam nesta sexta-feira (30), pelo terceiro dia consecutivo, contra incêndios que devastam florestas inteiras do norte do Líbano e ameaçam algumas áreas povoadas.O incêndio, declarado na quarta-feira na região de Akar, "se propaga rapidamente por áreas extensas", informou nesta sexta à AFP o ministro de Agricultura, Abas Mortada."O fogo avança em todas as direções" devido aos fortes ventos e alcança inclusive a vizinha Síria, acrescentou.O Exército usa dois helicópteros para tentar conter o fogo, informou a Agência Nacional de Informação (ANI). Na região de Jabal Akrum, os habitantes tiveram que abandonar suas casas durante a madrugada.Na quinta-feira, um cinegrafista da AFP filmou as chamas devorando as árvores no monte de Qubayat, em meio a uma fumaça branca, enquanto os helicópteros lançavam trombas d'água sobre as florestas.Em terra, os voluntários ajudavam os serviços da Defesa Civil. Alguns, sem equipamentos de proteção, sufocavam.O diretor de operações da Defesa Civil libanesa, George Abu Musa, reconheceu nesta sexta-feira que "há algumas áreas que não podemos acessar".O Líbano, imerso em uma grave crise com problemas de liquidez, aguarda a chegada de bombardeiros de água do exterior, principlamente da Grécia e Chipre, segundo Abas Mortada. Na quarta-feira, um voluntário dos bombeiros de 15 anos morreu.Na Síria, o incêndio na região de Quseir, atingida pelo fogo procedente do Líbano, está "completamente apagado", segundo a agência de notícias síria, que cita as autoridades locais. Veja Mais

Cobra pênis da Amazônia é identificada nos EUA e coloca autoridades em alerta

O Tempo - Mundo Como animais não são nativos do país, há preocupação por um possível desequilíbrio Veja Mais

Variante delta ameaça sucesso da China no controle da covid

em - Internacional Um surto de coronavírus na cidade chinesa de Nanjing se propagou para cinco províncias e até Pequim, o que forçou o confinamento de centenas de milhares de pessoas, enquanto as autoridades tentam conter o pior surto de covid-19 em vários meses.A China se gabou de seu sucesso no controle da pandemia dentro de suas fronteiras depois de impor um primeiro confinamento no início de 2020, quando o vírus se propagou a partir de Wuhan. Foi nesta cidade do centro do país que se detectou o coronavírus pela primeira vez.A gestão é afetada agora por um foco da contagiosa variante delta, detectada este mês no aeroporto de Nanjing, na província de Jiangsu (leste), onde foram detectados um total de 184 contágios locais depois que nove trabalhadores do serviço de limpeza testaram positivo em 20 de julho.Outras 206 infecções no restante do país foram vinculadas a este foco.De acordo com uma fonte do departamento de Saúde de Nanjing, Ding Jie, os trabalhadores infectados limparam a cabine de um voo procedente da Rússia em 10 de julho.Centenas de milhares de pessoas foram confinadas na província de Jiangsu. Os 9,2 milhões de habitantes de sua capital, Nanjing, foram submetidos a dois testes de diagnóstico.No distrito Changping de Pequim, 41.000 pessoas foram confinadas após a detecção de dois casos de contágio local, de acordo com as autoridades da capital.Estas infecções são os primeiros casos de transmissão local em Pequim em seis meses.O surto é o mais amplo geograficamente na China em meses e desafia os esforços agressivos do governo para conter o vírus com exames de diagnóstico em larga escala, confinamentos e rastreamento de casos.Em Nanjing, também surgiram dúvidas sobre a efetividade das vacinas locais, pois a maioria dos pacientes infectados havia sido imunizada. Veja Mais

Ex-chanceler e advogada críticos de Ortega são presso na Nicarágua

em - Internacional O ex-chanceler nicaraguense Francisco Aguirre e a ativista dos direitos humanos María Oviedo foram detidos e são investigados por suposta ações contra a soberania da Nicarágua, informaram as autoridades, em uma nova ordem judicial contra críticos do presidente Daniel Ortega.Com Aguirre e Oviedo, o número de opositores detidos desde junho pelo governo de Daniel Ortega chega a 31, cujos partidários presumem que ele buscará um quarto mandato consecutivo nas eleições de 7 de novembro."Denunciamos o sequestro do ex-chanceler Francisco Aguirre, detido sem justificativa pela polícia", escreveu no Twitter o movimento de oposição Unidade Nacional Azul e Branco (Unab), sem informar a data da detenção.O Ministério Público (MP) da Nicarágua disse que pediu a um juiz "a ampliação do período de investigação e detenção judicial" contra o ex-chanceler, e que nesta quinta-feira "o pedido foi aceito e foi anunciada detenção judicial por 90 dias".Aguirre, economista e analista político de 76 anos, está sendo investigado por "supostamente ter cometido atos que minam a independência, soberania e autodeterminação da Nicarágua", ao incitar publicamente "interferência estrangeira nos assuntos internos", segundo a acusação.Ele também é acusado de ter celebrado "a imposição de sanções contra o Estado da Nicarágua e seus cidadãos", aludindo às mais de 130 sanções internacionais adotadas desde 2018 contra funcionários e familiares do presidente Ortega por violação dos direitos humanos.A polícia informou a detenção da advogada María Oviedo, que "esta sendo investigada" pelos mesmos delitos associados a Aguirre.Entre os críticos de Ortega presos estão sete candidatos à presidência: Cristiana Chamorro, Arturo Cruz, Félix Maradiaga, Juan Sebastián Chamorro, Miguel Mora, Medardo Mairena e Noel Vidaurre, além de três ex-guerrilheiros críticos do governo e importantes opositores.Aguirre foi embaixador da Nicarágua nos Estados Unidos e posteriormente chanceler durante o governo do ex-presidente Arnoldo Alemán (1997-2002). Ele também trabalhou no Banco Mundial e é crítico à gestão do governo de Daniel Ortega, no poder desde 2007.Em fevereiro passado, o Parlamento, nas mãos do partido no poder, aprovou uma reforma criminal que permite às autoridades prender, por até 90 dias, pessoas investigadas por um crime. Antes, o prazo era de três dias para apurar, prender e formalizar as denúncias.As acusações contra Aguirre estão cobertas por uma lei aprovada em dezembro passado que sanciona os nicaraguenses "por atos de traição" que "minam a independência e a soberania" e promovem a ingerência estrangeira. Essa lei também impede que os afetados concorram a cargos eleitos pelo voto popular.Os crimes de "traição" à pátria e "violação da soberania" são punidos com pena de 10 a 15 anos de prisão. Veja Mais

Incêndio destrói galpão da Cinemateca Brasileira com 2 mil cópias de filmes

em - Internacional Um incêndio destruiu nesta quinta-feira (29) um galpão da Cinemateca Brasileira em São Paulo que continha cerca de 2 mil cópias de filmes, em um incidente considerado por profissionais do audiovisual uma "tragédia anunciada", devido ao descaso do governo Jair Bolsonaro com as políticas culturais.Quinze caminhões de bombeiros com mais de 50 homens passaram mais de duas horas combatendo as chamas, que destruíram grande parte do prédio, segundo imagens veiculadas na televisão.O incidente teve início por volta das 18h, durante uma operação de manutenção do sistema de ar condicionado, segundo o Corpo de Bombeiros, que indicou que pelo menos duas salas com filmes e outra com arquivos impressos foram destruídas.A rapidez de propagação do fogo se deve aos películas em acetato, material extremamente inflamável, de acordo com relatos.O edifício que pegou fogo não é a sede da Cinemateca, que fica em outro bairro de São Paulo. Esse galpão guardava cópias de filmes, muitos deles raros e às vezes em melhores condições que os originais, segundo especialistas.Nos últimos anos, vários prédios dessa instituição, fundada em 1940, foram afetados por quatro incêndios e uma inundação. Cineastas, artistas e funcionários denunciam há meses uma política de "desmonte" da Cinemateca pelo governo de Bolsonaro.Em julho de 2020, o Ministério Público de São Paulo ajuizou uma ação contra o governo federal por "abandono" da Cinemateca, questionando a retenção de recursos e a ausência de um gestor. No mês seguinte, a instituição parou de funcionar e 41 funcionários foram demitidos.Em abril deste ano, um "Manifesto dos Trabalhadores da Cinemateca Brasileira" alertava para o "risco de incêndio", devido à falta de cuidado com "o acervo, os equipamentos, as bases de dados e a edificação da instituição".O incêndio desta quinta-feira foi "uma tragédia anunciada", disse o crítico de cinema Lauro Escorel à GloboNews.O cineasta Kléber Mendonça denunciou em entrevista à AFP no início deste mês em Cannes, na França, a "sabotagem do sistema de apoio à cultura" e em particular a situação da Cinemateca."Sobre o fechamento da Cinemateca, nem sei como falar. É como se hoje o Brasil não tivesse aceso ao seu álbum de família. A Cinemateca não e só um depósito, é um lugar vivo com a memória do pais", declarou o diretor do Bacurau. Veja Mais

Biden afirma que novas restrições serão impostas nos EUA em função da covid

em - Internacional O presidente americano, Joe Biden, declarou nesta sexta-feira (30) que "com toda a probabilidade" novas medidas de restrição serão impostas em seu país em resposta ao aumento nos casos de covid-19.Quando questionado se os americanos deveriam esperar por novas recomendações ou novas restrições das autoridades de saúde, o presidente respondeu que "com toda a probabilidade", antes de deixar a Casa Branca de helicóptero para o fim de semana.Biden não especificou quais as medidas que poderão ser tomadas.Os Estados Unidos estão expostos a um aumento nos casos de covid-19 devido à disseminação da variante Delta, altamente contagiosa.Biden acrescentou, no entanto, que o país teve "um bom dia" quinta-feira em termos de vacinação."Quase um milhão de pessoas foram vacinadas", anunciou, enquanto seu governo trabalha para reativar a lenta campanha de vacinação."Tenho esperança de que as pessoas estejam começando a perceber como isso é essencial", declarou o presidente.As autoridades de saúde recomendaram esta semana que mesmo as pessoas vacinadas voltem a usar máscaras em ambientes fechados em áreas com altas taxas de infecção.O governo federal também endureceu os regulamentos sanitários para seus milhões de funcionários, que agora devem se vacinar ou usar máscaras e fazer exames regularmente, mesmo em áreas com poucos casos. Veja Mais

Biden volta a sancionar Cuba e promete novas medidas se não houver mudanças drásticas

em - Internacional O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, voltou a sancionar Cuba nesta sexta-feira (30), apontando à Polícia Nacional Revolucionária (PNR) e seus mais altos funcionários, e prometendo novas medidas a menos que haja "mudanças drásticas" na ilha comunista."Haverá mais a menos que haja alguma mudança drástica em Cuba, que não antecipo", disse, ao se reunir na Casa Branca com líderes cubano-americanos após os protestos históricos recentes em dezenas de cidades cubanas.A PNR, assim como seu diretor, Oscar Callejas, e seu subdiretor, Eddy Sierra, foram sancionados por sua participação em "reprimir os protestos pacíficos e pró-democráticos" que eclodiram em 11 de julho no país, segundo um comunicado do Tesouro.Foram acusados de "graves violações dos direitos humanos" e vedados de acessar o sistema financeiro americano em virtude da Lei Global Magnitsky, que permite aos Estados Unidos punir quem tiver cometido abusos de direitos humanos ou atos de corrupção em outros países."A medida de hoje serve para fazer prestar contas os responsáveis de reprimir os chamados do povo cubano à liberdade e o respeito aos direitos humanos", afirmou a diretora do Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC) do Tesouro, Andrea Gacki.Desde o começo dos protestos, em julho, "o regime cubano mobilizou a PNR, uma unidade policial subordinada ao Ministério do Interior cubano, para reprimir e atacar os manifestantes", disse o Tesouro.Ele afirmou que agentes da PNR foram fotografados "confrontando e prendendo manifestantes em Havana, incluindo o Movimento das Mães 11 de Julho, grupo fundado para organizar as famílias dos presos e desaparecidos".Em Camagüey, cidade do centro-leste de Cuba, "um sacerdote católico foi agredido e preso pela PNR enquanto defendia jovens manifestantes", afirmou.Em 11 e 12 de julho, milhares de pessoas foram às ruas em mais de 40 cidades cubanas, dizendo ter "fome" e pedindo o fim da "ditadura", em meio à pior crise econômica da ilha em décadas e de um forte aumento dos contágios e mortes por covid-19. Os protestos, sem precedentes após a revolução que levou ao poder Fidel Castro, em 1959, deixaram um morto e dezenas de feridos.Centenas foram detidos e muitos são acusados de desacato, desordem pública, vandalismo e propagação da pandemia por supostamente irem às ruas sem máscaras.Um funcionário do governo disse em 24 de julho que 59 cubanos tinham sido processados por participar das manifestações.- Cubano-americanos na Casa Branca -Biden, que condenou de imediato a reação de Havana aos protestos e apoiou os manifestantes, insistiu nesta sexta-feira em que a situação em Cuba é "intolerável" devido ao "falido regime comunista"."Os Estados Unidos estão tomando medidas concentradas para impulsionar a causa do povo cubano", disse a membros de destaque da comunidade cubano-americano, entre eles os presidentes dos comitês das Relações Exteriores do Senado, Bob Menéndez, e da Câmara de Representantes, Gregory Meeks, ambos democratas."Quero que saibam que (...) escutamos suas vozes e escutamos os gritos de liberdade que vêm da ilha", assegurou Biden.Participaram do encontro o diretor do Partido Democrata na Flórida, Manny Diaz, o cubano Yotuel Romero, um dos autores de "¡Patria y vida!", que virou um hino dos protestos, bem como ativistas da causa cubana em Miami, como o produtor musical Emilio Estefan, e o empresário Felice Gorordo, diretor-executivo da eMerge Americas. Ao recebê-los, Biden disse que seu governo está avaliando "todas as opções disponíveis" para proporcionar acesso à internet sem "censura" em Cuba, e vendo "como maximizar o fluxo de remessas ao povo cubano sem que os militares cubanos fiquem com uma parte". Também disse que estuda aumentar o pessoal da embaixada americana em Havana.Todas estas iniciativas, já anunciadas na semana passada, são questionadas pela oposição republicana, que não deixa de lembrar que Biden foi o vice-presidente de Barack Obama, o presidente que tentou uma aproximação com Cuba, revertida em seguida por seu sucessor, o republicano Donald Trump."A falta de liderança de Biden é uma vergonha e socava a causa da liberdade em Cuba em todo o mundo", disse o Comitê Nacional Republicano em um comunicado.O governo Biden sancionou em 22 de julho o ministro das Forças Armadas Revolucionárias, Álvaro López Miera, e os "boinas negras", uma unidade antimotins do Ministério do Interior (MININT), mobilizada durante as manifestações.Mas o impacto destas medidas, que se somam ao amplo embargo vigente contra Cuba desde 1962, estima-se muito limitado, especialmente porque o MININT em seu conjunto já estava na lista da OFAC e os funcionários e entidades envolvidos provavelmente não tenham ativos sob jurisdição americana. Veja Mais

Lançamento bem-sucedido do foguete Ariane 5 com o satélite 'flexível' Quantum

em - Internacional Um foguete Ariane 5 decolou com sucesso nesta sexta-feira (30) de Kourou, na Guiana Francesa, para colocar em órbita o primeiro satélite comercial "flexível" de telecomunicações da Eutelsat, chamado Quantum.Além do Quantum, o foguete francês transportava também um satélite da brasileira Embratel.O satélite europeu de telecomunicações permitirá aos clientes da empresa francesa Eutelsat reconfigurá-lo em tempo real e será modulável, tanto em área de cobertura, quanto em potência e frequência. A missão, lançada às 18h locais (mesmo horário em Brasília), demorou pouco mais de 30 minutos para colocar os dois satélites em órbita, com cerca de quatro minutos de intervalo. O Etelsat Quantum, será o primeiro no mundo capaz de modular a área de cobertura e a potência de seus feixes de telecomunicações, conforme as necessidades do cliente. O outro satélite de telecomunicações lançado é o Star One D2 que, com suas seis toneladas, é o maior pedido da Embratel. Encomendado há cinco anos, o Eutelsat Quantum é fruto de uma parceria público-privada envolvendo a Agência Espacial Europeia, a operadora Eutelsat e a Airbus Defense and Space. É grande a expectativa da operadora europeia sobre a nova tecnologia apresentada como inédita mundialmente. Cada um dos oito feixes Quantum será ajustável, tanto em área de cobertura quanto em potência e frequência, "em poucos minutos", por meio de um programa que é entregue ao cliente, segundo a Eutelsat.Esta flexibilidade de utilização permitirá, por exemplo, garantir cobertura móvel para aviões, navios ou serviços governamentais em caso de catástrofes naturais ou eventos específicos. Também abre caminho para uma produção mais próxima da série de satélites, que até então eram objetos únicos. "A Quantum está na vanguarda das soluções de software para dispositivos espaciais comerciais, pois somos os primeiros a responder à demanda do mercado com extrema flexibilidade do cliente", disse Elodie Viau, diretora de telecomunicações e aplicações integradas da Agência Espacial Europeia. O lançamento deste primeiro Ariane 5 do ano será seguido por mais dois Arianes, além de um Vega e um Soyuz neste verão, lembrou o presidente da Arianespace, Stéphane Israël. Veja Mais

Biden anuncia sanção à Polícia Nacional Revolucionária de Cuba

em - Internacional Os Estados Unidos anunciaram nesta sexta-feira, 30, sanções à Polícia Nacional Revolucionária (PNR) de Cuba e dois de seus líderes, com o presidente americano Joe Biden afirmando que mais punições serão aplicadas se não houver uma "mudança drástica" na ilha.Em nota, o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou sanções ao PNR, a seu diretor Óscar Callejas Valcarce e a seu vice-diretor, Eddy Sierra Arias, por seu suposto papel na repressão aos protestos antigovernamentais de 11 de julho.As sanções bloqueiam quaisquer ativos que Callejas, Sierra ou membros do PNR possam ter sob jurisdição dos Estados Unidos e proíbem aqueles nos Estados Unidos de negociar com eles, com base na lei Magnitsky.O anúncio veio uma hora antes de Biden dar as boas-vindas na Casa Branca a um grupo de americanos de raízes cubanas, reunião em que planejava anunciar medidas sobre o acesso à Internet na ilha e, possivelmente, o envio de remessas para Cuba, um alto funcionário dos EUA disse a repórteres."Vamos anunciar medidas para melhorar a conexão à Internet na ilha, para garantir que apoiamos a capacidade das pessoas de se comunicarem e receberem informações, que é algo que deve ser tratado como um direito humano", disse o oficial, que pediu anonimato, em entrevista coletiva por telefone.Esta é a segunda rodada de sanções que o governo Biden impôs em relação aos protestos antigovernamentais sem precedentes de 11 de julho em Cuba.Na quinta-feira passada, o Tesouro sancionou o ministro das Forças Armadas Revolucionárias (FAR) de Cuba, Álvaro López-Miera, e uma unidade militar de elite popularmente conhecida como "vespas negras" ou "boinas negras".Biden disse então que essas sanções eram "apenas o começo" de sua resposta àqueles que supostamente reprimiram os protestos deste mês, e a citada autoridade norte-americana disse nesta sexta-feira que as novas restrições buscam manter ativa "a conversa sobre os direitos dos cubanos". (Com agências internacionais) Veja Mais

Trump pressionou Departamento de Justiça a declarar que eleição foi fraudada

O Tempo - Mundo O registro da pressão de Trump sobre o DoJ uma semana antes de apoiadores seus invadirem o Capitólio Veja Mais

Biden indica cargos-chave de sua política externa para a América Latina

em - Internacional O presidente americano, Joe Biden, nomeou esta semana dois cargos-chave de sua política externa para a América Latina e o Caribe, que agora o Senado deve confirmar.Francisco Mora, um acadêmico que foi vice-secretário-adjunto de Defesa para o Hemisfério Ocidental durante o governo Barack Obama, e Julissa Reynoso, atual chefe de gabinete da primeira-dama, Jill Biden, são os escolhidos pelo presidente democrata para chefiar a Organização de Estados Americanos (OEA) e a embaixada na Espanha, respectivamente.Se forem ratificados, Mora e Reynoso podem proporcionar a Washington uma liderança maior em uma região castigada pela covid-19 e sacudida pelos recentes protestos em Cuba, o assassinato do presidente do Haiti, a repressão de opositores na Nicarágua e a crise na Venezuela, além de ondas migratórias, manifestações em massa e processos eleitorais contestados.Tanto Mora quanto Reynoso têm origem latino-americana e falam espanhol fluentemente.Mora, mais conhecido como Frank do que como Francisco, é um cubano-americano nascido e criado em Miami, professor de políticas públicas da Universidade Internacional da Flórida (FIU), e um apoiador declarado de Biden na campanha eleitoral de 2020.Doutor em Assuntos Internacionais da Universidade de Miami, estudou em universidades de Peru e Costa Rica e foi premiado pelo Pentágono por Serviço Público Excepcional, ressaltou a Casa Branca ao anunciar sua nomeação na quinta-feira.Reynoso é uma advogada e diplomata nascida na República Dominicana que emigrou ainda criança para Nova York. Foi embaixadora dos Estados Unidos no Uruguai durante o governo de Barack Obama e também atuou como subsecretária-adjunta de Estado para Assuntos do Hemisfério Ocidental no Departamento de Estado comandado por Hillary Clinton. A Casa Branca destacou na terça-feira que Reynoso, doutora em Jurisprudência pela Universidade de Columbia, com estudos em Harvad e Cambridge, publicou muitos artigos em inglês e espanhol sobre direito comparado, reforma regulatória e política migratória.- "Outra bofetada" - A nomeação de Mora para a OEA, uma organização dividida nos últimos anos pela crise venezuelana, é considerada um sinal do interesse do governo Biden no restante do continente."Poucos especialistas em América Latina e Caribe são tão respeitados quanto Mora. Ele tem um conhecimento profundo da região, uma experiência impressionante em política e excelentes credenciais acadêmicas. Também tem perspicácia política", avaliou Michael Shifter, presidente do centro de reflexão Diálogo Interamericano."Será um jogador-chave" na OEA, afirmou à AFP, destacando que sua nomeação é "sábia e bem-vinda" e, dada a comoção na região, "precisa ser confirmada o mais rapidamente possível".Mas a ratificação, que requer o aval do Comitê de Relações Exteriores do Senado antes de ir a plenário, pode se complicar."Nomear Frank Mora, um defensor declarado de se envolver com o regime de Cuba, para ser o embaixador dos Estados Unidos na OEA é uma bofetada para os cubanos que exigem liberdade", tuitou o republicano Marco Rubio, o membro de mais alto escalação do Subcomitê do Hemisfério Ocidental do Senado.Mora sucederia ao embaixador de Donald Trump na OEA, Carlos Trujillo, um cubano-americano muito próximo de Rubio.Reynoso, que segundo Shifter "poderia ser útil para envolver a Espanha tanto para pressionar quanto para coordenar qualquer negociação em prol de uma transição democrática na Venezuela", recebeu um forte impulso da primeira-dama."Em vista de sua experiência e seu coração, não posso pensar em ninguém melhor do que Julissa para nos representar na Espanha e em Andorra", tuitou Jill Biden, esposa do presidente. "Tem sido uma líder e amiga excepcional e incrível", destacou.- Outras decisões importantes -Outra nomeação importante para a região, a do experiente político Ken Salazar como embaixador no México, foi abordada esta semana no Comitê de Relações Exteriores do Senado. Mas o painel presidido pelo influente senador democrata Bob Menéndez ainda não marcou data para votá-la.Nomeado em junho por Biden, Salazar, ex-secretário do Interior de Obama, terá a tarefa de cultivar a até agora fria relação com o presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador."É hora de criar uma mudança transformadora na relação México-Estados Unidos, marcando o começo de uma nova era de associação com nosso vizinho do sul", disse, durante a audiência da quarta-feira.Salazar, que assim como Mora trabalhou na campanha presidencial de Biden para atrair o voto latino, se identifica como mexicano-americano, embora seus antepassados fossem colonos espanhóis que fundaram Santa Fe, no hoje estado mexicano do Novo México, no século XVI.O Comitê de Relações Exteriores do Senado ainda deve confirmar Brian Nichols como vice-secretário de Estado para Assuntos do Hemisfério Ocidental, nomeado em março, e que poderia se tornar o primeiro afro-americano no cargo em mais de quatro décadas. Veja Mais

Dois mortos em ataque contra petroleiro na costa de Omã que Israel atribui ao Irã

em - Internacional Dois membros da tripulação de um petroleiro morreram durante um ataque na quinta-feira (29) na costa de Omã, anunciou nesta sexta-feira (30) o operador naval Zodiac Maritime, propriedade de um bilionário israelense, destacando que a tripulação recuperou o controle.Um alto funcionário de Israel atribuiu o ataque ao Irã, uma possibilidade também levantada por especialistas. Ele ocorreu em uma área estratégica onde embarcações israelenses já sofreram este tipo de incidente no passado.Teerã "semeia violência e destruição" e "não é um problema apenas para Israel, mas para todo o mundo. Seu comportamento ameaça a navegação e o comércio mundial", acrescentou o oficial israelense. "Nossa campanha contra eles (o Irã) continuará", acrescentou."Com uma grande tristeza, fomos informados que o incidente a bordo do Mercer Street' gerou a morte de dois membros da tripulação: um romeno e um britânico", disse no Twitter a Zodiac Maritime, uma empresa internacional com sede em Londres. "Podemos confirmar que o Mercer Street' agora volta a navegar sob controle da tripulação para um lugar seguro e com escolta naval dos Estados Unidos", afirmou o grupo, que pertence ao empresário israelense Eyal Offer, considerado a 197ª pessoa mais rica do mundo, segundo a Forbes.Segundo o portal de operações marítimas UKMTO, um órgão de combate à pirataria que depende da Marinha britânica, o ataque ocorreu às 15h00 (horário de Brasília) a cerca de 152 milhas náuticas (280 quilômetros) das costas de Omã.O britânico morto trabalhava para a empresa de segurança Ambrey, cujo porta-voz confirmou a morte "trágica" de seu funcionário em um "incidente de segurança".Um porta-voz do ministério da Defesa britânico também disse que seus quartéis-generais na região "estão atualmente investigando" os fatos."No momento do incidente, a embarcação se encontrava no norte do oceano Índico" e navegava sem carga a partir de Dar es Salaam, na Tanzânia, com destino a Fujaira, uma cidade costeira dos Emirados Árabes Unidos, informou o operador naval, que administra o navio japonês atacado.- "Escalada significativa" -O mar de Omã está localizado entre Irã e Omã, onde se encontra o estratégico Estreito de Ormuz, pelo qual transita boa parte do petróleo mundial e onde está presente uma coalizão liderada pelos Estados Unidos.Os navios que passam pela região costumam sofrer ataques de pirataria há uma década, mas esses incidentes se reduziram significativamente nos últimos anos, após o reforço das patrulhas das forças navais de vários países.O especialista em segurança Meir Javedanfar, da universidade israelense IDC, afirmou à AFP que "muito provavelmente" o Irã - arqui-inimigo de Israel - está por trás deste ataque."O ataque do 'MT Mercer Street' é agora considerado o quinto ataque a uma embarcação vinculada a Israel", disseram em um comunicado os analistas da Dryad Global, uma empresa britânica especializada em segurança marítima, descrevendo-o como "retaliação na guerra das sombras entre as duas potências".Dois navios da operadora israelense Ray Shipping já sofreram ataques atribuídos ao Irã este ano, enquanto Teerã acusa Israel de estar por trás da explosão de 11 de abril no complexo nuclear de Natanz.No entanto, a morte de dois membros da tripulação "representa uma escalada significativa", reconheceu Dryad Global.Esta empresa de segurança marítima alertou para um aumento do perigo para os navios comerciais iranianos ou israelenses que navegam pelo Golfo.ZODIAC AEROSPACETwitter Veja Mais

Jean-Pierre: EUA têm ferramentas para lidar com vírus, país não retomará lockdown

em - Internacional Os Estados Unidos têm as ferramentas para combater o novo coronavírus, incluindo a sua variante Delta, e por isso o país não retomará bloqueios à circulação de pessoas e restrições à atividade, segundo afirmou a vice-secretária de imprensa da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, durante coletiva de imprensa nesta sexta-feira, 30."Precisamos fazer com que mais pessoas se vacinem contra a covid-19. Esta é a chave", disse Jean-Pierre, que ressaltou os riscos impostos pela cepa delta, mais contagiosa, inclusive entre pessoas já imunizadas contra a doença.De acordo com a vice-secretária, a média diária de americanos que receberam a primeira dose das vacinas subiu 30% no decorrer desta semana, que também foi a terceira seguida em que os Estados com maiores taxas de transmissão foram também os que distribuíram mais doses. Além disso, Jean-Pierre também afirmou que mais de 500 mil americanos foram imunizados hoje, maior taxa diária desde 1º de julho. Veja Mais

Mulher dirigiu por meses nos EUA com corpos dos sobrinhos no porta-malas

em - Internacional Uma motorista americana foi presa com os corpos de seu sobrinho e sobrinha no porta-malas de seu carro, anunciou a polícia nesta sexta-feira (30), após a descoberta macabra durante uma blitz de rotina.Nicole Johnson, da cidade de Baltimore, na costa leste, enfrenta várias acusações, que incluem abuso infantil resultante na morte da menina de sete anos e do menino de cinco.A mulher de 33 anos colocou o corpo de sua sobrinha em uma mala de viagem e a guardou no porta-malas em maio do ano passado, mas continuou usando o carro com normalidade, segundo o jornal The Baltimore Sun.Um ano depois, a tia juntou o corpo do menino ao da irmã em decomposição, envolvendo-o em um saco plástico, acrescentou.A polícia parou seu veículo por excesso de velocidade na quarta-feira e decidiu confiscar o automóvel quando viu que ela não tinha os documentos corretos.Segundo o jornal, um policial disse a Johnson que o carro iria ser rebocado e ela respondeu: "Não importa, não estarei aqui em cinco dias"."Todos me verão no noticiário fazendo minha grande estreia", acrescentou.Em 2019, as duas crianças foram confiadas ao cuidado de Johnson por parte de sua irmã.Johnson admitiu durante o interrogatório que agrediu sua sobrinha várias vezes, o que fez com que a menina batesse a cabeça no chão. No entanto, não explicou como o menino morreu, segundo o jornal Baltimore Sun. Veja Mais

Regulador europeu aprova aumento de produção da vacina Moderna nos EUA

em - Internacional A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) aprovou, nesta sexta-feira (30), um aumento da produção de substâncias ativas da vacina Moderna em dois laboratórios nos Estados Unidos, o que deveria aumentar a oferta do imunizante contra a covid-19 na UE."No terceiro trimestre de 2021, a rede de suprimentos dos EUA fornecerá 40 milhões de doses da vacina no mercado europeu", disse o regulador europeu em um comunicado.Depois de aprovar a comercialização condicional da vacina Spikevax (Moderna) no Velho Continente, o Comitê de Medicamentos para Uso Humano da EMA autorizou quatro fábricas a produzirem as substâncias ativas deste imunizante, duas delas nos Estados Unidos e as outras duas na Suíça.O regulador europeu já havia autorizado em junho a produção nos laboratórios ModernaTX de Norwood (Massachusetts) e no Lonza Biologics em Portsmouth (New Hampshire) para aumentar o fornecimento de vacinas na União Europeia, onde 70% da população adulta recebeu ao menos uma dose da vacina contra o coronavírus e mais da metade dos adultos (57%) já recebeu as duas doses, anunciou nesta semana a Comissão Europeia.A EMA já autorizou em 23 de julho o uso da vacina da Moderna para os adolescentes entre 12 e 17 anos nos países da UE. Veja Mais

Dois mortos em ataque contra navio petroleiro na costa de Omã

em - Internacional Dois membros da tripulação de um petroleiro morreram durante um ataque na quinta-feira (29) nas costas de Omã, anunciou nesta sexta-feira (30) o operador naval Zodiac Maritime."Com uma grande tristeza, fomos informados que o incidente a bordo do Mercer Street' gerou a morte de dois membros da tripulação a bordo: um romeno e um britânico", disse no Twitter a Zodiac Maritime, uma empresa internacional com sede em Londres. Segundo o portal de operações marítimas UKMTO, um órgão de combate à pirataria que depende da Marinha britânica, o ataque ocorreu às 15h00 (horário de Brasília) a cerca de 152 milhas náuticas (280 quilômetros) das costas de Omã."Nossa primeira preocupação continua sendo a segurança e o bem-estar de todos aqueles que estão a bordo e aqueles afetados pela situação", continuou o operador, destacando que uma investigação está em andamento para estabelecer as circunstâncias dos fatos. Veja Mais

Austrália abrirá fronteiras quando 80% de seus cidadãos estiverem vacinados

em - Internacional A Austrália reabrirá suas fronteiras e aliviará as restrições quando vacinar completamente 80% de sua população, disse nesta sexta-feira (30) o primeiro-ministro Scott Morrison.Um ano e meio depois que a Austrália se isolou do resto do mundo afetado pela pandemia, fechando suas fronteiras de entrada e saída, Morrison revelou uma série de objetivos que poderiam começar a serem alcançados no final do ano e que permitiriam aliviar suas severas restrições.Apesar de ter transformado o país em uma espécie de fortaleza e dos vários confinamentos, cerca de seis milhões de australianos continuam confinados em casa, a maioria em Sydney, enquanto as autoridades tentam voltar à meta de zero casos de covid.Morrison afirmou que quando chegar a 70% da população vacinada, os imunizados poderão evitar algumas das restrições domésticas e será permitido o acesso para estudantes de intercâmbio e pessoas com vistos econômicos."Acredito que podemos chegar lá no final de ano", disse.Quando alcançar 80%, os australianos vacinados poderão voltar a viajar ao exterior e as fronteiras serão reabertas para cidadãos de países seguros que tenham recebido uma das vacinas aprovadas pelas autoridades nacionais.Morrison, que busca a reeleição no próximo ano, evitou definir um prazo para essas medidas, insistindo que dependerá dos australianos.Até o momento, apenas 14% de seus 25 milhões de cidadãos está completamente vacinado.A rigorosa política australiana conseguiu que apenas 34.000 pessoas se contagiassem com covid-19 desde o início da pandemia. Por outro lado, também causou o primeiro declínio populacional desde a Primeira Guerra Mundial, deixou dezenas de milhares de cidadãos expatriados sem poderem voltar aos seu países e está prejudicando uma economia já instável.ASTRAZENECAPFIZER Veja Mais

Primeiro julgado por lei de segurança nacional em Hong Kong pega 9 anos de prisão

em - Internacional A primeira pessoa condenada de acordo com a lei de segurança nacional imposta pela China em Hong Kong foi sentenciada a nove anos de prisão nesta sexta-feira, 30, em um caso observado de perto como um termômetro de quão estritamente os juízes do território semiautônomo farão cumprir a legislação.Tong Ying-kit, de 24 anos, foi declarado culpado na última terça-feira (27) por incitar a secessão e cometer atividades terroristas. Durante os protestos de rua em 1º de julho do ano passado - o aniversário da transferência da cidade do domínio britânico para o chinês e um dia após a lei entrar em vigor -, ele dirigiu uma motocicleta que colidiu com policiais. O manifestante carregava uma bandeira com o lema de protesto popular "Liberte Hong Kong, Revolução do Nosso Tempo", que o governo local declarou mais tarde conter proibidas conotações pró-independência.Pequim impôs a lei para conter a dissidência depois que distúrbios antigovernamentais se espalharam pela cidade por meses em 2019. A maioria dos principais políticos e ativistas pró-democracia da cidade já foram presos ou exilados. A repressão atraiu críticas de dentro e fora de Hong Kong, mas as autoridades se irritaram com o que chamaram de hipocrisia ocidental, dizendo que a lei trouxe estabilidade e que todo país tem o direito de proteger sua soberania. Fonte: Dow Jones Newswires. Veja Mais

Reator chinês fechado para 'manutenção' após discussões com engenheiros franceses

em - Internacional O operador chinês China General Nuclear Power Group (CGN) anunciou, nesta sexta-feira (30), o fechamento "para manutenção" da central nuclear EPR de Taishan na China, que teve uma falha há um mês e meio, aumentando o medo de um vazamento de radiotividade."Depois de conversas entre as equipes técnicas francesa e chinesa, a Usina de Energia Nuclear de Taishan (...) decidiu fechar a unidade 1 para manutenção", afirmou o CGN em um comunicado.A empresa nuclear francesa Framatome anunciou, no mês passado, um "inconveniente de funcionamento" da usina, depois que a emissora de notícias americana CNN informou sobre um possível vazamento radioativo.Porém, Framatome informou depois que a usina estava "em seu domínio de funcionamento e de segurança autorizado".A usina de Taishan, lançada em 2018, foi a primeira em todo o mundo a operar um reator nuclear EPR de última geração, um projeto com água pressurizada que tem sofrido anos atraso em projetos europeus semelhantes no Reino Unido, França e Finlândia. Veja Mais

Presidente de Israel recebe terceira dose de vacina anticovid

em - Internacional O presidente israelense, Isaac Herzog, recebeu uma terceira dose da vacina anticovid-19 nesta sexta-feira (30), no lançamento de uma campanha em seu país para continuar imunizando pessoas a partir dos 60 anos. "Começamos a campanha de reforço da vacinação", declarou o presidente Herzog, que recebeu sua terceira dose do medicamento da no Hospital Sheba, localizado nos subúrbios de Tel Aviv. Em meados de julho, Israel autorizou a administração de uma terceira dose da vacina para pessoas com imunodepressão grave, ou seja, aquelas cujo sistema imunológico debilitado as torna particularmente vulneráveis ao vírus. Diante de um recente aumento dos casos de covid-19, o primeiro-ministro Naftali Bennett anunciou uma campanha para injetar uma terceira dose em pessoas com 60 anos, ou mais."Israel é o pioneiro, tomando a dianteira com uma terceira dose da vacina para pessoas com 60 anos e mais", disse Bennett, de 49, que acompanhou o presidente Herzog ao hospital nesta sexta-feira. "A única maneira de vencer a covid é agirmos juntos. Juntos significa compartilhar informações, métodos, conselhos, etapas práticas. O Estado de Israel está aberto a compartilhar todas as informações que obterá desta medida audaciosa", acrescentou. De acordo com a Pfizer, que produz a vacina masi usada em Israel, "novos estudos mostram que uma terceira dose tem efeitos neutralizadores contra a variante delta, [que são] cinco vezes mais elevados entre os jovens e mais de 11 vezes entre os mais velhos". Por enquanto, no entanto, a agência responsável pelo setor de medicamentos e alimentos nos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês), cujas recomendações são, em geral, seguidas por Israel, não deu sinal verde para a injeção de uma terceira dose. Veja Mais

Castillo anuncia ex-guerrilheiro como chanceler ao dar posse a seu gabinete

em - Internacional O novo presidente do Peru, Pedro Castillo, empossou nesta quinta-feira (29) como seu chefe de gabinete o legislador Guido Bellido, um engenheiro sem experiência em cargos públicos, e o ex-guerrilheiro Héctor Béjar como chefe da diplomacia, um dia após sua posse em um clima polarizado.O esquerdista Castillo ouviu o juramento durante a noite de 16 novos ministros no Grande Teatro de Lima, 11 horas depois da posse de Bellido em uma cerimônia no local da histórica batalha de Ayacucho, de 9 de dezembro de 1824, que estabeleceu a independência do Peru e do restante da América espanhola.Em um sinal ruim para os mercados, o cargo crucial de ministro das Finanças continua vago, assim como o titular da Justiça, em um gabinete que, além do chefe de Estado, tem 18 membros.Entre os novos ministros se destaca Béjar, advogado e doutor em Sociologia, de 85 anos, fundador em 1962 do Exército de Libertação Nacional, grupo guerrilheiro inspirado na revolução cubana, que atuou na floresta peruana até ser derrotado militarmente alguns anos depois.Detido em 1966 e depois de passar quase cinco anos preso, Béjar foi indultado pelo governo do general Juan Velasco Alvarado, de quem passou a ser colaborador.Apenas duas mulheres integram o gabinete. Uma é a nova vice-presidente peruana, Dina Boluarte, como ministra do Desenvolvimento e Inclusão Social.- Críticas a Bellido -Os presidentes Alberto Fernández da Argentina, Luis Arce da Bolívia e Sebastián Piñera do Chile compareceram à cerimônia na 'Pampa de la Quinua', cenário da batalha de Ayacucho. Também estava presente o ex-presidente boliviano Evo Morales.No local da batalha reuniram-se milhares de moradores, que assistiram à posse de Bellido, de 41 anos, do mesmo partido de Castillo e que se tornou legislador pela primeira vez há seis dias.A mídia peruana informou que o Ministério Público investigou Bellido este ano por suposta "apologia ao terrorismo", por meio de declarações em uma entrevista, antes de assumir sua cadeira no Congresso na sexta-feira, o que lhe concede imunidade. A nomeação de Bellido "é uma mensagem que polariza", reagiu o parlamentar de extrema direita Alejandro Cavero, em declarações à rádio RPP de Lima. Bellido deve comparecer antes de um mês ao Congresso - onde a oposição tem maioria - para pedir um voto de confiança ao novo gabinete. Se for rejeitado, Castillo terá que nomear outro primeiro-ministro e reorganizar o gabinete.Castillo iniciou o mandato de cinco anos em um momento de esperança de milhares de compatriotas, mas também inquietação de boa parte dos peruanos que temem uma guinada para o socialismo após décadas de políticas liberais.Em seu primeiro discurso, Castillo anunciou que enviará ao Congresso um projeto de reforma da Constituição, que favorece o liberalismo econômico e foi promulgada em 1993 pelo presidente Alberto Fujimori, o pai preso de sua adversária no segundo turno, em 6 de junho, Keiko Fujimori.Keiko respondeu dizendo que seu partido, Força Popular, "será um muro de contenção firme em face da ameaça latente de uma nova constituição comunista. "Vamos insistir nessa proposta, mas dentro do marco legal que a Constituição prevê. Teremos que conciliar posições com o Congresso", disse Castillo, cujo partido, Peru Livre, tem apenas 37 das 130 cadeiras. A segunda bancada é a Força Popular, com 24.- "Clima de desconfiança" -Castillo também anunciou que não dirigirá o país a partir do Palácio de Pizarro, a casa do governo, já que pretende transformá-la em museu, e prometeu que no final do mandato retomará suas "tarefas habituais de ensino", sugerindo que não pretende ficar para sempre no poder. A proposta de conversão do Palácio também gerou polêmica e Otero avaliou que "transformá-lo em museu vai exigir uma fortuna". O anúncio da reforma constitucional deixou os empresários preocupados, mas era uma promessa de campanha do professor rural de Cajamarca (norte). A reforma causa "mais instabilidade" e "um clima de desconfiança", disse o chefe da organização peruana de liderança empresarial (Confiep), Óscar Caipo, à rádio RPP. - Guinada na política com a Venezuela -Castillo reiterou em sua primeira mensagem que não fará desapropriações, embora tenha esclarecido que promoverá um "novo pacto com investidores privados". O presidente tem o desafio de reativar uma economia duramente atingida pela pandemia, que despencou 11,12% em 2020, além de acabar com as convulsões políticas que levaram o país a ter três presidentes em novembro de 2020. Horas após a posse de Castillo, o ministro das Relações Exteriores do governo venezuelano de Nicolás Maduro, Jorge Arreaza, chegou a Lima, cuja visita marca uma virada na política externa do Peru, que em 2019 reconheceu o opositor Juan Guaidó como presidente interino venezuelano, como outros 60 países. A Venezuela foi um tema recorrente na campanha no segundo turno, pois a candidata Fujimori afirmou que seu adversário pretendia seguir os passos de Maduro. Castillo negou ser "chavista" ou querer copiar o modelo venezuelano.TwitterIPSOS Veja Mais

Ex-chanceler crítico do presidente Ortega é preso na Nicarágua

em - Internacional O ex-chanceler nicaraguense Francisco Aguirre, opositor do presidente Daniel Ortega, foi "preso sem justificativa", denunciaram ativistas nesta quinta-feira (29), enquanto o Ministério Público anunciou uma ordem de detenção por 90 dias contra o ex-diplomata, o que elevaria a 30 o número de opositores presos antes das eleições de novembro."Denunciamos o sequestro do ex-chanceler Francisco Aguirre, detido sem justificativa pela polícia", escreveu no Twitter o movimento de oposição Unidade Nacional Azul e Branco (Unab), sem informar a data da detenção.O Ministério Público (MP) da Nicarágua disse que pediu a um juiz "a ampliação do período de investigação e detenção judicial" contra o ex-chanceler, e que nesta quinta-feira "o pedido foi aceito e foi anunciada detenção judicial por 90 dias".Aguirre, economista e analista político de 76 anos, está sendo investigado por "supostamente ter cometido atos que minam a independência, soberania e autodeterminação da Nicarágua", ao incitar publicamente "interferência estrangeira nos assuntos internos", segundo a acusação.Ele também é acusado de ter celebrado "a imposição de sanções contra o Estado da Nicarágua e seus cidadãos", aludindo às mais de 130 sanções internacionais adotadas desde 2018 contra funcionários e familiares do presidente Ortega por violação dos direitos humanos.Com Aguirre, o número de opositores detidos desde junho pelo governo de Daniel Ortega chega a 30, cujos partidários presumem que ele buscará um quarto mandato consecutivo nas eleições de 7 de novembro.Entre os presos estão sete candidatos à presidência: Cristiana Chamorro, Arturo Cruz, Félix Maradiaga, Juan Sebastián Chamorro, Miguel Mora, Medardo Mairena e Noel Vidaurre, além de três ex-guerrilheiros críticos do governo e importantes opositores.Aguirre foi embaixador da Nicarágua nos Estados Unidos e posteriormente chanceler durante o governo do ex-presidente Arnoldo Alemán (1997-2002). Ele também trabalhou no Banco Mundial e é crítico à gestão do governo de Daniel Ortega, no poder desde 2007.Em fevereiro passado, o Parlamento, nas mãos do partido no poder, aprovou uma reforma criminal que permite às autoridades prender, por até 90 dias, pessoas investigadas por um crime. Antes, o prazo era de três dias para apurar, prender e formalizar as denúncias.As acusações contra Aguirre estão cobertas por uma lei aprovada em dezembro passado que sanciona os nicaraguenses "por atos de traição" que "minam a independência e a soberania" e promovem a ingerência estrangeira. Essa lei também impede que os afetados concorram a cargos eleitos pelo voto popular.Os crimes de "traição" à pátria e "violação da soberania" são punidos com pena de 10 a 15 anos de prisão. Veja Mais

Chegam a Havana doações de alimentos e remédios do México e da Bolívia

em - Internacional Um navio da Marinha do México e um avião boliviano chegaram a Havana nesta sexta-feira (30) com a primeira parte da ajuda humanitária destinada a Cuba, diante da escassez de alimentos e medicamentos que vive a ilha, em seu pior momento da pandemia.As doações de ambos os países chegam quase três semanas após as manifestações históricas de 11 e 12 de julho estourarem em mais de 40 cidades de Cuba. Coincide também com o anúncio feito nesta sexta de novas sanções a funcionários da polícia cubana pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, por "reprimirem" os protestos.O navio mexicano levou 612,5 toneladas de alimentos como leite em pó, feijão, farinha de trigo e latas de atum. O governo do México informou que a doação inclui suprimentos médicos como seringas, tanques de oxigênio tipo T e máscaras. Outra remessa deve chegar neste sábado. Já o avião boliviano transportou 16,5 toneladas de alimentos e uma tonelada de insumos de biossegurança.Com esse apoio humanitário, México e Bolívia tentam ajudar a aliviar a complexa situação que Cuba enfrenta com o endurecimento das sanções impostas pelos governos de Donald Trump e Joe Biden, assim como devido à pandemia, que tem impedido o turismo na ilha, sua maior fonte de renda.Cuba, que mantinha um baixo índice de contágio pelo novo coronavírus, registra há meses um aumento constante, com um total de 375.721 casos e 2.693 mortos. Veja Mais

Túmulos com vestígios pré-hispânicos encontrados durante obras em Bogotá

em - Internacional Vinte e seis túmulos e restos mortais de indígenas muiscas foram encontrados durante as escavações para a ampliação de uma avenida no sul de Bogotá, informou nesta sexta-feira(30) o Instituto de Desenvolvimento Urbano (IDU), órgão público responsável pela obra. Desde fevereiro, os trabalhadores tinham indícios de que vestígios do povo pré-hispânico poderiam ser encontrados no local, após a localização de um fragmento lítico (pedra arqueológica) e de cerâmica, informou a agência em nota. A partir dessas pistas, "26 túmulos completos, três corpos com contas de colar, quatro vasos inteiros (...)além de fragmentos de cerâmica e líticos", foram localizados, especificou o IDU.Ao fim das escavações, será possível fazer um inventário completo dos objetos e restos mortais que, segundo os especialistas, corresponderiam "à cultura muisca". Antes da chegada dos conquistadores espanhóis, os muiscas viviam seu auge, principalmente na área que hoje pertence aos departamentos de Cundinamarca e Boyacá (centro). Veja Mais

EUA deportam famílias de imigrantes para América Central

em - Internacional Autoridades dos EUA começaram nesta sexta-feira a deportar famílias de imigrantes em voos para a América Central, como parte de um sistema acelerado para expulsar pessoas que chegaram ao país sem autorização a partir do México.As deportações aceleradas são uma tática usada pelos governos republicanos e democratas para desestimular a imigração ilegal, e acontecem em meio ao aumento do número de chegadas.O Departamento de Segurança Nacional (DHS) informou que as famílias foram enviadas de volta a seus países de origem, principalmente Guatemala, El Salvador e Honduras. "O processo de deportação acelerada é um meio legal de gerenciar com segurança a nossa fronteira e é um passo em direção ao nosso objetivo mais amplo de alcançar um processamento da imigração seguro e ordenado", explicou.O número de imigrantes detidos por autoridades americanas que cruzam ilegalmente a fronteira com o México aumentou 4,5% em junho em relação ao mês anterior, apesar das previsões de queda, informaram as autoridades este mês.Legisladores republicanos criticam o presidente Joe Biden por reverter as restrições decididas durante o governo de Donald Trump, incluindo a política de "permanência no México", que forçou milhares de solicitantes de asilo da América Central a permanecer no lado sul da fronteira até que seus pedidos fossem processados.Funcionários do governo Biden anunciaram esta semana planos de usar os voos de deportação acelerados, após um novo aumento do número de famílias centro-americanas sem documentos que cruzam a fronteira. O número de crianças que cruzaram sem os pais ou responsáveis em junho, as quais o governo Biden promete acolher nos Estados Unidos, em vez de devolvê-las ao México, aumentou 8% desde maio, totalizando 15.253, ou mais de 500 por dia. Veja Mais

EUA doam um milhão de doses de vacina anticovid à Tunísia

em - Internacional A Tunísia, que enfrenta uma forte onda de covid-19, recebeu dos Estados Unidos nesta sexta-feira (30) a doação de um milhão de doses de vacinas do laboratório Moderna, anunciou a embaixada de Washington em Túnis."Os Estados Unidos seguirão apoiando o povo tunisiano durante esta crise de saúde. Nosso objetivo é salvar vidas e permitir que vacinas seguras e eficazes estejam disponíveis para o maior número possível de tunisianos", disse o embaixador americano, Donald Blome, em um comunicado.Com os serviços hospitalares sobrecarregados e uma escassez de cilindros de oxigênio, a Tunísia se encontra em situação crítica e com um dos maiores percentuais de mortos por covid-19 do mundo.Segundo dados oficiais, 19 mil pessoas morreram da doença neste país do Norte da África com 12 milhões de habitantes.A China, vários países da Europa e do Golfo já haviam doado vacinas para a Tunísia, que espera vacinar 50% de sua população antes de meados de outubro, segundo as autoridades.A doação dos Estados Unidos chega cinco dias após o presidente tunisiano Kais Saied suspender as atividades parlamentares e tomar o poder executivo.Washington reagiu a estes acontecimentos pedindo ao chefe de Estado que "respeitasse os princípios democráticos e os direitos humanos", embora não tenha exigido a reabertura do Parlamento. Veja Mais

CIDH pede a libertação "imediata" de opositores na Nicarágua

em - Internacional A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) exortou as autoridades nicaraguenses nesta sexta-feira (30) a "liberar imediatamente" os opositores detidos em decorrência da onda repressiva que atravessa o país.A CIDH "insta o Estado da Nicarágua a cessar o assédio às pessoas da oposição, inclusive defensores" dos direitos humanos, e a "liberar imediatamente os detidos arbitrariamente", exigiu o órgão da OEA em seu twitter.Pelo menos 136 dissidentes do governo de Daniel Ortega estão detidos, dos quais 31 foram presos desde junho. Entre eles, estão sete candidatos à presidência da oposição que pretendiam concorrer às eleições de 7 de novembro, indicou o grupo independente "Mecanismo para o reconhecimento de presos políticos".Na quinta-feira, María Oviedo, advogada da ONG local Comissão Permanente de Direitos Humanos (CPDH), foi presa sob a acusação de "minar a soberania" do país, apesar das medidas provisórias que a Corte Interamericana de Direitos Humanos emitiu a favor dela, em 14 de outubro de 2019, disse a CIDH.Em 23 de junho, a presidente da CIDH, Antonia Urrejola, denunciou perante o Conselho Permanente da OEA a existência de "uma nova fase de repressão" na Nicarágua.O país centro-americano aprovou nos últimos meses, por iniciativa do governo Ortega, um conjunto de leis que limitam a liberdade de expressão e que foram qualificadas de "repressivas" pela oposição.Uma delas é a Lei de Defesa dos Direitos do Povo e da Soberania, aplicada a diversos opositores presos, que pune com prisão quem "atenta contra a soberania", promove ingerência estrangeira ou apóia sanções contra Manágua.O governo Ortega, por sua vez, acusou seus opositores de serem "financiados e dirigidos pelos Estados Unidos" que buscam "relançar" o fracassado "golpe de Estado" que, afirma, ocorreu durante os protestos massivos que pediam a renúncia do presidente em 2018.Ortega, um ex-guerrilheiro sandinista de 75 anos, ainda não anunciou oficialmente sua candidatura, embora seus associados e a propaganda partidária visível em lugares públicos suponham que ele buscará a reeleição para um quarto mandato consecutivo.O líder sandinista governou o país entre 1979-1990, voltou ao poder em 2007, onde permanece após duas reeleições consecutivas, a última delas com sua esposa Rosario Murillo, como vice-presidente. Veja Mais

Fechamento dos grãos de soja em Chicago

em - Internacional (Em Fechamento hoje / Fechamento anterior: AGO 21 14,1475 / 14,3425 SET 21 13,5550 / 13,8525 NOV 21 13,4925 / 13,7775 JAN 22 13,5425 / 13,82 MAR 22 13,4775 / 13,7175 Veja Mais

EUA sanciona polícia de Cuba e altos funcionários por 'reprimir' protestos

em - Internacional Os Estados Unidos anunciaram nesta sexta-feira (30) sanções financeiras contra a Polícia Nacional Revolucionária (PNR) de Cuba e seus mais altos funcionários por seu papel em "reprimir os protestos pacíficos e pró-democráticos" realizados na ilha caribenha em 11 de julho.O Departamento do Tesouro informou que seu Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC) bloqueou todas as propriedades e interesses da PNR, assim como de seu diretor, Oscar Callejas, e seu vice-diretor, Eddy Sierra, em virtude da Lei Global Magnitsky, o que permite aos Estados Unidos punir quem tiver cometido abusos aos direitos humanos ou atos de corrupção em outros países. Veja Mais

Tremor de magnitude 6,1 sacode a costa norte do Peru

em - Internacional Um tremor de 6,1 graus de magnitude sacudiu nesta sexta-feira (30) a costa norte do Peru, provocando inquietação entre a população, mas seu causar nem vítimas, nem danos, informaram as autoridades.O tremor foi registrado às 12h10 locais (14h10 de Brasília), com epicentro 12 quilômetros a oeste da cidade de Sullana, na região de Piura (norte), na fronteira com o Equador, a 36 km de profundidade, segundo o Instituto Geofísico.O sismo assustou os moradores das cidades de Sullana e Tumbes, e muitos deles foram às ruas por precaução, segundo a imprensa local."Eu me sinto muito mal", disse à rádio limenha RPP Teresa Lama de Sullana, cidade situada 1.000 km ao norte da capital peruana.A Direção de Hidrografia e Navegação da Marinha de Guerra do Peru descartou que o sismo provoque uma tsunami e a Defesa Civil não reportou vítimas."As autoridades competentes estão avaliando [se há] danos nas áreas mais vulneráveis", informou a Defesa Civil em um comunicado.A agência estatal Andina reportou que houve desabamento parcial na fachada da catedral da cidade de Piura.O Peru é sacudido anualmente por pelo menos uma centena de sismos perceptíveis para a população, pois está situado no chamado Cinturão de Fogo do Pacífico, uma área de ampla atividade sísmica que se estende ao longo da costa oeste do continente americano. Veja Mais

Justiça britânica interrompe construção 'ilegal' de túnel perto de Stonehenge

em - Internacional A justiça britânica julgou "ilegal" nesta sexta-feira (30) a construção de um novo túnel rodoviário próximo ao sítio pré-histórico de Stonehenge, - no sudoeste da Inglaterra - classificado como Patrimônio Mundial da Humanidade, o que interrompe o projeto.O túnel, com cerca de 3 quilômetros de extensão, visa descongestionar um importante eixo rodoviário leste-oeste e tem um custo de 1,6 bilhão de libras (11,39 bilhões de reais).O projeto é muito criticado pela chamada Aliança de Stonehenge, que reúne várias associações.Um painel de especialistas também se opõe ao túnel porque acredita que ele poderia causar "danos permanentes e irreversíveis" ao sítio arqueológico, mas o governo o aprovou no outono passado.A decisão é considerada "ilegal" pelo Juiz David Holgate, que nesta sexta-feira decidiu que o ministro dos Transportes, Grant Shapps, não contemplou soluções alternativas, apesar de o estatuto do Patrimônio Mundial o obrigar a fazê-lo."Estamos extremamente felizes com o resultado deste julgamento", explicou John Adams, diretor do local do Save Stonehenge World Heritage Site (SSWHS).A concessionária Highways England, que conduz o projeto, declarou em um tuíte que está "extremamente decepcionada com a decisão" e indicou que aguardaria o ministério dos transportes "examinar suas opções".Construído em etapas entre aproximadamente 3.000 e 2.300 anos antes de Cristo, Stonehenge é um dos monumentos megalíticos mais importantes do mundo por seu tamanho e precisão arquitetônica.HERITAGE OIL Veja Mais

Americanos vacinados culpam não imunizados por prolongar pandemia

em - Internacional A última onda de covid-19 nos Estados Unidos, impulsionada pela variante Delta, gera frustração entre as pessoas vacinadas, que culpam aqueles que não foram imunizados por prolongar a pandemia e arruinar a possibilidade de um verão (boreal) livre de restrições sanitárias."É quase como se eles não se importassem com o resto do mundo. Eles estão sendo egoístas e egocêntricos", disse à AFP Alethea Reed, administradora de 58 anos, na capital, Washington, D.C.Irritada por não ter conseguido convencer o próprio irmão a se vacinar, Anne Hamon, de 64, diz que a situação é "muito frustrante", principalmente, porque ela e o marido têm condições físicas que os fazem correr mais riscos em caso de contrair a covid-19.Esta semana, os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) recomendaram que as pessoas vacinadas voltem a usar máscara em grande parte do país, alimentando a raiva entre aqueles que acreditam que suas vidas estão sendo alteradas por decisões de outros.Nos EUA, 60,2% dos adultos têm o esquema de vacinação completo, bem abaixo da faixa de 85%-90% considerada necessária pelos epidemiologistas para conter o vírus. As vacinas estão há meses disponíveis no país.E as estatísticas mostram diferenças políticas e regionais marcantes entre aqueles que aceitam e os que rejeitam a vacina anticovid-19: a menor taxa de imunização é encontrada nos estados com voto republicano no sul do país, e a mais alta, no nordeste liberal.Até recentemente, a estratégia com os relutantes às vacinas se concentrava em amenizar suas preocupações, facilitando ao máximo a vacinação e impulsionando a demanda por meio de brindes e sorteios.Mas, agora, "a compreensão se transformou em impaciência, e os incentivos, em consequências", disse à AFP o ex-redator de discursos republicano David Frum, que recentemente escreveu um artigo intitulado "Vaccinated America has had enough" na revista The Atlantic.Na quinta-feira, o presidente Joe Biden anunciou que os milhões de funcionários federais precisariam ser vacinados, ou testados regularmente, e usar máscara, seguindo medidas semelhantes adotadas pelos estados da Califórnia e Nova York.E as empresas também estão seguindo esta tendência, como Facebook, Google, Netflix e Uber, que vão exigir que seus funcionários sejam vacinados.Embora cada um possa ter razões pessoais para duvidar da eficácia das vacinas, "chega um ponto em que, quando você vê uma ação prejudicial, a questão de por que ela está acontecendo se torna menos importante", disse Frum.Em discurso televisionado, Biden reconheceu a frustração dos imunizados: "Muitos de vocês, a maioria, estão frustrados com as consequências da falta de vacinação da minoria".- Trabalhadores da saúde exaustos - Médicos traumatizados, que pensavam que as hospitalizações por covid seriam coisa do passado, começar a fazer discursos carregados de emoção.No Alabama, um estado muito afetado, a dra. Brytney Cobia escreveu uma mensagem que se tornou viral no Facebook. Segundo ela, de todos os seus pacientes, apenas um foi vacinado."Uma das últimas coisas que eles fazem antes de serem intubados é implorar pela vacina. Eu seguro a mão deles e digo que sinto muito, mas é tarde demais", afirmou.Matthew Heinz, um médico de Tucson, no estado do Arizona, disse à AFP que, embora os casos em seu hospital estejam bem abaixo do pico do ano passado, "as pessoas parecem pensar que [a pandemia] acabou, e não é assim", com um fluxo constante de pacientes jovens. No entanto, também há alguns sinais de mudança entre os conservadores.A governadora do Alabama, Kay Ivey, criticou os resistentes às vacinas por falta de "bom senso".O sociólogo em medicina Richard Carpiano, da Universidade da Califórnia em Riverside, disse à AFP que a raiva atual é um sinal encorajador de que, apesar de toda a atenção dos que duvidam das vacinas, a maioria das pessoas "acredita na ciência e sabe o que fazer".FACEBOOKNETFLIXGOOGLE Veja Mais

Rússia e Uzbequistão fazem manobras militares conjuntas na fronteira com Afeganistão

em - Internacional Rússia e Uzbequistão iniciaram, nesta sexta-feira (30), exercícios militares conjuntos perto da fronteira com Afeganistão.Manobras parecidas estão previstas para acontecer no Tadjiquistão, na próxima semana.Moscou advertiu que está "profundamente preocupada" com a situação no Afeganistão, onde os talibãs conseguiram garantir seu domínio em vastas regiões rurais, em meio à retirada das forças americanas.Com unidades russas de manutenção da paz e das forças especiais, as manobras serão no campo de treinamento de Termez, no extremo-sul do Uzbequistão.Cerca de 1.500 militares e 200 veículos participam destes exercícios, que vão até 10 de agosto, segundo o Exército russo.As manobras no Tadjiquistão serão realizadas entre 5 e 10 de agosto e também envolverão Rússia e Uzbequistão.Trata-se de mandar um "sinal" para as populações destas ex-repúblicas da Ásia Central, preocupadas com a situação no vizinho afegão, disse na semana passada à rádio russa o enviado especial do Kremlin para o Afeganistão, Zamir Kabulov."Os acontecimentos no Afeganistão seguem uma pauta de crise. A situação se degrada literalmente a cada dia, e o movimento talibã controla cada vez mais território", advertiu nesta sexta-feira (30) o chefe do serviço de Inteligência exterior russo (SVR), Sergei Naryshkin. Veja Mais

Variante Delta se espalha tão facilmente como varicela, aponta agência dos EUA

O Tempo - Mundo Mídia internacional teve acesso a documentos do Centro de Controle e Prevenção de Doenças que também indicam que vacinados transmitem a variante Veja Mais

O alegre universo paralelo dos gigantes da tecnologia

em - Internacional "A tecnologia venceu hoje, esta semana e o ano todo", resume o analista Daniel Newman, da Futurum Research, após uma semana de resultados trimestrais em grande estilo para Google, Apple, Facebook, Amazon e Microsoft, o chamado "Gafam". O confinamento beneficiou os gigantes da tecnologia, assim como o levantamento progressivo das restrições.As vendas do iPhone aumentaram quase 50% com relação ao ano anterior no segundo trimestre, anunciou a Apple na terça-feira. O grupo também registrou 150 milhões de assinantes em pelo menos um de seus serviços, como o Apple Music, e atingiu a marca de 700 milhões de usuários pagos. As compras online pela Amazon se traduziram em mais lucros: 7,8 bilhões de dólares de lucro líquido no segundo trimestre do ano, 48% a mais que no mesmo período do ano passado.O Facebook e o Google, que dividem mais da metade do 'bolo' da publicidade digital, também alcançaram excelentes resultados. A Alphabet, empresa controladora do Google, informou na terça-feira que seu lucro no segundo trimestre quase triplicou em relação ao mesmo período do ano passado, graças à receita de anúncios em seu mecanismo de busca e plataforma de vídeo YouTube.A gigante da internet informou que seus lucros chegaram a US $ 18,5 bilhões no período, com receita subindo para US $ 61,9 bilhões graças ao comércio, mas também ao turismo e entretenimento.Da mesma forma, o Facebook se aproximará da receita de anúncios de US $ 100 bilhões este ano pela primeira vez, de acordo com a eMarketer. A rede social dobrou seu lucro líquido para 10,4 bilhões de dólares no segundo trimestre de 2021 em comparação com o mesmo período do ano passado, em um faturamento de 29 bilhões, graças ao alto preço da publicidade online durante a recuperação econômica, disse a empresa na quarta-feira.- A força da 'nuvem' -Com a pandemia e a chegada da tecnologia 5G, a computação remota se impõe.Amazon e Microsoft, líderes no setor da internet em nuvem, continuam investindo em armazenamento e processamento de dados usando inteligência artificial.Para a Microsoft, os lucros em seu quarto trimestre fiscal - o segundo do ano - aumentaram 47% para 16,5 bilhões de dólares e as receitas aumentaram 21% para 46,2 bilhões em comparação com o mesmo trimestre do ano passado. Para a Amazon, a nuvem significou US $ 14,8 bilhões de receita. O Google está em terceiro lugar nesse mercado, à frente da chinesa Alibaba."A transição para a nuvem e a dinâmica do trabalho à distância ou híbrida devem durar ao longo do tempo, apesar da conversa sobre um retorno aos escritórios", disse Dan Ives, da Wedbush Securities. De acordo com esse analista, apenas 40% da carga de trabalho de empresas e organizações está na nuvem agora. Esse percentual deve chegar a 55% em 2022.- Os problemas -A forte demanda por produtos eletrônicos levou a uma escassez de microchips que assolou muitas indústrias por meses. O diretor financeiro da Apple, Luca Maestri, espera que "os problemas de abastecimento sejam mais significativos" no trimestre atual. No longo prazo, os Gafam são alvo de inúmeras investigações por parte das autoridades americanas e europeias, determinadas a lidar com esses colossos mais poderosos que os Estados e regularmente acusados de abuso de posição dominante no mercado.Os ministros das Finanças do G20 aprovaram um projeto de reforma tributária no meio do mês que prevê um imposto global de pelo menos 15% sobre os lucros de grandes empresas internacionais. As pressões políticas não impedem que essas empresas continuem a crescer.A Amazon comprou o tradicional estúdio de Hollywood Metro-Goldwyn-Mayer (MGM) em maio por US $ 8,45 bilhões. O seu catálogo permitirá aumentar a oferta do seu serviço de streaming Prime Video. Jeff Bezos, fundador do grupo de Seattle e o homem mais rico do planeta, segundo a Forbes, realizou seu sonho de ir ao espaço a bordo de um voo de sua empresa Blue Origin.A Apple trabalha com carros autônomos, enquanto a Alphabet celebra os avanços de sua frota de táxis-robôs de sua subsidiária Waymo. Mark Zuckerberg, número um do Facebook, anunciou que em breve estarão prontos os óculos de realidade aumentada, necessários para seu projeto "metaverso", um universo virtual no qual os usuários circularão entre sites físicos e digitais graças a telas, capacetes de realidade virtual e essas lentes, interconectados."É a sucessora da internet móvel, uma internet materializada", disse quarta-feira.FACEBOOKAlibabaAMAZON.COMGOOGLEAPPLE INC.MICROSOFT Veja Mais

Caos e colapso sanitário dominam Mianmar seis meses após golpe

em - Internacional Embrulhados às pressas com lonas, cadáveres de vítimas da covid-19 são levados para crematórios e cemitérios. Seis meses após o golpe militar em Mianmar, o colapso do sistema de saúde contribui para o caos político e econômico.Em 1º de fevereiro, o Exército depôs o governo eleito da líder civil Aung San Suu Kyi, encerrando um hiato democrático de 10 anos.Hoje, "não estamos longe do colapso total", disse à AFP Manny Maung, pesquisador da ONG Human Rights Watch."A população está exausta por meses de resistência à junta e por uma onda sem precedentes de coronavírus", relata. Este país do Sudeste Asiático precisa de oxigênio, testes e vacinas anticovid-19 e, diante deste quadro, muitos pacientes preferem se tratar em casa, ou até morrer lá, a irem para hospitais, controlados pelo Exército.Também faltam profissionais de saúde, em greve desde o golpe, muitos dos quais deixaram seus cargos.O sistema de saúde não é o único afetado por esta ampla campanha de desobediência civil. O setor bancário e outros da economia estão paralisados por milhares de grevistas, muitos deles em fuga.- Repressão e guerrilhas -Em meio ao caos, a repressão sangrenta da junta militar continua.Desde fevereiro, quase 940 civis morreram, incluindo dezenas de menores. Pelo menos 5.400 foram presos e se encontram em situação de particular vulnerabilidade à disseminação do coronavírus.Sua detenção em centros superlotados "pode se transformar em uma sentença de morte" com a pandemia, alertou recentemente o relator das Nações Unidas para Mianmar, Tom Andrews. As ONGs também denunciam casos de tortura, maus-tratos e execuções extrajudiciais na prisão.A dureza do regime não intimida a resistência, porém, que tenta se organizar. As manifestações pacíficas deram lugar a uma resposta armada liderada por milícias cidadãs, as Forças de Defesa do Povo (PDF, na sigla em inglês).Algumas travam guerrilhas urbanas. Outras encontraram refúgio no norte e no leste do país, controlados por facções étnicas rebeldes. Lá, são treinadas e lançam suas próprias operações contra o Exército.- "Espírito de união" -Esses diferentes movimentos são autônomos entre si, mantendo um amplo leque de frentes em aberto.Apesar dessa ação autônoma, "há um espírito de unidade forte contra o Exército e por uma Mianmar federal. Isso é totalmente novo no país", atingido desde sua independência em 1948 por conflitos interétnicos, destaca a diretora para Ásia do Instituto Francês de Relações Internacional, Françoise Nicolas. Se, no plano militar, a junta se vê desestabilizada pelos insurgentes, na economia, os militares mantêm seu poder.Sua administração controla inúmeras empresas que comercializam de cerveja a pedras preciosas. E, desde o golpe, a junta recuperou o controle do gás natural, que representa uma receita anual de cerca de US$ 1 bilhão. Empresas como a americana Chevron, ou a francesa Total, suspenderam o pagamento de parte de seus dividendos à Mianmar, mas isso teve pouco impacto para enfraquecer essa fonte de receita.Nem as sanções financeiras dos Estados Unidos, do Reino Unido, ou da União Europeia, nem os apelos da comunidade internacional subjugaram os militares.Na segunda-feira (26), eles invalidaram as eleições de novembro de 2020, vencidas pela Liga Nacional para a Democracia, de Suu Kyi, alegando terem detectado mais de 11 milhões de casos de fraude. O partido nega essas acusações.- Prisão domiciliar -A ex-líder de 76 anos está em prisão domiciliar e é acusada de vários crimes: importação ilegal de walkie-talkies, violação de restrições sanitárias, corrupção, sedição, entre outros.O primeiro de vários julgamentos começou em meados de junho, denunciado por vários observadores como "uma farsa".A líder civil, que já esteve em prisão domiciliar por quase 15 anos, entre 1990 e 2010, corre o risco de ser expulsa da política e de receber uma longa sentença de prisão.Meio ano após o golpe, Mianmar não está mais no noticiário internacional. E, embora o governo de "unidade nacional", formado por dissidentes exilados, "tenha o mérito de existir, por enquanto não pesa muito", avalia Françoise Nicolas."Os organismos internacionais, principalmente os da ONU, devem aumentar a pressão", afirma a pesquisadora.A Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou uma resolução para impedir a chegada de armas ao país, mas ela não tem efeito vinculante.TOTALENERGIESESPRIT HOLDINGSCHEVRON Veja Mais

Nove anos de prisão para primeiro cidadão de HK condenado com base em nova lei de segurança

em - Internacional A justiça de Hong Kong decretou nove anos de prisão para um garçom que se tornou a primeira pessoa condenada com base na nova lei de segurança nacional imposta pela China na ex-colônia britânica. Tong Ying-kit, de 24 anos, foi condenado na terça-feira por terrorismo, por atropelar com sua motocicleta três policiais, e por incitar a secessão porque exibia uma bandeira com a frase "Libertar Hong Kong, a revolução de nosso tempo" em 1º de julho do ano passado, um dia depois da entrada em vigor da nova lei.O julgamento de 15 dias aconteceu sem júri, uma mudança na tradição legal do centro financeiro. Os três juízes foram designados pelas autoridades locais para julgar os crimes de segurança nacional.Os magistrados condenaram Tong a oito anos pela acusação de terrorismo e a seis anos e meio de prisão por incitar a secessão, mas informaram que o total será de nove anos de prisão.Os crimes foram "graves, mas não os piores do tipo", destacaram os juízes.A sentença tem implicações profundas para o futuro dos casos iniciados com a nova lei de segurança nacional.Mais de 60 pessoas foram acusadas com base na lei, incluindo alguns dos ativistas pró-democracia mais famosos do território como Jimmy Lai, dono do jornal Apple Daily, que encerrou suas atividades. A maioria aguarda julgamento na prisão.Hong Kong foi durante vários meses de 2019 cenário de protestos quase diários e em algumas ocasiões violentos para denunciar o declínio das liberdades na cidade e a crescente interferência de Pequim nos temas da ex-colônia britânica. Veja Mais

Bolsa de Tóquio fecha em queda

em - Internacional A Bolsa de Tóquio encerrou a sessão de sexta-feira em baixa de 1,80%.O índice Nikkei 225 perdeu 498,83 pontos, a 27.283,59 unidades. Veja Mais