Meu Feed

Hoje

'Stranger Things' vai ganhar série derivada e peça teatral

G1 Pop & Arte Netflix trabalha para transformar seu maior sucesso produzido em língua inglesa em franquia. Empresa não deu mais detalhes sobre a história ou personagens do 'spin-off'. Millie Bobby Brown em cena da 4ª temporada de 'Stranger Things' Divulgação/Netflix A Netflix anunciou nesta quarta-feira que está desenvolvendo um 'spin-off' (produção derivada) de sua série de ficção científica "Stranger Things". A plataforma de streaming trabalha para transformar seu maior sucesso produzido em língua inglesa em uma ampla franquia no setor de entretenimento. A nova série será inspirada em uma ideia original de Matt e Ross Duffer, os gêmeos que criaram "Stranger Things", afirmou a Netflix em um comunicado. Nenhum detalhe sobre história ou personagens foi anunciado. A Netflix também anunciou uma peça teatral que se passa no mundo "Stranger Things". O thriller sobrenatural, que estrela Winona Ryder e David Harbour, estabeleceu recordes de audiência na Netflix, ultrapassando o drama de época "Bridgerton" como o programa de língua inglesa mais assistido da plataforma. O impacto cultural de "Stranger Things" reverberou desde sua estreia em 2016, transformando a então atriz mirim Millie Bobby Brown em uma estrela global. A temporada mais recente fez a música "Running Up That Hill", de Kate Bush, disparar até o topo das paradas no iTunes e no Spotify, 37 anos depois de seu lançamento original. A quarta temporada foi concluída com os últimos dois episódios na semana passada, causando um breve colapso do aplicativo da Netflix enquanto os fãs tentavam assisti-los. A série acumula 1,15 bilhão de horas assistidas na plataforma, ficando atrás apenas do drama sul-coreano "Round 6". "Uma das razões pelas quais 'Stranger Things' realmente estourou da maneira como foi é sua universalidade", disse Matthew Thunell, vice-presidente da Netflix que leu pela primeira vez o roteiro e fez campanha pela produção da série. "É realmente sobre a força da amizade, como a amizade triunfa sobre o mal." Teaser da 4ª temporada de 'Stranger Things' Veja Mais

PMs de SP que participaram de abordagem que matou a tiros MC Neguinho JM são afastados e investigados pela Corregedoria

G1 Pop & Arte Inquérito Policial Militar apura se eles agiram corretamente ou não durante a ação no Campo Limpo. Polícia Civil também investiga caso. Promessa do 'funk consciente' tinha 19 anos quando foi baleado no sábado (2) na Zona Sul de SP. Agentes alegaram que houve troca de tiros. MC Neguinho JM tinha 19 anos Reprodução/Arquivo pessoal Os policiais militares que participaram da abordagem que matou a tiros o MC Neguinho JM, de 19 anos, no último sábado (2), durante perseguição na Zona Sul de São Paulo, foram afastados preventivamente dos trabalhos nas ruas. Quem é MC Neguinho JM? Cantor era do 'funk consciente' e lançou música sobre moto Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), os agentes ainda são investigados pela Corregedoria da Polícia Militar (PM). Um Inquérito Policial Militar (IPM) apura se eles agiram corretamente ou não durante a ação no Campo Limpo. A Polícia Civil também investiga o caso, que foi registrado inicialmente no 47º Distrito Policial (DP), Capão Redondo, como desobediência, lesão corporal e morte decorrente de intervenção à oposição policial. Vídeo gravou abordagem MC Neguinho JM é morto a tiros pela PM durante perseguição em SP Vídeo de câmera de segurança que circula nas redes sociais mostra David Meireles Miranda pilotando uma moto emprestada (veja nesta reportagem). Nas imagens é possível ver que ele não usava capacete e estava desarmado quando foi baleado no tórax e na perna pelos policiais militares. O funkeiro não resistiu aos ferimentos e morreu na Rua Marechal João Carlos Barreto. Jeferson Fernando da Silva Souza, o garupa que aparece com ele na moto, também estava sem capacete e foi baleado pelos agentes, mas na cabeça. No vídeo é possível ver o momento que ele é atingido e cai da motocicleta. Ele estava armado e ameaçou atirar contra uma base policial no bairro, segundo a PM. De acordo com os policiais, houve troca de tiros. Até a última atualização desta reportagem, Jeferson continuava internado em estado grave em um hospital, segundo a Secretaria da Segurança. Uma adolescente que passava pela rua no momento da perseguição policial também foi atingida por um disparo na perna, mas ela não corre risco de morrer. Delegacia especializada investiga Morte do MC Neguinho Como a ocorrência envolve policiais militares, o Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) assumiu as investigações. "O caso é investigado por meio de inquérito policial instaurado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Paralelamente, a Corregedoria da Polícia Militar também instaurou um Inquérito Policial (IPM) para apuração. Os agentes envolvidos na ocorrência foram afastados do trabalho operacional. Até o momento, não foi apresentada a comunicação de óbito do segundo envolvido. As diligências prosseguem para esclarecer todas as circunstâncias relativas aos fatos", informa nota da Secretaria da Segurança Pública, divulgada por sua assessoria de imprensa. Casa para a mãe MC Neguinho JM Reprodução/Instagram "E na favela construir uma casa pra minha véia", canta MC Neguinho JM em trecho da música que gravou com amigos para homenagear a mãe, a cabeleireira Katia Ferreira Meireles, de 40 anos (ouça no vídeo abaixo). David Meireles Miranda queria dar uma residência própria para ela morar com ele e os oito irmãos. Mas o sonho da promessa do "funk consciente" foi interrompido no último sábado (2), quando o o cantor foi morto a tiros pela Polícia Militar (PM) durante perseguição policial na Zona Sul da capital. Ele tinha 19 anos. MC Neguinho JM era considerado uma promessa do 'funk consciente' Abalada com a morte do filho, Katia está sendo preservada pela família para não dar declarações. Quem está falando com a imprensa é a filha dela, a balconista Bianca Meireles, de 24 anos, irmã de MC Neguinho. "O sonho dele como artista era poder dar uma casa própria para minha mãe poder realizar todos os nossos sonhos. Ajudar aqueles que sempre ajudaram ele", disse Bianca ao g1. Ela e os irmãos moram numa residência onde pagam R$ 650 mensais de aluguel. MC Neguinho JM estava pensando em contribuir com as despesas da casa com os shows que iria fazer como funkeiro. Há menos de dois meses, lançou a canção "Um piloto e um garupa" com mais dois amigos do meio musical. A faixa era a primeira lançada pelo selo da Love Funk, uma das produtoras do gênero do 'funk consciente' em São Paulo. E também a primeira de destaque na carreira do artista. Bianca, que é a irmã mais velha, também ajudava com a renda, juntamente com os salários da mãe e de outro irmão, de 22 anos. O caçula da família tem 4 anos. Alguns dos irmãos são filhos de pais diferentes, que não participam diretamente da educação e sustento dos filhos. Os cuidados e afeto ficam a cargo da mãe. "E quantas vezes eu vi a minha mãe chorar", entoa MC Neguinho JM num dos refrões da música enviada à reportagem por Bianca. Ela disse que o irmão não costumava escrever as letras, preferia registrar as mensagens diretamente nas canções. Porta-voz dos familiares, Bianca disse que agora o objetivo de todos é buscar 'justiça' para responsabilizar os policiais pela morte do irmão. Segundo Bianca, a abordagem dos agentes contra MC Neguinho JM foi errada e eles não precisavam atirar em alguém desarmado. “Porque a gente sabe que foi uma injustiça o que aconteceu com ele”, falou Bianca. Bianca Meireles, irmã de MC Neguinho JM, homenageou o funkeiro nas redes sociais Reprodução/Arquivo pessoal "Minha missão é provar que ele não é bandido, que não é um ladrão", falou ela. Seu irmão não tinha passagens criminais. Segundo fontes do g1, Jeferson já havia respondido por posse ilegal de arma de fogo, portar arma com numeração raspada e receptação de produto de crime. O enterro de MC Neguinho JM reuniu parentes, amigos e fãz, na segunda-feira (4), no Cemitério da Paz, em Embu das Artes, na Grande São Paulo. Eles fizeram homenagens e pedidos de justiça, mostrando faixas e cantando músicas. “Só peço a Deus que coloque ele num bom lugar, que descanse agora, que agora o show dele é lá no céu”, fala Bianca na gravação em sua página na web. “Estamos diante de mais um caso de genocídio. Andar sem capacete é uma contravenção e não justifica a pena de morte decretada por policiais militares. Buscaremos a justiça junto com a família”, disse Marisa Feffermann, da Rede de Proteção e Resistência contra o Genocídio, que acompanha o caso. Família e amigos de MC Neguinho JM pedem 'justiça' no cemitério em SP Veja Mais

Grupo Quatroloscinco celebra 15 anos com temporada gratuita na Funarte

O Tempo - Diversão - Magazine Espetáculo 'Fauna' será apresentado de quinta a domingo em Belo Horizonte Veja Mais

Globo inicia gravações de Travessia, novela que vai substituir Pantanal

O Tempo - Diversão - Magazine Trama de Gloria Perez está prevista para estrear em outubro e tem um mundo digital como ponto de partida Veja Mais

Sessão da Tarde (6/7): Veja o filme que a Globo vai exibir hoje

O Tempo - Diversão - Magazine A comédia romântica Nossa Vida com Cães vai ao ar às 15h30 logo depois de O Cravo e a Rosa Veja Mais

Walter Casagrande deixa a Globo em comum acordo

G1 Pop & Arte Ex-jogador foi comentarista esportivo da Globo durante 24 anos. 'Suas análises estarão para sempre marcadas no almanaque das transmissões de futebol da televisão brasileira', diz emissora. Walter Casagrande Globo/Fábio Rocha Walter Casagrande deixou a Globo nesta quarta-feira (6), em comum acordo, após 24 anos como comentarista esportivo na emissora. O ex-jogador fez o anúncio em suas redes sociais, e a Globo também divulgou um comunicado sobre a saída. Leia abaixo: Comunicado de Casagrande: "Olá pessoal. Vim aqui para avisar a vocês que, depois de 25 anos de TV Globo, seis Copas do Mundo, com cinco finais, incluindo a de 2002 com os dois gols do Ronaldo, três Olímpiadas e diversas finais de campeonato por aí, meu ciclo acabou. Tô saindo da Globo hoje, não faço mais parte do grupo de esporte da TV e vou seguir minha estrada. Na realidade acho que foi um alívio para os dois lados. Um beijo a todos." Compartilhe no WhatsApp Compartilhe no Telegram Comunicado da Globo: "Como jogador, Walter Casagrande Júnior escreveu uma história importante dentro de campo: ídolo do Corinthians, onde foi protagonista da Democracia Corintiana, teve passagem pelo futebol europeu e também defendeu a seleção brasileira na Copa do Mundo de 1986. Fora dos gramados, a trajetória foi também de sucesso. Há 25 anos ele exerce a função de comentarista, 24 deles na Globo. Um período marcado por grandes momentos, conquistas, emoções, superação e pela autenticidade, uma de suas marcas registradas. Em comum acordo, a parceria entre Globo e Casagrande chega ao fim, mas suas análises estarão para sempre marcadas no almanaque das transmissões de futebol da televisão brasileira." Leia também: 'Encontro' em fotos: relembre momentos de Fátima Bernardes ao longo dos 10 anos do programa 'Guerra dos sexos' no Globoplay: relembre novela com Fernanda Montenegro e Paulo Autran O mito do abismo entre as gerações Veja Mais

Personagens de Mauricio de Sousa protagonizarão série da HBO Max

O Tempo - Diversão - Magazine Aproveitando a celebração de aniversário da plataforma de streaming, o serviço acaba de divulgar o início das gravações de Franjinha e Milena em Busca da Ciência, novo live-action Veja Mais

Após hiato da pandemia, BH volta a receber itinerância da Bienal de SP

O Tempo - Diversão - Magazine "Faz escuro mas eu canto" ocupa, a partir de hoje, todas as galerias do Palácio das Artes, a começar da Grande Galeria Alberto de Veiga Guignard Veja Mais

Pantanal: Saiba qual o segredo que envolve Tenório (Murilo Benício)

O Tempo - Diversão - Magazine Guta (Julia Dalavia), filha do fazendeiro,vai desconfiar que o pai cometeu um grave crime no passado Veja Mais

Grupo Purarmonia celebra 25 anos e homenageia Arlindo Cruz no Palácio das Artes

O Tempo - Diversão - Magazine Show do quinteto mineiro acontece nesta quinta-feira (7) e conta com participação especial de Arlindinho, filho do sambista carioca Veja Mais

Multishow aposta em novo programa com Marcus Majella e Rafael Infante

O Tempo - Diversão - Magazine Atração já está sendo gravada e terá co-direção de Ju Amaral, irmã de Paulo Gustavo Veja Mais

'God of War Ragnarok' vai ser lançado em 9 de novembro

G1 Pop & Arte Continuação do game de 2018 ganha data de lançamento para PlayStation 4 e 5 e um novo teaser. Assista ao trailer de 'Gof of War Ragnarok' A Sony anunciou nesta quarta-feira (6) que o novo "God of War Ragnarok", continuação do game de 2018, vai ser lançado em 9 de novembro. A sequência também ganhou um novo teaser curto. Assista ao vídeo acima. A data do lançamento para PlayStation 4 e 5 chega após alguns adiamentos. Quando foi anunciado em 2020, a ideia era que o game ficasse pronto em 2021. Depois, a data foi remarcada para julho de 2022. A história do novo jogo parece se passar alguns anos depois do anterior. No primeiro trailer do game, lançado em setembro de 2021, o filho de Kratos, Atreus, aparece mais velho e questionando suas origens e seu destino. O vídeo também mostrava um pouco dos antagonistas da nova aventura, os deuses nórdicos Freya e Thor. Além de novas mecânicas de combate, a continuação promete oferecer aos jogadores acesso aos nove mundos da mitologia nórdica. Veja Mais

Filhos de Elis Regina apoiam canal de arquivos sobre a cantora

O Tempo - Diversão - Magazine Plataforma criada por fãs recebeu notificação de César Camargo Mariano para retirar vídeos do ar Veja Mais

Hayden Panettiere revela vício em drogas e álcool, e diz que equipe lhe dava 'pílulas da felicidade' aos 15 anos

G1 Pop & Arte Em entrevista à revista People, atriz falou sobre sua batalha pela sobriedade. 'Não tem sido fácil e houve muitos altos e baixos, mas não me arrependo. Sinto que tive uma segunda chance.' A atriz Hayden Panettiere no tapete vermelho do 71º Globo de Ouro, que acontece neste domingo (12), em Los Angeles. REUTERS/Danny Moloshok Hayden Panettiere concedeu uma entrevista para a revista "People" na qual revelou o vício em drogas e álcool, que quase lhe custaram sua carreira e sua vida. "Eu estava no topo do mundo e arruinei tudo", afirmou a ex-estrela da série "Nashville". Capa da publicação desta semana, a atriz de 32 anos conta que passou anos lutando contra o vício, ao mesmo tempo que enfrentava uma depressão pós-parto. Panettiere é mãe de Kaya, de 7 anos, de sua relação com seu ex, Wladimir Klitschko. Em 2014, Panettiere engravidou na mesma época em que interpretava a problemática cantora country Juliette Barnes em Nashville. Logo após o parto, a atriz buscou tratamento para sua depressão, mas se viu cada vez mais dependente do álcool. "Havia apenas essa cor cinza na minha vida", lamenta. A atriz diz que não bebeu durante a gestação, mas afirma: "Nunca tive a sensação de querer prejudicar minha filha, mas não queria passar nenhum tempo com ela." Panettiere conta que trabalhou bastante para ser sincera consigo mesma para encarar uma internação e um tratamento de trauma no ano passado. "Acho que cheguei ao fundo do poço, mas lá há aquele alçapão que se abre." Sobre sua jornada para manter a sobriedade, a atriz afirma: "Isso não tem sido fácil e houve muitos altos e baixos. Mas eu não me arrependo nem das piores coisas que aconteceram comigo. Eu me sinto incrivelmente realizada. Sinto que eu tive uma segunda chance", celebra a atriz, que está de volta aos sets. Hayden Panettiere integra o elenco de "Pânico 6". Na entrevista, a atriz, que iniciou sua carreira aos 11 anos, atuando em novelas e filmes como "Duelo de Titãs", ainda revelou que, quando ela estava com 15 anos, um membro de sua equipe começou a oferecer "pílulas da felicidade" pra que ela caminhasse nos tapetes vermelhos. "Era pra me deixar animada durante as entrevistas. E não fazia ideia de que aqui não era apropriado, ou que era a porta de abertura para meu vício", conta. Initial plugin text Veja Mais

Prêmio Shell de Teatro terá primeira mulher negra e trans como jurada

O Tempo - Diversão - Magazine Dramaturga Luh Maza vai compor o quadro de jurados da premiação que é uma das mais importantes do teatro brasileir. Veja Mais

Guilherme Fontes e Gloria Pires celebram reencontro

O Tempo - Diversão - Magazine Atores interpretaram o casal Marcos e Ruth na novela Mulheres de Areia que foi ao ar em 1993 Veja Mais

Amor é a grande salvação no novo 'Thor', da Marvel

O Tempo - Diversão - Magazine Aguardado blockbuster com Chris Hemsworth estreia nesta quinta (7) em todo o país Veja Mais

Últimos dias

MasterChef: Saiba o que vai rolar no programa de hoje (5/7)

O Tempo - Diversão - Magazine Participação de Valesca Popozuda e churrasco vão marcar o oitavo episódio do reality que vai ao ar às 22h30 Veja Mais

Bilionário processa Museu Imperial para tentar reaver obras doadas; entenda

O Tempo - Diversão - Magazine Entre os destaques do acervo, estão telas do italiano Nicolau Facchinetti, que retratou paisagens do Brasil Império, e a lanterna de prata da carruagem de dom Pedro 1º Veja Mais

Evento visa fomentar a cena artística e LGBTQIAP+ de BH

O Tempo - Diversão - Magazine Rolê das Fancha, realizado pela Coletiva Fanchecléticas, começa nesta quinta, 7, com sequência nos dias 14 e 21 Veja Mais

MC Neguinho JM: funkeiro morto a tiros pela PM durante perseguição em SP sonhava dar casa própria para a mãe

G1 Pop & Arte 'Na favela construir uma casa pra minha véia', canta David Meireles Miranda em música dedicada a mãe. Promessa do 'funk consciente' tinha 19 anos quando foi baleado no sábado (2) na Zona Sul de SP. Polícia Militar alegou que houve troca de tiros. Agentes são investigados. MC Neguinho JM é morto a tiros pela PM durante perseguição em SP "E na favela construir uma casa pra minha véia", canta MC Neguinho JM em trecho da música que gravou com amigos para homenagear a mãe, a cabeleireira Katia Ferreira Meireles, de 40 anos (ouça no vídeo acima). David Meireles Miranda queria da uma residência própria para ela morar com ele e os oito irmãos. Mas o sonho da promessa do "funk consciente" foi interrompido no último sábado (2), quando o o cantor foi morto a tiros pela Polícia Militar (PM) durante perseguição policial na Zona Sul da capital. Ele tinha 19 anos. Quem é MC Neguinho JM? Cantor era do 'funk consciente' e lançou música sobre moto Vídeo de câmera de segurança que circula nas redes sociais e está com a Polícia Civil mostra David pilotando uma moto emprestada (veja nesta reportagem). Nas imagens é possível ver que ele não usava capacete e estava desarmado quando foi baleado no tórax e na perna pelos policiais militares. O funkeiro não resistiu aos ferimentos e morreu na Rua Marechal João Carlos Barreto, no Campo Limpo. MC Neguinho JM tinha 19 anos Reprodução/Arquivo pessoal Jeferson Fernando da Silva Souza, o garupa que aparece com ele na moto, também estava sem capacete e foi baleado pelos agentes, mas na cabeça. No vídeo é possível ver o momento que ele é atingido e cai da motocicleta. Ele estava armado e ameaçou atirar contra uma base policial no bairro, segundo a PM. De acordo com os policiais, houve troca de tiros. Até a última atualização desta reportagem, Jeferson continuava internado em estado grave em um hospital, segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP). Uma adolescente que passava pela rua no momento da perseguição policial também foi atingida por um disparo na perna, mas ela não corre risco de morrer. 'Casa própria' Abalada com a morte do filho, Katia está sendo preservada pela família para não dar declarações. Quem está falando com a imprensa é a filha dela, a balconista Bianca Meireles, de 24 anos, irmã de MC Neguinho. "O sonho dele como artista era poder dar uma casa própria para minha mãe poder realizar todos os nossos sonhos. Ajudar aqueles que sempre ajudaram ele", disse Bianca ao g1. Ela e os irmãos moram numa residência onde pagam R$ 650 mensais de aluguel. MC Neguinho JM estava pensando em contribuir com as despesas da casa com os shows que iria fazer como funkeiro. MC Neguinho JM Reprodução/Instagram Há menos de dois meses, lançou a canção "Um piloto e um garupa" com mais dois amigos do meio musical. A faixa era a primeira lançada pelo selo da Love Funk, uma das produtoras do gênero do 'funk consciente' em São Paulo. E também a primeira de destaque na carreira do artista. Bianca, que é a irmã mais velha, também ajudava com a renda, juntamente com os salários da mãe e de outro irmão, de 22 anos. O caçula da família tem 4 anos. Alguns dos irmãos são filhos de pais diferentes, que não participam diretamente da educação e sustento dos filhos. Os cuidados e afeto ficam a cargo da mãe. "E quantas vezes eu vi a minha mãe chorar", entoa MC Neguinho JM num dos refrões da música enviada à reportagem por Bianca. Ela disse que o irmão não costumava escrever as letras, preferia registrar as mensagens diretamente nas canções. Morte do MC Neguinho Porta-voz dos familiares, Bianca disse que agora o objetivo de todos é buscar 'justiça' para responsabilizar os policiais pela morte do irmão. Segundo Bianca, a abordagem dos agentes contra MC Neguinho JM foi errada e eles não precisavam atirar em alguém desarmado. “Porque a gente sabe que foi uma injustiça o que aconteceu com ele”, falou Bianca. "Minha missão é provar que ele não é bandido, que não é um ladrão", falou ela. Seu irmão não tinha passagens criminais. Segundo fontes do g1, Jeferson já havia respondido por posse ilegal de arma de fogo, portar arma com numeração raspada e receptação de produto de crime. O enterro de MC Neguinho JM reuniu parentes, amigos e fãz, na segunda-feira (4), no Cemitério da Paz, em Embu das Artes, na Grande São Paulo. Eles fizeram homenagens e pedidos de justiça, mostrando faixas e cantando músicas. Bianca Meireles, irmã de MC Neguinho JM, homenageou o funkeiro nas redes sociais Reprodução/Arquivo pessoal O caso foi registrado inicialmente no 47º Distrito Policial (DP), Capão Redondo, como desobediência, lesão corporal e morte decorrente de intervenção à oposição policial. Como a ocorrência envolve policiais militares, o Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) assumiu as investigações na Polícia Civil. Segundo a pasta da Segurança, foi aberto ainda um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar a conduta dos agentes. “Só peço a Deus que coloque ele num bom lugar, que descanse agora, que agora o show dele é lá no céu”, fala Bianca na gravação em sua página na web. “Estamos diante de mais um caso de genocídio. Andar sem capacete é uma contravenção e não justifica a pena de morte decretada por policiais militares. Buscaremos a justiça junto com a família”, disse Marisa Feffermann, da Rede de Proteção e Resistência contra o Genocídio, que acompanha o caso. Família e amigos de MC Neguinho JM pedem 'justiça' no cemitério em SP Veja Mais

Gilberto Gil reclama que instrumentos de turnê não chegaram para show em Berlim; companhia aérea se posiciona

G1 Pop & Arte Em nota enviada ao g1, AirFrance diz que está ciente do caso e que equipe 'está atuando no envio das bagagens para Berlim em seus próximos voos desta terça-feira'. Gilberto Gil no Mita Festival Ariel Martini / Divulgação Em turnê pela Europa com o show "Nós, a Gente", no qual se apresenta ao lado dos filhos e dos netos, Gilberto Gil usou as redes sociais para reclamar que os instrumentos não chegaram a Berlim, na Alemanha. "Gil e banda estão desde ontem aguardando os instrumentos para fazer o show hoje em Berlim. AirFrance, onde está nosso equipamento?", questionava o texto publicado no Twitter e no Instagram nesta terça-feira (5), data da apresentação. Procurada pelo g1, a companhia aérea informou que está ciente do caso "está atuando no envio das bagagens para Berlim em seus próximos voos desta terça-feira". A empresa informou ainda que o caso ocorre devido a "uma situação operacional problemática em diversos aeroportos ao redor do mundo, e após uma greve de algumas equipes do Aeroporto de Paris responsáveis pelo manuseio de bagagem em 1º de julho". A empresa ainda lamenta a situação e pede desculpas a todos os passageiros impactados. Initial plugin text Veja comunicado na íntegra: "A Air France está ciente do caso envolvendo o cantor Gilberto Gil e sua equipe e está atuando no envio das bagagens para Berlim em seus próximos voos desta terça-feira (05/07). Devido a uma situação operacional problemática em diversos aeroportos ao redor do mundo, e após uma greve de algumas equipes do Aeroporto de Paris responsáveis pelo manuseio de bagagem em 1º de julho, a Air France está atualmente vivenciando um número maior de ocorrências envolvendo bagagens. Os times de bagagens em aeroportos e nos call centers foram reforçados e estão totalmente mobilizados para assegurar que os itens atrasados sejam entregues o mais breve possível. A Air France lamenta essa situação e pede desculpa aos passageiros impactados." Leia também: Gil compartilha trechos de ensaio para turnê na Europa ao lado de filhos e netos; veja vídeo Gilberto Gil compartilha trechos de ensaio para turnê na Europa Veja Mais

Sessão da Tarde (5/7): Veja o filme que a Globo vai exibir hoje

O Tempo - Diversão - Magazine A comédia romântica Sem Reservas é a atração de logo mais na faixa vespertina Veja Mais

'Chorava com muita dor', diz Wesley Safadão sobre hérnia de disco que o fez cancelar shows

G1 Pop & Arte Safadão foi diagnosticado com hérnia discal entre a terceira e a quarta vértebra lombar, com estreitamento do canal vertebral. Ele chegou a ficar internado em um hospital, mas recebeu alta na sexta-feira (1º). Wesley Safadão relata como recebeu o diagnóstico de hérnia de disco O cantor Wesley Safadão relatou que sentiu fortes dores, ao ponto de chorar em um camarim momentos antes de ser diagnosticado com uma crise de hérnia de disco. Nas redes sociais neste domingo (3), o músico disse que se preparava para uma apresentação em Assu (RN) quando as dores surgiram, e ele começou a chorar. Safadão foi diagnosticado com hérnia discal entre a terceira e a quarta vértebra lombar, com estreitamento do canal vertebral e compressão de estruturas neurológicas. "No show de Assu, que era uma segunda ou terça-feira, eu travei minha coluna. Uma dor inexplicável, inegociável, só quem tem hérnia de disco, uma hérnia extrusa, como é o meu caso, pode sentir e imaginar a dor que é, que até para respirar dói demais. Eu consegui fazer o show da terça, da quarta, da quinta, e na sexta-feira, em Campina Grande, o Dennis DJ tocando no São João, e eu no camarim chorava com muita dor. Eu fiquei o camarim inteiro chorando ali, não conseguia respirar, me desesperava porque quando eu tentava respirar, doía", relatou Safadão. O cantor relatou, ainda, que viajou para Fortaleza, onde realizou uma ressonância magnética para verificar o problema. "Fui para Fortaleza, fiz uma ressonância no sábado, no domingo vim para São Paulo me tratar com o doutor Francisco Sampaio, que é um médico especialista em coluna, onde ele entrou com algumas agulhas pequenininhas nas costas que vai direto lá no disco e faz um bloqueio da dor. Depois desse procedimento, já 85% dos casos a pessoa já fica sem dor, mas ainda continua com o mesmo problema. Resolve a dor, mas o problema ainda existe", explicou. LEIA TAMBÉM: Hérnia de disco: entenda como a doença levou Wesley Safadão a cancelar shows Wesley Safadão faz procedimento para tratar hérnia de disco em São Paulo Wesley Safadão recebe alta e vai manter rotina de descanso em casa: 'Dores controladas' Dores voltaram Wesley Safadão foi diagnosticado com hérnia de disco. Reprodução/Instagram Apesar de as dores terem cessado após o tratamento, posteriormente, Wesley Safadão disse que voltou a sentir dores. Desta vez, com dormência nas pernas. Ele já tinha decido voltar a se apresentar e chegou a comunicar ao fãs que o show marcado para Caruaru (PE) estava de pé. Momentos depois, as dores voltaram. "Na terça-feira acordei sem dor, pensei, vou tomar os cuidados, andar devagarzinho, passos lentos, e [pensei], quero fazer Caruaru. Voltei para casa, dormi em casa, acordei, tomei meu banho, tirei uma foto [dizendo] hoje tem Caruaru. Gente, depois dessa foto, a minha perna, eu não sentia as minhas pernas, mais. Eu não tinha tido essa sensação de dormência aqui por baixo. Aí avisei ao médico o que era que eu estava sentindo e ele disse: 'olha, vem para cá que esse sintoma aí é novo, é perigoso, vem fazer uma ressonância'. Foi onde eu vi que tinha piorado mais. Já estava de saída de casa para ir para Caruaru, passei no hospital para verificar, fazer uma nova ressonância e o médico disse: 'você não tem condições, isso é muito perigoso porque pode agravar e ser irreversível", relatou o músico. Safadão chegou a ficar internado em um hospital para tratar a doença, e recebeu alta médica na última sexta-feira (1º). Atualmente, ele segue afastado dos palcos, mantendo uma rotina de cuidados em casa. Assista às notícias do Ceará no g1 em 1 Minuto: Veja Mais

Cantora de 'A Patroa' diz que Marília Mendonça lhe deu razão sobre processo

O Tempo - Diversão - Magazine Maiara e Maraisa perderam o direito de usar o termo, que dava nome ao projeto musical das irmãs em parceria com Marília, após uma decisão do Tribunal de Justiça da Bahia. Veja Mais

Amber Heard pede anulação do julgamento que deu vitória a Johnny Depp

O Tempo - Diversão - Magazine Atriz foi acusada de difamação por ter escrito um artigo de opinião no qual se dizia vítima de violência doméstica no período em que esteve casada com Depp Veja Mais

'Papai é pop', com Lázaro Ramos e Paolla Oliveira, ganha trailer; ASSISTA

G1 Pop & Arte Longa dirigido por Caito Ortiz conta a história do casal Tom e Elisa, que tem a rotina transformada depois do nascimento da filha. Assista ao trailer de 'Papai é Pop' "Papai é pop", com Lázaro Ramos e Paolla Oliveira, e dirigido por Caito Ortiz, ganhou seu primeiro trailer nesta segunda-feira (4). Assista Tudo que sabemos sobre um dos lançamentos mais aguardados... o filme da Barbie O filme, que tem estreia prevista para 11 de agosto, conta a história de Tom (Lázaro) e Elisa (Paolla), que veem suas rotinas mudarem com o nascimento da filha, Laura (Malu Aloise). Enquanto Tom encara transformações na relação com a companheira e com a sua mãe, Gladys (Elisa Lucida), que o criou sozinho, Elisa enfrenta as dificuldades da maternidade vivida com total dedicação. O longa é dirigido por Ortiz, com roteiro de Ricardo Hofstetter e inspirado no livro homônimo de Marcos Piangers. O elenco ainda conta com Dadá Coelho como Joana, melhor amiga de Elisa, e Leandro Ramos como Júlio, parceiro de vida e trabalho de Tom. Veja Mais

Valter Hugo Mãe ressalta a forma violenta da colonização portuguesa

O Tempo - Diversão - Magazine Escritor português é um dos principais convidados Bienal Internacional do Livro de São Paulo que vai até domingo (10) Veja Mais

Dança dos Famosos: Vitória Strada e Wagner Santos são os campeões

O Tempo - Diversão - Magazine Após a conquista, atriz gaúcha ainda ganhou um beijo da noiva Marcela Ricca Veja Mais

'Guerra dos sexos' estreia no Globoplay: relembre novela com Fernanda Montenegro e Paulo Autran

G1 Pop & Arte Obra de 1983 estrelada por lendas do teatro ficou conhecida pelas brigas antológicas entre os protagonistas. A primeira versão da novela "Guerra dos sexos" estreia nesta segunda-feira (4) no Globoplay. Exibida em 1983, a obra foi estrelada pelas lendas do teatro e da dramaturgia brasileira Fernanda Montenegro e Paulo Autran. Para quem que saber mais sobre a história, criada por Silvio de Abreu, o g1 relembra a trama, além de curiosidades dos bastidores, com dados do Memória Globo. "Guerra dos sexos" narra os confrontos e as brigas dos primos Charlô (Fernanda Montenegro) e Otávio (Paulo Autran), que cresceram juntos e tiveram um romance durante a adolescência. A paixão juvenil, no entanto, acabou se transformando em ódio mortal. A coisa muda, ou pelo menos se agrava, quando um tio milionário morre e deixa uma grande herança para os sobrinhos. Com a condição de os dois deverão morar na mesma casa e trabalhar juntos. A convivência gerou cenas antológicas das brigas entre ambos no melhor formato pastelão, com direito até a torta na cara. Guerra dos Sexos - 1ª versão: Guerra de comida "Eu adoro fazer comédia. O Silvio de Abreu é meu amigo desde a TV Excelsior. É um excelente comediógrafo. Ele tem uma mão maravilhosa para mexer com o que nós possamos ter herdado do período áureo das comédias americanas", contou Montenegro em depoimento ao Memória Globo. "Foi uma novela histórica, antológica. E o encontro, também, de um elenco. Porque a gente nunca sabe se o elenco vai dar caldo. O encontro com o Paulo Autran foi maravilhoso. Entramos numa sintonia de comediantes – nunca tínhamos trabalhado juntos. Foi a brincadeira entre a competência e a incompetência." Para o autor, Silvio de Abreu, a obra foi um desafio. Webdoc novela - Guerra dos Sexos - 1ª versão (1983) "'Guerra dos Sexos' era uma novela baseada unicamente em comédia. Ela não tinha uma trama romântica forte. Minha ideia principal era fazer chanchada, não comédia. Eu queria tudo o que eu pudesse ter de comédia, não queria ter nenhuma censura com relação a isso. E eu achava que isso podia assustar o público, mas eu imaginei que se eu tivesse o aval de atores importantes, que o público gostasse, ele iria deglutir melhor", disse Abreu. "Então fui procurar, primeiro a Fernanda Montenegro, que adorou a ideia, e o Paulo Autran, que jamais tinha trabalhado com a Fernanda. O fato de ele vir trabalhar com a Fernanda numa novela deixou-o muito animado, e juntei os dois. Glória Menezes, que eu já tinha trabalhado no 'Jogo da Vida', e Tarcísio Meira. Aí eu falei: 'Bom, os maiores mitos do teatro com os maiores mitos da televisão reunidos, eu vou poder ter o aval do público'. E aí a novela estreou e foi um enorme sucesso." Guerra dos Sexos - 1ª versão: Charlô e Otávio descobrem que terão que morar juntos Curiosidades Segundo o autor, "Guerra dos Sexos" tinha cara de comédia americana dos anos 1930, o que se refletia nos figurinos criados por Marco Aurélio; A caracterização, muitas vezes, ajuda os atores a encontrarem o tom de seus personagens. Foi o caso de Ary Fontoura, cuja peruca usada para interpretar Dino, seu papel na novela, contribuiu para dar ainda mais comicidade às cenas; "Guerra dos Sexos" foi gravada em São Paulo. As cenas da loja Charlô's eram feitas no recém-inaugurado Shopping Eldorado, na capital paulista; Guerra dos Sexos - 1ª versão: Felipe anda de cueca pelo shopping "Guerra dos Sexos" sofreu com a Censura Federal, que considerou imorais várias cenas e diálogos. O autor Silvio de Abreu foi diversas vezes a Brasília para discutir os cortes dos censores. O romance de Fábio (Herson Capri) e Juliana (Maitê Proença), por exemplo, desagradou porque ele era um homem casado. A personagem Vânia (Maria Zilda Bethlem) também não foi bem-vista, por ser emancipada. Com o decorrer da novela, Silvio de Abreu foi conseguindo impor seu ponto de vista; Com "Guerra dos Sexos", Silvio de Abreu se firmou como autor de farsas que uniam o lúdico escrachado à crítica bem-humorada do cotidiano, lançando mão de cenas típicas das chanchadas nacionais, e buscando inspiração em clássicos do cinema americano. A novela foi pontuada por referências e homenagens, incluindo o capítulo final, em que o autor homenageou explicitamente Carlos Manga, diretor das famosas chanchadas da Atlântida, antiga companhia cinematográfica brasileira; A narrativa da trama subvertia a linguagem tradicional ao explorar novos formatos como, por exemplo, colocar os personagens comentando os acontecimentos diretamente com o telespectador. A novidade causou certa estranheza na época, mas a novela foi um sucesso; Amante da sétima arte, Silvio de Abreu prestou várias homenagens ao cinema. Uma delas foi a sequência em que Charlô deu uma festa à fantasia, na qual os convidados deveriam incorporar personagens famosos das telas: Otávio (Paulo Autran) se vestiu de Rodolfo Valentino; Charlô (Fernanda Montenegro), de Theda Bara; Roberta (Glória Menezes) encarnou Doris Day; Olívia (Marilu Bueno) e Ismael (Wilson Grey) foram de O Gordo e o Magro; e Kico (Diogo Vilela) imitou Elvis Presley; "Guerra dos Sexos" também inovou ao apresentar o tradicional par romântico Tarcísio Meira e Glória Menezes fazendo comédia. O casal voltou a atuar junto, o que não acontecia desde "Espelho Mágico", novela de Lauro César Muniz, exibida em 1977. Na trama de Silvio de Abreu, no entanto, a proposta era outra. Foi a primeira vez que Tarcísio Meira viveu um papel que não correspondia à imagem de galã já conhecida do público; Guerra dos Sexos - 1ª versão: Felipe e Roberta Leone discutem Ao longo de toda a trama, a personagem Frô (Cristina Pereira) fazia referência à amiga fofoqueira Carlotinha Bimbati, que só apareceu no último capítulo da novela, interpretada por Regina Casé. Silvio de Abreu ressuscitou a personagem Carlotinha Bimbati em 1998, na novela "Torre de Babel": a atriz Nair Belo, em participação especial, desempenhou o papel da fofoqueira; "Guerra dos Sexos" ratificou o talento dos jovens diretores Guel Arraes e Jorge Fernando; Inspirada no sucesso da novela, a Globo produziu, em 1984, o programa de auditório "Guerra dos Sexos", que opunha casais famosos num jogo de perguntas e respostas. O programa era comandado por Osmar Santos e ia ao ar nas tardes de domingo. Guerra dos Sexos - 1ª versão: Frô e Carlotinha Bimbati Veja Mais

Relembre a polêmica criada pelo governo e por bolsonaristas sobre a Lei Rouanet

G1 Pop & Arte Desde o início do governo, lei de incentivo a projetos culturais é alvo de ataques do presidente e de aliados, que discordam da ideologia de setores da classe artística. A Lei Rouanet, criada para incentivar a cultura no país, tem sido um dos principais alvos de ataques do governo e de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro nos últimos anos. A polêmica criada contra a lei foi relembrada neste domingo (3), com a morte do diplomata e ex-ministro da Cultura Sergio Paulo Rouanet, autor da lei que levou seu nome. Criada em 1991, a Lei de Incentivo à Cultura autoriza produtores artísticos a buscar investimento privado para financiar iniciativas culturais. Em troca, as empresas podem abater parcela do valor investido no Imposto de Renda. Na campanha eleitoral de 2018, o então candidato a presidente Jair Bolsonaro defendeu mudanças na lei, afirmando que "ninguém é contra a cultura", mas que a Lei Rouanet teria de ser "revista" caso ele fosse eleito. O presidente e seus aliados espelham, na Rouanet, as divergências ideológicas que eles têm com artistas que fazem uso da lei. Marco Lucchesi elogia o legado de Sergio Paulo Rouanet: ‘Brasil se tornou outro após a Lei Rouanet’ Polêmica com sertanejos A mais recente onda de críticas à Lei Rouanet começou quando o sertanejo Zé Neto, da dupla com Cristiano, disse em um show em Sorriso (MT), que ele e seu colega não precisavam da lei e que quem pagava o cachê deles era o povo, num ataque aos artistas que se valem da Rouanet. "Nós somos artistas que não dependemos de Lei Rouanet. Nosso cachê quem paga é o povo", afirmou o sertanejo na ocasião. A declaração desencadeou, em meio ao público e à classe artística, reações contrárias e a favor de Zé Neto. O g1 ouviu o pesquisador Miguel Jost, da PUC-Rio, que viu nos ataques uma tentativa de tachar os artistas da Rouanet como uma "elite" desconectada do povo real. Diante da repercussão, foi revelado que o show de Zé Neto e Cristiano em Sorriso foi financiado com R$ 400 mil de verba da prefeitura. Nos dias seguintes, se tornaram conhecidos outros casos de shows de sertanejos realizados com dinheiro de prefeituras. Flávia Oliveira: Relação de Bolsonaro com sertanejos vem da ‘estética e agenda do agronegócio’ Rouanet X Shows prefeituras: veja diferenças de duas formas de se incentivar shows com verbas públicas g1 Mudanças Em abril de 2019, logo no início do governo, a Lei Rouanet foi modificada e passou a se chamar Lei de Incentivo à Cultura. Na ocasião, sofreu um corte drástico no limite para captação de recursos – de R$ 60 milhões para apenas R$ 1 milhão por projeto. Novas mudanças foram feitas nos anos seguintes, quando a Secretaria Nacional de Cultura passou a ser comandada por Mario Frias. Governo reduz pela metade valores que podem ser captados pela Lei Rouanet Em fevereiro deste ano, por exemplo, o governo: reduziu o limite do cachê que pode ser pago por apresentação a artistas que se apresentarem de maneira solo reduziu o limite de valor que pode ser captado pelas empresas Em março, a Justiça derrubou uma portaria da secretaria que vedava o uso de linguagem neutra em projetos financiados pela Rouanet. 'Menine', 'todxs', 'amigues' são exemplos da linguagem ou dialeto neutro, que é conhecido também como linguagem não-binária. Veja Mais

g1 ouviu #201 - João Gomes completa um ano de carreira e fala sobre Fagner, Paulo Coelho e religião

G1 Pop & Arte Jeitinho do cantor pernambucano de 19 anos não mudou, mas a música está ficando diferente. Em entrevista ao g1, ele relembra estouro e diz o que quer daqui para frente. Você pode ouvir o G1 ouviu no G1, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts ou no Apple Podcasts. Assine ou siga o G1 Ouviu para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar. O que são podcasts? Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde a gente quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, a gente acha na internet. De graça. Dá para escutar num site, numa plataforma de música ou num aplicativo só de podcast no celular, para ir ouvindo quando a gente preferir: no trânsito, lavando louça, na praia, na academia... Os podcasts podem ser temáticos, contar uma história única, trazer debates ou simplesmente conversas sobre os mais diversos assuntos. É possível ouvir episódios avulsos ou assinar um podcast – de graça - e, assim, ser avisado sempre que um novo episódio for publicado. G1/Divulgação Veja Mais

Amigos são enganados por mulheres e aparecem com camisas iguais; veja vídeo

O Tempo - Diversão - Magazine O vídeo mostrando o momento em que os amigos se encontram e notam a pegadinha viralizou na internet nesta sexta-feira Veja Mais

Tudo o que já se sabe sobre um dos lançamentos mais aguardados do cinema... o filme da Barbie

G1 Pop & Arte Nas redes sociais, fãs acompanham as gravações quase em tempo real, através de fotos e vídeos vazados. Semana Pop conta tudo sobre a produção; assista. Semana Pop conta tudo o que já se sabe sobre o filme da Barbie Quem diria que um dos filmes mais aguardados dos últimos anos seria sobre... a Barbie? Basta uma busca rápida na internet para perceber como o assunto está bombando. Nas redes sociais, fãs atentos acompanham as gravações quase em tempo real, através de fotos e vídeos vazados. O Semana Pop deste sábado (2) conta tudo que já se sabe sobre a produção. Assista ao vídeo acima. Veja todas as edições do programa O Semana Pop vai ao ar toda semana, com o resumo do tema que está bombando no mundo do entretenimento. Pode ser sobre música, cinema, games, internet ou só a treta da semana mesmo. Veja Mais

Dudu Nicácio lança single 'Madeira de Lei' nas plataformas

O Tempo - Diversão - Magazine Música parte do samba bossa para dialogar com as influências musicais latino-americanas Veja Mais

'Tento não ter preconceito', diz Drica Moraes sobre Jade Picon em 'Travessia'

O Tempo - Diversão - Magazine Atriz vai viver uma vilã com pitadas de humor e humanidade na próxima novela das 21h e que também vai contar com a ex-BBB Veja Mais

'Aos nossos filhos', estrelado por Marieta Severo, ganha primeiro trailer; ASSISTA

G1 Pop & Arte Adaptação de peça com mesmo escrita e protagonizada por Laura Castro conta ainda com José Abreu no elenco e direção de Maria de Medeiros. Filme estreia em 28 de julho nos cinemas. Assista ao trailer de 'Aos Nossos Filhos' "Aos nosso filhos", adaptação da peça de mesmo nome escrita e protagonizada por Laura Castro, ganhou seu primeiro trailer nesta sexta-feira (1º). Assista ao vídeo acima. O filme, que conta com a atriz (ela também assina o roteiro) e é estrelada por Marieta Severo, tem estreia prevista para 28 de julho nos cinemas brasileiros. O elenco ainda tem José Abreu. A direção fica com Maria de Medeiros, atriz portuguesa que integrou a montagem com Laura no teatro. Veja Mais

Maisa se emociona ao falar sobre encontro com Selena Gomez: 'Só de lembrar, eu fico nervosa'

G1 Pop & Arte Apresentadora esteve em um evento de lançamento de uma linha de batons da cantora, na Califórnia. Maísa se emociona ao conhecer Selena Gomez "Tô indo realizar um sonho". Foi assim que Maisa começou a compartilhar com os fãs o dia em que conheceu a cantora Selena Gomez, de quem é fã. A apresentadora esteve no lançamento de uma linha de batons de Selena, na Califórnia, EUA, nesta quarta-feira (29). Maisa compartilhou alguns vídeos do momento em suas redes sociais. E, no Stories do Instagram, a apresentadora não segurou as lágrimas ao relembrar o encontro. "Só de lembrar, eu fico nervosa. Eu segurei muito. Teve uma hora que achei que fosse me mijar de nervoso. Quando fico nervosa, tenho vontade de fazer xixi, ou de chorar ou de rir. E aí eu tava segurando a emoção. Parece que tô sonhando", afirmou Maisa, que foi chamada de "Mamá" pela cantora. Maisa se emociona ao falar sobre encontro com Selena Gomez Reprodução/Instagram Maisa ainda contou que não compartilhou a novidade com os fãs antes porque usou a "filosofia do 'calada vence'", pois queria que tudo desse certo. Em outro vídeo, Maisa ainda contou um pouco sobre o encontro. "Eu já conheci ela, ela conversou com a gente, foi tudo. E em bem breve eu vou postar mais detalhes desse encontro. Só que agora, eu não consigo elaborar muito. O evento está maravilhoso e a gente está vivendo o momento." Maisa e Selena Gomez Reprodução/Instagram Veja Mais

David Harbour perdeu mais de 30kg para 'Stranger Things'

O Tempo - Diversão - Magazine O ator disse que teve que fazer uma dieta rigorosa após seu personagem ter sido levado prisioneiro na terceira temporada Veja Mais

Saiba por que Zé Neto e Cristiano estão proibidos de usar marca

O Tempo - Diversão - Magazine Depois de Maiara e Maraisa não poderem mais usar o termo 'As Patroas', agora sertanejos não podem usar o termo 'Esqueminha' Veja Mais

Ivete homenageia Xuxa em gravação de novo programa

O Tempo - Diversão - Magazine Na ocasião, cantora baiana também citou Mara Maravilha e Faustão Veja Mais

R. Kelly é retirado de sistema de vigilância contra suicídio em prisão de Nova York

G1 Pop & Arte Cantor foi condenado em junho a 30 anos de prisão por tráfico sexual. Ele estava em sistema de vigilância especial para evitar suicídio, mas pediu para sair e foi liberado após avaliação clínica. Cantor R. Kelly passa por seleção de júri em caso de abuso sexual em 2021 Gabinete do Xerife do Condado de Cook/Divulgação via REUTERS O cantor R. Kelly, que foi condenado na semana passada a 30 anos de prisão por tráfico sexual, foi retirado da vigilância por risco de suicídios na manhã desta terça-feira na prisão do Brooklyn onde está preso, disseram os promotores federais. O cantor de 55 anos processou funcionários do Centro de Detenção Metropolitano na sexta-feira (1), alegando que os funcionários da cadeia ordenaram a vigilância após sua sentença de 29 de junho "apenas para fins punitivos" e porque ele era um preso "de alto perfil". Em uma resposta nesta terça-feira ao processo de Kelly apresentada no tribunal federal do Brooklyn, os promotores disseram que Kelly havia sido removido da vigilância suicida após uma avaliação clínica. Mais conhecido pelo sucesso "I Believe I Can Fly", de 1996, Kelly foi condenado em setembro passado por uma acusação de extorsão e oito acusações de violação da Lei Mann, que proíbe o transporte de pessoas através das fronteiras estaduais para prostituição. Os promotores disseram que Kelly, cujo nome completo é Robert Sylvester Kelly, explorou seu estrelato e riqueza durante duas décadas para atrair mulheres e meninas menores de idade para sua órbita sexual, com a ajuda de sua equipe. Rapper americano R. Kelly é condenado a 30 anos de prisão Veja Mais

Shania Twain vai ao show de Anitta na Suíça e elogia cantora: 'Ela é incrível'

G1 Pop & Arte Cantora canadense fala sobre brasileira após uma das apresentações da turnê europeia. Shania Twain vai no show de Anitta na Suíça Shania Twain elogiou a cantora Anitta após acompanhar a apresentação da brasileira em Montreux, na Suíça. "Pessoal. Eu conheci a Anitta! Ela é incrível e eu amei o show dela. Esse é o tuíte", escreveu a cantora canadense, na manhã desta terça-feira (5), replicando a mensagem em que Anitta falava sobre o encontro entre elas. "Gente... a Shania Twain pediu pra vir no meu show aqui na Suíça. Dançou todas as músicas e veio no meu camarim fazer foto. Esse é o tweet. Fim. Fimmmmmmmmm", escreveu Anitta. Shania Twain vai a show de Anitta na Suíça e elogia cantora Reprodução/Instagram No Instagram, a brasileira, que está em turnê europeia, mostrou algumas imagens do encontro no camarim. E também compartilhou um breve momento de Shania acompanhando a apresentação no palco. "Sabe assim, você passou a vida ouvindo a pessoa e de repente ela pede pra ir no seu show, e de repente ela ta lá dançando?", comentou Anitta. Initial plugin text Veja Mais

Filme da Barbie é hit das redes, com gravações seguidas em 'tempo real'; veja perguntas e respostas

G1 Pop & Arte 'Hype' envolve nomes inesperados à frente do projeto, badalado time de atores e looks cobiçados; veja vídeo com primeiras imagens das filmagens. Semana Pop conta tudo o que já se sabe sobre o filme da Barbie Se entregar o que está prometendo, esse filme pode ser tratado como um ícone dessa geração, uma espécie de novo clássico. Acredite se quiser, estamos falando do novo filme da boneca Barbie. O brinquedo mais famoso do mundo já inspirou uma série de animações, mas está prestes a ganhar um filme com atores reais -- um badalado time de atores. E esse já é um dos lançamentos mais aguardados do cinema nos últimos anos. Margot Robbie em primeira imagem como a protagonista de 'Barbie' Divulgação Duvida? Basta uma pesquisa rápida nas redes sociais para perceber o quanto o assunto está em alta. Fãs atentos acompanham as gravações quase em tempo real, através de vídeos e fotos vazadas. Veja, no vídeo acima, as imagens que já estão circulando e, abaixo, perguntas e respostas sobre o filme. É o primeiro projeto da Barbie com atores? Por que está sendo tão comentado? Quem são os protagonistas? Quem mais vai atuar? Qual a história? Quando é a estreia? 1. É o primeiro projeto da Barbie com atores? Não. As notícias sobre um filme da Barbie com personagens de carne e osso já circulam desde 2009. Os nomes de Amy Schumer e Anne Hathaway circularam como possibilidades para o papel principal, mas esses projetos não foram pra frente. Não se sabe o quanto do que foi preparado para as versões anteriores vai estar presente no novo filme. 2. Por que está sendo tão comentado? O "hype" é tão grande, principalmente, por causa dos nomes à frente do projeto. A direção é de Greta Gerwig, conhecida por fazer filmes com personagens femininas complexas, que definem bem uma geração. Ela foi indicada ao Oscar por "Lady Bird" (2017) e "Adoráveis Mulheres" (2019). O casal Greta Gerwig e Noah Baumbach Charley Gallay / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP Greta também assina o roteiro do longa, ao lado de um de seus principais parceiros, Noah Baumbach. Os dois trabalharam juntos, por exemplo, em "Frances Ha" (2012) e "Mistress America" (2015), dois filmes queridinhos do cinema alternativo. 3. Quem são os protagonistas? Depois de escorregar pelas mãos de algumas atrizes, o papel de Barbie foi para Margot Robbie, atriz de filmes como "O Lobo de Wall Street" (2013) e "Esquadrão Suicida" (2016). A caracterização da protagonista tem sido elogiada. Nas redes, os looks com que ela aparece nas gravações viraram tendência. Initial plugin text O galã Ryan Gosling, de filmes como "Drive" (2011) e "La La Land" (2016), também já apareceu em algumas imagens como Ken, o namoradinho da Barbie. Ryan Gosling Reprodução/Instagram 4. Quem mais vai atuar? Gosling e Robbie são personagens centrais, mas não serão os únicos. Segundo a imprensa americana, o filme apresentará vários Kens e Barbies. Já foram divulgados alguns nomes para esses papéis: Issa Rae, da série "Insecure"; Hari Nef, atriz transgênero da série "You"; Simu Liu, o herói Shang-Chi da Marvel; Ncuti Gatwa, da série "Sex Education". Além desses, também estão circulando os nomes de America Ferrera ("Quatro Amigas e um Jeans Viajante"), Emma Mackey ("Sex Education"), Michael Cera ("Juno") e Will Ferrell ("Ricky Bobby, a Toda Velocidade"). Os personagens que eles vão fazer ainda são segredo. 5. Qual a história? Outra coisa que ainda é um mistério é a história do filme. Numa entrevista para a revista "Vogue", Margot Robbie disse que o roteiro tem muitas referências nostálgicas. Ela também avisou que é bom o público se preparar para uma trama surpreendente, já que Gerwig está fazendo algo bem diferente do que o que se espera de um filme da Barbie. Vale ressaltar que até uma bandeira do Brasil já foi vista no set de filmagens. Initial plugin text 6. Quando é a estreia? Uma data exata de estreia ainda não foi divulgada, mas o plano inicial é lançar o filme no verão americano de 2023 -- ou seja entre junho e setembro. Veja Mais

Em alta, gamers atraem investimentos de bancos e atenção de Anitta

O Tempo - Diversão - Magazine Mercado deve movimentar US$ 203,1 bilhões (R$ 1 trilhão) em 2022, um crescimento de 5,4% em relação ao ano passado, de acordo com a consultoria Newzoo Veja Mais

HBO Max anuncia início da produção da quarta temporada de 'Succession'

O Tempo - Diversão - Magazine Criada por Jesse Armstrong, a série explora temas como poder e dinâmica familiar através dos olhos do patriarca Logan Roye e dos filhos Veja Mais

Johnny Depp x Amber Heard: advogados da atriz pedem que veredito de julgamento seja anulado

G1 Pop & Arte Equipe de defesa de Amber alega que decisão dos jurados não foi apoiada em evidências e questiona valor da indenização. Amber Heard enfrentou assédio nas redes sociais durante o julgamento contra Johnny Depp. Getty Images/Via BBC A equipe de advogados da atriz Amber Heard solicitou que o julgamento contra ela no caso de difamação com o seu ex-marido, Johnny Depp, seja totalmente anulado, segundo informação do "The Guardian". Amber e Depp, que foram casados entre 2015 e 2017, se processavam mutuamente por difamação. Depois de seis semanas de julgamento, os jurados condenaram a atriz a pagar US$ 15 milhões, valor que foi reduzido para US$ 10,35 milhões. Já Depp foi condenado a pagar US$ 2 milhões à ex-mulher. Heard disse em um memorando de 43 páginas que o veredito do júri deveria ser rejeitado, assim como a indenização de mais de R$ 10 milhões, alegando que não havia provas suficientes. Semana Pop mostra raio-x da vida financeira de Johnny Depp e Amber Heard A atriz, representada pela advogada Elaine Bredehoft no processo, argumenta ser falso que Depp tenha perdido seu papel em "Piratas do Caribe" por causa de seu artigo no "Washington Post". Em 2018, Amber escreveu um depoimento para o jornal em que diz ser uma "sobrevivente de violência doméstica". Ela não citou Depp, mas os advogados do ator disseram que a atriz fazia referência a ele. Segundo a advogada de Amber, em uma moção apresentada na sexta-feira (1º), Depp “procedeu apenas em uma teoria de difamação por implicação, abandonando quaisquer alegações de que as declarações de Heard eram realmente falsas." Johnny Depp acusou a ex-mulher, Amber Heard, por difamação Reprodução do Jornal Nacional Na moção, a atriz afirmou que a indenização de R$ 10 milhões foi excessiva e ainda questionou as informações de um dos jurados do processo. Segundo ela, a pessoa não teria nascido em 1945, como registrado no tribunal. O jurado, identificado no processo como "jurado 15", “claramente nasceu depois de 1945. Informações publicamente disponíveis demonstram que ele parece ter nascido em 1970”, diz a moção. “Esta discrepância levanta a questão de saber se o 'jurado 15' realmente recebeu uma intimação para o serviço de júri e foi devidamente examinado pelo tribunal para servir no júri”. Semana Pop mostra coadjuvantes que roubaram a cena na treta de Johnny Depp e Amber Heard O tribunal é obrigado a verificar a identidade dos jurados, mas, neste caso, “parece que sua identidade não pôde ser verificada”, acrescentou a moção. A juíza Penney Azcarate indicou que não está disposta a agendar mais audiências sobre caso. No último encontro legal, em 24 de junho, Azcarate colocou a sentença final nos autos do tribunal depois que Bredehoft pediu novas audiências. O advogado de Depp, Ben Chew, por meio de nota enviada ao Courthouse News, disse que o pedido de Amber para anular o julgamento é "o que esperávamos, apenas maior, mas não mais substantivo". Veja Mais

Patrícia Poeta estreia no comando do 'Encontro': 'Coração quase saindo pela boca'

G1 Pop & Arte Após despedida de Fátima Bernardes, programa começa a ser transmitido nos estúdios de São Paulo. Patrícia ainda conta com a parceria de Manoel Soares no palco. Patrícia Poeta estreia no comando do 'Encontro' Globo Patrícia Poeta fez sua estreia no comando do programa "Encontro" na manhã desta segunda-feira (4). Após a despedida de Fátima Bernardes da atração, depois de 10 anos à frente do programa, Patrícia assumiu o posto em novo horário da programação. "Que prazer ter vocês aqui num dia tão especial. Meu coração está quase saindo pela boca", afirmou Patrícia logo na abertura do programa, se juntando à plateia. "Vou fazer de conta que não tô nervosa. Coração nervoso, mas muito feliz. A partir de hoje, a gente começa uma nova história nesse programa, que já é de muito sucesso. Espero profundamente que você de casa curta minha companhia, porque já amo a sua tem muito tempo", afirmou Patrícia. A apresentadora ainda chamou o parceiro de atração, Manoel Soares. "A Fatima contou com grandes parceiros e vou contar muito com você, parceiro", afirmou. "É um prazer muito grande estar com vocês, esse momento que vamos viver juntos a partir de agora", afirmou Manoel. Manoel Soares é parceiro de Patrícia Poeta no comando do "Encontro" Globo Durante o primeiro bloco, Patrícia também mostrou a mudança dos estúdios do Rio de Janeiro para São Paulo, de onde ele começa a se transmitido nesta nova etapa. Ela também anunciou a primeira participação musical da temporada: o cantor Péricles. "É um prazer ter você no primeiro programa, que sempre marca uma história", celebrou Patrícia. Tati Machado também marcou participação no programa, trazendo notícias sobre a novela "Pantanal". E Patrícia mostrou a já conhecida "nuvem de palavras" que estão sendo comentadas nas redes sociais. "Olhando naquele monitor, a gente fica mais perto. A gente vai se acostumando", afirmou Patrícia, se adaptando ao quadro, agora em 3D. O terceiro quadro do programa contou com a participação das apresentadoras Michelle Loreto e Valéria Almeida, que levaram o momento do "Bem Estar" para o palco da atração. "Tem plateia", brincou Michelle assim que chegou ao palco para trazer notícias sobre saúde. Na reta final do programa, Patrícia também falou sobre seu processo de mudança para São Paulo e confessou que “estava com um pouquinho de medo por causa de tantas mudanças juntas”. Em seguida, ela convocou Ana Maria Braga para adiantar algumas das atrações do "Mais Você", que estreia em novo horário. "Desejo todo sucesso do mundo pra você. Beijo especial na plateia. Não tenho, mas agora está pertinho de mim. Estou me sentindo a vizinha chegada", brincou Ana Maria, que enviou pela produção flores e uma enorme porção de coxinhas para Patrícia e Manoel. Patrícia encerrou a atração agradecendo ao público de casa, à plateia, ao parceiro Manoel e desejou: "Bom dia e boa sorte". Leia mais: Apresentadores do 'Encontro', do 'Mais Você' e do 'É de Casa' falam sobre a nova programação a partir de julho Fátima Bernardes se emociona em último 'Encontro': 'Não queria chorar, porque não é um momento triste' Patrícia Poeta estreia no comando do "Encontro" Globo Veja Mais

Peter Brook, lenda do teatro britânico, morre aos 97 anos

G1 Pop & Arte Durante sua carreira no teatro, ele dirigiu atores como Laurence Olivier e Orson Welles e esteve à frente de instituições importantes como o Royal Opera House e Royal Shakespeare Theatre. Peter Brook Lionel Bonaventure/AFP A lenda do teatro britânico Peter Brook, um dos diretores mais influentes do século XX, morreu neste sábado (2) aos 97 anos, informaram à AFP neste domingo (3) pessoas próximas ao artista. Morre, no Rio, Sergio Paulo Rouanet, diplomata autor da lei que beneficia a cultura no Brasil O professor de teatro de origem britânica, que passou grande parte de sua carreira na França dirigindo o teatro parisiense Les Bouffes du Nord, reinventou a arte da direção teatral ao privilegiar formas sóbrias sobre os cenários tradicionais. Nascido em Londres em 21 de março de 1925, este filho de imigrantes lituanos judeus assinou sua primeira produção aos 17 anos. Durante sua carreira, liderou importantes instituições como o Royal Opera House de Covent Garden e o Royal Shakespeare Theatre, no Reino Unido, os franceses Les Bouffes du Nord e o Centro Internacional de Criações Teatrais (CICT). Peter Brook Patrik Kovarik/AFP Artista com experiência em ópera, cinema e crítica teatral, Brook se estabeleceu em Paris em 1971. Muitas vezes comparado a Stanislavski (1863-1938) que revolucionou a atuação, Peter Brook é o teórico do "espaço vazio", uma espécie de bíblia para o mundo do teatro, publicado pela primeira vez em 1968. "Posso pegar qualquer espaço vazio e chamá-lo de palco. Alguém atravessa esse espaço vazio enquanto outro assiste, e isso é o suficiente para começar o ato teatral": essas famosas primeiras linhas se tornaram um "manifesto" para um teatro alternativo e experimental. Sua obra mais conhecida é "O Mahabharata", um épico de nove horas da mitologia hindu, criado em 1985 e adaptado ao cinema em 1989. No teatro dirigiu atores como Laurence Olivier e Orson Welles. Depois de uma aventura de mais de 35 anos no Bouffes du Nord, Peter Brook deixou a direção do teatro em 2010, aos 85 anos, continuando a assinar produções. "Toda a minha vida, a única coisa que sempre contou, e é por isso que trabalho no teatro, é o que vive diretamente no presente", disse à AFP na ocasião. O carismático diretor sofreu um grande baque em 2015 com a morte de sua esposa, a atriz Natasha Parry. "Tentamos negociar com o destino dizendo: 'Traga ela de volta por apenas 30 segundos...'" Em 2019, Peter Brook foi galardoado na Espanha com o Prêmio Princesa das Astúrias das Artes, na condição de "mestre de gerações". "Considerado o melhor diretor teatral do século XX", Brook "abriu novos horizontes na dramaturgia contemporânea, ao contribuir decisivamente para a troca de conhecimentos entre culturas tão diferentes como as da Europa, África e Ásia", afirmou o júri ao fundamentar a sua decisão. Veja mais personalidades que morreram em 2022 Veja Mais

Vitória Strada vence 'Dança dos Famosos' e celebra com a noiva e os pais no palco

G1 Pop & Arte Em seu discurso, ela disse que o amor é o sentimento mais bonito do mundo. "Enquanto todo mundo estiver amando, a gente não tem com o que se preocupar'. Vitória Strada Reprodução/Instagram A atriz Vitória Strada foi a campeã de 'Dança dos Famosos', no 'Domingão com Huck', neste domingo (3). Ela, ao lado do parceiro Wagner Santos, disputava a final com Ana Furtado e Leandro Azevedo e Vitão e Gabe Cardoso. Na celebração, a atriz trouxe a noiva e os pais para o palco. Compartilhe no WhatsApp Compartilhe no Telegram Na disputa acirrada, os artistas tinham de fazer duas apresentações, uma de valsa e outra de samba. Vitória recebeu nota dez pelas avaliações do júri técnico, artístico, da plateia e dos espectadores de casa na valsa. No samba, foram três dez e um 9,9, vencendo Vitão, que recebeu dois dez, 9,9 e 9,8. Vitória Strada Reprodução/Twitter "A vitória é da Vitória", anunciou Luciano Huck. A atriz celebrou com a noiva, Marcella Rica, com um beijo no palco. "Vocês formam um casal lindo. Fico muito feliz em ver esse beijo da celebração de vocês aqui", disse Huck. "O mundo é sobre isso, é sobre a diversidade, sobre aceitação, sobre as pessoas serem felizes, sobre a gente acolher e celebrar a vida. Então, eu estou muito feliz com a tua vitória com tudo o que ela simboliza neste mundo tão estanho que a gente está vivendo", completou. Vitória Strada Reprodução/Twitter "A mensagem que fica é que o amor é o sentimento mais bonito do mundo. Ele em todas as suas formas: seja o amor por um amigo, seja o amor romântico. Ele faz o bem para o mundo, então, a gente precisa celebrar cada vez que o amor acontece, em todas as suas formas", disse Vitória. LEIA TAMBÉM Filha do apresentador Tadeu Schmidt celebra Dia do Orgulho LGBTQIA+ nas redes sociais: 'sou queer e me orgulho' LGBTQIA+: entenda o que significa cada letra da sigla "É isso, é sobre amor: amem uns aos outros, o próximo. Não critiquem a forma que o outro ama se ela for diferente da sua, porque ninguém está fazendo mal a ninguém. Enquanto todo mundo estiver amando, a gente não tem com o que se preocupar." Veja Mais

Mais Você em novo horário, mudanças no Encontro: entenda as novidades na Globo

O Tempo - Diversão - Magazine Emissora estreia grade reformulada nas manhãs, com gente nova nas atrações, e aposta na mistura entre jornalismo e entretenimento Veja Mais

Temperatura Máxima (3/7): Veja qual o filme de hoje na Globo

O Tempo - Diversão - Magazine Pantera Negra com Chadwick Boseman é a atração de logo mais e vai ser exibido às 12h25 Veja Mais

Humorista brasileiro viraliza após entrevista no aeroporto de Lisboa: 'Mesma cueca faz 6 dias'

G1 Pop & Arte Abdías Melo falava ao vivo sobre espera da volta ao Brasil em meio à greve de trabalhadores de duas empresas aéreas que afeta voos pela Europa. Reação gerou memes nas redes sociais. Abdías Melo durante entrevista no aeroporto de Lisboa Reprodução/Twitter O humorista e empresário brasileiro Abdías Melo viralizou nas redes sociais neste sábado (2) após uma entrevista no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, em meio ao caos nos aeroportos da Europa com a greve de trabalhadores de duas companhias aéreas. Quando perguntado pela jornalista da emissora 'RTP' sobre sua situação, o comediante diz 'estar com a mesma cueca faz 6 dias'. "Eu não tomei banho, tô fedendo. Um absurdo. Meu sovaco está fedendo. E eles não fazem nada. Simplesmente falam assim: 'vamos resolver'. Aí, botam um voo, dá o cartão de embarque, cancela. Eu só consigo fazer cocô em casa. Eu tô preso, sem fazer cocô", contou. Compartilhe esta notícia no WhatsApp Compartilhe esta notícia no Telegram O próprio comediante falou com a jornalista depois da entrada ao vivo e também se desculpou com ela, caso tivesse lhe causado constrangimento. Em suas redes sociais, Adbías já havia publicado um vídeo em que reclamava em um guichê usando as mesmas frases em tom de deboche. A entrevista gerou uma série de reações nas redes sociais com celebridades e anônimos reproduzindo e também dublando o vídeo. O comediante postou o momento em seu Instagram. Veja abaixo: Initial plugin text Até a madrugada deste domingo (3), Abdías ainda não tinha conseguido um voo de volta para o Brasil, segundo seu relato nas redes sociais. De acordo com a mídia portuguesa, 65 voos foram cancelados no aeroporto de Lisboa. Há impactos também na Espanha, França, Alemanha e no Reino Unido. Greve em duas empresas Os tripulantes da companhia aérea anunciaram outros 12 dias de greve ao longo do mês de julho, no verão europeu REUTERS/Jon Nazca A mobilização da Ryanair e da EasyJet em Madri, duas companhias aéreas de baixo custo, para exigir melhores salários e condições de trabalho coincidiu com o final do ano letivo na Europa e as férias de verão. A greve dos tripulantes da Ryanair na Espanha - onde a empresa tem cerca de 1,9 mil colaboradores - começou em 24 de junho e a da EasyJet, na sexta-feira (1º). O sindicato da categoria afirmou ainda que os funcionários da Ryanair planejaram paralisações em três períodos de quatro dias: de 12 a 15 de julho, de 18 a 21 de julho e de 25 a 28 de julho nos dez aeroportos espanhóis em que a empresa irlandesa opera. Nos seis dias anteriores de greve, mais de 1,2 mil vôos foram atrasados ou cancelados. Os trabalhadores da EasyJet anunciaram greves durante os três primeiros fins de semana de julho para exigir melhorias nas suas condições de trabalho e que estas estejam de acordo com as de outras companhias áereas europeias. Veja Mais

Maria Beltrão e novos apresentadores visitam É de Casa na 'troca de bastão'

G1 Pop & Arte Maria Beltrão, Rita Batista e Thiago Oliveira foram recebidos pela colega Talitha Morete. Programa deste sábado marcou a despedida de Patrícia Poeta e Manoel Soares, que vão para o Encontro, e de Ana Furtado e André Marques. Os novos apresentadores do É de Casa fizeram uma "pré-estreia" neste sábado (02), visitando o programa ao vivo e se reunindo com os apresentadores que deixam a atração. Todos se encontraram na cozinha do cenário e depois caíram no samba ao som de Arlindinho e Mauro Diniz. Novos apresentadores visitam o É de Casa reprodução TV Globo A partir de 9 de julho, o É de Casa terá no quadro de apresentadores a jornalista Maria Beltrão, Rita Batista e Thiago Oliveira. Talitha Morete, que já estava no elenco, segue com os recém-chegados. Patrícia Poeta e Manoel Soares se despediram neste sábado do É de Casa. A partir de segunda-feira, eles assumem o comando do "Encontro". Entenda as mudanças da manhã da Globo mais abaixo. Na mensagem de despedida, Patrícia ganhou o aplauso dos colegas ao citar Fernando Pessoa: "Segue o teu destino, rega tuas plantas, ama tuas rosas. O resto é sombra de árvores alheias". Manoel Soares improvisou um rap: "gratidão define esse momento, todo mundo agora aqui é puro sentimento". André Marques fez seu último programa neste sábado e deixa a emissora no próximo dia 1º, como já tinha anunciado em maio. Ele brincou sobre seu relacionamento dom a Globo: "a gente pode, eu e a Globo, ficar de novo ou não, a gente pode se pegar, namorar... o que vale é esse amor e essa história". Ana Furtado segue na temporada 2022 do Dança dos Famosos, no Domingão com Huck. Ela também agradeceu o carinho do público: "encerro um ciclo de uma forma tão leve, feliz e maravilhosa que eu desejo o mesmo para todos vocês", afirmou sobre os novos apresentadores. Tati Machado, André Marques, Nelcy, Manoel Soares, Ana Furtado e Thiago Oliveira no É de Casa de 2/7. Reprodução TV Globo As mudanças das Super Manhãs da Globo estreiam em 4 de julho: Patrícia Poeta assume ao lado de Manoel Soares o "Encontro". O programa passa a ser exibido mais cedo, logo após o "Bom dia Brasil", às 9h30, direto de São Paulo. O "Mais Você", com Ana Maria Braga, vem em seguida, a partir das 10h45, antes da primeira edição dos telejornais locais, que vão começar a partir das 12h45. O "É de Casa", aos sábados, terá a presença de Maria Beltrão a partir do dia 9 de julho. Ela divide o comando da atração com Rita Batista, Talitha Morete e Thiago Oliveira. Apresentadores do 'É de Casa' Divulgação/Globo/Kelly Fuzaro Veja Mais

Edilson 'Capetinha' é contratado como apresentador da RedeTV!

O Tempo - Diversão - Magazine Ex-jogador, campeão do mundo em 2002, vai integrar a bancada do Galera Esporte Clube. Saiba mais. Veja Mais

Palácio das Artes tem Instrumental Villa-Lobos com entrada gratuita

O Tempo - Diversão - Magazine O projeto é realizado pelo programa “O Modernismo em Minas Gerais” Veja Mais

Bolada na cara, pratos no chão, queda e confusão: relembre memes do Encontro com Fátima Bernardes que viralizaram nas redes sociais

G1 Pop & Arte Apresentadora deixa o 'Encontro' após 10 anos apresentando o programa. Em uma década, Fátima protagonizou momentos divertidos ao lado dos convidados. Que meme é esse? Veja momentos "Encontro com Fátima Bernardes", que deram o que falar Além de conversas aprofundadas sobre temas discutidos no dia a dia, os dez anos de Fátima Bernardes nas manhãs ao vivo do "Encontro" renderam situações inusitadas e divertidas. Fátima deixa o programa nesta sexta-feira (1º) para assumir a apresentação do "The Voice" nos próximos meses, enquanto o matinal diário seguirá sob o comando de Patrícia Poeta e Manoel Soares. No Youtube do g1, Túlio Mello relembrou alguns dos memes que marcaram a internet desde o primeiro programa no quadro 'Que meme é esse?'. Assista no vídeo acima. FOTOS: Relembre momentos de Fátima Bernardes em 10 anos de 'Encontro' Relembre, abaixo, alguns dos memes mais marcantes do período: Dançarina ???? Agosto/2016 Bailarina, Fátima aproveitou as atrações musicais do programa para mostrar que também sabe, sim, dançar. Numa das primeiras participações de Anitta no programa, Fátima se juntou ao balé da cantora para fazer a coreografia de "Bang". Capoeira ???? Novembro/2015 Ao lado de Rodrigo Simas, a apresentadora mostrou todo seu gingado arriscando uns passos de capoeira no palco. Mas acabou tropeçando e caindo no chão num determinado momento, quando foi levantada por Simas, sob risos e aplausos de todos. O g1 está no Telegram; Clique aqui para receber notícias diretamente no seu celular. Fátima Bernardes celebra uma década à frente do ‘Encontro’ com programa especial Globo/João Cotta Bolada na cara ???? Dezembro/2015 Desafiado pela jogadora Marta a fazer algumas embaixadinhas no palco, o apresentador Felipe Andreoli aceitou o desafio sem esperar que, num determinado momento, ao mandar a bola de volta para a atleta, acabaria acertando uma bolada na... Cara de Fátima. "Não me demite", brincou o apresentador após o ocorrido. Desequilíbrio ???? Fevereiro/2014 O garçom Afonso participou do programa mostrando toda sua experiência atendendo uma mesa de convidados do programa. Mas ele acabou se desequilibrando e derrubou todos os pratos que carregava. O incidente viralizou nas redes sociais, mas todo mundo encarou com empatia a situação vivida pelo profissional. Fátima ainda acolheu o garçom, pedindo que eu não ficasse com vergonha, e ainda ofereceu seu lugar para que sentasse. Xixi ???? Janeiro/2016 Até uma vaca esteve no palco do Encontro e, digamos, não se envergonhou de se aliviar fazendo suas necessidades ao vivo. Na ocasião, o animal estava no programa para que crianças aprendessem a ordenhar. Mas, antes que as crianças começassem a atividade, a vaca fez xixi no palco. Mudanças ???? Setembro/2014 Veterana do programa, Ludmilla se confundiu ao ser perguntada por Fátima sobre "mudanças" ao longo do tempo. "Mudou tudo, né? Antigamente, aqui era redondo...", começou a cantora ao listar as diferenças no cenários do Encontro. Aos risos, Fátima interveio: "Aaaah, não! Mas não no nosso cenário, não. Quero na sua vida". Veja Mais

Rock in Rio faz encontro com atrações do Palco Sunset e Espaço Favela

G1 Pop & Arte Reunião aconteceu no escritório de uma gravadora, na Barra da Tijuca, e contou com a presença de Papatinho, L7nnon e MC Hariel, PK, MC Don Juan e Marvvila. Hariel, Papatinho, L7nnon e Dom Juan, em pé Laura Rocha/g1 Rio O Rock in Rio reuniu nesta quinta-feira (30) os artistas Papatinho, L7nnon e MC Hariel, que vão abrir o Palco Sunset, no dia 3 de setembro deste ano. O encontro aconteceu em um escritório na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, e também contou com as atrações do Espaço Favela, PK, MC Don Juan e Marvvila. Em coletiva, o diretor artístico do Palco Sunset, Zé Ricardo, explicou sobre a relevância que os dois espaços têm dentro do festival. O produtor musical e beatmaker Papatinho vai se apresentar junto com o rapper L7nnon. Juntos, convidaram para o palco os MCs Hariel, do funk paulista, e Carol, funkeira carioca - que não pôde comparecer à coletiva. Entre falas sobre sonhos realizados e parceria nos shows, os artistas afirmaram que o show já começou nesta quinta, nesse primeiro encontro no escritório da Warner Music Brasil, na Barra. Hariel, Papato, L7nnon e Zé Ricardo no encontro na Barra da Tijuca Laura Rocha/g1 Rio Papatinho, apelido de Tiago da Cal Alves, é DJ e produtor musical. Ele produziu músicas para outros artistas como Anitta, Ludmilla, Black Alien, Criolo e Seu Jorge. Fez parcerias internacionais, como com o cantor will.i.am, do Black Eyed Peas, e Snoop Dogg. Beatmaker, Papatinho foi um dos fundadores do grupo ConeCrewDiretoria. O rapper L7nnon, conhecido também com L7, tem 26 anos e é o cantor de hits como “Perdição” e “Freio da Blazer”. Vai para o terceiro álbum junto com o Papatinho. MC Hariel, funkeiro de São Paulo, é conhecido pelo aclamado álbum “Chora Agora, Ri Depois”. Já MC Carol se destaca com as pautas feministas e empoderadas nas músicas. No Espaço Favela, o rapper carioca PK traz o funkeiro MC Don Juan. Já a cantora Marvvila traz o pagode e a força da mulher. O line-up do Palco Sunset no dia 3 de setembro vai ser focado no rap. Além de Papatinho e L7nnon com MC Carol e MC Hariel, o espaço vai receber os Racionais, o cantor Criolo com a Mayra Andrade como convidada, e o rapper Xamã, que convida os Brô MC’s, o primeiro grupo de rap indígena do Brasil. Pra matar a saudade: as 100 melhores fotos no Rock in Rio 2019 *Estagiária sob supervisão de Cláudia Loureiro Veja Mais

R. Kelly: uma estrela em queda por seu comportamento sexual

G1 Pop & Arte Um dos músicos de maior sucesso do R&B e compositor de 'I Believe I Can Fly', da trilha sonora de 'Space Jam', Kelly foi condenado a 30 anos de prisão. O cantor americano R. Kelly Divulgação Na década de 1990, R. Kelly era uma estrela internacional da música R&B, apesar de já ser acusado de abusos sexuais na época. Quem é R. Kelly e como funcionava o esquema de tráfico sexual pelo qual o cantor foi condenado? YouTube remove canais de R. Kelly após cantor ser condenado por tráfico sexual de mulheres e menores de idade Antes do #MeToo, muitas denúncias de atividade sexual criminosa eram caladas por acordos extrajudiciais com as vítimas. Trinta anos depois do abuso comprovado contra uma menor, o cantor de 55 anos foi condenado nesta quarta-feira (29) a 30 anos de prisão. Um júri de Nova York o declarou culpado em setembro de liderar durante décadas uma rede de abusos contra adolescentes e mulheres. O ganhador de três prêmios Grammy, cujo nome real é Robert Sylvester Kelly, já vendeu mais de 75 milhões de discos, e é um dos músicos de R&B de maior sucesso comercial da história, com canções como "I Believe I Can Fly" e "Ignition (Remix)". Lady Gaga e R. Kelly performam 'Do What U Want' durante o American Music Awards em Los Angeles REUTERS/Lucy Nicholson Em seu julgamento no Tribunal Federal do Brooklyn, os promotores descreveram "um universo centralizado em Robert Kelly" que fez com que seus colaboradores apoiassem ou fechassem os olhos para seu comportamento predador. Para seus defensores, Kelly era simplesmente um "playboy" e um "sex symbol" que curtia a vida hedonista à qual estão acostumadas as celebridades internacionais. No entanto, o júri composto por cinco mulheres e sete homens o declarou culpado de todos as acusações, inclusive de se aproveitar da fama para seduzir vítimas com objetivos sexuais, com a colaboração de seu entorno. Acusações de pornografia infantil Nascido em 8 de janeiro de 1967 em Chicago, Kelly foi o terceiro de quatro irmãos criados por sua mãe. Em uma autobiografia publicada em 2012, ele conta que se iniciou sexualmente aos oito anos. Às vezes assistia e fotografava casais mais velhos em ato sexual. Segundo ele, uma mulher mais velha o violou aos 8 anos, além de um homem que abusou dele na pré-adolescência. Imagem de 6 de junho de 2019 mostra R. Kelly chegando a tribunal de Chicago E. Jason Wambsgans/Chicago Tribune via AP/Arquivo Durante muito tempo, falava-se que ele era analfabeto, apesar dos catorze álbuns que compôs. Um ex-advogado garante que Kelly escreve notas fonéticas em vez do inglês padrão. A gravadora Jive Records o contratou em 1991 depois que um diretor da empresa o ouviu cantar em um churrasco em Chicago. Em 1993, ele editou seu primeiro álbum solo, "12 Play", com músicas eróticas como "Bump N' Grind," que se manteve em primeiro lugar nas paradas R&B por nove semanas. Apesar de sua tumultuada vida pessoal, que inclui a anulação de seu casamento com a também cantora Aaliyah, de 15 anos, Kelly alcançou a fama. Mas no início dos anos 2000, o jornalista de Chicago Jim DeRogatis recebeu duas gravações anônimas que mostravam Kelly fazendo sexo com jovens. A segunda levou a uma acusação de pornografia infantil. Após anos de atrasos judiciais, durante os quais seguiu fazendo turnês e gravações, Kelly foi absolvido de todos as acusações em um polêmico julgamento. "Silenciem R. Kelly" Durante anos, as acusações apenas tiveram impacto em sua carreira. De 2005 a 2012, ele escreveu, produziu, dirigiu e atuou em um "hip hopera" intitulado "Trapped in the Closet", um conto de sexo e mentiras que desconcertou e impressionou os críticos. Em julho de 2017, o BuzzFeed divulgou uma ampla investigação de DeRogatis, que denunciava um esquema de "culto ao sexo" que mantinha seis mulheres reféns em Chicago e Atlanta. R. Kelly, cantor americano de R&B Divulgação/RCA Ao mesmo tempo, duas mulheres em Atlanta, Kenyette Barnes e Oronike Odeleye, fundaram o movimento "Silenciem a R. Kelly", que promovia o boicote a sua música. "Alguém tem que defender as mulheres negras", disse Odeleye na época. Outros julgamentos Em janeiro de 2019, uma série da Lifetime apresentou Kelly como um manipulador violento que gostava de jovens às quais supostamente pedia que o chamassem de "daddy" (paizinho). Ventos contrários passaram a soprar. Sua gravadora rompeu com ele e começaram a surgir as ações judiciais. R. Kelly chega em audiência para responder sobre acusações de abuso sexual em Chicago, em maio de 2019 Nuccio Dinuzzo/Getty Images North America/AFP Não muito tempo depois, a promotoria de Chicago apresentou 10 acusações de abusos sexuais qualificados contra o músico. As promotorias federais de Illinois e Nova York fizeram o mesmo em 2019. Supostamente arruinado, Kelly está preso desde que foram apresentadas as acusações federais. No entanto, deve ser processado em outras três jurisdições, entre elas o Tribunal Federal de Chicago, onde seu julgamento está previsto para começar em 15 de agosto. Veja Mais

Depilação de Juma Marruá em Pantanal repercute nas redes. Entenda

O Tempo - Diversão - Magazine Nome da atriz Alanis Guillen bombou na web após cenas de nudez ao lado de Jesuíta Barbosa Veja Mais

Relembre o assassinato de Daniella Perez, que completa 30 anos e mudou o país

O Tempo - Diversão - Magazine Atriz foi brutalmente assassinada com apenas 22 anos por um colega de novela, Guilherme de Pádua Veja Mais

Inhotim amplia horário de funcionamento nas férias de julho

O Tempo - Diversão - Magazine Educativo Inhotim vai indicar as obras preferidas da garotada Veja Mais

'O que tem de diferente no 'Pipoca?': Eu', diz Ivete sobre novo programa

O Tempo - Diversão - Magazine Apresentadora estreia programa no próximo dia 24 de julho nas tardes de domingo da Globo Veja Mais

Quem é MC Neguinho JM? Cantor era do 'funk consciente' e lançou música sobre moto dois meses antes da morte

G1 Pop & Arte Funkeiro de 19 anos foi morto a tiros pela Polícia Militar no sábado (2). Cantor havia entrado recentemente para a produtora Love Funk, empresa pela qual lançou 'Um piloto e um garupa', primeira faixa de destaque do artista. MC Neguinho JM Reprodução/Instagram Há menos de dois meses, MC Neguinho JM lançou "Um piloto e um garupa". A faixa era a primeira lançada por ele junto com a Love Funk, uma das produtoras do ritmo de São Paulo. E também a primeira de destaque na carreira do artista. David Meireles Miranda -- nome de batismo do MC de 19 anos -- foi morto a tiros pela Polícia Militar (PM), no último sábado (2), durante perseguição na Zona Sul de São Paulo. Ele pilotava uma moto emprestada e, nas imagens de um vídeo gravado por câmera de segurança, é possível ver que ele não usava capacete e estava desarmado quando foi baleado no tórax e na perna. No clipe de "Um piloto e um garupa", MC Neguinho JM e MC Luuky, parceiros na faixa, aparecem em representação de cena semelhante. Em uma moto, os cantores fogem de uma perseguição policial, mesmo tendo uma arma apontada para eles. O vídeo já conta com cerca de 850 mil visualizações no YouTube. A faixa e a carreira do MC seguem a linha do "funk consciente", que desde 2020 renova o estilo do ritmo em São Paulo com hinos sobre motos e fé em Deus, mostrando o veículo de duas rodas como símbolo comum de superação dos jovens que cantam os versos sobre a vida difícil na favela. As redes sociais do MC também refletiam essa fase musical do funk paulista. Ele costumava publicar várias fotos em cima de motos. E, nas legendas, usava frases sobre fé e Deus. Em uma delas, ele cita: "Não é fácil e não vai ser tem que ter fé pra poder vencer". Pelas redes sociais, também é possível ver que o MC estava preparando mais uma faixa nessa levada do funk consciente. Em alguns vídeos publicados no Instagram, ele aparece diante de algumas motos e canta: "Zé Povinho falador tá queimando a língua/ Olha os preto vencedor dando a volta por cima / O maloqueiro vencedor que venceu na vida". Segundo um representante da Love Funk, seu ingresso na produtora foi recente e "Um piloto e um garupa" foi a primeira música a se destacar. Tanto que um mês antes de lança-la, MC Neguinho JM divulgou outra canção, a "Pretinho Valioso". Lançada em 18 de abril de 2022, a faixa tem produção do DJ Hisashi e segue mais a linha do funk ostentação, falando de amores e peças de marcas de luxo. A música aparece no YouTube de outra produtora, a Vida Mansa Records, e conta com pouco mais de 16 mil visualizações. MC Neguinho JM tinha 19 anos Reprodução/Arquivo pessoal Família e amigos de MC Neguinho JM pedem 'justiça' no cemitério em SP Veja Mais

Chefs e cozinheiras falam sobre a presença da diversidade da culinária do Estado

O Tempo - Diversão - Magazine Celebrado no dia 5 de julho, Dia da Gastronomia Mineira é uma data para frissar sobre o protagonismo feminino nas cozinhas Veja Mais

Conselho de enfermagem diz que hospital negou acesso ao prontuário médico de Klara Castanho

G1 Pop & Arte É necessária a autorização prévia da paciente, segundo resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM). Coren-SP se colocou à disposição da atriz para orientação de apuração da conduta dos profissionais de enfermagem que a tenham atendido ou de autorização para acesso ao prontuário. Klara Castanho repudia vazamento e revela que foi estuprada e entregou bebê para adoção O Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo disse nesta segunda-feira (4) que teve o prontuário de atendimento dda atriz Klara Castanho negado pelo Hospital Brasil sob a justificativa de necessidade de autorização prévia da paciente, seguindo o previsto em resoluções do Conselho Federal de Medicina (CFM) e no Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem. O Coren-SP esteve na última segunda (27) na unidade de saúde, acusada de vazar informações pessoais de Klara Castanho, de 21 anos (veja mais no vídeo acima). Klara escreveu uma carta aberta, na noite de sábado (25), repudiando o vazamento da história (leia a íntegra ao final desta reportagem). O caso também é investigado pelo Ministério Público. O Coren-SP se colocou à disposição da atriz, caso isso seja da vontade dela, para orientação quanto aos procedimentos para encaminhamento de apuração da conduta dos profissionais de enfermagem que a tenham atendido ou de autorização para acesso ao prontuário. Tanto o Conselho Federal quanto o Regional de Enfermagem apuram a denúncia da atriz de que uma enfermeira a teria abordado e ameaçado divulgar para a imprensa informações sobre a entrega para adoção de bebê fruto de um estupro. O hospital em que Klara ficou internada informou, em nota, que será aberta uma sindicância interna para investigar a denúncia feita pela atriz. Em nota, o Coren-SP reafirmou seu compromisso e preocupação com a ética, que também é um instrumento de trabalho da enfermagem, ao mesmo tempo em que tem o dever de cumprir as previsões legais vigentes para evitar quaisquer outros prejuízos à vítima ou à devida condução de apuração dos fatos. Apuração Nesta segunda-feira (27), a presidente do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), Betânia Maria dos Santos, disse à GloboNews que a enfermeira responsável por ameaçar Klara e vazar os dados pessoais da artista poderá perder o registro profissional. No domingo (26), em comunicado, o Cofen manifestou "profunda solidariedade à atriz Klara Castanho, que, após ser vítima de violência sexual, teve o seu direito à privacidade violado, durante processo de entrega voluntária para adoção, conforme assegura o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)". Informou também que, diante dos fatos, determinou a apuração da ocorrência e "tomará todas as providências que lhe couber para a identificação dos responsáveis pelo vazamento de informações sigilosas pertinentes ao caso". "Casos assim devem ser rigorosamente punidos, para que não mais se repitam. Da mesma forma, devem ser execrados comunicadores que deturpam a função social do jornalismo para destruir a vida das pessoas. Vida privada não é assunto público", disse o Cofen. No texto divulgado neste domingo (26), o Hospital Brasil diz que "tem como princípio preservar a privacidade de seus pacientes bem como o sigilo das informações do prontuário médico. O hospital se solidariza com a paciente e familiares e informa que abriu uma sindicância interna para a apuração desse fato". LEIA TAMBÉM: 'Minha história se tornar pública não foi desejo meu': leia a íntegra do relato de Klara 'Estarei sempre ao seu lado': famosos se solidarizam Para especialistas, atendimento médico e hospitalar relatado por Klara Castanho foi antiético e antiprofissional Menina de 10 anos que engravidou após estupro há 2 anos no ES precisou mudar identidade e endereço O g1 agora está no Telegram; clique aqui para receber notícias diretamente no seu celular. 'Relato mais difícil' Klara Castanho Reprodução/Instagram Na carta aberta, Klara Castanho afirma: "Não posso silenciar ao ver pessoas conspirando e criando versões sobre uma violência repulsiva e um trauma que sofri". "Esse é o relato mais difícil da minha vida. Pensei que levaria essa dor e esse peso somente comigo." Na publicação, a atriz conta sobre a violência sofrida e suas consequências. Ela diz ter sido abordada por uma enfermeira momentos após o parto, que ameaçou divulgar sua história. Logo em seguida, a atriz recebeu mensagens de um colunista. "Minha história se tornar pública não foi um desejo meu." "Fui estuprada. Relembrar esse episódio traz uma sensação de morte, porque algo morreu em mim. Não estava na minha cidade, não estava perto da minha família nem dos meus amigos", diz a atriz. A artista conta que não fez boletim de ocorrência na ocasião por se sentir envergonhada e culpada. "Tive a ilusão de que se eu fingisse que isso não aconteceu, talvez eu esquecesse, superasse. Mas não foi o que aconteceu. As únicas coisas que eu tive forças para fazer foram: tomar pílula do dia seguinte e fazer alguns exames", conta. "Somente a minha família sabia o que tinha acontecido." Brasil teve um estupro a cada 10 minutos em 2021 Meses depois, segundo seu relato, ela começou a se sentir mal e, em meio a exames, descobriu a gravidez já em estágio avançado. "Foi um choque, meu mundo caiu. Meu ciclo menstrual estava normal, meu corpo também. Eu não tinha ganhado peso nem barriga", diz. Klara afirma que, durante uma consulta, foi obrigada pelo médico a ouvir o coração da criança, o que considerou uma nova violação. "Naquele momento do exame, me senti novamente violada, novamente culpada. Em uma consulta médica contei ter sido estuprada, expliquei tudo o que aconteceu", diz. "O médico não teve nenhuma empatia por mim. Eu não era uma mulher que estava grávida por vontade e desejo, eu tinha sofrido uma violência. E mesmo assim, o profissional me obrigou a ouvir o coração da criança, disse que 50% do DNA eram meus e que eu seria obrigada a amá-lo." Entrega para adoção Entrega voluntária para adoção: entenda o processo Pela lei brasileira, Klara teria direito a fazer um aborto legal. Klara afirma, no entanto, que tomou a decisão de fazer uma entrega direta para adoção. A entrega voluntária para adoção está prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e permite que a mãe entregue o filho para adoção em um procedimento assistido pela Justiça. Segundo Klara, a criança nasceu poucos dias depois de a gravidez ser descoberta. A atriz afirma que entrou em contato com uma advogada e fez todos os trâmites legais. "Tudo que eu fiz foi pensando em resguardar a vida e o futuro da criança. Cada passo está documentado e de acordo com a lei", afirma. "A criança merece ser criada por uma família amorosa, devidamente habilitada à adoção, que não tenha lembranças de um fato tão traumático." Violência Na carta, Klara conta ainda que, momentos após o parto, ainda sob efeitos de anestesia, foi abordada por uma enfermeira que ameaçou contar sua história a um colunista. "Quando cheguei no quarto, já havia mensagens do colunista, com todas as informações. Ele só não sabia do estupro. Eu conversei com ele, expliquei tudo o que tinha me acontecido." A atriz não cita nomes e diz que foi procurada ainda por um outro colunista. "O fato de eles saberem mostra que os profissionais que deveriam ter me protegido em um momento de extrema dor e vulnerabilidade, que têm a obrigação legal de respeitar o sigilo da entrega, não foram éticos, nem tiveram respeito por mim nem pela criança", afirma. Vazamento da história Na carta que publicou, Klara conta que não queria expor esse episódio traumático. Mas sites e redes de fofocas trouxeram não só a história a público, mas também especulações e ataques à atriz. Tudo começou com um post do jornalista Matheus Baldi no dia 24 de maio, dizendo que Klara havia dado à luz uma criança. O post foi apagado a pedido da atriz. Um mês depois, na última quinta (23), a apresentadora Antonia Fontenelle incitou ainda mais os comentários contra Klara na internet. Sem citar o nome da atriz, ela disse em uma live, em tom bastante agressivo, que uma atriz de 21 anos teria engravidado e entregue o bebê para adoção. Foi depois disso que Klara decidiu se manifestar pela primeira vez, por meio da carta. Em seguida, o colunista Léo Dias, do site Metrópoles, publicou um texto detalhando o caso. Segundo especialistas, tanto Léo Dias como Antonia Fontenelle podem responder por difamação. Em post publicado neste sábado (25), a diretora de redação do Metrópoles, Lilian Tahan, afirmou que o site expôs de maneira inaceitável os dados de uma mulher vítima de violência brutal e que a matéria foi retirada do ar. Na tarde deste domingo (26), o colunista Léo Dias publicou um pedido de desculpas à atriz. Ele disse que não deveria ter escrito nem uma linha sobre a história ou ter feito qualquer comentário sobre algo a respeito do qual não tem o direito de opinar. Em vídeo, Antonia Fontenelle tentou se eximir de responsabilidade e não pediu desculpas. Trajetória da atriz Klara Castanho estreou na TV em 2006, na série “Mothern”, do GNT, em 2006. Antes disso, desde bebê, já fazia campanhas publicitárias. Foi em 2009 que os maiores sucessos começaram, quando a atriz fez parte do elenco de "Viver a Vida", novela de Manoel Carlos exibida na TV Globo, no papel de Rafaela. O papel era o da filha da personagem de Giovanna Antonelli. No mesmo ano, Klara fez sua estreia no cinema, em "Quanto dura o amor?". Também fez a novela "Morde & assopra" (2011), quando viveu Tonica, filha do personagem de Marcos Pasquim. Em 2013 viveu a menina Paulinha, filha de uma das protagonistas de "Amor à vida", a médica Paloma, interpretada por Paolla Oliveira. A atriz ainda participou de outras tramas na Globo: "Morde & assopra", de Walcyr Carrasco (2011), e "Amor eterno amor" (2012) e "Além do tempo" (2015), ambas de Elizabeth Jhin. Klara Castanho também participou do reality show de música "Popstar", na Globo, na temporada de 2018. Nos cinemas, fez os longas "É Fada" (2016) e "Tudo por um Popstar" (2018). Seu mais recente trabalho é o longa "Confissões de uma Garota Excluída", de 2021. Carta aberta de Klara Castanho Leia, abaixo, o relato da atriz: Klara Castanho Reprodução/Instagram Klara Castanho Reprodução/Instagram Klara Castanho Reprodução/Instagram Klara Castanho Reprodução/Instagram Klara Castanho Reprodução/Instagram VÍDEOS: Tudo sobre São Paulo e região Veja Mais

'Minions 2: A Origem de Gru' estreia em primeiro lugar na bilheteria nacional

G1 Pop & Arte Arrecadação dos 10 filmes mais vistos no final de semana somou R$ 27,1 milhões. Gru e seus amigos entram em ação em "Minions 2: A Origem de Gru" Divulgação "Minions 2: A Origem de Gru" estreou em primeiro lugar na bilheteria nacional. O filme, que mostra mais uma fase do período da infância do super vilão de "Meu malvado favorito", levou 796 mil pessoas aos cinemas e somou R$ 16,6 milhões. O valor representa 61,2% da bilheteria arrecadada pelos 10 filmes mais vistos no final de semana (R$ 27,1 milhões). 'Minions 2: A Origem de Gru' conta com bom humor e diverte mais que o original; g1 já viu Os dados são da ComScore e referentes ao período entre 30 de junho e 3 de julho. Líder na semana anterior, "Top Gun Maverick" foi para a segunda colocação (R$ 4,7 milhões), seguido de "Jurassic World: Domínio" (R$ 3,1 milhões). Confira, abaixo, os dados de bilheteria coletados pela ComScore entre os dias 30 de junho a 3 de julho: "Minions 2: A Origem de Gru" – R$ 16,6 milhões "Top Gun Maverick" - R$ 4,7 milhões "Jurassic World: Domínio" - R$ 3,1 milhões "Lightyear" - R$ 1,7 milhões "Tudo em Todo o Lugar ao mesmo tempo" – R$ 621,3 mil "Veja por mim" - R$ 121,7 mil "Doutor Estranho no multiverso da loucura" – R$ 89,2 mil "Amigo Secreto" – R$ 15,7 mil "Assassino Sem Rastro" – R$ 14,6 mil "Sonic 2 - O Filme" – R$ 14,1 mil Assista ao trailer do filme "Minions 2: A Origem de Gru" Veja Mais

Ana Maria Braga se emociona em estreia do 'Mais Você' em novo horário

G1 Pop & Arte Programa contou com uma retrospectiva de momentos de mudança ao longo dos anos de atração e incluiu imagens de Louro José. Ana Maria Braga se emociona em estreia do 'Mais Você' em novo horário Globo O "Mais Você" estreou em novo horário nesta segunda-feira (4), tendo início logo após o término do programa "Encontro". Ana Maria Braga começou a atração com seu já habitual conselho matinal (hoje, sobre recomeços) e o tradicional "acorda, menina", mesmo o programa tendo início às 10h45. "Nosso 'acorda, menina' está aqui independente da hora", explicou Ana Maria. "Adoro mudanças e estou pronta pra essa nova fase do 'Mais Você'." Em seguida, Ana afirmou que mudanças já são comuns no programa e fez uma retrospectiva com imagens das transições já trazidas ao longo dos anos, incluindo cenas com Louro José. Ao final, Ana se emocionou. "O choro sempre vai ter, porque é bom olhar. Eu não tinha visto esse VT. Queria agradecer o pessoal do acervo por ter nos ajudado com imagens tão gostosas, saudosas de rever." "E ao longo dessa trajetória toda, eu tenho orgulho de saber que esse programa faz diferença na vida das pessoas. Isso carrega as baterias, não só minhas, mas de toda minha equipe", afirmou Ana Maria. A apresentadora ainda mostrou outro vídeo com imagens do público falando sobre o que mais gostam no programa. Em seguida, Ana não conteve as lágrimas novamente ao conversar com Louro Mané. "Quero dizer que você veio pra alegrar nossa vida. Seu pai é insubstituível pra mim. E cada vez que vejo o trabalho dele e a amizade que a gente tinha, eu transfiro isso pra essa sua imagem e seu carisma." "Espero que a gente tenha um longo caminho pela frente pra eu te ver crescer, pra você aprender como seu pai aprendeu todas as bobagens." Ana Maria Braga se emociona ao falar com Louro Mané Globo Manhãs da Globo A partir desta segunda-feira (4), as manhãs da Globo contam com novidades. Patrícia Poeta assume o "Encontro" ao lado de Manoel Soares, após a despedida de Fátima Bernardes. O programa passa a ser exibido mais cedo, logo após o "Bom dia Brasil", às 9h30, direto de São Paulo. Já o "Mais Você", com Ana Maria Braga, vem em seguida, a partir das 10h45, antes da primeira edição dos telejornais locais, que vão começar a partir das 12h45. Veja Mais

Tela Quente (4/7): Veja o filme que a Globo vai exibir hoje

O Tempo - Diversão - Magazine Alerta Vermelho é atração que vai ao ar logo após Pantanal Veja Mais

'Bloqueado', de Gusttavo Lima, é a música mais tocada nas rádios em 2022

G1 Pop & Arte Ritmo sertanejo aparece em nove das dez primeiras posições da lista, segundo pesquisa da Crowley. Ranking tem Marília Mendonça em duas faixas do Top 10. Gusttavo Lima em show no São João 2022 de Campina Grande PMCG / Divulgação "Bloqueado", de Gusttavo Lima, é a música mais tocada nas rádios no primeiro semestre de 2022, segundo pesquisa da empresa de monitoramento Crowley. Lançada em novembro de 2021, a faixa tem composição de Renno Poeta, Rodrigo Reys e Kinho Chefão, e faz parte do álbum Buteco In Boston, gravado em Massachusetts. Foi por causa dessa música que um servidor público de Roraima processou Gusttavo Lima e pediu uma indenização de quase R$ 50 mil por ter número de celular citado na canção. A situação do servidor público de Roraima é semelhante a de uma vendedora que mora em Fátima do Sul, interior de Mato Grosso do Sul, e de um empresário de Ribeirão Preto, em São Paulo. Todos têm o mesmo número da música. Top 10 Segundo a pesquisa da Crowley, o sertanejo domina o Top 10 do ranking. Entre as dez faixas mais tocadas nas rádios, apenas "Eu já tava bem", de Wesley Safadão, conseguiu espaço fora do ritmo, ficando com a 7ª colocação. Marília Mendonça emplacou dois hits no Top 10. Em uma delas, a cantora aparece como participação na faixa "Vai lá em casa hoje", de George Henrique e Rodrigo (5ª posição). Já a canção "Esqueça-me se for capaz", que a cantora interpreta com Maiara e Maraisa, aparece na 6ª colocação. Os dados da pesquisa são referentes ao período de 1 de janeiro de 2022 a 30 de junho de 2022. Veja o ranking de 10 músicas mais tocadas nas rádios em 2021 segundo a Crowley: "Bloqueado" - Gusttavo Lima "Abalo Emocional" - Luan Santana "A Maior Saudade" - Henrique & Juliano "Ela e Ela" – Zé Neto & Cristiano "Vai lá em casa hoje" - George Henrique & Rodrigo part. Marília Mendonça "Esqueça-me se for capaz" - Marília Mendonça, Maiara & Maraísa "Eu já tava bem" - Wesley Safadão "Moral da história" - Israel & Rodolffo "Vagabundo chora" - Guilherme & Benuto "Conselho bom" - Diego & Victor Hugo part. Maiara & Maraisa Gusttavo Lima diz que 'está a ponto de jogar a toalha' após polêmica sobre show Veja Mais

Marido de Silvia Poppovic está com leucemia e filha doará medula

O Tempo - Diversão - Magazine Médico endocrinologista Marcello Bronstein descobriu a leucemia em setembro do ano passado e não teve boa resposta à quimioterapia Veja Mais

Sessão da Tarde da semana (4/7 a 8/7): veja os filmes que irão ao ar na Globo

O Tempo - Diversão - Magazine Comédia romântica, aventura e animação são alguns dos destaques da programação Veja Mais

Filho de Portinari mostra lado pessoal e familiar do pintor; veja fotos

G1 Pop & Arte João Cândido Portinari mostrou fotos da história da família. Com duas exposições em cartaz, uma no Rio e outra em São Paulo, o artista ainda surpreende o público, 60 anos depois de sua morte. Portinari e João Cândido, cerca de 1944 Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Com duas exposições em cartaz, "Portinari Raros", no Rio, e "Portinari Para Todos", em São Paulo, o pintor de Brodowski ainda surpreende o público, 60 anos depois de sua morte. O filho, João Cândido Portinari, mostrou então outra face: o lado pessoal e familiar do artista. As fotos trazem as origens de Portinari - com as avós e os pais italianos e os 11 irmãos do pintor - e a família formada por ele, a esposa, María Victoria, e o filho. Exposição de Portinari no Rio revela obras pouco ou nunca vistas pelo público Cândido, María e João João Cândido relembra um momento de emoção ao ver a exposição em São Paulo: pela primeira vez, não foi apenas o seu pai a ser homenageado, mas também a mãe dele. O espaço ressalta a importância da esposa tanto na vida quanto na carreira do artista. "Ele não sabia dirigir, ele não sabia assinar um cheque, ele não sabia vender um quadro. Ela foi o braço forte da vida dele. Ela fez com que a única preocupação dele fosse pintar", destaca. Portinari, a mulher e o filho, por volta de 1942 Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Portinari e o filho, na Praia do Leme, Zona Sul, 1940 Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Portinari e o filho, João Cândido, aproximadamente 1940 Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Portinari e o filho, por volta de 1940 Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Portinari e o filho, em Brodowski, 1939 Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Portinari e o filho, João Cândido, por volta de 1945 Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Portinari e o filho olhando a vitrine de uma loja de materiais para pintura e desenho, aproximadamente em 1950 Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Caricatura de Portinari com filho e esposa, dedicado a um aluno em Paris, 1952 Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Portinari e João Cândido, por volta de 16 anos Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Um colecionador de apenas um ano Hoje fundador e diretor-geral do Projeto Portinari, João Cândido acompanhou o pai desde a infância. Em 1940, o pintor expôs no Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA) obras de um colecionador um tanto inusitado: o filho de apenas um ano. O caso chegou a ser manchete em jornais estrangeiros. Portinari e João Cândido na inauguração da exposição "Portinari of Brazil" no MoMA, NYC, em 1940. Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Jornal estrangeiro trazia Portinari e o filho no MoMa Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Essa coleção fazia parte de uma seleção que o artista começou antes mesmo de João Cândido nascer, e que não venderia por nada. O filho do pintor conta que teve que se desfazer da maioria das obras que o pai deixou para ele, a fim de ter recursos para manter o Projeto Portinari de pé ao longo dos 43 anos. Só que tem algumas obras que ele não pensa em se desfazer de jeito algum - guardadas a sete chaves. Alguns exemplos são o estudo para o painel de azulejos do conjunto habitacional do Pedregulho, no Rio, que inspirou a logo do projeto, e o desenho "Palaninho", que retoma a inspiração do artista que carregou por toda a vida. Ele também relembra o desenho "Árabe e Judeu" como uma dessas obras especiais. Igreja da Pampulha e o veto do arcebispo Inaugurada em 1943 pelo então prefeito Juscelino Kubitschek, a Igreja da Pampulha, em Minas Gerais, contou com obras de Portinari. "Quando ele fez a igreja da Pampulha, foi uma coisa meio doida, porque você tinha um prefeito de Belo Horizonte suficientemente doido para convidar dois comunistas para fazer uma igreja: Oscar Niemeyer e Portinari", conta João Cândido. Portinari com a esposa, Maria, e o filho enquanto trabalhava em igreja da Pampulha (BH) Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Só que o resultado, que também teve a participação do paisagista Roberto Burle Marx, não agradou o arcebispo da cidade. Os ritos religiosos foram proibidos por 13 anos no espaço. "Fazia críticas, por exemplo, Portinari tinha feito uma heresia: tinha feito São Francisco falando com urubus. O Portinari, que tinha aquela coisa caipira, meio maliciosa, inteligentíssimo, respondeu assim, na lata: 'Olha, eu não vejo nada de mal que o mais humilde dos santos fale à mais humilde das aves", relembra o filho, com humor. Família de imigrantes e 11 irmãos Um homem de uma "profunda ternura", Portinari veio de uma família grande, com 11 irmãos. Ao ter reconhecimento na arte, ele ajudou os irmãos e reformou a casa dos pais, Baptista e Dominga, em Brodowski. No local, o pintor também criou a "Capela da Nonna" para a avó paterna, Pellegrina. Espaço hoje é o Museu Casa de Portinari. Em Brodowski irmãs Olga e Tata, esposa Maria, filho João, a namorada de um primo de João, pai Baptista, irmã Inês e o marido dela Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Família em volta da avó materna de Portinari - Maria Sandri (sentada à direita) - e mãe do pintor (à direita) Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Em 1940, Portinari e esposa com os pais do pintor durante a reforma da casa em Brodowski - atual museu Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Portinari e a avó paterna dele, Pellegrina, durante construção da capela, aproximadamente em 1941 Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Mãe de Portinari, Dominga, com João Cândido no colo, em Brodowski, 1939 Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Primo-irmão de João, Maria, Portinari, João Cândido (bebê) e a mãe do pintor, por volta de 1942 Arquivo pessoal/João Cândido Portinari Neta de Portinari, Denise, com a mãe do pintor, Dominga, 1964 Arquivo pessoal/Joâo Cândido Portinari Imagens de Portinari e do pai dele no computador, João Cândido e o neto do pintor, João Carlos Arquivo pessoal/João Cândido Portinari *Estagiária, sob a supervisão de João Ricardo Gonçalves Veja Mais

Minha casa é um palco iluminado (e repleto de arte e cultura)

O Tempo - Diversão - Magazine Iniciativas independentes, tocadas individualmente ou por pequenos grupos, dão visibilidade a manifestações artisticas de todos os viéses Veja Mais

Rei perde trono em baralho de gênero neutro criado por holandesa

G1 Pop & Arte Indy Mellink, uma fã de cartas, desenhou um baralho sem gênero no qual as imagens de rei, rainha e valete foram substituídas por ouro, prata e bronze. Jovem holandesa cria baralho sem gênero e inclusivo OEGSTGEEST, Holanda (Reuters) - Indy Mellink, uma fã holandesa de cartas, estava explicando um jogo para seus primos no verão passado quando se perguntou: por que um rei vale mais que uma rainha? A psicóloga forense de 23 anos, incentivada por seu pai, decidiu que era hora de romper com a tradição secular de desigualdade em baralhos que classificam os homens acima das mulheres. "Se temos essa hierarquia de que o rei vale mais do que a rainha, então essa sutil desigualdade influencia as pessoas em sua vida diária, porque é apenas outra maneira de dizer 'ei, você é menos importante’", disse ela em uma entrevista. "Mesmo desigualdades sutis como essa desempenham um grande papel." Depois de muita tentativa e erro, ela desenhou um baralho sem gênero no qual as imagens de rei, rainha e valete foram substituídas por ouro, prata e bronze. Amigos e familiares compraram os primeiros 50 baralhos de cartas Ouro, Prata e Bronze, que têm imagens de barras de ouro, moedas de prata e um escudo de bronze. Mellink fez mais e começou a vendê-los online. Em poucos meses, ela enviou cerca de 1.500 pacotes, incluindo para outros países --Bélgica, Alemanha, França e Estados Unidos. As lojas de jogos também mostraram interesse, disse ela. Mellink tem testado as cartas com jogadores, que disseram nunca ter tido consciência da desigualdade de gênero nos baralhos. "É bom refletirmos sobre a neutralidade de gênero", afirmou Berit van Dobbenburgh, chefe da Associação Holandesa de Bridge, enquanto jogava com as novas cartas. Para ela, seria complicado fazer uma mudança formal porque isso exigiria a atualização das regras. Veja Mais

Jhê Delacroix e Thiago Amud se apresentam no Museu Casa Kubitschek

O Tempo - Diversão - Magazine Imaginado como uma narração de histórias, “Macro-Jhê” tem no repertório oito músicas autorais que farão parte do primeiro álbum solo da artista Veja Mais

Randy Bachman, do The Guess Who, encontra guitarra que foi roubada há 46 anos: 'Era mágica pra mim'

G1 Pop & Arte Músico canadense viajou com sua banda para Tóquio, no Japão, para um encontro emocionante com sua amada Gretsch, que havia sido roubada dele em um hotel em Toronto, em 1976. Músico Randy Bachman durante coletiva de imprensa em Tóquio Philip FONG / AFP O roqueiro canadense Randy Bachman recuperou, nesta sexta-feira (1), no Japão, sua guitarra que foi roubada há 46 anos. O autor, com seu grupo The Guess Who, da música "American Woman" (1970), viajou para Tóquio para um encontro emocionante com sua amada Gretsch, que havia sido roubada dele em um hotel em Toronto (leste do Canadá), em 1976. "Fiquei arrasado", contou o músico de 78 anos à AFP. "Com essa guitarra escrevi várias músicas que foram vendidas por milhões. Era mágica para mim". O astro havia comprado essa 6120 Chet Atkins laranja aos 19 anos por US$ 400 (cerca de R$ 2,1 mil), uma quantia ganha cortando grama e lavando carros. O artista a cobiçou por muito tempo, passando horas admirando-a em uma vitrine em Winnipeg (centro do Canadá) no início dos anos 1960, na companhia de seu amigo, o músico Neil Young. O instrumento, que ficava acorrentado por precaução nos banheiros dos hotéis onde se hospedava durante as turnês de sua banda, foi roubado dele apesar de tê-lo confiado brevemente a um técnico de sua equipe. Foi graças a um fã que Bachman encontrou sua Gretsch. Seu compatriota William Long revisou centenas de imagens na internet até identificar o instrumento em 2020, graças à localização particular de um nó na madeira. O fã detetive rastreou a guitarra do site de uma loja de música em Tóquio até um músico japonês chamado Takeshi, visto tocando ela em um vídeo postado no YouTube em 2019. Randy Bachman teve que esperar até que a situação sanitária ligada à covid-19 no Japão melhorasse para, enfim, dar uma guitarra idêntica a Takesh e assim recuperar seu amor de juventude. Veja Mais

Quem era Technoblade, YouTuber do Minecraft morto de câncer aos 23 anos

G1 Pop & Arte Popular gamer, que sofria de câncer, se despediu de seus seguidores dizendo "até mais, nerds". Technoblade, popular youtuber de Minecraft, morre aos 23 anos Reprodução/YouTube O YouTuber Technoblade, que jogava Minecraft, morreu aos 23 anos, confirmou sua família em um emocionante vídeo de despedida postado em seu nome. O vídeo — intitulado "até mais, nerds" e postado para seus 10 milhões de seguidores — mostrava o pai de Technobable dizendo que seu filho era "o menino mais incrível que alguém pode querer ter". Technobable virou uma celebridade da internet nos EUA ao transmitir ao vivo e postar clipes de si mesmo jogando o game. No ano passado, ele revelou aos seus fãs que havia sido diagnosticado com câncer. A mensagem de despedida, escrita horas antes de sua morte e lida por seu pai, dizia: "Olá a todos, Technoblade aqui. Se você está assistindo isso, eu estou morto". Na mensagem, ele revela que seu nome verdadeiro era Alex, e relembra de uma vez em que pregou uma peça nos seus espectadores, ao dizer que se chamava Dave. "Obrigado a todos por apoiarem meu conteúdo ao longo dos anos", continuou ele. "Se eu tivesse mais cem vidas, acho que escolheria ser Technoblade novamente todas as vezes, porque esses foram os anos mais felizes da minha vida." A celebridade de internet — que ganhou torneios de Minecraft e conquistou legiões de fãs falando sobre sua vida de forma bem-humorada enquanto jogava — disse em fevereiro que havia passado por quimioterapia, radioterapia e uma cirurgia para tentar salvar seu braço, depois que surgiu um doloroso tumor no seu braço direito. Ele divulgou seu diagnóstico de câncer em agosto de 2021, explicando que inicialmente pensava que a dor que estava sentindo era de uma lesão por esforço repetitivo por jogar videogames demais. Depois que seu braço ficou inchado, ele foi ao hospital e foi diagnosticado com câncer. Pouco se sabe sobre Technoblade, que preferiu ocultar sua verdadeira identidade até o fim. Seu avatar online era uma foto de um porco com uma coroa. Ele tinha 10,8 milhões de assinantes em seu canal no YouTube. Seu perfil na plataforma de vídeos diz: "Eu jogo muito videogame. Posso não ser o melhor, mas tenho cotovelos quentes". 'Planejando no céu' Após a notícia de sua morte, fãs, outros jogadores e YouTubers prestaram homenagem na internet. "Eu nunca vou esquecer o dia em que conheci Technoblade", lembrou o YouTuber J Schlatt. "Eu saí do trabalho mais cedo para jogar um torneio de Minecraft junto com ele. Eu mal sabia jogar... e o cara ainda nos carregou e ganhamos o campeonato. Descanse em paz, gigante. Você será sempre uma lenda." A YouTuber Captain Puffy, também conhecida como Cara, escreveu no Twitter: "Descanse em paz Technoblade. Ele sempre me tratou com pura bondade e nunca me excluiu de nada. Ele não poderia ser mais gentil! Obrigada por tudo que você fez por esta comunidade, ela nunca mais será a mesma sem você". O YouTuber Tommy Innit disse: "Technoblade é uma lenda. Eu era um grande fã e me tornei um de seus amigos reais. Não posso descrever o quão grato sou por ter estado em sua vida. Só sei que ele está planejando no céu como vencer Deus..." "Eu estou há uma hora assistido a Technoblade de novo", disse o YouTuber Ludwig Ahgren. "Ele era tão espirituoso e tão humilde, mesmo nos momentos mais difíceis. Eu sempre vou me inspirar nele." A personalidade online Quackity também expressou gratidão, postando: "Tive a oportunidade de expressar a Technoblade quanta admiração e respeito eu tinha por ele, não apenas pelo enorme impacto que ele teve em todos nós, mas também por manter seu humor incrível mesmo nos momentos mais sombrios. Vou sentir tanto a falta dele." O pai de Technoblade agradeceu aos fãs no vídeo de despedida, dizendo: "Vocês eram muito importantes para ele". Ele disse que uma parte dos lucros da venda de merchandise de seu falecido filho iria para a caridade. O vídeo termina com uma declaração escrita de sua família: "Nós, a família de Technoblade, queremos que todos vocês saibam o quanto ele adorava e respeitava seus fãs e colegas." "Desde os primeiros dias online do Technoblade, ele sempre estava bolando estratégias para agradar e recompensar seu público — dando prêmios online, incentivando o bom espírito esportivo e, acima de tudo, compartilhando suas aventuras no Minecraft por entretenimento e risadas." "Mesmo depois de seu sucesso, ele de alguma forma conseguiu manter sua humildade bem-humorada, sempre competindo com um misto de confiança e humor autodepreciativo." O Minecraft é um jogo em que os jogadores criam sua própria experiência em uma paisagem virtual, cavando buracos para coletar blocos. Atualizações recentes do jogo foram usadas para ajudar as crianças a explorar e desenvolver suas habilidades e conhecimentos de carreira e encontrar soluções para problemas do mundo real, como inundações. O YouTuber Ted Nevison descreveu Technoblade como uma pessoa "engraçada sem fazer esforço" e "infinitamente talentosa". O YouTuber Bad Boy Halo também prestou homenagem: "Palavras não podem expressar o quanto você fará falta. As vidas que você tocou e o impacto que você teve nelas durarão para sempre." O YouTuber Slimecicle disse que a "personalidade e senso de humor da Technoblade foram uma verdadeira inspiração para mim e para inúmeros outros. Obrigado por tudo que você deu a um mundo que te levou cedo demais, você sempre será um mito". Veja Mais

Golden Retriever é resgatada por policial em tubulação de esgoto depois de passar dois dias desaparecida

G1 Pop & Arte Segundo a agência AFP, um policial rastejou por cinco metros até consegui colocar uma coleira em Lilah e puxá-la até a saída. Policial em Nova York rasteja em tubulação de esgoto para resgatar Lilah, uma Golden Retriever de 13 anos que estava desaparecida Reprodução/Facebook Lilah, uma Golden Retriever de 13 anos, foi resgatada por um policial na tubulação de esgoto, após passar dois dias desaparecida. O caso aconteceu no interior de Nova York, nos EUA, neste final de semana. Lilah estava desaparecida desde sexta-feira (24). Dois dias depois, no domingo (26), seu tutor Rudy Fuehrer passeava com mais dois animais pela mesma área quando ouviu latidos lamentosos. "Eu disse, meu Deus, é a Lilah", relembrou Fuehrer ao relatar a história para a agência AFP. Em seguida, ele ligou para o serviço de emergência pedindo auxílio para o resgate do animal. A única forma encontrada pelo policial Jimmy Rasaphone para o resgate foi rastejar por cinco metros de tubulação de esgoto. Ao encontrar Lilah, Rasaphone conseguiu colocar uma coleira e a retirar do aperto. "Ele se agachou e literalmente desapareceu no buraco com uma guia que tinha uma coleira", contou o tutor da cachorra. Depois de um tempo, Lilah e Rasaphone surgiram encharcados, porém sãos e salvos. Em entrevista à AFP, Fuehrer se disse agradecido pela compaixão e iniciativa da policia e ainda afirmou que Lilah se recuperou bem do susto. O caso também foi compartilhado na página do Facebook da polícia de Nova York. Initial plugin text Veja Mais

Chico Xavier: o médium filho de analfabetos que vendeu 50 milhões de livros

G1 Pop & Arte Chico Xavier costumava dizer que os livros não pertenciam a ele. Que ele não havia escrito nada, mas que eram obras dos espíritos. Chico em entrevista para o programa Pinga-Fogo, da extinta TV Tupi, em 1971 Arquivo CB/DA Press via BBC Francisco Cândido Xavier, o Chico Xavier (1910-2002), costumava dizer que iria "desencarnar" em um dia de festa para o Brasil, para que sua morte não fosse lembrada com tristeza. Para os céticos, uma coincidência; para os que acreditam, mais uma prova das capacidades do médium — Xavier morreu exatamente há 20 anos, no mesmo domingo em que o Brasil venceu a Alemanha na final da Copa do Mundo e conquistou o sonhado pentacampeonato. Ele tinha 92 anos e era uma personalidade amplamente conhecida no país. O filho de um vendedor de bilhetes de loteria e de uma lavadeira, ambos analfabetos, havia se tornado o maior médium brasileiro, tendo escrito mais de 10 mil cartas psicografadas e se consolidado como dono de uma obra de mais de 450 livros — cuja autoria sempre foi atribuída a espíritos. No total, vendeu cerca de 50 milhões de exemplares. Nascido em Pedro Leopoldo, pequeno município na região metropolitana de Belo Horizonte, Xavier alcançou a notoriedade com a publicação de seu primeiro livro — embora fenômenos mediúnicos já fizessem parte de sua vida desde a tenra idade. Em 1932, quando ele ganhava a vida como vendedor e tecelão e costumava publicar poesias em jornais — sempre atribuindo os textos a autores mortos —, ele lançou a antologia Parnaso de Além-Túmulo, uma coletânea de 60 poemas, assinados por nove poetas brasileiros, quatro portugueses e um anônimo. A edição ficou por conta da Federação Espírita Brasileira. E o livro alcançou repercussão no meio literário. "Ele tinha pouco mais de 20 anos e era um matuto, um menino do interior de Minas Gerais, filho de pais analfabetos, que colocava no papel poemas assinados por nomes como Castro Alves, Augusto dos Anjos… E afirmava: 'foram eles que escreveram, não fui eu'", conta o jornalista e escritor Marcel Souto Maior, autor de, entre outros, "As Lições de Chico Xavier" e "As Vidas de Chico Xavier". "Era uma época em que ele, que já havia trabalhado numa fábrica de tecidos, trabalhava 12 horas seguidas por dia como vendedor no armazém de um tio. Tinha pouco tempo para leitura e para exercícios de escrita", comenta Souto Maior. "O livro foi publicado e provocou uma grande comoção, atraindo a curiosidade dos principais escritores da Academia Brasileira de Letras." Segundo o biógrafo, "95% dos escritores ficaram impressionados com a qualidade e a versatilidade da escrita", sendo que alguns comparavam com textos escritos em vida pelos autores ali citados e encontravam muitas semelhanças no estilo, na métrica e na temática. "Foi um impacto muito forte. E isso levou jornalistas a Pedro Leopoldo, alguns interessados em desvendar aquele enigma, outros querendo 'desmascarar aquela fraude'", prossegue Souto Maior. "Houve um impacto positivo e também um impacto negativo na repercussão." Tal dicotomia perseguiu Xavier por toda a vida. "De um lado, admiradores; de outro, profunda desconfiança", comenta o jornalista. "Mas neste início dele, vejo algo forte e interessante. Ele foi se tornando uma figura conhecida. E polêmica." E se ele sempre manteve a simplicidade no seu dia a dia — três anos depois, assumiu um posto de escrevente-datilógrafo em uma fazenda modelo ligada ao Ministério da Agricultura —, a escrita passou ser parte indissociável de seu dia a dia como médium. De certa forma, foi essa obra literária mediúnica que atraiu Souto Maior ao universo de Xavier. Ele se recorda que, nos anos 1990, era então subeditor de Cultura do Jornal do Brasil quando ficou curioso para ver uma peça de cunho espírita que estava arrebatando as bilheterias no Rio de Janeiro. Era "Nosso Lar", baseada no best-seller homônimo psicografado por Xavier. "Recordo-me até hoje do que escrevi depois, no jornal, sobre a experiência, aquele universo em que o centro era Chico Xavier. Coloquei no papel que ele havia então escrito mais de 400 livros, vendido mais de 30 milhões de exemplares e doado toda a renda dos direitos autorais a instituições beneficentes", relata o jornalista. Xavier costumava dizer que os livros não pertenciam a ele. Que ele não havia escrito nada, mas que eram obras dos espíritos. "Aquilo para mim era muito intrigante. Por isso decidi ir até Uberaba, apesar de muito cético, muito descrente", diz. Era em um centro espírita na cidade do Triângulo Mineiro que o médium então exercia suas atividades. O símbolo do espiritismo brasileiro Esse fascínio e todo o carisma de Xavier fizeram dele o maior nome do espiritismo kardecista brasileiro. E também foi o que trouxe muitos adeptos para a doutrina fundada na França no século 19. "Chico Xavier não foi só o grande médium, mas todo o espiritismo brasileiro ganhou uma feição diversa depois de sua aparição. Ele não é apenas um médium carismático, é antes de tudo um modelo de espírita exemplar, que é também um modelo de santo cristão exemplar a ser seguido e imitado em sua caridade, humildade e renúncia, não por acaso temas do catolicismo", contextualiza o filósofo e antropólogo Bernardo Lewgoy, professor na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e autor do livro "O Grande Mediador: Chico Xavier e a Cultura Brasileira". "Ele nacionalizou o espiritismo kardecista francês, criando uma escatologia nacional própria nos anos 30 e 40. Por outro lado, aproximou o antigo Kardecismo elitista das pessoas mais simples, valorizou as mulheres como personagens ativas nos centros espíritas e na prática familiar do espiritismo", complementa. O antropólogo avalia que Xavier consagrou-se "como uma espécie de 'santo informal' do espiritismo". "Os livros e as mensagens de Emmanuel e André Luiz [os dois principais nomes a quem ele atribuiu a autoria de seus textos psicografados] são presença e leitura obrigatória em centros espíritas brasileiros", comenta. Um dos temas centrais do livro O Grande Mediador é como Xavier conseguiu popularizar o espiritismo em um país de raízes fortemente católicas como o Brasil. "O espiritismo chegou ao Brasil no século 19, quando o catolicismo era religião oficial do Império", pontua Lewgoy. "Mas o catolicismo nunca foi homogêneo: sempre houve devoções populares e misturas sincréticas com outras religiosidades de origem indígena e africana. A crença em espíritos que sobrevivem após a morte do corpo e que retornam periodicamente parece ser uma moeda comum dessa espiritualidade difusa abrigada no grande manto católico-popular", avalia o pesquisador. "O espiritismo é uma religião urbana de classes médias inseridas no crescimento de profissões típicas dessa classe, como médicos, militares e professores. O apelo da experiência mediúnica com uma base cultural europeia, pela questão do capital cultural envolvido, de que eram ávidos em sua busca por legitimidade, numa época de difusão do positivismo e do evolucionismo é fator de muito importância para esse segmento, associando-se a contatos com parentes falecidos e práticas de caridade e de cura." Na visão do antropólogo, estabeleceu-se então "um longo e invisível diálogo sincrético, misturado a uma forte competição" entre espiritismo e catolicismo. Este foi o caminho encontrado por Xavier, um homem hábil em costurar "uma agenda nacional cristã-espírita, com influência do catolicismo popular". "Seu discurso era fundamentalmente cristão. E ele sempre fazia questão de dizer que a Igreja Católica era o berço de todos nós", ressalta o jornalista Souto Maior. Biografia do médium A mãe de Xavier era católica e morreu quando o garoto tinha apenas 5 anos. Segundo alguns biógrafos, um ano antes ele já relatava ouvir vozes do além. Quando se tornou órfão, passou a "ter diálogos" diários com o que seria o espírito da mãe. Diante da estranheza dos familiares — ele acabou sendo criado por uma madrinha retratada como mulher violenta, que o castigava e açoitava —, seu conselheiro na infância foi um padre da cidade natal. "Ele foi fundamental para que Chico Xavier não fosse internado pelo pai como um louco quando começou a ouvir vozes e ter visões", conta Souto Maior. "O padre dizia para ele ter cuidado com que falava, não contar tudo o que vivia… Por isso ele sempre teve um profundo respeito e gratidão pelo catolicismo." Foi só aos 17 anos que Xavier teve contato com a doutrina espírita kardecista — e assim colocar o que vivenciava dentro dos métodos de uma doutrina. Mas se os livros ajudaram a sistematizar o legado de Xavier, foram suas aparições na TV que renderam fama nacional. É considerada um marco sua participação, ao vivo, no programa Pinga-Fogo da TV Tupi, em julho de 1971. Ele acabou repetindo a participação no fim do mesmo ano e o sucesso foi tamanho que, segundo a metodologia da época, 86% dos televisores estavam sintonizados no programa. Na década de 1980, o dinheiro arrecadado por meio de suas obras já havia sido suficiente para fundar ou auxiliar 2 mil entidades de caridade em todo o país. Para a doutrina espírita, a caridade é um princípio fundamental. Na época houve uma campanha para que ele fosse indicado ao Prêmio Nobel da Paz. "A mobilização rendeu 2 milhões de assinaturas", afirma o biógrafo Souto Maior. Segundo o último censo, de 2010, são 3,8 milhões de praticantes do espiritismo kardecista no Brasil. Como bem define o antropólogo Lewgoy, trata-se de "uma minoria religiosa de muito prestígio" e isso se traduz no sem-número de filmes, telenovelas e outros materiais midiáticos que retratam o assunto. "O cristianismo evangélico tem uma clientela muito distinta dos espíritas, que são de classes médias urbanas, de maior educação formal e renda", compara o professor. Por outro lado, é importante pontuar que o kardecismo, no Brasil, acabou assumindo para si o título de "espiritismo", como se não houvesse também no país outras religiões espíritas, de matriz africana e indígena. "Creio que sempre houve esse diálogo [do kardecismo com outras religiões] embora marcado por condescendência e atitude de superioridade moral dos espíritas em relação aos afros", comenta Lewgoy. "A disputa em torno da 'propriedade' e legitimidade do uso do termo 'espírita' e a crítica às manifestações de entidades de umbanda e candomblé em centros kardecistas são indícios de tensões de longa duração nessa relação com afros." Veja Mais

Shania Twain elogia e tieta Anitta: 'Ela é incrível'

O Tempo - Diversão - Magazine Cantora canadense ficou impressionada com o show que a brasileira fez na Suíça Veja Mais

Zé Neto e Cristiano são proibidos de usar marca 'Esqueminha' após ação da banda baiana Isqueminha

G1 Pop & Arte Banda baiana tem registro desde 2019. Turnê 'Esqueminha' foi anunciada por Zé Neto e Cristiano em 2020, mas foi cancelada no início da pandemia. Juiz concedeu liminar para que nome não seja usado. Zé Neto e Cristiano e Gabriel Levy, do Isqueminha Divulgação O Tribunal de Justiça de Goiás deu parecer favorável ao cantor Gabriel Levy, da banda Isqueminha, e proibiu que a dupla Zé Neto e Cristiano use as marcas "Esqueminha" e "Esqueminha com ZNC". Gabriel tem o registro da marca Isqueminha desde 2019 no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Zé Neto e Cristiano anunciaram no início de 2020 um projeto de turnê chamada Esqueminha, em parceria com uma marca de bebidas. A série de shows, começaria em março daquele ano, quando todos os eventos do Brasil foram cancelados por conta da pandemia. A liminar em favor de Gabriel foi concedida no dia 1º de julho de 2022 e impede a dupla de usar a marca sob multa de R$ 1 mil. Entenda o que aconteceu até agora: Gabriel Levy tem vídeos em que se apresenta como Isqueminha em seu canal do YouTube desde 2012. Gabriel pediu em novembro de 2017 o registro do nome da banda Isqueminha no INPI. O registro foi autorizado em julho de 2019. A banda Isqueminha tem 14 mil seguidores no Instagram e sua música mais acessada no YouTube é "Vai tomar Pitú", com 163 mil views no canal FitDance. Em fevereiro de 2020, Zé Neto e Cristiano anunciaram o projeto promocional Esqueminha, que seria uma série de shows intimistas em parceria com uma empresa de bebidas. Chegou a ser divulgado o primeiro show com a marca. Mas logo depois todos os eventos no Brasil foram proibidos no início da pandemia. O show que abriria o projeto foi cancelado. Em setembro de 2020 foi feito um pedido no INPI do registro das marcas "Esqueminha" e "Esqueminha com ZNC". O pedido foi feito pela produtora Diverti, que já fez grandes eventos, inclusive de Zé Neto e Cristiano e da marca parceira do projeto. Gabriel se opôs aos registros e eles foram negados em julho de 2021. Ao negar os pedidos, o INPI disse que a marca "Esqueminha" no campo do entretenimento era "suscetível de causar confusão ou associação com marca alheia", em referência à banda Isqueminha. A empresa Diverti entrou com recurso em setembro de 2021, mas o INPI ainda deu resposta. Gabriel Levy entrou na justiça contra Zé Neto e Xristiano em maio de 2022 para impedir o uso da marca Esqueminha pela dupla. No dia 1º de julho de 2022, o juiz Gilmar Luiz Coelho, da 10ª Vara Cível de Goiânia, determinou que a marca não seja mais usada em qualquer contexto comercial ou de divulgação, sob pena de multa de R$ 1 mil até o limite do valor dado à causa, de R$ 50 mil. A assessoria de imprensa de Zé Neto e Cristiano disse ao g1 que a própria dupla nunca fez uso da marca. O g1 não encontrou registro de evento realizado por Zé Neto e Cristiano usando a marca, além dos shows anunciados em 2020 e cancelados. O advogado de Gabriel Levy, Luiz Vasconcelos, disse que enviou uma notificação extrajudicial para a produtora de Zé Neto e Cristiano antes de entrar com a ação. Luiz Vasconcelos não informou se o músico vai buscar algum tipo de indenização pelo uso anterior da marca nos anúncios da turnê que iria acontecer, ou se pretende apenas evitar a utilização da marca em futuros eventos. Leia mais: Após vencer batalha judicial contra Maiara e Maraisa por uso do nome 'As Patroas', banda baiana tem perfil suspenso em rede social Veja Mais

Culinária mineira raiz é destaque do Igarapé Sabor, que começa nesta quinta

O Tempo - Diversão - Magazine Evento, que será realizado de 7 a 10 de julho, chega à quarta edição com programação gratuita Veja Mais

Como Elvis Presley do filme biográfico se compara ao cantor da vida real

G1 Pop & Arte Há um complexo debate envolvendo a vida do 'rei do rock', direitos civis e apropriação cultural. Austin Butler interpreta Elvis, do cineasta australiano Baz Luhrmann Hugh Stewart/Warner Bros Entertainment INC/BBC O recém-lançado filme Elvis, do cineasta australiano Baz Luhrmann, é um retrato sobre a vida e a época de Elvis Presley, feito com todos os intensos movimentos de câmera que se esperaria do aclamado diretor de "Romeu + Julieta" e "Moulin Rouge - Amor em Vermelho". G1 já viu 'Thor: Amor e Trovão' tem piadas de mais e sentimento de menos Filme da Barbie é hit das redes, com gravações seguidas em 'tempo real'; veja perguntas e respostas A história é narrada a partir da perspectiva do empresário de Elvis, o "coronel" Tom Parker, interpretado por Tom Hanks. Parker é retratado como um narrador não confiável, que ajudou Elvis a sair de um contexto de pobreza para se tornar o "rei do rock". O Parker interpretado por Hanks é um empresário experiente que, ao lado de Sam Phillips (Josh McConville) da Sun Records, vê em Elvis um músico que pode levar o rock, um som que se desenvolvia em clubes underground negros, para o mainstream americano. Aviso: este artigo contém linguagem que alguns leitores podem considerar ofensiva. Luhrmann mostra como Elvis transformou músicas — incluindo "Hound Dog", inicialmente interpretada por Big Mama Thornton, e o clássico de blues de Arthur "Big Boy" Crudup, "That's All Right" — em sucessos nas paradas da Billboard. Elvis era conhecido como um cantor branco que "soava como negro". Os críticos da época diziam que ele pegou emprestada algumas de suas técnicas infames de performance de músicos negros; seus quadris giratórios viraram assunto no país, rendendo a ele o apelido "Elvis, the Pelvis" ("Elvis, a pélvis"). No filme 'Elvis', Austin Butler dá vida a Presley, e Tom Hanks interpreta seu empresário, 'coronel' Parker Alamy/BBC Austin Butler imita Presley de forma fantástica, em uma performance que provavelmente tornará o ator um nome conhecido. O filme retrata a ascensão meteórica do cantor e mostra Parker pegando metade de seus ganhos e sendo rápido em evitar possíveis problemas. Quando há um furor em relação ao rebolado de Presley, ele convence o músico a criar um estilo de apresentação mais familiar. As frustrações de Presley são saciadas por seu saldo bancário, mesmo quando ele notoriamente ganha peso, e seu brilho começa a desvanecer. O filme biográfico se esquiva de aprofundar o relacionamento de Elvis com Priscilla Presley, concentrando-se em sua carreira e, curiosamente, seu relacionamento com a comunidade negra. Elvis nasceu pobre e cresceu no bairro majoritariamente negro de Tupelo, no Estado americano do Mississippi. Ele cresceu cercado de negros e, quando se mudou para Memphis, no Estado do Tennessee, era tão fã de black music que fazia covers das músicas que ouvia. Era amigo do cantor e compositor de blues BB King, interpretado no filme por Kelvin Harrison Jr. Dentro deste cenário, o filme alega que Elvis foi fundamental para ajudar os negros a obter direitos iguais nos EUA. Faz isso por meio da narração de Parker, que atua como porta-voz de uma ideia formulada por Michael T Bertrand no livro "Race, Rock and Elvis". Bertrand argumenta que, cantando músicas até então atribuídas a músicos negros, Elvis ajudou os sulistas brancos a repensar sua atitude em relação à raça, levando a um ímpeto ignorado (bem, pelo menos até o filme de Luhrmann) dos brancos apoiarem o movimento pelos direitos civis. Amizade de Presley com BB King, interpretado por Kelvin Harrison, aparece no filme Kane Skennar/Warner Bros Entertainment INC/BBC "Elvis representou uma geração que surgiu em um momento em que havia muitas mudanças acontecendo no sul", disse Bertrand, que também é professor de história na Universidade do Estado do Tennessee, à BBC Culture. "Uma das mudanças tinha a ver com a evolução da programação negra de rádio, e no final da década de 1940, adolescentes como Elvis estavam sintonizados, [o que deu a eles] um tipo diferente de perspectiva sobre raça dentro de uma sociedade segregada. À medida que vai ficando mais velho, Elvis tem um apreço pela cultura afro-americana, e foi atraído pela música negra de uma forma que seus avós não seriam. À medida que se tornou popular, Elvis mostrou que era 'ok' [para os brancos] apreciar a cultura negra." "Elvis e seus colegas do sul são os primeiros garotos brancos a consumir rhythm and blues. Isso é um avanço, e houve enormes ramificações disso", acrescenta o autor. Na opinião dele, o rock e Elvis "introduziram um público e um grupo maior de pessoas a uma cultura que estava por trás do véu da segregação. Abriu a sociedade de uma maneira positiva". A contribuição de Elvis foi feita por meio de suas ações, e não por meio de qualquer grande declaração pública, acredita Bertrand. "Não acho que Elvis era político no sentido de que iria em passeatas e coisas assim. Estes músicos estavam preocupados com suas carreiras primeiro, e não faziam declarações políticas. Fizeram suas declarações com sua escolha de música. No contexto da segregação em que viviam, esta foi uma declaração importante. Nos anos 1950, muitos artistas de rhythm and blues disseram que estavam felizes por Elvis ter aberto as portas porque a música se tornou acessível. A questão era que, por ser branco, ele tinha acesso a casas de shows que alguns de seus colegas e contemporâneos não tinham." Mas, do mesmo modo, outros críticos veem Elvis como uma figura problemática em relação à raça, alegando que ele se apropriou da música negra — e alguns chegam a afirmar que ele é racista. Um comentário infame e contundente sobre Elvis em relação à raça pode ser encontrado na letra de "Fight the Power", do grupo Public Enemy, música escrita para o influente filme de Spike Lee "Faça a Coisa Certa", em 1989. Muitos críticos acusam Elvis de ter se apropriado da música negra Michael Ochs Archives/Getty Image/BBC Um trecho da letra pode ser traduzido assim: "Elvis foi um herói para a maioria, mas ele nunca significou merda nenhuma para mim. Um verdadeiro racista aquele otário, simples assim." Foi uma declaração chocante para muitos. Reza a lenda que Elvis inventou o rock e mudou a alma da música moderna. Mas aqui estava Chuck D, do Public Enemy, um popular músico e letrista negro, se manifestando contra Elvis. Desde então, Chuck D foi convidado a justificar a letra em várias ocasiões, e baixou um pouco o tom. No entanto, ele argumenta que a posição exaltada de Elvis se deu às custas dos músicos negros, que consequentemente não receberam o que mereciam. No documentário de 2017 de Eugene Jarecki, "The King", o letrista do Public Enemy afirma: "Sam Philips era um empresário. Ele tentou vender estes discos com negros e não conseguiu. Ele encontrou alguém para vender um som negro para rostos brancos, ele sabia o que vender para os EUA. Isso não é um problema. A cultura deve ser compartilhada. O que me deixa ofendido é que Elvis não era mais rei do que Little Richard, Bo Diddley e Chuck Berry. Então, quem o está consagrando rei?" Para alguns, isso faz de Elvis o rei da apropriação. O artigo de Helen Kalowole no jornal britânico The Guardian, "He Wasn't my King", argumenta que a brancura de Presley permitiu que ele ficasse famoso e rico cantando músicas que não eram ouvidas quando emanadas dos negros que as originaram. Como diz Michael Bertrand: "A coisa da apropriação vai ser uma discussão que acompanha [Elvis]. A indústria da música era extremamente discriminatória. Eles entendiam que havia adolescentes brancos e negros ouvindo rhythm and blues, e eles estavam procurando um rosto branco para atrair um público mais amplo, e foi Presley. Acho que a indústria estava numa onda de apropriação, e Elvis de apreciação. Quando Elvis entrou em um estúdio de gravação, ele não escrevia suas próprias músicas, ele basicamente queria gravar tudo no rádio que ele gostava." "O problema é que a indústria da música fez dele a única figura do rock. Elvis não pensava assim, ele apreciava músicos negros. Encontro muitas pessoas que gostam de Elvis, mas têm problemas com a forma como ele foi exaltado, quando músicos como Fats Domino, Little Richard e Chuck Berry fizeram grandes contribuições." Elvis, retratado aqui com os pais em 1937, cresceu em bairro majoritariamente negro em Tupelo, no Mississipp Getty Image/BBC Chuck D sugere que o racismo mencionado em seu rap está em outro lugar, no racismo sistêmico da indústria da música, e que a cultura negra é continuamente repaginada e vendida ao público de uma forma que esconde suas raízes negras. "Fui convencido de que Elvis era outro explorador da cultura negra para ganhos comerciais brancos por Chuck D", disse o musicólogo Neil Kulkarni, autor de "The Periodic Table of Hip Hop", à BBC Culture. "Aquela frase me fez pensar muito sobre apropriação cultural. Muito da história do pop é a história da inovação negra sendo roubada pelo negócio da música branca, clareada e empacotada, e vendida para o público branco. Isso é verdade até hoje. Se Elvis era um racista ou um herói dos direitos civis, acho que a verdade deve estar no meio". Rompendo barreiras O jornalista e apresentador Jonathan Wingate visitou Tupelo — onde Elvis passou os primeiros anos de sua vida — para um programa da BBC Radio 5 Live. "Conversei com muitas pessoas, e uma delas era Sam Bell, seu melhor amigo até deixar Tupelo, que me disse que Elvis não era racista." No filme, Shonka Dukureh interpreta Big Mama Thornton, que cantou pela primeira vez a música 'Hound Dog' — posteriormente um sucesso na voz de Presley Kane Skennar/Warner Bros Entertainment INC/BBC "As crianças brancas podiam brincar com as crianças negras quando eram pequenas", diz o jornalista musical Phil Sutcliffe à BBC Culture. "Mas depois, por convenção e imposição dos pais, quando chegavam a uma certa idade, não tinham permissão para se misturar. Esse é o ponto em que Elvis se tornou notável porque, naquele momento, ele não ergueu a barreira que a convenção ditava." Conforme Wingate disse à BBC Culture: "Acho que tudo se resume à percepção, e a percepção cultural agora é muito diferente do que era quando Elvis apareceu pela primeira vez sob os holofotes. Seu relacionamento com a música afro-americana é complexo." Filme não se aprofunda no relacionamento de Elvis com Priscilla Presley, se concentrando em sua carreira Hulton Archive/Getty Images/BBC "Quando ele apareceu pela primeira vez nas ondas do rádio, foi ao mesmo tempo em que todas as campanhas contra a segregação racial no sul dos Estados Unidos estavam explodindo em todos os lugares. Elvis não poderia ter existido sem o blues, o rhythm and blues e a música gospel. Mas se você chama isso de apropriação cultural — ou acredita que apenas teve uma influência inabalável no estilo de Elvis — está em debate. Diria apenas que ele tinha um gosto impecável." Wingate consegue entender por que o filme enaltece o papel de Elvis no movimento dos direitos civis, mesmo que ele próprio não fizesse isso com tanta ousadia. "Grande parte dos EUA era segregado na época, e você se pergunta o quanto essa música teria sido palatável para o mainstream dos EUA naquele momento. Elvis de alguma forma fez as coisas ficarem bem. Eu diria que Elvis abriu as portas para muitos desses artistas." Wingate sente que Elvis fez o máximo que era possível para ele na época. "Não acho que seja uma surpresa que ele não tenha se manifestado", diz ele. "Meu palpite é que ele não tinha consciência política... Pessoas como Tom Parker não o deixariam fazer isso, pois seria visto como subversivo demais." "Quando ensino meus alunos", conta Kulkarni, "mostro a eles dois vídeos, Little Richard cantando Tutti Frutti e Pat Boone cantando a mesma música. Boone é sua típica versão anódina, e é aquela velha história da inovação negra sendo marginalizada e reembalada. Elvis é algo com mais nuances. A indústria é sempre racista, mas os artistas em si, isso é mais complexo." Le Gendre e Sutcliffe creem que ter impacto não é suficiente para ser exaltado como herói dos direitos civis. "Não acredito nisso", diz Le Gendre. "Acho que se você realmente quer contribuir para os direitos civis, você deve entrar na linha de frente e marchar. Isso é o que estava acontecendo e era necessário na época". "Ele deu algum apoio anonimamente", diz Kulkarni. "Isso é ótimo. É uma pena que uma figura tão grandiosa não possa ter apoiado mais." "Tenho dúvidas sobre seu papel no movimento pelos direitos civis. A indústria tem uma longa história de encontrar rostos brancos para reembalar rostos negros para o mainstream, o que acontece ainda hoje. O uso da música negra com rosto branco é apenas como o comércio funciona", argumenta Le Gendre. "É concebida para que as pessoas se divirtam, gastem dinheiro, dancem. Depois vão para casa. Não vão a passeatas ou tentam mudar os EUA." Cantor e compositor Brook Benton e Presley, nos bastidores do Goodwill Revue, da rádio WDIA, em 1957 Getty Image/BBC Isso não quer dizer que Presley não fez nada — ele mostrou apoio a artistas e causas negras. Ele participou, por exemplo, do Goodwill Revue de 1956 em Memphis, o concerto beneficente anual da estação de rádio WDIA para ajudar as crianças carentes da cidade. Entre as atrações, todas negras, estavam nomes como BB King e outras grandes estrelas da época. Embora o contrato de gravação de Presley não permitisse que ele se apresentasse, ele apoiou dos bastidores. E quando convidado ao palco, saudou a multidão histérica com seu rebolado frenético. Para BB King, a presença de Elvis no espetáculo disse tudo: "Acredito que ele estava mostrando suas raízes. E ele parecia orgulhoso dessas raízes", afirmou. É claro que sempre há várias perspectivas sobre a vida de uma figura lendária, e o filme de Baz Luhrmann é apenas uma interpretação. E cada um de nós tem sua própria percepção sobre Elvis, do homem, da sua música e do que ele defendeu — ou não. Leia a versão original desta reportagem (em inglês) no site BBC Culture. - Texto originalmente publicado em https://www.bbc.com/portuguese/vert-cul-62009442 Veja Mais

'Thor: Amor e Trovão' tem piadas demais e sentimento de menos; g1 já viu

G1 Pop & Arte Quarto filme do deus nórdico da Marvel, o segundo com o diretor Taika Waititi, perde a mão no humor e ganharia mais se desenvolvesse lado humano. Produção estreia nesta quinta-feira (7). "Thor: Amor e Trovão" é engraçado. Tão engraçado que talvez supere até "Ragnarok" (2017), que conquistou público e crítica com o estilo leve e descontraído do diretor Taika Waititi. Entre um ritmo alucinante de piadas e clássicos do rock dos anos 1980, no entanto, falta ao quarto filme da Marvel, que estreia nesta quinta-feira (7) no Brasil, outra das maiores características do cineasta: o talento para explorar o lado humano de seus protagonistas. Com sentimento, mas sem sentimentalismo. Para quem conhece um pouco da carreira do neozelandês, é possível resumir ao falar que "Amor e Trovão" ganharia muito se fosse mais "A incrível aventura de Rick Baker" (2016) ou até "Jojo Rabbit" (2019) do que "O que fazemos nas sombras" (2014) – e se você nunca viu nenhum dos três, vai lá ver estes excelentes filmes agora mesmo. Só vai. Assista ao trailer de 'Thor: Amor e trovão' Não é que a nova aventura do herói seja ruim, longe disso. A grande maioria das piadas funciona, e o ritmo de gracinhas e grandes cenas de ação faz com que as duas horas de duração pareçam muito mais. De uma forma boa. O problema é que a história pedia mais. Em especial se comparado à última parte do filme, que introduz um dilema real à nova Thor interpretada por Natalie Portman – sim, ela também volta e está, para variar, ótima – e que aproxima o público do coração daqueles personagens super poderosos. "Amor e Trovão" é bom, sim. Mas, se conseguisse reproduzir o clima de seu final emocionante, poderia ser, com o perdão do trocadilho, divino. Natalie Portman e Chris Hemsworth em cena de 'Thor: Amor e Trovão' Divulgação Poderosa e Thor Assim como foi em "Ragnarok", a sequência se inspira em uma excelente trama recente dos quadrinhos para reapresentar a doutora Jane Foster (Portman). Relegada a mero interesse romântico nos dois primeiros filmes do herói, ela ganha um novo status como a nova portadora do martelo mágico do protagonista e ganha todos os seus poderes. Ao lado de um surpreso Thor original (Chris Hemsworth) e da agora rei de Asgard Valquíria (Tessa Thompson), ela tenta impedir que um assassino cósmico (Christian Bale) complete seu plano de matar todos os deuses do universo. Juntos, o trio, com a ajuda do guerreiro feito de pedra interpretado pelo próprio Waititi, consegue suprir a ausência do vilão/anti-herói Loki (Tom Hiddleston). Presente nos três filmes anteriores do irmão adotivo, sua ausência pela primeira vez na franquia não é tão gritante – graças em especial à enorme química entre Thompson e Portman, que claramente se diverte com os músculos inéditos durante as cenas de ação e os momentos mais cômicos. Tessa Thompson e Natalie Portman em cena de 'Thor: Amor e Trovão' Divulgação A quantos filmes e séries eu preciso ter assistido? Surpreendentemente poucos, considerando o passado recente da editora nos cinemas. Se "Doutor Estranho no multiverso da loucura" (2022) exigia do espectador um conhecimento quase enciclopédico do MCU para ser totalmente apreciado, com referências a séries, filmes e até desenhos animados que sequer faziam parte da franquia, "Amor e Trovão" tem como maior trunfo uma história mais direta e simples. Claro, convém ter assistido pelo menos os últimos dois capítulos estrelados por Thor e os "Vingadores" mais recentes, "Guerra Infinita" (2018) e "Ultimato" (2019), mas quem chega agora encontra um bom e divertido resumo dentro da própria trama. Perda de tempo divina O roteiro assinado por Waititi e pela estreante no MCU Jennifer Kaytin Robinson ("Alguém especial") realmente faz um bom trabalho em situar o espectador mais casual dentro da nova aventura. No entanto, está tão interessado em fazer piadas engraçadinhas e rir dos relacionamentos "quadrinescos" dos protagonistas que se esquece de apresentar riscos verdadeiros. Christian Bale em cena de 'Thor: Amor e Trovão' Divulgação O personagem de Bale (o Batman da trilogia dirigida por Christopher Nolan) cresce quase exclusivamente graças à força do ator, mas sua ameaça nunca é transmitida totalmente ao público. Mais cedo ou mais tarde, todos devem se perguntar se o desaparecimento dos egoístas e até cruéis deuses realmente seria tão ruim. E a resposta nunca chega. Entre tantas piadas, o lado humano da nova Thor, a maior força da história nos quadrinhos, é deixado em segundo plano a maior parte do tempo. Quando finalmente aparece, já perto do final, eleva tanto o nível do enredo, das atuações e da mensagem do filme, que leva qualquer a pensar em como seria melhor se estivesse presente desde o começo. O triste é que não é necessariamente por falta de tempo. Lá pela metade, os heróis pegam um desvio forçado que serve apenas para introduzir novos personagens para futuras franquias do MCU, sem qualquer avanço real para a história. Tempo perdido que poderia ser facilmente dedicado ao aprofundamento das relações dos protagonistas e para explorar discussões que ficam meio corridas no final. Pom Klementieff, Chris Pratt e Chris Hemsworth em cena de 'Thor: Amor e Trovão' Divulgação O fim Tudo isso torna "Amor e Trovão" tão frustrante quanto divertido. A pequena decepção pelo menos quase é afogada por uma das melhores partes finais do MCU. Com uma batalha das mais empolgantes, cheia de emoção e leveza, o filme quase se redime totalmente de seus pecados e abre belas novas possibilidades para o personagem. Resta aos fãs torcer para que o futuro de Thor nos cinemas siga o equilíbrio emocional deixado por seus últimos momentos de seu quarto filme. Pode ter sido breve, mas a parceria entre Waititi e Hemsworth já mostrou que consegue fazê-lo. Natalie Portman em cena de 'Thor: Amor e Trovão' Divulgação Veja Mais

Com Lázaro Ramos e Paolla Oliveira, "Papai é Pop" ganha trailer

O Tempo - Diversão - Magazine Inspirado no livro homônimo de Marcos Piangers, longa mostra as descobertas e os obstáculos sobre a paternidade Veja Mais

Katy Perry e Kim Kardashian protestam, no dia da independência americana, contra decisão que acabou com direito ao aborto nos EUA

G1 Pop & Arte Artistas como Jessica Chastain e Diane Kruger também se manifestaram. Suprema Corte dos EUA votou no final de junho contra garantia que existia há quase 50 anos. Katy Perry e Kim Kardashian em suas chegadas ao Baile de Gala do MET Jamie McCarthy/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/Getty Images via AFP Katy Perry, Kim Kardashian, Jessica Chastain e outras celebridades aproveitaram as comemorações do maior feriado nacional dos Estados Unidos, o dia da independência americana, nesta segunda-feira (4) para protestar contra a decisão da Suprema Corte no final de junho que derrubou a garantia ao aborto no país. Segundo elas, mulheres americanas têm agora menos direitos e liberdades. No Twitter, Perry usou sua música "Firework", que tem uma forte ligação com o 4 de julho por causa da tradição da queima de fogos de artifícios, para se manifestar no Twitter. "'Querida, você é um foto de artifício' é nota 10 mas mulheres nos EUA têm menos direitos do que até uma estrelinha", escreveu a cantora. Initial plugin text Já Kim e sua irmã, Kourtney, compartilharam no Instagram uma publicação que cancelava o feriado: "O 4 de julho foi cancelado por causa de uma falta de independência. Sinceramente, as mulheres". A atriz Jessica Chastain (vencedora do Oscar por "Os olhos de Tammy Faye") publicou uma foto mostrando os dedos do meio. "Feliz dia da 'independência' meu e dos meus direitos reprodutivos", escreveu. Initial plugin text A também atriz Diane Kruger ("Bastardos Inglórios") foi mais sucinta e afirmou apenas, no Instagram, que os EUA "não têm muito o que celebrar". A apresentadora do reality show de competição gastronômica "Top Chef", Padma Lakshmi, concorda. "Não há muito o que celebrar neste 4 de julho, temo eu. Vamos apenas torcer para que todos estejam seguros e em paz hoje e que em breve nossa nação se afaste desse precipício", escreveu ela, junto de uma foto de um foto com os dizeres "separem Igreja e Estado". Initial plugin text A decisão A Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu, no final de junho, derrubar a decisão que garantia nacionalmente o direito ao aborto legal no país. Desde então, cabe a cada estado norte-americano decidir se permite ou não a interrupção da gravidez. Por seis votos contra três, os juízes derrubaram a chamada 'Roe contra Wade', uma decisão histórica da própria Suprema Corte da década de 1970 que estabeleceu o direito ao aborto nos Estados Unidos. Veja Mais

Juliano Cazarré atualiza saúde da filha recém-nascida e nega deixar 'Pantanal'

O Tempo - Diversão - Magazine 'Foram muitas emoções e muitos avanços nessas duas semanas. Ela tem se recuperado bem e nos últimos dias ganhou os parabéns dos amigos médicos', avisou o ator Veja Mais

Por que doramas e k-dramas, novelas da Ásia, viraram febre no Brasil

O Tempo - Diversão - Magazine Fora da Coreia do Sul, o Brasil é o segundo país que mais assiste a doramas, atrás apenas dos Estados Unidos Veja Mais

Pantanal: Saiba o segredo que envolve Renato, filho de Tenório

O Tempo - Diversão - Magazine Nos próximos capítulos da trama da Globo, público vai conhecer um lado obscuro do personagem Veja Mais

'Eu sou a consequência de uma luta', diz Manoel Soares sobre conquistas na TV

O Tempo - Diversão - Magazine Apresentador vai comandar o Encontro ao lado de Patrícia Poeta a partir desta segunda (4) Veja Mais

Sessão da Tarde (4/7): Veja o filme que a Globo vai exibir hoje

O Tempo - Diversão - Magazine A Pantera Cor de Rosa 2 vai ao ar logo depois de O Cravo e a Rosa, às 15h30 Veja Mais

Boneca travesti feita sob encomenda emociona dona: 'sonho de infância realizado na vida adulta'

G1 Pop & Arte Bárbara Iara Hugo falou ao g1 após mostrar em vídeo a boneca sereia travesti feita no estilo japonês ‘amigurumi’ pela artista Mari Kazi. Processo de criação com traços da dona e cores da bandeira trans levou 3 meses. Boneca travesti feita sob encomenda emociona dona após infância brincando escondida Uma boneca travesti feita sob encomenda em São Paulo deixou a dona e vários de seus seguidores emocionados ao ser apresentada num vídeo em uma rede social. Isso porque Bárbara Iara Hugo, de 34 anos, relembrou a infância quando brincava "escondida e cheia de medo", para agora finalmente se ver representada em uma boneca de verdade. Mulher trans preta, Bárbara falou ao g1 após publicar o vídeo. "Lembro que desde muito nova, com 4 ou 5 anos de idade, eu ia pra casa de uma prima (...) e brincava com ela nas brincadeiras de menina. A questão é que, pra mim, era impossível realizar o sonho de ter a minha própria Barbie. Eu só podia realizar aquele desejo enquanto eu estivesse escondida na casa da minha prima. A boneca é a materialização de um dos sonhos não realizados na infância e que hoje podem ser realizados na vida adulta", afirma a youtuber, mestranda em educação e gestora de exposições de artes visuais. Bárbara e sua boneca travesti feita sob encomenda Arquivo pessoal No relato publicado com o vídeo, Bárbara se diz apaixonada pela boneca e a descreve como um "sonho-conquista". A publicação recebeu elogios e respostas emocionadas. A relação com a figura da sereia vem desde a infância e foi incorporada por Bárbara em sua transição, quando escolheu Iara como seu segundo nome - remetendo à sereia do folclore brasileiro. "Eu fiz aula de natação desde muito novinha, e eu lembro que toda vez que entrava na piscina eu me imaginava como Ariel, da Disney. E era essa Ariel, com os cabelos incríveis e lindos, com uma cauda maravilhosa, que dançava e era livre no mar, mas que almejava o inalcançável", recorda. Ela vê agora que pode ser inspiração para outras pessoas que tiveram ou têm uma infância com experiências parecidas com as suas. "O mito do filme ('A Pequena Sereia') tenta pensar nesse ser que deseja ser outra coisa que não é. E a cisgeneridade, a sociedade comum, acha que a gente representa uma farsa, que a gente deseja ser aquilo que a gente não é. Quando na verdade a grande felicidade está em ser exatamente aquilo que se é e poder conquistar o que a gente não podia, o que a gente foi proibida de realizar antes", diz Bárbara. Bárbara Iara Hugo em ensaio fotográfico fantasiada como sereia. À esquerda, com a artista Mari Kazi e a boneca feira sob encomenda André Medeiros Martins; Arquivo pessoal Boneca de tricô A boneca foi feita sob encomenda pela artista Mari Kazi, que Bárbara conheceu por indicação de uma amiga. Foram 3 meses para ser concluída. "[Boneca] trans, é a primeira que eu faço. Eu trabalho com esse projeto de crochê em que eu represento as pessoas, e pra mim é muito gratificante fazer parte dessas histórias; já fiz bastante coisa para a comunidade LGBTQIA+. E eu acredito que seja o primeiro 'amigurumi' trans. Não vi nenhum [outro] até agora", conta Mari. "Amigurumi" é o estilo do boneco de tricô, que se origina da junção das palavras japonesas “ami” (malha ou tricô) e “nuigurumi” (bichos de pelúcias). O termo nasceu no Japão na década de 1980, explica a artista, que desenvolve projetos com essa técnica há 9 anos. Mari usa fotos para fazer a representação em 3D da pessoa e conta que a formação em exatas (ela também é engenheira florestal) também ajuda no processo de criação. Na boneca de Bárbara, ela acrescentou detalhes como o cabelo, a cauda e o biquini nas cores da bandeira trans (azul, rosa e branca) e duas pintas sob os olhos. Veja Mais

Rebecca prepara álbum de estreia para 2022: 'Quero trazer o que gosto de escutar além do funk'

G1 Pop & Arte Cantora carioca fez 'dobradinha' no Rock in Rio Lisboa ao cantar com Anitta. Ao g1, ela fala que sonha com Grammy e 'palcos enormes'. MC Rebecca Divulgação/I Hate Flash A cabeça de Rebecca estava à milhão antes de entrar no palco Galp Music Valley, no Rock in Rio Lisboa. A cantora carioca recebeu o g1 no camarim minutos antes da estreia no festival em Portugal. "Não tem palavras para escrever o que estou vivendo hoje, só tem de agradecer a Deus por me permitir estar aqui e por não ter desistido", diz, emocionada. A caminhada e o investimento foram grandes. A cantora que se apresentava como MC Rebecca até pouco tempo atrás diz que gastou R$ 250 mil para levar uma equipe de 28 pessoas para a Europa. "Quando voltar pro Brasil, já tem que pagar um monte de coisa, menina", fala com um riso nervoso. "Mas é um dinheiro bem gasto para minha carreira e para minha vida". O show foi bem recebido pelos milhares de brasileiros que estavam no Parque da Bela Vista, com hits como "Combatchy", "Repara", "Barbie" e "Desliza e Joga". MC Rebecca faz baile funk no Rock in Rio Lisboa: 'Isso aqui é Brasil' O cantor angolano Anselmo Ralph fez uma participação em "Só Por uma Canção", feat dos dois com Jimmy P. Ela se emocionou no palco ao falar: "É muita emoção, a gente percorreu muita barreira para chegar até aqui e eu estou muito feliz". Rebecca cantou com Anitta no palco Mundo do Rock in Rio Lisboa 2022 Reprodução/Instagram/Rebecca Como se um show não fosse suficiente, Rebecca ainda fez uma "dobradinha" no festival ao cantar com Anitta horas depois no palco Mundo. Elas cantaram "Combatchy" e "Favela Chegou", na parte final da apresentação que concentrava praticamente todo o público de 80 mil pessoas do último dia do festival. Público no show da Anitta no Rock in Rio Lisboa deste domingo (26) Divulgação/I Hate Flash Primeiro álbum vem aí Rebecca tem quatro anos de carreira e muitos feats no currículo, mas ainda falta o álbum de estreia. Ele sairá em "nome de Jesus" neste ano, segundo a cantora de 24 anos. O balé com seis bailarinas foi parte importante da apresentação da MC Rebecca no Rock in Rio Lisboa Gabriela Sarmento/g1 "Já tenho algumas músicas prontas, mas quero colocar mais minha identidade, quero fazer isso com o tempo. Quero trazer o que eu gosto de escutar além do funk", explica. "Vai ter misturas, só funk não, porque eu também sou outras coisas. Gosto de escutar hip hop, trap, R&B, MPB. Quero trazer isso para mim, acho que musicalidade não tem gênero, né?" Uma vez realizado o sonho de tocar no Rock in Rio Lisboa, qual é o próximo de Rebecca? "Aí eu já nem sei mais, vamos falar sei lá... Grammy, premiações, tocar em palcos enormes. É isso que eu almejo". Cantores brasileiros participam do Rock in Rio Lisboa 2022 Veja Mais

Ricky Martin é alvo de ordem de restrição por violência doméstica, em Porto Rico

G1 Pop & Arte Informação foi divulgada pela mídia local e pela agência Associated Press. À revista People, representantes do cantor falam em alegações 'falsas e fabricadas'. Ricky Martin posa para fotos em Cannes, na França, em 25 de maio deste ano Vianney Le Caer/Invision/AP O cantor Ricky Martin foi alvo de uma ordem de restrição emitida por uma juíza de Porto Rico com base em uma lei sobre violência doméstica, segundo informou a polícia local neste sábado (2). De acordo com a agência Associated Press, a ordem foi assinada na sexta-feira (1º) e as autoridades visitaram um bairro nobre em Dorado, cidade na costa norte da ilha onde o cantor mora, para tentar cumpri-la, disse o porta-voz da polícia Axel Valencia. Compartilhe esta notícia no WhatsApp Compartilhe esta notícia no Telegram Não se sabe quem solicitou a ordem de restrição, já que a lei do país garante o anonimato de quem denuncia. Representantes do cantor disseram à revista People que "as alegações contra Ricky Martin são completamente falsas e fabricadas". O que diz a ordem e as restrições O jornal porto-riquenho 'El Vocero' informou que a ordem afirma que Martin e a outra parte "tinham um relacionamento há sete meses. Eles se separaram há dois meses, mas Martin não aceita a separação. Ele liga para ele com frequência." O jornal acrescentou que Martin foi visto "vagando em torno de sua residência em pelo menos três ocasiões" e que por isso o denunciante "teme por sua segurança", afirma a ordem, segundo o El Vocero. Segundo o porta-voz da polícia, a ordem proíbe Martin de entrar em contato ou ligar para a pessoa que a apresentou e que um juiz determinará posteriormente em uma audiência se a ordem deve permanecer em vigor ou ser retirada. Ele acrescentou que normalmente os pedidos valem por pelo menos um mês. O policial observou ainda que a pessoa que solicitou a ordem de restrição não entrou em contato com a polícia, o que teria deixado os promotores determinarem se havia provas suficientes para apresentar queixa. Em vez disso, o pedido foi diretamente para o tribunal. Veja Mais

Sucesso de Stranger Things ajuda cantora Kate Bush a quebrar três recordes no Reino Unido

G1 Pop & Arte "Running Up That Hill" brilha mesmo depois de quase 40 anos do seu lançamento 'Stranger Things' ajudou a popularizar música de Kate Bush Reprodução A série Stranger Things, apresentada pelo serviço de streaming Netflix, ficou entre os principais assuntos da semana após o lançamento da segunda metade da quarta temporada. Com o sucesso a cantora Kate Bush, responsável por uma das músicas tema da temporada, conseguiu bater três recordes, informou o Guiness World Records(responsável por avaliar recordes pelo mundo). Kate Bush conseguiu se tornar, no Reino Unido, a mulher mais velha no topo das paradas de singles do Reino Unido, ela também obtém o maior tempo para uma faixa alcançar o número 1 na parada de singles oficial e o maior tempo para uma faixa alcançar o número 1 na parada de singles oficial. LEIA TAMBÉM: 'Stranger things' tem 4ª temporada sobre traumas com respostas e terror, dizem criadores da série 'Stranger things' abraça terror, confusão e instabilidade da adolescência na 4ª temporada; g1 já viu A música foi lançada em 1985 e ganhou um novo destaque após se tornar uma das músicas mais representativas da atual temporada da série noemada de "Capítulo Quatro: Querido Billy". "Running Up That Hill" levou 36 anos e 310 dias para alcançar o primeiro lugar. Antes dela, o detentor da marca era a faixa "Last Christmas," música de 1984 do Wham!, a qual levou 36 anos e 23 dias para chegar ao primeiro lugar . "É tão emocionante, né? Mas muito chocante" A cantora Kate Bush Divulgação/katebush.com A cantora Kate Bush, em uma rara entrevista, descreveu seu retorno ao topo das paradas musicais como "bastante chocante" depois que a série da Netflix "Stranger Things" rendeu uma nova geração de fãs para a artista. A adorada cantora e compositora britânica também falou sobre sua experiência de maratonar séries e o hobby da jardinagem. O hit clássico de Bush "Running Up That Hill (A Deal With God)" alcançou o primeiro lugar na Grã-Bretanha e em outros países depois de ser utilizado de maneira impactante, e comovente, na quarta temporada da série de Netflix ambientada na década de 1980. "Mas eu nunca imaginei que seria algo deste tipo. É tão emocionante. Mas é um pouco chocante, não é? Quer dizer, o mundo inteiro enlouqueceu", disse Kate em entrevista à rádio britânica BBC. Veja Mais

Fátima Bernardes se emociona em último 'Encontro': 'Não queria chorar, porque não é um momento triste'

G1 Pop & Arte Apresentadora passou o comando da atração para Patrícia Poeta e Manoel Soares. No programa de despedida, estiveram presentes Tony Ramos, Alexandra Richter e Ferrugem. Fátima Bernardes se emociona no último "Encontro" Globo Fátima Bernardes apresentou pela última vez o "Encontro", nesta sexta-feira (1º), depois de dez anos. A apresentadora assume o comando do "The Voice Brasil", e, a partir de segunda-feira (4), Patrícia Poeta e Manoel Soares estarão à frente da atração das manhãs da TV Globo. A apresentadora entrou sob aplausos da plateia e da equipe da produção, que formava um corredor, por onde ela passou, ao som de "O show tem que continuar", cantado por Ferrugem. A surpresa fez Fátima chorar de emoção. Estavam ali os atores Tony Ramos e Alexandra Richter, Andre Curvello, Tati Machado, entre outros. Último 'Encontro' com Fátima Bernardes Reprodução/Twitter "Não queria chorar, porque não é um momento triste", disse, antes de chamar a atenção para a presença de uma das filhas, Beatriz, na plateia. "Queria agradecer a TV Globo por permitir essa manifestação." Tony Ramos e Fátima lembraram do primeiro programa, que contou com um vídeo do ator. Ele tinha sido convidado para falar sobre depilação masculina, mas não podia ir ao estúdio naquele dia, e acabou enviando um depoimento sobre o assunto. Já Alexandra Richter lembrou que esteve na atração para falar da novela "Cheias de Charme". "Eu vim ao programa para falar da relação com das empreguetes com a patroa." Último 'Encontro' com Fátima Bernardes Reprodução/Twitter Fátima também mostrou a turma atrás dos estúdios, como as salas do switch, onde ficam os diretores, redatores e a equipe técnica. Ali apareceu Laura, também filha de Fátima, e que a apresentadora fez questão de mencionar. Michelle Loreto, do quadro "Bem-Estar", e Caroline Prado, Gabriela Gonçalves, Paula Paiva, Gessyca Rocha e Luiza Tenente, do "g1 em um minuto", aproveitaram o espaço para agradecer a apresentadora. Novos apresentadores "Como é bom fazer a passagem de bastão em clima de festa, em harmonia. Há dez anos, eu passei o bastão no 'JN' para Patrícia Poeta", disse Fátima. "E agora, eu chamo Patrícia Poeta e Manoel Soares para a passagem de bastão", disse. Os dois também apareceram no palco da atração. Fátima Bernardes Reprodução/Twitter "Vendo todo mundo aqui, você deixa essas pessoas que sempre vão lembrar de você, e isso é o que importa", disse Patrícia. "Estou emocionado, porque o carinho por você que eu tenho transcende a televisão", completou Manoel Soares. No encerramento do programa, Fátima falou sobre o momento da despedida. “Não teve um dia sequer que eu não tenha dado aqui, mesmo nos programas mais tristes, meu melhor sorriso”, disse "Desejo tudo de melhor para Patrícia e Manoel, e que o 'Encontro' continue sendo esse espaço para convivência da diferença, um espaço para reflexão, para mudança. Eu aprendi muito nesta troca diária. Eu saio aqui hoje, não sou a mesma Fátima que entrei. Muito Obrigada." Veja Mais

'Encontro' em 50 fotos': Relembre momentos de Fátima Bernardes ao longo dos 10 anos do programa

G1 Pop & Arte Apresentadora se despede do matinal nesta sexta-feira (1) de julho. Em 25 de junho de 2012, Fátima Bernardes deu o primeiro bom dia ao público no "Encontro" TV Globo / João Cotta O primeiro programa teve a entrada ao vivo de William Bonner TV Globo / João Cotta Fatima Bernardes e Marcos Veras no programa de estreia do "Encontro" TV Globo / João Cotta Foi no palco do programa, em setembro de 2012, que Fátima Bernardes celebrou seu aniversário de 50 anos Rede Globo/Alex Carvalho Fátima Bernardes com Marcos Veras e Lair Rennó Globo/Estevam Avellar Em 2013, o "Encontro" contou com sua primeira atração internacional. Fátima Bernardes recebeu o maestro holandês André Rieu e a Johann Strauss Orquestra TV Globo/Renato Rocha Miranda Prestes a completar 1 ano de programa, Fátima Bernardes estreou um novo cenário do "Encontro". "Sensação de primeiro dia de aula", afirmou a apresentadora na época Globo/Estevam Avellar Em junho de 2013, Fátima Bernardes celebrou o primeiro aniversário do programa e recebeu os parabéns de seus convidados, incluindo o da apresentadora Ana Maria Braga Globo/João Miguel Júnior Chitãozinho e Xororó se apresentaram no aniversário de 1 ano do programa "Encontro" Globo/João Miguel Júnior Xuxa foi uma das convidadas do "Encontro com Fátima Bernardes" em 2013 Globo / Elis Bartonelli Em 2014, logo após voltar de férias, Fátima Bernardes novamente repaginou o cenário e apresentou um novo cantinho para receber seus convidados Globo/Aline Massuca Fátima Bernardes não apresentou o programa somente nos estúdios. Em 2014, levou o "Caminhão do Encontro" para Belo Horizonte Globo/Bruno Soares Outra gravação externa com o "Caminhão do Encontro" aconteceu no Pelourinho, Salvador, também em 2014 Globo/ Eli Cruz Alcione foi uma das convidadas do "Caminhão do Encontro" com Fátima Bernardes, no Pelourinho Globo/ Eli Cruz Fátima Bernardes sobe a ladeira do pelourinho com o "Caminhão do Encontro" Globo/ Eli Cruz Em 2012, Fátima Bernardes celebrou 2 anos de "Encontro" e recebeu diversos convidados no programa, incluindo Pedro Bial e Jô Soares Globo/Renato Rocha Miranda Fátima Bernardes celebra dois anos do programa "Encontro" com convidados Globo/Renato Rocha Miranda Em 2018, Fátima estreou o quadro "Nunca Fiz", enfrentou seu medo e aprendeu a nadar Globo/Fabio Rocha Em 2018, Fátima estreou o quadro "Nunca Fiz", enfrentou seu medo e aprendeu a nadar Globo/Fabiano Battaglin 2018 também foi ano de Fátima Bernardes celebrar seis anos do programa "Encontro" Globo/Raquel Cunha Em diversas edições do programa, Fátima Bernardes mostrou sua paixão pela dança Reprodução/Instagram Fátima Bernardes aprende coreografia de dança medieval Reprodução/Instagram Fátima não recebeu apenas artistas no palco de seu programa. Em 2019, por exemplo, conversou com Débora, que havia sofrido um acidente com kart Reprodução/TV Globo Também em 2019, Fátima Bernardes homenageou a apresentadora Hebe Camargo Reprodução/Instagram Em 2020, o "Encontro" foi ampliado e passou a misturar entretenimento e jornalismo nas manhãs da Globo Globo / João Cotta Durante a pandemia, o programa "Encontro" ficou um mês fora do ar por causa das restrições da Covid-19. Logo após o retorno, celebrou 8 anos no ar Globo/João Cotta Em 2022, Fátima Bernardes celebrou 10 anos do programa "Encontro" Globo/João Cotta Durante a pandemia, Fátima fez algumas entrevistas virtuais para o programa. Caetano Veloso foi um dos convidados nessa fase do "Encontro" Reprodução Assim como Fábio Assunção, que falou sobre transformação para novo personagem Reprodução/TVGlobo No início de 2021, Fátima Bernardes celebrou a volta ao 'Encontro' direto do estúdio Reprodução/TV Globo No final de 2021, Fátima Bernardes ficou afastada do programa após se submeter a uma cirurgia no ombro. Eu seu retorno, a apresentadora ganhou flores Reprodução/Globo Ao longo dos 10 anos de programa, Fátima Bernardes recebeu diversos artistas, como a cantora Anitta... Reprodução/Instagram ...o cantor Gilberto Gil, integrantes dos Gilsons e Preta Gil, ... Reprodução/Instagram ... o ator Caio Paduan e os cantores Alcione e Jorge Aragão.... Reprodução/Instagram ... a cantora Fernanda Abreu, ... Reprodução/Instagram ... o cantor Zeca Pagodinho, ... Reprodução/Instagram ... a atriz Mariana Xavier e tantos outros, ... Reprodução/Instagram ...além de estrelas que partiram tempos depois e deixaram saudades, como a atriz Nicette Bruno... Reprodução/Instagram ... o cantor Gabriel Diniz... Reprodução/Instagram ... a cantora Elza Soares,... Reprodução/Instagram ... a cantora Marília Mendonça... Reprodução/Instagram ... e a cantora Ângela Maria. Reprodução/Instagram Depois de tantos anos de programa, Fátima Bernardes acabou pedindo ajuda para seus convidados para ter criatividade para novas poses. A cantora Luiza Possi deu sua dica... Reprodução/Instagram ... assim como a atriz Mariana Xavier, ... Reprodução/Instagram ... a malabarista Danny Pink... Reprodução/Instagram ... e a cantora Baby do Brasil. Reprodução/Instagram Em março de 2022, Fátima Bernardes comandou o Troféu Encontro Reprodução/Instagram Fátima Bernardes celebra uma década à frente do "Encontro". Bráulio Bessa esteve no programa especial Globo/Fábio Rocha Antes de se despedir do programa, Fátima Bernardes celebrou uma década à frente do ‘Encontro’ com um projeto especial no qual registrou algumas palavras que marcaram sua história na atração na pele Globo/João Cotta Antes de se despedir do programa, Fátima Bernardes celebrou uma década à frente do ‘Encontro’ com um projeto especial no qual registrou algumas palavras que marcaram sua história na atração na pele Globo/João Cotta Veja Mais

Beyoncé apresenta capa do álbum 'Renaissance' e fala sobre processo de criação do disco: 'Permitiu me sentir livre'

G1 Pop & Arte Cantora afirmou ainda que sua "intenção foi criar um lugar seguro, um lugar sem julgamentos". Novo álbum será lançado em 29 de julho. Beyoncé apresenta capa do álbum 'Renaissance' Reprodução/Instagram Beyoncé divulgou a capa do álbum "Renaissance" nesta quinta-feira (30). Além de compartilhar a foto em que aparece em cima de um cavalo, a cantora publicou um breve texto no qual fala um pouco sobre o processo de criação do disco. "Criar esse álbum me permitiu um lugar para sonhar e encontrar uma válvula de escape durante o momento assustados para o mundo. Ele me permitiu me sentir livre e aventureira em um momento em que pouca coisa se movimentava", escreveu a cantora no post nas redes sociais. "Minha intenção foi criar um lugar seguro, um lugar sem julgamentos. Um lugar para ser livre do perfeccionismo e de pensar demais. Um lugar para gritar, soltar, sentir a liberdade." "Foi uma linda jornada de exploração. Espero que encontrem alegria nessa música. Espero que inspire vocês a se soltar. E a se sentirem únicos, fortes e sexies como vocês são", finalizou a cantora. "Renaissance" está previsto para chegar ao mercado em 29 de julho. Durante a divulgação do álbum, a cantora deu poucos detalhes, mas incluiu "Act I", o que indica que a artista deve dividir o lançamento em algumas partes. O projeto é o primeiro após o aclamado álbum "Lemonade", lançado pela cantora em 2016. Ele também marca o retorno ao trabalho solo, já que em 2018 Beyoncé saiu em turnê com o marido. Ao longo da "On The Run II Tour", o casal faturou US$ 253,5 milhões (cerca de R$ 936,91 milhões, segundo dados da Billboard Boxscore. Na última semana, Beyoncé lançou a primeira faixa do disco e divulgou "Break My Soul", canção com uma levada house. Ao anunciar a música, a cantora também incluiu o número "6", indicando que essa deve ser a sexta faixa de seu novo disco. Leia também: Nova canção de Beyoncé representa 'grande resignação' de geração de trabalhadores nos EUA Beyoncé lança 'Break My Soul', primeiro single de 'Renaissance' Reprodução/Instagram Veja Mais