Meu Feed

Hoje

Veja os limites para as deduções no Imposto de Renda 2021

G1 Economia Continuam disponíveis dois modelos diferentes para a entrega do documento, o simplificado e o completo. Veja as diferenças entre eles e como funcionam as deduções. selo IR 2021 deduções Arte G1 A Secretaria da Receita Federal divulgou os detalhes do Imposto de Renda 2021, incluindo os limites para as deduções. As declarações devem ser entregues entre os dias 1º de março e 30 de abril. Deve declarar o IR neste ano quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2020. SAIBA TUDO SOBRE O IMPOSTO DE RENDA 2021 Os contribuintes podem optar por dois modelos na entrega do documento: o simplificado ou o completo. Especialista tira dúvidas sobre a declaração do imposto de renda Declaração simplificada A regra para fazer a declaração simplificada continua a mesma. Quem optar por ela, terá um desconto "padrão" de 20% na renda tributável. Este abatimento substitui todas as deduções legais da declaração completa, entre elas aquelas de gastos com educação e saúde. No IR de 2021, esse desconto de 20% está limitado a R$ 16.754,34 – mesmo valor do ano passado. Declaração completa Quem teve gastos altos em 2020 com dependentes e saúde, por exemplo, pode optar por fazer a declaração completa do Imposto de Renda, pois esses gastos são dedutíveis. Veja os limites: Dependentes: o valor máximo é de R$ 2.275,08 por dependente, o mesmo do ano passado. Educação: nas despesas com educação (ensino infantil, fundamental, médio, técnico e superior, o que engloba graduação e pós-graduação), o limite de dedução permaneceu em R$ 3.561,50 por dependente. Despesas Médicas: as deduções continuam sem limite, ou seja, o contribuinte pode declarar todo o valor gasto e deduzir do Imposto de Renda. Entre as despesas incluídas aqui estão pagamentos a médicos, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, hospitais, além de exames laboratoriais, serviços radiológicos, aparelhos ortopédicos e próteses ortopédicas e dentárias. A dedução de gastos dos patrões com a previdência de empregados domésticos não é mais permitida. VÍDEOS: tudo sobre o Imposto de Renda 2021 Veja Mais

Com recessões e pandemia, PIB do Brasil tem pior década em 120 anos

G1 Economia Levantamento da FGV mostra que, entre 2011 e 2020, economia brasileira registrou um crescimento médio de 0,3% ao ano, pior que o da década de 1980. Resultado oficial do PIB do ano passado será divulgado nesta quarta (3) pelo IBGE e expectativa é de tombo da ordem de de 4%. A dimensão exata do tombo da economia em 2020 será conhecida nesta quarta-feira (3) com a divulgação dos dados oficiais do Produto Interno Bruto (PIB) - mas já se sabe que o desempenho do Brasil na década foi o pior já registrado em 120 anos. Considerando a expectativa de tombo da ordem de 4% no ano passado, o Brasil fechou o período entre 2011 e 2020 com um crescimento médio anual de apenas 0,3%, segundo cálculos do economista Claudio Considera, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV). Até então, a pior década econômica tinha sido a observada nos anos 1980, período chamado de "década perdida", quando o PIB brasileiro avançou em média 1,6% ao ano no período. Segundo o pesquisador, a taxa média de crescimento de apenas 0,3% ao ano pode ser interpretada como uma "estagnação". "Para igualar com a década de 80, o PIB teria que crescer 10% em 2020. Mesmo se crescesse em 2020 o que estava projetado pelo mercado [cerca de 2%, antes da decretação da pandemia], o PIB médio entre 2011 e 2020 cresceria 0,9%. Ou seja, essa década foi um desastre em qualquer situação, muito pior do que a dos anos 80", explica o economista. Nova década perdida Economia G1 O levantamento do Ibre utiliza como base a série histórica do PIB apurada pelo Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea) e pelo IBGE, e as projeções do Monitor do PIB da FGV, que tenta antecipar o resultado oficial do desempenho da economia brasileira. PIB de 2020 deve ter sido o pior em 30 anos Os números oficiais de 2020 do PIB, que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, serão divulgados pelo IBGE a partir das 9h. Pela projeção do Monitor do PIB da FGV, a retração da economia em 2020 foi de 4%. Pela leitura do Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) do Banco Central, que é considerado uma "prévia" do PIB, o tombo foi de 4,05%. Confirmada as expectativas, será a maior contração anual desde o início da série histórica do IBGE, que começou em 1996, superando o tombo de 3,5% registrado em 2015, o maior até então. Considerando a série anterior, iniciada em 1948, o resultado de 2020 deve ser o pior em 30 anos. Os maiores tombos já registrados no país anteriormente foram os de 1981 e 1990 - em ambos os anos, houve uma retração de 4,3% do PIB. "Na média da década, não vai alterar muito a taxa se o resultado do PIB de 2020 for alguns décimos a mais de 4% ou menos alguns décimos", afirma Considera. Recuperação perde ritmo e maioria dos componentes do PIB ainda não eliminou perdas Evolução do PIB na década Economia G1 Pandemia chegou antes do país eliminar perdas da crise de 2015-2016 A nova década perdida é explicada pelo choque trazido pelo coronavírus, mas também pela crise dos anos 2015 e 2016, durante os governos de Dilma Roussef e Michel Temer. Foram 11 trimestres seguidos de recessão no meio da década e, depois, uma recessão histórica no 1º semestre de 2020. Considera destaca que o Brasil ainda tentava se reerguer das perdas de uma das recessões mais profundas que o país já passou quando a pandemia chegou, interrompendo uma sequência de 3 anos de uma recuperação que já vinha em ritmo lento. "A recuperação vinha lenta, estávamos crescendo pouco, em torno de 1,5% ao ano. Daí veio a pandemia, que jogou a economia no buraco de vez”, afirma Considera. “A década foi muito instável, teve alguns números positivos e vários números negativos. Foi uma década de estagnação”. A fraqueza da década e o desempenho da economia abaixo do observado na década de 80 já estava no radar dos economistas desde 2019 mas, até a chegada da pandemia, não se imaginava um resultado no período entre 2011 e 2020 tão próximo da estagnação. De acordo com o levantamento da FGV, no acumulado entre 2011 e 2019, o crescimento médio do PIB estava em 0,7%. De qualquer forma, o resultado da década ainda foi um pouco menos drástico do que o imaginado até meados do ano passado, quando o Fundo Monetário Internacional (FMI) chegou a estimar um tombo de até 9,1% no PIB brasileiro. Se esse cenário se confirmasse, o Brasil poderia ter fechado a década com uma retração média anual de 0,3% entre 2011 e 2020, como mostrou o G1 em reportagem em junho do ano passado. Veja comparativo de projeções para o PIB do Brasil e de outros países Prévia do PIB indica retração de 4,05% em 2020 Diferenças com a crise dos anos 1980 Depois do período de crescimento dos anos 70, que a ditadura militar chamava de milagre econômico, o Brasil enfrentou nos anos 80 o que passou a ser chamado de "década perdida". Naquele período, a economia brasileira enfrentou uma combinação perversa. No cenário internacional, houve uma piora das condições financeiras. Ao mesmo tempo, internamente, o país enfrentou um quadro de baixo crescimento, de descontrole da dívida externa e disparada da inflação. Em 1987, o governo brasileiro chegou a declarar moratória e suspendeu o pagamento de credores internacionais. Se por um lado a dívida externa deixou de ser uma preocupação, o Brasil voltou a enfrentar na última década um quadro de descontrole fiscal, agravado pela queda dos investimentos públicos e privados, e pelo aumento do desemprego. O rombo nas contas do governo foi recorde em 2020, somando R$ 743 bilhões. Esse déficit ajudou a aumentar ainda mais a dívida pública, que saltou de 74,3% para 89,3% do PIB, patamar recorde e considerado elevado para um país emergente. Já a taxa média de desemprego em 2020 foi de 13,5%, a maior já registrada pelo IBGE. "Acho que o desemprego é o maior problema dessa década. E a taxa de desemprego esconde de certa forma o desiludido, o desalentado, aquele que para de procurar emprego e não é contado como desempregado. Você tem um número absurdo de pessoas dependendo de atividades informais”, afirma Considera. Taxa de desemprego bate novo recorde em 2020 Incertezas pela frente A média das projeções do mercado para o crescimento do PIB em 2021 tem sido revisada para baixo e está em 3,29%, segundo a última pesquisa Focus do Banco Central, bem abaixo da expectativa para o crescimento global no ano, estimada em 5,5% pelo Fundo Monetário Internacional (FMI). Parte do mercado não descarta inclusive o risco de uma nova recessão técnica no 1º semestre de 2021 em meio às incertezas sobre o controle da pandemia e as preocupações com o chamado risco fiscal. “Vai ter algum crescimento em 2021, mas é fácil crescer em cima de uma base depauperada como a de 2020. Não vejo que vamos voltar a crescer de forma substancial nos próximos anos”, afirma Considera. O pesquisador avalia que o potencial de crescimento da economia brasileira continua baixo diante da elevada incerteza política, queda da renda das famílias, pouco espaço fiscal para investimento público e nível de ociosidade ainda alto das empresas. “A economia já vinha patinando. Estávamos crescendo com base no consumo de serviços, já não se tinha investimentos... A incerteza política é muito grande, ninguém sabe o que vai acontecer", avalia Considera. Veja Mais

Preço de venda dos imóveis residenciais sobe 0,26% em fevereiro, diz FipeZap

G1 Economia Valor dos imóveis segue em tendência de alta, mas avanço apurado para fevereiro deve ficar abaixo da inflação projetadas pelos analistas para o mês, que é de 0,67%. Prédio em construção no Rio de Janeiro Pilar Olivares/Reuters Os preços de venda dos imóveis residenciais subiram 0,26% em fevereiro, segundo dados divulgados pelo Índice FipeZap nesta quarta-feira (3). Apesar da alta apurada no mês passado, a variação foi menor do que a observada em dezembro (avanço de 0,45%) e janeiro (0,35%). O aumento dos preços dos imóveis também deve ficar abaixo da inflação prevista. Os analistas consultados pela relatório Focus, do Banco Central, projetam uma alta de 0,67% para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerada a inflação oficial do país, para fevereiro - o dado ainda não foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dessa forma, se a projeção para o IPCA se confirmar, os preços de vendas dos imóveis apresentaram queda real de 0,40%. No mês passado, das 16 capitais monitoradas pelo Índice FipeZap, as maiores altas nominais foram apuradas em Maceió (1,48%), Curitiba (1,00%) e Florianópolis (0,88%). Variação do Índice FipeZap Economia G1 No acumulado do ano, o avanço nominal do preço de venda dos imóveis é de 0,62%. Em 12 meses, subiu 3,99%. Metro quadrado O levantamento também apurou que o preço do metro quadrado mais caro foi observado no Rio de Janeiro (R$ 9.494 o metro quadrado), seguida por São Paulo (R$ 9.403) e Brasília (R$ 8.146). Os valores mais baixos estão em Campo Grande (R$ 4.325 o metro quadrado), Goiânia (R$ 4.543) e João Pessoa (R$ 4.582). O FipeZap monitora a variação do preço médio de venda de imóveis residenciais em 50 cidades. Vídeos: Últimas notícias de economia Veja Mais

Últimos dias

Quatro conselheiros da Petrobras pedem para deixar o cargo após troca de comando da estatal

G1 Economia Proposta do governo era que integrantes do conselho continuassem no cargo em uma nova gestão sob comando do general Joaquim Silva e Luna. Quatro conselheiros da Petrobras pedem para deixar o cargo Quatro membros do conselho de administração da Petrobras informaram na noite desta terça-feira (2) que não aceitarão a recondução ao cargo na próxima assembleia geral extraordinária da estatal. São eles: João Cox Neto, Nivio Ziviani, Paulo Cesar de Souza e Silva e Omar Carneiro da Cunha. A decisão ocorre após o presidente Jair Bolsonaro indicar o general Joaquim Silva e Luna no comando da petroleira para o lugar de Roberto Castello Branco por críticas à política de preços da companhia. O mandato de Castello Branco acaba em 20 de março. Troca na Petrobras teve efeito econômico 'ruim', diz ministro Paulo Guedes Nome indicado para comandar Petrobras é diretor da Itaipu e será o primeiro militar a assumir a estatal desde 1989 Em comunicado enviado ao mercado, Cox Neto e Ziviani agradeceram o convite para recondução ao Conselho, mas informaram que não poderão aceitar por "razões pessoais". “Em virtude dos recentes acontecimentos relacionados às alterações na alta administração da Petrobras, e os posicionamentos externados pelo representante maior do acionista controlador da mesma, não me sinto na posição de aceitar a recondução de meu nome como Conselheiro desta renomada empresa, na qual tive o privilégio de servir nos últimos sete meses", acrescentou Carneiro da Cunha Sobrinho, ex-presidente da Shell. Veja Mais

De olho no Clubhouse, Twitter amplia teste de recurso de áudio para celulares Android

G1 Economia Função 'Spaces' permite se reunir em salas de áudio, em formato similar ao do concorrente. Opção de criar salas ainda é limitada para usuários do iPhone. Twitter Spaces são salas em áudio na rede social. Divulgação/Twitter O Twitter disponibilizou nesta terça-feira (2) o recurso de áudio "Spaces" para pessoas que usam Android. A partir de agora será possível participar das conversas como falantes ou ouvintes, mas ainda não é permitido criar uma sala. O "Spaces" é um recurso em testes no Twitter, lançado em dezembro passado. Nele, usuários criam salas de áudio para bater papo ou reunir uma plateia em tempo real. A ideia é muito similar ao Clubhouse, aplicativo exclusivo para iPhone que disparou em interesse no início deste ano e permite conversas apenas por áudio. Saiba mais: O que é Clubhouse Como funciona o Twitter Spaces? As pessoas podem entrar no "Spaces" do Twitter por meio de link compartilhado (via tuítes ou mensagens diretas) ou pela barra dos Fleets (stories da plataforma) quando o contato estiver com o círculo roxo ao redor da foto. Para falar com as outras pessoas, é preciso que o criador da sala autorize – por enquanto, no máximo 10 pessoas podem falar ao mesmo tempo. Já o número de espectadores é ilimitado, mas quem controla o espaço pode remover, denunciar e bloquear outras pessoas. As conversas em áudio não ficam gravadas para que as pessoas possam ouvir depois, mas a plataforma diz manter uma cópia por 30 dias para analisar violações das Regras do Twitter. O Twitter diz que "está trabalhando para oferecer a todas as pessoas a capacidade de criar Spaces" no Android e iPhone em breve. A opção de criar salas ainda é restrita a alguns usuários do celular da Apple. Sala do Twitter Spaces. Divulgação/Twitter Veja Mais

'Empurrar custo' para gerações futuras é o caminho da Venezuela e da Argentina, diz Guedes

G1 Economia Ministro defendeu aprovação da PEC Emergencial, que cria dispositivos para evitar o desequilíbrio fiscal e abre caminho para o pagamento do auxílio emergencial. O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta terça-feira (2) que a tentativa de '"empurrar custo" para gerações futuras é o "caminho da miséria, da Venezuela e da Argentina". Guedes participou de uma entrevista do podcast Primocast. Ele deu a declaração em um momento da entrevista em que defendia a adoção de contrapartidas para novos gastos governamentais. Ele também defendeu a aprovação da proposta de emenda à Constituição conhecida como PEC Emergencial. A equipe econômica vê a aprovação da PEC Emergencial como uma maneira de viabilizar os pagamentos de uma nova rodada do auxílio emergencial. A PEC cria uma série de dispositivos que buscam evitar o desequilíbrio fiscal e que devem ser acionados sempre que os gastos públicos ultrapassarem determinados limites. Desde o início do ano, governo e Congresso discutem maneiras de criar algum tipo de compensação nas contas públicas para os gastos com o auxílio. Para Guedes, a conta não pode ser postergada em forma de dívida pública. “Tentar empurrar o custo para outras gerações, juros começam a subir, acaba o crescimento econômico, endividamento em bola de neve, confiança de investidores desaparece. É o caminho da miséria, da Venezuela, da Argentina”, disse o ministro. O presidente Jair Bolsonaro disse na semana passada que o novo auxílio emergencial deve ser de quatro parcelas de R$ 250. O objetivo é ajudar trabalhadores informais afetados economicamente pela pandemia de Covid-19. Guedes lembrou de medidas que o governo aprovou de contenção de gastos, como a reforma da Previdência, de 2019, e o impedimento de reajuste de salários de servidores durante a pandemia. "Então, toda vez que a gente faz uma coisa aqui, a gente tenta por outro lado pagar a nossa guerra, em vez de fugir covardemente”, continuou o ministro. Veja Mais

Socorro da União aos estados em razão da pandemia foi de R$ 76,9 bilhões em 2020, diz Tesouro

G1 Economia Presidente Jair Bolsonaro publicou lista com repasses de R$ 1,1 trilhão, mas incluiu não só o socorro para a pandemia, como também os repasses regulares. Estados receberam R$ 76,9 bilhões em repasses emergencias da União em 2020 O socorro da União aos estados em razão da pandemia de Covid-19 somou R$ 76,9 bilhões em 2020, segundo dados do Tesouro Nacional. Os valores incluem as transferências diretas ao caixa dos governadores (R$ 37 bilhões), bem como a recomposição do Fundo de Participação dos Estados (R$ 7,4 bilhões) e a suspensão temporária de dívidas com o governo federal (R$ 32,5 bilhões). Dos R$ 37 bilhões em transferências extraordinárias, R$ 7 bilhões tinham de ser destinados exclusivamente para a Saúde. O restante era de uso livre por parte dos governadores. Em valores absolutos, São Paulo (R$ 20 bilhões), Rio Grande do Sul (R$ 8,4 bilhões), Minas Gerais (R$ 7,9 bilhões) e Rio de Janeiro (R$ 7,8 bilhões) foram os estados mais beneficiados (veja a lista completa ao final da reportagem). O presidente Jair Bolsonaro, que tem dito que o governo faz a sua parte no combate à pandemia, publicou nas redes sociais no domingo (28) uma lista com repasses da União para cada estado. Os valores listados por Bolsonaro somam R$ 1,1 trilhão aos estados em 2020, porque incluem todas as transferências feitas a estados e municípios no ano passado. Na conta do presidente, entram tanto os valores obrigatórios, previstos na Constituição Federal, quanto os que foram extraordinários. Também entram os valores do auxílio emergencial, que é feito aos cidadãos elegíveis ao benefício e não aos cofres dos governos locais. No domingo (28), Bolsonaro listou R$ 1,1 trilhão em repasses aos estados Na conta do presidente, entram tanto as transferências regulares (feitas obrigatoriamente todos os anos) quanto as exclusivas da pandemia De acordo com o Tesouro, o socorro voltado exclusivamente para pandemia foi de R$ 76,9 bilhões A postagem rendeu críticas por parte dos governadores, que responderam ao presidente por meio de uma carta aberta. Os mandatários disseram que os repasses são uma "obrigação constitucional" da União e que a parcela efetivamente enviada para a área de saúde foi "absolutamente minoritária". Caixa dos estados Apesar de menor que os números apresentados pelo presidente Jair Bolsonaro, na avaliação do Tesouro Nacional, a ajuda da União foi mais que suficiente para conter o impacto da pandemia nos cofres regionais. Os estados e os municípios fecharam 2020 com quase o dobro de dinheiro em caixa em relação ao ano anterior. O saldo passou de R$ 42,7 bilhões em 2019 para R$ 82,8 bilhões, no fim do ano passado, uma alta de 94%. Trata-se da maior disponibilidade de caixa para prefeitos e governadores em ao menos 19 anos. De acordo com o diagnóstico feito pelo Tesouro Nacional, as transferências aos estados e a suspensão de dívidas com o governo federal começaram a incrementar a arrecadação estadual em março do ano passado. No mês de junho, por exemplo, o ganho na arrecadação foi de R$ 10,9 bilhões. E, em 10 meses, a arrecadação, somada ao socorro da União, foi superior à registrada no mesmo mês de 2019. Além disso, a arrecadação dos estados foi puxada pelo pagamento do auxílio emergencial, que acabou se traduzindo em consumo e, portanto, em recolhimento de impostos. No ano passado, a arrecadação dos estados com ICMS e IPVA foi 2,14% superior a 2019. Em contrapartida, a despesa total dos estados encolheu 4,3% no mesmo período. Em grande medida, isso se deve ao fato de os salários dos servidores terem ficado congelados durante a pandemia. O bom desempenho da arrecadação e a queda dos gastos fizeram com que estados e municípios tivessem o melhor ano da história em termos de resultado primário, com superávit de R$ 38,748 bilhões em 2020. A previsão era que fechassem o ano passado com um déficit de R$ 30,8 bilhões. Já a União amargou um rombo recorde de R$ 702,9 bilhões em 2020. Lista por estado Veja de quanto foi o socorro da União motivado pela pandemia para cada estado em 2020: Socorro da União aos estados Veja Mais

Veja as vagas de emprego oferecidas em Petrolina e Salgueiro nesta terça-feira

G1 Economia Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco Heloise Hamada/G1 Foram divulgadas as vagas de emprego disponíveis nesta terça-feira (02) em Petrolina e Salgueiro, no Sertão de Pernambuco. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco e atualizadas no G1 Petrolina. Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. O atendimento na Agência do Trabalho ocorre apenas com agendamento prévio, feito tanto pelo site da secretaria, quanto pelo Portal Cidadão. Petrolina Contato: (87) 3866 - 6540 Vagas disponíveis Salgueiro Contato: (87) 3871-8467 Vagas disponíveis Vídeos: mais assistidos do Sertão de PE Veja Mais

JBS abre 160 vagas para recém-formados em 38 cidades; veja lista

G1 Economia Relação de municípios inclui Amparo (SP), Jaguariúna (SP), Nova Veneza (SC), Brasília (DF) e Itapiringa (SC). Oportunidades são para cursos de administração, engenharia, medicina veterinária e zootecnia. Inscrições têm início nesta segunda-feira (1°) e vão até o dia 19 de março JBS/Divulgação A empresa de alimentos JBS abriu, nesta segunda-feira (1°), 160 vagas para profissionais recém-formados nos cursos de administração, engenharia, medicina veterinária e zootecnia. Os interessados podem realizar a inscrição até o dia 19 de março pelo site da empresa. As vagas são para moradores de 38 cidades no Distrito Federal (9) e em nove estados: Bahia (5), Mato Grosso (4), Mato Grosso do Sul (22), Minas Gerais (4), Paraná (31), Rio de Janeiro (2), Rio Grande do Sul (25), Santa Catarina (34) e São Paulo (24). Veja, abaixo, a relação dee vagas e cidades. Os interessados precisam ter formação entre dezembro de 2016 e dezembro de 2020. Os candidatos selecionados para a vaga vão atuar nas áreas de produção, agropecuária, manutenção e qualidade nas unidades da Seara espalhadas pelo Brasil. Vagas por cidades Amparo (SP) - 6 vagas Brasília (DF) - 9 vagas Caarapó (MS) - 3 vagas Campo Mourão (PR) - 5 vagas Carambeí (PR) - 1 vaga Caxias do Sul (RS) - 6 vagas Dourados (MS) - 11 vagas Duque de Caxias (RJ) - 2 vagas Forquilhinha (SC) - 4 vagas Garibaldi (RS) - 3 vagas Guapiaçu (SP) - 3 vagas Ipumirim (SC) - 3 vagas Itainópolis (PI) - 4 vagas Itapetininga (SP) - 6 vagas Itapiranga (SC) - 9 vagas Jacarezinho (PR) - 2 vagas Jaguapitã (PR) - 3 vagas Jaguariúna (SP) - 1 vaga Lapa (PR) - 5 vagas Montenegro (RS) - 3 vagas Nova Veneza (SC) - 3 vagas Nuporanga (SP) - 7 vagas Osasco (SP) - 1 vaga Passo Fundo (RS) - 3 vagas Passos (MG) - 2 vagas Rolândia (PR) - 8 vagas Santa fé (PR) - 2 vagas Santo Inácio (PR) - 5 vagas São Gonçalo dos Campos (BA) - 5 vagas São José (SP) - 4 vagas São Miguel do Oeste (SC) - 3 vagas Seara (SC) - 4 vagas Seberi (RS) - 3 vagas Sidrolândia (MS) - 8 vagas Tangará da Serra (MT) - 4 vagas Três Passos (RS) - 1 vaga Trindade do Sul (RS) - 6 vagas Uberaba (MG) - 2 vagas De acordo com a JBS, o objetivo do programa é formar lideranças que sejam aderentes à cultura da companhia. Durante o programa, os profissionais receberão capacitação técnica e de gestão de pessoas. Além disso, os candidatos selecionados começam como analistas e têm a possibilidade de efetivação ao final do programa, dependendo do desempenho individual e disponibilidade de vaga. VÍDEOS: Tudo sobre Campinas e Região Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas Veja Mais

Renault anuncia investimento de R$ 1,1 bilhão no Brasil

G1 Economia Recursos serão utilizados no complexo fabril da montadora no Paraná. A Renault anunciou nesta segunda-feira (1º) investimento de R$ 1,1 bilhão no Brasil que serão usados no complexo fabril da montadora no Paraná. Os recursos serão aplicados em renovação de produtos e na produção de um motor turbo. A companhia afirmou que vai fazer cinco lançamentos de produtos até meados de 2022, incluindo dois veículos elétricos no país. Produção de automóveis da Renault em São José dos Pinhais (PR) Divulgação/Renault "O mercado brasileiro continua sendo estratégico para o Grupo Renault", afirmou em comunicado à imprensa Luiz Fernando Pedrucci, vice-presidente sênior da Renault para a América Latina. O investimento foi anunciado após acordo coletivo de trabalho com sindicato de metalúrgicos de Curitiba válido até 2024, "que trouxe previsibilidade e flexibilidade, fundamentais para a aprovação deste ciclo de investimentos", afirmou a companhia. Vídeos: Últimas notícias de economia Veja Mais

Senhas e mensagens privadas de usuários da rede social Gab são expostas, diz site

G1 Economia Dados de Donald Trump, ex-presidente dos Estados Unidos, estão entre as informações encontradas, segundo o site de notícias norte-americano 'Wired'. VÍDEO: Como acontece um vazamento de dados? Dados de usuários da rede social Gab estão sendo expostos à jornalistas, segundo o site de notícias norte-americano "Wired". Entre as informações vazadas, estaria a senha de Donald Trump, ex-presidente dos Estados Unidos. A Gab é uma plataforma semelhante ao Twitter, que permite postagens de até 300 caracteres. Com regras de moderação diferentes de outras redes sociais, muitos usuários de extrema direita optam por ela sob o mote da "liberdade de expressão". Os dados foram obtidos pelo grupo Distributed Denial of Secrets, que, inspirado no WikiLeaks, explora vulnerabilidades para divulgar informações em denúncias. O grupo declarou que não vai divulgar as informações publicamente devido à sua sensibilidade e que apenas enviará os dados a jornalistas, cientistas sociais e pesquisadores, de acordo com informações obtidas pelo "Wired". Segundo o site, são 70 gigabytes de dados da Gab, o equivalente a mais de 40 milhões de postagens. Entre eles, estariam as publicações dos usuários, bem como, mensagens privadas, contas individuais privadas, senhas de usuários e senhas de grupo. Roubo de contas foi o principal crime financeiro on-line de 2020, diz empresa; veja como se proteger Além de Donald Trump, o "Wired" teve acesso às senhas de outras personalidades dos Estados Unidos, como a congressista republicana, Marjorie Taylor Greene; o CEO do MyPillow, Mike Lindell; e do apresentador de rádio, Alex Jones. Para conseguir os dados, os hackers realizaram uma injeção de SQL no site, uma exploração de uma falha em que o campo de texto do site não diferencia entre a entrada de um usuário e comandos em seu código. Com isso, um hacker pode entrar e interferir em seu banco de dados. Em nota, a Gab declarou que não teve acesso aos dados vazados e que ficou sabendo da invasão por meio de jornalistas. A publicação diz ainda que a vulnerabilidade explorada já era conhecida e, inclusive, teve uma correção lançada na semana passada. De acordo com a empresa, caso o vazamento tenha mesmo acontecido, as senhas não teriam sido vazadas, por causa do uso de hashs (um tipo de embaralhamento de informações via algoritmos) para protegê-las. A publicação também diz que a plataforma coleta poucas informações dos usuários, dificultado a identificação deles em possíveis vazamentos. VÍDEOS: Tire dúvidas sobre vazamento de dados Veja Mais

Bovespa opera em alta no primeiro pregão do mês, após tombo em fevereiro

G1 Economia Na sexta-feira, principal índice da bolsa caiu 1,98%, a 110.035 pontos, menor pontuação de fechamento no ano. Agenda da semana: debates no Congresso devem se concentrar na PEC Emergencial A bolsa de valores brasileira, a B3, opera em alta nesta segunda-feira (1), após acumular tombo de 4,21% em fevereiro, com as atenções voltadas para as negociações sobre a PEC Emergencial. Às 10h20, o Ibovespa subia 1,51%, a 111.695 pontos. Veja mais cotações. Na sexta-feira, o Ibovespa caiu 1,98%, a 110.035 pontos - pior pontuação do índice em 2021. A semana passada fechou com queda de 6,93%, e o mês de fevereiro terminou com tombo de 4,21%. Na parcial do ano, o Ibovespa cai 7,39%. Entenda o que é o Day Trade – e saiba se é possível enriquecer com essa modalidade Variação do Ibovespa em 2021 G1 Economia Cenário O noticiário corporativo destaca novo aumento de preços de combustíveis pela Petrobras. A nova alta vem pouco mais de uma semana após o presidente Jair Bolsonaro pedir a substituição do presidente da petroleira. É a quinta alta do ano nos preços da gasolina, e a quarta no valor do litro do diesel. Com os novos reajustes, o litro da gasolina nas refinarias acumula alta de 41,3% desde o início do ano. Já o diesel subiu 34,16% no mesmo período. O que faz os preços da gasolina e diesel subirem? Permanecem ainda os receios de maior risco fiscal e político após as turbulências provocadas pela decisão do presidente Jair Bolsonaro de trocar o comando da Petrobras. No radar dos investidores também estão as discussões no Congresso sobre a volta do Auxílio Emergencial. O presidente Jair Bolsonaro recebeu na noite de domingo (28), no Palácio da Alvorada, os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG); e os ministros Eduardo Pazuello (Saúde), Paulo Guedes (Economia), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Braga Netto (Casa Civil). Os parlamentares e os ministros conversaram sobre a pauta de votações no Congresso. Eles defenderam a aprovação da PEC Emergencial, em análise no Senado, para que o governo possa pagar novas rodadas do auxílio emergencial já a partir de março. No encontro, Pazuello apresentou ainda um cronograma de entrega de doses de vacinas contra a Covid-19. Veja Mais

Veja as vagas de emprego oferecidas em Petrolina e Salgueiro nesta segunda-feira

G1 Economia Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco Divulgação Foram divulgadas as vagas de emprego disponíveis nesta segunda-feira (01) em Petrolina e Salgueiro, no Sertão de Pernambuco. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco e atualizadas no G1 Petrolina. Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. O atendimento na Agência do Trabalho ocorre apenas com agendamento prévio, feito tanto pelo site da secretaria, quanto pelo Portal Cidadão. Petrolina Contato: (87) 3866 - 6540 Vagas disponíveis Salgueiro Contato: (87) 3871-8467 Vagas disponíveis Vídeos: mais assistidos do Sertão de PE Veja Mais

Piracicaba, Limeira e Santa Bárbara iniciam semana com 215 vagas de emprego abertas

G1 Economia As oportunidades são para diversos setores e níveis de escolaridade; saiba como se candidatar. Piracicaba, Limeira e Santa Bárbara d'Oeste têm 215 vagas de emprego Amanda Perobelli/Reuters Piracicaba (SP), Limeira (SP) e Santa Bárbara d'Oeste (SP) iniciam a semana com 215 vagas de emprego abertas. As oportunidades são para diversos setores, níveis de escolaridade e os interessados podem se candidatar a partir desta segunda-feira (1º). Veja abaixo lista de cargos. Piracicaba - 17 vagas O interessado deve enviar e-mail para entrevistacatpiracicaba@gmail.com, com a indicação da vaga pretendida. É preciso anexar cópias do RG e CPF, além dos comprovantes de eventuais requisitos que o cargo exige. Os detalhes podem ser conferidos no painel de vagas. Ajudante de serralheiro; Eletricista; Ferramenteiro (a); Mecânico (a); Mecânico (a) hidráulico (a) industrial; Médico (a) psiquiatra; Motorista; Motorista de caminhão; Operador (a) de máquinas; Operador (a) de veículo pesado; Pintor (a); Porteiro (a); Psicólogo (a); Terapeuta holístico (a); Torneiro (a) mecânico (a); Vendedor (a). Limeira - 18 vagas Os interessados em se candidatar para qualquer uma das vagas devem enviar o currículo para o e-mail de cada oportunidade. Mais informações estão disponíveis no site da prefeitura. Analista de vibração; Auxiliar técnico (a); Chefe de setor; Empregada (o) doméstica (o); Faxineiro (a); Marmorista; Meio (a) oficial de cozinha; Motorista de caminhão; Operador (a) de empilhadeira; Professor (a) de gestão empresarial; Professor (a) de informática; Programador (a) de CNC; Soldador (a); Técnico (a) instalador; Vendedor (a). Santa Bárbara d'Oeste - 180 vagas O atendimento sobre as oportunidades ocorre por telefone, WhatsApp, e-mail ou presencial, mediante agendamento. O telefone e WhatsApp do Desenvolve S. Bárbara é o (19) 3499-1015, enquanto o e-mail empregos@santabarbara.sp.gov.br. O candidato deve informar RG, CPF e Carteira de Trabalho. Acabador (a) de mármore; Ajudante de tapeceiro; Ajudante geral; Auxiliar de fundição; Auxiliar de produção; Contramestre; Costureira (o); Costureira (o) overloquista; Cromador (a); Empregada (o) doméstica (o); Esmerilhador (o); Fresador (a); Marceneiro (a); Marceneiro (a) sênior; Mecânico (a) de empilhadeira; Mecânico (a) de tear Panter; Meio (a) oficial marceneiro; Montador (a); Motorista carreteiro (a); Operador (a) de CNC; Operador (a) de dobradeira; Operador (a) de torno mecânico; Operador (a) programador (a) de torno CNC; Padeiro (a); Rebarbador (a); Soldador (a); Tecelã (o); Tecelã (o) tear de Rafia; Técnico (a) mecânico (a); Torneiro (a) mecânico (a); Ajudante geral; Auxiliar de serviços gerais; Balconista de açougue; Controlador (a) de acesso; Mecânico (a) diesel; Operador (a) de roçadeira; Polidor (a); Recepcionista; Serralheiro (a); Ajudante de caldeira; Aplicador de adesivo; Armador (a); Assistente de PCP; Auxiliar de expedição; Auxiliar de departamento pessoal; Auxiliar operacional; Caldeirista; Carpinteiro (a); Gerente de vendas; Instalador (a); Líder de açougue; Mecânico (a) automotivo; Medidor (a) técnico (a); Operador (a) de centro de usinagem CNC; Operador (a) de máquina Jigger; Operador (a) de retífica; Revisor (a); Topógrafo (a); Auxiliar de manutenção; Estagiário (a) técnico (a) em mecânica; Preparador (a) torno CNC; Operador (a) de centro de usinagem; Operador (a) de empilhadeira; Operador (a) de veículo pesado; Preparador (a) e operador (a) de torno CNC; Programador (a) centro de usinagem; Retificador (a); Soldador (a); Técnico (a) de enfermagem; Técnico (a) de informática; Técnico (a) em cabeamento; Torneiro (a) de produção; Torneiro (a) mecânico (a); Tosador (a); Vendedor (a); Analista contábil; Assistente de vendas; Assistente fiscal; Auxiliar fiscal; Estagiário (a) administrativo (a); Estagiário (a) de engenharia produção; Estagiário (a) em programação de Delphi; Farmacêutico (a); Supervisor (a) administrativo (a). Reveja os vídeos das reportagens de Piracicaba nesta semana Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba. Veja Mais

Relembre a pesca do mapará, sustento de famílias das ilhas do baixo Tocantins

G1 Economia Peixe saboroso é adorado em toda essa região do Pará e é base da atividade econômica dos ribeirinhos. Relembre a pesca do mapará, sustento de famílias das ilhas do baixo Tocantins Uma região linda da Amazônia, ainda pouco conhecida no restante do Brasil: as ilhas do baixo Tocantins, no Pará. Assista a todos os vídeos do Globo Rural Lá, milhares de famílias de ribeirinhos vivem das riquezas da floresta e da pesca, baseada principalmente no mapará, um peixe saboroso que é adorado em toda a região. O Globo Rural contou essa história em 2016. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural Veja Mais

Cheia dos rios gera prejuízos a produtores do Acre

G1 Economia Nível do rio Iaco está cerca de 2 metros acima da cota de transbordamento, que é de 15 metros. Há perdas nas lavouras e pastagens estão encharcadas. Cheia dos rios gera prejuízos a produtores do Acre As cheias estão trazendo prejuízos para produtores do Acre, como perdas nas lavouras e pastagens encharcadas. Quem vive na região já está acostumado com a cheia dos rios, mas, neste ano, ela chegou com mais intensidade. O nível do rio Iaco está cerca de 2 metros acima da cota de transbordamento, que é de 15 metros. Assista a todos os vídeos do Globo Rural No município de Sena Madureira, por exemplo, a lavoura onde José Carlos Bezerra cultiva couve, alface, mandioca, banana e açaí há 11 anos, ficou destruída. Toda a renda dele e do filho saem dessa atividade. “Eu não tenho ideia, não tenho nem base do valor que eu perdi. Tenho nem ideia do quanto vou gastar pra começar tudo de novo. Eu perdi tudo, por enquanto está tudo embaixo d’água”, diz José. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural Veja Mais

Restaurante especializado em risoto abre filiais durante a crise

G1 Economia Empresários contam o que fizeram para crescer durante o período difícil causado pela pandemia do coronavírus. Restaurante especializado em risoto abre filiais durante a crise Em meio a uma crise sem precedentes, que fez muitos negócios fecharem as portas, uma risoteria de São Paulo conseguiu expandir a operação. Veja todos os vídeos do PEGN O restaurante do Luiz Henrique Gil e do sócio Pedro, especializado em risotos, tinha duas unidades em operação quando a quarentena causada pelo coronavírus foi decretada. De lá pra cá, mais três lojas foram abertas. “A gente teve muito planejamento para implementar esse produto no mercado. Lógico que expandir durante a pandemia tem o seu risco atrelado, mas é o quanto você confia no seu produto”, explica Luiz Henrique. São 12 tipos de risotos, com opções de massas, saladas e grelhados. Para crescer na crise, de acordo com os empresários, a primeira dica é oferecer o que o concorrente ainda não oferece. Os empresários fizeram questão de oferecer no restaurante em shoppings pratos com o mesmo capricho de um restaurante fino. Um risoto rápido, acessível e com uma boa apresentação, que caiu nas graças do público. A consultora de negócios Angelina Stockler destaca que saber a hora certa de arriscar é algo que faz parte do DNA empreendedor. “O empreendedor nato, como o Luiz e o Pedro, ao invés de ter medo de desafio, cresce na crise. Ele entende o problema muito rápido, se adapta muito rápido, e parte para um plano de ação”, explica Angelina. Outra dica é buscar oportunidades no meio da crise. Luiz e Pedro foram atrás de mão de obra qualificada, disponível no mercado porque muita gente ficou sem emprego durante a pandemia. Eles também renegociaram condições com shoppings e fornecedores. Com o modelo de negócio bem estruturado, os sócios agora planejam entrar no mercado de franchising. A meta é encerrar 2021 com 120 unidades. Rice Risoteria Urbano Instagram: @rice_risoteria Shopping Cidade São Paulo Avenida Paulista, 1230 - Bela Vista São Paulo – SP, 01310-100 Telefone: (11) 3595-1230 / (11) 98695-0124 E-mail: atendimentoaocliente@shoppingcidadesp.com.br shoppingcidadesp.com.br Facebook: https://www.facebook.com/shoppingcidadesp/ Instagram: https://www.instagram.com/shoppingcidadesp/ Angelina Stockler– Consultora de Negócios Whatsapp – (11) 950268432 E-mail: angelina.stockler@gmail.com Veja os vídeos mais assistidos do PEGN: Veja Mais

Venda de produtos naturais, vegetarianos e veganos cresce no e-commerce

G1 Economia Shopping virtual reúne 150 lojas do setor e oferece mais de 4 mil itens. Venda de produtos naturais, vegetarianos e veganos cresce no e-commerce A venda de produtos naturais, veganos e vegetarianos é cada vez mais popular no ambiente digital. De olho nesse público exigente, empresários investem na criação de lojas virtuais e marketplaces. Veja todos os vídeos do PEGN Laíza Dalmaso sempre teve dificuldade para encontrar produtos veganos em um só lugar e viu nisso uma oportunidade de negócio. Em sociedade com o marido e os sogros, desenvolveu um shopping virtual que reúne 150 lojas. São mais de 4 mil itens a venda: artigos para casa, roupas, cosméticos, produtos terapêuticos e até para os animais de estimação. O markeplace fica com 15% de comissão sobre cada venda das lojas. A entrega dos produtos é feita pelo próprio lojista. O negócio faturou R$ 140 mil em 2020. A expectativa para 2021 é faturar R$ 1,5 milhão. Este setor merece atenção especial e cada vez tem mais adeptos, segundo o professor de sustentabilidade Marcus Nakagawa. “Um bom exemplo é que temos 30 milhões de brasileiros que são vegetarianos, segundo a Sociedade Brasileira de Vegetarianismo”, afirma. A farmacêutica Daniela Deccache é outro exemplo de quem apostou neste mercado. Ela e o marido lançaram em 2015 uma marca de cosméticos veganos e naturais. As vendas são feitas pelo site próprio da marca e todas as fórmulas são criadas pela Daniela. Os produtos não têm derivados de petróleo, chumbo e alumínio. Em 2020, o casal faturou R$ 65 mil. Para 2021, a meta é faturar R$ 100 mil. Portal Vegano Avenida Garibaldi, 1.114 - Sala 16 - Lancaster Foz do Iguaçu – PR, 85869-488 Telefone: (45) 99152-6684 E-mail: fnd28.machado@gmail.com www.portalvegano.com.br Facebook: oportalvegano Instagram: portalvegano.insta Olin Cosméticos Botânicos Avevida Alberto Braune 12- sala 102, Centro Nova Friburgo – RJ, 28613-000 Telefone: (21) 99645-1906 (whatsapp) e (22) 3066-4273 E-mail: info@olincosmeticos.com www.olincosmeticos.com Facebook: www.facebook.com/olincosmeticos Instagram: @olincosmeticos Veja os vídeos mais assistidos do PEGN: Veja Mais

Produtores de Itapetininga investem no cultivo de figo

G1 Economia Em São Paulo, fruta é encontrada em regiões onde o clima é mais ameno. Produtores de Itapetininga investem no cultivo de figo TV TEM/Reprodução Pomar de figo é algo incomum de ser visto no interior paulista. Isso porque a fruta gosta de clima temperado e acaba se desenvolve bem somente em poucos lugares do estado. Itapetininga (SP) é um desses lugares. Lá o produtor rural Daniel Nache decidiu apostar no cultivo. São cerca de mil pés da fruta. A colheita costuma começar no fim de dezembro e vai até maio. Por ser uma fruta delicada, é preciso bastante cuidado para retirar cada uma do pé. Por isso, nada de máquinas na roça, o trabalho é todo manual. Para conseguir uma fruta mais doce, Daniel explica que o ideal é deixar o figo mais tempo no pé. O pomar tem 13 anos, mas atualmente o produtor tem enfrentado um desafio: o ataque de nematoides, que são vermes pequenos que vivem no solo e que comprometem o desenvolvimento das plantas. (Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 28/02/2021) Produtores de Itapetininga investem no cultivo de figo Para evitar o uso de nematicidas, ele investe na nutrição da raiz das plantas. A boa adubação diminui o impacto causado pelos vermes. Outro problema tem sido a ferrugem, principal doença que ataca as figueiras. A solução encontrada pelo produtor é aplicar calda bordalesa nas folhas. O pó branco é uma mistura de cal com sulfato de cobre. A calda também ajuda a dar mais resistência e durabilidade para a pele do figo. Os frutos novos levam 90 dias pra chegar ao ponto de colheita. Nos últimos meses, o preço dos insumos subiu, elevando bastante o custo de produção. A caixa, que antes era vendida a R$ 15, hoje custa R$ 20. Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes sociais Confira as últimas notícias do Nosso Campo Veja Mais

Aneel mantém bandeira amarela e cobrança extra na conta de luz em março

G1 Economia Agência aponta 'registros significativos' de chuva em fevereiro, mas diz que estoques dos reservatórios ainda estão baixos. Bandeira representa R$ 1,343 adicional para cada 100 kWh. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) manteve nesta sexta-feira (26), pelo terceiro mês seguido, a bandeira tarifária amarela nas contas de luz de todo o país. Essa sinalização representa uma taxa extra de R$ 1,343 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. A cobrança também vigorou em janeiro e fevereiro, em razão da lenta recuperação dos reservatórios de água das hidrelétricas. Em dezembro, a Aneel chegou a aplicar a bandeira vermelha 2, a maior do sistema (entenda abaixo). No anúncio, a Aneel apontou que houve "registros significativos de precipitação nas principais bacias do Sistema Interligado Nacional (SIN)" em fevereiro. Ainda assim, segundo a agência, os principais reservatórios seguem com estoque reduzido em relação ao esperado. O nível baixo dos reservatórios ainda é reflexo da estiagem registrada entre setembro e janeiro, segundo a Aneel. O boletim da agência ressalta que março ainda é um mês da temporada de chuvas, o que pode ajudar na recuperação do quadro. Nível de reservatórios no Centro-Oeste e no Sudeste em janeiro foi o mais baixo para o mês em seis anos O sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo de geração de energia. Com os reservatórios baixos, a perspectiva é de alta no custo da energia já que exige o acionamento de mais térmicas, que geram energia mais cara. O objetivo é informar aos consumidores quando esse custo aumenta, e permitir que eles reduzam o uso para evitar pagar uma conta de luz mais cara. Bandeiras tarifárias Juliane Monteiro/Arte G1 Veja Mais

Banco Central registra lucro de R$ 469 bilhões em 2020

G1 Economia Alta do dólar gerou a maior parte do resultado positivo, por conta da valorização das reservas internacionais. Parte do resultado positivo já foi repassado ao Tesouro para ajudar na administração da dívida pública. O Banco Central informou que registrou um lucro de R$ 469,611 bilhões em 2020. O balanço do BC foi aprovado nesta quinta-feira (26) pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), formado pelos ministros da Economia, pelo secretário especial de Fazenda da pasta e pelo presidente do BC. Segundo o governo, no primeiro semestre de 2020 o BC teve um lucro de R$ 503,22 bilhões, enquanto que, no segundo semestre do ano passado, foi registrado um prejuízo de R$ 33,61 bilhões. Do lucro total do primeiro semestre, a instituição informou que o resultado positivo com as reservas internacionais e derivativos cambiais (contratos de swap), no valor de R$ 478,5 bilhões, foi destinado à constituição de reserva de resultados no patrimônio líquido do BC. Acrescentou que o resultado com as demais operações, ainda nos seis primeiros meses de 2020, no valor de R$ 24,75 bilhões, foi transferido ao Tesouro Nacional em agosto do ano passado. O prejuízo do segundo semestre de 2020, por sua vez, "foi integralmente coberto mediante realização da reserva de resultados do BC", acrescentou a instituição. O Banco Central lembrou que, em agosto do ano passado, o Conselho Monetário Nacional autorizou a transferência de parte dos recursos existentes na reserva de resultados do BC ao Tesouro Nacional, no valor de R$ 325 bilhões, a serem destinados ao pagamento da dívida pública. A ajuda na gestão da dívida pública foi considerada importante em um momento em que o governo aumentou os gastos públicos para combater os efeitos da pandemia do coronavírus, elevando, consequentemente, a necessidade de emissão de títulos em um momento de nervosismo do mercado financeiro. Linha de liquidez com o BC norte-americano O Conselho Monetário Nacional também autorizou o Banco Central a estender o prazo do contrato de "swap" com o Federal Reserve (banco central dos Estados Unidos), de março deste ano até o fim de setembro de 2021. O chamado "swap" é uma linha de liquidez, estabelecida em março do ano passado, por meio da qual os países signatários poderiam buscar recursos no FED em caso de necessidade. Para o Brasil, foram reservados US$ 60 bilhões. "Esta linha não implica condicionalidades de política econômica e amplia os fundos e instrumentos dsponíveis para as operações de provisão de liquidez em dólares pelo BC", acrescentou a instituição. Segundo o BC, essa linha de liquidez "soma-se ao conjunto de instrumentos disponíveis do BC para lidar com a alta volatilidade dos mercados em decorrência da pandemia da Covid-19". Veja Mais

Anatel estima em R$ 35 bilhões o valor do leilão 5G e diz que maior parte será investimento obrigatório

G1 Economia Agência aprovou o edital do leilão na noite de quinta-feira (25). Entre os investimentos previstos para as empresas está a instalação de fibra ótica e a migração do sinal de parabólicas para evitar interferência. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) estima em até R$ 35 bilhões o custo das faixas de frequência do leilão do 5G. A maior parte desse valor, afirmou o presidente da agência Leonardo Euler de Morais, será destinado para obrigações de investimentos. Ou seja, a maior parte desse valor não deve ir para o caixa da União. Euler deu uma coletiva à imprensa nesta sexta-feira (26), junto com o ministro das Comunicações, Fábio Faria. A Anatel aprovou na noite de quinta (25) o edital do leilão de 5G, que agora segue para análise do Tribunal de Contas da União (TCU). A previsão do governo é fazer o leilão até o final de julho deste ano. “Estamos refinando esses dados, mas digamos que a maior parte vai ser destinada a compromissos de investimentos”, disse Euler. “O ministro [da Economia, Paulo] Guedes sempre entendeu a importância de que nós destinássemos esses recursos para mais compromissos de investimentos e não tivéssemos uma abordagem arrecadatória”, completou. Portaria que estabelece diretrizes para o 5G no Brasil é publicada no Diário Oficial O ministro Fábio Faria explicou que entre as obrigações de investimentos estão a destinação de recursos para levar fibra ótica para localidades do Norte e Nordeste, cobertura de rodovias federais com internet móvel e a migração do sinal de TV por antena parabólica para outra faixa de frequência, para garantir acesso à TV gratuita a quem só recebe o sinal por parabólica. No caso das parabólicas, o ministro explicou que a migração para uma nova faixa de frequência é uma solução "efetiva", ao contrário do que mantê-las nas mesmas faixas do 5G e apenas aplicar um filtro para "mitigar" interferências. “Fibra ótica para Norte e Nordeste, com conexão de 10 milhões de pessoas. Cobertura para rodovias federais, que também colocamos no leilão, levar internet para todas as localidades acima de 600 pessoas. A migração em vez da mitigação [no caso das parabólicas] para ter uma solução eterna e efetiva. Se a gente pode realmente realizar um serviço que vai resolver de uma vez por todas, porque colocar um filtro para mitigar? Eu acho que é importante, com o tempo vamos conseguir limpar a faixa e será mais um ativo da Anatel”, afirmou Faria. Transferência de parabólicas O edital aprovado determina que o sinal das TVs por parabólicas passe da faixa de 3,5 GHz, que será usada no 5G, para a banda Ku. Essa solução era defendida pelas emissoras comerciais de TV, que entendem ser uma medida mais permanente, garantindo que o sinal da TV gratuita continue chegando a brasileiros que só tem acesso ao sinal por parabólica, como os que vivem no interior do país. A transferência do sinal das parabólicas inclui a distribuição e instalação de kits que permitam a recepção do sinal das parabólicas transmitido na Banda Ku. Essa solução é parecida com a adotada no leilão do 4G, que levou à desocupação da faixa de 700 MHz, e exigiu a distribuição de kits de TV digital para parte da população. VÍDEOS: veja mais notícias de tecnologia Veja Mais

País perde 1,5 milhão de trabalhadores domésticos em 1 ano, aponta IBGE

G1 Economia Na média anual de 2020, houve queda de 19,2%, sendo a maior retração da série histórica iniciada em 2012. Em meio à pandemia de coronavírus, o número de trabalhadores domésticos no país somou 4,9 milhões no 4º trimestre de 2020, o que representa uma queda de 22,9% (menos 1,5 milhão) frente ao mesmo período do ano anterior, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada nesta sexta-feira (26) pelo IBGE. Na média anual, houve queda de 19,2% em relação a 2019, sendo a maior retração dessa população na série histórica iniciada em 2012. Desemprego cai para 13,9% no 4º trimestre, mas taxa média em 2020 é a maior já registrada Renda domiciliar per capita caiu em 2020, para R$ 1.380, diz IBGE No final de 2019, o país tinha 6,4 milhões de brasileiros trabalhando como domésticos. Os números do IBGE mostram, porém, um leve recuperação no final do ano passado. Na comparação com o 3º trimestre, o número de trabalhadores domésticos aumentou 6,3% (290 mil pessoas a mais). Dos 4,9 milhões brasileiros que trabalhavam como domésticos no final de 2020, apenas 1 em cada 4 (1,281 milhão) tinham carteira assinada, segundo o IBGE. Taxa de desemprego fica em 13,9% no quarto trimestre de 2020, diz IBGE Veja Mais

Contas públicas têm superávit recorde de R$ 58 bilhões para meses de janeiro, diz Banco Central

G1 Economia Esse também foi o primeiro resultado positivo das contas do setor público em três meses. Apesar disso, a dívida pública subiu para 89,7% do PIB no mês passado, índice mais alto da série. As contas do setor público consolidado registraram superávit primário de R$ 58,375 bilhões em janeiro, informou o Banco Central nesta sexta-feira (26). Os dados englobam as contas do governo federal, estados, municípios e empresas estatais. O superávit primário é registrado quando as receitas de impostos e contribuições do governo são maiores que as despesas. A conta não inclui, porém, os gastos com o pagamento dos juros da dívida pública. De acordo com a instituição, esse foi o melhor resultado para meses de janeiro desde o início da série histórica do Banco Central, em dezembro de 2001. Segundo dados oficiais, esse também foi o primeiro resultado positivo desde outubro do ano passado, ou seja, em três meses. A melhora nas contas públicas está relacionada à arrecadação de tributos, que embora tenha caído 1,5% na comparação com janeiro do ano passado, apresentou bom desempenho na comparação com anos anteriores. Além disso, como o orçamento deste ano ainda não foi aprovado, o ritmo de gastos públicos também está mais lento do que o usual neste começo de ano. Para este ano, o setor público tem de cumprir uma meta de rombo fiscal (déficit primário) de até R$ 250,89 bilhões. Em todo o ano passado, por influência da pandemia de Covid-19, o resultado negativo bateu recorde ao somar R$ 702,9 bilhões. Estados e municípios De acordo com dados do Banco Central, o resultado positivo das contas públicas em janeiro está relacionado com o desempenho do governo, estados, municípios e das empresas estatais. No mês passado, o governo federal registrou um superávit primário de R$ 43,156 bilhões. Os estados e municípios apresentaram saldo positivo de R$ 14,772 bilhões e as empresas estatais de R$ 446 milhões. Gastos com juros Quando se incorporam os juros da dívida pública na conta – no conceito conhecido no mercado como resultado nominal, utilizado para comparação internacional – houve superávit de R$ 17,928 bilhões nas contas do setor público em janeiro. Em 12 meses até janeiro deste ano, porém, o resultado ficou negativo (déficit nominal) em R$ 1,016 trilhão, o equivalente a 13,67% do PIB – valor alto para padrões internacionais e economias emergentes. Esse número é acompanhado pelas agências de classificação de risco para a definição da nota de crédito dos países, indicador levado em consideração por investidores. O resultado nominal das contas do setor público sofre impacto do déficit primário elevado, das atuações do BC no câmbio, e dos juros básicos da economia (Selic) fixados pela instituição para conter a inflação. Atualmente, a Selic está em 2% ao ano, na mínima histórica. Dívida bruta A dívida bruta do setor público brasileiro, indicador que também é acompanhado com atenção pelas agências de classificação de risco, subiu novamente em janeiro. Em dezembro do ano passado, a dívida estava em 89,2% do PIB (valor revisado), somando R$ 6,61 trilhões. Em janeiro deste ano, atingiu novo recorde ao avançar para 89,7% do PIB, o equivalente a R$ 6,67 trilhões, informou o Banco Central. Nesta quinta-feira, o Tesouro Nacional avaliou que a dívida pública brasileira, em quase 90% do PIB, está "muito acima da média dos países emergentes, que é de 62% do PIB". A instituição pediu continuidade do ajuste das contas públicas. Para isso, defendeu a manutenção da regra do teto de gastos, que limita a maior parte das despesas à variação da inflação do ano anterior, e a aprovação da PEC emergencial — que traz a extensão do auxílio emergencial com contrapartidas (contenção de gastos públicos). A PEC está tramitando no Senado Federal. Veja Mais

Vinhedo divulga datas de provas para concurso público com 158 vagas; veja divisão por função

G1 Economia A prefeitura dividiu os exames em três dias diferentes para evitar o risco de contaminação da Covid-19 entre os candidatos. Concurso foi aberto no ano passado, mas foi adiado por conta da pandemia. Prefeitura de Vinhedo divulga datas para concurso público com 158 vagas Erick Leite / Prefeitura Vinhedo A Prefeitura de Vinhedo (SP) aplicará provas do concurso público da administração municipal aberto em 2020 nos dias 21 de março, 11 e 25 de abril. Ao todo, são 158 vagas abertas e as datas escalonadas foram divulgadas pela administração esta semana. O processo foi iniciado em abril do ano passado, mas precisou ser adiado por causa da pandemia do coronavírus. Desde o adiamento, houve mudanças no edital. Na terça-feira (23), a prefeitura divulgou detalhes sobre a aplicação das provas e a adoção de medidas sanitárias. O candidato pode conferir o local, sala e horário de prova na "Área do Candidato", no site do Avança SP. Abaixo, veja as especialidades que realizam prova em cada dia. É necessário comparecer ao local com uma hora de antecedência, portando documento de identidade oficial com foto, comprovante de Inscrição e/ou cartão de convocação e caneta esferográfica de tinta azul ou preta. Documentos digitais não serão aceitos. O certame tem validade de dois anos a partir da data de publicação do resultado final. Há possibilidade de renovação do contrato por mais dois anos. Medidas de prevenção É obrigatório o uso de máscara. A higienização das mãos com álcool em gel deve ser constante, assim como a manutenção do distanciamento social. O candidato pode usar luva plástica transparente caso desejar. Provas Todos os candidatos realizarão prova objetiva em caráter eliminatório e classificatório. O nível de escolaridade requisitado varia de acordo com o cargo. Haverá prova de títulos para cargos de dentistas, enfermeiros, médicos e professores. Já eletricistas, operadores de máquinas rodoviárias, motoristas de veículos de carga e de veículos de passageiros terão de fazer prova prática. O horário efetivo de início da prova e sua duração serão definidos em cada sala, após os devidos esclarecimentos sobre sua aplicação. O exame será aplicado em dois horários por dia. Confira a divisão de cursos por data de prova 21 de março de 2021, às 9h Enfermeiro de Nível Universitário Dentista Clínico Geral Farmacêutico Fisioterapeuta Médico Veterinário Enfermeiro do Programa Saúde da Família Médico Plantonista de Pronto Atendimento - Clínico Geral Terapeuta Ocupacional Dentista Endodontista Médico Plantonista de Pronto atendimento – Pediatra Dentista Buco-Maxilo- Facial Fonoaudiólogo Médico Pediatra Médico Clínico Geral Médico Ortopedista Dentista Cirurgião Protesista Dentista Periodontista Médico Ginecologista Médico Dermatologista Dentista (Odontológico para pacientes com necessidades especiais) Médico Oftalmologista Dentista Semiologista Estomatologista Médico Otorrinolaringologista Médico Psiquiatra Médico Ultrassonografista Médico de Saúde da Família Médico Cardiologista Médico Vascular Médico Infectologista Médico Endocrinologista Médico Neurologista Médico Reumatologista Médico Neuropediatra Médico Geriatra Médico Pneumologista Médico Psiquiatra Infantil 21 de março de 2021, às 13h30 Agente Comunitário de Saúde (Centro) Agente Comunitário de Saúde (Capela) Agente Comunitário de Saúde (Vila João XXIII) Agente Comunitário de Saúde (Jardim Três Irmãos) Agente Comunitário de Saúde (Jardim São Matheus) Atendente de Consultório Dentário Agente de Trânsito Cuidador Escriturário Fiscal de Rendas Técnico de Enfermagem Técnico de Farmácia Topógrafo 11 de abril de 2021, às 9h Preparador Físico Professor de Educação Especial – Deficiência Auditiva Professor de Educação Especial – Deficiência Intelectual Professor de Educação Especial – Deficiência Visual Professor de Ensino Fundamental I – PEB I - Ensino Fundamental Professor de Ensino Fundamental II – Ciências Professor de Ensino Fundamental II – Educação Artística Professor de Ensino Fundamental II – Educação Física Professor de Ensino Fundamental II – Geografia Professor de Ensino Fundamental II – História Professor de Ensino Fundamental II – Inglês Professor de Ensino Fundamental II – Língua Portuguesa Professor de Ensino Fundamental II – Matemática Psicólogo Psicopedagogo 11 de abril de 2021, às 13h30 Almoxarife Auxiliar de Educação Infantil Desenhista Projetista Fiscal de Obras Fiscal Sanitário Inspetor de Alunos Oficial de Escola Professor de Ensino Fundamental I – PEB I – EI (Ensino Infantil) Secretário de Escola Técnico de Rede 25 de abril de 2021, às 9h Ajudante de Caminhão Arquiteto Auxiliar de Encanador Auxiliar de Mecânico Bibliotecário Carpinteiro Contador Coveiro Eletricista Encanador Jardineiro Lavador de Autos Mecânico Motorista de Veículos de Carga Motorista de Veículos de Passageiros Operador de Máquinas Rodoviárias Pedreiro Pintor Recepcionista Serralheiro Servente de Pedreiro Serviços Gerais Trabalhador Braçal 25 de abril de 2021, às 13h30 Auxiliar Administrativo Advogado Auxiliar de Almoxarifado Engenheiro Civil Custo/Orçamentista Veja mais notícias da região no G1 Campinas Veja Mais

Vale reverte prejuízo e lucra R$ 26,7 bilhões em 2020

G1 Economia No quarto trimestre, mineradora registrou R$ 4,825 bilhões de lucro,ante prejuízo de R$ 6,408 bilhões no mesmo período do ano passado. Logotipo da Vale em sede da empresa no Rio de Janeiro Ricardo Moraes/Reuters A Vale informou nesta quinta-feira (25) que reverteu o prejuízo de R$ 6,6 bilhões apurado em 2019 e registrou lucro de R$ 26,7 bilhões no ano passado. No quarto trimestre, a mineradora registrou R$ 4, 825 bilhões de lucro, ante prejuízo de R$ 6,408 bilhões no mesmo período do ano passado. No terceiro trimestre deste ano, no entanto, o lucro foi de R$ 15, 615 bilhões. Segundo a empresa, o resultado foi impactado principalmente por maiores despesas relacionadas ao rompimento de barragem em Brumadinho (MG), seguindo o Acordo Global para reparação, em meio a ganhos fortes no segmento de minério de ferro. A receita operacional líquida da mineradora totalizou R$ 208,5 bilhões em 2020, o que representa um aumento de R$ 59,9 bilhões em relação a 2019. O resultado, segundo a empresa, é efeito da desvalorização de 30,7% do real frente ao dólar. O Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado, por sua vez, totalizou R$ 87,3 bilhões em 2020, representando um aumento de R$ 45 bilhões em comparação ao valor de R$ 42,3 bilhões registrado em 2019. De acordo com a Vale, em 2020, os investimentos totalizaram US$ 4,430 bilhões, sendo US$ 522 milhões na execução de projetos e US$ 3,908 bilhões na manutenção das operações. O montante foi 20% superior ao aportado em 2019. Caso Brumadinho No relatório financeiro, a mineradora informou também que custos e despesas registrados em 2020, que incluem o caso Brumadinho, totalizaram R$ 151 bilhões, 18% do registrado em 2019 (R$ 7,3 bilhões). Vale assina acordo de R$ 37,68 bilhões para reparar tragédia de Brumadinho Segundo a Vale, o aumento ocorreu em função do efeito negativo da desvalorização do real frente ao dólar e de maiores custos de aquisição de minério de ferro de terceiros. Espera-se que a dívida líquida expandida continue com tendência de queda para US$ 10 bilhões, nível alvo de longo prazo, à medida que a empresa continua a gerar caixa e pagar suas obrigações com Refis, Brumadinho, Renova e Samarco, informou a minedora. Vídeos: Últimas notícias de economia Veja Mais

STF decide que é válida lei estadual do Rio que protege consumidor do telemarketing

G1 Economia No julgamento, ministros reclamaram desse tipo de ligação. Supremo manteve a norma, que obriga empresas a criar cadastro para reunir os consumidores que não querem receber ligações. O Supremo Tribunal Federal decidiu nesta quinta-feira (25) manter uma lei do Rio de Janeiro que protege o consumidor das ligações de operadores de telemarketing. A norma estadual obriga empresas de telefonia fixa e móvel a elaborarem um cadastro especial de assinantes que se manifestarem contra o recebimento de chamadas de telemarketing para comercialização de produtos e serviços. Os ministros rejeitaram uma ação proposta pela Associação Brasileira de Concessionárias de Serviços Telefônico Fixo que questionava a lei. A entidade argumentou que cabe à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) a atribuição de disciplinar regras entre concessionários e usuários. Também sustentou que a agência já possui um serviço para impedir as ligações indesejadas de telemarketing, sem necessidade, portanto, de que leis estaduais que tratem da questão. Procon-SP registra aumento de 110% nas reclamações sobre ligações de telemarketing O relator do processo, ministro Marco Aurélio Mello, defendeu a atuação da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro , que, segundo ele, legislou para garantir a proteção do consumidor de forma suplementar. De acordo com o ministro, não houve invasão da competência da União. Marco Aurélio Mello disse que é "bombardeado" por ligações indesejadas e que “o pobre consumidor não pode sequer dizer desaforos ao telefone porque do outro lado está um robô". Alexandre de Moraes e o presidente do STF, Luiz Fux, também reforçaram as queixas do relator. "Duvido que alguém já não tenha se irritado com essas ligações de telemarketing", disse Moraes. Fux contou que em um único dia recebeu 11 ligações com oferta de um serviço de uma instituição financeira. ‘Não me perturbe’: 240 mil pessoas bloqueiam ligações com ofertas de crédito Divergiram os ministros Nunes Marques, Luís Roberto Barroso e Gilmar Mendes. Barroso, por exemplo, defendeu que o Supremo já entendeu em julgamento anterior que a competência em relação a serviço de telecomunicações da União. Ele considerou, no entanto, que está de acordo com a Constituição o trecho da lei que prevê a possibilidade da oferta de produtos e serviços durante a semana, no horário comercial, mas proíbe essas ligações em qualquer horário nos sábados, domingos e feriados. "De modo que eu considero formalmente inconstitucional, por invasão da competência da União, a parte desta lei do estado do Rio de Janeiro que trata dessa matéria. Porém, no que diz respeito ao telemarketing, em fixar que seja em dias úteis, em horário determinado e com identificação da chamada, não considero mais que seja tema afeto às telecomunicações, mas a um meio específico de propaganda. Aí eu considero existir competência concorrente dos estados", disse Barroso. VÍDEOS: notícias de economia Veja Mais

Ônibus sem motorista circula em cidade do Sul da Espanha

G1 Economia Veículo tem sensores, câmeras e é 100% elétrico e começou a circular no sábado para fazer um trajeto que une o porto ao centro da cidade de Málaga. Motorista da empresa de ônibus Avanza, Cristobal Maldonado, supervisiona ônibus elétrico de piloto automático, durante fase de teste de um mês com passageiros em Málaga, Espanha / 24 de fevereiro de 2021 Jon Nazca/Reuters Um ônibus sem motorista começou a circular nas ruas de Málaga, sul da Espanha, em um projeto inédito na Europa. Dotado de sensores e câmeras, este ônibus 100% elétrico entrou em serviço no sábado, para fazer um trajeto que une o porto ao centro da cidade andaluza: um circuito de 8 km que ele faz por seis dias na semana. "O ônibus sabe em cada momento onde está, sabe em cada momento tudo o que tem ao seu redor", explicou à AFP Rafael Durbán Carmona, diretor da divisão sul da sociedade Avanza, líder do consórcio público-privado responsável pelo projeto. Ônibus elétrico autônomo viaja em modo de piloto automático ao longo de uma rua durante uma fase de teste com passageiros em Málaga, Espanha. Fevereiro Jon Nazca/Reuters O veículo "pode interagir com as infraestruturas, com os semáforos", que também estão equipados com sensores que indicam quando estão vermelhos, apontou. O ônibus também tem um dispositivo de inteligência artificial que lhe permite melhorar suas "decisões" em função dos dados que coleta ao longo do trajeto. Desenvolvido pela empresa espanhola Irizar, se parece com outro ônibus qualquer: mede doze metros de comprimento e pode levar 60 passageiros. A Europa viu outros projetos de veículos autônomos, como na França ou na Estônia, mas nenhum que envolva um ônibus urbano de tamanho normal que ocupe as mesmas ruas que outros automóveis. A legislação espanhola não autoriza que um veículo circule sem alguém para conduzi-lo, portanto um motorista ocupa o assento sem tocar no volante ou nos pedais. Sua tarefa consiste em, excepcional e ligeiramente, corrigir a trajetória, como por exemplo ao chegar a uma rotatória. VÍDEOS: segurança digital Veja Mais

Troca na Petrobras teve efeito econômico 'ruim', diz ministro Paulo Guedes

G1 Economia Ministro da Economia afirmou que mudança determinada por Bolsonaro na presidência da estatal faz sentido do ponto de vista político e é resposta a revindicações dos caminhoneiros. O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta terça-feira (2) que a mudança do presidente da Petrobras foi "ruim" do ponto de vista econômico, mas ressalvou que entende a "lógica política" da decisão do presidente Jair Bolsonaro. No último dia 19, um dia após criticar a alta nos preços dos combustíveis, Bolsonaro anunciou a indicação do general Joaquim Silva e Luna para o lugar de Roberto Castello Branco na presidência da Petrobras, escolhido por Guedes. A decisão foi tomada depois de críticas de Jair Bolsonaro à gestão da Petrobras e às sucessivas altas no preço dos combustíveis. O anúncio provocou efeito negativo na bolsa de valores, e o preço das ações da estatal despencou. Petrobras reajusta mais uma vez o preço dos combustíveis nas refinarias nesta terça (2) Além de anunciar a troca no comando da Petrobras o presidente também zerou, por dois meses, todos os impostos federais incidentes sob o óleo diesel. O decreto que zerou a alíquota do PIS e Cofins foi publicado na segunda-feira. “É compreensível do ponto de vista político. Do ponto de vista econômico, o efeito foi ruim, essa foi a nossa conversa interna. O presidente sabe o que eu penso, eu sei o que o presidente pensa”, afirmou durante entrevista à rádio Jovem Pan. Guedes disse que a troca foi uma "satisfação" aos caminhoneiros, que se queixam da alta nos preços do diesel e são “eleitores típicos”, segundo o ministro, de Bolsonaro. “Para o público caminhoneiro, que é um público que é associado ao presidente Bolsonaro, são eleitores típicos, fiéis do presidente Bolsonaro, o presidente deu uma satisfação: 'Tirei o cara que disse que não liga para vocês e tirei todos os impostos. Estou eliminando os impostos'", afirmou. Guedes disse que o governo está tentando fazer isso da forma mais correta possível. Guedes culpou o excesso de estatais pela polêmica com o preço dos combustíveis. “O governo puxou para si a bomba de controlar o preço. O povo acha que o governo que manda, que é a Petrobras. Isso é um problema político sério”, disse. Para o ministro, ter estatal com ações na bolsa é uma anomalia. “Não é tatu nem cobra”. Veja Mais

Imposto de Renda 2021: programa ao vivo tira dúvidas sobre a declaração

G1 Economia A partir das 19h de quarta-feira (3), o especialista Antonio Gil, da EY, vai responder as perguntas dos contribuintes em programa ao vivo, neste link. Imposto de Renda 2021: programa ao vivo tira dúvidas sobre a declaração A partir das 19h de quarta-feira (3), o especialista Antonio Gil, da EY, vai responder as perguntas dos contribuintes em programa ao vivo, neste link. Programa vai ao ar na quarta-feira (3), a partir das 19h. Mande sua pergunta pelos comentários Veja Mais

Venda de veículos novos no Brasil volta a mostrar queda em fevereiro

G1 Economia Emplacamentos recuaram 2,2% no comparativo com janeiro e 16,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. Fábrica da Chevrolet em São Caetano do Sul, SP Divulgação As vendas de veículos novos no Brasil voltaram a recuar em fevereiro, segundo dados da associação de concessionários Fenabrave divulgados nesta terça-feira (2). Os emplacamentos recuaram 2,2% no comparativo com janeiro e 16,7% em relação a fevereiro do ano passado, para 167,38 mil carros, comerciais leves, caminhões e ônibus. Com isso, no primeiro bimestre o setor mostra retração de 14,2% ante mesma etapa de 2020, a 338,5 mil veículos emplacados. Renault anuncia investimento de R$ 1,1 bilhão no Brasil Além de restrições à comercialização por causa de retorno de medidas de isolamento social em muitas cidades do país, o setor aponta falta de componentes como entrave à oferta. "A falta de disponibilidade de peças e componentes ainda persiste, fazendo com que algumas fábricas tivessem de paralisar, temporariamente, a produção em fevereiro, afetando, de forma importante, a oferta de produtos", disse em comunicado o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior. Considerando apenas o Estado de São Paulo, os dados da entidade apontam para licenciamentos de 38.262 carros e comerciais leves em fevereiro, ante 52.235 unidades emplacadas no mesmo período de 2020. Com isso, o acumulado de vendas no primeiro bimestre no maior mercado de veículos do país aponta queda de 19,4% na comparação anual. Vendas de veículos despencam em 2020 na maior queda em 5 anos, segundo Fenabrave O mercado global de veículos tem sido afetado por escassez de chips, decorre de fatores incluindo fechamento de unidades de produção por dois meses por causa da pandemia e aumento na demanda do setor de eletrônicos de consumo, também gerada por impactos das medidas de isolamento social. Na véspera, o sindicato de metalúrgicos de São José dos Campos (SP) afirmou que a General Motors anunciou plano para layoff de 600 funcionários da fábrica na região, citando falta de peças para produção. Anúncio de saída da Ford do Brasil completa um mês; Dieese estima perda de 119 mil postos de trabalho A escassez de microprocessadores deverá reduzir a produção global de veículos no primeiro trimestre em mais de 670 mil unidades e deve durar até o terceiro trimestre, segundo dados da empresa de pesquisa de mercado IHS Markit. Já a AutoForecast Solutions atualizou em fevereiro estimativa para perda de produção de quase 1,3 milhão de veículos este ano pela indústria global de veículos. Veja Mais

TikTok cria conselho externo na Europa auxiliar em regras de moderação de conteúdo

G1 Economia Iniciativa irá ajudar a definir regras e iniciativas que tratem sobre saúde mental, segurança de menores e extremismo. Logo do aplicativo TikTok Dado Ruvic/Reuters O TikTok anunciou nesta terça-feira (2) que irá criar um conselho com especialistas independentes na Europa para ajudar a definir regras sobre moderação de conteúdo relacionados a segurança de menores, saúde mental e extremismo. O conselho terá especialistas de universidades e da sociedade civil de vários países europeus, como Reino Unido, Alemanha, França e Finlândia. A iniciativa acontece pouco depois da morte de uma menina de 10 anos na Itália, supostamente ligada a um desafio do TikTok no qual os usuários tinham que prender a respiração. O aplicativo anunciou um bloqueio mais restritivo para o cadastro de menores de 13 anos na Itália, se comprometendo a verificar todas as contas, e apenas autorizar o uso daqueles que comprovem ter a idade mínima. O aplicativo também foi acusado em fevereiro por um órgão de defesa dos consumidores na Europa de ter "termos enganosos" e "ambíguos" e de falhar em proteger crianças e adolescentes de conteúdos potencialmente nocivos. Esse não é o primeiro conselho formado pelo TikTok – em 2020, a plataforma também reuniu especialistas nos EUA após as autoridades do país questionar problemas de segurança e desinformação. O conselho europeu, por outro lado, será focado em ações anti-bullying, saúde mental, abuso de crianças, extremismo e crimes de discriminação na plataforma. Apesar do formato lembrar o Conselho de Supervisão do Facebook, os moldes são diferentes, já que as decisões do comitê do TikTok não são obrigatórias. TikTok: o aplicativo chinês que conquistou milhões de usuários Veja Mais

Recuperação da economia perde ritmo e maioria dos componentes do PIB ainda não eliminou perdas

G1 Economia Levantamento da FGV mostra setores com maiores quedas em 2020. Resultado oficial do PIB será divulgado pelo IBGE na quarta-feira (3) e expectativa é de tombo da ordem de 4%. Ritmo de recuperação da economia desacelerou no 4º trimestre e analistas projetam uma retração do PIB no 1º trimestre de 2021. Na foto, pessoas caminham no Centro do Rio de Janeiro, em imagem de 23 de dezembro de 2020. Pilar Olivares/Reuters O ritmo de recuperação da economia brasileira desacelerou na reta final de 2020 – e a maioria dos componentes do PIB (Produto Interno Bruto) virou o ano sem ter conseguido eliminar as perdas da primeira onda da Covid-19. O setor de serviços foi o mais afetado pela pandemia ainda não controlada no país e pela impossibilidade de pleno retorno das atividades. Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV), 7 das 13 principais atividades da oferta e da demanda, incluindo o consumo das famílias, encerraram 2020 abaixo do patamar do final de março do ano passado, quando começaram a ser anunciadas as primeiras medidas para conter a propagação do coronavírus. Pelas projeções do Ibre/FGV, a economia brasileira cresceu 2,5% no 4º trimestre, após avanço de 7,7% no 3º trimestre. No ano de 2020, porém, o tombo do PIB foi estimado em 4,3%. “O 3º trimestre foi bem forte. No 4º trimestre, o crescimento já foi bem menor, o que é natural por conta da base de comparação. Agora, neste 1º trimestre, estamos vendo uma desaceleração significativa com o cenário de retirada dos auxílios do governo. Ao invés de crescer, o PIB provavelmente vai retrair”, afirma Luana Miranda, economista do Ibre. Os números oficiais de 2020 do PIB, que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, serão divulgados nesta quarta-feira (3) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pela leitura do Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) do Banco Central, que é considerado uma "prévia" do PIB, a retração da economia em 2020 foi de 4,05%. Confirmadas as projeções, será a maior contração anual desde o início da série histórica do IBGE, que começou em 1996, superando o tombo de 3,5% registrado em 2015 – o maior até então. Economistas ouvidos pelo G1 avaliam que uma retomada em 2021 continua dependendo da redução das incertezas domésticas, da vacinação em massa da população e do controle da pandemia, que já deixou 250 mil mortos no Brasil e atingiu nos últimos dias o seu pior momento no país. Projeções do Ibre/FGV para o tombo de 2020, para o resultado do 4º trimestre e para o que faltaria para crescer no 1º trimestre de 2021 para recuperar o patamar pré-pandemia Economia G1 Principais quedas e destaques de recuperação O levantamento feito pelo Ibre mostra que praticamente todos os setores fecharam 2020 no vermelho, com o agropecuária e a indústria extrativa sendo as exceções de crescimento no ano, favorecidos pela alta dos preços das commodities no mercado internacional e pelo impacto do dólar mais alto na receita das exportações de produtos como soja e minério de ferro. O consumo das famílias, que tem sido nos últimos anos o principal motor da economia, registrou uma taxa de retração de 5,6% em 2020 e, pelos cálculos do Ibre, precisaria crescer 1,7% no 1º trimestre na comparação com o 4º trimestre para voltar ao nível que se encontrava antes do início da crise do coronavírus. O setor de serviços, que representa cerca de 70% do PIB do país, e a construção civil também tiveram quedas maiores que a da economia brasileira em 2020, virando o ano ainda distantes do nível pré-Covid. Já entre os componentes do PIB que conseguiram ao menos eliminar as perdas da primeira onda do coronavírus, os destaques foram a indústria e comércio, favorecidos principalmente pelo impacto do Auxílio Emergencial, que teve um custo da ordem de R$ 300 bilhões para os cofres públicos. “A recuperação da indústria e do comércio foi surpreendente ao longo do segundo semestre, mas teve um impacto muito grande do crescimento da massa de rendimentos, que cresceu mais de 3%”, destaca Miranda. De acordo com o Ibre, sem as políticas de transferência de renda – Auxílio Emergencial, Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm) e saques do FGTS –, a massa ampliada de rendimentos teria caído 5,7% no ano passado. Impactos do Auxílio Emergencial O economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale, estima que o dinheiro repassado pelo governo às famílias mais vulneráveis teve um impacto de 2,5 pontos percentuais no resultado do PIB de 2020. "Estamos falando de um PIB que poderia cair em torno de 6,5% se não tivesse o Auxílio Emergencial. O tombo em 2020 foi menor do que se imaginava inicialmente, mas com um alto custo do ponto de vista fiscal. Agora, a gente precisa pagar a conta, ao mesmo tempo em que a pandemia ainda não foi embora", afirma. Por conta dos gastos extraordinários para amenizar os efeitos da pandemia, o rombo nas contas do governo foi recorde em 2020, somando R$ 743 bilhões. Esse déficit ajudou a aumentar ainda mais a dívida pública, que saltou de 74,3% para 89,3% do PIB, patamar recorde e considerado elevado para um país emergente. Evolução do PIB do Brasil e projeções Economia G1 PIB deve ter queda no 1º trimestre O fim dos programas de auxílio sem substitutos definidos, a falta de vacinas, a inflação "mais salgada" e as preocupações com a trajetória do endividamento público têm pesado na economia neste começo de ano e abalado a confiança de consumidores e empresários. A consultoria GO Associados estima que o fim do Auxílio Emergencial tenha um impacto negativo de 1,52% no resultado do PIB do 1º trimestre e projeta uma retração de 1% na comparação com o 4º trimestre. O Ibre prevê uma queda de 0,4% do PIB no 1º trimestre, já levando em conta uma nova rodada do Auxílio emergencial a partir de março. Já a MB Associados espera uma queda de 0,8% e não descarta uma taxa negativa também no 2º trimestre, o que configuraria uma recessão técnica. "Estamos chegando em março e a vacina só chegou a 3% da população. Vai ser muito lento provavelmente ainda nos próximos 4 meses, então vejo uma chance grande de uma queda de PIB nos dois primeiros trimestres por conta desse cenário ainda enfraquecido", diz Vale. Para o economista, a quase certa nova rodada do Auxílio Emergencial tende a ter um impacto limitado até mesmo no PIB do 2º trimestre. "Vai voltar, mas deve ser ser por 4 meses, num valor menor, por volta de R$ 250, e para menos gente. Acredito que a maior parte desses recursos vai ser usada para pagar dívidas e para o consumo básico", avalia. Bolsonaro fala em pagar quatro parcelas de R$ 250 de auxílio na nova rodada Auxílio Emergencial: o caminho apontado por economistas para o governo bancar o programa VÍDEO: Especialistas afirmam ser viável retomar o auxílio emergencial Sem espaço fiscal para políticas de auxílio na magnitude do que foi observado no ano passado e com a queda da renda das famílias, o crescimento em 2021 dependerá em grande parte da eficácia da vacinação e da controle da pandemia. "A retomada do mercado de trabalho também depende da contenção da pandemia. Temos alguns setores represados, especialmente as categorias dentro de serviços e, conforme a vacinação for avançando, a economia deve tender à normalização", afirma Miranda, lembrando que o setor de serviços é o que mais emprega no país. Aumento das incertezas A média das projeções do mercado para o crescimento do PIB em 2021 tem sido revisada para baixo e está em 3,29%, segundo a última pesquisa Focus do Banco Central, bem abaixo da expectativa para o crescimento global no ano, estimada em 5,5% pelo Fundo Monetário Internacional (FMI). Parte dos analistas, no entanto, já estima uma taxa mais próxima de 3%. A percepção de aumento dos riscos fiscal e político se acentuou após as turbulências provocadas pela decisão do presidente Jair Bolsonaro de trocar o comando da Petrobras e pelos receios de uma guinada populista e de enfraquecimento da agenda liberal do ministro da Economia, Paulo Guedes. "O governo tenta controlar o que é possível visando benefícios eleitorais no ano que vem, mas isso é sempre um tiro no pé. Você pode segurar os preços no curto prazo, mas os efeitos de longo prazo são muito negativos para a economia e esse tipo de intervenção afeta também os investimentos", afirma Vale, que projeta um crescimento de 2,6% em 2021. O temor de interferência do governo na política de preços da Petrobras e na gestão das estatais levou a agência de classificação Moody´s alertar para o risco de perda de credibilidade do Brasil e de aumento acentuado do custo do financiamento da dívida do país. "A ação do presidente Jair Bolsonaro aumenta o ruído político e a incerteza sobre as reformas estruturais neste ano", avaliou. A alta no preço dos combustíveis e as expectativas de inflação em patamar acima da meta do governo para 2021 também têm feito o mercado apostar em um aumento da taxa básica de juros já na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, agendada para 17 de março. Crescimento em 2021 será 'bombado' por efeito estatístico O Ibre FGV ainda trabalha com um cenário crescimento de 3,6% do PIB em 2021, mas lembra que, em função da base mais fraca de comparação em razão do tombo registrado em 2020, o carregamento estatístico será da ordem de 3% no ano, o que pode ser traduzido como um ano de crescimento pífio. “Se ficarmos no mesmo nível do final de 2020 e o PIB crescer neste ano zero por trimestre, na comparação com o trimestre anterior, ainda assim vamos ter crescido 3,1% em 2021”, explica Miranda. Mesmo no cenário otimista, de vacinação em massa e retorno gradual do setor de serviços, a avaliação é que a economia brasileira só deverá conseguir voltar ao ponto que estava antes da pandemia a partir de 2022. “O crescimento de 2021 não será suficiente para compensar a queda de 2020. Deve ficar concentrado no segundo semestre e será mais efeito da vacina do que de uma economia pujante”, resume a pesquisadora do Ibre. Veja Mais

Mercado Livre investirá R$ 10 bilhões no Brasil em 2021

G1 Economia Valor é equivalente ao aportado pela empresa no país nos últimos quatro anos. Mercado Livre Divulgação O Mercado Livre anunciou nesta segunda-feira (1) que vai investir R$ 10 bilhões no Brasil em 2021 para marcar posição em seu principal mercado, ao ver a América Latina como a região de maior crescimento do comércio eletrônico no mundo. O valor, equivalente ao investido pela empresa no país nos últimos quatro anos, foi divulgado na esteira do crescimento explosivo das operações no quarto trimestre e vem após anúncios de investimentos bilionários rivais, incluindo da norte-americana Amazon no país. O anúncio do investimento veio com a divulgação dos resultados da companhia no quarto trimestre. Com pandemia, comércio eletrônico tem salto em 2020 e dobra participação no varejo brasileiro O faturamento do Mercado Livre quase dobrou no período, indicando que o comércio online seguiu ganhando terreno, mesmo com flexibilização parcial do isolamento imposto para conter a Covid-19. A receita líquida somou US$ 1,3 bilhão de outubro a dezembro, alta anual de 96,9% em dólares. Isso, mesmo com a forte depreciação cambial que atingiu todas as moedas da região no período, no encalço da crise provocada pela pandemia. Se medida pela divisa de cada país, a receita cresceu 148,5%. O Brasil, que responde por 54% da receitas, teve alta de 68% em dólar e de 120% em real. O volume bruto de vendas (GMV, na sigla em inglês) no trimestre somou US$ 6,6 bilhões, alta anual de 69,6% em dólar e 109,7% em moeda constante, com o Mercado Livre colhendo os frutos de maiores investimentos, como na capacidade logística e na prateleira de serviços financeiros. O Mercado Livre e outros como a Amazon têm anunciado investimentos bilionários em logística nos últimos meses para ganharem escala na América Latina, região onde o comércio online mais cresce no mundo, segundo dados da consultoria e-Marketer. A rede do serviço de logística do grupo, Mercado Envios, atingiu no Brasil uma penetração de 79% do total das entregas no quarto trimestre ante 68% na comparação anual. O Mercado Livre, com sede na Argentina, teve no quarto trimestre uma base de usuários ativos de 74 milhões, 71,3% maior do que um ano antes. Em outra frente, no braço financeiro Mercado Pago, o volume de pagamentos processados no trimestre atingiu U$S$ 15,9 bilhões, alta ano a ano de 83,9% em dólares e 134,4% em moeda constante. E a carteira de crédito do segmento atingiu US$ 479 milhões, mais do que dobrando em um ano. Com a preferência para investir na expansão do negócio do que obter rentabilidade mais imediata, o grupo teve prejuízo líquido de US$ 50,6 milhões no trimestre, ante prejuízo de US$ 54 milhões um ano antes. Vídeos: Últimas notícias de Economia Veja Mais

Varejo do Brasil perdeu 75 mil lojas em 2020, diz CNC

G1 Economia Pandemia do coronavírus causou a maior retração no setor desde 2016, mesmo com queda de vendas menor do que a esperada pela entidade. Lojas fechadas: número de 2020 foi o pior desde 2016, quando o saldo negativo foi de 105,3 mil lojas no ano. Danilo Girundi / TV Globo O Brasil perdeu 75,2 mil lojas em 2020, segundo levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O número é o saldo entre abertura e fechamento de estabelecimentos com vínculos empregatícios do comércio varejista brasileiro. O freio de atividade econômica imposto pela pandemia do coronavírus é a causa para o déficit no ano passado. Pelo termômetro da CNC, o número foi o pior desde 2016, quando o saldo negativo foi de 105,3 mil lojas no ano. CNC reduz de 4,2% para 3,9% previsão de crescimento do comércio em 2021 A quantia de empregos formais também foi reduzida. A perda foi de 25,7 mil vagas com carteira assinada, também a maior desde 2016. Naquele ano, foram eliminados 176,1 mil postos de trabalho. “As perdas do setor varejista foram sentidas logo em março, mas, a partir de maio, foi possível começar a reverter a situação, graças à rápida reação do mercado. Contribuíram fatores como o fortalecimento do comércio eletrônico e o benefício do auxílio emergencial, permitindo que o brasileiro pudesse manter algum nível de consumo", disse o presidente da CNC, José Roberto Tadros, em nota. Abertura líquida de estabelecimentos e volume de vendas no varejo Reprodução/CNC Vendas no varejo caem 6,1% em dezembro, mas crescem em 2020 Setores e estados A CNC também dividiu por setores o impacto dos fechamentos do varejo em 2020. O segmento de "vestuário, calçados e acessórios" foi o mais afetado, com mais de 22,3 mil estabelecimentos fechados. Na sequência, vêm "hiper, super e minimercados" (-14,38 mil) e "utilidades domésticas e eletroeletrônicos" (-13,31 mil). O saldo foi negativo também em todas as unidades da federação. Sofreram mais as UFs mais populosas: São Paulo fechou 20,3 mil estabelecimentos, Minas Gerais, 9,5 mil, e Rio de Janeiro, 6,04 mil. Com pandemia, comércio eletrônico tem salto em 2020 e dobra participação no varejo brasileiro A CNC prevê três cenários para 2021, um básico, um otimista e outro pessimista. No primeiro, as vendas avançariam 5,9%, em comparação com 2020, e o setor seria capaz de reabrir 16,7 mil novos pontos de venda este ano. No otimista, em que o isolamento social retornaria aos níveis pré-pandemia, o volume de vendas cresceria 8,7% e 29,8 mil estabelecimentos com vínculos empregatícios seriam abertos ao longo do ano. No pessimista, o saldo entre abertura e fechamento de lojas seria positivo em apenas 9,1 mil unidades. Veja Mais

Auxílio Emergencial: ‘Surpresa e decepção’; com IR, 3 milhões de brasileiros terão que devolver a ajuda recebida do governo

G1 Economia Professor de Minas Gerais vive a mesma realidade de muitos brasileiros nesta pandemia. "Sou professor de história, tenho 48 anos e moro no interior de Minas Gerais. Recebo por ano um pouco mais de R$ 22 mil, então tenho que declarar renda. Tenho dois filhos e uma neta que moram comigo, pago faculdade para eles e plano de saúde." "Meu filho tem 23 anos e trabalhava na construção civil, mas não consegue nem bicos desde o início da pandemia. Minha filha tem 20 anos, foi mãe aos 15 e não trabalha, porque tem que cuidar da filha dela. Os dois receberam o auxílio emergencial ano passado. Agora, se eu incluí-los na minha declaração como meus dependentes, eles vão ter que devolver o valor recebido." "Ficou uma situação muito difícil. Achávamos que os rendimentos do auxílio seriam isentos de tributação, porque não é uma renda, é um auxílio para manutenção das condições mínimas de vida. Então ficamos surpreendidos e decepcionados." "Vou ter que fazer a declaração sem incluí-los, apesar de mantê-los. Se não, é um problema que vou tentar resolver e vou criar outros dois. Eles continuam desempregados e estamos vivendo só com o meu salário, não teríamos nem condições de devolver o valor." O caso do professor mineiro, que pediu para ter seu nome preservado, é similar ao de muitos brasileiros neste começo de ano. Com o início do período de declaração do Imposto de Renda (IR) 2021, que vai desta segunda-feira (1/03) até 30 de abril, são muitas as dúvidas dos contribuintes sobre como informar corretamente seus dados, após um ano de 2020 tão atípico. SAIBA TUDO SOBRE O IMPOSTO DE RENDA 2021 Veja como preparar os documentos para a declaração Especialista tira dúvidas sobre o IR 2021; mande sua pergunta Programa gerador do Imposto de Renda 2021; veja versões disponíveis e como baixar O que diz a Receita Federal Na semana passada, ao apresentar as regras para declaração do IR 2021, referente aos rendimentos recebidos no ano anterior, a Receita Federal informou que "o auxílio emergencial e o auxílio emergencial residual são considerados rendimentos tributáveis e devem ser declarados como tal na ficha de rendimentos recebidos de pessoa jurídica". O governo chama de "auxílio emergencial" o pagamento de R$ 600 ou R$ 1.200 feito aos trabalhadores informais entre abril e agosto de 2020. Quando o benefício foi reduzido à metade, entre setembro e dezembro, passou a ser chamado de "auxílio emergencial residual". Rendimentos tributáveis são aqueles sobre os quais é preciso pagar imposto de renda, como salário, pensões, renda de aluguel e ganhos de capital de investimentos. A Receita esclareceu ainda que "o contribuinte que tenha recebido rendimentos tributáveis em valor superior a R$ 22.847,76 no ano-calendário 2020 deve devolver os valores recebidos do auxílio emergencial, por ele e seus dependentes". Caso a devolução não tenha sido feita até 31 de dezembro de 2020, o próprio sistema da Receita Federal vai gerar um DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) para pagamento dos valores a serem devolvidos. De acordo com o Fisco, a expectativa é de que 3 milhões de pessoas que receberam o auxílio emergencial em 2020 devolvam o benefício através da declaração do imposto de renda. Auxílio emergencial começou a ser pago em abril de 2020 LEONARDO SÁ – AGÊNCIA SENADO O que dizem os tributaristas A advogada Rafaela Franceschetto, sócia da área tributária do FAS Advogados, lembra que o critério para receber o auxílio emergencial era ter renda familiar mensal por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135), e não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018. Assim, quem não se encaixa nesses critérios teria recebido o auxílio de forma indevida. A tributarista afirma, porém, que não há irregularidade se o contribuinte optar por não declarar um dependente que recebeu o auxílio, como planeja o professor de história mineiro. "Quem recebeu indevidamente é responsável por si próprio, não é o pai ou qualquer parente que vai ser responsabilizado por isso", diz Franceschetto. "O contribuinte pode optar por não declarar o dependente." Ao declarar um dependente, o contribuinte pode se beneficiar de restituições referentes a gastos com educação e saúde. Mas a inclusão do dependente na declaração é facultativa. "O contribuinte só precisa declarar o dependente se pretende se beneficiar das devoluções", explica a advogada, acrescentando que não se trata de nenhum "jeitinho" ou incentivo à irregularidade, mas sim, como funciona normalmente a declaração de renda. Outra dúvida que tem sido frequente entre os contribuintes é, se o auxílio será considerado tributável e deve ser declarado como rendimento recebido de pessoa jurídica, qual CNPJ deverá ser utilizado nessa declaração e onde obter o informe de rendimentos. O advogado Rodrigo Pinheiro, sócio coordenador da área tributária do Leite, Tosto e Barros Advogados, explica que, para obter o informe de rendimentos referente ao auxílio emergencial, é preciso se cadastrar neste link. Pinheiro também esclarece que não será possível parcelar o valor do auxílio a ser devolvido, conforme informações da Receita e do Ministério da Cidadania. No auxílio, 'errar para mais' era melhor do que 'errar para menos' O economista Daniel Duque, pesquisador do Ibre-FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas), avalia que o pagamento do auxílio emergencial a pessoas que não se encaixavam nos critérios definidos pelo governo era quase "inevitável" em uma situação em que foi preciso chegar rapidamente a um grande número de pessoas que não constavam dos cadastros sociais do governo. "O auxílio acabou sendo muito apropriado por jovens desempregados de famílias de classe média, porque nunca foi feita uma divulgação muito clara das regras de elegibilidade e era razoavelmente fácil para essas pessoas pedir e receber o benefício", diz Duque. "Além disso, diferentemente de um pensionista do INSS ou de um trabalhador formal, não era tão simples o governo verificar se esse recebimento era indevido." Na avaliação do economista, no primeiro momento de agravamento da pandemia, em abril do ano passado, o governo tomou a decisão correta ao fazer um processo de verificação simples, o que permitiu que o dinheiro chegasse rapidamente a quem precisava. "Não tem muito jeito, erros vão acontecer quando se quer que o dinheiro chegue a pessoas que nunca estiveram em bancos de dados do governo e vão acontecer ainda mais se é necessário que esse dinheiro chegue rápido." Para Duque, esses problemas poderiam ser mitigados na provável renovação do auxílio em 2021. Mas o fato de o governo não ter se programado para a retomada do benefício, que terá que ser recriado agora novamente com a pandemia em situação gravíssima, deve dificultar uma melhor focalização do programa. "Estamos na mesma situação que em abril do ano passado. As pessoas estão há quase dois meses sem receber nenhum recurso do auxílio, muitas delas numa situação de vulnerabilidade muito grande, e piorada por essa segunda onda", diz Duque. "Então, infelizmente, por falta de planejamento, o governo está na mesma situação em que precisa escolher 'o quanto quer errar', porque novamente o dinheiro precisa chegar rápido às pessoas." O professor de Minas Gerais conta que seus filhos esperam novamente poder contar com a ajuda do governo esse ano. "Temos essa esperança, que eles possam receber, para poder passar esse período de pandemia e, quando a economia voltar a crescer, eles possam estar no mercado de trabalho de novo." "Somente eu estou recebendo renda. E a situação por aqui está muito complicada. Aqui na região, só começa a gerar renda a partir de maio, quando começa a colheita de café e começa a ter emprego. Até lá, não há perspectiva nenhuma de trabalho." Veja Mais

Petrobras sobe preços da gasolina e do diesel mais uma vez

G1 Economia Litro da gasolina nas refinarias acumula alta de 41% desde o início do ano. Já o diesel subiu 34% no mesmo período. A Petrobras vai elevar mais uma vez os preços da gasolina e do diesel nas refinarias a partir de terça-feira (2), informou a companhia nesta segunda-feira, por meio da assessoria de imprensa. A nova alta vem pouco mais de uma semana após o presidente Jair Bolsonaro pedir a substituição do presidente da petroleira. Como são formados os preços da gasolina e diesel? Troca de comando na Petrobras: veja perguntas e respostas Após crítica de Bolsonaro, Petrobras afirma que presidente e diretores não recebem reajuste desde 2016 O preço médio de venda da gasolina passará a ser de R$ 2,60 por litro, alta de R$ 0,12 por litro (4,8%), enquanto o diesel passará a média de R$ 2,71 por litro, aumento de R$ 0,13 por litro (5%). É a quinta alta do ano nos preços da gasolina, e a quarta no valor do litro do diesel. Em dezembro, o litro da gasolina custava em média R$ 1,84. Já o do diesel saía a R$ 2,02. Com os novos reajustes, o litro da gasolina nas refinarias acumula alta de 41,3% desde o início do ano. Já o diesel subiu 34,16% no mesmo período. Alta preços Petrobras Economia G1 Troca de comando As sucessivas altas nos combustíveis este ano irritaram o presidente Jair Bolsonaro, que indicou o general Joaquim Silva e Luna para substituir o atual presidente Roberto Castello Branco do comando da estatal, como mostra o vídeo abaixo. O mandato de Castello Branco, no entanto, termina em 20 de março, e ele segue no cargo. A troca provocou um forte forte abalo nas ações da companhia, que chegou a perder R$ 75 bilhões em valor de mercado em um só dia. Jair Bolsonaro indica novo presidente da Petrobras; entenda o caso Lucro recorde A Petrobras encerrou o quarto trimestre de 2020 com lucro recorde de R$ 7 bilhões, apesar do momento de crise. Segundo a Economatica, o resultado é tanto recorde nominal entre as empresas brasileiras como também quando se ajustam os valores dos maiores lucros da história pela inflação. Veja Mais

Emprego: confira 187 vagas ofertadas em 18 municípios de Pernambuco nesta segunda

G1 Economia Vidraceiro, fiscal de obras, pedreiro, encanador, auxiliar financeiro, auxiliar administrativo e porteiro são algumas das oportunidades de emprego disponíveis através Agência do Trabalho. Há vagas para o cargo de pedreiro em municípios como Vitória de Santo Antão e Caruaru PMM/Divulgação O sistema público da Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação (Seteq-PE) reúne, nesta segunda-feira (1°), 187 vagas de emprego em 18 municípios do estado. As oportunidades foram disponibilizadas através das unidades da Agência do Trabalho. Do total, dez vagas são para o cargo de pedreiro em Caruaru e 12 para o mesmo cargo em Vitória de Santo Antão. Há também oportunidades para embalador, vendedor pracista, técnico de refrigeração, serralheiro, pintor de automóveis, auxiliar financeiro, entre outros (confira lista completa mais abaixo). Há vagas no Recife (26), Arcoverde (1), Belo Jardim (15), Bezerros (6), Cabo de Santo Agostinho (5), Caruaru (37), Garanhuns (6), Goiana (2), Igarassu (18), Ipojuca (1), Nazaré da Mata (2), Palmares (2), Paudalho (2), Petrolina (13), Salgueiro (6), Santa Cruz do Capibaribe (7), Serra Talhada (5) e Vitória de Santo Antão (33). Os interessados devem procurar uma das Agências do Trabalho do estado. O atendimento ocorre preferencialmente com agendamento, feito pelo site da secretaria ou pelo Portal Cidadão. Vagas de emprego Vaga para pessoa com deficiência Vagas temporárias VÍDEOS: Concursos e emprego Veja Mais

Cidades da região de Campinas iniciam semana com 531 vagas de emprego abertas; veja lista

G1 Economia Interessados podem se candidatar a partir desta segunda-feira (1°). Em virtude da pandemia, a recomendação é para que atendimentos sejam feitos por telefone ou com horário agendado. PATs abrem 531 vagas de emprego em nove cidades da região de Campinas Agência Brasil A região de Campinas (SP) inicia a semana com 531 vagas de trabalho abertas, segundo dados fornecidos ao G1 por nove prefeituras. Os interessados podem se candidatar às oportunidades a partir desta segunda-feira (1º) e a lista inclui empregos em Americana (SP), Campinas (SP), Indaiatuba (SP), Itapira (SP), Jaguariúna (SP), Mogi Mirim (SP), Serra Negra (SP) e Valinhos (SP). Veja abaixo a lista. As vagas oferecidas são para diversos níveis de escolaridade e destinadas a candidatos de todos os gêneros. Além disso, há oportunidades exclusivas para pessoas com deficiência (PCDs). As administrações municipais alertam que as vagas podem ser preenchidas ao longo do dia e, por isso, a relação divulgada tem alterações. Em virtude da pandemia do novo coronavírus, os atendimentos nos postos (PATs) são realizados de forma on-line, por telefone ou presencialmente com horário agendado. A recomendação é para que o candidato acompanhe canais oficiais das prefeituras. Americana O PAT de Americana oferece 84 vagas de emprego. Os interessados precisam cadastrar o currículo no site da prefeitura. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (19) 3461-0289. Ajudante de cozinha - 2 vagas; Ajudante de mecânico - 1 vaga temporária; Ajudante de montagem mecânica e hidráulica - 5 vagas temporárias; Ajudante geral de produção - 1 vaga; Assistente de faturamento - 1 vaga; Auxiliar de expedição têxtil - 1 vaga; Caldeireiro (a) montador (a) - 5 vagas temporárias; Caldeirista - 1 vaga; Caseiro (a) - 1 vaga; Costureiro (a) - 20 vagas; Eletricista automotivo (a) - 1 vaga; Eletricista comando - 1 vaga; Eletricista industrial - 2 vagas; Eletricista júnior - 1 vaga; Encanador (a) eletricista - 2 vagas; Faxineiro (a) - 1 vaga; Instalador (a) - 6 vagas; Lavador (a) de automotivo - 2 vagas; Manutenção em extrusoras e impressoras flexográficas - 2 vagas; Mecânico (a) de retorção - 1 vaga; Meio (a) oficial serralheiro (a) de alumínio - 1 vaga; Operador (a) de máquina conicaleira - 1 vaga; Operador (a) de rama - 2 vagas; Operador (a) de retorção - 1 vaga; Pintor (a) de pintura eletrostática - 1 vaga; Pintor (a) automotivo - 1 vaga; Pizzaiolo (a) - 2 vagas; Polidor (a) automotivo - 2 vagas; Preparador (a) de torno CNC - 1 vaga; Programador (a) de torno CNC - 1 vaga; Promotor (a) de negócios consignados - 3 vagas; Serralheiro (a) - 2 vagas; Soldador (a) - 2 vagas; Soldador (a) - 5 vagas temporárias; Tecelã (o) de malharia - 1 vaga; Vendedor (a) externo (a) - 1 vaga; Vendedor (a) interno (a) - 1 vaga. Campinas Campinas tem 167 vagas de emprego disponíveis. Por conta da pandemia do coronavírus, os interessados devem agendar o atendimento pelo telefone 156. Açougueiro (a) - 1 vaga; Atendente de telemarketing - 2 vagas exclusivas para PCDs; Auxiliar de costura - 1 vaga; Auxiliar de vendas - 1 vaga; Azulejista - 12 vagas; Chefe de serviços de limpeza - 2 vagas; Costureiro (a) de máquinas industriais - 1 vaga; Cozinheiro (a) - 2 vagas; Dedetizador (a) assistente aplicador (a) - 2 vagas; Eletricista (a) - 4 vagas; Garçom/garçonete - 1 vaga; Instalador (a) reparador (a) de redes e cabos telefônicos - 99 vagas; Motorista carreteiro (a) - 2 vagas; Motorista de caminhão-guincho pesado - 2 vagas; Operador (a) de caixa lotérico - 1 vaga; Operador (a) de telemarketing ativo - 20 vagas; Operador (a) elevador cremalheira - 1 vaga; Pintor (a) de obras - 10 vagas; Serralheiro (a) - 1 vaga; Soldador (a) - 2 vagas. Para acompanhar mudanças no quadro de vagas ou conferir detalhes, acesse a página do CPAT. Indaiatuba O PAT de Indaiatuba reúne 108 vagas de emprego. Embora continue com o atendimento presencial das 7h às 15h45, na Rua 24 de Maio, 1.670, a unidade pede aos interessados que entrem em contato pelo telefone (19) 3816-9252 na pandemia. Ajudante de carga e descarga - 1 vaga; Ajudante de cozinha - 2 vagas; Ajudante de eletricista - 1 vaga; Ajudante de motorista - 1 vaga; Almoxarife - 1 vaga; Analista administrativo (a) - 1 vaga; Analista de negócios - 1 vaga; Analista de recursos humanos - 1 vaga; Armador (a) de ferragens na construção civil - 1 vaga; Assistente de vendas - 4 vagas; Atendente balconista - 1 vaga; Atendente de lanchonete - 1 vaga; Auxiliar de enfermagem do trabalho - 1 vaga; Auxiliar contábil - 1 vaga; Auxiliar de confeiteiro - 1 vaga; Auxiliar de cozinha - 1 vaga; Auxiliar de limpeza - 3 vagas; Auxiliar de marceneiro - 2 vagas; Auxiliar de pizzaiolo - 1 vaga; Auxiliar de produção - 1 vaga; Auxiliar de vidraceiro - 1 vaga; Auxiliar logístico (a) - 1 vaga exclusiva para PCD; Auxiliar mecânico (a) de ar condicionado - 1 vaga; Babá - 1 vaga; Caldeireiro (a) montador (a) - 1 vaga; Caseiro (a) - 1 vaga; Chapista de lanchonete - 1 vaga; Chefe de cozinha - 1 vaga; Coletor (a) de lixo domiciliar - 1 vaga; Coordenador (a) de restaurante - 1 vaga; Costureiro (a) - 1 vaga; Cozinheiro (a) - 2 vagas; Desenhista de páginas da internet - 1 vaga; Desenvolvedor (a) de plataforma web - 1 vaga; Eletricista - 2 vagas; Encanador (a) - 1 vaga; Encarregado (a) eletromecânico (a) de instalações - 1 vaga; Enfestador (a) - 1 vaga; Fresador (a) - 1 vaga; Garçom/garçonete - 1 vaga; Gari - 1 vaga; Gerente comercial - 1 vaga; Inspetor (a) de qualidade - 3 vagas; Instrutor (a) de aprendizagem e treinamento industrial - 1 vaga; Instrutor (a) de auto escola - 1 vaga; Marceneiro (a) - 3 vagas; Mecânico (a) de autos em geral - 1 vaga; Mecânico (a) de equipamentos industriais -1 vaga; Mecânico (a) de montagem de máquinas - 1 vaga; Mecânico (a) de refrigeração - 1 vaga; Metrologista - 1 vaga; Montador (a) de estruturas metálicas - 2 vagas; Montador (a) de móveis - 2 vagas; Montador (a) soldador (a) - 1 vaga; Motorista de caminhão - 3 vagas; Oficial de manutenção predial - 1 vaga; Oficial de serviços gerais na manutenção de edificações - 1 vaga; Operador (a) de retro escavadeira - 1 vaga; Operador (a) de seccionadora - 1 vaga; Operador (a) de torno com comandos numéricos - 1 vaga; Operador (a) de centro de usinagem de madeira - 1 vaga; Operador (a) de empilhadeira - 1 vaga; Operador (a) de estação de tratamento de água e efluentes - 1 vaga; Operador (a) de máquina extrusora - 1 vaga; Operador (a) de máquinas-ferramenta convencionais - 1 vaga; Operador (a) de prensa - 1 vaga; Padeiro (a) confeiteiro (a) - 1 vaga; Pedreiro (a) - 1 vaga; Pintor (a) de automóveis - 1 vaga; Porteiro (a) - 2 vagas; Preparador (a) de prensa - 1 vaga; Preparador (a) de torno automático - 1 vaga; Retifica cilíndrica - 2 vagas; Serralheiro (a) - 1 vaga; Servente de obras - 1 vaga; Soldador (a) - 1 vaga; Tapeceiro (a) de móveis - 1 vaga; Técnico (a) de enfermagem - 1 vaga; Técnico (a) de projetos elétricos - 1 vaga; Técnico (a) eletrônico (a) - 1 vaga; Técnico (a) em eletro mecatrônica - 1 vaga; Torneiro (a) mecânico (a) - 1 vaga; Vendedor (a) - 5 vagas; Vidraceiro (a) - 1 vaga; Vigilante - 1 vaga. Itapira Itapira oferece oportunidades em 41 áreas. Os interessados podem enviar currículo atualizado para o e-mail postoatendimentoitapira@gmail.com com o nome da vaga no campo de assunto e o nº do PIS. Dúvidas podem ser retiradas pelo telefone (19) 3843-4564. Ajudante geral - 1 vaga; Ajudante geral - carga/descarga - 1 vaga; Ajudante geral - jardinagem - 1 vaga; Alimentador (a) de linha de produção - 1 vaga; Assistente administrativo (a) - 1 vaga; Auxiliar de limpeza - 1 vaga; Auxiliar de mecânico - 1 vaga; Auxiliar de operações logísticas - 1 vaga; Auxiliar de produção - 1 vaga; Balconista - 1 vaga; Eletricista instalador (a) - 1 vaga; Empregado (a) doméstico (a) - 1 vaga; Entregador (a) de mercadoria - 1 vaga; Gerente de vendas - 1 vaga; Instalador (a) de ar condicionado - 1 vaga; Marceneiro (a) - 1 vaga; Mecânico (a) de automóveis - 1 vaga; Mecânico (a) de caminhão - 1 vaga; Moldador (a) manual - 1 vaga; Moldador (a) mecanizado - 1 vaga; Motorista carreteiro (a) - 1 vaga; Motorista de aplicativo - 1 vaga; Motorista de caminhão - 1 vaga; Operador (a) de centro de usinagem - 1 vaga; Operador (a) de furadeira - 1 vaga; Operador (a) de furadeira radial - 1 vaga; Operador (a) de máquina agrícola - 1 vaga; Operador (a) de roçadeira - 1 vaga; Operador (a) de torno CNC - 1 vaga; Porteiro (a) - 1 vaga; Serralheiro (a) - 1 vaga; Serviços gerais - 2 vagas; Supervisor (a) de vendas - 1 vaga; Técnico (a) em segurança do trabalho; Torneiro (a) CNC - 1 vaga; Torneiro (a) mecânico - 1 vaga; Trabalhador (a) agrícola - 1 vaga; Tratorista agrícola - 1 vaga; Vendedor (a) - 1 vaga; Vendedor (a) externo (a) - 1 vaga. Jaguariúna Jaguariúna oferece 48 oportunidades de trabalho no PAT. Os interessados devem acessar o site da unidade para agendar um horário e posteriormente comparecer presencialmente. Ajudante de caldeiraria - 1 vaga; Ajudante de geral para recarga de cartucho - 1 vaga; Atendente de locação - 1 vaga; Auxiliar de limpeza - 1 vaga; Auxiliar de manutenção predial - 1 vaga; Auxiliar de pizzaiolo - 1 vaga; Barbeiro (a) - 1 vaga; Caseiro (a) - 2 vagas; Chapeiro (a) - 1 vaga; Conferente - 1 vaga; Costureiro (a) - 1 vaga; Cozinheiro (a) industrial - 1 vaga; Cuidador (a) de idoso - 1 vaga; Designer gráfico (a) - 1 vaga; Eletricista - 1 vaga; Eletricista de manutenção industrial - 1 vaga; Encanador (a) - 1 vaga; Encarregado (a) de lavanderia - 1 vaga; Encarregado (a) de serviços gerais - 1 vaga; Entregador (a) de panfletos - 1 vaga; Estagiária (o) de administração - 1 vaga; Mecânico (a) de auto - 1 vaga; Mecânico (a) de manutenção industrial - 1 vaga; Motorista carreteiro (a) - 1 vaga; Motorista de caminhão - 2 vagas; Motorista de ônibus - 1 vaga; Oficial de cozinha - 1 vaga; Oficial de manutenção predial - 1 vaga; Operador (a) de caixa para loja de roupas - 1 vaga; Operador (a) de caixa para sorveteria - 1 vaga; Operador (a) de caixa para supermercado - 1 vaga; Operador (a) de mini escavadeira - 1 vaga; Operador (a) de retroescavadeira - 1 vaga; Pedreiro (a) - 2 vagas; Pequenos reparos de manutenção - 1 vaga; Pintor (a) - 1 vaga; Pizzaiolo (a) - 1 vaga; Porteiro (a) - 1 vaga; Preparador (a)/acabamentista de autos - 1 vaga; Promotor (a) de vendas - 1 vaga; Repositor (a) de mercadoria - 1 vaga; Técnico (a) em segurança no trabalho - 1 vaga; Técnico (a) instalador (a) - 1 vaga; Vendedor (a) autônomo - 1 vaga; Vendedor (a) de autopeças - 1 vaga. Os interessados devem mandar currículo para o endereço pat.jaguariuna@gmail.com. Mogi Mirim Mogi Mirim oferece 21 oportunidades de emprego. Interessados devem comparecer ao PAT, localizado na Avenida Adib Chaib, 2.250, Espaço Cidadão e apresentar Carteira de Trabalho, RG, CPF e currículo. O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 16h. Ajudante de pintura - 1 vaga; Atendente de balcão - 1 vaga; Auxiliar de costura - 1 vaga; Auxiliar de cozinha - 1 vaga; Auxiliar de informática - 1 vaga; Auxiliar de serviços gerais - 1 vaga; Caseiro (a) - 1 vaga; Consultor (a) de vendas - 1 vaga; Costureiro (a) - 1 vaga; Eletricista automotivo (a) - 1 vaga; Eletricista instalador (a) - 1 vaga; Eletromecânico (a) - 1 vaga; Motorista entregador (a) - 1 vaga; Oficial de manutenção - 1 vaga; Operador (a) de dobradeira - 1 vaga; Operador (a) de guilhotina - 1 vaga; Operador (a) de escavadeira hidráulica - 1 vaga; Operador (a) de retroescavadeira - 1 vaga; Pintor (a) industrial - 1 vaga; Preventor (a) de perdas - 1 vaga; Torneiro (a) mecânico (a) fresador (a) - 1 vaga. Serra Negra Serra Negra oferece 17 vagas neste início de semana. Os interessados devem comparecer ao PAT, que está localizado na rua José Bonifácio, 283, no Centro. O horário de funcionamento é das 9h às 14h, de segunda, quarta e sexta-feira. Os candidatos precisam apresentar RG, CPF, Carteira de Trabalho e currículo. Para mais informações é necessário entrar em contato pelo número (19) 3842-2514. Atendente de restaurante - 1 vaga; Auxiliar de cozinha - 1 vaga; Auxiliar de vendas em cosméticos - 1 vaga; Campeiro (a) - 1 vaga; Caseiro (a) - 1 vaga; Costureiro (a) - 1 vaga; Cozinheiro (a) júnior/pleno - 1 vaga; Garagista - 1 vaga; Mecânico (a) de manutenção de veículos - 1 vaga; Motoboy - 1 vaga; Motorista de ônibus - 1 vaga; Motorista particular - 1 vaga; Mecânico (a) a diesel - 1 vaga; Operador (a) de empilhadeira - 1 vaga; Operador (a) de refrigeração - 1 vaga; Técnico de qualidade do café - 1 vaga; Tratorista - 1 vaga. Sumaré Sumaré oferece quatro vagas de trabalho neste início de semana. Os candidatos devem se dirigir ao PAT, localizado na Avenida Brasil, 201, no Jardim Nova Veneza. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. Ajudante de carga e descarga - 1 vaga; Conferente - 1 vaga; Líder de operação - 1 vaga; Operador (a) de empilhadeira - 1 vaga. Valinhos Valinhos oferece 41 vagas neste início de semana. Os candidatos devem entrar em contato com o PAT pelo telefone (19) 3849-7187 e, depois disso, comparecer presencialmente na unidade, localizada na Rua Thomas Antônio Gonzaga, 58, na Vila Papelão. Auxiliar de contabilidade - 1 vaga; Auxiliar de cozinha - 1 vaga; Auxiliar de enfermagem home care - 1 vaga; Auxiliar de limpeza - 1 vaga; Auxiliar de mecânico de autos - 1 vaga; Auxiliar de mecânico diesel - 1 vaga; Auxiliar técnico (a) mecânico (a) - 1 vaga; Auxiliar de refrigeração - 1 vaga; Caldeireiro (a) - 1 vaga; Chaveiro (a) - 1 vaga; Corretor (a) de Imóveis - 1 vaga; Cozinheiro (a) - 1 vaga; Eletricista - 1 vaga; Encarregado (a) de obras - 1 vaga; Encarregado (a) de loja - 1 vaga; Enfermeiro (a) home care - 3 vagas; Inspetor (a) de carga e descarga - 1 vaga; Instalador (a) de calhas - 1 vaga; Jardineiro (a) - 1 vaga; Líder de limpeza - 1 vaga; Mecânico (a) de motor a diesel - 1 vaga; Mestre (a) de obras - 1 vaga; Motorista carreteiro (a) - 2 vagas; Motorista entregador (a) - 1 vaga; Operador (a) de corte e solda - 2 vagas; Pedreiro (a) - 1 vaga; Pintor (a) de automóveis - 1 vaga; Pintor (a) industrial - 1 vaga; Porteiro (a) - 1 vaga; Soldador (a) - 1 vaga Técnico (a) de enfermagem home care - 3 vagas; Técnico (a) de manutenção industrial - 2 vagas; Vendedor (a) de serviços - 1 vaga; Vendedor (a) interno - 1 vaga. O PAT de Valinhos abre de segunda a sexta, das 8h30 às 15h30. Mais informações pelo site do posto. VÍDEOS: últimas notícias da região de Campinas Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas. Veja Mais

Santa Rita do Araguaia quer o selo de origem do queijo cabacinha

G1 Economia Título reconheceria a cidade como uma das matrizes do produto, que já é patrimônio cultural de Goiás. Santa Rita do Araguaia quer o selo de origem do queijo cabacinha A cidade de Santa Rita do Araguaia, em Goiás, está esperando ganhar o selo de indicação geográfica do queijo cabacinha. Com isso, o local seria reconhecido como uma das matrizes do produto. Atualmente, o queijo já tem o título de patrimônio cultura de Goiás. Assista a todos os vídeos do Globo Rural O queijo cabacinha tem esse nome devido ao seu formato de cabaça. Em 1950, quando a produção teve inicio, não havia refrigeração, assim os produtores tinham que pendurar os queijos para ajudar na conservação. Para isso, a massa era alongada, dando este formato final. Hoje a cidade conta com com 42 produtores, que juntos, por mês, geram 4 toneladas e meia do queijo cabacinha. Reveja a reportagem completa no vídeo acima. Vídeos mais assistidos do Globo Rural Veja Mais

Reveja a Folia das Almas, rito popular do campo que canta para quem já se foi

G1 Economia Você acredita em alma? Na Serra da Canastra, em Minas Gerais, o Globo Rural encontrou em 2014 um grupo que acredita. Confira a reportagem contada em verso e prosa. Reveja a Folia das Almas, rito popular do campo que canta para quem já se foi A Folia das Almas é um rito popular do campo quase extinto que canta e reza aos que já se foram. Em 2014, em um dia de Finados, o Globo Rural encontrou um grupo na Serra da Canastra, em Minas Gerais, que se reúne para essa celebração. Assista a todos os vídeos do Globo Rural A folia costuma ocorrer na Semana Santa, no dia de Nosso Senhor dos Aflitos e no dia de Finados. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural Veja Mais

Startup leva aplicativo de delivery para comerciantes no interior do Brasil

G1 Economia Plataforma organiza as entregas de pequenos negócios. São sete mil empresas cadastradas em 170 cidades. Startup leva aplicativo de delivery para comerciantes no interior do Brasil Quem vive nas grandes cidades brasileiras já está acostumado a receber tudo em casa. Mas no restante do país a realidade é outra. Uma startup mirou o morador dessas regiões e criou um aplicativo para ajudar empresários do interior a entrar para o mundo do delivery. Veja todos os vídeos do PEGN Foi em Ipameri, cidade com 25 mil habitantes no interior de Goiás, que Fernando Vaz abriu, há dois anos, um quiosque de sobremesas, principalmente sorvete. Com a chegada da pandemia, a empresa passou cerca de 30 dias fechada. A saída contra o prejuízo foi o delivery. “Por a gente estar no interior, tudo era feito de forma mais improvisada, mas com a chegada de um aplicativo mais estruturado, a gente conseguiu oferecer esse serviço de forma mais sólida e organizada”, relata Fernando. Quem implantou esse serviço foi uma startup com sede em Pernambuco, que está de olho nesse público desde 2017. A ideia é do empresário João Neves e alguns sócios. “Quando a gente olha para as cidades do Brasil com 20 mil até 200 mil habitantes há mais de 80 milhões de brasileiros. Então, quase 40% da população”, afirma João. São dois modelos de atuação: No marketplace, as lojas vendem pelo app e são as responsáveis pela entrega. Elas pagam taxa de até 8% sobre as vendas. No full service, os comércios contratam o serviço completo, com venda e delivery. Aí a taxa chega a 12%. Hoje a startup tem sete mil empresas cadastradas, em 170 cidades, espalhadas por 14 estados. São farmácias, lojas de bebidas, supermercados, perfumarias. Os lojistas podem se cadastrar direto no aplicativo, mas para crescer e oferecer um serviço com a cara de cada região, a startup usa o “licenciado”. São parceiros que, dentro de cada cidade, captam e ajudam comerciantes que não têm intimidade com a tecnologia a fazer parte do serviço. Os negócios de Fernando avançaram depois que aderiu ao app. Ele abriu uma cozinha só de entrega para explorar mais oportunidades. “Hamburgueria artesanal, pizzaria e petiscaria. Através da experiência do delivery em meu primeiro empreendimento, ficou visível que ele tinha um potencial de faturamento interessante. A gente formatou uma nova empresa por influência do resultado que o delivery nos proporcionou”, conta o empresário. Veja a reportagem completa no vídeo acima. pede.ai Telefone: (87) 99161-3229 Instagram: @pedeai Email: expansao@pede.ai https://sejadono.pede.ai/ Pet Shop Rações Telefones: (87) 3861-5583 / (87) 98817-7563 Email: petshopracoes@outlook.com Redes sociais: @petshopracoes Mix Sorvetes Telefone: (64) 98407-5699 Instagram: @mixipameri Facebook: mixipameri Cozinha Mix Telefone: (64) 3491-2772 Instagram: @cozinhamix.ipameri Facebook: cozinhamix.ipameri Email: mix.sorvetes@outlook.com Veja os vídeos mais assistidos do PEGN: Veja Mais

Veja dicas para investir na venda de chocolates para a Páscoa

G1 Economia Diversificar a produção e ter cuidado com a entrega podem ajudar a subir o faturamento de pequenos empresários. Veja dicas para investir na venda de chocolates para a Páscoa As vendas de chocolate na Páscoa de 2020 recuaram 33% por conta da pandemia do coronavírus, segundo levantamento da Boa Vista, empresa de inteligência. Para este ano, quem trabalha com chocolate busca alternativas para virar o jogo. Veja todos os vídeos do PEGN O chocolate está no sangue da Josiane. Ela viveu na fazenda de cacau do pai, na Bahia, até os 17 anos e hoje é dona da própria fábrica de chocolates, em São Paulo. A empresária enxergou um mercado pouco explorado e altamente rentável: o dos chocolates finos. Josiane convenceu o pai a aprimorar o processo de seleção e secagem de cacau na fazenda. Depois, montou uma fábrica com investimento de R$ 15 mil. Com a pandemia, ela teve que inovar. “Me voltei 100% pro online. Fui lançar meu site, a loja virtual, e aí procurei parceiros on-line. Deu certo e produzi em 2020 quase 1 tonelada de chocolate”, conta. Para a Páscoa de 2021, Josiane não vai produzir os tradicionais ovos. Ela lançou kits de barras de chocolate puro, com açaí, pitanga e gengibre. O motivo é o menor custo. Apesar da queda nas vendas, a pandemia deixou lições importantes para o empreendedor, de acordo com Ubiracy Fonseca, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab). “Nós temos aprendido a desenvolver os canais de distribuição, procurando incentivar e aumentar muito fortemente a entrega via delivery”, afirma. Para o Fonseca, também é essencial estudar a logística de entrega para não comprometer a experiência do cliente. O economista Vandyck Silveira dá uma dica: oferecer opções mais baratas para o consumidor fragilizado pela crise. “Qualquer tipo de desconto vale muito a pena pro consumidor. Outra coisa é o tamanho dos pacotes. Podemos ter um ovo de páscoa que seja mais fino, um pouco mais leve”, orienta. A venda antecipada é outra estratégia que pode ajudar o pequeno empresário a captar demanda antes dos concorrentes. E, acima de tudo, é preciso inovar sempre para conseguir se destacar da concorrência. Luzz Cacau Rua Sebastiano Nasolini, 157A - Parque Res. Cocaia São Paulo - SP - 04849-110 Telefone: (11) 5934-1834 E-mail: comercial@luzzcacau.com.br www.luzzcacau.com.br Facebook: Luzz Cacau Instagram: @luzzcacau Trevisan Escola de Negócio Telefone: (11) 3138-5200 https://www.trevisan.edu.br Facebook: https://www.facebook.com/TrevisanBrasil Instagram: https://www.instagram.com/trevisanescoladenegocios/ LinkedIn: https://www.linkedin.com/school/trevisan-escola-superior-de-neg-cios-s-o-paulo/ Associação Brasileira das Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (ABICAB) Av. Paulista, 1313 – 7º andar - Cj. 708 - Jardins São Paulo - SP, 01311-200 Telefone: (11) 3269-6900 http://www.abicab.org.br/ Veja os vídeos mais assistidos do PEGN: Veja Mais

Imposto de Renda 2021: saiba quem tem de fazer a declaração neste ano

G1 Economia Quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2020 deve fazer a declaração neste ano. Receita Federal espera receber pouco mais de 32,6 milhões de documentos. A declaração do Imposto de Renda começa na próxima segunda-feira (1º). A Receita Federal espera receber pouco mais de 32,6 milhões declarações neste ano. Veja como preparar os documentos para a declaração Saiba tudo sobre o Imposto de Renda Os contribuintes devem fazer o envio das informações até 30 de abril. Imposto de Renda 2021 Editoria de Arte/G1 Neste ano, a Receita Federal incluiu a obrigatoriedade de declaração do Imposto de Renda para as pessoas que receberam o Auxílio Emergencial em 2020 e, além das parcelas, tiverem recebido R$ 22.847,76 ou mais em outros rendimentos tributáveis. A Receita Federal informou que os valores recebidos de Auxílio Emergencial são considerados rendimentos tributáveis e devem ser declarados na ficha "Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica". Veja quem deve declarar o Imposto de Renda: quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2020. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado. contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado; quem obteve, em qualquer mês de 2020, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas; quem teve, em 2020, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural; quem tinha, até 31 de dezembro de 2020, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil; quem passou para a condição de residente no Brasil em qualquer mês e se encontrava nessa condição até 31 de dezembro de 2020; quem optou pela isenção do imposto incidente em valor obtido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda; pessoas que receberam Auxílio Emergencial em 2020 e, além das parcelas, tiverem recebido R$ 22.847,76 ou mais em outros rendimentos tributáveis. Vídeos: Últimas notícias de economia Veja Mais

Vinhedo abre processo seletivo para 12 vagas temporárias para médicos; veja áreas de atuação

G1 Economia Oportunidades são para profissionais das áreas de clínico geral, pediatria e medicina de família. Vinhedo abriu processo seletivo para 12 vagas Breno Esaki/Agência Saúde Vinhedo (SP) abriu nesta sexta-feira (26) um processo seletivo para 12 vagas temporárias para médicos, com objetivo de reforçar a rede no enfrentamento à Covid-19. O edital está disponível em boletim municipal e as oportunidades são para três áreas de atuação: Clínico geral - 6 Pediatria - 4 Medicina da família - 2 A prova escrita está prevista para 5 de março, às 9h, e quem for aprovado terá contrato de 180 dias, com possibilidade de renovação por igual período. A data para divulgação dos resultados não foi informada pela administração, mas eles serão disponibilizados na página da prefeitura. A cidade registra nesta sexta-feira 100% de ocupação dos leitos de UTI Covid-19, segundo a prefeitura, cenário que se repete desde o início do ano. A administração municipal diz que a Santa Casa só não teve ocupação máxima das estruturas em dois dias de fevereiro e mais seis dias de janeiro. VÍDEOS: Tudo sobre Campinas e Região Veja mais notícias da região no G1 Campinas Veja Mais

TikTok concorda em pagar US$ 92 milhões para encerrar processo sobre privacidade nos EUA

G1 Economia Aplicativo foi acusado de utilizar incorretamente dados de usuários. TikTok fechou acordo em processo nos EUA. Dado Ruvic/Illustration/Reuters O TikTok concordou em pagar US$ 92 milhões (R$ 512 milhões, na cotação atual) como um acordo para encerrar um processo nos Estados Unidos que alegava violação da privacidade das pessoas. "Embora discordemos das alegações, em vez de passarmos por longos litígios, gostaríamos de concentrar nossos esforços na construção de uma experiência segura e alegre para a comunidade TikTok", escreveu um porta-voz da TikTok em uma declaração. As partes chegaram a um acordo após "uma análise interna de especialistas sobre o código-fonte do TikTok" e esforços de mediação, segundo um documento que buscava a aprovação do acordo obtido pela agência Reuters. A decisão combina 21 processos com ações coletivas que foram abertas contra o TikTok por uma série de supostas violações de privacidade. Saiba mais: TikTok é acusado por órgão de defesa do consumidor na Europa de ter 'termos enganosos' e 'ambíguos' O TikTok concordou em evitar o uso de mecanismos que possam comprometer a privacidade, a menos que revele especificamente tudo esteja descrito em sua política de privacidade. Esses mecanismos incluem o armazenamento de informações de biometria, a coleta de dados de localização e o envio ou armazenamento de dados dos usuários dos EUA para fora do país. TikTok: o aplicativo chinês que conquistou milhões de usuários Os processos sobre violações de privacidade do TikTok não interferem nas discussões sobre vender as operações do aplicativo nos EUA, que estão paralisadas sob o governo de Joe Biden. Em 2020, o ex-presidente dos EUA, Donald Trump, tentou forçar a venda do aplicativo para uma companhia americana, alegando riscos à privacidade e à segurança nacional. Um dos principais argumentos era que o TikTok, pertencente à empresa chinesa ByteDance, poderia transferir informações de americanos para Pequim, algo que o app nega. Conheça o TikTok, o app que incomoda Donald Trump Veja dicas para proteger seus dados: Veja Mais

É #FAKE que 300 funcionários da Petrobras foram demitidos logo após anúncio de troca na presidência

G1 Economia Cartazes e áudios veiculam mensagens falsas após o anúncio da troca da diretoria da petrolífera feita por Bolsonaro. Empresa diz que mensagens são falsas e sem fundamento. Circula pelas redes sociais uma mensagem que fala sobre demissões na Petrobras logo após Bolsonaro anunciar que um general será o novo presidente da estatal. "Nesse momento, mais de 300 funcionários ligados a José Dirceu foram demitidos da Petrobras. Um andar inteiro do prédio foi esvaziado para acomodação de militares e Polícia Federal". É #FAKE. G1 Procurada pelo G1, a Petrobras informa que "as informações que constam neste cartaz, e em áudios com informações semelhantes que circulam em redes sociais, não procedem e não possuem qualquer fundamento". A Polícia Federal, por sua vez, afirma que "não há qualquer informação nesse sentido no âmbito da PF" e que "eventuais solicitações de cessão de servidor para qualquer entidade da administração direta ou indireta são sempre avaliadas nos termos da lei". Mensagens com teor similar ao do cartaz passaram a circular após o presidente Jair Bolsonaro indicar o general Joaquim Silva e Luna para assumir a presidência da Petrobras. O anúncio da troca no comando da petrolífera ocorreu depois de Jair Bolsonaro fazer críticas à gestão da Petrobras e às sucessivas altas no preço dos combustíveis. A Petrobras convocou na terça-feira (23) uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para destituir Roberto Castello Branco da presidência da estatal. Em comunicado, a companhia disse que a AGE vai ser realizada antes da Assembleia Geral Ordinária (AGO) deste ano. A data ainda será definida. É #FAKE que 300 funcionários da Petrobras foram demitidos Reprodução Vídeo: Veja como identificar se uma mensagem é falsa Como identificar se uma mensagem é falsa VEJA outras checagens feitas pela equipe do FATO ou FAKE Initial plugin text Veja Mais

Bovespa opera em alta nesta sexta-feira

G1 Economia Na quinta-feira, principal índice da bolsa caiu 2,95%, a 112.256 pontos - a menor pontuação de fechamento do ano. A bolsa de valores brasileira, a B3, opera em alta nesta sexta-feira (26). Às 10h39, o Ibovespa subia 0,34%, a 112.636 pontos. Veja mais cotações. Na quinta, a bolsa recuou 2,95%, a 112.256 pontos – a pior pontuação do índice em 2021. Na parcial do mês, a bolsa passou a acumular queda de 2,40%. No ano, porém, tem queda de 5,64%. Variação do Ibovespa em 2021 G1 Economia Entenda o que é o Day Trade – e saiba se é possível enriquecer com essa modalidade Cenário Por aqui, permanecem os receios de maior risco fiscal e político após as turbulências provocadas pela decisão do presidente Jair Bolsonaro de trocar o comando da Petrobras. No radar dos investidores também estão as discussões no Congresso sobre a volta do Auxílio Emergencial. O secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, afirmou nesta quinta-feira que um eventual fatiamento da chamada PEC emergencial, separando o auxílio emergencial das contrapartidas de corte de gastos exigidas, é "pior para todos". Auxílio emergencial: Bolsonaro fala em pagar quatro parcelas de R$ 250 na nova rodada Mais cedo, o IBGE divulgou que desemprego no Brasil teve a terceira queda seguida e ficou em 13,9% no trimestre encerrado em dezembro. No entanto, 13,9 milhões de brasileiros ainda estavam desempregados. Já a taxa média de desemprego no ano de 2020 foi de 13,5%, a maior da série iniciada em 2012. Em 2019, foi de 11,9%. 1xVelocidade de reprodução0.5xNormal1.2x1.5x2x 1xVelocidade de reprodução0.5xNormal1.2x1.5x2x Veja Mais

Inscrições para concurso do Banese iniciam nesta sexta-feira

G1 Economia São 45 vagas para cargos de nível médio e superior, com salários iniciais de R$ 2.223,60 a R$ 4.361,79. Agência do Banco do Estado de Sergipe (Banese) Luís Mendonça/Divulgação/Arquivo Iniciam nesta sexta-feira (26), as inscrições para o concurso do Banco do Estado de Sergipe (Banese), com 45 vagas e cadastro de reserva nos cargos de nível médio e superior. A última seleção promovida pelo banco ocorreu em 2011. IBGE lança novos editais com mais de 2,1 mil vagas temporárias para SE Os salários iniciais variam entre R$ 2.223,60 e R$ 4.361,79, com jornada semanal prevista de 30 horas. Também há benefícios como vale-alimentação, vale-refeição, auxílio-creche, gratificação semestral (com regras específicas), vale-transporte, participação nos lucros e resultados, além de assistência médica e odontológica. As inscrições seguem até o dia 22 de março, e as provas serão realizadas no dia 2 de maio. O edital e outras informações podem ser encontradas no site da Cebraspe -- banca organizadora do concurso. De acordo com o Banese, todo o processo seletivo será realizado mediante a observação dos decretos governamentais em relação ao período de pandemia do novo coronavírus. VÍDEOS: mais assistidos do G1 SE nos últimos 7 dias Veja Mais

Emprego: confira 253 vagas ofertadas em 15 municípios de Pernambuco nesta sexta

G1 Economia Do total, dez vagas foram reservadas para pessoas com deficiência. Há vagas para vendedor pracista, operador de empilhadeira, pedreiro, garçom, entre outros. Do total, 15 vagas oferecidas nesta sexta-feira são temporárias Divulgação/Prefeitura de Aparecida de Goiânia Profissionais que estão em busca de uma oportunidade de emprego têm 253 vagas disponíveis através da Agência do Trabalho, da Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação (Seteq), em 15 municípios do estado, nesta sexta-feira (26). Entre as oportunidades, há 12 vagas para pedreiro e outras 15 para servente de obras em Vitória de Santo Antão. Também há chance de contratação para quem quer trabalhar como auxiliar de limpeza, vendedor pracista, garçom, motorista, eletricista, entre outros (confira lista completa mais abaixo). Há vagas no Recife (38), Arcoverde (2), Belo Jardim (14), Bezerros (6), Cabo de Santo Agostinho (9), Camaragibe (25), Caruaru (57), Garanhuns (7), Ipojuca (12), Palmares (10), Petrolina (11), Salgueiro (6), Santa Cruz do Capibaribe (9), Serra Talhada (11) e Vitória de Santo Antão (36). Os interessados devem procurar uma das Agências do Trabalho do estado. O atendimento ocorre preferencialmente com agendamento, feito pelo site da secretaria ou pelo Portal Cidadão. Vagas de emprego Vagas para pessoas com deficiência Vagas temporárias VÍDEOS: Mais assistidos de Pernambuco nos últimos 7 dias Veja Mais

Leilão do 5G: presidente da Anatel propõe implantação gradual de tecnologia de ponta

G1 Economia Proposta diverge do voto do relator do edital, que exigia a construção imediata de uma rede de 5G, tecnologia que promete velocidade de internet bem superior. O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Leonardo Euler e Morais, propôs nesta quinta-feira (25) durante reunião do conselho diretor do órgão a implantação gradual de uma rede de banda larga para 5G, tecnologia que promete uma velocidade de internet bem superior à das tecnologias atualmente disponíveis. Morais fez a proposta ao apresentar o voto em reunião do conselho diretor da Anatel que decide sobre o edital de licitação do leilão do 5G. Em seu voto, o presidente da agência sugeriu que a nova rede seja exigida integralmente somente a partir de 1º de janeiro de 2025. Enquanto isso, poderia ser instalada gradualmente, e as operadoras poderiam usar a infraestrutura que já têm para ofertar o serviço. O voto de Morais divergiu do voto do relator do edital, conselheiro Carlos Baigorri, que propôs que se exigisse das vencedoras do leilão a construção imediata da nova rede 5G, para a oferta do serviço na faixa de 3,5 GHz. (ATUALIZAÇÃO: no início da noite, o conselho diretor da Anatel concluiu a reunião e aprovou o edital do leilão. Prevaleceu, por maioria de votos, a posição do relator. Com a aprovação, a proposta segue agora para avaliação do Tribunal de Contas da União (TCU). Apesar de não ser obrigatório o governo costuma aguardar o aval da corte de contas antes de marcar o leilão. O governo prevê fazer o leilão ainda no primeiro semestre. No leilão, serão ofertadas quatro faixas de frequência: 700 MHz; 2,3 GHz; 26 GHz; e 3,5 GHz.) A faixa de 3,5 GHz é a que desperta mais interesse das empresas de telefonia, por exigir menos investimentos para a implantação da tecnologia. Entenda o que é o 5G e como ele pode revolucionar a tecnologia no Brasil A exigência proposta pelo relator impediria as operadoras de usar redes existentes como a do 4G para ofertar o serviço de 5G. O argumento do relator é que somente com a rede nova o consumidor teria realmente uma experiência de 5G, com velocidade maior que as atualmente disponíveis. Morais defendeu a implantação gradual dessa rede para dar tempo às empresas. “Para um ambiente justo e saudável é fundamental conferir ao agente privado a faculdade de buscar a inovação”, afirmou O voto do relator foi apresentado no último dia 1º, quando o presidente da agência pediu vistas do processo (mais tempo para analisar). Mesmo após o pedido de vistas, outros dois conselheiros da Anatel, Vicente de Aquino Neto e Moisés Moreira, adiantaram seus votos, favoráveis ao relatório de Baigorri. No entanto, eles ainda podem alterá-los. Tecnologia 5G pode movimentar US$ 25 bilhões no Brasil em quatro anos Parabólica Em seu voto, Morais manteve a previsão de que as empresas vencedoras do leilão paguem pela transferência do sinal de parabólicas, que hoje ocupa uma das faixas de frequência a serem usadas para o novo serviço. A proposta prevê que o sinal das parabólicas passe da faixa de 3,5 GHz, que será usada no 5G, para a banda Ku. Essa solução é defendida pelas emissoras comerciais de TV, para as quais é uma medida mais permanente, a fim de evitar interferências e garantir que a TV gratuita continue chegando a todos os que recebem o sinal das emissoras por parabólica no interior do país. Veja Mais

Petrobras vende campos de exploração na Bahia por US$ 220 milhões

G1 Economia Polo Miranga, localizado no estado, produziu 899 barris de óleo por dia em 2020. Petrobras vende campos de exploração localizados na Bahia. Getúlio Moura/Petrobras/Divulgação A Petrobras vendeu para a SPE Miranga S.A., subsidiária da PetroRecôncavo S.A., nove campos terrestres de exploração e produção denominados Polo Miranga, localizados na Bahia. A assinatura do contrato foi feita na quarta-feira (24). Refinaria Landulpho Alves é vendida por US$ 1,65 bilhão Troca de comando na Petrobras: veja perguntas e respostas Castello Branco faz teleconferência com aviso Sucessão na Petrobras: saiba quem são os conselheiros que vão avaliar indicação de Silva e Luna para a presidência da estatal Bolsonaro troca presidente da Petrobras; repercussão De acordo com a estatal, o valor de venda foi de US$ 220,1 milhões. O valor não considera os ajustes devidos até o fechamento da transação, que está sujeito ao cumprimento de condições precedentes, tais como a aprovação pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O Polo Miranga compreende os campos terrestres de Miranga, Fazenda Onça, Riacho São Pedro, Jacuípe, Rio Pipiri, Biriba, Miranga Norte, Apraiús e Sussuarana, localizados na Bahia. A Petrobras é operadora com 100% de participação nessas concessões. A produção média do Polo Miranga de 2020 foi de aproximadamente 899 barris de óleo por dia e 376,8 mil m³/dia de gás natural. A Petrorecôncavo é uma empresa brasileira de óleo e gás com atuação na revitalização e aumento no fator de recuperação de campos maduros onshore. A empresa adquiriu a participação da Petrobras no Polo Riacho da Forquilha em 2019. Em 2020, adquiriu novo bloco exploratório na Bacia Potiguar, e assinou contrato de compra e venda referente à participação da Petrobras no Polo Remanso. Troca de comando Em teleconferência realizada na manhã desta quinta-feira (25), o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, comentou os últimos resultados da estatal. Ele se prepara para deixar a companhia em 20 de março com a decisão do presidente Jair Bolsonaro de indicar o general Joaquim Silva e Luna para o comando da companhia, anunciada na sexta-feira (19). Na transmissão, ele disse que vai trabalhar normalmente até o último dia que ficará no cargo, inclusive no que diz respeito a paridade nos preços de importação O executivo passou a ser criticado por Bolsonaro por promover sucessivos aumentos no preço dos combustíveis para evitar uma defasagem com a cotação praticada no mercado internacional. Veja mais notícias do estado no G1 Bahia. Assista aos vídeos do G1 e TV Bahia f Veja Mais

PEC Emergencial: Bittar retira fim dos pisos constitucionais de Saúde e Educação e lê relatório

G1 Economia Texto abre caminho para retomada do auxílio emergencial e também terá de passar pela Câmara. Senado deve discutir e votar PEC nesta quarta. O senador Márcio Bittar (MDB-AC) leu nesta terça-feira (2), em plenário, o relatório favorável à proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial, que prevê medidas de ajuste fiscal e abre caminho para novos pagamentos do auxílio emergencial às famílias que perderam renda na pandemia de Covid-19. Após pressão de senadores, Bittar cedeu e retirou do texto pontos controversos – como o que colocaria fim aos pisos constitucionais para investimentos em saúde e educação. Com a leitura do relatório em plenário, os senadores devem discutir e votar a proposta nesta quarta-feira (3). Para ser aprovada no Senado, uma PEC precisa do apoio de pelo menos 49 senadores, em dois turnos de aprovação. Depois disso, o texto segue para análise dos deputados. Presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) disse que a maioria dos líderes da Casa concorda com a análise da PEC diretamente no plenário da Câmara, quando a análise for concluída no Senado. Em entrevista, o presidente do Senado disse que proporá que a PEC Emergencial seja votada em dois turnos já nesta quarta-feira (3), quebrando o intervalo regimental de três sessões. “A sociedade brasileira aguarda a vacina e o auxílio emergencial. E o auxílio está contido no bojo desse protocolo fiscal que exige essas contrapartidas para que seja viabilizado”, declarou Pacheco. Análise: a PEC emergencial e os gastos com a saúde e educação PEC Emergencial O objetivo central da PEC é o de criar mecanismos que estabilizem as contas públicas. Hoje, esse trabalho é feito por dois dispositivos já em vigor: a regra de ouro, que proíbe o governo de fazer dívidas para pagar despesas correntes, como salários, benefícios de aposentadoria, contas de luz e outros custeios da máquina pública; e o teto de gastos, que limita os gastos da União à inflação do ano anterior. Segundo a PEC Emergencial, quando a União estiver prestes a descumprir a regra de ouro ou a romper o teto, medidas de contenção de gastos serão adotas automaticamente. Esses "gatilhos" serão acionados no momento em que as despesas corresponderem a 95% das receitas correntes. Se atingido esse valor, o governo federal estará proibido de conceder aumento de salário a servidores, contratar novos funcionários, criar bônus. Risco fiscal: entenda o que é e saiba por que a piora das contas públicas preocupa e pode atrapalhar a retomada da economia A PEC também prevê exceções. O reajuste das remunerações poderá acontecer se determinado por decisão judicial definitiva (transitada em julgado) ou se estiver previsto antes de a PEC começar a valer, por exemplo. Pelo texto, as novas contratações só se darão para repor vagas e cargos de chefia, por exemplo, desde que não signifiquem aumento de despesa. A União será obrigada a tomar tais medidas. Já para estados, Distrito Federal e municípios, essas são opcionais. Se a relação entre despesas e receitas correntes chegar a 85%, governadores e prefeitos poderão recorrer aos gatilhos. Mas, a decisão terá de passar pelas Câmaras Legislativas e Municipais. Caso as despesas representem 95% das receitas, governos estaduais e municipais poderão optar pelas medidas, mas os gatilhos serão adotados de forma separada pelos poderes Executivo, Judiciário e Legislativo. Se os entes não implementarem o pacote de restrições para conter gastos, sofrerão sanções. A União não poderá, por exemplo, garantir empréstimo para um estado que se recusar a disparar seus gatilhos de austeridade. A proposta libera o pagamento do auxílio emergencial fora do teto de gastos. O dinheiro para financiar o benefício virá de créditos extraordinários. Detalhes como valor, quantidade de mensalidades e público alvo serão definidos em outro projeto, que também dependerá do aval do Congresso para valer. A matéria determina que apenas o Congresso pode decretar estado de calamidade pública, desde que solicitado pelo Presidência da República. Nesse cenário, será adotado "regime extraordinário fiscal, financeiro e de contratações". O Executivo terá autorização para promover "processos simplificados de contratação" de pessoal, obras e serviços. Durante a calamidade pública, a União não precisará respeitar determinadas restrições para contratar empréstimos. E políticas criadas pelo Congresso e pelo Executivo não têm de observar travas relacionadas ao aumento de despesas, à concessão ou à ampliação de benefício tributário. Pontos retirados Além da retirada do texto do trecho que acabaria com os investimentos mínimos em saúde e educação, Bittar promoveu outras mudanças no relatório. Hoje, a Constituição prevê que, dos recursos arrecadados por meio das contribuições do PIS/Pasep, 28% deverão ser destinados a iniciativas que recebam incentivo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O PIS e o Pasep são programas que tem por objetivo financiar o seguro-desemprego e o abono. São alimentados pelas contribuições das empresas privadas e dos órgãos públicos. Inicialmente, Bittar propôs a exclusão desse ponto da Constituição. Nesse caso, o BNDES deixaria de receber o percentual. Na versão final do parecer, o relator voltou atrás e manteve o repasse ao banco. De acordo com o parlamentar, o tema poderia "criar um óbice" e prejudicar o andamento da votação. Versão original retirava tetos obrigatórios de Saúde e Educação; veja como era Receita Federal O texto da PEC Emergencial também acaba com uma regra que permite o repasse à Receita Federal de verbas arrecadadas com cobrança de impostos. A Constituição Federal proíbe que essa receita seja vinculada a órgão, fundo ou despesa, mas abre exceções – entre elas, o custeio de "atividades da administração tributária". O relator propõe a exclusão dessa ressalva. O vice-presidente do Senado, Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB), já apresentou sugestão de emenda para excluir esse ponto. Segundo ele, é preciso fortalecer a administração tributária para blindar o Estado de "práticas corruptas que visam a sonegação de tributos". "Preservar a atividade tributária é fundamental pra que os serviços prestados pela Administração Tributária sigam colaborando com o equilíbrio fiscal que a própria PEC se propõe a alcançar, uma vez que tal equilíbrio se dá também pelo lado das receitas, e não somente com o controle de despesas", diz o documento da emenda. O Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Federal também é contrário à mudança proposta por Bittar. Pontos incluídos Ainda sobre a proibição constitucional de vincular a receita de impostos a fundos, o relatório estabelece exceções, diz que pode haver a destinação desses recursos para ações e serviços públicos de saúde e para o desenvolvimento do ensino. Pelo parecer, ficam fora da regra, são beneficiados, portanto, aqueles programas que financiam a graduação de estudantes que não podem custear um curso em uma universidade privada, caso do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). De acordo com o texto, após a promulgação da proposta, o presidente Jair Bolsonaro deverá encaminhar ao Congresso um "plano de redução gradual de incentivos e benefícios federais de natureza tributária". Bittar também incluiu em seu relatório que incentivos ao Programa Universidade para Todos (Prouni), que concede bolsas de estudos em instituições particulares, serão mantidos, não serão mexidos dentro desse plano. Senado de volta às sessões remotas O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), anunciou que após a votação da PEC Emergencial, a Casa voltará ao regime de sessões remotas adotado em 2020 para evitar aglomeração. Atualmente, a Casa funciona em esquema semipresencial, com parte dos senadores fisicamente no plenário e outra parcela, de forma virtual. A decisão foi tomada diante do agravamento da pandemia em Brasília, onde está localizado o Congresso. Veja Mais

Líderes sugerem deixar Bolsa Família fora do teto de gastos

G1 Economia Líderes de partidos debatem votação das PECs emergencial e da imunidade Em reunião de líderes nesta terça-feira (2), ganhou corpo uma proposta para deixar de fora do teto de gastos não apenas o auxílio emergencial a ser pago nos próximos meses, mas todo o programa Bolsa Família. A proposta foi confirmada ao blog por líderes, inclusive o do governo no Senado, Fernando Bezerra. A notícia de que o Congresso negocia deixar o Bolsa Família de fora do teto de gastos caiu como uma bomba na equipe econômica do governo. A Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia divulgou nota nesta em que reforça o argumento de que, sem contrapartidas fiscais para a nova rodada do auxílio emergencial, o Brasil corre o risco de desancorar as expectativas inflacionárias, o que também pode levar ao aumento do risco país e das taxas de juros futuros. O resultado seria o menor crescimento econômico do país. Auxílio Emergencial deve ficar em R$ 250,00 por quatro meses a partir de Março Uma das ideias é deixar os gastos do Bolsa Família e do auxílio emergencial fora do teto de gastos apenas em 2021, o que abriria um espaço de pelo menos R$ 30 bilhões no orçamento deste ano. Para um integrante da equipe econômica ouvido pelo blog, se a proposta for incorporada na PEC Emergencial, a ser votada nesta quarta-feira no Congresso, é o "início do fim" do teto de gastos". A regra estabelece que o governo não pode ampliar gastos de um ano para o outro acima da inflação e indica o compromisso do governo com o equilíbrio das contas públicas. "Seria um péssimo sinal", diz outro integrante do governo. VÍDEOS: auxílio emergencial Veja Mais

Rússia pode reduzir imposto de importação de carne de aves do Brasil, diz RIA

G1 Economia Possível corte de impostos teria como objetivo desacelerar a inflação dos alimentos no país. Medida foi mencionada em uma reunião entre o Ministério da Agricultura e produtores russos de aves. Rússia pode reduzir impostos sobre as importações de carnes de aves do Brasil para desacelerar inflação no país. Agência Estadual de Notícias/Divulgação A Rússia pode reduzir os impostos sobre as importações de carnes de aves do Brasil se o aumento dos preços domésticos não se estabilizar, informou a agência de notícias RIA nesta terça-feira, citando uma fonte do setor. O governo russo impôs restrições à exportação de grãos e outras medidas na tentativa de desacelerar a inflação de alimentos em meio à pandemia de Covid-19 e à queda da renda familiar. O possível corte de impostos foi mencionado em uma reunião de funcionários do Ministério da Agricultura e dos maiores produtores de aves da Rússia na terça-feira, na qual eles discutiram o aumento dos preços de aves e ovos, disse a RIA. Frango e ovos são a proteína animal mais popular disponível para os russos, com a demanda doméstica crescendo nos últimos 12 meses, enquanto a produção de aves da Rússia tem diminuído neste ano, depois que alguns produtores foram atingidos por surtos de gripe aviária. A cota russa de importação de aves para 2021 está fixada em 364.000 toneladas com imposto zero para todos os países. Fora da cota, o imposto sobe para 65%. "Foi notado no encontro que o governo está discutindo a redução do imposto de importação da carne de frango do Brasil, que é um dos principais fornecedores desse produto, como uma possível medida de estabilização. Essa medida poderá ser tomada se outras soluções forem insuficientes", disse a RIA, citando uma fonte. O ministério não respondeu ao pedido da Reuters de comentário sobre um possível corte no imposto sobre a importação de carne de aves do Brasil. Vídeos: tudo sobre agronegócio Veja Mais

Bovespa opera em queda com decisão de aumentar CSLL de bancos

G1 Economia Na segunda-feira, principal índice da bolsa subiu 0,27%, a 110.334 pontos. A bolsa de valores brasileira, a B3, opera em queda acentuada nesta terça-feira (2), com os investidores reagindo à decisão do presidente Jair Bolsonaro de zerar impostos federais sobre diesel e gás de cozinha, medida que será compensada pelo aumento da Contribuição Social sobre Lucro Liquido (CSLL) de instituições financeiras como os bancos. Ao mesmo tempo, as expectativas do mercado giravam em torno das discussões em torno da PEC emergencial. Às 10h16, o Ibovespa tinha queda de 1,91%, a 108.229 pontos. Veja mais cotações. Na segunda-feira, a bolsa fechou em alta de 0,27%, a 110.334 pontos. A semana passada fechou com queda de 6,93%, e o mês de fevereiro terminou com tombo de 4,21%. Na parcial do ano, o Ibovespa cai 7,3%. Entenda o que é o Day Trade – e saiba se é possível enriquecer com essa modalidade Cenário Por aqui permaneciam os receios de maior risco fiscal e as preocupações em torno da grave situação da pandemia de coronavírus no país. Investidores citam também preocupações com uma eventual extensão do Auxílio Emergencial sem contrapartidas, o que poderia agravar ainda mais a perspectiva para as contas públicas e para a recuperação da economia. Na véspera, o presidente Jair Bolsonaro editou decreto no qual zerou as alíquotas de PIS e Cofins que incidem sobre óleo diesel e gás de cozinha, decidindo como contrapartida "majorar" a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) das instituições financeiras, entre outras medidas compensatórias. Variação do Ibovespa em 2021 Economia G1 Veja Mais

Veja os documentos necessários para fazer a declaração do IR 2021

G1 Economia G1 preparou lista com os documentos; envio das declarações vai até 30 de abril. selo home ir imposto de renda 2021 IR2021 Editoria de Arte/G1 Para agilizar a declaração de Imposto de Renda, é importante que o contribuinte tenha em mãos uma série de documentos. O envio das declarações vai até o dia 30 de abril. A expectativa da Receita Federal é que 32 milhões de declarações sejam enviadas até o final do prazo. Desses, estima-se que 60% terão valor a restituir. Quem atrasar a entrega terá de pagar multa de 1% sobre o imposto devido ao mês, com valor mínimo de R$ 165,74 e máximo de 20% do imposto devido. Clique aqui para fazer o download do programa Especialista tira dúvidas sobre o IR 2021; mande sua pergunta SAIBA TUDO SOBRE O IMPOSTO DE RENDA 2021 O G1 preparou a lista de documentos necessários com a ajuda de Daniel Nogueira, especialista em Imposto de Renda da empresa de consultoria e auditoria Crowe. Receita Federal começa a receber declarações do Imposto de Renda 2020 Veja os documentos necessários para a declaração: Renda Informes de rendimentos de instituições financeiras, inclusive corretora de valores; Informes de rendimentos de salários, pró-labore, distribuição de lucros, aposentadoria, pensão etc.; Informes de rendimentos de aluguéis de bens móveis e imóveis recebidos de pessoas jurídicas; Informações e documentos de outras rendas recebidas no ano, como pensão alimentícia, doações e herança; Resumo mensal do livro caixa com memória de cálculo do carnê-leão; DARFs de carnê-leão. Bens e direitos Documentos que comprovem a compra e a venda de bens e direitos; Cópia da matrícula do imóvel e/ou escritura de compra e venda; Boleto do IPTU de 2020; Contratos sociais de empresas em o contribuinte seja sócio. Dívidas e ônus Informações e documentos de dívida e ônus contraídos e/ou pagos no período. Informações gerais Dados da conta bancária para restituição ou débitos das cotas de imposto apurado, caso haja; Nome, CPF, grau de parentesco dos dependentes, data de nascimento e endereço atualizado; Cópia da última declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (completa) entregue; Pagamentos e doações efetuados Recibos de pagamentos ou informe de rendimento de plano ou seguro saúde (com CNPJ da empresa emissora e a indicação do paciente); Despesas médicas e odontológicas em geral (com CNPJ da empresa emissora ou CPF do profissional, com indicação do paciente); Comprovantes de despesas com educação (com CNPJ da empresa emissora com a indicação do aluno); Recibos de doações efetuadas; Comprovante de pagamento de pensão alimentícia em decorrência de decisão judicial por alimentando. Vídeos: Tudo sobre Imposto de Renda 2021 Veja Mais

Exportações de soja do Brasil caem 40% em fevereiro com atraso na colheita

G1 Economia Dado foi divulgado nesta segunda-feira (1º) pela Secretaria de Comércio Exterior. Atraso foi causado pelo plantio tardio e pelas chuvas que dificultam o acesso às lavouras. Soja Divulgação/Agropecuária As exportações brasileiras de soja recuaram 40% em fevereiro em relação ao mesmo mês de 2020, para 2,9 milhões de toneladas, mostraram dados do governo federal nesta segunda-feira (1º). A queda ocorreu em meio a um forte atraso na colheita causado pelo plantio tardio da safra 2020/21 e chuvas que dificultaram o acesso às lavouras. De acordo com a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), as exportações de milho, no entanto, saltaram de 340,26 mil toneladas em fevereiro de 2020, para 822,9 mil toneladas em igual mês deste ano. Soja A produção de soja 2020/21 do Brasil deve alcançar o recorde de 133,48 milhões de toneladas, estimou nesta segunda-feira a consultoria StoneX, com um avanço ante os 132,77 milhões projetados em fevereiro, enquanto a produção de milho foi revisada para baixo após atrasos no plantio da segunda safra. Segundo a StoneX, os volumes mais significativos de chuvas registrados a partir de janeiro beneficiaram o desenvolvimento da oleaginosa, mesmo com preocupações sobre o clima afetando a colheita. "O principal determinante desse crescimento foi a revisão dos números do Rio Grande do Sul, com aumento da área plantada e da produtividade. Também houve melhora dos rendimentos esperados em Goiás", disse a analista de inteligência de mercado da consultoria Ana Luiza Lodi. Ela lembrou que no Rio Grande do Sul o ciclo da soja começa na segunda metade de outubro, e dessa forma o clima de janeiro e fevereiro é determinante para o resultado final. "Mesmo com a irregularidade climática nos primeiros meses do ciclo da soja, as chuvas em janeiro e também em fevereiro permitiram a recuperação das lavouras em algumas áreas, principalmente do que foi plantado mais tarde", acrescentou. Milho Se por um lado as precipitações contribuíram para a produtividade da oleaginosa, por outro elas prejudicaram a colheita, o que consequentemente postergou o plantio do milho segunda safra. A estimativa da StoneX para a produção total de milho no país caiu de 110,2 milhões de toneladas para 108,5 milhões. "As preocupações com o atraso do plantio na safrinha de milho já têm refletido em expectativa de uma produção brasileira mais enxuta do cereal no ciclo 2020/21, junto aos impactos desfavoráveis também na safra de verão", alertou a consultoria. Veja abaixo reportagem do Globo Rural sobre o atraso do plantio do milho em MT: Plantio do milho atrasa em Mato Grosso A perspectiva leva em consideração as análises da StoneX para o cereal das safras de verão e inverno e o número da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a terceira safra, de 1,78 milhão de toneladas. Para a primeira safra de milho 2020/21, a consultoria cortou sua previsão em 3,1%, ante a divulgação de fevereiro, para 25,4 milhões de toneladas. "Apesar da melhora na produtividade da safra gaúcha, causada pela condição climática favorável ao rendimento do grão no nordeste do Estado, a maior produção no Rio Grande do Sul não foi capaz de compensar a redução na Bahia e em Goiás", explicou o analista de inteligência de mercado João Pedro Lopes. Em relação à safrinha, a StoneX trouxe uma queda em sua estimativa mensal, de 82,4 milhões para 81,3 milhões de toneladas (-1,3%). Contudo, mesmo com o recuo o volume, ainda representaria um recorde de produção. "O corte foi motivado pela contração da produtividade em Mato Grosso e no Matopi (região que compreende os Estados do Maranhão, Tocantins e Piauí). Devido ao considerável atraso do plantio nessas regiões, boa parte da área deverá ser semeada fora da janela ideal, tornando a safra de inverno ainda mais arriscada", disse Lopes. O analista ainda alerta que modelos climáticos apontam para uma ocorrência de chuvas acima do normal ao longo das próximas semanas, com exceção da região Sul, o que pode provocar novos atrasos para a safrinha de milho. Veja Mais

Parque temático da Peppa Pig será inaugurado em 2022 na Flórida

G1 Economia Atração será localizada no Legoland Resort, mas terá vendas de ingressos independentes. "Poças de lama", brinquedos e paisagens lúdicas serão algumas das recreações. Peppa Pig terá parque temático na Flórida Divulgação A Merlin Entertainments, que opera atrações como os aquários Sea Life e o museu de figuras de cera Madame Tussauds, anunciou um inédito parque temático da Peppa Pig na Flórida, nos Estados Unidos. O parque será inaugurado em 2022 e fará parte do complexo Legoland Florida Resort. O parque será autônomo, ou seja, os ingressos serão vendidos de forma independente do Legoland, em Winter Haven - apesar de oferecer modalidades que dão acesso ao parque aquático e ao voltado ao mundo do Lego. De acordo com a empresa, no parque da Peppa Pig, as crianças e seus familiares reconhecerão locais e paisagens lúdicos retirados da animação britânica, além da oferta de brinquedos, atrações interativas, áreas de lazer com "poças de lama" e água, e shows ao vivo. Mais detalhes serão divulgados em breve. Parque temático da Peppa Pig terá até "poças de lama" Divulgação "Trabalhando com nossos parceiros na Hasbro, estamos entusiasmados em dar o próximo passo na criação deste parque temático totalmente envolvente, que dará vida ainda mais às imagens, sons e experiências que o público familiar conhece e ama muito do mundo da Peppa", disse o diretor de desenvolvimento da Merlin, Mark Fisher. A Hasbro é a detentora da marca Peppa Pig. A animação é transmitida em 180 territórios pelo mundo e em 40 idiomas diferentes. "Com um profundo conhecimento da marca Peppa Pig, estamos animados para ver como Merlin traz os cheiros e poças de lama para nossos fãs mais jovens", disse o vice-presidente de entretenimento da Hasbro, Matt Proulx. VÍDEOS: as últimas notícias de economia Veja Mais

Governo quer que fundo de empresas assuma risco de efeito colateral de vacina da Pfizer

G1 Economia O governo federal quer que o setor privado atue como uma ponte na compra de doses da vacina da Pfizer/Biontech, assumindo as cláusulas e seguros exigidos pelo laboratório para vender o imunizante, criticadas pelo presidente da República e outras autoridades brasileiras. A possibilidade foi discutida em reunião na noite deste domingo, no Palácio da Alvorada, entre o presidente da República, Jair Bolsonaro, os presidentes da Câmara, Arthur Lira, e do Senado, Rodrigo Pacheco, e os ministros da Casa Civil, Saúde e Secretaria de Governo. Relatos feitos ao blog por participantes da reunião dizem que foi apresentada a proposta de o governo federal entrar com os recursos e a intenção de compra, já que o laboratório afirma que irá priorizar a venda para governo, mas com a negociação feita por um consórcio de empresas privadas. Desta forma, a iniciativa privada iria formar um fundo para assumir o ônus de cláusulas que determinam a isenção de responsabilidade do laboratório farmacêutico em caso de efeitos colaterais inesperados do imunizante. Cláusula de responsabilidade por eventuais efeitos colaterais da vacina é obstáculo para acordo entre governo federal e Pfizer Um seguro internacional poderia ser contratado para arcar com possíveis ações. Este ponto tem sido o principal entrave para a compra, pelo governo federal, das doses da vacina da Pfizer, que já é utilizada em diversos países como EUA, Israel e Canadá. Na reunião, foi discutido que a iniciativa privada teria mais facilidade que o governo, sujeito a órgãos de controle, para tratar das exigências. A discussão será levada ao Congresso. A Pfizer ofereceu ao governo brasileiro 100 milhões de doses do imunizante, mas as negociações não prosperam porque as autoridades criticam os termos do contrato. O laboratório afirma que as mesmas cláusulas foram aceitas no mundo inteiro. A vacina da Pfizer Biotech obteve a aprovação do registro definitivo da Anvisa no último dia 23 de fevereiro. VÍDEOS: veja mais notícias sobre vacinas contra a Covid-19 Veja Mais

Educação Financeira #130: Brasil tem 42 milhões de superendividados; ouça dicas para sair dessa situação

G1 Economia Superendividados são aquelas pessoas que perderam completamente o controle do seu orçamento. No vermelho, não têm dinheiro para compras básicas e para pagar tudo o que devem. Milhões de brasileiros vivem uma situação dramática. São os chamados superendividados, aquele grupo de pessoas que perdeu completamente o controle do seu orçamento. No vermelho, não têm dinheiro para compras básicas e para pagar tudo o que devem. No Brasil, o Procon de São Paulo estima que existam 42 milhões de superendividados, um contingente equivalente à população da Argentina. Um superendividado costuma precisar de orientação externa para acertar o seu orçamento. Há grupos de ajudas conduzidos pelo Procon (clique aqui para saber mais) e pelos Devedores Anônimos (clique aqui) que podem ser fundamentais para quem precisa se recuperar financeiramente. Neste episódio de educação financeira do G1, participam a professora e consultora de psicologia econômica e educação financeira Vera Rita de Mello Ferreira e o diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez. Duas integrantes do Devedores Anônimos também dão o seu depoimento. O que são podcasts? Podcasts são episódios de programas de áudio distribuídos pela internet e que podem ser apreciados em diversas plataformas — inclusive no G1, no GE.com e no Gshow, de modo gratuito. Os conteúdos podem ser ouvidos sob demanda, ou seja, quando e como você quiser! Geralmente, os podcasts costumam abordar um tema específico e de aprofundamento na tentativa de construir um público fiel. VÍDEOS: Últimas notícias de Economia: Veja Mais

Quase 120 concursos públicos com inscrições abertas reúnem 212,5 mil vagas em todo o país

G1 Economia Salários chegam a R$ 21.227,68 na Prefeitura de Guaraciaba (SC); só no IBGE são mais de 200 mil vagas. IBGE oferece mais de 200 mil vagas para o Censo 2021 Divulgação Pelo menos 116 concursos públicos no país estão com inscrições abertas nesta segunda-feira (1) e reúnem 212,5 mil vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 21.227,68 na Prefeitura de Guaraciaba (SC). Só no IBGE são mais de 200 mil vagas de nível fundamental e médio. CONFIRA AQUI A LISTA COMPLETA DE CONCURSOS E OPORTUNIDADES Além das vagas abertas, há concursos para formação de cadastro de reserva – ou seja, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso. Entre os principais concursos federais abertos estão: Aeronáutica, para 223 vagas de nível médio Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), para cadastro de reserva em cargos de nível superior Conselho Federal de Química, para 270 vagas de nível superior Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), para 22.409 vagas de nível médio e outro para 181.898 vagas de nível fundamental Marinha, dois para 980 vagas de nível médio e outro para 33 vagas de músicos Ministério da Economia, que oferece 590 vagas Nesta segunda-feira, pelo menos 14 órgãos abrem o prazo de inscrições para 474 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 14.810,76 na Prefeitura de São Bento do Sul (SC). Veja abaixo as informações de cada concurso: Marinha Inscrições: até 13/04/2021 33 vagas Cargos de nível médio Veja o edital Prefeitura de Apiacás (MT) Inscrições: até 12/03/2021 4 vagas Salários de até R$ 4.019,46 Cargos de nível superior Veja o edital Prefeitura de Baliza (GO) Inscrições: até 05/03/2021 43 vagas Salários de até R$ 1.841,51 Cargos de nível fundamental e médio Veja o edital Prefeitura de Bela Vista de Goiás (GO) Inscrições: até 02/03/2021 4 vagas Salários de até R$ 1.500,00 Cargos de nível fundamental Veja o edital Prefeitura de Bela Vista do Toldo (SC) Inscrições: até 02/03/2021 5 vagas Salários de até R$ 2.886,15 Cargos de nível médio e superior Veja o edital Prefeitura de Benjamin Constant (AM) Inscrições: até 03/03/2021 172 vagas Salários de até R$ 1.443,12 Cargos de nível superior Veja o edital Prefeitura de Catalão (GO) Inscrições: até 03/03/2021 15 vagas Salários de até R$ 1.600,00 Cargos de nível fundamental e superior Veja o edital Prefeitura de Curvelo (MG) Inscrições: até 05/03/2021 10 vagas Salários de até R$ 3.614,54 Cargos de nível médio e superior Veja o edital Prefeitura de Espírito Santo do Dourado (MG) Inscrições: até 11/03/2021 51 vagas Salários de até R$ 8.312,93 Cargos de nível fundamental, médio e superior Veja o edital Prefeitura de Ibiraçu (ES) Inscrições: até 02/03/2021 4 vagas Salários de até R$ 2.190,51 Cargos de nível fundamental, médio e superior Veja o edital Prefeitura de Independência (RS) Inscrições: até 03/03/2021 5 vagas Salários de até R$ 1.546,38 Cargos de nível médio e superior Veja o edital Prefeitura de Itiquira (MT) Inscrições: até 12/03/2021 118 vagas Salários de até R$ 10.777,93 Cargos de nível fundamental, médio e superior Veja o edital Prefeitura de Pedro Gomes (MS) Inscrições: até 05/03/2021 10 vagas Salários de até R$ 942,02 Cargos de nível fundamental Veja o edital Prefeitura de São Bento do Sul (SC) Inscrições: até 07/03/2021 Cadastro de reserva Salários de até R$ 14.810,76 Cargos de nível fundamental, médio e superior Veja o edital Veja Mais

Facebook vai pagar US$ 650 milhões para encerrar processo de violação de privacidade nos EUA

G1 Economia Decisão de juiz federal tomada na sexta-feira (26) encerrou processo de 2015 que alegava que a rede social coletava dados biométricos para identificar rostos, violando uma lei de Illinois. Homem usa aplicativo do Facebook no celular. Dado Ruvic/Reuters Um juiz federal americano aprovou o pagamento de US$ 650 milhões pelo Facebook para encerrar um conflito de privacidade com 1,6 milhão de usuários do estado de Illinois. A decisão foi tomada na última sexta-feira (26), segundo documentos acessados pela agência de notícias AFP neste domingo. O advogado de Chicago Jay Edelson entrou com o processo em 2015, alegando que o Facebook coletava ilegalmente dados biométricos para identificar rostos, violando uma lei de privacidade de Illinois. Lei Geral de Proteção de Dados: veja perguntas e respostas Em janeiro de 2020, a empresa concordou em pagar US$ 550 milhões, após uma tentativa fracassada de anular o litígio, que se tornou uma ação coletiva em 2018. Meses depois, em julho, o juiz do caso, James Donato, determinou que o valor era insuficiente. Durante o julgamento, ficou provado que o Facebook armazenava dados biométricos dos usuários (scanners digitais de seus rostos) sem o consentimento dos mesmos. Em 2019, a rede social propôs que a função de reconhecimento facial fosse opcional. Para Donato, a decisão é histórica e representa "uma vitória importante para os consumidores, no polêmico âmbito da privacidade digital. É um dos maiores acordos já fechados envolvendo a violação de privacidade", comentou, assinalando que cada demandante receberá ao menos US$ 345 em conceito de indenização. Em 2019, o Facebook chegou a pagar uma multa recorde de US$ 5 bilhões para encerrar uma investigação do governo americano sobre suas práticas de privacidade. VÍDEOS: segurança digital Veja Mais

Agricultores do RJ pedem indicação geográfica para a laranja Tanguá

G1 Economia Selo é uma certificação para produtos típicos de uma localidade ou região. Fruta é cultivada nas cidades de Tanguá, Itaboraí, Rio Bonito e Araruama e, segundo produtores, não é possível produzi-la em outros locais. Agricultores do RJ pedem indicação geográfica para a laranja Tanguá Agricultores do Rio de Janeiro entraram com um pedido de indicação geográfica para a laranja Tanguá no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Este selo é uma certificação para produtos típicos de uma localidade ou região. A fruta é cultivada nas cidades de Tanguá, Itaboraí, Rio Bonito e Araruama e, segundo produtores, não é possível produzi-la em outros locais. Assista a todos os vídeos do Globo Rural A laranja de Tanguá é o primeiro produto agrícola da região metropolitana do Rio a pleitear indicação geográfica. Técnicos afirmam que o solo da região, o relevo e o clima contribuem para a doçura da fruta. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural Veja Mais

Conheça a extração da piaçava, fibra natural retirada de uma palmeira nativa

G1 Economia Usada há séculos no Brasil, sua produção é maior no Sul da Bahia, onde um agricultor faz um cultivo racional voltado para comercialização. Reveja reportagem especial. Conheça a extração da piaçava, fibra natural retirada de uma palmeira nativa Na série de melhores do Globo Rural, reveja como é feita a extração comercial da piaçava, fibra natural retirada de uma palmeira nativa e usada há séculos no Brasil. Assista a todos os vídeos do Globo Rural Sua produção é mais forte no Sul do Bahia, onde um agricultor tem feito um cultivo racional, voltado para comercialização. Leia mais. Com a queda das vendas no mercado interno, os produtores de piaçava estão de olho na exportação da fibra natural, que pode atrair compradores estrangeiros que valorizam produtos sustentáveis. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural Veja Mais

Sistema usa choques para impedir roubos de carga de caminhões

G1 Economia Empresa criou painéis que cobrem a carroceria e dificultam a perfuração. Se mesmo assim, criminosos romperem a estrutura, a blindagem elétrica entra em ação. Sistema usa choques para impedir roubos de carga de caminhões O roubo de carga é um grave problema de segurança no Brasil e gera prejuízo para muitas empresas do setor. Uma solução é cobrir a carroceria do caminhão com painéis super-resistentes. Veja todos os vídeos do PEGN “São vários materiais que juntos dificultam a vida do bandido. Por exemplo, um deles dificulta a perfuração, o outro a precisão do corte”, explica Enrico Rebuzzi, CEO da empresa de segurança que faz os painéis. Se mesmo assim os criminosos romperem a estrutura, vem a próxima barreira: placas de fios que dão choque. O sistema ainda dispara uma sirene e aciona uma central de monitoramento, que avisa à polícia. A empresa levou dois anos para desenvolver a blindagem elétrica e dobrou o faturamento em 2020. Na verdade, o sistema funciona como um “espanta ladrão”. “Em mais de dois anos de operação nunca tivemos nenhuma tentativa de roubo em caminhões equipados com a blindagem elétrica”, afirma Enrico. A empresa já instalou a blindagem em cem caminhões e vendeu mais de 12 mil bloqueadores, que travam o funcionamento do veículo. O sistema completo custa a partir de R$ 75 mil, conforme o tamanho do veículo e uma mensalidade de R$ 300 para monitoramento. T4S Tecnologia Rua José Pereira Sobrinho, 547 - Jardim Mutinga Barueri – SP, 06463-283 Telefone: (11) 97201-6550 www.t4stecnologia.com E-mail:comercial@t4stecnologia.com.br Instagram: t4stecnologia1 Facebook: https://www.facebook.com/T4STENCOLOGIA Veja os vídeos mais assistidos do PEGN: Veja Mais

Idosos que trabalham na zona rural recebem primeira dose da vacina contra a Covid-19 em Piedade

G1 Economia População idosa do município é de quase sete mil. Muitos trabalham nas lavouras. Idosos que trabalham na zona rural recebem primeira dose da vacina contra a Covid-19 em Piedade TV TEM/Reprodução Logo cedo, Fumiko Nishio tem um ritual diário: vai para a frente de casa, coloca as botas, o lenço na cabeça e boné para se proteger do sol. De uns tempos para cá, por conta da pandemia, acrescentou a higienização das mãos com álcool em gel. Só depois de tudo isso é que ela vai para a roça trabalhar, dando continuidade a uma rotina de quase 60 anos. Desde 1962, quando chegou ao Brasil, Fumiko mora em Piedade (SP), município com tradição na agricultura e que tem mais de 10% da população composta por idosos. São 6.618 e parte deles já recebeu a primeira dose da vacina contra a Covid-19. Fumiko, de 87 anos, faz parte deste grupo, e mostra com alegria o cartão de vacinação. Ela não é um caso isolado, pois Piedade é um município com vocação rural e muitos idosos, mesmo depois de aposentados, continuam trabalhando na roça. Na propriedade dos agricultores Rosa e Bruno Kamauer, a dedicação à lavoura vem de uma vida inteira. (Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 28/02/2021) Idosos que trabalham na zona rural recebem primeira dose da vacina em Piedade Ele está com 85 anos de idade. Na roça, cultiva couve, pepino, vagem. Todo dia vai até as plantações ver como estão. O que está bom ele colhe, parte das hortaliças é vendida, mas a maioria o agricultor acaba doando para conhecidos, vizinhos, algo que ele se alegra em fazer. Rosa acompanha de longe o marido trabalhando. É que há cinco anos ela sofreu um acidente e não pode ir mais para a lavoura. A preocupação com a saúde da esposa não termina por aí. É que ele, por ter 85 anos, já tomou a primeira dose da vacina contra a Covid-19, mas ela, com 84, ainda não. O casal não vê a hora que esse dia chegue e eles possam ficar menos preocupados. Mas uma coisa eles sabem: mesmo após a vacina é preciso manter os cuidados com a saúde. É o que reforça a médica infectologista Naihma Salum Fontana. O recado é diretamente para os idosos que trabalham na zona rural. Ela orienta que eles continuem mantendo o isolamento social até receberem a segunda dose da vacina. Ela explica que somente 30 dias após receber a segunda dose é que é possível afirmar a eficácia completa da vacinação. Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes sociais Confira as últimas notícias do Nosso Campo Veja Mais

Veja os destaques do Globo Rural deste domingo (28/02/2021)

G1 Economia O programa vai mostrar os pedidos de selo de origem para o queijo cabacinha em Goiás, e para a laranja Tanguá no Rio de Janeiro. Tem ainda reexibição da Folia das Almas em Minas Gerais, rito popular do campo que canta e reza para os mortos. Veja os destaques do Globo Rural deste domingo (28/02/2021) O Globo Rural deste domingo (28) mostra os pedidos de indicação geográfica para o queijo cabacinha em Goiás, e para a laranja Tanguá, no Rio de Janeiro. O selo é uma certificação para produtos típicos de uma localidade ou região. Assista a todos os vídeos do Globo Rural E na série de melhores reportagens do programa, relembre ainda a Folia das Almas, rito popular do campo que canta e reza para os mortos, e reveja a pesca do mapará, sustento de famílias das ilhas do baixo Tocantins. Não perca, o Globo Rural começa a partir das 8h30. Veja os vídeos mais assistidos do Globo Rural Veja Mais

Justiça Federal de MG nega pedido para impedir posse de general indicado por Bolsonaro para a Petrobras

G1 Economia Além de indeferir a ação, o juiz federal também extinguiu o processo. Presidente indicou general da reserva para assumir a estatal depois de demonstrar irritação com a alta dos preços dos combustíveis. General Joaquim Silva e Luna foi indicado por Bolsonaro para a presidência da Petrobras JN O juiz da 7ª Vara da Justiça Federal da 1ª Região, em Belo Horizonte, André Prado de Vasconcelos, negou nesta sexta-feira (26) pedido de liminar que procurava impedir a saída do atual presidente da Petrobras e uma possível posse do general Joaquim Silva e Luna, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para o cargo. O magistrado chegou a determinar, na segunda-feira (22), 72 horas para que a União, Bolsonaro e a Petrobras se manifestassem sobre a indicação do militar. Nesta quinta-feira (25), a Advocacia Geral da União (AGU) disse que não havia irregularidades ou infrações legais na escolha. Troca de comando na Petrobras: veja perguntas e respostas De saída da presidência da Petrobras, Castello Branco faz teleconferência com aviso: 'mind the gap' Bolsonaro fez o anúncio no dia 19 de fevereiro. O general é o atual diretor da Itaipu Binacional. Se confirmado, Silva e Luna substituirá o atual chefe da estatal, Roberto Castello Branco, indicado pelo presidente após as eleições de 2018. Além de indeferir o pedido de liminar, o juiz extinguiu o processo, alegando que o meio proposto - uma ação popular - foi inadequada. A ação foi impetrada pelos advogados Daniel Perrelli Lança e Gabriel Senra na segunda-feira (22). De acordo com Lança, o magistrado não entrou no mérito da questão que seria se o general tem ou não condições de assumir o cargo. Na ação, os advogados alegam que o presidente está nitidamente constrangendo o Conselho de Administração, interferindo na estatal por interesses político-ideológicos. Além disso, Luna e Silva não preencheria os requisitos para ser presidente da Petrobras. Segundo a lei das estatais, a lei 13.303/2016, os membros do Conselho de Administração e os indicados para os cargos de diretor, inclusive presidente, diretor-geral e diretor-presidente, devem ter dez anos de experiência na área de atuação da empresa, além de ter formação acadêmica compatível com o cargo para o qual foi indicado. Já a AGU disse que "as alegações dos autores não passam de conjecturas e ilações, desprovidas de qualquer elemento fático robusto, prestando-se apenas para contribuir para o ambiente de conflagração política, especulação no mercado de capitais e insegurança jurídica, que se formou em torno da uma escolha legítima de substituição de um membro do Conselho de Administração da Petrobras." Indicação Silva e Luna deverá se tornar o primeiro militar a assumir o comando da Petrobras desde 1989, quando o oficial da Marinha Orlando Galvão Filho deixou o cargo. A estatal foi comandada por militares durante a maior parte do período ditatorial e chegou a ser capitaneada entre 1969 e 1973 pelo general Ernesto Geisel, que viria a se tornar presidente da República nos cinco anos seguintes. O anúncio aconteceu após Jair Bolsonaro fazer críticas à gestão da Petrobras e às sucessivas altas no preço dos combustíveis. O presidente afirmou que o último reajuste de preço da Petrobras foi “fora da curva”. Ele se referia ao quarto aumento do ano, de 10% na gasolina e 15% no diesel. Castello Branco foi uma indicação do ministro da Economia, Paulo Guedes, ao presidente Bolsonaro. O ministro, no entanto, não se manifestou sobre a troca no comando da estatal até o momento. Veja os vídeos mais vistos do G1 Minas: Veja Mais

Financiamento imobiliário cresce 78% em janeiro e tem recorde para o mês, diz Abecip

G1 Economia Os financiamentos atingiram um montante de R$ 12,29 bilhões no último mês, contra R$ 7,14 bilhões somados no mesmo período do ano passado. Os financiamentos imobiliários atingiram, no último mês de janeiro, o maior volume nominal mensal registrado em um mês de janeiro na série histórica, iniciada em 1994. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (26) pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). De acordo com a associação, os financiamentos atingiram R$ 12,29 bilhões no último mês, representando um aumento de 72% em relação ao mesmo período de 2020, quando somaram R$ 7,14 bilhões. Em comparação com dezembro, quando tradicionalmente os números são maiores, o resultado de janeiro de 2021 foi 29,7% menor. Já no acumulado dos últimos 12 meses, iniciando por fevereiro de 2020, o montante financiado foi de R$ 129,12 bilhões, alta de 59,9% em relação ao mesmo período anterior. Unidades financiadas Em janeiro de 2021, nas modalidades de aquisição e construção, foram financiados 55,1 mil imóveis. O número é 97,4% maior em relação a janeiro do ano passado. Quando a comparação é feita com dezembro de 2020, a queda é de apenas 1,6%. Considerando o acumulado dos últimos 12 meses, iniciando por fevereiro do ano passado, 453,9 mil imóveis foram financiados com recursos da poupança - crescimento de 48,5%. VÍDEOS: veja as últimas notícias de economia Veja Mais

Número de brasileiros com carteira assinada é o menor desde 2012, mostra IBGE

G1 Economia Em 2020, média anual ficou em 30,6 milhões de pessoas, com queda de 7,8% (menos 2,6 milhões) em relação a 2019. O número de trabalhadores com carteira assinada caiu em 2020 para o menor contingente já registrado pela série histórica da pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, iniciada em 2012. De acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), a média anual ficou em 30,6 milhões de pessoas, uma queda de 7,8% (menos 2,6 milhões) em relação a 2019, quando o número de empregados formais somou 33,2 milhões. Em 2014, chegou a 36,4 milhões. No 4º trimestre, o número de pessoas com carteira de trabalho assinada no setor privado foi estimado em 29,9 milhões de pessoas, o que corresponde a uma alta de 1,8% (mais de 519 mil) frente ao trimestre anterior, mas tombo de 11,2% (menos 3,8 milhões de pessoas) na comparação com o mesmo período de 2019. Taxa média de desemprego em 2020 é a maior já registrada pelo IBGE Falta de trabalho atinge 32 milhões de brasileiros no final de 2020 Em 2020, país registrou o menor contingente tanto de carteira assinada quanto não assinada no mercado de trabalho Economia/G1 O número de empregados sem carteira assinada também foi o menor da série. A média anual foi de 9,7 milhões de pessoas, queda 16,5% (menos 1,9 milhão) em relação a 2019. Já o contingente de trabalhadores por conta própria somou 22,7 milhões na média anual de 2020 e caiu 6,2% (menos 1,5 milhão de pessoas) na comparação com o ano anterior. O total de empregadores também caiu em 2020. A média anual recuou 8,5% frente a 2019, passando de 4,4 milhões para 4 milhões. 7,3 milhões perderam a ocupação em 2020 Economia G1 Na média anual, a população ocupada reduziu 7,3 milhões de pessoas, para 86,1 milhões, chegando também ao menor número da série anual. “Pela primeira vez na série anual, menos da metade da população em idade para trabalhar estava ocupada no país. Em 2020, o nível de ocupação foi de 49,4%”, destacou a analista da pesquisa do IBGE, Adriana Beringuy. Governo fala em 'retomada vigorosa' A Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia avaliou, em nota, que os dados do Caged e do IBGE mostram uma "retomada vigorosa do emprego" no último trimestre do ano passado, principalmente no setor informal. "À medida que a atividade se recupera ao longo de 2021, principalmente o setor de serviços, o total de trabalhadores informais se elevará, reduzindo o contingente de pessoas sem emprego na força de trabalho ampliada", afirmou. Brasil criou 142 mil postos formais de trabalho em 2020, segundo governo Brasil fecha o ano com maior taxa média de desemprego desde 2012 Veja Mais

Renda domiciliar per capita caiu em 2020, para R$ 1.380, diz IBGE

G1 Economia Valor é 4,1% menor que o rendimento médio nacional nominal registrado em 2019, sem considerar os efeitos da inflação. O rendimento domiciliar per capita do Brasil ficou em R$ 1.380 em 2020, conforme levantamento divulgado nesta sexta-feira (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (Pnad Contínua). O valor é 4,1% menor que o rendimento médio nacional nominal registrado em 2019, de R$ 1.439 , sem considerar os efeitos da inflação. De acordo com o levantamento, o maior rendimento per capita foi observado no Distrito Federal (R$ 2.475) – quase o dobro da média nacional. Já o menor foi registrado no Maranhão, onde foi de apenas R$ 676, menos da metade que a média nacional. Em São Paulo e no Rio de Janeiro foi de R$ 1.814 e R$ 1.723, respectivamente. Em 2020, 13 estados brasileiros registaram média da renda domiciliar per capita menor que o salário mínimo nacional vigente no ano, que foi de R$ 1.045. Segundo o IBGE, o rendimento domiciliar per capita é o resultado da soma da renda recebida por cada morador, dividido pelo total de moradores do domicílio. O cálculo inclui pensionistas, domésticos e seus familiares. Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (Pnad Contínua). Essas estimativas servem para o rateio do Fundo de Participação dos Estados (FPE), conforme definido pela Lei Complementar nº 143, de julho de 2013. Rendimento médio domiciliar per capita 2020 Economia G1 Veja o rendimento nominal mensal domiciliar per capita em 2020, por estado: Rondônia: R$ 1.169 Acre: R$ 917 Amazonas: R$ 852 Roraima: R$ 983 Pará: R$ 883 Amapá: R$ 893 Tocantins: R$ 1.060 Maranhão: R$ 676 Piauí: R$ 859 Ceará: R$ 1.028 Rio Grande do Norte: R$ 1.077 Paraíba: R$ 892 Pernambuco: R$ 897 Alagoas: R$ 796 Sergipe: R$ 1.028 Bahia: R$ 965 Minas Gerais: R$ 1.314 Espírito Santo: R$ 1.347 Rio de Janeiro: R$ 1.723 São Paulo: R$ 1.814 Paraná: R$ 1.508 Santa Catarina: R$ 1.632 Rio Grande do Sul: R$ 1.759 Mato Grosso do Sul: R$ 1.488 Mato Grosso: R$ 1.401 Goiás: R$ 1.258 Distrito Federal: R$ 2.475 Dados divulgados mais pelo cedo IBGE mostraram que o rendimento médio real habitual caiu 4,2% na passagem do terceiro para o quarto trimestre de 2020, em R$ 2.507. Já a média anual ficou em R$ 2.543, com crescimento de (4,7%) em relação a 2019. Taxa de desemprego fica em 13,9% no quarto trimestre de 2020, diz IBGE Veja Mais

Confiança da indústria do Brasil cai e tem menor nível em 5 meses, diz FGV

G1 Economia Nos serviços, confiança também recuou em fevereiro, pelo segundo mês seguido. A confiança da indústria no Brasil recuou pela segunda vez seguida em fevereiro diante de uma insatisfação geral e chegou ao menor nível em cinco meses, de acordo com os dados da Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgados nesta sexta-feira (26). O Índice de Confiança da Indústria (ICI) caiu 3,4 pontos e foi a 107,9 pontos em fevereiro, nível mais baixo desde os 106,7 pontos vistos em setembro de 2020. "A confiança da indústria caiu pelo segundo mês consecutivo influenciada por uma diminuição da satisfação dos empresários com relação ao momento atual e da redução do otimismo em relação aos próximos meses", disse em nota Viviane Seda Bittencourt, coordenadora das sondagens da FGV Ibre. Confiança da indústria - fevereiro/2021 Economia G1 Houve queda tanto na percepção sobre a situação atual (-1,4 ponto) quanto nas perspectivas para os próximos meses (-5,4 pontos). A produção da indústria brasileira registrou em dezembro o oitavo aumento seguido, mas ainda assim encerrou 2020 com a maior queda em quatro anos, de 4,5%, diante das consequências da pandemia de coronavírus. Serviços Nos serviços, a percepção também sofreu piora este mês: o índice de confiança caiu 2,3 pontos, para 83,2, na segunda queda mensal seguida. O Índice de Situação Atual (ISA-S) cedeu 1,4 ponto, para 78,6 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE-S) teve queda de 3,3 pontos, para leitura de 88,0. "O setor, principalmente no que tange aos serviços prestados às famílias, é o que mais tem sofrido na pandemia", explicou em nota Rodolpho Tobler, economista da FGV Ibre. "Apesar do início da vacinação, o aumento do número de casos e a velocidade da imunização da população devem determinar o ritmo de recuperação considerando que isso afeta diretamente na cautela dos consumidores", completou, acrescentando que o caminho daqui para frente é "bastante desafiador". Confiança dos serviços - fevereiro de 2021 Economia G1 Um ano depois do primeiro caso de Covid-19 registrado no país, o Brasil tem mais de 250 mil mortes e uma doença fora de controle, e vários Estados vivem uma segunda onda pior do que a primeira mediante o avanço do vírus por cidades do interior e com a disseminação de uma nova variante mais transmissível. Veja Mais

Concurso IBGE/Censo 2021: veja dicas de estudo para as provas de recenseador

G1 Economia Para especialistas, apesar de a prova ter apenas quatro matérias, o candidato não deve relaxar, pois a concorrência será grande; veja como se organizar e o que priorizar na preparação. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) reabriu o aguardado concurso com 204.307 vagas temporárias para a realização do Censo Demográfico 2021. Só para recenseador são 181.898 vagas. Outras 22.409 vagas são para agente censitário. VEJA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O CONCURSO Concurso IBGE/Censo 2021: veja detalhes em alguns estados Veja como serão distribuídas as vagas do concurso do IBGE VEJA LISTA COMPLETA DE CONCURSOS VEJA VAGAS DE EMPREGO PELO PAÍS IBGE abre inscrições para 181.898 vagas de recenseador A prova objetiva para recenseador, que será aplicada em 25 de abril, será dividida da seguinte forma: 10 questões de Língua Portuguesa 10 questões de Matemática 5 questões sobre Ética no Serviço Público 25 questões de Conhecimentos Técnicos As questões da prova objetiva serão do tipo múltipla escolha. Será aprovado o candidato que obtiver no mínimo 15 pontos e no mínimo um acerto em cada uma das disciplinas. Em caso de empate na nota final no processo seletivo simplificado, terá preferência o candidato que, na seguinte ordem: obtiver maior nota na disciplina Conhecimentos técnicos; obtiver maior nota na disciplina Língua Portuguesa; obtiver maior nota na disciplina Ética no Serviço Público. Para os especialistas, apesar de a prova para recenseador ter apenas quatro matérias, o candidato não deve relaxar, pois a concorrência será grande, devido ao desemprego recorde e pelo fato de o cargo de recenseador exigir o nível fundamental completo. Veja abaixo as dicas de estudo para o concurso. Dicas gerais Fernando Bentes, diretor acadêmico do Qconcursos.com e professor de direito constitucional da UFRRJ, aconselha o candidato a estudar todas as matérias ao mesmo tempo. “Assim, o candidato vai estar sempre relembrando tudo, sem intervalos longos de semanas ou meses entre o aprendizado de cada disciplina”, diz. Segundo ele, se o candidato se concentrar em aprender uma disciplina de cada vez, isso vai gerar um tempo muito grande no estudo de cada matéria. Bentes lembra que é preciso seriedade dos estudos. “O grande número de vagas não deve deixar ninguém tranquilo, já que o desemprego deve levar milhões de candidatos a fazerem o concurso”, aponta. Para Antonio Batist, especialista em gestão pública e empresarial, ler e entender o edital é o primeiro passo - é dele que vêm as decisões seguintes. Batist recomenda fazer o download do material gratuito de conhecimentos técnicos - que está no link do concurso no site do Cebraspe - e priorizar a disciplina, que corresponde à metade da pontuação da prova. Outras dicas são estudar a parte teórica dos conteúdos, fazer provas anteriores, ver onde precisa melhorar após as provas e repetir o ciclo, corrigindo as falhas identificadas em cada conteúdo ou disciplina. Prova exige compreensão e raciocínio Segundo o edital, as questões da prova poderão avaliar habilidades que vão além da memorização, abrangendo compreensão, aplicação, análise, síntese e avaliação, com o intuito de valorizar a capacidade de raciocínio. Cada questão da prova poderá contemplar mais de um objeto de avaliação. Para Bentes, esse estilo de prova é semelhante ao Enem, que cobra a interdisciplinaridade e a capacidade de reflexão crítica. Segundo ele, para exercitar a interdisciplinaridade, os candidatos devem buscar semelhanças e diferenças entre os conteúdos das disciplinas. “Cada novo conceito deve ser resgatado no momento em que se aprende algo novo. Essa comparação entre matérias é importante para treinar a articulação de ideias diferentes e o raciocínio interdisciplinar”, explica. Por isso, o especialista lembra que é importante estudar todas as matérias ao mesmo tempo para estabelecer conexões interdisciplinares. “Para exercitar a reflexão crítica, os candidatos devem valorizar os fundamentos dos conceitos, sua razão de ser, sua essência. Não é decorar, é ter um olhar analítico sobre princípios, teorias e regras. Com esse enfoque mais profundo, o candidato poderá se distanciar da superfície e pensar de maneira mais profunda sobre todo o conhecimento”, opina. Para treinar esse tipo de reflexão crítica, ele aconselha que o candidato sempre questione: qual a origem do conceito? Como ele foi desenvolvido? Há exceções? Qual sua utilidade? Cumpre sua função? Tem consequências? “Esse é um excelente exercício para treinar o raciocínio”, avalia. Antonio Batist afirma que o Cebraspe costuma elaborar questões com foco em conhecimento, não em astúcia. “As questões costumam ser bem elaboradas, sem pegadinhas, e podem mesclar assuntos e até disciplinas diferentes dentro de uma mesma pergunta. Ficar atento às possíveis conexões de um assunto com outro ou de uma disciplina com outra é um dos melhores caminhos”, aconselha. Ele indica resolver provas recentes do Cebraspe, em estilo de múltipla escolha, para entender o estilo de pergunta que a organizadora costuma fazer. Assim, o candidato evita surpresas no dia da prova e tem maiores chances de aprovação. De acordo com Erick Alves, professor do Direção Concursos, geralmente, essas questões multidisciplinares abordam situações que o recenseador poderá vivenciar no seu trabalho. “Assim, é importante que o candidato não apenas memorize os conteúdos, mas também procure visualizar a aplicação prática dos assuntos estudados”, aconselha. Conhecimentos específicos têm maior peso Antonio Batist considera que a prioridade deve ser voltada à disciplina de conhecimentos específicos, que equivale à metade da pontuação total da prova. Entretanto, as demais disciplinas devem ser estudadas, mesmo que com menor intensidade. Segundo ele, o ideal é a seguinte ordem: prioridade alta para a disciplina de conhecimentos técnicos prioridade média para disciplinas que o candidato não domina (e que precisará reforçar a aprendizagem) prioridade baixa para a disciplina de domínio do candidato (se ele de fato domina, inclusive ao resolver as provas anteriores de determinado assunto, bastará revisar sem grandes aprofundamentos) Fernando Bentes ressalta que a disciplina de conhecimentos específicos possui 25 questões, de um total de 50. “É a matéria com maior peso e deve ser valorizada. As disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática foram estudadas por qualquer pessoa que terminou o nível fundamental. Logo, deve haver um equilíbrio entre os candidatos. Por isso, seu maior diferencial será mesmo o número de acertos nas questões de conhecimentos específicos”. Ele lembra que o IBGE oferece duas apostilas para o concurso: de Ética no Serviço Público e de Conhecimentos Específicos. Ambas estão disponibilizadas no site da banca organizadora. Clique aqui para acessar a apostila de Conhecimentos Técnicos Clique aqui para acessar o Código de Ética do IBGE “Por isso, quem estiver empenhado em passar vai devorar este conteúdo, o que também deve trazer certo nivelamento entre os candidatos”, afirma. “Em relação à matéria de Ética no Serviço Público, embora o IBGE disponibilize uma apostila, existem outras exigências de estudo. Portanto, leia atentamente o edital, separe tudo que é cobrado no conteúdo programático e faça uma boa leitura daqueles artigos previstos na Lei nº 8.112 de 1990 que devem cair na prova”, recomenda. Erick Alves concorda que o candidato deve priorizar a disciplina de conhecimentos específicos, mas não deve desprezar os demais assuntos, pois o concurso será muito disputado. Bentes ressalta que o candidato não deve desprezar as disciplinas que sabe menos porque seu estudo pode garantir um número muito maior de pontos do que teria caso se concentrasse apenas na matéria da zona de conforto. “Se estudar o que não sabe, a chance de aumentar a pontuação será muito maior”. Ele cita como exemplo um candidato que é bom em Matemática e estuda mais a matéria. Provavelmente tiraria 8 pontos em Matemática e 2 em Língua Portuguesa, com um total de 10 pontos nas duas matérias. Se o mesmo candidato estudasse mais Língua Portuguesa do que Matemática, talvez acertasse 6 na primeira e 7 na segunda, com um total de 13 pontos. Provas anteriores Fernando Bentes aconselha a selecionar questões das disciplinas do edital que tenham sido cobradas em provas recentes da banca Cebraspe. “Em concursos públicos, as bancas têm estilo próprios na realização de provas. Acostumar-se ao enfoque de cobrança das bancas é um fator decisivo para ser aprovado. Logo, este deve ser o maior critério para o estudo prático por meio de questões e simulados”, diz. Antonio Batist ressalta que, geralmente, a banca Cebraspe faz provas com estilo “certo e errado”, em que uma questão que o candidato errou acaba eliminando a pontuação de outra questão que acertou. Mas, nesta seleção, o Cebraspe usará um estilo de prova diferente: serão questões com cinco alternativas e não haverá eliminação de uma certa por uma errada. Portanto, segundo ele, o candidato precisa estudar a parte teórica dos conteúdos que serão cobrados de acordo com o edital e fazer muitas provas anteriores do Cebraspe, mas priorizando as provas onde a banca usou o estilo “ABCDE”. “Estudar com materiais desatualizados ou de outras bancas de concursos com estilos muito diferentes podem ser erros fatais”, alerta. Erick Alves aconselha buscar questões mais recentes da banca Cespe, principalmente de concursos de nível médio. E quem vai fazer as duas provas? Os candidatos podem prestar os dois concursos do IBGE, para os cargos de recenseador e agente censitário, pois as datas são diferentes, com diferença de uma semana. Para agente, serão no dia 18 de abril, e para recenseador, no dia 25. De acordo com Fernando Bentes, as provas de agente censitário e recenseador cobram as mesmas disciplinas, com apenas duas diferenças: no primeiro cargo será cobrado Raciocínio Lógico e no segundo, Matemática. Além disso, para agente censitário, o candidato terá que estudar mais uma disciplina: Noções de Administração/Situações Gerenciais. “Mas é importante lembrar que a prova de agente censitário deve ser um pouco mais difícil e complexa do que a de recenseador porque possui a exigência de nível médio”, alerta. Ele recomenda ao candidato que pretende prestar para ambos os cargos focar no conteúdo de agente censitário, com o acréscimo de estudar Matemática, que só será cobrada na prova de recenseador. “Se fizer isso, estará estudando uma vez, mas preparando-se para as duas provas ao mesmo tempo. Sua chance de aprovação vai se multiplicar por dois”, afirma. Antonio Batist aconselha identificar sinergias entre os conteúdos dos dois editais, verificando o que se repete em cada disciplina. “A partir daí, estude pelo cargo mais complexo. Em tese, se conseguir boa nota nele, terá boas chances no cargo mais simples, caso existam conteúdos repetidos ou muito semelhantes”, explica. Segundo ele, aproveitar ao máximo as sinergias entre os editais reduz o esforço de forma inteligente e evita estudar assuntos em duplicidade. Ele recomenda elaborar um cronograma de estudos para cada edital e um terceiro com as sinergias, de acordo com o que é preciso aprender para cada seleção. “Após a primeira prova, faça uma cuidadosa revisão para corrigir falhas e limitações e ampliar as chances de sucesso também na segunda prova. As falhas podem ir desde conteúdos que você precisa aprender melhor até aspectos como ansiedade, sono, controle do tempo durante a prova. Muitas vezes, estudar certo é diferente de estudar muito”, comenta. Erick Alves aconselha escolher um dos dois cargos como principal, para o candidato se dedicar mais. “Vale estudar primeiro os conteúdos que são comuns a ambos cargos e depois os temas específicos”, indica. Dicas para a prova de agente censitário Antonio Batist afirma que as dicas gerais para a prova de agente censitário são basicamente as mesmas para quem vai fazer a prova para recenseador, devido às semelhanças entre os dois editais. Mas, segundo ele, a diferença mais importante está na quantidade de questões e nas disciplinas que compõem a prova: para agente censitário, haverá 10 questões a mais e, embora a disciplina de Conhecimentos Técnicos também seja a que vale mais pontos, há outra que aparece com grande pontuação, que é Noções de Administração/Situações Gerenciais. Ambas as disciplinas reúnem 35 das 60 questões da prova. “O candidato deve estudar todas as disciplinas, mas a soma de noções de administração com conhecimentos técnicos será o diferencial mais decisivo de todos para agente censitário”, afirma. Veja como será a prova objetiva para agente: 10 questões de Língua Portuguesa 10 questões de Raciocínio Lógico Quantitativo 5 questões de Ética no Serviço Público 15 questões de Noções de Administração/Situações Gerenciais 20 questões de Conhecimentos Técnicos Bentes concorda com Batist. E aconselha que o candidato estude com afinco a apostila de Conhecimentos Específicos, fazendo perguntas ao conteúdo que aprendeu, como se estivesse simulando as possíveis questões de prova. No caso de Noções de Administração/Situações Gerenciais, ele acha que o candidato terá que buscar uma apostila completa ou um livro que aborde o conteúdo previsto. E focar no conhecimento de gestão de pessoas e liderança, dois conteúdos que devem ser cobrados porque estão ligados diretamente às funções que vão desempenhar no IBGE. “De modo geral, como a prova é de nível médio, a cobrança da capacidade de reflexão crítica e interdisciplinar deve ser maior do que a de recenseador. Portanto, aconselho um estudo sério e profundo”, diz. Veja Mais

Auxílio emergencial: Bolsonaro fala em pagar quatro parcelas de R$ 250 na nova rodada

G1 Economia Presidente já tinha citado 'três ou quatro parcelas', mas ainda não havia declarado valor. Pagamento pode voltar em março, mas ainda está sendo debatido com Câmara e Senado, afirmou. O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (25) que o governo estuda pagar quatro parcelas de R$ 250 na nova rodada do auxílio emergencial. Segundo Bolsonaro, o benefício pode ser retomado em março. O retorno do auxílio emergencial é debatido pelo governo desde dezembro, quando foi paga a última parcela. A retomada também é defendida pelos presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). O formato dos novos pagamentos ainda não foi anunciado oficialmente. “Eu estive hoje com o [ministro da Economia] Paulo Guedes. A princípio, né, o que deve ser feito? A partir de março, por quatro meses, é 250 reais de auxílio emergencial. Então é isso que está sendo disponibilizado”, afirmou Bolsonaro durante transmissão ao vivo em uma rede social. Bolsonaro já havia falado em estender o auxílio emergencial por "três ou quatro meses", mas ainda não havia comentado o valor da nova rodada – vinha apenas repetindo que seria impossível retomar o patamar de R$ 600 registrado no início do programa. Na transmissão desta quinta, o presidente não informou de onde virão os recursos para custear essa nova rodada de benefícios, nem como esse gasto será encaixado no orçamento e nas metas fiscais de 2021. Auxílio emergencial: o caminho apontado por economistas para o governo bancar o programa VÍDEO: Especialistas afirmam ser viável retomar o auxílio emergencial Apesar de citar as quatro parcelas de R$ 250, o presidente disse que o assunto ainda está sendo discutido com a equipe econômica e com Lira e Pacheco. Bolsonaro não informou data para bater o martelo sobre o tema. “Está sendo conversado ainda com, em especial, os presidentes da Câmara e do Senado. Porque a gente tem que ter certeza do que nós acertamos, vai ser em conjunto, não vai ser só eu e a equipe econômica, vai junto com o Legislativo também, [para que] na ponta da linha aquilo seja honrado por todos nós” disse Bolsonaro. No último dia 11, o blog no G1 da jornalista Ana Flor adiantou que o governo estudava pagar o auxílio por mais quatro meses com R$ 250 por parcela. No mesmo dia, o ministro Paulo Guedes afirmou em live que o governo poderia começar com R$ 250 e depois "aterrissar" em R$ 200 nas parcelas finais. Nesta quinta, Bolsonaro disse acreditar que a capacidade de endividamento do governo está no limite e que espera que após a nova rodada de pagamentos do auxílio emergencial a “economia pegue de vez, pegue para valer”. Problema orçamentário O Congresso Nacional analisa a inclusão, no texto da proposta de Emenda à Constituição (PEC) chamada de PEC Emergencial, de um dispositivo que retira os custos do auxílio emergencial das restrições do teto de gastos e da regra de ouro. O teto de gastos impede que os gastos do governo cresçam mais que a inflação do período anterior. Já a regra de ouro define que o governo não pode fazer dívidas – emitir títulos, por exemplo – para custear despesas como salários, benefícios de aposentadoria, contas de luz e outros custeios da máquina pública. Votação da PEC Emergencial, que abre espaço para auxílio emergencial, ficou para a semana que vem O ministro Paulo Guedes tem defendido, porém, que a retomada do programa deve vir acompanhada de corte de gastos para evitar a piora nas contas públicas. Sem contrapartida, o auxílio amplia o rombo nas contas públicas, o que pode afetar a confiança de investidores no país. Nesta quinta, em uma derrota para o governo, o Senado encerrou a sessão sem que o relator da PEC, Márcio Bittar (MDB-AC), lesse seu parecer sobre a proposta. O governo esperava a leitura e a aprovação do texto ainda esta semana. Veja Mais

Caixa lança linha de crédito imobiliário atualizada pelo rendimento da poupança

G1 Economia Equação leva em conta a Taxa Referencial de Juros (TR), uma taxa fixa de relacionamento com o banco e o rendimento da poupança. Taxas finais, com juros de hoje, ficam entre 4,75% a 5,39% ao ano. Caixa Econômica Federal JN A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira (25) uma nova linha de crédito com juros ligados à remuneração da poupança, mais um percentual variável. As contratações pela novo método começam no próximo dia 1º de março. A linha fica disponível para modalidades de imóveis novos, usados, construção e reforma. O prazo máximo é de 420 meses (35 anos), com quota de até 80%. É permitida portabilidade de financiamento realizado com outros bancos. O banco deu detalhes em apresentação com o presidente Pedro Guimarães pela internet. A equação é composta por: Taxa Referencial de Juros (TR) + rendimento da poupança + taxa fixa de relacionamento. Nova linha de financiamento imobiliário da Caixa, referenciada ao rendimento da poupança Reprodução/Caixa Econômica Federal A rentabilidade da poupança é ligada ao percentual de juros da taxa Selic. Quando os juros básicos do país estão abaixo dos 8,5% ao ano, a poupança tem rendimento equivalente a 70% dessa taxa. Com a Selic em em 2% ao ano, a poupança remunera 1,4% no período. A taxa fixa, por sua vez, foi estabelecida de acordo com o grau de relacionamento do cliente com a Caixa, em patamar que vai de 3,35% a 3,99% ao ano. A TR, hoje, está zerada. A Caixa afirma, portanto, que os financiamentos ficam com taxas finais de 4,75% a 5,3%9 ao ano. "Essa conjunção de taxas de juros baixas, menores da história, e valores de imóveis ainda relativamente baixos desde a crise, nos faz entender que é um momento importante e impactante para que continuemos com um volume relevante de crédito imobiliario", disse Pedro Guimarães, presidente da Caixa. Financiamentos imobiliários em 2020 A Caixa também anunciou nesta quinta que bateu recorde histórico de concessão de crédito imobiliário em 2020. Foram R$ 116 bilhões contratados, aumento de 28,8% em relação a 2019. O resultado leva a carteira de crédito do banco para R$ 509,8 bilhões. As contratações de crédito imobiliário com recursos da poupança (SBPE) chegaram a R$ 53,7 bilhões em 2020, crescimento foi de 103% em relação a 2019. O programa Casa Verde Amarela financiou R$ 62,3 bilhões em 2020. "Tivemos alta importante de inadimplência em março e abril, mas houve contenção importante com o programa de pausa de financiamento durante a crise. Chegamos, em fevereiro, a 99,6% de retorno. Basiciamente todas as familias encerraram a pausa com média de inadimplência abaixo da média histórica", disse Guimarães. Além dos novos financiamentos referenciados na poupança, a Caixa também disponibiliza linhas de crédito referenciadas na inflação (pelo índice IPCA), modalidade de TR e taxa fixa de 6,25% e modalidade prefixada com mínimo de 8% ao ano. "Estávamos estudando há alguns meses essa nova operação e só anunciamos quando tínhamos total operacionalidade. Dado o tamanho da Caixa, sabemos que, a partir do momento que essa linha estiver operacional, teremos adesão muito grande", disse o presidente da Caixa. Veja Mais

Alta de tributo para bancos pode encarecer empréstimos, diz Febraban

G1 Economia Na segunda-feira (1º), o governo zerou os impostos federais sobre diesel e gás de cozinha e aumentou a cobrança da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) das instituições financeiras para compensar a perda de arrecadação. VÍDEO: Presidente da Febraban aponta encarecimento do crédito O presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Isaac Sidney, afirmou nesta terça-feira (2) que o aumento da tributação sobre os bancos deve ser repassado para o consumidor, com o encarecimento do custo do crédito. "Muito provavelmente vai encarecer o crédito. É muito provável que haja reflexo, ainda não sei em qual proporção", disse o presidente da Febraban. "Haverá todo um esforço do setor bancário para que nós não venhamos a repassar todo esse custo para o crédito, mas não dá para segurar isso. É natural que aumento de custos sejam repassados para os produtos e serviços." Na segunda-feira (1º), o governo zerou os impostos federais sobre diesel e gás de cozinha e aumentou a cobrança da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) das instituições financeiras para compensar a perda de arrecadação. Governo zera impostos que incidem sobre óleo diesel e gás de cozinha; Ana Flor comenta A equipe econômica ainda alterou as regras de IPI para a compra de veículos por pessoas com deficiência e encerrou o Regime Especial da Indústria Química (REIQ), também com o objetivo de recompor a perda de receita. Segundo o executivo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, garantiu, por meio de uma ligação telefônica realizada pela manhã, que a medida é temporária e que deve durar seis meses. "Portanto, estamos dando um voto de confiança ao ministro da Economia." Vídeos: Últimas notícias de economia , Veja Mais

Vendas de imóveis cresceram 26%, em 2020, diz Abrainc

G1 Economia Segundo dados da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) e da Fundação Instituto de Pesquisas (Fipe), as vendas atingiram 119.911 unidades no ano passado. As vendas de imóveis cresceram 26,1% em 2020, para 119.911 unidades, segundo dados da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) e da Fundação Instituto de Pesquisas (Fipe). Os lançamentos tiveram expansão de 1,1%, no ano passado, para 113.191 unidades.   Segundo a Abrainc, o desempenho de lançamentos e vendas de imóveis, em 2020, foi o melhor desde 2014.  O programa habitacional Casa Verde e Amarela respondeu por 77,8% das vendas. A comercialização de unidades do programa cresceu 39,2%. O volume lançado aumentou 5,8%.   Em ano de crise, lançamentos de imóveis residenciais caem 17,8% em 2020, diz CBIC Por outro lado, as unidades do segmento de médio e alto padrão (MAP) apresentaram queda de 17,9%, dos lançamentos, e retração de 7,7% das vendas. Na construção civil, trabalhadores com experiência começaram o ano recebendo propostas de emprego Projeções para 2021 O presidente da Abrainc, Luiz Antonio França, afirmou, hoje, que as empresas consultadas pela entidade estimam Valor Geral de Vendas (VGV) 47% maior em 2021 do que no ano passado na comercialização de imóveis. Em relação ao número de unidades, há projeção de alta de 38%, também na comercialização. No segmento enquadrado no programa habitacional Casa Verde e Amarela, a expectativa é de elevação de 24% no VGV e 29% no volume. Na faixa de médio e alto padrão (MAP), espera-se alta de 93% no VGV e de 78% no número de unidades comercializadas. “Em 2020, tivemos dois primeiros meses de euforia, com o Brasil retomando, e veio a pandemia. O segmento imobiliário, felizmente, surfou uma onda boa no período, comparando com outros setores da economia”, disse França, em entrevista coletiva. Houve expansão dos lançamentos no primeiro bimestre, retração de março a maio e retomada do crescimento da apresentação de projetos ao mercado de junho a dezembro. Veja Mais

Aneel adia votação de orçamento de fundo do setor elétrico; contas de luz terão cobrança de cota

G1 Economia Agência alega que dependia de lei, sancionada nesta terça (2), para definir orçamento de 2021 da CDE. Fundo financia ações como desconto na tarifa de famílias de baixa renda. A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) adiou novamente a votação, prevista para esta terça (2), do orçamento de 2021 da Conta de Desenvolvido Energético (CDE), fundo que financia ações e subsídios concedidos pelo governo no setor elétrico. Com o novo adiamento, a agência decidiu manter a cobrança de um valor, chamado de cota mensal, nas contas de luz para manter o financiamento das ações cobertas pela CDE até que o orçamento do fundo seja aprovado em definitivo. Não foi informado o valor da cota do mês de março. Em fevereiro a Aneel já havia adotado a mesma medida e, para aquele mês, foi definida a cobrança uma cota de R$ 1,9 bilhão nas contas de luz para financiar as ações da CDE. O adiamento, segundo a diretoria da agência, se deve à demora na entrada em vigor de algumas medidas do governo para reduzir a contribuição bilionária dos consumidores à CDE neste ano (leia mais abaixo). Essas medidas estavam presentes em uma MP aprovada pelo Congresso no início de fevereiro e cuja sanção pelo presidente Jair Bolsonaro só ocorreu nesta terça. De acordo com a diretoria da agência, não foi possível ainda calcular qual será a redução na contribuição dos consumidores para a CDE em 2021. Por isso, de maneira provisória, foram definidos esses valores, ou cotas mensais. Orçamento da CDE O orçamento de 2021 da CDE foi proposto no final do ano passado pela Aneel e prevê que serão necessários R$ 24,1 bilhões para custear subsídios bancados pelo fundo, como para: a conta de luz de famílias de baixa renda; a conta de luz de produtores rurais que usam eletricidade para irrigar suas plantações; o óleo usado em termelétricas que geram energia na região Norte do país; a energia produzida por usinas eólica e solar. Desse total, a princípio R$ 19,83 bilhões teriam que ser pagos pelos consumidores ao longo deste ano, por meio de cobrança de encargo nas contas de luz. Entretanto, esse valor será reduzido por medidas previstas na lei sancionada por Bolsonaro nesta terça. Ela prevê a transferência para a CDE de recursos que as concessionárias de energia elétrica (geração, transmissão e distribuição) deveriam aplicar anualmente em projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D) e eficiência mas que não foram usados e estão represados. A conta ainda não está fechada, mas a previsão é que os recursos vindos dos fundos de pesquisa e desenvolvimento somem R$ 2,273 bilhões em 2021. Esse valor, portanto, será repassado à CDE e descontado do total a ser cobrado dos consumidores nas contas de luz neste ano. Vídeos: assista a mais notícias sobre economia Veja Mais

Emprego: confira 208 vagas disponíveis em 17 municípios de Pernambuco nesta terça

G1 Economia Através da Agência do Trabalho, há oportunidades para quem busca trabalhar como farmacêutico, eletricista, operador de empilhadeira, vendedor interno, analista de logística e serralheiro, entre outras. Serralheiro é uma das funções com vaga de emprego disponível em Pernambuco Diêgo Holanda/G1 O sistema público da Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação (Seteq-PE) reúne, nesta terça-feira (2), 208 vagas de emprego em 17 municípios do estado. As oportunidades foram disponibilizadas através das unidades da Agência do Trabalho. Do total, dez vagas são para pedreiro em Caruaru e outras 15 são para servente de obras em Vitória de Santo Antão. Há também oportunidades para vendedor pracista, serralheiro, auxiliar administrativo, garçom, confeiteiro, recepcionista de hotel, entre outras (confira lista completa mais abaixo). Há vagas no Recife (36), Arcoverde (4), Belo Jardim (14), Bezerros (6), Caruaru (41), Escada (1), Garanhuns (7), Goiana (2), Igarassu (20), Ipojuca (9), Palmares (2), Paudalho (2), Petrolina (8), Salgueiro (6), Santa Cruz do Capibaribe (8), Serra Talhada (5) e Vitória de Santo Antão (37). Os interessados devem procurar uma das Agências do Trabalho do estado. O atendimento ocorre preferencialmente com agendamento, feito pelo site da secretaria ou pelo Portal Cidadão. Vagas de emprego Vagas para pessoas com deficiência Vagas temporárias VÍDEOS: Mais assistidos de Pernambuco nos últimos 7 dias Veja Mais

Governo zera impostos federais sobre diesel e gás de cozinha, informa Secretaria-Geral

G1 Economia Planalto informou que medida sobre diesel vale em março e abril; decisão sobre gás de cozinha não tem prazo. Bolsonaro afirmou em fevereiro que zeraria impostos, sem dar detalhes. A Secretaria-Geral da Presidência informou nesta segunda-feira (1º) que o presidente Jair Bolsonaro editou um decreto no qual zerou as alíquotas de PIS e Cofins que incidem sobre óleo diesel e gás de cozinha. Segundo o Palácio do Planalto, o decreto será publicado no "Diário Oficial da União". A secretaria informou também que: a medida sobre o óleo diesel vale em março e abril; a decisão sobre o gás de cozinha não tem prazo e vale para recipientes de até 13 quilos. Segundo informações da Petrobras, dados coletados entre 31 de janeiro e 6 de fevereiro deste ano mostram que o preço do gás de cozinha tem a seguinte composição: 47%: custos do próprio gás; 35%: custo de distribuição e revenda; 15%: ICMS, imposto estadual; 3%: impostos federais (PIS/PASEP e Cofins). O preço do diesel, segundo os dados da Petrobras com base no diesel S-10, a composição é dada da seguinte maneira: 49%: custo do combustível na Petrobras; 15%: distribuição e revenda; 14%: ICMS (imposto estadual); 13%: custo do biodiesel; 9%: impostos federais (Cide-Combustíveis), PIS/Pasep e Cofins. Lei de Responsabilidade Fiscal O Artigo 14 da Lei de Responsabilidade Fiscal define que a concessão ou a ampliação de um benefício tributário que resultar em renúncia de receita deve ser compensada "por meio do aumento de receita, proveniente da elevação de alíquotas, ampliação da base de cálculo, majoração ou criação de tributo ou contribuição". Segundo a Secretaria-Geral, para compensar a renúncia de receita, Bolsonaro editou uma medida provisória (MP) a fim de: "majorar" a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) das instituições financeiras; "alterar" as regras de IPI para a compra de veículos por pessoas com deficiência; encerrar o Regime Especial da Indústria Química (REIQ). Medidas provisórias têm força de lei assim que publicadas no "Diário Oficial". Precisam, contudo, ser aprovadas pelo Congresso Nacional para se tornar leis em definitivo. "A diminuição do PIS/Cofins no diesel e do gás de uso residencial implicará em uma redução da carga tributária de R$ 3,67 bilhões em 2021 neste setor. Para 2022 e 2023, a diminuição da tributação no gás implicará em uma diminuição de arrecadação de R$ 922,06 milhões e R$ 945,11 milhões, respectivamente", informou a Secretaria-Geral. "Considerando que as medidas estão sendo devidamente compensadas, esse benefício não implicará em diminuição da arrecadação total da União", acrescentou a pasta. Petrobras convoca Assembleia para destituir Castello Branco da presidência da estatal Troca na Petrobras Em 18 de fevereiro, ao fazer uma transmissão ao vivo em uma rede social, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que iria zerar os impostos, sem dar detalhes, o que foi criticado pela Instituição Fiscal Independente (IFI), vinculada ao Senado. No mesmo dia em que anunciou a redução a zero das alíquotas, Bolsonaro criticou a Petrobras e os reajustes dos combustíveis. Um dia depois, anunciou a indicação do general Silva e Luna, diretor de Itaipu, para a presidência da Petrobras no lugar de Roberto Castello Branco. A indicação precisa ser aprovada pelo Conselho de Administração da estatal. O anúncio de Bolsonaro foi mal recebido por analistas e antigos aliados do presidente. Na ocasião, as ações da estatal caíram na Bovespa e na bolsa de Nova York (EUA); a Petrobras perdeu mais de R$ 75 bilhões em valor de mercado; e o dólar subiu. Em discurso no Palácio do Planalto, em 23 de fevereiro, Bolsonaro afirmou que não quer "briga" com a Petrobras, mas cobrou mais "previsibilidade" da estatal. Initial plugin text Veja Mais

Sony vai deixar de vender TVs, câmeras e fones no Brasil neste mês; Playstation não será afetado

G1 Economia Decisão acontece após fechamento de fábrica anunciado em setembro de 2020. Distribuição do videogame, garantia e assistência técnica de eletrônicos serão mantidos no país. Sony deixará de vender produtos no Brasil. Simon Dawson/Reuters A Sony anunciou nesta segunda-feira (1º) que encerrará suas atividades comerciais no Brasil até o final de março, interrompendo a venda de produtos como TVs, câmeras e equipamentos de áudio. A venda dos videogames Playstation 4 e Playstation 5, que são importados, continua. A atuação em outras áreas, incluindo a Sony Pictures e a Sony Music, também permanece. A assistência técnica e garantia de todos os produtos da marca será mantida “pelo tempo necessário, estando em conformidade com os regulamentos e requisitos locais de proteção aos consumidores", segundo um comunicado da empresa. Em 2019, a Sony também deixou de vender celulares no Brasil, em uma decisão que incluía toda a América do Sul, América Central e Oriente Médio. A medida foi tomada levando em consideração a queda nas vendas de seus smartphones ao redor do mundo. O encerramento do comércio no Brasil tinha sido divulgado em setembro passado, quando a Sony fechou sua fábrica após quase cinco décadas no país. Ao G1, na época, a assessoria de imprensa da Sony informou que a fábrica em Manaus mantinha 220 funcionários. Em dezembro, a Mondial comprou o terreno, a fábrica e os equipamentos da Sony para produzir TVs, micro-ondas e aparelhos de ar condicionado. Veja Mais

STF decide que estados não podem fixar tributação de doação e herança enviados do exterior

G1 Economia Julgamento deve provocar impacto bilionário nos cofres de governos estaduais. Maioria da Corte entende que cabe ao Congresso editar uma lei para regulamentar a cobrança do tributo. O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que os estados não podem fixar a cobrança de um imposto que incida sobre doações e heranças enviadas a residentes no Brasil por pessoas que moram no exterior. A maioria da Corte entendeu que a Constituição impôs um limite à atuação dos estados nesses casos e que nem mesmo a omissão da União permite que os governos estaduais editem suas normas. Com isso, fica proibido que os estados editem legislações locais em relação ao Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD), um tipo de tributo previsto na Constituição que incide sobre doações e herança de patrimônio. O julgamento representa uma derrota para os Estados e terá impacto nos cofres dos governadores. Para se ter uma ideia, a Secretaria da Fazenda e Planejamento de SP informou ao STF que, caso os ministros entendessem que não cabe a tributação, a perda estimada é de R$ 5,4 bilhões em cinco anos. A decisão foi tomada durante julgamento no plenário virtual do Supremo. Lei complementar A Constituição prevê que uma lei complementar deverá ser editada para regulamentar a competência para cobrar o tributo de quem mora no país e recebe uma doação ou herança de quem está no exterior, mas ela nunca foi editada. Sem uma norma geral, estados editaram normas locais estabelecendo regras gerais de cobrança. Relator do caso, o ministro Dias Toffoli foi o primeiro a votar e defendeu que a Constituição impôs um limite à atuação dos estados nesses casos. Segundo o ministro, mesmo diante da falta de uma lei federal complementar, os estados não podem legislar sobre o tema. “A Constituição de 1988 não concedeu aos estados a competência para instituir o ITCMD nessa hipótese, pois tal competência deve ser regulada por lei complementar”, afirmou o ministro. Toffoli defendeu ainda que o julgamento do STF só produza efeito para casos futuros, após a publicação do resultado. O tema dividiu a Corte. Os ministros Marco Aurélio, Ricardo Lewandowski, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Edson Fachin e Nunes Marques seguiram o entendimento de que os estados não podem legislar nesses casos. Os ministros Alexandre de Moraes, Cármen Lúcia, Luiz Fux e Gilmar Mendes defenderam que, como a União não atuou, os estados podem legislar. “Não vislumbro, portanto, qualquer hipótese de violação do pacto federativo pela instituição do tributo pelos Estados no mesmo molde acima citado. Pelo contrário, o que põe em risco o pacto federativo é negar a competência legislativa plena dos Estados diante da omissão da União em editar a norma geral, afetando, seriamente, a autonomia financeira desses entes federativos”, escreveu Moraes. Ele citou que os Estados suportariam individualmente sérios prejuízos em sua arrecadação fiscal com o veto para legislar sobre o ITCMD. “Ressalto, ainda, ser indiscutível que a movimentação internacional de bens e valores está fortemente concentrada nas mãos das grandes empresas multinacionais e de seus respectivos sócios e administradores - ou seja, daqueles que possuem maior capacidade para dispersar mundialmente seu patrimônio, em busca de condições fiscais mais favoráveis." A maioria do STF fixou ainda que o Supremo deve fazer um apelo para que o Congresso aprove uma lei e supra a falta de legislação. VÍDEOS: Assista a mais notícias sobre economia Veja Mais

As mulheres que chefiavam 'empresas' há 4 mil anos

G1 Economia Cartas de mulheres assírias encontradas em escavações revelam sua atuação nas redes de comércio da época. Cartas de mulheres assírias encontradas em escavações revelam sua atuação nas redes de comércio da época VANESSA TUBIANA-BRUN Por volta de 1870 a.C., na cidade de Assur, no norte do atual Iraque, uma mulher chamada Ahaha descobriu um caso de fraude financeira. Ahaha havia investido no comércio de longa distância entre Assur e a cidade de Kanesh, onde fica hoje a Turquia. Ela e outros investidores juntaram prata para financiar uma caravana de mulas para transportar estanho e tecidos para Kanesh, onde as mercadorias seriam trocadas por mais prata, gerando um lucro considerável. Mas a participação de Ahaha nos lucros parecia ter desaparecido — possivelmente desviado por um de seus próprios irmãos, Buzazu. Então, ela pegou um estilete de junco e uma tábua de argila e escreveu uma carta para outro irmão, Assur-mutappil, implorando por ajuda: "Não tenho mais nada além desses fundos", redigiu ela em escrita cuneiforme. "Trate de agir para que eu não seja arruinada!" Ela instruiu Assur-mutappil a recuperar sua prata e atualizá-la rapidamente. "Faça uma carta detalhada sua chegar até mim na próxima caravana, dizendo se eles pagaram a prata", escreveu ela em outra tabuleta. "Agora é a hora de me fazer um favor e me salvar das dificuldades financeiras!" As cartas de Ahaha estão entre as 23 mil tabuletas de argila escavadas nas últimas décadas nas ruínas das casas de mercadores em Kanesh. Elas pertenciam a expatriados assírios que haviam se estabelecido em Kanesh e mantinham uma correspondência intensa com suas famílias em Assur, que ficava a seis semanas de distância de mula. Um novo livro dá uma visão sem precedentes de um grupo notável dentro desta comunidade: mulheres que aproveitaram as novas oportunidades oferecidas pela mudança social e econômica e assumiram funções que costumavam ser ocupadas por homens na época. Elas se tornaram as primeiras empresárias, banqueiras e investidoras que se tem conhecimento na história da humanidade. 'Fortes e independentes' A maior parte das cartas, contratos e decisões judiciais encontrados em Kanesh datam de cerca de 1900-1850 a.C., período em que a rede de comércio dos assírios estava florescendo, trazendo prosperidade para a região e dando origem a muitas inovações. Os assírios inventaram certas formas de investimento e também foram os primeiros homens e mulheres a escrever suas próprias cartas, em vez de ditá-las a escribas profissionais. É graças a essas cartas que podemos ouvir um coro vibrante de vozes femininas nos dizendo que mesmo em um passado distante, o comércio e a inovação não eram dominados exclusivamente pelos homens. Enquanto seus maridos estavam na estrada ou fechando negócios em algum assentamento comercial distante, essas mulheres cuidavam de seus negócios em casa. Mas também acumulavam e administravam sua própria riqueza e, gradualmente, ganhavam mais poder em suas vidas pessoais. "Essas mulheres eram realmente fortes e independentes, porque estavam sozinhas, eram as chefes da família enquanto o marido estava fora", diz Cécile Michel, pesquisadora sênior do Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS, na sigla em francês), na França, e autora do livro Women of Assur and Kanesh ("Mulheres de Assur e Kanesh", em tradução literal). Por meio de mais de 300 cartas e outros documentos, o livro conta uma história incrivelmente detalhada das lutas e triunfos dessas mulheres. Embora repletas de drama e aventura, as cartas de argila em si são minúsculas, do tamanho da palma de uma mão. A história dessas empreendedoras está ligada à da comunidade mercantil assíria como um todo. Em seu apogeu, os assírios estavam entre os comerciantes mais bem-sucedidos e bem relacionados do Oriente Próximo. Suas caravanas de até 300 mulas cruzavam montanhas e planícies desabitadas, transportando matérias-primas, artigos de luxo e, claro, cartas de argila. "Era um braço de uma enorme rede internacional, que começou em algum lugar da Ásia Central, com lápis-lazúli do Afeganistão, cornalina do Paquistão e o estanho que pode ter vindo do Irã ou mais para o leste", afirma Jan Gerrit Dercksen, assiriologista da Universidade de Leiden, na Holanda, que também estudou as tabuletas de Kanesh. Comerciantes estrangeiros levavam essas mercadorias para os portões de Assur, junto com tecidos da Babilônia, no sul do Iraque. Eles eram vendidos aos assírios, que os empacotavam em caravanas com destino a Kanesh e outras cidades na região de Anatólia, na Turquia, onde eram vendidos por ouro e prata. Instrumentos financeiros complexos facilitavam esse comércio, como o "naruqqum", que significa literalmente "bolsa". Uma referência à sociedade anônima na qual os investidores assírios juntavam sua prata para financiar as caravanas lideradas por mercadores durante muitos anos. Os comerciantes também desenvolveram um intenso jargão comercial. As cartas, embora minúsculas, continham uma riqueza de detalhes sobre essa antiga rede de comércio CECILE MICHEL, ARCHAEOLOGICAL MISSION OF KÜLTEPE "A tabuleta está morta" significava que uma dívida foi paga e o contrato da tabuleta de argila que registrava isso havia, portanto, sido cancelado. "Prata faminta" se referia à prata que não estava sendo investida, parada ociosa em vez de gerar lucro. As mulheres assírias contribuíram para essa rede comercial movimentada, produzindo tecidos para exportação, emitindo empréstimos a comerciantes, comprando e vendendo casas e investindo em esquemas de naruqqum. Suas habilidades como tecelãs permitiram a elas ganhar sua própria prata. Elas estavam atentas à moda estrangeira e às tendências do mercado para garantir os melhores preços, assim como aos impostos e outros custos que afetavam seus lucros. "Elas eram verdadeiras contadoras. Sabiam perfeitamente o que deviam receber em troca dos seus tecidos. E quando ganhavam dinheiro com a venda dos tecidos, pagam pela comida, pela casa, pelos gastos cotidianos, mas também investiam", diz Michel, que também é cocriadora de um documentário sobre essas mulheres. 'Guardiães dos arquivos' Essa perspicácia comercial permitiu que algumas assumissem posições incomuns para as mulheres da época, atuando como sócias de confiança dos maridos nos negócios. Os comerciantes, por sua vez, se beneficiavam de ter esposas alfabetizadas e versadas nos números que podiam ajudar no dia a dia dos negócios, assim como em emergências. Um comerciante assírio escreve para sua esposa, Ishtar-bashti: "Urgente! Remova suas mercadorias excepcionais. Recolha o ouro do filho de Limishar e envie para mim... Por favor, coloque todas as minhas tabuletas em um lugar seguro." Outros pedem às esposas que consultem tabuletas específicas dos arquivos privados que ficavam na casa para encontrar informações financeiras ou resolver um assunto comercial. "Como eram elas que ficavam em casa, eram as guardiães dos arquivos", diz Michel. "É preciso lembrar que esses contratos representavam muito dinheiro, por exemplo, os contratos de empréstimo e assim por diante." As mulheres, por sua vez, não hesitavam em enviar instruções e advertências a seus maridos ou irmãos. "O que é isso que vocês nem me mandam uma tabuleta com dois dedos de boas notícias suas?", uma mulher assíria chamada Naramtum escreveu a dois homens. Ela reclama sobre uma disputa envolvendo dívidas e mercadorias perdidas e incita os homens a resolvê-la, encerrando de forma descontraída: "Me enviem o preço dos tecidos. Me deixem alegre!" Outra repreendeu o irmão pela falta de pagamento: "Não seja tão ganancioso a ponto de me arruinar!" A antiga cidade de Kanesh, também conhecida como monte Kültepe, onde hoje é a Turquia ARCHAEOLOGICAL MISSION OF KÜLTEPE ARCHIVES A independência dessas mulheres contrastava fortemente com algumas outras sociedades do antigo Oriente Próximo, como a Babilônia, no sul do Iraque. Michel lembra que em Assur, como em Kanesh, tanto a esposa quanto o marido podiam pedir o divórcio — e seriam tratados da mesma forma no processo. "Mas exatamente ao mesmo tempo na Babilônia, no sul da Babilônia, a mulher não podia pedir o divórcio, e no norte da Babilônia, se ela ousasse pedir, seria condenada à morte." Com o fortalecimento da influência econômica, vieram melhores condições de vida a nível pessoal para as mulheres. Várias acrescentaram cláusulas aos contratos de casamento que proibiam os homens de arrumarem uma segunda esposa ou viajarem sozinhos, como neste exemplo: "Assur-malik se casou com Suhkana, filha de Iram-Assur. Aonde quer que Assur-malik vá, ele a levará com ele. Ele não se casará com outra mulher em Kanesh." Em algum momento, por razões um tanto obscuras, o comércio entre Assur e Kanesh diminuiu. Por fim, Kanesh estava deserta. Outras cidades e comunidades assumiram as rédeas do comércio, da criatividade e do intercâmbio cultural. Mas as tabuletas de argila das mulheres, endurecidas pelas fogueiras, permaneceram nas casas abandonadas para serem descobertas milhares de anos depois. Elas capturam uma experiência feminina tão raramente documentada na história — não de rainhas ou altas sacerdotisas, mas de mulheres trabalhadoras se perguntando como sobreviver ao dia seguinte. Como Michel diz, em outras cidades da Mesopotâmia, cartas escritas por mulheres também foram encontradas, "mas não há tantas. [Kanesh] é única por isso". E como cerca de metade das tabuletas de Kanesh ainda não foram decifradas, certamente há muito mais segredos aguardando para serem revelados. Veja Mais

Dólar opera em queda, ainda próximo a R$ 5,60

G1 Economia Na sexta, moeda norte-americana fechou em alta de 1,67%, R$ 5,6047, na maior cotação desde novembro. Nota de US$ 5 dólares REUTERS/Thomas White O dólar opera em queda nesta segunda-feira (1), devolvendo parte das fortes perdas registradas no pregão anterior, quando encerrou o mês de fevereiro a R$ 5,60. Às 10h17, a moeda norte-americana caía 0,31%, cotada a R$ 5,5869. Veja mais cotações. Na sexta-feira, o dólar encerrou a sessão em alta de 1,67%, a R$ 5,6047 – maior cotação desde 4 de novembro do ano passado (R$ 5,6543). Em fevereiro, acumulou alta de 2,45%. No ano, tem valorização de 8,05% ante o real. Por que a moeda americana não cai no Brasil, na contramão do mundo Cenário No exterior, os preços do petróleo subiam acima de 1% nesta segunda-feira, impulsionados pelo otimismo por um pacote de estímulos nos Estados Unidos, bem como pela crescente atividade industrial na Europa. A valorização do dólar nos últimos dias tem sido puxada pelas perspectivas de aumento da inflação nos Estados Unidos e escalada das taxas de juros de títulos soberanos da maior economia do mundo. Já por aqui permanecem os receios de maior risco fiscal e político e as preocupações em torno da grave situação da pandemia de coronavírus no país e e o ritmo lento de vacinação. Investidores citam também preocupações com uma eventual extensão do Auxílio Emergencial sem contrapartidas, o que poderia agravar ainda mais a perspectiva para as contas públicas e para a recuperação da economia. "Ocorre no momento a percepção do agravamento das perspectivas efetivas para o Brasil neste ano", avaliou Sidnei Moura Nehme, diretor da NGO Corretoria, em nota a clientes. Ele cita "a embaraçosa situação fiscal do país, a crescente e cada vez mais grave crise da pandemia do coronavírus que tem forte capacidade de neutralizar avanços, o aumento expressivo da pobreza agravada pelo término dos programas assistenciais do governo, e, expectativas céticas em torno dos movimentos recentes do governo procurando postar-se como liberal". O mercado financeiro elevou a estimativa de inflação para 2021 para 3,87%, segundo pesquisa Focus divulgada nesta segunda-feira pelo Banco Central. Já a previsão de alta para o PIB (Produto Interno Bruto) permaneceu em 3,29%. Os analistas das instituições financeiras também passaram a prever que o processo de alta dos juros básicos da economia, fixados pelo BC para controlar a inflação, começará em meados de março, na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). A expectativa é de que a Selic passe de 2% para 2,25% ao ano neste mês. Para o fim de 2020, a previsão continuou em 4% ao ano. Variação do dólar em 2021 Economia G1 Veja Mais

IR 2021: Prazo para envio da declaração começa nesta segunda

G1 Economia Contribuintes terão até o dia 30 de abril para enviar a declaração. Quem envia antes tem mais chance de receber a restituição mais rápido; quem enviar depois do prazo terá que pagar multa de, no mínimo, R$ 165,74. Começa nesta segunda-feira (1º), o prazo para envio da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2021 – ano base 2020. Os contribuintes terão até o dia 30 de abril para realizar entrega. Quem é obrigado a declarar e não o fizer, ou enviar a declaração fora do prazo, terá que pagar multa de, no mínimo, R$ 165,74, e máximo de correspondente a 20% do imposto devido. SAIBA TUDO SOBRE O IMPOSTO DE RENDA 2021 Veja como preparar os documentos para a declaração Especialista tira dúvidas sobre o IR 2021; mande sua pergunta Programa gerador do Imposto de Renda 2021; veja versões disponíveis e como baixar São obrigados a declarar o Imposto de Renda, em 2021: quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2020. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado. contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado; quem obteve, em qualquer mês de 2020, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas; quem teve, em 2020, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural; quem tinha, até 31 de dezembro de 2020, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil; quem passou para a condição de residente no Brasil em qualquer mês e se encontrava nessa condição até 31 de dezembro de 2020; quem optou pela isenção do imposto incidente em valor obtido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda. Auxílio Emergencial Neste ano, a Receita tornou obrigatória a entrada da declaração do Imposto de Renda para as pessoas que receberam Auxílio Emergencial em 2020 e, além das parcelas, tiverem recebido R$ 22.847,76 ou mais em outros rendimentos tributáveis. A Receita Federal informou que os valores recebidos de auxílio emergencial são considerados rendimentos tributáveis e devem ser declarados na ficha “Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica”. Eles não contam, no entanto, para o teto de R$ 22.847,76. "O contribuinte que tenha recebido rendimentos tributáveis em valor superior a R$ 22.847,76 no ano-calendário 2020, deve devolver os valores recebidos do Auxílio Emergencial, por ele e seus dependentes", informou a Receita. Quem precisar devolver o valor do auxílio emergencial poderá fazer a transferência com um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf). O boleto será gerado pelo próprio programa do Imposto de Renda, junto com o recibo da declaração. Quanto antes enviar, melhor A Receita Federal estima que, este ano, serão entregues cerca de 32,6 milhões de declarações. Quanto mais cedo enviar a declaração, mais vantagens o contribuinte pode ter. Entre elas, estão: Mais chances de receber a restituição, caso tenha direito, nos primeiros lotes de pagamento; Mais tempo para identificar e corrigir eventuais erros, evitando cair na malha-fina; Evitar eventual lentidão no sistema na hora de transmitir a declaração devido à sobrecarga de acessos comum na reta final do prazo. As restituições serão pagas entre maio e setembro, de acordo com o seguinte cronograma: 1º lote: 31 de maio 2º lote: 30 de junho 3º lote: 30 de julho 4º lote: 31 de agosto 5º lote: 30 de setembro Preenchimento e entrega da declaração Tanto o preenchimento quanto a entrega da declaração devem ser feitas por meio do programa gerador do Imposto de Renda 2021, referente ao ano-base 2020. Clique aqui para baixar o programa O programa tem versões disponíveis para computador e celular. O preenchimento em dispositivos móveis, no entanto, não pode feita, entre outros, por contribuintes que tenham recebido rendimento tributável ou não, superior a R$ 5 milhões em 2020; do exterior; relativo a recuperação da parcela isenta da atividade rural ou correspondente a lucro em venda de imóvel residencial para aquisição de outro imóvel. A declaração também poderá ser feita online, na página 'Meu Imposto de Renda', acessando o portal e-Cac (clique aqui para acessar). A previsão de liberação dessa funcionalidade é 25 de março de 2021. Declarações pré-preenchidas O programa de 2021 também amplia o número de contribuintes que podem usar a declaração pré-preenchida. A partir deste ano, a modalidade fica disponível para contribuintes que tenham conta gov.br (acesso.gov.br), além dos que tenham certificado digital. A Receita afirma que, com a mudança, espera receber milhões de declarações beneficiadas pelo formato, já que o cadastro no sistema gov.br é gratuito. Até 2020, o pré-preenchimento era exclusivo para donos de certificados digitais, que são pagos. A declaração pré-preenchida já traz inclusas diversas informações prestadas à Receita Federal por outras fontes. O contribuinte precisa apenas verificar, corrigir eventuais distorções ou complementar os dados. Imposto retido na fonte e declarações de serviços médicos, por exemplo, podem ser incluídos previamente pelo sistema. VÍDEOS: tudo sobre o Imposto de Renda 2021: Veja Mais

Plantio do milho atrasa em Mato Grosso

G1 Economia Atraso deve gerar perda de 2,5% na produtividade desta safra comparado ao período anterior. Plantio do milho atrasa em Mato Grosso O plantio do milho está atrasado em Mato Grosso e, com isso, a produtividade desta safra pode cair 2,5% quando comparada com a anterior. Este quadro seria uma consequência do atraso na safra de soja. Mas, apesar disso, a área de plantio cresceu 5% no estado, o que pode compensar a perda da produtividade. Assista a todos os vídeos do Globo Rural Ainda assim, algumas fazendas tiveram dificuldades no plantio. É o caso da propriedade de Iliandro Gerencia, em Sorriso, no médio norte do estado. Lá, o cultivo já está quase finalizado, mas foi preciso manter a mesma área do ano passado. Além disso, o investimento em adubação teve que ser elevado em 10% em comparação à 2020. Reveja a reportagem completa no vídeo acima. Vídeos mais assistidos do Globo Rural Veja Mais

Norma do Ibama e Funai abre espaço para que agricultores plantem em terras indígenas

G1 Economia Instrução normativa dos dois órgãos possibilita que organizações criadas entre índios e não índios possam fazer empreendimentos nessas áreas, o que não era previsto em lei. Norma do Ibama e Funai abre espaço para que agricultores plantem em terras indígenas Uma instrução normativa da Fundação Nacional do Índio (Funai) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) abre espaço para que agricultores plantem dentro de terras indígenas. Assista a todos os vídeos do Globo Rural O texto trata de regras e prazos para o licenciamento ambiental de atividades dentro desses locais e traz uma mudança: a possibilidade de que organizações criadas entre índios e não índios possam fazer empreendimentos nessas áreas, o que não era previsto em lei. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural Veja Mais

Pequenas Empresas & Grandes Negócios: contatos de 28/02/2021

G1 Economia Veja como obter informações das empresas citadas no programa. Veja a reportagem: Veja dicas para investir na venda de chocolates para a Páscoa Luzz Cacau Rua Sebastiano Nasolini, 157A - Parque Res. Cocaia São Paulo - SP - 04849-110 Telefone: (11) 5934-1834 E-mail: comercial@luzzcacau.com.br www.luzzcacau.com.br Facebook: Luzz Cacau Instagram: @luzzcacau Trevisan Escola de Negócio Telefone: (11) 3138-5200 https://www.trevisan.edu.br Facebook: https://www.facebook.com/TrevisanBrasil Instagram: https://www.instagram.com/trevisanescoladenegocios/ LinkedIn: https://www.linkedin.com/school/trevisan-escola-superior-de-neg-cios-s-o-paulo/ Associação Brasileira das Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (ABICAB) Av. Paulista, 1313 – 7º andar - Cj. 708 - Jardins São Paulo - SP, 01311-200 Telefone: (11) 3269-6900 http://www.abicab.org.br/ Veja a reportagem: Venda de produtos naturais, vegetarianos e veganos cresce no e-commerce Portal Vegano Avenida Garibaldi, 1.114 - Sala 16 - Lancaster Foz do Iguaçu – PR, 85869-488 Telefone: (45) 99152-6684 E-mail: fnd28.machado@gmail.com www.portalvegano.com.br Facebook: oportalvegano Instagram: portalvegano.insta Olin Cosméticos Botânicos Avevida Alberto Braune 12- sala 102, Centro Nova Friburgo – RJ, 28613-000 Telefone: (21) 99645-1906 (whatsapp) e (22) 3066-4273 E-mail: info@olincosmeticos.com www.olincosmeticos.com Facebook: www.facebook.com/olincosmeticos Instagram: @olincosmeticos ESPM Rua Dr. Álvaro Alvim, 123 - Vila Mariana São Paulo - SP, 04018-010 Telefone: 11 5085-4600 E-mail: marcus.nakagawa@espm.br www.espm.br Facebook: https://www.facebook.com/espm.br Instagram: https://www.instagram.com/espmsaopaulo/ Veja a reportagem: Startup leva aplicativo de delivery para comerciantes no interior do Brasil pede.ai Telefone: (87) 99161-3229 Instagram: @pedeai Email: expansao@pede.ai https://sejadono.pede.ai/ Pet Shop Rações Telefones: (87) 3861-5583 / (87) 98817-7563 Email: petshopracoes@outlook.com Redes sociais: @petshopracoes Mix Sorvetes Telefone: (64) 98407-5699 Instagram: @mixipameri Facebook: mixipameri Cozinha Mix Telefone: (64) 3491-2772 Instagram: @cozinhamix.ipameri Facebook: cozinhamix.ipameri Email: mix.sorvetes@outlook.com Veja a reportagem: Startup usa rede de vizinhos para vender produtos de supermercado Favo Telefone: (11) 6468-9808 https://mercadofavo.com/ https://empreenda.mercadofavo.com/ Instagram: https://www.instagram.com/favo_brasil/ Instagram co-fundadora da Favo: https://www.instagram.com/maproenca/ Facebook: https://www.facebook.com/mercadofavobr/ Veja a reportagem: Sistema usa choques para impedir roubos de carga de caminhões T4S Tecnologia Rua José Pereira Sobrinho, 547 - Jardim Mutinga Barueri – SP, 06463-283 Telefone: (11) 97201-6550 www.t4stecnologia.com E-mail:comercial@t4stecnologia.com.br Instagram: t4stecnologia1 Facebook: https://www.facebook.com/T4STENCOLOGIA Veja a reportagem: Restaurante especializado em risoto abre filiais durante a crise Rice Risoteria Urbano Instagram: @rice_risoteria Shopping Cidade São Paulo Avenida Paulista, 1230 - Bela Vista São Paulo – SP, 01310-100 Telefone: (11) 3595-1230 / (11) 98695-0124 E-mail: atendimentoaocliente@shoppingcidadesp.com.br shoppingcidadesp.com.br Facebook: https://www.facebook.com/shoppingcidadesp/ Instagram: https://www.instagram.com/shoppingcidadesp/ Angelina Stockler– Consultora de Negócios Whatsapp – (11) 950268432 E-mail: angelina.stockler@gmail.com Veja Mais

Startup usa rede de vizinhos para vender produtos de supermercado

G1 Economia Modelo de negócio é popular na China e é chamado de compra em grupo comunitário. A empresa conecta pequenos empreendedores com a vizinhança do bairro. Startup usa rede de vizinhos para vender produtos de supermercado Vender produtos de supermercado para vizinhos do bairro pode ser uma boa opção para faturar em tempos de pandemia do coronavírus. Uma startup está fazendo essa conexão. Veja todos os vídeos do PEGN A empresa está em operação desde 2020 e funciona em São Paulo e em Lima, no Peru. “Somos uma comunidade de compras que vende itens de supermercado e que facilita muito o processo. Damos acesso para que qualquer pessoa possa fazer suas compras de supermercado estando na sua casa”, explica Marina Proença, cofundadora da startup. Esse modelo de negócio é muito popular na China e é chamado de compra em grupo comunitário. A startup conecta os empreendedores com a vizinhança do bairro. A divulgação é feita por aplicativos de mensagens e redes sociais. A startup mantém um centro de distribuição de produtos para fazer a entrega para os parceiros que compram pelo site. “A gente consegue diariamente fazer as entregas que os clientes pedem, está sempre no dia seguinte na casa do empreendedor, e ele distribui os itens pros vizinhos que compraram com ele”, conta Marina. Um dos diferenciais está no galpão, que permite que a empresa faça a compra direto do fornecedor e consiga repassar os produtos por preços mais baixos, direto para o consumidor final. O empreendedor parceiro recebe da startup uma comissão que varia de 5% a 7% do valor total da compra. Para se tornar parceiro, é necessário se formalizar como microempreendedor individual (MEI). Não é preciso realizar investimento inicial. Atualmente, mais de 2,5 mil empreendedores fazem parte da comunidade. A startup pretende atender outras capitais ainda este ano. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. Favo Telefone: (11) 6468-9808 https://mercadofavo.com/ https://empreenda.mercadofavo.com/ Instagram: https://www.instagram.com/favo_brasil/ Instagram co-fundadora da Favo: https://www.instagram.com/maproenca/ Facebook: https://www.facebook.com/mercadofavobr/ Veja os vídeos mais assistidos do PEGN: Veja Mais

Safra de quiabo é colhida no noroeste paulista

G1 Economia Região de Piacatu (SP) se destaca no cultivo. Safra de quiabo é colhida no noroeste paulista TV TEM/Reprodução A história da família do produtor José Vendrame está diretamente ligada ao plantio do quiabo. São mais de três décadas de cultivo na região de Piacatu, no noroeste paulista. A área plantada nesta safra ocupa 20 hectares e a produtividade deve girar em torno de mil caixas por hectare. Quando a família de José começou a plantar quiabo na região, depois de colhido, o produto era colocado com tamanhos misturados em caixas de 16 quilos. Mas, de 20 anos para cá, isso mudou. Hoje, antes de ser embalado, o produto passa por uma seleção e é separado por tamanho. O classificado como número um é o maior, tem mais de 12 centímetros. O número dois tem de nove a 12 centímetros. Já o menorzinho tem de seis a nove centímetros. O menor é mais bem aceito no mercado e acaba tendo o melhor preço. O produtor está recebendo pela caixa de 16 quilos por volta de R$ 25. É um preço menor que na safra anterior. Um ano atrás, a mesma caixa era vendida em torno de R$ 35. (Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 28/02/2021) Safra de quiabo é colhida no noroeste paulista Cada produtor tem uma estratégia para diminuir as despesas e, por consequência, ter um lucro maior. A do produtor rural Francisco Aparecido Siqueira é plantar perto da cidade. A pouco mais de 50 metros da plantação de quiabo já fica a área urbana de Piacatu. Com essa estratégia, Francisco conta que economiza de 10 a 15% nos custos, principalmente com o transporte. Já que fica mais próximo da cidade, o gasto com combustível é menor. O técnico agrícola Dailton Bigote explica que o clima é um dos motivos para o quiabo ter se adaptado à região. O calor na maior parte do ano favorece o cultivo. Com uma área total de 80 hectares, Piacatu é a segunda maior produtora de quiabo de São Paulo. Da região saem 1.200 toneladas por ano. Toda a produção vai para a Ceagesp da capital paulista e de lá o quiabo é distribuído para diferentes pontos do Brasil. Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes sociais Confira as últimas notícias do Nosso Campo Veja Mais

IR 2021: Prazo para envio da declaração começa na segunda; contribuinte já pode preparar o documento

G1 Economia Contribuintes terão até o dia 30 de abril para enviar a declaração. Quem envia antes tem mais chance de receber a restituição mais rápido; quem enviar depois do prazo terá que pagar multa de, no mínimo, R$ 165,74. Selo IR 2021 prazo Arte G1 A Receita Federal começa a receber na segunda-feira (1º) a Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2021 – ano base 2020. O prazo vai até o dia 30 de abril, mas quanto mais antecedência no envio, mais vantagens o contribuinte pode ter. Uma das principais vantagens de enviar o quanto antes a declaração é ter mais chances de receber a restituição, caso tenha direito, nos primeiros lotes de pagamento. O contribuinte também ganha mais tempo para identificar e corrigir eventuais erros, evitando cair na malha-fina. Sem contar que, no fim do prazo, ele corre o risco de enfrentar lentidão no sistema online usado para transmitir a declaração. O programa já foi liberado para download - assim, o contribuinte já pode preencher o documento, e apenas aguardar a segunda-feira para fazer o envio à Receita. Veja como preparar os documentos para a declaração Especialista tira dúvidas sobre o IR 2021; mande sua pergunta Programa gerador do Imposto de Renda 2021; veja versões disponíveis e como baixar SAIBA TUDO SOBRE O IMPOSTO DE RENDA 2021 As restituições começarão a ser pagas em maio e vão até setembro – são cinco lotes de pagamento, um por mês. A estimativa da Receita Federal é que sejam entregues este ano cerca de 32,6 milhões de declarações. Quem é obrigado a declarar e não o fizer, ou enviar a declaração fora do prazo, terá que pagar multa de, no mínimo, R$ 165,74, e máximo de correspondente a 20% do imposto devido. São obrigados a declarar o Imposto de Renda, em 2021: quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2020. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado. contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado; quem obteve, em qualquer mês de 2020, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas; quem teve, em 2020, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural; quem tinha, até 31 de dezembro de 2020, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil; quem passou para a condição de residente no Brasil em qualquer mês e se encontrava nessa condição até 31 de dezembro de 2020; quem optou pela isenção do imposto incidente em valor obtido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda. Preenchimento e entrega da declaração Tanto o preenchimento quanto a entrega da declaração devem ser feitas por meio do programa gerador do Imposto de Renda 2021, referente ao ano-base 2020. Clique aqui para baixar o programa O programa tem versões disponíveis para computador e celular. O preenchimento em dispositivos móveis, no entanto, não pode feita, entre outros, por contribuintes que tenham recebido rendimento tributável ou não, superior a R$ 5 milhões em 2020; do exterior; relativo a recuperação da parcela isenta da atividade rural ou correspondente a lucro em venda de imóvel residencial para aquisição de outro imóvel. A declaração também poderá ser feita online, na página 'Meu Imposto de Renda', acessando o portal e-Cac (clique aqui para acessar). A previsão de liberação dessa funcionalidade é 25 de março de 2021. Declarações pré-preenchidas O programa de 2021 também amplia o número de contribuintes que podem usar a declaração pré-preenchida. A partir deste ano, a modalidade fica disponível para contribuintes que tenham conta gov.br (acesso.gov.br), além dos que tenham certificado digital. A Receita afirma que, com a mudança, espera receber milhões de declarações beneficiadas pelo formato, já que o cadastro no sistema gov.br é gratuito. Até 2020, o pré-preenchimento era exclusivo para donos de certificados digitais, que são pagos. A declaração pré-preenchida já traz inclusas diversas informações prestadas à Receita Federal por outras fontes. O contribuinte precisa apenas verificar, corrigir eventuais distorções ou complementar os dados. Imposto retido na fonte e declarações de serviços médicos, por exemplo, podem ser incluídos previamente pelo sistema. Auxílio Emergencial Neste ano, a Receita tornou obrigatória a entrada da declaração do Imposto de Renda para as pessoas que receberam Auxílio Emergencial em 2020 e, além das parcelas, tiverem recebido R$ 22.847,76 ou mais em outros rendimentos tributáveis. A Receita Federal informou que os valores recebidos de auxílio emergencial são considerados rendimentos tributáveis e devem ser declarados na ficha “Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica”. Eles não contam, no entanto, para o teto de R$ 22.847,76. "O contribuinte que tenha recebido rendimentos tributáveis em valor superior a R$ 22.847,76 no ano-calendário 2020, deve devolver os valores recebidos do Auxílio Emergencial, por ele e seus dependentes", informou a Receita. Quem precisar devolver o valor do auxílio emergencial poderá fazer a transferência com um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf). O boleto será gerado pelo próprio programa do Imposto de Renda, junto com o recibo da declaração. Veja Mais

Boeing 777 faz aterrissagem de emergência em Moscou depois de problema em motor

G1 Economia Um Boeing 777 da companhia russa Rossiya teve que fazer um pouso de emergência nesta sexta-feira (26) em Moscou após um problema no motor, uma semana depois de um incidente com uma aeronave nos Estados Unidos. Aviões modelo Boeing 777 são vistos na pista do aeroporto Internacional de Tulsa, Oklahoma, em foto de 20 de junho de 2020 Gianrigo Marletta/AFP Um Boeing 777 da companhia russa Rossiya teve que fazer um pouso de emergência nesta sexta-feira (26) em Moscou após um problema no motor, uma semana depois de um incidente com uma aeronave nos Estados Unidos. De acordo com um comunicado divulgado pela companhia Rossiya, filial da companhia pública russa Aeroflot, "durante o voo de carga 4520 Hong Kong-Madri foi detectado um mau funcionamento do sensor de controle do motor e a tripulação decidiu fazer um pouso de emergência em Moscou". A aterrissagem aconteceu normalmente e o avião retomaria o voo a Madri após as 12h (6h de Brasília), conforme o comunicado. Na semana passada, o motor direito de um Boeing 777, da United Airlines, sofreu um incêndio pouco depois da decolagem de Denver, no Colorado, nos Estados Unidos, em um voo com destino a Honolulu, no Havaí. No momento do acidente, havia 231 passageiros a bordo e 10 tripulantes, o que obrigou os pilotos a retornarem imediatamente ao aeroporto de origem. Não houve feridos e a aeronave conseguiu pousar. Ainda não há informações sobre o motor do Boeing 777 que fez o pouso de emergência em Moscou. Mais de 120 Boeing 777 equipados com motores Pratt & Whitney PW4000 permanecem em solo em todo o mundo desde o incidente da semana passada. Reforço das capas dos motores A Boeing já trabalhava havia dois anos com a Administração Federal de Aviação (FAA) dos EUA para reforçar as capas dos motores do 777, antes do incidente em Denver, segundo o "The Wall Street Journal" de quinta-feira (25). Na noite de terça-feira (23), a FAA ordenou a inspeção de todos os motores Pratt & Whitney similares ao que foi danificado. Os investigadores atribuíram o acidente à lâmina de uma turbina que se desprendeu pouco depois da decolagem devido à "fadiga do metal" que, aparentemente, atravessou a capa do motor. A Boeing e a FAA evitaram falar das tentativas de modificar o 777, o que exige uma série de uma avaliações e testes. A empresa está "em constante comunicação com nossos clientes e com a FAA, e se esforça para introduzir melhoras de segurança e desempenho em toda a frota", disse um porta-voz da fabricante. "Continuaremos seguindo as orientações da FAA sobre o assunto e todos as questões relacionadas à segurança e ao cumprimento, e seguimos atualizando nossos clientes", acrescentou. A FAA disse que focou nas inspeções das pás das turbinas em sua ordem mais recente sobre os motores Pratt & Whitney e em uma diretriz anterior após um incidente de 2018, com outro avião do mesmo modelo. "O redesign dos componentes da fuselagem e do motor é um processo complexo. Uma das prioridades máximas até agora tem sido reduzir o risco de as lâminas da turbina falharem e poderem danificar a capa", afirmou um porta-voz da FAA. Vídeos: Os mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias Veja Mais

PF conclui que perfurações feitas pela Vale causaram rompimento da barragem em Brumadinho

G1 Economia A empresa começou a perfurar uma área crítica da barragem cinco dias antes da ruptura, concluiu perícia da Polícia Federal. A liquefação começou 30 segundos antes do rompimento total da barragem, segundo laudo da PF JN A realização de perfurações verticais foi o gatilho para a liquefação que provocou o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em 2019. A conclusão sobre a causa da tragédia, que deixou 270 pessoas mortas, foi informada nesta sexta-feira (26) pela Polícia Federal (PF). De acordo com a PF, a Vale contratou, em outubro de 2018, uma empresa para identificar as condições de resistência de diferentes seções da barragem. A parte mais baixa da estrutura era composta por um material mais fino, de baixa capacidade de suporte e, portanto, mais frágil. A empresa contratada entregou à mineradora um diagnóstico em dezembro do mesmo ano, mas, antes de processar e analisar os resultados, a Vale deu início a perfurações verticais na barragem. Brumadinho: PF conclui perícia sobre o que causou liquefação e rompimento de barragem A mineradora tinha dois objetivos: complementar a investigação geotécnica iniciada pela contratada para identificar os materiais de cada ponto da estrutura e instalar novos instrumentos de monitoramento. "Esse trabalho começou ainda em dezembro, antes de as informações da primeira campanha serem processadas, e esse foi o erro. É como se a pessoa fosse fazer um exame de imagem e não entregasse o resultado ao médico para análise", diz o delegado responsável pelas investigações, Luiz Augusto Pessoa Nogueira. A empresa começou a perfurar uma área crítica da barragem cinco dias antes da ruptura. No 25 de janeiro, quando o rompimento ocorreu, o trabalho atingiu o ponto mais frágil, o que gerou uma onda de liquefação. "A perfuração induziu uma pressão de água de forma pontual em um ponto da barragem que era muito sensível, o que dobrou a pressão naquele ponto. Esse ponto sensível se rompeu por liquefação, que se propagou por toda a barragem", explica o perito criminal federal Leonardo Mesquita de Souza, responsável pelo laudo. Segundo ele, os piezômetros, instrumentos de monitoramento instalados na barragem, não identificaram o processo de liquefação, que ocorreu de forma rápida. Foram 30 segundos até o rompimento da estrutura. "Os piezômetros estavam sendo lidos de cinco em cinco minutos, e a última leitura, feita três minutos antes da ruptura, não mostrou nenhuma anomalia. Ou seja, a liquefação se processa de maneira tão rápida, é uma onda de ruptura tão rápida, que se formou 30 segundos antes da ruptura. Os instrumentos não conseguiram captar", explica o perito criminal federal Leonardo Mesquita de Souza, responsável pelo laudo. De acordo com o perito, em uma barragem com condição de estabilidade aceitável, uma perfuração não seria suficiente para provocar o rompimento. "Só que a condição de estabilidade dessa estrutura era marginal, abaixo da aceitável pelas normas", afirma.  Em setembro de 2019, a PF indiciou sete funcionários da Vale e seis da consultora TÜV SÜD por falsidade ideológica e uso de documentos falsos. As duas empresas também foram indiciadas. Conforme a corporação, funcionários das duas empresas celebraram contratos utilizando informações falsas contidas nos documentos de Declaração de Condição de Estabilidade (DCE), que permitiram que a barragem seguisse funcionando mesmo com critérios de segurança abaixo dos recomendados. De acordo com a PF, a partir do laudo, novas diligências serão realizadas. As investigações continuam. Procurada para comentar a conclusão da PF, a Vale disse que "tomou conhecimento nesta sexta-feira (26) da expedição do laudo da perícia técnica da Polícia Federal sobre as possíveis causas do rompimento da Barragem I, da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG)". "A empresa avaliará o inteiro teor do laudo e oportunamente se manifestará nos autos por intermédio de seu advogado David Rechulski." Vídeos mais vistos no G1 MG: Veja Mais

Falta de trabalho atinge 32 milhões de brasileiros no final de 2020; destes, 5,8 milhões desistiram da procura, diz IBGE

G1 Economia Na comparação com o mesmo trimestre de 2019, aumentou em 5,9 milhões o número de brasileiros afetados pela falta de trabalho. No ano, o número de desalentados bateu recorde - foram 5,5 milhões de trabalhadores que desistiram de procurar emprego. Dados divulgados nesta sexta-feira (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que, no quarto trimestre de 2020, faltava trabalho para 32 milhões de brasileiros. Dentre eles, 5,8 milhões desistiram de procurar uma oportunidade no mercado de trabalho. Este contingente forma o que o IBGE classifica como trabalhadores subutilizados. Ele reúne os desempregados, os desalentados (que desistiram de procurar emprego), aqueles que estão subocupados (trabalham menos de 40 horas semanais), e os que poderiam estar ocupados, mas não trabalham por motivos diversos. Na comparação com o quarto trimestre de 2019, aumentou em 5,9 milhões o número de trabalhadores subutilizados, o que corresponde a um crescimento de 22,5%. Já na média anual, esse contingente chegou a 31,2 milhões, o maior já registrado pelo IBGE, com alta de 13,1% em relação à média do ano anterior, que equivale a 3,6 milhões de pessoas subutilizadas a mais. Taxa média de desemprego bate recorde em 2020, aponta IBGE Número de brasileiros com carteira assinada é o menor desde 2012, mostra IBGE País perde 1,5 milhão de trabalhadores domésticos em 1 ano, aponta IBGE Renda domiciliar per capita caiu em 2020, para R$ 1.380, diz IBGE Veja quem são considerados trabalhadores subutilizados, para os quais faltava trabalho, e quantos estavam nessa condição no 4º trimestre de 2020: 13,9 milhões de desempregados: pessoas que não trabalham, mas procuraram empregos nos últimos 30 dias; 6,8 milhões de subocupados: pessoas que trabalharam menos de 40 horas por semana, mas gostariam de trabalhar mais; 11,3 milhões de pessoas que poderiam trabalhar, mas não trabalham (força de trabalho potencial), grupo que inclui: - 5,8 milhões de desalentados (que desistiram de procurar emprego) e - 5,5 milhões de pessoas que podem trabalhar, mas que não têm disponibilidade por algum motivo, como mulheres que deixam o emprego para cuidar os filhos. Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), que é uma das maiores pesquisas realizadas pelo IBGE. Além de ser responsável pelo principal indicador do mercado de trabalho do país, ela também levanta dados sobre moradia, educação e saúde da população brasileira. Brasil fecha o ano com maior taxa média de desemprego desde 2012 Com este contingente, a taxa composta de subutilização ficou em 28,7%, 5,8 pontos percentuais a mais que a registrada no 4 trimestre de 2019, que foi de 23,0%. Já a taxa média anual de subutilização ficou em 28,1% - a maior já registrada pelo IBGE - 3,9 p.p. acima do ano anterior, que foi de 24,2%. Desalento bate recorde no ano A crise no mercado de trabalho em 2020 fez com que o desalento batesse recorde no país. Na média anual, chegou a 5,5 milhões o número de brasileiros que desistiram de procurar emprego, número 16,1% maior que o de 2019 e o maior já registrado pelo IBGE. Para a analista da pesquisa do IBGE, Adriana Beringuy, pandemia está diretamente relacionada com o aumento do desalento. “Com os impactos econômicos da pandemia, muitas pessoas pararam de procurar trabalho por não encontrarem na localidade em que vivem ou por medo de se exporem ao vírus", disse. Segundo a pesquisadora, o mesmo foi observado entre a população na força de trabalho potencial, que também cresceu ao longo do ano. "Esse processo causado pela pandemia, somado às dificuldades estruturais de inserção no mercado de trabalho, podem ter reforçado a sensação de desalento”, enfatizou. Desemprego recorde O país fechou 2020 com uma média de 13,4 milhões de desempregados, o maior contingente da série histórica do IBGE, iniciada em 2012. Na comparação com 2019, foram 840 mil pessoas a mais na fila do desemprego, uma alta de 6,7%. Com esta população desempregada, também bateu recorde a taxa média anual de desemprego, que ficou em 13,5%. Em 2019, ela foi de 11,9%. Também na média anual, a população ocupada no mercado de trabalho foi estimada em 86,1 milhões de pessoas, o menor contingente de toda a série anual da pesquisa. “Pela primeira vez na série anual, menos da metade da população em idade para trabalhar estava ocupada no país. Em 2020, o nível de ocupação foi de 49,4%”, destacou a analista do IBGE, Adriana Beringuy. Na comparação com 2019, a população ocupada foi reduzida em 7,9%, o que corresponde a 7,3 milhões de vagas a menos no mercado de trabalho. Dos dez ramos de atividade profissional, apenas o da administração pública registrou aumento do número de ocupados, impulsionado pelos segmentos de saúde e educação. Número de trabalhadores ocupados caiu em 7,3 milhões em 2020 Economia/G1 Governo fala em 'retomada vigorosa' A Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia avaliou, em nota, que o dados do Caged e do IBGE mostram uma "retomada vigorosa do emprego" no último trimestre do ano passado, principalmente no setor informal. "À medida que a atividade se recupera ao longo de 2021, principalmente o setor de serviços, o total de trabalhadores informais se elevará, reduzindo o contingente de pessoas sem emprego na força de trabalho ampliada", afirmou. Assista às últimas noticias de Economia: Veja Mais

General indicado por Bolsonaro para presidência da Petrobras é 'escolha legítima', diz AGU

G1 Economia Juiz federal de MG havia pedido explicações ao governo. Advocacia-Geral da União também pede que Bolsonaro deixe de ser réu na ação. General Joaquim Silva e Luna foi indicado por Bolsonaro para a presidência da Petrobras JN A Advocacia Geral da União (AGU) disse que não há irregularidades ou infrações legais na indicação do general Joaquim Silva e Luna para presidente da Petrobras. A manifestação atende a determinação do juiz da 7ª Vara da Justiça Federal da 1ª Região, em Belo Horizonte, André Prado de Vasconcelos, que, na segunda-feira (22), havia dado 72 horas para a União se manifestar sobre o assunto. A AGU foi notificada na terça-feira (23) e cumpriu o prazo nesta sexta-feira (26). Troca de comando na Petrobras: veja perguntas e respostas De saída da presidência da Petrobras, Castello Branco faz teleconferência com aviso: 'mind the gap' Bolsonaro fez o anúncio no dia 19 de fevereiro. O general é o atual diretor da Itaipu Binacional. Se confirmado, Silva e Luna substituirá o atual chefe da estatal, Roberto Castello Branco, indicado pelo presidente após as eleições de 2018. Conselho de administração da Petrobras discute troca de comando na empresa A determinação do juiz federal foi motivada por um pedido de liminar feito pelos advogados Daniel Perrelli Lança e Gabriel Senra para impedir a saída do atual presidente e a posse do general. "Houve um desrespeito à lei das estatais, atropelando a decisão que é do conselho da empresa. Tanto no mérito quanto na forma há irregularidades nesta indicação. O general não cumpre os requisitos determinados pela lei", disse Lança. O advogado disse ainda que o presidente está nitidamente constrangendo o Conselho de Administração, interferindo na estatal por interesses político-ideológicos. Segundo a lei das estatais, a lei 13.303/2016, os membros do Conselho de Administração e os indicados para os cargos de diretor, inclusive presidente, diretor-geral e diretor-presidente, devem ter dez anos de experiência na área de atuação da empresa, além de ter formação acadêmica compatível com o cargo para o qual foi indicado. Segundo a ação, o general não possui estes requisitos. Já a AGU disse que "as alegações dos autores não passam de conjecturas e ilações, desprovidas de qualquer elemento fático robusto, prestando-se apenas para contribuir para o ambiente de conflagração política, especulação no mercado de capitais e insegurança jurídica, que se formou em torno da uma escolha legítima de substituição de um membro do Conselho de Administração da Petrobras." Na resposta ao juiz, a entidade pede que o presidente Jair Bolsonaro deixe de ser réu na ação. A indicação do general "partiu do Ministério de Minas e Energia", que supervisiona a Petrobras, segundo a AGU. "Inexistindo qualquer ato concreto, de responsabilidade do Chefe do Poder Executivo Federal, a ele imputado nestes autos, a sua exclusão do polo passivo desta lide é medida que se impõe", diz a manifestação. Além disso, a AGU afirma que Silva e Luna tem formação acadêmica compatível por ter cursado engenharia. A AGU alega também que as decisões da União possuem uma subjetividade dentro dos parâmetros da lei, e que não pode ser questionada. No pedido de manifestação, o juiz Vasconcelos disse que "conforme amplamente divulgado pelos veículos de comunicação, a aprovação do indicado para a Presidência da Petrobras depende de deliberação do respectivo Conselho de Administração, ainda não ocorrida". Juiz federal determina que Bolsonaro explique indicação para presidência da Petrobras TRF 1ª Região/Reprodução Ele ainda ressalta que a determinação é “para fins de análise do pedido de liminar, sem prejuízo de futura citação e consequente abertura de prazo para contestação”. O pedido de liminar ainda não foi julgado. Indicação Silva e Luna deverá se tornar o primeiro militar a assumir o comando da Petrobras desde 1989, quando o oficial da Marinha Orlando Galvão Filho deixou o cargo. A estatal foi comandada por militares durante a maior parte do período ditatorial e chegou a ser capitaneada entre 1969 e 1973 pelo general Ernesto Geisel, que viria a se tornar presidente da República nos cinco anos seguintes. O anúncio aconteceu após Jair Bolsonaro fazer críticas à gestão da Petrobras e às sucessivas altas no preço dos combustíveis. O presidente afirmou que o último reajuste de preço da Petrobras foi “fora da curva”. Ele se referia ao quarto aumento do ano, de 10% na gasolina e 15% no diesel. Castello Branco foi uma indicação do ministro da Economia, Paulo Guedes, ao presidente Bolsonaro. O ministro, no entanto, não se manifestou sobre a troca no comando da estatal até o momento. Veja os vídeos mais vistos do G1 Minas: Veja Mais

Dólar opera instável nesta sexta-feira

G1 Economia Na quinta-feira (25), moeda norte-americana fechou em alta de 1,70%, a R$ 5,5129. Notas de dólar Gary Cameron/Reuters O dólar opera instável nesta sexta-feira (26), após ter voltado a fechar na véspera acima de R$ 5,50. Às 9h38, a moeda norte-americana caía 0,03%, cotada a R$ 5,5113. Mais cedo, chegou a subir a R$ 5,5468. Veja mais cotações. Na quinta-feira, o dólar fechou em alta de 1,7%, a R$ 5,5129, no maior patamar de fechamento desde 5 de novembro (R$ 5,5429), mesmo após intervenção do Banco Central. Na parcial do mês, passou a acumular alta de 0,98%. No ano, tem valorização de 6,28% ante o real. Por que a moeda americana não cai no Brasil, na contramão do mundo Bolsonaro afirma que nova rodada do auxílio emergencial pode começar a ser paga em março Cenário A alta do dólar nesta semana foi puxada pelas perspectivas de aumento da inflação nos Estados Unidos e escalada das taxas de juros de títulos soberanos da maior economia do mundo (Treasuries). Por aqui, permanecem os receios de maior risco fiscal e político após as turbulências provocadas pela decisão do presidente Jair Bolsonaro de trocar o comando da Petrobras. No radar dos investidores também está as discussões no Congresso sobre a volta do Auxílio Emergencial. O secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, afirmou nesta quinta-feira que um eventual fatiamento da chamada PEC emergencial, separando o auxílio emergencial das contrapartidas de corte de gastos exigidas, é "pior para todos". Auxílio emergencial: Bolsonaro fala em pagar quatro parcelas de R$ 250 na nova rodada Mais cedo, o IBGE divulgou que desemprego no Brasil teve a terceira queda seguida e ficou em 13,9% no trimestre encerrado em dezembro. No entanto, 13,9 milhões de brasileiros ainda estavam desempregados. Já a taxa média de desemprego no ano de 2020 foi de 13,5%, a maior da série iniciada em 2012. Em 2019, foi de 11,9%. Veja Mais

IR 2021: empregadores têm até esta sexta para entregar comprovante de rendimentos

G1 Economia Quem estiver obrigado a declarar precisa fazer isso entre 1º de março e 30 de abril. IR 2021 Editoria de Arte/G1 Termina nesta sexta-feira (26) o prazo para que os empregadores entreguem aos seus funcionários o comprovante de rendimentos do ano passado, documento necessário para a declaração do Imposto de Renda de 2021, referente ao ano-base 2020. Quem estiver obrigado a declarar precisa fazer isso entre 1º de março e 30 de abril. SAIBA TUDO SOBRE O IMPOSTO DE RENDA 2021 O comprovante deverá trazer as informações sobre o total dos rendimentos obtidos pelo trabalhador em 2020 e o Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) no período. Bancos e corretoras de valores também têm até esta sexta para disponibilizar aos clientes os informes de rendimento, com dados sobre aplicações financeiras, que deverão ser declarados pelos contribuintes. Esses dados podem ser entregues impressos ou disponibilizados eletronicamente. A expectativa da Receita Federal é de que 32,6 milhões de declarações sejam enviadas no prazo. O volume é cerca de 2% maior do que o de 2020, quando o órgão recebeu 31,9 milhões de declarações, mesmo com o prazo prorrogado em 2 meses por causa da pandemia da Covid-19. A multa para quem deixar de entregar a declaração no prazo terá valor mínimo de R$ 165,74 e valor máximo correspondente a 20% do imposto devido. Os contribuintes já podem acessar o programa gerador do Imposto de Renda 2021. Clique aqui para baixar o programa. Quem precisa declarar em 2021? Devem declarar o Imposto de Renda em 2021: quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2020. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado. contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado; quem obteve, em qualquer mês de 2020, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas; quem teve, em 2020, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural; quem tinha, até 31 de dezembro de 2020, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil; quem passou para a condição de residente no Brasil em qualquer mês e se encontrava nessa condição até 31 de dezembro de 2020; quem optou pela isenção do imposto incidente em valor obtido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda; quem recebeu o auxílio emergencial em 2020 e, além disso, teve rendimentos tributáveis acima de R$ 22.847,76. Calendário de restituições As restituições começam a ser pagas em maio, de acordo com o cronograma abaixo: 1º lote: 31 de maio 2º lote: 30 de junho 3º lote: 30 de julho 4º lote: 31 de agosto 5º lote: 30 de setembro Assista a mais notícias sobre o IR 2021: Veja Mais

Ministério da Agricultura registra 3 agrotóxicos inéditos e 64 genéricos para uso dos agricultores

G1 Economia Dos defensivos inéditos, dois são biológicos e um é químico, feito à base de Tiencarbazona e Isoxaflutol, considerado muito perigoso ao meio ambiente, segundo classificação do Ibama. Ministério da Agricultura liberou mais 67 agrotóxicos, contendo 3 inéditos. AFP O Ministério da Agricultura liberou mais 67 agrotóxicos nesta quinta-feira (25) para uso dos agricultores, segundo publicação no Diário Oficial. Essas são as primeiras autorizações feitas em 2021, após recorde de 493 no ano passado. Por que a produção de alimentos depende tanto de agrotóxicos? Dos novos defensivos, três possuem ingredientes ativos que não eram ainda registrados no Brasil. Destes, dois têm origem biológica e o outro tem origem química. O produto químico inédito tem o nome comercial de Adengo e o seu registro foi pedido pela Bayer. Ele é feito à base de Tiencarbazona e Isoxaflutol, que permitem o controle de plantas daninhas, tanto de folha estreita quanto de folha larga, na cultura do milho. Ele é considerado um produto muito perigoso para o meio ambiente, segundo classificação do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente). Já na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o produto não tem classificação toxicológica. Os dois agrotóxicos de origem biológica são feitos à base de Bacillus velezensis. Segundo a Anvisa, essa substância é improvável de causar dano agudo e, na classificação do Ibama, é considerada pouco perigosa ao meio ambiente. Os produtos biológicos são recomendados para o controle da fusariose, uma doença causada por um fungo chamado “Fasarium solani”. Esta doença provoca o apodrecimento das raízes das plantas e pode atingir diferentes culturas. Com estes compostos, também é possível combater a Meloidogyne incógnita, um nematoide que ao se hospedar nas raízes das plantas gera, ao seu redor, uma massa causando protuberâncias que fazem com que as raízes se pareçam com galhas. Segundo nota do Ministério, “todos os produtos registrados foram analisados e aprovados pelos órgãos responsáveis pela saúde, meio ambiente e agricultura, de acordo com critérios científicos e alinhados às melhores práticas internacionais”. Total das liberações Do total de 67 agrotóxicos liberados, 54 são químicos e 13 são biológicos, que são aqueles que podem ser utilizados tanto em lavouras comerciais quanto na produção de alimentos orgânicos, por exemplo. Pela legislação brasileira, tanto produtos biológicos utilizados na agricultura orgânica quanto químicos utilizados na produção convencional são considerados agrotóxicos. Como reduzir os resíduos de agrotóxicos antes de comer frutas, legumes e verduras Registros em 2020 No ano passado, foram, ao todo, 493 registros, segundo apurações do G1 baseadas em publicações no Diário Oficial da União. Este é o maior número documentado pelo Ministério da Agricultura, que compila esses dados desde 2000. Com este recorde, 2020 superou em 4% as aprovações de agrotóxicos de 2019, quando foram liberados 474 pesticidas — um recorde até então. Os registros vêm crescendo ano a ano no país desde 2016. Registro de agrotóxico em 2020. Arte/G1 Novo método de divulgação O governo alterou a forma de divulgação do registro de agrotóxicos em 2019. Até então, o ministério anunciava a aprovação dos pesticidas para a indústria e para os agricultores no mesmo ato dentro do "Diário Oficial da União". Relator no STF suspende portaria que muda regra para registro de agrotóxicos A sistema passou a levar em conta a aprovação dos dois tipos de agrotóxicos: os que vão para indústria e os que vão para os agricultores. Segundo o Ministério da Agricultura, a publicação separada de produtos formulados (para os agricultores) e técnicos (para as indústrias) tem como objetivo "dar mais transparência sobre a finalidade de cada produto". Como funciona o registro A permissão para um novo agrotóxico no país passa por 3 órgãos reguladores: Anvisa, que avalia os riscos à saúde; Ibama, que analisa os perigos ambientais; Ministério da Agricultura, que analisa se ele é eficaz para matar pragas e doenças no campo. É a pasta que formaliza o registro, desde que o produto tenha sido aprovado por todos os órgãos. Tipos de registros de agrotóxicos: Produto técnico: princípio ativo novo; não comercializado, vai na composição de produtos que serão vendidos. Produto técnico equivalente: "cópias" de princípios ativos inéditos, que podem ser feitas quando caem as patentes e vão ser usadas na formulação de produtos comerciais. É comum as empresas registrarem um mesmo princípio ativo várias vezes, para poder fabricar venenos específicos para plantações diferentes, por exemplo; Produto formulado: é o produto final, aquilo que chega para o agricultor; Produto formulado equivalente: produto final "genérico". Veja Mais

ANS inclui 69 itens na cobertura de procedimentos obrigatórios dos planos de saúde

G1 Economia Das 69 novas coberturas, 50 são relativas a medicamentos e 19 referentes a procedimentos como exames, terapias e cirurgias; medida passa a valer a partir do dia 1º de abril. Plano de saúde New Saúde Leader A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) incluiu 69 novos itens no rol de procedimentos obrigatórios a serem cobertos pelas operadoras de planos de saúde. A medida vale a partir do dia 1º de abril. Das 69 novas coberturas, 50 são relativas a medicamentos e 19 referentes a procedimentos como exames, terapias e cirurgias. Entenda como será a cobrança dos reajustes retroativos de planos de saúde Calculadora: veja de quanto será o reajuste no seu plano de saúde Na lista de medicamentos, estão 19 antineoplásicos orais que contemplam 28 indicações de tratamento para diversos tipos de câncer, 17 imunobiológicos com 21 indicações para tratamento de doenças inflamatórias, crônicas e autoimunes, como psoríase, asma e esclerose múltipla, e um medicamento para tratamento de doença que leva a deformidades ósseas. Na lista dos procedimentos estão exames, terapias e cirurgias para diagnóstico e tratamento de enfermidades do coração, intestino, coluna, pulmão, mama, entre outras. “Para chegarmos à tomada de decisão quanto aos procedimentos que devem ser incluídos, avaliamos um conjunto de critérios, entre os quais os benefícios clínicos comprovados, o alinhamento às políticas nacionais de saúde e a relação custo/efetividade. Feita essa rigorosa análise, os procedimentos incorporados são aqueles nos quais os ganhos coletivos e os resultados clínicos são os mais relevantes para o conjunto dos pacientes”, explicou Rogério Scarabel, diretor-presidente substituto da ANS. Veja os procedimentos incorporados Medicamentos Antineoplásicos orais (tratamento de câncer) ABEMACICLIBE: mama RIBOCICLIBE: mama PALBOCICLIBE : mama ALECTINIBE: pulmão ESILATO DE NINTEDANIBE: pulmão OSIMERTINIBE: pulmão CABOZANTINIBE: rins REGORAFENIBE: fígado LENVATINIBE: fígado COBIMETINIBE: melanoma DABRAFENIBE EM COMBINAÇÃO COM TRAMETINIBE: melanoma APALUTAMIDA: próstata ENZALUTAMIDA: próstata CITRATO DE IXAZOMIBE: mieloma LENALIDOMIDA: 3 para mieloma múltiplo e 1 para síndrome mielodisplásica IBRUTINIBE: 1 para linfoma de células do manto e 2 para leucemia linfocítica crônica VENETOCLAX: leucemia linfocítica crônica e leucemia mieloide aguda MIDOSTAURINA: leucemia mieloide aguda NILOTINIBE: leucemia mieloide crônica Imunobiológicos (tratamento de doenças inflamatórias, crônicas e autoimunes) ALENTUZUMABE: esclerose múltipla NATALIZUMABE: esclerose múltipla grave com rápida evolução OCRELIZUMABE: esclerose múltipla e formas recorrentes BETAINTERFERONA 1ª: esclerose múltipla ACETATO DE GLATIRÂMER: esclerose múltipla ADALIMUMABE: hidradenite supurativa (doença de pele crônica inflamatória), uveíte e psoríase OMALIZUMABE (DUAS INDICAÇÕES): urticária crônica e asma BENRALIZUMABE: asma MEPOLIZUMABE: asma ETANERCEPTE: psoríase GUSELCUMABE: psoríase INFLIXIMABE (DUAS INDICAÇÕES): psoríase e retocolite ulcerativa IXEQUIZUMABE: psoríase SECUQUINUMABE: psoríase USTEQUINUMABE: psoríase GOLIMUMABE: retocolite ulcerativa (doença inflamatória intestinal crônica) VEDOLIZUMABE: retocolite ulcerativa Outros medicamentos TERAPIA INTRAVENOSA COM ÁCIDO ZOLEDRÔNICO PARA DOENÇA DE PAGET (deformidades ósseas) Procedimentos Exames ENTEROSCOPIA DO INTESTINO DELGADO COM CÁPSULA ENDOSCÓPICA: diagnóstico de sangramento intestinal ENSAIO PARA DOSAGEM DA LIBERAÇÃO DE INTERFERON GAMA: detecção de tuberculose CALPROTECTINA, DOSAGEM FECAL: detecção de inflamação intestinal RAZÃO DO TESTE sFlt-1/PlGF: diagnóstico de risco de pré-eclâmpsia PD-L1 – DETECÇÃO POR TÉCNICAS IMUNOHISTOQUÍMICAS: detecção de câncer de pulmão FLT3 – PESQUISA DE MUTAÇÕES: diagnóstico de leucemia mieloide aguda Terapias ABLAÇÃO PERCUTÂNEA POR CORRENTE DE CRIOABLAÇÃO PARA O TRATAMENTO DA FIBRILAÇÃO ATRIAL PAROXÍSTICA: coração RADIOTERAPIA INTRAOPERATÓRIA POR ELÉTRONS (IOERT): câncer de mama TERAPIA POR PRESSÃO NEGATIVA: cicatrização de feridas e queimaduras HEMODIAFILTRAÇÃO ONLINE (HDF-OL): rins Cirurgias ARTROPLASTIA DISCAL DE COLUNA VERTEBRAL: coluna cervical CIRURGIA ENDOSCÓPICA DA COLUNA VERTEBRAL - HÉRNIA DE DISCO LOMBAR IMPLANTE TRANSCATETER DE PRÓTESE VALVAR AÓRTICA (TAVI): coração OSTEOTOMIA DA MANDÍBULA E/OU MAXILAR COM APLICAÇÃO DE OSTEODISTRATOR: correção de deformidade na mandíbula Consulta Consulta com enfermeiro obstetra ou obstetriz Alterações de diretrizes de utilização (inclusão de cobertura) TOMOGRAFIA DE COERÊNCIA ÓPTICA: amplia cobertura para pacientes com glaucoma IMPLANTE DE MONITOR DE EVENTOS (LOOPER IMPLANTÁVEL): amplia cobertura para pacientes pós-acidente vascular cerebral ou ataque isquêmico ANÁLISE MOLECULAR DE DNA: inclusão do exame de “SEQUENCIAMENTO COMPLETO DO EXOMA” para investigação de deficiência intelectual de causa indeterminada e inclusão de outras especialidades para a solicitação do procedimento Análise Molecular de DNA TRANSPLANTE ALOGÊNICO DE MEDULA ÓSSEA: alinhamento com as indicações do Ministério da Saúde para o transplante de células tronco hematopoiéticas VÍDEOS: as últimas notícias de economia Veja Mais