Meu Feed

Últimos dias

Quão longe podemos enxergar no Universo?

Quão longe podemos enxergar no Universo?

Tecmundo Até onde sabemos, a velocidade da luz é a coisa mais rápida que existe e pode ser determinada experimentalmente como uma constante no Universo: não importa onde, quando ou em que direção a luz viaja no vácuo, ela sempre se move a uma taxa de 299.792.458 metros por segundo ou aproximadamente 300 mil quilômetros a cada segundo.Ao viajar livre no espaço por um intervalo de um ano (grandeza que define a distância de 1 ano-luz), ela percorre cerca de 9 trilhões de quilômetros, cerca de 2/3 do diâmetro total estimado para o Sistema Solar. Como o Universo surgiu há cerca de 13,8 bilhões de anos, então, os objetos mais distantes que podemos ver no espaço estão a 13,8 bilhões de anos-luz de distância, correto?Leia mais... Veja Mais

Como o eclipse solar total comprovou a teoria da gravidade de Einstein; entenda

Como o eclipse solar total comprovou a teoria da gravidade de Einstein; entenda

Tecmundo No dia 8 de abril, milhares de pessoas assistiram à sombra da Lua bloqueando o Sol, durante o chamado Grande Eclipse Norte-Americano de 2024. O fenômeno, visível em um corredor de 160 quilômetros de largura, atravessou regiões do México, EUA e Canadá. Só que, mais do que um show de luz e sombra, os eclipses solares são importantes oportunidades de pesquisa.Para o pesquisador Alessandro Peca, da Universidade de Miami, os eclipses solares "permitem aos cientistas estudar a atmosfera exterior do Sol, ou coroa, que normalmente é obscurecida pela luz brilhante do próprio astro". Essa filtragem permite o estudo dos ventos solares e como esse "sopro" de gás ionizado influencia o clima espacial, diz o astrofísico em release da The U (The University of Miami). Leia mais... Veja Mais

Eclipse solar total visto do espaço: ISS mostra sombra da Lua cruzando a Terra

Eclipse solar total visto do espaço: ISS mostra sombra da Lua cruzando a Terra

Tecmundo Dia 8 de abril, por volta das 15h07 (horário de Brasília), iniciou o esperado eclipse solar total. Enquanto, na América do Norte, uma multidão se aglomerava em uma faixa estreita que estende da costa do Pacífico no México até a costa leste do Canadá para assistir ao fenômeno, aqueles que não tiveram acesso ao espetáculo, como nós brasileiros, puderam ver as imagens, no sofá de casa, diretamente da Estação Espacial Internacional (ISS). Comendo pipoca, e sem ter que se preocupar com o tempo nublado, os espectadores do resto do mundo compartilharam a visão dos astronautas, a quase 400 quilômetros de altitude, acima das nuvens. Posicionados no oceano Pacífico, na costa oeste da América do Norte, os ocupantes da ISS viram a sombra da Lua (umbra) passar sobre suas cabeças.Leia mais... Veja Mais

O que é Coronium? Conheça a história do elemento químico que não existiu

O que é Coronium? Conheça a história do elemento químico que não existiu

Tecmundo Em 1869, os astrônomos norte-americanos aguardavam ansiosamente pela ocorrência de um eclipse solar total que passou por algumas regiões dos Estados Unidos. Na época, dois cientistas conseguiram identificar uma linha de emissão no espectro da coroa solar que não estava nos parâmetros de nenhuma substância identificada pela ciência. Por isso, eles afirmaram que se tratava de um novo elemento chamado de corônio (coronium).Também conhecido como newtônio, o elemento foi descoberto pelos astrônomos Charles Augustinus Young e William Harkness, quando realizaram medições do espectro do Sol durante o eclipse total. Em diferentes experimentos, eles encontraram evidências de um possível novo elemento que poderia revolucionar a trajetória da ciência.Leia mais... Veja Mais

Como a Terra ficará quando o Sol morrer? Estudo revela fim apocalíptico

Como a Terra ficará quando o Sol morrer? Estudo revela fim apocalíptico

Tecmundo Em um novo artigo publicado na revista científica Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, um grupo de pesquisadores descreve qual será o destino de alguns corpos celestes do Sistema Solar quando o Sol estiver morrendo, incluindo a Terra.  Afinal, o que será que poderia acontecer se o Sol deixasse de funcionar como é atualmente? A explicação pode ser mais simples do que você imaginava.Leia mais... Veja Mais

Lua literalmente virou do avesso no passado, diz estudo

Lua literalmente virou do avesso no passado, diz estudo

Tecmundo Um novo estudo realizado no Laboratório Lunar e Planetário da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, sugere que a nossa Lua passou por uma grande instabilidade em seu interior e, por isso, o satélite literalmente virou do avesso. Os cientistas perceberam que o mapa gravitacional da Lua se adapta melhor com o modelo sugerido; há décadas, a ciência vê a história do satélite de uma forma, mas a descoberta pode mudar isso.Os pesquisadores também perceberam que a superfície da Lua é quimicamente assimétrica, algo que pode ter acontecido quando o manto do corpo celeste virou de cabeça para baixo. A ideia da reviravolta do manto lunar é antiga, mas só agora os cientistas conseguiram coletar evidências que apoiam a hipótese.Leia mais... Veja Mais

Por que Stephen Hawking não queria estabelecer contato com seres extraterrestres?

Por que Stephen Hawking não queria estabelecer contato com seres extraterrestres?

Tecmundo A busca por vida inteligente fora da Terra já ocorre há milhares de anos, tanto por tentativas de povos antigos que observavam os céus quanto por mensagens enviadas ao espaço, como na Mensagem de Arecibo — a missão teve ajuda do astrônomo, astrofísico e divulgador científico Carl Sagan. Contudo, nem todos apoiam esse objetivo. O físico e cosmólogo Stephen Hawking expressava abertamente sua desaprovação em relação à ideia de a humanidade enviar mensagens para alienígenas.Desde meados de 2010, Hawking começou a expressar seu receio em relação ao envio de mensagens para possíveis extraterrestres, pois eles poderiam possuir um tipo de tecnologia muito mais avançada do que a nossa. Leia mais... Veja Mais

Plêiades: do mito a astronomia

Plêiades: do mito a astronomia

Tecmundo Uma das belezas da observação do céu noturno é a possibilidade de visualizar estrelas, planetas e constelações a olho nu — o uso de binóculos e telescópios proporciona paisagens cósmicas ainda mais impressionantes. Uma dessas observações é o aglomerado estelar das Plêiades, um grupo de estrelas localizado na constelação de Touro, a aproximadamente 380 anos-luz de distância da Terra.Assim como em outras histórias dos ancestrais da humanidade, as Plêiades já haviam sido observadas há milhares de anos, mas os povos antigos criaram alguns mitos para tentar explicar sua existência. Inclusive, até hoje o aglomerado também é chamado de 'sete irmãs' por conta desses mitos; contudo, durante a observação a olho nu, comumente é possível contar apenas seis estrelas.Leia mais... Veja Mais

#AstroMiniBR: tempestades de areia em Marte!

#AstroMiniBR: tempestades de areia em Marte!

Tecmundo O TecMundo e o #AstroMiniBR, selecionam semanalmente, as curiosidades astronômicas mais relevantes, produzidas pelos colaboradores do perfil no X para compartilhar com você, um pouco mais do inusitado universo da astronomia. Confira abaixo!As tempestades de areia em Marte são fenômenos impressionantes que ocorrem devido à atmosfera rarefeita e às condições climáticas únicas do planeta vermelho. Essas tempestades podem se estender por vastas áreas e levantar altas quantidades de poeira e areia, resultando em condições extremas que podem durar semanas ou até meses.Leia mais... Veja Mais

Tunelamento quântico: estudo revela embaralhamento de informação em reações químicas

Tunelamento quântico: estudo revela embaralhamento de informação em reações químicas

Tecmundo Em um estudo publicado recentemente na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, uma equipe de físicos teóricos e químicos das universidades Rice e Illinois Urbana-Champaign, ambas nos EUA, usou técnicas de mecânica quântica (função de onda e integrais de caminho) para analisar uma reação química relativamente simples.O experimento resultou em um embaralhamento da informação quântica das partículas envolvidas a uma velocidade impressionante, quase tão rápida quanto a mais extrema forma de embaralhamento de informações conhecida no Universo: a singularidade de um buraco negro. Leia mais... Veja Mais

Morre Peter Higgs, físico que descobriu a 'Partícula de Deus'

Morre Peter Higgs, físico que descobriu a 'Partícula de Deus'

Tecmundo O físico Peter Higgs morreu na segunda-feira (8) aos 94 anos, em consequência de uma “doença repentina”, segundo a Universidade de Edimburgo, no Reino Unido, da qual ele era professor emérito. O pesquisador foi o responsável pela descoberta do bóson de Higgs, também conhecido como a “partícula de Deus”.Nascido em 1929 na cidade de Newcastle, na Inglaterra, o cientista se inspirou no trabalho de outro físico famoso, Paul Dirac, um dos fundadores da mecânica quântica. Higgs se graduou na King’s College London em 1950 como o primeiro da turma de física e iniciou suas pesquisas um ano depois.Leia mais... Veja Mais

Eclipse solar total de 2024: confira as fotos do raro fenômeno

Eclipse solar total de 2024: confira as fotos do raro fenômeno

Tecmundo O aguardado eclipse solar total de 2024 ocorreu nesta segunda-feira (8), e impressionou os espectadores que puderam assistir o evento ao vivo em algumas regiões do México, Estados Unidos e Canadá. Os brasileiros, e residentes de outros países, puderam assistir ao espetáculo apenas por meio de transmissões ao vivo. Segundo os especialistas, o fenômeno é tão raro que, em média, ocorre apenas a cada 375 no mesmo lugar.Felizmente, diversos fotógrafos e cientistas captaram imagens do eclipse solar total durante os poucos minutos em que o Sol foi completamente bloqueado pelo tamanho aparente da Lua no céu. Durante o momento de escurecimento, os observadores puderam assistir ao Sol bloqueado pela Lua, com uma coroa solar brilhante ao redor do satélite natural.Leia mais... Veja Mais