Meu Feed

Últimos dias

Planta amazônica misteriosa é finalmente identificada meio século depois

Planta amazônica misteriosa é finalmente identificada meio século depois

Tecmundo Embora destruir árvores seja um processo relativamente fácil, o que pode ser comprovado pela aceleração recente dos desmatamentos na Amazônia, identificar uma nova espécie pode demorar anos, às vezes décadas. Uma árvore incomum coletada no Parque Nacional Manu, na Amazônia Peruana, em 1973, foi finalmente identificada por pesquisadores americanos com a ajuda da botânica peruana que acabou dando nome à planta: Aenigmanu alvareziae.A saga da árvore misteriosa de Manu teve início em 1973 quando, caminhando por uma trilha na floresta, Robin Foster, pesquisador do Smithsonian Tropical Research Institution, se deparou com a pequena formação vegetal com uma fruta “que parecia uma lanterna chinesa de cor laranja e suculenta quando madura, com várias sementes”, afirmou o estudioso de florestas tropicais em um comunicado.Leia mais... Veja Mais

Sífilis: sociedade médica aponta falta de notificação de casos da doença

Sífilis: sociedade médica aponta falta de notificação de casos da doença

Tecmundo A sífilis, uma infecção sexualmente transmissível (IST) com evolução ameaçadora no número de casos adquiridos na última década, pode estar sendo subnotificada desde o início da pandemia da covid-19. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o medo de contaminação pelo coronavírus pode ter afastado milhares de pacientes de sífilis, que não procuraram os serviços de saúde para relatar sinais e sintomas da infecção bacteriana.Publicado no mês passado (22) no site da SBD, o alerta se baseou nos últimos números divulgados pelo Ministério da Saúde relativos ao período entre janeiro e junho de 2020, que revelaram a ocorrência de 49 mil casos de sífilis adquirida no Brasil. Embora a média de 8,2 mil casos mensais possa ser considerada elevada, o valor representa uma queda de 36% quando comparado ao informado mensalmente em 2019.Leia mais... Veja Mais

Mortes por tuberculose aumentam globalmente devido à pandemia, alerta OMS

Mortes por tuberculose aumentam globalmente devido à pandemia, alerta OMS

Tecmundo A tuberculose, uma doença evitável e curável, teve um aumento significativo no número de mortes dos acometidos durante a pandemia de covid-19. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), durante o combate ao coronavírus SARS-CoV-2, anos de progresso global no combate à tuberculose foram revertidos. Os dados são do relatório global sobre tuberculose da OMS, o Global TB 2021, que analisou 197 países e áreas.Segundo o relatório, em 2020 mais pessoas morreram de tuberculose, com muito menos diagnósticos e tratamentos. Em comparação com 2019, os gastos com a doença também diminuíram. De acordo com a OMS, muitos países dedicaram recursos humanos e financeiros para o combate à covid-19, limitando a disponibilidade de serviços essenciais de controle da tuberculose.Leia mais... Veja Mais

Como o universo, o cérebro humano pode estar em expansão

Como o universo, o cérebro humano pode estar em expansão

Tecmundo *Este texto foi escrito por um colunista do TecMundo; saiba mais no final. Se eu pudesse comparar a rede humana de neurônios no cérebro e a teia cósmica de galáxias, você perceberia semelhanças fascinantes. O astrofísico Franco Vazza e o neurocientista Alberto Feletti analisaram os números e compararam as duas estruturas numericamente, e tais semelhanças se tornaram ainda mais evidentes.Leia mais... Veja Mais

Cientista descobre bactérias capazes de comer um prego em 3 dias

Cientista descobre bactérias capazes de comer um prego em 3 dias

Tecmundo Uma biotecnóloga chilena chamada Nadac Reales, da cidade de Antofagasta, está propondo uma solução natural para eliminar toneladas de resíduos tóxicos produzidos pela mineração de cobre no Chile: bactérias “comedoras de metais”. Em testes realizados com extremófilos, organismos que sobrevivem ou necessitam de condições geoquímicas extremas, a cientista isolou bactérias capazes de "devorar" um prego em três dias.Em entrevista à agência AFP, a biotecnóloga afirma que a ideia surgiu ainda na universidade, quando realizava testes com microrganismos em uma mineradora de cobre com o objetivo de aprimorar a extração do minério. Reales conta que ficou intrigada com o destino dos resíduos metálicos. Leia mais... Veja Mais