Meu Feed

Hoje

Orquestra de Minas Gerais abre edital para a Academia Filarmônica

O Tempo - Diversão - Magazine Iniciativa busca aprimorar a formação de instrumentistas de 15 a 30 anos para a música sinfônica Veja Mais

Uma história de 15 anos recontada em fotos

O Tempo - Diversão - Magazine Idealizada por Guto Muniz, com a presença de outros fotógrafos, mostra virtual coloca em revista a trajetória do Festival Internacional de Bonecos Veja Mais

Marília Mendonça faz ‘Serenata Live’ neste sábado; veja outros shows para assistir em casa

G1 Pop & Arte Veja agenda e horários de transmissões ao vivo deste sábado (15). Marília Mendonça Divulgação / Som Livre Marília Mendonça, recordista mundial de audiência em lives, faz o show online "Serenata Live" neste sábado (15), às 20h. O dia também tem a live Esquenta BDA, com a participação de Hariel e outros MCs, e a transmissão da gravação de um show do pianista Chick Correa, feita pouco antes de sua morte em fevereiro deste ano. Veja a lista completa com horários das lives abaixo. O G1 já fez um intensivão no começo da onda de lives, constatou o renascimento do pagode nas transmissões on-line, mostrou também a queda de audiência do fenômeno e a polêmica na cobrança de direito autoral nas lives. Lives do sábado (15): Marília Mendonça - 20h - Link Esquenta BDA - Batalha de Rimas com os MCs Hariel, WM, Krawk, Kant e mais - Link Flávio Guimarães e Marcus Kenyatta - Em Casa Com o Sesc - 19h - Link Chick Correa (transmissão pelo Blue Note de show gravado antes da morte do músico) - 20h - Link As cenas de 'lives' da quarentena que já estão na história do entretenimento brasileiro Veja Mais

Sertanejos saem do top 3 do YouTube pela primeira vez desde a criação do ranking em 2018

G1 Pop & Arte Site mede audiência semanal de músicas no Brasil há 3 anos, sempre com sertanejos no pódio. Parada mais recente tem forró de Barões da Pisadinha e Zé Vaqueiro, e funk de Don Juan. Barões da Pisadinha são os artistas mais ouvidos no ranking semanal do YouTube no Brasil, seguidos por Zé Vaqueiro e MC Don Juan Divulgação Barões da Pisadinha, Zé Vaqueiro e MC Don Juan são os artistas mais ouvidos do ranking semanal mais recente do YouTube no Brasil. A liderança dos dois artistas de forró e o MC de funk quebrou uma sequência de três anos: desde a criação do ranking, em 2018, não existiu um "top 3" sem sertanejos. O pódio inédito acompanha a ascensão nacional da pisadinha, o forró de produções simples no teclado. Os Barões da Pisadinha são líderes do ranking semanal desde o final de 2020. O 2º lugar, Zé Vaqueiro, está em alta com forrós românticos e puxados para a eletrônica, feitos pelo DJ Ivis. A alta geral do forró no streaming já é notada desde o ano passado também em outras plataformas, como o Spotify. O terceiro lugar, Don Juan é um dos principais ídolos do funk de São Paulo há alguns anos, e atualmente se destaca em parcerias um pouco mais "light" como "Liberdade", mistura de funk e eletrônica dos DJs Alok e GBR, e a nova "Bipolar", com os MCs Pedrinho e Don Juan. O ranking mais recente é relativo ao período entre os dias 30 de abril e 6 de maio no YouTube no Brasil. Como os Barões da Pisadinha traçaram uma nova rota de sucesso pelo Brasil Zés Vaqueiros: mercado aquecido do piseiro tem 2 cantores de sucesso com mesmo nome Don Juan fala sobre fase cantando funk mais 'light': 'Agora estou pegando todos os públicos' No sertanejo, há muitos relatos e reclamações do impacto com a interrupção dos shows por causa da pandemia. O estilo reina e movimenta muito dinheiro no Brasil em grandes eventos, que são uma peça importante deste mercado. O fenômeno das lives sertanejas não compensou a perda de arrecadação. O que querem os artistas sertanejos que se reuniram com Bolsonaro, sem máscara, em uma churrascaria O YouTube Charts foi criado em maio de 2018 e virou um dos termômetros do mercado de streaming, cada vez mais importante para a indústria musical. Desde então, no Brasil, a força dos sertanejos era evidente. Sempre havia ao menos um (e muitas vezes três) sertanejos entre os três mais tocados. Marília Mendonça, Gusttavo Lima, Zé Neto & Cristiano e Henrique & Juliano lideraram quase todas as semanas do ranking até o final de 2020, quando os Barões da Pisadinha chegaram ao primeiro lugar. O maior fenômeno sertanejo recente nas paradas foi "Batom de Cereja", de Israel e Rodolffo, que tem ritmo de pisadinha e se beneficiou da vitrine nacional do BBB. A dupla chegou a ocupar o top 3, mas caiu nas últimas duas semanas. Introduções das músicas dos Barões são todas idênticas; confira Veja Mais

Mimos de fãs: Ex-BBBs já ganharam dinheiro, festa de luxo e até reforma em casa

G1 Pop & Arte Semana Pop relembra os presentes mais malucos que ex-participantes do programa receberam de admiradores. Atitude passou a ser desestimulada pelos 'brothers'. Fãs já deram a ex-BBBs dinheiro, festa de luxo e até reforma; relembre no Semana Pop Você gastaria dinheiro para mostrar seu amor por um participante do "BBB"? Se achou a pergunta maluca, saiba que muita gente já fez isso - uma atitude que passou a ser desestimulada pelos "brothers". Neste sábado (15), o Semana Pop mostra os mimos mais malucos que ex-BBBs já ganharam de fãs: tem doação em dinheiro, festa de luxo e até reforma em casa. Veja todas as edições O Semana Pop vai ao ar toda semana, com o resumo do tema está bombando no mundo do entretenimento. Pode ser sobre música, cinema, games, internet ou só a treta da semana mesmo. Está disponível em vídeo e podcast. Veja Mais

Últimos dias

Ancine ficará sob comando de ex-assessor de deputado bolsonarista do Rio

O Tempo - Diversão - Magazine Atual diretor-presidente substituto, Alex Braga deve voltar ao cargo em outubro, de forma efetiva, para um mandato de cinco anos Veja Mais

Rapper é condenado a quase três anos de prisão por operar rede de prostituição

O Tempo - Diversão - Magazine Mally Mall, que já trabalhou com Justin Bieber, Usher e Tyga, 'explorou centenas de vítimas' por meio dae manipulação, segundo o Ministério Público de Nevada Veja Mais

Ferrugem e Felipe Araújo fazem dobradinha no single inédito 'Eu+Você'

O Tempo - Diversão - Magazine Cantor de pagode conversou com o portal O Tempo e falou sobre a parceria com o sertanejo Veja Mais

Lives da semana: Marília Mendonça, César Menotti & Fabiano e outros shows para ver em casa

G1 Pop & Arte Veja agenda e horários de transmissões ao vivo deste final de semana. César Menotti & Fabiano e Marília Mendonça Divulgação e Globo/Mauricio Fidalgo Marília Mendonça, César Menotti & Fabiano e Esquenta BDA com participação de Hariel estão entre as lives neste final de semana. Veja a lista completa com horários das lives abaixo. O G1 já fez um intensivão no começo da onda de lives, constatou o renascimento do pagode nas transmissões on-line, mostrou também a queda de audiência do fenômeno e a polêmica na cobrança de direito autoral nas lives. Lives de sexta (14): César Menotti e Fabiano – 20h - Link Marissol Mwaba e François Muleka - Em Casa com o Sesc - 19h - Link Lives do sábado (15): Marília Mendonça - 20h - Link Esquenta BDA - Batalha de Rimas com os MCs Hariel, WM, Krawk, Kant e mais - Link Flávio Guimarães e Marcus Kenyatta - Em Casa Com o Sesc - 19h - Link Chick Corea (transmissão pelo Blue Note de show gravado antes da morte do músico) - 20h - Link As cenas de 'lives' da quarentena que já estão na história do entretenimento brasileiro Veja Mais

'Existe responsável', Mônica Martelli fala sobre morte de Paulo Gustavo

O Tempo - Diversão - Magazine Ele era um homem saudável, sem nenhuma comorbidade. Eu fico indignada, mas o que eu sinto mais forte é perplexidade", disse a atriz Veja Mais

'Mães de Verdade' reitera dom de Naomi Kawase para captar o mínimo

O Tempo - Diversão - Magazine A primeira parte do filme percorre a gama de sentimentos associada ao desejo de maternidade Veja Mais

Lei Aldir Blanc vai liberar mais de R$ 700 milhões com prorrogação aprovada

O Tempo - Diversão - Magazine Com a decisão do TCU, os recursos repassados pela lei podem ser utilizados até o final de 2021 Veja Mais

Documentário 'Mr. Dreamer', de Pedro Sirotsky, estreia na Globoplay

O Tempo - Diversão - Magazine Trata-se de uma reflexão sobre sonhos que são interrompidos em função do fluxo mais óbvio da vida, dedicação ao trabalho etc Veja Mais

Festival Audiovisual de Cultura está com inscrições abertas

O Tempo - Diversão - Magazine Em sua primeira edição, evento vai promover o trabalho de artistas residentes em Minas Gerais Veja Mais

Tom Cruise fala sobre vazamento de áudio no qual xinga equipe

O Tempo - Diversão - Magazine Em entrevista à revista 'Empire', o ator se defendeu dizendo que, naquele momento, havia um aumento de casos de Covid na Inglaterra Veja Mais

‘Girl From Rio’ cai nas paradas e fãs de Anitta culpam gravadora por ausência em playlists

G1 Pop & Arte Música sumiu rapidamente de ranking global de streaming apesar do investimento da cantora em clipe e no uso de 'Garota de Ipanema'. Entenda a importância de playlists e por que fãs fazem mutirão para pressionar Warner. Capa do single 'Girl from Rio', de Anitta Mar + Vin A ira do fã clube de Anitta é sentida pela gravadora Warner nos últimos dias. Eles culpam a empresa multinacional pela queda rápida de "Girl From Rio" nas paradas e, nas redes sociais, cobram esforço para divulgar mais e incluir a música em playlists nos serviços de streaming. Por trás dessa briga tem um fator cada vez mais importante na música pop, que os fãs de Anitta sacaram bem: o destino de um hit hoje depende muito de sua inclusão nas tais playlists. A maiores listas de músicas são ouvidas todo dia por milhões de pessoas no Spotify, Deezer, YouTube e outros. E mais: as empresas de streaming e as grandes gravadoras do mundo (Sony, Warner e Universal) não deixam os critérios claros, mas a maioria das músicas que entram lá são apostas do elenco dessas três empresas. Os fãs notam o poder das gravadoras e cobram o uso em favor dos ídolos. 'Girl From Rio': expectativa "Girl From Rio" junta bossa nova e trap com letra em inglês. Ela usa a melodia de "Garota de Ipanema" graças a uma rara - e provavelmente custosa - autorização dos herdeiros de Tom Jobim e Vinicius de Moraes. Anitta disse que foi o clipe mais caro que ela já bancou, sem revelar o valor. A aposta de Anitta ganhou até festas de lançamento em Sidney, na Austrália e em Miami, nos EUA, em 30 de abril. A estreia foi boa. No Spotify, maior serviço de streaming musical do mundo, ela ficou em 58º no ranking diário global, com 1,4 milhão de plays (1 milhão do Brasil e 400 mil de outros países). 'Girl From Rio': realidade Em seguida veio o tombo. Nos três dias seguintes, a faixa foi caindo para 101º, 170º, 198º, até sumir do top 200 global. Para outro artista brasileiro, passar quatro dias no ranking global seria uma vitória. Mas para os fãs da Anitta, que já a viram entrar outras 26 vezes nesta parada, foi uma decepção. "Cara, foi prometido uma divulgação de nível mundial. Acho que tanto a Anitta quanto os fãs estavam esperando isso. A gravadora até o momento não fez o mínimo do que deveria", diz fã que se identifica como Tainá, dona de um dos maiores perfis de fãs de Anitta, com 100 mil seguidores. A enxurrada de reclamações nas redes tem demandas bem específicas. "Em relação a streaming era fundamental que a música estivesse nas playlists americanas, principalmente a Today's Top Hits do Spotify que daria um 'up' na música", explica a fã. 'Favor analisar os gráficos': Anitta pediu e G1 mostra evolução dela desde o início no funk carioca até 'Medicina' 'D.R.' com Anitta: após discórdia sobre gráficos, G1 e cantora discutem críticas e fanatismo Playlists: modos de entrar A playlist almejada pela fã para dar um "up" em "Girl From Rio" é a maior do Spotify, com 27,7 milhões de seguidores. A Today's Top Hits é tão importante que tem supervisão pessoal do chefe de Hits Globais do Spotify, Ned Mohahan, como ele contou à revista "Variety" em dezembro de 2020. Ned disse ao site que o processo de escolha das faixas "é totalmente editorial (...), baseado em uma mistura de importância cultural e de expor pessoas a novas músicas". Ele diz que há um sistema de indicações online para "isolar" os curadores da pressão de gravadoras e de artistas. Poder das gravadoras As grandes gravadoras, chamadas "majors", têm relação umbilical com os serviços de streaming. As três empresas chegaram a ser acionistas do Spotify, em uma parceria que revitalizou a indústria musical - mesmo que os artistas reclamem que esse lucro não está chegando até eles. Qualquer um pode criar listas no Spotify (a Warner tem até sua marca de playlists, Topsify), mas as mais visadas são as criadas pela própria plataforma. Em 2017, Jason Joven e Sung Cho, donos da empresa Chartmetric, mostraram em um estudo que as três majors dominam 78% da Today's Top Hits. Logo do Spotify na entrada da Bolsa de Valores de Nova York. Lucas Jackson/Reuters A Universal Music fica com 42%, a Sony tem 21% e a Warner emplaca 15% das faixas na playlist, apontou o estudo. A maioria das canções fica lá entre 50 e 100 dias, mas foram registradas músicas por mais de dois anos na lista. Difícil não ser um grande hit assim. Os fãs pedem essa força para "Girl From Rio". "A música não entrou em nenhuma playlist de relevância até o momento. Só na Top Brasil, que é a segunda maior do Spotify no país. Lá fora, onde é o foco principal da música, nenhuma", reclama Guilherme, dono do perfil Rare Anitta. Outros seguidores vão mais longe e dizem que a gravadora não ajuda em nada no projeto de expansão global de Anitta. Initial plugin text 'Me nota, Warner' Para ser justo, "Girl From Rio" entrou em uma playlist global no lançamento, a New Music Friday. Ela tem bem menos seguidores (3,7 milhões), mas é importante pois traz os principais lançamentos mundiais da semana. A faixa de Anitta era a 11ª da lista, um destaque respeitável. Ned Mohahan explica à "Variety" que os dados da New Music Friday são cruciais para decidir o futuro da faixas. Saber quantas pessoas ouviram a música toda ou pularam logo para a próxima, dado que só o serviço de streaming tem, é um critério para incluir ou não em listas maiores. É difícil saber se "Girl From Rio" não foi bem nesses termômetros internos ou se a Warner não influenciou o bastante para ela ter mais destaque. Nos outros serviços, o cenário é parecido. A faixa não está no top 100 global da Deezer e entrou só no 7º lugar nacional no YouTube Brasil. O G1 procurou Anitta, a Warner e o Spotify, mas ninguém quis conversar sobre a divulgação e o processo de inclusão nas playlists. Os fãs também seguem sem resposta. No perfil global da empresa no Twitter, mesmo em posts sem relação com Anitta, eles sempre chegam para reclamar e pedir mais divulgação para "Girl From Rio". Mesmo em posts da Warner sem relação com a Anitta, como este sobre a rapper Saweetie, os fãs de Anitta vão lá cobrar a gravadora Reprodução Fora do streaming, a cantora até caminha bem com a música. Ele entrou na programação de algumas rádios do México e dos EUA. E o maior feito de Anitta com a música foi a apresentação em dois grandes programas de TV norte-americanos: o "Today", da NBC, e o "Jimmy Kimmel Live", da ABC. Calma, gente Pode ser que essa exposição em rádio e TV se reflita em uma recuperação em streaming. Mas isso ainda não aconteceu. Os fãs estão tão bravos que uma de suas líderes, Tainá, fica preocupada se a agressividade pode prejudicar Anitta dentro da gravadora multinacional. Initial plugin text "É indiscutível que uma cobrança feita de forma coerente pelo público traz resultados. Eu acho que atrapalha quando o fã quer passar dos limites 'querendo mostrar quem manda'", ela alerta. "Esse tipo de coisa faz a situação fugir do controle, pois além da cobrança vem a falta de respeito e o uso de termos indevidos ao se referir a gravadora, podendo, sim, prejudicar diretamente a Anitta por conta de uma atitude sem pensar ou sem querer", diz a fã ponderada. Anitta sobre Girl from Rio: 'uma grande celebração'; veja bastidores do clipe Veja Mais

Missa de Sétimo Dia de Paulo Gustavo ocorre aos pés do Cristo Redentor

O Tempo - Diversão - Magazine A cerimônia pode ser acompanhada por fãs e admiradores por meio do canal pago Multishow e da Globoplay Veja Mais

Atriz Barbara Bruno, filha de Nicette Bruno, é extubada, mas segue internada com Covid no Rio

G1 Pop & Arte Ela havia sido intubada no domingo (2) por causa da doença. Segundo boletim médico divulgado pela irmã da atriz, Beth Goulart, ela será observada nos três próximos dias, mas o prognóstico é bom. Barbara Bruno em foto de janeiro de 2015: recuperando-se Celso Tavares/G1 A atriz Barbara Bruno, de 64 anos, que está internada em uma UTI por causa da Covid, foi extubada na segunda-feira (10). A informação foi dada pela irmã da atriz, Beth Goulart, em seu perfil do Instagram. “Estou muito feliz com as notícias de hoje sobre a minha irmã. Ela foi exutubada, graças a Deus. Ainda temos que aguardar três dias para ver como ela recupera direitinho, mas vai dar tudo certo. Queria agradecer muito as orações. Tenho certeza que as vibrações de energia, de cura e de amor ajudou muito nesse processo. Vamos continuar orando muito por ela, não só por ela, mas por todos que estão nesse processo”, disse Beth em vídeo. A filha da atriz, Vanessa Goulart, também falou da nova fase do tratamento da mãe. “Começando a semana com notícias da minha mãe, Bárbara Bruno, e notícias maravilhosas. Ela extubou, não está mais intubada, não está mais precisando do auxílio da máquina para respirar, o pulmão dela está recuperado. Se isso não é a força da nossa fé, do nosso amor, eu não sei o que é. É um milagre, é uma alegria tão grande, uma gratidão que eu estou sentindo que não cabe no peito", afirmou a filha da atriz. Boa resposta no primeiro dia de extubação Já nesta terça-feira (11), Beth Goulart disse que a irmã continuava reagindo bem fora da ventilação mecânica invasiva. “Continuamos na fé, com muita esperança na cura, recuperação e fortalecimento de minha irmã @barbarabrunoatriz. Graças a Deus, ela está respondendo bem ao tratamento, estamos vencendo um passo de cada vez. Agradeço a todos as orações, nossa gratidão”, disse. Barbara Bruno foi iternada com Covid no final de abril, mas no dia 2 de maio, a atriz precisou ser intubada. Em dezembro do ano passado, a matriarca da família, a atriz Nicette Bruno, morreu de Covid aos 87 anos. A família não informou em qual hospital Barbara está internada. Veja Mais

Legado de Bob Marley prospera 40 anos após a sua morte

O Tempo - Diversão - Magazine Nome essencial do reggae, obra do jamaicano permanece viva de forma poucas vezes vista na música popular Veja Mais

Modelo internacional morre em acidente de carro no interior de Goiás

O Tempo - Diversão - Magazine A camionete onde Taynnara Melo estava com o namorado saiu da pista e capotou fora da estrada Veja Mais

Bob Marley: 40 anos sem astro do reggae; FOTOS

G1 Pop & Arte Relembre momentos, shows, capas de álbuns e de revistas com Bob Marley ao lado da banda The Wailers. Artista jamaicano popularizou o reggae e morreu em 11 de maio de 1981. Bob Marley durante show em Munique, em 1977 Ilse Ruppert/Photo12 via AFP/Arquivo Bob Marley durante show em Munique, em 1977 Ilse Ruppert/Photo12 via AFP/Arquivo Bob Marley em foto de 1980 Marcello Mencarini/Leemage via AFP/Arquivo Imagem de Bob Marley no 'Museu Bob Marley', em Kingston, Jamaica Jorge Reyes/Mexsport/Mexsport via AFP/Arquivo Bob Marley em foto de 1980 Leemage via AFP/Arquivo Bob Marley durante show em Munique, em 1977 Ilse Ruppert/Photo12 via AFP/Arquivo Bob Marley em foto de 1980 Marcello Mencarini/Leemage via AFP/Arquivo Bob Marley em foto de 1980 Marcello Mencarini/Leemage via AFP/Arquivo Bob Marley em foto de 1980 Marcello Mencarini/Leemage via AFP/Arquivo Estátua de Bob Marley em Kingston, na Jamaica Angela Weiss/AFP/Arquivo Bob Marley em imagem de 1976. AFP O cantor e compositor jamaicano Bob Marley durante show em 1976 ANP/AFP Show de Bob Marley de 1977 é remasterizado Reprodução/YouTube Bob Marley era apaixonado por futebol Divulgação site oficial Bob Marley ajudou a popularizar o reggae Divulgação site oficial Paixão de cantor por futebol sempre esteve presente em jogos amadores e com amigos Divulgação site oficial Bob Marley & The Wailers em show no Rainbow Theatre, em Londres - 1977 Reprodução/YouTube/Bob Marley Bob Marley & The Wailers em show no Rainbow Theatre, em Londres - 1977 Reprodução/YouTube/Bob Marley Da esquerda, Bunny Wailer, Bob Marley e Peter Tosh com The Wailers no início da carreira, em foto da capa do álbum 'The best of Bob Marley and the Wailers' Divulgação 'Burnin'', álbum do grupo The Wailers, de 1973 Reprodução Capa do disco 'Catch a fire', de Bob Marley and the Wailers - 1973 Reprodução/Bob Marley and the Wailers Capa do álbum 'Natty Dread', de Bob Marley & the Wailers - 1974 Reprodução Capa do álbum 'Live', de Bob Marley & the Wailers - 1975 Reprodução Álbum 'Kaya', de Bob Marley & the Wailers - 1978 Reprodução 'Babylon by bus', de Bob Marley & the Wailers - 1978 Reprodução Capa do álbum 'Live Forever: The Stanley Theatre', de 1980 Reprodução Capa do álbum 'Legend', de Bob Marley, lançado em 1984 e um dos mais vendidos do astro Reprodução Bob Marley na capa da revista 'Rolling Stone' Reprodução/Rolling Stone Bob Marley na capa da revista 'Billboard' Reprodução/Billboard Bob Marley na capa da revista 'Rolling Stone' Reprodução/Rolling Stone Bob Marley no clipe de 'Is this love' Reprodução Bob Marley no clipe de 'Is this love' Reprodução Bob Marley levou o reggae e o movimento Rastafári para o mundo Divulgação Robert Nesta Marley nasceu em 1945 na Jamaica Reprodução TV Globo Junto com o grupo The Wailers, Bob Marley lançou mais de 20 álbuns, entre versão de estúdio e ao vivo Reprodução TV Globo Bob Marley visitou o Brasil em 1980 e correu pela orla de Copacabana Reprodução/Globo Bob Marley passeando pela orla de Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, em 1980. Reprodução/TV Globo Bob Marley em um bar de Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, em 1980. Reprodução/TV Globo Bob Marley e sua célebre Gibson Les Paul AP Bob Marley Reprodução TV Globo Veja Mais

Ju Abreu, da Toda Deseo, apresenta performance 'Conselheira'

O Tempo - Diversão - Magazine Vídeo do solo da atriz poderá ser acessado nesta terça-feira, às 21h, pouco antes do encerramento oficial da mostra Veja Mais

Emissora cancela transmissão do Globo de Ouro 2022 nos EUA após críticas sobre falta de diversidade

G1 Pop & Arte NBC tem contrato com organização do evento até 2026. Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood é criticada por não ter negros entre seus membros. NBC era a emissora oficial do Globo de Ouro nos Estados Unidos Robyn BECK / AFP A emissora americana NBC anunciou nesta segunda-feira (10) que cancelou a transmissão do Globo de Ouro de 2022. O canal, um dos maiores dos Estados Unidos, tem contrato com os organizadores da premiação até 2026. A decisão acontece após a Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA, na sigla em inglês) ser duramente criticada por não ter nenhum membro negro. Ainda nesta segunda, a Warnermedia, dona de estúdios como Warner Bros. e canais como HBO, se juntou a Netflix e Amazon Studios em um boicote a eventos da organização para pedir mudanças na entidade. "Continuamos a acreditar que a HFPA está comprometida a uma reforma significativa", afirmou a NBC em um comunicado. "No entanto, mudança dessa magnitude leva tempo e trabalho, e sentimos fortemente que a HFPA precisa de tempo para fazer isso direito. Assim sendo, a NBC não vai transmitir o Globo de Ouro de 2022. Presumindo que a organização execute seu plano, temos a esperança de estar em uma posição para transmitir o evento em janeiro de 2023." A HFPA ainda não se posicionou sobre a decisão, então não está claro se a premiação de 2022 ainda vai acontecer. Reformas Na quinta-feira (6), a HFPA aprovou de forma esmagadora um pacote de reforma que pede o aumento do número de membros em 50% para incluir mais jornalistas negros e o levantamento dos requisitos rígidos e pouco claros sobre quem é finalmente admitido na organização. O Globo de Ouro é a segunda premiação mais importante de Hollywood, atrás apenas do Oscar, mas seu futuro foi questionado por ameaças de boicote devido a algumas controvérsias. O ex-presidente da associação Philip Berk foi demitido em abril por enviar um e-mail chamando a Black Lives Matter de "movimento de ódio", e dois consultores contratados para lidar com as questões de diversidade renunciaram devido à falta de progressos. Embora a maioria dos membros do HFPA trabalhe regularmente para veículos de comunicação bem conhecidos, a exclusão de inúmeros jornalistas de boa fé está sob apuração. E, de forma mais geral, o histórico da organização de ignorar filmes e programas de televisão dirigidos por negros e minorias no Globo é frequentemente criticado. Veja Mais

Como uma artista ficou obcecada e decidiu pintar o ladrão que roubou suas telas

O Tempo - Diversão - Magazine Filme 'A Artista e o Ladrão' retrata inusitada relação entre a pintora tcheca Barbora Kysilkova e um homem que luta contra o vício em drogas Veja Mais

Cuca e saci voltam à TV e ao cinema e geram debate sobre apropriação cultural

O Tempo - Diversão - Magazine Em obras como 'Cidade Invisível', da Netflix, criaturas do folclore brasileiro tomam o lugar de seres antes inspirados por 'Harry Potter' Veja Mais

Malu de 'Disco Arranhado': cantora de 19 anos quer ser a nova rainha dos caminhoneiros

G1 Pop & Arte Cantora de arrocha de Vitória da Conquista (BA) regravou música de Tierry e virou hit nacional. Malu acha 'chique' a ideia de ser uma nova Sula Miranda e tatuou caminhão no braço. Natielle de Oliveira Santos é uma daquelas pessoas que faz tudo cantando. O hábito foi uma excelente ajuda na carreira musical, porque foi assim que encontrou seu empresário e se tornou a Malu, a nova voz romântica do Brasil. Ela trabalhava em uma loja de roupa em Vitória da Conquista, na Bahia, quando um homem da loja ao lado a filmou cantando e mandou para um amigo que era do ramo da música, seu futuro empresário. Os dois se encontraram e começaram o projeto em 2019. A regravação dela de "Disco Arranhado", música de Tierry feita para a dupla César Menotti & Fabiano em 2017, não era a música de trabalho, mas estava já no primeiro disco, lançado em julho de 2019. A recepção foi boa logo de cara no Nordeste e impulsionou a carreira de Malu na região. Agora, a música é uma das mais tocadas do Brasil e de Portugal com um remix de funk do DJ Lucas Beat. Escute a história no podcast abaixo. A música entrou no repertório sem grandes pretensões, por uma sugestão do tecladista da banda. "Eu já conhecia a primeira gravação e gostava da música. Achei romântica, com uma letra muito bonita. A gente colocou no repertório e o pessoal amou, foi incrível", diz Malu ao G1. Ela não sabe explicar muito bem como o "Te amo, te amo, te amo", refrão insistente da música, foi fazer tanto sucesso na sua voz. Tatuagem de caminhão que Malu fez no braço para comemorar 1 milhão de views de 'Disco arranhado' em 2020. Hoje o clipe dela tem 39 milhões de views, e o remix com Lucas Beat tem 49 milhões Reprodução Primeiro, atribui a Deus — ela vem de família evangélica, os pais, inclusive, são pastores. Mas, depois joga para o destino. "Falo que tem música que tem dono, não adianta... Acho que foi isso. O Tierry fez essa música para mim, mas a gente só soube depois", brinca a espontânea cantora. As voltas de ‘Disco arranhado’ O que a deixa mais impressionada é que o raio do sucesso caiu duas vezes no mesmo lugar: a versão brega lançada em 2019 fez sucesso e o remix de funk tem bom desempenho nos streamings e YouTube. Disco arranhou no arrocha primeiro Malu, a nova voz romântica do Brasil, gravou "Disco Arranhado" em julho de 2019 Reprodução/YouTube/Malu A primeira versão que Malu gravou "Disco Arranhado" foi como uma arrocha bem romântico, bem próximo da música brega, com aquele teclado que é característico. Ela diz que parte considerável do seu público, inicialmente restrito ao Nordeste, é formada por caminhoneiros. Não é à toa que o clipe é uma homenagem a eles — e a elas. O vídeo colocou a música no contexto de quem vive viajando e sente saudade da família. Malu decidiu representar a classe com uma caminhoneira. "Além de homenagear os caminhoneiros, também queria empoderar as mulheres", diz. Como a música rodou o país por 4 anos e se transformou até virar hit nacional Esse discurso da força feminina também aparece na música "Marque sua amiga aí", a primeira de trabalho que foi ofuscada pelo hit escrito por Tierry. "Gosto muito de mostrar inclusive nos meus clipes que o lugar das mulheres é onde elas querem sabe? Sempre volto para esse público de mulher, sou assim". Nova musa dos caminhoneiros? Malu no clipe de 'Disco Arranhado' Reprodução/YouTube Depois de ver o clipe gravado em um evento de caminhões em Minas Gerais, é difícil dissociar a imagem de Malu a dos caminhoneiros. E ela nem quer isso. Ela responde naturalmente que gostaria de ser uma nova musa daqueles que desbravam o Brasil, como Sula Miranda já foi um dia. "Acho legal isso, chique, conceito. Gosto dessa ideia de saber que represento um pessoal que admiro, é muito gratificante para mim", diz. "Minha admiração vem de família mesmo, porque meu pai já trabalhou com isso. Já senti a dor da saudade, de ver meu pai saindo. Ele também sofreu dois acidentes, quase perdi meu pai. Por isso tenho bastante apreço", ela diz sobre os caminhoneiros. Ela até tatuou um caminhão no braço, após o clipe de "Disco Arranhado" bater um milhão de visualizações em maio do ano passado. Hoje o vídeo já superou em 40 vezes essa marca. Da estrada para os bailes As festas pelo Brasil ainda não podem acontecer por conta da pandemia, mas certamente seria obrigatório tocar a versão remix de "Disco Arranhado", que Lucas Beat produziu. O DJ paulista ouviu Malu cantando no Tiktok e pensou na hora que os "Te amo, te amo, te amo" combinariam com um funk com traços de música eletrônica. Ele não perdeu tempo, mandou aquela mensagem para Malu, foi prontamente respondido e a parceria começou. DJ Lucas Beat e Malu no clipe do remix de 'Disco arranhado' Divulgação O clipe dos dois tem mais de 49 milhões de visualizações e chegou a liderar o ranking semanal no YouTube de mais vistos em Portugal. Já no streaming, a faixa está no top 10 há várias semanas. Uma observação recorrente nos comentários é que se trata de um funk com uma letra de amor sem "baixaria". Quem também reforça esse ponto é a própria Malu. "Ficou bem alto astral, esse é o ponto positivo que o pessoal mais comenta que é um funk que não tem palavras de baixo calão, não tem palavras baixas", explica. "É bastante diferente dos temas atuais, porque mesmo que seja uma sofrência, não é de ser corno, beber, farra essas coisas. No nosso repertório as músicas acabam sendo nesse perfil". Colhendo os frutos Malu no clipe de 'Disco Arranhado', na versão remix com DJ Lucas Beat Divulgação Malu conseguiu comprar uma casa e vai deixar de morar com os pais em breve. Ela não diz exatamente quanto já faturou com o hit, mas o valor está entre R$ 300 e R$ 500 mil. Com o sucesso da música, uma "grande gravadora" está em contato com seu empresário, mas a fase ainda é de negociação. Outras parcerias estão à caminho, inclusive no funk, mas Malu não pretende deixar a música romântica. "Nem posso, as mulheres no arrocha são muito escassas. Eu quero estar ali e também quero inspirar mulheres a tentar também, sabe?". Veja Mais

Como mito de estátuas gregas brancas alimentou falsa ideia de superioridade europeia

G1 Pop & Arte Crença foi propagada ao longo da história e acabou erroneamente usada por quem via na falsa ausência de colorido e ornamentos sinal de cultura mais elevada e sofisticada. Brancura era fruto de ignorância e distorção, escreve Elisa Kriezis Getty Images via BBC Ao pensar numa estátua da Grécia antiga, muito provavelmente a imagem que vem à sua mente é de uma escultura feita em mármore perfeitamente polido e muito branco. As vestimentas, igualmente brancas, cobrindo corpos brancos, muitas vezes rodeados por objetos essencialmente brancos. Mas, apesar disso refletir a realidade que conhecemos atualmente, essa imagem monocromática pode estar tão distante da realidade histórica como a distância que separa a Grécia do Brasil. Nesta reportagem, Elisa Kriezis, da BBC News Brasil, explica como surgiu essa falsa ideia, a quem serviu e como o mito do branco começou a ser descontruído. "Eu nasci na Grécia, filha de pai grego e mãe alemã. Como muitos, cresci achando que as estátuas e as estruturas gregas que me rodeavam sempre foram brancas, como o mármore usado como matéria-prima para sua criação, ou, em um menor número de casos, escuras, quando eram feitas de bronze. E vi essa estética "sofisticada" ser replicada das mais diversas formas pelo mundo ao se retratar a Grécia antiga. O mito de que suas estátuas eram monocromáticas, principalmente brancas, foi propagado ao longo da história, e acabou erroneamente usado pelos que viam na falsa ausência de colorido e ornamentos um sinal de uma cultura mais elevada e sofisticada, resultado da superioridade de brancos europeus. Entretanto, poucos sabem que toda aquela brancura era fruto de ignorância e distorção. Do bronze ao mármore A maioria das estátuas gregas que você encontra em museus pelo mundo é feita de mármore. Afinal, era uma pedra bastante disponível na Grécia e em seus arredores e segundo os escultores, mais fácil de ser trabalhada. Mas aí, já surge o primeiro erro, a primeira distorção histórica. As Cariátides em mármore, e um dos Guerreiros de Riace, feito em bronze. Getty Images via BBC Muitas das estátuas que se conectavam de alguma forma a estruturas maiores, como prédios, eram de fato feitas de mármore. Mas a maioria das esculturas que não contavam com esse apoio estrutural era feita de bronze por ser um material de maior resistência. Como o bronze é um material facilmente reaproveitável, então, sobraram poucas estátuas feitas desse metal para "contar a história", pois muitas acabaram recicladas, transformadas em outros objetos. Isso fez com que as estátuas em mámore branco acabassem prevalecendo ao longo do tempo. E mais: a escolha do material - mármore ou bronze - para a produção dos objetos de arte não tinha nada a ver com a cor clara original da pedra ou escura do metal. O local em que a estátua seria colocada era um fator muito mais determinante do tipo de material a ser usado, como explico mais adiante. Originais e réplicas A arte da escultura grega atingiu seu ápice nos séculos 4 e 5 antes de Cristo, ou seja, há 2,5 mil anos. Foi nesse período que escultores famosos como Phidias e Praxiteles criaram sua obra, que sobrevive até hoje. Ilustrações de Phidias e Praxiteles, escultores famosos da Grécia antiga, ilustração do Parthenon na Acrópole de Aténas Getty Images via BBC Quinhentos anos depois, os romanos expandiram seu império e dominaram o mundo mediterrâneo, incluindo aí, claro, a civilização grega. Os romanos admiravam a cultura e a arte da Grécia e criaram sua estética à imagem e semelhança da dos gregos. Sendo assim, a demanda por réplicas de estátuas gregas era enorme no Império Romano. Elas se tornaram objeto de desejo para decorar casas da elite romana, praças públicas e até os famosos banhos romanos. No processo de reproduzir estátuas gregas, muitas originalmente feitas de bronze, os escultores acabaram criando réplicas em mármore. Essas réplicas com material distinto do original são identificadas por terem barras de apoio, normalmente disfarçadas de troncos de árvores, de colunas em estilo antigo ou de tecidos. O mármore não tem a mesma resistência do bronze e precisa de uma espécie de "mãozinha" para se manter de pé. Reconstruções da estátua de Diadoúmenos em que podem ser vistas as colunas de suporte Getty Images via BBC Há registros de 20 cópias de uma mesma estátua cuja original grega era feita de bronze, mas que entrou para a História como se fosse de mármore - e com o apoio para não cair. A prevalência do mármore está ligada ao fato de o bronze ser um metal nobre e reutilizável. Tesouros O Mar Mediterrâneo continua sendo, ainda hoje, a principal fonte do que resta das estátuas de bronze, verdadeiros tesouros afundados em naufrágios. Mas vamos voltar a falar das réplicas das estátuas gregas feitas pelos romanos. Na maioria dos casos é a cópia romana que a gente vê nos museus, por ter sobrevivido, por ser a versão mais recente. Então, podemos dizer que a nossa percepção da Antiguidade a partir das estátuas é baseada principalmente nas cópias e não na realidade histórica das originais. Nessa cabeça grega a gente consegue ver vestígios claros de cor. A busca de vestígios das cores originais O extenso trabalho feito por um casal de pesquisadores alemães, que se debruçou sobre centenas de estátuas antigas em busca de vestígios das cores originais é hoje a fonte mais inquestionável da conclusão de que as estátuas eram multicoloridas. Mesmo a olho nu é possível enxergar esses vestígios em algumas delas. "Ainda há muita cor preservada nas estátuas. Dá para ver a olho nu. E a cor não está apenas nos ornamentos das roupas. Está toda a superfície de uma escultura", diz o arqueólogo Vinzenz Brinkmann, diretor do departamento de Antiguidade do Instituto Liebighaus, na Alemanha]. Brinkmann estuda o tema há quarenta anos. Atualmente, não é preciso recorrer aos olhos. A tecnologia permitiu um exame ainda mais detalhado com análises feitas com ajuda de luzes ultravioleta e infravermelha e também de processos químicos avançados capazes de revelar uma imagem bastante precisa da Antiguidade. Com base nessas técnicas, Brinkmann criou, junto com sua esposa, a também arqueóloga, Ulrike Koch-Brinkmann, a exposição Deuses em Cor, com mais de 60 réplicas das estátuas em sua cor original, cheias de ornamentos, símbolos de animais e até mesmo pintadas de ouro. As restaurações são feitas com pigmentos autênticos identificados nas esculturas originais. Vinzenz Brinkmann e sua esposa Ulrike Koch Brinkmann, reconstruíram mais de 60 estátuas LIEBIGHAUS SKULPTURENSAMMLUNG Como a Peplos Kore, a escultura de uma mulher jovem que decorava um túmulo, os guerreiros de Riace, achados no Mar Mediterrâneo, o Kouros, um jovem nu que reflete a influência do Egito na escultura grega com uma postura mais rígida, ou o chamado sarcófago de Alexandre, o Grande (que, na verdade, não era o sarcófago dele), achado no que hoje é o Líbano, e que tem detalhes impressionantes de cor, são todos bons exemplos da decoração ricamente colorida usada nos originais. E de onde veio essa tradição de colorir estátuas com inúmeras outras cores além do preto e branco? Trabalho de reconstrução do arqueiro de Afaia LIEBIGHAUS SKULPTURENSAMMLING Os gregos não apenas influenciaram o mundo, mas foram influenciados pelos povos às margens do Mar Mediterrâneo, como o Egito, e pelas populações que habitavam o Oriente Médio. O intercâmbio entre eles não era só comercial, mas também cultural. E a forte tradição de escultura - colorida - está diretamente ligada a estas trocas. Ou seja, não é verdade que ao atingir o que se considera ser o ápice de sua civilização, os gregos rejeitaram a influência recebida tendo excluído as cores. A arte às margens do Mar Mediterrâneo e do Oriente Médio era colorida Getty Images: Daniel Petty, The Denver post, Valery Sharifulin Tass, Universal History Archive, Universal Images Group, Library of Congress/Corbis/VCG Mas como se formou a ideia de uma Antiguidade incolor? Primeiro vamos observar a Idade Média. A chamada Idade das Trevas foi um período em que a apreciação da cultura grega antiga se perdeu, junto com o fim do Império Romano do Ocidente. Isso abriu caminho para a arte sacra medieval e suas pinturas de passagens da Bíblia em cores fortes e vibrantes. Foi só no final do século 15 que a Antiguidade Clássica voltou a despertar interesse. Era o início do período que ficou conhecido como Renascimento. "O mito da escultura em mármore branco foi inventado pelo Renascimento italiano. O Renascimento queria fazer uma distinção do que havia antes da arte cristã. Eles queriam voltar à Antiguidade, à Era pré-Cristã , ter uma aparência icônica do que era feito. Então eles ressuscitaram a Antiguidade e a definiram como branca". Naquela época, esculturas gregas e romanas foram redescobertas no antigo território do Império Romano. E os artistas renascentistas tentaram reproduzir as obras. Peças icônicas do Renascimento, como o David de Miguelângelo, foram inspiradas nessa busca por uma referência na Antiguidade Clássica. A famosa escultura de David, de Miguelângelo, de 1504, foi inspirada na arte antiga Getty Images via BBC Mas a maioria dos templos e das estátuas havia perdido grande parte da cor. Afinal, cerca de dois mil anos haviam se passado desde que os originais gregos coloridos tinham sido produzidos. E essa arte pálida e desbotada caiu como uma luva, já que o objetivo dos renascentistas era se diferenciar da arte sacra, extremamente colorida e considerada por eles vulgar do ponto de vista artístico. Mas fica a pergunta. Será que os renascentistas que criavam ali uma estética que seria tão influente não notaram os vestígios de pigmentos de cor nas estátuas? É bem possível que tenham visto sim, considerando análises como a de Brinkmann de que até hoje é possível ver a olho nu a cor original de algumas estátuas. Mas não seria necessário depender apenas dos olhos. Havia referências às cores também em Platão, filósofo grego, considerado o pai da filosofia política. Platão escreveu no século 4 antes de Cristo que os olhos de uma estátua mereciam as mais belas das cores, já que eram a parte mais bonita do corpo. Mas referências como essa podem ter sido ignoradas por vários motivos. "A Europa não era muito educada nem muito interessada. Mas queria se livrar da opressão da Igreja. Produziram, então, um ideal", diz Vinzenz Brinkman. Ele acresenta que, "assim, o mármore branco e o bronze escuro passam a ser usados como um símbolo de sofisticação do pensamento europeu." Escavação reveladora - A Artemis de Pompeia Foi finalmente em 1769, em Pompeia, ao pé do monte Vesúvio, que uma estátua preservada pela lava lançada pela erupção devastadora do vulcão no primeiro século da chamada era Cristã, trouxe à tona o que a história havia apagado: a Artemis de Pompeia, calçava sandálias e tinha seus cabelos em vermelho. Foi uma descoberta histórica. Eram numerosos e visíveis os vestígios de cor na pele e nas roupas da estátua. As cinzas do vulcão que a cobriram em 79 d.C. tinham preservado parcialmente as cores. O arqueólogo e historiador Johann Winckelmann, considerado um dos pais da História da Arte Clássica, viu a estátua dois anos após a descoberta e pôde constatar a existência de cor. Muitos dizem que Winckelmann se recusou a aceitar que a estátua era grega. Para ele, a Artemis de Pompeia, era provavelmente etrusca, uma civilização mais antiga, e considerada por ele menos sofisticada do que a grega, que ele e seus contemporâneos admiravam. Anos depois, o especialista deu o braço a torcer. Definiu Artemis como fruto do início da arte grega. Sua conclusão, no entanto, permaneceu sem ser publicada por dois séculos - até 2008. Alguns acham que a demora foi proposital. O afresco de Pompeia mostra uma pintora pintando uma estátua, 55-79 A.D. Getty Images via BBC E as provas não vieram apenas com Artemis. Um afresco, também descoberto em Pompeia, mostra uma mulher claramente pintando uma estátua, e com muitas cores. A ausência de cor como símbolo de sofisticação Em 1810, algumas décadas depois da descoberta da estátua de Artemis, o famoso poeta alemão e estudante da arte grega Johan Wolfgang Goethe, publicou o livro Teoria das Cores. Ele escreveu: "…nações selvagens, povos primitivos e crianças sentem grande atração por cores vivas, os animais se enfurecem com certas cores, e homens sofisticados evitam cores vivas nas roupas e no ambiente que os cerca, procurando em geral delas se afastar." Mas Goethe, que considerava a Grécia Antiga o ápice da civilização, foi rebatido pelos fatos no mesmo ano em que publicou seu livro. Foi o ano em que o templo de Afaia, na ilha grega de Egina, foi descoberto em bom estado de conservação. As cores eram visíveis a olho nu. O Arqueiro, por exemplo, fez parte desse templo. É óbvio que, quando a estátua foi achada, as cores não eram mais tão fortes como na versão restaurada por Brinkmann. Mas mesmo assim eram inegavelmente visíveis na época. Ou seja, o templo de Afaia emergiu de escavações praticamente dizendo a Goethe: Você está enganado. "Ele sabia disso, mas menosprezou. Ele está francamente declarando ser ignorante. 'Eu sei, mas não quero saber.' E isso é algo que vemos ainda hoje todos os dias. Tantas pessoas e colegas dizem 'tudo bem, você pode estar certo, mas essa não é a minha Antiguidade. Minha Antiguidade… Eles têm suas próprias Antiguidades! As Antiguidades de cada um: e Goethe tinha a sua ", diz Brinkmann. Novas escavações no século 19 mostraram claramente o uso da cor na Antiguidade. Estudos de obras antigas foram publicadas, como as do arquiteto Ernst Ziller. Distorção do ideal estético Portanto, é justo dizer que no fim do século 19 ficou evidente que a Antiguidade era colorida. Mas, apesar de todas essas descobertas, nosso gosto continuou sendo moldado por uma estética sem cores quando se pensa na Grécia Antiga. "Os museus e os especialistas não informaram o público sobre cores e ornamentos nas estátuas, uma vez que cores e ornamentos estavam em certo ponto limitados a culturas não europeias, sem seriedade, folclóricas", afirma Brinkmann. Ainda assim, a desvalorização da cor prosseguiu. Basta dizer que em 1938, o Museu Britânico de Londres aplicou um intenso polimento numa peça de mármore retirado da Acrópole, de Atenas, até que ficasse branca e brilhante. Fico pensando o que meus antepassados achariam disso. Em sua versão original, a Acrópole era uma festa de cor. Segundo Brinkmann, nosso ideal estético foi distorcido mais do que nunca no século 20, e por motivos políticos. Ele cita o arquiteto austríaco Adolf Loos, um influente teórico da arquitetura moderna que chegou a comparar o uso da cor a um crime. "O arquiteto Adolf Loos, que é altamente ideológico, afirma que cor e ornamento são crimes de uma maneira muito grosseira e louca. É um absurdo" Loos chegou ao ponto de associar um senso de "imoralidade" ao ornamento, descrevendo-o como "degenerado". Na opinião de Loos é necessário suprimir a cor e a ornamentação para que uma sociedade seja definida como moderna. "Olhando para o início do século 20, conseguimos entender como essa nova postura radical de estética foi desenvolvida, passo a passo. O fascismo europeu contribuiu muito com isso, por meio de uma forte relutância em aceitar formas detalhadas, ornamentos, e o uso de cores diferentes.", afirma Brinkmann. Ele explica que uma figura colorida reflete melhor as emoções individuais. Já, sobre uma única cor, com frequência o branco, é possível projetar qualquer ideologia. Assim como para Loos e até mesmo Goethe, para os nazistas a inexistência de cor refletia um homem mais moderno, sofisticado e superior. E isso foi usado para justificar suas ideologias mortais. Mark Abbe, da Universidade da Geórgia (Estados Unidos), descreve: "esses trabalhos foram encarados como exemplos artísticos para modelos universais e eternos de beleza e caráter ético para a atual era. E isso continua: ainda erguemos estátuas de mármore, todas brancas, para prestar as mais elevadas honras na sociedade contemporânea". A exposição Deuses em Cor já foi exibida na Grécia. No berço dessa arte, a recepção foi mista como em outras partes do mundo. Mas, segundo a arqueóloga Hariclia Brekoulaki, ela serviu para desenterrar também o interesse dos gregos por seu próprio passado. Um passado colorido. "Teve uma repercussão importante. Algo como o que Vinzenz construiu com sua equipe na Alemanha infelizmente não existe na Grécia. Ainda. Espero, que com o passar do tempo, tenhamos mais iniciativas como essa. Inclusive nos museus que as obras se encontram. A ideia de que a cor é importante e de que precisamos estudá-la entrou na cabeça dos diretores de museus, e dos pesquisadores", reflete Brekoulaki. 'Devemos continuar a procurar outros mal-entendidos' Brinkmann celebra a recolorização da antiguidade grega. "No primeiro olhar, há um choque porque entra em conflito com suas expectativas. E no começo você pensa que as cores são fortes demais. E aí você volta e olha novamente, e essa impressão começa a se desfazer. Tem gente que entra em nossa exposição com uma postura de que esse é um modelo intelectual. E a ideia é descartada. Mas outras pessoas começam a pensar. Saem da exposição e percebem o grande mal-entendido, então devemos continuar a procurar outros mal-entendidos. E isso é lindo". VÍDEOS: Mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias Veja Mais

Mostra Arte na Maternidade dá partida à sua primeira edição neste domingo

O Tempo - Diversão - Magazine Com ações também nos dias 11 (terça-feira) e 12 (quarta), o evento apresenta, de forma gratuita e virtual, atrações por meio de vídeos publicados no YouTube Veja Mais

Ex-BBB Gil volta a Pernambuco e manda recado a fãs: 'eu acredito em vocês'

O Tempo - Diversão - Magazine Gil foi o quarto colocado do BBB 21, e sempre falou com orgulho de Paulista, onde mora, e de Jaboatão dos Guararapes (PE), onde nasceu Veja Mais

Livro de J.K. Rowling acusado de transfobia é premiado e chega ao Brasil em maio

O Tempo - Diversão - Magazine 'Sangue Revolto' (Editora Rocco) foi escrito por Rowling sob o pseudônimo Robert Galbraith Veja Mais

Felipe dos Santos estreia solo e lança disco experimental gravado na pandemia

O Tempo - Diversão - Magazine 'Meu Amigo Tilelê Diz Que Sou Brega Mas Eu Acho Isso Meio Problemático' tem 10 faixas cheias de deboche, críticas sociais, política e guitarras Veja Mais

Plataforma Embaúba Play chega ao mercado de streaming com mostra gratuita

O Tempo - Diversão - Magazine Festival reúne 80 filmes brasileiros e exibe longas, médias e curtas-metragens até dia 12 de junho Veja Mais

Duda Beat lança 'Te Amo Lá Fora': 'Ninguém é obrigado a nada, nem a me amar'

O Tempo - Diversão - Magazine Segundo álbum da carreira da cantora fala de desilusão e superação e explora novos estilos musicais Veja Mais

CineOP promove exposição fotográfica virtual 'Meu Cartão Postal de Ouro Preto'

O Tempo - Diversão - Magazine Podem participar fotógrafos profissionais e amadores, a partir de 18 anos Veja Mais

'Friends': Reunião de elenco será lançada em 27 de maio; veja teaser

G1 Pop & Arte Episódio especial foi adiado por causa da pandemia do novo coronavírus. Data de exibição na HBO Max e vídeo teaser foram divulgados nesta quinta-feira (13). Veja teaser de episódio especial de reunião de 'Friends' O episódio especial de reunião do elenco de "Friends" vai ser lançado na HBO Max no dia 27 de maio de 2021. A data foi divulgada nesta quinta-feira (13), junto com um video teaser. Veja acima. A reunião, que aconteceria em 2020, foi adiada por causa da pandemia do novo coronavírus. A exibição será na plataforma de streaming HBO Max. A agência Reuters informou em maio de 2020 que Robert Greenblatt, diretor da WarnerMedia Entertainment, avaliou que valeria a pena esperar até que o programa em edição única e sem roteiro pudesse ser filmado da maneira tradicional. A reunião, sonhada pelos fãs por anos, seria uma das atrações de lançamento da HBO Max, mas a pandemia do novo coronavírus paralisou as produções em Hollywood antes que o especial pudesse ser gravado. A reunião, sonhada pelos fãs por anos, seria uma das atrações de lançamento da HBO Max, mas a pandemia do novo coronavírus paralisou as produções em Hollywood antes que o especial pudesse ser gravado.  "Estamos esperando para conseguir finalizar esse especial, talvez até o final do verão. Acreditamos que há uma valor em se ter uma audiência barulhenta ao vivo presenciando a reunião desses seis grandes amigos", disse Greenblatt à revista "Variety" em entrevista.  "Nós não queremos fazê-lo de repente em uma chamada virtual, ou em seis quadrados com pessoas gravando de suas cozinhas e quartos", acrescentou Greenblatt.  Elenco de 'Friends' Divulgação Veja Mais

'Yanomamis estão marcados para viver', diz Claudia Andujar

O Tempo - Diversão - Magazine A artista expõe fotografias da série "Genocídio do Yanomami: Morte do Brasil" em São Paulo Veja Mais

Compositor de 'Agonia', Mongol morre de Covid-19, aos 64 anos

O Tempo - Diversão - Magazine Batizado Arlindo Paixão, ele era parceiro de Oswaldo Montenegro, a quem conhecia desde os 8 anos Veja Mais

Premiada no Brit Awards, Dua Lipa pede salário maior para trabalhadores da saúde

O Tempo - Diversão - Magazine Cerimônia contou com 2.500 profissionais de saúde e seus convidados, que receberam ingressos em reconhecimento aos esforços durante a pandemia Veja Mais

Diretor de clipes de artistas da periferia, P.drão celebra 15 anos de carreira

O Tempo - Diversão - Magazine Produtor belo-horizontino, que coleciona mais de 360 milhões de visualizações no YouTube, lança quatro videoclipes para festejar a data Veja Mais

A pedagogia do teatro no mundo da ‘tela plana’

O Tempo - Diversão - Magazine Antes uma realidade impensável, cursos práticos de artes cênicas e performáticas testam limites e experimentam novas dinâmicas na virtualidade Veja Mais

'BBB 21' supera 1 bilhão de interações no Facebook e no Instagram

O Tempo - Diversão - Magazine Outro dado interessante é que Arcrebiano, apesar de ter sido o segundo eliminado do programa, ficou entre os três brothers mais mencionados Veja Mais

Maneva anuncia parceria com Natiruts e celebra influência de Bob Marley

O Tempo - Diversão - Magazine A faixa escolhida para marcar esse encontro é "Lágrimas de Alegria", que será lançada dia 20 de maio Veja Mais

'Marighella' vaza e produtor Fernando Meirelles ataca pirataria

O Tempo - Diversão - Magazine No último sábado, começaram a pipocar links para baixar o filme em sites diversos e até em páginas de Facebook Veja Mais

Veja dicas para evitar links maliciosos e não ser atacado por vírus e páginas clonadas

G1 Pop & Arte Tira-dúvidas explica por que é preciso pensar duas vezes antes de clicar em links. Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados etc.), envie um e-mail para g1seguranca@globomail.com. A coluna responde perguntas deixadas por leitores às terças e quintas-feiras. Usuário deve observar o contexto de um link antes de clicar. Carlos Paes/Freeimages.com Como saber se um link enviado nas redes sociais não tem vírus? – Edisio Cruz Essa é uma pergunta extremamente difícil de responder, Edisio. Links em publicações e mensagens de redes sociais – assim como anexos e links em e-mail – são usados em inúmeros ataques de hackers. Quanto mais convincente um hacker consegue ser com sua "história" sobre o link, maior é a chance de você clicar e ser contaminado com vírus ou entregar seus dados e senhas diretamente na mão dos bandidos. Muitas vezes, pode ser mais fácil identificar a fraude em si do que analisar o link. Então, veja algumas dicas importantes: Seu navegador oferece proteção contra links maliciosos Todos os navegadores modernos possuem recursos que filtram links no momento que você os acessa. Se algum problema for detectado, você verá uma tela de alerta. Exemplo de alerta no Google Chrome. Embora o navegador sugira ativar a 'proteção reforçada', esse modo exige o envio do seu histórico de navegação para o Google. Reprodução Se você receber um alerta do seu navegador ao acessar um link, feche a aba e não prossiga. Caso o alerta ofereça algum download, tome cuidado: o alerta pode ser falso. Os alertas verdadeiros não pedem que você faça downloads, instale extensões ou abra outros links. Para redobrar o cuidado, você pode abrir o link em uma "janela anônima" do navegador. Basta clicar com o botão direito do mouse no link e selecionar "Abrir link em janela anônima" (Chrome), "Abrir link em nova janela privativa" (Firefox) ou "Abrir link em uma janela InPrivate". Outros navegadores podem ter textos levemente diferentes para descrever o mesmo recurso. No celular, você precisa segurar o dedo sobre o link para ver esta opção. Links podem enganar Todo mundo sabe como é um link básico. O que nem todo mundo sabe é que links possuem vários trechos opcionais que tornam links muito confusos. Muita gente acha, por exemplo, que "@" é coisa de e-mail. Mas não é bem assim. O endereço abaixo é um link válido para um site: https://cuidado:com_links@g1.globo.com/ Se quiser tentar colar no seu navegador, não se preocupe – você vai acessar a página principal do G1 – a mesma que você já conhece. Mas imagine que hackers podem colocar outras expressões e frases no lugar desse "cuidado" ou do "com_links". Se você só "bater o olho" no link, é fácil deixar passar os detalhes. Vamos com um exemplo: https://accounts.google.com7signin@exemplo.com.br Você sabe qual site este link acessa? Infelizmente, não é o site do Google. É "exemplo.com.br". Se isso fosse um golpe, o hacker poderia colocar outra coisa no lugar, levando você para um site falso onde você digitaria sua senha achando que está no site do Google. Aliás, uma curiosidade: o site "exemplo.com.br" não existe. É um endereço reservado pelo Comitê Gestor da Internet do Brasil para links de exemplo que não vão a lugar algum. Embora seja fácil ver o "exemplo.com.br" nesse link, os hackers podem usar "finais" de link bem mais sorrateiros. É fácil cair nessas (e em outras) armadilhas que usam características pouco conhecidas dos links. Os navegadores modernos evitam a confusão com esse tipo específico de link (o Firefox pode mostrar até uma janela de alerta). Infelizmente, existem muitos outros truques e "pegadinhas" semelhantes e nem todos os sites e redes sociais apresentam eles da mesma forma. Dependendo da rede social ou do golpe planejado pelos criminosos, os links ficam ocultos em serviços "encurtadores". Nesses casos, você não pode ver o link final antes de clicar. A lição que devemos tirar disso é que prender-se ao link pode não ser a melhor estratégia para evitar fraudes. Fique atento ao contexto O hacker precisa que você clique no link para cair no golpe. Então, podemos fazer uma observação: Quanto mais um link parece urgente e difícil de ignorar, maior é a probabilidade de que ele seja perigoso e falso. Não é incomum que golpistas utilizem promoções incríveis, ameaças, informações escandalosas, notícias sensacionalistas e até processos judiciais falsos para atrair a atenção das pessoas. Conteúdo pirata – que pode incluir até partidas de futebol – também entra nessa lista. Se você analisar o contexto da mensagem e o que ela oferece, vai ser mais fácil de identificar uma fraude do que olhando o link. Tente fazer algumas perguntas, como: Por que eu recebi isso? Quem me mandou isso? Por que essa pessoa me mandaria isso? Eu conheço bem essa pessoa que fez essa publicação? Eu posso entrar em contato diretamente com quem criou a publicação, fora da rede social, para perguntar do que isso se trata? Eu consigo conferir se uma promoção ou ameaça é verdadeira? Que "prova" foi oferecida? Eu consigo telefonar para alguém de confiança (ou para o órgão/empresa mencionado na mensagem) para obter informações? Se você acha que dá muito trabalho responder a essas perguntas, é provável que esteja diante de uma fraude. Mensagens legítimas normalmente partem de pessoas ou empresas que você conhece, e você sabe por que está recebendo. Fazer qualquer download ou digitar senha em páginas abertas por links é sempre perigoso. Prefira abrir uma aba do seu navegador e acessar o site manualmente. Lembre-se que páginas falsas vão solicitar a sua senha mesmo que você já esteja logado – se você não consegue acessar depois de fazer o login acessando o endereço manualmente, é porque se trata de um site falso. E vale saber: anúncios em redes sociais ou em resultados de busca também podem levar você para golpes. As redes de publicidade só realizam uma checagem básica do conteúdo publicitário. Você pode achar que conteúdo pago é fiscalizado, mas, na prática, a verificação não é muito rigorosa. Hackers invadem perfis de Facebook e Instagram para realizar golpes em posts patrocinados Entenda por que você pode receber alertas de vírus falsos no celular O 'link' mais importante é a confiança Não existe solução mágica. Acessar sites que você já conhece, por um meio que você já conhece, é sempre mais seguro do que seguir links. É normal querer saber a veracidade de uma promoção, de uma ameaça ou até notícia escandalosa em um site que não conhecemos. Temos, de um lado, o receio de cair em um golpe e, do outro, o receio de perder uma promoção ou enfrentar outro problema maior por ter ignorado a mensagem. Mas é exatamente nisso que os hackers apostam. Eles querem criar uma mensagem chocante a ponto de você desligar seu sentido de alerta. O certo a se fazer, porém, é construir vínculos de confiança. Se o link aponta para um site que você conhece e sabe como funciona, ótimo. Mas se o link fala de uma promoção que você nunca viu e não encontra no site fora daquele link, você sabe que se trata de uma fraude. Não é possível, de um minuto para o outro, descobrir se uma loja, site ou mensagem merece confiança. Confiança é sempre algo que construímos com o tempo. Dúvidas sobre segurança digital? Envie um e-mail para g1seguranca@globomail.com. Veja dicas para se manter seguro on-line Veja Mais

Prêmio Jabuti faz homenagem a Ignácio de Loyola Brandão

O Tempo - Diversão - Magazine "Esse convite justifica minha obra, salva minha história e, em certa medida, minha própria vida", disse Loyola Brandão Veja Mais

Quem é o artista indígena que levou a cosmologia e a luta macuxi para os museus

O Tempo - Diversão - Magazine Ele participa da Bienal de São Paulo deste ano e faz parte de uma geração de indígenas que entraram no circuito de arte recentemente Veja Mais

Kéfera diz que recebeu elogio de Monica, de 'Friends': 'Não entendi nada'

O Tempo - Diversão - Magazine Courteney Cox curtiu um vídeo da influenciadora e mandou mensagem dizendo que ela é engraçada e fofa Veja Mais

Traquitana Musical mostra resultados de experiências musicais entre avó e neto

O Tempo - Diversão - Magazine Projeto de Mônica Horta traz músicas para crianças da 1ª e da 2ª infância; faixa de estreia, “Descobertas” ganhou animação e será lançada nesta segunda-feira Veja Mais

'Mulheres apaixonadas' estreia no Globoplay: Relembre as histórias da novela de Manoel Carlos

G1 Pop & Arte Obra exibida em 2003 tinha Christiane Torloni como a Helena da vez, a luta de Santana contra o alcoolismo e os abusos sofridos pelos idosos Flora e Leopoldo. Maria Padilha, Christiane Torloni e Giulia Gam em 'Mulheres Apaixonadas' João Miguel Júnior/Globo A novela "Mulheres apaixonadas" estreia nesta segunda-feira (10) no Globoplay. Exibida em 2003, a obra de Manoel Carlos tinha Christiane Torloni como a Helena da vez, e ficou conhecida por contar diversas histórias diferentes. Para quem quer rever o triângulo amoroso completado por Tony Ramos e José Mayer ou a luta de Santana (Vera Holtz) contra o alcoolismo, o G1 relembra alguns dos principais momentos da trama, além de curiosidades, com dados do Memória Globo (leia mais ao fim da reportagem). A ideia do autor era fazer uma novela como se ela contivesse minisséries, contando várias histórias ao mesmo tempo. "A trama era um painel de mulheres apaixonadas, de uma maneira ou de outra. Tinha aquela apaixonada pelo filho; apaixonada pelo álcool, alcoólatra; mulher apaixonada pelo homem que a espancava", contou Manoel Carlos em entrevista ao Memória Globo. "As histórias corriam paralelamente, se entrelaçando umas às outras. Eu fui montando as histórias de acordo com as prioridades que eu tinha." José Mayer e Christiane Torloni em 'Mulheres Apaixonadas' João Miguel Júnior/Globo Na novela, cujo tema central era as várias formas de amar de uma mulher, Helena é casada com o saxofonista Téo (Ramos), mas tem uma recaída ao reencontrar um amor do passado, César (Mayer). No início da história, César tem um caso com sua assistente, Laura (Carolina Kasting), relacionamento desaprovado pelos filhos. Logo depois, começa a namorar a residente Luciana (Camila Pitanga). A relação com Helena só começa lá pela metade da trama. "Ser uma Helena é um prêmio, um presente. A personagem era uma anti-heroína, mas também a mocinha. Ela trai o marido, e o público vê isso naturalmente. Isso é um artifício magnífico de humanização dos personagens. É uma relação de identificação profunda, quanto mais complexo é o personagem, mais sucesso ele faz", disse a sexta Helena de Manoel Carlos. Vera Holtz em 'Mulheres Apaixonadas' João Miguel Júnior/Globo Alcoolismo Holtz eternizou Santana, uma professora que vivia embriagada. "Um papel que tem uma função social muito grande, e eu tinha consciência disso. A Santana era dependente e professora, tinha tudo a perder. Ela bebia dentro do colégio. Era uma mulher solteira, botando em risco a vida, a saúde e a profissão", afirmou a atriz. "Era uma personagem pesada, muito forte. Tem uma cena em que eu bebo perfume. A personagem fica muito chateada, bate a cabeça no espelho, sangra. É uma cena dramática. Eu estava degradada, já num processo autodestrutivo muito grande, depois ela é internada." Oswaldo Louzada e Carmem Silva em 'Mulheres Apaixonadas' João Miguel Júnior/Globo Flora e Leopoldo Uma das histórias que mais mobilizou o público em "Mulheres Apaixonadas" foi a do casal de idosos Flora (Carmem Silva) e Leopoldo (Oswaldo Louzada), que divide a casa com a família do filho Carlão (Marcos Caruso). Sua neta Dóris (Regiane Alves), no entanto, enxerga os avós como um peso. A jovem frequentemente os maltrata, humilha, rouba dinheiro deles. Uma das cenas mais esperadas da novela foi quando seu pai Carlão lhe dá uma surra de cinto para que ela aprenda a respeitar as pessoas. Helena Ranaldi e Dan Stulbach em 'Mulheres Apaixonadas' Renato Rocha Miranda/Globo Violência contra a mulher A professora de Educação Física Raquel (Helena Ranaldi) esconde um fantasma do passado. Ela se mudou para o Rio de Janeiro para fugir do marido Marcos (Dan Stulbach). Mas a certa altura da trama, ele reaparece e se revela um homem agressivo. Controlador, possessivo e doente, Marcos agride Raquel de várias formas, inclusive com uma raquete de tênis. Longe de casa, onde vive um pesadelo, Raquel se apaixona por um aluno: o jovem Fred (Pedro Furtado). Os pais de Pedro não compreendem a relação dos dois e se opõem ao romance. Curiosidades A novela teve muitas cenas gravadas no mesmo dia em que foram ao ar, o que ajudou a manter a atualidade da história. O último capítulo foi editado e sonorizado poucas horas antes de sua exibição, por exemplo; A Globo promoveu um concurso de seleção de fotos de telespectadores para a abertura de "Mulheres Apaixonadas". As fotos deveriam mostrar mulheres em situação de paixão com companheiros, filhos, amigos e familiares. Cerca de 100 mil retratos foram enviados pelos telespectadores e, a cada 15 dias, ia ao ar uma nova vinheta de abertura, com fotos trabalhadas pela equipe de Hans Donner; A personagem de Christiane Torloni foi a sexta Helena criada por Manoel Carlos em suas novelas. Ele batizou com o mesmo nome as protagonistas de "Baila Comigo" (1981, Lilian Lemmertz), "Felicidade" (1991, Maitê Proença), "História de Amor" (1995, Regina Duarte), "Por Amor" (1997, Regina Duarte) e "Laços de Família" (2000, Vera Fischer). Regina Duarte voltaria a interpretar uma Helena do autor em "Páginas da Vida" (2006). Em 2009, Taís Araújo viveu Helena em "Viver a Vida". Em 2014, foi a vez de Julia Lemmertz, filha de Lilian Lemmertz, dar vida à personagem na novela "Em Família". Manoel Carlos explica a escolha como sendo um nome forte, adequado a personagens batalhadoras, que chegam a mentir por amor; Manoel Carlos não previu que Marcos espancaria Raquel com uma raquete. A escolha foi circunstancial. Na verdade, o autor precisava inserir o personagem no universo da escola e o tornou um professor de tênis amador. Por isso ele vivia com uma raquete na mão. Manoel Carlos sugeriu a escalação de Dan Stulbach na novela após assisti-lo na peça "Novas Diretrizes em Tempos de Paz", de Bosco Brasil, em que o ator contracenava com Tony Ramos; O diretor Ricardo Waddington sugeriu que a atriz Giulia Gam lesse o livro "Mulheres que Amam Demais", de Robin Norwood, para se inspirar na criação da ciumenta e neurótica Heloísa. Durante as gravações, a atriz visitou o grupo de apoio Mulheres que Amam Demais Anônimas (Mada). A atriz destaca a cena da internação da personagem. Ela encarnou o drama de Heloísa de tal forma – gritou, chorou, esperneou, debateu-se tanto – que o psiquiatra que acompanhava a cena e os familiares da atriz ficaram chocados; "Mulheres Apaixonadas" foi vendida para vários países, incluindo Israel, onde foi ao ar no canal Viva, no horário nobre, simultaneamente à exibição, em outro canal, da novela "Esperança" (2002); A novela foi reprisada no Vale a Pena Ver de Novo em setembro de 2008. Veja Mais

Elon Musk participa do 'Saturday Night Live' e diz que tem síndrome de Asperger

G1 Pop & Arte No programa, bilionário fez piadas sobre si mesmo e falou sobre polêmicas: 'Reinventei os carros elétricos e estou enviando pessoas a Marte. Vocês acharam que eu seria um cara normal?' lon Musk, presidente da Tesla e da SpaceX Reuters Ao aparecer como convidado no programa americano "Saturday Night Live", Elon Musk, presidente da Tesla e da SpaceX, revelou que tem síndrome de Asperger, um tipo de autismo. Em seu monólogo de abertura do programa, o bilionário disse que foi a primeira pessoa com essa síndrome a ser convidada para a atração. "Ou pelo menos a primeira a admitir", afirmou. "Sei que disse ou postei coisas estranhas, mas é assim que meu cérebro funciona. Para qualquer pessoa que ofendi, só quero dizer: reinventei os carros elétricos e estou enviando pessoas a Marte em um foguete", declarou. "Vocês acharam que eu seria um cara normal e relaxado?" Nas redes sociais, Musk já recebeu críticas por alguns de seus comentários, como quando insultou um mergulhador que ajudou no resgate de um grupo de crianças presas em uma caverna na Tailândia. Initial plugin text Criptomoedas No "SNL", o empresário fez piadas sobre si mesmo, seus tuítes e o nome incomum de seu filho X Æ A-Xii. Ele também elogiou as criptomoedas (meios de troca para transações virtuais). Musk tem mostrado entusiasmo, principalmente, em relação à dogecoin. Pressionado a explicar o potencial dessa criptomoeda, o bilionário fez piada e a descreveu como "um veículo imparável, que vai dominar o mundo". Assim, pela segunda vez na semana, Musk fez variar o preço da dogecoin, que caiu para 49 centavos de dólar durante a transmissão do programa, quando pouco antes estava a 74 centavos, de acordo com o site especializado em criptomoedas CoinDesk. Veja Mais

Atriz Eva Wilma é diagnosticada com câncer no ovário

O Tempo - Diversão - Magazine Ela está internada no Hospital Albert Einstein para o tratamento de problemas cardíacos e renais desde o dia 15 de abril, Veja Mais

Ex-BBB Gil ganha homenagem em Paulista e dança o 'tchaki tchaki': tô só gratidão

O Tempo - Diversão - Magazine "Viva a ciência e viva a educação', disse o economista durante a condecoração Veja Mais

Netflix finaliza filmagens da quinta temporada de 'La Casa de Papel'

O Tempo - Diversão - Magazine Segundo a plataforma, os 10 episódios foram gravados em locações da Dinamarca, Portugal e Espanha Veja Mais

Azzula lança nesta sexta-feira o EP 'Fera"

O Tempo - Diversão - Magazine O disco reúne composições que reverberam várias formas de afeto, ecoando as vivências do artista Sam Lucca em um encontro com as de seu alter ego Veja Mais

Beatles Cordel coloca um submarino amarelo no meio do sertão brasileiro

O Tempo - Diversão - Magazine Álbum da banda paulista cria uma paisagem repleta de poesia, novos sotaques e fantasia ao unir forró, literatura e a obra do quarteto de Liverpool Veja Mais

Quadro de Pablo Picasso é vendido por US$ 103 milhões em Nova York

O Tempo - Diversão - Magazine Nome da obra leiloada é "Mulher sentada junto a uma janela" Veja Mais

BDMG Cultural abre inscrições para o LAB Cultural 2021

O Tempo - Diversão - Magazine O programa é direcionado a projetos que se manifestem por meio das artes visuais, da escrita, cênicas, da dança e expressões corporais, entre outras Veja Mais

Festival Glastonbury anuncia programação online com Coldplay, Damon Albarn, Haim e Jorja Smith

G1 Pop & Arte Evento presencial foi cancelado duas vezes por conta da pandemia. Transmissão vai acontecer nos dias 22 e 23 de maio. Foto de 2017 mostra Chris Martin durante show do Coldplay em SP Celso Tavares / G1 O festival de Glastonbury anunciou a programação completa de sua edição virtual em maio, com shows de Coldplay, de Damon Albarn (Gorillaz e Blur) do trio Haim e de Jorja Smith. O segundo maior festival de música a céu aberto do mundo teve as edições deste ano e de 2020 canceladas por conta da pandemia do novo coronavírus. A transmissão está marcada para os dias 22 e 23 de maio, e os shows serão gravados na Worthy Farm, fazenda onde acontece o festival no Reino Unido. Para assistir aos shows, é preciso comprar ingressos de 20 a 35 libras esterlinas, cerca de R$ 159 a R$ 277 no site oficial. Ao comprar, o fã escolhe assistir à transmissão no sábado (22) ou no domingo (23). É possível também escolher o horário de início da transmissão, e ela fica disponível por até 5 horas após o final do stream. Veja a programação completa. Os horários são um exemplo para quem decidir começar a transmissão às 7h, e indicam a duração de cada show. Mas a hora de início pode ser escolhida pelo espectador no momento da compra. 7:00: Wolf Alice 7:25: Michael Kiwanuka 7:55: George Ezra 8:05: IDLES 8:30: HAIM 9:00: Coldplay 9:50: Damon Albarn 10:25: Jorja Smith 10:55: CONVIDADO ESPECIAL 11:25: Kano 11:55: DJ Honey Dijon ft Róisín Murphy Cancelamentos Em foto de 2019, Kylie Minogue canta no Festival Glastonbury, no Reino Unido; evento não vai acontecer em 2020 por conta da pandemia do coronavírus Grant Pollard/Invision/AP, File O cancelamento do Glastonbury em 2021 aconteceu em janeiro e foi o primeiro grande evento musical a cancelar sua edição deste ano por causa da pandemia do coronavírus. "Será mais um ano de descanso forçado para nós", diz a organização, em comunicado publicado em seu site. "Apesar de nossos esforços para mover o céu e a terra, ficou claro que simplesmente não seremos capazes de fazer o festival acontecer este ano." Os ingressos já comprados serão válidos para a edição de 2022 do festival, diz a nota. O festival normalmente acontece em junho e também foi cancelado em 2020. Paul McCartney, Taylor Swift, Kendrick Lamar e Diana Ross já haviam sido anunciados como atrações principais. Um show de Gilberto Gil com a família também estava previsto para a edição do ano passado, que marcaria a 50º do evento. Semana Pop mostra os momentos em lives que saíram do controle VÍDEOS: Semana Pop explica temas do entretenimento Veja Mais

Começa nesta quinta, Dia da Abolição, o 'Tambor Mineiro no 13 de Maio'

O Tempo - Diversão - Magazine Evento virtual traz debates sobre manifestações culturais de matriz africana, além de oficinas artísticas Veja Mais

Juíza arquiva investigação contra Felipe Neto por 'Bolsonaro genocida'

O Tempo - Diversão - Magazine O influenciador digital estava sendo investigado, com base na Lei de Segurança Nacional, por ter feito as críticas pela gestão da pandemia do coronavírus Veja Mais

Série 'Loki', da Marvel, estreia dia 9 de junho no Brasil

O Tempo - Diversão - Magazine A produção é protagonizada por Tom Hiddleston e Owen Wilson e irá mostrar a vida do personagem após os eventos de 'Vingadores: Ultimato' Veja Mais

QUIZ: Por quanto tempo você sobreviveria 'No limite'?

G1 Pop & Arte Programa começou nesta terça (11), formado por 16 ex-BBBs. Responda 5 perguntas e veja se você poderia levar os R$ 500 mil para casa. Por quanto tempo você sobreviveria 'No limite? Veja Mais

Mahmoud é o primeiro eliminado no 'No Limite', que tem provas e divisão de equipes

G1 Pop & Arte Reality show começou com vitória da tribo Carcará na primeira prova. A Calango se recuperou em seguida, mas perdeu a terceira, de imunidade. Mahmoud no 'No Limite' Reprodução/Globo Mahmoud é o primeiro eliminado do "No Limite", que começou sua nova temporada nesta terça-feira (11). Ele foi o mais votado por sua equipe, a Calango, que perdeu a primeira prova de imunidade da edição e por isso teve de escolher um membro para deixar o programa. O programa teve início com a divisão dos 16 participantes originais em duas tribos. Initial plugin text Carcará, com cores laranjas, era composta por Iris, Viegas, Elana, Paula, Lucas Chumbo, Gui Napolitano, Ariadna e Marcelo Zulu. Já a Calango, com tema verde, foi formada por Jéssica, Carol Peixinho, Mahmoud, Gleici, Kaysar, Angélica, André e Arcrebiano. O primeiro episódio começou com um certo equilíbrio entre os times. A Calango saiu na frente na primeira prova, a que definiria os acampamentos, mas foi ultrapassada e perdeu. Eles se recuperaram na segunda, e com a vitória ganharam alguns mantimentos. Mesmo assim, cometeram erros na prova da imunidade e tiveram de votar em um de seus integrantes para sair. As duas tribos do novo 'No limite' e o apresentador André Marques no centro Reprodução/Globo Semana Pop relembra momentos marcantes do 'No Limite' Veja Mais

Morre escritor francês Jacques Bouveresse, especialista em Wittgenstein

O Tempo - Diversão - Magazine O francês ficou conhecido como um dos maiores especialistas nas obras so filósofo austríaco, naturalizado britânico Veja Mais

Hyldon festeja inclusão de dois discos clássicos nas plataformas digitais

O Tempo - Diversão - Magazine 'Deus, a Natureza e a Música', de 1976, e 'Sabor de Amor', lançado cinco anos depois, marcaram a carreira do cantor e compositor Veja Mais

Secretaria de Cultura de SP anuncia R$ 200 milhões para apoio ao setor em 2021

O Tempo - Diversão - Magazine Dividido entre quatro programas diferentes, o valor poderá apoiar, segundo o secretário Sérgio Sá Leitão, 9.340 projetos presencial e online Veja Mais

Ações diversas marcam os 30 anos da Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de BH

O Tempo - Diversão - Magazine Programação online e gratuita do projeto '30 anos da BPIJ-BH' reúne atividades de música, literatura e contação de histórias até dezembro Veja Mais

'No Limite' estreia nesta terça com ex-BBBs; saiba tudo sobre o programa

G1 Pop & Arte André Marques comanda nova temporada do reality de desafios. Tradicional prova da comida está de volta. Semana Pop relembra momentos marcantes do 'No Limite' "No limite", primeiro reality show da televisão brasileira, está de volta nesta terça-feira (11), formado por 16 ex-BBBs. Apresentada por André Marques, a nova edição do programa traz mudanças em relação às quatro temporadas exibidas na TV Globo entre 2000 e 2009. O reality terá 16 semanas de duração e provas intensas, entre elas a da comida - olho de cabra e cérebro de bode já fizeram parte do cardápio. O vencedor leva R$ 500 mil. Participantes de 'No Limite' Reprodução/Globo Veja, abaixo, tudo o que você precisa saber sobre o programa. Quem são os participantes Participantes de "No Limite" Divulgação/Globo Arcrebiano, do "BBB21" Angélica, do "BBB15" Viegas, do "BBB18" Paula Amorim, "BBB18" Ariadna, "BBB11" Gui Napolitano, "BBB20" Kaysar, "BBB18" Carol Peixinho, "BBB19" Elana, "BBB19" Lucas Chumbo, "BBB20" Gleici, "BBB18" Mahmoud, "BBB18" Iris Stefanelli, "BBB7" Marcelo Zulu, "BBB4" André, "BBB13" Jéssica, "BBB18" Como vai funcionar Os participantes serão divididos em dois grupos: Carcará e Calango. Eles enfrentarão duas provas por semana: uma para saber quem terá regalias no acampamento (Prova de Privilégios), como fósforos e sacos de dormir, e outra para definir qual grupo estará imune naquela semana (Prova de imunidade). O grupo perdedor da imunidade vai para o "Portal de Eliminação". Nessa dinâmica, a equipe tem que votar entre si, e quem receber mais indicações é eliminado diretamente, sem votação do público. Quando o programa vai ao ar "No limite" será exibido uma vez por semana, todas as terças, depois de "Império". Além disso, todos os domingos, o eliminado da semana será entrevistado no programa "No Limite - A Eliminação", após o "Fantástico". Gshow e Globoplay terão conteúdos exclusivos. Onde o programa é gravado O acampamento dos "limiters" fica no Ceará, em uma locação chamada de Praia Brava, com muitas dunas. André Marques no seu limite André Marques comanda nova edição de 'No Limite' Divulgação/Globo Duas semanas antes do início do programa, o apresentador André Marques participou de uma entrevista coletiva após um dia de gravação. Com o rosto vermelho, ele contou que também teve sua resistência testada nos primeiros dias de filmagem. "Uns 10 dias antes, comecei a comer melhor, caminhar. Mas se eu soubesse que seria assim, teria começado quando o Boninho me chamou", contou. O apresentador disse que sua maior dificuldade tem sido contornar o calor, pois tem "um sol pra cada um". Ele garante que as provas são surpresa para a equipe e que está disposto a encarar olho de cabra junto com os participantes: "Já perguntei para os chefes sobre as comidas, mas não vamos saber antes. Eu sou brabo, adoro comer." VÍDEOS: Semana Pop explica realities e entretenimento Veja Mais

'Não gostaria de estar triste', desabafa Lizzo

O Tempo - Diversão - Magazine Ganhadora de três Grammys, a cantora foi indicada no ano passado a oito nomeações ao prêmio Veja Mais

Morre o escritor espanhol José Manuel Caballero Bonald aos 94 anos

O Tempo - Diversão - Magazine De pais cubanos, o autor nasceu na Andaluzia em 1926, e recebeu em 2012 o Prêmio Cervantes Veja Mais

Hugh Laurie interpreta um Dr. House menos antissocial em 'Roadkill'

O Tempo - Diversão - Magazine Ator encarna político britânico sem escrúpulos em minissérie britânica em que nenhum personagem é santo Veja Mais

Grupo Maria Cutia dá início nesta segunda-feira à Mostra Excêntrica

O Tempo - Diversão - Magazine Festival online da companhia mineira traz cenas inéditas concebidas para o digital por palhaços convidados e estudantes de palhaçaria Veja Mais

Chico Mendonça fala de seu segundo livro, 'A Vila dos Pequenos Homens Loucos'

O Tempo - Diversão - Magazine Narrativa fala sobre a capacidade que as pessoas têm de se reinventarem - poder esse desconhecido, mas sempre transformador Veja Mais

Lives de Dia das Mães: Ivete, Fafá de Belém, Daniel com Alexandre Pires e mais shows hoje

G1 Pop & Arte Veja agenda e horários de transmissões ao vivo deste final de semana. Ivete Sangalo, Alcione e Daniel Rafael Mattei, Globo/João Januário, Foto: Globo/João Miguel Júnior A agenda das lives, que começou a crescer nas últimas semanas, é reforçada pelo Dia das Mães neste domingo (9). Ivete Sangalo, Alcione e Daniel com Alexandre Pires estão entre as atrações. Veja a lista completa com horários das lives abaixo. O G1 já fez um intensivão no começo da onda de lives, constatou o renascimento do pagode nas transmissões on-line, mostrou também a queda de audiência do fenômeno e a polêmica na cobrança de direito autoral nas lives. Lives do domingo (9): Daniel e Alexandre Pires - 13h - Link Fafá de Belém, com participação de Mariana Belém - 16h - Link Ivete Sangalo - 18h - Link Zudizilla, Selma Uamussi, B Fachada, Marissol Mwaba e François Muleka - Festival Fixe - a partir das 18h - Link As cenas de 'lives' da quarentena que já estão na história do entretenimento brasileiro Veja Mais

Morre Tawny Kitaen, atriz e musa dos clipes do Whitesnake, aos 59 anos

O Tempo - Diversão - Magazine A atriz ruiva também apareceu em videoclipes de rock durante o auge da MTV e estrelou ao lado de Tom Hanks na comédia Bachelor Party, de 1984 Veja Mais

Show de Barões da Pisadinha abre a final da Copa Nordeste, em Fortaleza

O Tempo - Diversão - Magazine Apresentação antecedeu o jogo entre Ceará e Bahia Veja Mais

Morre Carlito Carvalhosa, integrante do grupo Casa Sete e herdeiro minimalista

O Tempo - Diversão - Magazine Vítima de câncer, artista foi um dos nomes mais relevantes de sua geração, com presença na Bienal de São Paulo e no MoMA Veja Mais

Baixista do Jota Quest lança loja de merchandise para artistas brasileiros

O Tempo - Diversão - Magazine Músico mineiro investe em licenciamento da marca de bandas e cantores nacionais para produzir camisetas exclusivas Veja Mais

Mumuzinho faz sua estreia em parceria com sertanejo e diz: 'Não sou pagodeiro, sou intérprete'

G1 Pop & Arte Cantor lança 'Tomara' com a dupla Matheus e Kauan. Faixa é a primeira da segunda parte do projeto 'Playlist'. Mumuzinho entre Matheus e Kauan Bruno Fioravanti Acostumado com as batidas do samba e do pagode, Mumuzinho resolveu colocar uma levada sertaneja em seu mais novo projeto. O cantor convocou a dupla Matheus e Kauan para a gravação de "Tomara", primeira faixa do EP "Playlist 2". O trabalho dá continuidade ao álbum de inéditas, que começou a ser divulgado em dezembro de 2020 e, agora, ganha um novo EP, com outras seis canções. "Eu venho construindo uma carreira muito baseada musicalmente no samba. Gravei com Xande [de Pilares], com Alcione, diversos cantores. Eu nunca tinha gravado nada com outros gêneros. Percebi que nessa pandemia a galera passou a curtir todos os tipos de gêneros." "Sempre gostei de sertanejo, sempre foram meus amigos", conta Mumuzinho, relembrando que sempre foi questionado pelos artistas sobre uma gravação em parceria. "Eu também estava louco para gravar. Consegui a música e mostrei pro Mateus e Kauan e elas amaram. Na mesma hora eles falaram que queriam gravar." "Tomara" tem a produção de Bruno Cardoso e Leandro Gomes, o Lelê, que já trabalharam com Mumuzinho em outros projetos. "Eles tiveram todo o cuidado para não ficar muito sertanejo, pra não sair muito da minha da minha região", afirma o cantor. Mumuzinho Bruno Fioravanti Novos ritmos A parceria com sertanejo abriu as portas para Mumuzinho pensar em gravar com outros ritmos. "Com certeza. Música americana, trap, tem muita coisa aí pela frente." A empolgação não é apenas por causa da união de vozes com o sertanejo, mas também pelo aprendizado durante participação como um dos jurados do "The Voice +". "O The Voice também me abriu muito a cabeça musicalmente. No sentido de sair da zona de conforto, de cantar tudo. Acho que a música é primordial." "Eu não sou um pagodeiro, sambista. Eu sou intérprete. Então intérprete canta. O que tiver que ser, ele vai cantar." "O programa abriu a minha mente para isso, porque lá eu vi diversos talentos diversas vozes que me fizeram entender que a gente precisa pensar um pouco fora da caixinha." Descobridor de talentos Depois de colocar Camilla de Lucas para estrelar o clipe de "Playlist", antes mesmo de ela ser anunciada no "BBB21" e ficar em terceiro lugar no reality, Mumuzinho pretende mostrar mais uma influencer para o Brasil. O cantor convocou Sarah Fonseca para protagonizar o clipe de "Tomara". "Pra mim, ela é a bola da vez. Foi uma pessoa que eu coloquei para justamente chamar atenção dos trabalhos que a galera vem curtindo, como 'BBB'. Ela tem todo o perfil e eu acredito muito." Sarah Fonseca é estrela do clipe da música "Tomara", parceria de Mumuzinho e Matheus e Kauan Reprodução/Instagram Mumuzinho, jurado do 'The Voice +', fala do programa, carreira e planos Veja Mais

Exposição homoerótica é cancelada no Pará e ecoa censura a 'Queermuseu'

O Tempo - Diversão - Magazine "Suaves Brutalidades", de Henrique Montagne Figueira, tinha um vernissage virtual previsto para ocorrer na noite desta quinta Veja Mais

'Caso Evandro' leva morte brutal e misteriosa de criança para nova série e livro

O Tempo - Diversão - Magazine A trama serializada investiga um episódio real ocorrido em 1992, o assassinato brutal de um garoto de seis anos na cidade paranaense de Guaratuba Veja Mais

Mineira Brisa Flow é destaque do segundo episódio do Festival Afro e Indígena

O Tempo - Diversão - Magazine Evento, que mescla apresentações musicais e entrevistas, também conta com a participação da paulista Miranda Caê e vai ao ar nesta quinta-feira (13) Veja Mais

Festival virtual associa o cinema à gastronomia mineira até domingo (16)

O Tempo - Diversão - Magazine Matula Film Festival vai ter transmissão gratuita e on-line; oficinas, palestras e debates também são destaques na programação Veja Mais

Amy Adams teve que driblar a ansiedade para estrelar 'A Mulher na Janela'

O Tempo - Diversão - Magazine Em thriller da Netflix, atriz é uma mulher com fobia de sair de casa que testemunha crime cometido pelo vizinho Veja Mais

Dona Dodora, matriarca da Comunidade Quilombola dos Arturos, morre de Covid-19

O Tempo - Diversão - Magazine Maria Auxiliadora da Luz estava intubada em um hospital de Contagem, tinha 84 anos e deixa cinco filhos Veja Mais

Juliette é cobiçada por três gravadoras, mas carreira de cantora pode demorar a decolar

G1 Pop & Arte Sony, Warner e Universal dizem ter interesse em contratar a ex-BBB, que ainda estuda propostas. Ela já assinou com empresa que cuida da imagem da Anitta e foi cortejada por Luan Santana. Juliette, a melhor cantora do BBB? G1 analisa performance dela Juliette Freire, campeã do BBB21 com 90,15% dos votos, tem propostas de gravadoras, mas pode ser que não feche com nenhuma delas por enquanto. O G1 entrou em contato com as três principais gravadoras do Brasil. Três delas demonstraram interesse em contratar Juliette: A Sony tem Luan Santana como principal intermediador e vê “personalidade musical” na ex-BBB; A Warner planeja uma “aproximação” e tem apoio de Anitta na busca de uma artista “carismática”; A Universal está “aberta” para negociar, vê muito potencial, mas diz que ela “precisa de tempo”. Até agora, porém, o único contrato assinado por Juliette é com a empresa que cuida da imagem de Anitta. Nesta terça-feira (11), ela dormiu na casa da cantora, que não estava no Brasil. No mesmo dia, foi lançada a central de fã-clubes oficial de Juliette, nos mesmos moldes do QG da Anitta. A ideia é organizar as ações dos fãs e fazer mutirões de votos, subir hashtags e outras atividades em conjunto. De um lado Anitta… do outro Luan Juliette, vencedora do "BBB21" Divulgação Dentre os executivos de gravadoras, Paulo Junqueiro, presidente da Sony, é um dos mais entusiasmados. Ele diz que existem “todas as chances” de ela ser contratada. “Basta ela querer e chegaremos a um acordo com certeza”, diz Junqueiro. Juliette canta bem? Especialistas avaliam Ele diz que ainda é difícil saber qual o perfil da ex-BBB, mas ela tem “personalidade musical”. “Agora é uma questão dela encontrar o melhor caminho”, complementa. “A Juliette tem chance de fazer o que quiser. Já mostrou que tem um timbre bonito, canta bem. É uma questão de encontrar o repertório certo e a produção adequada.” Fiuk, Juliette e Camilla de Lucas, finalistas do 'BBB 21' Reprodução/TV Globo Luan Santana, que é contratado da Sony, insistiu com o presidente da gravadora que Juliette seria uma boa aposta. Ele a convidou para participar no clipe de “Morena”. Ela topou atuar no vídeo, mas diz que “não tem tanta segurança” para cantar profissionalmente. “Eu não sei, o povo insiste que eu sou cantora, mas eu ainda não sou cantora”, desconversou Juliette, dias depois. “Vou fazer o que trouxe paz e felicidade, porque dinheiro eu já tenho.” A ex-BBB também vem dizendo que precisa estudar canto. Sergio Affonso, presidente da Warner Music Brasil, garante que eles estão planejando “uma aproximação” com Juliette. “Ela preenche os requisitos de perfil que buscamos nos artistas que fazem parte do nosso cast.” Affonso diz que ela é” extremamente carismática” e afinada. Juliette, do 'BBB21' Divulgação Paulo Lima, presidente da Universal Music Brasil, vê a gravadora “aberta” para a ex-BBB. “Mas entendemos o momento e Juliette precisa de tempo para entender todo o sucesso que obteve com o BBB”, explica. Isso não quer dizer que ele não veja talento na advogada. “Ela é muito afinada, canta super bem”, opina. “Capacidade, talento e carisma ela tem. Se vier com um grande hit, pode explodir.” O repertório no BBB A maquiadora e advogada entrou no BBB21 com 3 mil seguidores no Instagram e sai com mais de 23 milhões. Nos 100 dias de reality, a paraibana de 31 anos cantou em torno de 20 músicas. Foi do forró “Me usa” ao som barzinho e violão de “Sozinho”, com doçura e afinação. Quando ela recebia elogios pelo canto afinado, antes do BBB, dizia não ter voz para ser profissional. "Só sei cantar um pouquinho", vivia repetindo. Agora, resta saber se ela vai querer se dedicar à carreira musical nos próximos meses. Semana Pop explica temas do entretenimento Veja Mais

Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais vai receber reforma

O Tempo - Diversão - Magazine Orçadas em R$ 1,9 milhão, obras vão recuperar teto danificado além de revitalizar a fachada do prédio e promover a reforma da rede elétrica Veja Mais

Washington Post nomeia primeira mulher para chefiar redação

O Tempo - Diversão - Magazine Sally Buzbee sucede Martin Baron, que comandou o jornal até fevereiro e prepara um livro sobre o jornalismo americano Veja Mais

Obama e Springsteen batem papo como velhos amigos em novo podcast

O Tempo - Diversão - Magazine "Compartilhamos uma crença fundamental no ideal americano", resume Obama, sobre o elo entre os dois Veja Mais

'Army of the dead', novo filme de Zack Snyder, é longo demais para história de menos; G1 já viu

G1 Pop & Arte Cineasta retorna a gênero de zumbis, que lançou sua carreira, com enredo arrastado e sem sentido. Filme com Dave Bautista estreia dia 21. Os melhores filmes de zumbi exploram os clichês do gênero para aprofundar uma trama muitas vezes previsível e/ou discutir a natureza humana através do absurdo. Em "Army of dead: Invasão em Las Vegas", o diretor e roteirista Zack Snyder ("Liga da Justiça de Zack Snyder") falha em ambos os aspectos e entrega um filme longo demais para história de menos. É triste, pois o retorno do cineasta ao gênero com o qual começou a carreira no ótimo "Madrugada dos mortos" (2004) poderia ser também seu reencontro com a boa forma. Mas os poucos bons momentos de ação – tiros há de sobra, o que falta é qualidade – não compensam o enredo pobre, às vezes porcamente disfarçado com um pouco de profundidade vazia. Com estreia no dia 21 na Netflix, "Army of the dead" se arrasta por quase duas horas e meia, quando poderia e deveria ser resolvido com uns 30 minutos a menos. Assista ao trailer de 'Army of the dead': Invasão em Las Vegas Acontece em Las Vegas Como o subtítulo em português deixa claro, a história envolve uma equipe de mercenários contratada para invadir uma Las Vegas isolada após um apocalipse zumbi concentrado na cidade. A ideia é arrombar o cofre de um cassino, que guarda US$ 200 milhões. Parece bem simples, não é mesmo? Confuso é entender por que, então, o filme enrola tanto. O roteiro de Snyder parece achar que cenas longas e sem propósito são o mesmo que profundidade e reflexão, mas não passam de enrolação para atingir uma marca de tempo que serve apenas para fazer com o que o público se pergunte o que diabos está acontecendo – algo que fica ainda mais difícil quando os Cranberries começam a tocar "Zombie" na trilha sonora. Nem a adição de zumbis inteligentes e organizados serve para justificar. Pior, ao protagonizarem sua própria trama paralela, roubam tempo precioso que poderia ser melhor utilizado para explorar melhor as motivações do heróis. Dave Bautista em 'Army of the dead: Invasão em Las Vegas' Clay Enos/Netflix Elenco esforçado O elenco encabeçado por Dave Bautista (o Drax, dos dois "Guardiões da galáxia") e Ana de la Reguera ("Narcos") é esforçado e tem seu carisma, mas não consegue superar as situações clichês a que é submetido a todo instante. O próprio Bautista, um ex-lutador de luta-livre que há tempos merece chances como protagonista, mostra que o diretor não sabe aproveitar o que tem em mãos. Na melhor cena do filme, mostra toda sua habilidade de luta corpo a corpo contra uma onda de mortos-vivos. Uma pena que esta seja praticamente a única do tipo ao longo da trama e ele volte rapidamente a tiroteios pouco inspirados. Dave Bautista, OImari Hardwick, Tig Notaro, Samantha Win, Colin Jones, Matthias Schweighöfer, Raúl Castillo e Ana de la Reguera em cena de 'Army of the dead: Invasão em Las Vegas' Clay Enos/Netflix Poxa vida, Snyder Em uma carreira celebrada (e criticada por alguns) por adaptações de quadrinhos, é fácil esquecer que Snyder deu início a sua carreira cinematográfica com a excelente regravação do clássico "Madrugada dos mortos". Apesar de alguns desvios desnecessários, o filme de 2004 acertava ao conhecer suas limitações e ir direto ao ponto, utilizando zumbis comedores de carne humana para refletir sobre a natureza humana, como nas melhores obras de George Romero, o pai do gênero. É triste perceber, então, que "Army of the dead" seja transformado em ação sem sentido ou controle – tão descerebrado que não atrai nem mesmo o mais esfomeado dos zumbis. Richard Cetrone e Omari Hardwick em cena de 'Army of the dead: Invasão em Las Vegas' Clay Enos/Netflix Veja Mais

40 anos sem Bob Marley: Artistas do reggae citam músicas favoritas que marcaram legado do cantor

G1 Pop & Arte Zeider, do Planta & Raiz, Tales, do Maneva, e outros cantores falam sobre ícone jamaicano, que morreu em 1 de maio de 1981, vítima de câncer. Artistas e músicos do reggae escolhem músicas pra representar o legado de Bob Marley Bob Marley marcou a história da música e inspirou muitos artistas com suas canções de paz, positividades, mas que também traziam discursos com críticas sociais. Quarenta anos após a morte do artista, ícones nacionais do reggae atenderam ao convite do G1 e citaram músicas que representam o legado de Bob Marley. Assista ao vídeo. Bob Marley: 40 anos sem astro do reggae; FOTOS "Há 40 anos Bob deixava esse plano, e também deixava o legado no nosso coração da música, da união, da paz, do amor, da vida", afirmou Zeider, vocalista do Planta & Raiz, que citou a canção "Natural Mystic". "Pra mim, ela significa evolução espiritual já." Já Tales, do Maneva, escolheu "Time you tell". "Ela traz essa parada que a gente acredita muito, acredita no destino, acredita que as coisas são do jeito que tem que ser que a gente já nasce aqui com uma pré-disposição a fazer as coisas que a gente precisa fazer." Vitin, líder da 11:20, foi de "Redemption Song". "Essa é a música que diz que nos prova de que apenas temos o controle sobre a nossa mente, sobre o que a gente pensa." Fauzi Beydoun, da Tribo de Jah, cantou um trecho de uma versão em português de "Guiltiness". "Bob impactou o planeta com suas canções, lindas canões, canções românticas, politizadas libertárias, são ytantas, difícil escolher uma. Mas depois de tantos anos, fiquei impactado com essa letra de 'Guiltiness'." O cantor Dada Yute foi de "Bad Card". "A Importância do legado pra mim é que é a própria confirmação todo jovem de periferia, de quebrada chegar no topo. E 'Bad Card' porque ele fala nessa música que vocês vão enjoar de ver minha cara na televisão." Imagem de Bob Marley no 'Museu Bob Marley', em Kingston, Jamaica Jorge Reyes/Mexsport/Mexsport via AFP/Arquivo Veja Mais

Martha Medeiros discute a riqueza da escrita de Caio Fernando Abreu

O Tempo - Diversão - Magazine Convidada desta terça-feira do projeto, a escritora gaúcha detalha sua admiração pela obra do saudoso conterrâneo, de quem se tornou amiga Veja Mais

'The Underground Railroad' retrata a vida brutal de uma escrava em fuga nos EUA

O Tempo - Diversão - Magazine Série em dez episódios adapta o livro de mesmo nome de Colson Whitehead, vencedor do Pulitzer há quatro anos Veja Mais

Festival de Berlim terá exibições ao ar livre para pessoas vacinadas

O Tempo - Diversão - Magazine Pela primeira vez, e por causa da pandemia, o festival de cinema criado em 1951 será realizado em duas partes Veja Mais

Ivete canta 'Emoções' para Paulo Gustavo e protesta contra as milhares de mortes

O Tempo - Diversão - Magazine Cantora também mencionou as chacinas durante live em comemoração ao Dias das Mães neste domingo (9) Veja Mais

Dê uma chance ao queijo mineiro em receitas clássicas da gastronomia mundial

O Tempo - Diversão - Magazine O produto mais icônico do Estado, em sua versão artesanal, tem todas as credenciais para dar um toque todo especial a preparos internacionais como o espaguete à carbonara e o aligot Veja Mais

Concerto da Orquestra Opus em homenagem às mães já está online

O Tempo - Diversão - Magazine O show contou com a presença do músico saxofonista Derico Sciotti, que se juntou a 22 instrumentistas, sob a regência do maestro Leonardo Cunha Veja Mais

Espetáculo 'Maternar' será apresentado neste domingo, online

O Tempo - Diversão - Magazine Montagem da Cia Quatro Quartos integra a Mostra Arte na Maternidade, que também tem início agora Veja Mais

Grávida, Thaeme prepara música ao novo bebê e não planeja mais filhos

O Tempo - Diversão - Magazine Thaeme conta que precisa de injeções de anticoagulante diariamente para manter a gestação segura e evitar trombose Veja Mais