Meu Feed

Hoje

Petrobras sobe gasolina em 4% e interrompe sequência de cortes de preço

G1 Economia Movimento interrompe uma sequência de três quedas nos valores do combustível. Já o preço do diesel fica inalterado. Petrobras sobe gasolina em 4% e interrompe sequência de cortes de preço Reprodução/G1MS A Petrobras elevará os preços médios da gasolina em suas refinarias em 4% a partir de quarta-feira (23), informou a companhia, em movimento que interrompe uma sequência de três quedas nos valores do produto. Já o diesel, combustível mais utilizado do Brasil, não terá alterações, informou a estatal por meio da assessoria de imprensa. Nos reajustes anteriores, a companhia havia cortado também os valores desse derivado de petróleo. Apesar do aumento, os preços da gasolina seguirão 13,4% abaixo das máximas de 2020, registradas logo no começo do ano, quando o combustível era vendido nas refinarias da Petrobras por R$ 1,9173 por litro, segundo dados compilados pela Reuters. Os preços caíram fortemente a partir de março, em meio aos impactos da pandemia de coronavírus sobre o mercado de petróleo e combustíveis, e chegaram a tocar mínimas abaixo de 1 real por litro em meados de abril antes de voltarem a subir. A Petrobras defende que sua política de preços tem como base a paridade de importação, o que leva em conta fatores como as cotações do petróleo no mercado internacional e o câmbio. Os futuros do petróleo Brent, referência internacional, avançaram pouco mais de 4% desde o último reajuste da Petrobras, enquanto o real também perdeu valor frente ao dólar no período. Repasse depende dos postos Mas o repasse dos movimentos de preço nas refinarias aos postos não são garantidos e nem automáticos e dependem de diversos fatores, incluindo margem de distribuição e tributos. Dados do IBGE mostram que o preço da gasolina recuou 0,45% em média no país em agosto, acumulando uma queda de 5,93% nos 8 primeiros meses do ano. Veja vídeos: últimas notícias de Economia no Brasil e no mundo Veja Mais

Secretário de Telecomunicações se diz favorável a leilão 5G com viés não arrecadatório

Valor Econômico - Finanças Vitor Menezes defendeu que sejam zerados os tributos incidentes sobre as conexões de IOT (sigla em inglês para Internet das Coisas) O secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Vitor Menezes, disse nesta terça-feira que a pasta tem como prioridade garantir que o leilão de frequências a serem usadas na prestação do serviço 5G. Menezes garantiu que o ministério é favorável a um certame que não tenha um viés arrecadatório. “Nós concordamos plenamente com um leilão não arrecadatório. Tem sido uma declaração constante do nosso ministro. E, também, uma conversa constante que ele tem tido com os demais setores do nosso governo. Então, nós vamos brigar por isso”, disse Menezes durante seminário virtual promovido pela Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil). O secretário de Telecomunicações defendeu que sejam zerados os tributos incidentes sobre as conexões de IOT (sigla em inglês para Internet das Coisas) como forma de desenvolver este segmento tecnológico. “Ou a gente zera a tributação para IOT usando espectro [eletromagnético] licenciado ou não vamos ter o desenvolvimento deste setor no Brasil. Isso é um fato”, afirmou Menezes, em debate no “Painel Telebrasil 2020.” Veja Mais

INSS: Perícias médicas são retomadas aos poucos; veja situação pelo país

G1 Economia Segundo o órgão, 202 peritos médicos federais compareceram aos postos de trabalho em 86 agências espalhadas pelo país. Apesar da convocação do governo, volta ao trabalho dos peritos deve ser parcial no INSS Os atendimentos presenciais de perícia médica do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) retornam lentamente ao normal após inspeções de médicos feitas por conta para validação às agências do órgão. Há uma semana, um cabo de guerra entre governo e os peritos paralisou o atendimento que deveria ser retomado no dia 14. Na noite desta segunda-feira (21), a Associação Nacional dos Médicos Peritos (ANMP) divulgou uma lista de 87 agências "aptas" e "aptas com restrições" para retomada as atividades médicas com segurança. Naquelas com restrições, há pendências que não impedem o funcionamento, mas também não permitem plena atividade da agência. É o caso de unidades com consultórios interditados ou com equipamentos em falta. Veja a lista das agências aprovadas. Entenda a queda de braço entre o INSS e os médicos peritos Atendimento presencial do INSS: entenda os serviços disponíveis, como ser atendido e documentos necessários Retomada de atendimento presencial do INSS tem filas e reclamações pelo país Na última semana, o INSS publicou uma convocação para que os médicos voltassem ao trabalho nas agências consideradas adequadas, sob pena de desconto na remuneração. Eram esperados 486 peritos nesta segunda, mas apenas 149 se apresentaram. Nesta terça, 202 peritos médicos federais compareceram aos seus postos de trabalho nas agências do INSS, segundo dados do próprio órgão. Até 9h45, foram realizadas 1.071 perícias presenciais, em 86 agências. Havia agendamento em 148 delas. "A partir de amanhã (23), 201 agências terão perícias agendadas. O total, portanto, de agências aptas é 201. Há 486 peritos que deveriam ter retornado ao trabalho nesta terça-feira", diz o INSS. Além disso, uma nova portaria autoriza a remarcação de perícia médica agendada e não realizada através do telefone 135 do INSS. A remarcação será permitida "nos casos de não comparecimento do usuário na data agendada ou em que não foi possível a realização do atendimento" na data previamente agendada. "A perícia médica será remarcada para o local de atendimento inicialmente agendado", diz o texto. Veja abaixo a situação das agências em alguns locais pelo país: Distrito Federal Agência do INSS em Taguatinga, no DF, reabre com número reduzido de médicos peritos As agências do Distrito Federal retomaram o serviço de perícia médica nesta terça-feira (22), após nove dias de suspensão. O efetivo de peritos no início da manhã foi reduzido e a busca por atendimento gerou filas. Os atendimentos voltaram após a vistoria da Associação Nacional de Médicos Peritos (ANMP), na segunda (21). O DF possui seis unidades do INSS, sendo que duas agências realizam a perícia médica. Os postos funcionam de 7h às 13h. Em uma delas, no Setor Comercial Sul, apenas 16 dos 39 médicos peritos haviam comparecido ao trabalho, até as 8h. Rio de Janeiro Perícias médicas do INSS são liberadas em 5 agências do estado Depois de uma semana de agências abertas, mas sem perícias, a Associação Nacional dos Peritos liberou cinco unidades no estado do Rio para retomarem o serviço. Os locais foram vistoriados pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e pela própria associação. São elas: Praça da Bandeira, Méier, Irajá, Itaboraí e São Pedro D’Aldeia. Além das cinco agências liberadas para perícia, outras três foram consideradas aptas a funcionar com restrições pela associação. Cabo Frio, Niterói - Bairro de Fátima e São Gonçalo - Bairro Paraíso. São Paulo Médicos peritos voltam a atender nas agências do INSS do estado O serviço de perícia médica é realizado parcialmente nas agências do INSS da cidade de São Paulo na manhã desta terça-feira (22). Na unidade de Pinheiros, na Zona Oeste da cidade, cinco dos seis médicos convocados compareceram ao trabalho, mas agência ficou mais de 60 minutos sem energia elétrica. Na agência da Vila Mariana, na Zona Sul da capital paulista, apenas cinco dos 14 peritos da unidade voltaram ao trabalho. Nesta segunda-feira (21), cerca de 20% dos peritos do INSS que deveriam ter voltado ao trabalho nesta no estado de São Paulo apareceram nas agências. Foram apenas 28 profissionais dentre os 138 convocados para retomar as perícias. Até agora, das 72 agências do INSS que fazem perícia no estado, 35 já foram vistoriadas e liberadas, 9 delas na Região Metropolitana de São Paulo. Espírito Santo Cinco agências do INSS devem voltar a realizar perícias em Vitória As agências do INSS começaram a reabrir na semana passada após quase cinco meses fechadas em razão da pandemia de coronavírus. Nesta primeira etapa, as agências atenderão apenas segurados agendados para evitar aglomerações. O agendamento deve ser feito pelo Meu INSS ou pelo telefone 135. Nesta primeira etapa de reabertura, segundo o INSS, estarão disponíveis para atendimento presencial os serviços de perícia médica, avaliação social, cumprimento de exigência justificação administrativa ou judicial e reabilitação profissional. Solicitações de aposentadoria, pensão, salário maternidade, continuarão sendo feitos remotamente. Pernambuco Saiba como funciona o atendimento para perícia médica em agências do INSS Com a volta da realização de perícias médicas no Grande Recife, duas das oito agências abertas seguem oferecendo o procedimento nesta terça-feira (22). As outras seis agências que estão abertas estão sendo adequadas para que possam oferecer o serviço. Nesta terça-feira (22), há 48 perícias marcadas para a agência de Casa Amarela, na Zona Norte do Recife. Na agência da Corredor do Bispo, no Centro, há 24 agendamentos. Bahia As perícias médicas voltaram a ser feitas em quatro agências em Salvador nesta terça-feira (22) e em outras quatro unidades do órgão, nas cidades de Teixeira de Feitas, Ipiaú, Itamaraju e Ilhéus, no sul da Bahia. Em Barreiras, no oeste baiano, as perícias voltaram na segunda (21). Todas as unidades passaram por vistoria na segunda. Na capital, apenas a agência do Comércio não foi autorizada a funcionar por ser considerada inapta ao atendimento, por causa da pandemia da Covid-19. No interior do estado, Dias D'Ávila também não pôde retomar serviço. Veja a lista aqui. Rio Grande do Sul Usuários do INSS com agendamento são atendidos para perícia em Porto Alegre Seis agências do INSS no Rio Grande do Sul foram liberadas para a realização de perícias nesta terça-feira (22). São elas Porto Alegre (Partenon), Canoas, Lajeado, São Leopoldo, Ijuí e Frederico Westphalen. Na segunda-feira, a agência do bairro Partenon, que fica localizada na Avenida Bento Gonçalves, em Porto Alegre, estava programada para abrir. Uma fila com cerca de 70 pessoas aguardava em frente ao local para realização de perícias que estavam agendadas desde a última semana. Porém, a vistoria da ANMP programada para às 7h atrasou e o local não abriu as portas. O gerente executivo do INSS em Porto Alegre, Claiton Pereira Soares, destaca que as pessoas que tinham horário marcado e não conseguiram atendimento devem remarcar pelo 135 ou pelo site. VÍDEOS: Últimas notícias de Economia Veja Mais

Safra eleva preço-alvo da B3 (B3SA3) e destaca momento positivo do mercado de capitais

Valor Econômico - Finanças Especialistas da Safra Corretora atualizaram as informações a partir dos resultados do segundo trimestre; recomendação para o papel ainda é de compra Preço-alvo de R$ 69/ação da (B3SA3) representa alta de 23% Getty Images Os especialistas da Safra Corretora atualizaram suas estimativas para as ações da B3 (B3SA3) para o final do ano e para 2021, a partir dos resultados do segundo trimestre e das premissas macroeconômicas. Para os analistas, a B3 deve continuar como um dos principais nomes a aproveitar o bom momento do mercado de capitais brasileiro, sustentado, especialmente, pelas taxas de juros baixas, pelo fluxo positivo dos investidores locais em ações e pelo calendário de IPOs. Além da estimativa positiva, a Safra Corretora aumentou o preço-alvo de B3SA3 de R$ 54 para R$ 69/ação, com a manutenção da recomendação de compra para o papel. O preço-alvo de R$ 69 para 2021 implica uma alta de 23%, o que é positivo, na avaliação dos especialistas, porém não tão alto quanto outros nomes da cobertura do Safra, em especial os bancos. Por outro lado, os riscos da B3 também se mostram menores do que os do setor financeiro, que ainda deve enfrentar incertezas com inadimplência e com a atividade econômica. Segundo a análise, o momento de transformação pelo qual passa o mercado de ações brasileiro continua motivando uma visão positiva sobre a B3. Apesar da valorização “esticada”, os fundamentos seguem fortes, apoiados por grandes volumes da divisão de ações listadas. Momento é positivo para mercado de capitais Para os especialistas do Safra, o mercado brasileiro vive um momento único, com taxas de juros em níveis recordes, o que estimula os investidores locais a reequilibrar continuamente seus portfólios de investimentos, em um movimento de migração de recursos da renda fixa para a renda variável. Além disso, observa-se um fluxo de novas empresas acessando o mercado de ações, com mais de 40 companhias apresentando pedidos de oferta pública na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O número de ações listadas cresceu 70%, em relação ao ano passado, e as receitas de ações listadas já representam 48% da B3 (era 42% em 2019). Como único player no segmento no Brasil, a B3 vem captando todos esses fluxos (investidores pessoa física, empresas e maiores volumes negociados). Assim, o Safra indica estimativas mais otimistas para receitas de ações listadas, o que deve elevar o EBITDA e a revisão de lucros para 2020 e 2021, uma vez que a projeção é que a B3 siga apresentando números fortes. Os especialistas indicam o aumento do ADTV de 2020 de R$ 28 bilhões para R$ 29 bilhões, baseado na recuperação mais positiva do valor de mercado dos ativos listados; e de R$ 27 bilhões para R$ 32 bilhões para 2021, visto que os preços das ações se recuperaram, com bons níveis de giro. Com relação aos derivativos, a análise também indica elevação de ADV em 2020, de R$ 6,3 para R$ 6,6 milhões, e em 2021, de R$ 6,2 para R$ 6,9 milhões, como reflexo de um ambiente mais benevolente para investimentos. A análise projeta um aumento de receita líquida da B3 em 8,8% em 2020, chegando a R$ 7,7 bilhões (um aumento de 31,4% na comparação com ano passado); e aumento também de 11,6% para 2021, chegando a R$ 8,1 bilhões (crescimento de 4% em relação a 2020). E como resultado desses números para a nova linha de receita, os especialistas do Safra apontam um aumento do lucro recorrente da B3 em 8,4% e 10,3% para este ano e para o próximo, respectivamente. Nova política de preços e riscos da B3 No início do mês, a B3 anunciou que adiou a implementação de sua nova política de preços, em acordo com players do mercado, e deve ficar para o início de 2021. Para o Safra, isso deve otimizar a estratégia da B3, permitindo tarifas diferenciadas de acordo com o tamanho dos clientes. A prevista redução dos preços deve estimular o crescimento no volume, o que pode beneficiar a empresa no longo prazo. Os especialistas do Safra alertam ainda para os riscos com a B3, em especial a competição com ATS (negociação e compensação de ações) e ABBC (registro de renda fixa), consideradas iniciativas mais desenvolvidas. A reforma tributária e o potencial aumento da tributação é outro fator de risco destacado. A atual proposta do governo substituiria o atual PIS/Cofins (8,65% da receita bruta) pela nova Contribuição Social sobre Bens e Serviços (CBS), que teria alíquota fiscal de 12% da receita. Isso poderá representar um aumento de até 3 pontos percentuais no imposto sobre a receita para a B3. Uma última preocupação diz respeito ao contencioso tributário, decorrente da combinação entre BM&F e Bovespa, no valor de R$ 11,5 bilhões, ainda que os especialistas apontem risco de perda baixo, pois a B3 continua confiante na vitória da disputa judicial. Por fim, os analistas destacam que riscos macroeconômicos brasileiros, como a desaceleração da economia, variação nas taxas de juros e outros impactos, podem alterar o atual momento positivo do mercado de capitais. Veja Mais

Vencedores do Emmy Internacional de jornalismo são anunciados em cerimônia virtual

G1 Economia Vencedores foram anunciados na segunda-feira (21). A TV Globo concorria em duas categorias. Confira os vencedores do Emmy Internacional de Jornalismo 2020 Foram anunciados na noite de segunda-feira (21) os vencedores do Emmy Internacional de Jornalismo 2020, considerado o Oscar da TV, em uma inédita cerimônia virtual. Na categoria "Notícias", a Globo recebeu indicação pela reportagem do RJ2 sobre funcionários fantasmas da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), exibida em dezembro de 2019. Foram três meses de investigação de funcionários com altos salários na Alerj que não aparecem para trabalhar. Alguns deles foram flagrados em casa no horário de trabalho, e um deles mora nos Estados Unidos. (veja vídeo ao final da reportagem) O vencedor foi o Channel 4, do Reino Unido, com reportagem sobre os protestos em Hong Kong. Na categoria "Atualidades", a GloboNews disputou com o documentário "Aliados", sobre a batalha contra o Estado Islâmico na Síria, foi indicado para o prêmio de "Atualidades". O jornalista Gabriel Chaim se juntou às Forças Democráticas Sírias, lideradas pelos combatentes curdos, nos últimos cinco meses de batalha contra o Estado Islâmico. O documentário também mostra as mulheres e crianças que escaparam do pesado bombardeio que atingiu reduto do Estado Islâmico de Baghouz. (veja o documentário ao final da reportagem) Quem ganhou foi a britânica ITV, com o documentário que mostrou como um grupo de muçulmanos que vive no noroeste da China é altamente vigiado pelo governo. A lista de indicados pela Academia Internacional de Televisão, Artes e Ciências incluiu 8 trabalhos de 6 países: Brasil, Nigéria, Catar, Rússia, Suécia e Reino Unido. Participação da Globo Este é foi sexto ano consecutivo que a Globo recebeu indicação tanto para a categoria "Notícias" quanto para "Atualidades", e o 15º ano com ao menos uma indicação. Ao todo, foram 24 indicações nos últimos 19 anos. Em 2011, o Jornal Nacional ganhou a estatueta, pela cobertura da retomada do conjunto de favelas do Alemão pelas forças de segurança do Rio de Janeiro. Ao todo, a Globo tem 17 prêmios Emmy. Indicados Categoria 'Notícias' ('News') "Hong Kong - Um ano vivendo perigosamente" - Channel 4 News/ ITN, Reino Unido "Funcionários fantasmas" - RJ2/ TV Globo, Brasil "Acidente de jato russo em Moscou - cronograma e sobreviventes" - RT Internacional/ Rússia "A batalha por Burkina Faso" - Al Jazeera English, Catar Categoria 'Atualidades' ('Current Affairs') "BBC Olhar África: Sexo por Notas" - BBC Africa Eye, Nigéria GloboNews Documentário: "Aiados" - GloboNews/TV Globo, Brasil "Swedbank och Penningtvätten - Dirty Namking" (a história do Swedbank e o maior escândalo de lavagem de dinheiro do mundo) - Mission Investigate/ Sveriges Television (SVT), Suécia "Disfarçado: Por dentro do Gulag Digital da China" - Hardcash Productions / ITV, Reino Unido Assista reportagem e documentário: A reportagem do RJ2 indicada ao prêmio foi ao ar em dezembro de 2019 e mostra servidores da Alerj que ganham mais de R$ 18 mil e não aparecem para trabalhar. Assista: Servidores ganham mais de R$ 18 mil e não aparecem para trabalhar na Alerj O documentário "Aliados" foi ao ar na GloboNews também no fim de 2019 e mostrou o correspondente de guerra brasileiro Gabriel Chaim acompanhando os últimos meses da participação das Forças Democráticas Sírias na operação internacional que culminou na reconquista de Baghouz. Assista: Aliados Assista as últimas notícias de economia Veja Mais

Juros futuros caem após ata do Copom e dólar reage em alta ao exterior

Valor Econômico - Finanças Além do documento do BC, investidores acompanham situação da pandemia Depois do estresse observado ontem nos mercados globais, os juros futuros esboçam alguma reação e se ajustam em queda em relação aos ajustes na manhã desta terça-feira, no momento em que os investidores ainda digerem a ata da reunião de semana passada do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC). Ao mesmo tempo, o dólar tem alta firme contra o real, no momento em que a moeda americana começa a ganhar um pouco de força no exterior, diante da possibilidade de adoção de novas medidas de isolamento social no Reino Unido. Perto de 10 horas, o dólar era negociado a R$ 5,4180 no mercado à vista, com avanço de 0,36%. No mesmo horário, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2022 passava de 3,00% no ajuste anterior para 2,93%; a do DI para janeiro de 2023 caía de 4,44% para 4,37%; a do contrato para janeiro de 2025 cedia de 6,36% para 6,28%; e a do DI para janeiro de 2027 recuava de 7,34% para 7,27%. O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou novas medidas restritivas no país diante do aumento no número de casos de covid-19. De acordo com o premiê, pubs serão fechados mais cedo para combater a disseminação da doença e as medidas de isolamento podem se estender por seis meses, caso não haja progresso na contenção do novo coronavírus. Após a notícia, a libra, que operava em alta em relação ao dólar, inverteu o sinal e passou a cair. A moeda americana também se mostra mais forte na comparação com outras principais e divisas de mercados emergentes. No Brasil, os juros futuros ainda mantêm um sinal de queda em relação aos ajustes. Nos contratos mais curtos, a ata da reunião do Copom tem alguma influência, no momento em que o comitê continuou a adotar o discurso de que pretende manter os juros nos níveis atuais por um período prolongado. CC0 Creative Commons / pixabay Veja Mais

Fux suspende julgamento virtual no STF sobre venda de refinarias da Petrobras

Valor Econômico - Finanças O presidente do Supremo quer que o tema passe a ser discutido em sessão presencial Marcelo Camargo / Agência Brasil O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, suspendeu o julgamento virtual sobre a venda de refinarias da Petrobras, para que o tema passe a ser discutido em sessão presencial. Cabe a ele próprio pautar o caso em plenário, mas ainda não há data prevista. Na plataforma eletrônica, os ministros Edson Fachin (relator), Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello já haviam votado para conceder a liminar e proibir a criação de subsidiárias para alienação, até o julgamento de mérito da reclamação. O processo chegou ao Supremo a partir do Senado Federal, que alertou para uma suposta manobra do governo para conseguir vender subsidiárias de estatais sem necessidade de aval prévio do Congresso - uma espécie de drible à decisão do Supremo proferida no ano passado. Na ocasião, o plenário do STF decidiu que é possível dispensar a autorização legislativa para privatizar subsidiárias, mas não a chamada "empresa-mãe". Como consequência, o governo estaria desmembrando as matrizes com o objetivo único de repassá-las à iniciativa privada. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirma que um posicionamento do tribunal é essencial para impedir que a manobra ocorra nos processos de alienação de ativos da Refinaria Landulpho Alves (Rlam) e da Refinaria do Paraná (Repar), encampados pela equipe econômica. Veja Mais

Aéreas asiáticas lutam para tranquilizar passageiros sobre resposta a vírus

Valor Econômico - Finanças Medidas de prevenção garantem distanciamento e segurança enquanto fluxo permanece baixo, mas não se sabe como será quando demanda voltar Após mais de meio ano gerenciando as operações terrestres da All Nippon Airways (ANA) no Aeroporto de Haneda em meio a uma pandemia, o saneamento e o distanciamento social se tornaram tão rotineiros para Mariko Kumita e sua equipe que, como ela diz, "estou começando a sentir como se eu estivesse esquecendo o que costumava ser normal". Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Profissionais LGBT dizem que ao se expor acabam prejudicando a carreira

Valor Econômico - Finanças Pesquisa da Accenture com 1.001 funcionários e 55 líderes brasileiros indica que eles não sentem um ambiente corporativo acolhedor e propício ao crescimento profissional Em uma pesquisa global sobre diversidade, mais da metade dos profissionais brasileiros LGBTQIA+ entrevistados afirmaram que expressar sua identidade de gênero ou orientação sexual no trabalho afeta a evolução de suas carreiras. Mesmo assim, a abertura desse público para ser quem são nas organizações é maior no Brasil do que na média global: 36% afirmaram ser ‘muito abertos’ com relação à sua identidade, expressão ou orientação, enquanto a média global foi de 31%. Ainda há, porém, uma fatia relevante (23%) entre os brasileiros que prefere não compartilhar essas informações com ninguém. Mais da metade (55%) desse grupo acredita que expressar sua identidade de gênero ou orientação sexual no trabalho impacta suas carreiras negativamente. A pesquisa foi conduzida pela Accenture e é um recorte novo, a partir de um relatório global sobre diversidade divulgado este ano e que ouviu 1,7 mil e 30 mil funcionários em 28 países. No Brasil, 1.001 funcionários e 55 líderes responderam a essa pesquisa, dos quais 15% e 9% de cada grupo, respectivamente, se identificaram como LGBTQIA+. Programas de inclusão são adaptados na pandemia Para Rafael Bonini, diretor de estratégia e consultoria na Accenture e líder do grupo de discussão LGBTQIA+ na empresa, as políticas e apoio à essa questão estão evoluindo nas organizações, mas a percepção de que não há um ambiente inclusivo leva esses funcionários a não se exporem. Apenas 14% dos funcionários LGBTQIA+ em todo o mundo se sentem completamente apoiados por seus chefes nas discussões sobre melhorias das condições de igualdade e da receptividade a profissionais LGBTQIA+ na organização. Do outro lado, 68% dos líderes entrevistados acreditam criar ambientes inclusivos. Essa diferença pode indicar, analisa Bonini, que ou os líderes não estão construindo políticas eficazes, ou que os próprios funcionários, por terem receio e medo de serem prejudicados, acreditam que esse ambiente não existe. “O que ajuda a mudar esse cenário é trazer mais inspiração e líderes com os quais eles possam se identificar e ver que não há vieses no topo”, afirma Bonini, citando que globalmente 71% dos funcionários LGBTQIA+ dizem ser importante haver líderes abertos com relação à orientação e idade para a evolução do cenário — mas apenas 21% dos líderes LGBTQIA+ em posições gerenciais ou acima costumam assumir abertamente sua identidade ou orientação. No Brasil, o estudo também indica que metade dos funcionários LGBTQIA+ desejam se tornar gestores sêniores. Na opinião de Bonini, essa é uma agenda que pode sofrer retrocesso na pandemia. Um dos motivos é que o trabalho remoto e, por consequência, as interações virtuais dificultam que os profissionais LGBTQIA+ se exponham de forma mais natural e abertas, como momentos no café do escritório ou em situações mais informais. “Eu vi vários depoimentos nesse sentido na quarentena dizendo que às vezes você tem um ambiente mais inclusivo na empresa do que na própria casa onde mora com a família”, diz. Para Bonini, portanto, as companhias precisam criar mecanismos para lidar com esse novo modelo de trabalho e garantir mais comunicação, proximidade e momentos de trocas, considerando que o home office deve permanecer como tendência em muitas delas. Diversidade melhora desempenho financeiro, diz estudo Veja Mais

Espaço para uso da política monetária, se houver, deve ser pequeno, reforça Copom

Valor Econômico - Finanças Ata do encontro realizado na semana passada aponta que eventuais novas reduções na taxa de juros exijam “cautela e gradualismo adicionais” O Comitê de Política Monetária (Copom) reiterou nesta terça-feira que o espaço para novas quedas de juros, "se houver, deve ser pequeno". Atualmente, a Selic está em 2% ao ano. "O Copom entende que a conjuntura econômica continua a prescrever estímulo monetário extraordinariamente elevado, mas reconhece que, devido a questões prudenciais e de estabilidade financeira, o espaço remanescente para utilização da política monetária, se houver, deve ser pequeno", disse na ata referente à reunião da semana passada. “Se necessárias, novas reduções de juros demandariam maior clareza sobre a atividade e inflação prospectivas e poderiam ser temporalmente espaçadas”, destaca o colegiado no documento divulgado hoje. "Consequentemente, eventuais ajustes futuros no atual grau de estímulo ocorreriam com gradualismo adicional e dependerão da percepção sobre a trajetória fiscal, assim como de novas informações que alterem a atual avaliação do Copom sobre a inflação prospectiva." De forma a manter "a cautela necessária por razões prudenciais", mas ainda assim prover o estímulo necessário para o cumprimento da meta de inflação, o Copom considerou "apropriado" usar o forward guidance. "Nesse sentido, e apesar de uma assimetria em seu balanço de riscos, o Copom não pretende reduzir o grau de estímulo monetário, a menos que as expectativas de inflação, assim como as projeções de inflação de seu cenário básico, estejam suficientemente próximas da meta de inflação para o horizonte relevante de política monetária", disse. O horizonte inclui 2021 e, "em menor grau", 2022. O colegiado destacou, entretanto, que o forward guidance "é condicional à manutenção do atual regime fiscal e à ancoragem das expectativas de inflação de longo prazo". Por fim, o comitê reforçou a importância de manter o "processo de reformas e ajustes", afirmando que isso "é essencial para permitir a recuperação sustentável da economia". "Questionamentos sobre a continuidade das reformas e alterações de caráter permanente no processo de ajuste das contas públicas podem elevar a taxa de juros estrutural da economia", disse, referindo-se à taxa que permite o máximo de crescimento da atividade sem que isso acelere a inflação. Segundo o documento, o colegiado retomou a discussão sobre um potencial limite efetivo mínimo para a taxa básica de juros brasileira e sua associação a questões de natureza prudencial e de estabilidade financeira. “Para a maioria dos membros do Copom, esse limite seria significativamente maior em economias emergentes do que em países desenvolvidos devido à presença de um prêmio de risco”, informa a ata. “Foi ressaltado que esse prêmio é dinâmico e tende a ser maior no Brasil, dadas a sua relativa fragilidade fiscal e as incertezas quanto à sua trajetória fiscal prospectiva.” Conforme a ata, “já estaríamos próximos do nível a partir do qual reduções adicionais na taxa de juros poderiam ser acompanhadas de instabilidade nos preços de ativos”. O documento informa, ainda, que o Copom discutiu também a importância relativa dos principais componentes do custo de crédito e dos custos operacionais do sistema financeiro. “Considerando o longo histórico da economia brasileira operando com a taxa básica de juros em nível muito elevado, os juros baixos sem precedentes podem comprometer o desempenho de alguns mercados e setores econômicos, com potencial impacto sobre a intermediação financeira”, diz a ata. O colegiado concluiu, com base em resultados de cenários de teste de estresse, que o sistema financeiro apresenta resiliência frente ao risco de crédito decorrente da atual pandemia. “Contudo, ao analisar o sistema financeiro de forma ampla, considerado as suas diversas indústrias, mercados, produtos e serviços financeiros, o comitê refletiu que um ambiente com juros baixos sem precedentes pode gerar aumento da volatilidade de preços de ativos e afetar, sem o devido tempo necessário de transição para um novo ambiente, o bom funcionamento e a dinâmica do sistema financeiro e do mercado de capitais”. Na avaliação do colegiado, "a pandemia deve continuar ter efeitos heterogêneos" sobre a ociosidade dos setores econômicos no Brasil". "Dada a natureza do choque, o setor de serviços deve continuar a apresentar maior ociosidade que os demais", disse na ata referente à reunião da semana passada. Além disso, para o colegiado, "a natureza da crise provavelmente implica que pressões desinflacionárias provenientes da redução de demanda podem ter duração maior do que em recessões anteriores". Em relação à atividade doméstica, a avaliação do Copom é que "os dados recentes sugerem uma recuperação parcial". "Os programas governamentais de recomposição de renda têm permitido uma retomada relativamente forte do consumo de bens duráveis e do investimento. Contudo, várias atividades do setor de serviços, sobretudo aquelas mais diretamente afetadas pelo distanciamento social, permanecem bastante deprimidas", disse. Para o futuro, "a pouca previsibilidade associada à evolução da pandemia e à necessária redução nos auxílios emergenciais a partir do fim desse ano aumentam a incerteza sobre a velocidade de retomada da atividade". Essa imprevisibilidade e os riscos ligados à própria evolução da pandemia podem levar a "uma retomada ainda mais gradual" da atividade. No caso do cenário externo, "a retomada da atividade nas principais economias, ainda que concentrada no mercado de bens, e a moderação na volatilidade dos ativos financeiros, tem resultado em um ambiente relativamente mais favorável para economias emergentes". Na visão do colegiado há, entretanto, "bastante incerteza" sobre a evolução do cenário. "Uma possível redução abrupta e não organizada dos estímulos governamentais pode atrasar a recuperação da demanda por bens e o processo de recomposição de estoques. Ao mesmo tempo, a própria evolução da pandemia da covid-19 pode atuar como um limitante para o pleno funcionamento do setor de serviços", afirmou. Para o Copom, esse quadro faz com que eventuais novas reduções na taxa de juros exijam “cautela e gradualismo adicionais”. Veja Mais

Petróleo recupera parte do tombo, mas preocupação com demanda continua

Valor Econômico - Finanças Furacão no Golfo do México perdeu força; impacto de aumento de casos de covid-19 em países desenvolvidos segue no radar O petróleo se recupera parcialmente da queda perto de 4% na sessão de ontem e opera em alta nesta terça-feira. O furacão Beta, que viaja pelo Golfo do México e ameaçava a produção de refinarias no sul dos EUA, perdeu força e foi rebaixado à classificação de tempestade tropical. Contudo, apesar do ensaio de recuperação, a commodity continua pressionada pelas preocupações com a demanda mais fraca e a possibilidade de novas quarentenas à medida que os casos de covid-19 aumentam em países desenvolvidos, diante das temperaturas mais baixas após o fim do verão. Por volta de 8h20, os preços dos contratos para novembro do Brent, a referência global, subiam 1,38%, a US$ 42,01 o barril, na ICE, em Londres. Os contratos para outubro do WTI, a referência americana, avançavam 0,74%, a US$ 39,60 o barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex). Susana Gonzalez/Bloomberg Veja Mais

BC da Suécia mantém juro em zero e indica manutenção até ao menos 2023

Valor Econômico - Finanças Instituição disse que a economia sueca parece ter saído da crise aguda em que se encontrava e começou a se recuperar um pouco mais rápido do que o esperado O Riskbank, banco central da Suécia, manteve nesta terça-feira sua taxa básica em zero e apoiou sua orientação anterior de que o juro provavelmente permanecerá inalterado pelo menos até o fim de 2023. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

O que você precisa saber e acompanhar nesta terça

Valor Econômico - Finanças Aqui estão as notícias para você começar o dia Divulgação Petrobras adia venda de participação na BR A Petrobras vai esperar para vender sua participação na BR Distribuidora até o ano que vem. A expectativa é que a ação da BR melhore seu desempenho na bolsa, refletindo a expansão das operações e o corte de custos. Neste ano, o papel acumula queda de 28%, enquanto o Ibovespa cai 16%. Ultra e Raízen têm interesse na Repar A Ultrapar confirmou na noite de ontem que continua na disputa pela Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), da Petrobras. Mais cedo, a Petrobras havia informado que a Ultrapar é uma das três participantes do processo de venda da Repar, juntamente com consórcio liderado pela Raízen e pela companhia chinesa Sinopec, que já teria abandonado a disputa. Tesouro informa relatório bimestral de receitas e despesas A Secretaria do Tesouro Nacional informa, às 10h, o Relatório Bimestral de Avaliação de Receitas e Despesas Primárias do quarto bimestre de 2020. No relatório do terceiro bimestre, o governo ajustou sua projeção de resultado primário para um déficit de R$ 787,4 bilhões. Em maio, a projeção era de R$ 540,5 bilhões. Em meio a sinais de uma queda menos profunda do que o esperado, o governo manteve em –4,7% a previsão oficial para o crescimento da economia. A taxa Selic média ficou estimada em 2,6%, enquanto a taxa de câmbio médio ficou em R$ 5,10. O preço do barril de petróleo foi projetado em US$ 41,90. Presidente do Federal Reserve depõe à Câmara dos Deputados O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, presta depoimento à Câmara dos Deputados dos EUA às 11h (de Brasília). STF prossegue audiência sobre o Fundo Clima O Supremo Tribunal Federal (STF) retoma, às 9h, a audiência sobre o Fundo Clima. Serão ouvidos membros da academia e do setor financeiro, começando por Armínio Fraga e Ricardo Abramovay; e representantes de empresas como Natura, Companhia Vale do Rio Doce e Suzano Papel e Celulose. Totvs acusa comitê da Linx A Totvs acusou o comitê especial independente constituído pelo conselho de administração da Linx de estar retardando a análise de combinação dos negócios da duas empresas feita pela Totvs com o objetivo de favorecer a Stone. Livraria Cultura pode falir nos próximos dias A maioria dos credores da Livraria Cultura rejeitou alterações no plano de recuperação judicial da companhia, o que pode levá-la à falência nos próximos dias. Em junho, a rede havia apresentado um aditamento ao plano aprovado em 2019, alegando que, por conta da pandemia, que fechou suas lojas, não estava conseguindo cumprir com as obrigações assumidas. Maksoud Plaza pede recuperação O Maksoud Plaza entrou ontem com pedido de recuperação judicial na Justiça de São Paulo. O pedido envolve dívidas da ordem de R$ 120 milhões, incluindo dívidas trabalhistas e demais credores. As dívidas tributárias, estimadas em R$ 400 milhões, ficaram fora do processo. Novaes renuncia ao cargo no Banco do Brasil O Banco do Brasil anunciou que o presidente Rubem de Freitas Novaes renunciou ao cargo, com efeito já a partir desta terça-feira. TST manda acabar greve dos Correios A Seção Especializada em Dissídios Coletivos do Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou ontem que os profissionais dos Correios encerrem a paralisação e voltem a operar hoje, sob pena de multa diária de R$ 100 mil. A decisão se deu após a resolução judicial do conflito entre os grevistas e a direção da estatal B3 vai pagar JCP A B3 anunciou o pagamento de R$ 302 milhões em juros sobre capital próprio, equivalente ao valor bruto de R$ 0,1477 por ação e valor líquido de R$ 0,1256. O crédito será feito em 7 de outubro para acionistas posicionados em 24 de setembro. Veja Mais

Em rede social, Witzel afirma que 'jamais renunciará'

Valor Econômico - Finanças Governador afastado enfrenta votação de impeachment na Alerj na quarta-feira O governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), usou as redes sociais na noite de segunda-feira para mandar um recado a seu eleitorado. Prestes a enfrentar votação de relatório favorável a seu impeachment - que deve seguir para plenário na quarta-feira na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) -, o político, afastado do cargo por 180 dias com autorização do Superior Tribunal de Justiça (STJ) no fim de agosto, afirmou que não renunciará; que fez muito pelo Estado em um ano e sete meses de gestão; e voltou a negar suspeitas de corrupção envolvendo seu nome. "Jamais renunciarei. Em 1 ano e 7 meses de gestão, fiz muito pelo Estado: salários em dia; ampliação dos programas de segurança; aumento da carga horária dos professores, investimentos robustos em ensino e pesquisa; dentre outras realizações" afirmou ele, em postagem em seu perfil no Twitter. O afastamento de Witzel ocorreu em 28 de agosto, no âmbito da operação Tris in Idem, da Polícia Federal (PF), desdobramento da Operação Placebo, que investiga suposto esquema de corrupção em contratos públicos fluminenses. "De todos os meus atos pegaram apenas um, que é juridicamente correto, e o associam a recebimento de valores, do que não há provas pelo fato de não ter ocorrido. Não há nenhuma relação com a Unir e as empresas contratadas pelo escritório da minha esposa", disse, também por rede social, citando indiretamente sua esposa Helena e empresas envolvidas na operação da PF que englobou seu afastamento. Leo Pinheiro/Valor O governador afastado termina suas postagens reafirmando sua inocência das acusações. Na operação da PF, o Ministério Público Federal (MPF) apontou Witzel como suposto líder de esquema de corrupção. "A vida me forjou nos desafios. Menino pobre, orgulho de uma doméstica e de um metalúrgico. Resistirei. Politicamente, minha história está apenas começando. Juridicamente, minha absolvição e retorno imediato ao cargo no qual o povo me colocou é o único caminho possível", afirmou ele. Na semana passada, a comissão da Alerj responsável pelo processo de impeachment contra Witzel aprovou por 24 votos a zero relatório do deputado Rodrigo Bacellar (Solidariedade). No documento, Bacellar indica supostas irregularidades que teriam sido cometidas na área de saúde, durante o combate à pandemia da covid-19 no Estado. Relator do processo de impeachment, Bacellar votou pela admissibilidade da denúncia de crime de responsabilidade contra Witzel. Com a votação favorável ao relatório, o parecer segue amanhã para análise e votação de todos os membros da casa, em plenário, onde precisa receber dois terços de votos de todos os deputados, ou seja 47 dos 70 parlamentares. Com o afastamento de Witzel, Claudio Castro (PSC), vice-governador do Estado, assumiu o comando do Rio de Janeiro. Veja Mais

Lojas do shopping de Mogi oferecem 10 oportunidades de emprego nesta terça; veja lista

G1 Economia Os interessados podem ir pessoalmente ao Balcão de Informações e deixar currículo com dados atualizados ou procurar diretamente a loja de interesse. As lojas do shopping de Mogi das Cruzes estão oferecendo 10 oportunidades de emprego nesta terça-feira (22). As vagas são para as funções de consultor óptico e vendedor. Os interessados podem ir pessoalmente ao Balcão de Informações e deixar currículo com dados atualizados ou procurar diretamente a loja de interesse. Oportunidades em Mogi das Cruzes: Consultor óptico – Sr.Óculos: com disponibilidade de horário e experiência no ramo ótico. Enviar currículos para oticativolli2@gmail.com aos cuidados de Edna; Vendedor – Adji Man: acima de 23 anos, com experiência mínima de 1 ano e disponibilidade de horário. Deixar currículo na loja; Vendedora/Auxiliar de Caixa – Rivoli: entre 18 e 40 anos. Deixar currículo na loja; Vendedor – Hering: acima de 22 anos, com experiência mínima de 6 meses e disponibilidade de horário. Deixar currículo na loja com Amanda ou Lucas; Vendedora – Mix eletrônicos: entre 18 e 27 anos, com disponibilidade de horário e experiência. Deixar currículo na loja.; Vendedor – Pandora: entre 25 e 40 anos, com experiência em vendas e disponibilidade de horário. Deixar currículo com foto na loja; Vendedor – Puket: acima de 18 anos e com disponibilidade de horário. Deixar currículo na loja; Vendedor – TVZ: acima de 25 anos, com experiência em carteira de no mínimo 1 ano em vendas e disponibilidade de horário. Deixar currículo na loja; Vendedor – FGV: Vendas de Cursos de Pós Graduação e MBA. Horário de trabalho das 9h às 18h, de segunda a sexta, e sábados das 9h as 13h, salário a combinar + VR + VT. Enviar currículo para gisele.mariano@conexao.com; Vendedora – Kopenhagem: com experiência na área de atendimento ao cliente ou vendas. Deixar currículo na loja. O Mogi Shopping funciona das 12h às 20h e está localizado na Avenida Vereador Narciso Yague Guimarães, 1001. Para mais informações, o telefone é (11) 4798-8800. Veja Mais

Justiça reduz alíquotas de IRPJ e CSLL para médicos

Valor Econômico - Finanças Liminar garante benefício fiscal previsto em lei, mesmo sem o preenchimento de requisitos exigidos Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Revelação sobre lavagem não choca investidor

Valor Econômico - Finanças É improvável que as autoridades ataquem os bancos com novas penalidades ou multas pelas revelações Faz sentido que os investidores de bancos europeus tenham ignorado as revelações de possível lavagem de dinheiro. Na noite de domingo, o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos revelou ter documentos detalhando fluxos suspeitos de bilhões de dólares por meio de cinco grandes bancos - Bank of New York Mellon, Deutsche Bank, HSBC, J.P. Morgan e Standard Chartered Bank. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Bolsa cai e dólar sobe com aversão ao risco

Valor Econômico - Finanças Bolsa cai e dólar sobe com aversão ao risco global causada por novos casos de covid-19 e escândalo no setor bancário americano A aversão ao risco vinda do exterior, somada a um cenário local já afetado pela preocupação com as contas públicas, penalizou o Ibovespa, enquanto o dólar subiu, em um movimento de busca por proteção. O forte nervosismo visto na primeira metade do pregão, no entanto, foi cedendo até o fechamento dos negócios. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Grupo Mateus tem forte demanda de reservas para sua oferta de ações

Valor Econômico - Finanças Lucratividade e liderança nas regiões Norte e Nordeste são os principais atrativos Enquanto um grupo de companhias tem precisado rever suas operações e preços para efetivar suas listagens em bolsa, o maranhense Grupo Mateus lançou a faixa de preço indicativa ontem já com demanda de reservas para duas vezes a oferta considerando o preço médio, apurou o Valor. Lucratividade e liderança nas regiões Norte e Nordeste, além de uma composição mista de lojas - de conveniência a atacarejo -, são os principais atrativos da companhia na visão dos investidores, conforme duas fontes. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Plataformas apostam em contas empresariais

Valor Econômico - Finanças Oferta vai de alternativas para investir o caixa até crédito e operações de câmbio e derivativos Desde janeiro a BlueTrade, um dos maiores escritórios de agentes autônomos de investimentos, oferece não apenas fundos, ações e títulos de renda fixa para seus clientes, mas também investimentos, crédito, derivativos, operações de câmbio e outros serviços para as empresas que seus clientes tocam. Com as plataformas de investimentos crescendo e se tornando verdadeiros bancos, a nova fronteira para plataformas como XP, BTG Digital e Guide agora passa pelas contas empresariais (PJs). Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Armazenagem de soja deu lucro aos produtores na safra 2019/20

Valor Econômico - Finanças Quem guardou o grão para vendê-lo em agosto fez bons negócios, mostra EsalqLog Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Volta dos lançamentos acirra disputa por terrenos em SP

Valor Econômico - Finanças Demanda reflete retomada dos lançamentos e recursos que chegam ao setor nesta nova leva de IPOs O mercado de terrenos para empreendimentos de média e alta renda está bastante aquecido, na cidade de São Paulo, como reflexo da retomada dos lançamentos e dos recursos que estão chegando ao setor nesta nova leva de ofertas iniciais de ações (IPOs). O reaquecimento das negociações da principal matéria-prima para a produção de imóveis começou em junho e ganhou força a partir de julho. Os preços estão elevados e, em casos pontuais, a disputa por áreas chega a ser quase um leilão. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Aéreas anseiam pela volta de voos sobre o Atlântico

Valor Econômico - Finanças Após seis meses do início da crise do coronavírus, os céus continuam em silêncio, enquanto crescem as ameaças aos negócios Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Bolsas europeias têm leve recuperação com apoio dos setores de petróleo e tabaco

G1 Economia Em Londres, o índice Financial Times avançou 0,43%, a 5.829 pontos. Um salto nos setores de petróleo e tabaco ajudou as bolsas da Europa a fecharem em alta nesta terça-feira (22), com os principais índices se recuperando parcialmente de uma liquidação desencadeada por temores de novos lockdowns à medida que os casos de Covid-19 aumentam em todo o continente. O índice FTSEurofirst 300 subiu 0,24%, a 1.388 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 0,2%, a 358 pontos, após registrar queda de 3,2% na segunda-feira. O FTSE 100, do Reino Unido, pesado em exportadoras, saltou 0,4%, beneficiando-se de uma libra mais fraca depois que o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse à população que trabalhe de casa se possível, e ordenou que bares e restaurantes fechem mais cedo de forma a enfrentar uma segunda onda de infecções que se espalhou rapidamente pela região. As gigantes petrolíferas listadas em Londres Royal Dutch Shell e BP saltaram quase 3%, refletindo a alta dos preços do petróleo devido a expectativas de que novas restrições tenham apenas impacto limitado na demanda por combustível. Uma série de melhoras em classificações de risco também ajudou, com a British American Tobacco ganhando 4,1% e a Imperial Brands subindo 3,2% depois que a RBC elevou seus ratings para "outperform". Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,43%, a 5.829 pontos. Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,41%, a 12.594 pontos. Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,40%, a 4.772 pontos. Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,54%, a 18.895 pontos. Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,65%, a 6.648 pontos. Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,87%, a 4.121 pontos. Assista as últimas notícias de economia Veja Mais

Leia a íntegra do discurso de Bolsonaro na ONU

Valor Econômico - Finanças O presidente Jair Bolsonaro abriu nesta terça-feira a sessão de debates da 75ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU). O discurso foi gravado em razão da pandemia de coronavírus. Leia a íntegra: "Senhoras e senhores, É uma honra abrir esta assembleia com os representantes de nações soberanas, num momento em que o mundo necessita da verdade para superar seus desafios. A COVID-19 ganhou o centro de todas as atenções ao longo deste ano e, em primeiro lugar, quero lamentar cada morte ocorrida. Desde o princípio, alertei, em meu País, que tínhamos dois problemas para resolver: o vírus e o desemprego, e que ambos deveriam ser tratados simultaneamente e com a mesma responsabilidade. Por decisão judicial, todas as medidas de isolamento e restrições de liberdade foram delegadas a cada um dos 27 governadores das unidades da Federação. Ao Presidente, coube o envio de recursos e meios a todo o País. Como aconteceu em grande parte do mundo, parcela da imprensa brasileira também politizou o vírus, disseminando o pânico entre a população. Sob o lema “fique em casa” e “a economia a gente vê depois”, quase trouxeram o caos social ao país. Nosso governo, de forma arrojada, implementou várias medidas econômicas que evitaram o mal maior: - Concedeu auxílio emergencial em parcelas que somam aproximadamente 1000 dólares para 65 milhões de pessoas, o maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo; - Destinou mais de 100 bilhões de dólares para ações de saúde, socorro a pequenas e microempresas, assim como compensou a perda de arrecadação dos estados e municípios; - Assistiu a mais de 200 mil famílias indígenas com produtos alimentícios e prevenção à COVID; - Estimulou, ouvindo profissionais de saúde, o tratamento precoce da doença; - Destinou 400 milhões de dólares para pesquisa, desenvolvimento e produção da vacina de Oxford no Brasil; Não faltaram, nos hospitais, os meios para atender aos pacientes de COVID. A pandemia deixa a grande lição de que não podemos depender apenas de umas poucas nações para produção de insumos e meios essenciais para nossa sobrevivência. Somente o insumo da produção de hidroxicloroquina sofreu um reajuste de 500% no início da pandemia. Nesta linha, o Brasil está aberto para o desenvolvimento de tecnologia de ponta e inovação, a exemplo da indústria 4.0, da inteligência artificial, nanotecnologia e da tecnologia 5G, com quaisquer parceiros que respeitem nossa soberania, prezem pela liberdade e pela proteção de dados. No Brasil, apesar da crise mundial, a produção rural não parou. O homem do campo trabalhou como nunca, produziu, como sempre, alimentos para mais de 1 bilhão de pessoas. O Brasil contribuiu para que o mundo continuasse alimentado. Nossos caminhoneiros, marítimos, portuários e aeroviários mantiveram ativo todo o fluxo logístico para distribuição interna e exportação. Nosso agronegócio continua pujante e, acima de tudo, possuindo e respeitando a melhor legislação ambiental do planeta. Mesmo assim, somos vítimas de uma das mais brutais campanhas de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal. A Amazônia brasileira é sabidamente riquíssima. Isso explica o apoio de instituições internacionais a essa campanha escorada em interesses escusos que se unem a associações brasileiras, aproveitadoras e impatrióticas, com o objetivo de prejudicar o governo e o próprio Brasil. Somos líderes em conservação de florestas tropicais. Temos a matriz energética mais limpa e diversificada do mundo. Mesmo sendo uma das 10 maiores economias do mundo, somos responsáveis por apenas 3% da emissão de carbono. Garantimos a segurança alimentar a um sexto da população mundial, mesmo preservando 66% de nossa vegetação nativa e usando apenas 27% do nosso território para a pecuária e agricultura. Números que nenhum outro país possui. O Brasil desponta como o maior produtor mundial de alimentos. E, por isso, há tanto interesse em propagar desinformações sobre o nosso meio ambiente. Estamos abertos para o mundo naquilo que melhor temos para oferecer, nossos produtos do campo. Nunca exportamos tanto. O mundo cada vez mais depende do Brasil para se alimentar Nossa floresta é úmida e não permite a propagação do fogo em seu interior. Os incêndios acontecem praticamente, nos mesmos lugares, no entorno leste da Floresta, onde o caboclo e o índio queimam seus roçados em busca de sua sobrevivência, em áreas já desmatadas. Os focos criminosos são combatidos com rigor e determinação. Mantenho minha política de tolerância zero com o crime ambiental. Juntamente com o Congresso Nacional, buscamos a regularização fundiária, visando identificar os autores desses crimes. Lembro que a Região Amazônica é maior que toda a Europa Ocidental. Daí a dificuldade em combater, não só os focos de incêndio, mas também a extração ilegal de madeira e a biopirataria. Por isso, estamos ampliando e aperfeiçoando o emprego de tecnologias e aprimorando as operações interagências, contando, inclusive, com a participação das Forças Armadas. O nosso Pantanal, com área maior que muitos países europeus, assim como a Califórnia, sofre dos mesmos problemas. As grandes queimadas são consequências inevitáveis da alta temperatura local, somada ao acúmulo de massa orgânica em decomposição. A nossa preocupação com o meio ambiente vai além das nossas florestas. Nosso Programa Nacional de Combate ao Lixo no Mar, um dos primeiros a serem lançados no mundo, cria uma estratégia para os nossos 8.500 quilômetros de costa. Nessa linha, o Brasil se esforçou na COP25 em Madri para regulamentar os artigos do Acordo de Paris que permitiriam o estabelecimento efetivo do mercado de carbono internacional. Infelizmente, fomos vencidos pelo protecionismo. Em 2019, o Brasil foi vítima de um criminoso derramamento de óleo venezuelano, vendido sem controle, acarretando severos danos ao meio ambiente e sérios prejuízos nas atividades de pesca e turismo. O Brasil considera importante respeitar a liberdade de navegação estabelecida na Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar. Entretanto, as regras de proteção ambiental devem ser respeitadas e os crimes devem ser apurados com agilidade, para que agressões como a ocorrida contra o Brasil não venham a atingir outros países. Não é só na preservação ambiental que o país se destaca. No campo humanitário e dos direitos humanos, o Brasil vem sendo referência internacional pelo compromisso e pela dedicação no apoio prestado aos refugiados venezuelanos, que chegam ao Brasil a partir da fronteira no estado de Roraima. A Operação Acolhida, encabeçada pelo Ministério da Defesa, recebeu quase 400 mil venezuelanos deslocados devido à grave crise político-econômica gerada pela ditadura bolivariana. Com a participação de mais de 4 mil militares, a Força Tarefa Logística-Humanitária busca acolher, abrigar e interiorizar as famílias que chegam à fronteira. Como um membro fundador da ONU, o Brasil está comprometido com os princípios basilares da Carta das Nações Unidas: paz e segurança internacional, cooperação entre as nações, respeito aos direitos humanos e às liberdades fundamentais de todos. Neste momento em que a organização completa 75 anos, temos a oportunidade de renovar nosso compromisso e fidelidade a esses ideais. A paz não pode estar dissociada da segurança. A cooperação entre os povos não pode estar dissociada da liberdade. O Brasil tem os princípios da paz, cooperação e prevalência dos direitos humanos inscritos em sua própria Constituição, e tradicionalmente contribui, na prática, para a consecução desses objetivos. O Brasil já participou de mais de 50 operações de paz e missões similares, tendo contribuído com mais de 55 mil militares, policiais e civis, com participação marcante em Suez, Angola, Timor Leste, Haiti, Líbano e Congo. O Brasil teve duas militares premiadas pela ONU na Missão da Republica Centro-Africana pelo trabalho contra a violência sexual. Seguimos comprometidos com a conclusão dos acordos comerciais firmados entre o MERCOSUL e a União Europeia e com a Associação Europeia de Livre Comércio. Esses acordos possuem importantes cláusulas que reforçam nossos compromissos com a proteção ambiental. Em meu governo, o Brasil, finalmente, abandona uma tradição protecionista e passa a ter na abertura comercial a ferramenta indispensável de crescimento e transformação. Reafirmo nosso apoio à reforma da Organização Mundial do Comércio que deve prover disciplinas adaptadas às novas realidades internacionais. Estamos igualmente próximos do início do processo oficial de acessão do Brasil à OCDE. Por isso, já adotamos as práticas mundiais mais elevadas em todas as áreas, desde a regulação financeira até os domínios da segurança digital e da proteção ambiental. No meu primeiro ano de governo, concluímos a reforma da previdência e, recentemente, apresentamos ao Congresso Nacional duas novas reformas: a do sistema tributário e a administrativa. Novos marcos regulatórios em setores-chave, como o saneamento e o gás natural, também estão sendo implementados. Eles atrairão novos investimentos, estimularão a economia e gerarão renda e emprego. O Brasil foi, em 2019, o quarto maior destino de investimentos diretos em todo o mundo. E, no primeiro semestre de 2020, apesar da pandemia, verificamos um aumento do ingresso de investimentos, em comparação com o mesmo período do ano passado. Isso comprova a confiança do mundo em nosso governo. O Brasil tem trabalhado para, em coordenação com seus parceiros sul-atlânticos, revitalizar a Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul. O Brasil está preocupado e repudia o terrorismo em todo o mundo. Na América Latina, continuamos trabalhando pela preservação e promoção da ordem democrática como base de sustentação indispensável para o progresso econômico que desejamos. A LIBERDADE É O BEM MAIOR DA HUMANIDADE. Faço um apelo a toda a comunidade internacional pela liberdade religiosa e pelo combate à cristofobia. Também quero reafirmar minha solidariedade e apoio ao povo do Líbano pelas recentes adversidades sofridas. Cremos que o momento é propício para trabalharmos pela abertura de novos horizontes, muito mais otimistas para o futuro do Oriente Médio. Os acordos de paz entre Israel e os Emirados Árabes Unidos, e entre Israel e o Bahrein, três países amigos do Brasil, com os quais ampliamos imensamente nossas relações durante o meu governo, constitui excelente notícia. O Brasil saúda também o Plano de Paz e Prosperidade lançado pelo Presidente Donald Trump, com uma visão promissora para, após mais de sete décadas de esforços, retomar o caminho da tão desejada solução do conflito israelense-palestino. A nova política do Brasil de aproximação simultânea a Israel e aos países árabes converge com essas iniciativas, que finalmente acendem uma luz de esperança para aquela região. O Brasil é um país cristão e conservador e tem na família sua base. Deus abençoe a todos! E o meu muito obrigado!" Veja Mais

Valor médio diário das vendas em agosto sobe 13,4%, diz Receita Federal

G1 Economia De acordo com a Receita, média diária no mês passado foi de R$ 26,8 bilhões, a maior de 2020. Comércio e indústria responderam por mais de 90% do valor. A Secretaria da Receita Federal informou nesta terça-feira (22) que o valor médio diário das vendas no Brasil no mês de agosto foi de R$ 26,8 bilhões, o maior valor de 2020. Esse montante é 4,4% superior ao registrado em julho de 2020 e 13,4% superior ao de agosto de 2019. Se considerado apenas o comércio eletrônico, a média diária registrada em agosto foi 48,6% maior que a verificada no mesmo mês de 2019. De acordo com o Fisco, o movimento foi captado pela emissão de notas fiscais eletrônicas (NF-e) e engloba, principalmente, as vendas entre empresas de médio e grande porte, assim como as vendas não presenciais de empresas para pessoas físicas. Juliana: ‘Em junho, recuperação foi mais rápida do que o previsto em indústria e comércio’ Segundo a Receita Federal, os setores mais representados pela emissão das notas fiscais eletrônicas são o comércio e a indústria, com mais de 90% das emissões de NF-e, em valor. Os serviços são pequena parte das operações (5% em valor, no acumulado do ano). Setores Os dados mostram que o comércio contabilizou os melhores resultados no mês de agosto, com a média diária de vendas com a NF-e em R$ 10 bilhões, o que representa aumento de 1,7% em relação ao mês anterior. "Parte desse movimento deve-se ao comércio atacadista, que registrou R$ 7 bilhões na média diária de vendas (aumento de 1,5% em relação ao mês anterior)", informou a Receita. Segundo o Fisco, a indústria também obteve em agosto o melhor desempenho deste ano, com vendas médias diárias de R$ 14,2 bilhões, alta de 9,8% em relação a 2019 e de 5,4% em relação a julho de 2020. Veja Mais

Damares exonera secretária de Igualdade Racial, mulher de youtuber bolsonarista

Valor Econômico - Finanças Sandra Eustáquio é mulher de Oswaldo Eustáquio, que chegou a ser preso neste ano por ordem do STF Agência Brasil A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, exonerou a secretária de Igualdade Racial, Sandra Eustáquio. A decisão foi publicada na edição desta terça-feira do "Diário Oficial da União". O ministro da Casa Civil, Braga Netto, assinou a exoneração. A secretária é mulher do youtuber bolsonarista Oswaldo Eustáquio, investigado no inquérito dos atos antidemocráticos e que chegou a ser preso neste ano por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo assessores da ministra, a mudança foi motivada por uma tentativa de evitar o envolvimento da pasta na investigação conduzida pela Polícia Federal (PF). O inquérito que investiga a organização de atos antidemocráticos foi instaurado em abril por determinação do ministro do STF Alexandre de Moraes. As operações realizadas pela Polícia Federal no âmbito do inquérito tiveram como alvo congressistas ligados ao presidente Jair Bolsonaro e militantes bolsonaristas. Em junho, entre os alvos, estava Luís Felipe Belmonte, segundo-vice-presidente da Aliança pelo Brasil e um dos principais financiadores do novo partido de Bolsonaro. A relação de atingidos pela ação autorizada por Moraes mistura ainda investigados em outro inquérito da corte, o das fake news, como o blogueiro Allan dos Santos. Veja Mais

5 empresas abrem quase 300 vagas de emprego e trainee; veja lista

G1 Economia As empresas com seleções abertas são Recovery, Kroton, Grupo GR, Appmax e Bracell. As empresas Recovery, Kroton, Grupo GR, Appmax e Bracell estão selecionando para quase 300 vagas de emprego. Veja abaixo detalhes dos processos seletivos: Veja mais vagas de emprego pelo país Recovery A Recovery, empresa de serviços de tecnologia em cobrança do Grupo Itaú, abriu 61 vagas. Com a pandemia no Brasil, a empresa decidiu implementar a possibilidade de home office permanente e, com isso, interessados de todo o país podem concorrer para as diversas vagas. As posições são CLT, de estágio e jovem aprendiz e estão concentradas nas áreas de Tecnologia (Arquitetura, Sistemas, Segurança, Infraestrutura, Governança e Banco de Dados), Cobrança, Business Intelligence, Políticas, Modelagem, Ouvidoria e Jurídico. Além do salário oferecido pela empresa, os funcionários contarão com assistência médica e odontológica, vale-refeição e/ou vale alimentação, vale-transporte, participação nos lucros ou resultados, seguro de vida, auxílio home office de R$ 200 no momento da contratação e auxílio internet de R$ 100,00 por mês. A empresa também oferece um Programa de Incentivo à Educação, que custeia parte dos estudos de pós-graduação/MBA através de processo seletivo anual, além de cursos técnicos e comportamentais. Os interessados podem saber mais detalhes sobre as vagas disponíveis e se candidatar através do seguinte link: https://www.vagas.com.br/vagas-de-Recovery. Kroton A Kroton, braço B2C de ensino superior do grupo educacional Cogna, está com vagas na área de tecnologia. São vagas para desenvolvedores NodeJS, React,.NET, Java e para Scrum Master, de diferentes níveis de experiência, nos escritórios de Londrina, no Paraná, em Valinhos, no interior de São Paulo, onde fica o hub de transformação digital da empresa, e na capital paulista. Os salários chegam a R$ 8 mil e incluem participação nos lucros. A seleção é dividida em três etapas: entrevista com o RH, desafio técnico e entrevista com o gerente do setor, tudo de forma online. Além do salário, os colaboradores poderão ter benefícios como assistência médica e odontológica (opcional); vale-refeição ou alimentação, vale-transporte, seguro de vida, Gympass, auxílio educação (cursos de graduação e pós-graduação nas marcas Kroton). Para saber mais detalhes sobre as vagas e se candidatar, acesse: http://jobs.kenoby.com/kroton Grupo GR O Grupo GR, empresa de prestação de serviços especializados de segurança patrimonial, portaria, controle de acesso, bombeiro civil, recepção, limpeza, segurança eletrônica, abriu processo seletivo para 150 vagas no estado de São Paulo para os cargos de Vigilante, Controladores de Acesso e Agentes de conservação/Limpeza. A empresa não recebe currículos por e-mail ou contato telefônico, a candidatura é feita somente online no site: https://grupogr.pandape.com.br/. Appmax A Appmax, empresa sediada em Porto Alegre que oferece soluções de pagamentos para e-commerces e negócios digitais, abriu mais de 40 vagas para a equipe de televendas. A startup está em busca de profissionais com experiência na área e que tenham gosto por vender, foco em resultado e boa comunicação. Os candidatos devem ter ensino médio completo e ser residentes de Porto Alegre ou região metropolitana. Curso técnico ou de graduação será considerado um diferencial. As vagas são para atuação no modelo home office, por isso, além de oferecer treinamentos remotos para os seus contratados, a Appmax também envia todos os materiais necessários para suprir a rotina de trabalho (computador e headset) e uma cadeira ergonômica. A carga horária é de seis horas por dia e os salários variam de R$ 2.000 a R$ 4.500 com as comissões. A startup ainda disponibiliza vale-alimentação ou vale-refeição e uma ajuda de custo no valor de R$ 130. Além das oportunidades para o setor de televendas, a empresa conta com outras vagas abertas para as seguintes áreas: comercial, tecnologia e sucesso do cliente. Para saber mais sobre essas oportunidades, basta acessar o link: https://appmax.com.br/carreiras/. Bracell A Bracell, produtora de celulose solúvel, abriu as inscrições de seu Programa de Trainee 2021, que oferece 15 vagas. Os candidatos devem ter concluído a graduação entre 2018 e 2020 em em Engenharia Mecânica, Engenharia de Materiais, Engenharia Florestal, Engenharia Agronômica, Engenharia Química, Engenharia Ambiental, Engenharia de Produção, Engenharia Naval, Administração de Empresas e Logística. Os candidatos devem ainda ter inglês fluente e disponibilidade para morar em Lençóis Paulista (SP) ou região. As inscrições para o processo seletivo podem ser feitas até 31 de outubro pelo site: https://www.bracell.com/carreiras/programa-trainee-bracell-2021/. Os candidatos aprovados na primeira etapa passarão por testes online, terão que enviar um vídeo de apresentação profissional e ainda participarão de entrevista online, seguida de um painel presencial na empresa. Assista a mais vídeos de Economia: Veja Mais

Análise: Copom mantém tom favorável a estímulo mesmo sem cortar juro

Valor Econômico - Finanças Cortes de juros seguem como uma possibilidade, caso sejam necessários, e são altos os requisitos para retirar a sinalização para o futuro de manter a taxa Selic extraordinariamente baixa A ata do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), divulgada nesta terça-feira, passa uma mensagem no geral favorável a manter e ampliar estímulos à economia, ainda que nenhuma medida efetiva nessa direção tenha sido tomada em reunião do colegiado na na semana passada. Cortes de juros seguem como uma possibilidade, caso sejam necessários, e são altos os requisitos para retirar a sinalização para o futuro de manter a taxa Selic extraordinariamente baixa. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Para Arminio, alto índice de crimes ambientais traz 'enorme risco' ao agronegócio

Valor Econômico - Finanças Para o ex-presidente do Banco Central e sócio-fundador da Gávea Investimentos, o Brasil “tem merecido uma imagem bastante negativa na cena internacional” Luciana Whitaker/Valor O ex-presidente do Banco Central e sócio-fundador da Gávea Investimentos, Arminio Fraga, disse nesta terça-feira que o Brasil “tem merecido uma imagem bastante negativa na cena internacional” em relação às políticas públicas para o meio ambiente - e que o desmatamento reduz a atratividade do país como destino de investimentos. “O mesmo obscurantismo que nos prejudica no combate à pandemia nos afeta também nos temas ambientais”, disse o economista, apontando que a negligência no combate às queimadas, por exemplo, “prejudica cada vez mais o acesso a mercados para os nossos produtos”. Além disso, prosseguiu, o alto índice de crimes ambientais traz “enorme risco para o ecossistema do agronegócio, nosso setor mais bem sucedido, e para a oferta de energia”. Arminio discursou no segundo dia da audiência pública promovida pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), para discutir a gestão do Fundo Nacional sobre Mudança do Clima — o Fundo Clima. O ciclo de debates foi convocado no âmbito de uma ação protocolada por partidos de oposição, que alegam omissão do governo federal nas políticas ambientais. “Na Amazônia, hoje nos aproximamos de um ponto a partir do qual a degradação se torna irreversível. A persistir o aumento da temperatura do planeta, as consequências serão devastadoras. Esse trem já partiu e todo o cuidado é pouco, pois o impacto econômico e social será bem superior ao da pandemia", afirmou ele. Veja Mais

BTG empresta R$ 150 milhões para sua controladora indireta

Valor Econômico - Finanças O banco também emprestou R$ 215 milhões para Partners Pharma O BTG Pactual informou, em comunicado sobre transações com partes relacionadas, que emprestou R$ 150 milhões para a BTG Pactual Holding, sua controladora indireta. O empréstimo foi celebrado no último dia 11 e vence em 29 de janeiro de 2021, com taxa de juros de CDI mais spread de 3,0% ao ano, via cédula de crédito bancário (CCB). “As condições para o empréstimo foram comutativas (arm’s length), tendo em vista que o empréstimo foi negociado entre as partes acima descritas, considerando as condições de mercado para a efetivação do empréstimo”. Além disso, em outra operação separada, o BTG emprestou R$ 215 milhões para a Partners Pharma Participações, com quem divide controladores indiretos comuns. O empréstimo também vence em 29 de janeiro de 2021, com taxa de juros de CDI mais spread de 3,0% ao ano, e foi feito via cédula de crédito bancário (CCB). Veja Mais

Dólar opera em alta a volta a ficar acima de R$ 5,40

G1 Economia Na segunda-feira, moeda norte-americana encerrou o dia em alta de 0,38%, a R$ 5,3989. O dólar volta a operar em alta nesta terça-feira (22), enquanto seguem globalmente as preocupações com o aumento nos casos de coronavírus. Às 9h01, a moeda norte-americana era vendida a R$ 5,4276, em alta de 0,53%. Veja mais cotações. Na segunda-feira, o dólar encerrou o dia em alta de 0,38%, a R$ 5,3989. Ao longo do dia, chegou a flertar com os R$ 5,50. Com o resultado, a moeda acumula queda de 1,5% no mês. No ano, tem alta de 34,64%. Cenário local e externo As preocupações com os novos casos de coronavírus pelo mundo seguem pesando sobre os mercados globais nesta terça-feira. No Reino Unido, com os casos de Covid-19 aumentando rapidamente, o primeiro-ministro Boris Johnson, deve anunciar novas restrições que incluem o fechamento de pubs, bares, restaurantes e outros locais de socialização às 22h em toda a Inglaterra. Localmente, foi divulgada mais cedo a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, quando a taxa básica de juros da economia foi mantida estável em 2% ao ano. No documento, o BC aponta que a inflação ao consumidor deve se elevar no curto prazo, enquanto "dados recentes" sugerem uma "recuperação parcial da atividade econômica". No ano de 2020, o dólar acumula salto de cerca de 35% em relação ao real, impulsionado pelo cenário local de incertezas políticas e econômicas, além do ambiente de juros extremamente baixos, que diminuem a rentabilidade de ativos locais atrelados à taxa Selic. Dólar = 21.09.2020 Economia Assista: últimas notícias de economia Veja Mais

Republicanos dizem ter votos para aprovar nova juíza da Suprema Corte antes das eleições

Valor Econômico - Finanças O presidente do Comitê de Justiça do Senado, Lindsey Graham, afirmou que os republicanos já têm votos suficientes para aprovar a indicação de uma nova juíza Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Xi e Trump farão disputa virtual na Assembleia Geral da ONU

Valor Econômico - Finanças Líderes mundiais que normalmente se aglomerariam na sede da ONU em Nova York farão discursos por meio de vídeo pré-gravado A abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas na terça-feira será silenciosa, já que a pandemia de covid-19 fez com que a reunião anual fosse planejada para ocorrer on-line. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Expectativa de inflação sobe para 4,7% ao ano entre consumidores em setembro, aponta FGV

Valor Econômico - Finanças As expectativas medianas para a inflação nos próximos 12 meses subiram em todas as faixas de renda Hermes de Paula /Agência O Globo A expectativa de inflação dos consumidores brasileiros para os 12 meses seguintes subiu 0,4 ponto percentual, para 4,7% ao ano em setembro, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV), responsável pelo levantamento. “Após atingir o menor valor da série no mês anterior, a expectativa de inflação mediana dos consumidores voltou a subir em setembro em todas as faixas de renda. Apesar da estabilidade dos preços de alguns bens e serviços, o aumento persistente dos itens de alimentação no domicílio pode estar influenciando as expectativas principalmente nos consumidores de renda mais baixa. Para os próximos meses, é possível que a mediana se distancie cada vez mais do mínimo, considerando as constantes revisões nas projeções de mercado e a possibilidade dos preços dos alimentos seguirem pressionados”, afirma Renata de Mello Franco, economista do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getulio Vargas (FGV), em comentário no relatório. Em setembro, 54,4% dos consumidores projetaram valores abaixo da meta de inflação para 2020 (4,0%), 3,1% abaixo do que no mês anterior, enquanto a proporção de consumidores projetando acima do limite superior da meta de inflação para 2020 (5,5%) cresceu 2,5 pontos percentuais (p.p.), de 28,3% para 30,8%, encerrando tendência de queda iniciada em maio de 2020. As expectativas medianas para a inflação nos próximos 12 meses subiram em todas as faixas de renda, mas principalmente para os consumidores de menor poder aquisitivo, mais afetados pelos preços de alimentos no momento, cujas expectativas subiram 0,6 p.p., de 4,9% para 5,5%, a maior variação positiva desde maio de 2018 (0,7 p.p.). A expectativa para a inflação nos próximos 12 meses faz parte da Sondagem do Consumidor da FGV, realizada mensalmente com mais de 2.100 entrevistados em sete capitais do país (Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Brasília e Recife), em geral, nas três primeiras semanas de cada mês. Aproximadamente 1.600 entrevistados respondem a respeito da expectativa para os preços todos os meses, segundo a instituição. Essa sondagem foi realizada entre os dias 1º e 19 de setembro. Veja Mais

Tesla corrigiu falha que deu acesso a toda sua frota de veículos em 2017

G1 Economia Especialista decidiu publicar relatório mais de três anos após falha ser descoberta e corrigida, revelando caso até então desconhecido. Em 2017, quando sistemas de piloto automático da Tesla ainda eram pouco desenvolvidos, falha permitiu comandar veículos para frente ou para trás. REUTERS/Alexandria Sage Em 2017, a fabricante de veículos elétricos Tesla corrigiu uma brecha em sua rede que deixava os sistemas de toda a sua frota – inclusive os carros de clientes – expostos a acessos não autorizados. Na época, os veículos da fabricante tinham recursos limitados de piloto automático. Na prática, contudo, era possível enviar o chamando "Summon", usado para "chamar" o veículo e facilitar a retirada do carro de vagas de estacionamento. Em outras palavras, um hacker poderia fazer qualquer veículo da frota, mesmo que desligado, andar "sozinho" para frente ou para trás. Embora o caso tenha acontecido há mais de três anos, a história só veio a público no fim de agosto. Jason Hughes, um entusiasta da fabricante, decidiu divulgar o relatório técnico que ele enviou à Tesla para comunicar a existência da brecha em 24 de março daquele ano – uma sexta-feira. Erros sucessivos Hughes vende peças para carros Tesla, reaproveita componentes da marca em outros projetos e estuda os veículos para interagir com recursos que ainda não estão ativados para toda a frota. O problema começou com a criptografia em módulos de software, que pôde ser desfeita. Também era possível realizar o download de módulos exclusivos que não estavam em links públicos. Para isso, bastava uma credencial para um site de manutenção da Tesla cujo acesso era liberado mediante pagamento. Analisando a comunicação do veículo com o serviço central da Tesla em conjunto com as informações adquiridas nesses módulos, Hughes descobriu a existência de servidores que deveriam estar isolados e disponíveis somente para a equipe da própria Tesla. Por um erro de configuração, esses serviços estavam na mesma rede a qual os carros tinham acesso. No fim, Hughes tinha o endereço do sistema de controle e as credenciais (usuário e senha) para acessá-lo. Bastava possuir o número de identificação do veículo (VIN) para visualizar informações e enviar o comando "Summon". De acordo com um relato da história publicado no site "Electrek", Hughes demonstrou o problema durante um telefonema com Aaron Sigel, então chefe de segurança de software na Tesla. O comando, enviado por Hughes do estado da Carolina do Norte, na costa leste dos Estados Unidos, "cruzou" o país para movimentar um carro na Califórnia, na costa oeste. O relatório, que foi publicado com comentários do próprio Hughes para dar mais contexto, afirma que a infraestrutura da Tesla hoje funciona de uma maneira muito diferente. Com isso, a divulgação do documento não oferece informações relevantes sobre os sistemas atualmente em operação. Também não há qualquer indício de que criminosos souberam desse problema antes dele ser corrigido. A vulnerabilidade no servidor principal foi corrigida em apenas algumas horas ainda na sexta-feira. Em alguns dias, todas as brechas que permitiram a descoberta da falha estavam fechadas. Recompensa superou teto da fabricante A Tesla já possuía um programa de recompensa por falhas em 2017 e decidiu pagar a Hughes um prêmio de US$ 50 mil (cerca de R$ 260 mil) pela sua descoberta. O valor superava o teto de US$ 1 mil estabelecido pela fabricante para esse tipo de pagamento na ocasião. Oficialmente, o programa de recompensas da Tesla até hoje paga, no máximo, US$ 15 mil (cerca de R$ 80 mil). É comum que empresas paguem valores excepcionais para relatórios bem redigidos e que demonstrem problemas graves e concretos. O valor, porém, não é excepcional no universo dos programas de "bug bounty". O Google, por exemplo, oferece oficialmente pagamentos de até US$ 1,5 milhão para brechas que comprometam o chip de segurança do seu próprio telefone em versões de teste do Android. Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para g1seguranca@globomail.com Vídeos: aprenda dicas de segurança digital Veja Mais

Bolsas asiáticas acompanham deslizada de Wall Street e fecham em queda

Valor Econômico - Finanças Principal medo dos investidores é que as ações tenham ficado muito caras enquanto a contagem do coronavírus ainda está piorando As bolsas asiáticas fecharam em queda nesta terça-feira, acompanhando os mercados que despencaram em todo o mundo um dia antes devido às preocupações com os problemas econômicos da pandemia. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Empresárias faturam com a entrega de comida em casa durante a pandemia

G1 Economia Algumas já trabalhavam no setor de alimentação e precisaram se reinventar. Outras começaram do zero e se deram bem. Faturamento de empresas que entregam comida em casa cresce durante a crise Reprodução TV Globo A crise gerada pelo coronavírus mudou os hábitos de alimentação de muita gente. O resultado foi o aumento no faturamento de empresárias que entregam comida em casa. Algumas já trabalhavam no setor antes da pandemia. Outras começaram do zero e se deram bem. Adaptação e crescimento Antes da pandemia, Graziela dos Santos Vianna e a filha Raphaella Vianna tinham uma empresa que oferecia dois serviços: venda de kits de comida e cozinheira de aluguel, que representava 70% da receita do negócio. Mesmo com a suspensão temporária desse serviço, a empresa cresceu. A dupla investiu nas marmitas para pronta entrega, com cardápio que muda toda semana, e o resultado foi um faturamento 30% maior. Elas passaram então de microempreendedoras individuais (MEIs) para microempresa. As cozinheiras investiram também em novas embalagens, mais resistentes, livres de bisfenol, substância prejudicial à saúde. As encomendas na Grande São Paulo são feitas pelas redes sociais ou pelo WhatsApp. Os kits com 10 marmitas custam R$ 330. Confira a reportagem completa: Faturamento de cozinheiras sobe 30% durante a pandemia com a venda de marmitas congeladas Mais público, mais faturamento Desde 2016, Priscila Batista dos Santos é uma microempreendedora individual (MEI) que vende pão de mel. Com a pandemia, ela percebeu que precisava se reinventar e criou dois novos produtos, que funcionam como kits: festa na caixa e petiscaria. Além disso, passou a fazer entregas para os clientes em casa e aumentou sua presença digital. O resultado foi um aumento de 100% no faturamento. “Agora eu atinjo um público maior, de todas as regiões de São Paulo, e também empresas”, comemora Priscila. Veja mais: Brasil tem mais de dez milhões de empreendedores formalizados como MEI Começando do zero Já a cantora Ana Caram mudou totalmente o foco da sua profissão. Com o isolamento social e shows cancelados, ela passou a vender comida árabe com receitas da família. O sucesso foi tanto que chega a faturar R$ 20 mil por mês. Para começar o negócio, ela se juntou com a prima Olivia Melles. Juntas, investiram R$ 1,2 mil em matéria-prima, valor recuperado em três semanas de vendas. Para atender aos pedidos em São Paulo, a dupla trabalha mais de dez horas por dia. A divulgação e as vendas são feitas pelo WhatsApp. As esfirras são vendidas a partir de R$ 3 cada. Tem também o quibe de forno, que custa R$ 70 o quilo, e a torta de palmito, que sai por R$ 60. Confira a matéria: Cantora se reinventa e faz sucesso vendendo comida árabe Veja Mais

Destaques

Valor Econômico - Finanças Plano de saúde O Superior Tribunal de Justiça (STJ) entendeu que os trabalhadores ativos e inativos devem ter paridade de condições em relação ao custeio e aos parâmetros de reajuste do plano de saúde coletivo empresarial. A decisão é da 4ª Turma. Os ministros negaram recurso (AREsp 1573911) da Bradesco Saúde contra acórdão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), que considerou ilegal a imposição, pela ex-empregadora, de seguro-saúde voltado exclusivamente para os funcionários inativos, com valor do prêmio diferente daquele existente para os empregados da ativa. Para a instituição financeira, o TJ-SP teria interpretado equivocadamente o artigo 31 da Lei nº 9.656, de 1998, e as normas regulamentares. Em seu voto, o relator do caso, Luis Felipe Salomão, destacou que a jurisprudência do STJ, com base no artigo 31 da Lei nº 9.656, de 1998, entende que não há direito adquirido do aposentado ao regime de custeio do plano de saúde coletivo empresarial vigente à época do contrato de trabalho (REsp 1479420). Porém, acrescentou, tal entendimento “não significa que os empregadores possam contratar plano de assistência à saúde exclusivo para seus ex-empregados, com condições de reajuste, preço e faixa etária diferenciadas do plano de saúde dos empregados da ativa”. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Prêmio de título pós-fixado tem impacto ‘pouco relevante’ na dívida, diz Tesouro

Valor Econômico - Finanças Prêmio maior só será utilizado como referência em novas emissões, diz órgão O Tesouro Nacional informou ontem ao Valor que o aumento do prêmio cobrado por investidores nos títulos pós-fixados (LFTs) do governo “tem impacto pouco relevante” sob a ótica do custo da dívida pública. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

EUA devem apertar regras contra lavagem

Valor Econômico - Finanças Bancos e outras instituições financeiras são obrigados a detectar e relatar atividades suspeitas ao governo O Departamento do Tesouro do EUA decidiu preencher uma lacuna de longa data na regulamentação americana de combate à lavagem de dinheiro (AML, Anti-Money Laundering) e iniciou uma discussão sobre novas regras em potencial destinadas a permitir que os bancos aloquem seus recursos de conformidade com mais eficácia. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

GEF Capital compra 60% da fabricante de fertilizante Café Brasil

Valor Econômico - Finanças Entre dinheiro que vai capitalizar a companhia e capital que irá aos sócios fundadores da Café Brasil, foram desembolsados R$ 90 milhões A gestora de private equity GEF Capital Partners fechou seu primeiro investimento no setor de agronegócio, com a aquisição de 60% da fabricante de fertilizantes Café Brasil. Entre dinheiro que vai capitalizar a companhia e capital que irá para os sócios fundadores da Café Brasil, a GEF desembolsou R$ 90 milhões. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Taxa de juros neutra e seus efeitos práticos

Valor Econômico - Finanças Relação entre juros reais e inflação implícita encontra-se em nível baixíssimo, mesmo com a inflação igualmente em nível baixo A taxa de juros neutra (TJN) de uma economia é aquela que mantém a inflação estável. Muito se fala sobre a dificuldade em estimá-la e, ainda que haja um consenso sobre sua existência, a forma de cálculo é subjetiva e muitas vezes imprecisa. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

EUA dão ao Brasil cota extra de açúcar

Valor Econômico - Finanças As 80 mil toneladas adicionais equivalem a 0,3% do total que o país exportou nos últimos 12 meses Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Ultra e Raízen disputam refinaria no PR

Valor Econômico - Finanças Os três interessados estão na fase vinculante de apresentação de propostas ao processo de venda aberto pela Petrobras A compra da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, será disputada pela Ultrapar e por um consórcio liderado pela Raízen. O Valor apurou que as duas empresas apresentaram à Petrobras ofertas com valores próximos, com menos de 10% de diferença entre elas, e que uma nova rodada de propostas será aberta, possivelmente em outubro. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Veja as vagas de emprego do Sine para 22 de setembro em Macapá; inscrições são pela web

G1 Economia Há oportunidades para pintor de obras, servente de obras, operador de mini carregadeira, trabalhador rural e empregada doméstica. Sine oferece vagas para cozinheiro industrial e cozinheiro em geral Senac DF/Divulgação O Sistema Nacional de Emprego no Amapá (Sine-AP) oferta vagas de emprego em Macapá para terça-feira (22). O atendimento ao público está suspenso nas sedes do órgão e os candidatos interessados devem encaminhar e-mail com currículo anexado. As inscrições e cadastros devem ser feitos pela internet. Para os candidatos de Macapá, o endereço de e-mail é sinetrabalhador@sete.ap.gov.br. As vagas estão disponíveis apenas para o dia divulgado. O atendimento do Sine por e-mail já era feito para as empresas que ofertam as vagas e agora o órgão estendeu para os interessados em enviar currículos. A alternativa, que visa compensar o tempo em que o Sine ficou fechado, deve durar até o fim do decreto de isolamento. Veja as vagas disponíveis de acordo com as solicitações das empresas, para terça-feira: caseiro conferente de logística cozinheiro em geral cozinheiro industrial eletricista de veículos automotores (diesel) empregado doméstico nos serviços gerais lavador de veículos mecânico de máquinas pesadas operador de mini carregadeira operador de loja/depósito operador de loja/hortifrúti (FLV) operador de loja pleno/prevenção de perdas servente de obras supervisor de operações na área de controle de produções trabalhador rural vendedor pracista Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá Veja Mais

Justiça do Trabalho propõe layoff para reverter parte das demissões na Embraer

G1 Economia Audiência foi suspensa para que Embraer avalie proposta de conciliação. Sindicato é favorável à proposta. Nova audiência será na próxima terça-feira (29). No início de setembro, empresa anunciou 900 cortes, que irão se somar a 1,6 mil dispensas após PDV. Justiça do Trabalho propõe layoff para reverter parte das demissões na Embraer Luis Lima Jr./Futura Press/Estadão Conteúdo O Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15) propôs uma nova suspensão temporária de contratos (layoff) para reverter parte das 2,5 mil demissões na Embraer. A negociação na Justiça acontece após o Sindicato dos Metalúrgicos ajuizar ação contra os 900 cortes de funcionários, que se somam aos 1,6 mil desligamentos por adesão a Planos de Demissões Voluntárias. A proposta de negociação para um novo layoff para 502 dos demitidos - sendo 470 de São José dos Campos e 32 de Gavião Peixoto - foi sugerida pela desembargadora Tereza Aparecida Asta Gemignani em audiência de conciliação nesta terça-feira (22). O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos foi favorável à medida, mas os representantes da empresa na audiência foram contra. Eles alegam que o prazo de layoff de até cinco meses é insuficiente para que se tenha a retomada econômica. Além disso, sustentam que os empregados já foram desligados da empresa e receberam as verbas rescisórias. A audiência foi suspensa para que a proposta encaminhada pela desembargadora seja levada à direção da Embraer e um novo encontro deve ocorrer na próxima terça-feira (29). Caso não haja acordo, o dissídio coletivo será levado à julgamento. Por nota, a Embraer informou que apresentou "proposta de extensão do plano de saúde e vale alimentação no valor de R$ 450 até junho de 2021 e reforçou a preferência de recontratação conforme retomada de mercado, em termos similares aos demais acordos coletivos celebrados com outras entidades sindicais". Além disso, afirmou que teve os negócios afetados pela pandemia e que adotou diversas medidas para manutenção do emprego em suas unidades. "A Embraer adotou uma série de medidas para preservar empregos como férias coletivas, redução de jornada, lay-off e licença remunerada, conforme negociações com os sindicatos. Também reduziu o trabalho presencial nas plantas industriais com o objetivo de zelar pela saúde dos colaboradores e garantir a continuidade dos negócios. A Embraer implementou ainda três planos de demissão voluntária (PDV)", diz a nota. Embraer demite 2,5 mil funcionários nas fábricas do Brasil Ação pede anulação das demissões A ação do sindicato requer o cancelamento de todas as demissões, inclusive as referentes ao PDV. Os representantes da categoria alegam que a empresa fez os cortes sem buscar alternativas para minimizar o impacto social provocado. Já a Embraer alega que tentou negociar três PDVs com o sindicato e a proposta não foi levada para assembleia. O sindicato defende a equalização dos salários pagos pela empresa, com teto de R$ 39.200. O órgão acredita que essa medida seria suficiente para pagar os salários de todos os 2.500 demitidos. A Embraer informou que segue aberta à negociação e que já celebrou acordos com o Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo, com o Sindicato dos Metalúrgicos de Botucatu e com Sindicato dos Técnicos Industriais de Nível Médio do Estado de São Paulo. Reforçou ainda que as negociações continuam avançando com outras categorias. Tentativas de negociação Esse foi o segundo encontro sobre as demissões entre Sindicato dos Metalúrgicos e Embraer no TRT. O primeiro, marcado a pedido da Embraer, terminou sem acordo. A Embraer informou que na audiência "apresentou proposta de extensão dos benefícios de assistência médica e auxílio-alimentação aos colaboradores desligados. O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos se manteve intransigente, recusou a proposta e nem mesmo se dispôs a levá-la para apreciação dos metalúrgicos através de assembleia". A entidade sindical informou que chegou a propor um teto salarial como forma de redistribuição de renda para manter os empregos e que a proposta foi rejeitada. Adesão ao PDV não foi suficiente A Embraer havia encerrado em 2 de setembro o prazo para inscrição no terceiro PDV aberto durante a pandemia. A medida era uma tentativa de ajustar o quadro de funcionários frente aos impactos causados pela pandemia. Foram 1,6 mil adesões aos PDVs, mas como o volume não atingiu a meta necessária, a Embraer anunciou que vai fazer mais 900 cortes. Pandemia e fracasso em parceria Para justificar as demissões, a Embraer alega o impacto provocado pela pandemia de coronavírus e o cancelamento da parceria com a Boeing, além da falta de expectativa de recuperação do setor de transporte aéreo no curto e médio prazo. Entenda como Boeing e Embraer foram da aproximação ao rompimento do acordo bilionário Segundo a empresa, os cortes foram feitos com o "objetivo de assegurar a sustentabilidade da empresa e sua capacidade de engenharia". Desde o início da pandemia, a Embraer adotou uma série de medidas como férias coletivas, redução de jornada, lay-off ( suspensão temporária de contratos) e licença remunerada. O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos afirma que foi pego de surpresa com as demissões. O órgão considera as demissões anunciadas na quinta ilegais. Denúncia de assédio O Ministério Público do Trabalho (MPT) apura denúncias recebidas de funcionários da Embraer que relatam pressão para aderir ao PDV. Uma campanha incentivando a denúncia de casos de assédio em relação ao PDV foi iniciada pelo Sindicato dos Metalúrgicos, que encaminhou os denunciantes ao MPT. Segundo o sindicato, 15 trabalhadores foram orientados a procurar o MPT, que recebeu três denúncias até o fim de agosto. A Embraer reforçou que o PDV foi um processo voluntário e comunicado com transparência às pessoas, seguindo o código de ética e conduta. Segundo a empresa, os funcionários foram informados pelos canais oficiais sobre o programa. Prejuízo bilionário A Embraer registrou prejuízo de R$ 2,95 bilhões nos primeiros seis meses de 2020. Somente no segundo trimestre, o prejuízo líquido foi de R$ 1,68 bilhão, pior resultado para um trimestre em 20 anos. Segundo a Embraer, nos seis primeiros meses de 2020, foram entregues somente quatro aeronaves comerciais e 13 executivas, consequência da pandemia de coronavírus. No primeiro semestre, o prejuízo líquido acumulado da empresa brasileira foi de R$ 2,95 bilhões, enquanto no primeiro semestre de 2019 a empresa apresentou prejuízo de R$ 134 milhões. A empresa afirma que não teve nenhum cancelamento na carteira comercial, apenas mudanças no prazo de entregas. Fracasso com Boeing No final abril, a Boeing anunciou a rescisão do acordo que daria à gigante norte-americana o controle sobre a divisão de aviação comercial da Embraer, em meio às crises no setor de aviação e na economia global, deixando a Embraer sem um plano B claro. A Embraer informou no balanço que os custos de separação dos negócios relacionados com a parceria estratégica com a Boeing, agora encerrada, reconhecidos em janeiro, foram de R$ 96,8 milhões. Na tentativa de diminuir os impactos na companhia, a Embraer assinou contrato em julho com cinco bancos públicos e privados para contrair US$ 300 milhões em empréstimos para financiar o capital de giro para exportações. Veja Mais

Conab eleva projeção para safra de café do Brasil em 2020

G1 Economia Governo estima aumento de 25% ante a temporada passada, mas fica pouco abaixo do recorde visto em 2018. Saca de café utilizado para exportação Léo Junior/ Seag A safra de café do Brasil em 2020 foi estimada em 61,6 milhões de sacas de 60 quilos pela Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) em relatório nesta terça-feira (22), devido à melhora nas perspectivas para a variedade arábica. Isso representa aumento de 25% ante a temporada passada, mas fica pouco abaixo do recorde visto em 2018 (de 61,66 milhões de sacas). O café do Brasil alterna anos de alta e baixa produtividade, uma característica dos pés da variedade arábica que formam a maior parte dos cafezais no maior produtor e exportador global. Saiba como preparar o café perfeito e veja curiosidades Em relatório cuja divulgação foi atrasada pela pandemia de coronavírus, a Conab projetou que o Brasil deverá colher 47,37 milhões de sacas de arábica em 2020, contra entre 43,20 milhões e 45,98 milhões estimados no começo do ano. Em 2019, a produção foi de 34,3 milhões de sacas. A estatal projetou a safra de robusta em 14,2 milhões de sacas nesta terça-feira, no intervalo inferior das estimativas de janeiro, que apontavam entre 13,95 milhões e 16 milhões de sacas. No ano passado, a colheita de robusta foi de 15 milhões de sacas. "As boas condições climáticas registradas ao longo do ciclo, o efeito da bienalidade positiva, especialmente sob o café arábica, além do aumento de área em produção, são aspectos importantes que contribuem para tal incremento", disse a Conab, ao comentar o avanço dos números frente à safra passada. Mas as estimativas da Conab vieram abaixo das previsões do mercado para este ano. Uma pesquisa da Reuters com analistas e operadores indicou uma safra ao redor de 68 milhões de sacas. A Conab disse que produtores têm cada vez mais usado recursos como sistemas de irrigação e colheita mecanizada, que devem impulsionar safras futuras. Em 2018 e 2020, as safras tiveram as maiores produtividades agrícolas já registradas, segundo a estatal, ao redor de 33 sacas por hectare. A área plantada com café no Brasil avançou 1,4% de 2019 para 2020, alcançando 2,16 milhões de hectares, disse a Conab, com 1,76 milhão de hectares em café arábica e 402 mil de robusta. VÍDEOS: tudo sobre agronegócio Veja Mais

Facebook disponibiliza ferramentas de transparência para anúncios políticos no Brasil

G1 Economia Com aproximação das eleições, empresa amplia recursos sobre propagandas em suas plataformas. Plataformas do Facebook adicionam ferramentas para analisar anúncios políticos. Stephen Lam/Reuters O Facebook trouxe nesta terça-feira (22) duas ferramentas sobre publicidade política e eleitoral para o Brasil. A primeira é o relatório de transparência, com informações sobre gastos na plataforma. A segunda é uma Interface de Programação de Aplicativo (API, na sigla em inglês) para criar pesquisas personalizadas. As funcionalidades estão disponíveis na Biblioteca de Anúncios, que reúne campanhas de publicidade no Facebook e Instagram que possuem o selo "Pago por" ou "Propaganda Eleitoral". A partir do relatório de transparência, cidadãos podem visualizar o total de anúncios sobre política e eleições criados no Brasil com um desses rótulos desde agosto de 2020 e visualizar o valor total gasto para esse tipo de publicidade. É possível fazer buscas mais refinadas por data, região ou anunciante, além de uma lista com os maiores anunciantes no último dia ou por intervalo de 7 dias, 30 dias, 90 dias ou todas as datas. Plataforma de relatórios para anúncios políticos no Facebook. Reprodução/Facebook A Interface de Programação de Aplicativo (API) é uma ferramenta mais sofisticada para criar pesquisas personalizadas de anúncios com palavras-chave que ficaram armazenadas na Biblioteca de Anúncios. Ela permitirá buscar dados de todos os anúncios ativos e inativos sobre temas sociais, eleições ou política. Para ter acesso à API, é necessário confirmar identidade e localização, criar uma conta de desenvolvedor do Facebook e adicionar um novo aplicativo. Regras para anúncios políticos no Facebook O Facebook anunciou novas regras em agosto que restringem a veiculação de anúncios políticos. Todas as publicidades na plataforma precisam ter um selo que indicam que se trata de um anúncio político. Quem quiser pagar pelas propagandas deve confirmar a identidade e que tem uma residência no Brasil. Os anunciantes têm a opção de fornecer número do CNPJ ou CPF. Veja os últimos vídeos sobre tecnologia no G1 Veja Mais

Triple Play define faixa de preço e pode levantar R$ 1,3 bilhão em IPO

Valor Econômico - Finanças Valor total da oferta da holding de banda larga, dona da marca “Conexão Fibra”, pode chegar a R$ 1,763 bilhão com lotes adicional e suplementar A holding de banda larga Triple Play Participações definiu entre R$ 12,50 e R$ 15,50 a faixa indicativa de preços na sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Considerando o meio da faixa indicativa, de R$ 14,00, e o número de 93.297.884 ações da oferta base, a operação pode movimentar R$ 1,306 bilhão. Há ainda possibilidade de um lote adicional de até 20%, ou 18.659.576 ações, e suplementar de até 15%, ou 13.994.682 ações. Nesse caso, ainda considerando o meio da faixa indicativa, a oferta total subiria para R$ 1,763 bilhão. A oferta será primária, quando os recursos vão para o caixa da empresa (40.000.000 ações, ou R$ 560 milhões considerando o meio da faixa indicativa); e secundária, quando acionistas atuais vendem parte de suas fatias (53.297.884 ações, ou R$ 746,170 milhões). A precificação do IPO deve ocorrer no dia 14 de outubro. A companhia será negociada no Novo Mercado da B3 sob o ticker ‘CONX3’, referência à principal marca da empresa, a “Conexão Fibra”. Os principais acionistas vendedores são o fundo ALAOF Brasil Mídia, da gestora americana Acon Investments, que tem 91,60% e pode reduzir para 21,60% se forem exercidos os lotes adicional e suplementar; Cláudio Almeida, que tem 4,01% e pode cair para até 2,00%; e Gilberto Minionis, que tem 2,95% e pode recuar para 0,90%. A Triple Play diz que tem como alvo os mercados residenciais e B2B, com presença em 26 pequenos e médios municípios em três grandes clusters geográficos no Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Bahia, além do interior dos estados de São Paulo e Minas Gerais. Em junho, tinha 330 mil assinantes. No primeiro semestre de 2020, teve receita de R$ 174,136 milhões, com expansão anual de 10,16%. O lucro foi de R$ 7,710 milhões, com queda de 14,61%. A operação é coordenada por Itaú BBA, Bank of America, Bradesco BBI, UBS e Citi. Julio Bittencourt/Valor Veja Mais

CEO da Apple se diz impressionado com trabalho remoto

Valor Econômico - Finanças Mesmo em home office, equipe desenvolveu novos produtos dentro do prazo, apontou, embora reconheça que trabalhar no escritório desperta a criatividade O diretor-presidente da Apple, Tim Cook, disse que está impressionado com a capacidade dos funcionários de trabalhar remotamente. O executivo prevê que alguns novos hábitos de trabalho permanecerão após a pandemia. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Bovespa opera perto da estabilidade, com cautela no exterior

G1 Economia Na segunda-feira, Ibovespa teve queda de 1,32%, a 96.990 pontos. A bolsa de valores brasileira, a B3, abriu perto da estabilidade nesta terça-feira (22), em meio a um cenário ainda frágil no exterior diante preocupações com o aumento nos casos de coronavírus, enquanto no Brasil a ata da última reunião do Copom também concentra as atenções. Às 10h02, o Ibovespa subia 0,03%, a 97.016 pontos. Veja mais cotações. Na segunda-feira, a bolsa fechou em queda de 1,32%, a 96.990 pontos, menor nível de fechamento desde 3 de julho. No mês, o Ibovespa acumula baixa de 2,39%. No ano, tem perda de 16,13%.   Cenário local e externo No exterior, preocupações sobre o aumento de casos de coronavírus na Europa e uma recuperação econômica instável continuavam a pesar nos mercados. Localmente, foi divulgada mais cedo a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, quando a taxa básica de juros da economia foi mantida estável em 2% ao ano. No documento, o BC aponta que a inflação ao consumidor deve se elevar no curto prazo, enquanto "dados recentes" sugerem uma "recuperação parcial da atividade econômica". Variação do Ibovespa em 2020 G1 Economia 5 Veja vídeos: últimas notícias de Economia Veja Mais

Reino Unido anuncia novas medidas para frear avanço da covid-19

Valor Econômico - Finanças Medidas podem ficar em vigor por pelo menos seis meses caso não haja progresso O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou nesta terça-feira a adoção de medidas mais rígidas para frear a disseminação da covid-19 no país, que enfrenta um novo surto de casos da doença nas últimas semanas. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Atritos envolvendo TikTok criam dilema de marketing para empresas japonesas

Valor Econômico - Finanças Postagens podem atrair mais de 100 milhões de visualizações, o que dá a dimensão da relevância do aplicativo de vídeos na publicidade voltada ao consumidor jovem O atrito político entre os Estados Unidos e a China em relação ao TikTok levanta questões estratégicas para as empresas japonesas que usam o popular aplicativo de compartilhamento de vídeo no que se refere à publicidade para jovens consumidores. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

China desvaloriza yuan, sinalizando interrupção de altas

Valor Econômico - Finanças Movimento sugere que formuladores de políticas podem querer conter a rápida valorização da moeda neste trimestre A China definiu sua fixação diária do yuan em um nível mais fraco do que o esperado, o primeiro sinal de que os formuladores de políticas podem querer conter a rápida valorização da moeda neste trimestre. O câmbio de referência do Banco do Povo da China (PBoC, banco central) foi definido em 6,7872 yuan por dólar nesta terça-feira, depois que a cotação à vista enfraqueceu 0,51% durante a noite. Ainda assim, a moeda se fortaleceu 0,22%, para 6,7897 por dólar, por volta de 9h35 em Xangai. “O mercado está cada vez mais preocupado que o PBoC [o banco central da China] guie o yuan mais fraco devido à rápida recuperação da moeda recentemente”, disse Tommy Xie, economista do Oversea Chinese Banking Corp. “Precisamos de mais alguns dias de ajustes para ver se o banco central não consegue mais tolerar o avanço. No momento, os investidores ainda gostam de comprar o yuan devido aos sólidos fundamentos.” O yuan estava a caminho de seu maior ganho trimestral desde 1981, antes que uma recuperação do dólar provocasse uma queda de três dias na moeda chinesa. Embora a queda do dólar tenha ajudado, a mídia chinesa atribuiu os ganhos à recuperação econômica do país. Ainda está em alta de 4,1% desde o fim de junho. O PBoC também ajudou ao não atrapalhar seu caminho, o que para alguns no mercado foi um incentivo para a moeda subir. A fixação limita o movimento do yuan a 2% em qualquer direção. Chinatopix via Associated Press Veja Mais

Expectativa de inflação sobe para 4,7% ao ano entre consumidores, aponta FGV

G1 Economia Pesquisa mostra que projeções para alta nos preços para os próximos 12 meses subiram em todas as faixas de renda. A expectativa de inflação dos consumidores brasileiros para os 12 meses seguintes subiu 0,4 ponto percentual, para 4,7% ao ano em setembro, informou nesta terça-feira (21) a Fundação Getulio Vargas (FGV), responsável pelo levantamento. “Após atingir o menor valor da série no mês anterior, a expectativa de inflação mediana dos consumidores voltou a subir em setembro em todas as faixas de renda. Apesar da estabilidade dos preços de alguns bens e serviços, o aumento persistente dos itens de alimentação no domicílio pode estar influenciando as expectativas principalmente nos consumidores de renda mais baixa", afirma Renata de Mello Franco, economista do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getulio Vargas (FGV), em comentário no relatório. "Para os próximos meses, é possível que a mediana se distancie cada vez mais do mínimo, considerando as constantes revisões nas projeções de mercado e a possibilidade dos preços dos alimentos seguirem pressionados”, acrescentou. Em setembro, 54,4% dos consumidores projetaram valores abaixo da meta de inflação para 2020 (4,0%), 3,1% abaixo do que no mês anterior, enquanto a proporção de consumidores projetando acima do limite superior da meta de inflação para 2020 (5,5%) cresceu 2,5 pontos percentuais (p.p.), de 28,3% para 30,8%, encerrando tendência de queda iniciada em maio de 2020. Segundo o relatório Focus divulgado pelo Banco Central na véspera, os analistas do mercado financeiro elevaram a estimativa de inflação para 2020 de 1,94% para 1,99%. Foi a sexta alta seguida do indicador. Para 2021, o mercado financeiro manteve em 3,01% sua previsão de inflação. As expectativas medianas para a inflação nos próximos 12 meses subiram em todas as faixas de renda, mas principalmente para os consumidores de menor poder aquisitivo, mais afetados pelos preços de alimentos no momento, cujas expectativas subiram 0,6 p.p., de 4,9% para 5,5%, a maior variação positiva desde maio de 2018 (0,7 p.p.). A expectativa para a inflação nos próximos 12 meses faz parte da Sondagem do Consumidor da FGV, realizada mensalmente com mais de 2.100 entrevistados em sete capitais do país (Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Brasília e Recife), em geral, nas três primeiras semanas de cada mês. Aproximadamente 1.600 entrevistados respondem a respeito da expectativa para os preços todos os meses, segundo a instituição. A sondagem da FGV foi realizada entre os dias 1º e 19 de setembro. Juliana Rosa: ‘Preços do material de construção subiram muito’ Veja Mais

Bolsas da Europa tentam recuperação após tombo da véspera

Valor Econômico - Finanças Maioria dos índices opera em leve alta, mas preocupação com impacto de aumento de casos de covid-19 permanece As ações europeias operam em alta leve nesta manhã, após seu pior desempenho em um dia em mais de três meses na segunda-feira, enquanto o continente enfrenta restrições econômicas mais rígidas devido ao aumento dos casos de covid-19. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

BC vê inflação ao consumidor subir no curto prazo e cita recuperação parcial da economia

G1 Economia Informações foram divulgadas na ata da reunião do Copom. BC avaliou que o espaço para redução dos juros, 'se houver, deve ser pequeno'. O Comitê de Política Monetária (Copom) informou nesta terça-feira (22), por meio da ata de sua última reunião, quando a taxa básica de juros da economia foi mantida estável em 2% ao ano, que a inflação ao consumidor deve se elevar no curto prazo. "Contribuem para esse movimento a alta temporária nos preços dos alimentos e a normalização parcial do preço de alguns serviços em um contexto de recuperação dos índices de mobilidade e do nível de atividade. Os preços administrados [tarifas de água, esgoto e transporte público, por exemplo] devem apresentar variação contida, destacando-se o recuo nas tarifas de plano de saúde em setembro e a queda projetada para o preço da gasolina a partir de outubro", avaliou o BC. Em doze meses até agosto, o preço dos alimentos subiu 8,83%. Esse reajuste não tem apenas um alimento como responsável — a maioria está com preços recordes no campo. De acordo com economistas ouvidos pelo G1, dois fatores explicam a alta dos alimentos: dólar alto, que incentiva os produtores a aumentarem as exportações; e o auxílio emergencial que é direcionado, em grande parte, para a população mais pobre do país, que tem uma cesta de compras formada, em sua maioria, por produtos básicos, como alimentos. Nível de atividade Os integrantes do Copom avaliaram ainda que "dados recentes" sugerem uma "recuperação parcial da atividade econômica". "Os programas governamentais de recomposição de renda têm permitido uma retomada relativamente forte do consumo de bens duráveis e do investimento. Contudo, várias atividades do setor de serviços, sobretudo aquelas mais diretamente afetadas pelo distanciamento social, permanecem bastante deprimidas", acrescentou o Copom. O documento diz, também, que a "pouca previsibilidade associada à evolução da pandemia e à necessária redução nos auxílios emergenciais a partir do final desse ano aumentam a incerteza sobre a velocidade de retomada da atividade econômica". "O Comitê ponderou que esta imprevisibilidade e os riscos associados à evolução da pandemia podem implicar um cenário doméstico caracterizado por uma retomada ainda mais gradual da economia", concluiu o Banco Central. Com relação à economia internacional, o BC avaliou que a retomada da atividade nas principais economias tem resultado em um ambiente relativamente mais favorável para economias emergentes. Mas ponderou que há "bastante incerteza sobre a evolução desse cenário benigno". "Uma possível redução abrupta e não organizada dos estímulos governamentais pode atrasar a recuperação da demanda por bens e o processo de recomposição de estoques", avaliou a instituição. Taxa básica de juros Sobre o nível da taxa básica de juros, o Copom informou entender que a "conjuntura econômica" continua a prescrever estímulo monetário extraordinariamente elevado (taxas de juros baixas), mas reconhece que, devido a "questões prudenciais e de estabilidade financeira, o espaço remanescente para utilização da política monetária [novos cortes de juros], se houver, deve ser pequeno". A instituição acrescentou que, se necessárias, "novas reduções de juros demandariam maior clareza sobre a atividade e inflação prospectivas e poderiam ser temporalmente espaçadas". O BC informou ainda que eventuais ajustes futuros no atual grau de estímulo [novos cortes de juros] ocorreriam com gradualismo adicional e dependerão da percepção sobre a trajetória fiscal [contas públicas em ordem], assim como de novas informações que alterem a atual avaliação do Copom sobre a inflação prospectiva. Os economistas do mercado financeiro estimam que a taxa básica de juros permanecerá no atual patamar de 2% ao ano, a mínima histórica, até outubro de 2021 — quando subiria para 2,5% ao ano. A expectativa é de que a taxa Selic avance para 2,88% ao ano em janeiro de 2022, para 3% ao ano em fevereiro e para 3% ao ano em março daquele ano. Veja Mais

Em discurso na ONU, Bolsonaro vai insistir que Brasil é 'exemplo para o mundo' no meio ambiente

G1 Economia No discurso gravado para a abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), o presidente Jair Bolsonaro vai insistir que o Brasil é um exemplo para o mundo na gestão ambiental, conforme relatos de integrantes do governo que tiveram acesso ao conteúdo. Bolsonaro voltará ao tema, reforçado também por outros integrantes de sua equipe, de que ataques que o Brasil sofre na gestão ambiental têm o objetivo de atender interesses comerciais de concorrentes, em referência a outros países. Desde o ano passado, o governo brasileiro é alvo de críticas de parte da comunidade internacional com relação às políticas adotadas para o meio ambiente. Nas últimas semanas, países europeus disseram que a postura do Brasil nessa área pode inviabilizar a confirmação do acordo comercial Mercosul-União Europeia. O discurso de Bolsonaro ocorre na esteira das queimadas no Pantanal. Em setembro, o bioma teve recorde histórico de focos de incêndio. Na Amazônia, principal preocupação internacional, os alertas de desmatamento subiram 34,5% no período de um ano, entre agosto de 2019 e julho de 2020. Os dados são do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe). Assembleia da ONU Em 2020 a ONU completa 75 anos de fundação. A Assembleia Geral, marcada para a manhã desta terça-feira (22), vai ser realizada de forma remota, por conta da pandemia do coronavírus. O video do presidente, que abre os discursos de chefes de Estado, foi gravado antes da viagem de Bolsonaro ao Mato Grosso, na última sexta-feira (18). (Veja abaixo os discursos do Brasil na Assembleia Geral da ONU desde 2008) Na ocasião, Bolsonaro já evidenciou os argumentos que vai usar na ONU, afirmando que o agronegócio brasileiro alimenta o mundo. Interesses comerciais, segundo ele, estariam por trás das críticas ao Brasil. O que dizem o governo e os dados oficiais Na segunda (21), o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, disse que as 'críticas de "nações estrangeiras" sobre desmatamento na Amazônia visam "prejudicar o Brasil e derrubar o governo Bolsonaro"; No dia 11, o vice-presidente, Hamilton Mourão, questionou o aumento das queimadas e do desmatamento na Amazônia, destacando dados oficiais que apontavam queda no número de focos de incêndio de janeiro a agosto de 2020 e de alertas de desmate no mês de agosto; Os dados oficiais mais recentes, entretanto, já apontavam naquele dia que havia alta de 6% no número de focos de incêndio na Amazônia em 2020, se fossem consideradas as informações até o dia 10 setembro, o último disponível; Em relação ao desmatamento, houve, de fato, queda de 21% nos alertas em agosto. Mas o número foi o 2º maior para o mês desde o início da série histórica – o maior foi o de 2019. E o último balanço anual disponível, que leva em conta os dados de agosto de 2019 a junho de 2010, aponta alta de 34,6% na comparação com agosto de 2018 a junho de 2019; No Pantanal, outro bioma afetado por queimadas e desmatamento, o número de focos de incêndio em 2020 é o maior da série histórica. Houve recorde, também, para o mês de setembro. No discurso na ONU de 2019, Bolsonaro também acusou líderes estrangeiros de ataque à soberania do Brasil e disse ter "compromisso solene" com o meio ambiente Naquele ano, a Amazônia também teve alta no desmatamento. De agosto de 2018 a julho de 2019 foram desmatados 9.762 km², 30% a mais que no período agosto de 2017 a julho de 2018 e maior área desde 2008. Veja Mais

INSS: portaria permite remarcação de perícia médica agendada e não realizada

G1 Economia Remarcação será permitida nos casos de não comparecimento do usuário ou em que não foi possível a realização do atendimento na data previamente agendada. Portaria publicada nesta terça-feira (22) no Diário Oficial da União autoriza a remarcação de perícia médica agendada e não realizada através do telefone 135 do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). De acordo com a medida, a remarcação será permitida "nos casos de não comparecimento do usuário na data agendada ou em que não foi possível a realização do atendimento" na data previamente agendada. "A perícia médica será remarcada para o local de atendimento inicialmente agendado", diz o texto. A portaria esclarece, porém, que a possibilidade de remarcação pela Central 135 não se aplica para as agências que permanecem fechadas ou para as agências que não ofertem serviços de perícia médica, por ocasião da retomada do atendimento presencial. Na semana passada, após a confusão na reabertura das agências do INSS no país, o órgão tinha informado que a remarcação da perícia médica seria feita de maneira automática para quem já tinha agendado uma data e não conseguiu o atendimento em razão do não retorno ao trabalho dos peritos. O G1 procurou o INSS para obter mais esclarecimentos sobre a nova portaria e aguarda retorno. Queda de braço entre INSS e médicos segue deixando segurados sem atendimento; veja situação pelo país Atendimento presencial do INSS: entenda os serviços disponíveis, como ser atendido e documentos necessários Médicos peritos devem voltar ao trabalho em 87 agências do INSS 149 peritos voltaram ao trabalho em 57 agências Na véspera, o governo informou que as perícias foram retomadas em 57 das 100 agências que estavam abertas. Segundo a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, 149 peritos do INSS retornaram ao trabalho nesta segunda-feira (21). Segundo a secretaria, foram feitas 1.376 perícias presenciais. Ainda de acordo com o governo, 486 peritos deveriam ter retornado ao trabalho na segunda-feira. Já a Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais (ANMP) divulgou uma lista com 87 agências consideradas aprovadas para retorno dos peritos médicos. As unidades foram divididas em agências "aptas" e "aptas com restrição". Segundo a associação, as agências com restrição voltarão a atender com alguma pendência que não impede o retorno imediato do público, como consultório interditado ou equipamento em falta. Ao todo, o INSS tem 3,5 mil peritos, mas nem todas as agências estão liberadas para o retorno desses profissionais – e parte deve seguir em trabalho remoto. O país tem cerca de 1,5 milhão de processos na fila do INSS, incluindo 790.390 que aguardam perícia médica. Restrição de serviços As agências do INSS começaram a reabrir na semana passada após quase 5 meses fechadas em razão da pandemia de coronavírus. Nesta primeira etapa, as agências atenderão apenas segurados agendados para evitar aglomerações. O agendamento deve ser feito pelo Meu INSS ou pelo telefone 135. Clique aqui para acessar o Meu INSS pelo site Nesta primeira etapa de reabertura, segundo o INSS, estarão disponíveis para atendimento presencial os serviços de perícia médica, avaliação social, cumprimento de exigência justificação administrativa ou judicial e reabilitação profissional. Solicitações de aposentadoria, pensão, salário maternidade, continuarão sendo feitos remotamente. Veja Mais

Número de conflitos trabalhistas solucionados por conciliação cai 58% desde a pandemia

G1 Economia Com isolamento social, audiências presenciais foram suspensas e juízes tiveram de se adaptar ao formato virtual. Segundo TST, mediações voltaram a acontecer com mais frequência a partir de julho. Audiência de conciliação na Justiça do Trabalho Fernando Rodrigues/ TRT/MS O número de conflitos trabalhistas solucionados por meio de conciliação caiu este ano desde a pandemia do novo coronavírus, que impediu a realização de audiências presenciais. De abril a julho de 2019, foram realizadas 318 mil conciliações. No mesmo período deste ano, esse número foi para 133 mil — uma queda de 58%, segundo dados do Tribunal Superior do Trabalho (TST). A taxa de processos conciliados no período, contudo, não foi impactada no período. Enquanto o percentual de abril a julho de 2019 foi de 46%, no mesmo período deste ano, foi de 45%. Ou seja, apesar de menos processos terem sido julgados, a taxa de conciliações se manteve praticamente estável. Francisco Rafael da Rocha: conciliação para receber verbas rescisórias Arquivo Pessoal "Só houve essa disparidade numérica no primeiro grau. Nos tribunais, o número processos julgados foi maior. Em junho e julho, houve um aumento de conciliações porque os juízos já haviam se adaptado [às condições provocadas pela pandemia] estavam fazendo audiências virtuais", explicou a ministra Cristina Peduzzi, presidente do TST. Além da necessidade de adaptação, a ministra disse que a redução no número de conciliações no início do ano aconteceu também pela maior ausência dos patrões nas audiências. Governo federal vai fazer pesquisa para saber como servidores avaliam trabalho remoto Os conflitos trabalhistas registrados este ano, contudo, são de fácil resolução, acrescentou Cristina. "Eles são inquestionáveis. São processos sobre recisão de contrato, aviso prévio, férias proporcionais, verbas recorrentes e décimo terceiro. É diferente de provar uma sentença por assédio moral e sexual", afirmou. Panorama das conciliações Economia G1 Demissão em tempos de coronavírus O técnico mecânico Francisco Rafael da Rocha, de 42 anos, recorreu à conciliação para resolver seu problema trabalhista de forma mais rápida e amigável. Com a pandemia do novo coronavírus, ele foi dispensado quatro meses depois de ser contratado como desenhista projetista em uma média empresa de Santa Luzia, região metropolitana de Belo Horizonte (MG). Segundo o técnico mecânico, a companhia alegou estar com dificuldades financeiras e não pôde pagar as suas verbas rescisórias à vista. "Se entrasse com uma ação, levaria mais de seis meses para receber o dinheiro e ainda poderia prejudicar meu lado profissional. Com a conciliação, resolvi o problema em um mês por videoconferência", disse ele. Sem ressentimentos com o antigo patrão, Rocha está recebendo R$ 7 mil em cinco parcelas por suas verbas rescisórias. Em julho, ele também conseguiu um novo emprego como gestor de infraestrutura. "A empresa fez a proposta dela para me pagar e a condição foi boa para mim também. Tive que entender a condição da companhia porque a crise faz parte do momento", afirmou. Processos mais comuns julgados por conciliação Economia G1 Modelo é indicado na pandemia Em época de pandemia, a conciliação se torna ainda mais indicada para a resolução de conflitos trabalhistas pela rapidez em que coloca fim em um litígio, afirmou a presidente do TST. "É um estímulo de resolução autônoma, não heterônoma. Enquanto a média de duração de um processo na Justiça do trabalho é de, em média, dois anos e nove meses, na conciliação é de aproximadamente um mês e meio", disse Cristina. A ministra acrescenta também que em muitos estados a conciliação acontece antes do litígio. "No primeiro grau, há uma imposição da lei para que conciliação seja realizada primeiro. Ela também pode acontecer em qualquer instância e colocar fim em um litígio mesmo que ele esteja no tribunal", concluiu. Vídeos: Veja mais notícias sobre trabalho durante a pandemia Veja Mais

Aquisição de propriedade rural por estrangeiro

Valor Econômico - Finanças Para os defensores do Projeto de Lei nº 2.963, de 2019, a permissão significa aumento de investimentos por parte do produtor Tramita no Senado Federal o Projeto de Lei (PL) nº 2.963, de 2019, que regulamenta a aquisição de propriedade, em todo o território nacional, por pessoas físicas e jurídicas estrangeiras, ou seja, aquelas constituídas e estabelecidas fora do território nacional. O texto abrange todas as modalidades de posse, como o arrendamento e o cadastro de imóvel rural. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Powell promete fazer ‘o que puder, pelo tempo que for necessário’

Valor Econômico - Finanças Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Banco é mais bem avaliado por quem usa aplicativo

Valor Econômico - Finanças Pandemia levou 21% dos clientes a começar a usar app, diz Bain Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Negociação sobre debênture incentivada avança

Valor Econômico - Finanças Benefício ao emissor terá dedução de 30% do juro na apuração do lucro real no IR e na base de cálculo da CSLL A proposta da Câmara de criar uma nova classe de debêntures incentivadas, com benefício para o emissor, começou a ter os ajustes negociados antes de começar a tramitar. Boa parte das mudanças no texto do projeto de lei (PL) 2.646/20 é demandada pela área econômica do governo. A negociação, no entanto, é conduzida pela equipe do ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Emissão de CRAs ajuda na compra de adubos

Valor Econômico - Finanças Fabricantes do insumo vêm apostando no mercado de capitais e no potencial das agfintechs Mesmo quem não costumava financiar a safra, como as empresas de fertilizantes, vem apostando no mercado de capitais e no potencial das agfintechs. David Telio, diretor executivo da consultoria CCAB Projetos, que atua na estruturação de CRAs, afirma que o interesse é grande entre os produtores rurais pelo crédito para a compra de adubos pelo potencial do insumo em ampliar a produtividade das lavouras. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Adama investe em nova unidade de fungicidas no RS

Valor Econômico - Finanças Aportes deverão alcançar R$ 150 milhões A israelense Adama, controlada pela chinesa ChemChina e parte do Syngenta Group, anunciou ontem que investirá R$ 150 milhões na construção de mais uma unidade de fungicidas em Taquari (RS), cuja inauguração está prevista para novembro de 2021. A unidade será voltada à fabricação de ingredientes ativos para novos defensivos agrícolas. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Fundador da Nikola é acusado de fraude

Valor Econômico - Finanças Trevor Milton renunciou ao cargo de presidente-executivo e alega que denúncias são falsas O presidente-executivo da Nikola, Trevor Milton, anunciou que está deixando o cargo na fabricante de caminhões elétricos com efeito imediato, após as alegações de que ele e a empresa haviam feito declarações falsas aos investidores. A empresa informou que Milton será substituído por Stephen Girsky, um ex-executivo da General Motors que já faz parte do conselho da companhia. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Auxílio Emergencial: saques e transferências são liberados para mais 3,6 milhões nesta terça

G1 Economia Também nesta terça, Caixa paga primeira parcela do Auxílio Emergencial de R$ 300 para 1,6 milhão de beneficiários que fazem parte do Bolsa Família, com NIS final 4. A Caixa Econômica Federal (CEF) libera nesta terça-feira (22) saques e transferências de novas parcelas do Auxílio Emergencial para 3,6 milhões de beneficiários do programa nascidos em fevereiro, que tiveram o dinheiro creditado em poupança social digital no último dia 2 de setembro. Também nesta terça, a Caixa paga a primeira parcela de R$ 300 (a sexta do Auxílio Emergencial) a 1,6 milhão de trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família, cujo número do NIS é terminado em 4. Saiba como liberar a conta bloqueada no aplicativo Caixa Tem Veja o calendário completo de pagamentos do Auxílio Emergencial Tira dúvidas sobre o Auxílio Emergencial SAIBA TUDO SOBRE O AUXÍLIO EMERGENCIAL Os beneficiários fora do Bolsa Família já podiam usar os recursos para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual.(veja nos calendários mais abaixo). Parcelas extras de R$ 300 Auxílio emergencial: veja as mudanças em 1 minuto No início do mês, o governo oficializou a prorrogação do Auxílio Emergencial, com mais 4 parcelas de R$ 300. Veja aqui como vão ficar os pagamentos e tire dúvidas. Esses pagamentos, no entanto, ainda não têm data para acontecer. VEJA QUEM PODE SACAR A PARTIR DESTA TERÇA: Trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app poderão sacar ou transferir: 3,6 milhões de nascidos em fevereiro: - aprovados no primeiro lote poderão sacar a quinta parcela; - aprovados no primeiro lote, mas que tiveram o benefício suspenso, poderão sacar a quinta parcela - aprovados no segundo lote poderão sacar a quarta parcela; - aprovados no terceiro lote poderão sacar a terceira parcela; - aprovados no quarto lote poderão sacar a terceira parcela; - aprovados no quinto lote poderão sacar a segunda parcela; - aprovados no sexto lote poderão sacar a segunda parcela; - aprovados no sétimo lote poderão sacar a primeira parcela; - reavaliados (que tiveram o benefício suspenso em agosto) poderão sacar todas as parcelas já recebidas em poupança digital Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br. Calendários de pagamento Clique aqui para ver o calendário completo de pagamentos do Auxílio Emergencial. Veja os últimos vídeos sobre o Auxílio Emergencial s Veja Mais

'Novela' do TikTok nos EUA continua: entenda os capítulos mais recentes e o que deve vir por aí

G1 Economia Colocado sob suspeita por Trump, app de vídeos ainda pode ser bloqueado naquele país. Mas presidente sinalizou que aceitará participação de empresas americanas no serviço, o que resolveria questão. Envolvidos, porém, divergem sobre controle do aplicativo. TikTok continua funcionando nos EUA e há discussões para venda de parte do app. Dado Ruvic/Illustration/Reuters A "novela" sobre a permanência do TikTok nos Estados Unidos ganhou novos e importantes capítulos nos últimos dias. O app de vídeos conseguiu "respirar" com um novo prazo para vender suas operações nos EUA, após um aceno positivo de Donald Trump para um acordo que envolve as americanas Oracle e Walmart. Porém, a trama é mais complexa do que parece: a chinesa ByteDance, desenvolvedora do aplicativo, disse na última segunda (21) que o TikTok Global, uma nova empresa que será formada após o acordo, se tornará sua subsidiária. No entanto, Oracle e Walmart afirmaram no final de semana que eles e investidores americanos teriam participação majoritária dessa companhia. Trump disse em entrevista na segunda-feira que não aprovaria a venda do TikTok para a Oracle e o Walmart se a ByteDance continuar como controladora do aplicativo. A negociação ainda depende da aprovação do Departamento do Comércio dos EUA, que deu uma semana extra para que as restrições de downloads do TikTok no país entrassem em vigor – o prazo deve se encerrar no próximo domingo (27). Saiba mais: EUA quer proibir downloads de TikTok e uso do WeChat Proposta de parceria entre TikTok e Oracle O "namoro" entre Oracle e TikTok começou em agosto, quando Donald Trump emitiu uma ordem executiva que proibia transações com a ByteDance. Ele ameaçou banir o TikTok do país caso ele não fosse vendido para uma empresa americana até meados de setembro – tudo isso sob a justificativa de que a rede social poderia compartilhar dados de 100 milhões de usuários americanos com o governo chinês. A aproximação foi discreta, e aconteceu enquanto a gigante Microsoft anunciou que estava conversando para a aquisição das operações do TikTok nos EUA e outros países. As intenções da Microsoft eram mais ousadas, com um controle maior sobre o aplicativo, e a ByteDance rejeitou a investida. Pouco depois, TikTok e Oracle anunciaram uma "parceria tecnológica", na qual a companhia americana disse que será uma "provedora confiável de tecnologia". Até então, o interesse da Oracle não era oficial. A empresa norte-americana pretende assumir o gerenciamento dos dados de usuários do aplicativo nos EUA e teria acesso aos códigos da ByteDance para realizar auditorias. O "casamento", nesses moldes, resolveria as preocupações de Trump sobre a segurança do aplicativo. Neste acordo, será criada uma nova empresa, chamada TikTok Global, com sede nos EUA A Oracle não é muito popular entre os consumidores, mas foi fundada em 1970 e é referência em soluções corporativas. Atualmente, a empresa oferece serviços de gerenciamento de bancos de dados e servidores para empresas, escolas e governos – incluindo o dos EUA – além de atuar na infraestrutura na nuvem e na área de inteligência artificial. O que o Walmart tem a ver com isso? Trump também citou o varejista Walmart quando disse que daria sua "bênção" a um acordo entre Oracle e TikTok. O interesse da rede de lojas já não era segredo: em agosto, a companhia disse que fazia parte das negociações entre Microsoft e TikTok. Mesmo com a saída da gigante tecnológica, o Walmart continuou nas negociações. O Walmart não tem experiência no gerenciamento de plataformas de redes sociais, mas vê no TikTok uma maneira de ampliar a sua presença digital, de olho principalmente nos 100 milhões de usuários ativos que o TikTok tem nos EUA e nos cerca de 800 milhões ao redor do mundo. Ainda não está claro quais seriam as responsabilidades do Walmart no TikTok Global. A versão chinesa do TikTok, chamada de Douyin, já incorpora algumas funcionalidades de compra em meio à exibição dos vídeos curtos. Há um botão que redireciona os usuários para lojas virtuais, muitas vezes dos próprios criadores de conteúdo. "A maneira como o TikTok integrou as capacidades de e-commerce e publicidade em outros mercados é um benefício claro para criadores e usuários nestes locais", disse um porta-voz do Walmart à rede de televisão CNBC em agosto. Divergências sobre o negócio Existem divergências sobre o modelo do negócio, mas todas as empresas concordam em um ponto: será criada uma nova empresa, chamada TikTok Global, com sede nos EUA. A confusão é sobre quem terá a participação majoritária: a parte americana ou a parte chinesa? Cada um diz uma coisa diferente. A ByteDance disse nesta segunda que terá 80% do TikTok Global. A Oracle ficaria com 12,5%, enquanto o Walmart teria uma fatia de 7,5%. A porcentagem fecha, mas Oracle e Walmart disseram no sábado que a participação majoritária do TikTok estaria em mãos norte-americanas. Isso seria possível porque 41% da ByteDance já são de propriedade de investidores norte-americanos. Ou seja, ao contar essa propriedade indireta, o TikTok Global seria majoritariamente detido por partes dos EUA. A ByteDance em seu comunicado nesta segunda-feira disse que era um "boato" que investidores norte-americanos seriam proprietários majoritários do TikTok Global. E será preciso combinar com os chineses. A ByteDance já avisou que a China também precisa validar o acordo. Recentemente, a China atualizou suas regras de controle de exportação para opinar sobre a transferência de tecnologia. Quando a 'novela' acaba? As conversas devem avançar nesta semana, mas uma data para que o negócio seja finalizado é incerto. Na última sexta (18), o Departamento de Comércio dos EUA afirmou que os downloads e atualizações do TikTok seriam restritos no país a partir de domingo. Isso não aconteceu e o prazo foi ampliado em uma semana. Ainda assim, a restrição que impediria o TikTok de funcionar no país só passaria a valer em em 12 de novembro, caso a negociação não seja aprovada. Entre o anúncio das restrições e domingo, o TikTok anunciou um processo para tentar reverter o banimento nos EUA. A decisão ainda não saiu, ao contrário do que aconteceu com o WeChat, outro app chinês que seria proibido do domingo. Justiça dos EUA suspende proibição de baixar WeChat após ação de usuários O WeChat é uma espécie de "WhatsApp chinês", mas incorpora outras funcionalidades. Nos EUA, ele é usado por cerca de 19 milhões de pessoas para trocar mensagens, fazer compras, pagamentos e outros serviços. Veja os últimos vídeos sobre tecnologia no G1 Veja Mais

Bolsonaro exonera Rubem Novaes e nomeia André Brandão para presidência do Banco do Brasil

G1 Economia Tanto a exoneração de Novaes quanto a nomeação de Brandão foram publicadas em edição extra do 'Diário Oficial da União' desta terça (22). Brandão presidia o banco HSBC no Brasil. O novo presidente do Banco do Brasil, André Brandão. Edilson Rodrigues/Agência Senado O presidente Jair Bolsonaro exonerou nesta terça-feira (22) Rubem Novaes da presidência do Banco do Brasil e nomeou para o cargo André Brandão. Brandão era presidente no Brasil do banco privado HSBC. A indicação dele para o comando do BB foi feita em agosto pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e ocorreu após o pedido de demissão de Novaes, que estava no cargo desde o início do governo Bolsonaro. O decreto com a nomeação de Brandão foi publicado em edição extra do "Diário Oficial da União", junto com a exoneração do agora ex-presidente do banco Rubem Novaes. Mais cedo nesta terça, Brandão e Novaes estiveram no Palácio do Planalto para uma audiência com Bolsonaro. Perfil Brandão ingressou no Grupo HSBC no final de 1999, na área de renda fixa, vendas e câmbio. Em 2001, assumiu o cargo de diretor de tesouraria, e posteriormente, foi promovido a diretor-executivo de tesouraria. Ele também atuou como diretor da área de mercado do banco para toda a América Latina, antes de chegar à presidência, em 2012. Brandão tem mais de 20 anos de atuação no mercado financeiro. Além do HSBC, já trabalhou também no Citibank, entre São Paulo e Nova York. Banco do Brasil oficializa André Brandão como presidente Veja Mais

Recessão na Alemanha será menos acentuada do que o previsto, avalia Ifo

Valor Econômico - Finanças Instituto revisou projeção para queda do PIB neste ano para 5,2%, contra 6,7% na estimativa anterior A economia da Alemanha está se recuperando mais rápido que o esperado da pandemia de covid-19. Por esse motivo, o Instituto Ifo revisou suas projeções e agora prevê um recuo do Produto Interno Bruto (PIB) de 5,2% neste ano, contra 6,7% da estimativa anterior. “O declínio do segundo trimestre foi menor do que temíamos e a recuperação atual está indo melhor do que esperávamos”, disse Timo Wollmershäuser, chefe de previsões do Ifo, segundo reportagem do “Financial Times”, acrescentando que ainda há “enormes” incertezas em relação ao futuro do vírus. A revisão do Ifo segue movimentos semelhantes feitos pelo governo da Alemanha, pelo Bundesbank e pelo Deutsche Bank, que também melhoraram suas previsões para a economia do país neste ano. Segundo o Ifo, a pandemia ainda continuará a afetar o mercado de trabalho e as finanças públicas da Alemanha. O número de desempregados deve chegar a 2,7 milhões neste ano, contra 2,3 milhões em 2019, antes de recuar novamente. Após anos de superávits orçamentários, o Ifo prevê que a Alemanha tenha um déficit de 170,6 bilhões de euros neste ano, em parte por causa das medidas adotadas para responder à pandemia. Para 2021, a previsão é de novo déficit de 86,9 bilhões de euros. O ministro das Finanças da Alemanha, Olaf Scholz, deve apresentar amanhã o orçamento do governo para o próximo ano. Michael A. Handrek-Rehle/Bloomberg Veja Mais

Justiça rejeita pedido de mudança em plano de recuperação, e Livraria Cultura pode ter a falência decretada

G1 Economia Em decisão proferida na sexta-feira (18), juiz deu prazo de 5 dias para varejista comprovar cumprimento integral das obrigações do plano de recuperação judicial. Livraria Cultura do Centro do Rio fechou as portas Carlos Brito/G1 O juiz Marcelo Barbosa Sacramone, da 2ª Vara de Falências de São Paulo, rejeitou o pedido da Livraria Cultura para aprovar mudanças no plano de recuperação judicial da empresa e deu prazo de 5 dias para a varejista comprovar o integral cumprimento das obrigações previstas no plano original. Do contrário, a empresa poderá ter decretada a sua falência. "Comprovem as recuperandas, em 5 dias, sob pena de convolação em falência, o integral cumprimento das obrigações constituídas pelo plano de recuperação judicial homologado e vencidas até o momento", escreveu o magistrado em decisão proferida na última sexta-feira (18) e disponibilizada para consulta nesta segunda-feira (21) no Diário da Justiça Eletrônico. O prazo de 5 dias deverá começar a correr a partir do momento da publicação da decisão no Diário Oficial do estado. Na decisão, o juiz acrescentou que o aditamento foi rejeitado pelos credores e que "há diversas alegações sobre descumprimento do plano de recuperação judicial em vigor". A Livraria Cultura ainda pode recorrer. Procurada pelo G1, a empresa não tinha se manifestado até a última atualização desta reportagem. Em assembleia realizada no dia 14 , a maioria dos credores de classe 4 da empresa — que representam editoras menores a quem a Cultura deve menos dinheiro — disse não ao aditivo apresentado pela empresa, cuja recuperação judicial se desenrola desde 2018. A rede havia apresentado um aditamento ao plano aprovado em 2019, alegando que, por conta da crise do coronavírus, não estava conseguindo cumprir com as obrigações assumidas. O plano aprovado no ano passado previa o pagamento das dívidas da Cultura aos seus credores, um valor que alcançou R$ 285,4 milhões em 2018, ao longo de até 14 anos. Veja Mais

Iata defende testagem obrigatória para covid-19 de passageiros em voos internacionais

Valor Econômico - Finanças A medida, na avaliação da entidade que reúne as 290 maiores empresas aéreas do mundo, pode substituir a quarentena e outras medidas restritivas Pixabay A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata), que reúne 290 maiores empresas aéreas do mundo, defendeu nesta terça-feira a realização obrigatória de testes rápidos para covid-19 em todos os passageiros de voos internacionais. A medida, na avaliação da entidade, pode substituir a quarentena e outras medidas restritivas adotadas em diversos países para evitar a disseminação da doença. Para Alexandre de Juniac, presidente da Iata, a adoção da testagem rápida confere segurança aos voos e pode ajudar a acelerar o processo de recuperação do transporte aéreo internacional de passageiros. Juniac observou que os testes rápidos devem estar disponíveis no mercado nas próximas semanas, provavelmente ainda em outubro. “Essa seria a alternativa mais efetiva no momento para garantir a segurança dos passageiros em voos internacionais”, afirmou Juniac. O executivo acrescentou que, em julho, a demanda por voos internacionais representava 8% do nível de voos registrado antes da pandemia. E, em agosto, o setor ainda apresentou um ritmo lento de recuperação. Na visão de Juniac, a adoção da quarentena em diversos países está matando o mercado de viagens internacionais e dificultando a recuperação do setor. Veja Mais

Conab estima aumento de 25% na produção de café do país na safra 2020/21

Valor Econômico - Finanças Impulsionado por bienalidade positiva, volume deverá somar 61,6 milhões de sacas Com a colheita praticamente finalizada, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima que a produção brasileira de café alcançará 61,62 milhões de sacas na safra 2020/21. Impulsionado pela bienalidade positiva da espécie arábica na temporada, o volume é 25% maior que o colhido em 2019/20. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Tráfego de veículos nas estradas da Ecorodovias cai 15,8% durante pandemia

Valor Econômico - Finanças A redução, fruto da menor mobilidade, ocorre entre os dias 16 de março até 20 de setembro Reprodução/Twitter/@_ecovias O tráfego total comparável nas estradas sob concessão da Ecorodovias caiu 15,8% entre os dias 16 de março (início da quarentena no país) até 20 de setembro, na comparação com o mesmo período de 2019, fruto da menor mobilidade diante da pandemia da covid-19. No Estado de São Paulo, onde estão as rodovias de maior movimentação do grupo, a concessão Ecovias dos Imigrantes, que liga a capital paulista à Baixada Santista pelo sistema Anchieta-Imigrantes, teve uma redução de 13,1% no volume total de veículos, incluindo leves e pesados. Na Ecopistas, concessionária das rodovias do sistema Ayrton Senna-Carvalho Pinto, que faz a ligação entre a capital paulista, Vale do Paraíba e litoral norte do Estado, o tráfego foi 28,4% menor do que o visto um ano atrás. A Ecovia Caminho do Mar, estrada entre Curitiba e o porto de Paranaguá, no Paraná, é a única que tem tido um saldo positivo no período, aumentando o número de veículos pedagiados em 8,3%, graças ao movimento dos caminhões que abastecem o porto. Já na Ecocataratas, que liga o interior do Estado (Guarapuava) até Foz do Iguaçu, a movimentação caiu 12,8%. A Ecosul, que administra rodovias do polo rodoviário de Pelotas no Rio Grande do Sul, viu o volume cair 6,1%, a Eco101, que corta o Espírito Santo de norte a sul, teve o tráfego 4,4% menor, e a Ecoponte, que administra a ponte Rio-Niterói, perdeu 27,5% de volume de carros em seus pedágios no período. As concessões Eco135 (MG) e Eco050 (MG-GO) não entram nesta estatística por não estarem sob a concessão da Ecorodovias em todo o período compreendido, mas a Eco135 teve aumento de tráfego de 1,5% e a 050 viu uma alta de 2,5% no período. Se incluídas na comparação anual, a queda do tráfego total dos veículos nas estradas sob concessão da Ecorodovias seria de 12,1% no período destacado. Veja Mais

Americanos querem mais ajuda econômica para compensar efeitos da covid-19, diz pesquisa

Valor Econômico - Finanças Preocupações surgem apesar de grande parte dos americanos acreditarem que o país superou a pior fase da pandemia Daniel Acker/Bloomberg Os americanos estão cada vez mais pessimistas em relação à recuperação da economia dos Estados Unidos e quase 90% deles querem que o Congresso aprove um novo pacote de estímulos para ajudar mitigar os efeitos da pandemia de covid-19. As crescentes preocupações com a economia, detalhadas em uma pesquisa feita com potenciais eleitores pelo jornal “Financial Times”, surgem apesar de grande parte dos americanos acreditarem que o país superou a pior fase da pandemia, após o pico de infecções durante o verão, que forçou vários Estados a rever planos de reabertura da economia. A pesquisa realizada mensalmente pelo “FT” em parceria com a Fundação Peter G. Peterson mostrou que 60% dos americanos acreditam que a pandemia — que matou quase 200 mil pessoas nos EUA — está igual ou melhorando em suas comunidades, o cenário mais otimista desde o início da pandemia. Mas esse otimismo foi minimizado por novos temores em relação à situação financeira do país. Segundo a pesquisa, 42% dizem agora que estão mais preocupados com a economia do que com a saúde pública, uma alta de nove pontos percentuais em relação ao mês anterior. Apenas um terço dos eleitores ouvidos dizem que a economia dos EUA se recuperará totalmente dentro do próximo ano. O percentual é significativamente menor que os 44% que, em abril, acreditavam que a recuperação levaria menos de 12 meses. As negociações no Congresso sobre um novo pacote de estímulos à economia estão travadas desde agosto. Enquanto os republicanos defendem medidas direcionadas para ajudar setores mais atingidos, os democratas querem um projeto amplo, que inclua repasses a Estados e municípios afetados pela crise. A pesquisa FT/Peterson mostra que os eleitores irritados com os dois partidos pela demora em receber mais ajuda. Quase 40% dos ouvidos dizem que tanto republicanos como democratas são “igualmente responsáveis” por travar a aprovação do novo pacote. Entre os demais, 26% culpam os republicanos e 23% os democratas. O levantamento também buscou avaliar as preocupações dos eleitores sobre as eleições de novembro. Dois terços dos entrevistados disseram confiar na integridade do processo de votação, apesar das reiteradas acusações de Donald Trump de que pode haver fraude. Mesmo assim, 40% dizem não confiar que o voto por correio, método que deve ser muito buscado por causa pandemia, seja seguro e confiável. Do total, 61% disseram que pretendem votar presencialmente, seja no dia das eleições ou de forma antecipada. Veja Mais

Petrobras conclui oferta de recompra de títulos no valor de US$ 3,97 bilhões

Valor Econômico - Finanças A estatal informou que concluiu a oferta de recompra de títulos globais feita pela sua subsidiária Alexandre Cassiano/Agência O Globo A Petrobras informou que concluiu nesta terça-feira a oferta de recompra de títulos globais feita pela subsidiária Petrobras Global Finance, totalizando um montante de principal de US$ 3,50 bilhões, excluídos juros, e considerando as taxas de câmbio de US$ 1,1828 por euro e US$ 1,2975 por libra esterlina, conforme o caso. O montante total pago a esses investidores foi de US$ 3,97 bilhões, considerando os preços ofertados pela Petrobras, conforme o caso. “Como o montante total ofertado pelos investidores na oferta de recompra excedeu o limite de US$ 4 bilhões previamente estabelecido, o volume ofertado para alguns dos títulos não foi aceito, de acordo com os termos da oferta, de forma que o limite de US$ 4 bilhões fosse atendido”, diz a empresa. Veja Mais

Condições para manutenção da nova orientação futura seguem satisfeitas, diz BC

Valor Econômico - Finanças Comitê considera que as expectativas de inflação, assim como as projeções, encontram-se significativamente abaixo da meta de inflação para o horizonte relevante de política monetária O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central avaliou, em reunião na semana passada, que “as condições para a manutenção do ‘forward guidance’ [nova orientação futura] seguem satisfeitas”. A informação consta da ata daquele encontro, divulgada nesta terça-feira. “O Comitê considera que as expectativas de inflação, assim como as projeções de inflação de seu cenário básico, encontram-se significativamente abaixo da meta de inflação para o horizonte relevante de política monetária; o regime fiscal não foi alterado; e as expectativas de inflação de longo prazo permanecem ancoradas.” A ata reproduz a explicação sobre o “forward guidance” que já havia sido feita em sua edição anterior, de agosto. O comitê lembra que adotou essa orientação de forma a elevar o grau de estímulo monetário provido pelo instrumento tradicional, mas mantendo a cautela necessária por razões prudenciais. A ata reafirma que, para adequar a prescrição futura ao dinamismo dos limites impostos por questões prudenciais, o comitê ponderou que ele deveria ter uma intenção de política assimétrica, em que, satisfeitas as condições necessárias, o Copom não elevaria a taxa de juros, mas poderia reduzi-la. “Para maximizar sua efetividade, o Comitê decidiu que essa prescrição futura deveria ser condicional às expectativas de inflação, assim como às projeções de inflação de seu cenário básico para o horizonte relevante de política monetária, que atualmente inclui o ano-calendário de 2021 e, em grau menor, o de 2022”, volta a dizer a ata. “Essas informações seriam consideradas conjuntamente e, caso estivessem suficientemente próximas da meta de inflação para o horizonte correspondente, indicariam o fim da intenção.” A ata também traz que o BC decidiu condicionar o “forward guidance” a dois outros fatores. “Primeiro, à manutenção do regime fiscal, já que sua ruptura implicaria alterações significativas para a taxa de juros estrutural da economia”, reafirma a ata. “Segundo, à ancoragem das expectativas de inflação de longo prazo, tendo em vista que a desancoragem indicaria que os custos derivados do estímulo monetário estariam se sobrepondo a seus benefícios.” O BC manteve os juros estáveis em 2% ao ano em reunião na semana passada. Inflação Os integrantes do Copom avaliaram que “diversas medidas de inflação subjacente permanecem abaixo dos níveis compatíveis com o cumprimento da meta para a inflação no horizonte relevante para a política monetária”, conforme a ata do encontro da semana passada. O documento voltou a informar as projeções de inflação do colegiado, que já haviam sido divulgadas na semana passada, no comunicado da decisão que manteve a Selic em 2%, interrompendo nove cortes consecutivos na taxa básica. De acordo com o Copom, a inflação ao consumidor deve se elevar no curto prazo, apoiada pela alta temporária nos preços dos alimentos e pela normalização dos índices de mobilidade e do nível de atividade. O grupo aponta, ainda, que os preços administrados devem apresentar variação contida, “destacando-se o recuo nas tarifas de plano de saúde em setembro e a queda projetada para o preço da gasolina a partir de outubro”. No cenário híbrido, com trajetória de juros da pesquisa Focus e taxa de câmbio constante com o dólar a R$ 5,30, as projeções para a inflação se situam em torno de 2,1% para 2020, 2,9% para 2021 e 3,3% para 2022. O cenário supõe trajetória de juros que encerra 2020 em 2% e que alcança 2,5% em 2021 e 4,5% em 2022. Nesse cenário, as projeções para a inflação de preços administrados são de zero para 2020, 4,3% para 2021 e 3,7% para 2022. Já no cenário com taxa de juros constante a 2% e taxa de câmbio constante com o dólar a R$ 5,30, as projeções de inflação estão em torno de 2,1% para 2020, 3,0% para 2021 e 3,8% para 2022. Nesse cenário, as estimativas para a inflação de preços administrados são de zero para 2020, 4,3% para 2021 e 3,9% para 2022. O colegiado reiterou que "a inflação ao consumidor deve se elevar no curto prazo." "Contribuem para esse movimento a alta temporária nos preços dos alimentos e a normalização parcial do preço de alguns serviços em um contexto de recuperação dos índices de mobilidade e do nível de atividade", disse. Já os preços administrados "devem apresentar variação contida, destacando-se o recuo nas tarifas de plano de saúde em setembro e a queda projetada para o preço da gasolina a partir de outubro". O Copom destacou, mais uma vez, que o seu cenário básico envolve riscos em ambas direções, que podem fazer a inflação tanto superar quanto ficar abaixo do esperado. “O nível de ociosidade pode produzir trajetória de inflação abaixo do esperado, notadamente quando essa ociosidade está concentrada no setor de serviços”, diz a ata. “Esse risco se intensifica caso uma reversão mais lenta dos efeitos da pandemia prolongue o ambiente de elevada incerteza e de aumento da poupança precaucional.” O documento volta a citar dois riscos altistas para a inflação. “Políticas fiscais de resposta à pandemia que piorem a trajetória fiscal do país de forma prolongada, ou frustrações em relação à continuidade das reformas, podem elevar os prêmios de risco”, aponta. “Adicionalmente, os diversos programas de estímulo creditício e de recomposição de renda, implementados no combate à pandemia, podem fazer com que a redução da demanda agregada seja menor do que a estimada, adicionando uma assimetria ao balanço de riscos. Esse conjunto de fatores implica, potencialmente, uma trajetória para a inflação acima do projetado no horizonte relevante para a política monetária.” Veja Mais

BCE aceitará títulos vinculados à sustentabilidade como garantia em operações de mercado

Valor Econômico - Finanças Decisão vale a partir de 1 de janeiro de 2021 Krisztian Bocsi/Bloomberg O Banco Central Europeu (BCE) decidiu que títulos com estruturas de cupom associadas a determinados objetivos de desempenho de sustentabilidade passarão a ser elegíveis como colateral para operações de crédito do Eurosistema e também para compras definitivas para fins de política monetária, desde que cumpram todos os outros critérios de elegibilidade, informou a instituição nesta manhã. A decisão vale a partir de 1 de janeiro de 2021. Os cupons devem estar vinculados a uma meta de desempenho referente a um ou mais dos objetivos ambientais definidos no Regulamento de Taxonomia da União Europeia e/ou a um ou mais dos “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas” relacionados com as alterações climáticas ou degradação ambiental. Segundo o comunicado do BCE, “isto alarga ainda mais o universo de ativos transacionáveis elegíveis para o Eurosistema e sinaliza o seu apoio à inovação na área do financiamento sustentável”. Ativos não negociáveis com estruturas de cupom comparáveis já são elegíveis. A decisão alinha o tratamento de ativos colaterais negociáveis e não negociáveis com tais estruturas de cupom. Veja Mais

Bolsas da China fecham em baixa com aumento nos casos globais de coronavírus

G1 Economia Índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 1,19%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 1,29%. Os índices acionários da China fecharam em baixa nesta terça-feira (22) diante da queda dos setores de matérias-primas e transporte após preocupações com o aumento nos casos globais do coronavírus. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 1,19%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 1,29%. Os subíndices de matérias-primas do CSI300 e de transporte perderam 2,9% e 3%, respectivamente. Novas medidas contra a pandemia no Reino Unido provocaram quedas em empresas áreas, de hotelaria e de cruzeiros tanto nos mercados europeus quanto norte-americanos, provocando temores sobre mais restrições. Veja as cotações de fechamento das bolsas da Ásia: Em TÓQUIO, o índice Nikkei permaneceu fechado. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,98%, a 23.716 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 1,29%, a 3.274 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 1,19%, a 4.635 pontos. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 2,38%, a 2.332 pontos. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 1,17%, a 12.645 pontos. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,90%, a 2.463 pontos. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,66%, a 5.784 pontos. Alta de casos de Covid na Europa ajudam a derrubar bolsa de valores Veja Mais

Leia as manchetes desta terça-feira dos principais jornais brasileiros

Valor Econômico - Finanças Veja os destaques da imprensa nacional VALOR - Petrobras adia a oferta de ações da BR Distribuidora - No STF, 3 votos contra a venda de refinarias - 'Agfintech' deve reduzir custo de crédito agrícola - Fundos colocam R$ 580 milhões na Acesso Digital O GLOBO - Presidente do CNPq vê risco de apagão na pesquisa - TRE forma maioria para Crivella ficar inelegível - O pior da covid no mundo já passou, aponta estudo - Governo agora estuda transição para novo imposto FOLHA DE S.PAULO - Brasileiro é dos que mais sentem a ‘inflação da covid’ - Damares nega ter agido para menina não abortar - Estrangeiro mente sobre a Amazônia, afirma Heleno - Não desistiremos, diz Trajano após ataques a trainee O ESTADO DE S.PAULO - Pantanal tem maior número de incêndios em duas décadas - ‘Estou aqui’, diz Huck sobre possibilidade de candidatura - Tensão no exterior derruba a Bolsa no país e faz dólar subir - Empresas adotam ações para aumentar inclusão e diversidade Veja Mais

Morning Call Safra: bolsas têm dia negativo com temor por nova onda de coronavírus

Valor Econômico - Finanças Ibovespa chegou a perder os 96 mil pontos na primeira metade do pregão No Morning Call do Safra desta terça-feira, falamos sobre a queda generalizada nos mercados ontem. Por aqui, o Ibovespa chegou a perder os 96 mil pontos na primeira metade do pregão. Isso porque, após a França, agora foi o Reino Unido que gerou preocupação quanto a uma nova rodada de restrições para tentar conter a reaceleração dos casos de coronavírus. Quer receber o Morning Call e análises exclusivas diretamente no seu celular? Participe do canal do Safra no Telegram. Veja Mais

Otimismo do trabalhador sobe em relação a renda e carreira, mas cai quanto à manutenção do emprego, diz pesquisa

G1 Economia Embora mais confiantes, as mulheres afirmam ter sofrido mais o impacto emocional da pandemia: 70% delas sentiram mais estresse e ansiedade, contra 46% entre os homens. Veja o que não deve ser feito no home office O Índice de Confiança do Trabalhador no Brasil da rede social profissional LinkedIn, que mede o otimismo quanto à segurança no emprego, finanças e chances de progressão na carreira, atingiu 57 pontos em agosto, aumento sobre julho (54) e junho (51). A escala vai de -100 a +100. Entre julho e agosto, o otimismo subiu em relação à chance de progressão na carreira e perspectiva financeira, ambas com aumento de 5 pontos. Já a segurança quanto ao próprio emprego teve queda de um ponto. A confiança também varia de acordo com o gênero: as mulheres registraram 59 pontos, contra 57 no caso dos homens. Elas estão mais otimistas sobretudo no que se refere às perspectivas financeiras, com quatro pontos à frente deles. Embora mais confiantes, as mulheres afirmam ter sofrido mais o impacto emocional da pandemia: 70% delas sentiram mais estresse e ansiedade, contra 46% entre os homens. O levantamento foi feito entre 27 de julho e 23 de agosto com 1.617 profissionais cadastrados na plataforma. Desafios do home office Ainda de acordo com o estudo, homens e mulheres estão dividindo esforços para equilibrar cuidados com filhos, casa e trabalho durante a pandemia, mas muitos estão trabalhando fora do padrão ou dizem ter menos tempo disponível para cumprir com todas as tarefas. Entre os profissionais com filhos em casa durante a quarentena, 68% afirmam dividir tarefas com outra pessoa para conciliar o trabalho e o cuidado com as crianças. Quase metade dos pais brasileiros (46%) dizem ter dificuldade para se concentrar no trabalho com filhos em casa. Entre as mulheres, o índice é de 40%. Sobre o desafio de mantê-los ocupados o tempo todo, os mais afetados são os homens (70%). Já entre as mulheres, o índice é de 58%. Cerca de 10% das mães disseram não contar com apoio do empregador para trabalhar em turnos ou com horários flexíveis para cuidar da família. Apenas 4% dos pais afirmaram o mesmo. Veja abaixo: Maiores desafios do home office Reprodução Em relação às áreas de atuação, os profissionais das áreas de saúde, desenvolvimento de negócios e vendas são os mais confiantes, com 64 pontos. Os menos otimistas, com 48 pontos, são os que trabalham com Tecnologia da Informação (TI). Veja abaixo: Confiança por áreas de atuação Reprodução Assista à live Agora é Assim? sobre o trabalho pós-pandemia: Veja Mais

Bolsas fecham no vermelho com bancos e pandemia

Valor Econômico - Finanças Ativos caem com covid-19 e denúncias sobre lavagem de dinheiro A semana começou com uma nova onda de tensão nos mercados globais. Diferentes fatores negativos elevaram o nervosismo entre os investidores, o que resultou em queda generalizada nas ações pelo mundo. Como reflexo da aversão ao risco, o dólar também apresentou forte avanço no exterior, pressionando as commodities, e os rendimentos dos Treasuries recuaram com os investidores em busca por proteção. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Apesar de ruído, gestores reiteram aposta em juros em níveis baixos

Valor Econômico - Finanças Incerteza fiscal domina debate e impede taxas menores em prazos mais longos Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Rating do Brasil depende de retomada de ajuste fiscal, diz S&P

Valor Econômico - Finanças Após a pandemia, rumo da nota soberana do país vai estar atrelada à melhora do quadro fiscal e à retomada de crescimento Uma mudança no teto de gastos não deflagraria uma revisão imediata da perspectiva da nota do Brasil, afirmou a diretora e analista de ratings soberanos para América Latina da S&P, Livia Honsel, em evento da agência de classificação de risco. A perspectiva da nota soberana do país foi rebaixada de “positiva” para “estável” em abril, a partir do momento mais crítico da pandemia. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Ativa oferece multimercado com volatividade reduzida

Valor Econômico - Finanças Modelo combina ações com derivativos e é voltado a investidor que quer aplicar em renda variável com proteção Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Bunge passará a originar grãos na plataforma Orbia

Valor Econômico - Finanças Negócios poderão ser fechados de forma 100% digital tanto no mercado spot quanto por meio de operações de barter O projeto de digitalização do core business da americana Bunge, uma das maiores empresas de agronegócios do mundo, está em curso e rodando a todo vapor. Após lançar no início do ano no país o Vector, um aplicativo próprio de fretes de grãos, a multinacional anuncia um novo canal em que poderá originar soja, milho e trigo a partir do fim de outubro: a plataforma Orbia, controlada pela alemã Bayer. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

CSN surpreende mercado com projeções elevadas

Valor Econômico - Finanças Empresa anunciou Ebitda de R$ 9,75 bilhões para este ano e conselho aprovou plano de negócios e oferta de açoes (IPO) do negócio de mineração de ferro Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Thyssenkrupp passa a fabricar equipamento de mineração no país

Valor Econômico - Finanças Para reduzir custos, logística e tempo, grupo deixa de importar da Alemanha e aproveita seus centros de serviços em MG e PA Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Últimos dias

Livraria Cultura não deixará de existir em 5 dias, afirma Sergio Herz

Valor Econômico - Finanças A Livraria Cultura vai recorrer de decisão judicial da última sexta-feira que deu um prazo de 5 dias para que a empresa comprove que está cumprindo com as obrigações de seus plano de recuperação judicial (RJ). Se não fizer isso, a RJ da empresa será convolada em falência. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

PTB desiste da candidatura de Cristiane Brasil à prefeitura do Rio

Valor Econômico - Finanças Cristiane Brasil segue presa desde o dia 11 de setembro, o que levou a legenda a optar pela candidatura de Fernando Bicudo, que até então seria indicado como vice O PTB vai alterar a cabeça de chapa para as eleições municipais deste ano no Rio de Janeiro. Cristiane Brasil, escolhida candidata para a disputa pelo partido, segue presa desde o dia 11 de setembro, o que levou a legenda a optar pela candidatura de Fernando Bicudo, que, até então, seria indicado como vice-prefeito. A assessoria do PTB informou que cabe, agora, ao diretório municipal referendar a troca do nome de Cristiane por Bicudo. Cristiane Brasil, que é filha do ex-deputado federal Roberto Jefferson e presidente nacional do PTB, foi presa durante a segunda fase da "Operação Catarata". Segundo o Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ), ela participou de esquema de corrupção na secretaria de Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida. Veja Mais

Negociação sobre debênture incentivada avança na Câmara

Valor Econômico - Finanças A proposta da Câmara de criar uma nova classe de debêntures incentivadas, com benefício para o emissor, começou a ter os ajustes negociados antes de começar a tramitar. Boa parte das mudanças no texto do projeto de lei (PL) 2.646/20 é demandada pela área econômica do governo. A negociação, no entanto, é conduzida pela equipe do ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Associação dos peritos divulga lista de agências do INSS aprovadas em vistoria

G1 Economia Guia com 87 unidades foi dividido em agências "aptas" e "aptas com restrição". De acordo com INSS, 149 peritos retornaram ao trabalho nesta segunda-feira (21). Alguns segurados do INSS que precisam de perícia continuam sem atendimento JN A Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais (ANMP) divulgou nesta segunda-feira (21) lista com 87 agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) consideradas aprovadas para retorno dos peritos médicos. As unidades foram divididas em agências "aptas" e "aptas com restrição". Segundo a associação, as agências com restrição voltarão a atender com alguma pendência que não impede o retorno imediato do público, como consultório interditado ou equipamento em falta. Em todo o país, apenas 149 peritos voltaram a atender nas agências do INSS De acordo com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, 149 peritos do INSS retornaram ao trabalho nesta segunda-feira (21) e foram realizadas 1.376 perícias presenciais, em 57 das 100 agências que estavam abertas. Ainda de acordo com o governo, 486 peritos deveriam ter retornado ao trabalho nesta segunda. Os 149 que se apresentaram efetivamente representam 30,6% do previsto. Ao todo, o INSS tem 3,5 mil peritos, mas nem todas as agências estão liberadas para o retorno desses profissionais – e parte deve seguir em trabalho remoto. O país tem cerca de 1,5 milhão de processos na fila do INSS, incluindo 790.390 que aguardam perícia médica. Confira a lista de agências abaixo: Agências aptas Ataliba Leonel (SP) Lapa (SP) Jabaquara (SP) Vila Mariana (SP) Barueri (SP) São Bernardo do Campo (SP) Pirassununga (SP) Atibaia (SP) São José dos Campos (SP) Taubaté (SP) Guaratinguetá (SP) Birigui (SP) Bauru (SP) Botucatu (SP) Araraquara (SP) Bebedouro (SP) São Joaquim da Barra (SP) Sertãozinho (SP) Taquaritinga (SP) Monte Alto (SP) APS Rio de Janeiro - Praça da Bandeira / Centro (RJ) APS Rio de Janeiro - Méier / Zona Norte (RJ) APS Rio de Janeiro - Avenida Brasil / Zona Norte / Irajá (RJ) APS Itaboraí (RJ) APS São Pedro da Aldeia (RJ) APS Belo Horizonte - Calafate (MG) APS Contagem (MG) APS Sete Lagoas (MG) APS São João del-Rei (MG) APS Itajubá (MG) APS Ouro Fino (MG) APS Caratinga (MG) APS Capelinha (MG) APS Uberaba (MG) APS Paracatu (MG) APS Pará de Minas (MG) APS Itaúna (MG) APS Arcos (MG) APS Vitória - Pedro Fonseca (ES) APS Linhares (ES) Aps Vitória - Pedro Fonseca (ES) Itapema (ES) Partenon (RS) Canoas (RS) Lajeado (RS) São Leopoldo (RS) Ijuí (RS) Frederico Westphalen (RS) São José (RS) Biguaçu (SC) Imbituba (SC) Itapema (SC) Campos Novos (SC) Londrina Shangri-lá (PR) Corredor do Bispo (PE) Bomfim (BA) Teixeira de Freitas - Geralfred (BA) Ipiaú (BA) Itamaraju (BA) Barreiras (BA) Ilhéus (BA) Brasília Taguatinga (BA) Agências aptas com restrição Pinheiros (SP) São Caetano do Sul (SP) São José do Rio Pardo (SP) Adamantina (SP) APS Cabo Frio (RJ) APS Niterói / Bairro de Fátima (RJ) APS São Gongaço / Paraíso (RJ) APS Itajubá (MG) APS Varginha (MG) APS Uberlândia (MG) APS Araguari (MG) APS Divinópolis (MG) APS Via Velha (ES) APS Colatina (ES) APS Guarapari (ES) Blumenau (SC) Itajaí (SC) Chapecó (SC) Videira (SC) Joinville Centro (SC) Itapuã (BA) Mercês (BA) Rua Odilon Dórea (BA) Veja Mais

Incêndio interrompe produção na plataforma P-69 no campo de Lula

Valor Econômico - Finanças A Petrobras confirmou que a produção da plataforma P-69 foi reiniciada no domingo (20) após um princípio de incêndio em um dos transformadores da unidade Um incêndio interrompeu, segundo o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF), a produção da plataforma P-69, operada pela Petrobras no campo de Lula (Tupi), no pré-sal da Bacia de Santos, o maior produtor do país. De acordo com o Sindipetro-NF, o incidente ocorreu na madrugada da última sexta (18) e não deixou feridos. Segundo o sindicato, o incêndio começou na sala de transformadores de um dos módulos da unidade e o sistema automatizado de combate a incêndios não funcionou. O fogo foi debelado com uso de água. A Petrobras confirmou que a produção da plataforma P-69 foi reiniciada no domingo (20) após um princípio de incêndio em um dos transformadores da unidade localizada no campo de Tupi (Lula), dois dias antes. A companhia reiterou que o incidente não deixou feridos e que apenas o transformador da unidade sofreu danos. De acordo com informações do Sindipetro-NF, o incêndio o sistema automatizado de combate a incêndios não teria funcionado, mas a petroleira afirmou que a ocorrência foi rapidamente controlada pela equipe de resposta a emergências da plataforma e que os órgãos reguladores foram informados sobre o incidente. Com capacidade para processar 150 mil barris/dia de petróleo e 6 milhões de m3/dia de gás natural, a P-69 opera desde outubro de 2018 no campo, instalada em uma profundidade d'água de 2.200 metros. Ao todo, Tupi conta com nove plataformas que, juntas, em julho, entregaram uma média de 988 mil barris/dia de óleo e 43,2 milhões de m3/d de gás natural, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Veja Mais

Totvs acusa comitê da Linx de impedir análise de proposta para favorecer Stone

Valor Econômico - Finanças A empresa de software Totvs acusou o comitê especial independente constituído pelo conselho de administração da Linx de estar retardando a análise de combinação dos negócios da duas empresas feita pela Totvs com o objetivo de favorecer a Stone, que está na briga para comprar a Linx. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

GEF Capital compra 60% da fabricante de fertilizante Café Brasil

Valor Econômico - Finanças A gestora de private equity GEF Capital Partners fechou seu primeiro investimento no setor de agronegócio, com a aquisição de 60% da fabricante de fertilizantes Café Brasil. Entre dinheiro que vai capitalizar a companhia e capital que irá para os sócios fundadores da Café Brasil, a GEF desembolsou R$ 90 milhões. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais

Sindicato deve manter greve dos Correios apesar de reajuste; categoria se reúne nesta terça

G1 Economia Federação defende continuidade da paralisação e agendou assembleias com sindicatos e profissionais. Para Tribunal, greve não foi abusiva. Movimentação em agências dos Correios na cidade de Curitiba (PR), nesta sexta-feira (18). EDUARDO MATYSIAK/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Apesar do reajuste salarial de 2,6% anunciado na tarde desta segunda-feira (21), os funcionários dos Correios não devem encerrar a greve iniciada em 17 de agosto. A Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios e Similares (FENTECT) agendou assembleias com os sindicatos filiados na manhã desta terça-feira (22) e com os profissionais da categoria no período da tarde para definir sobre a continuidade da paralisação. "Para nós, a greve continua. Não dá para aceitar o que os ministros do TST fizeram conosco. Amanhã, não vamos voltar ao trabalho, vamos debater o que vai acontecer com a gente", afirmou José Rivaldo da Silva, secretario-geral da federação. Na avaliação de Rivaldo, a decisão do TST que obriga os trabalhadores a retomarem as atividades nesta terça-feira, com uma multa diária de R$ 100 mil, foi de "cunho político, não jurídico". Greve não foi abusiva Nesta segunda-feira, o TST decidiu que a greve não foi abusiva. Com isso, metade dos dias de greve será descontada do salário dos empregados. A outra metade deverá ser compensada. Relatora do processo no TST, a ministra Kátia Arruda votou contra a declaração da greve como abusiva – o que levaria ao desconto integral das horas não trabalhadas. A magistrada disse que a paralisação foi a única solução encontrada pelos trabalhadores, diante do fato de que a empresa tinha retirado praticamente todos os direitos adquiridos da categoria. “É a primeira vez que julgamos uma matéria em que uma empresa retira praticamente todos os direitos dos empregados”, afirmou. Em comunicado divulgado na noite desta segunda-feira, os Correios afirmaram que o TST determinou o encerramento da greve e que desde julho "tentaram negociar os termos do acordo coletivo, em um esforço para fortalecer as finanças da empresa e preservar sua sustentabilidade. Vídeo: Veja mais informações sobre os Correios Greve dos trabalhadores dos Correios causa transtorno na entrega de encomendas em Salvador Veja Mais

Banco é mais bem avaliado por quem usa aplicativo

Valor Econômico - Finanças Que a pandemia acelerou comportamentos digitais, não há dúvidas. Agora, um levantamento da consultoria Bain & Company aponta que os bancos tradicionais podem tirar proveito disso para melhorar a forma como são vistos pelos clientes. Matéria exclusiva para assinantes. Para ter acesso completo, acesse o link da matéria e faça o seu cadastro. Veja Mais