Meu Feed

Hoje

Mirtilos congelados, colheita antecipada, irrigação: veja ações dos produtores para proteger lavouras das geadas

G1 Economia Nesse giro pelo campo, confira ainda um cacau paraense que é base de uma linha japonesa de chocolate. Globo Rural não será exibido neste domingo por causa das Olimpíadas, mas preparou um vídeo para o G1. Mirtilos congelados, colheita antecipada, irrigação: veja ações para proteger lavouras O Globo Rural não será exibido mais uma vez neste domingo (1) por causa da transmissão das Olimpíadas de Tóquio, mas preparou um giro com as notícias mais importantes do campo desta semana: assista acima. Reveja todos os vídeos do Globo Rural Entre os destaques, estão as ações dos produtores do Sul e Sudeste para proteger lavouras das geadas, como antecipação da colheita, congelamento de mirtilos, irrigação, entre outros. Veja ainda as colheitas de caju no Piauí e do algodão em Mato Grosso, além de um cacau paraense que é base de uma linha japonesa de chocolate. Vídeos mais assistidos do Globo Rural Veja Mais

Com inflação em alta, renda das famílias para consumo é a menor desde 2005

G1 Economia De cada R$ 100 do orçamento das famílias brasileiras, sobram apenas R$ 41,22 para consumir, pagar dívidas e investir, aponta levantamento da consultoria Tendências. Renda tem sido pressionada pela alta dos preços de alimentos, energia elétrica e combustíveis. Nos últimos meses, a família do Manoel Rodrigues Campelo Junior, de 45 anos, reorganizou o orçamento doméstico por causa da alta dos preços. A carne nobre foi substituída por uma opção mais em conta e o gás de cozinha passou a ser menos utilizado. "O quilo do contrafilé é um absurdo hoje em dia. Num primeiro passo, a gente corta a quantidade, mas, num determinado momento, a gente não consegue consumir mais", diz Manoel. "Não tem como deixar de falar também do preço do gás. A minha esposa tenta ser racional até no preparo do alimento." Preço dos alimentos em alta pressiona o orçamento das famílias Amanda Rocha/A Cidade ON/Araraquara Pelo país, não faltam exemplos de brasileiros que estão com dificuldade para fechar a conta todo mês. Neste ano, de cada R$ 100 do orçamento das famílias brasileiras, sobram apenas R$ 41,22 para consumir, pagar dívidas e investir, mostra um levantamento da consultoria Tendências. Isso significa que a maior parte da renda vai para itens considerados essenciais – como combustível, energia elétrica, transporte, entre outros. As famílias não tinham uma situação financeira tão apertada desde 2005, quando a renda disponível era de apenas R$ 40,98. Orçamento apertado Economia G1 "Você come hoje pensando no que vai comer amanhã", diz Lorraine Alves, de 32 anos. "A gente compra o básico: arroz e feijão. Quando sobra algum dinheiro, eu compro um suco de pacote, um leite, mas é muito difícil." Lorraine sobrevive com o Auxílio Emergencial de R$ 375. Com três filhos e grávida do quarto, ela perdeu o emprego num restaurante no início da pandemia. O marido tem feito bicos como gesseiro, mas a renda família só chega a R$ 800. "O auxílio de R$ 1,2 mil me ajudava bastante. Quando mudou para R$ 375, piorou muito. O meu aluguel é de R$ 600. Tem mês que eu pago, mas depois fico devendo dois, três meses." Orçamento pressionado O orçamento dos brasileiros tem sido pressionado por uma combinação bastante perversa: uma alta dos preços dos alimentos, que se arrasta desde o ano passado, e um aumento do valor dos combustíveis e da energia elétrica. Conta de luz: confira 10 dicas para economizar energia elétrica Como são formados os preços da gasolina e do diesel? "No meio do ano passado, itens como alimentação em domicílio passaram a pressionar o orçamento", afirma Isabela Tavares, economista da consultoria Tendências e responsável pelo levantamento. "Neste ano, a gente vê bastante pressão por parte de combustíveis e, agora, tem a energia elétrica." Em detalhe, os números da Tendências mostram que a situação é ainda mais dramática para os brasileiros das classes D e E, que ganham até R$ 2,6 mil por mês e sofrem mais com o aumento dos preços. Para esse grupo, sobram apenas R$ 21,63 por mês. Renda disponível por classe Economia G1 "Não tem escapatória. As classes mais baixas não têm como se defender muito nesse momento. A gente está com um nível de desemprego recorde no Brasil", diz Marco Maciel, sócio e economista da Kairós. "O desemprego afetando milhões de brasileiros tende a fazer com que a capacidade de reagir ao aumento da inflação seja muito limitada." Inflação em alta Em 12 meses encerrados em junho, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) já acumula alta de 8,3%. Só a inflação de itens considerados essenciais chegou a 10,5%, segundo a Tendências. Diante de todo esse quadro, os analistas têm piorado as projeções para a inflação de 2021. No relatório Focus, do Banco Central, os analistas consultados já projetam que o IPCA vai encerrar o ano em 6,56%, acima, portanto, do teto da meta do governo, que é de 5,25%. IPCA de junho fica em 0,53%; Miriam Leitão comenta "No momento, a minha projeção para o IPCA no fim do ano é de 6,5%, mas, em função das pressões de tarifas de energia elétrica, combustíveis e alimentação no domicílio, essa inflação pode pular para 7,2% com facilidade", diz Maciel. Na próxima semana, o Comitê de Política Monetária (Copom) se reúne para decidir o rumo da taxa básica de juros (Selic). Os analistas esperam um aumento 1 ponto percentual, levando a Selic para 5,25% ao ano. Juros mais altos encarecem o custo do crédito, afetando a tomada de recursos para o investimento das empresas e para o consumo das famílias. "Ao elevar os juros, o Banco Central acaba encarecendo o custo para todos, não só para pessoa física, mas para a jurídica também", diz o economista da Kairós. "Infelizmente, a política monetária, num momento como esse, não tem como ser vertical, acaba sendo horizontal, atinge a todos do mesmo jeito. Quem se defende melhor é quem tem o bolso mais cheio." Impacto no varejo A alta da inflação e dos juros e a limitação do orçamento das famílias podem mitigar a velocidade de recuperação esperada para o varejo e, consequentemente, da atividade econômica. Com a melhora da crise sanitária, os analistas seguem esperando uma retomada do setor neste ano, mas esse crescimento poderia ser melhor se as famílias tivessem algum fôlego no orçamento - até maio, as vendas do varejo acumulavam alta de 6,8% no ano, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). IBGE: Vendas no varejo cresceram 1,4% em maio na comparação com abril "Há ainda fatores positivos para o crescimento do consumo das famílias", afirma Isabela. "Tem a recuperação do mercado de trabalho, principalmente do emprego formal, as políticas anticíclicas, como BEM (Benefício Emergencial de Proteção ao Emprego) e Pronampe. E a própria dissipação das incertezas com a crise sanitária." "O que entra como risco para a maior velocidade do consumo é a inflação, que pressiona a renda disponível das famílias", afirmam. Novo Pronampe está disponível; veja as regras e como solicitar empréstimo Programa de suspensão e redução de jornada garante estabilidade a quase 3 milhões de trabalhadores em abril O BEM permitiu que as empresas reduzissem a jornada e o salário de trabalhadores em troca de estabilidade, enquanto o Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) garantiu empréstimos com juros menores e prazo maior de financiamento. Veja Mais

Memes olímpicos: Galvão alucinado, 'despertando o melhor de nós' e o que mais bombou até agora

G1 Economia Da 'fadinha' Rayssa Leal a Douglas do vôlei, veja quem dominou a timeline durante as Olimpíadas de Tóquio. Memes olímpicos: veja o que bombou nas redes Reprodução/Twitter Além das medalhas????, as Olimpíadas de Tóquio vêm rendendo um montão de memes, para a diversão do público????. Tem para todo gosto. Desde a skatista Rayssa Leal, de 13 anos, considerada a "única brasileira viva com estabilidade emocional" até o Douglas Souza, jogador da seleção de vôlei masculina, que virou hit nas redes. Veja o que "bombou" até agora: Galvão alucinado Galvão Bueno foi a loucura com a prata inédita de Rebeca Andrade, no individual geral da ginástica artística. Olha o sofrimento e empolgação do narrador: VÍDEO: Veja os bastidores da narração de Galvão Bueno durante apresentação de Rebeca Andrade Depois de se recompor, o próprio Galvão entrou na zoação: Initial plugin text s 'Despertando o melhor de nós' O slogan da Globo para as Olimpíadas é "despertando o melhor de nós", mas muita gente percebeu que nem sempre isso é possível durante os jogos. Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text O fenômeno Douglas... De um dia para o outro, ele "bombou" nas redes com vídeos mostrando como é o dia-dia na Vila Olímpica. O próprio jogador do vôlei ficou muito surpreso com a situação: Initial plugin text O ponteiro da seleção brasileira passou de 260 mil seguidores no Instagram, no dia 20 de julho, para 2,9 milhões nesta até esta sexta (30). VÍDEO: Douglas Souza, atleta do vôlei, conquista web mostrando bastidores da Olimpíada ...apareceu até sósia Imagem de biomédica pernambucana sósia do jogador de vôlei Douglas Souza viralizou Achou igual? Vota lá nos sósias das Olimpíadas Teve também quem ligasse as aparições de Douglas com as músicas de Pablo Vittar durante os jogos. Segundo uma teoria da conspiração da web, o DJ só coloca o artista para tocar quando o ponteiro está em quadra: Initial plugin text Initial plugin text É você, Drake? Outro jogador brasileiro de vôlei, o Wallace, também foi motivo de comentários. Muita gente achou ele a cara do Drake... será? Initial plugin text VEJA TAMBÉM CURIOSIDADES DO JAPÃO: Privada que 'canta', banheiro transparente e mais PRATO COLORIDO: Japoneses influenciaram brasileiros a comer verduras WALKMAN E MAIS: Como os japoneses revolucionaram a indústria de áudio e imagem A 'fadinha' dos brasileiros... O estilo calmo e descontraído de Rayssa Leal, medalha de prata no skate, levou muita gente a acreditar em fadas. Initial plugin text E também a repensar na vida. Initial plugin text Técnico piradão O treinador australiano, Dean Roxall, ficou alucinado no Centro Aquático de Tóquio. Isso foi depois que Ariarne Titmus, jovem de 20 anos, conseguiu no segundo dia de finais da natação vencer Katie Ledecky em uma prova olímpica individual, na final dos 400m livre. Initial plugin text Judoca estapeada Um acontecimento chamou bastante atenção em Tóquio: o técnico, Claudiu Pusa, que foi criticado e recebeu uma advertência formal por "estapear" a judoca Martyna Trajdos, da Alemanha, antes das lutas. Trajdos defendeu o técnico e disso que aquilo é um "ritual que escolheu antes da competição". "Meu treinador está apenas fazendo o que eu quero para me animar!", escreveu a atleta alemã em uma rede social. VÍDEO: Judoca alemã recebe tapas no rosto de técnico antes de luta nas Olimpíadas O desabafo de Yasmin A modelo Yasmin Brunet usou as redes sociais para parabenizar o marido, Gabriel Medina, mas também para desabafar. O surfista acabou ficando de fora do pódio. E, segundo a modelo, o resultado foi roubado. Yasmin Brunet desabafa após Medina ficar sem pódio: ‘Foi roubado na cara dura’ Reprodução/Instagram Para variar, o pessoal começou a zoeira: Initial plugin text O rival de Medina, Kanoa Igarashi, que levou o bronze, aproveitou para tirar uma casquinha e tuitou em português: Initial plugin text Corta para o vôlei de praia Alguns internautas começaram a considerar que o vôlei de praia uma um tipo de "cortina de fumaça" para os Brasil. Seria sempre uma opção quando algum outro esporte não estiver indo bem. Initial plugin text Gal Costa medalhista Gal Costa é prata! Não, pera. Depois de o nadador Guilherme Costa terminar em segundo lugar na semifinal dos 800 metros nado livre, muita gente lembrou da cantora. Na transmissão, o nome do brasileiro aparece como G. Costa. Até Gal entrou na brincadeira: Initial plugin text 'Calma, %$#&*@#' Um desabafo de Alison durante partida do vôlei de praia passou dos limites. Ele mandou um palavrão enquanto o narrador Luís Roberto incentivava o jogador e sua dupla, Álvaro Filho, em jogo que terminou com vitória de 2 x 0 sobre Robert Meeuwsen e Alexander Brouwer. Initial plugin text Depois da partida, Alison pediu desculpas e já adiantou que o narrador ia "zoar" com ele. Até Paris 2024 já entrou na zueira Coitada! As Olimpíadas de Tóquio nem acabaram e a próxima sede do evento, Paris, já está sofrendo com as brincadeiras. Isso aconteceu depois que o símbolo dos próximos jogos olímpicos foi divulgado. Initial plugin text Mais sobre o Japão Privadas 'high tech' e banheiro transparente em Tóquio: Brasileiras mostram privada que 'canta' e banheiro transparente no Japão No YouTube, G1 mostra como foi a prata de Rayssa Veja Mais

Últimos dias

Preços do diesel, gasolina e etanol nos postos têm queda na semana, indica ANP

G1 Economia Preço médio da gasolina comum cedeu 0,19% frente à semana passada. Essa foi a primeira queda na cotação média do combustível nos postos em três semanas. Posto de combustível no Rio de Janeiro Amanda Perobelli/Reuters Os preços médios do óleo diesel e gasolina nos postos de combustíveis do Brasil recuaram ao longo da última semana, após terem permanecido praticamente estáveis na anterior, enquanto o valor do etanol também caiu, indicou pesquisa publicada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta sexta-feira (30). Vendas de combustíveis por distribuidoras no Brasil avançam 12,1% em junho, diz ANP Segundo o levantamento da agência reguladora, o diesel terminou a semana com valor médio de R$ 4,588 por litro nas bombas, queda de 0,2%, em relação à semana anterior e primeiro recuo em três semanas. Ainda de acordo com a ANP, o preço médio da gasolina comum cedeu 0,19% frente à semana passada, a R$ 5,822 por litro. Esta também foi a primeira queda na cotação média do combustível fóssil nos postos em três semanas. Concorrente direto da gasolina nas bombas, o etanol teve queda de 0,41% no período, atingindo média de R$ 326 por litro e interrompendo uma série de duas semanas de ganhos, acrescentou a ANP. Veja Mais

Conta de R$ 89 bilhões em precatórios para 2022 é 'meteoro' citado por Paulo Guedes

G1 Economia O ministro da Economia, Paulo Guedes, deu uma forte declaração nesta sexta-feira (29) sobre um gasto misterioso com o qual o governo precisará arcar em 2022, determinado por outro poder da República. Em evento no Rio, Guedes afirmou que "tem fumaça no ar". "Estamos mapeando um meteoro que pode atingir a Terra. Temos que disparar um míssil para impedir que o meteoro atinja a Terra", disse. Sem detalhar, Guedes disse que a conta a ser paga é uma "ameaça" ao equilíbrio fiscal do país no próximo ano. Apesar do mistério sobre o tal "meteoro", fontes da área econômica confirmaram ao blog que o ministro faz referência ao volume de precatórios a serem pagos em 2022. Os precatórios são dívidas da União decorrentes de decisões judiciais definitivas. Ou seja, créditos que pessoas físicas e jurídicas têm a receber do governo federal. Há poucos dias, Guedes foi informado pelo Judiciário de que a conta em 2022 será de R$ 89 bilhões – um valor 64% maior que os R$ 54 bilhões que estão sendo pagos em 2021. Esse novo valor terá de ser incluído, já este ano, na proposta orçamentária do ano que vem. A área orçamentária do governo esperava uma conta similar aos valores atuais, mas foi surpreendida. A trajetória de crescimento do impacto dos precatórios vem de anos anteriores – veja no vídeo abaixo: Dívida da União com precatórios quase dobra e soma R$ 70 bi De acordo com as fontes da área econômica, créditos que o governo vinha pagando em lentas parcelas terão de ser quitados de uma vez por decisão do Supremo, o que explicaria a alta no valor global. A mudança atinge, por exemplo, precatórios do Fundef – antigo fundo de financiamento da educação que foi substituído pelo atual Fundeb. Desde 2019, o governo tentava um acordo com estados e municípios. Fala misteriosa A fala do ministro abalou o mercado financeiro e fez a bolsa cair com força. A leitura do mercado é que a explosão na conta com precatórios irá consumir toda a sobra que haveria no teto de gastos em 2022. No ano eleitoral, o governo já tem na prancheta gastos para ajudar no plano de reeleição: um programa social que amplia o Bolsa Família, investimentos e emendas para o Congresso, por exemplo. O que mais preocupa a equipe de Paulo Guedes é a forma explosiva como os custos de precatórios têm aumentado ao longo dos últimos anos. "Nós observamos que, no ano passado, começou a haver o surgimento de uma ameaça com crescimento muito atípico de uma determinada despesa. Nós estamos ainda processando algumas informações que estão chegando e os senhores podem ter certeza que nós não furaríamos o teto e não furaremos o teto não é por causa do Bolsa Família, não é nada disso", disse Guedes. "Isso tudo está sendo programado com muita responsabilidade. Agora, às vezes vêm coisas de outros poderes que nos atingem”, prosseguiu. A saída que vem sendo pensada no governo é pedir uma modulação do STF para o parcelamento, ou aprovar uma regra que permita pagar a dívida fora da regra do teto. Fux fala em 'mediação' O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux, afirmou em nota divulgada na tarde desta sexta que "atuará na mediação de todas as dívidas da União que foram reconhecidas, no âmbito do STF, e que devem ser pagas por meio de precatórios." "A necessidade de conciliação para não prejudicar os cofres públicos foi tratada em conversa entre o ministro Fux e o ministro da Economia, Paulo Guedes. A partir de agosto, os moldes dessa negociação serão definidos e informados à sociedade", diz o comunicado. Veja Mais

Méliuz (CASH3) compra empresa de negociação de criptoativos

Times Money Journal A Méliuz (CASH3)  anunciou nesta sexta – feira (30), através do documento enviado para a CVM (Comissão de Valores Mobiliários), a compra de 100% do capital social da companhia especializada em negociações de criptoativos – Alter. Segundo a companhia listada da B3 , o valor da transação é de aproximadamente R$ 25,9 milhões, sujeitos a […] O post Méliuz (CASH3) compra empresa de negociação de criptoativos apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Gastos do consumidor dos EUA aumentam com força em junho; inflação sobe

G1 Economia Inflação anual acelera ainda mais acima da meta de 2% do Federal Reserve (BC dos EUA). Os gastos do consumidor nos Estados Unidos aumentaram mais do que o esperado em junho, com as vacinações contra a Covid-19 impulsionando a demanda por serviços relacionados a viagens e recreação, mas parte do crescimento refletiu preços mais altos, com a inflação anual acelerando ainda mais acima da meta de 2% do Federal Reserve (BC dos EUA). Os gastos do consumidor, que respondem por mais de dois terços da atividade econômica dos EUA, se recuperaram 1% no mês passado, após queda de 0,1% em maio, informou o Departamento do Comércio nesta sexta-feira (30). O índice de inflação PCE, excluindo os componentes voláteis de alimentos e energia, subiu 0,4% em junho, após avançar 0,5% em maio. Nos 12 meses até junho, o chamado núcleo do PCE disparou 3,5%. O núcleo do PCE aumentou 3,4% ante o ano anterior em maio. Economistas consultados pela Reuters projetavam um avanço de 0,7% nos gastos do consumidor em junho e alta de 3,7% no núcleo do índice de preços PCE. O núcleo do PCE é a medida de inflação preferida para a meta flexível de 2% do Fed. Veja Mais

Bovespa opera em queda com cena externa e balanços no foco

G1 Economia Na quinta-feira, o principal índice da bolsa caiu 0,48%, a 125.675 pontos. O principal índice de ações da bolsa de valores de São Paulo, a B3, opera em queda nesta sexta-feira (30), em meio a um ambiente menos favorável no exterior e a temporada de balanços no Brasil. Às 10h36, o Ibovespa caía 0,67%, aos 124.829 pontos. Veja mais cotações. No dia anterior, o Ibovespa recuou 0,48%, a 125.675 pontos. Com o resultado, acumula queda mensal de 0,88% e alta anual de 5,60%. - Cenário Na próxima semana, o BC brasileiro também define sua taxa de juros, e o mercado aposta em uma aceleração na alta da Selic em agosto, depois que a prévia da inflação deste mês veio acima da esperada. A expectativa é que a taxa tenha uma alta de 1 ponto percentual. Dados do IGP-M divulgados na quinta corroboram essa expectativa: a chamada inflação do aluguel ficou em 0,78% em julho, acumulando alta de 33,83% em 12 meses. Em decisão anunciada na quarta, o Federal Reserve manteve inalterada, entre 0 e 0,25%, a taxa básica de juros do país. Variação do Ibovespa em 2021 G1 Economia Veja Mais

Notre Dame (GNDI3) compra hospital por R$160 milhões

Times Money Journal O Notre Dame (GNDI3)  anunciou a compra do hospital Santa Martha por R$ 160 milhões, o comunicado foi enviado para a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta sexta – feira (30). A companhia listada na B3 (Brasil, Bolsa, Balcão) – GNDI3 – passará a deter 100% da Santa Martha, o pagamento será feito á vista, […] O post Notre Dame (GNDI3) compra hospital por R$160 milhões apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

'Fadinha', Douglas Souza, Italo, Marta: de olho na 'vitrine' olímpica, grandes marcas apostam em atletas na publicidade

G1 Economia Rayssa Leal, Douglas Souza e Italo Ferreira estão entre os atletas que estão fazendo sucesso nos jogos olímpicos e também na publicidade. Muitos atletas brasileiros estão fazendo sucesso nas competições das Olimpíadas de Tóquio e também em grandes campanhas publicitárias no Brasil. A maranhense Rayssa Leal, de apenas 13 anos, conhecida como a Fadinha do skate, é a estrela da nova campanha da Nike. Ela tornou-se a brasileira mais jovem a receber uma medalha olímpica, quando ganhou a prata na categoria street, na segunda-feira (26). No dia seguinte à vitória, a marca lançou uma ação que incentiva a prática de esportes por meninas e conta com o vídeo “Conto de Fadas”, focado na atuação e história de Rayssa. Com 13 anos, Rayssa Leal ganhou a medalha de prata no skate street e estreia em campanha da Nike Reuters O jogador de vôlei Douglas Souza, que vem se destacando nas quadras e também nas redes sociais, passou a ser patrocinado pela XP Investimentos durante os Jogos Olímpicos. No dia 25 de julho, a corretora publicou nas suas redes sociais que o atleta é o novo embaixador da marca. Douglas “bombou” nas redes com seus vídeos direto da Vila Olímpica, em Tóquio. Em poucos dias, somente no Instagram, o ponteiro da seleção brasileira passou de 260 mil seguidores para quase 3 milhões. Com muito bom humor, ele mostra os bastidores da preparação para os jogos e levanta a bandeira LGBTQIA+. Douglas Souza em quadra pela seleção Divulgação/FIVB O surfista Italo Ferreira ganhou a primeira medalha de ouro do Brasil nas Olimpíadas de Tóquio, na terça-feira (27). Ele venceu todas as baterias que disputou. Campeão mundial em 2019, coleciona títulos na carreira e é patrocinado pela Oi desde 2017. Na campanha da operadora lançada em junho, Italo aparece com os também atletas do surfe Gabriel Medina e Tatiana Weston-Webb, e os skatistas Pedro Barros e Letícia Bufoni. As cenas da propaganda foram gravadas em competições ao redor do mundo. Italo Ferreira celebra medalha de ouro nas Olimpíadas REUTERS/Lisi Niesner Medina também é estrela da nova campanha do Bradesco, que patrocina o atleta desde 2019. Bicampeão mundial de surfe, ele terminou sua participação nas Olimpíadas depois de perder a semifinal na disputa pelo bronze. Aproveitando a popularidade do skate e o do surf no Brasil, a Panasonic investiu em duas atletas desses esportes: a skatista Pâmela Rosa e a surfista Silvana Lima. Patrocinadora oficial do Comitê Olímpico do Brasil (COB), a TIM também conta com um time de atletas-embaixadores da marca em Tóquio. Integram o grupo a dupla de velejadoras Kahena Kunze e Martine Grael, campeãs olímpicas no Rio; os canoístas de prata Isaquías Queiroz e Erlon de Souza; a dupla Ana Patrícia e Rebecca, do vôlei de praia; e o lutador de taekwondo Ícaro Miguel. Eles estão em campanhas e nas redes sociais da operadora, entre outras ações. Vale lembrar que a exibição de marcas durante as Olimpíadas segue as regras do Comitê Olímpico Internacional (COI), que só permite mostrar os fornecedores de materiais esportivos usados pelos atletas. Patrocínio e protesto Pouco antes da estreia da seleção feminina de futebol nos Jogos Olímpicos de Tóquio, a jogadora Marta anunciou um acordo de patrocínio pessoal com a companhia aérea Latam. Ela será embaixadora global de inclusão e diversidade da empresa. Eleita seis vezes a melhor jogadora do mundo, Marta tem contratos com algumas empresas, mas joga essas Olimpíadas sem ter um acordo fechado com uma marca esportiva, como aconteceu na Copa do Mundo Feminina, em 2019. Ela tem recusado as propostas de fornecedoras de material esportivo por uma questão de princípio, entendendo que as ofertas não alcançam o que ela acha justo para o futebol feminino. Marta, a camisa 10 do time brasileiro, em partida nas Olimpíadas de Tóquio. Kohei Chibagara/AFP Veja Mais

Gol (GOLL4) aumenta prejuízo no 2t21

Times Money Journal O setor de aviação foi mais uma vez fortemente impactado pela pandemia, dessa vez pela segunda onda de covid-19 no Brasil. A Gol (GOLL4) registrou prejuízo líquido recorrente de R$ 1,2 bilhão no segundo trimestre, ampliando as perdas de R$ 771,8 milhões de um ano antes. Embora o discurso seja de ritmo crescente da demanda, […] O post Gol (GOLL4) aumenta prejuízo no 2t21 apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

A perseguição da China a suas grandes empresas

G1 Economia Novas regulamentações e investigações destruíram bilhões de dólares nas bolsas de valores da China e de Hong Kong. A perseguição das autoridades chinesas às suas empresas mais proeminentes, por meio de novas regulamentações e investigações, infiltrou-se em quase todos os aspectos da vida moderna e destruiu bilhões de dólares nas bolsas de valores da China e de Hong Kong. Independentemente de ser motivada pelo reflexo controlador do Partido Comunista, ou para evitar que as distorções do mercado prejudiquem a carteira, ou a segurança da população, poucos acreditam que tal perseguição tenha acabado. Confira abaixo alguns setores nas mandíbulas da regulamentação: Entrega de alimentos As ações do maior aplicativo de entrega de comida, Meituan, perderam 15% de seu valor desde sexta-feira (23), depois que os reguladores anunciaram inesperadamente uma nova proteção para os trabalhadores esta semana. Os trabalhadores do crescente setor de entrega de alimentos, ao qual milhões de pessoas recorrem todos os dias, terão um salário mínimo e não poderão fazer entregas em série. Meituan e sua concorrente Ele.me, da gigante Alibaba, estiveram em destaque nos últimos meses, depois que a imprensa local divulgou as rotas perigosas dos entregadores, pressionados para entregar a comida no prazo. Na Bolsa de Hong Kong, as ações da Meituan já sofreram um golpe em abril, na esteira da decisão dos entes reguladores de lançar uma investigação antitruste do aplicativo. O app também permite aos usuários reservar ingressos e serviços de saúde e entretenimento. EUA acusam China de hackear a Microsoft Educação No sábado, Pequim promulgou novas regras, exigindo que empresas de tutoria sejam sem fins lucrativos, além de proibir aulas no fim de semana. O anúncio fez as ações de empresas de educação privada despencarem. Os analistas acreditam que não haverá quem queira investir nessas empresas. O governo disse que o setor, que movimentou US$ 260 bilhões em 2018, segundo a empresa de consultoria e pesquisa L.E.K. Consulting, foi "sequestrado pelo capital". Os fundadores da New Oriental e da Gaotu Techedu perderam quase imediatamente seu status de milionários, logo após o anúncio das novas regras. Transporte A líder de mercado Didi Chuxing foi retirada das lojas de aplicativos no início de julho, poucos dias depois de levantar US$ 4,4 bilhões em sua Oferta Pública Inicial (IPO, na sigla em inglês), em Nova York. A empresa continuou com o IPO, apesar do revés das autoridades chinesas, preocupadas com que as informações em poder da Didi possam cair em mãos estrangeiras. Pequim enviou funcionários de sete departamentos governamentais à empresa para conduzir uma investigação de segurança cibernética. A empresa, cujas ações perderam cerca de 40% desde que foi listada em Wall Street, pode estar sujeita a multas de milhões de dólares, ou à suspensão de algumas operações como punição, informou a agência de notícias Bloomberg na semana passada. Criptomoedas Nas últimas semanas, a China aumentou as restrições às atividades de mineração de bitcoins, o processo que permite a criação de criptomoedas. A China era um dos baluartes das moedas virtuais, mas, em 2019, o governo deu uma guinada radical contra esses meios de pagamento. Pequim acusa-os de estarem a serviço de "atividades criminosas". Em maio, as autoridades proibiram os pagamentos em moeda virtual, fazendo o preço do bitcoin despencar. Comércio on-line Alibaba, o império do comércio eletrônico de Jack Ma, foi multado em US$ 2,8 bilhões em abril deste ano por dificultar a concorrência. Segundo o governo, a empresa "abusou de sua posição dominante no mercado", proibindo os comerciantes de anunciarem seus produtos em plataformas rivais. Entretenimento O regulador do mercado chinês bloqueou a fusão das duas maiores plataformas de videogame on-line da China, Huya e Douyu, alegando que violava as leis de concorrência. Foi um duro golpe para a gigante da Internet Tencent, que esperava assumir a nova entidade e consolidar seu controle no setor de videogames. Juntos, Huya e Douyu respondem por entre 80% e 90% das cotas de mercado, de acordo com analistas. Além disso, a Tencent, que também é um grande ator do streaming de música na China, foi forçada a abrir mão dos direitos exclusivos. Os motivos alegados pelo governo foram os mesmos: concorrência. Quem será o próximo? A China planeja reforçar as condições de listagem no exterior de suas empresas, que terão de ser infalíveis em termos de cibersegurança, de acordo com as diretrizes que estão sendo elaboradas. A medida já começou a ter um efeito dissuasivo nas start-ups chinesas. Na quarta-feira (28), por exemplo, uma das líderes em aluguel de bicicletas, a Hello Inc., que tem o Alibaba entre seus acionistas, renunciou à abertura de capital nos Estados Unidos. Veja Mais

Em seis anos, comércio brasileiro perdeu cerca de 466 mil postos de trabalho e 177 mil empresas, diz IBGE

G1 Economia Comércio varejista foi o que perdeu o maior número de empresas e de pessoal ocupado. Já o atacadista foi o único que viu o número de empresas crescer no período. Um homem é visto em um comércio fechado na Tijuca, no Rio de Janeiro, em foto registrada em junho de 2019 José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo Dados divulgados nesta quinta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que, em seis anos, o comércio brasileiro perdeu mais de 466 mil postos de trabalho e 177 mil empresas. Os dados fazem parte da última edição da Pesquisa Anual do Comércio (PAC), realizada em 2019, e reforça o encolhimento do setor, observado desde 2014. De acordo com o IBGE, em 2019, havia no país pouco mais de 1,4 milhão de empresas do ramo comerciário, que empregavam cerca de 10,2 milhões de trabalhadores. Em 2014, eram cerca de 1,6 milhão de empresas e mais de 10,6 milhões de ocupados no setor. Ou seja, em seis anos, o comércio brasileiro perdeu 4,4% do pessoal ocupado e 11% das empresas. Comércio brasileiro vem encolhendo em número de empresas desde 2014, segundo dados do IBGE. Economia/G1 O IBGE destacou que os três segmentos do comércio – atacado, varejo e comércio de veículos, peças e motocicletas – perderam postos de trabalho no período. VEJA TAMBÉM: Em seis anos, indústria brasileira perdeu 28 mil empresas e 1,4 milhão de postos de trabalho, aponta IBGE O maior número de vagas fechadas ocorreu entre as empresas varejistas, que é o que mais empresa. Proporcionalmente, porém, foi o comércio por atacado que mais perdeu pessoal ocupado. A perda de trabalhadores e a respectiva proporção para cada um dos três segmentos no período foi de: Comércio varejista: -326,2 mil postos de trabalho, que representam uma queda de 4,1% Comércio por atacado: -108 mil postos de trabalho, que representam uma queda de 5,9% Comércio de veículos, peças e motocicletas: -32 mil postos de trabalho, que representam uma queda de 3,4% Os três segmentos do comércio dispensaram trabalhadores entre 2014 e 2019, segundo o IBGE Economia/G1 Em contrapartida, o comércio por atacado foi o único dos três segmentos que registrou aumento do número de empresas no período – foram abertas cerca de 6,2 mil novas empresas no segmento, enquanto o varejista perdeu 178,8 mil e o de veículos, 4,6 mil. Diante do encolhimento do setor, a remuneração média também, caiu no período analisado. A queda salarial média foi de 2,6% no comércio como um todo. No segmento atacadista, essa queda foi de 2,5%, enquanto no varejista, de 1%. Todavia, no comércio de veículos, peças e motocicletas, a redução da remuneração média chegou a 12%. Participação do atacado supera a do varejo Ao analisar a receita líquida do comércio, o IBGE observou que houve mudança estrutural no setor, com o segmento atacadista voltando a assumir a liderança em relação aos demais. "Após cinco anos consecutivos de liderança do comércio varejista, o comércio por atacado assumiu a 1ª posição em 2019, retornando ao status que perdeu em 2013", destacou o IBGE. Entre 2010 e 2019, o comércio por atacado aumentou a sua participação na receita líquida do setor em 2,5 pontos percentuais (p.p.). Já o comércio varejista aumentou sua participação em 2,9 p.p.. Embora maior em termos proporcionais, o avanço do varejo não foi capaz de superar o do atacado. Já o comércio de veículos, peças e motocicletas, ao contrário dos outros dois, foi o único que perdeu participação. A perda, na comparação com 2010, foi de 5,4 p.p. Comércio de veículos, peças e motocicletas foi o único que perdeu participação na formação de receita do setor Economia/G1 Veja Mais

Lucro líquido da CSN cresce 1.136% no 2º trimestre

Times Money Journal A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) registrou no segundo trimestre deste ano lucro líquido de R$ 5,513 bilhões, alta de 1.136% na comparação com o mesmo período do ano passado.   Em relação ao primeiro trimestre, houve uma queda de 3%, uma vez que o trimestre anterior foi positivamente impactado pelo ganho de capital com o […] O post Lucro líquido da CSN cresce 1.136% no 2º trimestre apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Ministério da Cidadania suspende revisões cadastrais do Bolsa Família e do Cadastro Único por mais 6 meses

G1 Economia Assim, continuam suspensos procedimentos como averiguação e revisão cadastral. O Ministério da Cidadania publicou no Diário Oficial da União desta quarta-feira (28) a Portaria nº 649, que prorroga por mais 180 dias a suspensão de revisões cadastrais e de procedimentos operacionais do Programa Bolsa Família e do Cadastro Único (CadÚnico). A portaria é uma prorrogação do prazo de suspensão estabelecido na portaria 624, de 31 de março, e na portaria 591, de 15 de janeiro. De acordo com a portaria, a decisão levou em conta "a necessidade de evitar aglomerações de pessoas e de evitar que os integrantes de famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família, assim como os cidadãos que trabalham em unidades de cadastramento destas famílias, exponham-se à infecção pelo coronavírus (Covid-19)". Assim, continuam suspensos procedimentos como averiguação cadastral e revisão cadastral. Ficam suspensas ainda, enquanto estiver vigente o Auxílio Emergencial 2021, as ações de administração de benefícios do Programa Bolsa Família, em nível municipal, e as alterações cadastrais de famílias beneficiárias para gestão da folha de pagamento do Programa Bolsa Família. A retomada dos procedimentos suspensos será decidida pela Secretaria Nacional de Renda de Cidadania da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social, em conjunto com a Secretaria Nacional do Cadastro Único da Secretaria-Executiva, observadas as necessidades operacionais do Programa Bolsa Família e os impactos no CadÚnico. Veja Mais

Unidas (LCAM3) apresenta lucro líquido recorde no 2° trimestre de 2021

Times Money Journal A Unidas (LCAM3) reportou lucro líquido recorde no 2° segundo trimestre de 2021, o montante foi de R$ 241,2 milhões ante R$ 1,7 milhão do 2T20. Conforme o documento enviado para a Comissão de Valores Mobiliário (CVM), a receita líquida consolidada foi de R$ 1,582 bilhão, crescimento de 74,7%. Já o ebitda da Unidas (LCAM3) […] O post Unidas (LCAM3) apresenta lucro líquido recorde no 2° trimestre de 2021 apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Veja as vagas de emprego oferecidas em Petrolina, Araripina e Salgueiro nesta quarta-feira

G1 Economia Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. Homem segura carteira de trabalho enquanto procura emprego na região central de São Paulo Amanda Perobelli/Reuters Foram divulgadas as vagas de emprego disponíveis nesta quarta-feira (28) em Petrolina, Araripina e Salgueiro, no Sertão de Pernambuco. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco e atualizadas no G1 Petrolina. Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. O atendimento na Agência do Trabalho ocorre apenas com agendamento prévio, feito tanto pelo site da secretaria, quanto pelo Portal Cidadão. Petrolina Contato: (87) 3866 - 6540 Vagas disponíveis Salgueiro Contato: (87) 3871-8467 Vagas disponíveis Araripina Contato: (87) 3873 - 8381 Vagas disponíveis Vídeos: mais assistidos do Sertão de PE Veja Mais

Itaú Unibanco deixa administração da XP

Times Money Journal O Banco Central (BC) autorizou a alteração societária relacionada ao conglomerado bancário Itaú Unibanco na XP Inc., empresa brasileira de gestão de investimentos. A decisão foi tomada no último dia 23, após análise concorrencial e prudencial.   Segundo o BC, de modo geral, a alteração aconteceu com a transferência das ações da XP Inc., de […] O post Itaú Unibanco deixa administração da XP apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Economia diz que investimento das empresas está se recuperando mais rápido do que em crises anteriores

G1 Economia Comparação foi feita com crises de 2015-2016, 2008-2009 e 1980-1983. Também o PIB retornou ao patamar pré-crise mais rapidamente, segundo dados compilados pelo Ministério da Economia. O Ministério da Economia divulgou uma nota técnica nesta terça-feira (27) em que aponta que o investimento das empresas está se recuperando mais rápido da crise da Covid do que em crises econômicas anteriores. A comparação foi feita em relação às crises de 2015-2016, 2008-2009 e 1980-1983. Segundo dados compilados pela Secretaria de Política Econômica da pasta, o investimento privado, apesar da forte retração em 2020 devido à pandemia de Covid, recuperou o nível pré-pandemia (quarto trimestre de 2019) no último trimestre do ano passado. Ou seja, o investimento privado demorou quatro trimestres para recuperar o tombo da recessão provocada pela pandemia. Na crise financeira de 2008, o investimento demorou cinco trimestres para retomar o patamar anterior. Os dados compilados pela secretaria mostram também que a recuperação do investimento privado tem se consolidado em "vários setores e se espalhado em todas as regiões do país", segundo a nota técnica. A nota aponta ainda que a ampliação da produção de bens de capital (usados para prooduzir outros bens) está em ritmo maior que o próprio crescimento da produção industrial. "Enquanto a produção industrial acumulou 1,1% de alta nos últimos 12 meses até abril de 2021, a produção de bens de capital cresceu 5,1% nessa mesma base de comparação", afirmou o ministério. Em 2021, a produção de bens de capital acumulou alta de 35,6% nos primeiros quatro meses do ano, ante o mesmo período do ano anterior, bem acima da taxa observada para a indústria geral (10,5%) nessa mesma base. Ainda segundo a nota técnica, a retomada do investimento privado acontece, prioritariamente, pelo financiamento privado, por meio, por exemplo, de debêntures (títulos que as empresas emitem para se capitalizar) e abertura de capital na Bolsa. Nas crises anteriores, segundo o governo, houve predomínio do crédito fornecido por bancos públicos, como o BNDES. PIB A nota técnica divulgada pelo Ministério da Economia aponta, ainda, que o investimento privado tem ajudado a puxar a recuperação da economia. O Produto Interno Bruto (PIB), usado para medir o desempenho da economia brasileira, alcançou o nível pré-pandemia no começo deste ano. Apesar de o PIB ter demorado mais do que o investimento para voltar ano nível pré-pandemia, a recuperação também foi mais rápida em comparação a crises anteriores. "Aquela crise econômica [2014-16] foi a mais profunda da série histórica, causando queda do produto e aumento do desemprego que tiveram efeitos permanentes de tal magnitude que, mesmo após 3 anos de recuperação, a economia ainda estava 19% abaixo do nível da tendência anterior do PIB", diz a Secretaria de Política Econômica em nota. Veja Mais

Lojas do shopping de Mogi reúnem 14 oportunidades para quem busca emprego nesta terça; veja lista

G1 Economia Interessados devem entregar o currículo diretamente na loja. Shopping de Mogi das Cruzes tem 14 vagas de emprego nesta terça-feira Cristina Requena/RT Comunicação As lojas do shopping de Mogi das Cruzes reúnem 14 oportunidades de emprego nesta terça-feira (27). Os candidatos devem acessar os estabelecimentos de acordo com o descritivo ou procurar pessoalmente o Balcão de Informações. Vagas em Mogi das Cruzes As oportunidades disponíveis são para a área de vendas e estoque. Vagas de emprego em Mogi das Cruzes Assista a mais notícias Veja Mais

Contas externas têm saldo positivo em junho, mas semestre registra rombo de US$ 6,975 bilhões, diz BC

G1 Economia Banco Central também informou que investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira somaram US$ 174 milhões em junho e US$ 25,691 bilhões no primeiro semestre deste ano. As contas externas tiveram saldo positivo de US$ 2,791 bilhões em junho, informou o Banco Central nesta terça-feira (27). O valor é 8,67% menor do que o registrado no mesmo mês do ano anterior, quando o resultado foi positivo em US$ 3,056 bilhões. Já no primeiro semestre deste ano, segundo o BC, as contas externas registraram rombo de US$ 6,975 bilhões. O resultado é praticamente a metade do rombo registrado no mesmo período de 2020, quando o déficit nas contas externas chegou a US$ 13,261 bilhões, influenciado pela primeira onda da pandemia de Covid. As contas externas são os registros de todas as transações que um país tem com o mundo. O resultado engloba: balança comercial (exportações menos importações); serviços (adquiridos por brasileiros no exterior); e rendas (remessas de juros, lucros e dividendos do Brasil para o exterior). O desempenho positivo de junho e a melhora do saldo no primeiro semestre deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado é reflexo da balança comercial brasileira, que vive bom momento por conta da alta dos preços das commodities, produtos como alimentos, minério de ferro e petróleo, cotados em dólar. Em junho, a balança comercial de bens registrou superávit de US$ 7,3 bilhões, ante superávit de US$ 5,9 bilhões em junho de 2020. As exportações totalizaram US$ 29,1 bilhões em junho deste ano, aumento de 65,4% na comparação com junho de 2020, e as importações, US$21,8 bilhões, incremento de 86,1%. Em um cenário de recessão por conta do coronavírus, o déficit das contas externas recuou 75% em 2020 e foi de US$ 12,517 bilhões. Investimento estrangeiro O Banco Central também informou que os investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira somaram US$ 174 milhões em junho, queda de 96,6% na comparação com o mesmo mês do ano passado (US$ 5,165 bilhões). No primeiro semestre deste ano, de acordo com números oficiais, o ingresso de investimentos estrangeiros na economia somou US$ 25,691 bilhões, alta de 8,9% contra o mesmo período do ano passado (US$ 23,724 bilhões). Em todo ano passado, os investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira somaram US$ 34,167 bilhões, queda de 50,6% frente a 2019. Foi o menor ingresso em 11 anos. VÍDEOS: notícias sobre política Veja Mais

Banco Central aprova cisão da participação do Itaú na XP

G1 Economia Conglomerado bancário do Itaú Unibanco deixa de participar da administração da XP, informou o BC. O Banco Central (BC) aprovou a cisão da participação do Itaú Unibanco na XP Investimentos. A decisão foi tomada na sexta-feira (23) e anunciada nesta terça (27) pelo BC. A cisão se dá devido à transferência das ações da XP de titularidade do Itaú Unibanco para a XPart, uma nova empresa do grupo Itaú, mas que não pertence ao conglomerado bancário. Essa nova empresa tem sede nos Estados Unidos. A XPart, por sua vez, torna-se parte do acordo de acionistas com a XP, com os mesmos direitos e obrigações atribuídos até então ao Itaú Unibanco, de modo que o conglomerado bancário do Itaú Unibanco deixa de participar da administração da XP, informou o Banco Central. A operação já tinha sido aprovada pelo Federal Reserve (Fed), o banco central americano, e faltava apenas o aval da autoridade monetária brasileira. As ações da XP são listadas na bolsa americana de empresas de tecnologia (Nasdaq), por isso a operação teve que ser submetida também ao Fed. Em nota, o Banco Central brasileiro afirma que "não se verificaram riscos prudenciais ou concorrenciais para o Sistema Financeiro Nacional (SFN) nessa alteração organizacional". Diz, ainda, que permanecerá vigilante aos efeitos concorrenciais de movimentações societárias ocorridas nos mercados sob sua supervisão, podendo "adotar medidas de ajuste que se façam necessárias à preservação da concorrência". O acordo definitivo para cisão ações da XP de titularidade do Itaú Unibanco foi fechado após uma briga pública entre os fundadores da corretora independente de investimentos e dirigentes do banco. Em 2017, o Itaú Unibanco anunciou a compra de 49,9% da XP Investimentos. O negócio foi fechado em 2018 e envolveu R$ 6 bilhões. VÍDEOS: notícias sobre economia Veja Mais

Concurso do Banco do Brasil: dicas de conteúdos que devem cair nas provas

G1 Economia Certame oferece mais de 4 mil vagas em todo o país, com exigência de nível médio. Inscrições vão até a quarta-feira (28) somente pela web. Provas acontecem em setembro Divulgação Com inscrições abertas até a quarta-feira (26), o concurso público do Banco do Brasil oferta mais de 4 mil vagas em todo o país para cargos de nível médio: 28 delas no Amapá (16 oportunidades para contratação direta e 12 de cadastro-reserva). Por exigir nível médio de escolaridade, o concurso deve ter concorrência acirrada em meio ao desemprego recorde. Para o Amapá, as vagas são todas para o mesmo cargo: Escriturário - Agente Comercial, com salário inicial de R$ 3.022,37. Confira o edital do concurso público do Banco do Brasil A prova objetiva será de múltipla escolha com 70 questões, divididas entre disciplinas de conhecimentos básicos (25) e específicos (45). Entre os conteúdos básicos, estão questões de matemática, língua portuguesa a atualidades do mercado financeiro. Já nos específicos, as questões envolvem matemática financeira, conhecimentos bancários, informática e vendas e negociação. Antes de tudo, especialistas orientam a dedicação ao conteúdo, até mesmo para quem está começando do zero. Professores do Clube do Concurso, de Macapá, apresentam os principais temas que devem cair nas provas em 3 áreas: Conhecimentos bancários Concurso do BB: dicas para conhecimentos bancários Língua portuguesa Concurso do BB: dicas para língua portuguesa Informática Concurso do BB: dicas para informática Concurso do BB As inscrições custam R$ 38 e podem ser feitas no site da organizadora do certame, a Fundação Cesgranrio. São 16 vagas diretas e 12 de cadastro-reserva para atuação na capital e interior do estado. No Amapá, as provas vão ocorrer em Macapá, Oiapoque e Porto Grande. Do total, 5% das vagas são reservados para pessoas com deficiência e 20% para candidatos que se autodeclararem pretos ou pardos. Para participar da seleção, é preciso ter certificado de conclusão ou diploma de curso de nível médio, e idade mínima de 18 anos completos, até a data da contratação. Para todo o país, são mais de 4 mil vagas A remuneração inicial é para jornada de 30 horas semanais. O banco oferece ainda ajuda alimentação/refeição de R$ 831,16 por mês e, cumulativamente, concede cesta alimentação no valor mensal de R$ 654,87. Há possibilidade de ascensão e desenvolvimento profissional; participação nos lucros ou resultados; vale-transporte; auxílio-creche; auxílio a filho com deficiência e previdência complementar. Os funcionários do BB possuem ainda acesso Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP: Veja Mais

Empresa de TI vítima de ciberataque nos EUA diz ter chave de desbloqueio de dados, mas que não pagou pelo resgate

G1 Economia Kaseya, que presta serviços de Tecnologia da Informação, afirmou ter chave que destrava arquivos criptografados por ransomware. Entrada do escritório da empresa Kaseya, sediada em Miami, nos Estados Unidos Kaseya via REUTERS A Kaseya, empresa de Tecnologia da Informação (TI) que foi alvo de um ciberataque no início de julho, informou nesta segunda-feira (26) que não pagou pelo resgate exigido pelos hackers. Apesar disso, a companhia obteve, em parceria com a empresa de cibersegurança Emsisoft, uma ferramenta capaz de destravar os arquivos embaralhados pelo vírus de computador. A Kaseya sofreu um ataque de ransomware, um tipo de vírus que impede o acesso às informações armazenadas em um dispositivo (leia mais abaixo). Os hackers exigiam US$ 70 milhões como valor de resgate para liberar os dados. A empresa presta serviços de informática para cerca de 40.000 empresas ao redor do mundo e indicou que aqueles que contrataram seus serviços foram as principais vítimas do ataque virtual, em um efeito cascata. O ataque atingiu empresas que usam o software VSA, exclusivo da Kaseya. O programa permite às companhias administrar redes de computadores e impressoras de um único ponto. Há duas semanas, a Kaseya informou que todos os clientes de seu serviço na nuvem voltaram a operar seus sistemas. Porém, aqueles que tiveram seus dados travados podem pedir a chave de decriptografia universal obtida em parceria com a Emsisoft. A Emsisoft não deu detalhes sobre a origem da ferramenta que libera os dados, nem como foi possível desenvolvê-la. O que é ransomware VÍDEO: Ransomware - entenda como vírus é usado em extorsões O ransomware é um tipo de vírus que impede o acesso às informações armazenadas em um dispositivo por meio da criptografia – um embaralhamento de dados, que exige uma chave para desbloquear os dados. Com isso, os cibercriminosos pretendem forçar a vítima a pagar para obter a tal chave e recuperarar o acesso ao sistema. Um dos casos que mais chamaram a atenção teve como alvo a JBS, maior processadora de carnes do mundo. Após o ataque forçar a interrupção de algumas de suas operações na Austrália, no Canadá e nos Estados Unidos, a empresa aceitou pagar US$ 11 milhões em resgate. LEIA MAIS: JBS diz que pagou US$ 11 milhões em resgate a ataque hacker em operações nos EUA Para chegarem a esse ponto, os cibercriminosos levaram anos para melhorarem suas técnicas e explorar brechas nos sistemas operacionais dos computadores. Nos casos mais antigos, a ação tinha alvos indiscriminados e os valores dos resgates costumavam ser relativamente baixos. Veja a reportagem do Fantástico sobre o caso Kaseya: Sequestro digital: veja como agem as quadrilhas de ‘ransomware’ Como ter mais segurança na internet 5 dicas de segurança para sua vida digital Veja Mais

Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 6,56%

Times Money Journal A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA – a inflação oficial do país) deste ano subiu de 6,31% para 6,56%. A estimativa está no Boletim Focus de hoje (26), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a projeção para os principais indicadores econômicos. Para 2022, a […] O post Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 6,56% apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Golpe em delivery: entregador viraliza ao filmar dados de cartão; veja como se prevenir

G1 Economia Vídeo difundido pelo WhatsApp mostra senhora tendo todos seus dados bancários registrados ao fazer pagamento de comida; Procon-SP diz que golpes durante entregas têm crescido muito. Entregador iluminou a maquininha enquanto a cliente digitava a senha; com isso, conseguiu ver os dígitos marcados Reprodução/WhatsApp Um vídeo que mostra um novo tipo de golpe para clonagem de cartões durante entregas viralizou nos últimos dias em redes sociais e em grupos no WhatsApp em todo o Brasil. O caso não é isolado: segundo o Procon de São Paulo, o número de registros de golpes do tipo durante entregas por aplicativos de comidas saltou 186% na comparação do acumulado entre janeiro e maio de 2021 e o mesmo período de 2020. O vídeo, aparentemente gravado pelo celular do próprio entregador, registra o momento em que uma senhora recebe uma entrega de comida na porta de sua casa, em São Paulo. Com a câmera ligada sem que ela perceba, o homem filma os números da frente e do verso do cartão de débito, enquanto distrai a cliente dizendo que aguarda sinal de satélite para conseguir fazer a cobrança. "Vou pegar o sinalzinho da máquina, tá? Quando tem muito pedido na rua, elas (máquinas) ficam doidinhas", diz ele, ao filmar frente e verso do cartão da senhora. O rosto do entregador aparece com clareza, embora o da cliente não seja visível. Após filmar os dados pessoais do cartão, o entregador se oferece para iluminar a maquininha enquanto a senhora digita a senha - quando ela aceita, o entregador acaba registrando também parte do código pessoal. SAIBA MAIS: Yasmin Brunet afirma que perdeu R$ 7.900 em 'golpe do delivery'; saiba como se proteger A BBC News Brasil tentou contato com a vítima do golpe, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem. Procurada pela BBC News Brasil, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo afirmou que só a partir da denúncia da vítima (e por consequência de um Boletim de Ocorrência) poderia se manifestar especificamente sobre o caso. Em nota, a secretaria afirmou que "é essencial o registro de ocorrências criminais, seja em delegacia física ou por meio da Delegacia Eletrônica, para que os crimes sejam devidamente investigados e os autores, presos. No caso de estelionato, a representação criminal por parte da vítima é necessária, conforme determina a lei". Dicas de prevenção do Procon-SP Câmera registra dados do cartão da cliente (acima, borrados) no momento da entrega do delivery Reproduçao/WhatsApp As recomendações do Procon-SP para se proteger de golpes durante o delivery de comidas são: Recusar máquinas com o visor quebrado ou que não permitam a leitura dos dados; Conferir o valor da compra e, de preferência, pagar somente no aplicativo; Não passar os seus dados por telefone; Desconfiar caso o entregador informe que é necessário pagar algum valor extra. "O consumidor deve procurar fazer o pagamento no momento do pedido, de forma online, evitando pagar na hora da entrega, que é o momento em que o golpe é aplicado. E lembrar que não existe taxa de entrega ou outra taxa extra. Qualquer ocorrência diferente deve ser comunicada à empresa", diz em nota Fernando Capez, diretor do Procon-SP. No caso específico do golpe citado no início desta reportagem, vale tomar cuidados extras, como manter o próprio cartão em mãos e prestar atenção redobrada ao apertar os números da senha. Golpes mais comuns Basta ter acesso a informações simples como data de validade, código de segurança, nome e número do cartão para se fazer determinadas compras online com o cartão alheio. É por isso que, muitas vezes, falsários tentam simplesmente registrar imagens do cartão de suas vítimas. Estas, sua vez, acabam tendo uma falsa sensação de segurança pelo fato de continuarem com o cartão em sua posse. A Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) detalhou como funcionam os principais golpes ligados a cartões registrados nos últimos meses no Brasil. Confira a seguir: Funcionários falsos de banco Usando gravações que imitam música e menus de centrais de bancos, falsários se apresentam como membros de centrais antifraude e pedem dados confidenciais de clientes. WhatsApp Se passando por funcionários de sites de compras, falsários clonam a conta de WhatsApp e a partir daí se passam pela vítima, enviando mensagens pedindo dinheiro para todos os seus contatos. Troca de Cartões Na hora do pagamento, atendentes mal-intencionados prestam atenção na senha usada pelo cliente ou pedem para que o código seja digitado no lugar do valor da compra. Ao registrarem a senha, eles entregam de volta outro cartão. Falso Motoboy Falsos funcionários de bancos telefonam para a vítima informando que seu cartão foi clonado e que um profissional buscará o cartão na casa do cliente. Muitas vezes, o falso funcionário quebra o cartão na frente da vítima, para que ela se senta mais segura. Mesmo quebrado, no entanto, o cartão continua podendo ser usado para compras online. Lojas falsas Normalmente perto de datas comerciais como Natal e Black Friday, vítimas recebem e-mails e mensagens de texto com supostos links promocionais para sites falsos que simulam grandes portais. Os dados são recolhidos e os produtos nunca são entregues. Por isso, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo recomenda que nunca se clique em links do tipo - é melhor digitar diretamente no seu navegador o site da loja desejada e fazer compras direto por esse caminho. Videochamada Pessoas se passando por funcionários convencem clientes de bancos a fazerem chamadas por vídeo quando usarem o caixa eletrônico. Assim, copiam todos os dados da vítima. Cartão extraviado Ladrões roubam cartas físicas de bancos com novos cartões e telefonam aos donos fingindo serem funcionários do banco. Após o cliente confirmar seus dados, eles conseguem desbloquear o cartão. Saiba como se proteger de golpes no WhatsApp Golpes no Whatsapp: saiba como se proteger Celular é a nova carteira; cuide de seus dados Celular é a nova carteira: saiba manter seu aparelho seguro e o que fazer em caso de roubo Veja Mais

Novas regras de aulas particulares da China colocam bilhões de dólares em jogo

G1 Economia Novas regras proíbem aulas com fins lucrativos em disciplinas escolares básicas; empresas privadas de educação devem enfrentar impacto significativo nos negócios, em uma indústria de US$ 120 bilhões, na qual investidores apostaram bilhões de dólares nos últimos anos. As novas regras da China para aulas particulares farão empresas privadas de educação enfrentarem um impacto significativo nos negócios, à medida que Pequim intensifica a supervisão regulatória de uma indústria de US$ 120 bilhões, na qual investidores apostaram bilhões de dólares nos últimos anos. As novas regras anunciadas na sexta-feira (23) proíbem aulas com fins lucrativos em disciplinas escolares básicas, em um esforço para aumentar a taxa de natalidade do país, reduzindo o custo de vida da família. De acordo com as novas regras, todas as instituições que oferecerem tutoria no currículo escolar serão cadastradas como entidades sem fins lucrativos, não havendo novas licenças concedidas, de acordo com documento oficial. As mudanças nas regras, que são muito mais duras do que o esperado anteriormente, colocaram em risco bilhões de dólares de capital público e privado investidos no setor nos últimos anos, na esperança de demanda contínua no país mais populoso do mundo. O movimento desencadeou uma forte queda na sexta-feira nas ações listadas em Hong Kong e Nova York de empresas de educação privadas chinesas, e as vendas continuaram nesta segunda-feira com algumas das ações despencando entre 30% e 40%. O TAL Education Group, listado nos Estados Unidos, disse no domingo que espera que as novas regras tenham "um impacto material adverso em seus serviços de reforço escolar depois das aulas ... o que, por sua vez, pode afetar adversamente" suas operações e perspectivas. Gaotu Techedu, New Oriental Education & Technology Group, Koolearn Technology Holding, Scholar Education Group e China Beststudy Education Group deram declarações parecidas nesta segunda-feira. As novas regras farão com que as empresas de tutoria online existentes sejam submetidas a escrutínio extra e as aulas de reforço depois das aulas serão proibidas durante os fins de semana, feriados e férias escolares, disse o documento. As instituições de ensino baseadas em currículos também seriam proibidas de levantar dinheiro por meio de listagens, enquanto as empresas listadas seriam proibidas de investir em tais instituições, disse o relatório. O Goldman Sachs disse em relatório que seus preços-alvo para ações de tutoria listadas seriam reduzidas em 78% em média. O impacto, disse, seria principalmente em razão da proibição de aulas de reforço nos fins de semana e nas férias de inverno e verão, que geraram até 80% da receita das empresas. Veja Mais

Região de Campinas inicia semana com 795 vagas de emprego abertas; veja oportunidades

G1 Economia Ofertas de trabalho estão distribuídas em 13 cidades. Do total de vagas, 26 são exclusivas para pessoas com deficiência (PCD). Região de Campinas (SP) oferece 795 vagas em 13 cidades nesta segunda-feira (26) Divulgação / Governo de Goiás Os Postos de Atendimento ao Trabalhador (PATs) de 13 cidades da região de Campinas (SP) abrem a semana com 795 vagas de emprego em aberto. As pessoas interessadas podem se candidatar a partir desta segunda-feira (26). Indaiatuba, com 173 vagas, e Americana, com 134 vagas, são os municípios com mais oportunidades. Do total de vagas oferecidas, 26 são exclusivas para pessoas com deficiência (PCD) nas cidades de Campinas, Espírito Santo do Pinhal, Indaiatuba, Itapira, Mogi Guaçu e Vinhedo. Os municípios de Itapira, Mogi Mirim e Serra Negra não especificaram a quantidade de vagas para cada cargo, por isso, o número de ofertas de trabalho pode ser superior a 795. Confira o número de vagas por cidade: Americana - 134 vagas Campinas - 98 vagas Espírito Santo do Pinhal - 26 vagas Indaiatuba - 173 vagas Itapira - 36 cargos Jaguariúna - 52 vagas Mogi Guaçu - 104 vagas Mogi Mirim - 16 cargos Monte Mor - 15 vagas Serra Negra - 28 cargos Sumaré - 29 vagas Valinhos - 62 vagas Vinhedo - 22 vagas As vagas disponíveis nas unidades são para diversos níveis de escolaridade e destinadas a candidatos de todos os gêneros. Por conta da pandemia da Covid-19, alguns PATs possuem apenas o serviço virtual como possibilidade de atendimento. Veja abaixo. Americana Nesta segunda-feira (26), o Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) de Americana (SP) oferece 134 vagas em 51 postos de trabalho. O balanço atualizado foi enviado pela assessoria de imprensa às 15h10, desta sexta-feira (23). Confira a lista completa abaixo: Açougueiro (a) - 2 vagas; Agente de negócios - 20 vagas; Ajudante de eletricista - 1 vaga; Ajudante de montagem - 1 vaga; Ajudante de obras - 2 vagas; Ajudante de pedreiro - 4 vagas; Ajudante de produção - 1 vaga; Ajudante geral - 1 vaga; Assistente de departamento pessoal - 1 vaga; Auxiliar administrativo - 1 vaga; Auxiliar de limpeza - 1 vaga; Auxiliar de padeiro - 1 vaga; Auxiliar de produção - 30 vagas; Balconista em floricultura - 2 vagas; Caldeireiro (a) - 2 vagas; Casal de caseiros (a) - 1 vaga; Costureiro (a) - 2 vagas; Desenvolvimento de sistemas e web designer - 1 vaga; Eletricista júnior - 1 vaga; Engrupador (a) têxtil - 1 vaga; Jardineiro (a) - 1 vaga; Maçariqueiro (a) - 3 vagas; Mecânico (a) de autos - 1 vaga; Mecânico (a) de manutenção - 1 vaga; Montador (a) de painéis (equipamentos elétricos) - 2 vagas; Motorista de ônibus e micro-ônibus - 1 vaga; Oficial de serviços gerais - 2 vagas; Operador (a) de acabamento de máquinas têxteis - 1 vaga; Operador (a) de armazém - 20 vagas; Operador (a) de máquinas convencionais - 1 vaga; Operador (a) de varredeira empilhadeira - 1 vaga; Operador (a) de trator de esteira - 1 vaga; Pedreiro (a) - 4 vagas; Produção de montagem de móveis - 1 vaga; Programador (a) de centro de usinagem - 1 vaga; Programador (a) e operador (a) torno CNC - 1 vaga; Serralheiro (a) de esquadrias de alumínio - 1 vaga; Soldador (a) - 1 vaga; Supervisor (a) de pizzaria - 1 vaga; Tecelão (a) - 1 vaga; Tecelão (a) de tear circular - 1 vaga; Tecelão (a) de teares a jato de ar picanol - 1 vaga; Técnico (a) de informática interno - 1 vaga; Técnico (a) de instalação - 1 vaga; Técnico (a) de manutenção - 1 vaga; Urdidor (a) - 1 vaga; Vendedor (a) de esquadrias de alumínio - 1 vaga; Vendedor (a) externo - 1 vaga; Vendedor (a) externo - 1 vaga; Vendedor (a) interno - 1 vaga; Vendedor (a) interno - 2 vagas. Serviço PAT Americana Como se candidatar: Apesar do PAT continuar atendendo presencialmente, os currículos devem ser cadastrados online. Endereço físico: Rua Anhanguera, n° 16, Centro. Horário de funcionamento: 9h às 17h. Endereço virtual: site do PAT. Telefone: 3475-3559. Campinas O CPAT de Campinas (SP) conta com 98 vagas nesta segunda-feira (26). As oportunidades estão distribuídas em 47 cargos. Destas, 21 são exclusivas para Pessoas com Deficiência (PCD). O levantamento feito pelo G1 considera as atualizações feitas na página até sábado (24), às 15h. Confira as vagas: Atendente de informações (telemarketing) - 2 vagas exclusivas para PCD; Ajudante de obras - 5 vagas; Analista de exportação e importação - 1 vaga; Armador (a) de ferragens na construção civil - 2 vagas; Armador (a) de ferro -2 vagas; Atendente de loja de aquários - 2 vagas; Auxiliar administrativo (a) - 6 vagas exclusivas para PCD; Auxiliar de laboratório de análises físico-químicas - 1 vaga exclusiva para PCD; Auxiliar de limpeza para obras -1 vaga; Auxiliar de manutenção predial - 2 vagas; Azulejista - 1 vaga; Carpinteiro (a) de obras - 2 vagas; Costureiro (a) de máquina overloque e galoneira - 2 vagas; Costureiro (a) de máquinas industriais - 1 vaga; Costureiro (a) de máquinas industriais na confecção de jaquetas - 1 vaga; Costureiro (a) geral - 2 vagas; Eletricista com NR10 - 1 vaga; Eletricista de instalações - 1 vaga; Eletricista de manutenção industrial com NR10 - 1 vaga; Eletricista de rede - 1 vaga; Encanador (a) - 3 vagas; Enfermeiro (a) - 1 vaga exclusiva para PCD; Estagiário (a) auxiliar contábil - 1 vaga; Gesseiro (a) - 1 vaga; Jardineiro (a) - 1 vaga; Marceneiro (a) - 1 vaga; Mecânico (a) de manutenção de máquinas industriais - 1 vaga; Modelista de roupas -1 vaga; Motorista carreteiro (a) - 1 vaga; Motorista de caminhão - 1 vaga; Motorista de caminhão-guincho pesado - 1 vaga; Motorista entregador (a) -1 vaga; Motorista operador (a) de bomba de concreto - 2 vagas; Operador (a) de bomba de concreto - 2 vagas; Operador (a) de máquina - 4 vagas; Operador (a) de motosserra - 4 vagas; Operador (a) de processo de produção laboratorial - 4 vagas exclusivas para PCD; Operador (a) de roçadeira - 4 vagas; Operador (a) de telemarketing bilíngue (espanhol) - 5 vagas; Pedreiro (a) - 7 vagas; Pintor (a) de obras - 1 vaga; Porteiro (a) - 4 vagas exclusivas para PCD; Serralheiro (a) - 1 vaga; Servente de limpeza - 1 vaga; Técnico (a) de enfermagem - 1 vaga exclusiva para PCD; Técnico (a) de sistema de automação industrial - 1 vaga; Técnico (a) de manutenção de máquinas - 1 vaga; Técnico (a) em patologia clínica - 1 vaga exclusiva para PCD; Vendedor (a) externo (a) 4 vagas. Serviço CPAT Campinas Como se candidatar: o atendimento presencial na metrópole é realizado em três unidades. É necessário fazer agendamento prévio pelo Portal do Cidadão. Documentos exigidos: indicados conforme o agendamento. Endereço virtual para consulta de vagas: CPAT Campinas. Unidades Centro: Avenida Campos Salles, 427, Centro. Atende de segunda à sexta, das 7h30 às 16h30. Na última sexta-feira do mês, encerra as atividades às 12h. Ouro Verde: Avenida Ruy Rodrigues, 3.900, Parque Universitário (shopping Spazio Ouro Verde, 1º andar). Atende de segunda à sexta, das 8h às 16h e fecha às 11h na última sexta-feira do mês. Campo Grande: Rua Manoel Machado Pereira, 902, Parque Valença 1 (em frente à Praça da Concórdia). Funciona de segunda à sexta, das 8h às 16h. Na última sexta-feira do mês, encerra o expediente às 11h. Espírito Santo do Pinhal O PAT de Espírito Santo do Pinhal (SP) está com 26 vagas abertas em 15 postos de trabalho, sendo uma delas exclusiva para PCDs. O balanço foi enviado às 11h50, desta sexta-feira (23), pela assessoria de imprensa. Confira a lista completa abaixo: Analista de importação e exportação - 1 vaga; Assistente comercial - 1 vaga; Assistente técnico em manutenção de máquinas agrícolas - 1 vaga; Atendente de padaria - 1 vaga; Auxiliar de linha de produção - 1 vaga exclusiva PCD; Costureiro (a) de máquinas industriais - 1 vaga; Garçom/ Garçonete - 1 vaga; Manicure - 1 vaga; Montador (a) de máquinas - 10 vagas; Operador (a) de máquinas fixas com comando numérico - 1 vaga; Operador (a) de torno CNC - 1 vaga; Padeiro (a) - 1 vaga; Pintor (a) industrial - 1 vaga; Soldador (a) com solda TIG - 1 vaga; Vendedor (a) de planos de internet - 3 vagas. Serviço PAT Espírito Santo do Pinhal Como se candidatar: O currículo deve ser enviado para o e-mail do PAT, com o CPF e a vaga de interesse detalhados no assunto da mensagem. Endereço físico: Avenida Oliveira Mota, n° 1, Centro. Endereço virtual: site do PAT. Horário de funcionamento: 8h às 16h. Documentos exigidos: Número do CPF e currículo. E-mail para envio dos currículos: vagas.patpinhal@gmail.com. Telefone: 3661-2114. Indaiatuba Indaiatuba (SP) oferece 173 vagas em 96 postos de trabalho nesta segunda-feira (26). O levantamento considera as atualizações enviadas pela assessoria de imprensa na última sexta-feira (23) às 15h30. Confira as oportunidades: Açougueiro (a) - 3 vagas; Ajudante de cozinha - 3 vagas; Ajudante de carga e descarga de mercadoria - 2 vagas; Ajudante de lavador de automóvel - 1 vaga; Analista de logística e transporte - 1 vaga exclusiva para PCD; Assistente de prevenção de perda - 2 vagas; Assistente de vendas - 1 vaga; Atendente de lanchonete - 1 vaga; Auxiliar administrativo (a) - 1 vaga; Auxiliar de almoxarifado - 1 vaga; Auxiliar de cozinha - 6 vagas; Auxiliar de jardinagem na conservação de vias permanentes - 3 vagas; Auxiliar de linha de produção - 3 vagas; Auxiliar de logística - 2 vagas; Auxiliar de marceneiro - 1 vaga; Auxiliar de mecânico de autos - 1 vaga; Ajudante de obras - 1 vaga; Auxiliar operacional de logística - 1 vaga; Caldeireiro (a) (chapas de ferro e aço) - 1 vaga; Caldeireiro (a) montador (a) - 3 vagas; Carpinteiro (a) - 2 vagas; Cartazeiro (a) - 2 vagas; Chapista de lanchonete - 1 vaga; Cobrador (a) externo (a) - 2 vagas; Coletor (a) de lixo domiciliar - 1 vaga; Consultor (a) de vendas - 1 vaga; Cozinheiro (a) geral - 4 vagas; Desenhista copista - 2 vagas; Eletricista - 2 vagas; Eletricista de instalações de veículos automotores - 1 vaga; Empregado (a) doméstico (a) nos serviços gerais - 1 vaga; Encanador (a) industrial - 1 vaga; Encarregado (a) eletricista de instalações - 2 vagas; Encarregado (a) de frios - 2 vagas; Encarregado (a) de supermercado - 4 vagas; Estoquista - 4 vagas; Ferramenteiro (a) - 1 vaga; Fiscal de prevenção de perdas - 2 vagas; Fresador (a) (fresadora universal) - 1 vaga; Funileiro (a) de automóveis (reparação) - 1 vaga; Garçom/Garçonete - 1 vaga; Gerente administrativo (a) de lanchonete - 2 vagas; Inspetor (a) de qualidade - 1 vaga; Instalador (a) de sistemas eletroeletrônicos de segurança - 1 vaga; Instrutor (a) no Ensino Médio - 1 vaga; Lavador (a) de automóveis - 1 vaga; Marceneiro (a) - 1 vaga; Mecânico (a) ajustador (a) - 1 vaga; Mecânico (a) de auto em geral - 1 vaga; Mecânico (a) eletricista de automóveis - 1 vaga; Mecânico (a) de manutenção de máquina industrial - 2 vagas; Mecânico (a) montador (a) - 3 vagas; Montador (a) de andaimes (edificações) - 1 vaga; Montador (a) de aparelhos elétricos - 1 vaga; Montador (a) de automóveis - 1 vaga; Montador (a) de equipamentos de telecomunicações - 1 vaga; Montador (a) de estruturas metálicas - 1 vaga; Montador (a) soldador (a) - 1 vaga; Motorista de caminhão - 4 vagas; Motorista carreteiro (a) - 1 vaga; Nutricionista - 2 vagas; Oficial de manutenção predial - 2 vagas; Oficial de serviços gerais na manutenção de edificações - 5 vagas; Operador (a) de empilhadeira - 3 vagas; Operador (a) de furadeiras -1 vaga; Operador (a) de injetora de plástico -1 vaga; Operador (a) de máquina de usinagem madeira, em geral - 1 vaga; Operador (a) de seccionadora - 1 vaga; Operador (a) de sistemas de informática (teleprocessamento) - 2 vagas; Operador (a) de tesoura mecânica e máquina de corte, no acabamento de chapas e metais -1 vaga; Operador (a) de torno com comando numérico - 2 vagas; Pedreiro (a) - 1 vaga; Pintor (a) de automóveis - 1 vaga; Pintor (a) industrial - 2 vagas; Pintor (a) de veículos (reparação) -1 vaga; Pizzaiolo (a) - 1 vaga; Preparador (a) de torno automático - 1 vaga; Repositor (a) em supermercados - 3 vagas; Serralheiro (a) - 1 vaga; Serralheiro (a) Industrial - 1 vaga; Servente de obras - 1 vaga; Soldador (a) - 3 vagas; Supervisor (a) de atendimento (caixas e bilheteiros) - 2 vagas; Tapeceiro (a) de autos - 1 vaga; Técnico (a) analista de programação - 1 vaga; Técnico (a) em segurança do trabalho - 1 vaga; Técnico (a) de suporte ao usuário de tecnologia da informação - 1 vaga; Torneiro (a) CNC - 1 vaga; Torneiro ferramenteiro (a) - 1 vaga; Torneiro (a) mecânico (a) - 2 vagas; Tratorista operador (a) de roçadeira - 3 vagas; Vendedor (a) - 8 vagas; Vendedor (a) pracista (externo) - 1 vaga; Vendedor (a) de serviços - 10 vagas; Vidraceiro (a) - 1 vaga; Vigilante - 1 vaga. Serviço PAT Indaiatuba Como se candidatar: interessados devem ligar no posto e indicar o cargo desejado. Endereço físico: Rua 24 de Maio, 1.670. Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 8h às 15h. Documentos exigidos: carteira de trabalho e currículo. E-mail: adriana.gimenes@indaiatuba.sp.gov.br. Telefone: (19) 3816-9252. Itapira O PAT de Itapira (SP) tem vagas abertas para 36 ocupações, mas não especificou a quantidade por posto de trabalho. A informação foi enviada via assessoria de imprensa na sexta-feira (23), às 15h30. Confira os cargos: Apontador (a); Armador (a); Auxiliar de departamento pessoal; Auxiliar de expedição; Auxiliar de manutenção; Auxiliar de produção; Auxiliar de logística/ produção - vaga exclusiva para PCD; Campeiro (a); Caseiro (a); Desenhista técnico (a) mecânico (a); Eletricista de manutenção; Eletricista industrial; Empregado (a) doméstico (a); Esteticista; Feitor (a); Ferramenteiro (a); Greidista; Mecânico (a); Mecânico (a) de manutenção; Motorista demonstrador (a); Operador (a) de escavadeira; Operador (a) de motoniveladora; Operador (a) de pá carregadeira; Operador (a) de rolo; Operador (a) de plaina; Operador (a) de torno CNC; Pedreiro (a); Pintor (a); Piscineiro (a); Promotor (a) de venda; Serviços gerais; Soldador (a); Torneiro mecânico (a); Tratorista; Vendedor (a) externo (a); Vigilante patrimonial. Serviço PAT Itapira Como se candidatar: por e-mail em postoatendimentoitapira@gmail.com. Endereço: Rua Vitorio Copos, 122, Jardim Soares. Horário de funcionamento: segunda à sexta, das 8h às 16h30. Documentos exigidos: enviar currículo, número do PIS e vaga pretendida. Telefone: (19) 3843-4564. Jaguariúna O PAT de Jaguariúna (SP) conta com 52 vagas abertas nesta segunda-feira (26). As oportunidades são para 40 cargos. O balanço do G1 considera a informação enviada via assessoria de imprensa nesta sexta-feira (02) às 14h. Confira as vagas: ½ oficial de cozinha - 2 vagas; Açougueiro (a) - 1 vaga; Ajudante de carga e descarga - 2 vagas; Ajudante de cozinha - 2 vagas; Ajudante de obra - 1 vaga; Assistente administrativo - 1 vaga; Auxiliar contábil - 1 vaga; Auxiliar de compras - 1 vaga; Auxiliar de departamento pessoal - 1 vaga; Auxiliar de limpeza - 3 vagas; Auxiliar de manutenção predial - 2 vagas; Auxiliar de produção - 2 vagas; Barbeiro (a) - 1 vaga; Barman - 1 vaga; Caldeireiro (a) montador - 1 vaga; Carpinteiro (a) - 1 vaga; Caseiro (a) - 1 vaga; Doméstico (a) - 2 vagas; Garçom/Garçonete - 1 vaga; Impressor (a) flexográfico (a) - 1 vaga; Maçariqueiro (a) - 1 vaga; Mecânico (a) de máquinas pesadas - 1 vaga; Montador (a) de veículos - 1 vaga; Operador (a) de estação de tratamento de água e caldeira - 1 vaga; Operador (a) de jato abrasivo - 1 vaga; Operador (a) de máquinas - 1 vaga; Operador (a) de produção - 3 vagas; Operador (a) de riscadora - 1 vaga; Pedreiro (a) - 1 vaga; Pizzaiolo (a) - 1 vaga; Preparador (a) de veículos - 1 vaga; Recepcionista - 1 vaga; Serralheiro (a) - 1 vaga; Soldador (a) - 2 vagas; Técnico (a) em enfermagem - 1 vaga; Técnico (a) de instalação de TV/internet - 1 vaga; Técnico (a) mecânico (a) - 1 vaga; Técnico (a) em segurança do trabalho - 2 vagas; Tratorista - 1 vaga; Tosador (a) - 1 vaga. Serviço PAT Jaguariúna Como se candidatar: atendimento presencial com agendamento prévio pelo site. Endereço físico: Rua Coronel Amâncio Bueno, 810, Centro. Horário de funcionamento: segunda à sexta, das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30. Documentos exigidos: carteira de trabalho, RG, CPF e currículo atualizado. Endereço virtual: Prefeitura de Jaguariúna. Mogi Guaçu Mogi Guaçu (SP) informou, por meio da assessoria de imprensa, ter 104 vagas de trabalho disponíveis em 39 ocupações. O balanço considera atualização até sexta-feira (16), às 16h. As oportunidades são: Agente de faturamento - 1 vaga exclusiva para PCD; Agente de negócios - 20 vagas; Ajudante de açougueiro - 2 vagas; Ajudante montagem de móveis - 1 vaga; Assistente de mercearia - 1 vaga; Atendente de balcão - 1 vaga exclusiva para PCD; Auxiliar administrativo - 1 vaga; Auxiliar de laminação de fibras de vidro - 3 vagas; Auxiliar de limpeza - 5 vagas; Auxiliar de mecânico a diesel - 1 vaga; Caldeireiro (a) - 5 vagas; Captador (a) de imóveis - 2 vagas; Chefe de cozinha - 1 vaga; Consultor (a) de vendas - 6 vagas; Cuidador (a) de idosos - 1 vaga; Eletricista de alta tensão - 2 vagas; Estagiário (a) de logística - 2 vagas; Fresador (a) - 1 vaga; Instalador (a) de alarmes - 3 vagas; Instalador (a) de sistemas eletrônicos de segurança - 1 vaga; Instrutor (a) de autoescola - 1 vaga; Lavador (a) de carros - 1 vaga; Mecânico (a) de automóvel - 2 vagas; Mecânico (a) de empilhadeira - 1 vaga; Mecânico (a) de manutenção de automóveis - 2 vagas; Mecânico (a) de veículos automotores a diesel - 1 vaga; Montador (a) mecânico (a) hidráulico - 1 vaga; Operador (a) de caixa - 1 vaga exclusiva para PCD; Operador (a) de centro de usinagem com comando numérico - 2 vagas; Operador (a) de máquinas usinagem e madeiras em geral - 3 vagas; Operador (a) de torno CNC - 5 vagas; Padeiro (a) - 1 vaga; Pedreiro (a) - 2 vagas; Polidor (a) de veículos - 1 vaga; Projetista de tubulação - 1 vaga; Serralheiro (a) - 1 vaga; Supervisor (a) de açougue - 1 vaga; Vendedor (a) de consórcio - 5 vagas; Vendedor (a) externo (a) - 12 vagas. Serviço PAT Mogi Guaçu Como se candidatar: presencialmente. Endereço: Rua São José, 49, Vila Julia. Horário de funcionamento: segunda à sexta, das 8h às 16h e atendimento interno até às 17h. Documentos exigidos: RG, CPF, Carteira de Trabalho. E-mail e site: divulgação no site da Prefeitura e patmogiguacu@sde.sp.gov.br. Telefone: (19) 3841-7323 e 3891-5300. Mogi Mirim O PAT de Mogi Mirim (SP) tem vagas abertas para 16 cargos, mas não especificou a quantidade por posto de trabalho. A informação foi enviada via assessoria de imprensa na sexta-feira (23), às 16h. Confira as ofertas: Assistente financeiro; Auxiliar de expedição; Auxiliar de logística; Auxiliar de produção; Auxiliar de recursos humanos; Auxiliar operacional de instalação; Eletricista; Gerente de logística; Jornalista; Padeiro (a); Pedreiro (a); Promotor (a) de vendas; Soldador (a); Técnico (a) em manutenção de elevadores; Técnico (a) em meio ambiente; Técnico (a) em segurança do trabalho. Serviço PAT Mogi Mirim Como se candidatar: comparecer ao PAT com os documentos exigidos. Endereço físico: Avenida Adib Chaib, 2250, Centro (Espaço Cidadão). Horário de funcionamento: segunda à sexta, das 7h30 às 16h. Documentos exigidos: carteira de trabalho, RG, CPF e currículo. E-mail: patmogimirim@sde.sp.gov.br. Telefone: (19) 3877 3079. Monte Mor Monte Mor (SP) informou, por meio de assessoria de imprensa, ter 15 vagas em 12 cargos. O balanço considera atualização até sexta-feira (23), às 9h. As vagas são: Assistente de compras - 1 vaga; Assistente de TI - 1 vaga; Auxiliar do comércio - 1 vaga; Comprador (a) - 1 vaga; Conferente - 1 vaga; Eletricista predial - 1 vaga; Motorista carga e descarga - 1 vaga; Operador (a) de caixa depósito - 1 vaga; Operador (a) de transpaleteira elétrica - 2 vagas. Recuperador (a) de crédito - 2 vagas; Supervisor (a) de SAC - 1 vaga; Vendedor (a) trabalho interno - 2 vagas. Serviço PAT Monte Mor Como se candidatar: por meio do e-mail. Endereço: Avenida Jânio Quadros, 1.597, Jardim Santo Antônio. Horário de funcionamento: das 8h às 17h. Documentos exigidos: enviar o currículo pelo e-mail com vaga de interesse no assunto da mensagem. E-mail: pat.empresas@montemor.sp.gov.br. Telefone: (19) 99328-2501. Serra Negra A Prefeitura de Serra Negra (SP) informou, por meio de assessoria de imprensa, ter 28 cargos de empregos disponíveis, mas não disponibilizou a quantidade de vagas em cada um. O balanço considera a atualização até sexta-feira (23), às 9h. Os cargos são: Ajudante de governança; Auxiliar de cozinha; Auxiliar de engarrafamento; Balconista; Caixa e serviços manuais externos; Campeiro (a); Cargueiro (a) (carregamento de água); Caseiro (a); Chefe de cozinha; Colhedor (a) de café; Costureira; Cozinheiro (a); Enfermeiro (a); Estagiário (a) em tecnologia da informação; Garçom/Garçonete; Manicure; Moldureiro (a); Motorista de caminhão truck; Pizzaiolo (a); Recepcionista de hotel; Técnico (a) de controle de pragas do café; Técnico (a) de enfermagem; Técnico (a) de irrigação do café; Técnico (a) de segurança do trabalho; Trabalhador (a) rural em horta orgânica; Tratorista; Vendedor (a) loja cosméticos; Vendedor(a)/projetista. Serviço PAT Serra Negra Como se candidatar: os interessados devem comparecer no Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT). Endereço: Rua José Bonifácio, 283, no Centro. Horário de funcionamento: segunda, quarta e sexta-feira, 9h às 14h. Documentos exigidos: RG, CPF, carteira de trabalho e currículo. E-mail: pat.snegra@gmail.com. Telefone: (19) 3842-2514. Sumaré A Prefeitura de Sumaré (SP) informou, por meio do site, ter 12 cargos de emprego disponíveis e 29 vagas por ocupação. O balanço considera atualização até sexta-feira (23), às 14h. As oportunidades são: Auxiliar de informática - 4 vagas; Auxiliar de manutenção - 1 vaga; Auxiliar de Recursos Humanos - 1 vaga; Cartazista - 1 vaga; Depósito - 1 vaga; Frente de Caixa - 2 vagas; Hortifruti - 1 vaga; Líder de setor - 9 vagas; Líder de setor (prevenção de perdas) - 2 vagas; Loja (mercearia) - 3 vagas; Marceneiro (a) e carpinteiro (a) - 2 vagas; Setor de Frios - 2 vagas. Serviço PAT Sumaré Como se candidatar: os currículos devem ser enviados até a próxima quarta-feira (23) para o e-mail. Endereço: Avenida Brasil, 201, no Jardim Nova Veneza. Horário de funcionamento: das 8h até às 16h. Documentos exigidos: carteira de trabalho, RG e currículo. E-mail: dirceu.pacheco@sumare.sp.gov.br. Telefone: (19) 3399-5638. Valinhos A Prefeitura de Valinhos (SP) está com 62 vagas em 42 ocupações. O balanço considera atualização até sexta-feira (23), às 8h. As vagas são: Ajudante geral - 1 vaga; Ajudante de jardinagem - 3 vagas; Ajudante de motorista - 1 vaga; Ajudante de tapeceiro - 1 vaga; Assistente comercial - 1 vaga; Assistente contábil - 1 vaga; Assistente de qualidade - 1 vaga; Auditor (a) (estágio) - 1 vaga; Auxiliar administrativo (estágio) - 1 vaga; Auxiliar de limpeza - 1 vaga; Auxiliar de cozinha - 2 vagas; Auxiliar de manutenção predial - 2 vagas; Auxiliar de planejamento e controle de manutenção - 1 vaga; Caseiro (a) - 2 vagas; Churrasqueiro (a) - 1 vaga; Controlador (a) de acesso - 1 vaga; Coordenador (a) de plantão (restaurante) - 1 vaga; Costureira - 1 vaga; Desenhista projetista júnior - 1 vaga; Encarregado (a) de limpeza - 1 vaga; Estagiário (a) de T.I - 1 vaga; Faxineira (diarista) - 5 vagas; Garagista - 1 vaga; Garçom/Garçonete - 2 vagas; Jardineiro (a) - 2 vagas; Lavador (a) de veículos - 1 vaga; Líder de açougue - 1 vaga; Mandrilhador (a) - 2 vagas; Marceneiro (a) - 1 vaga; Mecânico (a) de manutenção industrial - 2 vagas; Motorista - 2 vagas; Oficial de manutenção predial - 1 vaga; Operador (a) de empilhadeira - 1 vaga; Orientador (a) de estacionamento - 1 vaga; Pizzaiolo (a) - 1 vaga; Recepcionista - 1 vaga; Soldador (a) - 1 vaga; Tratador (a) - 1 vaga; Vendedor (a) em domicílio - 5 vagas; Vendedor (a) interno - 2 vagas; Vistoriador (a) de obras - 1 vaga; Zelador (a) - 2 vagas. Serviço PAT Valinhos Como se candidatar: O candidato deve entrar em contato com a unidade pelo telefone. Endereço físico: Rua Tomás Antônio Gonzaga, 58, Vila Papelão. Horário de funcionamento: das 8h30 às 16h30. Documentos exigidos: segundo a prefeitura, durante o atendimento pelo telefone será informado os documentos necessários. Endereço virtual: as vagas também podem ser consultadas pelo site da prefeitura. Telefone: (19) 3849-7187. Vinhedo A Prefeitura de Vinhedo (SP) informou, por meio de assessoria de imprensa, ter 22 vagas em 16 ocupações. O balanço considera atualização até sexta-feira (23). Os cargos são: Ajudante de cozinha - 1 vaga; Atendente de balcão - 1 vaga; Atendente de pedágio - 2 vagas; Auxiliar de dentista -1 vaga; Auxiliar de dentista - 1 vaga; Auxiliar de logística - 1 vaga exclusivas para PCD; Auxiliar mecânico de autos - 1 vaga; Auxiliar técnico de controle de qualidade - 2 vagas; Costureira em geral - 3 vagas; Fisioterapeuta - 1 vaga; Gerente administrativo - 1 vaga; Mecânico (a) de manutenção de automóveis - 1 vaga; Mecânico (a) lubrificador industrial - 1 vaga; Supervisor (a) de cozinha - 1 vaga; Vendedor (a) de serviços - 3 vagas; Vendedor (a) interno - 1 vaga. Serviço PAT Vinhedo Como se candidatar: interessados devem enviar currículo por e-mail ou se dirigir a unidade do PAT. Endereço: Rua Monteiro de Barros, 17, Centro. Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h30. Documentos exigidos: carteira de trabalho, RG, CPF e número do PIS. E-mail: patemprego@vinhedo.sp.gov.br. Telefone: (19) 3886-1077. VÍDEOS: Tudo sobre Campinas e Região Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas Veja Mais

Conta de luz continuará em agosto com taxa extra mais elevada, informa Aneel

G1 Economia Agência informou que a cobrança extra continuará na cor vermelha patamar 2, na qual são cobrados R$ 9,49 a mais a cada 100 quilowatts/hora consumidos. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta sexta-feira (30) que a conta de luz continuará em agosto com a taxa extra mais elevada. Portanto, com a decisão, seguirá em vigor a bandeira tarifária vermelha patamar 2, na qual são cobrados R$ 9,49 a mais na conta de luz a cada 100 quilowatts/hora (kWh) consumidos. O valor de R$ 9,49 é 52% superior ao registrado em junho, quando a bandeira vermelha 2 também estava em vigor e custava R$ 6,24 a mais a cada 100 kWh. O valo foi reajustado a partir de julho. Há, ainda, a possibilidade de a agência subir novamente o valor da bandeira vermelha 2. Uma consulta pública foi aberta neste mês para decidir se a taxa dessa bandeira continuará em R$ 9,49 por 100 kWh ou se aumentará para R$ 11,5 por cada 100 kWh, em virtude da pior crise hídrica dos últimos 91 anos. Essa consulta pública foi encerrada em 30 de julho. Agora, a área técnica vai emitir seu parecer e o processo será levado para decisão da diretoria colegiada da Aneel. Ainda não tem data para isso acontecer. Conforme informou a colunista do G1 Ana Flor, a tendência era os diretores da agência manterem o valor de R$ 9,49 para atender o governo. Reservatórios de água estão baixos em 10 estados no Brasil Reservatórios Segundo projeções da área técnica da Aneel, a tendência é que a bandeira vermelha patamar 2 vigore até novembro nas contas de luz. O motivo é o baixo nível de reservatórios das usinas hidrelétricas, fruto do mais seco período chuvoso em 91 anos, registrado de novembro de 2020 a abril de 2021. Até quinta-feira (29), os reservatórios do Sudeste e Centro-Oeste – responsáveis por cerca de 70% da capacidade de geração de energia do país – estavam em níveis muito baixos: 26,14%, de acordo com dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Para efeitos de comparação, o nível água dos reservatórios em 2001, quando o país passou por um racionamento de energia, era de cerca de 27% em julho daquele ano. O ONS acredita que os reservatórios podem cair para 10% da sua capacidade até novembro deste ano, pois estamos no período seco (chuvas escassas). Para evitar o esvaziamento completo dos reservatórios e garantir o fornecimento de energia, as usinas termelétricas têm sido acionadas. Porém, são mais poluentes e mais caras se comparadas às usinas hidrelétricas. O aumento no custo da geração de energia é repassado para os consumidores através das bandeiras tarifárias e, se necessário, nos reajustes anuais de cada distribuidora de energia. Apesar do baixo nível dos reservatórios, o governo descarta racionamento de energia em 2021. Entenda as bandeiras tarifárias Arte G1 Como funciona o sistema de bandeiras tarifárias O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 para sinalizar o custo de geração de energia. A bandeira fica na cor verde quando o nível dos reservatórios está alto e não há necessidade de acionamento extra de usinas térmicas. Nesse caso, não há cobrança adicional na conta de luz. Com os reservatórios baixos, a perspectiva é de alta no custo da energia já que exige o acionamento de mais térmicas. Assim, a bandeira pode passar para as cores amarela e vermelha (patamar 1 ou 2), em que há o custo extra. Antes do sistema de bandeiras, o custo do acionamento das térmicas era repassado atrasado, somente no ajuste anual das tarifas, o que acarretava na cobrança de juros e correção monetária, penalizando o consumidor. Análise Ouça o episódio do podcast O Assunto sobre o "Endividamento recorde do brasileiro": Veja Mais

Aluguéis de carros sobem e pressionam motoristas de aplicativos

G1 Economia Capital paulista enfrenta reajuste maior que a média nacional; categoria diz que muitos profissionais estão abandonando o trabalho por causa da pressão dos custos. Serviço de locação de veículos cresce na região de Itapetininga Reprodução/TV TEM O preço do aluguel de carros para motoristas de aplicativos subiu, em média, 15% no país em menos de seis meses. A diária passou de R$ 55,00 em fevereiro deste ano para R$ 63,00 em julho. O levantamento da Consultoria Teros foi feito em sete capitais (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Recife e Porto Alegre), além de Campinas, no interior paulista. "O aumento foi linear entre veículos de entrada e os mais sofisticados, ao contrário do que ocorreu com o aluguel de veículos para o público geral, em que os carros mais simples tiveram um reajuste menor", explica o economista Juan Perez Férres, fundador da Teros. Preço dos combustíveis aperta lucro de motoristas de app e motoboys – que escolhem corridas e pensam em largar a profissão Uber transforma derrota judicial em marketing com oferta de férias e salário mínimo, mas não no Brasil Ainda segundo a análise, os preços do aluguel de carros para o consumidor comum subiram 21%, em média, em 28 cidades, sendo que, na capital paulista, a alta chegou a 28%. Entre os carros sofisticados, o reajuste foi de 19% e entre os modelos básicos, 23%. Para o autor da pesquisa, os aumentos nos preços dos aluguéis de veículos têm algumas explicações: como as montadoras estão com dificuldade para entregar carros por causa da falta de componentes, o mercado de usados está aquecido e as locadoras aproveitaram para vender e lucrar. Com menos veículos disponíveis para locação e maior demanda em função da retomada da economia, os preços subiram. De acordo com Férres, nos últimos cinco anos, o mercado "rent a car" vinha numa tendência contínua de queda de preços, o que tem se revertido neste cenário de fim da pandemia. No estado de São Paulo, 60% dos motoristas de aplicativos usam carros alugados, segundo a Associação dos Motoristas de Aplicativos de São Paulo (Amasp). E a locação representa, de acordo com a associação, 35% dos gastos de cada condutor. Eduardo Lima de Souza, presidente da Amasp e motorista de aplicativo há cinco anos, aponta outro motivo para o aumento dos valores: a fusão entre as duas maiores locadoras do país, Localiza e Unidas. "As locadoras menores não têm tantos veículos e essa falta de carros vem pressionando os preços", afirma Souza. Ainda de acordo com a Amasp, até fevereiro, a mensalidade de um carro de quatro portas com ar-condicionado era na faixa de R$ 1.300,00 a R$ 1.420,00. Depois disso, para o mesmo tipo de carro, o contrato subiu para R$ 2.090,00. Empresa Localiza Divulgação Segundo o economista VanDyck Silveira, mais de 40% do mercado de aluguel de carros está nas mãos da Localiza e da Unidas. Todas as vezes em que há uma concentração de mercado, o detentor do poder pode aumentar os preços, sem grandes riscos de que o cliente mude de provedor. Mas, de acordo com Silveira, a preocupação é temporária. "Conforme os preços vão subindo, outros investidores podem se interessar em entrar no mercado com modelos mais interessantes de negócios", afirma o economista. Para ele, os valores devem voltar a patamares anteriores dentro de seis meses a um ano. Outro lado Nós procuramos o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que informou que a operação de fusão da Localiza com a Unidas encontra-se em análise na Superintendência-Geral. Já a Localiza afirmou que os reajustes de preços são efeito de um desafio que a indústria automobilística mundial enfrenta: a falta de semicondutores para a produção de carros, impactando toda a cadeia produtiva dependente dela, tanto no Brasil quanto no exterior, caso dos Estados Unidos e da União Europeia. Ainda segundo a companhia, é uma realidade do mercado global e não tem qualquer relação com o anúncio de intenção de união com a Unidas. A empresa também declarou que as duas locadoras continuam a operar separadamente e de forma independente até a decisão final da autarquia. Procurada, a Unidas não se manifestou até a publicação desta reportagem. Veja Mais

SEC congela IPOs de empresas chinesas nos EUA, dizem fontes

Times Money Journal A Securities and Exchange Commission (SEC) interrompeu o processamento de registros de ofertas públicas iniciais (IPOs) nos Estados Unidos e outras vendas de títulos por empresas chinesas enquanto elabora novas orientações para divulgar a investidores o risco de uma nova repressão regulatória por Pequim, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto. As listagens de […] O post SEC congela IPOs de empresas chinesas nos EUA, dizem fontes apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Contas públicas têm déficit de R$ 65,5 bilhões em junho

G1 Economia Dívida bruta brasileira caiu 0,6 ponto percentual e ficou em 84% do PIB em junho, segundo dados divulgados pelo Banco Central nesta sexta (30). Déficit no semestre é de R$ 5,2 bilhões. As contas do setor público consolidado registraram déficit primário de R$ 65,5 bilhões em junho, informou o Banco Central (BC) nesta sexta-feira (30). O déficit significa que, no período, as despesas superaram a arrecadação com impostos do setor público consolidado, que engloba o resultado do governo federal, estados, municípios e estatais. O cálculo não considera os juros da dívida pública, por isso é chamado de resultado primário. O resultado de junho representa uma melhora na comparação com o mesmo mês do ano passado, quando foi registrado um déficit fiscal de R$ 188,7 bilhões, resultado influenciado diretamente pela primeira onda da Covid-19. Ainda em junho, de acordo com o Banco Central: o governo federal respondeu por um déficit primário de R$ 75,1 bilhões; os estados e municípios apresentaram resultado positivo (superávit) de R$ 8,4 bilhões; e as empresas estatais registraram superávit primário de R$ 1,2 bilhão. 1º semestre No acumulado do primeiro semestre deste ano, ainda segundo o Banco Central, as contas públicas registraram déficit primário de R$ 5,2 bilhões. O resultado negativo do semestre foi influenciado pela segunda onda da Covid-19, que tem levado o governo federal a reeditar neste ano algumas medidas emergenciais para preservar empregos e renda. Apesar do resultado negativo, houve melhora na comparação com o mesmo período do ano passado, quando foi registrado um rombo fiscal (déficit primário) histórico de R$ 402,7 bilhões. Nos últimos doze meses, o déficit primário do setor público consolidado atingiu R$ 305,5 bilhões, o equivalente a 3,81% do Produto Interno Bruto (PIB), permanecendo na trajetória de redução observada neste ano, quando a pandemia tem impactado menos nas contas públicas em comparação ao ano passado. Para este ano, o setor público está autorizado a registrar déficit primário de até R$ 250,89 bilhões. Porém, com a autorização do Congresso Nacional para excluir da meta algumas despesas extraordinárias relacionadas com a Covid-19, estimadas em R$ 127,5 bilhões pelo Tesouro Nacional, o rombo neste ano será maior que a meta. Despesas com juros Quando se incorporam os juros da dívida pública na conta – no conceito conhecido no mercado como resultado nominal, utilizado para comparação internacional – houve déficit de R$ 75,6 bilhões nas contas do setor público em junho Já entre os meses de junho de 2020 e de 2021, o resultado ficou negativo (déficit nominal) em R$ 589,7 bilhões, o equivalente a 7,36% do PIB – valor alto para padrões internacionais e economias emergentes. Esse número é acompanhado pelas agências de classificação de risco para a definição da nota de crédito dos países, indicador levado em consideração por investidores. Dívida bruta A dívida bruta do setor público brasileiro, que inclui governo federal, INSS e governos estaduais e municipais, recuou em junho. O indicador também é acompanhado com atenção pelas agências de classificação de risco. Segundo o Banco Central, a dívida bruta brasileira atingiu R$ 6,7 trilhões em junho, equivalente a 84,0% do PIB, redução de 0,6 ponto percentual em relação a maio. Para efeitos de comparação, em dezembro do ano passado, a dívida estava em 88,8% do PIB, somando R$ 6,61 trilhões. Em abril deste ano, atingiu 85,6% do PIB (valor revisado), o equivalente a R$ 6,66 trilhões. VÍDEOS: notícias sobre economia Veja Mais

Ataques por vírus de resgate batem recorde na primeira metade de 2021, aponta relatório

G1 Economia Levantamento da empresa de cibersegurança SonicWall mostra que investidas com vírus do tipo ransonware estão cada vez mais comuns. Brasil é o 5º maior alvo dessa ameaça. Ataques de ransomware cresceram em 2021 Simon Stratford/Freeimages O número de ataques com vírus de resgate, também conhecidos como ransomware, bateu recorde na primeira metade de 2021, segundo um relatório da empresa de cibersegurança SonicWall divulgado na última quinta-feira (29). Foram 304,7 milhões de investidas detectadas pela companhia entre janeiro e junho de 2021. A quantia é maior do que o total registrado durante todo 2020, quando foram computados 304,6 milhões de ataques. SAIBA MAIS: entenda como o vírus é usado em extorsões e saiba como se proteger O número calculado são de tentativas e não representa a quantidade de vez que um aparelho foi infectado de fato. VÍDEO: Ransomware - entenda como vírus é usado em extorsões O ransomware é um tipo de ameaça cibernética que impede o acesso às informações armazenadas em um dispositivo por meio da criptografia – um embaralhamento de dados, que exige uma chave para desbloquear os dados. Com isso, os cibercriminosos pretendem forçar a vítima a pagar para obter a tal chave e recuperar o acesso ao sistema. A divisão da JBS nos Estados Unidos foi um dos alvos recentes desse tipo de ataque. LEIA MAIS: JBS diz que pagou US$ 11 milhões em resgate a ataque hacker em operações nos EUA Empresa de TI vítima de ciberataque nos EUA diz ter chave de desbloqueio de dados, mas que não pagou pelo resgate Sites de grupo hacker REvil saem do ar O Brasil é o 5º maior alvo dessa ameaça, segundo o levantamento – foram mais de 9 milhões de ataques. O líder são os Estados Unidos, seguido de Reino Unido, Alemanha e África do Sul. A SonicWall aponta que o aumento desses ataques está relacionado ao fato de que os hackers têm tido retorno financeiro. Com a sofisticação dos ataques, os criminosos passaram a extorquir empresas ao ameaçar publicar dados e informações sigilosas em fóruns na internet. Esses valores se somam à cobrança pela chave que desbloqueia os arquivos. A companhia diz ainda que quanto mais empresas se veem forçadas a pagar pelo resgate, mais incentivo há para realizar esses ataques. Veja Mais

Veja as vagas de emprego oferecidas em Petrolina, Araripina e Salgueiro nesta sexta-feira

G1 Economia Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. Carteira de trabalho, Goiás Divulgação/Prefeitura de Aparecida de Goiânia Foram divulgadas as vagas de emprego disponíveis nesta sexta-feira (30) em Petrolina, Araripina e Salgueiro, no Sertão de Pernambuco. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco e atualizadas no G1 Petrolina. Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. O atendimento na Agência do Trabalho ocorre apenas com agendamento prévio, feito tanto pelo site da secretaria, quanto pelo Portal Cidadão. Petrolina Contato: (87) 3866 - 6540 Vagas disponíveis Salgueiro Contato: (87) 3871-8467 Vagas disponíveis Araripina Contato: (87) 3873 - 8381 Vagas disponíveis Vídeos: mais assistidos do Sertão de PE Veja Mais

Concurso do TJ-SP para escrevente judiciário tem 35 vagas na região de Piracicaba; salário inicial é de R$ 4,9 mil

G1 Economia Benefícios incluem auxílios para alimentação, saúde e transporte; veja postos por comarca. Prédio do Fórum de Piracicaba: para a comarca que inclui a cidade, há cinco vagas Aline Olaya/EPTV O Tribunal de Justiça de São Paulo publicou nesta quinta-feira (29) edital de concurso para o cargo de escrevente técnico judiciário. Para as cidades da área de cobertura do G1 Piracicaba estão previstas 35 vagas. No total, são 400 vagas para a Capital e 445 para as outras Regiões Administrativas Judiciárias (RAJs) do estado, totalizando 845 postos de trabalho. As inscrições podem ser realizadas a partir desta sexta-feira (30) até o dia 2 de setembro, às 16h, exclusivamente pelo site da Fundação Vunesp. O salário inicial do cargo é de R$ 4.981,71, mais auxílios para alimentação, saúde e transporte (valor referente a janeiro de 2021). Composição das provas O concurso será dividido em duas etapas: prova objetiva, de caráter eliminatório, composta por 100 questões de múltipla escolha, prevista para o dia 31 de outubro; e a prova prática, de formatação e digitação, apenas para os candidatos habilitados e com melhor classificação, de acordo com as notas de corte de cada Circunscrição Judiciária, em data a ser definida. Após a homologação, o concurso terá validade de um ano, prorrogável pelo mesmo período, a critério do TJ-SP. Serão nomeados os classificados dentro do número de vagas oferecidas no edital, podendo o Tribunal nomear ou não os demais candidatos aprovados, na medida de suas necessidades e da disponibilidade orçamentária existente, observando-se que 5% das vagas são reservadas para pessoas com deficiência e 20% para candidatos negros. Para as 2ª, 3ª, 5ª, 6ª, 7ª, 8ª, 9ª e 10ª Regiões Administrativas Judiciárias há, atualmente, concurso vigente, com prazo de validade até 22 de junho de 2022. "Dessa forma, havendo necessidade de reposição de escreventes neste período, as nomeações deverão acompanhar a lista de classificação do certame em vigência. Nomeações do novo concurso ocorrerão após essa data", informou o órgão. VÍDEOS: Veja reportagens sobre a região Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba Veja Mais

TJ-SP abre concurso de nível médio com 30 vagas em São Carlos, Araraquara e região

G1 Economia Cargo é de escrevente técnico judiciário; salário é de R$ 4.981,71. Prédio do TJ-SP, no Centro de São Paulo Divulgação O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) abriu concurso público para 30 vagas de escrevente técnico judiciário em São Carlos, Araraquara e outras 4 cidades da região. Os candidatos devem ter nível médio de escolaridade. O salário é de R$ 4.981,71 para jornada de trabalho de 40 horas semanais. (veja abaixo as vagas por cidade) VEJA O EDITAL NO SITE DA FUNDAÇÃO VUNESP Confira todas as regiões administrativas do estado com vagas abertas São reservadas 5% das vagas para pessoas com deficiência e 20% para candidatos negros. Ao todo, o concurso disponibilizará 845 vagas em todo o Estado de São Paulo, divididos entre a Comarca da Capital e para todas as Circunscrições Judiciárias que compõem as 10 regiões Administrativas. São 400 vagas para a cidade de São Paulo e 445 para as demais cidades do estado (veja distribuição da vagas da região abaixo). As inscrições devem ser feitas entre os dias 30 de julho e 2 de setembro pelo site www.vunesp.com.br. A taxa de inscrição é de R$ 79. TJ-SP abre inscrições para escrevente em São Carlos, Araraquara e região Divulgação Funções do escrevente Entre as atividades do escrevente técnico judiciário estão executar atividades relacionadas à organização dos serviços que envolvam as funções de suporte técnico e administrativo às unidades do Tribunal de Justiça, dar andamento em processos judiciais e administrativos, atender ao público interno e externo, elaborar e conferir documentos, controlar a guarda do material de expediente, atualizar-se quanto à legislação pertinente à área de atuação e normas internas. O concurso será dividido em duas etapas: Prova objetiva, com 100 questões de múltipla escolha de Língua Portuguesa, Conhecimentos em Direito e Conhecimentos Gerais (atualidades, matemática, informática e raciocínio lógico); Prova prática (formatação e digitação de texto) - nesse caso, serão convocados para a 2ª etapa apenas os candidatos habilitados e com melhor classificação na prova objetiva. A prova prática buscará aferir o conhecimento e habilidades do candidato, utilizando o editor de texto em microcomputador do tipo PC, em ambiente gráfico Microsoft Windows. A aplicação da prova objetiva está prevista para o dia 31 de outubro. O concurso terá validade de um ano, a contar da data da homologação, prorrogável por igual período, a critério do Tribunal de Justiça, podendo ou não abranger os cargos vagos e os que vierem a ser criados no decorrer do prazo de validade do concurso, dependendo do interesse do serviço e da disponibilidade orçamentária. Distribuição de vagas na região 4ª REGIÃO ADMINISTRATIVA JUDICIÁRIA RIO CLARO - 5 vagas PIRASSUNUNGA - 5 vagas SÃO JOÃO DA BOA VISTA - 5 vagas 6ª REGIÃO ADMINISTRATIVA JUDICIÁRIA ARARAQUARA - 5 vagas CASA BRANCA - 5 vagas SÃO CARLOS - 5 vagas Veja mais notícias da região no G1 São Carlos e Araraquara. Veja Mais

Bolsonaro pode decidir não vetar fundão e deixar definição do valor para o Congresso, dizem auxiliares

G1 Economia O presidente Jair Bolsonaro Adriano Machado/Reuters Auxiliares do presidente Jair Bolsonaro disseram ao blog que ele pode decidir não vetar as regras do fundo eleitoral aprovadas na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e deixar para o Congresso Nacional a definição do valor para a eleição do ano que vem, na casa dos R$ 4 bilhões. A LDO prevê R$ 5,7 bilhões para o fundo em 2022. Primeiro, Bolsonaro disse que iria vetar o valor. Depois, que iria vetar, mas com apoio ao valor de R$ 4 bilhões, o dobro das eleições de 2020 (quando o fundo teve R$ 2 bilhões). Segundo assessores presidenciais, Bolsonaro pode alegar que a LDO não determina valor fixo para o fundo e que o montante de R$ 5,7 bilhões é baseado em previsões sobre o orçamento da Justiça Eleitoral do ano que vem. As regras aprovadas calculam que o valor do fundo eleitoral seria de 25% do orçamento da Justiça Eleitoral de 2021 e de 2022, mas isso não é uma obrigação. Na prática, o Congresso pode aprovar um valor maior ou menor. Diante disso, a tendência é que Bolsonaro não vete o fundo eleitoral, e o valor definitivo para as eleições seja aprovado pelo Congresso durante a votação do Orçamento Geral da União. A proposta será enviada pelo governo até o fim de agosto. Na proposta, o governo pode fixar um valor inferior a R$ 4 bilhões, mas com possibilidade de alteração pelos parlamentares. Aumento do valor do fundo eleitoral aguarda sanção de Bolsonaro; Congresso aprovou passar de R$ 2 bi para R$ 5,7 bi Em entrevista à GloboNews, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), chegou a falar que essa seria uma possibilidade, mas ressalvou que Bolsonaro tem o direito constitucional de vetar a proposta aprovada na LDO pelo Congresso Nacional. O blog apurou que essa é a posição dos articuladores políticos do governo: o novo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, e a ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda. Eles ainda vão conversar com Bolsonaro sobre o tema. Para eles, o ideal é baixar a temperatura deste tema para evitar insatisfações com a base de apoio no Congresso. O Congresso vai encaminhar a Lei de Diretrizes Orçamentárias aprovada antes do recesso apenas na volta dos trabalhos do Legislativo, porque, durante o período de paralisação do Congresso, os prazos para sanção são interrompidos. Ou seja, Bolsonaro terá um prazo para sancionar ou fazer algum tipo de veto até a segunda quinzena de agosto. Próximo do prazo que o governo terá de enviar a proposta de Orçamento Geral da União para 2022, que, ao ser votado, fixará o valor final do Fundo Eleitoral. Veja Mais

Lucro da Movida (MOVI3) decola 6588,5% no 2t21

Times Money Journal O lucro da Movida (MOVI3) apresentou um crescimento impressionante no trimestre, os resultados no geral todos foram muito fortes e robustos. A receita bruta atingiu R$ 1.285,2 bilhão, o resultado mostra alta de 17,5% contra o mesmo trimestre do ano anterior. Já a receita líquida também foi crescente, no 2T21 atingiu R$ 1.211,5 bilhão com […] O post Lucro da Movida (MOVI3) decola 6588,5% no 2t21 apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Preço dos combustíveis aperta lucro de motoristas de app e motoboys – que escolhem corridas e pensam em largar a profissão

G1 Economia Com a pandemia e gasolina mais cara, 25% dos motoristas de São Paulo desistiram de prestar serviço; para os motoboys, novo custo obriga a trabalhar mais horas. Desde fevereiro, etanol subiu 23% e gasolina chega a quase 10%, segundo levantamento da ANP corrigido pela inflação. Frota paulistana de motoristas de aplicativo caiu 25% desde o início da pandemia e preços de combustível devem expulsar mais alguns da profissão. Divulgação oa O aumento severo no preço dos combustíveis dificulta a vida de motoristas de aplicativo e motoboys de São Paulo, que já sofriam para tirar lucro de suas atividades durante a pandemia do coronavírus. O monitoramento mensal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostra que o valor médio nacional do litro do etanol passou de R$ 3,54 para R$ 4,36, um aumento de 23,1% em apenas quatro meses. Considerando a variação desde maio de 2020, quando houve o menor patamar de custo no auge da crise, o combustível chegou a custar R$ 2,74. O aumento é da ordem de 59% se comparado ao preço de junho de 2021. Preços de diesel e gasolina nos postos fecham a semana perto da estabilidade, diz ANP A gasolina segue curso parecido, ainda que menos agressivo: de fevereiro a junho, o combustível sobe de R$ 5,12 para R$ 5,69, o equivalente a 9,6%. Mas, confrontado com o preço de maio de 2020, quando chegou a custar R$ 4,11, o aumento vai a 38% contra o valor mais recente. Todos os comparativos levam em conta o reajuste pela inflação do período, com preços corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do IBGE. Os percentuais, portanto, são de aumento real e balizados pelos preços do mês passado. O reajuste chega a números tão surpreendentes porque, em maio de 2020, com a circulação em níveis muito baixos em todo o país, houve uma redução drástica dos preços dos combustíveis. Havia, afinal, pouquíssima demanda. Ao longo de 2020, e conforme o isolamento foi se reduzindo, o custo da gasolina e do etanol passou a se normalizar. De fevereiro em diante, contudo, o valor dos insumos rompeu o nível anterior à pandemia em virtude da alta dos preços do petróleo, cotados em um dólar bem valorizado. IPCA de junho: inflação atinge 8,35% em 12 meses Queda no faturamento Desde o início da pandemia, as duas profissões haviam enfrentado fenômenos que reduziram o faturamento do trabalho. Enquanto os motofretistas perceberam um aumento de concorrência durante as fases mais intensas do isolamento social, os motoristas de apps de transporte viram sumir o público. Agora, com o aumento acima do previsto dos combustíveis, há um novo efeito de aperto das margens que compõem o sustento dos profissionais por meio de um sério aumento de custo operacional. Selecionando corridas A Associação dos Motoristas de Aplicativos de São Paulo (Amasp) diz que, entre efeitos da pandemia e, agora, da alta de combustíveis, cerca de 25% da frota paulistana de motoristas desistiu de trabalhar no segmento. A estimativa da entidade é que 120 mil trabalhadores circulavam pela cidade no início de 2020. Agora, são cerca de 90 mil. Além de uma menor oferta de motoristas, os remanescentes passaram a selecionar viagens que sejam mais rentáveis por conta do aumento de preço de combustível. "Passamos a desaconselhar os motoristas a aceitarem as corridas promocionais, da Uber Promo e 99 Poupa. O repasse ao motorista não paga 1 litro de gasolina", diz Eduardo Lima de Souza, presidente da Amasp. Do gasto diário de um motorista, a gasolina representa entre 40% e 50%. A taxa paga aos aplicativos gira em torno de 25%. Para boa parte dos condutores, há ainda o pagamento de parcelas do veículo ou locação. A oferta menor de motoristas aumentou o tempo de espera para passageiros. Há uma porção de registros do aumento do intervalo nas redes sociais. Initial plugin text Initial plugin text . A categoria pede que as plataformas tomem uma de duas atitudes possíveis: elevem o preço das corridas ou diminuam a fatia cobrada dos motoristas. Sem uma mudança, a frota pode diminuir ainda mais. Rosimar Pereira é motorista há mais de 20 anos, dos quais seis em atividade pelos principais aplicativos de transporte. Reconhece que a tecnologia o ajudou a ampliar a clientela – tanto que trocou o táxi pelos apps –, mas o lucro ao fim do mês já não dá conforto à família. "Só não desisti ainda porque fiz dívidas durante a pandemia e, sem outro emprego, não consigo pagar. Trabalhar como motorista já foi muito bom, mas hoje o custo é muito alto e a troca valeria a pena", diz. Trabalhando de 10 a 12 horas por dia, Pereira afirma que os lucros não passam dos R$ 1,5 mil desde que o preço do combustível explodiu. Se encontrar outra oportunidade de trabalho com salário semelhante, será um a menos nas ruas de São Paulo. "A depreciação do carro seria muito menor", conta. Rosimar Pereira, 48, é motorista há 20 anos, mas pensa em desistir da profissão se arrumar outro emprego Arquivo pessoal Mais trabalho, menos cuidados Para os motofretistas, a fatia dos combustíveis fica entre 25% e 35% dos gastos, a depender de quanto o profissional fatura em um dia de trabalho. Mas a taxa paga pelos aplicativos, dizem os motoqueiros, varia com a demanda de pedidos e número de trabalhadores disponíveis. A Associação dos Motofretistas de Aplicativos e Autônomos do Brasil (Amabr) não consegue precisar o quanto aumentou a frota de motoboys durante a pandemia, mas fez uma estimativa de que o número gira em torno de 40%, chegando a um total de 70 mil só na capital paulista. Com a entrada de muitos novos profissionais durante a pandemia e, agora, com maior custo de rodagem, foi preciso buscar mais corridas e cortar gastos para manter o mesmo faturamento. "O que o motofretista faz é tirar de outro lugar: deixa de se alimentar adequadamente, de fazer a manutenção correta do veículo, trabalha mais horas e corre mais para fazer mais entregas no dia", diz Edgar da Silva, o Gringo, presidente da Amabr. O aumento de acidentes de moto é flagrante. Os últimos números do Infosiga SP mostram que o número de acidentes com motociclistas na capital paulista saltou de 1.011 em abril de 2020 para 1.584 em junho de 2021 (alta de 56,6%). As mortes subiram 58,8%, de 17 para 27. São mais motociclistas nas ruas, expostos por mais tempo e andando mais rápido para manter o faturamento. A entrada maciça de novos motoboys na pandemia também ajuda a entender a situação, pois são profissionais menos experientes, enfatiza a associação. "O cansaço também afeta os reflexos. E, fora tudo isso, o curso de habilitação de condutores também precisa mudar, pois não atende à realidade de quem anda de moto em 2021", afirma Gringo. A entidade tenta emplacar no poder público três tabelas com piso de remuneração para os serviços de motofretistas. Seriam estabelecidos valores mínimos por quilômetro rodado, por tempo de espera nos pontos de coleta e por complexidade de serviço – como a realização de compras em supermercados. Motoboys fazem 'buzinaço' e protestam contra preço da gasolina em em Natal Julianne Barreto/Inter TV Cabugi O que dizem as plataformas O G1 procurou as principais plataformas para questioná-las sobre que tipo de suporte financeiro têm dado aos motoristas e entregadores. Os questionamentos tiveram como foco a remuneração dos profissionais e planos de resgate financeiro durante a pandemia. A Uber informa que a taxa cobrada dos motoristas foi fixa em 25% do valor das corridas até 2018, mas desde então passou a ser variável como parte da estratégia da empresa para oferecer descontos para os usuários e promoções para os "parceiros" (nome que a empresa dá aos motoristas). Questionada expressamente se pretende atender ao pedido de reajuste de tarifa ou diminuir a cobrança, a Uber não respondeu. Uber com salário mínimo, férias e aposentadoria: a decisão que pode revolucionar economia compartilhada "O preço dos combustíveis foge ao controle da Uber, mas entendemos a insatisfação e trabalhamos para ajudar os motoristas parceiros a reduzir seus gastos fixos", diz nota da empresa enviada ao G1. O apoio financeiro dado pela empresa foi voltado aos motoristas que precisaram parar de trabalhar por conta da Covid. A empresa destinou US$ 30 milhões para esse fim, mas não especifica quantos profissionais usaram o serviço. Uber adquire Transplace por US$ 2,25 bi para fortalecer serviços de logística A 99 também não responde se pretende reduzir a "mordida" no valor das corridas ou reajustar o preço. A empresa esclarece que o cálculo também varia conforme o perfil da corrida (como horário e região), "mas existe um teto que visa preservar os ganhos dos motoristas parceiros". "Desde fevereiro, garantimos 10% de desconto em todo o abastecimento em postos da rede Shell pelo país, o que já representou uma economia de mais de R$ 2,5 milhões. Também estamos, em datas estratégicas, zerando as taxas aplicadas nas corridas, ou seja, 100% do valor é repassado ao motorista parceiro", diz nota da empresa. "Importante observar que todas as promoções são subsidiadas pela plataforma, sem ônus para o parceiro. (...) Assim, a empresa vem mantendo seus investimentos em novos serviços, produtos e iniciativas de segurança para passageiros e motoristas. Já foram mais de R$ 150 milhões destinados, desde abril do ano passado, em ações para apoiar quem usou o aplicativo." Sobre o 99 Poupa, a empresa diz que essa é uma das categorias criadas para "minimizar a crise provocada pela pandemia e aumentar a eficiência na rotina do motorista, pois estimula a corrida em momentos de menor demanda". Yasmin Brunet afirma que perdeu R$ 7.900 em 'golpe do delivery'; saiba como se proteger O Rappi afirma está "constantemente dialogando com seus entregadores independentes, e atento a soluções que possam beneficiá-los". A empresa não responde, contudo, se pretende atender à demanda de entregadores de estabelecer pisos de remuneração para os serviços de motofretista. "O frete é calculado levando em conta diversos fatores, entre eles clima, dia da semana, horário, zona da entrega, distância percorrida e complexidade do pedido. O frete não é linha de receita para o Rappi, que busca sempre equilibrar a demanda e os critérios de cálculo de entrega do pedido. Em momentos de alta demanda, por exemplo, o valor pago ao entregador é superior ao valor pago pelo cliente", diz a empresa em nota. A empresa não informa o número de entregadores cadastrados, mas diz que, para atuar pelo Rappi, os profissionais precisam apenas ter mais de 18 anos, enviar documentos pessoais e "outros dados comprobatórios", sem dizer quais. "Aos motociclistas é exigida ainda CNH válida." Como suporte financeiro durante a pandemia, o Rappi informa que criou um fundo assistencial – "o auxílio Covid" –, mas não detalha o quanto foi alocado em dinheiro para a iniciativa, nem quantos profissionais tiveram acesso. O iFood informa que tem uma política de valor mínimo de rota de R$ 5,31, além de repassar as gorjetas integralmente. Os valores são, contudo, variáveis e consideram a distância percorrida, a cidade, o dia da semana e o modal utilizado. A empresa diz que "acredita que a tecnologia e a inovação têm o poder de incluir milhares de pessoas no mercado de trabalho e gerar oportunidades". O iFood também criou um fundo de suporte para parceiros infectados pela Covid. A empresa diz ter investido R$ 133 milhões quando somado esse resgate às ações paliativas, como distribuição de máscaras e álcool em gel. A empresa não responde sobre reajuste de taxas, mas diz que entregadores e familiares têm acesso a descontos em compra de seguro de motos, troca de óleo, educação universitária e aquisição de produtos eletrônicos. Além disso, fornece seguro para acidentes e plano de acesso à rede privada de saúde a preços mais baixos. Veja Mais

Demanda por transporte aéreo de passageiros ainda é 67% menor do que em 2019

G1 Economia Dados foram divulgados nesta quarta-feira (29)pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) A demanda global por transporte aéreo de passageiros (medida em passageiro-quilômetro pagos, o RPK) apresentou queda de 66,7% no primeiro semestre de 2021 na comparação com igual período de 2019, expondo a ainda complexa situação do setor aéreo global diante da pandemia. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (28) pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês). Em apresentação a jornalistas do mundo todo, a Iata divulgou que, em junho, a demanda por transporte aéreo internacional caiu 80,9% na comparação com junho de 2019. No lado doméstico, que tem demostrado mais força, a demanda caiu 22,4% na mesma base de comparação. Lei que prorroga regras para o reembolso de passagens aéreas vale até 31/12/21 O lado positivo do setor segue sendo o transporte de cargas, cuja demanda cresceu 8% no primeiro semestre deste ano na comparação com 2019. Em junho, o crescimento na demanda por transporte de carga foi de 9,9% contra junho de 2019. O diretor-geral da Iata, Willie Walsh, destacou que o setor atravessa um período de recuperação, mas ainda com muitos desafios. “Vemos a demanda de carga em um momento bom. Novamente, acredito que é crédito das aéreas por conseguirem sustentar a oferta”, disse, em referência ao menor espaço para transportar encomendas na barriga das aeronaves diante da menor oferta de voos de passageiros. Walsh disse que o cenário internacional ainda está bastante aquém do ideal. “Acho que não é o que a gente esperava. Vemos a importância da demanda internacional para o segmento. Mas há evidências de que a vacinação está tendo sucesso. Vemos a desconexão entre as pessoas vacinadas e as que estão indo para os hospitais. As evidências são claras de que pessoas totalmente vacinadas não devem ser impedidas de viajar”. Restrições ao tráfego internacional Apesar do crescimento da vacinação contra covid-19 ao redor do mundo, as nações têm demonstrado resistência ao reabrir suas fronteiras. Segundo dados compilados pela Iata, três em cada quatro países apresentaram restrições a tráfego internacional em junho de 2021 – seja via total fechamento, medidas de quarentena ou banimento na entrada de viajantes de países com maior risco. Um levantamento da associação em 182 países apontou que 23 deles estavam com o mercado totalmente fechado ao tráfego internacional em junho e 60 apresentaram restrições a regiões com maior risco. Além disso, 52 exigiram medidas de quarentena de viajantes com origem em países com contaminação elevada. Apenas 46 demonstraram um mercado aberto aos viajantes impondo medidas como comprovante de vacinação. O número é muito parecido com igual pesquisa feita em janeiro deste ano, em que 28 nações estavam totalmente fechadas, 67 tinham restrições a algumas regiões, 44 aplicaram medidas de quarentena em regiões com maior risco e 43 sem restrições. A semelhança entre os números causou espanto na associação, uma vez que o número de pessoas vacinadas era zero em janeiro. Em junho, muitos países já haviam administrado cerca de 70 doses da vacina para cada 100 habitantes. “Não é lógico não permitir a viagem de pessoas vacinadas”, disse Walsh. Segundo o diretor-geral da Iata, a abertura do mercado internacional é fundamental. “As viagens internacionais não representam apenas feriados. Elas conectam pessoas e rotas. Conectam negócios. Isso tem grande efeito não só para o setor aéreo ou turismo”, ele afirmou. Veja Mais

Resultado Wege (WEGE3) 2t21: Lucro líquido dispara 120%

Times Money Journal O resultado da Wege (WEGE3) no 2t21 veio forte, a receita líquida operacional apresentou crescimento de 41,4% com relação ao mesmo período do ano anterior. Do montante total da receita líquida operacional, R$ 5,748 bilhões, 55% é proveniente do mercado externo. O lucro bruto no 2T21 fechou em R$ 1,746 bilhão de reais, alta de […] O post Resultado Wege (WEGE3) 2t21: Lucro líquido dispara 120% apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Japoneses influenciaram brasileiros a comer verduras e deram contribuições importantes ao agro

G1 Economia Cebolinha, acelga, couve, berinjela estão entre os alimentos que foram difundidos pelos imigrantes. População começou a chegar ao país em 1908 para trabalhar nas fazendas de café e depois seguiu em outras áreas de produção. Veja 5 contribuições dos japoneses na agricultura brasileira Os imigrantes japoneses, que chegaram ao país no início do século passado (1908), fizeram grandes contribuições para a agricultura brasileira, revolucionando a forma como que se produzia no país. Entre as colaborações estão: a implementação de um cooperativismo baseado em uma produção coletiva, por meio do qual, os imigrantes ajudaram a expandir a agricultura para todo o Brasil e a lançar novas hortaliças, frutas e legumes, como a uva, a ameixa, a cebolinha, a acelga, a couve, a maçã e a berinjela; novas técnicas de agricultura orgânica e o conceito de agricultura natural, que parte da crença de que é possível produzir alimentos com energia vital e, assim, gerar mais saúde; agricultura intensiva, que permite otimizar um espaço para obter mais produtos. LEIA MAIS Veja como funcionam as cooperativas no campo Calendário da feira: veja frutas e legumes de cada mês Tudo sobre as Olimpíadas de Tóquio Produção coletiva Apesar de os japoneses não terem sido os primeiros a fundarem cooperativas no Brasil, eles foram fundamentais para a expansão e implementação de um novo associativismo já aplicado em seu país natal. A grande inovação dos japoneses foi a ênfase na produção coletiva, para o sociólogo Gustavo Taniguti, autor do livro “Imigração, política e cultura: a trajetória empresarial da Cooperativa Agrícola de Cotia”, Com essas novas associações, a participação dos produtores na tomada de decisão se tornou mais importante. Dentre as cooperativas japonesas, a primeira e mais importante foi a de Cotia, fundada em 1927, no estado de São Paulo. Tudo começa com batata Ex-vice-presidente de cooperativa explica como imigrantes japoneses atuaram na agricultura Quando os japoneses chegaram ao Brasil, eles precisavam ficar por pelo menos 2 anos nas fazendas de café, já que a imigração tinha como objetivo suprir a mão de obra nessas produções. Depois desse período, os trabalhadores poderiam obter uma propriedade e iniciar outros tipos de cultivos. Foi a partir dessa independência que os produtores viram que precisavam se unir. Americo Utumi foi membro da Cooperativa Agrícola de Cotia por 40 anos, iniciando, aos 18, como auxiliar de escritório e chegando ao cargo de vice-presidente. Ele conta que tudo teve início com a batata. “A batata, até então, era importada da Holanda, o Brasil não produzia, apenas alguns pequenos produtores que produziam batatas. Eles colhiam, colocavam na sua carreta de bois e dirigiam até Pinheiros (bairro da cidade de São Paulo). Quando chegavam lá, os donos dos boxes de mercado ofertavam o preço, que não cobriam nem os custos de produção, mas o que eles podiam fazer? Não podiam levar a batata de volta”, recorda. Contudo os imigrantes perceberam que, aos consumidores finais, a batata era vendida a preços muito mais altos. A partir disso, os produtores, que moravam em Cotia, fundaram a associação para conseguirem, juntos, comercializar o tubérculo por um valor mais justo. O negociação do produto na região da capital paulista se tornou tão popular que ela é conhecida até hoje como o Largo da Batata e permanece sendo uma área de comércio. Largo da batata, na capital paulista, permanece como área de comércio até hoje. Divulgação O sociólogo Gustavo Taniguti afirma que as contribuições da cooperativa à agricultura são vastas, desde a introdução de técnicas, novos produtos, desenvolvimento da estrutura de distribuição e de regiões agrícolas no país. Utumi se lembra que a associação foi fundamental para a promoção de assentamentos na Caatinga e no Cerrado. Este último, até a empreitada dos japoneses, era considerado infértil. Taniguti conta que a cooperativa encerrou atividades em 1994, devido a problemas financeiros por dívidas contraídas. Busca por identidade Na década de 40, com a Segunda Guerra Mundial, o Brasil e o Japão se tornaram inimigos e isso refletiu em como esses imigrantes foram tratados no país. Eles sofreram com perseguições do próprio governo e tentativas de expulsão, explica o sociólogo Tanguti. Na Cooperativa Agrícola de Cotia, os japoneses foram retirados de cargos de chefia e substituídos por brasileiros. Apenas anos mais tarde estes postos seriam recuperados, por meio dos filhos destes imigrantes, já nascidos no Brasil. Tanguti conta que foi através da agricultura que a percepção do japonês no Brasil mudou novamente e na década de 60 a aceitação deles pela população melhorou. “A partir dessa narrativa os japoneses passam a entrar no imaginário social, imaginário da nação brasileira, que é uma coisa que antes tinha sido negada para eles por causa da Segunda Guerra. É interessante pensar como a agricultura operou como um domínio.” Cultivo de hortaliças Cooperativa Agrícola de Cotia Arquivo Os japoneses e seus descendentes também impulsionaram o cultivo de hortaliças no Brasil e até mesmo o hábito de comer verduras, conta o agrônomo Chukichi Kurozawa, consultor do Globo Rural. "O brasileiro não tinha muito costume de comer alface, salada. Isso mudou muito com a influência japonesa. Hoje qualquer restaurante tem salada", diz. Na lista de verduras e legumes estão, por exemplo, rabanete, nabo, cebolinha, acelga, couve e pepino japonês, berinjela. Já na das frutas, tem caqui, ameixa, uva, pera, maçã. "Os imigrantes japoneses começaram a cultivar esses alimentos nas suas chácaras, em pequenas propriedades e, hoje, toda a população brasileira já produz" diz Chukichi, que também é professor emérito da Faculdade de Ciências Agronômicas da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Essa influência é tão grande que, em sua infância, Chukichi, tinha até apelido de hortaliça. "Ia jogar bola e me chamavam de ‘japonês tomatinho’, porque japonês tinha fama de que era produtor de tomate", lembra o agrônomo, nascido em 1940. Chukichi Kurosawa aos 12 anos de idade Arquivo pessoal Outra contribuição dos japoneses e seus descendentes foi a formação do Cinturão Verde de São Paulo ainda na primeira metade do século passado. A região é a principal fornecedora de hortaliças para a cidade de SP e é composta por municípios como Mogi das Cruzes, Santa Isabel, Suzano, Ibiúna, Itapetininga, Piedade do Sul. Ao norte do país, a partir de Tomé-Açu, no Pará, eles introduziram o cultivo da pimenta do reino e desenvolveram um modelo de agricultura que é exemplo de produção sustentável na Amazônia. Veja abaixo uma reportagem do Jornal Nacional sobre o tema: Japoneses desenvolvem produção agrícola sustentável na Amazônia. Exibição em 14 de outubro de 2019. Soja Principal produto de exportação do Brasil hoje, a soja era cultivada mais ao Sul do Brasil no início do século 20 e a sua expansão pelo país se deve muito à contribuição japonesa. "Me lembro que minha mãe fazia tofu porque o meu pai plantava soja. Era a única maneira de consumir porque era muito difícil encontrar soja para comprar", rememora Chukichi. Um dos pioneiros dos estudos desta cultura no Brasil foi o agrônomo Shiro Miyasaka, primeiro japonês a se doutorar em agronomia no país. Ele faleceu em 2017, aos 92 anos. Nascido em Hokkaido, ele foi chefe da seção de leguminosa do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), em SP, e fez cruzamento de diferentes variedades de soja, impulsionando o melhoramento genético da oleaginosa a partir da década de 50. Já nos anos 70, uma parceria entre os governos brasileiro e japonês expandiu a soja para o cerrado, bioma visto por muito tempo sem potencial agrícola e que, atualmente, tem a soja como a sua principal cultura. Descubra como agricultor consegue produzir soja orgânica em grandes quantidades Espiritualidade na agricultura Entenda como é o uso da espiritualidade na agricultura A agricultura natural faz parte das “três colunas da salvação” da filosofia messiânica, desenvolvida por Mokiti Okada no Japão (Saiba mais no vídeo acima). Cada pilar visa a evolução do ser humano e uma dessas formas é por meio da saúde, que, por sua vez, é adquirida com uma boa alimentação, explica a bióloga e pesquisadora da Korin Agricultura Natural, Sakae Kinjo. Sakae relata que na legislação a agricultura natural é enquadrada juntamente com a orgânica, mas elas têm algumas diferenças. Uma delas é que nos princípios passados por Mokiti Okada nenhuma forma de adubação é recomendada, nem com esterco. “Tudo o que se usa no solo com objetivo de adubar tira a força do solo, que foi criado por Deus com a capacidade de produzir o alimento. Tudo que fizermos atrapalha a energia que vem do solo”, explica a bióloga. Na agricultura natural também há o princípio de amor ao solo: "O que é amar o solo na prática? É não deixar secar, sempre ter uma cobertura com matéria orgânica por cima para proteger, não envenenar. Essa preocupação é que dá o resultado”, conta. Dentro desta prática, o sentimento do agricultor também é levado em conta. “Mokiti okada fala que quando um agricultor sente a necessidade de produzir alimento para levar saúde para as pessoas, então esse solo também responde de uma outra forma, as plantas se desenvolvem com mais saúde, os alimentos mais saborosos”, narra a pesquisadora. Deste modo, após o consumo do alimento, as pessoas obteriam saúde e emanariam positividade, “só a gratidão de estar saboreando um alimento com energia vital, esse sentimento de gratidão chega no produtor e acaba fechando um ciclo”, explica Sakae. Além disso, o meio ambiente também se beneficiaria desse ciclo, já que a técnica evita o uso de agrotóxicos. Na criação de animais, a filosofia determina proporcionar a eles um ambiente mais próximo do natural, evitando aditivos artificiais nos alimentos, antibióticos e só aplicando as vacinas obrigatórias, já que, como os animais estão em ambientes saudáveis, não haveria exposição a doenças. De acordo com Sakae, a agricultura natural chegou ao Brasil na década de 50, com os imigrantes do pós-guerra. Uma das pioneiras foi Teruko Sato, que aos 18 anos veio de navio sozinha para a região Norte do país e viajou também para o Paraná e para Tupã, em São Paulo, disseminando a filosofia. Agricultura orgânica Foram os imigrantes japoneses que trouxeram algumas técnicas de agricultura orgânica, como o uso do bokashi, um adubo feito à base de microorganismos. Veja como cooperativa fundada por mulheres se tornou referência na produção de orgânicos De acordo com o produtor rural Masami Yoshizumi, o uso dos microorganismos para tratamento do solo e de folhas é uma técnica japonesa usada ainda no início da aplicação da agricultura orgânica no Japão e trazida ao Brasil pela Fundação Mokiti Okada e pela igreja messiânica. “Boa parte do uso de microorganismos chegou há 30 anos, quando a agricultura orgânica era pouco conhecida, então (o método) foi trazido até para a agricultura tradicional”, explica. A igreja messiânica foi muito importante para a difusão de técnicas agrícolas japonesas. Ela contava, inclusive, com uma área de pesquisa e difusão da agricultura no Brasil. Assista, a seguir, a história de Yoshizumi, terceira geração da família a cultivar hortaliças no Brasil: Filho de imigrante japonês mantém tradição da agricultura Agricultura intensiva Na agricultura intensiva, como o próprio nome já sugere, há um uso intensivo da terra e dos meios de produção para se obter grandes quantidades de um produto. O agricultor Yoshizumi diz que, no Japão, a técnica surgiu por causa do país possuir uma pequena extensão territorial. “Normalmente a agricultura no Japão é praticada somente na parte das montanhas (...). As terras férteis disponíveis no Japão são muito pequenas e de alta eficiência. E os imigrantes trouxeram esse conceito”, explica. Segundo Yoshizumi, os imigrantes que se mudaram para São Paulo não possuíam propriedades grandes e quanto mais o país foi se desenvolvendo, a importância de aumentar a produtividade e o lucro também cresceu. Deste modo, a agricultura intensiva se tornou uma boa opção. Máquinas agrícolas Um nome importante é Shunji Nishimura, fundador da Jacto, uma das principais empresas nacionais de máquinas agrícolas. Máquinas agrícolas já estão próximas da autonomia completa Ele chegou ao Brasil em 1932, com 21 anos e, sete anos depois, fixou-se na cidade de Pompeia, interior de SP, onde abriu uma oficina de consertos gerais. Nishimura era muito procurado por agricultores para consertar polvilhadeiras de defensivos, que, na época, eram importadas e não tinham assistência na região. De tanto consertá-las, ele criou um novo modelo, melhor e mais fácil de usar. Era a primeira polvilhadeira criada no Brasil e o primeiro produto com a marca Jacto, em 1948. "Antes de tudo, ele era um grande inventor. Ele viveu consertando coisas, tinha habilidade para questões mecânicas", afirma Carlos Eduardo de Freitas Viana, professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da USP. Nishimura fico à frente da Jacto até 1972, quando seu filho Jiro Nishimura assumiu a presidência. Mesmo após sair do comando da empresa, o inventor continuou se dedicando ao desenvolvimento de novas máquinas e criou a primeira colhedora de café, além de orientar as decisões e estratégias da companhia. Nishimura faleceu aos 99 anos, em 23 de abril de 2010. Mais sobre agricultura e plantas: VÍDEO: Horta em casa - veja dicas de quem tentou e deu certo Descubra para que serve e como fazer uma composteira G1 Plantas em casa: veja 6 dicas para que fiquem saudáveis Vídeos: tudo sobre agronegócio Veja Mais

Resultado TIM (TIMS3) 2021: Lucro dispara 154,7% no 2t21

Times Money Journal O resultado do 2T21 da TIM (TIMS3) apresentou bons números e com isso o BTG Pactual confirmou a recomendação de compra com preço-alvo de R$ 20 reais. A companhia listada na B3 apresentou crescimento de 10% em sua base de clientes, atingindo 666 mil clientes contra 606 mil no 2T20. Sua base de usuário de […] O post Resultado TIM (TIMS3) 2021: Lucro dispara 154,7% no 2t21 apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Tóquio 2021: quem são os 7 atletas olímpicos brasileiros mais seguidos no Instagram

G1 Economia Os Jogos mal começaram e, além de lugares no pódio, os brasileiros também conquistam fãs, num ranking que muda a cada medalha ou derrota. Os brasileiros não param de conquistar seguidores, num ranking que muda a cada medalha ou derrota Getty Images via BBC Mais de 300 atletas brasileiros estão do outro lado do mundo disputando medalhas na Olimpíada de Tóquio. Em tempos de crise econômica, pandemia e arquibancadas vazias, resta a quem ficou em casa acompanhá-los... pelo celular. Os Jogos mal começaram e, além de lugares no pódio, os atletas brasileiros também conquistam seguidores, num ranking que muda a cada medalha ou derrota do país. Quem não acompanhou a ascensão meteórica de Douglas Souza, jogador de vôlei que saltou de 260 mil seguidores no Instagram para mais de 2 milhões? SAIBA MAIS: Douglas Souza, do vôlei, 'bomba' de um dia para outro nas redes com vídeos dos bastidores das Olimpíadas de Tóquio O paulista de 25 anos se tornou uma das principais estrelas do esporte olímpico brasileiro com transmissões bem-humoradas dos bastidores da Olimpíada — desde as gírias e testes nas camas no alojamento de atletas até as performances dublando Pabllo Vittar nas madrugadas. A nova sensação brasileira nas redes tem quase metade da idade de Douglas. A "fadinha do skate" Rayssa Leal, de 13 anos, roubou a cena nas finais da modalidade street, na segunda-feira (26/7), quando ganhou medalha de prata e se tornou um dos assuntos mais comentados no Twitter no mundo todo. Rayssa virou a segunda atleta olímpica brasileira mais seguida no Instagram, depois do surfista Gabriel Medina, que se mantém no topo desde antes dos jogos de Tóquio. Segundo o Comitê Olímpico Brasileiro, o time brasileiro nesta Olimpíada tem 162 homens (53,5%) e 140 mulheres (46,5%). Do total, 177 vão uma Olimpíada pela primeira vez, como Rayssa e Medina, enquanto 125 já são veteranos, caso de Douglas. Entre os 302 brasileiros disputando medalhas, 186 vêm da região Sudeste, 47 do Sul, 44 do Nordeste, 14 do Centro-oeste e apenas 3 da região Norte. A modalidade com mais brasileiros é o Atletismo, com 52 atletas, seguido pelo futebol, com 36 (18 homens e 18 mulheres), Handebol (28, 14 em cada time) e Vôlei (24, 12 em cada seleção). Mas quem é quem no ranking dos sete atletas olímpicos mais seguidos no Instagram? Confira a seguir: 1. Gabriel Medina - Surfe O bicampeão mundial tem 9 milhões de seguidores. Ele já era um dos atletas brasileiros mais seguidos nas redes sociais antes da Olimpíada, graças aos seus títulos no esporte e a amigos famosos, como a cantora Anitta, além do casamento com a modelo Yasmin Brunet. Uma das principais promessas de medalha para o Brasil, Medina ficou em quarto lugar na terça-feira (27/7), após perder a disputa pelo bronze para o australiano Owen Wright. Initial plugin text 2. Rayssa Leal - Skate A menina de Imperatriz, no Maranhão, apareceu pela primeira vez para o grande público em 2015, quando viralizou ao fazer manobras difíceis usando um vestido azul de fada. Além de ser a mais jovem da equipe brasileira em Tóquio, agora é também medalha de prata no skate e a segunda atleta olímpica brasileira mais seguida no Instagram, com mais de 5,5 milhões de pessoas acompanhando as fotos e vídeos compartilhados diariamente. Geração Rayssa: as meninas que se inspiram na fadinha do skate Initial plugin text 3. Letícia Bufoni - Skate O "bronze" entre os atletas olímpicos brasileiros mais seguidos no Instagram é de outra skatista: Letícia Bufoni, que até a publicação desta reportagem tinha 3,8 milhões de seguidores. A paulistana de 28 anos — que coleciona feitos, como ser a maior medalhista da história do torneio X Games, com seis ouros — era uma das maiores esperanças de pódio, mas não se classificou para a final da prova de street. Initial plugin text 4. Douglas Souza - Vôlei "Milhões!" A gíria popularizada pelo jogador para descrever coisas boas também serve como ponteiro para a sua conta no Instagram. Antes mesmo da estreia do Brasil nas quadras, Douglas viu seu número de seguidores disparar, saindo de pouco mais de 250 mil para quase 1 milhão. Agora, já tem mais de 2,7 milhões de seguidores e segue conquistando mais fãs com alguns dos vídeos mais divertidos do time brasileiro nos jogos. Initial plugin text 5. Marta Silva - Futebol Com 2,5 milhões de seguidores, Marta não é conhecida como rainha do futebol à toa. Ela é a única pessoa do planeta a ser premiada seis vezes como a melhor jogadora de futebol do mundo pela Federação Internacional de Futebol (Fifa): 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2018. Em 2019, ela se tornou a maior artilheira da Copa do Mundo, entre mulheres e homens, com 17 gols em 19 partidas de cinco Mundiais. Em Tóquio, ela pode se tornar a maior artilheira de todas as Olimpíadas. Veja a íntegra do Globo Repórter sobre a rainha Marta e o futebol feminino Initial plugin text 5. Ítalo Ferreira - Surfe O brasileiro de 1,68m se tornou um dos gigantes brasileiros no Instagram, com 1,5 milhão de seguidores até a publicação desta reportagem. Em 2019, ele ganhou fama internacional ao vencer o WSL, principal campeonato de surfe do mundo, derrotando Gabriel Medina. A consagração definitiva veio nesta Olímpiada, quando Ítalo ganhou o primeiro ouro do surfe na história dos Jogos — e também o primeiro do Brasil nesta edição — ao vencer o japonês Kanoa Igarashi. LEIA MAIS: Do começo na tampa de isopor ao ouro olímpico, conheça a trajetória do surfista potiguar Italo Ferreira Initial plugin text 6. Bruninho - Vôlei Até a disparada de Douglas, Bruninho era o grande nome do vôlei brasileiro nas redes sociais. Filho do ex-técnico Bernardinho e da ex-jogadora Vera Mossa, o levantador e capitão da seleção está em sua quarta Olimpíada e subiu ao pódio nas três primeiras: foi prata em Pequim 2008 e Londres 2012 e ouro na Rio 2016. Até a publicação desta reportagem, Bruninho tinha mais de 1,3 milhão de seguidores no Instagram. Initial plugin text 7. Arthur Nory - Ginástica Olímpica O atual campeão mundial da barra fixa tentou repetir o feito da Rio 2016, quando ganhou uma medalha de bronze no solo. Mas falhou em suas apresentações e não se classificou para as finais. Nory é um um dos atletas mais conhecidos do país, com 1,3 milhão de seguidores no Instagram, mas vê sua popularidade e fãs oscilarem desde 2015, após um vídeo com falas racistas contra o colega Ângelo Assumpção se espalhar pelas redes. "Tudo o que aconteceu na minha história desde o episódio de racismo de 2015 vem à tona sempre que eu apareço. Então é um processo de amadurecimento diário, de entender e melhorar", disse ele após a derrota em Tóquio. Initial plugin text Veja Mais

Falta de confiança e dúvida sobre viabilidade eleitoral levam partidos a resistir à filiação de Bolsonaro

G1 Economia Há quase dois anos sem partido, desde que deixou o PSL, em 2019, o presidente Jair Bolsonaro enfrenta percalços na escolha de uma sigla para disputar a reeleição em 2022. Bolsonaro tem a caneta de presidente na mão e a máquina do governo, mas encontra resistências em partidos. As razões vão mais além da tentativa do presidente de ter o controle do partido no âmbito nacional e em diretórios estaduais importantes. Na raiz da distância que aliados mantêm do clã Bolsonaro reside a falta de confiança no compromisso do presidente com a legenda que o recebesse. Nas entrelinhas, outro fator se sobressai: a dúvida sobre a viabilidade eleitoral do presidente, que vem perdendo apoio popular segundo pesquisas de opinião, em especial em segmentos do eleitorado considerados cruciais: renda mais baixa, Nordeste, jovens e mulheres. Hoje, as negociações estão mais avançadas com o Progressistas, partido presidido pelo senador Ciro Nogueira (PI), que acaba de ser escolhido novo ministro da Casa Civil. É também o partido de Arthur Lira (AL), presidente da Câmara dos Deputados. Nos últimos dias, o blog conversou com lideranças políticas no Congresso e de partidos para entender a dificuldade de Bolsonaro em definir uma legenda para ele, seus filhos e aliados que prometem migrar com o presidente. Congresso triplica fundo de partidos para eleições de 2022; LDO prevê repasse de R$ 5,7 bilhões Efeito PSL Os líderes citam a tumultuada saída de Bolsonaro do PSL. Na época, ele teve uma disputa pelo controle da legenda com o fundador do partido, o deputado Luciano Bivar (PE). O partido tinha pouca expressão até ser catapultado, em 2018, com a eleição de Jair Bolsonaro à Presidência. Com Bolsonaro como puxador de votos, o PSL chegou à maior bancada da Câmara dos Deputados, ampliando também os recursos partidários. Foi essa transformação que deu ao presidente e seus aliados o argumento para tentar tomar o controle do partido. Ao perder a briga para Bivar, o presidente deixou a legenda e chegou a anunciar a criação do Aliança Pelo Brasil, partido que nunca conseguiu viabilizar. Esse histórico de disputas internas e embates públicos foi citado por duas lideranças de partidos que apoiam Bolsonaro e que na linguagem cautelosa da política do Congresso, dizem preferir manter a relação de aliados, não correligionários. Um ex-aliado é ainda mais direto ao afirmar que nenhum partido quer viver uma situação em que Bolsonaro, que só demonstra ser fiel a seus filhos, tente capturar uma legenda. Depois de desistir da criação do Aliança, Bolsonaro ensaiou negociações com o Patriota, partido ao qual o senador Flavio Bolsonaro (RJ) se filiou recentemente e chegou a anunciar que o pai seguiria o mesmo caminho. O plano foi frustrado pela divisão interna que o anúncio da chegada dos Bolsonaros causou no Patriota. PP A bola da vez é o PP. Dentro do PP, entretanto, setores do partido resistem à chegada de Bolsonaro, mesmo ele sendo um velho conhecido, que foi por mais de 10 anos integrante da sigla. Uma das razões é a variedade de alianças regionais do partido. No Nordeste, em especial, alas importantes pepistas estão de mãos dadas com o PT. A perspectiva de Bolsonaro enfrentar Lula, um nome difícil de ser superado na região, trouxe ainda mais resistências. Esperar ou definir logo? Lideranças de alguns partidos sugerem que seria melhor Bolsonaro esperar um pouco mais para definir sua sigla. O que eles pretendem, é acompanhar se a popularidade do presidente irá se recuperar com a perspectiva de vacinação da população e retomada da economia - ou com programas a serem anunciados, como um novo Bolsa Família, mais reforçado. Para assessores próximos do presidente ouvidos pelo blog, Bolsonaro não deve esperar muito mais. Há uma leitura de que a demora faz com que a conta fique cada vez mais cara. Nos últimos dias, a reação do presidente à aprovação pelo Congresso de um fundo eleitoral bem mais gordo, de R$ 5,7 bilhões, colocou mais empecilhos na relação com os partidos. Aliados viram na atitude de Bolsonaro um oportunismo eleitoral para tentar se dissociar de políticos tradicionais - exatamente aqueles que ele precisa agora para dar sustentação a seu governo. VÍDEOS: notícias sobre política no Brasil e no mundo Veja Mais

Sinqia anuncia aquisição da Mercer Brasil

Times Money Journal A Sinqia (SQIA3), provedora de tecnologia para o sistema financeiro, anunciou nesta terça – feira (27) que fez a compra de 100% da Mercer Human Resource Consulting Ltda. Sobre a aquisição  Conforme o comunicado feito pela Sinqia , o valor da aquisição foi acordado em R$ 35 milhões de reais sendo divididos em duas etapas. […] O post Sinqia anuncia aquisição da Mercer Brasil apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Tragédia de Mariana: tribunal londrino reabre processo de US$ 7 bilhões contra a BHP

G1 Economia Um grupo formado por cerca de 200 mil reclamantes brasileiros vinha tentando ressuscitar o processo. Desastre matou 19 pessoas e gerou danos ambientais irreversíveis. O rio Doce, hoje ainda se recuperando da tragédia de Mariana, em imagem de maio de 2021. Globo Repórter O Tribunal de Recursos de Londres concordou nesta terça-feira (27) em reabrir um processo de US$ 7 bilhões contra a mineradora anglo-australiana BHP pelo rompimento da barragem de Mariana (MG) em 2015, que causou o maior desastre ambiental da história do Brasil. Um grupo formado por cerca de 200 mil reclamantes brasileiros vinha tentando ressuscitar o processo de 5 bilhões de libras (US$ 6,9 bilhões) movido na Inglaterra contra a BHP desde que um tribunal inferior suspendeu a ação em novembro, alegando abuso processual, e um juiz do Tribunal de Recursos manteve a decisão. "Embora compreendamos totalmente as considerações que levaram o juiz à sua conclusão de que a reclamação deveria ser rejeitada, acreditamos que o recurso tem uma perspectiva real de sucesso", disseram três magistrados do Tribunal de Recursos na decisão emitida nesta terça-feira. Justiça britânica decide se ação bilionária contra BHP Billiton, uma das donas da Samarco, seguirá tramitando na corte inglesa Advogados esperam que Justiça britânica decida até setembro se ação sobre desastre de Mariana seguirá tramitando na Inglaterra Tragédia de Mariana: Justiça britânica extingue ação bilionária contra BHP Billiton por considerá-la 'abusiva' Mariana: defesa de atingidos recorre de decisão de Justiça britânica em ação contra BHP O colapso da barragem de Fundão, pertencente à Samarco – joint venture entre BHP e a brasileira Vale –, matou 19 pessoas e fez com que uma enxurrada de mais de 40 milhões de metros cúbicos de rejeitos invadisse o rio Doce e atingisse o Oceano Atlântico, a mais de 650 quilômetros do local do desastre. Teaser: Tragédia em Mariana provocou 19 mortes Centenas de milhares de pessoas sofreram prejuízos. Tragédia de Mariana, 5 anos: sem julgamento ou recuperação ambiental, 5 vidas contam os impactos no período Samarco retoma atividades em Mariana 5 anos após tragédia que matou 19 pessoas Tragédia de Mariana: Renova não poderá substituir auxílio por 'kit proteína' em 2021, mas redução do valor é mantida Fotógrafo registra imagens dos impactos da lama da Samarco no Rio Doce Leonardo Merçon/ Últimos Refúgios A ação coletiva – uma das maiores da história do sistema legal inglês – tem sido movida pelo escritório de advocacia PGMBM em nome de indivíduos, empresas, igrejas, organizações, municípios e povos indígenas brasileiros. Tom Goodhead, sócio-gerente da PGMBM, disse que esta foi uma "decisão monumental" e que seus clientes sentiram que pela primeira vez os juízes reconheceram a importância do caso. O que diz a BHP A BHP, maior mineradora do mundo em valor de mercado, classificou o caso como sem sentido e uma perda de tempo, alegando que a ação duplica procedimentos do Brasil e o trabalho da Fundação Renova, entidade criada pela companhia e seus sócios brasileiros para compensações pelo desastre. "A posição da BHP continua sendo a de que os procedimentos não pertencem ao Reino Unido", disse a empresa em comunicado. "As questões levantadas pelos reclamantes já estão cobertas pelo trabalho da Fundação Renova, por decisões já existentes da Justiça brasileira ou são temas de processos em tramitação no Brasil." Os vídeos mais vistos do G1 Minas: Veja Mais

A complexa relação dos japoneses com os robôs

G1 Economia Enquanto o Ocidente tende a ver essas máquinas inteligentes como uma ameaça, o Japão tem uma visão mais positiva e filosófica. O Japão está implantando robôs em lares de idosos, escritórios e escolas à medida que sua população envelhece e sua força de trabalho diminui. Getty Images via BBC Em um certo templo budista de 400 anos, os visitantes podem passear por jardins de pedra pacíficos, sentar-se para uma xícara de chá tranquila e receber ensinamentos budistas de um sacerdote incomum: um androide chamado Mindar. Ele tem um rosto sereno e de aparência neutra, nem velho nem jovem, nem masculino nem feminino. Além da pele realista que cobre a cabeça e a parte superior do tronco, ele parece inacabado e industrial, com tubos e maquinários expostos. Mas Mindar é bastante sofisticado quando aborda filosofia, discorrendo sobre um texto budista obscuro chamado Sutra do Coração. Um sacerdote robótico assim só pode existir mesmo em um lugar como o Japão, neste caso no belo Templo Kodai-ji em Kyoto. O Japão é conhecido há muito tempo como uma nação que fabrica e se relaciona com robôs humanoides com mais entusiasmo do que qualquer outra. Embora essa reputação seja frequentemente exagerada no exterior — casas e empresas japonesas não são densamente povoadas por androides, como notícias às vezes sugerem — há um fundo de verdade nessa imagem. Medalhas das Olimpíadas de Tóquio foram feitas com partes de celulares e computadores reciclados Conheça o Line, o ‘zap do Japão’ que foi criado por causa do terremoto seguido de tsunami O androide Mindar no templo Kodai-ji em Kyoto. Getty Images via BBC Objetos do dia-a-dia Alguns observadores da sociedade japonesa dizem que a religião nativa do país, o xintoísmo, explica sua predileção por robôs. O xintoísmo é uma forma de animismo que atribui espíritos, ou kami, não apenas aos humanos, mas também a animais, paisagens como montanhas e até objetos cotidianos como lápis. "Todas as coisas têm um pouco de alma", nas palavras de Bungen Oi, o sacerdote-chefe de um templo budista que realizava funerais para cães robóticos. De acordo com essa visão, não há distinção categórica entre humanos, animais e objetos, então não é tão estranho para um robô demonstrar comportamentos semelhantes aos humanos — ele está apenas mostrando seu tipo particular de kami. "Para os japoneses, sempre podemos ver uma divindade dentro de um objeto", diz Kohei Ogawa, designer-chefe de Mindar. Os robôs podem se tornar comuns na indústria de construção. Getty Images via BBC O animismo do Japão contrasta com as tradições filosóficas do Ocidente. Os gregos antigos eram animistas porque viam espíritos em lugares naturais como riachos, mas consideravam a alma e a mente humanas distintamente separadas e acima do resto da natureza. As religiões abraâmicas (religiões como cristianismo, islamismo e judaismo que têm em comum o personagem bíblico Abraão) colocam os humanos em um pedestal ainda mais alto, como a maior criação de Deus, os únicos corpos que possuem almas imortais. Os antigos israelitas foram advertidos contra a atribuição de valor espiritual aos objetos, para que não praticassem a adoração de ídolos, uma forma de heresia expressamente proibida pelos Dez Mandamentos. Algumas formas do Islã são especialmente avessas à idolatria e proíbem a criação de qualquer imagem de humanos ou animais. Não mexa com a natureza De acordo com a visão ocidental tradicional, uma máquina que age como uma pessoa está violando os limites naturais, confundindo perigosamente o sagrado e o profano. Essa advertência ética aparece com destaque em mitos modernos sobre tecnologia, como Frankenstein, que deriva muito de sua mensagem moral da Bíblia, diz Christopher Simons, professor de Cultura Comparada na Universidade Cristã Internacional de Tóquio. Robôs jogando uma partida de futebol. Getty Images via BBC "O dr. Frankenstein cria outra vida no monstro. É como humanos comendo da árvore do conhecimento no Éden. Esse é o pecado original; como resultado, somos punidos", diz ele. No trágico final da história, com o dr. Frankenstein e seu monstro mortos, a lição é clara, diz Simons: "Cuidado, seres humanos. Não assumam o papel de Deus". A peça teatral tcheca R.U.R., de 1920, que introduziu a palavra "robô", é repleta de temas religiosos: um personagem cria androides para provar que não há Deus, outro argumenta que os robôs devem ter alma e dois robôs que se apaixonam são batizados de "Adão e Eva". No final da história, os robôs matam todos os humanos, exceto um. Um impulsionador da indústria Alguns pesquisadores dizem que as raízes da visão positiva do Japão sobre a tecnologia e sobre os robôs em particular são principalmente socioeconômicas e históricas, em vez de religiosas e filosóficas. Nos anos após a Segunda Guerra Mundial, o Japão recorreu a novas tecnologias para reconstruir não apenas sua economia, mas também sua imagem nacional. Pepper é um robô semi-humanoide projetado para 'ler emoções' já em uso nos setores de serviços e varejo. Getty Images via BBC "Os robôs industriais desempenharam um papel importante no renascimento econômico do Japão durante os anos 1960", disse Martin Rathmann, um acadêmico japonês da Universidade de Siegen, na Alemanha. "Em vez de facilitar as rígidas políticas de imigração para ajudar com a escassez de mão de obra, eles introduziram a automação generalizada por meio da robótica." Após automatizar suas próprias linhas de fabricação, aumentando a eficiência e a produção, o Japão se tornou um grande exportador de robôs industriais para outros países. Jogos Olímpicos: as curiosidades da Tóquio 1964, a 1ª Olimpíada sediada pelo Japão Quando alguns engenheiros deram o salto de robôs funcionais e industriais para robôs humanoides que interagem com as pessoas, a história do Japão provavelmente influenciou a forma como eles são vistos. Em 1649, os governantes militares do Japão haviam proibido o uso de tecnologia para desenvolver novas armas, para evitar o surgimento de novos rivais, segundo pesquisa de Cosima Wagner, pesquisadora da Freie Universität, na Alemanha. Assim, os criadores se concentraram em projetos mais inócuos, como bonecos mecânicos que atuam em teatros de marionetes ou servem chá. O engenheiro de robôs Hiroshi Ishiguro criou um robô andróide infantil de 10 anos chamado Ibuki. Getty Images via BBC Quando o Japão finalmente se abriu para o contato estrangeiro, dois séculos depois, esses hábeis desenvolvedores de brinquedos trilharam o caminho da adaptação da tecnologia ocidental para usos mais práticos. Em 1875, por exemplo, o fabricante de bonecas Tanaka Hisashige fundou a Tanaka Seisakusho (Tanaka Engineering Works), a primeira empresa japonesa de engenharia mecânica. E, 64 anos depois, em uma grande fusão, a empresa tornou-se conhecida como Toshiba. 'Vale da estranheza' Embora os protorrobôs tenham saído de moda durante a rápida modernização do Japão no século 20, a ideia de seres mecânicos como diversões pode ter permanecido na consciência nacional. Quando Masahiro Mori, o famoso pensador da robótica que cunhou o termo "vale da estranheza", começou a fazer pesquisas sobre robôs na década de 1970, ele achou difícil ser levado a sério. A frase, que se refere ao desconforto que sentimos quando confrontados com entidades semelhantes a humanos, parecia em contradição com a relação do Japão com os robôs. Um robô Gundam gigante no distrito de Odaiba, em Tóquio. Getty Images via BBC "Naquela época, as pessoas não achavam que as universidades deveriam fazer pesquisas sobre robôs", disse ele em entrevista à revista IEEE Spectrum. "Eles achavam que era supérfluo trabalhar em um 'brinquedo'." O Japão foi forçado a se desmilitarizar durante a ocupação americana, e a nação oficialmente pacifista pouco se esforçou para usar robôs como armas. Esses fatores ajudaram a incutir uma visão geralmente positiva dos robôs no Japão do pós-guerra. A automação industrial proporcionou uma grande vantagem econômica e os robôs humanoides eram uma curiosidade inócua. O Ocidente, por sua vez, tendia a ter uma visão menos otimista. Os Estados Unidos, preocupados com a Guerra Fria, despejaram fundos em robótica para uso militar, o que gerou uma aura de violência sobre o campo. Trabalhadores do Ocidente há muito viam a automação como uma ameaça aos empregos, desde que os luditas destruíram a maquinaria têxtil na Inglaterra no final do século 18 e no início do século 19. Superestrela de mangá Um dos personagens japoneses mais influentes é Astro Boy, que foi introduzido nos quadrinhos de mangá em 1952. Getty Images via BBC Essas visões divergentes da tecnologia foram reveladas na cultura pop da segunda metade do século 20. Um dos personagens japoneses mais influentes dessa época foi Astro Boy, que foi introduzido nos quadrinhos de mangá em 1952 e passou a aparecer em livros, programas de TV, filmes e uma ampla gama de mercadorias como bonecos de ação e figurinhas. Astro Boy era um androide que usou seus poderes sobre-humanos para o bem e uniu o país em torno de uma mensagem positiva sobre tecnologia — mesmo que ele não tenha sido originalmente criado para isso. "De acordo com [o criador do Astro Boy Osamu] Tezuka, ele foi forçado a fazer um retrato muito otimista da tecnologia (...) por sua editora e leitores para dar esperança aos japoneses, que na década de 1950 ainda sofriam com a destruição de guerra e a consciência de sua inferioridade tecnológica em relação aos vencedores ocidentais da guerra ", escreve Wagner. "A mensagem de Tezuka de uma crítica ao comportamento humano não foi entendida; em vez disso, só o caráter amigável de um robô salvador foi idealizado como esperança para o futuro da sociedade japonesa." Um robô faz um "okonomiyaki", uma popular panqueca japonesa. Getty Images via BBC A mensagem deixou uma marca poderosa em uma geração de japoneses, especialmente aqueles que iriam fazer seus próprios androides. "A robótica japonesa é impulsionada pelo sonho do Astro Boy", de acordo com o engenheiro Yoji Umetani. "'Se não houvesse ficção robótica, não haveria robótica' é o credo de muitos dos principais pesquisadores e desenvolvedores de robótica no Japão. "Desde o colégio, eles sonhavam com Astro Boy e se tornaram roboticistas por causa dele." O Ocidente também contou algumas histórias positivas sobre robôs, mas as mais influentes são sobre as ameaças que eles representam para a humanidade. Em 2001: Uma Odisseia no Espaço, o sistema de computador inteligente Hal se torna desonesto e mata vários dos tripulantes da nave que ele controla. No conto Os androides sonham com ovelhas elétricas? e sua adaptação para o cinema, Blade Runner, androides convincentemente parecidos com humanos se rebelam contra sua escravidão até serem caçados e mortos. O medo do Ocidente de robôs foi cristalizado mais fortemente na série Terminator (O Exterminador do Futuro), na qual a rede de computadores de defesa SkyNet ganha autoconsciência, humanos tentam desligá-la e a SkyNet usa androides chamados Terminators para travar uma guerra com sucesso contra eles. O medo do Ocidente de robôs foi cristalizado de forma mais poderosa na série 'Terminator'. Getty Images via BBC Muitas obras de ficção científica ocidentais remetem às mesmas advertências morais de Frankenstein e R.U.R.: a loucura de criar vida artificial, o paradoxo da impossibilidade de as pessoas coexistirem com nossas criações mais sofisticadas. Enquanto isso, o Japão, menos preocupado com um levante, está ansioso para usar robôs para compensar uma escassez aguda de mão de obra e lidar com tarefas como cuidar da população idosa em rápido crescimento do país. Como nos anos do pós-guerra, o governo e as empresas estão promovendo a automação para ajudar a economia, contribuindo para o entusiasmo nacional pelos robôs. Mas embora Astro Boy tenha ajudado a criar o entusiasmo do Japão pela ideia de robôs, ele também pode ter contribuído para a ambiguidade do país em relação a eles. Rathmann diz que os japoneses têm "síndrome de Astro Boy": eles tendem a imaginar robôs humanoides inteligentes, flexíveis e poderosos, mas até agora a robótica da vida real ainda não atendeu às suas expectativas. Ele diz que, com base na tecnologia disponível agora, os engenheiros que trabalham em robôs para idosos devem se concentrar em fazer dispositivos simples que se integrem perfeitamente em lares, em vez de dispositivos chamativos que são impressionantes, mas caros e pouco práticos. Em última análise, até mesmo os japoneses podem preferir que suas necessidades humanas sejam atendidas por humanos reais. "Quando eu viajei para o Japão, descobri que os centros de saúde japoneses não estão lotados de dispositivos robóticos", diz a pesquisadora Marketta Niemela. "O toque humano é apreciado." Astro Boy deu ao Japão uma visão otimista de um futuro robótico. Os japoneses mantêm esse otimismo, mas os robôs pertencem, por enquanto, ao futuro. No YouTube, G1 conta como mangás inspiram atletas olímpicos Como é usar o Line, o 'zap' do Japão Line: brasileiras contam como é usar o 'zap' do Japão Veja Mais

CADE aprova aquisição da Marvel pela JSL (JSLG3)

Times Money Journal O conselho administrativo de defesa econômica (CADE) aprovou sem restrições a aquisição da Transportes Marvel Ltda – Marvel – pela JSL (JSLG3). A transação é a quinta aquisição realizada desde o IPO da companhia. Juntas, irão adicionar R$ 1,6 bilhão à receita bruta e R$ 267 milhões ao ebitda, correspondendo a um crescimento de 50% […] O post CADE aprova aquisição da Marvel pela JSL (JSLG3) apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Regulador antimonopólio dos EUA pede prazo maior em processo contra Facebook

G1 Economia Comissão Federal de Comércio (FTC) tem até 29 de julho para apresentar uma nova queixa contra a rede social, mas pediu que a Justiça dê até o dia 19 de agosto. Facebook REUTERS/Stephen Lam A Comissão Federal de Comércio (FTC), autoridade encarregada de regulamentar a livre concorrência nos Estados Unidos, pediu a um tribunal federal mais tempo para abrir uma petição adicional no caso antimonopólio contra o Facebook. No documento apresentado na última sexta-feira (23) no tribunal federal do distrito de Colombia (Washington DC) e publicado nesta segunda (26), a FTC pede até 19 de agosto para revisar seus argumentos no caso. O regulador diz que o Facebook não se opõe a esta autorização de prorrogação. No final de junho, o juiz federal de Washington encarregado do caso, James Boasberg, atendeu ao pedido do Facebook para anular o processo, mas deu 30 dias para a FTC apresentar novos elementos para o caso– prazo que venceria na próxima quinta (29). A ação judicial contra o Facebook foi iniciada em dezembro de 2020 em um tribunal federal por parte da FTC e de promotores de 48 estados e territórios americanos. As autoridades acusam a rede social de abusar de sua posição dominante para desbancar a concorrência e exigir, entre outras coisas, a ruptura com suas filiais Instagram e WhatsApp. O Facebook ganhou uma instância em junho, quando o juiz Boeasberg indeferiu o caso porque carecia de "provas concretas sobre o real poder do Facebook". Com a decisão, o valor de mercado da empresa chegou a atingir US$ 1 trilhão. Saiba como se proteger de golpes no WhatsApp Golpes no Whatsapp: saiba como se proteger Veja Mais

Rede de supermercados oferece 23 vagas de emprego na região de Campinas; veja como se candidatar

G1 Economia Oportunidades são para as cidades de Indaiatuba (SP), Americana (SP), Sumaré (SP) e Hortolândia (SP). Rede de supermercados tem 23 oportunidades de emprego disponíveis na região de Campinas (SP) Alex Ferreira Uma rede de supermercados da região de Campinas (SP) está com 23 vagas de emprego abertas para início imediato. As oportunidades, divulgadas nesta segunda-feira (26), são para as cidades de Indaiatuba, Americana, Sumaré e Hortolândia. Os interessados em trabalhar para a empresa São Vicente podem enviar o currículo pelo site. Para se candidatar, é preciso ensino médio completo e morar no município onde é oferecida a vaga. As oportunidades contemplam todos os gêneros. A média salarial não foi divulgada. Três cidades da região de Piracicaba (SP) têm 48 vagas disponíveis. Veja os empregos por cidade abaixo. Indaiatuba Açougueiro (a) - 2 vagas Balconista de frios - 1 vaga Repositor (a) de mercearia - 2 vagas Operador (a) de caixa - 1 vaga Embalador (a) - 1 vaga Americana Fiscal de loja - 2 vagas Ajudante de açougue - 2 vagas Açougueiro (a) - 1 vaga Balconista de frios - 2 vagas Motorista - 1 vaga Agente essencial - 2 vagas Sumaré Balconista de frios - 1 vaga Açougueiro (a) - 1 vaga Ajudante de açougue - 1 vaga Hortolândia Fiscal de loja - 1 vaga Repositor (a) - 1 vaga Açougueiro (a) - 1 vaga VÍDEOS: Tudo sobre Campinas e região Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas Veja Mais

Eletromidia (ELMD3) adquire 74,65% da Ótima

Times Money Journal A Eletromidia (ELMD3) anunciou nesta segunda – feira (26), a compra parcial da Ótima, o valor pago será de R$ 416.758.873,16 milhões por uma participação de  74,65%, essa é primeira aquisição da companhia listada em bolsa de valores depois do seu recente IPO. Em conjunto na sociedade continua a RuasInvest com 25,35%. O montante da […] O post Eletromidia (ELMD3) adquire 74,65% da Ótima apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Vendas de combustíveis por distribuidoras no Brasil avançam 12,1% em junho, diz ANP

G1 Economia Diesel teve registrou maior patamar de vendas desde março, com um total de 5,1 bilhões de litros. Preço dos combustíveis em posto de gasolina Ana Clara Marinho/TV Globo As vendas totais de combustíveis por distribuidoras no Brasil avançaram 12,1% em junho na comparação com igual período do ano anterior, atingindo cerca de 11,4 bilhões de litros, indicaram dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta sexta-feira (30). A cifra também representa alta em relação ao mês anterior, quando a comercialização chegou a 11,2 bilhões de litros. Já no acumulado do ano, as vendas passaram a apurar alta de 7,9% ante igual período de 2020, quando a demanda por combustíveis foi fortemente afetada por medidas restritivas relacionadas à pandemia de coronavírus. Preços do diesel, gasolina e etanol nos postos têm queda na semana, indica ANP Combustível mais consumido do Brasil, o diesel teve em junho o maior patamar de vendas desde março, com um total de 5,1 bilhões de litros, alta de 8,9% na comparação anual e de 1,8% frente ao mês de maio, segundo a ANP. No acumulado do primeiro semestre, a comercialização de óleo diesel pelas distribuidoras no país registrou salto de 11,1% ante mesmo período de 2020, acrescentou a reguladora. O levantamento também apontou vendas de 3,2 bilhões de litros de gasolina comum no mês passado, alta de 17,4% na comparação com junho de 2020. Com o maior resultado mensal para a comercialização do combustível fóssil até o momento neste ano, junho também obteve avanço de 3,4% ante o mês anterior. No semestre, as vendas do produto acumularam ganho de 8,1% frente aos seis primeiros meses do ano passado. Concorrente direto da gasolina nas bombas dos postos brasileiros, o etanol hidratado apurou comercialização de 1,28 bilhão de litros em junho. Entre os combustíveis indicados pela ANP, foi o único a registrar queda tanto ante junho de 2020 (-4,3%) quanto frente a maio deste ano (-14,5%). Ainda assim, obteve alta de 2,7% no primeiro semestre em comparação anual, impulsionado pelos números positivos de vendas nos meses de abril e maio -— ustamente período em que, em 2020, as restrições pela Covid-19 tiveram o maior impacto sobre a comercialização de combustíveis. Veja Mais

TJ-SP abre 35 vagas para concurso público de escrevente em Campinas, Americana, Amparo e Mogi Mirim

G1 Economia Inscrições começam a partir desta sexta-feira (30) e vão até 2 de setembro; candidato deve pagar taxa de inscrição de R$ 79. TJ-SP oferece 20 vagas para concurso público em Campinas (SP) e 15 em outras cidades da região Reprodução/ TV Globo O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) abriu, nesta sexta-feira (30), inscrições para 35 vagas no concurso público de escrevente técnico judiciário para nível médio de escolaridade, distribuídas em Campinas (SP), Americana (SP), Amparo (SP) e Mogi Mirim (SP). O edital, divulgado nesta quinta (29), oferece, ao todo, 845 vagas para o estado de São Paulo. O salário é de R$ 4.981,71 para a jornada de trabalho de 40 horas semanais. As inscrições vão até 2 de setembro e devem ser realizadas pelo site da organizadora do concurso. A taxa de inscrição é de R$ 79. A seleção será dividida em duas etapas: a primeira é uma prova objetiva, de caráter eliminatório, composta por 100 questões de múltipla escolha, que acontece no dia 31 de outubro; e a segunda é uma prova prática, de formatação e digitação. A segunda etapa é apenas para os candidatos habilitados e com melhor classificação, de acordo com as notas de corte de cada Circunscrição Judiciária, em data a ser definida. Para conferir mais informações, o candidato pode acessar o edital do concurso. Relação de vagas As cidades com vagas abertas pertencem à 4ª Região Administrativa Judiciária, que tem sede na metrópole Campinas. Campinas - 20 vagas Mogi Mirim - 5 vagas Americana - 5 vagas Amparo - 5 vagas São reservados 5% das vagas para pessoas com deficiência e 20% para candidatos negros. O que faz um escrevente? Entre as atividades do escrevente técnico judiciário estão: executar atividades relacionadas à organização dos serviços que envolvam as funções de suporte técnico e administrativo às unidades do Tribunal de Justiça; dar andamento em processos judiciais e administrativos; atender ao público interno e externo; elaborar e conferir documentos; controlar a guarda do material de expediente; atualizar-se quanto à legislação pertinente à área de atuação e normas internas. VÍDEOS: Tudo sobre Campinas e Região Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas Veja Mais

Taxa de desemprego fica em 14,6% no 2t21

Times Money Journal A taxa de desemprego no país ficou em 14,6% no trimestre encerrado em maio deste ano, segundo dados divulgados hoje (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice é estável, em termos estatísticos, em relação ao trimestre imediatamente anterior (encerrado em fevereiro deste ano): 14,4%. De acordo com os dados da Pesquisa […] O post Taxa de desemprego fica em 14,6% no 2t21 apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Amazon recebe multa recorde de US$ 887 milhões na União Europeia por questões de privacidade

G1 Economia Autoridade de Luxemburgo disse que empresa não seguiu as leis de proteção de dados do bloco europeu. Gigante do varejo on-line nega. Amazon Mike Segar/Reuters/Arquivo A Amazon foi multada em US$ 887 milhões (746 milhões de euros, cerca de R$ 4,5 bilhões) na União Europeia por não cumprir as regras da GDPR, a lei de proteção de dados do bloco. O valor é um recorde para sanções do tipo. Até então, a multa mais alta havia sido a de 50 milhões de euros imposta ao Google em 2019 (cerca de R$ 213 milhões na época). A penalização foi decidida há duas semanas pela autoridade de proteção de dados de Luxemburgo, onde a Amazon mantém a sua sede na Europa, mas só foi revelada nesta sexta-feira (30) em um registro financeiro. Foi exigido ainda que a gigante do varejo on-line revise determinadas práticas comerciais, que não foram reveladas. Em nota à agência Bloomberg, a companhia afirmou que "não houve violação de dados, e nenhuma informação de clientes foi exposta a terceiros". "Esses fatos são indiscutíveis. Discordamos fortemente da decisão da CNPD", completou a Amazon, que planeja recorrer da decisão. A multa representa aproximadamente 4,2% do lucro líquido da Amazon em 2020, que foi de US$ 21,3 bilhões, e 0,2% de sua receita de US$ 386 bilhões. A lei de proteção de dados europeia indica que os reguladores podem multar as empresas em até 4% de sua receita anual. O Brasil também possui uma lei de proteção de dados, a LGPD, em vigor desde setembro passado. Suas sanções, no entanto, só serão aplicadas a partir do dia 1º de agosto de 2021 e não podem ultrapassar R$ 50 milhões por infração. Lei Geral de Proteção de Dados: o que muda para os cidadãos? Veja perguntas e respostas A multa recorde será um dos primeiros desafios de Andy Jassy, presidente-executivo da Amazon desde que o seu fundador, Jeff Bezos, se afastou do cargo no começo de julho, após 27 anos no comando. Bezos é o homem mais rico do mundo, com fortuna estimada em US$ 206,3 bilhões pela revista Forbes. Recentemente, ele fez uma viagem ao espaço a bordo de uma nave construída pela Blue Origin, sua empresa voltada ao setor aeroespacial. LEIA TAMBÉM: Jeff Bezos deixa comando da Amazon; saiba quais são os planos do bilionário Quem é Andy Jassy, que será o novo CEO da Amazon Saiba motivos da saída de Bezos do comando da empresa Jeff Bezos, homem mais rico do mundo, vai ao espaço e agradece a clientes da Amazon: 'Vocês pagaram' Veja os melhores momentos da viagem de Bezos ao espaço: Jeff Bezos no espaço: Veja os melhores momentos do voo e entenda o caso Assista a 7 pontos sobre Jeff Bezos, fundador da Amazon: 7 pontos sobre Jeff Bezos Veja Mais

Dólar opera em alta nesta sexta

G1 Economia Nesta quinta-feira (29), moeda norte-americana registrou recuo de 0,58%, cotada a R$ 5,0792. O dólar opera em alta nesta sexta-feira (30), caminhando para avanço de mais de 2% no mês, com as expectativas dos investidores concentradas na próxima reunião de política monetária do Banco Central do Brasil. Às 10h14, a moeda norte-americana subia 0,54%, vendida a R$ 5,1065. Veja mais cotações. No dia anterior, o dólar fechou em queda de 0,58%, cotado a R$ 5,0792 - a menor cotação desde 2 de julho (R$ 5,0523). Com o resultado, a moeda norte-americana acumula alta de 2,14% no mês e queda de 2,08% no ano. Neste pregão, o Banco Central fará leilão de swap tradicional para rolagem de até 15 mil contratos com vencimento em janeiro e maio de 2022. o Cenário Na próxima semana, o Banco Central define sua taxa de juros, e o mercado aposta em uma aceleração na alta da Selic em agosto, depois que a prévia da inflação deste mês veio acima da esperada. A expectativa é que a taxa tenha uma alta de 1 ponto percentual. Em decisão anunciada na quarta, o Federal Reserve (BC dos EUA) manteve inalterada, entre 0 e 0,25%, a taxa básica de juros do país. "Como o Fed não sinalizou uma desestimulação da economia, os investidores começam a voltar seus olhos para moedas de países emergentes", explicou à Reuters Lucas Schroeder, diretor de operações da Câmbio Curitiba. "Como o movimento interno é o oposto, de aumento da Selic, isso pode estimular a entrada de recursos." No entanto, alertou Schroeder, os aspectos promissores para o real são compensados por um cenário político doméstico incerto, bem como pela disseminação da Covid-19. Recentemente, a cepa Delta do coronavírus, altamente contagiosa, tem preocupado os investidores internacionais. "O cenário brasileiro é delicado, porque envolve a questão política; ontem mesmo vimos atrito de Bolsonaro com Barroso", disse ele. "Isso acaba trazendo riscos para o investidor." Em live na quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro não apresentou provas, como havia prometido, para embasar suas recorrentes denúncias de fraudes eleitorais, e voltou a criticar a atuação do presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, que é contrário à mudança do atual sistema de votação. Variação do dólar em 2021 G1 1xVelocidade de reprodução0.5xNormal1.2x1.5x2x 1xVelocidade de reprodução0.5xNormal1.2x1.5x2x Veja Mais

O Assunto #506: Endividamento recorde do brasileiro

G1 Economia Em abril, o comprometimento da renda das famílias com o pagamento de dívidas atingiu inéditos 58,5%. Em muitos casos, elas foram contraídas não para a aquisição de bens, mas simplesmente para dar conta de despesas básicas. Um drama alimentado por fatores como o avanço da inflação e o elevado desemprego. Você pode ouvir O Assunto no G1, no GloboPlay, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music, no Hello You ou no sua plataforma de áudio preferida. Assine ou siga O Assunto, para ser avisado sempre que tiver novo episódio. Em abril, o comprometimento da renda das famílias com o pagamento de dívidas atingiu inéditos 58,5%. Em muitos casos, elas foram contraídas não para a aquisição de bens, mas simplesmente para dar conta de despesas básicas. Um drama alimentado por fatores como o avanço da inflação e o elevado desemprego, explica Sergio Vale, economista-chefe da MB Associados. Em entrevista a Renata Lo Prete, ele analisa o papel do auxílio emergencial (primeiro suspenso e depois reduzido pelo governo) nesse quadro. Fala ainda do complicador representado pelo fato de que o país teve duas retrações em curto período (a de 2015-2016 e a do ano passado). E prevê dificuldade extra para a superação do endividamento, por causa da trajetória de alta dos juros. Participa também Myrian Lund, professora de Finanças da FGV. É ela quem dá dicas para quem se encontra numa bola de neve. “Sempre tem solução", que, segundo ela, passa por “estruturar a situação e só daí renegociar" com o banco. Ela sugere ainda planejar receitas e despesas a longo prazo e evitar o crédito consignado. "Por ter taxa mais baixa, você pega mais. Quando vê, está com a vida comprometida". O que você precisa saber: Percentual de famílias com dívidas chega a 70% e Brasil atinge o maior nível em 11 anos DESEMPREGO: Em média, 377 brasileiros perderam o emprego por hora em 1 ano de pandemia RENDA: Na contramão do PIB, renda do brasileiro cai 10% com inflação em alta e desemprego recorde LEI DO SUPERENDIVIDAMENTO: Novas regras aumentam a proteção de pessoas que têm muitas dívidas e não conseguem pagá-las O podcast O Assunto é produzido por: Mônica Mariotti, Isabel Seta, Luiz Felipe Silva, Thiago Kaczuroski e Giovanni Reginato. Neste episódio colaboraram também: Gabriel de Campos, Ana Flávia Paula e Victor Paz. Apresentação: Renata Lo Prete. Comunicação/Globo O que são podcasts? Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde a gente quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, a gente acha na internet. De graça. Dá para escutar num site, numa plataforma de música ou num aplicativo só de podcast no celular, para ir ouvindo quando a gente preferir: no trânsito, lavando louça, na praia, na academia... Os podcasts podem ser temáticos, contar uma história única, trazer debates ou simplesmente conversas sobre os mais diversos assuntos. É possível ouvir episódios avulsos ou assinar um podcast – de graça - e, assim, ser avisado sempre que um novo episódio for publicado. Veja Mais

PIB dos EUA cresce 6,5% no 2º trimestre de 2021

Times Money Journal O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos cresceu à taxa anualizada de 6,5% no segundo trimestre de 2021, de acordo com a primeira leitura do indicador, divulgada pelo Departamento do Comércio do país nesta quinta-feira, dia 29. O resultado ficou abaixo da mediana de estimativas consultadas pelo Projeções Broadcast, que era de avanço de 8,5%. […] O post PIB dos EUA cresce 6,5% no 2º trimestre de 2021 apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Estalactites de gelo se formam em parreiral em Marialva; FOTOS E VÍDEO

G1 Economia Produtores Clarice e Laércio Brique registraram o fenômeno meteorológico após madrugada com temperatura negativa. Agricultores conseguiram salvar 150 pés da fruta. Estalactites se formam em plantação de uva Uma plantação de uva amanheceu coberta por estalactites de gelo em Marialva, no norte do Paraná, nesta quinta-feira (29). O registro foi feito pelos produtores rurais Clarice e Láercio Brique. O gelo se formou a partir da água que estava nos canos de irrigação que cai sobre o parreiral. De acordo com o Simepar, o município registrou mínima de -1°C e a tarde deve ter máxima de 13°C, mas com sensação térmica de 5°C. Estalactites se formaram em plantação de uva, em Marialva Clarice Brique/Arquivo pessoal Clarice contou que, já prevendo a geada, eles ligaram o sistema de irrigação às três horas da madrugada para evitar o congelamento dos pés de uva e dos cachos da fruta, que estão se formando. A área tem cerca de 150 pés de uva e as plantas irrigadas foram salvas. A produtora de uva conta que em outro local da propriedade, onde as parreiras não foram irrigadas houve prejuízo. As perdas ainda estão sendo contabilizadas pela família. LEIA TAMBÉM Agricultor acende fogueiras em plantação para evitar estragos com geada Cidades do Paraná amanhecem com temperaturas abaixo de 0ºC Agricultores antecipam colheitas de hortaliças e cobrem produção para tentar reduzir prejuízos com a geada Previsão de frio intenso faz com que cidades paranaenses abram vagas e novos abrigos para pessoas em situação de rua Esses são alguns dos efeitos desse frio, que traz imagens belíssimas, mas também prejuízos para a agricultura. A previsão de formação de geada segue para sexta-feira (30) em toda a região norte do estado. A temperatura mínima não vai ser tão baixa, mas os termômetros devem registrar 3°C e máxima de 19°C. Produtora rural registrou formação de gelo em parte da plantação de uva em Marialva Clarice Brique/Arquivo pessoal Folha de parreiral ficou congelada após noite gelada em Marialva Clarice Brique/Arquivo Pessoal Gelo se formou sobre parreiral de uva em Marialva Clarice Brique/Arquivo pessoal Em Marialva, mínima foi de -1°C nesta quinta-feira (29) Clarice Brique/Arquivo pessoal Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste. Veja Mais

Brasil gerou 1,5 milhão empregos formais no primeiro semestre, diz governo

G1 Economia Ao todo, segundo dados do Caged, foram 9,5 milhões de contratações e 8,05 milhões de demissões no período. O Ministério do Trabalho e Previdência informou nesta quinta-feira (29) que a economia brasileira gerou 1,5 milhão de empregos com carteira assinada no primeiro semestre deste ano. Os dados constam do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Ao todo, o Brasil registrou no primeiro semestre: 9.588.085 contratações; 8.051.368 demissões; saldo positivo de 1.536.717 empregos criados. No mesmo período do ano passado, o país havia fechado 1,19 milhão de vagas formais de trabalho. A comparação dos números com anos anteriores a 2020, segundo analistas, não é mais adequada porque o governo mudou a metodologia do Caged no início do ano passado. Junho Em junho, ainda segundo dados do Caged, o Brasil criou 309.114 mil empregos formais, resultado da diferença entre as contratações, que somaram 1.601.001, e as demissões, que totalizaram 1.291.887 no mês passado. Caged X Pnad Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, divulgados nesta quinta-feira (29), consideram apenas os trabalhadores com carteira assinada, ou seja, não inclui os informais. Com isso, não são comparáveis com os números do desemprego, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), coletados por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Continua (Pnad). Os números do Caged são coletados das empresas e abarcam o setor privado com carteira assinada, enquanto que os dados da Pnad são obtidos por meio de pesquisa domiciliar, e abrangem também o setor informal da economia. Veja Mais

Veja as vagas de emprego oferecidas em Petrolina, Araripina e Salgueiro nesta quinta-feira

G1 Economia Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. Emprego Reprodução/RPC Foram divulgadas as vagas de emprego disponíveis nesta quinta-feira (29) em Petrolina, Araripina e Salgueiro, no Sertão de Pernambuco. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco e atualizadas no G1 Petrolina. Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. O atendimento na Agência do Trabalho ocorre apenas com agendamento prévio, feito tanto pelo site da secretaria, quanto pelo Portal Cidadão. Petrolina Contato: (87) 3866 - 6540 Vagas disponíveis Salgueiro Contato: (87) 3871-8467 Vagas disponíveis Araripina Contato: (87) 3873 - 8381 Vagas disponíveis Vídeos: mais assistidos do Sertão de PE Veja Mais

Governo Bolsonaro apaga foto de homem armado usada para parabenizar o Dia do Agricultor após críticas

G1 Economia Postagem foi feita pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República, em sua conta no Twitter, nesta manhã. Palácio do Planalto não se pronunciou. A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República apagou na tarde desta quarta-feira (28) o post com uma foto de um homem armado feito horas antes em sua conta no Twitter como homenagem ao Dia do Agricultor. Governo Bolsonaro publica foto de homem armado para parabenizar o dia do agricultor Reprodução/Twitter O tuíte recebeu diversas críticas dos usuários e um deles apontou a origem da fotografia, retirada do banco de imagens iStock, que é pago. Neste site, a foto tem a seguinte a descrição: "Silhueta de caçador carregando espingarda no ombro e observando". O G1 procurou o Palácio do Planalto, que não se pronunciou até a publicação desta reportagem. O G1 também consultou organizações que ligadas ao Agro. A Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) disse que não vai se pronunciar. E a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) não respondeu até a última atualização da reportagem. O Sindicato Nacional dos Peritos Federais Agrários (SindPFA) afirmou que a manifestação "é uma demonstração indigna de quem tomou o lado do escravagista, do jagunço, do capitão do mato, do grileiro e do desmatador, que ignora a realidade de um país que ainda não se reconciliou com seu passado, marcado pela destinação da terra a endinheirados, marginalizando a população". "É, sobretudo, um escárnio para com as muitas famílias e vítimas da violência no campo, como as do massacre de Eldorado dos Carajás, que completou 25 anos recentemente", disse a entidade, em nota. Política armamentista Desde que chegou ao poder, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem assinado decretos para ampliar o acesso a armas. Ele já falou, em várias ocasiões, sobre o desejo de ver toda a população armada. Em 2019, Bolsonaro sancionou uma lei que ampliou a posse de arma para toda a extensão de uma propriedade rural. Até então, a posse era restrita apenas à sede de uma fazenda, por exemplo. A legislação é válida para qualquer propriedade, independentemente do tamanho da área. Já em fevereiro de 2020, o governo federal editou um "pacote de mudanças" em decretos de 2019, flexibilizando os limites para compra e estoque de armas e cartuchos. Uma dessas alterações elevou de quatro para seis o número máximo de armas de uso permitido para pessoas com Certificado de Registro de Arma de Fogo. Um outro decreto deu permissão para que atiradores e caçadores registrados comprem até 60 e 30 armas, respectivamente, sem necessidade de autorização expressa do Exército. Podcast 'À mão armada' investiga consequências da política armamentista de Bolsonaro Em apenas três anos, o Brasil dobrou o número de armas nas mãos de civis, segundo um Anuário Brasileiro de Segurança Pública divulgado no dia 15 deste mês. Em 2017, segundo a Polícia Federal, o Sistema Nacional de Armas (Sinarm) contabilizava 637.972 registros de armas ativos. Ao final de 2020, o número subiu para 1.279.491 – um aumento de mais de 100%. Além disso, o número de pessoas físicas que pediram registros para atuarem como caçadores, atiradores desportivos e colecionadores aumentou 43,3% em um ano: de 200,1 mil pessoas, em 2019, para 286,9 mil, em 2020. Veja Mais

Banco do Brasil prorroga inscrições em concurso com 76 vagas para Pernambuco

G1 Economia Novo prazo vai até o dia 7 de agosto. No estado, 41 oportunidades são para contratação imediata e outras 35 são para a formação de cadastro de reserva. Agência do Banco do Brasil no Centro do Recife Everaldo Silva/TV Globo O Banco do Brasil prorrogou, até o dia 7 de agosto, as inscrições para o concurso público com 4.480 vagas de nível médio, sendo 76 delas em Pernambuco. No estado, 41 oportunidades são para contratação imediata e outras 35 são para a formação de cadastro de reserva. A inscrição pode ser feita pela internet e a taxa custa R$ 38. O edital do certame foi publicado no site da Fundação Cesgranrio, responsável pela seleção. Em Pernambuco, todas as vagas são para o cargo de escriturário, que recebe os nomes de agente comercial e agente de tecnologia. Confira o edital do concurso Veja locais das vagas e das provas Veja dicas de estudo para as provas No estado, as vagas foram disponibilizadas em diversos municípios, mas as provas podem ser realizadas no Recife; em Caruaru, no Agreste; e em Petrolina, no Sertão. Do total de oportunidades, 5% são reservadas para pessoas com deficiência e 20% para pretos ou pardos. A remuneração inicial é de R$ 3.022,37, para jornada de 30 horas semanais. O banco oferece ainda auxílio-alimentação/refeição de R$ 831,16 por mês e, cumulativamente, concede cesta-alimentação no valor mensal de R$ 654,87. No vídeo abaixo, saiba como ler editais e aprenda os principais pontos de atenção: Concursos públicos: saiba como ler editais Há possibilidade de ascensão e desenvolvimento profissional; participação nos lucros ou resultados; vale-transporte; auxílio-creche; auxílio a filho com deficiência e previdência complementar. Os funcionários do BB possuem, ainda, acesso à Universidade Corporativa Banco do Brasil (UniBB). Para participar da seleção, é preciso ter certificado de conclusão ou diploma de curso de nível médio, e idade mínima de 18 anos completos, até a data da contratação. O concurso terá provas objetivas e redação, previstas para o dia 26 de setembro, e seguirá os protocolos de prevenção à Covid-19. As provas objetivas terão questões de conhecimentos básicos (25 questões): língua portuguesa, língua inglesa, matemática e atualidades do mercado financeiro; e conhecimentos específicos (45 questões), conforme a vaga pretendida. Vídeos de PE mais vistos nos últimos 7 dias Veja Mais

Banana ensacada, café enterrado... a luta dos agricultores para proteger as plantações do frio intenso

G1 Economia Temperaturas devem voltar a cair nesta quarta (28). Geada das semanas anteriores já queimou lavouras e deu prejuízos milionários a produtores de café e cana, entre outras culturas, no Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Frio intenso estraga plantação neste terça-feira no bairro Piraporinha em Piedade (SP) na semana passada Arquivo Pessoal O frio intenso previsto para esta quarta-feira (28) e que deve durar até domingo (1°) desafia agricultores no Sul, no Sudeste e até no Centro-Oeste do país a tomar medidas para reduzir um novo prejuízo. Geadas que aconteceram em semanas anteriores resultaram em perdas milionárias com lavouras inteiras "queimadas" pelo gelo, folhas congeladas - que, depois, ficam imprestáveis para consumo - e até o comprometimento de plantas jovens. Algodão, milho, cana-de-açúcar, café, hortaliças diversas - principalmente as folhosas, foram vistas nos últimos dias como se tivessem sido esturricadas pelo sol ou com manchas escurecidas (veja mais imagens no fim da reportagem). Ao menos duas cidades, Patrocínio (MG) e Santo Antônio da Alegria (SP) declararam calamidade pública por conta dos efeitos do frio nas lavouras. Para evitar mais problemas, na véspera da nova frente fria produtores de café do Paraná decidiram enterrar os pés mais novos. A colheita de hortaliças foi antecipada, para serem conservadas em câmara fria. E as plantas mais novas foram cobertas com lona, para evitar que fiquem molhadas e, assim, congelem mais rápido. Produtor enterra mudas de café para protegê-las do frio no Paraná RPC Em Minas Gerais, um agricultor de Itajubá conseguiu ser o único a não perder as bananas com a geada na semana passada porque ensacou os cachos. "Isso protege a banana de várias formas (...) A planta acaba sendo afetada pela queimada das flores, mas a produção não é prejudicada", disse o secretário de Agricultura da cidade, Bruno Almeida, à EPTV. Por que a geada prejudica a planta? Existem 2 tipos de geadas, explica o coordenador de produção agrícola da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Maciel Silva. Geada branca: camada de gelo formada a partir da intensa redução de temperatura, quando a umidade do ar está elevada. Geada negra: leva este nome por deixar uma camada escura, devido à queima da planta. Ocorre quando a umidade do ar está muito baixa. Em ambos os processos, a planta pode morrer de dentro para fora, diz Silva. Isso porque ela é composta principalmente por água e, quando este elemento está em estado sólido, acontece uma expansão do volume, o que, por sua vez, quebra a sua parede celular. É o mesmo caso de quando se esquece uma garrafa cheia de água no congelador: ela estufa e pode estourar. No caso da planta, o tecido dela, seja a folha ou a fruta, por exemplo, vai morrer. Ainda que o cultivo não seja totalmente perdido por causa da frente fria, o dano ocorrido diretamente na folha reduz o seu potencial de produção. A razão disto é que o gelo diminui a capacidade de fotossíntese da planta, o que atrapalha transformar a luz solar em energia, afetando diretamente a quantidade de frutos a serem produzidos, diz Silva do CNA. Plantação de chuchu perdida em sítio de Marsilac, na Zona Sul de São Paulo, no início de julho Paula Paiva Paulo/G1 Além de comprometer folhas e frutos, a geada pode afetar até plantas que estão ainda em crescimento e causar problemas no longo prazo. A banana, por exemplo, "é uma planta que leva muito tempo para se formar e desenvolver, na média de pelo menos 14 meses, para a pessoa ter uma colheita mensal, (o produtor) precisa ter bananas de vários estágios, que acabaram de nascer, outras com cinco, seis, sete meses, para ter colheita constante, e a geada queimou tudo", descreveu o secretário de Itajubá (MG), Bruno Almeida. O frio que atingiu a região do Sul de Minas na semana passada prejudicou 70% das propriedades que produzem a fruta em Itajubá. "Agora todos os sistemas voltaram para quase negativo, vai ter que cortar todas essas bananas, voltar elas pro chão, para que elas possam soltar broto novo e voltar a produzir em pelo menos 14 meses", explicou. Geada pode ter comprometido 70% das plantações de banana em Itajubá Geada não é novidade Maciel Silva, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), diz que a ocorrência de geadas não é novidade no Brasil. Ela afeta, principalmente, as regiões Sul e partes do Sudeste, como o Sul de Minas Gerais e São Paulo. VÍDEO: Geada muda paisagem de Rodovia dos Imigrantes, em São Bernardo do Campo Com a evolução da agricultura e dos sistemas meteorológicos, hoje em dia existem indicações sobre o que plantar e onde, a partir do “zoneamento agrícola de risco climático” do local, que mensura a probabilidade destes eventos acontecerem na região. De acordo com Silva, geadas como as observadas atualmente não acontecem todos os anos. Quando elas ocorrem, pegam o produtor de surpresa. A razão é por elas serem mais intensas do que o esperado e por, em muitos casos, não serem previstas na época do plantio. Hortaliças mais caras Com as geadas que aconteceram até agora, é possível observar um aumento dos preços das hortaliças. É o caso da alface, que já está 10% mais cara do que na semana anterior ao fenômeno, relata Silva. Geada queima planta e deixa manchas escuras TV Diário Para outros produtos, o prejuízo pode chegar ao consumidor mais para frente, como o café, que já tem 70% da safra atual colhida, portanto, os frutos perdidos serão sentidos apenas no ano que vem. Silva conta que, devido à bienalidade do grão, 2021 é um ano de déficit de produção e a recuperação era esperada para 2022. Com as perdas, pode ser que essa expectativa não seja atendida. Mas, segundo o coordenador, apenas em maio do ano que vem isso se tornará uma certeza. Geadas no Sul de MG podem elevar preços do café na próxima safra Reprodução/EPTV Existe prevenção? Depois que a geada passou não tem muito o que fazer, mas se a previsão do tempo mostrar que ela ainda vai acontecer, existem alguns métodos que podem ajudar. Para o caso da geada branca, quando a umidade do ar está elevada, o coordenador de produção agrícola da CNA, Maciel Silva, diz que irrigar pode ser uma solução. A lógica dessa medida é que, no caso deste tipo de congelamento, o solo é aquecido durante o dia e retém calor; durante a noite, este calor começa a ser sequestrado pela atmosfera. Quando o teor de umidade do solo está alto, a água, por ter um potencial de reter muito mais calor, não permite que a plantação seja resfriada. É por este mesmo motivo que, ao colocarmos o pé na piscina em um dia frio, a água pode parecer um pouco mais quentinha. O produtor rural, Derli Lissarassa, que possui uma propriedade em Dourados, na região sul de Mato Grosso do Sul, tentou a técnica em sua lavoura no fim de junho, mas não foi o suficiente para impedir o congelamento. "Comecei durante a noite, só que, quando foi 3 horas da manhã, eu vi que a água batia naquele gelo e não estava adiantando, não estava dando resultados. Tudo ia para o comércio da cidade e também para um projeto do governo, que faz a distribuição. Eu imaginava o frio, mas, não tanto como foi dessa vez", afirmou ao G1 na época. Plantação em Dourados onde produtor amargou prejuízos após geada Redes Sociais/Reprodução Para a geada negra, o especialista da CNA considera como opção um isolamento térmico para planta, cobrindo-a com alguma coisa, como isopor. Mas é fundamental lembrar de tirar o material para que o cultivo possa voltar a respirar e receber luz em quantidade adequada. Em 2011, o Globo Rural explicou a técnica de enterrar mudas de café. Reveja abaixo: Produtores de café do Paraná correm para proteger as mudas de café das geadas Confira imagens dos efeitos das geadas nas últimas semanas no campo: Fazenda de algodão em Jaciara (MT) foi atingida por geada após município registrar 3°C no início de julho Arquivo Pessoal/Luis Antonio Huber Vaca com orelha congelada por conta de frio em propriedade rural em Patrocínio (MG) Clener Roberto Alves/ Arquivo Pessoal Plantação de mandioca em Santo Antônio da Alegria (SP) EPTV Espiga de milho 'congelada' em lavoura de Dourados (MS), em junho deste ano. Caio Nogueira/TV Morena Cana-de-açúcar queimada pela geada na região de Ribeirão Preto (SP) EPTV Em Itápolis (SP), a geada também atingiu uma plantação de hortaliças Arquivo pessoal Geada afetou lavoura de café em Manduri (SP) Antônio Carlos Dálio/Arquivo pessoal Plantação de morangos em Jarinu (SP) Cláudio Donizete dos Santos/Arquivo pessoal Vídeos: tudo sobre agronegócios Veja Mais

Inscrições para concurso do Banco do Brasil com 4.480 vagas terminam nesta quarta

G1 Economia A remuneração inicial é de R$ 3.022,37; candidato deve ter nível médio de escolaridade. Sede do Banco do Brasil, em Brasília Adriano Machado/Reuters O Banco do Brasil encerra nesta quarta-feira (28) as inscrições do concurso público para o total de 4.480 vagas, sendo 2.240 imediatas e 2.240 para formação de cadastro de reserva, para todos os estados e o Distrito Federal. A seleção é para o cargo de escriturário, com os nomes de relacionamento de agente comercial e agente de tecnologia. As inscrições devem ser feitas pelo site da Cesgranrio até as 23h59 desta quarta e têm valor de R$ 38,00. A divisão das vagas é a seguinte: 2 mil vagas para Escriturário - Agente Comercial, mais 2 mil de cadastro reserva, para atuação nas unidades de negócios em todos os estados e no Distrito Federal; 240 vagas de Escriturário - Agente de Tecnologia, e outras 240 para cadastro de reserva, com foco em Conhecimentos de TI, para vagas somente no Distrito Federal. VEJA O EDITAL NO SITE DA CESGRANRIO Confira quantas vagas abriram no seu estado Veja locais das vagas e das provas Veja dicas de estudo para as provas No vídeo abaixo, saiba como ler editais e aprenda os principais pontos de atenção: Concursos públicos: saiba como ler editais Veja lista de concursos Veja vagas de emprego pelo país O cargo de escriturário possui nomenclaturas específicas para uso no relacionamento com o mercado, que variam de acordo com a unidade em que o funcionário está lotado. Para este concurso, os candidatos podem concorrer para agente comercial, que trabalha na rede de agências do BB, em todo o país, ou para agente de tecnologia, que assume na área de Tecnologia, em Brasília. Para participar da seleção, é preciso ter certificado de conclusão ou diploma de curso de nível médio, e idade mínima de 18 anos completos, até a data da contratação. A remuneração inicial é de R$ 3.022,37, para jornada de 30 horas semanais. O banco oferece ainda ajuda alimentação/refeição de R$ 831,16 por mês e, cumulativamente, concede cesta alimentação no valor mensal de R$ 654,87. Há possibilidade de ascensão e desenvolvimento profissional; participação nos lucros ou resultados; vale-transporte; auxílio-creche; auxílio a filho com deficiência e previdência complementar. Os funcionários do BB possuem ainda acesso à Universidade Corporativa Banco do Brasil (UniBB). Do total, 5% das vagas são reservados para pessoas com deficiência e 20% para candidatos que se autodeclararem pretos ou pardos. O concurso terá provas objetivas e redação, previstas para o dia 26 de setembro, e seguirá os protocolos de prevenção à Covid-19. As provas objetivas terão questões de Conhecimentos Básicos (25 questões): Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Matemática e Atualidades do Mercado Financeiro; e Conhecimentos Específicos (45 questões), de acordo com a vaga pretendida: Agente de Tecnologia: Probabilidade e Estatística, Conhecimentos Bancários e Tecnologia da Informação. Agente Comercial Matemática Financeira, Conhecimentos Bancários, Negociação e Vendas e Conhecimentos de Informática. Serão ofertadas vagas em dependências situadas em todos os estados e no Distrito Federal. No momento da inscrição, o candidato deverá escolher a UF/Macrorregião/Microrregião e a cidade de realização das provas. Ou seja, ao optar por concorrer à determinada UF/Macrorregião/Microrregião, o candidato estará automaticamente vinculado a ela para fins de realização de provas, de classificação e de contratação. A seleção tem validade de um ano, a contar da data de publicação do edital de homologação dos resultados finais, podendo ser prorrogada, uma única vez, por igual período. Ou seja, é nesse período que o banco pode chamar os candidatos aprovados. No caso das dentro do cadastro de reserva, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso. Concurso ocorre após banco lançar PDVs O concurso é lançado após o Banco do Brasil anunciar em janeiro a abertura de dois Programas de Demissão Voluntária com a previsão de adesão de cerca de 5 mil funcionários. Em fevereiro, o BB informou que haviam sido validadas 5.533 adesões aos dois programas de desligamentos voluntários anunciados em janeiro. Em julho de 2019, o banco anunciou outro plano de desligamento incentivado. Aderiram ao PDV 2.367 funcionários. Veja Mais

Instagram Reels, rival do TikTok, aumenta a duração dos vídeos para 60 segundos

G1 Economia Limite anterior era de 30 segundos. TikTok mudou o tempo de suas publicações para até 3 minutos recentemente. Vídeos do Instagram Reels poderão ter 30 segundos a partir de agora. Divulgação/Instagram O Instagram anunciou alterações em sua ferramenta Reels nesta terça-feira (27). A partir de agora, os conteúdos poderão ter até 60 segundos – no lançamento, o limite era de 15 segundos e depois havia passado para 30 segundos. O Reels permite a gravação de vídeos curtos com efeitos especiais e trilhas sonoras. O formato de edição é bastante parecido com o do aplicativo chinês TikTok, que permite vídeos de até um minuto. Como funciona? Nova interface para o corte de vídeos no Instagram Reels. Divulgação/Instagram Para criar um Reels, é preciso acessar funcionalidade específica para esse conteúdo na parte da câmera. Os conteúdos desse tipo que são publicados no Instagram podem aparecer no feed das pessoas que te seguem ou serem acessados em uma aba separada dentro do seu perfil. Veja quais são as ferramentas disponíveis para criar os Reels: Áudio: é possível selecionar uma música ou um áudio que já existe na biblioteca do Instagram; Velocidade: permite acelerar ou diminuir a velocidade dos quadros do vídeo; Temporizador e contagem regressiva: permite ao usuário gravar com as mãos livres ou sincronizar a gravação com a música escolhida; Filtros e efeitos do Instagram: os filtros que já existem na rede social, como tela verde, estarão disponíveis; Ferramenta de edição: permite fazer cortes e adicionar novas cenas ao vídeo, com diferentes trechos, que podem ser ordenados. Também é possível revisar o trecho clicando na imagem, ou excluí-lo e gravá-lo novamente. Veja os últimos vídeos sobre tecnologia no G1 Veja Mais

Burger King abre 1.000 vagas de emprego no país

G1 Economia Oportunidades são para coordenador de turno, gerente de restaurante, atendimento e jovem aprendiz. Burger King Edison Temoteo/Futura Press O Burger King abriu 1.000 vagas de emprego distribuídas em todo o país. As oportunidades são para as seguintes posições: coordenador de turno gerente de restaurante atendimento jovem aprendiz Para coordenador de turno e gerente de restaurante, é necessário nível superior cursando ou completo. Para atendimento, o candidato deve estar cursando ou ter completado o ensino médio. As oportunidades contam com os seguintes benefícios: convênio médico, seguro de vida, gympass, transporte, alimentação e trilha de carreira. Os currículos podem ser cadastrados pelo WhatsApp, por meio do número (11) 94317-6360. Empresas aderem a seleção pelo WhatsApp; saiba como tirar proveito da ferramenta na busca por vagas de emprego Desde 2019, a companhia utiliza um bot no WhatsApp para recrutamento. A ferramenta centraliza o processo, uma vez que boa parte dos currículos era recebida em papel nos restaurantes. Essa forma de admissão digital possibilita que o candidato entregue documentos de forma on-line. Veja Mais

Instagram: perfis de menores de 16 anos serão configurados como privados na hora do cadastro

G1 Economia Rede social anunciou novas ferramentas voltadas para adolescentes, como restrições para personalização de anúncios e contatos de contas desconhecidas. Ícone do Instagram. REUTERS/Thomas White O Instagram anunciou nesta terça-feira (27) que menores de 16 anos terão suas contas pré-definidas como privadas ao se cadastrarem na plataforma. A iniciativa é uma ampliação de uma medida anunciada em março passado, quando a rede social convidou os adolescentes a trancarem seus perfis no momento do cadastro. O que muda é que o perfil privado, que exige que o dono aceite solicitações de seguidores e não mostra os posts na aba Explorar ou nas hashtags, passa a ser a definição padrão para os menores de 16 anos. Segundo o Instagram, oito em cada dez jovens aceitaram manter as configurações padrão de conta privada ao entrar na plataforma durante o teste realizado no início do ano. A escolha para o perfil aberto continua existindo nos ajustes do app. De acordo com as regras da rede, é preciso ter pelo menos 13 anos para fazer uma conta. Aqueles que optarem por deixar sua conta pública receberão uma notificação destacando os benefícios da conta privada e explicando como alterar as configurações de privacidade. Instagram vai incentivar menores de 16 anos a trancarem suas contas Divulgação SAIBA MAIS: Likee, a rede social 'moda' entre crianças que virou alvo de pedófilos Como saber se está sendo alvo do crime de 'stalking' Contatos de desconhecidos Desde março passado, o Instagram impede que adultos enviem mensagens para menores que não os seguem. Agora, a plataforma diz ter desenvolvido uma tecnologia que "permite encontrar contas que mostraram comportamento potencialmente suspeito e impedir que essas contas interajam com os perfis de adolescentes" As contas de comportamento potencialmente suspeito são aquelas que podem ter sido recentemente bloqueadas ou denunciadas por um jovem, segundo a companhia. Quando uma conta for sinalizada dessa maneira, elas não poderão mais ver contas de adolescentes na aba Explorar, nos Reels ou nas "contas sugeridas". SAIBA MAIS: Rede internacional de pedofilia usa fotos e vídeos de crianças publicados pelos pais na web; Fantástico faz alerta Caso os perfis encontrem menores de idade ao pesquisar por nomes de usuário, serão impedidos de segui-los e não poderão comentar nas publicações ou ver comentários feitos por adolescentes nas publicações de outras pessoas. Por enquanto, essa ferramenta estará disponível somente nos Estados Unidos, na Austrália, na França, no Reino Unido e no Japão. A rede social diz que irá "expandir para mais países em breve". Mudanças nos anúncios O Instagram disse ainda que irá restringir o direcionamento de anúncios para os menores de 18 anos. Os anunciantes poderão utilizar somente três critérios de personalização: idade, gênero e localização. O Facebook, que é dono do aplicativo, permite que anunciantes incluam diversos pontos de segmentação para atingir um público-alvo. Com isso, é possível mostrar publicidade específica para quem gosta de futebol, por exemplo, levando em consideração o tipo de conteúdo que aquele usuário interagiu anteriormente, seja nos aplicativos do Facebook ou do Instagram ou até mesmo em outros sites da internet. O rastreio através de diferentes sites é possível por meio dos cookies. Entenda o que eles são no vídeo abaixo: O que são 'cookies' na web e quais riscos eles representam? A partir de agora, esse tipo de direcionamento só será permitido para maiores de idade – que também podem desativar essa personalização nas configurações de anúncios. Mais sobre tecnologia Veja como e quando denunciar o 'stalking', crime de perseguição Daniel Ivanaskas/G1 Streamer que foi vítima de stalking celebra nova lei "Eu me senti muito sozinho, vulnerável", diz homem vítima de stalking 'Me ligava 50 vezes por dia', diz vítima de stalking; veja como se proteger e denunciar 1xVelocidade de reprodução0.5xNormal1.2x1.5x2x Veja Mais

Bovespa opera em queda nesta terça-feira

G1 Economia Na segunda-feira, o principal índice da bolsa subiu 0,76%, a 126.004 pontos. O principal índice de ações da bolsa de valores de São Paulo, a B3, opera em queda nesta terça-feira (27), à espera de decisões sobre juros nos Estados Unidos e aqui, com a temporada de balanços trimestrais no Brasil destacando os resultados de TIM e EDP Brasil, entre as empresas do Ibovespa. Às 10h11, o Ibovespa recuava 0,46%, a 125.421 pontos. Veja mais cotações. Na segunda-feira, a bolsa fechou em alta de 0,76%, a 126.004 pontos. Com o resultado, acumula queda mensal de 0,63% e alta anual de 5,87%. o Cenário Por aqui, o mercado aposta em uma aceleração na alta da Selic em agosto, depois que a prévia da inflação deste mês veio acima da esperada. A expectativa é que a taxa tenha uma alta de 1 ponto percentual na reunião do Copom na próxima semana. Nesta semana, o principal destaque está na reunião de política monetária do Fed, cuja decisão será conhecida na quarta-feira. Não são esperadas mudanças nas taxas de juros e nem no programa de compras de ativos, mas alguns analistas já esperam que os dirigentes do banco central comecem efetivamente uma discussão sobre como se dará o processo de redução das compras de títulos pelo Fed. Na agenda de indicadores, a FGV apontou que a confiança da construção voltou a subir em julho, para o maior nível desde março de 2014 Variação do Ibovespa em 2021 G1 Economia Veja Mais

Veja as vagas de emprego oferecidas em Petrolina, Araripina e Salgueiro nesta terça-feira

G1 Economia Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. Carteira de trabalho Divulgação/Prefeitura de Aparecida de Goiânia Foram divulgadas as vagas de emprego disponíveis nesta terça-feira (27) em Petrolina, Araripina e Salgueiro, no Sertão de Pernambuco. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco e atualizadas no G1 Petrolina. Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. O atendimento na Agência do Trabalho ocorre apenas com agendamento prévio, feito tanto pelo site da secretaria, quanto pelo Portal Cidadão. Petrolina Contato: (87) 3866 - 6540 Vagas disponíveis Salgueiro Contato: (87) 3871-8467 Vagas disponíveis Araripina Contato: (87) 3873 - 8381 Vagas disponíveis Vídeos: mais assistidos do Sertão de PE Veja Mais

Prefeitura de Santa Bárbara d'Oeste recebe cadastro para estagiários de 31 diferentes cursos

G1 Economia Inscrições devem ser realizadas até quarta-feira, gratuitamente, pela internet. Fachada do prédio da Prefeitura de Santa Bárbara d'Oeste Thainara Cabral/G1 A Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste (SP) segue com o cadastro de reserva aberto para vagas de estágio disponíveis para universitários de 31 diferentes cursos. As inscrições e preenchimento do questionário para análise curricular podem ser feitas no site do Centro de Integração Empresa-Escola (Ciee) de forma on-line e gratuita até esta quarta-feira (28). Para participar do cadastro, os candidatos devem estar cursando: Administração de empresas; Análise de sistemas; Sistemas de informação; Ciência da computação; Informática; Arquitetura e urbanismo; Ciências biológicas; Ciências contábeis; Ciências econômicas; Ciências sociais; Comunicação social - marketing; Comunicação social - publicidade e propaganda; Design gráfico; Direito; Educação física - licenciatura; Engenharia agronômica; Engenharia ambiental; Engenharia da computação; Engenharia de segurança do trabalho; Farmácia; Gestão empresarial; História; Letras; Logística; Medicina veterinária; Nutrição; Pedagogia; Processos gerenciais; Psicologia; Recursos humanos; Serviço social. Em caso de dúvidas, a pessoa pode entrar em contato diretamente com o CIEE pelo e-mail eucandidatosp@ciee.ong.br. VÍDEOS: Veja reportagens sobre a região Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba Veja Mais

JBS traz 30 navios de milho da Argentina em meio a quebra de safra no Brasil

G1 Economia As sacas de 60 kg foram negociadas com um valor de R$ 15 a R$ 20 mais em conta em relação aos preços do mercado interno. Segundo frigoríficos, empresas estão negociando compra do grão dos EUA. Lavoura de milho em Mato Grosso Governo do estado de Mato Grosso A quebra na safra de milho do Brasil tem levado a indústria de carnes a recorrer ao cereal importado da Argentina para suprir sua demanda pelo insumo para ração e com isso a JBS, segunda maior empresa de alimentos no mundo, já adquiriu 30 navios do cereal no país vizinho, disse a companhia à Reuters. Globo Rural: Prejuízos das lavouras com a geada e mais notícias Veja como a crise hídrica está afetando a produção de alimentos As sacas de 60 kg foram negociadas com um valor de R$ 15 a R$ 20 mais em conta que os do mercado interno - considerando as indústrias localizadas nas regiões Sul e Sudeste. "Do total de milho utilizado para alimentação de aves e suínos na produção da JBS/Seara no Brasil, a importação já representa 25% do consumo, com volumes superiores a um milhão de toneladas", afirmou em nota, sem detalhar as datas de chegada e os volumes exatos do cereal importado. Além disso, a empresa disse que "a excelente safra na Argentina" é o que tem dado oportunidade para importação com preços mais atrativos. Problemas na lavoura O plantio atrasado e em grande parte fora da janela ideal para a segunda safra de milho 2020/21 afetou o desenvolvimento das lavouras nos principais estados produtores do Brasil, que ainda atravessaram uma seca e, mais recentemente, geadas. Neste cenário, a JBS ressaltou que parte das adversidades também está sendo compensada "fortemente" pela redução das exportações do cereal. Atualmente, o Brasil vê uma onda de renegociações de contratos de exportação, com empresas direcionando o milho ao mercado interno, diante da valorização do produto, necessário para a indústria de carnes. Para a JBS, o país deixará de embarcar 15 milhões de toneladas do cereal neste ano e deverá importar pelo menos 4 milhões. "Com a boa oferta de milho da Argentina a preços mais competitivos, acreditamos que é questão de tempo para que o mercado doméstico equalize os seus preços com o mercado de importação", disse a empresa. "Continuaremos buscando as melhores alternativas de mercado para assegurar a competitividade da companhia", acrescentou no comunicado o diretor de commodities da Seara, Arene Trevisan. Mais compradores A Aurora Alimentos disse em nota que planeja importar milho da Argentina e dos Estados Unidos ainda este ano em face da escassez desse grão no mercado interno e dos elevadíssimos preços de comercialização. Governo autoriza importação de mais uma variedade de milho transgênico dos EUA O presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ricardo Santin, afirmou que as companhias do setor estão intensificando as compras do milho argentino e no Nordeste negociam para trazer o cereal norte-americano. "Daqui para frente, deve ser cada vez mais presente a importação de milho da Argentina", disse ele, sem relevar quais são as empresas compradoras. Em junho, começaram a desembarcar no Brasil as primeiras cargas do cereal argentino compradas neste ano, que somaram cerca de 95 mil toneladas, de acordo com dados do Ministério da Agricultura brasileiro. Conforme o ministério, o Brasil importou ao todo no primeiro semestre 937 mil toneladas de milho, o dobro do verificado no mesmo período do ano passado. O maior volume veio do Paraguai (841 mil toneladas), em carregamentos que chegam em geral por rodovias. A importação é uma das alternativas do Brasil, tradicionalmente um dos maiores exportadores globais, para lidar com uma redução na produção de milho que já chega a 9% ante a safra passada, para 93,4 milhões de toneladas, segundo números da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgados neste mês. Ao final de junho, geadas atingiram importantes áreas produtoras, como Paraná e Mato Grosso do Sul, derrubando mais a produção, o que pode ajudar a explicar as novas compras externas. As cotações, que chegaram a cair com a entrada da segunda safra, passaram a subir no Brasil, descolando do mercado de Chicago em julho. Na última sexta-feira, o indicador do milho Esalq/B3 atingiu 99,99 reais por saca, alta de 11,63% na variação mensal e o dobro ante os 48,83 reais por saca vistos um ano antes. VÍDEOS: mais sobre agronegócios Veja Mais

Quatro empresas da saúde cancelam IPO; desistências já somam 55 em 2021

G1 Economia Hospital Care, Teuto Brasileiro, Kora Saúde e Bionexo cancelaram suas ofertas públicas iniciais de ações. Quatro empresas da área de saúde desistiram de suas ofertas públicas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês). Hospital Care Caledonia, Laboratório Teuto Brasileiro, Kora Saúde e Bionexo cancelaram suas operações, que seriam realizada via Instrução 400 (que dispõe sobre as ofertas públicas em geral), segundo consta no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). 2021 já soma 13 IPOs e outras 31 empresas estão na fila para entrar na Bolsa; veja lista Bovespa - Painel da bolsa de valores de São Paulo, B3, em imagem de arquivo Cris Faga/Estadão Conteúdo Com isso, as desistências de IPO este ano já somam 55 casos, ainda de acordo com os dados da CVM. O número, no entanto, inclui empresas que desistiram da oferta via CVM 400, mas acabaram emplacando IPO com esforços restritos, via Instrução 476 (que versa sobre ofertas restritas, feitas apenas para investidores profissionais convidados). É o caso de Dotz, Livetech, 3Tentos, Agrogalaxy, BR Partners, G2D, Infracommerce, entre outras. Com as desistências e muitas empresas que conseguiram emplacar seus IPOs nas últimas semanas, a fila de companhias com prospecto preliminar protocolado, que já chegou a mais de 40 empresas este ano, agora está com apenas 22. Está semana estão previstas as precificações de pelo menos quatro ofertas: Armac e TradersClub, nesta segunda-feira (26), Brisanet (terça-feira) e Clear Sale (quarta-feira). Veja Mais

Jovem holandês que foi ao espaço com Jeff Bezos disse que nunca comprou pela Amazon

G1 Economia Rapaz de 18 anos afirmou que bilionário ficou surpreso com a revelação. Jeff Bezos no espaço: Veja os melhores momentos do voo e entenda o caso O adolescente holandês que se tornou a pessoa mais jovem do mundo a viajar ao espaço surpreendeu o bilionário Jeff Bezos no voo, dizendo que nunca havia comprado nada pela Amazon. Oliver Daemen, um estudante de física de 18 anos, acompanhou Bezos, seu irmão Mark Bezos e a aviadora Wally Funk, de 82 anos — a pessoa mais velha a ir ao espaço — em uma viagem de 10 minutos para fora da atmosfera terrestre. LEIA TAMBÉM: Jeff Bezos, homem mais rico do mundo, vai ao espaço e agradece a clientes da Amazon: 'Vocês pagaram' FOTOS: as imagens marcantes da viagem O que a viagem de Bezos ao espaço e um arremesso de basquete têm em comum Veja detalhes de cada tripulante Bezos financiou a empresa de exploração espacial Blue Origin por meio da venda de ações no valor de bilhões de dólares em seu negócio de entrega online, a Amazon. "Eu disse a Jeff, tipo, na verdade nunca comprei algo da Amazon", relatou Daemen à Reuters em uma entrevista na última sexta-feira (23) no Aeroporto Schiphol de Amsterdã. "E ele disse, 'oh, uau, faz muito tempo que ouvi alguém dizer isso'." Oliver Daemen, de 18 anos, tripulante da 1ª missão da Blue Origin Blue Origin Daemen, que foi escolhido após outro candidato que ofereceu US$ 28 milhões pela viagem cancelar de última hora, descobriu que iria embarcar durante as férias em família na Itália. "Eles ligaram e disseram: 'você ainda está interessado?' e nós pensamos 'Sim! Sim! Sim!'" Daemen sonhava com viagens espaciais desde criança, acompanhou todo desenvolvimento de empresas de exploração espacial, como a Blue Origin, e obteve sua licença de piloto ainda jovem. "Não pagamos nem perto de US$ 28 milhões, mas eles me escolheram porque eu era o mais jovem e também era piloto e já conhecia bastante sobre isso." Entenda o que a ida de Bezos ao espaço e um arremesso de basquete tem em comum: O que a ida de Bezos ao espaço e um arremesso de basquete tem em comum Veja Mais

Veja as vagas de emprego oferecidas em Petrolina, Araripina e Salgueiro nesta segunda-feira

G1 Economia Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. Carteira de Trabalho Divulgação/prefeitura de Rio das Ostras Foram divulgadas as vagas de emprego disponíveis nesta segunda-feira (26) em Petrolina, Araripina e Salgueiro, no Sertão de Pernambuco. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco e atualizadas no G1 Petrolina. Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. O atendimento na Agência do Trabalho ocorre apenas com agendamento prévio, feito tanto pelo site da secretaria, quanto pelo Portal Cidadão. Petrolina Contato: (87) 3866 - 6540 Vagas disponíveis Salgueiro Contato: (87) 3871-8467 Vagas disponíveis Araripina Contato: (87) 3873 - 8381 Vagas disponíveis Vídeos: mais assistidos do Sertão de PE Veja Mais

Governo libera R$ 4,5 bi do orçamento que ainda estavam bloqueados, informa Planalto

G1 Economia Bolsonaro já havia dito que medida seria adotada. Segundo equipe econômica, medida foi possível porque governo revisou a estimativa de gastos obrigatórios. A Secretaria-Geral da Presidência informou nesta sexta-feira (30) que o presidente Jair Bolsonaro editou um decreto para liberar os R$ 4,5 bilhões do orçamento federal deste ano que ainda estavam bloqueados. Na semana passada, Bolsonaro já havia anunciado que a medida seria adotada. O desbloqueio foi oficializado com a publicação do decreto no "Diário Oficial da União". Segundo a equipe econômica, a liberação foi possível em razão da revisão, para baixo, dos gastos obrigatórios do governo. Ao todo, a revisão de estimativas no terceiro bimestre reduziu os gastos obrigatórios em R$ 16,8 bilhões. Com o desbloqueio dos R$ 4,5 bilhões, a folga liberada no teto de gastos chegou a R$ 12,3 bilhões. Ministério da Economia faz revisão de gastos obrigatórios e abre folga de R$ 12 bilhões no Orçamento Os valores A maior diminuição de estimativas, de R$ 9,5 bilhões, foi nos gastos com o Bolsa Família até o final do ano. Isso porque parte dos beneficiários continuará recebendo o auxílio emergencial. Como o auxílio emergencial é financiado com créditos extraordinários, isto é, fora do teto de gastos, o dinheiro recebido pelos beneficiários não vem do Orçamento do Bolsa Família. De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência, os R$ 9,5 bilhões somente poderão ser direcionados a despesas com assistência social no contexto de enfrentamento da pandemia da Covid, em conformidade com uma decisão do Tribunal de Contas da União (TCU). Com isso, o valor liberado para aumento de gastos livres (discricionários) do Executivo será de R$ 2,81 bilhões. Ainda segundo o Planalto, os limites de empenho e movimentação financeira de todos os poderes serão ampliados em R$ 167,06 bilhões. Veja Mais

Frio intenso vai aumentar peso dos alimentos no bolso, mas energia e combustíveis preocupam mais

G1 Economia Economistas ouvidos pelo G1 afirmam que geadas devem causar impacto apenas pontual, então a crise hídrica e preços do petróleo – com seus desdobramentos também no setor de serviços – serão os grandes motores de aumento de preços em 2021. Na horta em Itatinga, agricultores perderam 80% da produção por causa da geada Gabriela Prado/ TV TEM Além de fazer os brasileiros tirarem os casacos do armário, a onda de frio que atinge o país também vai obrigar a população a colocar as mãos nos bolsos – só que não para esquentar. As baixas temperaturas afetam as lavouras e devem gerar mais um choque inflacionário no preço dos alimentos. Mas os efeitos dos dias de frio intenso, que devem durar até domingo (1°), ainda podem provocar impactos em cadeia sobre os preços em geral. A maior preocupação em relação aos preços, no entanto, segue relacionada ao clima, mas não à baixa temperatura: a seca, que prejudica a produção de energia – e encarece as contas de luz dos brasileiros. Perdas na lavoura e comida mais cara Como mostrou reportagem do G1 nesta quarta-feira (28), mais esse desajuste climático renovou o desafio de agricultores no Sul, no Sudeste e até no Centro-Oeste na redução de prejuízos. Geadas que aconteceram em semanas anteriores resultaram em perdas milionárias com lavouras inteiras "queimadas" pelo gelo, folhas congeladas e até o comprometimento de plantas jovens. Como toda redução de oferta, haverá um novo impacto nos preços dos alimentos nos próximos meses. Preço dos combustíveis aperta lucro de motoristas de app e motoboys O setor foi o grande vilão da inflação de 2020. O conjunto de alimentos e bebidas teve alta acumulada de 14,09% no ano, impulsionado pelo aumento do consumo durante a fase inicial da pandemia do coronavírus. Os alimentos responderam sozinhos por quase metade da inflação do ano, com um impacto de 2,73 pontos percentuais sobre o índice geral de 4,52% em 12 meses. Desde a virada do ano, contudo, a inflação dos alimentos perdeu parte da força que havia demonstrado. Pelo resultado do IPCA de junho, o setor acumula alta de 12,59%. Apesar de permanecer bastante alto, o preço dos alimentos passou a ser ofuscado pelos combustíveis e energia elétrica. O grupo combustíveis e energia acumulou, em junho, 16,15% em 12 meses. Os dois itens serão os protagonistas do índice em 2021, segundo os economistas ouvidos pelo G1. Onda de frio causa prejuízos no campo Impacto em cadeia Para André Braz, economista e coordenador dos Índices de Preços do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), há vários produtos que devem se prejudicar na situação de frio intenso, mas, em geral, as geadas acabam apenas amplificando os efeitos que a crise hídrica já causava na cesta de alimentos. Café, cana-de-açúcar, soja e trigo serão monitorados de perto pelo Ibre, diz ele. Os derivados destes produtos podem impactar as mais diversas cadeias de forma secundária. O trigo deságua na farinha, massas e biscoitos. Soja, em ração animal e, consequentemente, no preço das carnes. E a cana, no etanol. Com pandemia, indústria perde ainda mais participação no PIB e agronegócio ganha protagonismo A seca e falta de chuvas, contudo, são ainda mais preocupantes sob a ótica da produção energética. A energia elétrica residencial sozinha já acumula 14,20% no período, sendo 5,37% só no último mês. A crise hídrica forçou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a elevar a tarifa de energia ao nível máximo de cobrança ao consumidor pelo sistema de bandeiras tarifárias e ainda reajustar o teto de preço da bandeira vermelha patamar 2 em mais de 50%. "E a Aneel estuda um novo aumento, para R$ 11,50 e isso pode causar uma variação média na conta de energia de mais 4,3%", diz Braz, do Ibre. "A energia mais cara também encarece a produção industrial, principalmente de setores que são muito intensivos em energia, como a indústria de materiais de construção civil – pisos, metais etc. – e para o setor automobilístico, que já está pressionado por aumento de custos", explica. O economista lembra que mesmo em cenário de reversão das bandeiras tarifárias adiante, os setores industriais afetados não devem rever para baixo os preços para compensar margens menores durante o período mais agudo de crise. Confiança da indústria sobe pelo 3º mês seguido, para maior patamar desde janeiro Outro prejudicado, o setor de serviços também não teria condição de achatar o lucro. São empresas e pequenos negócios que tiveram uma enorme redução de atividade desde a chegada da pandemia e que esperam a vacinação para retomar as vendas e desfazer dívidas. Um eventual aumento nos preços dos serviços é considerável, pois representa 30% da inflação ao consumidor, segundo o Ibre/FGV. E o prognóstico para a retomada é positivo. O Índice de Confiança de Serviços, do Ibre, subiu 4,2 pontos em julho, para 98,0 pontos, maior nível desde março de 2014 (98,3 pontos) e superando o nível pré-pandemia. Dólar em alta pode barrar queda de preço de combustíveis no Brasil Combustíveis No grupo dos transportes, os combustíveis subiram 0,87% em junho e acumulam alta de 43,92% nos últimos 12 meses. A gasolina subiu 42,21% no período, enquanto o etanol teve alta de 59,61%. São impactos diretos no bolso dos domicílios que dependem do deslocamento. Por fim, o Brasil é altamente dependente do transporte rodoviário na cadeia produtiva, o que aumenta o valor do frete e também empurra preços de produtos como efeito secundário. O diesel, que abastece os caminhões, teve alta de 40,74% em 12 meses. "Por mais que tenhamos um novo reajuste de preços pela Petrobras, entendo que o pior já aconteceu. O câmbio apreciando um pouco reduz a chance de um impacto como o do ano passado nos combustíveis", diz o economista Fábio Romão, especialista em inflação da LCA Consultores. "O mesmo vale para alimentos, que pode ter um impacto pontual com as geadas. A maior preocupação, realmente, é a energia e a crescente do custo de serviços no segundo semestre", afirma. Veja Mais

Lucro da Usiminas (USIM5) encerra 2t21 em R$ 4,7 bilhões

Times Money Journal O lucro da Usiminas (USIM5) encerrou o 2T21 muito positivo frente ao mesmo período do ano anterior, onde reportou prejuízo de R$ 395 milhões. Segundo o documento enviado para a Comissão de Valores Mobiliário (CVM), no trimestre, o volume de vendas de aço teve um salto de 116% frente ao 2T20. As vendas de minério […] O post Lucro da Usiminas (USIM5) encerra 2t21 em R$ 4,7 bilhões apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Google abre programa de estágio

G1 Economia Neste ano, as vagas serão divididas nas áreas de Negócios e Engenharia de Software. Foto de arquivo mostra a sede do Google na Califórnia, nos EUA Marcio Jose Sanchez/AP O Google anuncia a abertura das inscrições para a 2ª edição do Next Step, programa de estágio que busca aumentar a representatividade de pessoas negras na companhia. Lançado em 2019, o programa foi ampliado: além de buscar por talentos na Grande São Paulo, também selecionará estagiários para atuar no Centro de Engenharia do Google em Belo Horizonte. Neste ano, as vagas serão divididas nas áreas de Negócios e Engenharia de Software. A área de Negócios selecionará estagiários para atuarem no escritório da empresa em São Paulo e irá incluir diversas equipes, incluindo vendas, marketing, suporte e soluções para clientes, finanças, jurídico, entre outras. O estagiário será alocado em uma equipe, mas poderá participar de projetos envolvendo outras áreas ao longo do programa. Poderão se inscrever estudantes de graduação de qualquer área, contanto que tenham formação prevista entre março de 2024 e junho de 2024. Assim como na primeira edição do programa, não será exigido conhecimento de inglês e, como parte do programa, os estagiários receberão aulas do idioma custeadas pela empresa. Já as vagas do programa de Engenharia de Software serão oferecidas no escritório do Google em Belo Horizonte. Neste caso, serão considerados estudantes matriculados em cursos de graduação relacionados às áreas de tecnologia, como Ciência da Computação, Engenharia da Computação, entre outros, com previsão de término para o período entre março de 2024 e junho de 2024. Para participar, é preciso ter noções básicas de alguma linguagem de programação, como: C, C ++, Java, JavaScript ou Python, assim como inglês básico para programar. Os estudantes precisam ter disponibilidade para residir nas cidades onde estão localizados os escritórios do Google: São Paulo, para as vagas de Negócios, e Belo Horizonte, para as de Engenharia de Software. Processo seletivo Na primeira etapa, será feita uma seleção de perfil com base nos pré-requisitos do programa. Em seguida, os candidatos serão convidados para eventos informativos e focados em desenvolvimento, que, nesta edição, acontecerá virtualmente devido às restrições causadas pela pandemia. Nesta etapa, os estudantes serão apresentados à Cultura Google, conhecerão o dia a dia da empresa e terão mais detalhes sobre os atributos avaliados durante as entrevistas. Os candidatos selecionados após a revisão do formulário e currículo também poderão passar por uma simulação de entrevista com colaboradores do Google com o objetivo de prepará-los para a etapa final de entrevistas com as equipes. Inscrições Para as vagas de Negócios, na sede da capital paulista, as inscrições já estão abertas por meio da consultoria externa Empodera e devem ser feitas até dia 30 de agosto (inscrições neste link). Em Belo Horizonte, para as vagas de Engenharia de Software, a abertura do processo está prevista para o início de setembro, através da plataforma Olabi. Veja Mais

Desemprego fica em 14,6% e atinge 14,8 milhões no trimestre encerrado em maio, aponta IBGE

G1 Economia Taxa de desemprego foi a segunda mais alta da série histórica da pesquisa, iniciada em 2012 e desacelerou na comparação com os dois trimestres imediatamente anteriores, que registraram a taxa recorde até então. A taxa de desemprego no Brasil ficou em 14,6% no trimestre encerrado em maio, apontam os dados divulgados nesta sexta-feira (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Isso representa um contingente de 14,8 milhões de pessoas buscando por uma oportunidade no mercado de trabalho no país. De acordo com o IBGE, esta foi a segunda maior taxa de desemprego da série histórica, iniciada em 2012. A taxa recorde, de 14,7%, foi registrada nos dois trimestres imediatamente anteriores, fechados em março e abril. Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad). Já o nível de ocupação ficou em 48,9%. O IBGE destacou que este indicador está abaixo de 50% desde o trimestre terminado em maio do ano passado, o que indica que menos da metade da população em idade para trabalhar está ocupada no mercado de trabalho. Evolução da taxa de desemprego - maio/21 Economia G1 Em um ano de pandemia, 377 brasileiros perderam o emprego por hora Mesmo após crise gerada por pandemia, Brasil terá 10 milhões de desempregados, dizem economistas Banco Mundial sugere ao Brasil ampliar políticas para informais e reformular seguro-desemprego Veja vagas de emprego pelo país 2 milhões de desempregados a mais em um ano Na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, o número de desempregados aumentou em 2 milhões de pessoas. Já o número de pessoas ocupadas no mercado aumentou em apenas 772 mil pessoas, o que é considerado com estabilidade estatística. A gerente da pesquisa, Adriana Beringuy, ponderou que essa estabilidade da população ocupada é resultado de um efeito da base de comparação, já que pela primeira vez os dados passam a ser comparados com outro trimestre que também estava sob efeitos da pandemia. “Estou comparando com março-abril-maio de 2020, quando estavam instalados os efeitos sobre a pandemia. Estou manifestando um efeito base de comparação. Estou comparando ambiente pandêmico com ambiente pandêmico. Por isso que há essa reversão para um resultado de estabilidade", apontou a pesquisadora. Trabalho por conta própria freia o desemprego O IBGE apontou que o desemprego ficou estatisticamente estável em relação aos dois trimestres imediatamente anteriores. Isso ocorreu graças ao trabalho por conta própria, que cresceu no período. De acordo com a pesquisa, a população na força de trabalho, que inclui os trabalhadores ocupados e desocupados, cresceu em 1,2 milhão de pessoas na comparação com o trimestre terminado em fevereiro. Esse crescimento foi puxado pelo contingente de ocupados, que aumentou em 0,9%, o que representa 809 mil pessoas a mais ocupadas no mercado de trabalho. Evolução no número de desempregados - maio/21 Economia G1 O aumento da ocupação se deu, exclusivamente, puxado pelos trabalhadores por conta própria, única categoria profissional que cresceu no período, tendo registrado um avanço de 3% na comparação com o trimestre terminado em fevereiro. “Esses trabalhadores estão sendo absorvidos por atividades dos segmentos de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas, que cresceu 3,9%, o único avanço entre as atividades no trimestre até maio”, destacou a gerente da pesquisa, Adriana Beringuy. Já na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, a força de trabalho aumentou em 2,9 milhões de pessoas. Todavia, esse crescimento foi influenciado, principalmente, pelo aumento do desemprego - o país registrou 2,1 milhões de desempregados a mais em um ano. “Muitas pessoas interromperam a procura por trabalho no trimestre de março a maio do ano passado por conta das restrições, já que muitas atividades econômicas foram paralisadas para conter a pandemia. Isso fez a procura por trabalho diminuir. Um ano depois, com a flexibilidade, essas pessoas voltaram a pressionar o mercado”, explicou Adriana. Foram também os trabalhadores por conta própria que tiveram a maior expansão, em um ano, entre a população ocupada - são cerca de 2 milhões a mais que o observado em maio do ano passado. Trabalhadores por conta própria puxaram alta de ocupados em um ano Economia G1 A gerente da pesquisa enfatizou que esse aumento se deu de forma disseminada entre diversos ramos de atividade profissional. Distribuição do crescimento anual do trabalho por conta própria IBGE/Reprodução Em um ano, país perde 1,3 milhão de carteiras assinadas A pesquisa mostrou que, na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, o trabalho com carteira assinada no setor privado teve queda de 4,2%, o que representa 1,3 milhão de trabalhadores a menos. Já os empregados no setor privado sem carteira assinada tiveram um crescimento de 6,4%, o que representa um contingente de 586 mil pessoas a mais trabalhando nesta condição. Na comparação com o trimestre terminado em fevereiro, porém, tanto o trabalho com carteira assinada quanto o sem ficaram estáveis no país. O número de empregadores no país também teve queda na comparação com o mesmo período do ano passado - 311 mil a menos. O IBGE destacou que, dentre os empregadores, aqueles que possuem CNPJ registrou o menor nível da série. As categorias de trabalhadores domésticos e de empregados no setor público, por sua vez, ficaram estáveis nas duas bases de comparação (trimestral e anual). Informalidade cresce, mas segue abaixo do patamar pré-pandemia O trabalho informal, apontado pelos especialistas como o primeiro a reagir diante de uma crise no mercado de trabalho, cresceu tanto na comparação com o trimestre terminado em fevereiro quanto ao mesmo período do ano passado. Todavia, ele ainda se encontra abaixo do nível pré-pandemia. “Grande parte do crescimento da ocupação veio da informalidade, que é um movimento que a gente já vinha observando", enfatizou a gerente da pesquisa. A taxa de informalidade no trimestre terminado em maio foi de 40%. No trimestre anterior, ela havia sido de 39,6%, enquanto um ano antes, de 37,6%. O IBGE considera como trabalhador informal aqueles empregados no setor privado sem carteira assinada, os trabalhadores domésticos sem carteira, os trabalhadores por conta própria sem CNPJ, os empregadores sem CNPJ e os trabalhadores que não têm remuneração. De acordo com a gerente da pesquisa, em maio o país somava 34,7 milhões de trabalhadores informais, cerca de 2,4 milhões a mais do que há um ano. Porém, na comparação com o trimestre pré-pandemia, entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020, são 3,4 milhões a menos de trabalhadores informais. "Ou seja, por mais que os informais venham aumentando sua participação na população ocupada nos últimos trimestres, o contingente ainda está num nível inferior ao que era antes da pandemia”, enfatizou Adriana. Faltam oportunidades para 33 milhões de trabalhadores O levantamento do IBGE enfatizou, ainda, que faltavam oportunidades no mercado para cerca de 33 milhões de trabalhadores. Este contingente forma o que o instituto classifica como trabalhadores subutilizados. Na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, aumentou em 2,6 milhões o número de trabalhadores nesta condição. Formam este contingente: 14,8 milhões de desempregados (2 milhões a mais que em maio de 2020): pessoas que não trabalham, mas procuraram empregos nos últimos 30 dias; 7,4 milhões de subocupados (1,6 milhão a mais que em maio de 2020): pessoas que trabalham menos de 40 horas por semana, mas gostariam de trabalhar mais; 10,8 milhões de pessoas na força de trabalho potencial (1 milhão a menos que em maio de 2020), composta por pessoas que poderiam trabalhar mas não trabalham: este grupo inclui 5,7 milhões de desalentados (300 mil a mais que em maio de 2020), ou seja, que desistiram de procurar emprego, e outras 5,1 milhões que podem trabalhar, mas que não têm disponibilidade por algum motivo, como mulheres que deixam o emprego para cuidar os filhos. O IBGE destacou que o número de trabalhadores subocupados por insuficiência de horas bateu recorde ao final de maio deste ano. Na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, quando havia 5,8 milhões de trabalhadores nessa condição, essa parcela teve um salto de 27,2%. A gerente da pesquisa ressaltou que, no ano passado, o crescimento da subutilização estava muito relacionado às pessoas que poderiam trabalhar, mas não estavam buscando – situação que se alterou nos últimos trimestres. “Hoje quem está impulsionando o crescimento da subutilização é o crescimento da procura por trabalho e o daquelas pessoas que, embora estejam ocupadas, gostariam de trabalhar mais horas”, apontou. Perspectivas O mercado financeiro elevou, pela 14ª vez seguida, sua projeção de crescimento da economia brasileira em 2021. A alta prevista para o Produto Interno Bruto (PIB) passou de 5,27% para 5,29%, segundo a última pesquisa Focus do Banco Central, divulgada na segunda-feira (26). Os analistas também elevaram, novamente, a previsão de inflação no país de 6,31% para 6,56% no próximo ano - foi a 16ª alta seguida projetada para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicador da inflação oficial do país. A perspectiva da taxa básica de juros (Selic) em 2021 também foi elevada, de 6,75% para 7% ao ano. Apesar da melhora nas projeções para o avanço da economia brasileira, economistas têm destacado que uma recuperação mais consistente do mercado de trabalho só deverá ser mais visível a partir o segundo semestre, e condicionada ao avanço da vacinação e à retomada do setor de serviços – o que mais emprega no país e o mais afetado pelas medidas de restrição para conter o coronavírus. Este mês, a confiança desse setor subiu pela quarta vez seguida, atingindo o maior patamar desde março de 2004, e indicando que uma recuperação pode estar a caminho – ainda que dependendo fortemente do controle da pandemia no país. Veja Mais

Produtores paulistas podem demorar até 3 anos para recuperar perdas com geadas

G1 Economia Parte de produtores de café de Caconde, na região de Campinas, e também agricultores familiares do Alto Tietê tiveram toda a lavoura afetada pelas geadas. Plantação de café queimada por geada em Caconde, interior de SP Sindicato Rural de Caconde O prejuízo ainda está sendo calculado pelos produtores. Um diagnóstico, porém, já é certo: as geadas atingiram lavouras de praticamente todas as regiões do estado de São Paulo e seus efeitos podem durar até 2024. Três anos é, por exemplo, o tempo que alguns produtores de café de Caconde, cidade na região de Campinas, devem levar para recuperar totalmente a produtividade da lavoura. "A gente sabe que vai levar, no mínimo, três anos para o restabelecimento de uma safra plena, de acordo com o que a gente vinha tendo na cafeicultura local", explica Ademar Pereira, produtor de café e presidente do Sindicato Rural de Caconde. De acordo com Pereira, em pelo menos 2.000 hectares de propriedades rurais no município, a lavoura de café foi queimada pela geada do dia 20 de julho. "O que nos assustou foi a intensidade dessa geada, e a altitude que conseguiu atingir as nossas lavouras. Nós temos lavouras de 1.000 metros, aonde jamais chegou geada. A última geada, de 1994, não tinha atingido [essa altitude]. Isso deixou nosso produtor muito assustado. Nosso parque cafeeiro é de aproximadamente em 13.000 hectares, sendo um dos maiores do estado de São Paulo. A atividade principal do município é a cafeicultura." São Paulo é o terceiro maior estado brasileiro produtor de café, com produção de 6,1 milhões de sacas em 2020, de acordo com estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Só perde para Minas Gerais (maior produção nacional; 34,6 milhões de sacas em 2020) e Espírito Santo (13,9 milhões de sacas ao longo do ano passado). Caconde é um dos principais parques cafeeiros do estado de São Paulo, formado por mais de 2.300 propriedades produtoras, a maioria dedicada à produção de cafés especiais. A estimativa do Sindicato Rural de Caconde é que cerca de 600 dessas propriedades tenham tido 100% da lavoura afetada pelas geadas. De junho para cá, o estado de São Paulo registrou três fortes geadas, com impactos mais intensos nas lavouras das regiões do Vale do Ribeira, no Sul do estado, e do Alto Tietê, cinturão verde responsável pela produção que abastece a região metropolitana da capital paulista com diversos produtos, especialmente hortaliças. Para agravar o impacto para os produtores, essas geadas em sequência ocorrem após um longo período de seca, vivenciado desde o inverno de 2020 em diferentes regiões do estado, segundo o engenheiro agrícola Antoniane Arantes, da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CATI/CDRS), órgão ligado à Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento de São Paulo. "Com a passagem da primeira e da segunda onda de ar polar, a gente teve um efeito danoso para as culturas olerícolas, folhosas, alface, rúcula, e essa quebra da produção é ocasionada pela queima de frutas, de folhas. Esse efeito de geada acaba chegando no bolso do consumidor, a gente vai ver um aumento de preços, em especial, com essa terceira onda da geada", explica Arantes. Cana-de-açúcar Outra cultura fortemente impactada pelas geadas é a da cana-de-açúcar. Em Jardinópolis, na região de Ribeirão Preto, por exemplo, houve produtor que perdeu 20% da lavoura. Na região de Piracicaba, áreas até maiores das lavouras também foram queimadas pelas geadas, segundo produtores da Coopercana. A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) informou por meio de nota que "está realizando uma nova análise para verificar o impacto das geadas, ocorridas neste mês, nos canaviais". De acordo com a entidade, a expectativa inicial para esta safra era de redução de aproximadamente 10%. No entanto, esse percentual poderá ser maior em decorrência das incidências climáticas. Maior produtor nacional, o estado de São Paulo é responsável por 53,7% da produção de cana-de-açúcar do país, de acordo com dados do Instituto de Economia Agrícola (IEA), da Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento. A UNICA deve concluir, em agosto, um balanço sobre o prejuízo provocado pelas geadas. Agricultura familiar Na região do Alto Tietê, produtores de hortaliças perderam toda a produção, prestes a ser colhida, em razão das geadas. No extremo da Zona Sul da capital paulista, agricultores também registraram perdas. Na propriedade da produtora Regiane Bispo, em Engenheiro Marsilac, 20% da plantação de alface lisa foi perdida. “Perdemos alfaces de outras variedades também. Hoje, a gente está cobrindo com palha as plantas mais sensíveis para evitar mais perdas”, diz. A previsão para a sexta-feira (30) é de mínima de 3º C na capital paulista, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), da prefeitura. Há a possibilidade de ser registrada a menor temperatura já calculada na cidade desde que o CGE começou a medição da temperatura por subprefeitura, em janeiro de 2004. Balança comercial O agronegócio é parte importante da economia paulista. Em 2020, o peso do setor representou 14% do (Produto Interno Bruto) PIB do estado, a maior participação da série histórica calculada pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP. De acordo com o Instituto de Economia Agrícola, a balança comercial do setor no primeiro semestre de 2021 foi de US$ 25 bilhões (R$ 127,6 bilhões), 28% a mais do que o valor registrado no mesmo período de 2020. Os cinco principais produtos do agro no estado de São Paulo são cana-de-açúcar; carne de boi; soja; laranja para indústria e carne de frango, segundo o IEA. Impacto está sendo calculado, diz ministério O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou por meio de nota que "não tem ainda um levantamento preciso sobre os efeitos causados por condições climáticas como a seca e a geada que estão ocorrendo no pais. A Conab está realizando o trabalho de monitoramento desse impacto nas lavouras". Em relação aos impactos na produção de café, o ministério disse que "os efeitos devem se expressar somente na próxima safra em 2022". "A atual safra (2021) já foi colhida – que é de bienalidade negativa, ou seja, de menor produção, como é esperada com base no ciclo da cultura – mas suficiente para atender a demanda de consumo interno e os contratos no mercado externo." Mesmo assim, informou o ministério, representantes do governo federal "estão se reunindo com lideranças de cooperativas e bancos para levantar as demandas dos produtores atingidos". "O Funcafé disponibilizou para os agentes financeiros R$160 milhões na linha de crédito para recuperação de cafezais danificados, com juros de 7% a/a, prazo de até sete anos, com carência de até três anos. Esta linha se presta para atender a produtores (pequeno, médio ou grande) que tiveram perdas em decorrência de geada e seca." VÍDEOS: Tudo sobre São Paulo e região metropolitana Veja Mais

Lucro da Samsung cresce 54% no 2t21

Times Money Journal A Samsung Electronics estimou nesta quinta-feira(29), uma forte demanda por chips de memória no segundo semestre e uma recuperação no mercado de celulares para os níveis de 2019, em um sinal de que a economia global está voltando aos trilhos após a pandemia de coronavírus. A maior fabricante mundial de chips de memória e smartphones […] O post Lucro da Samsung cresce 54% no 2t21 apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Inflação do aluguel acumula 33,83% em 12 meses

Times Money Journal O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), usado no reajuste de contratos de aluguel em todo o país, registrou inflação de 0,78% em julho deste ano, taxa superior ao 0,60% de junho. Com o resultado, o IGP-M acumula 15,98% no ano e 33,83% em 12 meses, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), que fez a pesquisa. […] O post Inflação do aluguel acumula 33,83% em 12 meses apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Bovespa opera em queda de olho em balanços e juros

G1 Economia Na quarta-feira, o principal índice da bolsa subiu 1,34%, a 126.286 pontos. O principal índice de ações da bolsa de valores de São Paulo, a B3, opera em queda nesta quinta-feira (29), após o Fed manter inalterados os juros dos EUA, e de olho na temporada de balanços aqui e lá fora. Às 10h43, o Ibovespa recuava 0,42%, a 125.760 pontos. Veja mais cotações. Na quarta-feira, a bolsa fechou em alta de 1,34%, a 126.286 pontos. Com o resultado, acumula queda mensal de 0,41% e alta anual de 6,11%. - Cenário Em decisão anunciada na véspera, o Federal Reserve manteve inalterada, entre 0 e 0,25%, a taxa básica de juros do país. Na próxima semana, o BC brasileiro também define sua taxa de juros, e o mercado aposta em uma aceleração na alta da Selic em agosto, depois que a prévia da inflação deste mês veio acima da esperada. A expectativa é que a taxa tenha uma alta de 1 ponto percentual. Dados do IGP-M divulgados nesta quinta corroboram essa expectativa: a chamada inflação do aluguel ficou em 0,78% em julho, acumulando alta de 33,83% em 12 meses. Nesta quinta-feira, a FGV também divulgou crescimento na confiança do comércio e dos serviços. O Índice de Confiança de Serviços subiu para o maior nível desde março de 2014, superando o nível pré-pandemia. Já o Índice de Confiança do Comércio subiu para o nível mais alto desde janeiro de 2019. Também no radar dos investidores, o Departamento do Comércio dos Estados Unidos divulgou o desempenho do PIB do país no segundo trimestre: uma alta de 6,5%, acima dos 6,3% dos três meses anteriores. Entre os balanços, Ambev divulgou lucro de R$ 2,9 bilhões no segundo trimestre – alta de 130% em relação ao mesmo período de 2020 – enquanto a Gol teve resultado positivo de R$ 643 milhões, ainda abaixo dos níveis pré pandemia. Variação do Ibovespa em 2021 G1 Economia Veja Mais

Do rádio de pilha à câmera de celular: como o Japão se tornou referência em tecnologia de áudio e imagem

G1 Economia Nas últimas décadas, país das Olimpíadas apresentou ao mundo inovações como walkman e VHS, que mudaram a forma como usuários se relacionam com músicas, fotos e vídeos. Loja de eletrônicos em Tóquio, em foto de setembro de 2011 RS1421/Wikimedia Commons As Olimpíadas de Tóquio chamam atenção para a tradição do Japão, mas também para a tecnologia do país. Foi de lá que surgiram diversas inovações que ganharam o mundo. Na área de áudio, por exemplo, há invenções como o walkman e o CD. No setor de vídeo, o país está ligado à criação do VHS e do DVD. Há ainda a tradição japonesa na fotografia. Medalhas das Olimpíadas de Tóquio foram feitas com partes de celulares e computadores reciclados Conheça o Line, o ‘zap do Japão’ que foi criado por causa do terremoto seguido de tsunami Boa parte das criações surgiu décadas após a Segunda Guerra Mundial, encerrada em 1945. O período após o conflito marca uma reconstrução da indústria japonesa. Apesar disso, a relação do país com a tecnologia vem de alguns anos antes. O professor Marcelo Zuffo, coordenador do Centro Interdisciplinar de Tecnologias Interativas da Universidade de São Paulo (USP), aponta que o Japão já desenvolvia suas primeiras televisões antes da guerra. "A história da TV na Ásia foi concomitante com a história ocidental. Os japoneses foram muito pioneiros em transmissões de TV ainda nas décadas de 30 e 40", afirma. Ele aponta, no entanto, que um dos momentos mais importantes para o país se tornar o que é hoje foi a invenção do transistor, usado para controlar a corrente elétrica em circuitos eletrônicos. Criado em 1946 pela empresa americana de pesquisa Bell Labs, o transistor foi um avanço em relação aos aparelhos a válvula, como rádios, que eram maiores e consumiam mais energia. Com a nova solução, os aparelhos ficaram mais portáteis e puderam adotar pilhas em vez de tomadas. Zuffo diz que o cofundador da Sony, Akio Morita, percebeu que os japoneses eram aficionados pelo rádio transistorizado, o famoso rádio de pilha. Segundo o professor, isso levou o executivo a licenciar a patente do transistor junto à Bell Labs para criar o rádio na sua empresa. "A Sony virou a Sony fazendo radinho transistorizado", resume Zuffo. LEIA TAMBÉM: Japoneses influenciaram brasileiros a comer verduras e deram contribuições importantes ao agro Tudo sobre as Olimpíadas de Tóquio A invenção do VHS Anos depois, dois padrões de vídeo inventados no Japão disputaram a preferência dos consumidores: VHS e Betamax. Como sabemos hoje, o primeiro, lançado em 1976, superou o rival, criado em 1975. VHS venceu disputa de padrões de vídeo Jeremy Zero/Unsplash Segundo o professor de engenharia elétrica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Edson Watanabe, o Betamax era melhor que o VHS em termos técnicos. Porém, a disputa pendeu para o outro lado por conta de uma decisão de sua criadora. “O VHS era da empresa JVC, que abriu a patente. Quem quisesse fazer, podia. E a Sony [criadora do Betamax] estava segurando porque ela queria ganhar dinheiro também com a patente”, explica. Com o passar dos anos, o padrão de fita magnética perdeu espaço para o disco óptico. O CD foi lançado ao público em 1982, pela japonesa Sony e a holandesa Philips. A Toshiba e a Panasonic, outras duas empresas japonesas, também contribuíram para o desenvolvimento do DVD, apresentado em 1996. "Quando fizeram o CD, era um negócio gigantesco, colocar 700 MB num disquinho. Mas o pessoal viu que para um bom filme, você precisava de mais, de uns 4 GB. Depois, inventaram o DVD", lembra Watanabe. O surgimento do walkman Do Japão, também veio o walkman, o rádio portátil que permite ouvir fitas cassete. A Sony, que o comercializou de 1979 a 2010, afirma ter vendido 385 milhões de unidades do aparelho. Durante o desenvolvimento do produto, executivos da empresa acreditavam que ele não deveria levar esse nome. Uma das alternativas consideradas foi "disco jogger", em uma tentativa de atrair consumidores com dois termos que eram muito populares à época. Walkman Yoshikazu Takada/Flickr Morita, então presidente da Sony, vetou a proposta, mas as unidades da empresa em outros países adotaram o nome "soundabout". O walkman só foi escolhido como nome global do aparelho em 1980, quando o termo se tornou conhecido nos demais locais por conta de turistas que visitavam o Japão. Para Tiago Tavares, professor da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) da Universidade de Campinas (Unicamp), a importância do Japão na tecnologia de música não se restringe aos tocadores. Segundo ele, o país também contribuiu com mudanças em instrumentos musicais. Um dos exemplos é o da Yamaha, que licenciou a patente da síntese FM, um tipo de sonoridade criada por um professor da Universidade de Stanford. Sintetizador Yamaha DX7 Steve Sims/Wikimedia Commons "Por um tempo, essa foi uma das patentes mais lucrativas da história de Stanford", diz. "Isso também foi uma coisa que a Yamaha botou em todos os teclados e ficou tão patente que virou o som típico dos anos 80". Essa sonoridade pode ser observada em faixas clássicas da década, como "Take On Me", da banda norueguesa A-ha, e "The Final Countdown", da banda sueca Europe. Da câmera analógica ao celular O Japão tem uma ligação de mais de um século com câmeras fotográficas. O primeiro modelo japonês voltado ao consumidor comum foi a Cherry, lançada em 1903 pela Konica. Basicamente, a máquina usava a tecnologia desenvolvida na Europa e nos Estados Unidos. Porém, por ter preço mais acessível que os modelos importados, ela logo ganhou espaço entre os consumidores japoneses. Para Fernando Pereira, fotógrafo, jornalista e professor na Universidade Presbiteriana Mackenzie, a cultura do Japão contribuiu para o país se tornar um importante centro na área da fotografia. "A expressão da cultura japonesa é mais visual que verbal. Exemplo maior são os ideogramas: um símbolo, muitas vezes, contém não só uma palavra, mas uma ideia inteira. Outro exemplo são os mangás, contar histórias com mais desenhos do que texto", explica. Kwanon foi o primeiro protótipo de câmera criado pela Canon Morio/Wikimedia Commons Nos anos seguintes, surgem empresas como Canon, Nikon e Olympus, que lançam suas primeiras câmeras, ainda analógicas e mais avançadas para a época, nas décadas de 1930 e 1940. A Canon criou o protótipo de sua primeira câmera, batizada de Kwanon, em 1934. Porém, o primeiro modelo a ser produzido para os consumidores foi a Hansa Canon, lançada em 1936. No mesmo ano, era lançada a primeira câmera da Olympus. A fabricante afirma que a Semi-Olympus, um modelo de alto padrão, era vendida 103 ienes, período em que o salário mínimo japonês era de 75 ienes. O grande salto da indústria fotográfica japonesa acontece após a Segunda Guerra. A Nikon, por exemplo, cria a Model I, sua primeira câmera, em 1948. "Os EUA deram aporte financeiro ao Japão, como recuperação aos danos causados pelo conflito, e a indústria de equipamentos ópticos e fotográficos recebeu incentivos", diz Pereira. Na década de 1970, a indústria fotográfica japonesa avançou novamente com o aprimoramento da óptica e da eletrônica, o que permitiu uma melhoria na qualidade das câmeras. Visual Phone VP-210 é o primeiro celular com câmera Divulgação/Kyocera Mais tarde, esses dispositivos se integraram com os celulares. Em 1999, a japonesa Kyocera lançou o primeiro celular com câmera. O Visual Phone VP-210 era capaz de armazenar 20 imagens em sua memória e enviá-las por e-mail. O dispositivo também permitia enviar fotos em tempo real durante ligações, mas a capacidade estava longe das chamadas de vídeo atuais. Segundo a fabricante, a tela de duas polegadas do VP-210 podia exibir apenas duas fotos por segundo. O Japão hoje Nos últimos anos, o Japão ganhou uma concorrência maior de China e Coreia do Sul, em especial nos mercados de smartphones e televisões. Ao mesmo tempo, os japoneses têm investido em outras áreas. Uma delas é a de baterias. O objetivo dos pesquisadores é criar soluções que ofereçam energia por mais tempo e com dispositivos menores. "Eles estão saindo dessas tecnologias de lítio e migrando para outros materiais. Primeiro, porque o lítio é raro. Além de ser raro, é tóxico e tem uma série de problemas ambientais", destaca Jorge Tomioka, professor do Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal do ABC (UFABC). O professor explica que a ideia é adotar outros materiais, como o magnésio. Segundo ele, a mudança poderá fazer, por exemplo, com que a bateria de um celular dure uma semana. Se conseguir avançar nessa empreitada, o Japão poderá se tornar ainda mais importante no futuro dos eletrônicos. Veja Mais

Relator da reforma do IR diz que empresas do Simples Nacional permanecerão isentas de taxação de lucros e dividendos

G1 Economia Deputado Celso Sabino afirmou nesta quarta-feira (28) que medida beneficiará 5 milhões de micro e pequenas empresas. O relator da reforma tributária do Imposto de Renda (IR) e investimentos, deputado Celso Sabino (PSDB-PA), afirmou nesta quarta-feira (28) que as empresas optantes do Simples Nacional permanecerão isentas de taxação de lucros e dividendos. Atualmente, existem cerca de 5 milhões de micro e pequenas empresas no Brasil. Destas, 4,2 milhões estão no Simples Nacional e ficarão isentas da taxação em 20%, que valerá para as demais empresas. O regime tributário especial se destina a empresas com faturamento até R$ 4,8 milhões, por ano. "Os lucros e dividendos por empresas cadastradas no Simples Nacional permanecerão isentos, beneficiando assim cerca de 5 milhões de empresas que têm outros milhares de sócios que recebem dividendos", disse Sabino. Já 800 mil micro e pequenas empresas que estão fora do Simples Nacional serão isentas da taxação se tiverem lucro mensal de até R$ 20 mil por mês. Segundo o relator, esse limite deve ser elevado, mas o valor ainda não foi definido. Sabino disse também que vai retirar do relatório da reforma mudanças que poderiam levar ao fim do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), um benefício fiscal para empresas que oferecem vale-alimentação e vale-refeição. "Vamos retirar do texto qualquer menção ao programa de alimentação do trabalhador, garantido assim que o microimpacto não ocorrerá", disse o relator. Ainda segundo Sabino, o texto deve ser levado para votação em plenário na próxima semana. "Temos evoluído bastante, estamos próximo da maturidade para esse texto entrar em plenário", disse o relator. O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, confirmou a informação em uma rede social e em entrevista à GloboNews. "Logo na primeira semana, na volta do recesso, estamos com tranquilidade para votação da primeira etapa da reforma tributária, a que define as novas regras para o imposto de renda", escreveu Lira. Sabino não informou qual será a perda líquida de arrecadação com as novas medidas anunciadas. O relatório preliminar, apresentado ao líderes antes do recesso parlamentar, prevê uma perda líquida de arrecadação de R4 30 bilhões. VÍDEOS: notícias de economia Veja Mais

Lucro do Santander (SANB11) bate nível histórico

Times Money Journal O Santander Brasil (SANB11) apresentou lucro líquido gerencial, que não considera ágio de aquisições, de R$ 4,171 bilhões, no segundo trimestre deste ano, o maior nível da história da instituição. O valor ainda representa um salto de 95,3% sobre os R$ 2,136 bilhões obtidos no mesmo período de 2020, quando o banco carregou nas provisões […] O post Lucro do Santander (SANB11) bate nível histórico apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Pesquisa mostra o que mais dá 'match' entre profissionais e empregadores

G1 Economia Experiência prévia do candidato, adequação à cultura da empresa e formação acadêmica são os fatores mais relevantes que as empresas consideram na hora de contratar. Ambiente de trabalho Campaign Creators/Unsplash A Robert Half, em parceria com o Centro de Liderança da Fundação Dom Cabral, divulgou uma pesquisa que mostra o que é mais relevante na análise dos recrutadores para a escolha dos candidatos. O estudo "Match Perfeito – o que buscam profissionais e recrutadores”, aponta ainda o que mais chama a atenção dos profissionais ao avaliar uma proposta de emprego. Experiência, formação, habilidades: veja fatores que mais influenciam na escolha de candidatos a emprego Segurança, caixa, estoquista, vendedor: como se destacar em seleções para vagas que exigem menos qualificação Pedir emprego fora da minha área pode prejudicar o currículo? Entenda A experiência prévia do candidato, a adequação à cultura da empresa e a formação acadêmica são os fatores mais relevantes que os tomadores de decisão das empresas consideram na hora de contratar. Veja abaixo: Experiência prévia do candidato (88%) Aderência com a cultura organizacional (62%) Formação acadêmica do candidato (36%) Ser indicado por pessoas relevantes no mercado ou na academia (31%) Expectativa salarial e seu enquadramento com as tabelas da empresa (26%) Candidatos que estejam trabalhando em outras empresas do setor (19%) Ser indicado por pessoas da empresa (17%) Disponibilidade geográfica (11%) Disponibilidade para início do contrato (5%) Outro (5%) Apesar de a experiência, adequação e formação acadêmica serem os principais pontos na avaliação de um candidato, as prioridades podem variar de acordo com o porte da empresa. Quanto maior o tamanho, mais relevância se dá à cultura organizacional. Por outro lado, a indicação do candidato por pessoas do mercado é mais valorizada pelas micro e pequenas empresas. Há também diferenças em relação aos segmentos do mercado. Apesar de a experiência prévia do candidato ser o principal fator para todos os setores, no varejo, esse item é ainda mais valorizado. Já a indústria é o segmento que mais dá importância à cultura organizacional, enquanto o agronegócio é o setor que vê mais relevância na indicação do profissional. O varejo é o que dá mais peso para a formação acadêmica. “O 'fit cultural' é um fator que vem sendo cada vez mais valorizado entre as empresas e, como mostra a pesquisa, ganha mais destaque entre as grandes companhias. No entanto, não deixa de ser relevante para empresas de todos os portes", afirma Mário Custódio, diretor associado da Robert Half. "Contar com profissionais que se adequem à cultura organizacional é importante não só para os resultados, mas também para o clima e motivação dos colaboradores”, conclui. O que buscam os profissionais Remuneração (56%), aderência do cargo à experiência prévia (46%) e desafio proposto (45%) estão entre os itens que mais são avaliados pelos profissionais em geral quando recebem uma proposta de emprego. Ao dividir o grupo entre profissionais que estão empregados e os que estão desempregados, há diferenças entre as prioridades de cada um. Para quem está ativo no mercado de trabalho, a aderência com a proposta de remuneração é a mais valorizada pelos profissionais. Já para quem busca recolocação, aderência ao cargo com a experiência prévia ganha maior destaque. 10 itens que chamam a atenção dos profissionais empregados ao avaliar uma proposta de emprego: Aderência com a proposta de remuneração (68%) Aderência com o desafio proposto (41%) Aderência do cargo com a minha experiência prévia (39%) Aderência à cultura da empresa (37%) Nível de benefícios não monetários (25%) Aderência do cargo com minha formação acadêmica (22%) Distância geográfica (19%) Aderência com o nível hierárquico proposto (18%) Conhecer pessoas que trabalham na empresa (10%) Identificação com potencial gestor direto/indicação por pessoas relevantes no mercado ou na academia (9%) 10 itens que chamam a atenção dos profissionais desempregados ao avaliar uma proposta de emprego: Aderência ao cargo com a minha experiência prévia (52%) Aderência à cultura da empresa (50%) Aderência com o desafio proposto (48%) Aderência com a proposta de remuneração (43%) Aderência do cargo com minha formação acadêmica (24%) Nível de benefícios não monetários (16%) Distância geográfica (16%) Aderência ao nível hierárquico proposto (15%) Identificação com potencial gestor direto (13%) Indicação por pessoas relevantes no mercado ou na academia (9%) Prioridades mudam de acordo com a idade Apesar de a remuneração ser apontada como o fator mais relevante pelos profissionais empregados de todas as idades, ao avaliar uma proposta de trabalho, é possível observar diferenças nos demais critérios. Para os maiores de 46 anos, a aderência com a experiência prévia ganha destaque como segundo item a ser considerado, seguida por desafio proposto e adequação à cultura da empresa. Nas faixas etárias entre 25 e 35 anos e 36 e 45 anos, os destaques são aderência com o desafio proposto, adequação à cultura da empresa e aderência do cargo com a experiência prévia. Entre os profissionais desempregados, o estudo mostra que, com o passar da idade, a experiência prévia, aderência à cultura organizacional e desafio proposto ganham peso na tomada de decisão. Já a formação acadêmica e indicação são aspectos que perdem importância com o tempo. Enquanto profissionais nas faixas de 25 a 35 anos e maiores que 46 anos consideram a experiência prévia como principal destaque ao receber propostas, profissionais na faixa de 36 a 45 anos valorizam mais a proposta de remuneração. Veja outros destaques da pesquisa em relação à idade: Profissionais desempregados, com idade entre 36 e 45 anos, priorizam a remuneração ao receber a proposta; Entre os desempregados, profissionais com mais de 46 anos são os que mais valorizam a adequação à cultura da empresa; enquanto entre os empregados, profissionais com idade entre 25 e 35 anos são os que mais priorizam esse quesito; Profissionais mais sêniores tendem a ser os que mais valorizam propostas que estejam de acordo com sua experiência prévia; Profissionais mais jovens, principalmente os em busca de recolocação, são os que mais priorizam oportunidades alinhadas à sua formação acadêmica; Distância geográfica (localização da empresa) é mais considerada por aqueles entre 36 e 45 anos. O levantamento ouviu 351 profissionais empregados, 349 profissionais desempregados e 714 recrutadores entre 3 e 27 de maio. Veja Mais

'É terrível': após geadas, vinhedos de Champagne são atingidos por fungos

G1 Economia Cerca de 20% a 25% das lavouras da cidade francesa, que leva o nome da bebida, foram danificados pela praga após as fortes chuvas do começo deste mês e geadas no início da estação. Vinícola em Champagne, na França. REUTERS/Pascal Rossignol Cerca de 20% a 25% dos vinhedos de Champagne, a cidade que leva o nome do espumante na França, foram danificados por fungos após as fortes chuvas do começo deste mês. Isso se soma às pesadas perdas causadas pelas geadas no início da estação, informou nesta terça-feira (27) a entidade que representa as vinícolas da região francesa. No total, metade da safra será perdida, afirmou o vice-presidente do grupo do setor, o CIVC, Maxime Toubart, à Reuters, embora não deva haver impacto sobre a oferta aos mercados graças às reservas de produções passadas. Chuvas torrenciais atingiram a Europa Ocidental em meados de julho, causando enchentes mortais na Alemanha e na Bélgica e aumentando a preocupação sobre danos, em termos de qualidade e quantidade, a vários produtos agrícolas, incluindo cereais. "É terrível, tivemos muita chuva, justamente em um momento em que precisávamos de clima quente e seco", disse Toubart, que também é produtor. VÍDEO: Imagens de drone mostram destruição causada por enchentes na Alemanha Ataques de fungos fazem com que uvas e folhas sequem. Em alguns lugares, todo a plantação foi destruída, disse Toubart. "Uma perda de 20%-25% em 35.000 hectares é enorme. As gerações mais velhas dizem que nunca viram nada assim", afirmou. Geadas severas ao longo do inverno já haviam danificado 30% da produção. Vídeos: tudo sobre agronegócios Veja Mais

WhatsApp libera recurso que arquiva mensagens 'para sempre'

G1 Economia Até agora, conversas arquivadas voltavam para a tela principal quando contato ou grupo retomavam conversa. Usuários podem escolher entre as duas formas. Ícone do WhatsApp. Dado Ruvic/Reuters O WhatsApp liberou nesta terça-feira (27) uma opção que mantém as mensagens arquivadas "para sempre". Antes dessa atualização, as conversas que estavam no arquivo voltavam para a tela principal quando o contato ou o grupo retomavam o chat. Com a novidade, o usuário tem a opção de manter as conversas no arquivo o tempo todo, a menos que ela seja desarquivada. "Temos ouvido dos usuários que eles desejam que suas mensagens arquivadas fiquem escondidas na pasta de conversas arquivadas, em vez de voltar para a lista principal da conversa quando uma nova mensagem chega", explicou o WhatsApp em nota. A lista de mensagens arquivadas vai aparecer no topo das conversas: Initial plugin text É possível voltar para a configuração anterior. Para isso basta tocar no ícone de mais opções (três pontinhos), escolher "Conversas" e desativar a opção "Manter conversas arquivadas". A novidade já está disponível nas versões mais recentes do WhatsApp para iPhone e celulares Android. Geralmente, as atualizações são liberadas gradativamente e, por isso, pode demorar alguns dias até que todos tenham o recurso. Saiba como proteger seu celular de golpes no WhatsApp Golpes no Whatsapp: saiba como se proteger Veja Mais

Posse de Ciro Nogueira depende de medida provisória que cria novo ministério

G1 Economia A posse do senador Ciro Nogueira (PP-PI) na Casa Civil depende agora da finalização de uma medida provisória que trata da criação do novo ministério que reunirá Emprego, Trabalho e Previdência, áreas hoje dentro do Ministério da Economia, e que será o destino de Onix Lorenzoni, atualmente na Secretaria Geral da Presidência. A MP trata do desmembramento das áreas da Economia e também da criação de cargos e o escopo que a nova pasta terá. Ciro Nogueira posta foto com Bolsonaro, Lira e ministros: ‘Feliz em fazer parte desse grande time' Segundo um auxiliar próximo do presidente Jair Bolsonaro, a expectativa é que a medida seja publicada ainda nesta terça-feira (27) ou na quarta (28) pela manhã, o que permitiria que a posse ocorresse ainda na quarta. Aliados do presidente queriam deixar a posse para semana que vem, quando o Congresso retoma os trabalhos, para fazer da cerimônia um evento político, mas Ciro Nogueira afirmou que espera que a oficialização ocorra o mais rápido possível. VÍDEOS: veja mais notícias de política Veja Mais

Bens de brasileiros no exterior chegam a US$ 558,387 bilhões em 2020, informa Banco Central

G1 Economia Os bens de brasileiros no exterior cresceram US$ 29,166 bilhões no ano passado. Maior parte dos ativos são investimentos diretos. Os bens de brasileiros no exterior cresceram US$ 29,166 bilhões no ano passado, o que elevou o volume total de ativos lá fora para US$ 558,387 bilhões no final de 2020, segundo números divulgados nesta terça-feira (27) pelo Banco Central. Os dados, que englobam pessoas físicas e empresas, são resultado das declarações de Capitais Brasileiros no Exterior (CBE). A declaração é obrigatória para quem possui o equivalente a pelo menos US$ 1 milhão no exterior. O prazo de envio das informações terminou em 1º de junho. Os capitais brasileiros no exterior (CBE) são valores de qualquer natureza mantidos fora do país por pessoas físicas ou empresas residentes no Brasil. Podem ser bens, direitos, instrumentos financeiros, disponibilidades em moedas estrangeiras, depósitos, imóveis, participações em empresas, ações, títulos e créditos comerciais. Segundo o Banco Central, quantificar esses capitais ajuda a instituição a compilar a posição de investimento internacional do país, ou seja, a estatística do total de ativos e passivos externos da economia brasileira. Ainda segundo o BC, o nível de bens de brasileiros no exterior ajuda a avaliar o grau de internacionalização da nossa economia. Do total de US$ 558,387 bilhões em bens no exterior, no final de 2020, a maior parte (US$ 411,554 bilhões) está aplicada em participação em empresas. As aplicações em imóveis somam US$ 7,380 bilhões e em "moeda ou depósitos", US$ 32,481 bilhões. Há, ainda, aplicações financeiras em ações, BDR's, em títulos de renda fixa no exterior e em derivativos. VÍDEOS: notícias sobre economia Veja Mais

FMI vê alta de 5,3% no PIB do Brasil em 2021, mas mantêm projeção global de crescimento

G1 Economia Segundo a instituição, resultados do país foram acima do previsto no primeiro semestre, mas emergentes têm maior risco de novos surtos da pandemia do coronavírus e de revisões econômicas para baixo. Sede do FMI em Washington Reuters O Fundo Monetário Internacional (FMI) revisou para cima a projeção de PIB do Brasil em 2021. Pelas novas estimativas, a instituição espera alta de 5,3% da economia do país este ano. Mercado financeiro eleva estimativa de inflação e vê Selic a 7% em 2021 Comparada à estimativa de 3,7% de crescimento publicada em abril, houve, portanto, elevação de 1,6 ponto percentual. Com a maior alta esperada para este ano, a projeção para 2022 foi reduzida em 0,7 ponto, de 2,6% para 1,9%. O FMI atualizou suas projeções na edição de julho do relatório "World Economic Outlook", publicado nesta terça-feira (27). O crescimento da economia global, no entanto, não sofreu alterações na estimativa de alta de 6% para 2021, mas subiu para 4,9% em 2022 (+0,5 p.p.). Projeções do FMI para o PIB global - julho/2021 Economia G1 Diferenças entre países O órgão ressalta, contudo, que houve movimentações significativas entre os países que compõem o estudo. O Brasil é um dos exemplos de melhora acima da média e que puxa, ao lado do México, a elevação de projeção da região da América Latina e Caribe. O FMI explica que as projeções brasileiras melhoraram bastante por conta de resultados de atividade econômica acima do esperado no primeiro semestre e demonstração de força de exportações, em especial de commodities. Já o México se beneficia do avanço da economia dos Estados Unidos, seu principal parceiro econômico. Economias avançadas, como a norte-americana, receberam um pequeno impulso de 0,5 ponto percentual nesta revisão, em virtude do avanço da vacinação contra a Covid-19 e de estímulos fiscais que ainda agem sobre a recuperação do baque pandêmico. G20 vai pedir que FMI reserve incentivo a países vulneráveis Principal motor do bloco, os EUA, sozinhos, tiveram aumento de 0,6 p.p., chegando a uma expectativa de avanço de 7% em 2021. Em 2022, a arrancada deve continuar. Com aumento de 1,4 ponto contra a projeção de abril, o país deve crescer mais 4,9% no próximo ano. Efeitos da vacinação O FMI ressalta que o acesso às vacinas foi o grande flanco entre as economias desenvolvidas e emergentes no relatório de julho. Enquanto as maiores economias passam a se beneficiar da imunização ainda em 2021, as mais vulneráveis sentem o atraso do fim da pandemia. Os mercados emergentes, em média, tiveram revisão para baixo do PIB. Quem puxa a piora é a Índia, que teve reduzida em 3 pontos percentuais a sua projeção. O país teve forte queda de 7,3% em 2020 e deve registrar recuperação para uma alta de 9,5% em 2021. A região de Emergentes Asiáticos ainda deve ter alta de 7,5% em 2021, mas perdeu 1,1 ponto percentual em relação ao relatório de abril. A China também teve leve revisão para baixo, de 0,3 p.p. A alta esperada é de 8,1% neste ano. Brasil: 377 trabalhadores perderam o emprego por hora em um ano Riscos persistentes O FMI novamente levanta como condicionante para uma recuperação econômica global o controle da pandemia da Covid-19. O fundo listou quatro principais riscos: as variantes do coronavírus, os choques pós-pandêmicos, os desajustes de oferta e demanda, e a pressão inflacionária. As variantes destacam-se como preocupação. O FMI lembra que não há garantia de uma recuperação econômica estável enquanto a vacinação não estiver amplamente disseminada. O exemplo máximo é o Reino Unido, que atrasou a plena abertura da economia por conta do impacto da variante delta na curva de contágios pela doença. Em um ano de pandemia, 377 brasileiros perderam o emprego por hora Não bastasse, países com baixa cobertura vacinal podem ser palco de formação de novas variantes, entre as quais alguma que possa escapar da imunidade provocada pelas vacinas já desenvolvidas. "A prioridade imediata é distribuir vacinas de forma equitativa em todo o mundo", afirma o FMI. Risco inflacionário Outro tema central é a inflação global. O fundo reconhece que as pressões de preços recentes refletem "desenvolvimentos incomuns" relacionados à pandemia. Segundo o FMI, a inflação deverá retornar aos seus níveis pré-pandêmicos na maioria dos países em 2022, embora a incerteza permaneça alta. O FMI afirma que as perspectivas da política monetária de países desenvolvidos será fundamental para moldar as expectativas de inflação e proteger contra o aperto prematuro das condições financeiras. "Os bancos centrais devem, em geral, examinar as pressões inflacionárias transitórias e evitar o aperto até que haja mais clareza sobre a dinâmica dos preços subjacentes", diz o relatório. No entanto, diz o fundo, existe o risco de que as pressões transitórias se tornem mais persistentes e de que os BCs precisem tomar medidas preventivas. O que deu errado com os millennials, geração que foi de ambiciosa a 'azarada' Uma surpresa nesse sentido seria ainda pior em países emergentes, em que ainda é esperada alguma pressão nos preços de alimentos e atraso no repasse dos preços mais altos do petróleo para os importadores, por exemplo. "O crescimento seria mais fraco do que o projetado se os obstáculos logísticos na aquisição e distribuição de vacinas nos mercados emergentes e nas economias em desenvolvimento levassem a um ritmo de vacinação ainda mais lento do que o previsto", diz o relatório. "Além disso, o excesso de poupança das famílias pode ser liberado de forma mais gradual se elas permanecerem preocupadas com as perspectivas de emprego e segurança de renda, pesando sobre os gastos agregados." Veja Mais

MST inicia captação de R$ 17,5 milhões no mercado financeiro para produção da agricultura familiar

G1 Economia A partir dessa terça-feira (27), investidores vão poder reservar títulos de renda fixa que irão financiar o cultivo de alimentos de sete cooperativas. Esta é a 1ª oferta pública do movimento social, que fez a sua estreia no mercado de capitais ainda em 2020, com uma oferta restrita, só para grandes investidores. Colheita do arroz orgânico do MST Tiago Giannichini / MST A partir dessa terça-feira (27), pequenos e grandes investidores vão poder financiar a produção de alimentos orgânicos e da agricultura familiar de sete cooperativas do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). É a primeira vez que o MST faz uma oferta pública no mercado de capitais, aberta a qualquer tipo de investidor. Mas não é a sua estreia no mercado financeiro. Em maio de 2020, o grupo fez uma oferta restrita, ou seja, voltada apenas para investidores qualificados, que possuem patrimônio investido igual ou acima de R$ 1 milhão. Na ocasião, o movimento emitiu um Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA) no valor de R$ 1,5 milhão para uma de suas cooperativas (saiba mais no final da reportagem). O CRA é uma modalidade de títulos de renda fixa que financia a produção no campo. Dessa vez, o MST emitirá esse mesmo tipo de papel, mas no valor de R$ 17,5 milhões, para financiar produção de alimentos como arroz, feijão, milho, laticínios, entre outros. DE ONDE VEM: MST tem a maior produção de arroz orgânico da América Latina Veja dicas de Educação Financeira Qualquer pessoa poderá comprar os títulos a partir de R$ 100. O investimento tem uma remuneração pré-fixada de 5,5% ao ano, que será paga com o lucro da produção das sete cooperativas do MST (saiba mais sobre elas abaixo). O CRA do MST tem um prazo de 5 anos, o que significa que é só depois desse período que o investidor terá o resgate do dinheiro aplicado. Além disso, tem isenção de Imposto de Renda. Os interessados devem reservar os títulos a partir desta terça na Terra Investimentos, única corretora em que eles estarão disponíveis. A securitizadora responsável pela emissão dos papeis é a Gaia Agro. Neste primeiro momento, que vai de 27 de julho até 12 de agosto, ocorrerá somente a reserva dos títulos. E a efetivação da compra será no dia 18 de agosto, seguindo um cronograma normal das ofertas públicas. Depois dessas etapas, será possível saber o valor que as sete cooperativas conseguiram levantar. O MST não pode falar com o G1 porque está em período de silêncio, o que é regra durante qualquer operação do tipo. O movimento só poderá se manifestar após a conclusão do processo. As informações dessa reportagem foram retiradas do prospecto preliminar da oferta pública. Conheça a seguir as sete cooperativas: Cooperativa de Comercialização e Reforma Agrária Avante (Coana) Estado: Paraná Famílias: 231 ativas e cerca de 1 mil envolvidas nas brigadas em assentamentos na região Produtos: leite, queijos, manteiga, requeijão, arroz, feijão, entre outros. Cooperativa de Produção, Industrialização e Comercialização Agropecuária dos Assentados e Agricultores Familiares da Região Nordeste do Estado de São Paulo (Coapar) Estado: São Paulo Famílias: 455 Produtos: leite, achocolatados, queijos, iogurtes, requeijão, hortifruti, feijão carioquinha, entre outros. Cooperativa Agroindustrial Ceres (Coopaceres) Estado: Mato Grosso do Sul Famílias: 39 Produtos: sementes não transgênicas de soja, milho, arroz, entre outras. Todas são certificadas pelo Ministério da Agricultura e Fundação Prosementes. Cooperativa Regional de Comercialização do Extremo Oeste (Cooperoeste) Estado: Santa Catarina Famílias: 1.700 Produtos: laticínios Cooperativa dos Trabalhadores Assentados da Região de Porto Alegre Ltda (Cootap) Estado: Rio Grande do Sul Famílias: 609 Produtos: arroz, sucos, geleias, entre outros. Cooperativa Agroindustrial de Produção e Comercialização Conquista (Copacon) Estado: Paraná Famílias: 350 Produtos: laticínios, arroz, feijão, milho, soja, hortaliças, frutas, sucos, geleias, entre outros Cooperativa de Produção Agropecuária Vitória (Copavi) Estado: Paraná Famílias: 138 Produtos: açúcar mascavo, cachaça, melado de cana, entre outros. Movimentos sociais no mercado financeiro A entrada do MST no mercado financeiro foi idealizada pelo economista e CEO da Insight Trading Consultoria, Eduardo Moreira. Ele foi um dos fundadores do banco Brasil Plural e ex-sócio do Banco Pactual (hoje BTG Pactual). Sua trajetória tem algumas curiosidades, como ter sido condecorado em 2012 pela rainha da Elisabeth II por seu esforço em eliminar a violência no treinamento de cavalos. "No ano passado, o MST estava buscando financiamento em bancos para poder concluir a construção de uma agroindústria de arroz orgânico e carne suína. Eles me pediram orientação de qual banco ir, mas eu sugeri que eu e meus amigos financiássemos a operação", conta Moreira. "Era uma forma de colocar dinheiro em algo que eu acredito", ressalta. Foi então estruturado um CRA que captou R$ 1,5 milhão para a Cooperativa de Produção Agropecuária Nova Santa Rita (Coopan), no Rio Grande do Sul. A associação tem 29 famílias fundadoras e 80 associados que produzem, além de arroz orgânico e carne de porco, leite e pães para consumo interno. Padaria interna da Cooperativa de Produção Agropecuária Nova Santa Rita (Coopan) Divulgação A partir dessa operação, surgiu a ideia de expandir iniciativas semelhantes, o que deu origem, ainda em 2020, ao Programa de Financiamento Popular da Agricultura Familiar para Produção de Alimentos Saudáveis, o Finapop. O movimento tem o objetivo de impulsionar captações de recursos para a produção da agricultura familiar e orgânica e está, inclusive, apoiando a oferta pública que se inicia nesta terça. "Não é um fundo e nem um banco. É um movimento", destaca Moreira, explicando que, por meio dessa rede, é possível encontrar informações sobre iniciativas que estejam precisando de financiamento. "Já temos 8 mil pessoas inscritas no site", diz. Em meados de 2020, o Finapop planejava estruturar um outro CRA para financiar a produção de mel, café, pimenta, mandioca e soja de cinco cooperativas do MST. Mas as organizações conseguiram fechar contratos diretos com investidores. Moreira comenta que não há nenhuma contradição nessas operações. "O sistema financeiro não é algo do capitalismo, qualquer país tem um. Em Cuba, tem banco, na China, na Venezuela, na Coreia do Norte, nos EUA, Alemanha. O que é diferente entre os países é a forma como o sistema financeiro se estrutura e como as pessoas podem acessá-lo", diz. "Em tese, o sistema financeiro deveria fazer com que os recursos que estão em excesso pudessem chegar a mais mãos, daqueles precisam de recursos para exercer as suas atividades", conclui. VÍDEOS: mais sobre o agronegócio Veja Mais

Pronampe liberou cerca de R$ 17 bilhões, equivalente a 68% do total previsto para o ano

G1 Economia A instituição que mais emprestou recursos foi o Banco do Brasil (R$ 6 bilhões), seguido por Caixa (R$ 4,2 bilhões) e Bradesco (R$ 2,4 bilhões); cerca de 223 mil empresas foram beneficiadas. Cerca de R$ 17 bilhões foram emprestados por meio do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) até a última sexta-feira (23), para cerca de 223 mil empresas. Até o momento, as liberações, que começaram em 7 de julho, correspondem a 68% do total previsto para o programa neste ano, de R$ 25 bilhões. Novo Pronampe está disponível; veja as regras e como solicitar empréstimo Pronampe: entenda como funciona o programa que foi relançado de forma permanente A instituição que mais emprestou recursos foi o Banco do Brasil (R$ 6 bilhões), seguido por Caixa (R$ 4,2 bilhões) e Bradesco (R$ 2,4 bilhões). Também estão na lista: Sicoob (R$ 1,2 bilhão), Itaú (R$ 1,2 bilhão), Sicredi (R$ 1,2 bilhão), Santander (R$ 365 milhões), BDMG (R$ 109 milhões), Banrisul (R$ 80 milhões), Banco da Amazônia (R$ 50 milhões) e demais bancos (R$ 55 milhões). Banestes, AILOS, Banese e Agência de Financiamento de Goiás também estão operando a linha. Empreendedores reclamam de dificuldade para conseguir empréstimos do Pronampe Condições menos vantajosas Nesta nova versão, o Pronampe traz condições menos vantajosas do que as praticadas em 2020, quando os empréstimos somaram R$ 37 bilhões. Naquele momento, a garantia foi de 85% da carteira. Na nova rodada, a garantia é de 20%. Foram aportados R$ 5 bilhões no Fundo Garantidor de Operações (FGO), que podem viabilizar a liberação dos R$ 25 bilhões. A taxa de juros, que no ano passado era de 1,25% ao ano mais Selic, é, agora, de até 6% ao ano mais Selic. Veja Mais

Gigantes da tecnologia miram grupos supremacistas brancos e milícias em banco de dados antiterrorismo

G1 Economia Empresas esperam utilizar as informações para reprimir divulgação de conteúdos extremistas. Ícones de WhatsApp, Twitter, Facebook, Instagram e YouTube Alessandro Feitosa Jr/G1 Uma organização de contraterrorismo formada por algumas das maiores empresas de tecnologia dos Estados Unidos, incluindo Facebook e Microsoft, está expandindo significativamente os tipos de conteúdo extremista que serão armazenados em um banco de dados em comum. Com isso, elas esperam utilizar as informações para reprimir divulgação de grupos supremacistas brancos e milícias de extrema direita, disse o grupo à Reuters. Até agora, o banco de dados do Fórum Global da Internet para o Contraterrorismo (GIFCT, na sigla em inglês) se concentrava em vídeos e imagens de grupos terroristas em uma lista das Nações Unidas e, portanto, consistia principalmente em conteúdo de organizações extremistas islâmicas, como o Estado Islâmico, a Al Qaeda e o Talibã. Nos próximos meses, o grupo adicionará manifestos de agressores – muitas vezes compartilhados por simpatizantes da violência da supremacia branca – e outras publicações e links sinalizados pela iniciativa da ONU, "Tecnologia Contra o Terrorismo". Ele usará listas do grupo de compartilhamento de inteligência Five Eyes (Cinco Olhos, em português), que envolve Estados Unidos, Inglaterra, Canadá, Austrália e Nova Zelândia, adicionando URLs e PDFs de mais grupos, incluindo os Proud Boys, os Three Percenters e neonazistas. As empresas, que incluem Twitter e YouTube, compartilham "hashes", representações numéricas únicas de conteúdos originais que foram removidas de seus serviços. Outras plataformas usam isso para identificar o mesmo conteúdo em seus próprios sites, a fim de revisá-lo ou removê-lo. Embora o projeto ajude a combater o conteúdo extremista em plataformas convencionais, os grupos ainda podem publicar imagens violentas e retórica em muitos outros sites e espaços na internet. O grupo de tecnologia quer combater uma gama mais ampla de ameaças, disse o diretor executivo do GIFCT, Nicholas Rasmussen, em entrevista à Reuters. "Qualquer pessoa que olhe para o cenário do terrorismo ou do extremismo tem que entender que há outras partes [...] que estão exigindo atenção agora", disse Rasmussen, citando as ameaças de extremismo violento de extrema direita ou motivado por questões raciais. As plataformas de tecnologia há muito são criticadas por não policiarem conteúdo extremista violento, embora também enfrentam preocupações com censura. LEIA MAIS: 'O poder que as plataformas digitais têm sobre o discurso é também econômico', diz pesquisadora A questão do extremismo, incluindo supremacia branca e grupos de milícia, assumiu urgência renovada o ataque de 6 de janeiro contra o Capitólio, nos EUA. O banco de dados do GIFCT pode ser acessado por 14 empresas, incluindo Reddit, Snap, Instagram, Verizon Media, LinkedIn e Dropbox. O GIFCT, que agora é uma organização independente, foi criado em 2017 sob pressão dos governos dos EUA e da Europa após uma série de ataques em Paris e Bruxelas. O banco de dados contém principalmente impressões digitais de vídeos e imagens relacionadas a grupos na lista consolidada de sanções do Conselho de Segurança da ONU e alguns ataques específicos transmitidos ao vivo, como o tiroteio em 2019 em uma mesquita em Christchurch, Nova Zelândia. O GIFCT tem enfrentado críticas e preocupações de alguns grupos de direitos humanos e digitais em relação à censura. "O excesso de realizações leva você na direção de violar os direitos de alguém na internet de se engajar na liberdade de expressão", disse Rasmussen. O grupo deseja continuar a ampliar seu banco de dados para incluir hashes de arquivos de áudio ou certos símbolos e aumentar seu número de membros. Recentemente, adicionou a o Airbnb e a Mailchimp como membros. No YouTube, G1 explica o que é NFT: Veja Mais

Unifique precifica IPO a R$8,60 por ação

Times Money Journal A operadora de telecomunicações Unifique precificou sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) a R$ 8,60 reais por papel na última sexta-feira, de acordo com dados disponíveis no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). No prospecto da operação, a faixa indicativa era de entre $ 8,41 e $ 10,49 reais por […] O post Unifique precifica IPO a R$8,60 por ação apareceu primeiro em Times Money Journal. Veja Mais

Bovespa opera perto da estabilidade no início da semana

G1 Economia Na sexta-feira, o principal índice da bolsa fechou em queda de 0,87%, a 125.053 pontos. O principal índice de ações da bolsa de valores de São Paulo, a B3, opera perto da estabilidade nesta segunda-feira (26), à espera da decisão de política monetária dos Estados Unidos na próxima quarta. Às 10h02, o Ibovespa subia 0,01%, a 125.066 pontos. Veja mais cotações. Na sexta-feira, a bolsa fechou em queda de 0,87%, a 125.053 pontos. Com o resultado, a bolsa acumula queda mensal de 1,38% e alta anual de 5,07%. o Cenário Mais cedo, o Banco Central informou que o mercado financeiro projeta uma taxa de juros de 7% ao final do ano, acima dos 6,75% esperados na semana passada. A mediana das projeções dos economistas para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2021 também subiu: de 6,31% para 6,56%. Foi a décima sexta semana consecutiva de ajuste para cima nas projeções. No lado positivo, os economistas também ampliaram levemente a estimativa para o desempenho do PIB deste ano, que passou de 5,27% para 5,29%. Ainda na agenda de indicadores, a FGV apontou que a confiança dos consumidores subiu pelo quarto mês seguido em julho, atingindo o maior patamar desde outubro. Lá fora, os investidores aguardam a definição dos juros nos Estados Unidos, que será anunciada na quarta-feira pelo Federal Reserve.. Variação do Ibovespa em 2021 G1 Economia Veja Mais

País tem 130 concursos públicos com inscrições abertas para mais de 26,6 mil vagas; veja lista

G1 Economia Cargos são para todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 50.000,00 no processo seletivo aberto pela Prefeitura de Amaturá (AM). Concursos públicos: saiba como ler editais Pelo menos 130 concursos públicos estão com inscrições abertas nesta segunda-feira (26) no país, reunindo uma oferta de mais de 26,6 mil vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 50.000,00 no processos seletivo aberto pela Prefeitura de Amaturá (AM). É preciso verificar o Edital de Chamamento Público 001/2021 no dia 21 do Diário Oficial do município. CONFIRA AQUI A LISTA COMPLETA DE CONCURSOS Além das vagas abertas, há concursos para formação de cadastro de reserva – ou seja, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso (Clique no vídeo acima para aprender a ler editais). Nesta semana terminam as inscrições para o concurso do Banco do Brasil, que oferece 4.480 vagas em todo o país. As inscrições vão até o dia 28 de julho. LEIA TAMBÉM Currículo para primeiro emprego: veja dicas, como montar e baixe modelos Experiência, formação, habilidades: veja fatores que mais influenciam na escolha de candidatos a emprego Nesta segunda-feira (26), ao menos 10 órgãos abrem o prazo de inscrições para quase 300 vagas. Veja abaixo as informações de cada concurso: Exército Brasileiro Inscrições: até 02/08/2021 2 vagas Salários de até R$ 5.362,34 Cargos de nível médio Veja o edital Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip) Inscrições: até 03/08/2021 25 vagas Salários de até R$ 7.925,79 Cargos de nível médio, técnico e superior Veja o edital Marinha do Brasil Inscrições: até 15/08/2021 37 vagas Salários de até R$ 9.070,60 Cargos de nível superior Veja o edital Prefeitura de Afonso Cláudio (ES) Inscrições: até 01/08/2021 8 vagas Salários de até R$ 1.400,00 Cargos de médio Veja o edital Prefeitura de Alegre (ES) Inscrições: até 27/07/2021 24 vagas Salários de até R$ 2.229,47 Cargos de nível médio e superior Veja o edital Prefeitura de Piraquara (PR) Inscrições: até 09/08/2021 8 vagas Salários de até R$ 1.383,05 Cargos de nível fundamental e médio Veja o edital Prefeitura de Tijucas do Sul (PR) Inscrições: até 13/08/2021 27 vagas Salários de até R$ 5.459,16 Cargos de nível fundamental, médio, técnico e superior Veja o edital Prefeitura de Uruana (GO) Inscrições: até 30/07/2021 52 vagas Salários de até R$ 1.550,00 Cargos de nível fundamental e médio Veja o edital Universidade Estadual do Paraná (Unespar) Inscrições: até 08/08/2021 113 vagas Salários de até R$ 8.372,75 Cargos de nível superior Veja o edital Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) Inscrições: até 25/08/2021 2 vagas Salários de até R$ 9.616,18 Cargos de nível superior Veja o edital Veja Mais